Você está na página 1de 22

A escala Jônica é o ponto de partida para o estudo de escalas e seus

modos. É também chamada de escala Diatônica. É a escala mais agradável


Braço do violão A# Open E de ser ouvida. Junto com a escala dórica e mixolídia formam a base da
música popular. A progressão de acordes formada pela harmonização de
Intervalos B Drop D suas notas (em tom de C Jônico) é C7+, Dm7, Em7, F7+, G7, Am7,
Bm7(b5). Deve-se evitar parar na 4ª nota do Jônio, ou, deve ser utilizada
Escala Maior Natural (Jônio) C Normal: standard somente como nota de passagem, resolvendo-a na 3ª (isso porque quando
se pára na 4ª, sobre o Jônio ela forma um intervalo não desejável com a 3ª).
Escala Menor Natural (Eólio) C# Open G Há bibliografias que dizem pra evitar também a própria Tônica, quando está
D estiver entrando em choque com a 7+ (quando estiver-se usando tétrades).
Escala Menor Harmônica Open D O curioso é que evitando a Tônica e a 4ª nota no tom de C, por exemplo,
curiosamente se forma a pentatônica de Em.

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E

B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B

G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G

D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D

A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A

E F F# G G# A A# B C C# D D# E F F# G G# A A# B C C# D D# E

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3

7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+

5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5

9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9

6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6

3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ T b9 9 3m 3
Você pode adicionar novas escalas
e acordes. Ao final da lista
descreva o nome da escala e T b2 2 3m 3 4 b5 5 #5
marque com "1" o intervalos que
esta escala ou acorde possui

nª 48 registros cadastrados

Braço do violão

Intervalos 1 1 1 1 1 1 1 1 1

Escala Maior Natural (Jônio) 1 1 1 1 1

Escala Menor Natural (Eólio) 1 1 1 1 1 1

Escala Menor Harmônica 1 1 1 1 1 1

5
Escala Menor Melódica 1 1 1 1 1

6
7 Escala Diminuta (tom-semitom) 1 1 1 1 1 1
8 Escala DomDim (semitom-tom) 1 1 1 1 1 1
Escala Hexafônica (tons inteiros) 1 1 1 1 1
9
10 Escala Pentatônica Maior 1 1 1 1

Escala Pentatônica Menor 1 1 1 1


11
12 Escala Pentatônica Menor (c/ blue note) 1 1 1 1 1

Modo Jônio (maior natural) 1 1 1 1 1

13

Modo Dórico (menor) 1 1 1 1 1

14

Modo Frígio (menor) 1 1 1 1 1 1


15

Modo Lídio (maior) 1 1 1 1 1


16

Modo Mixolídio (maior) 1 1 1 1 1

17

Modo Eólio (menor natural) 1 1 1 1 1 1

18
Modo Lócrio (menor) 1 1 1 1 1 1

19

Acorde INTRODUÇÃO - Maior (1, 3, 5) 1 1 1

20

Acorde Maior (1, 3, 5) 1 1 1


21
22 Acorde 7+ (1, 3, 5, 7+) 1 1 1
23 Acorde 7+/9 (1, 9, 3, 5, 7+) 1 1 1 1

Acorde 6 (1, 3, 5, 6) 1 1 1
24
25 Acorde 7+/6 (1, 3, 5, 6, 7+) 1 1 1
26 Acorde 9 (1, 9, 3, 5) 1 1 1 1
27 Acorde 7 (1, 3, 5, 7m) 1 1 1
28 Acorde 7/9 (1, 9, 3, 5, 7m) 1 1 1 1
29 Acorde m (1, 3m, 5) 1 1 1
30 Acorde m7 (1, 3m, 5, 7m) 1 1 1
31 Acorde m7/6 (1, 3m, 5, 6, 7m) 1 1 1
32 Acorde m7/(b5) (1, 3m, b5, 7m) 1 1 1
33 Acorde m7/(5#) (1, 3m, 5#, 7m) 1 1 1
34 Acorde m7+ (1, 3m, 5, 7+) 1 1 1
35 Melódica, partindo da T 1 1 1 1 1
36 Melódica, partindo da 2ª, Frigio 6M 1 1 1 1 1
37 Melódica, partindo da 3ª, Lidio Aumentado #5 1 1 1 1 1
38 Melódica, partindo da 4ª, Lídio Dominante (7,b5)
1 1 1 1 1
39 Melódica, partindo da 5ª 1 1 1 1 1 1
40 Melódica, partindo da 6ª, Lócrio 2J 1 1 1 1 1 1
41 Melódica, partindo da 7ª Super Lócrio 1 1 1 1 1 1
42 Harmonica, partindo da T 1 1 1 1 1 1
43 Harmonica, partindo da 2ª 1 1 1 1 1
44 Harmonica, partindo da 3ª 1 1 1 1 1
45 Harmonica, partindo da 4ª 1 1 1 1 1
46 Harmonica, partindo da 5ª, Dominante 1 1 1 1 1 1
47 Harmonica, partindo da 6ª 1 1 1 1 1
48 Harmonica, partindo da 7ª 1 1 1 1 1 1
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105
106
107
108
109
110
111
112
6 7m 7+

1 1 1

1 1

1
1 1

1 1
1 1
1
1

1 1

1 1

1 1

1 1

1
1

1
1

1 1

1
1

1
1 1
1
1
1
1 1
1 1
1 1
1 1
1
1
1
1
1 1
1 1
1 1
1
1 1
1
VOCÊ PODE INSERIR OBSERVAÇÕES PRA APARECER NA TELA QUANDO O
OBS:
INTERVALO OU ESCALA ESTIVER SELECIONADO

Tente começar a visualizar o braço do intrumento por intervalos, o segundo braço lá embaixo. Ele é o que importa.
Pois as notas se relacionam por DISTÂNCIAS = INTERVALOS. Não adianta nada vc subir e descer desenhos
decorados se não souber que parou numa 3ª, Tônica ou 6ª. A música tem que ter nuances, sentimentos de tensão,
alegria, relaxamento, stress. E, se o seu felling (ou dom) não alcançar todo o sentimento que vc gostaria de tocar,
não jogue tudo pro alto, vc ainda tem toda a teoria pra te ajudar. Se vc souber um pouco do que tem aqui,
provavelmente começará a sentir os intervalos e o que cada um representa. Ou você acha que os ícones da música
não sabem um pouco de tudo isso!?!

Tente começar a visualizar o braço do intrumento por intervalos, o segundo braço lá embaixo. Ele é o que importa.
Pois as notas se relacionam por DISTÂNCIAS = INTERVALOS. Não adianta nada vc subir e descer desenhos
decorados se não souber que parou numa 3ª, Tônica ou 6ª. A música tem que ter nuances, sentimentos de tensão,
alegria, relaxamento, stress. E, se o seu felling (ou dom) não alcançar todo o sentimento que vc gostaria de tocar,
não jogue tudo pro alto, vc ainda tem toda a teoria pra te ajudar. Se vc souber um pouco do que tem aqui,
provavelmente começará a sentir os intervalos e o que cada um representa. Ou você acha que os ícones da música
não sabem um pouco de tudo isso!?!

A escala Jônica é o ponto de partida para o estudo de escalas e seus modos. É também chamada de escala
Diatônica. É a escala mais agradável de ser ouvida. Junto com a escala dórica e mixolídia formam a base da música
popular. A progressão de acordes formada pela harmonização de suas notas (em tom de C Jônico) é C7+, Dm7,
Em7, F7+, G7, Am7, Bm7(b5). Deve-se evitar parar na 4ª nota do Jônio, ou, deve ser utilizada somente como nota de
passagem, resolvendo-a na 3ª (isso porque quando se pára na 4ª, sobre o Jônio ela forma um intervalo não
desejável com a 3ª). Há bibliografias que dizem pra evitar também a própria Tônica, quando está estiver entrando em
choque com a 7+ (quando estiver-se usando tétrades). O curioso é que evitando a Tônica e a 4ª nota no tom de C,
por exemplo, curiosamente se forma a pentatônica de Em.

Esta é nossa escala Menor Natural. É a escala menor mais aceitável pelo ouvido. É o modo Jônio começado no 6º
grau, formando uma escala menor (3º grau menor, 3m). Em uma Análise Tonal a Tônica (do Jônio) é agora a 3m. É a
escala menor mais utilizada na música popular (um bom exemplo é a música Sampa pa Ti do Santana, em Am
Eólio). A progressão formada pelo modo Eólio (em tom de Cm Eólio) é Cm7, Dm7(b5), Eb7+, Fm7, Gm7, Ab7+, Bb7,
(Note que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é Eb).

É a escala com característica de música flamenca, espanhola. Sabe aquelas músicas que possui os acordes Am,
Dm, E7? Pois é, tem aquele acorde de E7 (que é uma V7 dominante, que "pede" pra voltar pro Am7). Pois é, quando
vc ver uma progressão como essa, lembre-se que sobre o E7 o tom Am eólio não fecha (será a Am harmônica)..Pois
a harmonização da escala Menor NATURAL (éolio) não possui um acorde V7 maior dominante (E7) e sim um V
menor 7 (Em7), Porém na escala Menor HARMÔNICA que aqui estamos vendo, sim, forma o acorde de E7 de
caráter dominante e esclarece toda a parada. Tem uma música só intrumental do Zé Ramalho - Bicho de Sete
Cabeças que dá pra sacar bem a diferença entre Menor Natural e Menor Harmônica. A melodia vai bem tranquilinha
e comum na Menor Natural e derrepente entra a Harmônica e dá um toque genial na melodia. Por essas nuances
geniais que vale a pena estudar e misturar modos e escalas.
Essa é a escala preferida de 9 entre 10 Jazzistas. Note que o shape dela é fácil de "decorar", ela tem todos os
mesmos intervalos do Jônio, com exceção da 3ª Maior que passa a ser menor na melódica. Então pra fácilitar
inicialmente trate ela como um jônio de 3m. Então, sim, frizemos q a melódica menor é uma escala menor. Porém na
prática jazzista há uma manha pra utilizá-la. Utiliza-se ela considerando a 7ª como tônica, no modo conhecido como
Super Lócrio (q possui intervalo menor e maior) da Melódia Menor. Assim: No shape da escala Melódica vc deverá
considerar a 7ª nota como Tônica (isso mesmo, é um modo da Menor Melódica a partir da 7ª, chamado Super
Lócrio). Nnote que, assim, entre a 7ª e a 2ª forma-se um intervalo de 1,5 tons (menor) e na nota seguinte temos entre
a 7ª e a 3m (maior) a formação de um intervalo de 2 tons de distância. Ou seja, o super lócrio, é uma escala que
possui intervalo de menor e maior em relação a 7ª.
Ver no livro do Daniel Sá
Ver no livro do Daniel Sá
Escala de som muito marcante. Aplicar ela dentro de uma música relamente dá um toque especial. Pode ser utilizada
sobre acordes do tipo C7/9 porém suprimindo a 5ª, ou outros acordes derivados de tons inteiros.
Penta por possuir 5 notas. É normalmente vista como o Modo Jônio suprimidos o 4 e 7+ graus.
Foi a primeira escala que aprendi a utilizar e fiquei só nessa dizendo que sabia tocar blues. Facílima de usar, tudo
que toca fica dentro, ou quase sempre. Porém pra qualquer um que queira evoluir no blues é bom dar uma conferida
no modo Dórico, Jônio, cromatismos, e desvendar os 5 modos da pentatônica. Esta aqui, é normalmente vista como
o Modo Eólio suprimidos o 2 e 6 graus.
Colocar texto
A escala Jônica é o ponto de partida para o estudo de escalas e seus modos. É também chamada de escala
Diatônica. É a escala mais agradável de ser ouvida. Junto com a escala dórica e mixolídia formam a base da música
popular. A progressão de acordes formada pela harmonização de suas notas (em tom de C Jônico) é C7+, Dm7,
Em7, F7+, G7, Am7, Bm7(b5). Deve-se evitar parar na 4ª nota do Jônio, ou, deve ser utilizada somente como nota de
passagem, resolvendo-a na 3ª (isso porque quando se pára na 4ª, sobre o Jônio ela forma um intervalo não
desejável com a 3ª). Há bibliografias que dizem pra evitar também a própria Tônica, quando está estiver entrando em
choque com a 7+ (quando estiver-se usando tétrades). O curioso é que evitando a Tônica e a 4ª nota no tom de C,
por exemplo, curiosamente se forma a pentatônica de Em.

É o modo Jônio começado no 2º grau, formando uma escala menor (3º grau menor, 3m). Em uma Análise Tonal a
Tônica (do Jônio) é agora a 7m. A peculiaridade do Dórico é ter a 6ª maior, diferentemente do Modo Menor Natural
(eólio) e Modo Menor frígio. É uma escala muito legal pra tocar um blues menor mais rebuscado, mas precisa estar
harmonizado com os acordes. Experimente tocar a escala em cima de uma blues ou funk com os acordes Am D7. A
progressão formada pelo modo Dórico (em tom de Cm Dórico) é Cm7, Dm7, Eb7+, F7, Gm7, Abm7(b5), B7+ (Note
que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é B).
É o modo Jônio começado no 3º grau, formando uma escala menor (3º grau menor, 3m). Em uma Análise Tonal a
Tônica (do Jônio) se tornou a 6m. A peculiaridade do Frígio é ter a 2ª menor (uma dissonância bastante forte). A
progressão formada pelo modo Frígio (em tom de Am Frígio é Cm7, Db7+, Eb7, Fm7, Gm7(b5), Ab7+, Bbm7 (Note
que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é F.
É o modo Jônio começado no 4º grau, formando uma escala maior (3º grau maior, 3 justo). Em uma Análise Tonal a
Tônica (do Jônio) é agora a 5 justa. A peculiaridade do Lídio é ter a 4 aumentada (#4, uma dissonância bastante
forte). A progressão formada pelo modo Lídio (em tom de C Lídio é , C7+, D7, Em7, F#m7(b5), G7+, Am7, Bm7 (Note
que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é G).
É o modo Jônio começado no 5º grau, formando uma escala menor (3º grau maior, 3 justo). Em uma Análise Tonal a
Tônica (do Jônio) é agora a 4 justa. O modo lídio é praticamente igual ao Jônio maior, a peculiaridade do Lídio é ter a
7 menor, e isso é extremamente interessante pois o modo mixolído forma uma progressão de acordes onde o I grau
é um acorde de com 7 menor, muito utilizado no Blues, Rock, Jazz, etc. A progressão formada pelo modo Mixolídio
(em tom de C Mixolídio é C7, Dm7, Em7(b5), F7+, Gm7, Am7, B7+ (Note que em Análise Tonal o tom Jônio da
progressão é F).
Esta é nossa escala Menor Natural. É a escala menor mais aceitável pelo ouvido. É o modo Jônio começado no 6º
grau, formando uma escala menor (3º grau menor, 3m). Em uma Análise Tonal a Tônica (do Jônio) é agora a 3m. É a
escala menor mais utilizada na música popular (um bom exemplo é a música Sampa pa Ti do Santana, em Am
Eólio). A progressão formada pelo modo Eólio (em tom de Cm Eólio) é Cm7, Dm7(b5), Eb7+, Fm7, Gm7, Ab7+, Bb7,
(Note que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é Eb).
Este é o grau mais esquisito, muito difícil de ser aplicado na prática. É o modo Jônio começado no 5º grau, formando
uma escala menor (3º grau maior, 3 justo), alé, de alterar o 2 e o 5 grau pra bemol (b2 e b5). Em uma Análise Tonal a
Tônica (do Jônio) é agora a b2.E, de cara o primeiro acorde da harmonização é um Cm7(b5) que assusta qualquer
iniciante. A progressão formada pelo modo Lócrio (em tom de Cm Lócrio é Cm7(b5), Db7+, Ebm7, Fm7, Gb7+, Ab7,
Bbm7 (Note que em Análise Tonal o tom Jônio da progressão é Db).

Sole por desenhos de acordes e as notas estarão sempre dentro numa sonoridade perfeita. Temos aqui todas as
possíbilidades de realizar um acorde no braço. Estes desenhos de acordes são os mesmos desenhos de arpejos ou
harpejos (tocar à maneira de Harpa). Você pode visualizar o sitema CAGED. Exemplo de como utilizar: Selecione o
Tom de C (afinação Standart) e vc verá o seu conhecido acorde de C formado pela 1, 3, 5 (C, E, G) e todas as outras
possibilidades de executá-lo. Então quando a música estiver tocando o acorde de C vc poderá tocar em qualquer dos
pontos selecionados que fechará perfeitamente. Óbvio pois se está sobre notas do acorde de C. Mas note que
quando vc sola sobre estas notas e pára ou sobre a T, ou sobre a 3ª ou sobre a 5ª o efeito é diferente. Esse é o
grande barato. E o mais legal começa nos próximos shapes.. que vc adiciona sobre o acorde original as
dissonâncias, parando sobre 6ª ou uma 9ª, 7+... daí sim, começa a brincadeira saber o que se está solando.

Este é o acorde básico de tríade, formado pela 1 3 e 5, São estes os intervalos que formam as Tríades Maiores.
Utilize sobre acordes maiores. Escolha o Tom C, na afinação Standard, e veja como se forma o acorde de C e todas
suas possibilidades no braço do intrumento. Esse é o shape completo para se visualizar o Sistema CAGED.

Colocar texto
Colocar texto
O arpejo da tríade (1,3,5) com 6 pode ser interpretado como sua relativa menor. Ou seja, vc pode ver aí, que os
shapes originados por estes intervalos formam, além da Tríade Maior, também o acorde relativo menor sobre a 6ª..
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Ver textos da "Escala Menor Melódica"
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Também conhecida como escala Alterada. Esta é a escala dos Jazzistas
Ver textos da "Escala menor Harmônica"
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
Colocar texto
VOCÊ PODE INSERI
06 afinações cadastradas
1 2 3 4 5 6 7
CORDAS Normal: standard
Open G Open D Open C Open E Drop D
1ª E D D E E D
2ª B B A C B B
3ª G G F# G G# G
4ª D D D C E D
5ª A G A G B A
6ª E D D C E D
VOCÊ PODE INSERIR NOVAS AFINAÇÕES NOS CAMPOS EM BRANCO
8 9 10 11 12 13 14 15
Compartilhar conhecimento para aprender... Sobre o Excel e

Num passado longínquo alguém lá no meio da floresta já curtia Tudo foi feito em
acompanhar o canto da passarinhada e batucar tempos 4x4 em cores, que realça
troncos ocos de árvores caídas. Alguém copiou quem batucou, braço do violão/g
pirou na parada, deu mais uma inventada e repassou. “Formatação Avan
reexibir colunas e
Todo conhecimento desta planilha, vem de outras pessoas: rosa, colocar a fot
livros, aulas, blogs, vinis, cd’s, sites, hieróglifos em cavernas, de proteção de to
mestres, fóruns, viagens e beberagens. “3”.

Este é jeito... a melhor forma de se ir além das nossas


limitações é repassar aquilo que sabemos. Pois sempre vai ter
alguém pra dar uma idéia legal e retornar algo de bom.

Mas se você achar que isso é uma merda duma planilha em


Excel, sem galho, manda isso lá pro from hell cibernético.

Não domino na prática todo o conteúdo que tem aqui (por isso
deixei espaço aberto para suas próprias anotações). Então, se
tiverem alguma dúvida postem em algum fórum como o Fórum
Cifra Club, Guitar Corner, fórum guitarra.

fernando0877@gmail.com

E
Sobre o Excel e senhas de proteção. Bibliografia Indicada

Tudo foi feito em Excel. A mudança de É indispensável ler bons livros de


cores, que realça as escalas e intervalos no grandes mestres. Por isso indico:
braço do violão/guita foi feita com o recurso
“Formatação Avançada”. Quem quiser fuçar, - Almir Chediak – Harmonia e
reexibir colunas e linhas ocultas, colorir de Improvisação Vol. I & Vol. II (Lumiar
rosa, colocar a foto do seu ídolo... a senha Editora);
de proteção de todas as planilhas é o digito - Daniel Sá – Método de Guitarra -
Tudo Sobre Improvisação (coleção
“3”.
toque de mestre);
- Luciano Alves - Escala para
improvisação (Ed. Irmãos Vitale).

PS: O livro do Daniel Sá, bem fino por


sinal, explica com exemplos a
aplicação de escalas, mistura de
escalas e modos. Foi o livro que me
abriu a mente para as possibilidades
infinitas. O Chediak entra fundo na
harmonização, função dos acordes, e
descortina o assunto com base na
MPB. O do Luciano Alves é um amansa
burro de 1ª sobre utilização de
escalas.

ENTRA
ada

bons livros de
or isso indico:

Harmonia e
Vol. II (Lumiar

o de Guitarra -
ação (coleção

scala para
mãos Vitale).

Sá, bem fino por


emplos a
mistura de
o livro que me
s possibilidades
ntra fundo na
o dos acordes, e
com base na
ves é um amansa
ização de
Origem Braço do violão T b2 2 3m 3 4 b5 5 #5 6 7m 7+ Tom Acorde enfâse Obs

Jônio (maior natural) T 9 3 4 5 6 7+


Dórico (menor) T 9 3m 4 5 6 7m
NATURAL

Frígio (menor) T b9 3m 4 5 #5 7m
Lídio (maior) T 9 3 b5 5 6 7+
Mixolídio (maior) T 9 3 4 5 6 7m
Eólio (menor natural) T 9 3m 4 5 #5 7m
Lócrio (menor) T b9 3m 4 b5 #5 7m
Melódica (menor) T 9 3m 4 5 6 7+
Frígio 6M (menor) T b9 3m 4 5 6 7m
MELÓDICA

Lídio Aumentado #5 (maior) T 9 3 b5 #5 6 7+


MENOR

Lídio Dominante (7,b5) (maior) T 9 3 b5 5 6 7m


Quinto Modo T 9 3 4 5 #5 7m
Lócrio 2ªM (menor) T 9 3m 4 b5 #5 7m
Escala Alterada T b9 3m 3 b5 #5 7m
Harmonica 1 T 9 3m 4 5 #5 7+
Harmonica 2 T b9 3m 4 b5 6 7m
HARMÔNICA

Harmonica 3 T 9 3 4 #5 6 7+
MENOR

Harmonica 4 T 9 3m b5 5 6 7m
Harmonica 5 T b9 3 4 5 #5 7m
Harmonica 6 T 3m 3 b5 5 6 7+
Harmonica 7 T b9 3m 3 b5 #5 6
Pentatônica 1º modo (Maior) T 9 3 5 6 C C6
Pentatônica 2º modo (3ª foi susp) T 9 4 5 7m C9 (sus 3ª)
PENTATÔNICA

Pentatônica 3º modo T 3m 4 #5 7m Frígio/lócrio


9 3 5 6 7+ C F (lìdio, sem a T)
Pentatônica 4º modo T 9 4 5 6
Pentatônica 5º modo (menor) T 3m 4 5 7m A Am7 Dm7 (dórico) Gm7 (mixolídio)
Tons Inteiros ou Hexafônica T 9 3 b5 #5 7m
Simétricas Diminuta (tom-semitom) T 9 3m 4 b5 #5 6 7+
Diminuta DomDim (semitom-tom) T b9 3m 3 b5 5 6 7m
Acorde Maior (1, 3, 5) T 3 5
Acorde 7+ (1, 3, 5, 7+) T 3 5 7+
Acorde 7+/9 (1, 9, 3, 5, 7+) T 9 3 5 7+
Acorde 6 (1, 3, 5, 6) T 3 5 6
Acorde 7+/6 (1, 3, 5, 6, 7+) T 3 5 6 7+
Acorde 9 (1, 9, 3, 5) T 9 3 5
Acorde 7 (1, 3, 5, 7m) T 3 5 7m
Acorde 7/9 (1, 9, 3, 5, 7m) T 9 3 5 7m
Acorde m (1, 3m, 5) T 3m 5
Acorde m7 (1, 3m, 5, 7m) T 3m 5 7m
Acorde m7/6 (1, 3m, 5, 6, 7m) T 3m 5 6 7m
Acorde m7/(b5) (1, 3m, b5, 7m) T 3m b5 7m
Acorde m7/(5#) (1, 3m, 5#, 7m) T 3m #5 7m
Acorde m7+ (1, 3m, 5, 7+) T 3m 5 7+
Escala Pentatônica Menor (c/ blue note) T 3m 3 4 5 7m