Você está na página 1de 1

Curso de Tecnologia em Fabricação Mecânica

Planos de Lubrificação
Fabio Moura (fabiomoura61@gmail.com)
Franklin Matos Rosa (franklin.7mr@gmail.com)
Igor Rodrigues (ir23rde@gmail.com)
Pedro de Morais Rosa Junior (pedrojunior206@gmail.com)

Introdução Método
A obtenção de um ótimo desempenho do processo, irá O plano de lubrificação é dividido em etapas.
depender da performance das máquinas que o Primeiramente é feita uma listagem de todas as
compõem. Uma ótima lubrificação possibilita que as máquinas e equipamentos que estarão fazendo parte
máquinas desempenham sua função com total deste plano, identificando pontos de lubrificação,
capacidade disponível, sendo que na ocorrência de quantidade e tipo de lubrificante e o intervalo que deve
falhas, pode comprometer a produção, impactando não ser feito o processo novamente.
somente o processo e os seus custos, mas também o Em sequência temos a determinação da rota em que
cliente final. será feito a lubrificação das máquinas e equipamentos,
considerando algumas variáveis como o layout da
máquina, disponibilidade e frequência de aplicação.
Como próxima etapa será a identificação dos
lubrificantes a serem utilizados em cada ponto,
utilizando a norma DIN 51502 que estabelece uma
codificação para cada classe de lubrificantes.

Figura 1 – Lubrificação em elementos de máquinas

Resumo
Plano de lubrificação consiste no controle de
manutenção dos equipamentos, como o consumo de
peças, filtros, combustíveis e mão de obra, sendo o
instrumento facilitador no controle das lubrificações e
manutenção das máquinas. Para que se tenha um plano
de lubrificação coerente, deve ser registrada todas as
Figura 3 – Sequência de criação do Plano de Lubrificação
ações, tarefas, riscos, atividades e produtos a serem
aplicados, além dos períodos e informações extras Alguns planos de lubrificação podem ainda incluir,
sobre o equipamento. inventários de equipamentos a serem lubrificados como
nome, número de identificação, localização, pontos a
serem lubrificados, periodicidade, como a frequência de
aplicação, tipo de lubrificante, códigos, serviços a serem
executados, aplicação de lubrificante, limpezas,
inspeções, quantidade de lubrificante a ser usado,
ferramentas a serem usadas. É evidente que os planos
de lubrificação precisam ser realizados de forma
racional para se obter o máximo de produtividade do
executor e do lubrificante.
Por intermédio do plano de lubrificação e uma gestão
adequada, a forma de reduzir as quebras e danificações
dos maquinários é maior, aumentando assim a
Figura 2 – Ramificações dos componentes para o plano de lubrificação disponibilidade e desempenho dos equipamentos.

Referencias
SOUZA, L. F. Lubrificação de Equipamentos Industriais. Trabalho de conclusão de curso - (Bacharelado em Engenharia Mecânica) -
Instituição UNIC, Rondonópolis, 6 Dezembro 2018. 27.

WEBER, A. J. et al. Apostila Telecurso 2000 - Mecânica: Manutenção. Rio de Janeiro: Globo, 1996.

JUNIOR, A. S. Lubrificant base oil and Wax processing. Port Arthur: Marcell Dekker, Inc., 1994.

Você também pode gostar