Você está na página 1de 2

Gestão Estratégica Grupo: Eliza A.

Vieira
UNA – Pós Graduação 10/2010 Daniel de P. Carneiro
Marli G. da Silva
Mirian O. de Souza

O EFEITO HONDA

1) Na visão do BCG quais foram os fatores chaves para a empresa Honda no


mercado americano de motos?

R: Os principais fatores de sucesso são motos menores e mais leves, três


velocidades e embreagem automática, partida elétrica e acesso fácil para
ciclistas do sexo feminino, preço desassociação da imagem das motocicletas
dos arruaceiros assim como, sistemas especializados de produção, engenharia
equilibrada, eficiência de custos e fornecedores confiáveis.

2) Quais os erros de avaliação, julgamento cometidos pelo BCG?


R: Foi supor que a Honda utilizou da diferença nos custos de suas motos e,
consequentemente o alto volume de produção, como estratégia para adentrar o
mercado Norte Americano e que possuíam “sistemas especializados de
produção, engenharia equilibrada e requisitos de mercado, além de eficiência
de custo e fornecedores confiáveis.”

3) Teria sido possível evitar alguns destes erros? Como?


R: Sim. Tudo que fosse considerado como relato sobre o sucesso da
Honda, era preciso ser assegurado logo no início. Sochiro Honda e seu sócio
Tókio Fujisawa era feito de caráter singular como fundador. A Honda tornou-
se um gênio inventivo com grande ego e de caprichoso temperamento.

4) Utilizar o referencial teórico sobre estratégia emergente versus deliberada


para analisar este caso.

R: A Honda obteve seu sucesso a partir de estratégias emergentes, ou seja,


as ações da empresa mudavam de acordo com o ambiente, as necessidades do
mercado, e as possibilidades de inovação da empresa. Com a inovação do
design, em 1954, houve o aumento da demanda que solicitou investimento na
organização e desenvolvimento dos métodos e processo de produção. Fujisawa
soube utilizar das oportunidades para obter maiores ganhos e desenvolvimento
em uma seqüência de causa-efeito: com a inovação das motos, houve maiores
vendas que facilitaram acesso de financiamento e assim, sucessivamente. Com
isso, a Honda tornou-se uma das quatro ou cinco líderes da indústria.

5) Que aprendizado sobre estratégia podem ser derivadas deste caso?

R: Em princípio, a Honda não possuía nenhuma estratégia além da idéia


que poderia vendar alguma coisa nos EUA. Entretanto ao longo do processo, a
Honda precisou adaptar-se a diversas circunstâncias. As falhas técnicas das
motos começaram a denegrir a imagem da Honda, sendo que a Honda viu se
obrigada a entrar no mercado com as motos de 50 cc, o que foi um verdadeiro
sucesso de vendas nos EUA. Houve uma mudança de estratégia para reverter a
posição da empresa no mercado, ou seja, a oferta de outro produto até mesmo
para um outro público alvo.
As estratégias não são fixas e baseadas apenas em dados e números, elas devem
se adaptar as variações do ambiente e as necessidades dos clientes. As análises
devem ser constantemente revistas e, a empresa deve estar preparada para os
altos e baixos do mercado. No caminho para os acertos, a Honda conviveu com
muitos erros, enganos e resultados inesperados, que encontraram a empresa
despreparada, mas serviram de aprendizado e proporcionaram novas
oportunidades. Estratégias não são fixas e nem sempre acertadas de forma a
garantir o sucesso, os erros devem ser registrados e usados como aprendizado
para os eventos futuros.

6) Quais as repercussões possíveis da atual crise financeira internacional


sobre uma empresa produtora de motos como a Honda.

R: As possíveis repercussões possíveis da atual crise financeira sobre uma


empresa produtora de motos como a Honda seriam um possível aumento do
mercado, tendo em vista a procura por meios de locomoção mais baratos e que
sejam mais econômicos, dinamização da tomada de decisão de gastos, sejam de
consumo, sejam de investimento. Assim como uma grande oportunidade para a
consolidação da marca tendo em vista maior demanda por transportes
alternativos. Ou até mesmo aumento da procura por transportes públicos,
ocasionando perda de mercado. O que determinará se a crise será positiva ou
não, serão as atitudes/caminhos que a empresa decidirá seguir.