Você está na página 1de 8

1

PANORAMA DO LIVRO JEREMIAS


Texto: Jeremias 1.1
Tema: O inevitável juízo Divino no reino de Judá
Tema: O juízo Divino e Inevitável de Judá

INTRODUÇÃO
O livro de Jeremias ocupa mais espaço na Bíblia que qualquer outra obra. Ele foi enviado
por Deus no momento mais sombrio de Israel e proclama a Palavra de Deus com muito
sacrifício.

O ministério profético de Jeremias foi dirigido ao Reino do Sul, Judá, durante os últimos
40 anos de sua história (626-586 a.C). Ele viveu para ser testemunha das invasões
babilônicos em Judá, que resultaram na destruição de Jerusalém e do templo.

Jeremias é o autor do Livro das Lamentações (Cap: 1-5)


“As Lamentações de Jeremias” – No AT hebraico o inclui como um dos cincos rolos
(juntamente com Rute, Ester, Eclesiastes e Cantares) da terceira parte da Bíblia
Hebraica os Escritos Sagrados (hagiógrafos). Cada um desses livros era lido num evento
determinado do ano litúrgico judaico.
Lamentações em uma sentença: O profeta apresenta, por meio de poemas de lamento,
a situação de Jerusalém depois do juízo divino. O livro é uma poesia composta em
acróstico. Quer dizer, cada bloco de versículos começa com uma letra do alfabeto
hebraico da primeira até a última, que ajudava na memorização.

Lm 1: A situação da cidade de Jerusalém; Lm 2: A sentença de Deus por


causa do pecado; Lm 3: O sofrimento do profeta e a misericórdia de Deus;
Lm 4: A sujeição forçada do povo; Lm 5: A súplica pelo povo.

Apostasia e religião formal


Seguindo o método de Oséias, Jeremais enfocou, com precisão, deficiências do povo no
sentido de relacionamento com Deus. Usando a figura do casamento, contrastando um
marido fiel com uma esposa adúltera (Jr 3:1-13; compare com Os 1:2 - 2: 5).
Jeremias proclamou a mensagem divina ao seu povo em uma época de crise política e
moral em Judá. Ele deixou muito claro que a apostasia da nação era a verdadeira causa
para a devastação iminente.

O AUTOR - 626 a 586 a.C


Jeremias era filho de Hilquias, um sacerdote. 1.1
Não foi casado e nem teve filhos por ordem de DEUS – Jr 16.2
2

Foi chamado ao ministério ainda jovem (1.6), no décimo terceiro ano do rei Josias, uns
70 anos depois da morte de Isaías (700-680 a.C).
Ele era conhecido como o Profeta chorão – Jr 9.1; 13.17 e 14.17
Exerceu seu ministério nos reinados de Josias, Jeoacaz, Jeoaquim, Joaquim e
Zedequias. 2 Cr 34-36
Como Profeta, sofreu muito: solidão, rejeição, dor, ameaças de morte, humilhação,
preso e lançado numa cisterna. Jr 16.1-21
Rotulado de Traidor por defender a submissão à Babilônia. Jr 26.1-24

SEU MINISTÉRIO
PREGAÇÃO E ESTILO LITERARIO: Suas mensagens eram diretas, ilustradas por metáforas
vivas do cotidiano do povo. ESTILO: O livro de Jeremias segue a mesma linha literária de
Isaías e os demais profetas que consistem em forma de poesia profética.
TEXTO: Jr 9.1-3; 18.1-6 O vaso do oleiro é um exemplo.
Oráculos significa: vontade de DEUS revelada ao profeta.

ORAÇÃO: Orou pelo povo até o ponto de ouvir do Senhor que não deveria mais fazê-lo
(Jr 7.16; 11.14 e 14.11).

ESCRITA: Escreveu o livro em forma de mensagens, uma carta aos exilados (Jr 29) e um
livro de lamento (Lamentações).

ACONSELHAMENTO: Aconselhou tanto seu amigo Baruque (Jr 45.1-5), como o rei
Zedequias (Jr 21.3).

“Jeremias, porém, respondeu-lhes: "Digam a Zedequias:...” Jeremias 21:3

"Diga a este povo: ‘Assim diz o Senhor: Ponho diante de vocês o caminho da vida e o
caminho da morte.
Todo aquele que ficar nesta cidade morrerá pela espada, pela fome ou pela peste.
Mas todo o que sair e render-se aos babilônios, que os cercam vocês, viverá; este
escapará com vida.
Decidi fazer o mal e não o bem a esta cidade, diz o Senhor. Ela será entregue nas
mãos do rei da Babilônia, e ele a incendiará’.
"Digam à casa real de Judá: ‘Ouçam a palavra do Senhor.” Jeremias 21:8-11

Jeremias tinha um auxiliar que escrevia seus rolos na medida em o profeta ditava da
parte de DEUS. Seu nome era Baruque, filho de Nerias Jr 36.4-8

AS MENSAGENS - Todas as mensagens proféticas vinham da parte do


SENHOR para o profeta Jeremias.
O que vem a seguir é declarado ser não meramente a mensagem de um homem. Fica
muito claro, desde o começo, que esta é a mensagem de Deus. “A PALAVRA DO
3

SENHOR VEIO A MIM...” reflete uma expressão padrão para o recebimento da


revelação divina por um profeta (Is 38.4; Ez 1.3; 3.16; Os 1.1; Jl 1.1; Sf 1.1; Ag 1.1).

“A palavra do Senhor veio a mim, dizendo:” Jeremias 1.4; 11


“A palavra do Senhor veio a mim:...” Jeremias 2.1
“Assim diz o Senhor ao povo de Judá e de Jerusalém:...” Jeremias 4.3
“Assim diz o Senhor dos Exércitos:...” Jeremias 6.6, 16, 21, 22
Esta é a palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor:..” Jeremias 7:1
“Diga a eles: ‘Assim diz o Senhor...” Jeremias 8:4
“Assim me disse o Senhor...” Jeremias 13:1
E o Senhor dirigiu-me a palavra, dizendo:
"Assim diz o Senhor...” Jeremias 13:8,9
“Esta é a palavra que o Senhor dirigiu a Jeremias acerca da seca:..” Jeremias 14:1
Jeremias ainda estava preso no pátio da guarda quando o Senhor lhe dirigiu a palavra
pela segunda vez:
"Assim diz o Senhor que fez a terra, o Senhor que a formou e a firmou; seu nome é
Senhor:
‘Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não
conhece’.” Jeremias 33:1-3

Mensagem principal do livro


Em Jeremias, DEUS é visto como paciente e santo. Ele retarde o seu julgamento e apela
para que o seu povo se arrependa antes que seja tarde demais. Como a lição na casa do
oleiro demonstra, um vaso quebrado pode ser reparado enquanto está molhado (18:1
– 4). Uma vez seco, porém, o vaso não presta para mais nada, senão ser jogado no lixo
(19:10,11).
O aviso de Deus é claro: o tempo para Judá se arrepender está se esgotando. Por causa
do desprezo à palavra de Deus e da recusa ao arrependimento, o cativeiro babilónico é
inevitável. Jeremias regista as causas morais e espirituais dessa catástrofe iminente, mas
ele também proclama a graciosa promessa de esperança e restauração. Sempre haverá
um remanescente, e Deus estabelecerá um novo concerto

Deus ainda está em seu trono, e a história lhe pertence. O escritor alemão Friedrich
Von Logau expressou-se bem ao dizer:

“Ainda que as moendas de Deus trabalhem devagar, trituram completamente;


Ainda que em sua paciência Deus possa aguardar, moi tudo exatamente”.

PROFETAS Contemporâneos:
Jeremias foi contemporâneo de Sofonias 1.1, *Habacuque, Daniel e Ezequiel. Seu ministério se
estendeu de 626 até cerca de 586 a.C. Josias, o último rei piedoso de Judá (640 – 609 a.C.)
4

instituiu reforma religiosa quando o livro da lei foi encontrado em 622 a.C. Jeremias tinha boas
relações com o rei e lamentou quando este foi morto em 609 a.C. pelo Faraó Neco do Egipto.
Neste tempo, a Babilônia já havia tomado Nínive, a capital da Assíria em 612 a.C. Jeoacaz
substituiu Josias como rei de Judá, mas reinou
*Habacuque - Hc 1.6-11 refere-se a marcha babilônica em direção à Carquemis onde o
Egito foi derrotado, junto ao Eufrates (2 Cr 35.20-27), a data da profecia de Habacuque
seria entre 606-605 a.C., durante os primeiros anos do rei Joaquim de Judá, irmão de
Jeoacaz (2 Cr 36.9-10), ele foi o sucessor de Jeoaquim, seu pai (2 Cr 36.1-4);

RESUMO DOS PRIMEIROS LIVROS DOS PROFETAS PELA ORDEM


1. ISAÍAS 700 a 680 a.C - Ano 722 a.C, o Reino do Norte cai nas mãos dos Assírios (2 Reis
17.1-6; 24-41) em cujo o rei de Israel era Oséias. Nesse período Isaías, Miqueias e Oséias
já exerciam o ministério profético. Isaías mesmo sendo da nobreza, ele foi chamado por
DEUS para ser profeta no ano da morte do rei Uzias no reino do sul (6.1).
Em Isaías 44.28 e 45.1, o profeta cita especificamente o nome de Ciro (Esdras 1.1 - ano
450-420 a.C), ligando-o à futura restauração de Israel e ao assentamento das fundações
do templo. Entretanto, Isaías desempenhou o seu ministério entre 739 e 681 a.C., ao
passo que Ciro veio a ser rei da Pérsia em 539 a.C. Há entre eles um período de pelo
menos 150 anos. Este é um exemplo de profecia sobrenatural. Aqui a onisciência de DEUS, O
SENHOR conhece o passado, o presente e o futuro.

2. JEREMIAS 626 a 586 a.C – O ministério de Jeremias foi dirigido ao Reino do Sul,
Judá, durante os últimos 40 anos de sua história. O profeta começou seu ministério 70
anos após o ministério de Isaías.
3. EZEQUIEL 593 a 571 a.C – O contexto histórico do livro de Ezequiel é a Babilônia
durante os primeiros anos do exílio babilônico.
4. DANIEL 536 a 530 a.C – O livro relata eventos a partir da primeira invasão de
Jerusalém por Nabucodonosor (605 a.C) até ao terceiro ano de Ciro no ano 536 a.C. O
contexto histórico está vinculado a Babilônia, durante o cativeiro babilônico de Judá de
70 anos de duração profetizado por Jeremias (cf. Jr 25.11).

Foram em três etapas que Nabucodonosor levou os judeus para


a Babilônia.
O PRIMEIRO EXÍLIO de judeus na Babilônia 605 a. C – jovens escolhidos foram
deportados para Babilônia entre eles Daniel (pôs o nome de Beltessazaer) e seus três
amigos (Hananias chamado Sadraque, Misael o de Mesaque e Azarias o de Abede-Nego
(Dn 1.7).

O SEGUNDO EXÍLIO – Em 597 a.C, 10.000 cativos forma levados à Babilônia, estando
Ezequiel entre eles; Esse era o ano do reinado Joaquim rei de Judá. Nabucodonosor e
suas tropas cercaram Jerusalém, o rei, sua mãe, seus conselheiros, seus nobres e seus
oficiais se entregaram ao rei da Babilônia. Nesse período Nabucodonosor levou cativo
Joaquim e toda a nobreza. Além do mais, ele também levou todos os líderes e os homens
de combate, todos os artesões e artificies. Com isso, só ficaram na terra os mais pobres.
Contudo, o rei da Babilônia colocou em lugar de Joaquim, para reinar em Jerusalém, o
5

seu tio de nome Matanias onde mudou o seu nome para Zedequias. Tudo isso
acontecera conforme o Senhor tinha declarado por boca de seus profetas. (2Rs 24.8-16)

O TERCEIO EXÍLIO – Em 586 a.C. Zedequias se rebelou contra o rei da Babilônia. Então,
no nono ano de seu reinado as forças de Nabucodonosor, marchou contra Jerusalém. A
cidade ficou sitiada ou cercada até o décimo primeiro ano do reinado de Zedequias.
Assim, os muros foram rompidos, os soldados e o rei de Judá fugiram. Mas foram
perseguidos e o rei foi alcançado, os soldados abandonaram Zedequias, ele foi
capturado e diante do rei Nabucodonosor e executaram os seus filhos e depois furaram
os seus olhos. Após isso, os babilônios incendiaram o Templo do Senhor e toda a
Jerusalém. O comandante Nebuzaradã levou uma parte dos prisioneiros (sacerdotes,
três guardas, oficial, e cinco conselheiros) diante do rei Nabucodonosor em “Ribla, na
terra de Hamate, o rei mandou executá-los...” (2Rs 25.18-21). Sendo que a maioria dos
sobreviventes foram transportados para a Babilônia. Ficando em Jerusalém o povo mais
pobre e sobre o governo representativo.

JERUSALÉM PÓS EXÍLIO


Em lugar de Zedequias Nabucodonosor, rei da Babilônia nomeou Gedalias como
governador do povo que havia deixado em Judá. Contudo, os rebeldes mataram o
representante do rei da Babilônia.
“Mas no sétimo mês, Ismael que tinha sangue real, foi com 10 homens e assinou
Gedalias e os judeus e os babilônios que estavam com ele em Mispa. Então todo o
povo, desde as crianças até os velhos, inclusive os líderes do exército, fugiram para o
Egito, com medo dos babilônios. ” Ref: 2 Rs 25.

É nesse contexto de tragédia que entra em cena o profeta Jeremias. O povo se nega a
ficar sobre o domínio dos babilônios e mata o governador e os rebeldes fogem para o
Egito, entre eles o profeta que é forçado a segui-los. Jeremias adverte o povo para
ficarem em Jerusalém e se submeterem aos babilônios, pois eles, eram a vara de DEUS
para a correção de Judá. Mas, eles não deram credito ao profeta. O profeta é exilado e
morre no Egito. Jr 43.1-7

Esboço de Jeremias – DIVIDIDO POR MENSAGENS E NÃO POR


ORDEM CRONOLOGICA
I. O chamado de Jeremias no ano de reinado de Josias 1.1-9
II. Mensagem geral de repreensão a Judá (caps. 2-25)
 Sermão do templo e abusos no culto 7.1-8.3
 Assuntos diversos 8.4-10.25
 Eventos na vida de Jeremias 11.1-13.27
 Seca e outras catástrofes 14.1-15.21
 Advertência e promessas 16.1-17.18
 A santificação do sábado 17.19-27
 Lições do oleiro 18.1-20.18
6

 Oráculos contra leis, profetas e povo 21.1-24.10 (Rei


Zedequias)
 O exílio babilônico 25.1-29.32 (4º ano do Rei Jeoaquim)

III. Mensagens mais detalhadas de repreensão, de juízo e de


restauração (caps. 26-39)
 Jeremias prediz a ruína do templo de Jerusalém e corre perigo de morte 26.1-
24
 O profeta aconselha submissão ao rei da Babilônia 27.1-22 (início do
reinado do Rei Zedequias)
 A luta de Jeremias com o falso profeta Hananias 28.1-17 (início do reinado
do Rei Zedequias)
 A carta de Jeremias aos cativos da Babilônia 29.1-32 (deportação dos
súditos e do Rei Jeoaquim)
 O livro de consolação – Deus promete trazer do cativeiro o seu povo 30 – 33
 Jeremias preso no pátio da guarda por ter profetizado contra Judá e declara
restauração dels 32.1-44 (10º ano do Rei Zedequias)
 Profecia sobre a sorte de Zedequias nas mãos de Nabucodonosor 34.1-8
 O exemplo de obediência dos Recabitas 35.1-19
 Jeoaquim queima o rolo de Jeremias – escrito por Baruque durante o reinado
de Josias até Jeoaquim 36.1-32 (4º ano do Rei Jeoaquim)
 Jeremias na prisão por Zedequias 37.1-21 (Zedequias, filho de Josias
designado por Nabucodonosor para ser rei em lugar de Joaquim)
 Jeremias é confinado numa cisterna e depois interrogado novamente 38.1-13;
14-28 (Rei Zedequias)
 A queda de Jerusalém 39.1-18 (Rei Zedequias)

IV. Mensagens depois do cativeiro (caps. 40-45)


 A libertação de Jeremias pelo comandante da guarda imperial e a sua escolha
40.1-6
 A nomeação e o assassinato de Gedalias, o representante do rei
Nabucodonosor 40.7-16; 41.1-18 A fuga para o Egito 16-18
 Jeremias consulta a DEUS que diz: “fiquem na terra... não tenham medo do rei
da Babilônia...” 42.1-22
 Jeremias é chamado de mentiroso e é questionado a sua consulta diante de
DEUS 43.1-13
 A desgraça causada pela idolatria aos judeus que estavam no Egito 44.1-30
 Mensagem a Baruque ditas por Jeremias e escrita num rolo no quarto ano do
reinado de Jeoaquim 45.1-5

V. Profecias referentes às nações (caps.46-51)


7

 Contra o Egito 46.1-28


 Contra os filisteus 47.1-7
 Contra Moabe 48.1-47
 Contra os amonitas 49.1-6
 Contra Edom 49.7-22
 Contra Damasco 49.23-27
 Contra Quedar e Hazor 49.28-33
 Contra Helão 49.34-39
 Contra a Babilônia 50.1-46; 51.1-64

VI. Retrospecto: O cativeiro de Judá (cap. 52).


 A queda de Jerusalém no ano 586 a.C com o rei de Judá Zedequias. 52.1-30
*Nebuzaradã levou para o exilio:
*No sétimo ano. 3023 judeus;
*No décimo oitavo ano de Nabucodonosor 832 de Jerusalém;
*No vigésimo terceiro ano, 745 judeus levados ao exilio pelo o comandante da
guarda imperial Nabuzaradã.
Foram ao todo 4.600 judeus
 Evil-Merodaque, rei de Babilônia liberta Joaquim – 52.31-34.

Aplicação Prática – Livro de Jeremias

– O profeta Jeremias tinha uma mensagem muito difícil de entregar. Jeremias amava
Judá, mas ele amava a DEUS muito mais. Por mais doloroso que tenha sido para Jeremias
transmitir uma mensagem consistente de julgamento ao seu próprio povo, Jeremias foi
obediente ao que Deus lhe disse para fazer e dizer. Jeremias esperou e orou pela
misericórdia de Deus sobre Judá, mas também confiou que Deus era bom, justo e
íntegro. Nós também devemos obedecer a Deus, mesmo quando for difícil, reconhecer
a vontade de Deus como mais importante do que nossos próprios desejos, e confiar que
Deus, em Sua infinita sabedoria e plano perfeito, vai causar o melhor para Seus filhos
(Romanos 8.28).

“Saibam, pois, em seu coração que, assim como um homem disciplina o seu filho, da
mesma forma o Senhor, o seu Deus, os disciplina.” Deuteronômio 8:5

“Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor nem se magoe com a sua repreensão,
pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o
bem”. Provérbios 3:11,12

“Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: "Meu
filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois
o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho".
8

Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos.


Pois, qual o filho que não é disciplinado por seu pai?” Hebreus 12:5-7

Continua o autor aos Hebreus: “Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no
momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para
aqueles que por ela foram exercitados.” Hebreus 12:11

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que
foram chamados de acordo com o seu propósito.” Romanos 8:28

FONTE:
Wiersbe, Warren W.
Comentário Bíblico Expositivo : Antigo Testamento : volume IV,
Profético / Warren W. Wiersbe ; traduzido por Susana E. Klassen. -
Santo André, SP : Geográfica editora, 2006.

O novo comentário bíblico AT, com recursos adicionais


— A Palavra de Deus ao alcance de todos.
Editores: Earl Radmacher, Ronald B. Allen e H.Wayne House
Editora central gospel, Rio de Janeiro: 2010

JEREMIAS E LAMENTAÇÕES - Introdução e Comentário. R. K. Harrison, B. D., M. Th., Fh.


D. SOCIEDADE RELIGIOSA EDIÇÕES VIDA NOVA e ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA EDITORA
MUNDO CRISTÃO. Primeira Edição, 1980. São Paulo, SP. Brasil.

Bíblia de Estudo CPADA – Revista e Corrigida, Edição 1995

Bíblia NVI, Nova Versão Internacional, Edição 1993, 2000. Editora Geografica.

https://www.abiblia.org/ver.php?id=2759

https://vivos.com.br/isaias-jeremias/ pecto: O cativeiro de


Judá (cap. 52).