Você está na página 1de 53

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

EM PROCESSO

Caderno do Professor

5º Ano

Anos Iniciais do Ensino Fundamental

Língua Portuguesa e Matemática

São Paulo
2º Bimestre de 2018
20ª edição

1
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO

INTRODUÇÃO

A Avaliação da Aprendizagem em Processo se caracteriza como ação


desenvolvida de modo colaborativo entre a Coordenadoria de Informação,
Monitoramento e Avaliação Educacional e a Coordenadoria de Gestão da Educação
Básica.
Nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental já está instituída a aplicação dos
mapas de sondagem, que é um instrumento de gestão da aprendizagem dos alunos
relacionados à aquisição do sistema de escrita alfabética e traz informações
importantes para os professores no planejamento das atividades.
A Avaliação da Aprendizagem em Processo, fundamentada no Currículo do
Estado de São Paulo, tem como objetivo fornecer um diagnóstico mais eficaz dos
saberes de alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental relacionados à aquisição
das competências leitora e escritora e dos conhecimentos matemáticos,
complementando assim, os dados apresentados nos mapas de sondagem.
Esta avaliação tem como ponto de partida a matriz da Avaliação de
Aprendizagem em Processo – AAP e dialoga com as habilidades contidas no SARESP,
Saeb, Prova e Provinha Brasil, assim como as expectativas de aprendizagem de
Língua Portuguesa e Matemática, os materiais do Programa Ler e Escrever e
Educação Matemática nos Anos Iniciais – EMAI.
Além da formulação dos instrumentos de avaliação, na forma de cadernos de
provas para os alunos, também foram elaborados documentos específicos de
orientação para os professores – Comentários e Recomendações Pedagógicas –
contendo instruções para a aplicação da prova, orientações para avaliação, exemplar
da prova do professor, orientações para correção e recomendações pedagógicas.
Espera-se que, estes documentos agregados aos registros que o professor já
possui, sejam instrumentos que auxiliem no planejamento e replanejamento das
ações pedagógicas, mobilizem procedimentos, atitudes e conceitos necessários para
as atividades de sala de aula, sobretudo, aquelas relacionadas aos processos de
recuperação das aprendizagens.

COORDENADORIA DE INFORMAÇÃO, COORDENADORIA DE GESTÃO DA


MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO BÁSICA - CGEB
EDUCACIONAL - CIMA

2
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO NOS ANOS INICIAIS
5º ANO – LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA

1. PARA COMEÇO DE CONVERSA...


A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO – AAP PARA O 5º, de Língua
Portuguesa e Matemática, em sua 20ª edição apresentam:
 16 questões objetivas em Língua Portuguesa e uma produção textual.
 16 questões objetivas em Matemática.
Os itens da prova de Língua Portuguesa têm foco na leitura, compreensão de
texto e produção textual (escrita de carta opinativa de leitor). Nesses campos, espera-
se que os alunos tenham capacidade de:

Identificar a posição/opinião de uma declaração de sujeitos relacionada ao fato


MP01
retratado em uma notícia

MP02 Reconhecer a sequência temporal dos fatos relatados em uma notícia.

Distinguir as diferentes opiniões, em relação ao mesmo fato, por meio da leitura de


MP03
notícias veiculadas nos meios de comunicação.

MP04 Diferenciar o uso do ANÇA e ANSA na escrita final de uma palavra.

Identificar as diferenças na escrita dos verbos terminados em ISSE e substantivos


MP05
terminados em ICE.

Diferenciar o falante do narrador de uma crônica por meio da análise dos sinais de
MP06
pontuação.

Identificar o discurso indireto em uma crônica por meio do reconhecimento dos


MP07
sinais de pontuação e as marcas linguísticas.

MP10 Identificar os episódios principais de uma narrativa literária (conto de assombração,


detetive, mistério etc.), organizando-os em sequência temporal lógica.

Inferir o efeito de mistério produzido em um texto literário, pelo uso intencional de


MP11
palavras ou expressões.

Inferir informação sobre o tema de um texto expositivo (informativo) a partir da


MP13
leitura de seu título e subtítulo.

MP15 Localizar informações explícitas em um texto expositivo (informativo) que


contextualize o leitor em relação ao tema abordado.

Os itens da prova de Matemática têm como foco avaliar as expectativas


concernentes aos 4 blocos de conteúdo: Números e Operações com Números

3
Naturais e Racionais; Espaço e Forma; Grandezas e Medidas e Tratamento da
Informação.

MP13 Relacionar representações fracionária e decimal de um mesmo número racional.

Comparar ou ordenar números racionais de uso frequente, na representação


MP14
fracionaria e na representação decimal.

MP15 Localizar números racionais na reta numérica.

MP16 Identificar frações equivalentes.

Analisar, interpretar e resolver situações-problema, compreendendo alguns


MP17 significados das operações do campo aditivo, envolvendo números racionais, sem
uso de regras.

Reconhecer elementos e propriedades de poliedros, explorando planificações de


MP18
algumas dessas figuras.

Resolver situação-problema envolvendo o número de vértices, faces e arestas de um


MP19
poliedro.

MP20 Reconhecer elementos e propriedades de polígonos e círculos.

MP21 Identificar ângulos retos.

MP22 Resolver situação-problema utilizando unidades usuais de tempo e temperatura.

MP23 Ler horas em relógios digitais e de ponteiros.

Para elaboração da prova foram considerados as matrizes de referência da


Avaliação da Aprendizagem em Processo – AAP, os conteúdos e habilidades
pautados no Currículo do Estado de São Paulo para Língua Portuguesa e Matemática
(documentos “Expectativas de aprendizagem” e “Orientações Didáticas Fundamentais
sobre as expectativas de aprendizagem de Língua Portuguesa”, “Orientações
Curriculares do Estado de São Paulo – Anos Iniciais do Ensino Fundamental” que
contém as expectativas de aprendizagem para a disciplina de Matemática1) além das
matrizes de Referência das Avaliações SARESP, Provinha Brasil, Avaliação Nacional da
Alfabetização (ANA), Prova Brasil – Saeb.
A fim de subsidiar os professores, esse documento é composto por:
 Instruções para a aplicação das provas;

1Documentos disponíveis para download em http://lereescrever.fde.sp.gov.br e nas Bibliotecas da


CGEB e CIMA na Intranet – Espaço do Servidor.

4
 Orientações das avaliações;
 Exemplares das “Provas do Professor”;
 Orientações para correção das provas e
 Referências.

5
2. INSTRUÇÕES PARA A APLICAÇÃO DAS PROVAS

ANTES DA PROVA

O professor deve:
 Organizar a sala de forma que os alunos possam realizar a avaliação
individualmente.

PREPARAÇÃO PARA A APLICAÇÃO DA PROVA

O professor deverá seguir os seguintes procedimentos:

 Informar aos alunos que a prova é de Língua Portuguesa ou Matemática, e que


eles devem responder a ela com muito cuidado, não deixando questões em
branco, procurando mostrar o que realmente sabem sobre o conteúdo
avaliado. Esta ação é importante para que os alunos percebam que essa prova
é um instrumento de avaliação que lhes trará benefícios, pois o professor
poderá organizar atividades que os ajude a sanar suas possíveis dificuldades.
 Criar um clima agradável e tranquilo.
 Estimular os alunos para que respondam com cuidado e atenção a todas as
questões.

APLICAÇÃO DA PROVA

O professor deverá:

 Distribuir os cadernos de prova.


 Seguir as orientações para a aplicação e exemplar do professor, discriminadas
neste documento, para cada uma das atividades. Explicar às crianças o que se
espera que realizem, sem que isso signifique resolver por elas as questões
propostas.
 Informar o tempo que será destinado para a realização da prova.

Atenção: aos alunos com necessidades educacionais especiais deverá ser garantido
o suporte pedagógico necessário para a realização das provas.

6
DURANTE A PROVA

O professor deverá:
 Ficar atento a todos os fatos que ocorrerem.
 Circular pela sala de aula, dando orientações aos alunos que necessitem de
encaminhamentos para a resolução dos exercícios propostos, lembrando que
a avaliação tem como objetivo diagnosticar seus saberes.
 Prestar atenção ao ritmo da realização da prova, para que a classe vá fazendo
a prova mais ou menos ao mesmo tempo.
 Certificar-se de que todos os alunos responderam a todas as questões da
prova.

FINAL DA PROVA

O professor deverá:
 Recolher todos os cadernos de prova para posterior correção.

ATENÇÃO:
INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA AVALIAÇÃO COM QUESTÕES OBJETIVAS

 Os alunos serão instruídos a ler, sozinhos, as questões;


 Responderem dentro do limite de tempo estabelecido pelo professor.
 Oriente-os que cada uma das questões possui apenas uma alternativa como
resposta, portanto serão desconsideradas as questões, em que foram
assinaladas mais de uma alternativa.
 Pedir para que os alunos não se esqueçam de preencher os dados solicitados
na página de rosto da prova: nome, turma, escola e data.

7
PRODUÇÃO TEXTUAL - AAP DE LÍNGUA PORTUGUESA
Parte - Produção de carta opinativa de leitor

 Essa atividade pressupõe que os alunos produzam uma carta opinativa de


leitor a partir de uma reportagem.
Cabe ao aplicador:

 solicitar aos alunos que leiam sozinhos a reportagem impressa na prova;


 orientar os alunos a escreverem uma carta opinativa de leitor.

8
Observação: professor, antes de aplicar esta prova é necessária à leitura das
orientações para a aplicação da avaliação.

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO

Língua Portuguesa
5º ano do Ensino Fundamental Turma _________________
2º Bimestre de 2018 Data _____ / _____ / ___
Escola__________________________________________________
Aluno (a) _______________________________________________

Leia o texto abaixo para responder às questões de 1 a 3.

Igreja vizinha a prédio que caiu avalia estragos para se colocar de pé


Órgão de tubos e piano sofreram avarias; luteranos de outros países devem ajudar

Frederico Carlos Ludwig, neto de alemães, mas sobretudo gaúcho, como faz
questão de afirmar, esse homem nascido em Esteio, não abre mão de seu DNA
pragmático ao mirar a Igreja Evangélica Luterana, onde atua como pastor, atingida
pelo desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no centro da capital.

“Teremos muito trabalho”, diz o pastor. Quanto tempo vai levar e quanto isso
vai custar, isso ainda é cedo para calcular. Seus olhos claros, contudo, refletem certa
dose de esperança em meio à poeira que não dá um minuto de trégua. “Mas vamos
recuperá-la.” Do buraco cravado na lateral do templo, inaugurado em 25 de
dezembro de 1908, percebe-se que há espaço para algum otimismo

Neste sábado (12) de céu cinza e temperatura na casa dos 17°C, a região do
largo do Paissandu estava apinhada de gente. Em volta dos escombros, por onde a
barulheira das máquinas era incessante, curiosos aglomeravam-se com seus celulares
em mãos. O interesse era fazer um registro, qualquer que fosse, do que restou dos 24
andares do Wilton Paes de Almeida. Ícone da arquitetura modernista, o prédio pegou
fogo e veio abaixo, na madrugada do dia 1º de maio.

No centro da tragédia, uma equipe formada por três engenheiros, um


arquiteto e uma fotógrafa entrava na igreja luterana. À frente do grupo estava
Ludwig, que estava a 20 anos no comando da paróquia, vizinha do prédio que
9
desabou. A missão deles tinha como objetivo fazer um levantamento dos estragos no
templo. Fotografar os danos e, sobretudo, sair dali sabendo o que será possível
recuperar.

Para recuperar o primeiro templo luterano da cidade, a comunidade da igreja


na capital está mobilizada. A professora Janette Ludwig, 61, mulher do pastor, conta
que luteranos da Alemanha ao Japão vão ajudar na empreitada de colocar a igreja
novamente de pé, afirma ainda que, o local ao redor da igreja encontra-se muito sujo
por causa de tanto entulho.

Para o pastor a tragédia do prédio que desabou “só terá sentido em torno da
preservação da vida”. No final da visita, o pastor, ainda afirma que paralelamente à
recuperação da igreja, os fiéis abraçaram uma campanha para que ali, no lugar do
edifício, seja construído um memorial. “Prédios, aqui não faltam”, afirma o pastor.
Adaptado de: https://bit.ly/2KoKKbv, acesso em 15.mai.2018

Questão 1
MP 01 - Identificar a posição/opinião de uma declaração de sujeitos relacionada ao
fato retratado em uma notícia.

Em relação a reconstrução da Igreja Luterana, o pastor afirma que:


a) sairão da visita sabendo o que recuperar.
b) contarão com a ajuda de outros países.
c) levantarão os estragos no templo.
d) terão muito trabalho pela frente.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) sairão da visita
Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa
sabendo o que demonstraram dificuldades em identificar a
recuperar posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
conseguiram identificar que o pastor afirmou que o
trabalho era grande para ser realizado.

b) contarão com a Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


demonstraram dificuldades em identificar a
ajuda de outros
posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
países conseguiram identificar que o pastor afirmou que o
trabalho era grande para ser realizado.

c) levantarão os Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


estragos no demonstraram dificuldades em identificar a
templo posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
conseguiram identificar que o pastor afirmou que o
trabalho era grande para ser realizado.

10
d) terão muito Correta – Os alunos que optaram por essa
trabalho pela alternativa demonstraram dificuldades em
frente identificar a posição/opinião do sujeito ao realizar a
leitura, pois, são as crianças que mais precisam da
escola.

Questão 2
MP 02- Reconhecer a sequência temporal dos fatos relatados em uma notícia.

O último fato relatado pela notícia foi


a) a missão do grupo na visita a Igreja Evangélica Luterana
b) a inauguração do templo da Igreja Evangélica Luterana.
c) o lançamento de uma campanha anunciada pelo pastor.
d) o prédio que pegou fogo e desmoronou em 1º de maio.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) a missão do grupo Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


na visita a Igreja demonstraram dificuldades em identificar o eixo
Evangélica temporal descrito pelo relato da notícia. Pois o ultimo
Luterana acontecimento relatado trata-se do lançamento da
campanha anunciada pelo pastor.

b) a inauguração do Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


templo da Igreja demonstraram dificuldades em identificar o eixo
Evangélica temporal descrito pelo relato da notícia. Pois o ultimo
Luterana acontecimento relatado trata-se do lançamento da
campanha anunciada pelo pastor.
c) o lançamento de
Correta – os alunos que optaram por essa alternativa
uma campanha demonstraram que compreendem o eixo temporal
anunciada pelo relatado por uma notícia.
pastor

d) o prédio que
Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa
pegou fogo e demonstraram dificuldades em identificar o eixo
desmoronou em temporal descrito pelo relato da notícia. Pois o ultimo
1º de maio acontecimento relatado trata-se do lançamento da
campanha anunciada pelo pastor.

11
Questão 3
MP 01 – Identificar a posição/opinião de uma declaração de sujeitos relacionada ao
fato retratado em uma notícia.

A mulher do pastor afirma que


a) uma campanha foi lançada.
b) a igreja será recuperada.
c) o local ao lado da igreja está sujo.
d) um levantamento dos estragos foi feito.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


a) uma campanha demonstraram dificuldades em identificar a
foi lançada posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
conseguiram identificar que a mulher do pastor afirma
que o local ao redor da igreja se encontrava muito sujo.

Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


b) a igreja será demonstraram dificuldades em identificar a
recuperada posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
conseguiram identificar que a mulher do pastor afirma
que o local ao redor da igreja se encontra muito sujo.

c) O local ao lado Correta – os alunos que optaram por essa alternativa


demonstraram dificuldades em identificar a
da igreja está
posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
sujo conseguiram identificar que o pastor afirmou que o
trabalho era grande para ser realizado.
d) Um
Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa
levantamento demonstraram dificuldades em identificar a
dos estragos foi posição/opinião do sujeito ao realizar a leitura, não
feito conseguiram identificar que a mulher do pastor afirma
que o local ao redor da igreja se encontra muito sujo.

12
Leia o texto abaixo e responda à questão 4.

Questão 4
MP04 - Diferenciar o uso de ANÇA e ANSA na escrita final de uma palavra.

A palavra em destaque no texto deve ser escrita corretamente da seguinte forma:


a) pança.
b) pamça.
c) pansça.
d) panssa.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
(A) pança Correta - pança escreve-se com Ç.
(B) pamça Incorreta - já que a palavra não é escrita com M, mas sim
N.
(C) pansça Errada - pois na escrita da palavra não se utiliza SÇ.
(D) panssa Errada - na escrita da palavra não se utiliza dois esses.

13
Leia a propaganda abaixo para responder à questão 5

Adaptado de: <https://propagandasdegibi.wordpress.com/tag/decada-de-70/page/8/> acesso em 18/04/2016

Questão 5
MP05 -Identificar as diferenças na escrita dos verbos terminados em ISSE e
substantivos terminados em ICE.

A palavra grifada na propaganda está


a) certa, pois termina com ISSE.
b) errada, pois termina com ICE.
c) errada, pois termina com ISE.
d) certa, pois termina com IÇE.

14
GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
(A) certa, pois termina Incorreta - segundo a regra todas as flexões do imperfeito
com ISSE do subjuntivo terminam com SS;
(B) errada, pois Correta - segundo a regra substantivos terminados
termina com ICE com o sufixo ICE são escritos com C.
(C) errada, pois termina Incorreta - segundo a regra substantivos terminados com
com ISE o sufixo ICE se escrevem sempre com C e as flexões do
imperfeito do subjuntivo terminam com SS.
(D) certa, pois termina
Incorreta - segundo a regra substantivos terminados com
com IÇE o sufixo ICE se escrevem sempre com C e as flexões do
imperfeito do subjuntivo terminam com SS.

Leia o texto e responda às questões 6 a 08.

O Grande Mistério
Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto)

Há dias já que buscavam uma explicação para os odores esquisitos que


vinham da sala de visitas. Primeiro houve um erro de interpretação: o quase
imperceptível cheiro foi tomado como sendo de camarão servido no jantar.
Mas comeu-se o camarão, que inclusive foi elogiado pelas visitas, jogaram as
sobras na lata do lixo e — coisa estranha — no dia seguinte a sala cheirava pior.
Os patrões chamaram a arrumadeira às falas. Que era um absurdo, que não
podia continuar, que isso, que aquilo. Tachada de desleixada, a arrumadeira
caprichou na limpeza. Varreu tudo, espanou, esfregou e a única coisa que achou foi a
boneca de Giselinha - filha dos patrões - embaixo da mesa. Vinte e quatro horas
depois, a coisa continuava, porém com um cheiro ainda mais forte.
Á noite, quando o dono da casa chegou, passou uma espinafração geral:
— Se eu pago empregadas para lavar, passar, limpar, cozinhar e arrumar,
tenho o direito de exigir alguma coisa. Ou sai o cheiro ou saem os empregados.
Reunida na cozinha, a criadagem confabulava. Os debates eram apaixonados,
mas num ponto todos concordavam: ninguém tinha culpa. A sala estava um brinco;
dava até gosto ver. Mas ver, somente, porque o cheiro era de morte.
Então alguém propôs encerar. Pela manhã ainda ninguém se levantara, e a
copeira e o chofer enceravam sofregamente, a quatro mãos. Quando os patrões
desceram para o café o assoalho brilhava. O cheiro da cera predominava, mas o
misterioso odor, que há dias intrigava a todos, persistia, a uma respirada mais forte.
Apenas uma questão de tempo. Com o passar das horas, o cheiro da cera —
como era normal — diminuía, enquanto o outro, o misterioso — estranhamente,
aumentava.
A patroa, enfim, contrariando os seus hábitos, tomou uma atitude: desceu do
alto do seu grã-finismo com as armas de que dispunha, e com tal espírito de
15
sacrifício que resolveu gastar os seus perfumes. Quando ela anunciou que derramaria
perfume francês no tapete, a arrumadeira comentou com a copeira:
— Madame apelou para a ignorância.
E salpicada que foi, a sala recendeu. A sorte estava lançada. Madame esbanjou
suas essências. Na hora do jantar a alegria era geral. Mas restavam dúvidas de que o
cheiro enjoativo daquele coquetel de perfumes era impróprio para uma sala de
visitas.
Mas eis que o patrão, a noite, acordou com sede. Levantou-se cauteloso, para
não acordar ninguém. No meio caminho sentiu que o exército de perfumistas
franceses fora derrotado. O barulho que fez daria para acordar um quarteirão, quanto
mais os da casa, os pobres moradores daquela casa, despertados violentamente, e
que não precisavam perguntar nada para perceberem o que se passava. Bastou
respirar.
Hoje pela manhã finalmente, após buscas desesperadas, uma das empregadas
localizou o cheiro. Estava dentro de uma jarra, uma bela jarra, orgulho da família,
pois tratava-se de peça raríssima, da dinastia Ming.
Apertada pelo interrogatório paterno Giselinha confessou-se culpada e, na
inocência dos seus 3 anos, prometeu não fazer mais.
Não fazer mais na jarra, é lógico.

Adaptado de: <http://www.releituras.com/spontepreta_misterio.asp.> acesso em 19/04/2016

Questão 6
H 10- Identificar os episódios principais de uma narrativa literária (conto de
assombração, detetive, mistério, etc.), organizando-os em sequência temporal lógica.

O último acontecimento do texto demonstra que


a) a arrumadeira encontrou a boneca.
b) a patroa jogou perfumes no tapete.
c) o patrão levantou para tomar água.
d) a filha confessou que era a culpada.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
a) a arrumadeira Incorreta - apesar de ser uma das últimas e
encontrou a boneca importantes ações do texto, já que todo o desfecho
da narrativa se dá pelo fato da arrumadeira
encontrar a boneca, não foi a última ação narrada.
b) a patroa jogou Incorreta - é uma das ações do meio da narrativa, na
perfumes no tapete qual os alunos podem marcá-la pelo fato de não
encontrarem, ou não compreenderem qual foi a
última ação narrada no texto.

16
c) o patrão levantou para Incorreta - é uma das ações do meio da narrativa, na
tomar água qual os alunos podem marcá-la pelo fato de não
encontrarem, ou não compreenderem qual foi a
última ação narrada no texto.
d) a filha confessou que Correta - essa foi a última ação do texto na qual
era a culpada a menina Giselinha confessa que foi culpada por
todos os problemas enfrentados pela família e
funcionários.

Questão 7
H 11 - Inferir o efeito de mistério produzido em um texto literário, pelo uso
intencional de palavras e expressões.

No trecho "Mas ver, somente, porque o cheiro era de morte...", o efeito causado na
leitura é de
a) confusão.
b) mistério.
c) humor.
d) ironia.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
(A) confusão Incorreta - a frase e o contexto a qual está inserida,
não dá ideia de confusão.
(B) mistério Correta - a expressão "cheiro era de morte" nos
remete a um mistério que está acontecendo no
texto.
(C) humor Incorreta – pois a frase e o contexto em que está
inserida não remetem a efeito de humor.
(D) ironia Incorreta - as expressões compostas pela frase não
nos remetem a ideia de ironia e de sarcasmo, já que
todo o contexto se remete ao mistério do cheiro que
impregnava a sala.

17
Questão 8

H 10 - Identificar os episódios principais de uma narrativa literária (conto de


assombração, detetive, mistério, etc.), organizando-os em sequência temporal lógica.

As expressões " Há dias", " no dia seguinte", " Vinte e quatro horas depois", " à noite",
"Pela manhã" marcam no texto a passagem
a) do cheiro forte.
b) da hora do jantar.
c) da vida de Giselinha.
d) do tempo na história.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
(A) do cheiro forte Incorreta - os alunos podem assinalar essa alternativa, já que
todo enredo se dá pelo fato do cheiro forte na sala de jantar da
família, no entanto a narrativa se dá pelos acontecimentos
relacionados a partir da percepção do cheiro forte na sala até a
resolução do problema.
(B) da hora do Incorreta - apesar de toda a narrativa basicamente se passar na
jantar sala de jantar da família, as expressões citadas não estão
relacionada apenas a passagem da hora do jantar, mas sim, dos
acontecimentos da narrativa e sua sequência temporal.
(C) da vida de Incorreta - a passagem do tempo diz respeito a um fato da vida
Giselinha da família e de seus empregados relacionado ao cheiro forte
que exalava da sala de jantar.
(D) do tempo na Correta - já que as expressões indicam a passagem do
história tempo na história e que a mesma encontra-se em uma
sequência temporal.

18
Leia o trecho da crônica e responda as questões 09 e 11.

Até a Esquina!
Luis Fernando Veríssimo

Aconteceu mesmo. Um dia ele disse que ia na esquina comprar cigarro e


desapareceu. Não é força de expressão, sentido figurado ou piada. Ele disse
exatamente isto: “Vou ali na esquina comprar cigarro”... E ficou dez anos
desaparecido.
Há algum tempo, reapareceu. Bateu na porta, a mulher foi abrir, e lá estava
ele. Dez anos mais velho, mas ele. Quieto. Sem dizer uma palavra.
A mulher despejou sua revolta em cima dele. Seu isso! Seu aquilo! e põe-se a
gritar:
— Então você diz que vai na esquina comprar cigarro e desaparece? Me
abandona, abandona as crianças, fica dez anos sem dar notícia e ainda tem o
desplante, a cara de pau, o acinte, a coragem de reaparecer deste jeito? Pois você vai
me pagar. Fique sabendo que você vai ouvir poucas e boas. Essa eu não vou lhe
perdoar nunca. Está ouvindo? Nunca. Entre, mas prepare-se para...
Nisso o homem deu um tapa na testa, disse:
— Ih, esqueci os fósforos. E desapareceu de novo.

Fonte:< http://bit.ly/2lgA5pZ

19
Questão 9
MP 06 - Diferenciar o falante do narrador de uma crônica por meio da análise dos
sinais de pontuação.

Para marcar as falas das personagens, o autor utiliza


a) reticências.
b) travessão.
c) interrogação.
d) ponto final.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) reticências Incorreta – dificuldades na consolidação de alguns


conhecimentos quanto ao estilo utilizado pelo autor para
pontuar as falas no texto.

b) travessão Correta – o aluno reconhece, por meio da análise dos


sinais de pontuação, como o autor pontua os falantes
durante o texto.

c) interrogação Incorreta – o autor utilizou o travessão para pontuar as


falas no texto.

d) ponto final Incorreta – dificuldades na consolidação de alguns


conhecimentos quanto ao estilo utilizado pelo autor para
pontuar as falas no texto.

20
Questão 10
MP 07 - Identificar o discurso indireto em uma crônica por meio do reconhecimento
dos sinais de pontuação e as marcas linguísticas.

O trecho “UM DIA ELE DISSE QUE IA NA ESQUINA COMPRAR CIGARRO”, é marcado por

a) discurso direto, o narrador dá voz a personagem.


b) discurso indireto, o narrador dá voz a personagem.
c) discurso direto, o narrador interpreta a personagem.
d) discurso indireto, o narrador interpreta a personagem.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) discurso direto, o Incorreta – a consolidação dos conhecimentos relativa


narrador dá voz a às marcas linguísticas na identificação do discurso
personagem direto e indireto presente na crônica não se
efetivaram.

b) discurso indireto, o Incorreta – dificuldades em reconhecer, por meio das


narrador dá voz a marcas linguísticas a identificação do discurso direto e
personagem indireto presente em uma crônica.

c) discurso direto, o Incorreta – dificuldades em reconhecer, por meio das


narrador interpreta a marcas linguísticas a identificação do discurso direto e
personagem indireto presente em uma crônica.

d) discurso indireto, o Correta – o aluno reconhece por meio da análise das


narrador interpreta marcas linguísticas a identificação do discurso direto e
a personagem indireto presentes em uma crônica.

21
Questão 11
MP 07 - Identificar o discurso indireto em uma crônica por meio do reconhecimento
dos sinais de pontuação e as marcas linguísticas.

No trecho “A MULHER DESPEJOU SUA REVOLTA EM CIMA DELE. SEU ISSO! SEU AQUILO!”, a fala da
personagem é descrita
a) pela mulher.
b) pelo marido.
c) pelo narrador.
d) pela esquina.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) pela mulher Incorreta – a consolidação dos conhecimentos relativa


às marcas linguísticas na identificação do discurso
direto e indireto presente na crônica não se
efetivaram.

b) pelo marido Incorreta – dificuldades em reconhecer, por meio das


marcas linguísticas a identificação do discurso direto e
indireto presente em uma crônica.

c) pelo narrador Incorreta – dificuldades em reconhecer, por meio das


marcas linguísticas a identificação do discurso direto e
indireto presente em uma crônica.

d) pela esquina Correta – o aluno reconhece por meio da análise


das marcas linguísticas a identificação do discurso
direto e indireto presentes em uma crônica.

22
Leia o texto abaixo para responder as questões 12 a 14

Vereda
Caminho das águas do cerrado
Você sabe o que é uma vereda ou já viu uma? Conhecendo ou não,
saiba que elas são muito importantes, além de ser um ambiente incrível, cheio de
novidades para explorar. São áreas de vegetação com características próprias,
localizadas no bioma Cerrado. Dessa forma, podemos encontrar esses lindos
ambientes em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal,
Tocantins, sul da Bahia e na região amazônica. Como pode notar, são vários os
estados onde você pode encontrar as veredas.
As veredas ocorrem onde existem lençóis freáticos, são lugares de nascentes
que, por menores que sejam, formam os córregos e riachos que abastecem os
grandes rios e permitem que exista água limpa e de qualidade. São campos de
vegetação rasteira, de solo muito úmido, onde as raízes das plantas e o solo preto se
comportam como esponjas e filtros, retendo o sedimento (restos de folhas e outros
materiais orgânicos) e fornecendo água pura para as áreas e comunidades locais.
São locais importantíssimos para a fauna da região onde elas ocorrem. Nelas,
podemos ver lobos-guará, tamanduás, serpentes, peixes, anfíbios, aves e, acreditem,
até jacaré! Esses animais buscam água, alimento e abrigo nas veredas. Por serem
locais sempre úmidos, oferecem alimentos e refúgio para a fauna.
Foram registradas cerca de 1.200 espécies diferentes de vegetais somente para
as veredas de Mato Grosso do Sul. Uma das plantas que mais se destaca é o buriti
(mas nem sempre há buritis na vereda!), que tem o nome científico de Mauritia
flexuosa e é uma das plantas utilizadas para classificar o ambiente como vereda.
Com toda essa importância, as veredas vêm desaparecendo progressivamente.
O uso indevido da água acumulada nessas áreas (drenagens e represas) e as
queimadas (que prejudicam as reservas de água profundas) são alguns fatores que
ameaçam esses reservatórios naturais de água.
Fonte: adaptado de < http://chc.org.br/oasis-na-caatinga-cearense/> Acesso em 09/02/2017

23
Questão 12
MP 15 - Localizar informações explícitas em um texto expositivo (informativo) que
contextualize o leitor em relação ao tema abordado.
A partir da leitura do texto podemos afirmar que as veredas são locais de vegetação
a) rasteira e solo bastante úmido.
b) alta e solo bastante ressecado.
c) rasteira e solo muito ressecado.
d) alta e solo altamente úmido.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) rasteira e solo Correta – o aluno localizou a informação explícita no


bastante úmido texto expositivo (informativo) e demonstra que
compreendeu o texto lido.

b) alta e solo Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


bastante informação no texto expositivo (informativo) e
ressecado compreensão leitora do texto lido.

c) rasteira e solo Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


muito ressecado informação no texto expositivo (informativo) e
compreensão leitora do texto lido.

d) alta e solo Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


altamente úmido informação no texto expositivo (informativo) e
compreensão leitora do texto lido.

Questão 13
MP 15 - Localizar informações explícitas em um texto expositivo (informativo) que
contextualize o leitor em relação ao tema abordado.

Os animais procuram as veredas em busca de


a) locais sempre úmidos.
b) refúgio para a fauna.
c) abrigo, água e alimento.
d) plantas como o buriti.

24
GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

a) locais sempre Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


úmidos informação no texto expositivo (informativo) e
compreensão leitora do texto lido.

b) refúgio para a fauna Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


informação no texto expositivo (informativo) e
compreensão leitora do texto lido.

c) abrigo, água e Correta – o aluno localizou a informação explícita


alimento no texto expositivo (informativo) e demonstra que
compreendeu o texto lido.

d) plantas como o Incorreta – apresentou dificuldades na localização da


buriti informação no texto expositivo (informativo) e
compreensão leitora do texto lido.

Questão 14
MP 13 - Inferir informação sobre o tema de um texto expositivo (informativo) a partir
da leitura global do texto.

Segundo o texto as veredas estão desaparecendo, um dos motivos que podemos


atribuir é a
a) ação humana.
b) ação da natureza.
c) fauna e flora rica.
d) fauna empobrecida.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Correta – a partir das informações do texto (pistas) tais


como: uso indevido da água acumulada (típica ação
a) ação humana humana como a construção de represas e utilização de
instrumentos de drenagem), as queimadas (mais
comumente pela ação humana também, apesar de que
a queda de raios contribui para o processo de

25
queimadas em diversas regiões do cerrado brasileiro).

Incorreta – apresentou dificuldades para levantar hipóteses


b) ação da natureza coerentes levando em consideração as pistas do texto
mencionadas anteriormente.
Incorreta – apresentou dificuldades para levantar hipóteses
c) fauna e flora rica coerentes levando em consideração as pistas do texto
mencionadas anteriormente.

Incorreta – apresentou dificuldades para levantar hipóteses


d) fauna
coerentes levando em consideração as pistas do texto
empobrecida
mencionadas anteriormente.

Leia os textos e responda as questões 15 e 16.

Texto 01
Ex-doméstica assiste a 'Que Horas Ela Volta' e diz que preconceito é
real

Doméstica durante 24 anos, Maria Lima, 65, cobre o


rosto com as mãos quando Val –empregada interpretada por
Regina Casé no filme "Que Horas Ela Volta?", de Anna
Muylaert– leva para a festa de aniversário da patroa o
conjunto de xícaras que deu de presente a ela. A cena termina
com Val sendo empurrada pela patroa de volta para a cozinha.
"Val, pelo amor de Deus, essa não. Eu disse que essa a gente
vai levar para o Guarujá."
Além da própria experiência, Maria traz em suas reações o mandato como
presidente do sindicato da categoria na cidade. Ela diz que situações como as do
filme não são raras, mas que hoje as domésticas estão empenhadas em cobrar seus
direitos.
Segundo a presidente do sindicato, a história é velha porque todas nós somos
imigrantes, viemos do Nordeste para São Paulo à procura de uma vida melhor. É uma
história já antiga, conhecida e reconhecida mundialmente. E achei muito bom. Tudo
é verdade. Ela querer ser mãe do filho da outra, a história de fazer parte da família, o
que não é coisa nenhuma. Sempre tem uma relação de desigualdade.
Adaptado de: < https://bit.ly/2wPckwL > Acesso em 15/02/16.

26
Texto 02:
Não aprendi muito com 'Que Horas Ela Volta?', diz representante de
patrões
Em seu escritório, na sede do sindicato dos empregadores
domésticos do Estado de São Paulo, a advogada Margareth Carbinato
balança a cabeça a cada cena em que Jéssica enfrenta os patrões da
mãe, a empregada Val, interpretada por Regina Casé no filme "Que
Horas Ela Volta?", de Anna Muylaert.
Jéssica senta na cama do quarto de hóspedes, testando o
colchão. "Ninguém dorme aqui?". Na exibição do filme, o olhar de
Margareth é de reprovação. "Não é porque o doméstico reside na
casa que vai poder tomar certas liberdades como se fosse um
hóspede. "
Segundo Carbinato "Não é comum patrão acolher parentes de empregada. Acho
que quem escreveu o filme quis dar uma conotação do patrão querendo se impor, mas
não quero acreditar nisso, porque na casa o dono deve colocar a ordem. A [Regina] Casé
estava maravilhosa, fez o papel de uma empregada consciente. Se sentiu oprimida pelas
atitudes da filha. Houve um "abuso" da menina. Gostei do papel da patroa porque ela
foi até onde suportou e não ofendeu. Não aprendi muita coisa com o filme e acho que
você sempre tem que extrair uma mensagem. Não entendi a mensagem".
Presidente de honra e fundadora do sindicato, ela diz que "está faltando no ser
humano cada um saber o seu lugar" e critica o que considera falta de profissionalismo
das domésticas.
Adaptado de: <http https://bit.ly/1KW58fz > Acesso em 15/02/2016.

Questão 15
H 03 - Distinguir as diferentes opiniões, em relação ao mesmo fato, por meio da
leitura de notícias veiculadas nos meios de comunicação.

A partir da leitura dos dois textos podemos afirmar que a ex-doméstica.


a) concorda com a representante dos empregadores.
b) discorda da forma como as domésticas são retratadas.
c) concorda com a advogada no caso da relação patrão e empregada.
d) discorda da opinião da representante dos empregadores.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


a) concorda com a demonstraram dificuldades em diferenciar as opiniões
representante dos discordantes ao procederem a leitura e análise dos textos,
empregadores tanto que acreditam que tanto a representante das
empregadas domésticas, quanto a das patroas concordam
em como o filme retrata a relação entre empregados e

27
empregadores.
b) discorda da forma
Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa
como as demonstraram dificuldades em diferenciar as opiniões
domésticas são discordantes ao procederem a leitura e análise dos textos.

retratadas
Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa
demonstraram dificuldades em diferenciar as opiniões
c) concorda com a
discordantes ao procederem a leitura e análise dos textos,
advogada no caso
tanto que acreditam que tanto a representante das
da relação patrão e
empregadas domesticas, quanto a das patroas concordam
empregada
em como o filme retrata a relação entre empregados e
empregadores.

Correta – os alunos que optaram por essa alternativa


d) discorda da
demonstram que, ao procederem a leitura do texto e do
opinião da
comando do item, distinguem de maneira eficaz as
representante dos
opiniões divergentes em relação a um mesmo assunto,
empregadores.
como aparecem nos textos lidos.

Questão 16

MP 01 - Identificar a posição/opinião de uma declaração de sujeitos relacionada ao


fato retratado em uma notícia

Em relação à forma como a empregada é retratada no filme, ex-doméstica afirma que


é tudo verdade, pois
a) a patroa suportou tudo sem ofender ninguém.
b) está faltando cada um saber o seu lugar.
c) existe uma relação de igualdade neste tipo de relação.
d) existe uma relação de desigualdade neste tipo de relação.

GRADE DE CORREÇÃO

ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


a) a patroa suportou demonstraram dificuldades na compreensão do texto, a
tudo sem ofender partir de sua leitura, assim como o do comando proposto
ninguém pelo item. Neste caso, identificar uma declaração de
sujeitos retratados em uma notícia.
b) está faltando cada Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa

28
um saber o seu demonstraram dificuldades na compreensão do texto, a
lugar partir de sua leitura, assim como o do comando proposto
pelo item. Neste caso, identificar uma declaração de
sujeitos retratados em uma notícia.

Incorreta – os alunos que optaram por essa alternativa


c) existe uma relação demonstraram dificuldades na compreensão do texto, a
de igualdade neste partir de sua leitura, assim como o do comando proposto
tipo de relação pelo item. Neste caso, identificar uma declaração de
sujeitos retratados em uma notícia.

d) existe uma Correta – os alunos que optaram por essa alternativa


relação de demonstraram que conhecem e diferenciam as
desigualdade diferentes opiniões e declarações de sujeitos retratados
neste tipo de em uma notícia de jornal.
relação

29
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO

Língua Portuguesa
5° ano do Ensino Fundamental Turma _________
Agosto de 2018 Data __/ __ / ___
Escola _____________________________________
Aluno _____________________________________

PRODUÇÃO ESCRITA

CARTA OPINATIVA DE LEITOR

A reportagem diz respeito ao trabalho das mães que precisam se locomover


com seus filhos com o carrinho de bebê em locais públicos e que muitas delas optam
por levarem seus filhos para um passeio pelo shopping.
Leia a reportagem e analise a decisão das mães que optam por trocarem o
passeio com seus filhos a espaços ao ar livre por uma ida ao shopping.

30
f
onte: <http://edicaodigital.folha.uol.com.br/index.html#/edition/8547?page=28&section=1> acesso em
20.abr.2016

Agora escreva uma carta para a coluna "Painel do Leitor" do JORNAL


FOLHA DE SÃO PAULO, comentando a reportagem e apresentando a sua opinião a
respeito do assunto, se concorda ou não com atitude das mães que optam por
passear com seus filhos em Shopping devido à falta de acesso dos carrinhos de
bebê nos espaços públicos.

Escreva pelo menos 10 linhas.

_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
31
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
EXEMPLAR DA PROVA DO PROFESSOR

Matemática
5º ano do Ensino Fundamental Turma _________
2º Bimestre de 2018 Data ___ / ____ / ____
Escola______________________________________________________
Aluno (a) __________________________________________________

QUESTÃO 1

MP13 -Relacionar representações fracionária e decimal de um mesmo


número racional.

A fração que corresponde ao número 0,25 é igual a:

a)

b)

c)

d) .

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - O aluno provavelmente, não compreende a


leitura do número decimal para representar na forma
(A) fracionária, considerando o 2 para numerador e o 5 para
denominador, demonstrando que conhece a estrutura
de um número fracionário, apenas.

Incorreta - O aluno fez a relação com a estrutura do


número fracionário, porém não compreende a relação
(B) do número decimal e a sua representação fracionária.
Talvez entenda que para todo número decimal, o
denominador é igual a 10.

32
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
Incorreta - Provavelmente o aluno não reconhece os
números na representação fracionária, e considerou
(C) apena o 2 e o denominado 10, demonstrando não
identificar as relações entre as diferentes representações
de um número racional.

Correta - O aluno demonstra reconhecer as


(D) representações fracionária e decimal de um mesmo
número racional, fazendo a relação entre os dois.

Questão 2

MP13 -Relacionar representações fracionária e decimal de um mesmo


número racional.

A fração corresponde ao número:

a) 0,25.
b) 0,4.
c) 1,4.
d) 2,5.
.

Grade de Correção
Alternativas Observações
Correta – O aluno reconhece a relação entre a
(A) 0,25
representação fracionária e o número decimal.
Incorreta - O aluno provavelmente, não reconhece as
relações entre as representações fracionária e decimais
(B) 0,4
de um mesmo número, desconsiderou o 1 do
numerador e considerou apenas o 4, escrevendo 0,4.
Incorreta - O aluno provavelmente, não reconhece as
relações entre as representações fracionária e decimais
(C) 1,4
de um mesmo número, reconhecendo a estrutura do
número decimal, escrevendo 1,4.
Incorreta – O aluno provavelmente fez a relação 1 : 4,
(D) 2,5 porém é possível que tenha se equivocado com a
posição da vírgula. .

33
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 3

MP14 - Comparar ou ordenar números racionais de uso frequente, na


representação fracionária e na representação decimal.

Compare os números:
20,03 21,05 21,12 20,15

Escrevendo-os na ordem crescente, temos:

a) 20,03 21,05 21,12 20,15

b) 20,03 20,15 21,05 21,12

c) 21,05 20,03 21,12 20,15

d) 21,12 21,05 20,15 20,03

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - Provavelmente o aluno comparou a parte dos


(A) 20,03 – 21,05 – décimos entre os números e concluiu que o menor é
21,12 – 20,15 aquele em que a parte dos décimos seja a menor. Pois
20,03 e 21,05 s décimos são iguais a 0.

(B) 20,03 – 20,15 Correta - O aluno fez as comparações considerando


– 21,05 – 21,12 todas as casas decimais.

Incorreta - O aluno provavelmente não compreendeu a


(C) 21,05 – 20,03 –
ordem crescente e colocou de forma alternada
21,12- 20,15
considerando a parte inteira.

Incorreta- Provavelmente o aluno não compreendeu a


(D) 21,12 – 21,05 – ordem crescente, considerando a disposição dos números
20,15 – 20,03 em ordem decrescente.

34
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 4

MP15 -Localizar números racionais na reta numérica.

Numa loja de materiais para construção, todos os parafusos precisam ser


separados por tamanho. Claudio utiliza uma régua para medir cada um e fazer
a separação corretamente. Qual é a medida do parafuso representado na figura
abaixo:

a) 1,5 cm.

b) 2,0 cm.

c) 2,5 cm.

d) 3,0 cm.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

(A) 1,5 cm Incorreta - O aluno provavelmente não fez a leitura correta


da reta numérica, marcando o comprimento do parafuso
antes da sua “ponta”.
(B) 2,0 cm
Incorreta - O aluno provavelmente não observou que havia
mais uma marcação na reta numérica 2,5; considerando
apenas os números que aprecem explicitamente.

(C) 2,5 cm Correta - O aluno conseguiu fazer a medição correta,


localizando 2,5cm.
(D) 3,0 cm
Incorreta - Provavelmente o aluno não observou que havia
mais uma marcação na reta numérica 2,5; considerando
apenas os números que aprecem explicitamente.

35
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 5

MP16- Identificar frações equivalentes.

Observe as frações equivalentes:

Indique outra fração equivalente para completar a igualdade:

a)

b)

c)

d)

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - Provavelmente o aluno considerou o número como


natural, observando que os denominadores são múltiplos de 3,
(A)
logo escolheu , pois na sequência entendeu os numerados

estaria em ordem crescente: 1, 2, 3.

Incorreta - Provavelmente o aluno não compreendeu a ideia de


equivalência e escolheu de forma aleatória, por considerar a
(B)
sequência da primeira fração que aparece na igualdade.

(C) Correta - O aluno compreendeu a equivalência entre as frações,


para obter o próximo termo, observou que deveria multiplicar o
numerado e o denominador por 3.

(d) Incorreta - Provavelmente o aluno somou 3 ao numerador e ao


denominador para encontrar a fração equivalente,
demonstrando não compreender a ideia de equivalência entre
as frações.

36
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 6

MP17 -Analisar, interpretar e resolver situações-problema, compreendendo


alguns significados das operações no campo aditivo, envolvendo números
racionais, sem uso de regras.

João participou de um campeonato de judô na categoria juvenil, pesando


45,350 kg. Cinco meses depois estava com 3,150 kg a mais e precisou mudar de
categoria. Quanto ele estava pesando nesse período?

a) 76,850 kg.
b) 48,400 kg.
c) 45,350 kg.
d) 48,500 kg.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES
A) 76,850 kg Incorreta - Ao realizar o cálculo, provavelmente o
aluno não considerou a posição das vírgulas.

(B) 48,400 kg Incorreta - O aluno ao realizar o cálculo,


provavelmente não considerou ao somar 45,350 e
3,150, obtém-se 10 centésimos e que estes
correspondem a um décimo e ao realizar a soma dos
décimos não considerou esse valor.

(C) 45,350 kg Incorreta - O aluno considerou o peso a a mais


indicado, se atentando apenas a informação inicial.

(D) 48,500 kg Correta: O aluno compreendeu o problema, e fez os


cálculos corretos.

37
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 7

MP17 -Analisar, interpretar e resolver situações-problema, compreendendo


alguns significados das operações no campo aditivo, envolvendo números
racionais, sem uso de regras.

Beto quer comprar uma camiseta que custa R$ 16,99. Ele já tem R$ 14,20.
Para Beto poder comprar a camiseta ainda faltam:

a) R$ 2,79.

b) R$ 15,57.

c) R$ 18,41.

d) R$ 31,19.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Correta - O aluno compreendeu o problema e fez


(A) R$ 2,79
os cálculos corretamente, fazendo a operação de
subtração para encontrar o valor que ainda falta
para comprar a camiseta.

Incorreta - Provavelmente o aluno subtraiu R$ 1,42


(B) R$ 15,57
de R$ 16,99, não observando a posição da vírgula.

Incorreta - Provavelmente o aluno somou R$ 1,42


(C) R$ 18,41
com R$ 16,99, não observando a posição da vírgula.

Incorreta - o aluno não compreendeu que se tratava


(D) 31,19
de uma subtração e então somou os valores. .

38
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 8

MP18 -Reconhecer elementos e propriedades de poliedros, explorando


planificações de algumas dessas figuras.

Observe as planificações abaixo:

Entre elas, a planificação de uma caixa em forma de cubo é a figura:

a) A

b) B

c) C

d) D

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - Apesar de parecer a planificação de um cubo, há sete


(A) A faces quadradas, provavelmente o aluno não percebeu que haverá
uma sobreposição de uma das faces e não será formado um cubo.

Incorreta - Provavelmente o aluno não considerou uma característica


(B) B
de um cubo que a de possuir 6 faces quadradas.

Correta - O aluno reconhece uma das planificações possíveis para


(C) C
um cubo.

(D) D Incorreta - Provavelmente o aluno não reconheceu que a


planificação não é formada por seis quadrado e da forma como está
não formará um cubo.

39
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 9

MP18 -Reconhecer elementos e propriedades de poliedros, explorando


planificações de algumas dessas figuras.

A forma geométrica espacial que pode ser associada à planificação abaixo é:

a) um cilindro.
b) uma pirâmide de base pentagonal.
c) um prisma de base pentagonal.
d) um paralelepípedo.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - O aluno provavelmente não identificou


que para forma um cilindro seria necessário na
planificação ter um retângulo e dois círculos.

(A) um cilindro

Incorreta - Provavelmente o aluno não identificou


que as faces laterais da pirâmide são triângulos.

B) uma pirâmide de base


pentagonal

40
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
Correta - O aluno reconhece a planificação do
prisma e suas partes.

(C) um prisma de base


pentagonal

Incorreta - provavelmente o aluno não identificou


corretamente o prisma, e não se atentou que o
paralelepípedo tem todas as faces retangulares.

(D) um paralelepípedo

QUESTÃO 10

MP19 -Resolver situação-problema que envolvendo o número de vértices, faces


e arestas de um poliedro.

Dos poliedros abaixo, o único que tem todas as faces triangulares é:

41
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
a) o cubo.
b) o cone.
c) o prisma de base triangular.
d) a pirâmide de base triangular.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - O aluno provavelmente não se atentou


que trata de um poliedro com todas as faces
triangulares e o cubo possui todas as faces
quadradas.

(A) o cubo

Incorreta - Provavelmente o aluno não se atentou


que o cone não possui faces triangulares.

(B) o cone

Incorreta - Provavelmente o aluno não


compreendeu que o prisma tem suas faces laterais
retangulares.
(C) o prisma de base triangular

(D) a pirâmide de base


Correta - O aluno identificou corretamente que o
triangular poliedro com essas características é a pirâmide de
base triangular.

42
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 11

MP20 - Reconhecer elementos e propriedades de polígonos e círculos.

Ao escolher lajotas para o piso de sua varanda, Dona Lúcia falou ao vendedor que
precisava de lajotas que tivessem os quatro lados com a mesma medida.

Que lajotas o vendedor deve mostrar a Dona Lúcia?


a) Losango ou quadrado.
b) Quadrado ou retângulo.
c) Quadrado ou trapézio.
d) Losango ou trapézio.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

(A) Losango ou quadrado Correta: O aluno reconheceu as propriedades do


losango e do quadrado, pois possuem lados de
mesma medida.

Incorreta - O aluno provavelmente não se atentou


que os retângulos não necessariamente possuem os
(B) Quadrado ou retângulo quatros lados de mesma medida, um caso particular
de retângulos com lados de mesma medida é o
quadro.

Incorreta - O aluno provavelmente não identificou


(C) Quadrado ou trapézio que o trapézio não possui lados de mesma medida,
acertando somente o quadrado.

43
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
Incorreta - provavelmente o aluno não reconhece o
(D) Losango ou trapézio
significado de lados de mesma medida.

QUESTÃO 12

MP21 -Identificar ângulos retos.

Mariana colou diferentes figuras numa página de seu caderno de Matemática, como
mostra o desenho abaixo.

Quantas figuras apresentam somente ângulos retos?

a) 2.
b) 3.
c) 4.
d) 5.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Correta - O aluno percebeu que há somente duas figuras


(A) 2 que possuem todos os ângulos retos: o quadrado e o
retângulo.

Incorreta - O aluno provavelmente pode ter considerado o


trapézio juntamente com o quadrado e o retângulo, não
observando que o trapézio não possui ângulos retos.
(A) 3

44
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
Incorreta - O aluno provavelmente pode ter considerado o
trapézio e o paralelogramo juntamente com o quadrado e o
retângulo, não observando que o trapézio e o
paralelogramo não possuem ângulos retos.
(C) 4

Incorreta - O aluno provavelmente pode ter considerado o


trapézio, o paralelogramo e o losango juntamente com o
quadrado e o retângulo, não observando que o trapézio. o
paralelogramo e o losango não possuem ângulos retos.

(C) 5

QUESTÃO 13

MP21 -Identificar ângulos retos.

Abaixo, estão representados quatro polígonos.

Qual polígono possui todos os ângulos retos:

a) Retângulo.

b) Triângulo.

c) Trapézio.

d) Hexágono.

45
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Correta - O aluno reconheceu que o retângulo


(A) Retângulo.
possui todos os ângulos retos.

Incorreta - O aluno provavelmente não conseguiu


identificar ângulos retos, pois o triângulo
(A) Triângulo.
apresentado possui cada ângulo com medida
inferior à medida do ângulo reto (90°).

Incorreta - O aluno provavelmente não conseguiu


identificar ângulos retos, pois o trapézio apresenta
(C) Trapézio.
dois ângulos com medida inferior à do ângulo
reto e dois ângulos com medidas maiores que 90°.

Incorreta - O aluno provavelmente não conseguiu


identificar ângulos retos, pois no hexágono todos
(C) Hexágono. os ângulos possuem medidas maiores que 90°.

QUESTÃO 14

MP22 - Resolver situação-problema utilizando unidades usuais de tempo e


temperatura.

Em um dia de inverno foi registrada ao meio-dia, em uma cidade, a temperatura de


15°C. Passadas algumas horas, nesse mesmo dia, a temperatura na cidade diminui
10°C, assim os termômetros passaram a registrar:

a) 25ºC
b) 15°C
c) 10°C
d) 5°C

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - O aluno provavelmente somou as duas


(A) 25°. temperaturas, não percebendo que há a
informação de que a temperatura diminuiu.

46
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
Incorreta - Possivelmente, o aluno indicou a
(B) 15º. mesma temperatura inicial, não se atentando para
as outras informações.

Incorreta - Possivelmente, o aluno indicou a


(C) 10º temperatura que diminuiu, talvez não interpretou
corretamente o problema.

Correta - O aluno compreendeu o problema,


(D) 5° considerando a temperatura inicial e diminuindo
10°C, obtendo 5°C.

QUESTÃO 15

MP22: Resolver situação-problema utilizando unidades usuais de tempo e


temperatura.

Para uma temporada curta, chegou à cidade o circo Fantasia, com palhaços,
mágicos e acrobatas. O circo abrirá suas portas ao público às 9 horas e ficará
aberto durante 9 horas e meia. A que horas o circo fechará?

A) 9 h.
(B) 9h30.
(C) 18 h.
(D) 18h30.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - O aluno possivelmente o aluno


(A) 9h. considerou o horário em que o circo será aberto
ao público.

(B) 9h30. Incorreta - Provavelmente o aluno considerou o


período em que o circo ficará aberto ao público.

(C) 18h. Incorreta - O aluno provavelmente fez a soma


de 9h + 9h = 18h, desconsiderado a meia hora.
Correta - O aluno compreendeu o problema.,
(D) 18h30. calculando corretamente o período em que o
circo ficará aberto ao público.

47
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
QUESTÃO 16

MP23 - Ler hora em relógios digitais e de ponteiro.

Mariana tinha uma consulta marcada, ao chegar percebeu que estava exatamente
no horário marcado. Que horas estava marcada sua consulta?

a) 12h00.
b) 6h00.
c) 8h00.
d) 8h30.

GRADE DE CORREÇÃO
ALTERNATIVAS OBSERVAÇÕES

Incorreta - Possivelmente o aluno considerou o


ponteiro dos minutos como o ponteiro das horas,
(A) 12h00.
não entendendo que o ponteiro que mostra as
horas é o menor.

Incorreta - Provavelmente o aluno considerou o


(B) 6h00. ponteiro dos segundos como o ponteiro das
“horas”.

Correta - o aluno compreende como ler as horas


(C) 8h00.
em relógio de ponteiro e digital.

Incorreta - Provavelmente o aluno considerou o


(D) 8h30. ponteiro dos segundos como o ponteiro dos
“minutos”.

48
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
RECOMENDAÇÕES PEDAGÓGICAS

Recomendações gerais sobre o desenvolvimento de capacidades de


compreensão leitora

Ler envolve diversos procedimentos e inúmeras capacidades: perceptuais,


cognitivas, afetivas, sociais, discursivas, linguísticas. Todas dependentes da situação de
comunicação e das finalidades de leitura.
Assim, para o desenvolvimento das capacidades de compreensão leitora, faz-se
necessário que o professor desenvolva práticas que considerem:
 a leitura sistemática de diferentes gêneros, literários e não literários.
 a importância de utilizar diversas estratégias de leitura durante a leitura:
ativação de conhecimentos prévios, de mundo e linguísticos, antecipação ou
predição de conteúdos, checagem de hipótese, localização e/ou cópia de
informações, comparação de informações, generalização, inferências locais e
globais...
 a proposição de questões objetivas que desenvolvam habilidades de buscar, no
texto, respostas que possam ser comprovadas. As hipóteses/ pressuposições
que porventura possam ser levantadas, durante a leitura, precisam ser
comprovadas no/pelo texto.
 a identificação dos elementos constituintes do texto, suas funções e
características: título, subtítulos, sumários...
 a importância da leitura de textos literários, que envolvam, ao mesmo tempo, a
construção de sentidos e a fruição estética, em diferentes níveis.
 a situação didática privilegiada para o desenvolvimento das capacidades de
compreensão leitora: a leitura compartilhada.

Como sugestão de leitura sobre como desenvolver habilidades de leitura,


sugerimos a leitura dos seguintes textos, contidos no livro do Curso do PIC – Projeto
Intensivo no Ciclo – Guia do Formador:
 “Situações de leitura na alfabetização inicial: a continuidade na diversidade” de
Mirta Luis Castedo, p. 149.
 “Leitura de mundo, leitura da palavra, leitura proficiente: qual é a coisa que esse
nome chama?” de Kátia Lomba Bräkling, p. 160.

49
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
 “Livros e leitores na biblioteca da sala” de Mirta Castedo, p. 171.

Para saber mais a respeito, sugerimos, também, a leitura do capítulo


“Competências e habilidades de leitura”, às páginas 76, 77, e 78, da obra de Roxane
Rojo Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

50
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para os 1º e 2º ciclos. Brasília:


Secretaria de Ensino Fundamental, 1996.

BRÄKLING, K, L. Modalidades didáticas de ensino e tipos de atividades. IN: Referencial


Curricular de Língua Portuguesa. Versão Preliminar. Colégio Hebraico Brasileiro
Renascença. São Paulo (SP); jun/08.

__________. A noção de gênero. In: Oficina Cultural 4. Lendo e Produzindo Textos


Acadêmicos. Momento 1. PEC- Formação Continuada. São Paulo (SP):
SME/PUC/USP/UNESP/Fundação Vanzolini; 2001-2002.

__________ O contexto de produção de textos In: Oficina Cultural 1. Lendo e


Produzindo Textos Acadêmicos. Momento 1. PEC- Formação Continuada. São Paulo
(SP): SME/PUC/USP/UNESP/Fundação Vanzolini, 2001-2002.

CURCIO F. R. Comprehension of mathematical relationship expressed in graphs.


Journal for Research in Mathematics Education,18(5), 382-393, 1987.

FAYOL, Michel. A Criança e o Número: da contagem à resolução de problemas.


Tradução por Rosana Severino de Leoni. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

LERNER, Delia e SADOVSKY, Patricia. 1996. O sistema de numeração: um problema


didático. IN: Didática da Matemática, org. Parra, C. e Saiz, I. Porto Alegre: Artes
Médicas.

LERNER, D. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre (RS):
Artmed, 2002.

MENDES, F.; DELGADO, C. A aprendizagem da multiplicação e o desenvolvimento do


sentido de número. IN: BROCARDO, J.; SERRAZINA, L.; ROCHA, I. O sentido do número.
Lisboa: Escolar Editora, 2010.

PIRES, C. M. C. et al. Espaço e forma: a construção de noções geométricas pelas


crianças das quatro séries iniciais do Ensino Fundamental. Editora Proem: São Paulo,
2001.

PIRES, C. M. C. Relações espaciais, localização e movimentação: um estudo sobre


práticas e descobertas de professoras polivalentes sobre atividades realizadas com
seus alunos. Anais do Encontro de Educação Matemática realizado em Macaé/RJ. 2000.

_______________. Reflexões que precisam ser feitas sobre o uso dos chamados materiais
concretos para a Aprendizagem em Matemática. Boletim GEPEM (Online), v. 61, p. 1-
17, 2012.

________________. Educação Matemática: conversas com professores dos anos iniciais.


São Paulo: Zapt Editora, 2012.

51
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
POST, Thomas, BEHR, Merlyn, LESH, Richard. Interpretations of Rational Number
Concepts. IN: Mathematics for Grades 5-9. Reston, Virginia: L. Silvey & Smart (Eds.),
1982 (p. 59-72).

ROJO, R. Produzir textos na alfabetização: projetando práticas. In: Guia da


Alfabetização – Revista Educação. São Paulo: Editora Segmento – CEALE, 2010. pp. 44
– 59.

__________ Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Coordenadoria de gestão da Educação


básica. Departamento de Desenvolvimento Curricular e de gestão da Educação básica.
Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais. EMAI: educação matemática nos
anos iniciais do ensino fundamental; organização dos trabalhos em sala de aula,
material do professor - 4º ano do Ensino Fundamental (Volume 1). Secretaria da
Educação. Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais. - São Paulo: SE, 2013.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Ler e escrever: guia de planejamento e


orientações didáticas – 4o ano / Secretaria da Educação, Fundação para o
Desenvolvimento da Educação; coordenação, elaboração e revisão dos materiais,
Sonia de Gouveia Jorge... [e outros]; concepção e elaboração, Claudia Rosenberg
Aratangy... [e outros]. - 4. ed. rev. e atual. - São Paulo: FDE, 2014. Disponível em:
http://lereescrever.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx (acesso em 12.Fev.2016).

SÃO PAULO (Estado) Secretaria de educação. Expectativas de aprendizagem de Língua


Portuguesa dos anos iniciais do ensino fundamental – 1º ao 5º ano. 2013. Elaboração:
Kátia Lomba Bräkling. Colaboração: Grupo Referência de Língua Portuguesa,
Formadoras do Programa Ler e Escrever e Equipe CEFAI. Supervisão Pedagógica:
Telma Weisz. Disponível em: http://lereescrever.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx
(acesso em 12.Fev.2016).

SÃO PAULO (Estado) Secretaria de educação. Orientações curriculares do estado de


São Paulo – Anos Iniciais - Matemática. 2014. Disponível em:
http://lereescrever.fde.sp.gov.br/SysPublic/Home.aspx (acesso em 12.Fev.2016).

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Matriz de avaliação processual: anos


iniciais, língua portuguesa e matemática; encarte do professor / Secretaria da
Educação; coordenação, Ghisleine Trigo Silveira, Regina Aparecida Resek Santiago;
elaboração, equipe curricular do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais. São
Paulo: SE, 2016.

VAN HIELE, P.M. Similarities and differences between the theory of learning and
teaching of Skemp and the Van Hiele levels of thinking. Intelligence, learning and
understanding in mathematics. A tribute to Richard Skemp. D. Tall & M. Thomas, eds.
Post Pressed, Flaxton, Australia, 2002.

VERGNAUD, G. A criança, a Matemática e a realidade: problemas de ensino de


Matemática na escola elementar. Trad.: Maria Lucia Moro. Curitiba: UFPR, 2009.

________________. A teoria dos campos conceituais. In Brun, J. Didática das Matemáticas.


Tradução Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996, p. 155-191.
52
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM PROCESSO

Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional


Coordenadora: Cyntia Lemes da Silva Gonçalves da Fonseca

Departamento de Avaliação Educacional


Diretora: Patricia de Barros Monteiro
Assistente Técnica: Maria Julia Filgueira Ferreira

Centro de Planejamento e Análise de Avaliações


Diretor: Juvenal de Gouveia

Ademilde Ferreira de Souza, Cristiane Dias Mirisola, Soraia Calderoni Statonato

Centro de Aplicação de Avaliações


Diretora: Isabelle Regina de Amorim Mesquita

Denis Delgado dos Santos, José Guilherme Brauner Filho, Kamila Lopes Candido,
Nilson Luiz da Costa Paes, Teresa Miyoko Souza Vilela

Coordenadoria de Gestão da Educação Básica


Coordenadora: Celia Maria Monti Viam Rocha

Departamento de Desenvolvimento Curricular e de Gestão da Educação Básica


Diretora: Herbert Gomes da Silva

Centro do Ensino Fundamental dos Anos Iniciais - CEFAI


Diretora: Sonia de Gouveia Jorge

Equipe Curricular do Centro de Ensino Fundamental dos Anos Iniciais


Autoria, Leitura crítica e validação do material
Andréa Freitas, Edimilson Ribeiro, Edineide Chinaglia, Regina Ayres e Sonia Jorge

Professor Coordenador do Núcleo Pedagógico da Diretoria de Ensino


Autoria e Leitura crítica do material
Nelci Martins – DE Centro Oeste
Arlete Aparecida Oliveira de Almeida - DE Sul 1
Maria José Gonçalves da Silva Irmã – Leste 1
Vasti Maria Evangelista – Leste 1

Representantes do CAPE
Leitura crítica, validação e adaptação do material para os deficientes visuais
Tânia Regina Martins Resende

53
Secretaria de Estado da Educação - Avaliação da Aprendizagem em Processo