Você está na página 1de 5

Agrupamento de Escolas

Teste Escrito de Avaliação Português

5.º Ano de Escolaridade Turma ___

Nome do/a aluno/a: _____________________________________________ N.º _____

Professor/a: __________________

GRUPO I

TEXTO A

Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

Quercus e Câmara de Torres Vedras contra abate de árvores centenárias em quinta

A associação ambientalista Quercus e a câmara de Torres Vedras alertaram hoje para o facto de
estarem a ser abatidas dezenas de árvores centenárias, de várias espécies, entre as quais carvalhos
portugueses, na Quinta do Manjapão, em Torres Vedras.
“Na mata do século XIII da Quinta do Manjapão, foram abatidas dezenas de árvores, algumas
centenárias, como os carvalhos portugueses, choupos, loureiros e medronheiros”, afirmou à agência
Lusa Domingos Patacho, dirigente da Quercus, alertando tratar-se de uma “floresta autóctone bastante
antiga, localizada em Reserva Ecológica Nacional”.
A mesma preocupação é manifestada pelo vereador do Ambiente da Câmara de Torres Vedras,
Carlos Bernardes. Já em julho de 2014 levantou uma contraordenação contra o alegado abate ilegal
de sobreiros, tendo remetido o caso para o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).
“É um património a preservar pelo valor patrimonial que tem e por integrar uma Área de
Enquadramento Paisagístico” no Plano Diretor Municipal de Torres Vedras, disse.
Fonte do comando territorial de Lisboa da GNR disse à Lusa que, na sequência de denúncias
efetuadas, o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) desta força de segurança levantou
três contraordenações por “abate ilegal” de árvores, sem ter havido quaisquer autorizações prévias das
entidades competentes para a limpeza do espaço.
No total dos 10 hectares de floresta da herdade, “foram abatidos cerca de dois”. O ambientalista e o
autarca alertaram que os abates vão avançar se não houver intervenção do ICNF.
Agência Lusa, 8 Setembro de 2015 (adaptado)

VOCABULÁRIO
Autóctone: que é natural da terra onde está; que não foi trazido de outro lugar ou continente.
Contraordenação: infração; ação ilícita punida com multa.

1. Assinala com X, de 1.1. a 1.4., a opção que completa cada frase de acordo com o sentido do texto.
1.1. O alerta feito pela Quercus e pela Câmara de Torres Vedras pretende
 prender as pessoas que cortam árvores.
 parar o corte de árvores com mais de cem anos.
 expandir a flores autóctone.
 preservar a Reserva Ecológica Nacional.
1.2. O carvalho português é uma espécie
 comum.
 protegida.
 da família dos choupos e loureiros.
 ilegal.

1.3. As contraordenações foram levantadas


 pela Quercus.
 pela Câmara de Torres Vedra e pela GNR.
 pelo ICNF.
 pela Reserva Ecológica Nacional.

1.4. Representantes da Quercus e da Câmara Municipal preveem que, mantendo-se a situação como
está, a mata da Quinta do Manjapão
 continuará como está.
 aumentará.
 reduzir-se-á.
 deixará de estar protegida por lei.

2. Retira do texto a frase em que se apresentam duas razões para que se tomem medidas imediatas de
proteção da mada da Quinta do Manjapão.

3. Relê: «…, na sequência de denúncias efetuadas, o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente


(SEPNA) desta força de segurança levantou três contraordenações por “abate ilegal” de árvores…»

Na tua opinião, é importante os cidadãos comuns denunciarem o abate indevido de árvores ou essas
denúncias devem sempre ser feitas pelas instituições responsáveis pela vigilância das matas?

TEXTO B

Lê o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

A árvore

Era uma vez, em tempos muito antigos, no arquipélago do Japão, uma árvore enorme, que crescia
numa ilha muito pequenina.
Os japoneses têm um grande amor e um grande respeito pela Natureza e tratam todas as árvores,
flores, arbustos e musgos com o maior cuidado e com um constante carinho.
Assim, o povo dessa ilha sentia-se tão feliz e orgulhoso por possuir uma árvore tão grande e tão
bela. Em nenhuma outra ilha do Japão, nem nas maiores, existia outra árvore tão grande. Até os
viajantes que por ali passavam diziam que mesmo na Coreia e na China nunca tinham visto uma árvore
tão alta, com a copa tão frondosa e bem formada.
E, nas tardes de verão, as pessoas vinham sentar-se debaixo da larga sombra e admiravam a
grossura rugosa e bela do tronco, maravilhavam-se com a leve frescura da sombra, o suspirar da brisa
entre as folhagens perfumadas.
Assim foi durante várias gerações.
Mas com o passar do tempo surgiu um problema terrível, e por mais que todos meditassem e
discutissem ninguém era capaz de arranjar uma boa solução.
Porque, ao longo dos anos, a árvore tinha crescido tanto, os seus ramos tinham-se tornado tão
compridos, a sua folhagem tão espessa e a sua copa tão larga que, durante o dia, metade da ilha ficava
sempre à sombra.
De maneira que metade das casas, das ruas, das hortas e dos jardins nunca apanhava sol.
E, na metade ensombrada, as casas estavam a ficar húmidas, as ruas tinham-se tornado tristes, as
hortas já não davam legumes, os jardins já não davam flor. E a gente que ali morava andava sempre
pálida e constipada.
E, à medida que a sombra da árvore crescia, crescia também a perturbação.
As pessoas gemiam:
- Que havemos de fazer? Que havemos de fazer?
Até que foi decidido a população reunir-se toda em conselho para examinar bem o problema e decidir
o remédio que lhe devia dar.
Discutiram durante muitos dias, e depois de todos terem falado chegou-se à triste conclusão de que
era preciso cortar a árvore.

Sophia de Mello Breyner Andresen, A Árvore, Porto Editora, 2013

VOCABULÁRIO
Copa: parte de cima da árvore, com ramos e folhas.
Frondoso: que tem muitas folhas e ramos.
Rugoso: que tem rugas ou irregularidades; áspero, que não é liso.

4. Ordena as frases, colocando os números de 1 a 7 nos espaços em branco, de acordo com a ordem
por que são referidos os acontecimentos no texto.

 O problema da árvore foi analisado em conselho geral.


 Os estrangeiros ficavam admirados com o esplendor da árvore.
 A árvore cresceu e tolhia a sol a metade da ilha.
 A árvore era o orgulho dos habitantes da ilha.
 Decidiu-se pelo abate da árvore.
 Nos dias de calor, era agradável repousar debaixo da copa das árvores.

5. Copia do texto a frase que refere um avanço considerável no tempo da história.

6. Seleciona a opção correta.


Em «…o suspirar da brisa…» temos uma:
 comparação.
 onomatopeia.
 enumeração.
 personificação.

7. O narrador considera que a decisão tomada pela população não é um boa decisão. Transcreve a
palavra (uma só) que exprime essa posição do narrador.

7.1. Que medida proporias tu? Justifica a tua resposta.


GRUPO II

1. Reescreve as frases abaixo, substituindo os elementos sublinhados por um advérbio.

a) Os japoneses tratam todas as árvores, flores, arbustos e musgos com cuidado.

b) A população reuniu-se para examinar com rigor o problema.

2. Assinala apenas os adjetivos presentes abaixo.

bem dimensão bom enorme tão alta copa maior

3. Indica o radical das seguintes palavras:


a) Orgulhoso
b) Grossura
c) Folhagem
d) Ensombrada

4. Reescreve a frase abaixo recorrendo à forma de futuro do verbo «fazer».


- Que havemos de fazer?

5. Identifica as funções sintáticas dos elementos sublinhados nas frases abaixo:


a) Os japoneses têm um grande amor e um grande respeito pela Natureza.
b) Crescia também a perturbação.
c) Metade das casas nunca apanhava sol.
d) As pessoas gemiam.

GRUPO III

Escreve um texto narrativo em que relates o que acontece a uma árvore extraordinária, de um país
mágico.
Escolhe um dos títulos abaixo e organiza a informação do teu texto em função desse título.

Títulos:
A laranjeira das laranjas de ouro
O fabuloso caso da árvore que crescia para dentro da terra
A árvore que queria ser pássaro
Uma árvore em Marte
A cerejeira da flor eterna
O sobreiro-cidade
PROPOSTAS DE SOLUÇÃO
GRUPO I
1.1. parar o corte de árvores com mais de cem anos.
1.2. protegida.
1.3. pela Câmara de Torres Vedra e pela GNR.
1.4. reduzir-se-á.
2. "É um património a preservar pelo valor patrimonial que tem e por integrar uma Área de
Enquadramento Paisagístico"
3. Respostas possíveis:
Penso que todos os cidadãos têm a obrigação moral de denunciar atentados à Natureza em geral, uma
vez que a preservação do ambiente é essencial para a sobrevivência de todos.
Considero que as denúncias devem ser feitas em primeiro lugar pelas instituições, porque elas recebem
dinheiro para o fazer.
4.
1 - A árvore era o orgulho dos habitantes da ilha.
2 - Os estrangeiros ficavam admirados com o esplendor da árvore.
3 - Nos dias de calor, era agradável repousar debaixo da copa das árvores.
4 - A árvore cresceu e tolhia a sol a metade da ilha.
5 - O problema da árvore foi analisado em conselho geral.
6 - Decidiu-se pelo abate da árvore.
5.«Assim foi durante várias gerações.»
6. Personificação.
7. Triste.
7.1. Resposta possível:
Poda da árvore ou alternância sazonal da morada dos habitantes da ilha.
GRUPO II
1. a) cuidadosamente; b) rigorosamente.
2. enorme; bom; maior; alta.
3. a) orgulho; b) grosso; c) folha; d) sombra.
4. - Que faremos?
5. a) complemento direto; b) sujeito; c) sujeito; d) predicado.