Você está na página 1de 7

TRABALHO 2

PROJETO DE LINHA DE TRANSMISSÃO E ANTENA MICROSTRIP


Augusto Carneiro Iabrudi
Guilherme Gustavo Martins
Linha de transmissão
Provavelmente a linha de transmissão em PCB mais popular. Fácil fabricação e conexão. Ligeiramente
dispersiva, com perdas e difícil de analisar.

Lambda Guiado =
Teste para o comprimento de onda vezes 0,8:

Figure 1 - A) Curto. B) Carga aberta.

Figure 2 - A) Descasado: 30 Ohm. B) Casado: 50 Ohm.


Para comprimento de onda multiplicado por 2,7

Figure 3- A) Curto. B) Carga aberta.

Figure 4- A) Descasado: 30 Ohm. B) Casado: 50 Ohm.


Antena
As Microlinhas (Microstrip) são basicamente linhas de transmissão impressas em uma placa. Essa
estrutura é uma antena bastante comum, pois opera facilmente em uma faixa acima de 1GHZ.

Constituída por duas placas condutoras paralelas separadas por um substrato dielétrico, sendo a placa
superior o elemento radiante e a face interior o plano terra, como na figura 5.

Figura 5 - Antena de microfita com patch retangular

A geometria do elemento radiador da antena patch de microfita pode assumir diversas formas, como
por exemplo: quadrada, retangular, circular, dentre outras.

Os substratos para antenas patch devem ser mais espessos visando constantes dielétricas mais baixas,
otimizando o desempenho da antena.

O substrato utilizado para nosso experimento foi a placa FR4- Epóxi, com constante dielétrica igual a
4,3.

1- MODELAGEM

Como nos foi pedido uma antena retangular, consideramos W como largura e L como comprimento.
Nos foi passado como parâmetros os dados a seguir:

 frequência de operação = 2.45GHz


 εr do material (fr4) = 4.3,
 impedância característica do conector SMA = 50 Ohms
 velocidade da luz (c)=3*10^8m/s,
 altura total da placa de circuito impresso hs = 1.6mm
 altura do revestimento de cobre da placa, medindo ht = 0.04mm.
O livro do Balanis ofereceu as fórmulas necessárias para o cálculo dos calores que usaremos na
simulação:

2- SIMULAÇÃO
Com os dados para a simulação no CST, utilizando o tutorial do programa e iniciamos em: create a
new project -> MW & RF & Optical -> Antennas -> Planar(Patch, Slot, etc.) -> Time Domain -> como as
unidades já estavam as usuais, apenas demos next -> definimos para a simulação mostrar a frequência
desejada de 2.45 e seus arredores de 1 a 3 GHz.

A figura 6 mostra os dados que foram utilizados para a simulação inicial.

Figura 6 - Dados simulação

A figura 7 ilustra a antena inicial.

Figura 7 - Antena patch retangular inicial


Na figura 8 é possível ver a curva do parâmetro S1,1 que apresenta o coeficiente de reflexão da antena.
O ganho em dB desejável é maior que -10dB, como é possível ver na figura 8, o valor obtido pelos
valores calculados não foi satisfatório, pois

Figura 8 - Curva S11

Podemos observar na figura 9 o gráfico polar de ganho.

Figura 9 - Ganho em coordenada polar

3- OTIMIZAÇÃO
Após obter dados insatisfatórios para a antena, utilizamos a ferramenta de otimização do software
CST. Após mais de 19 horas de otimização os seguintes dados foram gerados:

Figura 10 - Dados otimizados


Com os dados da figura 6, refizemos a simulação e o CST apresentou a curva de S1,1 representada na
figura 11.

Figura 11 - Curva S1,1 otimizado

Figura 12 - Ganho em coordenada polar

Após a otimização do programa, a curva S11 ficou como esperado. A atenuação atendeu o requisito
em ficar abaixo de -10dB na frequência de 2,45GHz. E a banda de passagem ficou muito próxima do
esperado.

Chegamos à conclusão que o resultado foi satisfatório, pois foi possível ver que a otimização funcionou
e que se tivéssemos esperado o final do processo, provavelmente teríamos um sinal próximo do ideal.