Você está na página 1de 110

Comentários

e sugestões
A seguir apresentamos comentários, sugestões
e informações adicionais para o trabalho com
os capítulos e as seções deste livro. Aqui você
também encontra propostas de outras atividades
e textos complementares, úteis tanto para
sua formação quanto para ampliar
o conhecimento dos alunos.
Aproveite as sugestões, planeje
suas aulas e torne o dia a dia
em sala de aula mais prazeroso
e produtivo para todos!

Um bom trabalho!
Ale Silva/Futura Press

18

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 18 8/1/16 3:38 PM


UNIDADE

1
UNIDADE
O ser humano

Objetivos Conceitos

• Conhecer a classificação biológica do • Classificação biológica


ser humano. do ser humano.
O ser • Identificar as principais características • Características do ser
CAPÍTULO

1 humano e do ser humano. humano.


a evolução • Reconhecer a importância da cultura no • A cultura e a sociedade.
desenvolvimento humano. • Evolução humana.
• Conhecer informações sobre a
evolução humana.

O corpo
CAPÍTULO

2 humano
• Reconhecer os níveis de organização
do corpo humano.
• Níveis de organização
do corpo humano:
• Conhecer a importância da membrana células, tecidos, órgãos,
plasmática, núcleo e citoplasma. sistemas e organismo.
• Identificar algumas organelas das • Características da
células. célula eucarionte
• Reconhecer a importância da divisão animal.
e diferenciação celular. • Mitose.
• Diferenciar mitose e meiose. • Meiose.
• Caracterizar os quatro tecidos básicos • Classificação básica dos
que formam o corpo humano: epitelial, tecidos humanos.
conjuntivo, muscular e nervoso.
• Definir o que é um órgão.
• Reconhecer o que é um sistema de
órgãos.

P. 12 e 13 Abertura da unidade
•• Ao analisar as páginas de aber-
tura, peça aos alunos que iden-
tifiquem algumas diferenças
entre as pessoas da imagem,
como cor de pele, modo de
se vestir, cor e tipo de cabelo,
variedade de gênero e idade,
entre outras diferenças. Enfa-
tize aos alunos que, mesmo
com essas diferenças, todas as
pessoas da imagem são seres
humanos e, por isso, compar-
tilham certas características,
as quais serão abordadas ao
longo desta unidade.

19

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 19 8/1/16 3:38 PM


••Aproveite para questionar os alunos sobre as características do ser humano que
são similares às de outros animais. É esperado que eles citem, por exemplo, o fato
de todos os animais serem eucariontes, heterotróficos e pluricelulares.
Respostas
1.
Presença de pelos no corpo e glândulas mamárias. 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem citar em suas
Além dessas características, os alunos podem citar descrições um ambiente semelhante a uma caver-
a presença de dentes diferenciados e diafragma. na ou outro ambiente natural, humanos com mais
2. Resposta pessoal. Os alunos podem citar e identificar pelos, pouco uso de roupas ou roupas confeccio-
na imagem características como: o uso da fala para se nadas com pele de animais, presença de ferra-
comunicar, a alta capacidade de transformar o ambien- mentas rudimentares, cabeça (encéfalo) com
te, a postura ereta, entre outras. menor volume, entre outras características.

CAPÍTULO
1 O ser humano e a evolução

P. 14 ••Ao trabalhar o texto apresentado nessa página, comente com os alunos que a
pré-história compreende ao período anterior ao desenvolvimento da escrita, que
ocorreu por volta de 3200 anos a.C. Se possível, explore o texto em parceria com
o professor de História, abordando as características desse período e os registros
humanos encontrados.
P. 17 ••Ao tratar das características gerais do ser humano em relação ao volume cerebral,
é importante relacionar tal conteúdo com as mudanças na alimentação, citadas na
página 18. Sem uma mudança na dieta, provavelmente o aumento deste órgão ao
longo da evolução teria sido mais difícil, por causa do alto custo energético envol-
vido em sua manutenção.
••Relacione, também, a evolução do volume cerebral com a seleção natural. Para
isso, explique aos alunos que os ancestrais dos seres humanos já viviam em socie-
dade e começavam a dominar a linguagem. Nesse contexto, os ancestrais cujos
cérebros permitiam lidar de modo mais eficiente com a complexidade social e
com o uso da linguagem foram selecionados, e isso levou, então, a um aumento
do tamanho do cérebro. Dessa maneira, percebe-se que, ao mesmo tempo que o
aumento do volume cerebral foi selecionado em uma sociedade em transformação,
que se tornava cada vez mais complexa, ele possibilitou o aumento na complexidade
dessas sociedades e da linguagem.

Acesse
P. 18 •• A cultura está relacionada ao
que é produzido a partir da Para saber mais sobre as definições do termo cultura,
inteligência humana. Existem acesse os sites a seguir.
diferentes definições de cultu- Dicionário de Conceitos Históricos.
ra, as quais englobam aspec- <www.igtf.rs.gov.br/wp-content/
tos como manifestações artís- uploads/2012/03/conceito_CULTURA.pdf>.
ticas, costumes, conhecimentos, Acesso em: 19 jul. 2016.
comportamentos, crenças, entre O conceito antropológico de Cultura.
outros. Conheça a seguir uma <www.ucb.br/sites/000/14/PDF/
definição do termo cultura. OconceitoantropologicodeCultura.pdf>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

20

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 20 8/1/16 7:22 PM


[...] plano imaterial, desde artefatos e

1
O
significado mais simples objetos até ideais e crenças. Cul-

UNIDADE
desse termo afirma que tura é todo complexo de conheci-
cultura abrange todas as mentos e toda habilidade humana
realizações materiais e os aspectos empregada socialmente. Além dis-
espirituais de um povo. Ou seja, so, é também todo comportamento
em outras palavras, cultura é tudo aprendido, de modo independente
aquilo produzido pela humanida- da questão biológica.
de, seja no plano concreto ou no [...]
SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de conceitos históricos.
São Paulo: Ed. Contexto, 2006. Disponível em: <www.igtf.rs.gov.br/wp-content/
uploads/2012/03/conceito_CULTURA.pdf>. Acesso em: 19 jul. 2016.

••Comente com os alunos que a capacidade de aprender e de compartilhar os


conhecimentos com os descendentes não é exclusividade do ser humano. Outros
animais conseguem realizar tarefas e desenvolver novas habilidades para garantir
sua sobrevivência e melhorar suas condições de vida. Um exemplo dessa capaci-
dade ocorreu na Ilha Koshima, localizada no Japão, com o macaco-japonês (Macaca
fuscata). Apresente a eles as informações a seguir.
Fique ligado!

A capacidade de aprender do macaco-japonês

Cyril Ruoso/Minden Pictures/Latinstock


comprimento:
Em 1953, um grupo de pesquisadores começou a oferecer batatas-doces aos cerca de 55 cm
macacos dessa ilha, deixando o alimento na areia da praia. Um ano após o início
desse experimento, uma jovem fêmea do grupo desses macacos descobriu que
se ela lavasse a batata com água e retirasse a areia, poderia comer o alimento
sem o incômodo dos grãos. Outros macacos do grupo começaram a imitar
esse comportamento e passaram a lavar suas batatas antes de comê-las.
A maioria dos indivíduos que eram mais próximos a essa fêmea adotou essa
prática. No entanto, os animais machos mais velhos não incorporaram esse hábito.
Os novos filhotes, cujas mães lavavam seu alimento, começaram a repetir o
comportamento, garantindo assim que ele se fixasse nesse grupo. Dessa maneira,
o ato de lavar as batatas-doces passou a fazer parte da cultura daquela população.

Macaco-japonês lavando
batata-doce antes de ingeri-la.

P. 19 ••Ao trabalhar os núcleos familiares, comente


com os alunos que existem diferentes confi- Acesse
gurações familiares. Algumas famílias são
Os sites a seguir apresentam
formadas apenas por um casal sem filhos, informações sobre as diferentes
outras são formadas pela mãe ou pelo pai e configurações familiares.
seus filhos, algumas por avós e netos, outras Em defesa da família, de todas as
por tios e sobrinhos e outras por casais de famílias.
pessoas do mesmo sexo. Há ainda os núcleos <www.reporterunesp.jor.br/em-
defesa-da-familia-de-todas-as-
formados em instituições como abrigos e orfa- familias/>.
natos. Aproveite para discutir com os alunos Acesso em: 19 jul. 2016.
sobre essa diversidade de configurações de A nova família brasileira.
maneira que todos se sintam à vontade com o <http://veja.abril.com.br/brasil/
tema. O objetivo é promover a valorização de a-nova-familia-brasileira/>.
Acesso em: 19 jul. 2016.
todas as famílias.

21

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 21 8/1/16 3:38 PM


P. 20 •• Diga aos alunos que, embora o Homo neanderthalensis apresentasse uma área do cérebro
relacionada à fala tão desenvolvida quanto à dos primeiros Homo sapiens, a fala do homem
de Neanderthal não era tão complexa devido à posição e estrutura de sua laringe.
••A posição ancestral da laringe dos mamíferos era uma região alta no pescoço,
logo atrás da base da língua, o que possibilitava a ingestão de alimentos simul-
taneamente com a respiração. Ao longo da evolução humana, alterações da base
do crânio foram selecionadas e a laringe dos seres humanos foi modificando-se e
passou a ser ventral. Com isso, a passagem entre o palato e a epiglote passou a
ser aberta. Apesar de ter aumentado a chance do indivíduo engasgar, surgiu uma
câmara muito mais ressonante, o que possibilitou aos seres humanos produzir os
mais diversos tipos de som, desde grunhidos até a execução do canto lírico.
••A laringe é um órgão tubular que liga a faringe à traqueia. Suas paredes são forma-
das por tecido muscular, cartilagens e ligamentos. Ela se localiza na parte ventral
do pescoço humano. Uma de suas funções é a produção da fala. As estruturas
responsáveis por essa função são as pregas vocais, que são pequenas dobras na
membrana mucosa da laringe. Durante a respiração, as pregas vocais estão aber-
tas, mas se fecham parcialmente para o indivíduo falar. O ar passa pelas pregas
vocais parcialmente fechadas fazendo-as vibrar, produzindo o som.
••Ao abordar a evolução da espécie humana com os alunos, aproveite para realizar a
atividade complementar apresentada a seguir.

Atividade complementar Vídeo

Evolução humana
Este vídeo permite ilustrar algumas das características inerentes aos seres huma-
nos estudadas neste capítulo, como o andar bípede, a fabricação de objetos, o uso do
fogo, entre outros. Ao trabalhar esse vídeo, fique atento a alguns equívocos:
1. Ainda que entre aspas, são utilizados os termos “elo perdido” e “projeto”. No
século XIX, surgiu a ideia de que teria ocorrido um hominídio ancestral, o “elo
perdido”, que representaria a transição entre macacos e homens. Atualmente,
sabe-se que as linhagens humanas e de macacos se separaram, não sendo
correto afirmar que os homens descendem dos macacos. O termo “projeto”,
por sua vez, passa a ideia de que os seres vivos foram projetados e moldados
de acordo com uma inteligência superior, ideia que não é aceita pela maioria
da comunidade científica.
2. “A invenção do fogo” – o fogo não foi inventado, foi descoberto.
3. O penúltimo slide afirma que o cérebro humano aumentou devido à pressão
ambiental, uma leitura lamarckista dessa transformação.
A evolução do homem. Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distân-
cia do Estado do Rio de Janeiro – Cecierj. Disponível em: <http://teca.cecierj.edu.br/
arquivo/animacao/45478.swf>. Acesso em: 27 jul. 2016.

Lendo
Reportagem
P. 22 e 23 Os seres humanos possuem características como o andar bípede e ereto, a capa-
cidade de comunicação complexa e variada, o uso de instrumentos, entre outras.
Apesar de inerentes à espécie Homo sapiens, é necessário o contato com outros
indivíduos da mesma espécie para que tais comportamentos e capacidades sejam
desenvolvidos. Assim, a convivência em sociedade é um fator essencial para que a
cultura seja compartilhada entre os seres humanos.

22

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 22 8/1/16 7:24 PM


1
Objetivos Sociologia, Filosofia ou História para trabalhar

UNIDADE
essa seção em parceria.
••Conhecer um caso de crianças criadas por lobos.
••Verificar a importância da convivência com ••Após a leitura da reportagem e a resolução do
questionário pós-leitura, pergunte aos alunos se
indivíduos da mesma espécie.
um resultado semelhante ao narrado na lenda
•• Verificar como a convivência em sociedade interfere de Amala e Kamala seria possível se um indiví-
na formação e no comportamento do ser humano. duo já adulto e previamente criado em convívio
•• Identificar que muitas das nossas atitudes não são com o ser humano fosse introduzido em uma
inatas, mas sim aprendidas durante o convívio social. matilha. Espera-se que os alunos associem o
desenvolvimento de comportamento selvagem
Comentários
nas meninas indianas à falta de convívio com
••Antes de iniciar a leitura do texto, pergunte pessoas nas fases iniciais de suas vidas, quando
aos alunos se eles já ouviram falar da lenda ocorre a maior parte do aprendizado referente
da criação de Roma. Comente com eles que ao comportamento e a cultura humana. Indiví-
lendas são narrativas de um determinado fato duos adultos criados em contato com a espécie
que podem ser modificadas pela imaginação humana e submetidos ao convívio com animais
popular. Diga-lhes que essa lenda faz parte da selvagens, provavelmente, não seriam tão influen-
cultura italiana. Mostre aos alunos um mapa ciados por esses seres vivos, pois já teriam desen-
com a localização de Roma e do rio Tibre. volvido boa parte do seu “lado humano”.
••Enfatize a importância do convívio em socieda-
de para a formação e desenvolvimento cogniti- Acesse
vo, emocional e psíquico do ser humano. Essa Apresente mais informações sobre a lenda de
importância pode ser percebida em histórias Rômulo e Remo. Para isso, acesse os sites a seguir.
como a das meninas indianas Amala e Kamala, Encontramos Rômulo e Remo! História viva.
conhecidas como meninas lobo por terem vivi- <www2.uol.com.br/historiaviva/reportagens
do nos seus primeiros anos em uma alcateia de /encontramos_romulo_e_remo_.html>.
lobos. Acesso em: 18 jul. 2016.
••Esse texto apresenta o caso raro das meninas Hoje na História: Rômulo e Remo fundam Roma,
Amala e Kamala e tem por objetivo demons- segundo a lenda.
trar a importância da vida em sociedade para <http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias
o processo de humanização do ser humano. /3755/conteudo+opera.shtml>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
Se achar conveniente, convide professores de

Respostas Antes da leitura


1.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar que o esses animais selvagens poderiam ter alguns cuida-
ser humano poderia deixar de desenvolver diversos dos com as crianças permitindo sua sobrevivência.
comportamentos, como o de se comunicar, tomar 3. Resposta pessoal. Os alunos podem sugerir que a
banho, cozinhar alimentos, se vestir, entre outros. reportagem trata da história de indivíduos criados
2. Resposta pessoal. Os alunos podem responder que por animais, e sugerir que essa é uma condição
não, uma vez que, as crianças dependem de cuidados primitiva e rústica, pois o título contém o termo
de um adulto. Porém, alguns podem comentar que “selvagem”.

Respostas Durante a leitura


a ) Resposta pessoal. Os alunos podem procurar vida real as crianças criadas por lobos possuem
pelas palavras grunhir, intrigar, árduo, irreversí- grandes limitações do desenvolvimento neces-
vel, reverendo, arredio e sociólogo, as quais são sário para o convívio social.
facilmente encontradas no dicionário. c ) O último parágrafo do texto indica que a autora
b ) Apesar de a lenda relatar a fundação da cidade fez uma pesquisa bibliográfica, pois o trecho
de Roma pelos irmãos criados por lobos, na descrito entre aspas indica o discurso de um entrevis-

23

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 23 8/1/16 3:38 PM


tado e faz referência ao livro As crianças selvagens. transmitidas pelo convívio com outros indivíduos
d ) Segundo a professora Luci Banks-Leite, nossa desde o nascimento. Além disso, o ser humano é um
espécie torna-se humana à medida que convive e animal que precisa de cuidados parentais durante os
aprende habilidades comportamentais e cognitivas primeiros anos de vida.

Respostas Depois da leitura


1.
Resposta pessoal. Caso os alunos apresentem rela- 3.
Resposta pessoal. A frase propõe que o ser huma-
tos, explore-os, verificando se tais crianças apresen- no aprende a ser humano pelo convívio com
tavam hábitos mais parecidos com os dos animais outras pessoas.
com os quais cresceram, do que com os padrões
4. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos perce-
comportamentais humanos. Os alunos podem citar
bam que muitas características comportamentais,
histórias fictícias, como a do personagem Tarzan e a
do menino Mogli, ou reais, como a de Victor de hábitos e conhecimentos que eles apresentam
Aveyron. refletem seu processo de criação e hábitos de sua
2. As meninas apresentavam hábitos e comporta- família. Os conhecimentos e valores transmitidos
mentos semelhantes aos de lobos, como andar por uma família podem preparar seus membros
em quatro apoios, serem carnívoras, não gostar de para o convívio em sociedade, conforme sinalizam
luz, ter hábitos noturnos, não falar, entre outras quais comportamentos são socialmente aceitos e
características. quais as regras impostas naquela cultura.

P. 24 e 25 Atividades
Respostas

1.
A ­– filo dos cordados; B – classe dos mamíferos; criação de instrumentos, como o telefone. A
C – família Hominidae; D – gênero Homo; E – espé- vida em sociedade também contribui para a
cie Homo sapiens. comunicação, pois, além de permitir a trans-
2. Entre outras vantagens, a postura ereta e o andar bípe- missão cultural, permite o desenvolvimento da
de permitiram que as mãos do ser humano ficassem linguagem.
livres para manipular objetos, como as ferramentas c )
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
utilizadas na caça ou na coleta e preparo de alimentos. respondam que as formas de comunicação não
são as mesmas. Entre as hipóteses de comuni-
3. a ) A morfologia geral torna o novo fóssil mais próximo cação entre os Homo erectus, os alunos podem
ao gênero Homo. No entanto, o volume pequeno da citar a utilização do fogo, a comunicação oral e
caixa craniana o afasta da espécie Homo sapiens. gestual, o uso de pinturas em pedras (pinturas
b ) Porque, apesar de pertencer ao gênero Homo, rupestres), entre outras.
já que apresenta as características gerais para
tanto, o novo fóssil não tem as características
5. a ) Encéfalo volumoso, que lhe permite raciocinar e
criar, como pode ser percebido no trecho “possuía
das espécies já descritas nesse gênero.
capacidade mental”. Polegar opositor, que lhe
c ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos comen- permite habilidade manual, conforme pode ser
tem em suas respostas que, para a formação dos percebido no trecho “tinham bom controle motor”.
fósseis, são necessárias condições específicas desde b ) Os alunos podem supor que os instrumentos
o momento da morte do ser vivo; além disso, a cortantes eram utilizados para caçar ou cortar as
fossilização ocorre mais facilmente nas partes duras carnes dos animais caçados; além disso, os instru-
do organismo. Esses fatores contribuem para que mentos poderiam ser utilizados para abrir frutos ou
existam poucos fósseis. O fato de raramente se até mesmo para fabricar abrigos.
achar esqueletos completos e em boas condições
c ) Espera-se que os alunos citem que o uso de
influenciam os estudos, pois, achando apenas uma
ferramentas possibilita maior transformação no
parte do esqueleto, os cientistas têm maiores dificul-
ambiente. Como exemplos podem citar as trans-
dades em realizar reconstituições ou suposições formações que a agricultura moderna causa ao
sobre o ser vivo. ambiente, ao utilizar diferentes maquinários, a
4. a ) Resposta pessoal. grande quantidade de árvores que podem ser
b ) Os alunos podem citar o volume encefálico, o derrubadas utilizando instrumentos como a
qual permite o raciocínio e também facilita a motosserra, entre outros.

24

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 24 8/1/16 3:38 PM


2 O corpo humano

1
CAPÍTULO

UNIDADE
P. 26 ••Ao trabalhar a tela apresentada nessa página, comente com os alunos que ela repre-
senta uma das aulas de anatomia realizada pelo médico holandês Nicolaes Tulp.
Oriente-os a observar a expressão das pessoas retratadas e a iluminação da cena.
Diga a eles que esse quadro foi pintado quando Rembrandt tinha apenas 26 anos.
Apresente mais informações sobre Rembrandt aos alunos. Para isso, utilize o texto
a seguir.
Fique ligado!

Rembrandt Harmenszoon van Rijn


Rembrandt nasceu em 1606, em Leiden, uma cidade da Holanda. Aos sete anos, começou a frequentar a Escola Latina de
Leiden, onde, desde cedo, chamou a atenção pelo talento para a pintura. Ele chegou a frequentar a faculdade de Leiden, porém
abandonou o curso antes de mudar para Amsterdã a fim de estudar pintura com o artista Pieter Lastman (o aprendizado durou
seis meses). Aos 21 anos tornou-se professor de pinturas e aos 25 recebeu pela primeira vez uma encomenda. Fez diversos
retratos de burgueses. Seus quadros lhe renderam riquezas. Porém, com o tempo, o pintor passou a se recusar a pintar retratos de
acordo com a solicitação dos compradores, e a fazer apenas retratos fiéis, o que desagradou a muita gente e fez as encomendas
diminuírem. A partir disso, o artista acumulou dívidas que o levaram a vender muitas de suas obras. O artista faleceu aos 63 anos,
em uma casa humilde.

••Explique aos alunos que os primeiros registros sobre a dissecação humana são
do século II a.C., realizados por Herófilo e Erasístrato em Alexandria. Porém, por
motivos religiosos e éticos, o estudo de cadáveres humanos foi proibido por volta
do século II. A partir dessa época, predominou o estudo da anatomia de outros
animais. No século V, com o clero cristão influenciando os governos, os estudos
sobre anatomia de qualquer animal foram proibidos.
Aproximadamente 700 anos depois, foi criada a primeira universidade de medi-
cina, e os estudos sobre o conhecimento anatômico produzidos até então voltaram
a ser apresentados. Os estudos dos corpos humanos, mesmo depois de libera-
dos, deveriam ser feitos até 48 horas após a morte, já que não havia técnicas de
conservação. Em geral, esses estudos eram feitos em anfiteatros.
O primeiro atlas de anatomia humana só foi publicado em 1543, pelo médico belga
Andreas Vesalius, intitulado: De Humani Corporis Fabrica.
Acesse
Os sites a seguir apresentam mais informações sobre a história do estudo da anatomia humana.
Uma breve história da Anatomia Humana.
<www.ufcspa.edu.br/index.php/historia-da-anatomia-humana>.
Acesso em: 19 jul. 2016.
Ladrões de Cadáveres.
<http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/ladroes-cadaveres-678330.shtml>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

P. 30 ••A respeito do DNA e do RNA é importante entender as informações a seguir.


O DNA e o RNA são moléculas formadas por nucleotídeos em sequência, unidos
entre si formando cadeias. Cada nucleotídeo é formado por um açúcar, um grupo
fosfato e uma base nitrogenada. A ligação entre os nucleotídeos é possível porque o
grupo fosfato de um nucleotídeo consegue se ligar ao açúcar do nucleotídeo seguin-
te. As bases nitrogenadas do DNA são adenina, timina, citosina e guanina, e as bases
do RNA são adenina, uracila, citosina e guanina.

25

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 25 8/1/16 3:38 PM


•• O DNA é uma molécula que tem estrutura de dupla hélice, ou seja, uma cadeia de
nucleotídeo se une a outra por meio de pontes de hidrogênio de forma que uma adeni-
na sempre se ligue a uma timina, e uma citosina sempre se ligue a uma guanina. Além
disso, o modelo de DNA é dito em hélice porque as cadeias encontram-se torcidas da
esquerda para a direita. Já o RNA apresenta-se na forma de uma cadeia simples.
•• As sequências de bases nitrogenadas do DNA formam os genes. Cada gene pode
conter as informações necessárias para a produção de uma ou mais proteínas. É a
sequência de bases nitrogenadas do DNA que vai ditar a proteína a ser formada. A
proteína é produzida no citoplasma e o DNA se encontra no núcleo. Dessa forma, para
que a informação passe do núcleo para o citoplasma, ocorre a produção de um RNA
mensageiro (RNAm), que contém as informações do gene. Esse RNAm contém uma
sequência de bases nitrogenadas complementar ao DNA que o formou. Assim, por
meio do RNA a informação sai do núcleo e passa para o citoplasma.
•• No citoplasma, uma outra molécula de RNA, o RNA transportador (RNAt), carrega os
aminoácidos até os ribossomos, organelas responsáveis pela produção de proteínas.
Cada RNAt carrega um determinado aminoácido. Um terceiro tipo de RNA, o RNA
ribossômico (RNAr), é constituinte dos ribossomos. Estes “leem” as informações do
RNAm e promovem a união dos diferentes aminoácidos trazidos pelos RNAt.
P. 32 e 33 ••Ao trabalhar as divisões celulares, comente com os alunos que, além da divisão, a
qual leva a um aumento na quantidade de células, o desenvolvimento de tecidos e
órgãos depende também da diferenciação das células.
••Complemente a explicação informando aos alunos sobre a diferenciação celular.
Explique-lhes que, o zigoto, após formado, passa por divisões sucessivas e por dife-
renciações celulares até dar origem aos cerca de 10 trilhões de células, com mais
de duas centenas de funções, existentes no organismo humano. Ainda no embrião,
na fase de blastocisto, inicia-se a diferenciação celular. A diferenciação é o proces-
so que torna as células diferentes entre si quanto à forma, função e composição.
Esse processo ocorre devido à expressão diferencial de genes das células. Ainda
há muito a ser compreendido sobre essa expressão diferencial. O que se sabe até
o momento é que tal processo ocorre porque a célula recebe sinais provenientes
da matriz extracelular de outras células que estão em contato próximo e de outros
fatores de diferenciação. Esses sinais resultam na inibição de alguns genes e na
ativação de outros. A partir disso, as células mudam suas formas e sua relação
com outras células, formando tecidos, órgãos e sistemas.

Valores
em ação A compaixão e a doação de órgãos
P. 39 Nesta seção os alunos conhecerão informações sobre a doação de órgãos, e refle-
tirão sobre os impactos que essa atitude tem na vida das pessoas que aguardam um
transplante.

Objetivos Comentários
••Conhecer o que é doação de órgãos. •• Antes de trabalhar essa seção, questione os
••Reconhecer a importância de ser um doador de alunos sobre o que eles sabem a respeito dos
órgãos. transplantes de órgãos. Pergunte quais motivos
••Refletir sobre a compaixão com o próximo. eles acham que levam uma pessoa a ser doadora.

26

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 26 8/1/16 3:38 PM


•• Pergunte se eles conhecem Acesse

1
alguém que já passou por um

UNIDADE
Para saber mais informações sobre transplantes de órgãos, acesse os
transplante de órgão. Em caso sites a seguir.
positivo, solicite que conte Hospital Albert Einstein.
aos colegas qual problema <www.einstein.br/especialidades/transplantes/transplante-orgaos>.
a pessoa tinha, quais eram Acesso em: 18 jul. 2016.
os sintomas, se houve longa Ministério da Saúde.
espera até encontrar um <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/142transplante_de_orgaos.html>.
doador, como foi a cirurgia e a Acesso em: 18 jul. 2016.
Associação Brasileira de Transplante de órgãos.
recuperação, entre outros.
<www.abto.org.br/abtov03/default.aspx?mn=487&c=0&s=156>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Os alunos podem dizer que sim, 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem citar situa-
pois, ao ver um atleta transplantado, podem ções como o acolhimento de um animal abando-
pensar em quantas conquistas ele deve ter tido nado, o oferecimento de conforto a um colega
após receber o órgão. diante de uma situação difícil, a ajuda a uma
2. Resposta pessoal. pessoa que necessita de alimento, água, roupas,
entre outras.

P. 40 e 41 Atividades
Respostas

1.
a ) A – membrana plasmática; B – citoplasma; C – que serão enviadas para o meio externo ou que
núcleo. serão utilizadas no interior das células. Os
centríolos atuam no processo de divisão celu-
b
) A membrana plasmática delimita a célula,
lar, nos movimentos celulares e na formação de
separando o meio interno do extracelular; além
cílios e flagelos. O lisossomo atua na digestão
disso, regula a entrada e saída de substâncias
que ocorre no interior das células.
da célula e participa da comunicação celular.
2. a ) Tecido muscular.
c ) No núcleo encontra-se a maior parte do DNA
das células. Essas moléculas apresentam as b ) Tecido epitelial.
informações necessárias para a produção de c ) Tecido nervoso.
proteínas, as quais desempenham importantes d ) Tecido conjuntivo.
papéis no funcionamento celular. Além disso, o 3. Mitose Meiose
DNA está envolvido na hereditariedade.
Quantidade de cromossomos
46 46
d ) 1 – mitocôndria; 2 – retículo endoplasmático; 3 – nas células-mães.
complexo golgiense; 4 – centríolo; 5 – lisossomo. Quantidade de células-filhas
2 4
formadas.
e ) As mitocôndrias atuam no processo de respira-
ção celular, no qual ocorre a liberação de ener- Quantidade de cromossomos
46 23
nas células-filhas.
gia. O retículo endoplasmático atua na síntese e
transporte de substâncias no interior das célu- 4. Resposta pessoal. Os alunos podem citar em
las. Quando há ribossomos em sua membrana, suas respostas que, por meio da diferenciação
o retículo é dito rugoso e atua, principalmente, celular, as células se especializam em realizar
na síntese de proteínas. Quando não há ribos- determinadas atividades.
somos, o retículo é dito liso e atua, principal- 5. a) No texto são citados os seguintes níveis de
mente, na síntese de lipídios. organização: célula, tecido, órgão e organismo.
O complexo golgiense armazena substâncias b ) Há vários fatores que influenciam no desenvolvi-

27

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 27 8/1/16 3:38 PM


mento do câncer. Alguns relacionam-se à heredita- Acesse
riedade e outros fatores relacionam-se ao hábito de
Para obter informações sobre fatores que
vida, como: alimentação inadequada, tabagismo, influenciam o desenvolvimento do câncer, consulte:
alcoolismo, sexo sem proteção, utilização de Instituto Nacional do Câncer.
determinados medicamentos e trabalhos em <www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/inca/
determinadas funções, como as relacionadas ao portal/home>.
uso de radioatividade e certos produtos químicos. Acesso em: 20 jul. 2016.

••Ao trabalhar a questão 5 da página 41 com os alunos, comente que o câncer de


mama é o segundo mais frequente no mundo, e o mais comum entre as mulheres.
Embora, na maioria dos casos, esse tipo de câncer possa ser curado, ele ainda causa
a morte de muitas mulheres, em geral, pelo fato de ser diagnosticado tardiamente.
A maioria dos casos de câncer de mama, quando diagnosticada, já está em estágio
avançado, dificultando o tratamento e as chances de sobrevida.
Uma das causas dessa alta incidência é a mudança no comportamento reprodu-
tivo da mulher, além de alterações no período da menarca e da menopausa. No
início do século XX, as mulheres normalmente menstruavam pela primeira vez
com aproximadamente 17 anos de idade, e passavam boa parte de seu período
reprodutivo grávidas, tendo poucos ciclos menstruais. A menopausa, em geral,
tinha início aos 40 anos. Hoje em dia, as mulheres menstruam mais cedo, por volta
dos 13 anos de idade, e entram na menopausa mais tarde, por volta dos 50 anos.
Como têm poucos filhos, passam por mais ciclos menstruais; consequentemente,
seu tecido mamário é mais exposto ao estrógeno e à progesterona, hormônios do
ciclo menstrual. A ação repetida desses hormônios pode aumentar as chances do
desenvolvimento do câncer de mama em algumas mulheres.
A melhor maneira de se prevenir o câncer de mama é realizando exames rotineiros
de mamografia, além de consultas regulares ao ginecologista.
A mamografia é um exame radiológico realizado em um aparelho que produz imagens
em alta resolução. A mama é colocada entre duas placas de acrílico e comprimida,
para que o tecido mamário fique distribuído de maneira uniforme. Utilizam-se raios X
para a formação da imagem e posterior diagnóstico. Esse exame permite identificar
lesões imperceptíveis ao toque no autoexame, quando o tumor ainda é bem pequeno.

P. 41
Verificando rota

Respostas

1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos corrijam por outra que retratasse ancestrais, os alunos
ou complementem suas respostas citando que os poderiam citar em suas descrições: um ambiente
pelos no corpo, as glândulas mamárias, os dentes semelhante a uma caverna ou outro ambiente
diferenciados e o diafragma são características que natural, humanos com mais pelos, pouco uso de
o ser humano e os demais mamíferos têm em roupas ou roupas confeccionadas com pele de
comum. Entre as características dos seres huma-
animais, presença de ferramentas rudimentares,
nos que são observáveis na fotografia estão: o uso
encéfalo com menor volume, entre outras caracte-
da fala para se comunicar, a alta capacidade de
transformar o ambiente, a postura ereta, o andar rísticas.
bípede, entre outras. Se a imagem for substituída 2.
Resposta pessoal. Os alunos podem complemen-

28

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 28 8/1/16 3:39 PM


tar ou corrigir suas respostas concordando com a vo do ser humano, os alunos podem citar, por

1
frase do físico, e comentando que o desenvolvi- exemplo, a invenção de máquinas, a construção

UNIDADE
mento do encéfalo favoreceu a capacidade de de grandes edificações, os conhecimentos científi-
transformar o ambiente, a criação de instrumen- cos em geral, o conhecimento sobre técnicas de
tos, o cultivo de alimentos e a criação de animais, aproveitamento de recursos naturais, entre outros.
entre outros. Em relação ao raciocínio investigati-

3. Nível de
Definição Exemplos
organização
Unidade estrutural básica dos seres vivos. Em seu interior Espermatozoides, óvulos,
Célula
ocorrem os processos químicos que compõem o metabolismo. neurônios.
Estrutura resultante da associação de várias células. Além das Epitelial, conjuntivo,
Tecido
células, os tecidos são também formados por matriz extracelular. muscular, nervoso.
Encéfalo, intestino,
Órgão Estrutura resultante da associação de vários tecidos.
coração, estômago.
Sistema digestório,
Sistema Associação entre órgãos, os quais atuam de forma conjunta.
sistema excretor.
Conjunto de todos os sistemas, atuando de forma conjunta e
Organismo Cada pessoa.
coordenada.

Ampliando
fronteiras A dança como tradição
P. 42 e 43 O Brasil apresenta uma rica diversidade cultural, que também é observada nos
diversos ritmos e danças próprios de cada região. Nesta seção, em que se traba-
lha o Tema Convergente Expressões culturais. Os alunos terão a oportunidade de
conhecer uma dança típica de cada região brasileira e suas influências culturais.

Objetivos
••Conhecer cinco danças típicas de regiões brasileiras.
••Conhecer as influências culturais dessas danças.
••Reconhecer a diversidade cultural do Brasil.
••Valorizar a cultura nacional.
Comentários
••Comente com os alunos que a seção apresenta cinco
expressões culturais de regiões brasileiras, porém
existem muitas outras, como: samba, maracatu,
baião, catira, reisado, xaxado, vanerão.
••Após trabalhar as expressões culturais cita-
das nessa seção, apresente aos alunos
algumas de origem africana. Para isso,
utilize as informações a seguir.
Raul Aguiar

29

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 29 8/1/16 3:39 PM


Acesse
Nos sites a seguir você encontrará mais informações sobre danças típicas de regiões
brasileiras.
Cultura e folclore paulista: danças e folguedos.
<www.bibliotecavirtual.sp.gov.br/temas/sao-paulo/cultura-e-folclore-paulista-
dancas-e-folguedos.php>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
As danças típicas que embalam os paranaenses.
<www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/especiais/retratos-
parana/curiosidades/as-dancas-tipicas-que-embalam-os-paranaenses-
9jue0a0pp4t8a9q2w4u1tpk5q>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
A cultura e a dança popular do Brasil.
<www.gazetadebeirute.com/2013/04/a-cultura-e-danca-popular-do-brasil.html>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

Manifestações Culturais Negras


[...] Congada
Bumba meu boi O Congado, também chamado de Congo ou Con-

A
gada, mescla cultos católicos com africanos num mo-
auto do Bumba meu boi é apresentado como
vimento sincrético. É uma dança que representa a co-
a morte e a ressurreição de um boi especial.
roação do rei do Congo, acompanhado de um cortejo
Pai Francisco, o escravo de confiança do pa-
compassado, cavalgadas, levantamento de mastros
trão, mata e arranca a língua do boi para satisfazer os
e música. Os instrumentos musicais utilizados são a
desejos de grávida de sua esposa, Mãe Catirina. Após
cuíca, a caixa, o pandeiro, o reco-reco. O ponto alto da
ser perseguido, preso e castigado, Pai Francisco se vê
festa é a coroação do rei do Congo.
forçado a ressuscitar o animal. Todos, então, cantam
e dançam em comemoração. O boi é uma das princi- [...]
pais referências da cultura negra maranhense, pre- Folia de reis
sente em vários estados brasileiros.
Comum nas regiões Centro-Oeste e Sul do país, a
[...] festa religiosa celebra os Três Reis Magos em visita
Capoeira ao menino Jesus. Os foliões que participam do cor-
tejo, organizados em grupo, visitam as casas no pe-
A Capoeira é uma manifestação cultural presen-
ríodo entre o Natal e o dia seis de janeiro. Além dos
te hoje em todo o território brasileiro e em mais de
músicos, o grupo também se compõe de dançarinos,
150 países, com variações regionais e locais criadas
palhaços e outras figuras folclóricas, caracterizadas
a partir de suas “modalidades” mais conhecidas: as
segundo as lendas e tradições de cada localidade. To-
chamadas “capoeira angola” e “capoeira regional”. Os
dos se organizam sob a liderança do Mestre da Fo-
principais aspectos da capoeira, como prática cultural
lia e seguem em reverência aos passos da bandeira,
desenvolvida no Brasil, são o saber transmitido pelos
cumprindo rituais tradicionais repletos de beleza e
mestres, como reconhecidos por seus pares, e a roda,
riqueza cultural.
onde a capoeira reúne todos os seus elementos e se
realiza de modo pleno. [...]
Manifestações Culturais Negras. Palmares, Fundação Cultural. Disponível
[...] em: <www.palmares.gov.br/?page_id=34089>. Acesso em: 18 jul. 2016.

30

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 30 8/1/16 3:39 PM


1
••Se possível, em conjunto com o professor de

UNIDADE
Educação Física e o professor de Arte, esco-
lham uma dança típica e organizem uma apre-
sentação com os alunos. Verifique se alguns
deles tocam instrumentos musicais. Trabalhem
a coreografia, o ritmo e os trajes típicos.

Acesse
Os sites a seguir apresentam informações que
poderão ajudar os alunos a responder à questão 4.
O que é Patrimônio Imaterial?
<http://portal.iphan.gov.br/bcrE/pages/
conPatrimonioE.jsf>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
Patrimônio Imaterial.
<http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/234>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

Respostas
1.
Ao longo do tempo, o ser humano transmitiu tradições e conhecimen-
tos a outras gerações por meio da comunicação. Por conta dessa trans-
missão de conhecimentos, algumas manifestações culturais fazem parte
da identidade de alguns povos e ainda são praticadas.
2.
Resposta pessoal.
3.
Resposta pessoal.
4.
Resposta pessoal. A Organização das Nações Unidas para a Educação,
a Ciência e a Cultura (Unesco), por meio da Convenção para a Salva-
guarda do Patrimônio Cultural Imaterial, adotou a denominação Patri-
mônio Cultural Imaterial da Humanidade para as técnicas, expressões,
representações e conhecimentos aliados a artefatos, instrumentos e
locais culturais. Os ofícios, práticas e saberes criados, praticados e trans-
mitidos na sociedade brasileira são reconhecidos como Patrimônio
Imaterial do Brasil. Determinada pela Constituição Federal de 1988
(nos artigos 215 e 216), essa definição também abrange
as celebrações e todas as formas de expressão cênicas,
musicais, plásticas ou lúdicas da vida social de uma
comunidade por meio de práticas culturais coletivas e
algumas realizadas em localidade característica, como
feiras, santuários, mercados ou qualquer local que abri-
ga tais práticas. Com relação à importância, espera-se
que os alunos comentem que esse reconhecimento
valoriza a manifestação cultural humana e brasileira
contribuindo para o estabelecimento da identidade e da
conservação desses patrimônios para as sociedades
Ilustrações: Raul Aguiar

às quais eles estão vinculados.

31

2_m17_esm_mp_8cvc_u1_p018a031.indd 31 8/1/16 3:39 PM


UNIDADE

2 Digestão dos
alimentos
Objetivos Conceitos

• Conhecer os principais nutrientes • Principais nutrientes


fornecidos pelos alimentos. fornecidos pelos alimentos.
• Reconhecer a importância da • Importância da água para o
água para o corpo humano.
Os alimentos e • Compreender em que consiste
corpo humano.
CAPÍTULO

3 seus principais uma alimentação saudável. • Desidratação e soro caseiro.


• Aproveitamento integral de
nutrientes • Incentivar o uso integral dos
alimentos. alimentos.
• Entender o que é a pirâmide • Alimentação saudável e
alimentar. pirâmide alimentar.
• Reconhecer alguns cuidados • Cuidados com a alimentação
necessários ao escolher e e com os alimentos.
conservar os alimentos.
• Interpretar as informações • Alimentos industrializados.
nutricionais do rótulo dos • Informações nutricionais dos
alimentos. rótulos dos alimentos.
• Conhecer o que são transtornos • Transtornos alimentares.
alimentares.

• Identificar os órgãos e as • Sistema digestório.


CAPÍTULO

4 Digestão estruturas que fazem parte do


sistema digestório e conhecer
• Órgãos do sistema
digestório.
suas funções.
• Compreender o caminho do • Digestão.
alimento no sistema digestório. • Cárie e higiene bucal.
• Conhecer informações sobre a • Distúrbios e doenças do
formação da cárie e a higiene sistema digestório.
bucal.
• Conhecer algumas doenças e
distúrbios do sistema digestório.

P. 44 e 45 Abertura da unidade
••A imagem das páginas de
abertura apresenta um estu-
dante com um prato de comi-
da considerado saudável. Ao
analisar essa imagem, questio-
ne os alunos se eles conside-
ram os alimentos retratados
saudáveis e peça-lhes que expli­
quem por quê. Oriente-os a
identificar alguns dos alimen-
tos presentes no prato, como
alface, cebola, tomate e carne.

32

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 32 8/1/16 3:39 PM


Respostas

2
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos sanduíches, macarrão, pizza, bolachas, salgadinhos,

UNIDADE
respondam que nos alimentamos para obter os entre outros, geralmente, apresentam grande quanti-
nutrientes necessários para o bom funcionamento dade de açúcar, sal, corantes e conservante. Já as
do nosso corpo. frutas, verduras e legumes, por sua vez, apresentam
2. Resposta pessoal. A resposta depende dos hábi- grande quantidade de vitaminas e sais minerais.
tos alimentares de cada aluno. 4. Resposta pessoal. Não é esperado que os alunos
3.
Resposta pessoal. Não é esperado que os alunos expliquem o processo de digestão nesse momen-
citem exatamente os nutrientes encontrados em cada to, mas comentem que durante a digestão, os
alimento, mas que comentem que alimentos proces- alimentos passam por diversos processos quími-
sados e ultraprocessados, como pães, refrigerantes, cos e mecânicos no sistema digestório, que
promovem a quebra e a absorção dos nutrientes.

••Ao abordar a questão 3, comente com os alunos que os alimentos apresentam dife-
rentes nutrientes, como carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas e sais minerais,
que desempenham diferentes funções no organismo e cuja presença e quantidade
variam de acordo com cada tipo de alimento. Comente com eles que essa diferença
no tipo e na quantidade de nutrientes permite organizar os alimentos em diferen-
tes grupos. Essas informações podem auxiliar na escolha de uma dieta adequada e
saudável. Se achar conveniente, apresente aos alunos a pirâmide alimentar, que será
abordada nessa unidade.
••Ao abordar a questão 4, questione os alunos se eles acham que os alimentos preci-
sam passar por alguma modificação durante o processo digestório para que possam
ser aproveitados pelo organismo. É esperado que eles comentem que, para os
nutrientes serem absorvidos, os alimentos devem passar por uma série de proces-
sos que envolvem, por exemplo, a quebra em partículas menores. Ao final, leve-os a
associar tais modificações do alimento ao processo de digestão.

Acesse
Para mais informações sobre uma alimentação adequada e saudável, acesse o site do
Ministério da Saúde.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção
Básica. Guia alimentar para a população. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.
<http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/05/Guia-Alimentar-
para-a-pop-brasiliera-Miolo-PDF-Internet.pdf>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

CAPÍTULO
3 Os alimentos e seus principais nutrientes
 Aprenda mais

P. 50 ••O site sugerido traz informações sobre vitaminas e sais minerais. Entre essas infor-
mações estão a função que eles desempenham no organismo, os possíveis efeitos
de sua deficiência e as fontes onde esses nutrientes podem ser encontrados.
••Ao trabalhar esse site com os alunos, enfatize a importância da ingestão de alimen-
tos variados, que garante uma dieta equilibrada e com ampla variedade de nutrien-
tes, como vitaminas e sais minerais. Isso porque cada nutriente desempenha um
ou mais papéis fundamentais ao funcionamento adequado do organismo.
••Se achar conveniente, peça aos alunos que mencionem alguns alimentos que eles
consomem e identifiquem quais vitaminas e sais minerais eles possuem.

33

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 33 8/1/16 3:39 PM


Valores
em ação Seja criativo na cozinha
P. 53 O desperdício de alimentos é um problema social que assola diversos países no
mundo, inclusive o Brasil. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a
Alimentação e a Agricultura, anualmente, até um terço dos alimentos produzidos se
perdem ou são desperdiçados. O estudo dessa seção permite aos alunos conhecer
uma das inúmeras medidas que podem ser colocadas em prática a fim de reduzir
o desperdício de alimentos no mundo e, consequentemente, auxiliar na redução da
fome, enfatizando a importância da atitude de cada cidadão.
Objetivos o volume de lixo úmido acumulado em casa e
nos aterros sanitários. O lixo úmido correspon-
••Verificar como a criatividade pode contribuir
de à parte orgânica dos resíduos gerados, como
para o melhor aproveitamento dos alimentos.
as sobras de alimentos, que provalvelmente
••Conscientizar os alunos da importância do poderiam ter sido aproveitados na alimentação
aproveitamento integral dos alimentos.
ou usados para a compostagem.
••Identificar o aproveitamento dos alimentos ••Enfatize aos alunos que, para serem utiliza-
como uma atitude que reduz o desperdício de
dos no preparo de receitas, cascas e talos,
alimentos.
por exemplo, devem ser acondicionados em
Comentários locais adequados a fim de evitar a decompo-
sição do material e o acesso de insetos, entre
••Comente com os alunos que as partes das
outras possíveis alterações que esses alimen-
plantas que não costumamos consumir podem
tos podem sofrer, causando danos à saúde.
ser utilizadas como ingredientes em outras
receitas ou, ainda, na produção de adubo orgâ- ••Essa seção pode ser trabalhada em paralelo
nico por meio da compostagem, por exemplo. com a seção Ampliando fronteiras, das pági-
nas 80 e 81, uma vez que ela aborda o desper-
••Comente com os alunos que reduzir o desper-
dício de alimentos.
dício de alimento também contribui para evitar

Acesse
Para mais informações sobre o aproveitamento integral dos alimentos e para conhecer algumas receitas,
acesse a cartilha sugerida a seguir.
Banco de Alimentos e Colheita Urbana: Aproveitamento Integral dos Alimentos. Rio de Janeiro: SESC/DN, 2003.
<http://mesabrasil.sescsp.org.br/media/1016/receitas_n2.pdf>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

Respostas
1. Resposta pessoal. Em relação à criatividade no 2. Resposta pessoal. Os alunos podem comentar
uso integral dos alimentos, como frutas, legumes que as cascas de frutas poderiam ser utilizadas no
e verduras, os alunos podem citar a produção de preparo de sucos, bolos ou geleias; folhas de
bolos, geleias, tortas, entre outras receitas. Já cenoura ou beterraba para o preparo de bolinhos,
sobre a invenção de pratos variados com sobras tortas ou risotos; entre outros.
de alimentos, os alunos podem citar, por exemplo, 3. Resposta pessoal. Os alunos podem citar situa-
o preparo de bolinhos com arroz, sopa de feijão, ções como, consertar um brinquedo ou outro
arroz de carreteiro com carne, entre outras refeições. objeto, ajudar algum animal, solucionar alguma
tarefa, entre outras.

34

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 34 8/1/16 3:39 PM


Atividade complementar Culinária

2
UNIDADE
O uso integral dos alimentos é uma importante medida para reduzir o desperdí-
cio dos alimentos. No entanto, muitas pessoas desconhecem as possibilidades de
uso de diferentes partes das plantas, por exemplo. Preparar um alimento com partes
das plantas que, geralmente, são descartadas e oferecê-lo aos demais membros da
escola e/ou aos familiares dos alunos é uma forma de disseminar a ideia do aprovei-
tamento integral de alimentos. Para realizar essa atividade, proceda como sugerido
a seguir.
Receita
Bolo de casca de banana
Ingredientes
••2 xícaras (chá) de casca de banana ••3 xícaras (chá) de farinha de trigo
madura ••5 colheres (sopa) rasas de margarina
••4 gemas ••2 colheres (sopa) de fermento em pó
••4 claras em neve ••canela em pó para polvilhar
••2 12 xícaras (chá) de açúcar
Modo de Preparo
••No liquidificador, bata as cascas de banana com 1 xícara (chá) de água. Reserve.
2
Na batedeira, coloque a margarina, as gemas e o açúcar, e bata até obter uma
mistura homogênea. Adicione as cascas de banana batidas, a farinha e o fermen-
to. Por último, coloque as claras em neve, misture bem e despeje em uma forma
untada e enfarinhada. Polvilhe a massa com a canela e leve-a ao forno. Asse
durante 30 ou 35 minutos.

••Previamente, converse com a direção da escola a respeito do uso do refeitório/


cantina para a realização da atividade.
••Reserve, antecipadamente, o ambiente e os utensílios necessários e programe a
atividade para um horário em que as instalações não estejam sendo utilizadas pela
escola.
••A receita sugerida pode ser substituída por outra, se achar conveniente. Para isso,
acesse o site sugerido nos comentários da seção Valores em Ação dessa unidade.
••O alimento preparado nessa atividade pode ser consumido pelos alunos da sala ou
ser distribuído aos demais membros da escola, e/ou aos familiares dos alunos, em
uma reunião ou em outro evento escolar. Em ambos os casos, verifique a receita e a
quantidade de pessoas que vão consumir o alimento para prever a quantidade dos
ingredientes.
••Os ingredientes podem ser disponibilizados pela escola ou trazidos pelos alunos.
Nesse caso, organize-os de modo que cada um ou cada grupo fique responsável por
trazer uma parte dos ingredientes.
••Durante a realização da atividade, atente para que todos os alunos participem, pelo
menos, em uma etapa do preparo do alimento.
••Não permita que nenhum aluno manipule o forno ou qualquer outro objeto que
ofereça perigo, como facas. Por isso, fique responsável por acender o forno e cortar
os ingredientes, como as cascas das bananas.

35

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 35 8/1/16 3:39 PM


Lendo
Rótulo de alimentos
P. 58 e 59 Os nutrientes, como os abordados ao longo do capítulo, são importantes para o
funcionamento adequado do nosso organismo. Para informar o consumidor sobre os
tipos de nutrientes encontrados em cada alimento, os produtos comercializados devem
indicá-los nos rótulos. Nesta seção vamos trabalhar a leitura de rótulos de alimentos, apre-
sentando-a como uma ferramenta na escolha de alimentos saudáveis.

Objetivos o alimento deve ser consumido. Quando o


prazo de validade for inferior a três meses,
••Verificar a importância das informações conti-
das nos rótulos dos alimentos. deve apresentar o dia e o mês. Quando esse
prazo for superior a três meses deve apre-
•• Conhecer as informações nutricionais que podem sentar o mês e o ano. Esse prazo se refere à
ser encontradas nos rótulos de alimentos.
embalagem fechada. Após abri-la, deve-se
••Perceber que o rótulo dos alimentos pode auxi- seguir as orientações do fabricante sobre o
liar na escolha de alimentos saudáveis. período de consumo e o modo de conser-
••Incentivar a leitura do rótulo dos alimentos. vação.
••Incentivar a criticidade dos alunos em relação à ›› Informação nutricional: apresenta as infor-
composição dos alimentos que consomem. mações nutricionais do alimento. Em geral,
é chamada de tabela nutricional. O nutriente
Comentários que aparece primeiro é o que está presente
••Oriente os alunos a realizarem, em um primei- em maior quantidade. Já o que aparece por
ro momento, uma leitura silenciosa do texto. último é o que está presente em menor quan-
Verifique se eles compreenderam o significado tidade.
de todas as palavras do texto. Caso digam que ›› %VD: o Percentual de Valores diários (%VD)
não, oriente-os a pesquisar as palavras desco- é o número que indica o quanto o produto
nhecidas no dicionário e auxilie-os nessa ativi- apresenta de nutrientes e energia (calorias)
dade. em relação a uma dieta média de 2 000 calo-
••Ao trabalhar as informações contidas no rótu- rias. Quando apresentado em percentual,
lo, apresente aos alunos o significado de algu- mostra o quanto a porção do alimento (em
mas informações disponíveis nas embalagens. percentual) contribui para atingir a necessi-
Veja a seguir. dade diária de cada nutriente.
›› Lote: número relacionado ao controle de ›› Porção: indica a quantidade média ingerida
produção do alimento. Caso ocorra algum nessa porção por uma pessoa sadia. A porção
problema o alimento pode ser identificado pode corresponder a uma medida caseira,
por esse número. como xícaras, colheres de sopa, unidades,
›› Condições de conservação: informações a fatias, entre outras.
respeito de como o produto deve ser arma-
•• Retome com os alunos a questão 3 da página 45,
zenado em sua residência para preservar os
e enfatize a eles a importância das informa-
aspectos da integridade do alimento e evitar
sua contaminação. ções contidas nos rótulos. Esse informativo
›› Lista de ingredientes: apresenta todos os nos permite saber que tipo de nutriente está
ingredientes que compõem o alimento. sendo ingerido e em qual quantidade. Faça
Nessa lista, é possível identificar a presença uma comparação com uma fruta ou um legu-
de açúcares, corantes e conservantes, por me vendidos a granel, que não apresenta tais
exemplo. informações, por exemplo.
›› Conteúdo: indica a quantidade total do •• Oriente os alunos a não comprarem nem inge-
alimento, expresso em volume (litro) ou rirem alimentos industrializados que apresen-
unidade de massa (quilo). tem: embalagem amassada, violada, estufada ou
›› Prazo de validade: identifica o prazo em que enferrujada; prazo de validade vencido; armaze-

36

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 36 8/1/16 3:39 PM


2
namento em locais inapropriados; alterações algum tipo de alergia alimentar. O objetivo da

UNIDADE
na coloração característica; embalagem sem campanha é tornar obrigatórias e destacadas
rótulo ou que não apresente alguma informa- nos rótulos dos alimentos informações sobre
ção, como prazo de validade, data de fabri- a presença de algum tipo de substância aler-
cação, informações nutricionais e nome da gênica, como leite, ovo, glúten, amendoim,
empresa responsável pela fabricação. entre outras. Em 2015, a Agência Nacional de
••Se achar conveniente, visando enfatizar a Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigató-
importância das informações contidas nos rio a disponibilização desse tipo de informação
rótulos dos alimentos, aproveite o momento nos rótulos dos alimentos, mostrando o quão
para comentar com os alunos sobre a Campa- importante são as mobilizações em prol de
nha Põe no Rótulo. Essa campanha foi idealiza- mudanças para uma melhoria da qualidade de
da em 2014 por mães cujos filhos apresentam vida da população.

Acesse
Para mais informações sobre a campanha Põe no Rótulo, acesse a página da campanha. Nesse site são
disponibilizadas informações sobre algumas alergias alimentares e como lidar com essas alergias no ambiente
escolar, por exemplo.
<www.poenorotulo.com.br/>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

Respostas Antes da leitura


1.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder que a 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar informa-
leitura do rótulo é importante para pessoas alérgicas, ções semelhantes às de outros rótulos previamente
com doenças específicas como o diabetes, ou para visualizados em sua residência, como tópicos rela-
aquelas que desejam uma dieta mais saudável. cionados à informação nutricional, ao valor ener-
2. Resposta pessoal. Os alunos podem citar a infor- gético, à listagem de ingredientes e à quantidade
mação nutricional com alguns nutrientes estudados de alguns alimentos.
na unidade e o prazo de validade dos produtos,
por exemplo.

Respostas Durante a leitura


1. a ) Espera-se que os alunos respondam que o lote é b ) Espera-se que os alunos citem que os nutrientes
uma numeração relacionada ao controle de produ- que aparecem em maior quantidade são os
ção do alimento; as condições de conservação são carboidratos, representados por 23 gramas por
as informações a respeito da maneira como o fatia de pão integral. E, em menor quantidade, as
produto deve ser armazenado; a lista de ingredien- gorduras monossaturadas e as gorduras polis-
tes é uma lista de todos os componentes do saturadas.
alimento; o conteúdo refere-se à quantidade total c ) Espera-se que os alunos mencionem a leitura dos
do alimento expresso em volume ou à unidade de nutrientes e ingredientes contidos no alimento a
massa; o prazo de validade informa a data limite ser consumido como uma forma de evitar proble-
para o consumo antes que ele se torne inadequado mas de saúde em pessoas com alguma limitação
ao consumidor; a informação nutricional indica os em sua dieta alimentar.
nutrientes que constituem aquele alimento; o 2.
Espera-se que os alunos respondam que se deve evitar
percentual de valores diários é o percentual de cada alimentos com alto valor energético e com elevada
nutriente baseado em uma dieta com 2 000 calo- quantidade de gorduras, principalmente de gorduras
rias; e a porção orienta sobre a quantidade média saturadas, que são prejudiciais à saúde.
de nutrientes contidos nela.

37

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 37 8/1/16 3:39 PM


Respostas Depois da leitura
1.
Resposta pessoal. Espera-se que, após a leitura atenta em grande parte das embalagens, a marca e as quali-
do rótulo, os alunos tenham percebido a presença de dades do produto são apresentadas em destaque,
ingredientes que não havia sido imaginada anterior- enquanto os dados nutricionais, por exemplo, apare-
mente ou informações relacionadas à produção e ao cem com caracteres muitos pequenos, difíceis de
consumo. Eles podem citar a lista de ingredientes, o serem lidos e sem destaque no rótulo.
prazo de validade, as informações nutricionais e o lote
como os dados que os produtos alimentícios costu- Acesse
mam apresentar. Alguns rótulos também apresentam Para mais informações sobre a rotulagem
como o produto deve ser preparado e armazenado. nutricional obrigatória, determinada pela
2.
Resposta pessoal. Os alunos podem justificar suas Agência Nacional de Vigilância Sanitária,
respostas comentando que essas informações acesse os sites a seguir.
mostram, por exemplo, se o produto está dentro do <www.anvisa.gov.br/alimentos/rotulos/
prazo de validade, o que pode evitar a ingestão de manual_rotulagem.PDF>.
alimentos contaminados ou que possam estar em Acesso em: 20 jul. 2016.
condições inadequados ao consumo. Informações
como a quantidade de calorias em cada alimento, <http://portal.anvisa.gov.br/
assim como a ausência ou a baixa quantidade de documents/33916/396679/manual_consumidor.
ingredientes e nutrientes prejudiciais à saúde, podem pdf/e31144d3-0207-4a37-9b3b-e4638d48934b>.
ser levados em consideração na escolha de alimentos Acesso em: 20 jul. 2016.
mais saudáveis.
3.
Espera-se que os alunos sintam dificuldades em 4.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon-
encontrar certas informações em alguns rótulos, pois dam que sim, pois essa identificação facilitaria a
a distribuição delas varia e, muitas vezes, há excesso escolha de alimentos por pessoas com restrições
de dados. Espera-se também que eles percebam que, alimentares e evitaria possíveis ingestões acidentais.

P. 61 e 62 Atividades
Respostas

1. a ) O peito de frango (cru e sem pele) e o peixe sacarose, amido e maltose. Esses carboidratos
(merluza crua). podem ser encontrados em pães, massas,
frutas, entre outros alimentos.
b ) A manteiga. O teor de lipídios corresponde a
82,4% do alimento. b ) Lipídios: são alimentos bastante energéticos,
que participam da formação de estruturas
c ) O consumo exagerado de lipídios pode ocasio-
celulares, como as membranas. Exemplos:
nar o acúmulo de gorduras no corpo, causan-
óleos vegetais e gorduras animais.
do aumento de massa corpórea e alguns
problemas de saúde, principalmente relacio- c ) Proteínas: fazem parte da estrutura das células
nados ao coração. e tecidos, constituem anticorpos e hormônios.
Exemplos: carnes, ovos e derivados de leite.
d
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
montem um cardápio com porções equilibra- d ) Sais minerais: participam de diversas reações
das de cada alimento, como mostrado na pirâ- metabólicas, além de fazerem parte da consti-
mide, ou seja, uma dieta com porções maiores tuição dos tecidos, como o ósseo. Exemplos:
de frutas, verduras, leite, e seus derivados, e sódio é encontrado em todos os vegetais;
carboidratos; e porções menores de doces e ferro é encontrado na carne de fígado e
alimentos contendo gorduras e proteínas. coração, em leguminosas, gema do ovo, frutas
secas, verduras e cereais; iodo é encontrado
2. a
) Carboidratos: são nutrientes que fornecem
em frutos do mar, sal iodado e vegetais, como
energia para o corpo e participam de partes
o agrião, a alcachofra e a alface; cálcio é
estruturais de nossas células. Exemplos: glicose,

38

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 38 8/1/16 3:39 PM


encontrado no leite e seus derivados, gema de torná-las menos ativas. E que, para isso, exis-

2
ovo, crustáceos e verduras de folhas verdes.

UNIDADE
tem os métodos de conservação dos alimentos,
e ) Vitaminas: participam da regulação de diver- como a refrigeração, o congelamento, a pasteu-
sos processos metabólicos que ocorrem no rização, a desidratação, o uso de conservantes,
organismo. Exemplos: vitamina A, encontrada entre outros.
na carne de fígado, leite, ovos, brócolis, couve, 4. a ) As frutas e as verduras.
cenoura, abóbora, melão, entre outros; vitami-
b ) Resposta pessoal.
na B, encontrada no fígado e outras carnes,
ovos, produtos integrais, aspargo, entre outros; 5. a ) A expressão mudanças climáticas é definida
vitamina C, encontrada em frutas cítricas, pelo Painel Intergovernamental sobre Mudan-
tomate, pimentão verde, repolho, entre outros; ças Climáticas como uma variabilidade no
vitamina D, encontrada em óleo de fígado de parâmetro climático médio que persiste por
peixe, gema de ovo e leite; vitamina E, encon- um longo período de tempo, tipicamente por
trada em óleos vegetais, vegetais escuros, décadas. Essas mudanças são provocadas por
germe de trigo, nozes, gema de ovo, cereais, fatores como o aumento da poluição, o
entre outros; vitamina K, encontrada na carne desmatamento e o aumento de gases do efei-
de fígado, couve-flor, repolho, entre outros. to estufa.

3. a ) A água é o principal constituinte do organismo, b


) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
pois cerca de 65% da massa corporal do ser respondam que a agricultura é baseada no
humano é composta por água, a qual está no cultivo de plantas, as quais são suscetíveis a
interior das células e nos espaços entre elas, mudanças climáticas, uma vez que a germina-
nas secreções e nos fluidos do corpo. Ela ção, o desenvolvimento e a reprodução dessas
dissolve substâncias que participam de plantas dependem de condições ambientais
reações metabólicas, possibilita o transporte favoráveis. Assim, um período prolongado e
de substâncias pelo corpo, participa de intenso de frio, chuvas e seca podem resultar
processos fisiológicos essenciais, lubrifica as na perda da lavoura e, consequentemente,
articulações e contribui para a regulação da reduzir a quantidade de alimentos disponíveis,
temperatura corporal. dificultando o acesso e aumentando os preços
desses produtos.
b ) A desidratação é um conjunto de alterações
que ocorrem no organismo devido à perda de 6. a ) Esse selo reconhece a produção dos quilombola
água e sais minerais. Fernando deve ser enca- e contribui para valorizar os alimentos produ-
minhado a um médico e deve ingerir soro zidos por essas comunidades, incentivando
caseiro. Além disso, ele deve continuar se seus produtores e contribuindo para gerar
alimentando e ingerindo uma grande quanti- renda para essas famílias. Já para as pessoas
dade de líquidos. que os compram é uma forma de certificar a
origem e a qualidade do alimento.
c
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
respondam que, ao apresentar o quadro de b ) Alimentos frescos e pouco processados rece-
diarreia, Fernando deveria ter ingerido muita bem menor quantidade de conservantes, coran-
água, para repor a quantidade perdida, e tes artificiais e outros aditivos prejudiciais à
tomado bebidas isotônicas para repor os sais saúde. Por isso, podem ser considerados mais
minerais. saudáveis.
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
d c ) Carboidratos: milho, mandioca, geleias e doces.
respondam que é importante conservar os Vitaminas, sais minerais e fibras: alface, almei-
alimentos para evitar a contaminação por rão, cebolinha, rúcula, repolho, salsinha, pimen-
microrganismos que causam doenças, e para tão, tomate, berinjela, quiabo, frutas diversas e
diminuir as populações desses seres vivos ou coentro.

39

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 39 8/1/16 3:39 PM


CAPÍTULO
4 Digestão

P. 68
••Após abordar a cárie e a higiene bucal, comente com os alunos que a escovação
dos dentes deve ser realizada de forma correta e associada ao uso do fio dental e
da escovação da língua, para a remoção de microrganismos que se depositam em
sua superfície. Tais medidas garantem uma correta higienização e a saúde bucal.
Veja, a seguir, informações sobre como deve ser a escovação dos dentes.

Posicione a escova na superfície voltada

MicroOne/Shutterstock.com/ID/BR
A B para os lábios, próximo à gengiva, e realize
movimento de cima para baixo A . Faça
o mesmo procedimento na superfície dos
dentes voltada para a cavidade bucal, na
arcada dentária superior B e na inferior C .
Escove a superfície das coroas dos dentes
realizando movimentos de vai e vem D . Para
finalizar a escovação, passe a escova sobre
C D a superfície dos dentes em movimentos
para a direita e esquerda E e, em seguida,
em movimentos circulares F .

Representação
sem proporção
de tamanho.
Cores-fantasia.
E F

Representação da forma
correta de escovação dos
dentes. As setas azuis indicam
o movimento da escova.

••Veja, também, mais informações sobre o uso do fio dental.


O fio dental deve ser passado entre todos os dentes, sempre de
LarsZ/Shutterstock.com/ID/BR

maneira suave para não machucar a gengiva. Enrole as extremida-


des do fio, de aproximadamente 40 cm de comprimento, nos dedos
médios. Com os polegares e os indicadores, guie o fio e passe-o
entre o ponto de contato dos dentes. Em seguida, leve o fio até o
espaço entre o dente e a gengiva, pressione-o contra o dente e puxe
a sujeira até a ponta do dente, primeiro de um lado, depois do outro.

Representação do uso do fio dental na higienização bucal.

Acesse
Para mais informações sobre higiene bucal, acesse a cartilha do Ministério da Saúde.
Brasil. Ministério da Saúde. Mantenha seu sorriso fazendo a higiene bucal corretamente.
Brasília: Ministério da Saúde, 2012.
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/mantenha_sorriso_fazendo_higiene_bucal.pdf>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

40

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 40 8/1/16 3:39 PM


 Aprenda mais

2
P. 69 ••O objeto digital pode ser trabalhado nesse momento ou ao final do capítulo, quan-

UNIDADE
do todos os processos de digestão já tiverem sido abordados com os alunos.
••No início do objeto digital, identifique com a turma algumas estruturas do sistema
digestório.
••O objeto digital enfatiza a digestão e a absorção de um tipo específico de nutriente,
o lipídio. Chame a atenção dos alunos para a função da bile nesse processo e apro-
veite para reforçar também a das enzimas na digestão dos alimentos.
••Ao citar que a emulsificação é responsável por tornar os lipídios solúveis, comente
com os alunos que esse processo ajuda a converter grandes glóbulos de gordura
em fragmentos menores, os quais apresentam maior superfície de contato para a
ação das lipases.

P. 78 e 79 Atividades
Respostas

1.
a ) A dentição primária é uma dentição formada estômago e uma queda menos acentuada na
por um conjunto de 20 dentes, os quais come- região do intestino, o que permite relacionar a
çam a surgir por volta dos seis meses de vida e curva I com a digestão da carne bovina. Isso
passam a ser substituídos pela dentição perma- ocorre porque esse alimento é rico em proteí-
nente entre os 6 e os 12 anos de idade. nas, e tanto o estômago quanto o intestino
b ) A dentição permanente é uma dentição que delgado são órgãos em que há enzimas que
começa a surgir por volta dos 6 anos de idade, degradam proteínas.
no lugar da dentição primária, e se completa b ) A curva II representa a digestão da porção de
por volta dos 25 anos. Ela é composta de 32 mandioca, pois nessa curva, observa-se uma
dentes que não serão mais substituídos. queda da integridade do alimento já na região
c ) Os dentes molares são achatados e têm a referente à boca, tendo novamente uma queda
função de triturar os alimentos. na região referente ao intestino delgado. Como
2. Resposta pessoal. Os alunos devem fazer um a mandioca é um alimento rico em carboidra-
desenho semelhante ao apresentado na página 68, tos a sua digestão inicia-se na boca, pela ação
indicando as devidas regiões que formam a estru- da enzima amilase salivar, e continua no intesti-
tura do dente. no delgado, onde recebe a amilase pancreática,
enzima responsável pela degradação de amido.
3. Resposta pessoal. Os processos mecânicos da
digestão consistem na mastigação, que ocorre na c ) Amilase salivar.
boca, e na contração dos músculos dos demais d ) Pepsina.
órgãos do trato gastrointestinal que auxiliam na 6. a ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
quebra dos alimentos. Os processos químicos respondam que sim, pois isso facilitaria a esco-
consistem na ação de enzimas que quebram as lha de alimentos por uma pessoa com uma
moléculas maiores e mais complexas, transfor- dieta restritiva à lactose e evitaria possíveis
mando-as em moléculas mais simples, capazes de ingestões acidentais.
serem absorvidas pelo organismo. b ) No intestino delgado. Essa enzima é produzida
4. As células da mucosa do estômago produzem um pelo próprio intestino delgado e faz parte do
muco que protege o estômago, impedindo que as suco entérico.
enzimas e a acidez do suco gástrico atinjam as c ) Resposta pessoal. É comum a pessoa com into-
células do estômago. lerância a lactose apresentar quadro de diar-
5. a ) A curva I representa a digestão do filé de carne reia, constipação, flatulência e náuseas. Existem
bovina. Nessa curva, observa-se uma queda da diferentes graus de intolerância, mas, de forma
integridade do alimento na região referente ao geral, as pessoas com intolerância devem evitar

41

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 41 8/1/16 3:39 PM


ingerir alimentos que contenham lactose. mandioca é assim chamada porque apresenta uma
7.
a ) Resposta pessoal. O acarajé é preparado com substância tóxica, que precisa ser eliminada antes
feijão-fradinho, cebola e sal e, depois, frito em desse alimento ser consumido, por essa razão é
azeite de dendê. O acarajé pode receber dife- necessário ferver o líquido extraído de sua raiz).
rentes recheios, entre eles o camarão. Maniçoba, um tipo de feijoada paraense, baseada na
b ) Resposta pessoal. culinária indígena, que utiliza folhas de mandioca no
c ) Resposta pessoal. Os alunos podem citar a tapioca, lugar do feijão, esse alimento é rico em carboidrato.
preparada a partir da farinha do amido de mandioca, Tacacá, caldo preparado com goma de mandioca,
esse prato é rico em carboidrato. Pato no tucupi, alimento rico em carboidrato, temperado com
preparado a partir da carne de pato, alimento rico em jambu, hortaliça rica em carboidrato, cálcio, fósforo e
proteína, e temperado com o tucupi, líquido extraído vitamina C, e que é servido acompanhado com
da raiz da mandioca brava, rico em carboidrato (essa camarão, alimento rico em proteína, iodo e cálcio.

Acesse
Para mais informações sobre os pratos típicos de origem indígena, consulte o Portal Brasil.
<www.brasil.gov.br/turismo/2015/03/comidas-tipicas-brasileiras-sao-prato-cheio-para-
turistas>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
Para mais informações sobre os nutrientes da hortaliça jambu, acesse o site da EMBRAPA
(Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).
<http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/56524/1/n12-etnocultivo-do-jambu-p.pdf>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

P. 79
Verificando rota
Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos corrijam 3.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos avaliem,
ou complementem suas respostas incluindo que os de forma crítica, os alimentos que consomem diaria-
alimentos são vitais para a nossa saúde, pois forne- mente, no que diz respeito à quantidade de nutrientes
cem os nutrientes que compõem nosso corpo e que que eles contêm e às porções sugeridas para cada
participam do nosso metabolismo. Espera-se também grupo de alimento.
que compreendam que, durante a digestão, os alimen- 4.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos corrijam
tos passam por diversos processos mecânicos e e/ou complementem suas respostas reconhecendo
químicos, transformando-se em moléculas simples que a maçã e o sanduíche não possuem os mesmos
capazes de serem absorvidas pelo organismo. É espe- nutrientes. De acordo com a pirâmide alimentar, a
rado ainda que os alunos reconheçam que alimentos maçã é rica em vitaminas, sais minerais e fibras. O
variados possuem quantidades e tipos variados de sanduíche pode ser formado por diferentes ingredien-
nutrientes, e que essas informações devem ser consi- tes, como o pão, que é rico em carboidratos, a alface,
deradas para a seleção de alimentos saudáveis. que é rica em vitaminas, sais minerais e fibras, entre
outros ingredientes. Os alunos devem incluir, em suas
2.
Resposta pessoal. Os alunos devem corrigir ou respostas, que todos os nutrientes presentes nos
complementar suas respostas incluindo alimentos alimentos são aproveitados pelo nosso corpo por
que contenham carboidratos, como pães, bolachas, meio de reações químicas e processos mecânicos que
bolos, arroz, macarrão, massas, frutas, mel, entre quebram as grandes moléculas em moléculas simples,
outros. Para o consumo de proteínas, os alunos capazes de serem absorvidas pelo organismo. Quanto
podem complementar ou corrigir suas respostas à mastigação, espera-se que eles citem que, ao masti-
incluindo alimentos como ovos, carnes, leites e alguns gar bem os alimentos, contribuímos para a digestão
de seus derivados; algumas sementes, como feijão e deles, pois os transformamos em partículas menores,
ervilha; entre outros alimentos. que são facilmente digeridas.

42

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 42 8/1/16 3:39 PM


Ampliando

2
Desperdício de alimento

UNIDADE
fronteiras
P. 80 e 81
A população mundial atual é de aproximadamente 7 bilhões de habitantes.
O número de habitantes na Terra continua aumentando a uma taxa preocu-
pante, uma vez que, quanto mais pessoas, maior é a demanda por alimentos.
Em 2013, a produção mundial de alimentos foi de 40 bilhões de toneladas e,
apesar dessa grande quantidade, milhares de pessoas ainda passam fome. As
perdas e o desperdício de alimentos são dois dos responsáveis por esse cená-
rio. A presente seção traz informações sobre o desperdício de alimentos no
mundo e permite abordar o Tema Convergente Ambiente e Sustentabilidade.

Objetivos que o aproveitamento integral dos alimentos é


uma importante medida na redução do desper-
••Conscientizar sobre a importância da redução da
dício de alimentos.
perda e do desperdício de alimentos.
••Apresentar dados sobre a perda e o desperdí- ••Faça-lhes o seguinte questionamento: Como a
redução da perda e do desperdício de alimen-
cio de alimentos no mundo.
tos pode auxiliar na conservação de áreas
••Compreender que a perda e o desperdício de naturais? Ao aumentar o aproveitamento dos
alimentos ocorrem em diferentes momentos
alimentos, reduz-se a necessidade de ampliar
da cadeia alimentícia.
as áreas de plantio e de criação de animais,
Comentários por exemplo. Assim, áreas naturais deixariam
••Retome com os alunos o assunto abordado na de ser desmatadas para a criação de pastos ou
seção Valores em Ação, da página 53. Enfatize plantações.

Respostas
1.
O desperdício de alimentos ocorre, principalmente, 3.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon-
durante a produção e o consumo dos alimentos. dam que os alimentos desperdiçados poderiam
Ambos correspondem a 28% das perdas. contribuir para reduzir a fome no mundo, uma vez
2.
Resposta pessoal. A ocorrência ou não de desperdí- que esse problema não se restringe à produção insu-
cio de alimentos depende dos hábitos de cada aluno ficiente de alimentos, mas também se refere à má
e de seus familiares. Para os casos de desperdício, é distribuição e aproveitamento deles. Assim, se o
esperado que os alunos citem medidas como colo- alimento desperdiçado fosse aproveitado correta-
car no prato somente o que costumam consumir, mente, ele poderia saciar a fome de muitas pessoas
dando preferência por pegar porções menores e, se que não têm acesso a esse recurso em quantidade
necessário, repetir; aproveitar integralmente os adequada. Como alternativas para diminuir o desper-
alimentos fazendo uso das partes descartadas para dício de alimentos, os alunos podem citar o incentivo
o preparo de outras refeições; comprar quantidades ao seu aproveitamento integral, a conscientização
menores de alimentos, para evitar que estraguem; dos consumidores para comprarem apenas o neces-
controlar a data de validade dos produtos, priorizan- sário, as melhorias nas etapas de produção, proces-
do o consumo daqueles cujo prazo para consumo samento, manejo, armazenamento e distribuição de
esteja próximo; entre outras atitudes. alimentos, entre outras soluções. Com isso, parte
dos alimentos produzidos seria economizada e

43

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 43 8/1/16 3:39 PM


poderia ser destinada às populações que passam fome. Além disso, políticas
municipais de aproveitamento integral dos alimentos e destino às instituições que
atendem a população necessitada dos que não serão consumidos contribuiriam
para combater a fome local.

Raul Aguiar
••Após trabalhar a seção Ampliando fronteiras, se achar conveniente, realize com os
alunos a atividade sugerida a seguir.

Atividade complementar Debate e produção de texto

Transcreva na lousa os dados a seguir e leia para os alunos. Esses dados são do
Programa Mundial de Alimentos, disponível no site <www.wfp.org/hunger/stats>
(acesso em: 28 jul. 2016).
›› Cerca de 795 milhões de pessoas no mundo não têm acesso a uma quantidade
suficiente de alimento para manter uma vida saudável.
›› A maior parte das pessoas que passa fome vive em países em desenvolvimen-
to, onde cerca de 12% da população é subnutrida.
›› A subnutrição é a causa de quase metade das mortes de crianças com idade
inferior a 5 anos de idade – cerca de 3 milhões de crianças por ano.
›› Cerca de 100 milhões de crianças se encontram abaixo do peso.
Estima-se que, em 2050, a população mundial atinja 9 bilhões de habitantes.
Apesar dos dados apresentados acima, a produção mundial de alimentos é conside-
rada suficiente para alimentar toda a população mundial.
A partir das informações apresentadas, promova um debate sobre esses dados
e sobre quais são os possíveis motivos de, ainda hoje, haver um grande número de
pessoas sem acesso a uma quantidade adequada de alimentos. Por fim, peça aos
alunos que produzam um texto a fim de lerem depois para os demais colegas da sala.
Acesse
Para mais informações sobre o desperdício de alimentos, a fome e algumas medidas
que podem auxiliar a reduzir esse desperdício, acesse os sites sugeridos a seguir.
Conselho Europeu de Informação Alimentar.
<www.eufic.org/article/pt/artid/How-to-minimise-food-waste/>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.
<www.fao.org/americas/noticias/ver/pt/c/239394/>.
Acesso em: 18 jul. 2016.
EMBRAPA.
<www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/3149491/especialistas-discutem-
solucoes-para-as-perdas-e-desperdicios-de-alimentos-no-brasil>.
Acesso em: 18 jul. 2016.

44

2_m17_esm_mp_8cvc_u2_p032a044.indd 44 8/1/16 3:39 PM


UNIDADE

3
Circulação sanguínea

UNIDADE
e defesas do corpo

Objetivos Conceitos

• Conhecer os componentes do sistema circulatório • Sistema circulatório


sanguíneo e sua importância. sanguíneo.
• Reconhecer as principais células sanguíneas e suas • Composição e
CAPÍTULO

5 Circulação funções.
• Compreender o sistema de classificação dos grupos
importância do sangue.
• Grupos sanguíneos.
sanguíneos pelo sistema ABO e fator Rh. • Tampão de plaquetas e
• Saber informações sobre tampão de plaquetas e coagulação sanguínea.
coagulação sanguínea. • Coração e ciclo
• Entender a estrutura e o funcionamento do coração. cardíaco.
• Conhecer o ciclo cardíaco e como é feito o controle • Frequência dos
dos batimentos do coração. batimentos cardíacos.
• Conhecer os tipos de vasos sanguíneos. • Vasos sanguíneos.
• Reconhecer a importância dos diferentes vasos • Obstruções nos vasos
sanguíneos. sanguíneos.
• Compreender o caminho do sangue no corpo • O caminho do sangue.
humano. • Sistema linfático.
• Conhecer informações sobre o sistema linfático e • Caminho da linfa.
alguns órgãos que o compõem. • Prevenção de
• Conhecer o caminho da linfa pelo corpo humano. problemas
• Reconhecer alguns hábitos que previnem problemas cardiovasculares.
cardiovasculares.

Defesas • Compreender alguns mecanismos de defesa do corpo. • As defesas do corpo.


CAPÍTULO

6 do corpo
• Entender como o organismo impede ou dificulta a
entrada de agentes causadores de doenças.
• Sistema linfático e as
defesas do corpo.
• Conhecer o papel do soro e da vacinação no nosso • Defesas específicas e
organismo. defesas inespecíficas.
• Conhecer informações sobre a Aids, com enfoque • História e prevenção
para sua história. da Aids.

P. 82 e 83 Abertura da unidade
••Ao analisar a imagem das
páginas de abertura, comen-
te com os alunos que as
peças anatômicas são essen-
ciais para o estudo da anato-
mia dos seres vivos. Essas
peças são preparadas por
meio de diferentes técnicas.
••A peça apresentada nessas
páginas, foi submetida a
procedimentos que permiti-
ram a visualização dos vasos
possibilitando identificar a po-
sição e a organização desses
vasos no braço.

45

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 45 8/1/16 3:39 PM


••Peça aos alunos que observem um de seus braços e verifiquem se conseguem
enxergar os vasos sanguíneos sob a pele. A impossibilidade de observação dos
vasos sanguíneos internamente, enfatiza a importância das peças anatômicas no
estudo do corpo humano.

Fique ligado!

Herman Boerhaave
O holandês Herman Boerhaave (1668-1738) iniciou sua vida

Coleção particular. Fotografia: Artokoloro Quint


Lox Limited/Alamy Stock Photo/Latinstock
acadêmica estudando Teologia e Filosofia, período no qual
demonstrou interesse por outras áreas, como a Medicina.
Abandonando os estudos eclesiásticos, formou-se em Medicina
em 1693 e passou a lecionar na área, adquirindo prestígio no meio
acadêmico. As aulas de Boerhaave eram baseadas no ensino à
cabeceira do leito do enfermo. Esse tipo de aprendizagem da
Medicina se baseava na observação de enfermos para a elaboração
do conhecimento teórico, uma vez que, para os estudiosos da
época em que Boerhaave viveu, era preciso estudar tudo aquilo
que se podia ver, sentir e ouvir, ou seja, basear-se em casos reais. A
atuação de Boerhaave transformou a Universidade de Leiden no centro
europeu da Medicina, influenciando o ensino dessa área em outros
países como Áustria, França e Escócia. Herman Boerhaave

CAPÍTULO
5 Circulação

P. 84 ••Para iniciar o estudo do sistema circulatório humano, peça aos alunos que posicio-
nem o dedo indicador e o médio na região do punho e, depois, na região do pesco-
ço, como mostram as imagens a seguir para aferir a pressão sanguínea.
Em seguida, faça os seguintes questionamentos:
Nshu/Shutterstock.com/ID/BR

1.
Ao pressionar essas regiões, você percebeu algum
movimento?
2.
Em sua opinião, a que se deve esse movimento?
3.
Esse movimento pode ser usado para medir os bati-
mentos do coração?
Gabarito

Aferimento de pressão sanguínea na 1. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos comentem que sentiram
região do pulso. uma movimentação das regiões tocadas pelos dedos. Eles podem
mencionar que esse movimento é similar a um batimento ou pulso.
Nicolesa/Shutterstock.com/ID/BR

2. Resposta pessoal. Não é esperado que os alunos expliquem a pulsa-


ção, mas sim que citem que o movimento sentido na região do pulso
e do pescoço está relacionado ao coração, ao movimento do sangue
no corpo, à presença de vasos sanguíneos, entre outras possíveis
associações.
3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos associem o pulsar
que eles sentiram com os dedos aos batimentos do coração,
mesmo que não saibam explicar o porquê dessa relação.

Aferimento da pressão sanguínea na região


do pescoço.

46

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 46 8/1/16 3:39 PM


P. 85 e 86 ••Ao abordar o sangue, na página 85, comente com os alunos que, mesmo antes

3
do desenvolvimento da Medicina moderna, a qual aponta o sangue como o meio

UNIDADE
responsável pelo transporte de gases e nutrientes no corpo, acreditava-se que ele
era a força vital do ser humano, necessário à sua sobrevivência. Essa conclusão foi formu-
lada pois as pessoas morriam após perder muito sangue de-vido a uma lesão grave, o que
era interpretado na época como a perda da força vital, resultando na morte.
••Pergunte aos alunos se eles já ouviram as seguintes expressões: “sangue azul”,
“sangue ruim”, “fez o sangue ferver”, “o sangue gelou”, entre outras. Em caso afir-
mativo, questione-os sobre o contexto em que essas expressões foram usadas. Em
seguida, comente com os alunos que essas expressões surgiram em um momento
quando se acreditava que o sangue determinava traços de personalidade e emoções.
Por isso, nobres eram chamados de sangue azul, e dizia-se que o sangue fervia em
situações de raiva e gelava em situações de medo. Atualmente, sabemos que essas
expressões não representam as propriedades do sangue.
••Se achar conveniente, ao abordar as células sanguíneas, na página 86, comente
com os alunos que as hemácias duram, em média, 120 dias no organismo. Tais
células são produzidas por meio de um processo chamado hematopoese ou hemo-
poiese, que ocorre na medula óssea vermelha. A degradação das células sanguíneas
ocorre no baço, no fígado e na medula óssea. Após a degradação dessas células, o
ferro proveniente da reciclagem da hemoglobina é encaminhado à medula óssea,
onde será utilizado na formação de novas moléculas desse pigmento. Outras molé-
culas são eliminadas do corpo, como a bilirrubina, que é excretada pelo fígado na
bile e atinge o intestino delgado, conferindo a coloração das fezes. Caso a bilirru-
bina se acumule no corpo, pode ocorrer um quadro denominado icterícia, que se
caracteriza pelo amarelamento do olho, pele e outras partes do corpo.
P. 87 a 89 •• Ao abordar as proteínas das hemáceas que caracterizam os tipos sanguíneos, relem-
bre com os alunos a estrutura da membrana celular, formada por uma dupla camada
de lipídios permeados por diferentes proteínas, entre outros componentes. Em se
tratando das hemácias, algumas dessas proteínas encontradas na membrana celular
podem ser as proteínas A e B do sistema ABO. O conhecimento sobre o tipo sanguí-
neo é muito importante nos casos de transfusão sanguínea, pois apenas 150 milili-
tros de sangue ABO incompatível podem ocasionar uma reação mortal. Os sintomas
causados por transfusões de sangue incompatíveis incluem: queda brusca da pres-
são arterial, insuficiência renal, coagulação intravascular disseminada e até mesmo
óbito.
••Explique aos alunos que, após a doação, o sangue é testado para o sistema ABO e
fator Rh. Também são feitos testes para sífilis, Aids, doença de Chagas, hepatites
B e C e para um vírus chamado HTLV-I, semelhante ao vírus da Aids, e que pode
causar um tipo raro de leucemia.
A doação de sangue é de extrema importância. Segundo a Organização Mundial
de Saúde (OMS), o ideal seria que 5% da população doasse sangue uma vez ao
ano. No Brasil, essa taxa é de somente cerca de 2%. A doação de sangue é segura
e não transmite doenças, pois todo o material utilizado é previamente preparado
para eliminar qualquer tipo de contaminação e descartável.
••Diga aos alunos que os requisitos básicos para um indivíduo doar sangue são: estar
em boas condições de saúde, ter entre 18 e 65 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar
descansado e alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem
a doação) e apresentar documento de identificação pessoal original com fotografia
emitido por órgão oficial.

47

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 47 8/1/16 3:39 PM


P. 94 ••Ao abordar a frequência cardíaca, comente com os alunos que seu cálculo é feito
pelo número de batimentos em um intervalo de tempo, que geralmente é de um
minuto. Se possível, repita o procedimento de medir a pulsação, proposto nas pági-
nas de abertura. Para isso, peça aos alunos que contem o número de batimentos
no período de um minuto. Em seguida comente com eles que a frequência cardíaca
obtida corresponde à frequência se refere ao estado de repouso.
••Em seguida, comente que, quando iniciamos uma atividade física, a frequência
cardíaca também se altera. De um modo geral, atividades físicas intensas provocam
aumento da frequência cardíaca, a qual tem um limite máximo que deve ser respei-
tado para não causar danos ao organismo e, principalmente, ao coração. A frequ-
ência cardíaca máxima (FCM) se refere ao número máximo de batimentos que o cora-
ção é capaz de realizar no intervalo de tempo de um minuto. Essa frequência varia com
alguns fatores, como a idade, por exemplo. Dentre as várias equações desenvolvidas
para se determinar a frequência cardíaca máxima para cada idade, a que se utiliza com
maior frequência é FCM = 220 – (idade), ou seja, para um indivíduo de 25 anos, a
FCM é 195 (o coração desse indivíduo é capaz de realizar, no máximo, 195 batimen-
tos por minuto). O conhecimento do FCM pode auxiliar no controle da intensidade
de atividade física, pois o ideal é praticar o exercício físico alcançando entre 60% e
90% da frequência cardíaca máxima.

Valores
em ação Compromisso com a saúde e prevenção
P. 101
de problemas cardiovasculares
O estilo de vida contemporâneo tem contribuído para o aumento da incidência
de problemas cardiovasculares, os principais responsáveis por mortes no Brasil e no
mundo, por isso é de essencial importância a disseminação de informações a esse
respeito. Esta seção permite o acesso a algumas dessas informações e às possíveis
medidas capazes de reduzir a incidência dos problemas cardiovasculares. Além disso,
enfatiza a importância do compromisso de cada cidadão na adoção dessas medidas.

Objetivos do músculo liso das paredes das artérias proliferam-se


e substâncias gordurosas, especialmente colesterol e
••Apresentar algumas informações sobre proble-
triglicerídios (gordura ingerida pela dieta), são depo-
mas cardiovasculares.
sitados nas paredes das artérias em resposta a certos
••Conscientizar sobre a adoção de atitudes adequa- estímulos. As substâncias gordurosas, colesterol e fi-
das para prevenir problemas cardiovasculares. bras musculares lisas formam uma massa chamada
••Apresentar alguns hábitos que auxiliam na de placa aterosclerótica, que obstrui o fluxo sanguíneo
prevenção de problemas cardiovasculares. nos vasos […]. Os fatores que contribuem para a ate-
rosclerose incluem pressão alta, monóxido de carbono
Comentários
no cigarro, diabete melito e nível de colesterol alto. [….]
•• Ao citar que o entupimento dos vasos sanguíne- TORTORA, Gerard J. Corpo humano: fundamentos de Anatomia e
os ocorre principalmente devido à aterosclerose, Fisiologia. 4.ed. Trad. Cláudia L. Zimmer et al.
Porto Alegre: ArtMed, 2000. p. 357.
leia com os alunos o texto a seguir.
••Enfatize que, embora parecidos, os termos
[…]
arteriosclerose e aterosclerose não são sinôni-
O espessamento das paredes das artérias e sua mos. Enquanto o primeiro se refere a um grupo
perda de elasticidade são as principais característi- de doenças associadas às alterações nas pare-
cas de um grupo de doenças chamado arteriosclerose des dos vasos sanguíneos, o segundo se refere
(sclerosis = endurecimento). Uma forma de arterioscle-
a um tipo de arteriosclerose caracterizado pelo
rose é a aterosclerose, um processo no qual as células

48

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 48 8/1/16 3:39 PM


entupimento dos vasos sanguíneos, principal- representando a aterosclerose, como as ima-

3
mente por acúmulo de gordura. gens abaixo.

UNIDADE
•• Ao abordar o estilo de vida contemporâneo, faça
uma pausa antes de iniciar as questões propostas A B

e pergunte aos alunos quais atitudes/compor- placa de gordura

eranicle/Shutterstock.com/ID/BR
tamentos adotados nesse estilo de vida podem
contribuir para a aterosclerose. O sedentarismo, o
estresse, o hábito de fumar e a ingestão de comi-
das processadas podem ser citados pelos alunos.
••Se possível, reproduza na lousa um esquema

Representação sem proporção de tamanho. Representação de vaso sanguíneo sem acúmulo de


Cores-fantasia. células de gordura (A) e com placas de gordura (B),
impedindo o fluxo sanguíneo normal.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Em caso afirmativo, os exemplos dos problemas cardiovasculares deve ser feita por
citados dependem das atitudes e hábitos de cada todos, independentemente da faixa etária, pois
aluno. É possível que eles citem a preferência por tais problemas podem acometer qualquer pessoa
alimentos saudáveis, evitando a ingestão excessiva que não cuide corretamente de sua saúde. Além
de alimentos ricos em gorduras, que praticam ativi- disso, é possível que eles comentem que o quanto
dade física, entre outras atitudes. antes uma pessoa se comprometer em adotar
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos refli- hábitos saudáveis, maiores as chances de uma
tam sobre o assunto e concluam que a prevenção vida com saúde e menos riscos de desenvolver
um problema cardiovascular.

P. 102 e 103 Atividades


Respostas

1.
Resposta pessoal. O sistema circulatório sanguíneo 3.
a ) Errada. As veias levam o sangue dos diversos
transporta o sangue para as diversas partes do corpo órgãos do corpo humano para o coração.
humano. Por meio do sangue, as células que b ) Errada. As veias apresentam pequenas válvu-
compõem os tecidos corporais recebem o gás oxigê- las, em seu interior, que impedem o refluxo do
nio e os nutrientes de que necessitam. Ao mesmo sangue, durante seu retorno ao coração.
tempo, o sangue retira desses tecidos os resíduos do c ) Correta.
metabolismo celular e os transporta até os órgãos
4. Espera-se que os alunos façam uma ilustração
responsáveis por eliminá-los do corpo humano.
representativa das duas cavidades superiores:
2. A coagulação sanguínea e a formação do tampão átrio direito e átrio esquerdo, bem como das duas
plaquetário são mecanismos do corpo humano cavidades inferiores: ventrículo direito e ventrículo
para evitar que o sangue flua para fora dos vasos esquerdo. É importante que os alunos representem
sanguíneos, quando estes são danificados. Na que nem os átrios nem os ventrículos se comuni-
coagulação sanguínea ocorre a formação de uma cam entre si. O átrio direito comunica-se com o
rede de proteínas, onde as células sanguíneas ventrículo direito, já o átrio esquerdo comunica-se
ficam aderidas, diminuindo o fluxo sanguíneo para com o ventrículo esquerdo. Entre os átrios e os
fora do vaso. Na formação do tampão plaquetário, ventrículos, espera-se que os alunos ilustrem
as plaquetas aumentam de tamanho e aderem-se também as duas valvas atrioventriculares, uma no
umas às outras e à parede do vaso danificado, lado esquerdo e outra no lado direito, e os vasos
com isto, há a formação de uma estrutura sanguíneos, a artéria aorta, a veia cava, as artérias
(tampão) que bloqueia a saída de sangue. pulmonares e as veias pulmonares.

49

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 49 8/1/16 3:39 PM


5. Etapa A: Na fase inicial, os átrios e os ventrículos estão quadro, as artérias perdem sua elasticidade e
relaxados (diástole) e as valvas atrioventriculares estão podem sofrer lesões. Essas placas de gordura
abertas. O sangue flui dos átrios para os ventrículos. ou parte delas podem desprender-se e obstruir
Etapa B: Na segunda fase do ciclo cardíaco, os átrios se outros vasos. Entre as consequências da obstru-
contraem (sístole) e todo o sangue é enviado aos ção dos vasos, destacam-se o infarto e o
ventrículos, os quais se encontram relaxados (diásto- acidente vascular cerebral.
le). Ao final desta fase, as valvas se fecham, impedindo c ) As hemácias de Lúcia apresentam as proteínas
o refluxo sanguíneo. Etapa C: Na terceira fase, os A e B em sua membrana, além disso, ela não
ventrículos iniciam sua contração (sístole), porém o possui anticorpos anti-A ou anti-B em seu
sangue ainda não flui para as artérias pulmonares e plasma. Em relação ao fator Rh, as hemácias de
aorta. Isso porque, nesta fase, as valvas semilunares Lúcia não apresentam a proteína Rh. Caso
encontram-se fechadas. Etapa D: Na quarta etapa, os Lúcia nunca tenha tido contato com sangue
ventrículos contraem-se totalmente, forçando a aber- Rh+, seu plasma não apresenta anti-Rh, porém,
tura das valvas semilunares. Com isso, o sangue flui caso já tenha entrado em contato com o
dos ventrículos para as artérias (aorta e pulmonares). sangue Rh+, o plasma do sangue de Lúcia
Ao final do ciclo, os ventrículos retornam ao estado apresentará anticorpos anti-Rh.
de diástole. 9. No caso de Ricardo, os seus sentimentos por
6. A – artérias pulmonares; B – veias pulmonares; Maria e a emoção de vê-la influenciam o seu
C – artéria aorta; D – veias cavas. sistema nervoso a atuar sobre a frequência de
7. a ) O sistema linfático drena o fluído intercelular seus batimentos cardíacos.
dos tecidos, impedindo que este se acumule e No caso de João, seu coração acelera quando ele joga
prejudique o funcionamento de tecidos e órgãos. futebol porque, com a atividade física, suas células
Além disso, esse sistema atua no transporte de precisam de mais gás oxigênio e nutrientes, ao
determinadas substâncias do sistema digestório mesmo tempo em que produzem mais gás carbônico
para o sangue e na defesa do corpo humano. e outros resíduos do metabolismo. O coração de João
b ) Os principais órgãos que compõem o sistema acelera, e o fluxo sanguíneo se intensifica, o que faz
linfático humano são: tonsilas, timo, baço e com que o gás oxigênio e os nutrientes cheguem rapi-
linfonodos. Todos esses órgãos atuam na defe- damente às células e a retirada dos resíduos celulares
sa do copo humano, sendo que: as tonsilas são também aconteça mais rapidamente.
responsáveis pela defesa contra determinadas 10. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos produ-
doenças; o timo é responsável pelo amadureci- zam um cartaz informando sobre a importância da
mento de determinados leucócitos; os linfono- doação de sangue para manter o estoque dos
dos filtram a linfa; o baço produz proteínas que hemocentros sempre em quantidades suficientes
atuam na defesa do corpo, além de servir como para atender às pessoas que necessitam, urgente-
um reservatório de células do sangue. mente, de uma transfusão sanguínea. Os alunos
c ) O transporte da linfa no interior dos vasos podem inserir dados sobre a frequência de doações
linfáticos ocorre, principalmente, devido à e transfusões de sangue que ocorrem no Brasil, por
contração de músculos esqueléticos que se ano, além de informar sobre a importância da reali-
localizam próximos a esses vasos. Além disso, zação do exame de compatibilidade sanguínea
as válvulas existentes no interior dos vasos antes da transfusão, explicando, por exemplo, que
linfáticos impedem o refluxo da linfa. as pessoas cujo sangue é tipo O- são doadoras
8. a ) Lúcia tem uma infecção por microrganismo, pois a universais, e as que possuem sangue tipo AB+ são
quantidade de seus leucócitos está acima do valor receptoras universais.
de referência. Os leucócitos são células que atuam
na defesa do corpo humano contra agentes causa- Acesse
dores de doença. Lúcia não tem falta de gás oxigê- Para obter dados sobre a frequência de doações e
nio para seus tecidos, pois esse gás é transportado transfusões de sangue que ocorrem no Brasil, por ano,
para eles pelas hemácias, as quais, segundo revela acesse:
o seu hemograma, estão de acordo com os valo- Ministério da Saúde. Caderno de informação sangue e
res de referência. hemoderivados. 7. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.
b ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos expli-
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_
quem que a aterosclerose é o resultado do
informacao_sangue_hemoderivados_7ed.pdf>.
acúmulo de gorduras na parede das artérias, que
Acesso em: 19 jul. 2016.
leva à sua obstrução. Como consequências desse

50

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 50 8/1/16 3:39 PM


6 Defesas do corpo

3
CAPÍTULO

UNIDADE
P. 104 ••A obrigatoriedade de vacinação, por si só, não foi a causa da Revolta da Vacina.
Além da atitude autoritária e, por vezes violenta, dos agentes de saúde, a repulsa
popular por essa campanha ocorreu também porque a maior parte das pessoas
não sabia o que era uma vacina, o porquê de sua necessidade, nem mesmo os
possíveis efeitos de sua aplicação. Injetar uma substância desconhecida no corpo
de um cidadão, sem maiores explicações, era considerado uma violação de seu
direito. Sobre os pontos de vista favoráveis e contrários à obrigatoriedade da
vacinação, leia o texto a seguir.

[…]

O
fator imediatamente deflagrador da Revol- Alemanha em 1875, na Itália em 1888 e na França,
ta da Vacina foi a publicação, no dia 9 de em 1902; por que não seria então no Brasil, onde sua
novembro de 1904, do plano de regulamen- incidência era muito mais grave? […]
tação da aplicação da vacina obrigatória contra a O interlocutores da oposição, enraivecidos, res-
varíola. […] A medida era de interesse do governo, pondiam ao governo que, no caso da lei brasileira, os
que dispunha de ampla maioria no Congresso e que métodos de aplicação do decreto de vacinação eram
lançou todos os seus organismos técnicos e burocrá- truculentos, os soros e sobretudo os aplicadores pou-
ticos na sua defesa. A pequena oposição parlamentar, co confiáveis e os funcionários, enfermeiros, fiscais
a imprensa não governista e a população da cidade, e policiais encarregados da campanha manifestavam
por outro lado, procuravam resistir obstinadamente instintos brutais e moralidade discutível. […] Os opo-
à sua implantação. sitores diziam ainda mais, que o governo acreditava
O argumento do governo era de que a vacinação plenamente nas qualidades e na necessidade da vaci-
era de inegável e imprescindível interesse para a saúde na, então que deixasse a cada consciência a liberdade
pública. E não havia como duvidar dessa afirmação, de decidir pela sua aplicação ou não, podendo, inclu-
visto existirem inúmeros focos endêmicos da varíola sive, escolher as condições que melhor lhe convies-
no Brasil, o maior deles justamente na cidade do Rio sem para recebê-la.
de Janeiro. […] A medida, além do mais, insistiam as […]
fontes do governo, fora adotada com pleno sucesso na
SEVCENKO, Nicolau. A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes.
São Paulo: Scipione, 1993. (Coleção História em Aberto).

••Diga aos alunos que, apesar da forma como a campanha de vacinação foi desenvol-
vida na época, a iniciativa de Oswaldo Cruz foi de extrema importância. A vacinação,
apesar de não ser um hábito comum na época da revolta, foi uma importante ferra-
menta para a manutenção da saúde pública. Isso pode ser percebido nos relatos de
que, cessada a vacinação, os casos de varíola voltaram a aumentar.
••É importante que os alunos percebam a importância das vacinas no controle de
algumas doenças. Se achar conveniente, comente com eles que muitas doenças foram
e ainda são controladas pelo uso das vacinas. Já outras, consideradas problema
de saúde pública da atualidade, como a dengue, poderiam ser prevenidas com o
desenvolvimento de vacinas.
••Se possível, peça ao professor de História para que aborde com os alunos mais
informações sobre a Revolta da Vacina como o período da história do Brasil em que
ela ocorreu, quais outros problemas sociais assolavam o povo brasileiro na época,
entre outras informações.

51

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 51 8/1/16 3:39 PM


Acesse
Para mais informações sobre a Revolta da Vacina e sua cronologia,
acesse o site sugerido a seguir.
<www.ccms.saude.gov.br/revolta/revolta.html>.
Acesso em: 20 jul. 2016.

Atividade complementar Folheto

A falta de informação foi um dos motivos que levaram à Revolta da Vacina.


Atualmente, de acordo com o Ministério da Saúde, algumas vacinas são obrigatórias
a todo cidadão, outras, por sua vez, são indicadas em casos específicos: um viajante
que vai a uma região com alta incidência de determinada doença, deve ser previa-
mente vacinado contra essa doença. O acesso à informação é de extrema impor-
tância, por isso, peça aos alunos que produzam folhetos apresentando informações
sobre uma vacina obrigatória às crianças e a doença que ela previne. O panfleto
pode incluir também informações como a idade em que a vacina deve ser tomada,
os possíveis efeitos colaterais, entre outros que considerarem pertinentes.
••Leve os alunos ao laboratório de informática e peça a eles que pesquisem as
vacinas obrigatórias às crianças no Brasil.
Acesse
Acesse a Cartilha de Vacinação sugerida a seguir para conhecer
as vacinas obrigatórias no Brasil.
TOSCANO, Cristiana; KOSIM, Lígia. Cartilha de vacinas: para
quem quer mesmo saber das coisas. Brasília: Organização Pan-
Americana da Saúde, 2003.
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cart_vac.pdf>.
Acesso em: 20 jul. 2016.

••Em seguida, peça para que cada um deles escolha uma vacina e uma doença que
ela previne nas crianças que pesquisem informações sobre ambas.
••Oriente os alunos a produzirem folhetos, os quais deverão conter as informa-
ções pesquisadas. Informe-se, previamente sobre as ferramentas de edição de
texto disponíveis para esse tipo de produção e como elas podem ser utilizadas.
Apresente essas ferramentas aos alunos e os auxilie durante toda a produção do
folheto.
••Para enriquecer as informações e evitar que as doenças pesquisadas se repitam,
faça um controle das vacinas e doenças que cada aluno selecionou para a reali-
zação da atividade, incentivando-os a selecionar aquelas que ainda não foram
escolhidas pelos outros alunos.
••Os folhetos devem ser lidos aos demais alunos da sala de aula, para que todos
tenham acesso às informações pesquisadas. Em seguida, o material pode ser
exposto na sala de aula, em um mural, por exemplo.

52

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 52 8/1/16 3:39 PM


••Ao final da atividade, questione os alunos se, no período em que a vacinação da

3
varíola tornou-se obrigatória no Brasil, a disseminação de informações, por meio de

UNIDADE
folhetos, por exemplo, teria reduzido a revolta da população em relação ao gover-
no. É esperado que os alunos compreendam que, uma vez que a falta de informa-
ção foi um dos motivos para a repulsa à vacinação, a disseminação de informações
sobre a varíola, a importância da vacinação e seus possíveis efeitos, poderia ter
esclarecido muitos cidadãos, auxiliando na adesão à campanha.
P. 109 ••Veja a seguir mais informações sobre o médico e pesquisador Vital Brazil Mineiro
da Campanha.

Fique ligado!

Vital Brazil
Vital Brazil Mineiro da Campanha (1865-1950) nasceu na cidade de Campanha, Minas Gerais, e foi
o descobridor do soro antiofídico. Em 1891 formou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina do
Rio de Janeiro, passando a atuar profissionalmente na cidade de Botucatu, em São Paulo. Além de
participar de inúmeras campanhas de combate a epidemias, como a da febre amarela, da cólera e
da peste bubônica.
Em 1899, Vital assumiu a direção do Instituto Soroterápico, criado por Adolfo Lutz (1855-1940) e
que, em 1905, deu origem ao Instituto Butantan. Nessa instituição, Vital começou a desenvolver
estudos sobre o soro antiofídico. Até hoje, o método criado por ele é considerado o mais eficaz
na conversão da peçonha de animais em soro. Além desses estudos, encabeçou campanhas de
esclarecimento sobre cobras peçonhentas e não peçonhentas, principalmente para o público rural.
Em 1919, fundou o instituto, que posteriormente deu origem ao Instituto Vital Brazil.
Ambas as instituições criadas por Vital, Instituto Butantan e Instituto Vital Brazil, são consideradas
referência na formação de pesquisadores e no desenvolvimentos de pesquisas e de vacinas, soros
e medicamentos de uso humano.
DeAgostini/Album Art/Latinstock

Vital Brazil Mineiro


da Campanha
estampado em
nota de dez mil
cruzeiros, em 1993.

Acesse
Acesse o site do Instituto Vital Brazil e obtenha mais informações sobre a vida pessoal e
profissional de Vital Brazil Mineiro da Campanha.
<www.vitalbrazil.rj.gov.br/cientista.html>.
Acesso em: 20 jul. 2016.
O Instituo Butantan é referência na produção de soros antiofídicos e vacinas no Brasil.
Para mais informações sobre as pesquisas realizadas nessa instituição, acesse o site
sugerido a seguir.
<www.butantan.gov.br/Paginas/default.aspx>.
Acesso em: 20 jul. 2016.

53

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 53 8/1/16 3:39 PM


P. 110 e 111 Atividades
Respostas

1.
I – d; II – a; III – e; IV – b; V – c. as pessoas costumam se abrigar e circular em
locais fechados, com pouca ventilação, o ar não é
a ) No aleitamento materno, o filho recebe passiva-
renovado. Isso facilita a contaminação por vírus
mente anticorpos da mãe, os anticorpos atuam
causadores da gripe presentes nesse ar. Dessa
de forma específica contra determinados antíge-
maneira, se vacinadas antes desse período, o
nos.
organismo das pessoas já terá produzido anticor-
b ) Na vacinação, os leucócitos são estimulados a
pos para combater o eventual vírus invasor.
produzir anticorpos, portanto é uma forma de
c ) Não. O soro é indicado quando o organismo já
defesa ativa, porém, o contato com o agente
entrou em contato com o antígeno e precisa
estimulante não é natural, mas sim induzido
defender-se rapidamente e não como uma forma
pela aplicação da vacina.
de prevenção.
c ) No soro, o paciente recebe os anticorpos já prontos,
d ) A febre é uma forma de defesa inespecífica, pois
produzidos por meio de técnicas de laboratório.
não é direcionada para um agente determinado.
d ) O tampão de plaquetas é uma forma de defesa
3. a
) Eduardo, provavelmente, não terá a doença
inespecífica porque essa resposta não é direcio-
novamente. Porque o organismo dele já entrou
nada para um agente determinado.
em contato com o vírus da catapora uma
e ) No caso da catapora, o próprio corpo humano
primeira vez e, como consequência, já apresen-
produz anticorpos após ter entrado em contato, de
ta a memória de como produzir os anticorpos
forma natural, com o agente causador (antígeno).
contra esse vírus.
2. a ) A frase presente no cartaz faz referência à
b ) Provavelmente, o irmão contraiu a doença ao
proteção do corpo humano contra o vírus da
entrar em contato com Eduardo.
gripe por meio do processo de vacinação (o
c ) A mãe pode ter sido vacinada contra a catapora
escudo é um instrumento de defesa, e a vacina-
ou ela pode ter adquirido imunidade ativa natural,
ção é uma forma de proteção). A vacina esti-
após um primeiro contato.
mula as defesas do corpo a produzirem anticor-
pos específicos contra determinado antígeno 4. a ) Resposta pessoal.
presente na superfície do vírus da gripe. Dessa b ) Resposta pessoal. Os sintomas da alergia podem
maneira, se tomamos a vacina contra a gripe, ser prevenidos evitando-se o contato com a subs-
quando entrarmos em contato com o vírus, o tância que causa a resposta exagerada das defe-
nosso corpo já terá anticorpos específicos para sas do corpo humano.
combater esse agente invasor. c ) Os anticorpos ligam-se aos antígenos de forma
b ) Porque a produção de anticorpos desencadeada específica. Essa ligação é um sinal para que as
pela vacinação leva um determinado tempo. defesas do corpo direcionem as ações para elimi-
Como durante o período de baixas temperaturas nar o agente estranho (antígeno).

P. 111
Verificando rota
Respostas
1.
Espera-se que os alunos tenham compreendido cos, espera-se que os alunos tenham compreendi-
que os vasos sanguíneos transportam o sangue do que isso ocorre pois nosso corpo apresenta
para as diversas partes do corpo. Já em relação ao formas de defesa, algumas específicas, como os
fato de não ficarmos constantemente doentes, anticorpos, e outras inespecíficas, como os leucó-
apesar do contato com microrganismos patogêni- citos.

54

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 54 8/1/16 3:39 PM


2. Espera-se que os alunos tenham compreendido 3. Espera-se que os alunos compreendam que a

3
que o coração é responsável por bombear o sangue vacina contém substâncias que estimulam nosso

UNIDADE
pelo corpo, suprindo células e tecidos com oxigênio organismo a produzir seus próprios anticorpos,
e nutrientes. A frequência dos batimentos do cora- sendo, por isso muito importante na prevenção de
ção pode sofrer alterações por influência das determinadas doenças, já que prepara nosso orga-
emoções, as quais, assim como os sentimentos, nismo para defender-se antes de entrar em conta-
são controladas pelo cérebro. Desse modo, o cora- to com agentes patogênicos. Os alunos podem se
ção não é o órgão responsável pelos sentimentos, posicionar a favor ou contra a reação da popula-
mas pode sofrer influência deles, mediado pelo ção. Os favoráveis podem justificar tal posiciona-
cérebro. Quanto aos batimentos cardíacos, espera- mento com base nas atitudes autoritárias do
se que os alunos tenham compreendido que os governo e no modo como a campanha de vacina-
batimentos são resultado da contração e do relaxa- ção se desenvolveu. Já os contrários podem justi-
mento do músculo cardíaco de modo rítmico. O som ficar tal posicionamento alegando as vantagens da
que escutamos está relacionado à agitação do sangue vacinação e a preocupação com a saúde pública.
devido ao fechamento das valvas cardíacas.

Ampliando
fronteiras Aids: história de uma síndrome
P. 112 e 113 Apesar dos avanços científicos, principalmente com relação ao tratamento
de pacientes aidéticos, a aids ainda é considerada um problema de saúde públi-
ca, muitas vezes não tratado com a devida importância por aqueles que podem
contrair a doença. Esta seção se relaciona ao Tema Convergente Cidadania pelo
fato de a aids ser uma doença que afeta não apenas a saúde do indivíduo doen-
te, como também de seus familiares, que apóiam o parente, e o seu convívio em
sociedade, por ainda ser um tema muito associado à discriminação.

Objetivos o debate sobre a discriminação aos portadores


do vírus HIV, proposto na atividade comple-
••Apresentar algumas informações históricas
sobre a aids. mentar, da página 57 desse manual.

••Alertar para os possíveis meios de transmissão ••Até o início da década de 1990, a Aids era
da aids. considerada uma doença que levava o paciente
à morte em um curto período de tempo, após
Comentários o diagnóstico. Atualmente, devido aos medica-
••Antes de iniciar o trabalho com a seção, faça mentos desenvolvidos, esse panorama mudou.
um levantamento dos conhecimentos prévios É possível ser um portador do vírus HIV e ter
dos alunos com relação à aids, anotando as uma qualidade de vida semelhante à de uma
informações na lousa. Tal levantamento é pessoa não contaminada com o vírus.
importante para se ter conhecimento do que ••No Brasil, a partir do ano de 1996, os indi-
os alunos já sabem a respeito do assunto e víduos portadores do vírus HIV passaram a
corrigir eventuais concepções incorretas, se receber, gratuitamente, por meio dos serviços
necessário, ao final da seção. de saúde pública, todos os medicamentos anti-
••Ao abordar os possíveis meios de transmissão virais necessários para o tratamento da doença.
do vírus da aids, enfatize aos alunos que esse Esses medicamentos, que formam o chamado
microrganismo não é transmitido pelo convívio coquetel contra o HIV, não curam, mas aumen-
social. Mesmo assim, muitos ainda discrimi- tam a expectativa de vida dos pacientes, além
nam pessoas aidéticas, com a justificativa de de lhes proporcionar uma melhora na qualida-
que têm medo de serem contaminadas pelo de de vida, diminuindo os danos causados pelo
vírus HIV. Se possível, realize nesse momento vírus no organismo.

55

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 55 8/1/16 3:39 PM


••Para que o tratamento seja eficiente, a medi-
cação indicada pelo médico deve ser tomada
diariamente, nas doses e nos horários deter-
minados. Fazem parte do coquetel, 16 antir-
retrovirais mais a talidomida, uma droga que
estimula o sistema imunológico. Os remédios
dificultam a multiplicação do vírus HIV, dimi-
nuindo sua quantidade no organismo, além de
fortalecer o sistema imunológico. panzés. Possivelmente, durante a manipula-
ção da carne e sangue desses primatas, um
••No início do tratamento, podem aparecer
determinado vírus do macaco foi transmiti-
alguns efeitos desagradáveis causados pelos
do ao ser humano, onde sofreu alterações e
remédios, como enjoos, vômito, diarreia e dor
originou o vírus HIV. Pesquisas recentes, no
de cabeça. Apesar disso, não se deve inter-
entanto, apontam que o vírus que infectou
romper o tratamento, pois com o tempo o
o ser humano é uma junção de outros dois
organismo acostuma-se e os efeitos tendem
vírus, provenientes de espécies de macacos
a diminuir. Apesar desse novo panorama do
que servem de alimento aos chimpanzés.
tratamento da doença e da possibilidade de
convivência com o vírus, no caso dos pacien-
tes com aids, não se deve minimizar a gravi-
dade da doença, incentivando-se medidas que
evitam o contágio.
Acesse
••Enfatize aos alunos que o uso de preserva-
tivos é essencial não apenas para prevenir Para mais informações sobre as pesquisas
relacionadas aos vírus da aids e sua origem, leia
gravidez não planejada, como também para
a reportagem a seguir.
evitar a contaminação por doenças sexual-
Cientistas têm nova teoria para a origem do
mente transmissíveis. vírus da Aids. BBC Brasil. 13 jun. 2003.
••Caso considere conveniente, comente com os <www.bbc.com/portuguese/noticias/030613_
alunos que, de acordo com pesquisas realiza- aidson.shtml>
das, o vírus HIV teve sua origem nos chim- Acesso em: 20 jul. 2016.

••Ao finalizar a leitura da seção, retome com os


alunos o que foi anotado na lousa, corrigindo
as possíveis informações incorretas e comple-
mentando as demais.
Raul Aguiar

56

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 56 8/1/16 3:39 PM


3
Respostas

UNIDADE
1.
Aids
Agente
Sintomas Transmissão Prevenção
causador
Uso de camisinha durante as
Inicialmente são semelhantes relações sexuais. Controle
aos sintomas da gripe. Relação sexual sem camisinha,
do sangue utilizado nas
transfusão de sangue
Desenvolvimento de várias transfusões sanguíneas. Não
contaminado, uso de agulhas
Vírus HIV doenças causadas por vírus e utilizar agulhas e instrumentos
e instrumentos cortantes
microorganismos. cortantes contaminados.
contaminados e da mãe para o
Febre, diarreia, suores noturnos Realizar o tratamento das mães,
filho (durante a gestação).
e emagrecimento. para diminuir as chances de
contaminação dos filhos.

2. a ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos


discordem da atitude das pessoas da escola,
por se tratar de um tipo de discriminação. Os
alunos podem justificar que não há motivos
para tal atitude, uma vez que a transmissão
do vírus HIV não ocorre no convívio social
com a pessoa aidética e que todas as pessoas,
independentemente de sua condição, devem
ser respeitadas.

b ) Resposta pessoal. Os alunos podem incluir
em seu texto que o preconceito muitas vezes
provém da falta de informação a respeito
desse assunto. Muitas pessoas ainda acham
que o vírus HIV é transmitido pelo ar ou pela

Raul Aguiar
proximidade com o aidético, por exemplo.

Atividade complementar Debate

Apesar das muitas mudanças observadas tanto no tratamento da doença, quanto


na disseminação de informações referentes à aids, ainda hoje são comuns os casos
de discriminação aos portadores do vírus HIV. São inúmeros os relatos de atitudes
discriminatórias, inclusive em relação a filhos e filhas dos aidéticos. Atualmente a
Lei n° 12.984/14 torna crime qualquer discriminação aos portadores do vírus HIV,
com reclusão de um a quatro anos e multa. De acordo com essa lei, é tido como ato
discriminatório contra a pessoa com aids: negar emprego ou trabalho, demitir do
cargo ou emprego, provocar segregação no ambiente de trabalho ou escola, divulgar
a condição do portador do vírus HIV, com o intuito de ofender tal pessoa e retardar
ou negar atendimento em instituições de saúde. Promova um debate entre os alunos
sobre a discriminação aos portadores do vírus da aids, incentivando-os a analisar
informações como os meios de transmissão e o respeito aos direitos de cada cida-
dão, por exemplo.

57

2_m17_esm_mp_8cvc_u3_p045a057.indd 57 8/1/16 3:39 PM


UNIDADE

4 Excreção e
trocas gasosas

Objetivos Conceitos

• Conhecer a importância da • Transpiração.


transpiração. • Órgãos do sistema
• Compreender a importância do urinário.
CAPÍTULO

7 Excreção sistema urinário.


• Conhecer a estrutura do sistema
• Produção da urina.
urinário. • Controle da micção.
• Compreender como se dá a produção • Cálculos renais e
da urina. insuficiência renal.
• Entender como se dá o controle da
micção.
• Conhecer alguns problemas do
sistema urinário.
CAPÍTULO

8 Respiração • Compreender a importância do


sistema respiratório.
• Órgãos do sistema
respiratório.
• Conhecer a estrutura do sistema • Produção da fala.
respiratório.
• Ventilação pulmonar,
• Compreender como é produzida a respiração pulmonar e
fala.
respiração tecidual.
• Conhecer as etapas da respiração. • Controle da respiração.
• Compreender como se dá o controle
da respiração. • Rinite alérgica,
• Conhecer algumas doenças do bronquite e
sistema respiratório. tuberculose.

P. 114 e 115 Abertura da unidade


•• A imagem das páginas de
abertura apresenta um menino
mergulhado em uma piscina.
Converse com os alunos sobre
a importância da respiração e
questione sobre o tempo que
conseguimos permanecer sem
respirar.

58

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 58 8/1/16 3:40 PM


Respostas

4
1.
Resposta pessoal. Aproveite esta questão para alveolares, que terminam em estruturas denomi-

UNIDADE
instigar a troca de ideias entre os alunos. Quando nadas alvéolos, em que ocorre a troca de gases
oportuno, diga a eles que em nossos pulmões entre o ar e o sangue dos capilares. Ao sair do
cabem aproximadamente 500 mL de ar. corpo, o ar segue o mesmo percurso, porém no
2. Resposta pessoal. O ar entra pelo nariz, percorre a sentido contrário.
cavidade nasal, é encaminhado pela faringe, segue 3.
Resposta pessoal. A pressão que a água exerce
pela laringe e depois para a traqueia, que se divide sobre o corpo é maior do que a pressão exercida
em dois ramos denominados brônquios, por onde pelo ar. Por isso, ao entrar na água, é provável que
o ar também passa. Os brônquios penetram nos o garoto tenha vontade de urinar. Quanto mais fria
pulmões e se dividem formando os bronquíolos, a água, mais os vasos são comprimidos, encami-
os quais formam a chamada árvore bronquial. Os nhando mais líquidos ao sistema urinário.
bronquíolos se subdividem, originando os ductos

CAPÍTULO
7 Excreção
P. 116 ••Para conhecer mais sobre a produção de urina nos seres humanos e as formas de
excreção em outros seres vivos acesse o site indicado no boxe Aprenda mais no
Livro do Aluno.

 Aprenda mais
••O site mostra, de forma interativa, a fisiologia do sistema urinário, os tipos de
excretas produzidos pelas diferentes classes de vertebrados e a solubilidade da
urina, além de promover uma comparação com diversos tipos de sistemas excre-
tores, inclusive de invertebrados. Tudo de maneira acessível e adequada à faixa
etária. Veja abaixo uma sugestão de como trabalhar essa seção.

Atividade complementar Exposição oral

Leve os alunos para a sala de informática da escola e divida-os em grupos de 4


ou 5 alunos. Eles deverão acessar o site proposto na seção Aprenda mais da página
116. Cada grupo ficará responsável por analisar uma parte do site. Neste caso, orien-
te cada grupo sobre que parte do site deve ser explorada.
Ao final, cada grupo deverá explicar os principais pontos para o restante da
turma. Todos os integrantes deverão participar da exposição.

••O objeto educacional sugerido nesta seção pode ser trabalhado com mais detalhes
ao final da página 121, quando já tiverem sido abordados o sistema excretor e a
produção da urina.
••Como apresentado neste objeto educacional, os animais podem excretar amônia,
ureia ou ácido úrico, que, entre outras características, variam quanto a sua toxici-
dade. Essa abordagem comparativa da excreção em diferentes grupos de vertebra-
dos e invertebrados permite retomar os assuntos abordados no volume de 7o ano.
••Enfatize aos alunos que o tipo de excreta nitrogenada produzido em um animal
está associado a diferentes fatores, como o ambiente no qual ele vive. Assim, ao
término do objeto educacional, elabore um quadro na lousa com os grupos de
animais e informações apresentadas no site, visando facilitar a comparação entre
esses grupos.

59

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 59 8/1/16 3:40 PM


P. 117
••Para iniciar esse assunto converse com os alunos sobre situações do cotidiano que
os fazem transpirar. Depois, leve-os até a quadra da escola e junto com o professor
de Educação Física peça-lhes que realizem algumas atividades físicas, como correr
ao redor da quadra, fazer polichinelo e brincar de queimada. Não se esqueça de
orientá-los a fazer alongamento antes e depois das atividades. Após a prática do
exercício físico, peça-lhes que descrevam as alterações que ocorreram no organis-
mo deles, como transpiração, aumento dos batimentos cardíacos, sede, diferenças
no ritmo da respiração, entre outras.
••Diga aos alunos que em algumas situações podemos apresentar produção anor-
mal de suor, em geral excessiva. As causas mais comuns para isso são estresse,
consumo de comidas calóricas e condimentadas, problemas como diabetes, hiper-
tireoidismo, menopausa, obesidade, consumo de álcool e drogas. Portanto, caso
percebam uma alteração significativa na transpiração é importante que tente se
identificar a causa.
Alguns alimentos, como pimenta, feijoada, churrasco, café, chá mate e refrigeran-
te de cola, podem elevar a temperatura do corpo e, consequentemente, causar
aumento na transpiração.
••Por fim, diga aos alunos que na pele existem termorreceptores que percebem a
elevação na temperatura ambiente ou corporal. Isso faz com que o cérebro, ao receber
essas informações, ative o sistema nervoso simpático, que envia sinais para as
glândulas sudoríferas, as quais produzem o suor.
P. 120 ••Ao trabalhar a produção de urina, explique aos alunos que a reabsorção permi-
te ao organismo recuperar grande parte dos nutrientes e da água, contribuindo
para o controle do volume sanguíneo. Quando a concentração de água no sangue
está baixa, os sistemas nervoso e endócrino estimulam a reabsorção de água pela
rede de capilares próxima aos túbulos renais. Com isso, a concentração de água no
sangue volta ao normal e o volume de água na urina diminui. Na secreção, última
etapa da formação da urina, substâncias presentes no sangue são eliminadas ao
serem filtradas. Algumas dessas substâncias, em altas concentrações no sangue,
podem ser tóxicas para o organismo.
Comente com os alunos que alguns alimentos apresentam ação diurética, como o
abacaxi, a melancia, o melão, o morango, o limão, a uva, o tomate e o pepino. Os
diuréticos são substâncias que aumentam a produção de urina, e a maioria deles
diminui a reabsorção de água nos túbulos renais. Com isso, forma-se um volume
maior de urina.
P. 122 ••Informe aos alunos que entre os exames feitos para detectar a presença dos cálcu-
los renais, destacam-se a radiografia e a ultrassonografia. O tratamento depende
do tamanho e da localização dos cálculos renais. Nos casos em que são peque-
nos, o tratamento pode ser realizado aumentando-se a ingestão de líquidos. Com
isso, aumenta-se o volume de urina, facilitando a eliminação do cálculo. Os cálcu-
los renais maiores que 1 cm de diâmetro podem ser tratados, por exemplo, por
um método denominado litotripsia extracorpórea. Neste procedimento, ondas de
ultrassom geradas por um aparelho são utilizadas para fragmentar os cálculos
renais. Após a litotripsia, o paciente deve ingerir bastante líquido, o que facilita a
eliminação dos cálculos renais fragmentados na urina.

60

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 60 8/1/16 3:40 PM


•• Ao abordar a insuficiência renal, comente com os alunos que durante a hemodiálise o

4
sangue do paciente flui para o dialisador e passa por membranas finas que o filtram.

UNIDADE
As excretas são eliminadas, e o sangue, livre dessas substâncias, retorna ao paciente.
Nesse processo, o sangue sai da artéria do paciente, com o auxílio de uma bomba,
e é encaminhado ao dialisador. No dialisador o sangue passa por tubos constituí­
dos por membranas finas responsáveis pela filtragem. As excretas retiradas do
sangue são eliminadas por meio de uma solução existente entre os tubos do diali-
sador. Essa solução apresenta temperatura próxima a do sangue. Depois de passar
pelo tubo de diálise, o sangue, livre de excretas, retorna ao corpo do paciente por
meio de uma veia.
Para que não ocorra o acúmulo de resíduos e excretas no organismo, a hemodiálise
geralmente é realizada três vezes por semana. Com isso, o acúmulo de substâncias
tóxicas no sangue diminui consideravelmente.
Acesse
Para obter informações sobre as doenças renais mais comuns, os tratamentos e prevenção,
acesse o site a seguir. Você também encontrará vídeos e notícias sobre esses assuntos.
Sociedade Brasileira de Nefrologia.
<www.sbn.org.br>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

••Em alguns casos de insuficiência renal também pode ser recomendado o trans-
plante. Veja nos endereços abaixo mais informações sobre o assunto.
Acesse
Para obter informações sobre o transplante renal acesse o site a seguir.
Manual de transplante renal.
<http://www.abto.org.br/abtov03/Upload/file/manual_do_transplantado/manual_
transplante_rim.pdf>.
Acesso em: 20 jul. 2016.
Para obter informações estatísticas a respeito de transplantes. Acesse o site abaixo.
Associação brasileira de transplante de órgãos.
<http://www.abto.org.br/>.
Acesso em: 20 jul. 2016.

••Se possível, aborde com os alunos mais informações sobre o transplante de rim. Para
isso, você poderá fotocopiar o texto da atividade a seguir e desenvolvê-la com os
alunos.
Atividade complementar Leitura

Transplante de rim
O transplante de rim é um procedimento cirúrgico que consiste na transferência
de um rim sadio de uma pessoa (doadora) para outra (receptora). Dessa forma, a
receptora recebe um rim sadio que passará a desempenhar as funções que os rins
doentes não exerciam mais.
Em geral, o transplante renal é recomendado para doentes com rins bastante
comprometidos e sem chances de recuperação, situação comum em casos de insufi-
ciência renal crônica. Mesmo após a indicação do transplante, o paciente é submetido
a uma série de exames que avaliam sua saúde para saber se o transplante realmente
será o melhor tratamento.

61

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 61 8/1/16 3:40 PM


Atualmente, há grande quantidade de pacientes esperando por um transplante de
rim, e na maioria das vezes, os transplantes não são realizados porque faltam doadores.
Os rins utilizados em transplantes podem vir de doadores vivos ou recém-falecidos.
Em geral, pessoas com morte cerebral podem tornar-se doadoras, se houver auto-
rização da família. Além do rim, os doadores falecidos podem doar outros órgãos,
como coração, pâncreas e fígado.
Antes de realizar um transplante, são feitos exames para saber se o doador e
o receptor são compatíveis. Para isso, verifica-se o tipo sanguíneo e realizam-se
avaliações do sistema imunológico. É importante que o doador e o receptor sejam
compatíveis para evitar uma rejeição intensa do órgão pelo corpo. Na rejeição, o
sistema imunológico do receptor reconhece o novo rim como um agente estranho
e passa a combatê-lo. Após o transplante, mesmo entre pessoas compatíveis, é
esperado que ocorra um pequeno grau de rejeição. Para controlar essa situação, as
pessoas que passam por um transplante devem ingerir medicamentos que diminuam
a ação do sistema imunológico sobre o novo órgão.
Depois do transplante de rim, o receptor apresenta grande melhora na qualidade
de vida, com os sintomas da insuficiência renal diminuindo consideravelmente, e
tratamentos como a hemodiálise não sendo mais necessários.
1.
Quais são as principais causas de demora na realização de transplantes de
rins?
2. Em sua opinião, como a demora por transplantes poderia ser evitada?
3.
Por que são necessários os exames de compatibilidade entre doador e recep-
tor em um transplante?

Gabarito
1. As principais causas na demora de realização do transplante estão relacionadas à dificuldade
de se encontrar doadores e pessoas compatíveis.
2. Resposta pessoal. Os alunos podem dizer que a demora poderia ser evitada realizando-se
transplantes entre pessoas compatíveis da mesma família, conscientizando os familiares a
doarem os órgãos dos entes falecidos, entre outras atitudes.
3. Porque é preciso saber se eles são compatíveis, o que evita uma rejeição muito intensa.

P. 123 e 124 Atividades


Respostas

1.
As excretas são resíduos produzidos durante as Para evitar esse cheiro é importante ter hábitos de
atividades metabólicas do organismo e sua elimina- higiene corporal, como tomar banho e utilizar
ção é realizada principalmente por meio da urina, roupas limpas.
de gases envolvidos na respiração e do suor. 5.
A função do sistema urinário é a de eliminar subs-
2. Glândulas sudoríferas; elas estão presentes em tâncias tóxicas, como a amônia e a ureia, produzi-
quase toda a extensão da pele, mas em maior das durante o metabolismo das proteínas. Além
quantidade nas axilas, na região púbica, na palma disso, esse sistema auxilia a regular o volume e a
das mãos e na planta dos pés. composição de fluidos do sangue.
3. Água e algumas substâncias, como o sódio (Na) e 6. Espera-se que os alunos representem dois rins,
o potássio (K). dois ureteres, uma bexiga e uma uretra.
4. O cheiro desagradável do suor é formado pela ação 7. a ) Rins: filtragem e regulação do volume de sangue,
de bactérias no suor que se acumula sobre a pele. por meio da formação da urina; controle da

62

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 62 8/1/16 3:40 PM


quantidade de água a ser eliminada pelo orga- concentrada, o que facilita o transporte dessa

4
nismo. excreta e dificulta o acúmulo de sais e substân-

UNIDADE
b ) Ureteres: transporte da urina produzida nos rins cias nas vias do sistema urinário.
até a bexiga urinária. 10. a ) A criação de órgãos artificiais (um rim artificial,
c ) Bexiga urinária: armazenar, temporariamente, a por exemplo) em laboratório utilizando impres-
urina produzida nos rins. soras 3D.
d ) Uretra: conduzir a urina da bexiga para fora do b ) Resposta pessoal. Os alunos podem comentar
corpo. que essa tecnologia pode salvar a vida de
e ) Esfíncteres urinários: controlar a micção. pessoas que dependem de um transplante de
8. a – II; b – I; c – III. rim, para sobreviver, já que nem sempre é possí-
9. a ) Resposta pessoal. Os alunos podem responder vel encontrar um doador compatível a tempo.
que ocorreu aumento na produção da urina de Além disso, essa tecnologia pouparia a espera
Marcela porque ela ingeriu mais água. Quando pela doação de um órgão e melhoraria a quali-
isso acontece, absorvemos mais água pelo siste- dade de vida de muitas pessoas.
ma digestório e, consequentemente, o volume 11. a ) Resposta pessoal. Os alunos podem dizer que
de sangue tende a aumentar. Como existem campanhas como essa servem para conscienti-
mecanismos de regulação corporal que mantêm zar as pessoas de que a incontinência urinária é
o volume sanguíneo estável, ocorre maior elimi- um problema de saúde que pode ser tratado.
nação de urina. Além disso, são importantes para que as pessoas
b ) Porque a urina estava mais diluída, já que Marce- aprendam a respeitar as que sofrem com esse
la havia bebido mais água. problema.
c ) A ingestão de líquidos é importante porque b ) Resposta pessoal. Os alunos podem relacionar
contribui para a formação de urina menos os símbolos à bexiga urinária e à urina.

CAPÍTULO
8 Respiração
P. 129 ••Ao trabalhar com os alunos como ocorre a produção da fala, explique que, geral-
mente, as pregas vocais dos homens são mais largas e espessas que as das
mulheres, característica que pode tornar a voz deles mais grave. Durante a puber-
dade, por volta dos 12 anos, as pregas vocais dos meninos tornam-se mais largas
e espessas por causa da influência de um hormônio produzido pelo corpo denomi-
nado testosterona. Nessa fase de transição é comum que os meninos apresentem
alterações na tonalidade da voz.
••Comente também que os problemas nas pregas vocais não causam dor intensa no
início e, por isso, não despertam a atenção das pessoas. No entanto, é importante
observar alguns dos sintomas para que o tratamento se inicie o mais rápido possí-
vel. Entre os sintomas de distúrbios na voz, os mais comuns são: pigarro constante,
rouquidão, ardência na garganta, perda da voz no meio das frases, dificuldade em
engolir e cansaço ao falar.
Existem alguns cuidados que podem auxiliar a preservar a saúde das pregas vocais,
como evitar falar muito alto ou sussurrando, beber bastante água, poupar a voz
durante crises alérgicas e resfriados, não fumar e evitar alimentos ácidos e ricos
em gordura.
••Explique aos alunos que algumas pessoas possuem distúrbios da fala, como proble-
mas de articulação, mudez, disfemia (popularmente conhecida como gaguei-
ra), entre outros. A mudez pode ser causada por problemas de audição, distúr-
bios cerebrais, dentição mal implantada, malformação da boca e do nariz, fatores
emocionais e psicológicos, entre outros.

63

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 63 8/1/16 3:40 PM


P. 130 e 131 ••Ao trabalhar as etapas da respiração, diga aos alunos que, na etapa da ventilação
pulmonar, o ar entra nos pulmões graças à diferença de pressão que surge com a
contração dos músculos intercostais (entre as costelas) e do diafragma. O uso de
roupas apertadas, gravidez em fase avançada, obesidade ou ingestão exagerada
de alimentos pode dificultar a descida do diafragma, causando falta de ar.
••Na etapa da respiração pulmonar ocorre a troca do gás oxigênio e do gás carbônico
entre o sangue e os alvéolos pulmonares. Essa troca ocorre devido à diferença de
concentração dos gases. Assim, depois da inspiração, os alvéolos pulmonares se
enchem de ar atmosférico, que contém alta concentração de gás oxigênio e baixa
concentração de gás carbônico. Já o sangue que chega aos alvéolos pulmonares,
vindo do corpo, tem baixa concentração de gás oxigênio e alta concentração de
gás carbônico. Essa diferença de concentração faz que o gás carbônico do sangue
passe para os alvéolos e o gás oxigênio dos alvéolos passe para o sangue. Em
seguida, o gás carbônico sai dos pulmões pela expiração e o gás oxigênio segue
para células e tecidos do corpo por meio do sangue.
••A etapa da respiração tecidual ocorre nos tecidos e órgãos do nosso organismo e
consiste na troca do gás carbônico, presente em maior concentração nos tecidos,
e do gás oxigênio, presente em maior concentração no sangue. Como as células
estão constantemente realizando a respiração celular para gerar energia, elas libe-
ram constantemente gás carbônico. Devido, também, à diferença de concentração,
ocorre a troca dos gases entre os tecidos e o sangue.
P. 132 ••Ao trabalhar o controle da respiração, comente com os alunos que a respiração
normal é um processo involuntário, ou seja, realizamos automaticamente. Quando
fazemos um exercício físico, como uma corrida, o ritmo da respiração acelera sem
que comandemos isso voluntariamente.
No entanto, apesar de ser involuntária, a respiração também pode ser, até certo
ponto, controlada voluntariamente. Exemplo disso é o fato de podermos prender
nossa respiração por poucos minutos ou aumentar nossa frequência respiratória
quando desejarmos.
••O controle do ritmo respiratório envolve, principalmente, a área bulbar do sistema
nervoso, também denominada bulbo. Essa região envia impulsos nervosos até os
músculos que participam da respiração, fazendo com que eles se contraiam e rela-
xem, possibilitando a respiração.
O bulbo é sensível à concentração de gás carbônico e gás oxigênio no sangue.
Quando fazemos, por exemplo, atividades físicas que consomem muita energia,
ocorre um aumento de gás carbônico no sangue. Isso estimula o bulbo a aumentar
a frequência respiratória. É por isso que a frequência aumenta quando praticamos
atividade física.
O bulbo se comunica com o cérebro. Por essa razão, podemos controlar voluntá-
ria e temporariamente a respiração. Esse controle é limitado porque, mesmo que
queiramos parar de respirar, o bulbo continuará sensível à concentração de gases
no sangue e nos forçará à respiração.
P. 133 ••Para fixar os principais conteúdos estudados sobre respiração, acesse com os
alunos o site sugerido na seção Aprenda mais.

64

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 64 8/1/16 3:40 PM


 Aprenda mais

4
••O objetivo nessa seção é que os alunos observem de forma interativa, no site

UNIDADE
indicado, parte do conteúdo estudado no capítulo. Nesse site, eles retomarão os
conteúdos sobre movimentos respiratórios, a anatomia do sistema respiratório, as
trocas gasosas ao nível dos alvéolos pulmonares e as comparações com os siste-
mas respiratórios de outros seres vivos. Veja abaixo uma sugestão de como traba-
lhar essa seção.

Atividade complementar Ilustração

Essa atividade deverá ser realizada no período extraclasse. Cada aluno deverá
acessar o site em sua casa e representar, por meio de ilustrações, os movimentos
respiratórios e a anatomia do sistema respiratório. Antes de realizar essa atividade,
verifique se todos os alunos possuem acesso à internet.

••A abordagem comparativa da respiração em diferentes grupos de animais permite


retomar os assuntos abordados no volume de 7o ano.
••Ao término do objeto educacional, diga aos alunos que, assim como a excreção, as
trocas gasosas podem ocorrer de diversas maneiras e envolver diferentes estruturas,
de acordo com o grupo de animal.

Valores
em ação A motivação diante de grandes desafios
P. 134 Nessa seção os alunos poderão perceber a importância da motivação para a reali-
zação das tarefas do dia a dia.

Objetivos porém é possível encontrar casos de motiva-


ção em exemplos bem mais simples, como um
••Entender o que é motivação.
pai motivando um filho a andar de bicicleta
••Compreender a importância da motivação para ou skate, um professor motivando um aluno a
realização das tarefas do dia a dia.
estudar. É importante que pais, responsáveis e
••Conhecer um exemplo de motivação. professores motivem os alunos em idade esco-
Comentários lar.

••A motivação é um valor importante para os ••Ainda que motivado, o ser humano não é isen-
to de falhas e decepções. No caso de crianças
alunos em idade escolar, pois quando nos
e adolescentes, em especial, é importante que
sentimos motivados conseguimos realizar com
o erro seja motivo de aprendizado (e não o
êxito as tarefas do dia a dia.
contrário).
••O exemplo citado no texto é de grande valia,

Respostas
1.
Resposta pessoal. Os alunos poderão dizer que a superar períodos difíceis, como a recuperação da
motivação contribui para que Cielo se dedique de cirurgia citada no texto.
modo mais intenso aos treinos, o que pode levá-lo a 2.
Resposta pessoal. Os alunos podem dizer que agiram
conquistar seus objetivos. Além disso, ela o ajuda a com motivação ao participar de alguma competição

65

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 65 8/1/16 3:40 PM


ou ao estudar para alguma prova, por exemplo, porém Outros alunos podem citar alguma situação de moti-
não alcançaram o objetivo desejado: ficar em primeiro vação que vivenciaram na própria escola. Também
lugar ou tirar a nota máxima, respectivamente. Os existem aqueles que possuem habilidades artísticas
alunos podem considerar que a situação foi positiva, ou que praticam alguma atividade extraclasse, incen-
ainda que não tenham obtido os resultados esperados tive-os a contar essas experiências. Procure ajudar os
por motivos diversos (ter servido como motivação alunos na realização dessa atividade, englobando a
para melhorar seus resultados, expandir seus conhe- participação de todos, buscando perceber as habilida-
cimentos, melhorar o condicionamento físico, etc.). des de cada um e promovendo um ambiente agradá-
3.
Resposta pessoal. Os alunos citar exemplos de algo vel para que todos participem.
que participaram e que a motivação foi importante 4. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon-
para alcançar o objetivo. É provável que muitos alunos dam que sim, pois a motivação traz significado e cola-
participem de atividades esportivas e que já tenham bora para que as atividades diárias se tornem mais
participado de algum tipo de competição, ele podem agradáveis.
citar a motivação que receberam de seus pais, treina-
dores e que eles próprios tiveram nessa situação.

P. 135 a 137 Atividades


Respostas

1.
Os alunos devem representar o esquema na seguinte parede dos capilares e entra na corrente sanguí-
nea; o gás carbônico sai dos capilares sanguíneos e
sequência: nariz faringe laringe traqueia
vai para os alvéolos pulmonares. Essas trocas
brônquios bronquíolos pulmões. fazem com que o ar expirado tenha menos gás
2.
a ) Encaminhar o ar para a traqueia. oxigênio e mais gás carbônico que o ar inspirado.
b ) O som é produzido na laringe, pois é nela que se c ) As trocas gasosas ocorrem nos alvéolos.
localizam as pregas vocais. Durante a produção do 5. a ) O ar que chega aos alvéolos geralmente é rico em
som, as pregas vocais obstruem parcialmente a gás oxigênio e pobre em gás carbônico.
passagem de ar, o que faz com que elas vibrem b ) A letra A corresponde ao sangue oxigenado, já a
durante a expiração e produzam o som. letra B corresponde ao sangue pobre em oxigênio.
c ) A função da epiglote é a de fechar a abertura da O sangue proveniente dos tecidos (B) que chega
traqueia durante a deglutição, impedindo que o aos pulmões é pobre em oxigênio e rico em gás
alimento entre nas vias respiratórias. carbônico, o qual é transferido ao alvéolo. Após a
3.
a ) Na imagem da inspiração, o diafragma e os múscu- respiração pulmonar, o gás oxigênio presente nos
los intercostais encontram-se contraídos, aumen- alvéolos é transferido ao sangue dos capilares,
tando o volume da caixa torácica. Na imagem da tornando-se oxigenado (A).
expiração, o diafragma e os músculos intercostais c ) O esquema representa respiração tecidual. O
encontram-se relaxados e o volume da caixa torá- oxigênio é transferido dos alvéolos para os capila-
cica está menor do que durante a inspiração. res, enquanto que o gás carbônico é transferido
b ) São o diafragma e os músculos intercostais. dos capilares para os alvéolos.
c ) Estes músculos são importantes porque permitem 6. a ) A rinite afeta as vias respiratórias, enquanto que a
que o volume da caixa torácica aumente ou dimi- pneumonia e a tuberculose afetam os pulmões.
nua, resultando na entrada ou saída do ar do inte- b ) O nariz filtra, umidifica e aquece o ar que respira-
rior do corpo. mos. O fato de filtrar as impurezas por meio da
d ) Durante a inspiração, o volume da caixa torácica produção de muco é algo que contribui para evitar
aumenta; já durante a expiração, o volume da caixa a rinite. Porém, quando nosso organismo produz
torácica diminui. uma reação intensa contra determinadas impure-
4.
a ) x – gás oxigênio; y – gás carbônico. zas que chegam ao nariz, não há como esse órgão
b ) Porque quando o ar inspirado, proveniente do controlar os sintomas.
ambiente, chega aos alvéolos pulmonares, ocor- c ) A pessoa com tuberculose deve colocar a mão ou
rem trocas gasosas: o gás oxigênio atravessa a um lenço na frente da boca ao tossir ou espirrar.

66

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 66 8/1/16 3:40 PM


Também é importante que ela lave as mãos ou de medicamentos e tem duração de pelo menos

4
troque o lenço com frequência. seis meses. Quando feito de maneira correta, as

UNIDADE
d ) O tratamento para rinite alérgica é composto por chances de cura são muito altas. A vacina BCG
três pontos fundamentais: tratamento medica- recomendada para aplicação no primeiro mês de
mentoso a critério de um médico, higiene ambien- vida da criança evita que formas graves da doença
tal e vacinas antialérgicas (quando o uso de medi- se desenvolvam.
camentos e a higiene ambiental falham). A higiene 7.
a ) Em situações como a apresentada os olhos e os
ambiental ajuda a diminuir a proliferação dos órgãos do sistema respiratório são os mais expos-
ácaros, principal causa da rinite alérgica. Algumas tos, e sofrem por ter um revestimento mais fino e
medidas que podem ser adotadas são: limpar a sensível do que a pele que reveste o corpo. Os
casa com frequência; não utilizar carpetes, corti- olhos entram em contato direto com a fumaça, já
nas, tapetes, etc.; ter boa ventilação na casa e no os órgãos do sistema respiratório entram em
quarto; entre outras. contato durante a inspiração.
No caso da pneumonia, a forma mais comum é a b ) Resposta pessoal. Os alunos podem comentar que
provocada por bactérias e o tratamento é feito com isso ocorreu devido ao fato de que a fumaça se
antibióticos. Quando a pneumonia é causada por espalha rapidamente na atmosfera e, por ser tóxi-
vírus, há tratamentos que ajudam a pessoa doente, ca, as pessoas devem evitar o contato.
contudo é o próprio sistema imunológico do doen- 8. Peixe: principalmente respiração branquial, porém algu-
te que combate e elimina esses seres. A prevenção mas espécies apresentam respiração pulmonar.
da pneumonia se dá por meio de algumas medidas
Anfíbio: respiração branquial na fase larval, persistin-
como: lavar as mãos, não fumar e evitar aglomera-
do até a vida adulta em algumas espécies, respiração
ções. Existe também uma vacina que pode evitar
cutânea e respiração pulmonar.
as formas mais graves de pneumonia. Além disso, a
vacina contra a gripe contribui para evitar que Réptil: cloacal e principalmente pulmonar.
muitas casos de gripe evoluam para uma pneumonia. Ave: pulmonar.
O tratamento da tuberculose é feito com uma série Mamífero: pulmonar.

P. 137
Verificando rota
Respostas
1.
Resposta pessoal. Os alunos devem corrigir ou quando ingerimos pouca água eliminamos menos
complementar suas respostas incluindo os locais em urina.
que o ar passa no corpo humano: nariz, cavidade 3. Resposta pessoal. A cavidade nasal é revestida inter-
nasal, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos namente por uma mucosa composta de células
e alvéolos. É provável que antes do estudo do capítulo produtoras de muco, por um tecido rico em vasos
os alunos possam esquecer alguma dessas partes, sanguíneos e pelos que auxiliam a filtrar o ar respira-
oriente-os a corrigir os erros que cometeram para que do. Além disso, o muco torna mais úmido o ar que
memorizem corretamente o caminho percorrido pelo passa pelas narinas. O aquecimento desse ar ocorre
ar. Ao sair do corpo, o ar percorre o mesmo caminho, graças aos capilares sanguíneos e por pelos que auxi-
porém no sentido contrário. Caso perceba que os liam a filtrar o ar inspirado. Esses processos de filtra-
alunos estão com dificuldade, oriente-os a escrever no ção, umidificação e aquecimento do ar não aconte-
caderno o sentido de saída do ar: alvéolos, bronquío- cem quando respiramos pela boca.
los, brônquios, traqueia, laringe, faringe, cavidade 4. Resposta pessoal. Os alunos devem corrigir ou
nasal e nariz. complementar suas respostas incluindo que durante o
2.
Resposta pessoal. Os alunos podem corrigir ou processo de inspiração ocorre a contração do diafrag-
complementar suas respostas, mencionando que a ma e dos músculos intercostais, a caixa torácica se
função da urina é eliminar do organismo parte das expande, ou seja, seu volume aumenta. Dessa forma,
excretas produzidas pelas células. O volume de água a pressão atmosférica se torna maior do que a pres-
no sangue é controlado pela urina de maneira que, são do ar no interior dos pulmões, e o ar passa das
quando ingerimos mais água eliminamos mais urina, narinas para os alvéolos.

67

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 67 8/1/16 3:40 PM


Ampliando
fronteiras Tabagismo
P. 138 e 139 Nesta seção os alunos poderão conhecer algumas informações sobre o
tabaco e o tabagismo, algumas doenças relacionadas ao tabagismo, assim
como algumas dicas para as pessoas que querem parar de fumar. Esta seção
aborda o Tema Convergente Qualidade de vida.

••Comente com os alunos que a grande quan-


Objetivos tidade de fumantes deve-se, em parte, à alta
••Conhecer um pouco da história do tabaco dependência do organismo em relação à nico-
e porque chegou a um índice tão elevado de tina, um dos principais componentes do cigarro.
consumo. Em geral, quanto mais jovem se desenvolve
••Conhecer algumas informações sobre o tabaco o hábito de fumar, maior é a dependência. A
e o tabagismo. nicotina chega aos pulmões por meio da fumaça
••Conhecer algumas dicas para quem quer parar inalada do cigarro. Nos alvéolos pulmonares,
de fumar. essa substância entra na corrente sanguínea e
••Conhecer algumas doenças relacionadas ao atinge os diversos órgãos do corpo. Um deles é
tabagismo. o encéfalo, onde a nicotina se liga a células, provo-
cando, com o tempo, a dependência química.
Comentários ••Diversas leis antifumo tem
••Ao trabalhar as substâncias tóxicas, explique sido criadas no Brasil, desde
aos alunos que a fumaça do cigarro contém 1996. Em geral, elas restrin-
alcatrão e monóxido de carbono. O alcatrão gem o uso e proíbem a propa-
contém em sua composição mais de 40 subs- ganda de produtos derivados
tâncias que podem causar câncer, além de do tabaco. Estados e muni-
substâncias radioativas, resíduos de agrotóxi- cípios do Brasil possuem
cos e compostos que também estão presentes leis que proíbem o fumo
em venenos de rato. O monóxido de carbono em casas noturnas, bares,
liga-se facilmente à hemoglobina, componente shoppings e hotéis. Além
dos glóbulos vermelhos do sangue, responsá- disso, algumas cidades
vel por transportar gás oxigênio para as células possuem leis próprias
dos tecidos. Como consequência, o gás oxigênio que proíbem o uso do
não é transportado com eficiência, prejudicando cigarro em ambientes
várias partes do corpo humano. fechados.
••Alguns problemas também causados pelo Várias campanhas
tabagismo são: impotência sexual no homem; são realizadas para
complicações na gravidez; aneurismas arte- diminuir a quantidade
riais; úlcera do aparelho digestivo e infecções res- de fumantes no Brasil.
piratórias.

68

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 68 8/1/16 3:40 PM


4
Essas campanhas se iniciaram na década de como bronquite, pneumonia e crises asmáticas.

UNIDADE
1970, graças a iniciativas isoladas de profissio- Os bebês correm maior risco de morte súbita,
nais de saúde, associações médicas, associações além de poderem desenvolver doenças respira-
religiosas e organizações não governamentais. tórias antes de um ano de vida.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) consi- Segundo a Sociedade Brasileira de Pneumologia
dera a poluição tabagística ambiental (também e Tisiologia, alguns estudos científicos mostra-
conhecida como PTA ou tabagismo passivo) ram que o tabagismo passivo no ambiente
um problema grave. Pessoas não fumantes que de trabalho por cerca de 20 anos pode levar
convivem com pessoas fumantes em ambien- a uma redução da capacidade
tes fechados também podem ter problemas respiratória semelhante à de
de saúde relacionados ao cigarro. O tabagis- pessoas que fumam cerca
mo passivo é considerado a terceira causa de de 10 cigarros por dia.
morte evitável do mundo. O ar poluído com
fumaça de cigarro pode conter três vezes mais
nicotina e monóxido de carbono e cinquen-
ta vezes mais substâncias que podem causar
câncer do que o ar inspirado por um fumante.
Os fumantes passivos podem ter câncer de
pulmão e maiores chances de infarto. Crianças
que convivem com fumantes podem apresentar

Raul Aguiar
maior ocorrência de resfriados e infecções na
orelha média, além de maior risco de doenças

Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- rio da Saúde e outros órgãos podem ter ajudado a
dam que o tabagismo pode trazer diversos proble- conscientizar as pessoas sobre os problemas rela-
mas à saúde das pessoas, uma vez que, de acordo cionados ao tabagismo.
com os dados apresentados, o tabagismo é respon- 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder que
sável por 25% das mortes decorrentes de doenças o que leva uma pessoa a fumar, por exemplo, pode
cerebrovasculares, 85% das mortes causadas por ser o convívio e a influência de outras pessoas que
doenças pulmonares crônicas, 25% das mortes fumam.
causadas por doenças coronarianas e 30% das 4. Resposta pessoal. Os alunos podem produzir carta-
mortes causadas por diversos tipos de câncer. zes ou fôlderes, conversar sobre o tema com os cole-
2.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder que gas, fazer algum tipo de apresentação artística, a fim
essa redução se deve ao fato da criação de leis de conscientizar sobre o tabagismo e os problemas
proibindo a propaganda de produtos derivados do relacionados a ele. Avalie essa produção antes da
tabaco, assim como algumas leis que proíbem o divulgação na escola, assegurando-se de não haver
uso do cigarro em ambientes fechados ou em propostas que possam causar constrangimento ou
alguns tipos de estabelecimento, mesmo que exis- qualquer tipo de sentimento negativo nos demais
tam áreas abertas, como condomínios, hotéis, etc. alunos.
Além disso, as campanhas realizadas pelo Ministé-

69

2_m17_esm_mp_8cvc_u4_p058a069.indd 69 8/1/16 3:40 PM


UNIDADE

5
Revestimento e
sustentação do
corpo humano

Objetivos Conceitos

• Reconhecer a importância da • Estrutura da pele.


pele para o corpo humano. • Queimaduras na pele.
• Conhecer as camadas que formam • Estruturas anexas da pele.
Revestimento • Acne.
CAPÍTULO

a pele e suas estruturas anexas.


9 do corpo: a pele • Conhecer problemas que • Problemas na pele.
podem afetar a pele. • Sol e os cuidados com a pele.
• Reconhecer alguns cuidados
necessários com a pele.

Ossos e
CAPÍTULO

• Reconhecer a importância dos • Tipos de ossos.


10 articulações ossos e das articulações. • Estrutura dos ossos.
• Conhecer a estrutura dos • Transplante de medula óssea.
ossos. • Processo de ossificação.
• Diferenciar esqueleto axial de • Esqueleto.
esqueleto apendicular. • Postura e problemas de coluna.
• Adotar uma postura adequada. • Problemas nos ossos.
• Conhecer alguns problemas • Características e funções das
que podem afetar os ossos e as articulações.
articulações. • Tipos de articulações.
• Problemas nas articulações.
CAPÍTULO

• Compreender a função dos • Características dos


11 Músculos músculos. músculos.
• Diferenciar os tipos de músculos. • Tipos de músculos.
• Relacionar ossos, articulações • Problemas musculares.
e músculos aos movimentos do • Atividades físicas e os
corpo. músculos.
• Conhecer alguns problemas
musculares.

P. 140 e 141 Abertura da unidade


•• Diga aos alunos que o atleta
está realizando uma prova com
argolas, uma das modalidades
da ginástica artística.
Explique que ele utiliza força
para manter as duas argolas
próximas e o corpo em posição
horizontal. Comente também
que nesse esporte são realiza-
dos diversos movimentos que
exigem flexibilidade.

70

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 70 8/1/16 3:40 PM


••Aproveite as páginas de abertura e trabalhe com os alunos mais informações sobre

5
esse esporte. Para isso, utilize as informações a seguir.

UNIDADE
Fique ligado!

Ginástica artística

História
A prática de movimentos semelhantes aos realizados hoje na
ginástica artística conta com relatos no Egito Antigo. Mas os his-
toriadores apontam a Grécia como o berço da ginástica. A busca
pelo corpo perfeito para praticar esportes e para aperfeiçoar o
desempenho militar estão na gênese da modalidade.
Durante a Idade Média, após o declínio do Império Romano,
o culto ao corpo perdeu força e a ginástica viveu um período de
ostracismo, ficando restrita praticamente aos acrobatas. O res-
gate só se deu no início do século 19, quando, em 1811, o alemão
Friedrich Ludwig Christoph Jahn fundou a primeira escola para
a prática de ginástica ao ar livre.
Embora o objetivo de Jahn não fosse esportivo e, sim, preparar
fisicamente os jovens alemães para enfrentar o exército de Napo-
leão Bonaparte, a ideia se difundiu por outros países europeus, que
passaram a adotar os exercícios de ginástica. Ludwig Jahn criou os
aparelhos: cavalo com alças, barras horizontais, trave e barras
paralelas, além das modalidades de saltos. Ele é considerado o “pai da
ginástica”, mesmo tendo sido perseguido e preso depois que a prática do
esporte foi considerada perigosa e de alto teor revolucionário.
Mas a semente plantada por Jahn já tinha crescido e dado frutos.
Muitos ginastas alemães trataram de disseminar o esporte por outras
nações, entre elas o Brasil. Depois de décadas de proibição, em 1881
foi fundada, em Liege, na Bélgica, a Federação Europeia de Ginástica
(FEG). O esporte ganhou um novo status, arrebatando cada vez mais
fãs fascinados pela força, precisão e destreza dos ginastas.
[...]
Curiosidades
Tradição olímpica
A ginástica é um dos quatro esportes disputados desde a pri-
meira edição das Olimpíadas da Era Moderna, em 1896, em Ate-
nas. Os outros são atletismo, esgrima e natação.
[...]
Ginástica artística. Brasil 2016. Disponível em: <www.brasil2016.gov.br/pt-br/olimpiadas/
modalidades/ginastica-artistica>. Acesso em: 19 jul. 2016.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Os alunos podem ter assistido a 3.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos citem
uma apresentação de ginástica artística em algum características como resistência muscular e condi-
programa de televisão, por exemplo. cionamento físico, por exemplo.
2. Reposta pessoal. Espera-se que os alunos citem
músculos, ossos e articulações.

71

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 71 8/1/16 3:40 PM


CAPÍTULO
9 Revestimento do corpo: a pele

P. 142 ••Ao iniciar esse capítulo, questione os alunos sobre as características da pele dos
animais mamíferos, conteúdo estudado no volume do 7º ano. Relacione essas
características à pele dos seres humanos, lembrando as camadas que a forma,
derme e epiderme, bem como os anexos presentes, como glândulas e pelos.

P. 146 ••Nessa página é apresentado um texto sobre acne. Esse assunto pode interessar
bastante aos alunos, pois a maioria deles, provavelmente, está na puberdade. Enfa-
tize a importância de não cutucar ou espremer a acne e a necessidade de manter
a pele limpa.

Acesse
Mais informações sobre a acne e outros problemas de pele podem ser
encontradas no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
<www.sbd.org.br/doencas/acne-2/>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

 Aprenda mais
P. 148 ••Caso a escola possua laboratório de informática acesse com os alunos o site suge-
rido nessa seção. Se não for possível, oriente-os a acessar em casa ou em um local
que disponha de internet. Oriente-os na navegação do site. Para acessar informa-
ções sobre outras doenças de pele e alguns cuidados que devemos ter com esse
órgão, devem acessar o link “informações”.
••Para explorar o conteúdo do site, organize a classe em grupos de quatro alunos.
Um grupo deverá abordar sobre o câncer de pele; outro, sobre os cuidados com
ela, e os demais, sobre outras doenças relacionadas à pele. Oriente-os a produzir
cartazes com informações e imagens relacionadas ao tema trabalhado. Ao final,
cada grupo deverá apresentar as informações pesquisadas e mostrar o cartaz aos
demais colegas. Se possível, organize uma exposição dos cartazes para toda a
comunidade escolar.

P. 150 e 151 Atividades


Respostas

1. Epiderme: é a camada mais externa, na qual ocor- pele, mas une a pele aos órgãos do corpo. É cons-
re grande capacidade de divisão e renovação celu- tituída de tecido conjuntivo e células adiposas.
lar. Nessa camada podemos encontrar queratina e 2.
Pelos: proteção, como as sobrancelhas, cabelo e
outras proteínas. Derme: é a camada mais fina,
cílios; percepção ao toque, como os pelos presen-
formada por tecido rico em fibras, como o coláge-
tes no braço; filtração do ar, no caso dos pelos do
no e a elastina. É a partir dessa camada que as
papilas dérmicas são formadas. Essa camada é nariz. Unhas: protegem as extremidades dos dedos.
rica em vasos sanguíneos e é nela que as estrutu- Glândulas: secretam substâncias, como o sebo, que
ras anexas se encontram inseridas. Tela subcutâ- evita o ressecamento da pele, e o suor, que auxilia
nea (hipoderme): não faz parte da estrutura da na regulação da temperatura corpórea.

72

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 72 8/1/16 3:40 PM


3. Ela obtém gases e nutrientes a partir de vasos consequentemente, apresentam a cor da pele

5
presentes na derme. mais clara.

UNIDADE
4. a ) As fibras localizam-se na derme. b
) A pessoas com albinismo devem cuidar-se
b ) As fibras conferem força e elasticidade à pele, ainda mais em relação a exposição ao Sol, pois
sustentam a epiderme e unem a pele à tela não produzem melanina, proteína que ajuda a
subcutânea (hipoderme). proteger a pele dos raios UV.
5. a ) Os pelos atuam como isolantes térmicos, difi- 7.
Resposta pessoal. Os alunos devem mostrar em
cultando a perda de calor do corpo para o seus cartazes orientações sobre como prevenir o
ambiente. Por meio do levantamento ou abai- câncer de pele. Também podem apresentar
xamento dos pelos, os mamíferos têm a capa- imagens de pintas e manchas na pele, esclarecen-
cidade de ajustar a espessura da camada de ar do quais podem ser um indício de um problema
que fica retida próxima à pele e, assim, contro- de pele, de acordo com as orientações da Socie-
lar, até certo limite, a perda de calor. dade Brasileira de Dermatologia.
b ) Possíveis respostas: os pelos estão relaciona- 8. A massa aproximada da pele de Rebeca é 8 kg.
dos à filtração do ar que entra no sistema respi- Dados:
ratório; à percepção da presença de algo nos Massa corporal de Rebeca: 50 kg.
tocando; à proteção dos olhos contra a entrada Porcentagem de massa da pele que corresponde à
de partículas estranhas e ao suor que escorre massa corporal: 16%
da testa; à proteção do coro cabeludo contra os ​​16  50 5  800 / 100  5  8 kg​​
raios solares; ao isolamento térmico.
9. a ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos concluam
c ) O pelo é composto pela haste e pela raiz. que as impressões digitais são diferentes.
6. a ) Melanina. Essa proteína é produzida pelos mela- b ) Os alunos podem citar situações como: durante
nócitos, células presentes na epiderme. A quan- a compra de um bem; durante a produção de
tidade de melanina presente nos melanócitos é outro documento; para a realização de viagens;
um dos fatores que determinam a cor da pele da em exames de paternidade; em análise de cenas
pessoa. Dessa maneira, as pessoas albinas apre- de crimes; para identificação de cadáveres.
sentam uma falha na produção da melanina e,
10. A – III; B – I; C – II.

••Ao trabalhar a atividade 10 com os alunos, comente que os sintomas das quei-
maduras variam muito, dependendo do grau da lesão. Em geral, os sintomas mais
comuns das queimaduras de primeiro grau são: vermelhidão, dor e inchaço no local
lesado. No caso das queimaduras de segundo grau, os sintomas mais comuns são:
formação de bolhas e dor intensa no local lesado. Já as queimaduras de tercei-
ro grau são, em geral, indolores, e o local da lesão pode apresentar-se branco ou
negro, dependendo da causa da queimadura.
Comente com os alunos que, em casos de queimadura, não se deve passar substâncias
no local da lesão sem orientação médica, pois em muitos casos elas podem causar
mais danos à pele. Deve-se manter o local lesado limpo e procurar orientação médica.

CAPÍTULO
10 Ossos e articulações

P. 152
••Oriente os alunos a realizar a atividade proposta no início dessa página. Peça-lhes
que toquem os ossos que formam os dedos, percebam a diferença de tamanho e forma-
to entre eles e a presença de articulações. Oriente-os a reparar nos movimentos
possíveis de realizar por meio da articulação do punho e a compará-los com os
movimentos possíveis de realizar com a articulação dos dedos. O objetivo é que
os alunos percebam a existência de diferentes ossos e articulações e reconheçam
algumas funções dessas estruturas.

73

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 73 8/1/16 3:40 PM


 Aprenda mais
P. 155
••Se possível, realize com os alunos a visita Acesse
sugerida nessa seção. Lembre-se de agendá-
Caso não seja possível visitar
-la antecipadamente e verificar a idade mínima
um museu de anatomia, faça
permitida no local. um tour virtual pelo Museu
••Durante a visita, oriente os alunos a observa- de Patologia da Fiocruz. Ele
rem os ossos, os músculos e as articulações, apresenta algumas peças
identificando seus nomes e os movimentos anatômicas. Para isso acesse os
links a seguir.
pelos quais são responsáveis. Se possível,
Visita virtual exposição 2013.
combine com profissionais do local para apre-
<http://museudapatologia.
sentar as peças anatômicas aos alunos. ioc.fiocruz.br/index.php/br/
P. 160 interatividade/visita-virtual-
••Ao trabalhar os problemas de postura, diga aos expo.html>.
alunos que muitas das atividades do nosso dia a Acesso em: 19 jul. 2016.
dia podem prejudicar a coluna vertebral se reali- Visita virtual.
zadas de forma incorreta. Entre os fatores que <http://museudapatologia.
podem causar esse tipo de problema estão os ioc.fiocruz.br/index.php/br/
maus hábitos ao sentar-se, caminhar, agachar, interatividade/isita-virtual.html>.
Acesso em: 19 jul. 2016.
utilizar o computador e realizar determinadas
tarefas específicas a cada tipo de trabalho.
••Ao sentar-se, é natural que a pessoa relaxe o corpo fazendo com que a coluna verte-
bral fique desalinhada, e ao caminhar é comum deixar que o pescoço incline para
frente, fazendo os ombros e as costas recurvarem. Essas atitudes tendem, com o
tempo, a desencadear dores no corpo, especialmente nas costas. As dores na coluna e
a postura podem ser melhoradas e corrigidas com atividades físicas, como a muscu-
lação, a natação e o alongamento, sob a orientação de um profissional.
••Outra atividade que também pode causar dores no corpo, se realizada em posição
incorreta, é o uso do computador. Ao utilizá-lo, é necessário observar atentamente
a posição dos pés, braços, mãos, costas e cabeça. As plantas dos pés devem ficar
apoiadas no chão formando com os joelhos um ângulo de 90o. Os braços precisam
permanecer junto ao corpo, formando com os cotovelos também um ângulo de
90o. As costas têm de permanecer completamente apoiadas no encosto da cadei-
ra, que deve ser firme. O monitor deve possuir altura suficiente para que o usuário
não precise inclinar a cabeça nem para baixo nem para cima.
••Peça aos alunos que verifiquem se suas mochilas estão muito pesadas e enfatize a
eles a maneira correta de carregá-las.
••Além da prática de exercícios físicos é importante que a pessoa procure manter
sempre uma postura correta nas diversas atividades de seu cotidiano e evite o
sobrepeso do corpo, o que pode sobrecarregar ossos e articulações.
P. 165
Acesse
Ao trabalhar o texto sobre transplante de medula óssea, enfatize aos alunos sobre a
importância de tornar-se um doador. O site do Instituto Nacional do Câncer apresenta
informações sobre os requisitos para ser doador e como proceder, caso decida doar.
Instituto Nacional do Câncer.
<www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=64>.
Acesso em: 19 jul. 2016.

74

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 74 8/1/16 3:40 PM


P. 166 e 167 Atividades

5
UNIDADE
Respostas

1.
Os ossos podem ser classificados em planos, a qual se caracteriza por uma curvatura acen-
longos, irregulares e curtos. Os ossos planos são tuada da região lombar.
finos como duas lâminas paralelas. Os ossos 7. Os ossos se mantêm unidos devido às articula-
longos têm o comprimento maior que a largura, ções e aos ligamentos existentes entre eles.
caso do úmero. Já os ossos irregulares possuem
8. a ) Espera-se que os alunos concluam que as articu-
formas complexas e não podem ser incluídos nos
lações semimóveis permitem a realização de
outros grupos. Os ossos curtos possuem compri-
pequenos movimentos.
mento e largura aproximadamente iguais.
b ) Espera-se que os alunos expliquem que as arti-
2. a ) Os alunos devem representar um osso longo, culações imóveis não permitem movimento
incluindo as seguintes regiões: epífise, diáfise e
entre os ossos.
metáfase.
c ) Espera-se que os alunos comentem que as arti-
b ) Os alunos devem representar um osso longo,
culações móveis apresentam maior mobilidade
incluindo os seguintes componentes: medula
do que as demais e podem realizar uma grande
óssea, matriz óssea e periósteo.
variedade de movimentos.
3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos expli- 9. a ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
quem que os ossos poderiam ficar fracos, menos
representem estruturas adequadas, como cavi-
resistentes. Possíveis respostas de alimentos ricos
dade sinovial, cartilagem e ossos.
em cálcio: leite e seus derivados (queijos, iogurte,
b ) Resposta pessoal. Eles podem citar como
manteiga, entre outros); vegetais, como brócolis e
exemplos as articulações dos cotovelos e
quiabo; alguns frutos do mar, como salmão, sardi-
joelhos.
nha e camarão, entre outros.
10. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos conclu-
4. O esqueleto tem a função de sustentar e proteger o
am que a deficiência em vitamina D compromete
corpo. Além disso, ele dá forma ao corpo, participa
a capacidade do corpo de absorver sais de cálcio e
da locomoção. Os ossos também estão relaciona-
de fósforo, além de prejudicar a síntese de coláge-
dos com a produção de células sanguíneas. Eles
no. A falta de sais de cálcio e de fósforo prejudica
associam-se aos músculos permitindo a movimen-
o desenvolvimento dos ossos, ocasionando vários
tação do corpo, além de serem importante reserva
problemas, pois os ossos perdem sua rigidez,
de minerais.
tornando-se fracos a ponto de não suportarem o
5. Resposta pessoal. Os alunos podem citar: articu-
peso do corpo. Isso resulta na curvatura acentua-
lação da mandíbula, que participa dos movimentos
da dos ossos longos da perna.
de mastigação; articulações do ombro e do
cotovelo, que estão relacionadas com o movimento 11. a ) Problemas de coluna relacionados ao uso
do braço; articulações do punho e da mão, respon- excessivo e inadequado do celular.
sáveis pelo movimento das mãos; articulações da b ) Resposta pessoal.
coluna, que participam dos movimentos do tron- c ) Uma postura como essa pode causar proble-
co, tórax e pescoço; articulações do quadril e do mas na coluna, como a cifose, a escoliose e a
joelho, que estão relacionadas com o movimento lordose.
das pernas e articulações do tornozelo e dos pés, d ) Resposta pessoal.
responsáveis pelo movimento dos pés. e ) Resposta pessoal. Caso os alunos respondam
6. a ) A região da coluna de Carlos que sofreu fratura que o contato com a tecnologia influencia a
está indicada pela letra B. prática de atividades físicas, eles podem justifi-
b ) A região fraturada pertence ao esqueleto axial, car dizendo que o uso de tablets, celulares e
pois faz parte da coluna vertebral. computadores pode levar as pessoas ao seden-
c ) Espera-se que os alunos descrevam a lordose, tarismo.

75

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 75 8/1/16 3:40 PM


CAPÍTULO
11 Músculos

P. 168 ••Nessa página são mostradas Acesse


reproduções de desenhos
Os sites a seguir apresentam outras informações
feitos por Leonardo da Vinci. sobre Leonardo da Vinci e seus trabalhos.
••Da Vinci desenhou órgãos Leonardo da Vinci, o desbravador do corpo
e partes dos sistemas do humano.
corpo humano, apresentan- <www.unicamp.br/unicamp/ju/568/leonardo-da-
do explicações lógicas sobre vinci-o-desbravador-do-corpo-humano>.
seus movimentos, ações e Acesso em: 19 jul. 2016.
funções. Museu do Louvre (em inglês ou francês).
••O artista desenhou o corpo <www.louvre.fr>.
humano ao longo de 15 anos Acesso em: 19 jul. 2016.
(1498-1513). Porém, não Neste site você poderá fazer download de imagens
publicou suas obras, que das obras do artista.
segundo estudiosos, pode- <www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/
riam ter revolucionado a PesquisaObraForm.do>.
medicina 20 anos antes do Acesso em: 19 jul. 2016.
primeiro livro de anatomia,
De Humani Corporis Fabrica, ter
sido ser publicado.

P. 171 ••Ao trabalhar os movimentos dos músculos, se possível, realize a atividade prática
a seguir.

Atividade complementar Prática

Representação de um músculo humano


Objetivo
••Construir um modelo que representa o movimento do braço humano.
Materiais
••2 blocos de isopor de 20 cm x 7 cm e, no mínimo, 3 cm de espessura
••1 balão
••1 folha de papel
••4 alfinetes
••fita adesiva
••1 canudo plástico dobrável
••1 palito de churrasco
••estilete
••tesoura sem ponta

CUIDADO!
Somente o adulto deverá fazer os recortes com o estilete.

76

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 76 8/1/16 3:40 PM


Desenvolvimento

5
a ) Enumere os retângulos de isopor com 1 e 2.

UNIDADE
Coloque o retângulo 1 sobre a mesa e peça
a um adulto que faça cortes, no centro de
uma de suas extremidades, com 3 cm de corte no
retângulo 2
comprimento e 2 cm de largura. 2,5 cm
2 cm
b ) Em uma das extremidades do retângulo 2,
peça ao adulto que faça recortes de 3 cm 3 cm
de comprimento por 2 cm de largura em
cada uma das laterais, como indicado na
3 cm corte no
fotografia. retângulo 1
2 cm
c ) Encaixe os dois retângulos por meio das
extremidades recortadas. Para fixá-los e 2,5 cm
formar uma dobradiça, atravesse o palito de
churrasco pela lateral do retângulo 1, como
mostra a fotografia. Corte com a tesoura as
pontas do palito que sobraram.
d ) Encaixe a boca do balão na ponta do canu-
do e fixe-o com a fita adesiva. É importante
vedar bem o balão para que o ar não esca-
pe.
e ) Recorte a folha de papel formando um quadrado com 20 cm de lado. Nesse quadra-
do, recorte tiras de 1 cm de largura por 19 cm
de comprimento, deixando-as unidas em uma
de suas extremidades.
f ) Enrole a extremidade que mantém as tiras
de papel unidas na metade do canudo, como
mostra a fotografia, fixando-a com a fita
adesiva. É importante que as tiras soltas
fiquem dispostas uniformemente ao redor
do balão.
g ) Passe a fita adesiva ao redor das fitas soltas,
unindo-as.
h ) Coloque dois alfinetes ao redor do canudo, fixando-o na extremidade do retângu-
lo 2, de modo que as tiras fiquem posicionadas na direção da dobradiça.
i ) Fixe as tiras unidas pela fita adesiva a cerca de 5 cm da extremidade recortada do
retângulo 1 utilizando dois alfinetes, como apresentado na fotografia abaixo.
Fotografias: André L.
Silva/ASC Imagens

retângulo 1 retângulo 2

j
) Sopre o canudo e verifique o resultado.

77

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 77 8/1/16 3:40 PM


1.
O que você observou quando soprou o canudo?
2.
O que os dois retângulos de isopor representam?
3.
O que o balão e as tiras de papel representam?
4.
Quais são os nomes dos ossos e do músculo representados nesta atividade?
5.
Qual é o movimento representado por esta atividade?

Gabarito
1. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respondam que, ao soprarem o canudo, o balão foi
preenchido de ar e tracionou as tiras de papel, fazendo com que o retângulo 2 se movimentasse.
2. Representam os ossos do braço. O retângulo 1 representa o úmero e o retângulo 2, a ulna e o
rádio.
3. O balão e as tiras de papel representam o músculo bíceps braquial.
4. Ossos: úmero, rádio e ulna. Músculo: bíceps braquial.
5. Movimento de flexão do braço.

••As etapas A, B, C e D descrevem a maneira de construir a dobradura entre os


dois retângulos de isopor. Oriente os alunos para que, durante a realização desses
procedimentos, respeitem as medidas descritas para evitar problemas na dobradiça
que se formará entre os retângulos. Ao encaixar o retângulo 1 com o 2, deverá
sobrar 0,5 cm nas laterais do encaixe, assim como nas extremidades superiores.
Nenhuma parte desse encaixe deverá ficar justa, pois impedirá o movimento. Se
necessário, oriente os alunos para que, com uma lixa de unha, desgastem as extre-
midades dos retângulos deixando-as mais arredondadas, facilitando o movimento
da dobradura.
••Se achar interessante, molde os retângulos na forma de ossos. Nesse caso, diga
aos alunos que, para facilitar a construção, o rádio e a ulna serão moldados no
mesmo retângulo (número 2).
••Ao realizar a etapa G, oriente os alunos a enrolarem o papel cortado em tiras,
de forma que envolva toda a superfície do balão. Dessa maneira, quando o aluno
soprar o canudo e o balão se encher de ar, todas as tiras irão acompanhar o formato
do balão, curvando-se, e puxando o retângulo 2.
•• Ao fixar o canudo envolto com as tiras de papel nos retângulos, como descrito nas etapas
I e J, diga aos alunos que façam testes para verificar qual a melhor posição para fixar as
extremidades. Oriente-os a soprar o canudo e observar se o local onde foram fixadas as
tiras no retângulo 2 permite que elas o façam levantar.
••Se o movimento for muito limitado, peça aos alunos que mudem o local de fixação
das fitas no retângulo 2 e soprem novamente o canudo, até encontrarem um ponto
onde as tiras de papel, ao se dobrarem, possam levantar o retângulo 2 .
••Espera-se, como resultado, que, ao soprar o canudo, o balão seja preenchido de ar.
Assim, ele molda as tiras de papel ao seu formato, fazendo-as encurvar. Ao encur-
var, as tiras tracionam o retângulo 2 para sua direção, movimentando-o.
••Explique aos alunos que, na realização do movimento de flexão do braço, vários
músculos estão envolvidos. Porém, nessa atividade foi representado somente o
bíceps braquial. As partes fixadas com alfinete no isopor representam os tendões,
o retângulo 1 representa o úmero e o 2, o rádio e a ulna. O balão e as tiras repre-
sentam o músculo.

78

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 78 8/1/16 3:40 PM


 Aprenda mais

5
UNIDADE
P. 173
••Caso a escola tenha um laboratório de informática, oriente os alunos a acessa-
rem o site indicado nessa seção. Se não for possível, providencie algumas cópias
impressas do conteúdo do site para os alunos trabalharem em grupos.
••Promova uma discussão entre eles sobre as razões que levam o adolescente a usar
anabolizantes. Caso associem esse uso à busca de um corpo ideal, discuta com
eles assuntos como os padrões de beleza divulgados nas mídias e a super valori-
zação da aparência. Além disso, peça-lhes que relacionem as mudanças no corpo
e hormonais que ocorrem durante a adolescência a insatisfações com a aparência.
Nessas discussões, promova a valorização da diversidade.
••A partir das informações do site, discutam também sobre os prejuízos à saúde
provocados pelos anabolizantes.
••Ao final, organize os alunos em grupos para que eles produzam um painel com
informações sobre o uso de anabolizantes e seus prejuízos. O painel pode ser feito
em papel kraft e deve incluir informações escritas e imagens relacionadas com esse
assunto. Se possível, o painel deve ser fixado em um local da escola ao qual toda a
comunidade escolar tenha acesso, sensibilizando as demais pessoas.

Valores
em ação Disciplina para conquistar
P. 174
nossos objetivos
Essa seção propõe aos alunos uma reflexão sobre a importância da disciplina para
alcançar nossos objetivos. Ela mostra um exemplo real de um músico que por meio de
muito estudo obteve grandes conquistas.

Objetivos pensam sobre esse tipo de trabalho e como


ele contribui para a inclusão. Espera-se que os
••Compreender o que é disciplina.
alunos reflitam que essa oportunidade permi-
••Perceber a importância da disciplina para te o contato com diferentes conhecimentos e
alcançar objetivos.
culturas, e que pode despertar talentos, exer-
Comentário citar a disciplina e evitar que muitas pessoas
se envolvam com situações prejudiciais, como
••João Carlos Martins faz parte de uma orques-
o uso de drogas.
tra que visa a inclusão social por meio da
música. Questione os alunos sobre o que eles

Respostas
1.
Os alunos devem destacar os seguintes trechos: todos os dias. Como resultado, ele observa que,
“almoçava em casa e, já às 14h, estava no piano. com o tempo, os alunos sentem vontade de estu-
Seguia até as 20h”, “jamais dei trabalho aos meus dar cada vez mais.
pais nesse sentido: fazia questão de cumprir a 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem citar exem-
missão sozinho”. plos, como obter bons conceitos nas disciplinas da
2. O maestro recomenda a disciplina nos estudos, escola, participar de algum campeonato esportivo,
estabelecendo determinado tempo de estudo aprender a tocar um instrumento, entre outros.

79

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 79 8/1/16 3:40 PM


P. 175 a 177 Atividades
Respostas

1.
Espera-se que os alunos expliquem que, durante a massa muscular, melhorar o desempenho nos
contração, os músculos ficam mais curtos e mais esportes e reduzir a gordura corporal.
espessos. Durante o relaxamento, o comprimento dos c ) O uso inadequado de anabolizantes pode gerar
músculos aumenta e eles tornam-se mais delgados. diversos problemas como, durante a adolescên-
2. a ) liso; estômago. cia, interromper precocemente o crescimento,
b ) cardíaco; coração. gerando estatura baixa; em adultos pode gerar o
aparecimento de tumores, hipertensão, ataque
c ) esquelético; voluntários.
cardíaco, acne, agressividade, entre outros. Além
3. Músculo estriado esquelético. disso, nos homens, calvície, impotência, dor ao
4. Resposta pessoal. Verifique a coerência das respos- urinar, crescimento das mamas; e nas mulheres,
tas dos alunos. É importante que eles relacionem engrossamento da voz, crescimento de pelos no
corretamente o músculo ao movimento executado. corpo, perda de cabelo, aparecimento de barba e
5. Esse cálculo pode ser feito por regra de três ou multi- diminuição das mamas.
plicando-se 50 kg por 45 e dividindo-se por 100. O d ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon-
resultado é 22,5 kg. dam que sim, pois ela ajuda a informar e a cons-
6. a ) Resposta pessoal. cientizar as pessoas sobre as consequências do
b ) Espera-se que os alunos respondam que, durante uso dessas drogas.
a prática de exercícios, devemos ingerir água sufi- 9.
a ) Resposta pessoal.
ciente para evitar a desidratação e, com isso, a b ) A prótese apresentada na reportagem apresenta
cãibra. baixo custo, o que a torna acessível às pessoas de
c ) Os alunos podem comentar que o alongamento baixa renda.
antes da atividade física estimula a extensão das c ) Essas próteses permitem que as pessoas realizem
fibras musculares e melhora a flexibilidade do algumas tarefas que não seriam feitas sem esses
corpo. O alongamento após a realização do exercí- equipamentos. O simples fato de ter uma mão de
cio físico libera as tensões e relaxa os músculos, apoio ao sentar-se ou levantar-se, conseguir
contribuindo para a prevenção das cãibras. executar algumas tarefas de limpeza da casa ou
7. I – b; II – a. higiene pessoal de forma independente, contribui
Anaeróbicas: que não utiliza oxigênio, que não ocorre para melhorar a qualidade de vida dessas pessoas.
na presença de oxigênio. d ) Resposta pessoal. Os alunos podem comentar que
Aeróbicas: que utiliza oxigênio, que ocorre na presen- esse tipo de impressora pode produzir objetos
ça de oxigênio. como calçados, réguas, fones de orelha, instru-
mentos musicais, entre outros. Esse instrumento,
8. a ) Os anabolizantes são hormônios sintéticos geral- em geral, diminui o custo da fabricação e permite a
mente derivados do hormônio masculino testoste- uma pessoa confeccionar diferentes objetos.
rona.
e ) Os alunos devem relacionar o sistema de alavan-
b ) Os anabolizantes podem ser utilizados com pres- cas com a contração muscular e com os nervos
crição médica em casos de reposição hormonal, envolvidos, que tornam possíveis os movimentos
por exemplo. Porém, em geral, as pessoas que de nossas mãos.
utilizam sem prescrição buscam aumentar a

P. 177
Verificando rota
Respostas
1.
Resposta pessoal. Se necessário, os alunos devem 2.
Resposta pessoal. Se necessário, os alunos devem
complementar ou corrigir suas respostas incluindo complementar ou corrigir suas respostas incluindo
que, para a realização dos movimentos retratados características da pele, como a presença de
na fotografia, é necessária a participação de ossos, manchas, verrugas, cicatrizes, acne, bem como
músculos e articulações. Entre as características anexos da pele, como unhas e pelos. Ao abordar a
que os ginastas devem apresentar estão a resis- importância desse órgão, os alunos devem citar
tência muscular e o condicionamento físico. que a pele reveste o corpo, protegendo-o da ação

80

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 80 8/1/16 3:40 PM


de agentes externos; participa da regulação da proteção de órgãos, reserva de minerais, entre

5
temperatura; da percepção de estímulos do outras funções.

UNIDADE
ambiente; da excreção e da síntese de vitamina D. 4.
Resposta pessoal. Se necessário, os alunos devem
3. Resposta pessoal. Se necessário, os alunos devem complementar ou corrigir suas respostas incluindo
complementar ou corrigir suas respostas incluindo que os músculos estão ancorados nos ossos e
que as articulações são pontos de encontro entre participam dos movimentos se contraindo e rela-
ossos e entre ossos e outras estruturas, propor- xando. Para nos locomovermos, são necessários,
cionando mobilidade a esses pontos. Os ossos além dos músculos, ossos, articulações, tendões e
são importantes para a sustentação do corpo, informações vindas do encéfalo.

Ampliando
fronteiras Você se conhece? E gosta de
P. 178 e 179
quem você é?
Nesta seção é trabalhado o Tema Convergente Gênero e Diversidade, por
meio da utilização de imagens e da leitura de um texto sobre autoestima, de
autoria de uma psicóloga. Esse é um tema bastante relevante na adolescência,
Raul Aguiar

fase na qual ocorrem diversas transformações físicas e hormonais, influencian-


do gostos e interesses.

Objetivos ••Pergunte aos alunos se acham que a mídia


apresenta algum padrão de beleza e como ele
••Reconhecer suas próprias qualidades.
seria. Com essa questão, espera-se que os
••Reconhecer algumas de suas características.
alunos comentem que, em geral, as mulhe-
••Valorizar as diferenças entre as pessoas. res que aparecem na mídia são magras,
••Compreender que não existe um ideal de bele- estão sempre vestidas com roupas da moda e
za ou ações. maquiadas. Já os homens possuem músculos
Comentários definidos e também usam roupas e acessórios
da moda.
••Para iniciar esse tema, comente com os alunos
que no convívio em sociedade nos relacio- ••A autoestima direciona a maneira com que
uma pessoa reage às situações do dia a dia.
namos com pessoas com gosto, opiniões e
Diante de um problema, por exemplo, ela pode
aparências variadas. Durante esses relaciona- acreditar que ele será resolvido facilmente ou
mentos, surgem emoções variadas, sentimen- que terá dificuldades para resolvê-lo.
tos positivos e algumas frustações. É importan-
te reconhecer nossos sentimentos, aprendendo
a conviver com diferentes pessoas. Acesse
••Converse com os alunos sobre as mudanças Se possível, trabalhe também com os alunos
que ocorrem no corpo durante a adolescência, o texto apresentado no site a seguir, sobre
como maior crescimento de algumas partes, autoestima.
aumento na quantidade de pelos, mudanças O poder da autoestima.
na voz dos meninos, entre outras. Explique <http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESPS/
que nessa fase cada pessoa tem um ritmo de Edicoes/80/artigo266443-1.asp>.
desenvolvimento próprio e que isso pode ser Acesso em: 20 jul. 2016.
motivo de angústia para algumas pessoas.

81

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 81 8/1/16 3:40 PM


Raul Aguiar

Respostas
1. Resposta pessoal. sim, pois o autoconhecimento permite que as pesso-
as reconheçam suas qualidades e limitações, invis-
2. Resposta pessoal. Os alunos podem concluir que
tam em atividades que valorizem seu potencial e, ao
cada indivíduo tem gostos e características dife-
mesmo tempo, trabalhem para melhorar suas
rentes, e que o que agrada uma pessoa pode não
imperfeições.
agradar a outra, questionando, assim, os padrões
4.
Resposta pessoal. Os alunos podem comentar que,
de beleza veiculados nos meios de comunicação.
por meio do autoconhecimento, é possível lidar de
Ressalte que cada ser humano traz uma bagagem
forma mais adequada com situações que podem
de vivências e sentimentos que resultam em afetar a autoestima, como notas baixas em provas,
comportamentos diferentes. timidez para fazer perguntas em classe, trabalhos
3. Resposta pessoal. Os alunos podem responder que em grupo com apresentação oral, etc.

Atividade complementar Bate-papo

•• Se achar conveniente, como estratégia para iniciar a atividade proposta nesta seção,
organize os alunos em círculo, fazendo as seguintes perguntas para cada um.
a ) Qual é o seu nome?
b ) Você gosta de seu nome? Por quê?
c ) Você sabe por que recebeu esse nome? Conte aos colegas.
••Esse momento favorece a socialização entre os alunos, uma reflexão sobre si
mesmo e sobre o tema que será trabalhado.

82

2_m17_esm_mp_8cvc_u5_p070a082.indd 82 8/1/16 3:40 PM


UNIDADE

6
Coordenação e

UNIDADE
sentidos

Objetivos Conceitos

• Compreender a importância do • Sistema nervoso.


sistema nervoso. • Tecido nervoso.
Coordenação • Identificar as principais células
CAPÍTULO

• Sistema nervoso central.


12 e controle do que formam o tecido nervoso.
• Lesões na medula óssea.
corpo humano • Conhecer como ocorre a • Sistema nervoso periférico.
transmissão de um impulso
nervoso em um neurônio. • Sistema nervoso periférico
somático.
• Diferenciar o sistema nervoso
central do sistema nervoso • Sistema nervoso periférico
periférico. autônomo.
• Conhecer alguns tipos de • Sistema endócrino.
lesões na medula espinal.
• Conhecer a importância do
sistema endócrino.
• Reconhecer as principais
glândulas endócrinas do corpo
humano.
• Conhecer algumas disfunções
endócrinas.
CAPÍTULO

• Compreender a relação entre • Os sentidos do corpo


13 Os sentidos os órgãos do sentido e o humano e os órgãos
sistema nervoso central. relacionados a eles.
• Identificar partes do olho • Miopia, hipermetropia e
humano, bem como suas astigmatismo.
estruturas acessórias. • Língua Brasileira de Sinais.
• Diferenciar miopia, • As orelhas e o equilíbrio.
hipermetropia e astigmatismo. • Sistema Braille.
• Identificar as principais partes • Ilusões sensoriais.
que compõem a orelha.
• Os efeitos do álcool no
• Compreender como os estímulos organismo.
sonoros são percebidos.
• Compreender como ocorre a
percepção dos cheiros.
• Compreender como ocorre a
percepção dos gostos.
• Identificar a pele como órgão
relacionado à percepção de
sensações táteis, térmicas e
de dor.

83

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 83 8/1/16 3:41 PM


P. 180 e 181 Abertura da unidade
•• Ao abordar a imagem das
páginas de abertura, comente
com os alunos que o xadrez é
um tipo de jogo de tabuleiro,
que se caracteriza por utilizar
um tabuleiro de madeira, papel
ou outro material. Questione-os
se eles conhecem outro tipo
de jogo de tabuleiro e se esse
jogo exige raciocínio por parte
dos jogadores, ou se é baseado
prin­cipalmente na sorte.
•• Se achar conveniente e se
for possível, leve um tabulei-
ro de xadrez para a sala de
aula, apresente-o aos alunos
e forneça mais informações
sobre esse jogo.
•• A legenda da imagem dessas páginas cita três modalidades de xadrez: o clássico, o
rápido e o blitz. Comente com os alunos que essas modalidades são diferenciadas,
basicamente, pelo tempo de jogo destinado à reflexão do jogador para planejar as
Acesse jogadas. Nas partidas de blitz, o tempo de refle-
Para mais informações sobre o jogo de xadrez xão de cada jogador é de 10 minutos ou menos;
e suas regras, acesse o site da Confederação no xadrez rápido, o tempo de reflexão de cada
Brasileira de Xadrez (CBX). jogador é de mais de 10 minutos, não ultrapas-
<www.cbx.org.br/files/downloads/Lei_do_ sando 60 minutos; no xadrez clássico ou padrão,
xadrez_versao_em_lingua_portuguesa.pdf>. o tempo de reflexão de cada jogador é de, pelo
Acesso em: 21 jul. 2016. menos, 60 minutos.
••Após trabalhar a questão 2, pergunte aos alunos
qual é o principal sentido utilizado no xadrez. Espera-se que eles percebam que o
principal sentido utilizado pelo jogador Magnus Carlsen durante a partida de xadrez
é a visão. No entanto, esse jogo também pode ser realizado por pessoas com deficiên-
cia visual. Nesse caso, o tabuleiro e as peças são adaptados para permitir o uso de
outros sentidos, como o tato e a audição.
As adaptações de tabuleiros de xadrez para portadores de deficiência são varia-
das. Se possível, leve um desses tabuleiros adaptados para a sala de aula.

Atividade complementar Jogos de raciocínio

Os jogos de raciocínio, como o xadrez, são muito importantes para o processo


de aprendizagem, pois incentivam, por exemplo, o planejamento, a organização, a
análise de situações e a tomada de decisões. Assim, leve os alunos ao laboratório
de informática da escola e peça a eles que acessem o site <https://rachacuca.com.
br/jogos/tags/raciocinio/>, que disponibiliza diferentes jogos de raciocínio on-line.
Se preferir, você pode levar para a sala de aula alguns jogos de raciocínio e distri-
buí-los entre os alunos.
Muitos dos jogos de raciocínio, como o Sudoku, envolvem conhecimento mate-
mático. Por isso, se achar conveniente, realize essa atividade com o professor de
Matemática.

84

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 84 8/1/16 3:41 PM


Respostas

6
1. Resposta pessoal. Os alunos podem comentar relacionado ao pensamento, à memória e à coorde-

UNIDADE
que a expressão de Magnus revela que ele está nação dos movimentos, os quais são muito impor-
concentrado, pensativo, raciocinando, tenso, entre tantes para que ele possa jogar xadrez. Em relação
outras expressões. aos sentidos, Magnus utiliza a visão, pois precisa
2. Espera-se que os alunos respondam que, para traçar observar o jogo para traçar suas estratégias e joga-
as estratégias de jogo, Magnus utiliza principalmente das; por isso os olhos também são órgãos importan-
o encéfalo, ou a parte mais conhecida desse órgão, o tes para o jogador de xadrez.
cérebro. Isso ocorre porque o encéfalo é o órgão 3. Resposta pessoal.

CAPÍTULO
12 Coordenação e controle do corpo humano
P. 184 e 185
••As células nervosas são capazes de transformar um estímulo (químico, elétrico
ou mecânico) em um impulso nervoso. Quando em repouso, ou seja, quando não
estão transmitindo um impulso nervoso, os neurônios apresentam uma diferen-
ça de cargas elétricas entre o lado interno e o externo da membrana celular, o
chamado potencial de repouso, que, geralmente, corresponde a -70 mV. A face da
membrana voltada para o interior da célula possui carga negativa, enquanto sua
face externa possui carga positiva. Essa diferença de cargas é resultado da variação
na concentração de íons sódio e potássio no meio intracelular e extracelular. Nesse
estado, a célula nervosa é dita polarizada. Alterações na polaridade da membrana
celular dos neurônios podem gerar um potencial de ação ou impulso nervoso, que
se propaga ao longo da célula nervosa. Veja, a seguir, como ocorre a formação e a
transmissão do impulso nervoso em um neurônio.
A membrana celular dos neurônios possui canais
Rogério Casagrande

I iônicos, os quais podem abrir ou fechar por ação


de estímulos que chegam à célula. Em repouso, os
neurônios apresentam maior concentração de íons
sódio (Na+) no meio extracelular e maior concentração
de íons potássio (K+) no meio intracelular.
Quando um estímulo chega à membrana celular
II do neurônio, um grupo específico de canais iônicos,
presentes na região que recebeu o impulso, se abre.
Como resultado, íons Na+, que possuem carga
elétrica positiva, entram na célula (I), tornando o meio
intracelular menos negativo, o que caracteriza o início
da despolarização da membrana celular do neurônio.
III
Como resultado ocorre a formação de um potencial
de ação, ou impulso nervoso, que se caracteriza
pela rápida alteração do potencial de membrana e
pela inversão momentânea da polaridade, ou seja,
por um curto intervalo de tempo, o lado interno da
membrana celular fica positivo e o lado externo,
IV negativo (II).
Essa alteração nas cargas elétricas da célula nervosa
interfere nos canais iônicos de regiões adjacentes
da membrana do neurônio. Esses canais também
se abrem, permitindo a ocorrência dos eventos
íon sódio (Na+) citados anteriormente, mas agora nessa região da
íon potássio (K+) membrana celular (III). Assim, ocorre a propagação
impulso nervoso do impulso nervoso ao longo do axônio, por meio de
despolarizações sequenciais da membrana celular.
A despolarização da membrana celular não é contínua. Após um curto intervalo de tempo, os canais de sódio se fecham e
os de potássio se abrem. Assim, íons K+ passam a se deslocar para fora da célula, provocando a repolarização da célula e o
retorno ao potencial de repouso da membrana (IV).

85

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 85 8/1/16 7:26 PM


P. 188
••Após abordar a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson, comente com os
alunos sobre outra doença infecciosa que afeta o sistema nervoso, a poliomielite.
Para isso, utilize as informações a seguir.
A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença infecciosa
causada por um vírus denominado poliovírus.
A transmissão desse vírus pode ocorrer pelo contato direto com pessoas infecta-
das ou por meio de água e alimentos contaminados por fezes que apresentam o
vírus causador da doença. Dessa forma, as más condições de saneamento e a falta
de higiene favorecem a dispersão do vírus.
Quando entra na corrente sanguínea, ele se espalha por todo o corpo, afetando
principalmente o sistema nervoso. O vírus pode provocar a destruição de neurônios
motores e, com isso, causar a paralisia de alguns músculos. Essa paralisia pode ser
temporária ou permanente e, geralmente, afeta mais os membros inferiores.
Não existe um tratamento específico para a poliomielite, portanto, a melhor forma
de combater essa doença é a prevenção. A melhoria do sistema de saneamen-
to básico e as práticas de higiene também são fundamentais para a redução dos
casos de poliomielite. Além disso, a vacinação tem grande importância no combate
a essa doença.
P. 189 ••Se julgar conveniente, apresente aos alunos informações sobre como funcionam as
anestesias. Para isso, leia o texto a seguir.
Fique ligado!

Anestesia
Durante alguns procedimentos médicos, é essencial a utilização de uma substância anestésica, que age no sistema
nervoso e evita que o paciente sinta dor.
Existem diversos tipos de anestesia. A anestesia geral age sobre todo o corpo, deixando a pessoa inconsciente. Já a
anestesia local ou parcial age apenas em determinada parte do corpo, e o paciente pode ou não permanecer acordado. A
equipe cirúrgica, que inclui um médico anestesista, decide o melhor tipo de anestesia a ser utilizado em cada caso.
Um tipo de anestesia muito utilizado em algumas cirurgias, como no caso das cesarianas, é a raquianestesia, ou
simplesmente raqui. Ela deixa toda a região inferior do abdome imobilizada. A pessoa pode permanecer acordada, mas
não sente dor nem é capaz de mover a região anestesiada.

P. 191 ••Ao trabalhar os nervos, comente com os alunos que o nervo ciático é o maior nervo
do corpo humano, tanto em comprimento quanto em espessura. Ele se inicia na
região do quadril e percorre a coxa até a altura do joelho, onde se divide em dois
grandes ramos. O nervo ciático é formado por neurônios sensitivos e motores e,
portanto, é classificado como nervo misto.
P. 195 ••Após trabalhar com os alunos as disfunções da tireoide, apresente a eles alguns
problemas gerados por disfunções na hipófise, como o gigantismo, a acromegalia
e o nanismo. Explique-lhes que a secreção excessiva do hormônio do crescimento
durante a infância pode provocar o gigantismo, que se caracteriza pelo crescimen-
to exagerado dos ossos. Nesses casos, a pessoa atinge uma estatura muito acima
do padrão.
Já o excesso de secreção do hormônio do crescimento na fase adulta pode causar a
acromegalia. Esse problema se caracteriza pelo crescimento excessivo das mãos e dos
pés e de outras partes do corpo, como as pálpebras, o nariz, os lábios e a língua.
A deficiência na secreção do hormônio do crescimento na infância pode causar o
nanismo, no qual a pessoa adulta atinge estatura abaixo do padrão.

86

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 86 8/1/16 3:41 PM


Valores

6
Respeito ao idoso

UNIDADE
em ação
P. 196 Ao longo de quase toda a história do Brasil, o país se caracterizou pela população
composta principalmente por jovens e crianças. Atualmente, nosso país tem apresen-
tado uma alteração nesse padrão, apontando para o envelhecimento da população.
A convivência com idosos é algo cada vez mais comum e exige a conscientização de
toda a população sobre a importância do respeito a esse grupo etário. A presente
seção busca desenvolver e intensificar esse valor.

Objetivos ••Ao abordar as projeções do número de idosos


no Brasil, comente com os alunos que, de acor-
••Incentivar o respeito ao idoso.
do com a Organização das Nações Unidas
••Conscientizar de que o envelhecimento é um (ONU), atualmente, uma em cada dez pessoas
processo natural e inevitável. no mundo possui 60 anos ou mais e estima-se
•• Mostrar que o número de idosos tende a aumen- que esse valor se altere para 1 a cada 5 habi-
tar ao longo dos anos. tantes em 2050.
••Apresentar trechos do Estatuto do Idoso. ••Se possível, peça aos professores de História
e de Geografia para abordarem com os alunos
Comentários
o padrão de distribuição das faixas etárias
•• Antes de iniciar a leitura da seção, questione os no Brasil, ao longo dos anos e na atualidade.
alunos se eles conhecem alguma pessoa idosa. Com isso, espera-se que os alunos observem e
Em caso afirmativo, pergunte a eles se essa compreendam que a população brasileira está
pessoa possui uma vida saudável, pratica ativida- envelhecendo e que reflitam sobre os possíveis
des físicas, é independente, entre outras caracte- fatores relacionados a tais mudanças.
rísticas. ••Comente com os alunos que o envelhecimen-
••Comente que o termo idoso se refere a pesso- to da população é um processo que ocorre em
as com idade igual ou superior a 60 anos. outros países do mundo.
••Ao citar que o envelhecimento está associado ••Enfatize a eles que o aumento da longevidade da
ao desenvolvimento de determinadas doenças, população indica, em geral, melhores condições
como Parkinson e Alzheimer, retome com os de vida na região em que habitam.
alunos as informações abordadas na página
188.
Acesse
••Enfatize a importância de hábitos saudáveis e
da prática de atividades físicas não apenas na Acesse o Estatuto do Idoso no site sugerido a
seguir.
velhice, mas durante toda a vida. É importante
<www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/
que as pessoas idosas se mantenham ativas, o L10.741.htm>.
que colabora para o funcionamento adequado
Acesso em: 21 jul. 2016.
do organismo.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder experiência de vida. Além disso, espera-se que
que o convívio familiar e social contribui para uma eles também percebam que os idosos podem não
melhora na qualidade de vida emocional dos ter condições de saúde adequadas para aguarda-
idosos, pois o desrespeito e o abandono em asilos rem em filas, principalmente, em pé. Além dos
ou clínicas especializadas ainda é recorrente. Com problemas próprios da idade, como a urgência
relação ao atendimento preferencial e imediato, urinária e, em muitos casos, a necessidade de
espera-se que os alunos percebam que isso indica acompanhante, os idosos podem apresentar
respeito aos idosos, que são pessoas com mais sérios problemas de saúde.

87

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 87 8/1/16 3:41 PM


2. Os alunos podem citar exemplos como: não e ao conhecimento adquiridos ao longo da vida.
ocupar as vagas de estacionamento e os assentos 4.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar que o
em transportes públicos destinados a idosos, visi- relacionamento com os idosos permitiu que eles
tar idosos em asilos, escutar e conversar com os se tornassem mais pacientes e generosos, por
idosos da família, auxiliá-los a atravessar a rua, exemplo. A convivência com idosos também pode
dedicar um tempo do dia ou da semana para proporcionar a busca de sonhos, a ajuda para lidar
conviver com eles, entre outras atitudes. com sentimentos de perda e resolver conflitos
3. Resposta pessoal. Os alunos podem citar qualida- familiares. Assim, os idosos podem ser exemplos
des como: a sabedoria, a sensatez, a prudência e a para os jovens de valorização da sua própria
maior facilidade na resolução de problemas e saúde, identidade e vida.
conflitos, qualidades relacionadas à experiência

P. 197 e 198 Atividades


Respostas
1. 1 - sensitiva; 2 - integradora; 3 - motora. res no espaço entre os dois neurônios. Estas
a ) A – dendritos; B – corpo celular; C – axônio.
2. substâncias ligam-se a receptores presentes na
b ) O impulso nervoso sempre segue na direção membrana do neurônio subsequente. Com isso,
dendritos corpo celular axônio. há a transmissão do impulso nervoso de um
neurônio para outro.
c ) Quando o impulso nervoso atinge a extremidade
do axônio, o neurônio secreta neurotransmisso-

3.
Glândula Hormônio produzido Efeitos no organismo
Prolactina Estímulo à produção de leite.
Hipófise FSH Estímulo à produção de gametas.
Hormônio do crescimento Crescimento geral do corpo.
Pâncreas Insulina e glucagon Controle dos níveis de glicose no sangue.
Maturação dos espermatozoides;
Testículos Testosterona
desenvolvimento das características sexuais masculinas.
Regulação do metabolismo de determinados nutrientes;
Tireoide Hormônios tireoidianos influenciam o crescimento e desenvolvimento do tecido nervoso e
do organismo como um todo.
Paratireoide Paratormônio Controle dos níveis de cálcio e fosfato no sangue.
Andrógenos Hormônios sexuais masculinos.
Controle dos níveis de íons sódio (Na+) e potássio (K+) no
Mineralocorticoides
organismo.
Regulação do metabolismo;
Suprarrenais
Glicocorticoides é liberado em situações de estresse e também atua em processos
inflamatórios.
Preparação do organismo para uma situação de emergência ou
Adrenalina e noradrenalina
estresse.
Maturação dos gametas femininos; desenvolvimento das
características sexuais femininas;
Ovários Estrógeno e progesterona
controle do ciclo menstrual;
manutenção da gravidez.

88

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 88 8/1/16 3:41 PM


4. a ) Resposta pessoal. O sistema nervoso e o sistema citar o afastamento de um braço em caso de

6
situação de perigo, como fogo, ferimento com

UNIDADE
endócrino têm a função de coordenar o funciona-
mento de órgãos e tecidos. materiais cortantes, entre outros. Nos reflexos,
b ) No sistema nervoso, a comunicação para que a ação é involuntária e o estímulo chega até a
ocorra a coordenação é feita por meio de medula espinal, a qual gera um impulso de
impulsos nervosos. Já no sistema endócrino, resposta para os músculos. No caso do goleiro,
essa comunicação é feita por meio de substân- o estímulo é interpretado no encéfalo e, conscien-
cias químicas, os hormônios. temente, o goleiro toma uma decisão, a qual
resulta em uma resposta voluntária.
5. a ) O estímulo (movimento da bola) é captado
pelos olhos e, por meio de nervos sensitivos, é 6.
a ) A adrenalina é um hormônio produzido pelas
encaminhado, em forma de impulsos nervosos, glândulas suprarrenais. Esse hormônio prepara
até o encéfalo. Nesse órgão, o estímulo é inter- nosso corpo para situações de emergência ou
pretado e, então, é gerado um novo impulso estresse.
como resposta. Esse impulso é transmitido por b ) Os alunos podem citar situações de emergên-
meio de nervos que compõem o sistema nervo- cia ou estresse como: atrasos na conclusão das
so periférico somático até os músculos, resul- obras e na entrega de equipamentos, imprevis-
tando nos movimentos necessários para que o tos como panfletos impressos errados, obras
goleiro defenda o chute. fora do padrão, prazos curtos para a execução
b ) Como exemplo de reflexo, os alunos podem de tarefas, entre outros.

CAPÍTULO
13 Os sentidos
P. 203 ••Os problemas de visão podem ser corrigidos com o uso de óculos, dotados de
lentes específicas para cada caso. A miopia é corrigida por lentes divergentes, a
hipermetropia, por lentes convergentes, e o astigmatismo, por lentes cilíndricas.
A seguir, estão representadas as lentes divergente e convergente. Devido às suas
características, as lentes cilíndricas são de difícil representação e, por isso, não são
apresentadas abaixo.

Fotografias: Tefi/Shutterstock.com/ID/BR
lente lente
Representações
sem proporção
de tamanho.
Cores-fantasia.

As lentes divergentes são usadas para As lentes convergentes são usadas para
corrigir a miopia. corrigir a hipermetropia.

••Se achar conveniente, comente com os alunos que, atualmente, existem técnicas
cirúrgicas que permitem reverter a miopia, o astigmatismo, a hipermetropia e a opaci-
dade da córnea. Uma dessas técnicas se baseia no uso do laser. Em casos de miopia,
o laser é utilizado para tornar a córnea mais plana, removendo tecido de sua região
central; nos casos de hipermetropia, o laser é utilizado para tornar a córnea mais
curva, removendo tecidos de suas regiões periféricas; para a correção do astigma-
tismo, a remoção de tecido pelo laser é feita em pontos específicos da córnea.

89

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 89 8/1/16 3:41 PM


Lendo
Entrevista
P. 208 e 209 Muitas vezes, as deficiências são vistas como algo que torna as pessoas muito
diferentes umas das outras. No entanto, a maioria dos deficientes considera que apre-
sentam um estilo de vida semelhante aos das pessoas não deficientes. A presente
seção possibilita conhecer, a partir de relatos dos próprios deficientes, como eles
lidam com a sua deficiência e com as demais pessoas.

Objetivos a Libras. O mesmo pode ser estendido para


outras deficiências. Saber como lidar com as
•• Conhecer relatos do cotidiano de uma pessoa
diferenças é muito importante e essencial para
com deficiência na fala e de um deficiente visual.
um bom relacionamento entre todos.
••Incentivar o respeito às diferenças.
••Ao abordar a entrevista com Maurício Negriso-
Comentários li, enfatize a importância da acessibilidade nos
diferentes ambientes. Peça para os alunos cita-
••Ao abordar as entrevistas, comente com os
rem algumas adaptações voltadas às pessoas
alunos sobre a importância de os pais ou
com deficiência visual e da fala. Se achar conve-
responsáveis prestarem atenção no compor-
niente, comente sobre a acessibilidade a deficien-
tamento de seus filhos e, caso percebam que
tes motores, os quais necessitam de rampas de
algo pode estar errado, levá-los a especialistas.
acesso, ambientes mais amplos e adaptados e
Tratar corretamente uma deficiência, principal-
elevadores especializados, por exemplo.
mente em crianças, auxilia no desenvolvimento
e no processo de aprendizagem. ••Explique aos alunos que soroban é um ábaco
japonês. O ábaco é um tipo de quadro que
••Enfatize que pessoas deficientes não devem permite representar e operar os números por
ser discriminadas, mas sim tratadas com o meio de estruturas, como pequenas esferas,
devido respeito e cuidados especiais, quando que deslizam em hastes fixas. Se possível, leve
necessários. um soroban para a sala de aula e apresente-o
••Pergunte aos alunos como eles lidam com aos alunos. Permita-lhes que manipulem esse
pessoas com deficiência na fala. Muitas vezes, instrumento para que percebam como o senti-
alguns comportamentos são resultado da falta do do tato é importante.
de informação e preparo para lidar com tal defi- ••A presente seção pode ser trabalhada com os
ciência. É possível que a maioria, se não todos, boxes complementares das páginas 206 e 214.
não dominem a língua dos sinais. Questione- Se possível, reproduza os sinais do alfabeto em
-os se eles se sentiriam mais à vontade para Libras com os alunos e leve para a sala de aula
se relacionar com um surdo se conhecessem um exemplo de texto em Braille.

Respostas Antes da leitura


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos citem que perceberiam o mundo somente pelo toque
que o dia a dia de uma pessoa com deficiência em seres vivos e objetos e apresentariam algumas
depende das limitações geradas pelo tipo de defi- dificuldades de comunicação.
ciência que ela possui. Entretanto, a maior parte 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar que a
dos deficientes pode apresentar dificuldades rela- entrevista é sobre as dificuldades apresentadas
cionadas à mobilidade, ao transporte e à realiza- pelos deficientes para trabalhar, se relacionar e
ção de algumas atividades cotidianas. realizar diferentes atividades cotidianas.
2. Resposta pessoal. Os alunos podem responder

90

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 90 8/1/16 3:41 PM


6
Respostas Durante a leitura

UNIDADE
1. a
) Os alunos podem procurar pelas palavras resposta da segunda pergunta da entrevista, que
pedagogia, articulação e braille, que são encon- traz o relato de Maurício sobre caminhar pelas
tradas facilmente no dicionário. ruas e cidades que não possuem acessibilidade.
b ) Os alunos devem identificar o trecho corres- 2. Espera-se que os alunos relatem que Sheila
pondente ao final da resposta à segunda conversa com outras pessoas por meio da comu-
pergunta, que se inicia com o relato de Sheila nicação visual, da leitura labial e da Língua Brasi-
sobre o fato de ela não ter dificuldades na esco- leira de Sinais (Libras). Maurício realiza a leitura
la, mas sim de enfrentar o preconceito em de textos pelo Sistema Braille, por meio de alguns
determinadas situações na sociedade. sites adaptados para deficientes visuais na internet
c ) Os alunos devem sublinhar o trecho relativo à e executa cálculos por meio do soroban.

Respostas Depois da leitura


1. Resposta pessoal. as conheçam mais a respeito da deficiência auditi-
2. A família de Sheila soube que ela era surda apenas va. Para isso, é importante educar as crianças,
quando ela tinha 2 anos de idade, após um médico realizar campanhas de sensibilização e divulgar
observá-la brincando com outras crianças e orien- essas informações nas mídias e redes sociais. Em
tar a família para que investigasse a possibilidade relação aos desafios citados por Maurício, os
da surdez. Após vários exames, o médico concluiu alunos podem sugerir uma regulamentação em
que Sheila era surda profunda. Em relação ao relação aos sites, para que sejam obrigados a se
Maurício, sua família descobriu que ele era deficiente tornarem acessíveis às pessoas com deficiência
visual antes de ele completar 1 ano de idade, pois
visual e aos surdos, indicar a capacitação de
observaram que não olhava quando era chamado,
nem quando lhe mostravam algum objeto. pessoas que trabalham na área de informática, a
fim de que conheçam a realidade e a necessidade
3.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos perce-
bam que a falta de conhecimento sobre as deficiên- das pessoas com deficiência visual. Em relação às
cias contribui para o preconceito, inclusive para as dificuldades relacionadas ao deslocamento nas
pessoas pensarem que todos os surdos são iguais, cidades, eles podem mencionar que se deve exigir
apenas porque têm a mesma deficiência. do poder público a acessibilidade do mobiliário
4. Resposta pessoal. Os alunos podem citar que os urbano, além de realizarem campanhas de sensi-
desafios mencionados por Sheila podem ser dimi- bilização sobre as necessidades das pessoas com
nuídos, ou mesmo desaparecerem, caso as pesso- deficiência visual.

P. 214 ••Ao abordar o sistema Braille, comente com os alunos que, para auxiliar as pessoas
com deficiência visual, também são utilizados cães-guia, treinados para esse fim.
Veja, a seguir, outras informações sobre os cães-guia.
Os cães-guia foram treinados pela primeira vez durante a Primeira Guerra Mundial. Os
alemães treinavam cães para levarem mensagens até os soldados. Após a guerra,
esses treinadores perceberam a importância de treinar os cães para ajudar os
soldados que voltavam com deficiências visuais. Em seguida, esses treinadores
passaram a treinar cães para auxiliar outras pessoas que também possuíam defi-
ciências visuais. Em 1928, na Suíça, um treinador mostrou que um cão era capaz
de atravessar ruas movimentadas e conduzir uma pessoa com deficiência visual,
ampliando, assim, a sua capacidade de mobilidade.
Atualmente, existem escolas que treinam cães-guia em todo o mundo. As prin-
cipais raças utilizadas para treinamento são os labradores, os golden retrievers e
os pastores-alemães. Os cães são selecionados ainda filhotes, de acordo com o

91

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 91 8/1/16 3:41 PM


temperamento, que deve ser dócil. Além disso, devem apresentar a capacidade de
aprender e tomar iniciativas. Inicialmente, eles são levados a famílias voluntárias,
com quem moram e onde recebem um treinamento básico. Essas famílias levam
os cães para passearem em lugares públicos para que se adaptem a andar em
lugares movimentados e com obstáculos pelos caminhos. Essa fase de permanên-
cia com as famílias dura de 12 a 18 meses e, posteriormente, os cães são enviados
a um treinador, com quem ficarão por até seis meses. Depois desse treinamento
inicial, a pessoa com deficiência visual aprende a lidar com o cão e a lhe dar as
ordens necessárias. No final do treinamento, o cão é capaz de levantar e transpor-
tar certos objetos caídos no chão, abrir e fechar portas, acender e apagar luzes,
entre outras ações. Assim, a pessoa com deficiência visual consegue atravessar
ruas ou caminhar em ambientes movimentados e passear em locais como parques
e shopping centers, sem se preocupar com obstáculos no caminho. Desse modo, ele
pode se inserir com mais facilidade na vida social.
Segundo a Lei Federal n. 11 126, de 2005, a pessoa que necessita de cão-guia tem
o direito de permanecer com os animais em estabelecimentos públicos e privados
de uso coletivo. As penas para o estabelecimento ou pessoas que impedirem a
entrada do cão-guia podem envolver multas e até mesmo detenção.
P. 216 ••Se possível, apresente aos alunos mais exemplos de ilusão sensorial. Para isso, faça
fotocópias coloridas e amplificadas das imagens abaixo e apresente-as a eles. Para
cada imagem, pergunte-lhes qual é a primeira percepção que eles têm ao obser-
vá-las e qual é a situação real. Ambas as imagens a seguir dão a impressão de
movimento.

lotan/Shutterstock.com/ID/BR
Guten Tag Vector/Shutterstock.com/ID/BR

92

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 92 8/1/16 3:41 PM


P. 217 a 219 Atividades

6
UNIDADE
Respostas

1. Espera-se que os alunos representem, em seu ser causado por um bulbo ocular curto ou por
desenho, os receptores do órgão do sentido uma lente muito fina.
escolhido sendo estimulados. Em seguida, espera- b ) Maria tem astigmatismo. Nesse problema, a
-se que representem o nervo sensorial enviando o curvatura da córnea é irregular ou a lente tem
estímulo ao encéfalo, onde ocorrerá a interpreta- uma parte mais plana em uma de suas faces.
ção da informação e, dessa maneira, a percepção c ) Carlos tem miopia. Esse problema pode ser
sensitiva. causado por um bulbo ocular alongado ou por
2. Olhos: I - C; II - D; III - A. Orelhas: I - H; II- A; III - B. uma lente muito espessa.
a ) A luz atravessa a córnea, passa pelo humor 6. A catarata prejudica a visão porque torna a lente
aquoso e pela pupila. Em seguida, atravessa a do olho mais opaca. Dessa forma, os raios de luz
lente, onde é desviada, passa pelo humor vítreo
tem mais dificuldade de atravessar a lente ou são
e chega à retina, onde estão os receptores.
desviados de forma inadequada para a retina.
b ) Orelha externa: pavilhão da orelha, meato
acústico externo e membrana timpânica. 7.
O sabor de um alimento é resultante da percepção
Orelha média: martelo, bigorna, estribo, tuba de seu cheiro e de seu gosto. Os cheiros são senti-
auditiva e janela do vestíbulo. Orelha interna: dos pelo nariz, pois, ao colocarmos o alimento na
ductos semicirculares, vestíbulo e cóclea. boca, determinadas substâncias chegam até a
c ) As ondas sonoras atingem o pavilhão da orelha, cavidade nasal, onde estimulam os receptores
entram pelo meato acústico externo e chegam olfatórios. Na boca, substâncias presentes nos
até a membrana timpânica, fazendo-a vibrar. alimentos dissolvem-se na saliva e estimulam
Como consequência, o martelo, a bigorna e o receptores gustatórios. Os estímulos gerados
estribo vibram e transmitem a vibração para a pelos receptores olfatórios e gustatórios são
janela do vestíbulo. Com isso, o líquido presente enviados ao cérebro, onde são interpretados,
no interior da cóclea também vibra, estimulando resultando na identificação do sabor.
os receptores presentes nesse canal. 8. a ) Aos ductos semicirculares e aos vestíbulos.
3. Os alunos podem citar exemplos como os apre- b ) Os dados (input) seriam os movimentos feitos
sentados abaixo. Para isso, basta pesquisar em com a cabeça, os quais resultam na estimulação
livros de zoologia ou em sites confiáveis da inter- das células pilosas, presentes na orelha interna.
net que contenham informações sobre animais.
c ) Porque ao realizar o movimento, o fluído e os cris-
Os morcegos apresentam um aparelho auditivo tais de carbonato de cálcio presentes na orelha
especializado na percepção de ecos resultantes de
interna também se movimentam e, em consequên­
sons que eles próprios emitem. Esse recurso é
cia, as células pilosas são estimuladas. Mesmo
chamado de ecolocalização e, com ele, esses
após parar o movimento do corpo, o fluído e os
animais são capazes de perceber objetos, presas e
cristais na orelha interna continuam em movi-
obstáculos no ambiente.
mento por alguns instantes, mantendo as células
Os cães apresentam o sentido do olfato bastante
pilosas estimuladas, resultando na sensação de
aguçado. A área olfatória do nariz de um ser
tontura após o movimento.
humano mede cerca de 2,5 cm2, enquanto a dos
cães mede cerca de 150 cm2. 9.
a ) A dor é um sinal de que ele pode estar com algum
As águias possuem o sentido da visão bastante tecido ou órgão lesionado. Além disso, a dor faz
acurado, o que é importante para a detecção de ele se movimentar menos, diminuindo as chances
suas presas. Muitas espécies de águias são capa- de que ocorram ainda mais lesões ou um agrava-
zes de enxergar uma lebre a 3 km de distância ao mento da lesão original.
sobrevoarem um campo. b ) O medicamento é o analgésico. Ele diminui a
4. Ao piscarmos, as pálpebras espalham as lágrimas produção de substâncias produzidas pelo corpo
sobre os olhos. Esse líquido tem a importante humano quando um tecido é lesionado, que esti-
função de lubrificar nossos olhos. Quando pisca- mulam os receptores de dor. Dessa maneira,
mos menos, a lubrificação dos olhos fica compro- com a redução dessas substâncias estimulantes,
metida, o que resulta na ardência. ocorre diminuição da sensação de dor.
5. a ) Diogo tem hipermetropia. Esse problema pode c ) Sensações táteis e térmicas.

93

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 93 8/1/16 3:41 PM


P. 219
Verificando rota
Respostas
1. Espera-se que os alunos tenham compreendido 3. Espera-se que os alunos tenham percebido que os
que Magnus utiliza seus órgãos do sentido para sentidos nos permitem interagir melhor uns com
perceber o jogo (posição das peças, reações do os outros e com o ambiente a nossa volta. Além
outro jogador). As informações percebidas são disso, por meio dos sentidos, podemos perceber
enviadas ao cérebro. Por meio desse órgão, estímulos relacionados aos nossos órgãos e teci-
Magnus analisa as informações e raciocina sobre dos internos. Sobre a percepção de um estímulo,
as próximas jogadas. Por fim, o cérebro de Magnus espera-se que os alunos percebam a relação dos
envia impulsos nervosos aos músculos da mão e órgãos do sentido e do sistema nervoso para que
do braço, os quais executam a jogada. ela aconteça. Por meio desses órgãos, como a
2. Com o estudo da unidade, espera-se que os orelha e o nariz, os estímulos são captados e
alunos tenham compreendido que as ondas cere- impulsos nervosos são enviados ao sistema nervo-
brais se referem aos impulsos nervosos. O cérebro so central, onde a informação é processada e,
é formado, principalmente, por tecido nervoso, o então, temos a percepção do “sussuro, valsinha ou
qual é composto por neurônios e células da glia. ronco” e do aroma de hortelã.

Ampliando
fronteiras Uso de álcool na juventude
P. 220 e 221
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo de álcool
mata 2,5 milhões de pessoas todos os anos, das quais 320 mil possuem entre 15 e
Raul A gu

29 anos de idade. A preocupação com o alcoolismo corroborou para que diversos


países entrassem em um consenso de que são necessárias estratégias globais
iar

para barrar o consumo prejudicial de álcool. Infelizmente, na atualidade, há um


grande incentivo social e dos meios de comunicação ao consumo de álcool por
jovens. A presente seção permite trabalhar o Tema Convergente Cidadania.

Objetivos álcool também é um tipo de substância extre-


mamente danosa ao organismo e que pode
••Apresentar possíveis motivos associados ao
consumo de álcool entre os jovens. causar dependência.

••Conscientizar sobre os perigos do consumo ••Enfatize aos alunos que as relações sociais e os
próprios meio de comunicação acabam incen-
excessivo de álcool.
tivando o consumo de álcool, o qual tem inicia-
Comentários do cada vez mais precocemente. No entanto,
••Antes de iniciar a leitura da seção, pergunte os casos de dependência são inúmeros e não é
aos alunos se eles conhecem/ouviram falar fácil se livrar do vício do álcool. Nesse momento,
de substâncias que provocam alterações no comente com os alunos sobre o grupo Alcóolicos
Anônimos (AA), que busca auxiliar na recupera-
comportamento de um indivíduo, tornando-o
ção de viciados em álcool.
mais agressivo e deixando-o com reações mais
lentas e percepção confusa da realidade, entre Acesse
outros efeitos. É possível que a maioria dos Para mais informações sobre o grupo Alcóolicos
alunos citem diferentes drogas, mas não inclu- Anônimos, acesse o site sugerido a seguir.
am nessa lista o álcool. É importante que eles <www.alcoolicosanonimos.org.br>.
percebam que, assim como outras drogas, o Acesso em: 22 jul. 2016.

94

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 94 8/1/16 3:41 PM


6
••Em 2014, a Organização Mundial da Saúde Acesse

UNIDADE
publicou um relatório sobre o álcool e a saúde conten-
Global status report on alcohol and health (2014)
do dados variados sobre o consumo de álcool — World Health Organization (WHO).
no mundo, ações governamentais para redu-
<http://apps.who.int/iris/
zir esse consumo, consequências do consumo bitstream/10665/112736/1/9789240692763_
excessivo do álcool, entre outras informações. eng.pdf?ua=1>.
Esse relatório está escrito em inglês, mas o Acesso em: 22 jul. 2016.
Centro de Informação sobre Saúde e Álcool Relatório Global sobre Álcool e Saúde (2014) – Centro
(Cisa) apresenta algumas das informações de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA).
desse relatório em português. Se achar conve- <www.cisa.org.br/artigo/4429/relatorio-global-
niente, apresente algumas dessas informações sobre-alcool-saude-2014.php>.
aos alunos, ou leve-os ao laboratório de informática Acesso em: 22 jul. 2016.
para que tenham acesso a essas informações.

Respostas
1.
Espera-se que os alunos respondam que uma ser realizadas por meio de cartazes, curtas apresen-
pessoa pode ser considerada dependente de bebi- tações orais ou encenações teatrais para outros
das alcóolicas quando não consegue mais ficar sem alunos da escola e para os pais ou responsáveis.
consumir bebidas à base de álcool, prejudicando sua Com a ajuda do professor, os alunos também podem
saúde e seus relacionamentos sociais e familiares. elaborar um documento para cobrar ações de fisca-
2.
Resposta pessoal. Os alunos podem elaborar lização dos órgãos competentes em seu município
hipóteses relacionadas aos efeitos que o consumo contra a venda de bebidas alcoólicas em estabeleci-
de álcool provoca no organismo humano e como mentos comerciais a menores de 18 anos. Os
eles constituem o principal fator para a ocorrência alunos e o professor também podem propor à dire-
de acidentes de trânsito. O prejuízo à coordenação ção da escola a prática de atividades físicas e a parti-
motora, a dificuldade de percepção do real e do cipação dos alunos em campeonatos entre escolas,
que ocorre à volta, a tontura, a sonolência e até a como uma forma de lazer, convivência social e
inconsciência são efeitos da ingestão de bebidas manutenção de uma vida saudável.
alcoólicas, que elevam muito o risco de acidentes
de trânsito envolvendo veículos dirigidos por
motoristas alcoolizados.
3.
Resposta pessoal. Além dos fatores já abordados
no texto, os alunos podem citar: a hereditariedade;
a influência familiar (quando há membros da famí-
lia que já são dependentes do consumo de álcool
ou que bebem com certa frequência e acabam
influenciando os jovens a consumir a bebida); a
aceitação da ingestão de bebidas alcoólicas por
parte dos pais ou responsáveis, mesmo que eles
não consumam a bebida (a ingestão de álcool é,
muita vezes, encarada como algo natural pelos
pais ou responsáveis) a curiosidade em conhecer
novos sentimentos e sensações; a fuga da realida-
de e de problemas sociais e familiares.
4.
Os alunos podem propor campanhas contra a venda
ar
ui
Ag

de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos, já


ul
Ra

que é crime previsto por lei. As campanhas podem

95

2_m17_esm_mp_8cvc_u6_p083a095.indd 95 8/1/16 3:41 PM


UNIDADE

7 Sistema genital
e reprodução
humana
Objetivos Conceitos

• Entender as mudanças que ocorrem no • Puberdade.


corpo humano durante a puberdade. • Sistema genital
• Compreender o que é adolescência e masculino.
Sistema
CAPÍTULO

14 genital
as mudanças comportamentais que
ocorrem nesse período.
• Sistema genital
feminino.
• Conhecer o nome e a função de algumas • Ciclo menstrual.
estruturas do sistema genital masculino.
• As mudanças da
• Conhecer o nome e a função de algumas adolescência.
estruturas do sistema genital feminino.
• Entender como ocorre o ciclo menstrual.

Reprodução • Entender como ocorre a fecundação. • Reprodução humana.


CAPÍTULO

15 humana • Conhecer informações sobre o • Gêmeos.


desenvolvimento do ser humano nos • Cuidados durante a
períodos embrionário e fetal. gravidez.
• Conhecer alguns cuidados necessários • Métodos
durante a gravidez e informações contraceptivos.
sobre o parto.
• Doenças sexualmente
• Conhecer algumas doenças transmissíveis.
sexualmente transmissíveis.
• Conhecer diferentes métodos
contraceptivos e de proteção contra as
doenças sexualmente transmissíveis.

P. 222 e 223 Abertura da unidade


•• As páginas de abertura da
unidade trazem a imagem de
alguns adolescentes conver-
sando em uma escola. Pergunte
aos alunos se eles costumam
trocar ideias com os demais
colegas nos momentos de
intervalo ou ao entrar e sair da
escola. Diga que em todas as
fases da vida, a troca de expe-
riências é muito importante
para o crescimento pessoal,
em especial na adolescên-
cia que é uma fase de tantas
mudanças físicas, psicológi-
cas, afetivas e sociais.

96

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 96 8/1/16 3:41 PM


Respostas

7
1.
Espera-se que os alunos reconheçam que as 3.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder que,

UNIDADE
pessoas retratadas estão na adolescência. para um embrião se originar, primeiro, é necessária
2. Resposta pessoal. Os alunos podem citar que a a união das células sexuais masculina e feminina
puberdade é uma fase de grandes transformações que, em geral, ocorre após o ato sexual. A união
no corpo humano, as quais tornam mais evidentes dessas células formará o zigoto, que se desenvolve-
as características do sexo masculino e do sexo rá dentro do útero da mulher. Em geral, 9 meses
feminino. após a fecundação, ocorrerá o nascimento.

••Diga aos alunos que nesta unidade trataremos de assuntos relacionados ao siste-
mas genital masculino e feminino, às mudanças ocorridas durante a puberdade e
à reprodução humana. Geralmente, esse assunto atrai a atenção dos alunos nessa
idade escolar, por isso comentar alguns pontos que serão tratados pode ajudar a
despertar o interesse dos alunos para o estudo da unidade.

CAPÍTULO
14 Sistema genital
Representações sem proporção de tamanho.
Cores-fantasia.
P. 224
••Ao trabalhar o conteúdo dessa página, expli-
A B
que aos alunos a diferença entre puberdade
e adolescência. Puberdade é um fenômeno
biológico, caracterizado por intensas transfor-
mações físicas, as quais tornam o corpo apto
para a reprodução. É nesse período que as
características sexuais secundárias começam a
aparecer. A puberdade é regulada por hormô-
nios e, em geral, nas meninas, a puberdade
ocorre entre 8 e 13 anos, já nos meninos, entre
10 e 14 anos.
A adolescência é um fenômeno cultural, social
e psicológico que corresponde à transição entre
a infância e a vida adulta. Ela se caracteriza por
Ilustrações: A7 Estudio

transformações físicas, psicológicas, afetivas e


sociais, que variam de uma pessoa para outra.
Não é possível estabelecer o início ou final
exato da adolescência, pois cada pessoa rece-
be diversas influências do ambiente no qual
está inserida.
Representação de algumas mudanças
••Em relação às mudanças que ocorrem na voz no corpo humano do sexo feminino (A)
dos meninos durante a puberdade, explique e do sexo masculino (B).
aos alunos que essas diferenças se devem às
características das pregas vocais. No homem,
tais pregas são mais espessas e mais longas que na mulher, devido à influência dos
hormônios sexuais masculinos. As pregas vocais masculinas vibram mais lenta-
mente, o que confere aos homens um tom de voz mais grave que o das mulheres.

97

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 97 8/1/16 3:41 PM


Valores
em ação A tolerância com o próximo
P. 227 Esta seção trata da tolerância com o próximo e traz um exemplo de intolerância
vivido pela jovem paquistanesa Malala Yuousafzai (1997 - ).

Objetivos história dela. Caso isso se mostre verdade,


peça aos alunos que falem a respeito. Dessa
••Compreender o que é tolerância.
forma, é possível introduzir o assunto da seção
••Conhecer alguns exemplos de intolerância e os com o exemplo de Malala e posteriormente
problemas que podem trazer. aprofundar a explicação a respeito da tolerân-
••Conhecer o exemplo de intolerância vivido pela cia/intolerância.
paquistanesa Malala Yousafzai. •• De acordo com o texto, a tolerância está ligada
ao respeito ao próximo e ao entendimento de que
Comentários
cada pessoa pensa de maneira diferente. Sempre
••Antes de iniciar a leitura da seção, questione os que presenciamos um comportamento diferente
alunos se eles conhecem o exemplo da jovem desse, estamos vivenciando um exemplo de into-
paquistanesa Malala Yousafzai. É provável que lerância, por isso devemos tomar muito cuidado
muitos já tenham ouvido falar e conheçam a ao expor nossas opiniões pessoais.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- situações envolvendo atitudes intolerantes comuns
dam que sim, pois a tolerância contribui para que como a intolerância religiosa, étnica e social (entre
aceitemos as diferenças do próximo e o tratemos ricos e pobres, por exemplo). Esses tipos de intole-
como gostaríamos de ser tratados, com educação rância também são verificados pelos jovens por
e respeito. Isso favorece o bom convívio nos relacio- meio da mídia mundial, como os casos de intole-
namentos interpessoais e entre diferentes grupos de rância a imigração, de guerras no Oriente Médio e
pessoas. da atitude intolerante de terroristas no mundo todo.
2. Resposta pessoal. Os alunos poderão descrever 3. Reposta pessoal.

 Aprenda mais
Companhia das Letras/Arquivo da editora

••O livro Eu sou Malala conta a história da garota desde a infân-


cia até a adolescência e as dificuldades enfrentadas por alguém
que vive em uma região marcada pela intolerância. A história de
Malala é inspiradora, pois revela os desafios e as dificuldades
enfrentadas por ela e sua família a fim de algo que poderia vir a
contribuir com toda sua comunidade.

Acesse
Para conhecer um pouco sobre a biografia de Malala Yousafzai
acesse o site a seguir.
IKMR.org.
<www.ikmr.org.br/malala-yousafzai-biografia/>.
Acesso em: 21 jul. 2016.

YOUSAFZAI, Malala; LAMB, Christina. Eu sou Malala. Trad. Caroline Chang, Denise Bottmann,
George Schlesinger, Luciano Vieira Machado. São Paulo: Companhia das letras, 2013.

98

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 98 8/1/16 3:41 PM


P. 231
••Ao apresentar o sistema genital feminino, cita-se que o ovário libera um ovócito a,

7
UNIDADE
aproximadamente, cada 28 dias. No entanto, o ovário libera uma célula denomina-
da ovócito secundário. Quando uma mulher nasce, em seu ovário já estão presen-
tes ovócitos denominados primários, os quais se encontram na fase de prófase I da
meiose. Após a puberdade e até a menopausa, a cada ciclo menstrual, esses ovóci-
tos primários sofrem influência do hormônio FSH. Sob influência desse hormônio, os
ovócitos primários continuam a meiose, antes interrompida, e chegam até a segunda
etapa da meiose, porém não a completam. Os ovócitos que chegam até esta segun-
da etapa da meiose são chamados de secundários. A cada ciclo, vários ovócitos
primários retomam seu desenvolvimento; no entanto, em geral, apenas um torna-
-se ovócito secundário e é ovulado, enquanto os demais degeneram.
Após a ovulação, o ovócito secundário é encaminhado à trompa uterina. Caso
ocorra a fecundação, esse ovócito enfim completará a segunda fase da meiose,
dando origem ao óvulo. Caso não ocorra a fecundação, o ovócito secundário não
completa a meiose e é eliminado, junto com a menstruação.
 Aprenda mais
P. 233 ••A Caderneta de Saúde do Adolescente traz informações sobre saúde, alimentação,
vacinas, imunização, espinhas, puberdade, questões específicas ligadas ao sexo
feminino e masculino como menstruação e polução noturna, respectivamente,
entre outras. Diversas dúvidas do adolescente podem ser sanadas com a leitura da
caderneta, fale com os alunos a respeito disso.

Lendo
Biografia
P. 234 e 235 Esta seção trata do assunto bullying por meio de uma biografia.

Objetivos ativa no combate ao bullying, sendo o primeiro


••Compreender o que é uma biografia. a condená-lo, dar o exemplo e jamais omitir-se.
A omissão do professor talvez seja a atitude
••Entender o que é bullying e os prejuízos que
pode trazer. mais danosa, pois permite a persistência e o
agravamento do bullying nas escolas.
••Conhecer um exemplo de superação relaciona-
do ao bullying. ••É importante conhecer que o bullying pode se
manifestar de diferentes maneiras, isso facilita
••Com o advento das redes sociais e do acesso à a identificação desse tipo de ocorrência, já que
internet, é cada vez mais comum o cyberbullying, muitas vezes a vítima não procura ajuda. Veja
um tipo de bullying virtual. a seguir algumas dessas formas de agressão.
Comentários ›› Verbal: ocorre com a utilização de apelidos e
••O bullying é uma questão muito delicada que xingamentos.
ocorre nos ambientes escolares atualmente. ›› Física: ocorre por meio de tapas, chutes e
Geralmente, quem pratica o bullying tem o obje- beliscões, por exemplo.
tivo de ser popular e ter uma boa imagem, mas ›› Moral: ocorre por meio de ameaças, intimida-
quem sofre o bullying pode enfrentar muitas ções e fofocas.
dificuldades como vergonha de ir à escola, ••No bullying, essas agressões são voluntárias
vontade de abandonar os estudos, baixo rendi- e repetitivas. Esse comportamento agressivo
mento, entre outros. pode ser adotado por uma ou mais pessoas e
causa dor e angústia à vítima.
••É importante o professor assumir uma postura

99

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 99 8/1/16 3:41 PM


Acesse Acesse
Os sites a seguir apresentam outros relatos de Os sites a seguir apresentam mais informações
bullying. Se possível, leia-os com os alunos para sobre o bullying e o cyberbullying, acesse-os para
complementar a discussão sobre esse assunto. complementar a discussão sobre esse assunto.
<http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/ Cyberbullying: a violência virtual.
veja-aqui-outros-relatos-de-pessoas-que-
<http://novaescola.org.br/formacao/
sofreram-bullying-na-escola-3122758>.
cyberbullying-violencia-virtual-bullying-agressao-
Acesso em: 25 jul. 2016. humilhacao-567858>.
<http://novaescola.org.br/formacao/caso-casey- Acesso em: 25 jul. 2016.
heynes-bullying-omissao-escola-622917.shtml>.
Tudo sobre Bullying.
Acesso em: 25 jul. 2016.
<http://novaescola.org.br/formacao/tudo-
bullying-433208.shtml>.
Acesso em: 25 jul. 2016.

Respostas Antes da leitura


1.
Resposta pessoal. Os alunos podem comentar 2.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar que as
que, por representar um ato de violência, ele pode pessoas procuram as biografias por se interessa-
sim prejudicar a vida da pessoa agredida. rem pelas pessoas retratadas nelas.
3. Resposta pessoal.
Respostas Durante a leitura
1. a ) Espera-se que os alunos identifiquem os trechos pobre e difícil do ator, período em que foi vítima
relativos à descrição da dislexia, da baixa esta- de bullying, seguido de sua tentativa de se
tura de Tom Cruise e o trecho no qual ele se consagrar à vida religiosa, de seu reconheci-
descreve como diferente (usava os sapatos mento como ator hollywoodiano e de seu relato
errados, tinha o sotaque errado). de superação do bullying.
b ) Espera-se que os alunos identifiquem o trecho 2.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder
ao final do texto, em que Tom Cruise relata que sim, por ser a adolescência um período de
sobre criar sua própria vida sem se preocupar grandes mudanças físicas e também psicológicas,
com os outros. influenciadas pelos hormônios sexuais e que pode

c
) Espera-se que os alunos relatem a infância levar em conta aspectos sociais.

Respostas Depois da leitura


1.
Resposta pessoal. Os alunos devem identificar as sões e a buscar o apoio necessário.
hipóteses que se confirmaram e as hipóteses que 4.
Resposta pessoal. Além de sintomas psicossomá-
foram descartadas após a leitura. ticos (males do corpo causados por emoções), o
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos comen- bullying está relacionado com diversos transtornos
tem em suas respostas que Tom Cruise superou as (pânico, ansiedade generalizada, comportamento
agressões sofridas, não se deixou influenciar por obsessivo-compulsivo e estresse pós-traumático),
elas e não perdeu sua personalidade. fobia escolar e social, depressão, anorexia e buli-
3. Espera-se que os alunos respondam que o aluno mia. O bullying também pode levar ao isolamento
agredido ou que presenciou o bullying deve procu- e prejudicar o desempenho nos estudos.
rar o professor ou a coordenação da escola e rela- 5.
Resposta pessoal. Os alunos podem incluir nos carta-
tar o ocorrido. Além disso, deve contar o que está zes o que é o bullying, como proceder caso você seja
acontecendo aos familiares ou responsáveis. Essas uma vítima, as consequências desse comportamento
pessoas poderão ajudar a acabar com as agres- para o agressor e principalmente para o agredido.

100

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 100 8/1/16 3:41 PM


P. 236 e 237 Atividades

7
UNIDADE
Respostas

1.
a ) Resposta pessoal. Os alunos podem citar mudan- 7.
a ) O câncer de mama é uma doença caracterizada
ças como o crescimento em estatura, o aumento pelo crescimento desordenado de células da
na quantidade de pelos; no caso das meninas, o mama com potencial invasivo que se formam
desenvolvimento das mamas e aumento dos em decorrência de alterações genéticas.
quadris, entre outras; no caso dos meninos, o
b ) Os principais sintomas do câncer de mama são:
aparecimento de barba, a mudança no tom da voz, nódulo mamário endurecido, fixo e geralmente
o aumento na largura dos ombros, entre outras. indolor; endurecimento de partes da mama;
b ) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos mudança na pele (retração ou aparência de
comentem sobre como está sendo para eles “casca de laranja”); saída de líquido do mamilo;
passar por esse fase. vermelhidão ou mudança do mamilo; nódulo
no pescoço ou nas axilas.
c ) Resposta pessoal.

c ) Os métodos capazes de detectar o câncer de
2. mama são: exame de palpação das mamas, em
que a mulher e/ou o médico apalpa a mama a
Mudanças procura de alterações, como nódulos o qual
Sexo feminino Sexo masculino pode detectar tumores superficiais a partir de 1 cm;
ultrassonografia, uma vez que por meio do
Variação da tonalidade A voz torna-se mais grave. ultrassom pode-se detectar a presença de nódu-
da voz. Isso ocorre por causa de
los e obter informações sobre suas característi-
Aumento do tamanho alterações na laringe.
cas (formato, tamanho, posição); mamografia,
dos seios. Essa é a Os músculos esqueléticos exame de imagem que utiliza raios X e é capaz
primeira característica crescem mais
de detectar nódulos mesmo antes de serem
observável no início da aceleradamente. Além disso,
puberdade. os ombros ficam mais largos. palpáveis, e a ressonância nuclear magnética
que utiliza um campo magnético para produção
Aumento dos quadris, Aumento do crescimento
de pelos, especialmente na
de imagens, sem a utilização de radiação.
adquirindo um formato
mais arredondado. face (barba), no tórax, nas
axilas e na região pubiana. Acesse
Ocorrência da
primeira menstruação. A pele torna-se mais Para obter essas informações sobre o câncer de
Crescimento das tubas espessa. Além disso, ocorre mama.
uterinas, do útero e da aumento da secreção
Inca – Instituto Nacional de Câncer José Alencar
vagina. das glândulas sebáceas e
sudoríferas. Gomes da Silva.
Surgimento de pelos,
especialmente nas axilas Ocorre o aumento dos órgãos <www.inca.gov.br/wcm/outubro-rosa/2015/
e na região pubiana. sexuais (testículos e pênis). cancer-de-mama.asp>.
Acesso em: 21 jul.2016.
3. Os principais hormônios envolvidos nas mudan-
8. a ) Resposta pessoal.
ças que ocorrem durante a puberdade são estró-
geno e progesterona no sexo feminino, e testoste- b ) Resposta pessoal.
rona no sexo masculino. c ) Resposta pessoal. Os alunos podem responder
4. Espera-se que os alunos representem um esper- que não, pois possuem opinião bem formada
matozoide incluindo a cabeça, o corpo e a cauda, sobre esses assuntos e não ficam comparando-se
e um ovócito representado por uma célula nuclea- com outras pessoas, ou que sim, pois esses
da arredondada. padrões são constantemente apresentados em
5. Os gametas masculinos são produzidos nos testícu- diferentes mídias como um modelo a ser seguido.
los, mais especificamente nos túbulos seminíferos. d ) Resposta pessoal.
Os gametas femininos são produzidos nos ovários. e
) Resposta pessoal. Verifique se os alunos buscam
6. A – ovário; B – tuba uterina; C – útero; D – vagina; informações em fonte seguras. Caso necessá-
E – ducto deferente; F – próstata; G – pênis; H – uretra; rio, oriente-os a buscar em sites do governo e
I – testículo; J – epidídimo. de instituições como universidades.

101

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 101 8/1/16 3:41 PM


CAPÍTULO
15 Reprodução humana

P. 238
••Ao trabalhar o conteúdo desta página, relembre os alunos de que a reprodução
pode ser assexuada ou sexuada, como já foi estudado no volume de 7º ano desta
coleção. A reprodução faz parte do ciclo de vida dos seres vivos. Alguns deles se
reproduzem por meio da união de gametas, que é a reprodução sexuada, como é
o caso do ser humano. Outros seres vivos são capazes de se reproduzir sem que
haja a união de gametas, ou seja, por meio da reprodução assexuada. Esse tipo
de reprodução permite que um único indivíduo origine outros, como ocorre, por
exemplo, com bactérias e esponjas do mar.

P. 239
••Após trabalhar a fecundação,

Mauro Fermariello/SPL/Latinstock
comente com os alunos que
a fertilização pode ocorrer
fora do corpo da mulher, em
um processo desenvolvido microagulha

em laboratório. Esse proces-


so recebe o nome de fertili-
zação in vitro, por ser feita ovócito
geralmente em utensílios de
vidro existentes em labora-
tórios.
Fertilização in vitro. O espermatozoide é injetado no ovócito
Para fazer a fertilização in por meio da microagulha.
vitro, a mulher recebe uma
dose adequada de hormônios que estimulam o desenvolvimento dos óvulos. Após
isso, o médico retira alguns óvulos do corpo da mulher e os transfere para um reci-
piente contendo os espermatozoides, onde, utilizando-se procedimentos adequa-
dos, ocorrerá sua fertilização. O ovo começa a se dividir e, quando chega ao está-
gio de 8 ou 16 células, é transferido para o útero da mulher, onde se desenvolverá.
É comum o nascimento de gêmeos quando se realiza a fertilização in vitro. Isso
ocorre porque, na maioria das vezes, vários óvulos fecundados são implantados no
útero da mulher, pois alguns poderão não se desenvolver durante todo o processo.
O nascimento do primeiro bebê originado de fertilização in vitro ocorreu em 1978.
Nessa época, as pessoas chamavam o método de “bebê de proveta”, pois proveta
é um utensílio de laboratório.
Atualmente, a fertilização in vitro pode ser realizada injetando o espermatozoide no
interior do óvulo retirado do corpo da mulher. Esse método aumenta ainda mais as
chances de fertilização dos óvulos.
••Aborde com os alunos o que é a infertilidade, para isso, apresente-lhes as seguin-
tes informações.
Para ser fértil, um homem deve liberar certa quantidade de espermatozoides no
sistema reprodutor feminino durante a ejaculação. No entanto, existem diversos
problemas que podem prejudicar o funcionamento adequado do sistema reprodu-
tor masculino, tornando o indivíduo infértil. Em geral, um homem pode ser infértil
quando:

102

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 102 8/1/16 3:41 PM


›› ocorre a produção de uma quantidade inadequada de espermatozoides pelos

7
testículos;

UNIDADE
›› os espermatozoides produzidos não têm mobilidade suficiente para atingir o
óvulo;
›› ocorre ausência total de espermatozoides;
›› ocorre ausência de algumas secreções das glândulas acessórias, que protegem e
nutrem os espermatozoides.
••Em alguns desses casos, é possível realizar a fecundação dos óvulos fora do siste-
ma reprodutor feminino (fertilização in vitro) utilizando os espermatozoides do
parceiro.
Em casos mais graves, quando não há produção de espermatozoides, existe a
possibilidade de realizar a inseminação na mulher com espermatozoides de um
doador.
••No caso da mulher, ocorre infertilidade se alguma das funções do sistema reprodu-
tor estiver comprometida devido a problemas nos órgãos desse sistema, ou seja, a
mulher não consegue engravidar ou manter uma gravidez até o final.
A infertilidade feminina pode ter várias causas. As mais comuns relacionam-se a
distúrbios nos ovários, na tuba uterina ou no útero. Veja a seguir algumas delas:
›› produção de hormônios em quantidades inadequadas;
›› obstrução da tuba uterina, que impede a passagem do óvulo de forma adequada;
›› má-formação do útero.
••O tratamento para a infertilidade depende muito da sua causa; os mais comuns
são tratamentos com hormônios que estimulam a ovulação e a desobstrução das
tubas uterinas por meio de cirurgias. No entanto, ainda há casos de infertilidade
com causa desconhecida.
É importante ressaltar que o casal que pretende ter um filho deve manter a calma
diante das dificuldades de engravidar, pois o fator emocional influencia muito nos
tratamentos contra a infertilidade.

 Aprenda mais

P. 242 ••Alguns adolescentes passam pela experiência de ser pai ou mãe durante esse período
da vida. A informação é essencial para evitar uma gravidez indesejada nessa idade.
O livro Pai? Eu?! pode ser uma ferramenta nesse sentido, pois traz informações
atuais e relevantes sobre o tema, além de abordar as doenças sexualmente trans-
missíveis.

••Ao citar o aborto, comente com os alunos sobre o aborto induzido. Com exce-
ção dos casos previstos em lei, o aborto induzido é considerado crime no Brasil.
No entanto, estima-se que, a cada três bebês nascidos vivos, ocorra um aborto
induzido. Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro
estima que, em 2005, foram realizados 1,04 milhão de abortos ilegais no Brasil.
Na maioria das vezes, esses abortos são realizados em clínicas clandestinas e em
condições inadequadas de limpeza e assepsia, o que pode provocar sérios danos à
saúde da mãe, inclusive levá-la à morte. Os abortos induzidos ilegais são uma das
principais causas de morte materna no país.

103

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 103 8/1/16 3:41 PM


Algumas pessoas defendem a legalização do aborto. Um dos argumentos utilizados
por essas pessoas é que o índice de morte materna reduziria, visto que os abortos
induzidos passariam a ser realizados em condições adequadas. Outro argumento a
favor é que a mulher deveria ter o direito de decisão sobre seu corpo e, portanto,
escolher se deseja continuar com a gravidez ou não.
Por outro lado, muitas pessoas são contra a legalização do aborto. Entre os argumen-
tos utilizados por elas, destaca-se o direito do feto ou embrião à vida, mesmo que se
encontre no interior do corpo materno. Dessa maneira, a legislação não poderia lega-
lizar o aborto porque desrespeitaria o direito à vida do indivíduo em desenvolvimento.
Atividade complementar Debate

Após apresentar as informações sobre o aborto, promova um debate entre os


alunos. Estimule-os a expressar suas opiniões e a ouvir a dos outros, sempre respei-
tando os colegas. Pode-se dividir a sala em dois grupos, um favorável e outro contrário
ao aborto, e induzir um debate entre esses grupos.

P. 250 e 251
••Ao trabalhar o assunto doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), dê aos alunos
alguns exemplos desses tipos de doenças.

Sífilis
É uma doença causada pela bactéria Treponema pallidum. A doença se caracteriza pela
presença de uma pequena ferida na região genital, indolor e que não coça, geralmente
em mulheres é mais difícil a identificação. Se não tratada durante esse período, a ferida
desaparece. Porém, a pessoa continua com a doença, que se não tratada pode causar
danos em diversos sistemas do corpo, inclusive no sistema nervoso, podendo levar à
morte. A doença também pode ser transmitida da mãe para o feto e causar problemas de
desenvolvimento e má-formação.

Aids
É uma doença causada pelo vírus HIV, que além de poder ser transmitido por via sexual,
também pode ser transmitido por meio de transfusão de sangue contaminado; pelo uso
de agulhas ou outros instrumentos perfurantes contaminados; da mãe para o filho durante
a gestação, no parto ou na amamentação. O principal sintoma da doença é debilitar as
defesas do corpo humano, deixando a pessoa suscetível a infecções. A aids não tem cura,
mas existe um tratamento que evita complicações decorrentes da doença.

Gonorreia
É causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae. Os homens com a doença, geralmente,
sentem dor e ardência ao urinar, além de eliminar um corrimento amarelado pela uretra.
Nas mulheres, a doença se manifesta por meio de um corrimento e com o tempo elas
podem começar a sentir dores na região do colo do útero. Existe tratamento para a doença.
Caso não seja tratada pode resultar em complicações, como a infertilidade e um grave
processo inflamatório que pode levar à morte. A doença pode ser transmitida para o bebê
durante o parto e resultar em problemas, principalmente, na visão.

Clamídia
É uma doença transmitida pela bactéria Chlamydia trachomatis. Os principais sintomas da
doença são corrimento e ardor na vagina ou no pênis e dor durante as relações sexuais.
Em casos de mulheres assintomáticas, a falta do tratamento pode resultar em esterilidade,
uma vez que essa bactéria pode atingir o útero e as tubas uterinas.

104

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 104 8/1/16 3:41 PM


Condiloma acuminado

7
UNIDADE
É causado pelo papilomavírus humano (HPV) e causa verrugas na região genital. Esse vírus
está relacionado ao câncer de colo de útero, no entanto, nem todos os casos resultam
em câncer. Geralmente, os homens não apresentam os sintomas, mas se estiverem
contaminados, transmitem o vírus nas relações sexuais. Atualmente, vacinas contra o HPV
estão disponíveis para mulheres na rede particular e, para meninas de 11 a 13 anos, na rede
pública de saúde.

••Informe aos alunos que os únicos métodos que atuam na prevenção da gravidez e na
proteção contra DSTs são os preservativos.
nito/Shutterstock.com/ID/BR

Jiri Hera/Shutterstock.com/ID/BR
preservativo feminino preservativo masculino

 Aprenda mais

••O acesso ao site é importante para que o aluno se informe sobre as DSTs. Para
garantir o acesso ao site e o conhecimento das informações apresentadas, realize
a atividade sugerida abaixo.

Atividade complementar Exposição oral

Leve os alunos até a sala de informática da escola e peça-lhes que se reúnam em


grupos. Eles deverão acessar o site sugerido na seção Aprenda mais. Delegue uma
doença a cada um dos grupos formados. Após a leitura, cada grupo deverá expor para
os colegas os principais pontos relacionados à doença, tais como agente causador,
principais sintomas e tratamento.

P. 252 a 255 Atividades


Respostas

1.
a ) É durante o ato sexual que os espermatozoides embrião passa a ser chamado feto. O período fetal
são depositados no interior da vagina de onde inicia-se na nona semana de gestação e termina
podem se locomover até o ovócito e fecundá-lo. com o nascimento do bebê.

b ) Os espermatozoides se deslocam até a tuba 3.
Resposta pessoal. Placenta: estrutura que permite
uterina impulsionados pelos movimentos de a troca de nutrientes e gases entre mãe e feto. Ela
seus flagelos. também secreta hormônios necessários para a

c ) A fecundação do ovócito ocorre, geralmente, manutenção da gestação. Cordão umbilical: estru-
na tuba uterina. tura formada principalmente por artérias e veias e
d ) No útero. que conecta o feto à placenta. Âmnio: membrana
2. O período embrionário inicia-se com a implanta- fina que envolve o feto. Dentro dessa membrana
ção do embrião no útero materno e dura até oito há o líquido amniótico que ajuda a proteger o feto
semanas após a fecundação. Após esse período o contra choques mecânicos.

105

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 105 8/1/16 3:41 PM


4. Possíveis respostas: evitar a ingestão de bebidas
b
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
alcoólicas, carne malpassada e cafeína em exces- respondam que sim, e que argumentem sobre
so, não utilizar qualquer tipo de droga, só tomar as responsabilidades tanto dos homens como
medicamentos receitados pelo médico, evitar das mulheres na prática do sexo seguro e na
impactos na região do abdome, não fazer esforço prevenção contra uma gravidez não planejada.
físico excessivo principalmente nos últimos meses
c
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
da gestação, entre outros cuidados. reflitam sobre as responsabilidades da paterni-
5. O umbigo é uma pequena cicatriz localizada no dade, e que ela exige dedicação e pensem que
abdome, ele é a região onde se encontrava a teriam que deixar de lado muitas das atividades
inserção do cordão umbilical que ligava a mãe ao que realizam para assumir a responsabilidade
feto. Após o parto, corta-se o cordão umbilical. O de cuidar e sustentar o bebê.
pequeno fragmento que resta ainda preso ao 9.
a ) O método de indução hormonal provoca a liberação
corpo do bebê, seca e cai após alguns dias, restan- de ovócitos, que pode ocorrer de maneira múltipla
do a cicatriz no abdome. durante um único ciclo menstrual. Ou seja, pode
6. O trabalho de parto corresponde às etapas que ante- acontecer que durante um único ciclo, uma mulher
cedem e preparam o corpo da mulher para a saída sob este tratamento libere vários ovócitos ao invés
do bebê durante o parto. Ele inicia-se com as contra- de apenas um. Se todos estes ovócitos forem fecun-
ções uterinas e a dilatação do colo do útero. Durante dados, a gestação poderá ser de gêmeos, trigêmeos
a expulsão, o bebê é empurrado pelo canal vaginal. ou até mais embriões. A fertilização in vitro introduz
Após a saída do bebê a placenta e outras estruturas até três embriões já fertilizados no útero, logo é
são eliminadas pelo canal vaginal. possível que mais de um se desenvolva, ocasionando
uma gestação de gêmeos ou trigêmeos. Nas duas
7.
a ) O parto feito por cirurgia cesariana foi predo-
técnicas, estes bebês serão gêmeos fraternos, pois
minante, correspondendo a 55% do total de serão gerados a partir de ovócitos e espermatozoi-
partos em 2012. Este índice está muito acima des diferentes.
do que é considerado como limite máximo pela

b ) Resposta pessoal. Os alunos podem se posicio-
OMS, que é 15%.
nar a favor ou contra esse procedimento, no

b ) Resposta pessoal. Espera-se que o aluno rela- entanto, espera-se que eles apresentem argu-
cione os principais fatores que predominam na mentos que justifiquem a sua opinião.
escolha do tipo de parto atualmente, como a
10. a ) Porque ele contém todos os nutrientes e anti-
comodidade para o médico e para a mãe em
corpos necessários para o desenvolvimento do
agendar uma data para o parto; a rápida dura-
bebê nos primeiros seis meses de vida.
ção do procedimento, muito mais curto que um
parto normal que pode levar muitas horas, a
b
)
Resposta pessoal. Espera-se que o aluno
depender do caso; o valor que se paga por um compreenda a importância da amamentação
para a saúde do bebê, além dos laços afetivos
plano de saúde ou por uma internação em um hos­
que são reforçados durante esse ato e que deve
pital particular. Além da falta de informação a
haver respeito por parte da sociedade com a
respeito dos riscos, para a mãe e o bebê, envol-
mulher que amamenta em público.
vidos nesses dois tipos de parto. O SUS geral-
mente atende à população que não possui 11. a ) A principal forma de transmissão está relacio-
plano de saúde, e na maioria das vezes acaba nada à prática de sexo sem proteção.
optando pelo parto normal, que não tem maio-
b ) Resposta pessoal. Os alunos podem citar a falta
res custos como no caso do parto cesariano. de informação, a confiança no parceiro, o fato
8. a
) Resposta pessoal. Espera-se que os alunos de acreditarem que a contaminação não acon-
respondam que ela acreditava que a gravidez tecerá com eles, entre outras.
não aconteceria com ela. No entanto, todas as
c ) Resposta pessoal. Os alunos podem citar a realiza-
meninas que já tiveram a primeira menstrua- ção de campanhas nas escolas, maior divulgação
ção (menarca) podem engravidar após uma nos meios de comunicação, entre outras ações.
relação sexual sem o uso de métodos contra- 12. a ) Se julgar necessário, oriente os alunos a fazer
ceptivos, pois a partir do momento que ocorre uma pesquisa para responder às questões. As
a menarca a mulher começa a ovular. pílulas anticoncepcionais são compostas de

106

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 106 8/1/16 3:41 PM


substâncias sintéticas, semelhantes a hormônios previne contra DSTs e Aids; efeitos colaterais

7
sintetizados pelo corpo, como progesterona e inadequados para algumas mulheres, não é

UNIDADE
estrógeno. A ingestão dessa medicação causa indicada para mulheres com algumas doenças
uma interferência no balanço hormonal, o que cardíacas e hepáticas, entre outras.
impede a liberação do óvulo pelo ovário. Algumas
d
) Resposta pessoal. É possível que os alunos
pílulas atuam também no endométrio, dificul- respondam que a diminuição expressiva na
tando a implantação do embrião, e aumentam o quantidade média de filhos das mulheres brasi-
muco que existe na entrada do útero, o que difi- leiras tenha reduzido à taxa de crescimento
culta a passagem dos espermatozoides. populacional.

b ) Resposta pessoal. É possível que os alunos 13. a ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
respondam que a mulher passou a ter maior

b ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
controle da natalidade, maior autonomia sobre
seu corpo, maior liberdade sexual, entre outros. c ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
c ) Possíveis respostas em relação às vantagens da
d ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
pílula anticoncepcional: alta eficácia na preven-
e ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
ção da gravidez; diminui os sintomas da TPM, f ) Resposta de acordo com a entrevista realizada.
entre outras. Possíveis respostas em relação às
desvantagens da pílula anticoncepcional: não

••Para realizar a atividade 7 da página 252, procure o professor de Matemática, ele


poderá utilizar os dados para retomar o conteúdo sobre porcentagem, além de
explorá-los de forma mais significativa.

P. 255 Verificando rota


Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos complementem ou corrijam suas respostas
incluindo que as pessoas retratadas na imagem estão na fase da adolescência. Espera-se
que os alunos comentem que a puberdade é um período marcado por mudanças no
corpo humano, que o prepara para a reprodução. São essas mudanças que tornam as
diferenças entre os sexos masculino e feminino mais evidentes. Para a reprodução, espe-
ra-se que incluam em suas respostas que é necessário a fecundação de um ovócito por
um espermatozoide, originando um zigoto que se desenvolverá em embrião e posterior-
mente no feto. Em geral, a fecundação ocorre após o ato sexual e deposição dos esper-
matozoides no canal vaginal, por meio do pênis, durante a ejaculação. A fecundação
ocorre nas tubas uterinas e posteriormente o embrião se implanta no útero, onde se
desenvolve até o parto.
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos complementem ou corrijam suas respostas
incluindo que as mudanças que ocorrem no corpo durante a adolescência, mais especi-
ficamente durante a puberdade, estão relacionadas ao desenvolvimento dos órgãos
sexuais, ao aumento da quantidade de pelos pelo corpo, principalmente na região pubia-
na e, no sexo masculino, no rosto. Além disso, no sexo feminino ocorre o desenvolvimen-
to das mamas e do quadril, já no sexo masculino os ombros ficam mais largos, a voz
engrossa, entre outras mudanças.
3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos complementem ou corrijam suas respostas
incluindo que a reprodução é o processo pelo qual os seres vivos geram outros seres da
mesma espécie. Eles também devem mencionar que a reprodução é importante para
manter as populações das espécies ao longo do tempo.

107

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 107 8/1/16 3:41 PM


Ampliando
fronteiras Sexo, gênero e orientação sexual
P. 256 e 257 Esta seção aborda questões relacionadas à sexualidade humana e diferencia
sexo biológico, gênero e orientação sexual. Ela trabalhará o Tema Convergente
Gênero e Diversidade.
Objetivos ••Peça aos alunos que, primeiro, leiam o texto
em silêncio. Depois, leia em voz alta para toda
••Conhecer o conceito de sexo biológico, gênero e
a turma.
orientação sexual.
••Saber diferenciar sexo biológico, gênero e orien- ••
Discuta com eles os conceitos de sexo, gênero
e orientação sexual. Certifique-se de que eles
tação sexual.
compreenderam corretamente cada um deles.
••Refletir sobre o respeito às pessoas indepen-
dente da orientação sexual ou do gênero com
o qual se identifique. ••Reforce a importância
do respeito à orienta-
Comentários ção sexual e ao gênero
••O assunto tratado na seção é um tema delica- ao qual cada pessoa se
do e precisa ser trabalhado com cautela. identifica.
Acesse

Raul Aguiar
Nos links abaixo você encontrará informações sobre sexo, gênero e
orientação sexual.
<http://revistaescola.abril.com.br/formacao/educacao-sexual-
precisamos-falar-romeo-834861.shtml>.
Acesso em: 21 jul. 2016.
<http://revistaescola.abril.com.br/blogs/educacao-sexual/2014/11/06/
relacoes-de-genero-um-tema-que-nao-pode-ficar-fora-da-sala-de-aula>.
Acesso em: 21 jul. 2016.

Respostas
1.
Os alunos devem reconhecer que sexo diz respeito disso, o que consideramos comportamentos ade-
aos órgãos genitais e é definido geneticamente. Exis- quados a cada gênero são construções sociais,
tem indivíduos intersexuais por nascimento cujo podemos dizer que não são determinados biologi-
sexo é indeterminado. O gênero diz respeito às camente, inatos.
características que o indivíduo e a sociedade atri- 3.
Resposta pessoal. É importante que os alunos refli-
buem a cada sexo. Já a orientação sexual está rela- tam sobre os preconceitos e as violências sofridas
cionada à afetividade e à atração sexual sentidas por por homossexuais e bissexuais. Há diversas polê-
um indivíduo, ou seja, a forma como ele se relaciona micas em torno de debates sobre a orientação
com outra pessoa. Os heterossexuais são indivíduos sexual e a identidade de gênero. Os posiciona-
do sexo masculino ou feminino que se relacionam mentos devem ser respeitados, mas os alunos
com pessoas do sexo oposto. Os homossexuais são devem ser levados a refletir sobre os prejuízos
indivíduos do sexo feminino ou masculino que se causados por situações permeadas de preconcei-
relacionam com pessoas do mesmo sexo. Enquanto to ou discriminação.
os bissexuais são pessoas se que se relacionam com 4. Auxilie os alunos na pesquisa de informações rele-
indivíduos de ambos os sexos. vantes e confiáveis. Por se tratar de assuntos deli-
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- cados e polêmicos, procure acompanhar o proces-
dam que sim, pois a identidade de gênero não está so de pesquisa e avalie a coerência dos materiais
necessariamente vinculada ao sexo biológico. Além organizados pelos alunos.

108

2_m17_esm_mp_8cvc_u7_p096a108.indd 108 8/1/16 3:41 PM


UNIDADE

8
UNIDADE
Genética

Objetivos Conceitos

• Compreender o que é • O que é genética e


hereditariedade e genética. hereditariedade.
Genética e • Identificar o DNA como material • Material genético.
CAPÍTULO

16 hereditariedade
genético das células humanas. • DNA.
• Conhecer o modelo de dupla • Genótipo e fenótipo.
hélice do DNA.
• Cromossomos e
• Diferenciar cromatina e hereditariedade.
cromossomos.
• Determinação do sexo
• Entender a relação entre em humanos.
cromossomos e hereditariedade.
• Heredograma.
• Conhecer o que são genes e alelos. • Síndromes genéticas.
• Diferenciar genótipo e fenótipo. • Bioética.
• Analisar um heredograma simples.
• Entender a relação entre
cromossomos e a determinação
do sexo.
• Compreender o que é uma
síndrome genética.
• Reconhecer a importância da
cooperação para o avanço
científico e tecnológico.
• Reconhecer a importância da
reflexão bioética sobre os avanços
científicos e tecnológicos.

P. 258 e 259 Abertura da unidade


•• Oriente os alunos a observa-
rem a fotografia e a responde-
rem as questões 1 e 2 da pági-
na 259, pois elas os induzirão
a perceber se essas pessoas
fazem parte de uma família e se
possuem características físicas
em comum.
Depois, peça aos alunos que
respondam à questão 3 da
página 259. Se necessário, diga
a eles que a genética está rela-
cionada à transmissão de carac-
terísticas entre os seres vivos.

109

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 109 8/1/16 3:42 PM


Respostas
1. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon­ dam que sim. Eles podem citar algumas caracterís-
dam que a fotografia é de uma família, pois algumas ticas como cor dos olhos, dos cabelos, da pele,
pessoas estão abraçadas ou de mãos dadas, demons- alguns traços faciais, entre outros.
trando uma relação muito próxima. Além disso, 3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon-
possuem características físicas bem parecidas. dam que sim. Genética é a ciência que se dedica ao
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- estudo da hereditariedade.

CAPÍTULO
16 Genética e hereditariedade
P. 260
••Ao trabalhar essa página com os alunos, realize a atividade sugerida a seguir.
Atividade complementar Pesquisa e discussão

Peça aos alunos que pesquisem outras reportagens em jornais e revistas que veicu-
lem informações relacionadas a pesquisas genéticas. Também é interessante obter na
íntegra as reportagens das manchetes dessa página para trabalhá-las com os alunos.
Para isso, consulte o crédito indicado abaixo dos trechos transcritos. Após a pesquisa,
promova uma discussão em sala de aula sobre as reportagens.

P. 261
••Ao trabalhar o conteúdo dessa página, comente com os alunos que os conheci-
mentos que temos hoje sobre o DNA são frutos das contribuições de diversos
pesquisadores. Apresente-lhes informações sobre como esses conhecimentos
foram sendo construídos. Explique que no século XIX, já havia informações sobre a
divisão celular e a relação dos cromossomos com a transmissão de características
hereditárias. Porém, não se conhecia qual era a molécula que continha as informa-
ções genéticas.
Além disso, experimentos realizados por Frederick Griffith (1879-1941), em 1928, e
por Oswald Avery (1877-1955), em 1944, trouxeram fortes indícios de que o DNA
é a molécula responsável pelas informações genéticas.
Porém, a aceitação final de que o DNA é o material genético dos seres vivos só
ocorreu realmente após a compreensão da estrutura dessa molécula.

Acesse
Nos sites a seguir você encontra informações sobre os experimentos de Griffith e Avery.
Grandes experimentos da ciência I.
<www.educacaopublica.rj.gov.br/oficinas/biologia/experimentos1/o_experimento_de_
avery_macleod_e_mccarty.php>.
Acesso em: 22 jul. 2016.
DNA: estrutura e replicação.
<www.ufpe.br/biolmol/aula2_DNAestrutrep.htm>.
Acesso em: 22 jul. 2016.

••Diversos pesquisadores se empenharam em descobrir quais eram os componentes


químicos do DNA, até se chegar a conclusão de que ele era formado por vários
nucleotídeos compostos por um carboidrato chamado desoxirribose; um composto
de fósforo, chamado fosfato; e um composto de nitrogênio, chamado base nitro-
genada.

110

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 110 8/1/16 3:42 PM


As bases nitrogenadas que

8
base nitrogenada
Representação formam o DNA podem ser de desoxirribose

UNIDADE
sem proporção
de tamanho. quatro tipos diferentes: timina,

Somma Studio
Cores-fantasia.
adenina, guanina ou citosina. fosfato

Por volta de 1950, o pesqui-


sador Erwin Chargaff (1905- Representação geral de um nucleotídeo.
-2002) fez alguns experimentos e concluiu que nas moléculas de DNA a quanti-
dade de citosina e guanina era sempre a mesma, assim como de adenina e timina.
Nessa época, Rosalind Elsie Franklin (1920-1958) produziu algumas imagens de
moléculas de DNA por meio de raio X.
James D. Watson (1928- ) e Francis Crick (1916-2004) conheceram os resultados de
Rosalind e de Chargaff e propuseram o modelo de dupla hélice.
P. 265 ••Nessa página, há informações sobre os experimentos de Mendel.
Diga aos alunos que o trabalho de pesquisa de Gregor Johann Mendel (1822-1884)
durou cerca de oito anos. Ele realizou testes com vários vegetais e com abelhas, até
que obteve mais sucesso com ervilhas da espécie Pisum sativum. A ervilha dessa
espécie é uma dicotiledônea, cujas pétalas se fecham, o que impede a entrada ou
saída dos grãos de pólen. Devido a essa característica, essa planta realiza auto-
fecundação. Como resultado, havia pouca ou nenhuma variação genética de uma
geração de ervilhas para outra, o que possibilitou a obtenção de linhagens puras.
Nesse momento, mostre aos alunos que a observação, o levantamento de hipóte-
ses, a análise e o cuidado ao registrar os dados são muito importantes na Ciência,
sendo que tais procedimentos contribuíram para validar os experimentos mende-
lianos.
Mendel estudava hibridização de plantas e estava interessado em investigar se
novas espécies poderiam surgir por esse processo. Apesar de não ser o foco de
seu estudo, os trabalhos de Mendel contribuíram muito para a compreensão da
hereditariedade.
P. 267 ••Atualmente, sabe-se que, além dos genes localizados em cromossomos sexuais,
genes presentes em outros tipos de cromossomos também influenciam na deter-
minação do sexo. É importante destacar que a determinação aqui mencionada é
em relação ao sexo biológico e não em relação ao gênero.
••Explique aos alunos que o sexo biológico se refere ao sistema genital. Ele é deter-
minado geneticamente. Assim, temos o sexo masculino e o sexo feminino.
Já o conceito de gênero está relacionado à construção social do que seria uma
identidade masculina e uma feminina. Essa construção corresponde às caracterís-
ticas que atribuímos socialmente a cada sexo. Ela está presente quando falamos
que determinado comportamento é masculino ou feminino, por exemplo, quando
dizemos que meninas gostam de rosa e meninos de azul. Porém, uma pessoa com
o sexo masculino pode se identificar com o gênero feminino, e uma pessoa do sexo
feminino pode se identificar com o gênero masculino.

111

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 111 8/1/16 3:42 PM


P. 268 ••Ao trabalhar essa página apresente aos alunos informações sobre algumas síndro-
mes genéticas.

As pessoas com a síndrome de Turner possuem A síndrome de Edward caracteriza-se pela presença de
45 cromossomos. Neste caso, falta um cromossomo um cromossomo 18 a mais no cariótipo. Geralmente,
X. Pessoas com essa síndrome são mulheres que, ocorre malformação congênita de muitos órgãos. Por
em geral, apresentam estatura baixa, pescoço exemplo, as orelhas são malformadas, a mandíbula é
alargado, deficiência auditiva e infertilidade, além de retraída, a boca e o nariz são pequenos, o osso esterno
anomalias cardiovasculares. é curto e o rim pode ser em forma de ferradura. As
pessoas com essa síndrome apresentam deficiência
mental e cerca de 90% delas morrem antes dos seis
meses de idade.

A síndrome de Klinefelter caracteriza-se pela presença A síndrome do triplo X, que se caracteriza pela
de três cromossomos sexuais, sendo dois cromossomos presença de três cromossomos X no cariótipo, ocorre
X e um cromossomo Y. Seus portadores são pessoas do com a frequência de 1 em cada 700 nascimentos. As
sexo masculino que apresentam características como pessoas com essa síndrome são do sexo feminino
esterilidade, testículos pequenos, mamas aumentadas, e sua genitália é normal, no entanto, a fertilidade
membros longos, joelhos salientes, voz aguda e poucos é limitada e geralmente apresentam deficiência
pelos no corpo. mental.

Acesse
Ao estudar a Síndrome de Down, é importante ressaltar a importância
da inclusão social e o respeito aos portadores dessa síndrome. Mais
informações sobre esse assunto podem ser encontradas no site:
Fundação Síndrome de Down.
<www.fsdown.org.br/>.
Acesso em: 6 fev. 2012.

Valores
em ação Cooperação para o avanço da Genética
P. 269 Esta seção apresenta a importância da cooperação na área científica, e traz como
exemplo o Projeto Genoma Humano.

Objetivos de determinados estudos que apresentam


dificuldades para sua realização. Se possível,
•• Compreender a importância da cooperação para
pergunte aos alunos se eles acham que o Brasil
os avanços da ciência.
é um país que apoia o desenvolvimento de
•• Conhecer um exemplo de cooperação entre diver- estudos que podem resultar em avanços cien-
sos cientistas e centros de pesquisa. tíficos e se eles conhecem algum exemplo de
••Compreender que a cooperação nem sempre é estudo desse tipo feito no país.
fácil, pois envolve diferentes pessoas e opiniões.
••Comente com os alunos que o Projeto Geno-
Comentários ma Humano foi lançado oficialmente em 1990
e tinha como objetivo mapear e compreen-
••Ao trabalhar essa seção, é importante que
der a estrutura do genoma humano, ou seja,
fique claro aos alunos que os avanços da
ciência dependem de muito estudo e dedica- compreender as instruções contidas nos genes
ção. A cooperação entre cientistas e centros humanos.
de pesquisa pode facilitar o desenvolvimento

112

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 112 8/1/16 3:42 PM


8
A expectativa à época do lançamento do proje- to do projeto, verificou-se que o ser humano

UNIDADE
to era de que o ser humano possuísse cerca de possui cerca de 30 mil genes e, em junho de
80 mil a 100 mil genes, e que o mapeamento 2000, praticamente todo o genoma já estava
ficaria pronto só em 2025. Com o andamen- mapeado.

Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos tenham disputas, pessoas com interesses e formas de
compreendido que a ciência lida com assuntos pensar diferentes, equipes com diferentes ritmos
complexos que, na maioria das vezes, envolve o de trabalho, sendo necessário administrar estas
conhecimento de várias áreas e a realização de diferenças para que o projeto como um todo possa
inúmeras pesquisas. A construção do conhecimen- ser bem executado.
to sobre determinado assunto é um processo 3. Resposta pessoal. Os alunos podem citar a coope-
gradual, realizado por diversos estudiosos e normal- ração entre os moradores de uma residência em
mente leva anos. Desta maneira, a cooperação tarefas simples, como às relacionadas ao cotidiano
pode contribuir para o avanço da ciência porque (lavar louças, arrumar o quarto). Podem citar,
possibilita que cientistas especialistas em diferen- também, a cooperação necessária para a realização
tes áreas trabalhem em prol de um objetivo comum. de um trabalho escolar em grupo ou para um jogo
2. Resposta pessoal. Os alunos podem citar que, ao esportivo coletivo, como o futebol ou o voleibol.
realizar projetos em cooperação, poderão surgir

••Ao abordar os avanços da ciência, se julgar conveniente, aproveite para trabalhar


em sala os organismos transgênicos. Para isso, você poderá fotocopiar a atividade
a seguir e desenvolvê-la com os alunos.

Atividade complementar Leitura


Em grupos com três integrantes, leiam o texto apresentado a seguir e respondam
as questões.
Engenharia Genética
O ramo da Genética que estuda e desenvolve as técnicas para a manipulação dos
genes é conhecido como Engenharia Genética.
Uma das técnicas desenvolvidas pela Engenharia Genética permite retirar o gene
de um organismo e incorporá-lo ao DNA de outro organismo, que pode ser da mesma
espécie ou não. O organismo que recebe o gene de um outro ser vivo é chamado
transgênico e a técnica utilizada nesse processo recebe o nome de transgenia.
Atualmente, a transgenia é utilizada, por exemplo, para a produção do hormônio
insulina, que participa do processo de absorção da glicose. A ausência ou produção
insuficiente de insulina é a causa principal do diabetes melito. O tratamento para
essa doença é feito administrando-se insulina ao paciente. Antigamente, essa insu-
lina era obtida de cadáveres ou animais, o que limitava a quantidade e a qualidade
desse produto. Com o avanço da Engenharia Genética, atualmente obtém-se esse
hormônio a partir de bactérias transgênicas, que produzem insulina humana.
Além da insulina, várias outras substâncias sintetizadas pelas células humanas
são atualmente produzidas por bactérias transgênicas, como o hormônio do cresci-
mento e alguns compostos que atuam na coagulação sanguínea.
As técnicas de produção de organismos transgênicos também são utilizadas para
a produção de plantas resistentes a determinadas pragas ou a condições ambien-
tais, como a escassez de chuva. Hoje podemos encontrar nos supermercados brasi-
leiros diversos organismos transgênicos como o óleo de soja.

113

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 113 8/1/16 3:42 PM


1.
O que são organismos transgênicos?
2.
Qual é a importância dos produtos médicos fabricados pela Engenharia Genética?
3.
Diversos cientistas comentam que as técnicas de Engenharia Genética rela-
cionadas com a agricultura devem “prosseguir com cautela”. Na opinião do
grupo, o que isso significa?
Gabarito
1. Resposta pessoal.
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respondam que os medicamentos podem ajudar no
tratamento de doenças como diabetes, nanismo, problemas relacionados à coagulação sanguí-
nea, entre outras.
3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respondam que se deve prosseguir com cautela
porque não se sabe, ao certo, se a presença desses organismos poderá causar algum impacto
sobre o ambiente futuramente. Por isso, é preciso estudar mais sobre a biologia desses organis-
mos e seus impactos ou benefícios para o ambiente.

P. 270 e 271 Atividades


Respostas

1.
Durante muito tempo, procurou-se saber qual era o Espermatozoide D Espermatozoide d
nosso material genético, até que se descobriu que
Ovócito Zigoto dd
era o DNA. De acordo com o modelo aceito atual- Zigoto Dd (anão)
d (sem nanismo)
mente, essa molécula tem formato de dupla hélice.
Nas células humanas, a maior parte do DNA Portanto, o casal tem 2 chances em 4, ou seja
encontra-se no núcleo celular, onde associa-se a 50%, de ter um filho com nanismo devido à
proteínas, formando a cromatina. Em determina- acondroplasia.
das etapas do ciclo da célula, a cromatina conden- c ) Sim, pois assim como Carlos, seu irmão rece-
beria um alelo D do pai (DD) e um alelo d da
sa-se e passa a ser chamada cromossomo. Com
mãe (dd) formando um genótipo heterozigoto
exceção dos gametas, as células humanas apre- (Dd) para a acondroplasia.
sentam 23 pares de cromossomos. O conjunto de
3. Resposta pessoal. Quando um casal tem um filho,
todos os cromossomos é chamado de cariótipo. ele herda parte do DNA da mãe e parte do DNA do
Cada trecho de DNA que contém informações pai. Dessa maneira, ao comparar o material genético
para formar polipeptídeos é chamado gene. O do filho com o material genético da mãe e com o
conjunto de todos os genes é chamado genótipo. material genético do suposto pai biológico, é esperado
Já as características que podem ser observadas que a parte do DNA do filho que não se assemelha ao
são chamadas fenótipo. DNA da mãe, seja semelhante à parte correspondente
do DNA do suposto pai. Caso essa semelhança não
2. a ) O nanismo por acondroplasia é condicionado
seja observada, pode-se descartar o indivíduo como
pelo alelo dominante, pois a característica se
pai da criança.
manifesta em indivíduos heterozigotos.
b ) Márcia e Carlos tem 50% de chances de ter
4. a ) Uma pessoa com Síndrome de Down apresenta
em seu cariótipo 47 cromossomos, isto porque
um filho com nanismo devido à acondroplasia,
ela tem um cromossomo número 21 a mais.
isto porque Márcia produz ovócitos com o alelo
b ) Os alunos devem identificar a seguinte frase: “É
d, enquanto Carlos produz tanto espermatozoi-
preciso olhar para as pessoas além da Síndro-
des com o alelo d quanto espermatozoides com
me de Down, pois as características individuais
o alelo D. Fazendo-se os cruzamentos possíveis
são inerentes a todos os seres humanos.”.
entre os tipos de ovócito e espermatozoide
c ) Os alunos poderão citar atitudes como: escla-
produzidos, tem-se as seguintes possibilidades:
recimento sobre pessoas portadoras da síndro-
me de Down; estímulo à maior interação no dia
Espermatozoide D Espermatozoide d
a dia com as pessoas que têm a síndrome; estí-
Zigoto dd
mulo a projetos que integrem os portadores da
Ovócito
Zigoto Dd (anão) síndrome em espaços e instituições públicas e
d (sem nanismo)
privadas; incentivos a empresas que empregam
portadores da síndrome, entre outras atitudes.

114

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 114 8/1/16 3:42 PM


P. 271

8
Verificando rota

UNIDADE
Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos comple- semelhantes, por isso ambos são comparados
mentem suas respostas incluindo que o termo genética durante o teste de paternidade. Material genético é
refere-se à ciência que estuda a transmissão de carac- aquele que transmite informações de uma geração
terísticas de uma geração para outra, ou seja, a heredi- para a outra. O material genético dos seres vivos é o
tariedade. ácido desoxirribonucleico (DNA).
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos comple- 3.
2. Espera-se que os alunos respondam que a compara-
mentem suas respostas incluindo que grande parte ção entre o DNA do filho e dos supostos pais permite
do material genético do pai e do filho devem ser que a paternidade possa ser atestada ou descartada.

Ampliando
fronteiras Bioética: reflexão sobre a ciência
P. 272 e 273 Esta seção destaca a importância da bioética na reflexão sobre os avanços
científicos e na promoção da Cidadania.
Objetivos e que a mencionada é uma das muitas que exis-
tem. Esse termo surgiu em 1927 e existem, atual-
•• Ressaltar a importância da bioética para a reflexão mente, mais de 15 definições diferentes para ele.
sobre os aspectos éticos que envolvem os avanços
Resumindo essas definições de maneira bem
científicos.
simples, a bioética pode ser considerada como
•• Ressaltar alguns princípios relacionados à bioética. os princípios e as preocupações com os valores
Comentários e o respeito aos seres vivos. Estas são condições
essenciais para o desenvolvimento da ciência,
••Diga aos alunos que o termo bioética tem várias pesquisa e tecnologia no cenário interdisciplinar
definições, que variam de um autor para outro, atual.
Acesse
A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) é uma entidade que, além de
prestar apoio técnico ao Governo Federal na formulação da Política Nacional de Biossegurança,
tem papel fundamental no estabelecimento de normas de segurança referentes à proteção do
meio ambiente, dos organismos vivos e da saúde humana. Para mais informações sobre essa
comissão, acesse o site.
<www.ctnbio.gov.br>.
Acesso em: 22 jul. 2016.
Raul Aguiar

Respostas
1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos percebam relacionadas ao respeito ao meio ambiente, às rela-
que os benefícios e os riscos dos avanços científicos e ções humanas e ao exercício da cidadania. Com relação
das práticas a eles relacionadas, assim como a tecno- ao meio ambiente, os alunos podem refletir sobre
logia desenvolvida, afetam a sociedade. Dessa manei- como minimizar os impactos da poluição e da utiliza-
ra, as reflexões sobre a construção do conhecimento ção dos recursos naturais do planeta. Respeitar a
científico e sobre a aplicação das novas descobertas autonomia do ser humano como único responsável
também devem envolver a sociedade. pelas decisões que toma sobre sua vida também
2.
Resposta pessoal. Os alunos podem responder que, podem ser ponderado pelos estudantes. E, por fim,
de acordo com o princípio do respeito ao paciente, o refletir sobre exercer seus direitos e deveres com rela-
médico deve solicitar individualmente à Joana se ção à sociedade, de forma a contribuir para o desen-
deseja que o diagnóstico seja relatado somente a ela volvimento dela em diversas áreas como saúde,
ou a ela e ao marido. educação e política.
3.
Resposta pessoal. Os alunos podem relatar situações 4.
Resposta pessoal.

115

2_m17_esm_mp_8cvc_u8_p109a115.indd 115 8/1/16 3:42 PM


Na prática

Atividade 1 Objetivos
••Observar por meio de microscópio uma célula animal.
••Diferenciar algumas estruturas da célula animal.

Comentários
••Ao iniciar a atividade, oriente os alunos a lavarem bem as bochechas com água
potável, evitando que apareçam restos de alimentos sobre a lâmina, dificultando a
observação.
••Explique aos alunos que as células que formam a epiderme, como a da parede
interna da bochecha, têm grande capacidade de divisão. À medida que as novas
células se formam, elas empurram as células mais antigas em direção às camadas
mais superficiais da epiderme. A mucosa bucal sofre renovação contínua: a taxa
de renovação é de 5 a 7 dias, duas vezes mais rápida que a pele. Por esse moti-
vo, existe uma grande quantidade de células mortas, que já foram substituídas na
epiderme. Diga aos alunos que, ao raspar a mucosa da bochecha com o palito de
sorvete, eles estão retirando principalmente essas células mortas.
••Diga aos alunos que, ao realizarem o item B, esfreguem o palito de ponta a ponta
na lâmina, espalhando bem o material e retirando as bolhas de ar existentes com
o próprio palito. Apesar de os alunos observarem somente a parte da amostra que
ficará sob a lamínula, esse procedimento reduz a camada de células sobre a lâmi-
na, o que facilita sua observação.
••É importante que, em um momento anterior à realização da seção Na prática, seja
explicado aos alunos os princípios do microscópio óptico, os nomes de suas estru-
turas e suas finalidades, para explorar todo o funcionamento do equipamento e
esclarecer eventuais dúvidas. Veja a seguir as partes que compõem um microscó-
pio óptico.
A ocular, o canhão e a lente canhão ocular

objetiva fazem parte do sistema


braço
de lentes do microscópio, sendo
responsáveis pelo aumento da
imagem. O condensador e o
André L. Silva/ASC Imagens

revólver de
espelho compõem o sistema de objetivas

iluminação. O microscópio apre- lente objetiva

senta uma fonte de luz (lâmpa-


da), que direciona raios de luz
mesa (platina)
para o objeto que está sendo
observado. O braço, a base, a condensador

mesa e o revólver de objetivas fonte de


fazem parte do sistema de iluminação

suporte do microscópio. A
mesa, ou platina, é o local parafuso parafuso
base
onde a lâmina é colocada e micrométrico macrométrico

o revólver é o suporte para a microscópio óptico

116

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 116 8/1/16 3:42 PM


troca das diferentes lentes objetivas. Os parafusos macrométrico e micrométrico
fazem parte do sistema que dá foco à imagem obtida. No item C, oriente os alunos

Na prática
para que, delicadamente, encostem o papel no corante, sem encostá-lo na lamínu-
la, para a retirada do excesso de corante. Isso é necessário porque o excesso de
corante pode dificultar a visualização das células no microscópio.
••Ao observar as células da epiderme da mucosa da bochecha, espera-se que os
alunos identifiquem o núcleo, a delimitação da membrana plasmática e a região do
citoplasma. Essas partes aparecerão coradas com intensidades diferentes, graças
às propriedades do corante azul de metileno, um tipo de corante básico que não
é tóxico para a célula. Os componentes celulares que apresentam muitos grupos
ácidos têm mais afinidade aos corantes básicos e, consequentemente, coram-se
mais intensamente. O núcleo e algumas organelas, como o retículo endoplasmáti-
co granuloso, contêm maior quantidade de componentes ácidos, como os ácidos
nucleicos, e, por isso, apresentam coloração mais intensa quando tratados com
azul de metileno. A ordem decrescente de intensidade de azul deve ser: núcleo –
membrana – citoplasma.
••Durante a realização da atividade, oriente sempre os alunos sobre a ampliação das
imagens na observação no microscópio, como na troca das lentes e na focalização
da imagem.

••Ao manipular o microscópio, realize os seguintes procedimentos: gire o revólver,


encaixando a objetiva de menor aumento no eixo óptico; coloque a lâmina, com
a lamínula voltada para cima, sob a presilha que se encontra na platina; centralize
o material a ser observado no orifício da platina. Coloque o condensador na posi-
ção mais elevada; utilize o parafuso macrométrico para deixar a platina próxima à
objetiva; acenda a luz do microscópio ou direcione a luz ambiente, com auxílio do
espelho. Se ele possuir diafragma, certifique-se de que está aberto. O diafragma é
a estrutura que controla o feixe de luz que incide sobre o material. Olhe através da
ocular e distancie lentamente a platina, movimentando o parafuso macrométrico
com as duas mãos, até que o material possa ser visualizado. Se o microscópio apre-
sentar duas oculares, trabalhe com os dois olhos abertos e corrija a distância entre
elas de tal forma que consiga observar somente um campo de imagem; refine o
foco utilizando o parafuso micrométrico, movendo-o vagarosamente. A partir deste
momento, o material pode ser observado pelas demais objetivas, sempre respeitan-
do a ordem crescente de seus aumentos.

••As lâminas que não foram coradas com o corante azul de metileno não apresentarão
os limites celulares muito visíveis. Questione os alunos em que tipo de lâmina, com
ou sem corante, as estruturas celulares ficaram mais visíveis. Assim, espera-se que
eles percebam a importância do uso do corante em observações histológicas.

••Após a análise das lâminas, relembre com os alunos as diferenças entre as células
vegetal e animal, assunto abordado no volume do 7º ano desta coleção. Se achar
conveniente, comente com os alunos que é mais fácil observar os limites das célu-
las vegetais por causa da presença da parede celular.

117

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 117 8/1/16 3:42 PM


Respostas Questões iniciais
• Por meio dos microscópios óptico e eletrônico. mitado pela membrana plasmática, núcleo e
• Resposta pessoal. Espera-se que os alunos diferentes organelas.
representem uma célula com o citoplasma deli-

Respostas Minhas observações

1.
Espera-se que os alunos visualizem o citoplasma 2.
Facilitar a observação das estruturas celulares. O
delimitado pela membrana plasmática e o núcleo núcleo celular.
celular.

Resposta Nossas conclusões



Resposta pessoal. Espera-se que os alunos organelas, e quais realmente foram possíveis de
conversem sobre as estruturas das células que serem observadas, como o citoplasma delimitado
esperavam observar no microscópico, como pela membrana plasmática e o núcleo celular.
membrana plasmática, citoplasma, núcleo e

Atividade 2 Objetivo
••Verificar a ação da enzima amilase salivar sobre o amido de milho.
Comentários
••Antes de realizar a coleta da saliva para a realização do experimento, peça aos alunos
que higienizem e enxaguem a boca com água potável, para evitar que resíduos de
alimentos interfiram nos resultados. Ao realizar o item C, oriente-os a misturar bem
os conteúdos que foram adicionados nos copos. Diga-lhes para que misturem primei-
ro o conteúdo do copo 1, evitando deixar resíduos de saliva na colher, o que poderia
alterar o resultado desse copo. Se necessário, espere alguns minutos a mais para que
a enzima aja sobre o amido e o resultado fique mais evidente.
••Explique aos alunos que, ao realizarem uma atividade experimental, na maioria das
vezes, é necessária a presença de um controle. Esse controle não recebe qualquer
tratamento especial, sendo utilizado como parâmetro de comparação para o grupo
que está recebendo o tratamento. Em muitos experimentos, a água é utilizada
como controle somente para igualar os procedimentos, assim como foi descrito no
item C desa atividade.
•• Diga aos alunos que, ao realizarem o item D, observem os resultados apresentados a
cada gota de iodo acrescentada à mistura. Para isso, as gotas devem ser acrescidas
vagarosamente, uma a uma.
••O amido é um polissacarídeo composto por moléculas de glicose, que atua como
fonte de reserva energética dos vegetais, acumulando-se geralmente em sementes,
raízes tuberosas (como a cenoura e a beterraba), caules tuberosos (como a batata) e
nos frutos.

118

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 118 8/1/16 3:42 PM


••Espera-se como resultado do experimento a formação de uma coloração azul-
-escura intensa, quase preta, no copo 1 e coloração mínima ou nenhuma alteração

Na prática
da cor do iodo no copo 2. Isso ocorre porque, no momento em que as moléculas
de iodo entram em contato com o amido, existe a formação de um complexo que
possui coloração azul-escura. A enzima amilase salivar, presente na saliva adicio-
nada ao copo 2, converte as moléculas de amido em moléculas de maltose. Essas
moléculas não formam o complexo com o iodo, não resultando na coloração azul-
-escura nesse copo. O tempo de espera citado no item C é necessário para que a
amilase salivar quebre as moléculas de amido. Caso a adição do iodo ocorresse
logo após a adição da saliva, possivelmente seria possível observar uma coloração
azul-escura, no primeiro momento, no copo 1.

Resposta Questão inicial


• O amido é digerido em partes menores por ação da enzima amilase presente na saliva.

Respostas Minhas observações


1.
Espera-se que os alunos respondam que observaram iodo não reagiu com o amido, não aparecendo a
o aparecimento de uma coloração azul-escura no coloração escura no copo 2. Já no copo 1, como não
copo 1, e que no copo 2 não houve mudança de cor. havia saliva e, consequentemente, não existia a enzi-
ma amilase, o amido não foi digerido, ele reagiu com
2. Porque o objetivo era verificar a ação da enzima
o iodo, resultando na coloração azul-escura.
amilase sobre o amido. Dessa maneira, foi preciso
4. No experimento realizado, o iodo tem o papel de
usar uma mistura na qual não havia amilase para,
indicar a presença de amido de milho na mistura,
por comparação, comprovar sua ação sobre o
enquanto a saliva é o componente do experimento
amido quando presente. cuja ação será testada, tendo o papel de diferen-
3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos concluam ciar a mistura controle (água) da experimental.
que a saliva, devido à ação da enzima amilase salivar, 5.
A insalivação e, consequentemente, a digestão
iniciou a digestão química do amido. Com isso, o química da saliva sobre os alimentos.

Resposta Nossas conclusões


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos rela- representou um alimento rico nessa substância e o
cionem a presença da amilase salivar na saliva copo 2, a boca. A saliva acrescentada no copo 2
com a digestão do amido na boca. representou a liberação da saliva pelas glândulas
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos concluam salivares. O resultado obtido representa a digestão
que a saliva tem um papel importante no início da
do amido, semelhante ao que acontece quando
digestão, principalmente em alimentos que conte-
nham amido em sua composição. comemos uma fatia de pão. Portanto, a saliva tem

3. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- importância na digestão do amido, além de facilitar
dam que o amido de milho utilizado no experimento a gustação, deglutição e movimentos peristálticos.

Atividade 3 Objetivo
••Construir um modelo que representa o funcionamento de parte do sistema
respiratório.

119

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 119 8/1/16 3:42 PM


Comentários
••Ao separar o material para esta atividade, diga aos alunos que providenciem um
tubo de caneta esferográfica sem furos e uma rolha que seja pouco maior do que a
boca da garrafa de plástico. Oriente-os a utilizar uma lixa ou uma superfície áspe-
ra para moldar a ponta da rolha, a fim de que ela possa ser encaixada na garrafa
sem deixar espaços. Se observar que o material da rolha não permite ser moldado
pela lixa, utilize um estilete. Neste caso, o procedimento deve ser realizado por um
adulto.
••O item A pode ser realizado com o uso de uma tesoura ou outro objeto pontia-
gudo para fazer o furo na rolha. Essa etapa deve ser realizada por um adulto. O
furo deve ser feito de forma que o tubo de caneta passe com dificuldade por ele,
deixando esse encaixe bem vedado.
••Diga aos alunos para fixarem o balão na ponta do canudo com a fita adesiva, não
deixando espaço para a passagem de ar, como foi descrito no item B.
••Oriente-os para que, ao realizar o item D, vedem bem o encaixe do balão com a
fita adesiva. Dependendo do lugar de corte, a parede da garrafa é muito flexível,
dificultando a vedação. Para reduzir essa flexibilidade, corte a garrafa em um
lugar que seja mais rígido, geralmente próximo de sua base. Se perceber que os
alunos estão com dificuldade para vedar, sugira-lhes que utilizem tiras de plás-
tico e envolvam o encaixe do balão com a garrafa e, depois, fixem com a fita
adesiva. Essas tiras de plástico podem ser cortadas de qualquer saco plástico.
••Ao realizar o item E, oriente-os a puxar vagarosamente o centro do balão e a
observar o que acontece.
••Espera-se como resultado que, ao puxar o balão que está encaixado na parte inferior
da garrafa, ocorra uma diminuição da pressão dentro dela devido ao aumento do
espaço no interior da garrafa. A pressão interna torna-se menor do que a pres-
são atmosférica, fazendo com que o ar externo entre na garrafa através do tubo
plástico, enchendo o balão. Quando o balão encaixado na parte inferior da garrafa é
solto, o volume interno da garrafa diminui, a pressão interna aumenta e empurra as
paredes do balão preso ao tubo plástico. Isso faz com que o ar do interior do balão
seja forçado para fora da garrafa através do tubo. Isso ocorre até o momento em
que as pressões interna e atmosférica se igualem novamente. Esses movimentos
representam a etapa de ventilação pulmonar da respiração.
••Diga aos alunos que, independentemente de puxarem mais o balão que está fixa-
do na parte inferior da garrafa, o balão fixado no tubo não encherá mais, pois
suas paredes apresentam resistência, impedindo que mais ar entre no balão.
••Questione os alunos se nos movimentos respiratórios ocorrem gasto de ener-
gia pelo corpo. Se a resposta for positiva, pergunte-lhes que procedimento do
experimento corresponde à etapa em que ocorre gasto de energia. Explique-lhes
que o ato de puxar o balão representa a contração do músculo diafragma, que é
responsável pela diferença de pressão entre o ambiente e o interior da caixa torácica.
Essa contração só é possível com gasto de energia.

120

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 120 8/1/16 3:42 PM


Resposta Questão inicial
• A contração e relaxamento do diafragma, juntamente com os músculos intercostais, resultam na alteração de

Na prática
volume da caixa torácica e, consequentemente, na alteração da pressão interna dos pulmões, possibilitando o
fluxo de ar que entra e sai deles. A contração do diafragma aumenta o volume da caixa torácica, o que reduz a
pressão interna dos pulmões e permite a entrada do ar atmosférico, caracterizando a inspiração. Ao relaxar, o
diafragma reduz o volume da caixa torácica e, consequentemente, aumenta a pressão interna dos pulmões.
Esse aumento de pressão expulsa o ar dos pulmões, caracterizando a expiração.

Respostas Minhas observações


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos obser- aumentar o volume da caixa torácica devido à sua
vem que o balão ficou cheio de ar. A explicação contração e, com isto, possibilitar a entrada de ar
para esse fato é que, ao puxar o balão preso na no sistema respiratório. Ao relaxar, esses múscu-
parte inferior da garrafa, o volume interno da los diminuem o volume da caixa torácica e provo-
garrafa aumentou. Isso resultou na diminuição cam a saída do ar.
da pressão interna da garrafa e no interior do 4. Representa a ventilação pulmonar, que possui os
balão fixado no tubo de caneta. Dessa maneira, a movimentos de inspiração e expiração.
pressão interna da garrafa passou a ser menor do 5.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos
que a pressão atmosférica. Com isso, o ar externo respondam que a água entraria pela abertura do
é empurrado na direção do canudo e preenche o tubo da caneta e encheria o balão, que representa
balão que representa o pulmão. o pulmão. Se isso acontecesse com um ser huma-
2. O pulmão. no, ao respirar, a água entraria nos pulmões por
3. O músculo diafragma. A função do diafragma, meio da boca ou do nariz e ele se afogaria.
juntamente com os músculos intercostais, é

Respostas Nossas conclusões


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos conver- empurrado para fora do corpo. Na atividade, ao
sem sobre a necessidade de puxar o balão fixado na puxar o balão fixo no fundo da garrafa (que repre-
abertura da garrafa para o enchimento do outro, senta o diafragma), é gerada uma pressão menor no
fixado na extremidade do tubo de caneta dentro da interior da garrafa (que representa a caixa torácica)
garrafa. Ao inspirarmos, o ar entra pelas narinas ou em relação à pressão atmosférica – em função do
pela boca, passa pela faringe, laringe, traqueia, brôn- aumento do volume da garrafa. Isso permite que o ar
quios, bronquíolos até chegar aos alvéolos pulmona- entre pela abertura do tubo (que representa o nariz,
res. O movimento de inspiração corresponde à a boca, a faringe, a laringe, a traqueia e os brônquios)
contração do diafragma, resultando em um aumento e encha o balão (que representa os pulmões). Ao
do volume da caixa torácica e, consequentemente, soltar o balão, a pressão do interior da garrafa se
causando uma pressão interna menor do que a pres- torna maior do que a pressão da atmosfera e o ar é
são atmosférica, o que faz com que o ar se dirija aos empurrado para fora pela mesma via.
pulmões. Durante o movimento de expiração, o 2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos conclu-
diafragma relaxa e diminui de volume, o que gera am que a entrada e saída de ar dos pulmões
uma pressão maior na caixa torácica em relação à dependem dos movimentos de contração e rela-
pressão atmosférica. Isso faz com que o ar seja xamento do músculo do diafragma.

Atividade 4 Objetivo
•• Observar o processo de descalcificação de um osso, em contato com uma solução ácida.
Comentários
••Para a realização da atividade, providencie ossos de frango que foram cozidos. Evite
ossos que foram fritos, pois o processo de fritura pode levar à perda do colágeno.
Raspe o osso com uma faca para retirar o máximo de carne e cartilagem que puder.
Lave-os bem com água e sabão e seque-os com um pano ou papel.

121

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 121 8/1/16 3:42 PM


••Oriente os alunos para que, ao realizarem o item A, verifiquem, além da resistência
do osso, também sua aparência.
••Ao realizar o item B, diga aos alunos que coloquem a mesma quantidade de água e
vinagre nos respectivos copos. Os dois ossos devem ficar inteiramente mergulhados
nos líquidos, evitando alterações no resultado.
••Após 6 ou 7 dias da realização do item C, será possível observar, na superfície dos
líquidos, pequenas manchas de gordura que se desprenderam dos ossos. O osso
colocado no vinagre, provavelmente, apresentará uma coloração escura devido à
reação dos sais de cálcio com o vinagre, enquanto o osso que estava na água conti-
nuará com sua coloração inicial.
•• Espera-se que, quando os alunos forem manusear o osso que estava mergulhado no
vinagre, ele esteja flexível, sendo possível dobrá-lo com as mãos. Isto acontece porque
o carbonato de cálcio, presente no osso, reage com o ácido acético do vinagre. Essa
reação forma o acetato de sódio e o gás carbônico. O acetato de sódio fica dissolvido
na água e a presença do gás carbônico pode ser percebida logo no início da reação,
devido à formação de pequenas bolhas. Ao manipular o osso que ficou mergulhado na
água, espera-se que o aluno verifique que ele manteve suas propriedades de rigidez,
não sendo possível dobrá-lo com as mãos, pois não ocorreu perda de sais de cálcio.
Respostas Questões iniciais
• Resposta pessoal.
• Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respondam que o processo de descalcificação resulta na perda
de sais minerais, tornando o osso flexível e mole.

Respostas Minhas observações


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- de cálcio que conferem rigidez foram removidos
dam que no procedimento A os ossos estavam rígidos, pela ação do vinagre. A estrutura responsável pela
não sendo possível dobrá-los com as mãos. Já ao flexibilidade do osso é o colágeno.
realizar o procedimento E, o osso que ficou mergu- 3.
Sais de cálcio.
lhado no vinagre estava mole, sendo possível 4. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos rela-
dobrá-lo com as mãos, enquanto o osso mergu- cionem que o resultado obtido confirma que o
lhado na água permaneceu rígido. osso é rígido em razão dos sais de cálcio e flexível
2. Resposta pessoal. Espera-se que os alunos respon- em razão do colágeno. Quando há descalcifica-
dam que o osso é flexível. Se o osso não apresen- ção, é esperado que os alunos compreendam que
tasse flexibilidade, ele teria quebrado no momento a perda de cálcio altera a estrutura do osso,
em que os alunos tentassem dobrá-lo, pois os sais tornando-a menos rígida.

Respostas Nossas conclusões


1.
Resposta pessoal. Espera-se que os alunos conversem uma vez que a vitamina D contribui para a absorção
sobre a importância do colágeno, que confere resis- adequada de cálcio pelo corpo. Essa falta de mine-
tência e elasticidade aos ossos, e sobre os sais rais, como o fosfato de cálcio, torna os ossos frágeis.
minerais, principalmente, os de fosfato de cálcio, A osteopenia e a osteoporose também tornam os
que tornam os ossos rígidos. ossos frágeis, no entanto, são causadas pela
2. Possíveis respostas: Raquitismo e osteomalácia são diminuição da massa óssea e dos minerais, que
causados pela deficiência nutricional de vitamina D. podem estar em níveis normais nos ossos.
Essa deficiência compromete a mineralização óssea,

122

3_m17_esm_mp_8cvc_pratica_p116a122.indd 122 8/1/16 3:42 PM


Ação e
construção Estilo de vida e bem-estar
A saúde está diretamente relacionada aos hábitos do ser humano. Este aspecto será
P. 282 a 287 analisado nesta atividade, na qual os alunos vão conhecer e avaliar o estilo de vida da
comunidade escolar.
Para isso, os alunos desenvolverão atividades relacionadas a pesquisa, produção de
cartazes, aplicação de questionários e conscientização sobre quais atitudes podem ser
tomadas para melhorar o bem-estar e, consequentemente, a saúde dos moradores da
comunidade.

Tempo 6 semanas
estimado
P. 46 Os alimentos
Momentos e seus principais
para nutrientes
começar
P. 172 As
atividades físicas e
os músculos

P. 220 Uso
de álcool na
juventude

••O conteúdo desta seção possibilita estabelecer relações com os saberes de Educa-
ção Física, Matemática e Língua Portuguesa. Se julgar conveniente, convide os
professores dessas disciplinas para auxiliá-lo neste trabalho e para realizar um
bate-papo com os alunos.
Educação Física

Conhecimento do corpo Prática de atividades físicas


– hábitos saudáveis.

Matemática

Números decimais Polígonos Tratamento da informação


– adição, divisão, cálculos – produção de gráficos e
de porcentagem. tabelas.

Língua Portuguesa

Produção textual – textos Oralidade – entrevista, conversa,


curtos e legendas. apresentação oral e discussão.

123

4_m17_esm_mp_8cvc_acao_123a127.indd 123 8/1/16 3:43 PM


Objetivos
••Conhecer o estilo de vida da comunidade escolar.
••Avaliar o bem-estar da comunidade escolar por meio da utilização do “Pentáculo
do Bem-estar”.
••Conscientizar a comunidade escolar a respeito de hábitos de vida mais saudáveis.
Introdução
••Antes de iniciar a atividade, explique aos alunos que eles trabalharão em grupos
e que é muito importante o compromisso e a participação de todos para obter
um resultado satisfatório. Nesta atividade, eles terão momentos de reflexão sobre
atitudes pessoais e coletivas.
••O processo de avaliação deve ser contínuo, ou seja, ocorrer ao longo do desenvol-
vimento da atividade. Promova momentos de pausas, reflexões e correções do que
já foi realizado.
Bate-papo inicial
••As questões iniciais objetivam o levantamento de hipóteses, a exploração do conhe-
cimento prévio e a verificação da opinião dos alunos a respeito do tema tratado.
••Solicite aos alunos que anotem as respostas neste momento para que, ao final da
atividade, confrontem seus conhecimentos e opiniões iniciais com o que aprende-
ram durante a realização deste trabalho.

Mão na massa
1o passo • Planejamento
Conhecendo o “Pentáculo do Bem-estar”
••Explique aos alunos os conceitos relacionados ao Pentáculo do Bem-estar. Para
isso, acesse o site indicado ao lado.
Acesse
Pesquisa
O site a seguir apresenta mais
••A pesquisa sobre os fatores que compõem informações sobre Pentáculo do
o Pentáculo do Bem-Estar pode ser feita na Bem-estar – Base conceitual para
própria escola, caso esta possua computado- avaliação do estilo de vida de
res com acesso à internet. A pesquisa também indivíduos ou grupos.
poderá ser realizada por meio de aparelhos <https://periodicos.ufpel.edu.br/
celulares com acesso à internet. Neste caso, ojs2/index.php/RBAFS/article/
verifique com a coordenação se é permitido view/1002>.
usar esse aparelho em sala de aula. Acesso em: 22 jul. 2016.
••Outra opção é levar para a sala de aula jornais,
revistas ou outros materiais impressos que apresentem informações sobre nutrição,
atividades físicas, relacionamento social, comportamento preventivo e controle de
estresse.
••Esta atividade pode estabelecer relação com a disciplina de Educação Física. O
Pentáculo do Bem-Estar é comumente utilizado por profissionais dessa área para
avaliar o bem-estar das pessoas. Se possível, convide o professor dessa disciplina
para participar, peça-lhe para fazer uma exposição dialogada com os alunos sobre
a importância da atividade física e sua relação com o bem-estar.
••Diga aos alunos que a atividade física abrange tanto exercícios físicos esportivos,
quanto outras atividades cotidianas (caminhar, subir escadas, limpar a casa, traba-
lhar na lavoura, etc.).

124

4_m17_esm_mp_8cvc_acao_123a127.indd 124 8/1/16 3:43 PM


••Peça aos alunos que anotem, imprimam (caso a escola possua impressora dispo-

Ação e construção
nível) ou reproduzam as informações, tabelas e imagens encontradas durante a
pesquisa para serem utilizadas posteriormente na confecção dos cartazes e painéis.
Os alunos também podem anotar as informações repassadas pelo professor de
Educação Física durante sua apresentação.

Aplicação do questionário
••Nesta etapa, é importante que os alunos sigam as orientações presentes no livro.
••Para aplicação do questionário e preenchimento do pentáculo, faça fotocópias dos
modelos a seguir.
Perfil do estilo de vida individual
O estilo de vida corresponde ao conjunto de ações habituais que refletem as atitudes e
os valores das pessoas. Essas ações têm grande influência na saúde geral e na qualidade de
vida de todos os indivíduos.
Os itens abaixo representam características do estilo de vida relacionadas ao bem-estar
individual.
Manifeste-se sobre cada afirmação considerando a escala:
( 0 ) absolutamente não faz parte do seu estilo de vida
( 1 ) às vezes corresponde ao seu comportamento
( 2 ) quase sempre verdadeiro no seu comportamento
( 3 ) a afirmação é sempre verdadeira no seu dia a dia; faz parte do seu estilo de vida.
Componente: Nutrição
a. Sua alimentação diária inclui ao menos 5 porções de frutas e verduras. ( )
b. Você evita ingerir alimentos gordurosos (carnes gordas, frituras) e doces. ( )
c. Você faz de 4 a 5 refeições variadas ao dia, incluindo café da manhã completo. ( )
Componente: Atividade Física
d. Você realiza ao menos 30 minutos de atividades físicas moderadas/intensas, de forma
contínua ou acumulada, 5 ou mais dias na semana. ( )
e. Ao menos duas vezes por semana você realiza exercícios que envolvam força e alon-
gamento muscular. ( )
f. No seu dia a dia, você caminha ou pedala como meio de transporte e, preferencial-
mente, usa as escadas em vez de elevador. ( )
Componente: Comportamento Preventivo
g. Você conhece sua pressão arterial, seus níveis de colesterol e procura controlá-los.
( )
h. Você não fuma e ingere álcool com moderação (menos de 2 doses ao dia). ( )
i. Você sempre usa cinto de segurança e, se dirige, o faz respeitando as normas de trân-
sito, nunca ingerindo álcool antes de dirigir. ( )
Componente: Relacionamento Social
j. Você procura cultivar amigos e está satisfeito com seus relacionamentos. ( )
k. Seu lazer inclui reuniões com amigos, atividades esportivas em grupo, participação em
associações. ( )
l. Você procura ser ativo em sua comunidade, sentindo-se útil no seu ambiente social. ( )

125

4_m17_esm_mp_8cvc_acao_123a127.indd 125 8/1/16 3:43 PM


Componente: Controle do stress
m. Você reserva tempo (ao menos 5 minutos) todos os dias para relaxar. ( )
n. Você mantém uma discussão sem alterar-se, mesmo quando contrariado. ( )
o. Você equilibra o tempo dedicado ao trabalho com o tempo dedicado ao lazer. ( )
Considerando suas respostas aos 15 itens [anteriores], procure colorir a figura abaixo,
construindo uma representação visual do seu Estilo de Vida atual.
Deixe em branco se você marcou zero para o item;
Preencha do centro até o primeiro círculo se marcou [ 1 ];
Preencha do centro até o segundo círculo se marcou [ 2 ];
Preencha do centro até o terceiro círculo se marcou [ 3 ].
Data: / /
[...]
Fonte de pesquisa: NAHAS, Markus Vinicius; BARROS, Mauro V. G. de; FRANCALACCI, Vanessa. O pentáculo do bem-estar
­­— Base conceitual para avaliação do estilo de vida de indivíduos ou grupos. Revista brasileira de atividade física e saúde, v. 5,
n. 2, 2000. Disponível em: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/1002>. Acesso em: 22 jul. 2016.

nutrição

b
a c

controle do stress o d atividade física

n e

m f

l g

k h
j i
a r zi
ara S
B árb

relacionamento social comportamento preventivo

126

4_m17_esm_mp_8cvc_acao_123a127.indd 126 8/1/16 3:43 PM


•• Após a aplicação, cada questionário e pentáculo produzido deverão ficar com o aluno,

Ação e construção
para a análise dos dados. Estes documentos poderão ser entregues ao entrevistado no
dia da divulgação. Outra opção é fazer duas cópias do questionário e do pentáculo para
cada entrevistado, assim o aluno ficará com uma cópia, e o entrevistado, com outra.

2o passo • Execução
Elaboração dos gráficos, cartazes e painéis
••Leia com os alunos as ideias sugeridas nesta etapa. Solicite a eles que se organi-
zem para executar todas as propostas.
••As etapas sugeridas neste momento podem ser desenvolvidas com o auxílio dos
professores de Língua Portuguesa e Matemática. O professor de Matemática pode-
rá auxiliar na realização dos cálculos e produção dos gráficos. O professor de Língua
Portuguesa poderá auxiliar na produção dos cartazes e dos painéis.
••Nesta etapa, oriente cada grupo a conversar sobre os dados obtidos, a fim de verifi-
car quais informações são mais relevantes para serem registradas no cartaz.
••Ao final dessa conversa, oriente-os na elaboração da apresentação dos dados à
comunidade, determinando o tempo para cada grupo e quais informações preci-
sam ser priorizadas durante a apresentação oral.

3o passo • Divulgação
••Esta etapa é destinada à divulgação dos resultados. É o momento de os alunos
exporem à comunidade escolar os dados que coletaram, a fim de sensibilizar as
pessoas sobre sua saúde.
••Se possível, convide alguns profissionais da saúde (como médicos e enfermeiros)
para participar da divulgação e, se necessário, esclarecer possíveis dúvidas relacio-
nadas à saúde.
••Divulgue o evento por toda a escola e verifique a possibilidade de fazerem cartazes
convidando todos para o evento. Esses cartazes poderão ser fixados em locais de
grande circulação na escola.
••Dias antes da apresentação, combine um ensaio com os grupos, aberto somente
aos alunos da turma, com o objetivo de se prepararem. Dessa forma, é possível
corrigir erros e aperfeiçoar a habilidade de falar em público.
••Solicite-lhes que apresentem uma conclusão sobre o resultado dessa pesquisa
para a comunidade escolar, de forma a conscientizar a todos sobre as vantagens
de um estilo de vida saudável e pleno de bem-estar.

Avaliação
••A última etapa é destinada à comparação das hipóteses levantadas pelos alunos
antes de iniciarem o trabalho com os conhecimentos que eles adquiriram durante
o desenvolvimento das atividades como um todo.
•• Após responderem às questões propostas no Livro do Aluno, oriente-os a expor suas
opiniões sobre o trabalho desenvolvido, comentando como ele contribuiu para o apren-
dizado e se houve alguma mudança de opinião ou atitude relacionada a esse assunto.
••Promova uma conversa entre alunos e professores envolvidos na atividade. Comen-
tem sobre o impacto desse trabalho nas pessoas que participaram da entrevista e
na comunidade escolar.

127

4_m17_esm_mp_8cvc_acao_123a127.indd 127 8/1/16 3:43 PM