Você está na página 1de 52

Bibliografia

• BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
• CUNNINGHAM, J.G. (ed.) Tratado de fisiologia veterinária., 4ª ed., Elsevier, 2008.
• REECE, W.O. (ed.) Dukes/Fisiologia dos animais domésticos. 12a ed., Guanabara
Koogan, 2006.

• BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
• BERNE, R.M. & LEVY, M.N. Fundamentos de Fisiologia, 6 ed., Elsevier, 2011.
• HILL, R.W.; WYSE, G.A. & ANDERSON, M. Fisiologia Animal, 2a. ed., Artmed, 2012.
• MOLINA, P. Fisiologia Endócrina, 4a. ed., McGrawHill-Artmed, 2014.
• SILVERTHORN, D.U. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 7a ed.
Artmed, 2017.
Organização Geral do
Sistema Nervoso
Professora Maíra – mairamrvalle@gmail.com
Como as células se comunicam?
Via química Via elétrica
Sistema nervoso usa as duas vias
Sistema Nervoso
Uma rede de bilhões ou trilhões de células nervosas ligadas
umas às outras de uma maneira extremamente organizada
para formar o sistema de comunicação rápida do corpo.
FUNÇÕES GERAIS DO SISTEMA NERVOSO

(1) MANUTENÇÃO DA HOMEOSTASE

Exemplos: regulação da pressão arterial, temperatura, pO2, pCO2,


pH, glicemia, volemia, etc...

(2) GERAÇÃO DOS COMPORTAMENTOS

Exemplos: comportamentos reflexos, comportamento alimentar,


sono, reprodução, defesa, fuga, ataque, etc...

• QUAL O PRINCÍPIO BÁSICO DE FUNCIONAMENTO DO SN?


Estímulo/Resposta
Sentidos
Podemos comparar o SN a um computador
Porém, a capacidade de processamento do cérebro de um maífero
é muito maior do que o computador mais potente existente hoje.
Controle dos sistemas biológicos
Pressão
Temperatura
SNC Volume
Hormônios
SNA Osmolalidade
pH
Glicemia

Meio interno
[ fator ]

Faixa de normalidade

tempo
Exemplo – a temperatura corporal
Animal Temperatura oC
Hipotermia Cavalo 37,5-38,5 Hipertermia
Potro 37,5-39 ou Febre
Boi 38,5-39,5
Vaca 37,5-39,5
Bezerro – 6 meses 39-40
Ovelha e cabra 39-40,5
Porco 38-40
Leitão até 3 meses 39,5-40,1
Cão grande 37,4-39
Cão pequeno 38-39
Gato 38-39
Galo e galinha 41,5-42,5
Homeostase – Homeo: similar; stasis: estado.

É a propriedade auto-reguladora de um
organismo, que permite manter o estado de
equilíbrio de suas variáveis físico-químicas
essenciais de forma a preservar sua
viabilidade.

O corpo monitora seu estado interno e toma


Claude Bernard - 1878 medidas corretivas para corrigir alterações que
ameacem seu funcionamento adequado. Assim,
a homeostase é mais um equilíbrio dinâmico,
frente a alterações dos meios interno/externo,
do que estático.
Homeostase – Homeo: similar; stasis: estado.

Como Walter Cannon escreveu na "Sabedoria do


Corpo" (1932): “A palavra não implica em algo
pré-determinado e imutável, numa estagnação. Ela
se relaciona a uma condição - uma condição que
deve variar, mas que é relativamente constante."

Walter Cannon - 1929


Homeostase
Doença - quando a homeostase se perde
Exemplo
Controle
involuntário
Exemplo – controle voluntário
Ex.: ALIMENTAÇÃO
MUNDO
Cheiro Comer
Gosto Predar

Sentido Motor

SNA Cérebro
Salivação
Estômago Motilidade
Hipotálamo TGI

Hipófise

SANGUE
Características e funções gerais
• Excitabilidade
• Detecção sensorial
• Processamento de informação
Ø Transmissão nas redes neurais

Ø Integração neural

Ø Armazenamento e recuperação de informações da memória

Ø Uso da informação sensorial para percepção

Ø Processos de pensamento e conscientização

Ø Aprendizado

Ø Planejamento e execução de comandos motores

Ø Emoção e motivação

• Comportamento
A unidade básica sinalizadora do SN
é o NEURÔNIO
Partes neurônio
• O corpo celular é o centro de controle. Possui as organelas como uma célula comum.
Um citoesqueleto extenso se estende para o interior do axônio e dos dendritos.
• Os dendritos recebem os sinais de chegada. São processos finos e ramificados que
recebem a informação proveniente de células vizinhas.
• A função primária de um axônio é a de transmitir sinais elétricos de saída do centro
integrador do neurônio para as células-alvo, localizadas no final do axônio.
• O cone de implantação é um região especializada onde os axônios se originam.
• Terminação pré-sináptica, na extremidade do axônio, que pode liberar sinais
químicos, os neurotransmissores, para as células alvo, no espaço chamado
sinapse.

• A bainha de mielina isola os axônios por meio da formação da mielina, uma


substância composta por várias camadas concentricas de fosfolipídeos de membrana.
Células da glia – suporte físico e bioquímico para neurônios

Tipos:
1 – Astrócito
2 – Oligodendrócito
3 – Microglia
4 – Células ependimárias
Células da glia – “heróis invisíveis"
SN não tem matriz extracelular – células da glia dão suporte
1 - Microglia – Sistema imune no SNC
2 - Astrócitos – maiores células - sustentação e a nutrição dos
neurônios (SNC).
3 - As células de Schwann no SNP e os oligodendrócitos no SNC
mantém e isolam os axônios por meio da formação da mielina
4 – Células satélite células que formam cápsulas de suporte ao
redor dos corpos dos neurônios localizados nos gânglios (SNP)
5- Células ependimárias - São responsáveis pelo revestimento
simples dos ventrículos, revestem também o canal central da medula
espinhal em alguns locais elas são ciliadas, o que facilita a
movimentação do líquido cefalorraquidiano (SNC).
O Sistema nervoso dos mamíferos se divide como?
Sistema Nervoso Central – SNC: Sistema Nervoso Periférico – SNP
Cérebro e medula espinhal Gânglios e nervos periféricos

Divisão
anatômica
Sistema Nervoso Central - SNC
Encéfalo Medula espinhal

O encéfalo abrange
o bulbo, ponte, cerebelo, mesencéfalo, tálamo,
hipotálamo, gânglios da base e córtex cerebral.
O que acontece quando, por exemplo, se rompe um
neurônio motor da medula espinhal?
Regeneração neuronal
Medula
espinhal

A medula espinhal é a porção


alongada do SNC, é a
continuação do bulbo, que se
aloja no interior da coluna
vertebral, ao longo do seu eixo
crânio-caudal.
Medula espinhal
Cada região é subdividida em segmentos e de cada segmento surge
um par bilateral de nervos espinhais ou paravertebrais.
Medula - SNC
A medula é a principal via de fluxo de informações em ambos os
sentidos entre encéfalo/pele/articulações/músculos/vísceras.
Contém redes neurais responsáveis pela locomoção
Segmentos da medula espinhal
Cada segmento inerva uma região específica do corpo.
Substância cinzenta
Substância branca
Sistema nervoso periférico
Constituído por:
• Nervos – conjunto de axônios ou fibras nervosas.
• Gânglios – conjuntos de corpos celulares de neurônios, fora do SNC.
Sistema nervoso periférico
• Sistema nervoso somático
Nervos que controlam os músculos esqueléticos

• Sistema nervoso autônomo


Nervos que controlam

Involuntários

SN Simpático

SN Parassimpático

SN Entérico (trato gastrointestinal)


Sistema Nervoso Periférico
5 princípios da organização básica do
cérebro de mamíferos e vertebrados
1. A função cerebral é localizada – neurônios em diferentes regiões
anatômicas, desempenham diferentes papéis ex. Córtex auditivo

2. O cérebro possui um mapa – ou seja, possui representações topográficas


da organização anatômica corporal

3. Tamanho importa – No geral, quanto maior cérebro, mais neurônios,


maior capacidade de processamento, maior desempenho cognitivo.

4. A evolução do cérebro dos vertebrados se deu pela expansão de


áreas do prosencéfalo (mamíferos: córtex)

5. Os circuitos neurais são plásticos – a conexão entre neurônuos podem


mudar com o desenvolvimento, maturação e com a experiência.
Divisões principais do cérebro de mamíferos

Divisão Subdivisão Área


Córtex cerebral
Hipocampo
Telencéfalo
Núcleos da base
Prosencéfalo
Sistema límbico
Tálamo
Diencéfalo
Hipotálamo
Colículo superior
Mesencéfalo
Colículo inferior
Cerebelo
Metencéfalo
Rombencéfalo Núcleos motores da ponte
Mielencéfalo Bulbo raquidiano

Obs.: Gânglios basais = núcleos da base


Bulbo raquidiano = medula oblongata
Tronco encefálico
Tronco encefálico
Diencéfalo
Prosencéfalo
Frenologia (do Grego: φρήν, phrēn, "mente"; e λόγος, logos, "lógica
ou estudo")
Todas as capacidades cognitivas resultam
da integração de muitos mecanismos de
processamento distribuídos em diversas
regiões do encéfalo, que realizam um
processamento serial e paralelo.
Áreas funcionais do córtex cerebral
Embora os hemisférios sejam
semelhantes em aparência eles
não são completamente
simétricos em estrutura nem
equivalentes em função.

Lateralização dos hemisférios


refere-se à forma como processos
cognitivos são mais dominantes
em um lado do cérebro do que de
outro.

Cães processam vocalizações


específicas da sua espécie
usando o hemisfério esquerdo
e conteúdos sonoros que causem
alterações emocionais no
hemisfério direito.
Pesquisa
Núcleos da base
coordenação motora, emoções
Sistema límbico
emoções e comportamento social
Divisões do cérebro e funções principais
Pergunta
Por que alguns filhotes já nascem
caminhando enquanto outros, como os
filhotes de cachorro e bebês humanos, não
conseguem focar os olhos, sentar ou mesmo
andar assim que nascem, mesmo que os
músculos e os neurônios já estejam
plenamente funcionais?