Você está na página 1de 6

A MÍDIA E O CORPO

Há nas sociedades contemporâneas uma intensificação do culto ao corpo, onde os indivíduos


experimentam uma crescente preocupação com a imagem e a estética.

Entendida como consumo cultural, a prática do culto ao corpo coloca-se hoje como preocupação
geral, que perpassa todas as classes sociais e faixas etárias, apoiada num discurso que ora lança
mão da questão estética, ora da preocupação com a saúde.

Nas sociedades modernas há uma crescente preocupação com o corpo, com a dieta alimentar e o
consumo excessivo de cosméticos, impulsionados basicamente pelo processo de massificação das
mídias a partir dos anos 1980, onde o corpo ganha mais espaço, principalmente nos meios
midiáticos.

Os meios midiáticos vêm criando modelos ideais a serem seguidos. Corpos magros e bem definidos,
muitas vezes além do necessário e saudável, são vistos como entrada para um mundo de valorização
pessoal, profissional e bem-estar. Porém, aos que não seguem este padrão, são julgados na maioria
das vezes como preguiçosos e desleixados, criando assim uma nova forma de preconceito aos
julgados não magros.

Entretanto, na maioria das vezes as pessoas que não seguem esses padrões sofrem discriminação
e preconceito dos adeptos a estes. Podendo ser prejudicados no meio social e profissional, o que,
poderá acarretar vários problemas de saúde e psicológicos, como a bulimia, a ansiedade e etc.

Nos dias atuais o corpo passou do mundo dos objetos para a esfera dos sujeitos, que buscam
reconhecimento e glorificação, para isso investem cada vez mais em si, com a intenção de obter
prazer e status. Observamos um mercado crescente de serviços e produtos. Somos induzidos a
consumir mais e mais na busca de um corpo magro e sarado imposto pela mídia.

A mídia veicula a apresentação da beleza estética associada a ideias de saúde, magreza e atitude.
A publicidade se apodera de ações subjetivas que incentiva modismos e estilos de vida. A carência
e o medo da velhice passam a ser combatido ou amenizado com vários produtos e técnicas estéticas
que prometem efeitos milagrosos, o mercado da beleza vende a “possibilidade” de se permanecer
vivo, belo e saudável.

As pessoas estão cada dia mais insatisfeitas com sua aparência, os novos padrões estéticos
desencadearam uma imagem de crise, o que se reflete no aumento do número de cirurgias plásticas.
As mulheres estão recorrendo desenfreadamente ao uso de maquiagem, roupas da moda e a
procedimentos estéticos como uso de próteses de silicone nos seios, lipoaspirações ou ainda o uso
de substâncias químicas.

O contexto social a qual estamos vivendo demonstra uma mudança nos padrões não só estéticos
mas também nos morais, vivemos em tempo em que ocorre o enfraquecimento dos principais meios
de construção da identidade como a religião, e a família, as pessoas estão cada vez mais egoístas
preocupando-se somente com seu próprio corpo sendo incentivados por uma cultura que valoriza a
imagem e que tem como principal aliado a mídia.

Preocupados com a busca desenfreada da “beleza perfeita” e pela vaidade excessiva, sob influência
dos mais variados meios de comunicação, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica apresenta uma
estimativa de que cerca de 130 mil crianças e adolescentes submeteram-se no ano de 2009 a
operações plásticas.

Evidentemente que a existência de cuidados com o corpo não é exclusividade das sociedades
contemporâneas e que devemos ter uma especial atenção para uma boa saúde. No entanto, os
cuidados com o corpo não devem ser de forma tão intensa e ditatorial como se tem apresentado nas
últimas décadas. Devemos sempre respeitar os limites do nosso corpo e a nós a mesmos.
CAPACIDADES FISICAS E APTIDÃO FÍSICA

As capacidades físicas são qualidades próprias de cada indivíduo, correspondente à parte física
corporal do movimento, são elas que nós utilizamos para realizar os mais diversos movimentos
durante a nossa vida. Estas capacidades podem ser aprimoradas(treinadas) com atividades físicas
específicas e, juntamente com as habilidades motoras, integram o desenvolvimento motor.

Aptidão física é a capacidade de realizar as atividades cotidianas com tranquilidade e menor esforço.
Existem duas abordagens, uma é a aptidão física relacionada à saúde referem-se à condição física
sendo: flexibilidade, resistência, força e composição corporal. Possibilitam mais energia para o
trabalho e o lazer, propiciando menor risco de doenças crônico-degenerativas.
A outra está relacionada à performance esportiva refere-se à aptidão para o desempenho em
atividades desportivas que associam, além das capacidades acima citadas, a agilidade, velocidade,
equilíbrio e coordenação motora
A aptidão para performance tem uma interferência das questões genéticas, já na aptidão para à
saúde, os componentes podem ser melhorados mais facilmente, ou seja, nós temos uma maior
interferência.

Resistência: É a capacidade física que permite efetuar um esforço durante um tempo considerável,
suportando a fadiga dele resultante e recuperando com alguma rapidez.

Força: É a capacidade física que permite deslocar um objeto, o corpo de um parceiro ou o próprio
corpo através da contração dos músculos.

Velocidade: É a capacidade física que permite realizar movimentos no menor tempo possível ou
reagir rapidamente a um sinal.

Agilidade: É a qualidade física que permite mudar a direção do corpo no menor tempo possível
(rapidamente). Conhecida como velocidade de “troca de direção”. Para a agilidade, a flexibilidade é
importante.

Equilíbrio: É a qualidade física conseguida por uma combinação de ações musculares com o
propósito de assumir e sustentar o corpo sobre uma base, contra a lei da gravidade. Pode ser de 3
tipos: dinâmico, estático e recuperado.

Flexibilidade: É a capacidade física que permite executar movimentos com grande amplitude.

Coordenação Motora (destreza): É a capacidade física que permite realizar uma sequência de
exercícios de forma coordenada.

CAPOEIRA

Uma das expressões culturais brasileiras mais conhecidas é a capoeira. Desenvolvida


principalmente por descendentes de escravos africanos, mistura a arte marcial, o esporte, a
cultura popular e a música. Sua principal característica são os golpes e movimentos complexos
feitos de forma bastante ágil. Os jogadores utilizam além dos chutes e rasteiras, cabeçadas,
joelhadas, cotoveladas e acrobacias aéreas ou no solo.

Outro fator importante que distingue a capoeira da maioria das artes marciais é a sua musicalidade.
Quem a pratica aprende a lutar, a jogar e também a tocar os instrumentos típicos e a cantar.

Praticada normalmente em terrenos próximos às senzalas, a capoeira tinha como principal função
manter viva a cultura africana, aliviar o estresse do trabalho pesado e contribuir para melhorar
a saúde física. A capoeira pode ser dividida em três estilos diferentes no que diz respeito aos
movimentos e ao ritmo musical de acompanhamento.
• Angola: foi criado na época da escravidão e é considerado o estilo mais antigo. Os seus atributos
fundamentais são: o ritmo musical lento, os golpes jogados mais próximos ao solo e malícia;

• Regional: caracterizado especialmente pela mistura da malícia e da malandragem da capoeira


angola com a agilidade dos movimentos, o jogo é composto por golpes rápidos e secos sem a
utilização de acrobacias. O som que se destaca é o do berimbau;

• Contemporâneo: estilo misto que agrega alguns fatores da Angola e da Regional que se destaca
a outros. A característica principal são as acrobacias, notoriamente mais sobressalentes.

A DESCRIMINALIZAÇÃO DA CAPOEIRA

Dos tempos da escravidão pra cá, muita coisa aconteceu no mundo da capoeira. Foram crises,
proibições, perseguições, liberações, etc. Atualmente, a capoeira é reconhecida e praticada
mundialmente por um número incalculável de pessoas. Porém, existem pontos a serem discutidos e
melhor evidenciados. Dentre eles, muitas coisas que as pessoas falam, mas, que até agora, não
disseram realmente nada. A libertação de uma arte – Foi em nome da liberdade para a capoeira
como um todo que a luta continuou e continua até hoje. Mesmo sob o ferro da repressão, grandes
nomes de capoeiristas célebres passaram para a história. Entre estes estão nomes que já se foram
como: Mestre Pastinha, Mestre Bimba, Mestre Gigante, Manduca da Praia, Mestre Leopoldina, Pedro
Cobra, Nascimento Grande e Besouro Mangangá. Sem usar armas, a capoeira bateu-se esse tempo
todo contra a injustiça que perseguia seus praticantes. Hoje a capoeira é arte, arte livre e pura que
traz em seu íntimo a luta de um povo pela própria liberdade de viver.

DOPING NO ESPORTE
O esporte sempre foi regido pelo princípio básico do equilíbrio de condições de igualdade entre os
adversários. O doping seria um dos fatores que tiraria este equilíbrio, pois ele consiste no uso de
substâncias (não naturais) que possa aumentar o desempenho dos atletas, durante uma competição.
O uso de medicamentos, além de trazerem riscos à saúde, é uma conduta antiética, pois pode
proporcionar uma vantagem desleal em relação aos outros competidores.
Para avaliar a presença de substâncias dopantes nos atletas, são realizados exames antidoping
feitos através de exames de urina e/ou de sangue antes, durante ou após a competição. Em geral,
os vencedores dos torneios precisam fazer esses exames para comprovar que não fizeram uso de
substâncias ilícitas.
Além disso, os exames também podem ser feitos fora do período de competição, a qualquer hora da
vida do atleta e sem aviso prévio, sendo os atletas escolhidos através de um sorteio.
A Agência Mundial Antidoping (WADA - World Antidoping Agency) é a responsável por determinar
quais são as substâncias consideradas proibidas e combater a prática de doping entre os atletas.

As substâncias proibidas para os atletas dividem-se em categorias:

 Estimulantes: substâncias que aumentam a obtenção de energia (fazem o atleta se sentir mais
forte, mais disposto e mais atuante) e diminuem o cansaço, pois aumentar a capacidade de tolerância
ao esforço físico e diminuir o limiar de dor. São utilizados por atletas que precisam de muita energia
e velocidade. Os principais esportes onde encontramos atletas que fazem uso destas substâncias
são o basquetebol, o ciclismo, o voleibol e o futebol.
EX: Anfetaminas, a cocaína, a efedrina e a cafeína.

 Analgésicos narcóticos: substâncias que aliviam ou diminuem a sensação de dor. Geralmente,


são utilizados nos esportes que exigem muita resistência como a maratona e o triatlon.
EX: Morfina, codeína, heroína, petidina, álcool e outras
 Diuréticos: conhecidos também como “AGENTES MASCARANTES”, são usados para aumentar
a produção e excreção de urina e redução de peso. Usados por atletas que precisam reduzir peso
rapidamente ou para disfarçar a presença de outras substâncias em seu corpo. São muito usados
por atletas do boxe, do judô, do halterofilismo e do karatê.
EX: Triantereno, Hidroclorotiazida e a furosemida

 Betabloqueadores: Usados para melhorar a concentração, diminuir o ritmo cardíaco e conter


tremores. Usados em competições de xadrez, nado sincronizado, tiro ao alvo e arco e flecha para
manter estáveis as mãos do atleta.
EX: Atenol e propanolol

 Hormônios peptídeos e análogos: Propiciam o aumento de massa e potência muscular. Usado


por atletas em provas de resistência e treinamento de força.
EX: Hormônio do Crescimento (GH), o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) e a eritropoetina (EPO)

 Esteroides Anabolizantes: Compostos derivados do hormônio masculino a Testosterona. Agem


aumentando a massa muscular e massa óssea (efeito anabólico) e no desenvolvimento dos
caracteres sexuais masculinos (efeito andrôgeno) como crescimento exagerado de pêlos no corpo,
desenvolvimento dos órgãos sexuais, engrossamento da voz.
Utilizados em atletas como halterofilistas, lutadores de artes marciais e eventualmente em todos os
tipos de esporte que envolvam a força explosiva.
EX: Nandrolona, o estonozolol, o anadrol e a própria testosterona

Outro método proibido é o doping sanguíneo, uma transfusão em que o sangue do atleta é injetado
nele mesmo, para aumentar o oxigênio nos tecidos. O sangue é extraído do atleta, armazenado e
depois reintroduzido cerca de um mês antes da competição.
O doping é uma traição contra a credibilidade do esporte, é tirar vantagem sobre o adversário, é o
desonesto obtendo vantagem por meios obscuros, ou seja, forma de tentar enganar para vencer o
adversário.
A definição de doping é o uso de drogas ou de métodos específicos que visam melhorar o
desempenho de um atleta durante uma competição. As principais substâncias proibidas são
agrupadas nas seguintes categorias:

Estimulantes: reduzem a fadiga e estimulam a produção de adrenalina.

Narcóticos analgésicos: diminuem a sensação de dor e o cansaço.

Diuréticos: medicamentos usados para perder peso e mascaram ou dificultam a pesquisa do uso
de substâncias dopadoras no exame antidoping.

Betabloqueadores: medicamentos que diminuem a pulsação cardíaca e a pressão arterial do


atleta. O efeito doping é utilizado nas competições que requerem precisão e concentração como no
tiro esportivo, arco e flecha, para manter as mãos sem tremores nas provas.

Hormônios peptídeos e similares: aumentam o volume e a potência dos músculos.

Esteroides anabolizantes: aumentam a força e potência muscular. Essas substâncias reduzem o


tempo de recuperação do atleta.

Doping sanguíneo: é a transfusão do próprio sangue do atleta injetado nele mesmo, para
aumentar o oxigênio nos tecidos. Uma forma alternativa e infelizmente não incomum é a injeção de
eritropoietina (EPO), que age aumentando a produção dos glóbulos vermelhos.

Outros métodos: até modificações genéticas são esperadas no futuro para vencer competições
desonestamente.
As substâncias mais utilizadas e que são consideradas doping são aquelas que aumentam a força e
resistência muscular, diminuem a dor e a sensação de fadiga. As principais substâncias utilizadas
são:
 Eritropoetina (EPO): ajuda aumentar as células que carregam oxigênio no sangue,
melhorando o desempenho; Muito utilizado por atletas que praticam esportes de resistência e
atletas que realizam esportes de explosão.
 Furosemida: potente diurético que ajuda a diminuir o peso rapidamente, usado principalmente
por atletas de luta com categorias de peso. Também ajuda a diluir e esconder outras
substâncias proibidas na urina;
 Energéticos: aumentam a atenção e a disposição, diminuindo a sensação de cansaço;

EM BUSCA DO CORPO IDEAL, CRESCE O USO DE SUBSTÂNCIAS COMO


ANABOLIZANTES, SUPLEMENTOS E TERMOGÊNICOS
A “ditadura do corpo perfeito”, pregada a ferro e fogo pela sociedade, tem se transformado em
armadilha para aqueles que acreditam que a felicidade está em músculos grandes, em corpos
magros e sem gordura. Em busca da beleza escultural, homens e mulheres ingerem e injetam
substâncias capazes de fazer milagres. Por um lado, deixam o corpo bonito, forte e aparentemente
saudável em pouco tempo. Em contrapartida, os produtos cobram um preço alto por isso: funcionam
como um tsunami interno no organismo, causando doenças graves e, em alguns casos, até a morte.
Ganhar um corpo sarado em um tempo recorde e reduzir a fadiga do treino. Essa é a meta de quem
faz uso de anabolizantes. O que essas pessoas não sabem é que essas substâncias à base de
esteroides causam um enorme dano à saúde em geral, especialmente ao fígado, coração e cérebro.
Uma pesquisa realizada pelo Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, e divulgada em 2010
pela Medicine & Science in Sports & Exercise, do American College of Sports Medicine, mostrou que
usuários frequentes dessas substâncias apresentam um risco cinco vezes maior de ter acidente
vascular cerebral, parada cardíaca ou morte súbita do que a população em geral.
O estudo mostrou ainda que quem faz uso constante dessas substâncias revelaram redução do
colesterol bom (HDL) e o aumento do ruim (LDL) e dos níveis de pressão arterial, fator que aumenta
o risco de entupimento dos vasos sanguíneos cerebrais e do coração, desenvolvimento de câncer
no fígado e comprometimento dos rins.
PRÁTICAS ESPORTIVAS COLETIVAS
Consideram-se esportes as práticas que adotam regras de caráter oficial e competitivo, ou seja,
envolvem disputa entre equipes ou indivíduos, tendo como critérios de julgamentos os pontos, dentro
de uma prática social que o institucionaliza.
As práticas esportivas coletivas podem ser entendidas como um confronto entre duas equipes, que
se dispõem pelo espaço de jogo e se movimentam, com o objetivo de vencer, alternando-se em
situações de ataque e de defesa.
DENOMINADORES COMUNS AS PRÁTICAS ESPORTIVAS COLETIVAS
- Uma Bola (objeto de disputa)
- Espaço de Jogo (onde acontece o “confronto”)
- Parceiros com quais se jogam (equipe)
- Adversários (oposição)
- Um “Alvo” para atacar e outro para defender
- Regras Específicas

ATAQUE DEFESA
CONSERVAÇÃO DA BOLA RECUPERAÇÃO DA BOLA
Progressão dos jogadores e da bola Impedir a progressão dos jogadores
para o alvo adversário e da bola
Ataque ao alvo adversário para realizar Proteção do meu alvo e do meu
pontos campo

CATEGORIAS DOS ESPORTES COLETIVOS

- Esportes Coletivos em que há interação com o adversário


São os esportes nos quais os jogadores colaboram com seus companheiros de equipe, de forma
combinada, ou seja, se enfrentam diretamente com a equipe adversária, tentando em cada jogada
atingir os objetos do jogo, evitando que, ao mesmo tempo, os adversários o façam.

- Esportes Coletivos em que não há interação com o adversário


São os esportes que requerem a colaboração de dois ou mais atletas, porém não implicam a
interferência do adversário na ação motora.

O esporte é um produto cultural que surge do jogo e, somente quando institucionalizado, é assim
intitulado. Sendo assim, todo esporte se origina de um jogo. Mas nem todo jogo será um esporte.

CATEGORIAS DE JOGOS RELACIONADOS AO ESPORTE

JOGOS DE INVASÃO OU TERRITORIAIS: são aquelas modalidades em que as equipes tentam


ocupar (Invadir) o setor de quadra/campo defendido pelo adversário para marcar pontos (gol, cestas),
ao mesmo tempo em que tenta proteger a própria meta. Exemplos: basquetebol, futebol de campo,
futsal, handebol e polo aquático.

JOGOS DE REBATIDA COM REDE DIVISÓRIA OU PAREDE DE REBOTE: são aquelas


modalidades nas quais se arremessa, lança ou se bate na bola ou peteca em direção à quadra
adversária (sobre a rede ou contra uma parede) de tal forma que o rival não consiga devolvê-la, ou
a devolva fora campo adversário ou pelo menos tenha dificuldades para devolvê-la. Podemos citar
como exemplo de esportes com rede divisória o voleibol, vôlei de praia, tênis, badminton, peteca. E
como exemplos de esportes com parede de rebote pelota, basca, raquetebol e squash.

JOGOS DE CAMPO E TACO: são aquelas modalidades que tem como objetivo rebater a bola o
mais longe possível para tentar percorrer o maior número de vezes as bases (ou a maior distância
entre as bases) e, assim, somar pontos. Por exemplo: tacobol, beisebol, críquete, softbol.