Você está na página 1de 14

AULA 11

Por que aprender trigonometria?


A palavra trigonometria é formada por três radicais gregos: tri “três”, gonon
“ângulos” e metron “medida”; portanto estuda as relações de medidas do
triângulo. Aprender trigonometria é fundamental para a compreensão de im-
portantes conceitos matemáticos, pois sintetiza noções de aritmética, geo-
metria e álgebra.

Desde a Antiguidade, os princípios


da trigonometria começam a ser aplicados

Pirâmides do Egito Antigo

A Matemática e os princípios da trigonometria foram muito empregados na construção das


pirâmides. Conhecedores desta ciência, os arquitetos planejavam as construções de forma a obter o
máximo de perfeição possível. As pedras eram cortadas e encaixadas de forma perfeita. Seus quatro
lados eram desenhados e construídos de forma simétrica, fatores que explicam a preservação delas
até os dias atuais.

O conceito de simetria

A simetria diz respeito ao equilíbrio das formas. O conceito de simetria define a correspon-
dência de posição, de forma ou de medida em relação a um eixo. Refere-se à harmonia resultante
de combinações e proporções regulares. A ideia de simetria remete à beleza e seus princípios
podem ser observados na natureza, no desenho e na arquitetura, com inúmeras aplicações na
Matemática.
Disponível em: http://www.suapesquisa.com/historia/piramides/. Acesso em: 28/11/2012. Texto adaptado.

Matemática 1 - Aula 11 105 Instituto Universal Brasileiro


Trigonometria e suas aplicações
A trigonometria é considerada uma das áreas mais importantes da Matemática, pois
possui diversas aplicações nos estudos relacionados à Física, Engenharia, Navegação ma-
rítima e aérea, Astronomia, Topografia, Cartografia, Agrimensura entre outras.

Como se mede a distância até as estrelas?

A estrela mais próxima de nós é Alpha Centau-


ri, a 41,5 trilhões de quilômetros. Mas não foi preciso
ir lá para saber.
Hoje, nossa distância até os astros é medida
com complexos cálculos trigonométricos, mas a
lógica é bem simples. Para entender, faça o seguin-
te: ponha o dedão na frente do rosto e feche o olho
esquerdo; agora feche só o direito. Repare que seu
dedão "andou" em relação ao plano de fundo. Esse
deslocamento aparente se chama paralaxe.
É assim que os astrônomos calculam a distância
de uma estrela vizinha (até 96 anos-luz). Só que, em
vez de dois olhos, a astronomia usa a órbita da Terra:
janeiro seria seu olho direito, e junho, quando o plane-
ta está do outro lado do Sol, seu olho esquerdo.
Para astros mais distantes, o deslocamento angular é pequeno demais para ser medido. O
truque, então, é achar um astro próximo com luminosidade conhecida e usá-lo como parâmetro.

Régua nas estrelas

Entenda como se monta a equação que mede a distância até as estrelas:

1. Pontos...
Em janeiro, os astrônomos observam a posição de uma estrela próxima da Terra.

2. ...de vista
Em julho, a Terra está no ponto oposto da sua órbita. Quando a mesma estrela é obser-
vada, ela parece ter se deslocado.

3. Seno e cosseno
Os astrônomos pegam esse deslocamento aparente da estrela e, graças à mágica da
trigonometria, obtém-se a distância da estrela.

Longe daqui
Para astros mais distantes, o método é diferente: compara-se a luz da estrela com a de
astros conhecidos e aí se faz uma estimativa.

Revista Superinteressante. Junho de 2009.

Matemática 1 - Aula 11 106 Instituto Universal Brasileiro


Triângulo retângulo e suas relações trigonométricas
O triângulo é uma das figuras mais
simples e importantes da Geometria. Há vá-
rios tipos de triângulo que são identificados
de acordo com as medidas de seus lados
e ângulos. O objeto de estudo desta aula é Como explicar a geometria das pirâmides?
o triângulo retângulo e suas relações trigo-
nométricas. Uma dessas relações é descrita Na realidade não existem registros es-
no famoso Teorema de Pitágoras que espe- critos que expliquem como as pirâmides foram
cifica as medidas dos lados desse tipo de construídas e, portanto, tudo o que se diga a
triângulo. respeito são hipóteses com base em indícios.
Apesar da simplicidade de seu dese-
nho, uma pirâmide é um feito de engenharia
Triângulo Retângulo
incrível. Algum conhecimento de Matemática,
Geometria e Astronomia deve ter sido usado.
De acordo com os dados históricos, a
Um triângulo é chamado triângulo Geometria dos antigos egípcios estava base-
retângulo quando possui um ângulo in- ada na pirâmide de base quadrada. Como os
terno reto, isto é, que mede 90°, confor- egípcios faziam para obter ângulos retos?
me abaixo: Usando uma corda com 12 nós, os egíp-
cios construíam um triângulo retângulo parti-
cular para obter “cantos” em ângulos retos.
Esse triângulo particular tem lados me-
dindo 3 unidades, 4 unidades e 5 unidades de
comprimento. Nesse triângulo, o ângulo forma-
ângulo reto
do pelos dois lados menores é um ângulo reto.

90°

Daí o seu nome, pois assim ele sempre


vai descrever metade de um retângulo, corta-
do na diagonal.

Veja:

Disponível em: http://www.fascinioegito.sh06.com/como-


fora.htm. Acesso em: 23/05/2013. Texto adaptado.

Denominação dos lados do


triângulo retângulo

Triângulo retângulo Os lados de um triângulo retângulo têm


nomes específicos. O principal lado, caracteri-
zado por ser o maior, chama-se hipotenusa
e os demais, catetos.
Matemática 1 - Aula 11 107 Instituto Universal Brasileiro
C

CATETO
HI
PO
TE
Ou seja:

{ 25

{
NU
SA

A B
16

hip
CATETO

cateto
ot
en
us
a
Triângulo ABC, cateto

retângulo em A

{
9

Somando os quadradinhos dos


TO

C
AT
E

quadrados menores, verá que tem a


E
AT

TO
C

mesma quantidade de quadradinhos


B D do quadrado maior.
HIPOTENUSA

16 + 9 = 25
Triângulo BCD,
retângulo em C
Então:

Note que o lado maior do triân-


gulo, que é sempre oposto ao ângulo
Hipotenusa2 = cateto2 + cateto2
de 90º, é sempre a hipotenusa, e os
demais são os catetos.
Exemplo:
Dado o triângulo retângulo ABC abaixo:

{
Teorema de Pitágoras C
med. (CB) = 5 cm
Na Grécia, por volta do século VI med. (AB) = 4 cm
a.C., Pitágoras (580-500 a.C.), filósofo e 5 cm
3 cm
matemático, já fundava uma escola para med. (AC) = 3 cm
estudar os números. Naquela época, sua
maior descoberta foi de um teorema, que
A B
acabou carregando seu nome: Teorema 4 cm
de Pitágoras.
Atenção!
O Teorema diz que "em um triângu-
lo retângulo, o quadrado da medida da • O lado CB é a hipotenusa.
hipotenusa é igual à soma dos quadra- • Os lados AB e AC são catetos.
dos das medidas dos catetos".

Matemática 1 - Aula 11 108 Instituto Universal Brasileiro


Observe que:
Verificar que eu não minto
[med (CB)]2 = [med (AB)]2 + [med (AC)]2
9 e 16 somados é igual a 25!!!

Um teorema importante
[med (hipotenusa)]2 = [med (cateto)]2 + [med (cateto)]2 Eu quero te ensinar
Teorema de Pitágoras
Poderemos decifrar
52 = 42 + 32
Disponível em: http://letras.mus.br/musicas-de-matema-
25 = 16 + 9 tica/1856720/. Acesso em: 29/11/2012.

(Sentença
25 = 25
verdadeira)
Cálculo das medidas dos lados
do triângulo retângulo

Com o Teorema de Pitágoras, é possível


determinar a medida de um dos lados “x” do
triângulo retângulo, quando se têm os outros
dois. Veja no exemplo:
Teorema de Pitágoras

Um teorema importante Calcularemos a medida x do lado AC


Eu quero te ensinar no triângulo retângulo abaixo.
Teorema de Pitágoras
Poderemos decifrar C

Pra usar este teorema


Não é pra qualquer triângulo x
6
Eu só aplico o Pitágoras em triângulo retângulo
Um lado é sempre o maior
Vai hipotenusa chamar A B
Os dois que sobram 8
Catetos poderei assim tratar

Entre de cabeça nessa Resolução. O triângulo ABC é retân-


Temos que perder o medo gulo, então:
O quadrado da hipotenusa é igual

{
À soma dos quadrados dos catetos
x hipotenusa
Vou utilizar um exemplo 6 cateto
Pra você não pagar mico
É o famoso triângulo 8 cateto
De lados 3, 4 e 5
Se o lado maior é 5
Elevo ao quadrado 5 hipot2 = cat2 + cat2
E o quadrado da hipotenusa
Será então 25 x2 = 62 + 82
x2 = 36 + 64
Um cateto vale 4
Seu quadrado é 16 x2 = 100
Vale 9 o quadrado x = ± 100
Do cateto que é 3 x = 10
E para você confirmar

Matemática 1 - Aula 11 109 Instituto Universal Brasileiro


Razões trigonométricas de ângulos agudos no triângulo retângulo
Consideraremos um ângulo agudo BÂC Estudos trigonométricos
(ou Â) cuja medida indicaremos por â. Traça- no triângulo retângulo
remos as perpendiculares BC, ED, GF confor-
me a figura abaixo: Os estudos trigonométricos no triângulo
retângulo baseiam-se em três relações funda-
mentais: seno, cosseno e tangente.
G
E • Dá-se o nome SENO do ângulo  ao va-
B
lor desta razão constante, e indicamos por sen â
(onde â é a medida do ângulo Â) ou por sen Â.
• Os segmentos: CB, DE, FG são cate-
â tos opostos ao ângulo  nos triângulos ABC,
A C D F AED e AGF, respectivamente.
• Os segmentos AB, AE e AG são as hi-
Essas perpendiculares traçadas potenusas nos triângulos ABC, AED e AGF,
determinam triângulos retângulos se- respectivamente.
melhantes. Os lados correspondentes
destes triângulos são proporcionais e CB DE FG
ficam estabelecidas as seguintes ra- = = = sen â
AB AE AG
zões iguais:

medida do cateto oposto ao ângulo de medida â


CB DE FG =
= = = = razão constante medida da hipotenusa
AB AE AG . . .
(em qualquer dos triângulos)

Então, dessa forma podemos determinar


as razões trigonométricas usando os outros
lados, que são:

Os estudos ini-
ciais sobre a trigono-
a
metria são associa- us
Cateto oposto

en
dos ao astrônomo, p ot
Hi
construtor, cartó-
grafo e matemático
grego Hiparco (190
- 120 a.C.), que re- â
lacionou os lados e Cateto adjacente
os ângulos de um triângulo retângulo
e, possivelmente, construiu a primei-
ra tabela de valores trigonométricos, • Seno do ângulo â
por isso considerado “pai da trigono- cateto oposto
metria”. sen â =
hipotenusa

Matemática 1 - Aula 11 110 Instituto Universal Brasileiro


• Cosseno do ângulo â cateto oposto
tg â =
cateto adjacente
cateto adjacente
cos â =
hipotenusa
3
tg â = tg â = 0,75
4
• Tangente do ângulo â
cateto oposto
tg â =
cateto adjacente

Calculando esses valores para um triân-


gulo, funciona assim: O cálculo dos valores de seno
e cosseno para um triângulo serão
sempre números que estarão entre 0
cateto oposto ao ângulo â.
C e 1, ou seja, serão maiores que zero e
menores que 1.

0<^
x < 90°
hipotenusa 5
3

0 < sen ^
x < 1 e 0 < cos ^
x<1

â
A B
4 E o valor da tangente será sem-
cateto adjacente ao ângulo â.
pre um número positivo.

As medidas dos lados desse triângulo


são 3, 4 e 5. Calcularemos os valores das ra- ^
0<x < 90° tg x > 0
zões trigonométricas do ângulo agudo de me-
dida (â).

Tábua das razões trigonométricas


cateto oposto
sen â =
hipotenusa Devido ao extenso uso que se faz das
razões trigonométricas dos ângulos agudos,
constroem-se tabelas onde são relacionados
3
sen â = sen â = 0,60 os ângulos e suas razões. Essas tabelas cos-
5
tumam ser chamadas de Tábua das Razões
Trigonométricas.
A seguir, encontra-se uma tábua que re-
laciona os ângulos agudos de 1° a 89°, com
cateto adjacente
cos â = variação de grau em grau. Dado um ângulo,
hipotenusa
para se determinar seu seno, basta procurar
na tábua o referido ângulo; procura-se na li-
nha horizontal correspondente, na 1ª coluna
4
cos â = cos â = 0,80 à direita, o seno do ângulo. Procede-se da
5
mesma maneira para o cosseno e para a tan-
gente.
Matemática 1 - Aula 11 111 Instituto Universal Brasileiro
Tábua das razões trigonométricas
Ângulo Seno Cosseno Tangente Ângulo Seno Cosseno Tangente

1° 0,0175 0,9998 0,0175 46° 0,7193 0,6947 1,0355


2° 0,0349 0,9994 0,0349 47° 0,7314 0,6820 1,0724
3° 0,0523 0,9986 0,0524 48° 0,7431 0,6691 1,1106
4° 0,0698 0,9976 0,0699 49° 0,7547 0,6561 1,1504
5° 0,0872 0,9962 0,0875 50° 0,7660 0,6428 1,1918

6° 0,1045 0,9945 0,1051 51° 0,7771 0,6293 1,2349


7° 0,1219 0,9925 0,1228 52° 0,7880 0,6157 1,2799
8° 0,1392 0,9903 0,1405 53° 0,7986 0,6018 1,3270
9° 0,1564 0,9977 0,1584 54° 0,8090 0,5878 1,3764
10° 0,1736 0,9848 0,1763 55° 0,8192 0,5736 1,4281
11° 0,1908 0,9816 0,1944 56° 0,8290 0,5592 1,4826
12° 0,2079 0,9781 0,2126 57° 0,8387 0,5446 1,5399
13° 0,2250 0,9744 0,2309 58° 0,8480 0,5299 1,6003
14° 0,2419 0,9703 0,2493 59° 0,8572 0,5150 1,6643
15° 0,2588 0,9659 0,2679 60° 0,8660 0,5000 1,7321

16° 0,2756 0,9613 0,2867 61° 0,8746 0,4848 1,8040


17° 0,2924 0,9563 0,3057 62° 0,8829 0,4695 1,8807
18° 0,3090 0,9511 0,3249 63° 0,8910 0,4540 1,9626
19° 0,3256 0,9455 0,3443 64° 0,8988 0,4384 2,0503
20° 0,3420 0,9397 0,3640 65° 0,9063 0,4226 2,1445

21° 0,3584 0,9336 0,3839 66° 0,9135 0,4067 2,2460


22° 0,3746 0,9272 0,4040 67° 0,9205 0,3907 2,3559
23° 0,3907 0,9205 0,4245 68° 0,9272 0,3746 2,4751
24° 0,4067 0,9135 0,4452 69° 0,9336 0,3584 2,6051
25° 0,4226 0,9063 0,4663 70° 0,9397 0,3420 2,7475

26° 0,4384 0,8988 0,4877 71° 0,9455 0,3256 2,9042


27° 0,4540 0,8910 0,5095 72° 0,9511 0,3090 3,0777
28° 0,4695 0,8829 0,5317 73° 0,9563 0,2924 3,2709
29° 0,4848 0,8746 0,5543 74° 0,9613 0,2756 3,4874
30° 0,5000 0,8660 0,5774 75° 0,9659 0,2588 3,7321

31° 0,5150 0,8572 0,6009 76° 0,9703 0,2419 4,0108


32° 0,5299 0,8480 0,6249 77° 0,9741 0,2250 4,3315
33° 0,5446 0,8387 0,6494 78° 0,9781 0,2079 4,7046
34° 0,5592 0,8290 0,6745 79° 0,9816 0,1908 5,1446
35° 0,5736 0,8192 0,7002 80° 0,9848 0,1736 5,6713

36° 0,5878 0,8090 0,7265 81° 0,9877 0,1564 6,3138


37° 0,6018 0,7986 0,7536 82° 0,9903 0,1392 7,1154
38° 0,6157 0,7880 0,7813 83° 0,9925 0,1219 8,1443
39° 0,6293 0,7771 0,8098 84° 0,9945 0,1045 9,5144
40° 0,6428 0,7660 0,8391 85° 0,9962 0,0872 11,4301

41° 0,6561 0,7547 0,8693 86° 0,9976 0,0698 14,3007


42° 0,6691 0,7431 0,9004 87° 0,9986 0,0523 19,0811
43° 0,6820 0,7314 0,9325 88° 0,9994 0,0349 28,6363
44° 0,6947 0,7193 0,9657 89° 0,9998 0,0175 57,2900
45° 0,7071 0,7071 1,0000

Matemática 1 - Aula 11 112 Instituto Universal Brasileiro


Outras formas de cálculo

Da mesma forma que o Teorema de Pi-


tágoras, é possível calcular o valor de um dos
lados do triângulo. No entanto, é necessário
conhecer um dos lados e saber a medida de Trigonometria
um dos ângulos internos.
Trigonometria é a parte da Matemá-
Veja: tica que estuda a resolução dos triângulos.

Triângulo retângulo

hipotenusa 10 x Triângulo retângulo é o triângulo


cateto oposto
que possui internamente um ângulo reto
ao ângulo (90°) e corresponde à metade de um re-
de 30°
30°
tângulo (daí o nome). O lado maior, opos-
to ao ângulo reto, é a hipotenusa e os la-
dos menores, os catetos.
Dados

{
Teorema de Pitágoras
sen 30° = 0,5
cos 30° = 0,86 Em um triângulo retângulo, o qua-
tg 30° = 0,57 drado da medida da hipotenusa é igual à
soma dos quadrados dos catetos.

Hipotenusa2 = cateto2 + cateto2


Veja que nesse exemplo os elemen-
tos presentes são a hipotenusa e o cateto
oposto, mesmo sendo o valor a ser calcu-
lado. Então usaremos a razão que contém Relações trigonométricas dos ângulos
esses dois elementos: o seno. agudos: seno, cosseno e tangente

Resolução:
Seno de um ângulo:
cateto oposto cateto oposto
sen 30° = sen â =
hipotenusa hipotenusa
{

x
0,5 =
10
Cosseno de um ângulo:
cateto adjacente
x = 0,5 . 10 cos â =
hipotenusa

Portanto x = 5
Tangente de um ângulo:
cateto oposto
Então, a medida do tg â =
cateto adjacente
cateto oposto é 5.

Matemática 1 - Aula 11 113 Instituto Universal Brasileiro


4. Qual a altura do poste (h) de acordo
com a figura abaixo?

Dados

{
sen 40° = 0,64
h
1. Calcule o valor de x no triângulo re- cos 40° = 0,76
tângulo abaixo: tg 40° = 0,84
40°
R
10 m

a) ( ) h = 10 m
b) ( ) h = 5 m
4 5
c) ( ) h = 7,2 m
d) ( ) h = 8,4 m

5. Os degraus de uma escada têm 15 cm


P x Q
de altura e 30 cm de comprimento. Determine
a) ( ) x = 5 o valor aproximado do ângulo de inclinação
b) ( ) x = 3 dessa escada. (Consulte a tábua das razões
c) ( ) x = 0 trigonométricas dada nesta aula.)
d) ( ) x = 2

2. O portão de entrada de um sítio tem 8


m de largura e 6 m de altura. Que comprimen-
30 cm
to teria uma trave de madeira que se estende
â
do ponto A ao ponto C? 15 cm
â
15 cm

30 cm
A B
â = ângulo de inclinação da escada

a) ( ) â = 10º
b) ( ) â = 15º
D C c) ( ) â = 27º
d) ( ) â = 30º
a) ( ) 10 m
b) ( ) 12 m 6. (ENEM-2006) Na figura abaixo, que
c) ( ) 14 m representa o projeto de uma escada com 5
d) ( ) 16 m degraus de mesma altura, o comprimento to-
tal do corrimão é igual a:
3. Calcule o valor de x no triângulo re-
30 cm
tângulo abaixo:
90 cm

Corrimão
x Cateto oposto ao ângulo de 60°

30 cm
60° 24 cm
24 cm
10 Cateto adjacente ao ângulo de 60°
24 cm
90 cm

a) ( ) x = 10 24 cm
b) ( ) x = 15 24 cm
c) ( ) x = 17,3
d) ( ) x = 15,4
Matemática 1 - Aula 11 114 Instituto Universal Brasileiro
a) ( ) 1,8 m
b) ( ) 1,9 m
c) ( ) 2,0 m
d) ( ) 2,1 m

7. (UFPEL-RS) Em um recente venda- 1. b) ( x ) x = 3


val, um poste de luz de 9 m de altura quebrou- Comentário.
se em um ponto a uma distância x do solo. A
parte do poste acima da fratura inclinou-se e a Nesse exercício, hipot2 = cat2 + cat2
sua extremidade superior encostou-se ao solo temos dois lados de
um triângulo e neces- 52 = 42 + x2
a uma distância de 3 m da base. A que altura
sitamos de um que está
x do solo o poste se quebrou? faltando. Para isso uti-
25 = 16 + x2 ou
lizamos o Teorema de 16 + x2 = 25
Pitágoras (H2 = C2 + C2). x2 = 25 - 16
x2 = 9

x { 5
4
x
hipotenusa
cateto
cateto
x=± 9
x=3

3m
2. a) ( x ) 10 m
Comentário.
a) ( ) O poste quebrou-se na altura de 4 m. A B
b) ( ) O poste quebrou-se na altura de 2 m.
c) ( ) O poste quebrou-se na altura de 3 m.
d) ( ) O poste quebrou-se na altura de 6 m.

8. (UEMG-2010. Adaptada) Na figura a D C


seguir, um fazendeiro (C) se distancia 600 m
da base da montanha (ponto B). O portão tem o formato retangular, portanto
a trave AC é a diagonal do retângulo ABCD e o
A divide em dois triângulos retângulos congruentes.

Então, destacando o triângulo ACD, temos:


A
x
{ x hipotenusa
comprimento
altura da trave 6 cateto
C 30° 6m
8 cateto
600 m
B D C
8m
largura
Ao calcular a altura da montanha, em
metros, o fazendeiro encontrou a medida cor- hipot2 = cat2 + cat2
respondente a (utilizar a tábua das razões tri-
gonométricas dada nesta aula.): x2 = 62 + 82
x2 = 36 + 64
a) ( ) 400 m
x2 = 100
b) ( ) 342 m
x = ± 100
c) ( ) 288 m
d) ( ) 424 m x = 10 med AC = 10 m
Matemática 1 - Aula 11 115 Instituto Universal Brasileiro
3. c) ( x ) x = 17,3 cateto oposto h
tg 40° = =
cateto adjacente 10
Comentário.
h
tg 40° =
10
h
0,84 =
x cateto oposto ao ângulo de 60° 10

h = 0,84 . 10
60°
h = 8,4
10 cateto adjacente ao ângulo de 60°

Portanto, a alternativa “d” é a correta.


No triângulo desse exercício temos o
cateto oposto e o cateto adjacente. Então
usaremos tg 60°, pois é a razão que en-
volve esses dois elementos. 5. c) ( x ) â = 27°

cateto oposto
Comentário.
tg 60° =
cateto adjacente

x
tg 60° =
10
30 cm
x â
1,73 = x = 1,73 . 10 15 cm 15 cm
10 â
30 cm
Logo, x = 17,3
â = ângulo de inclinação da escada

4. d) ( x ) h = 8,4 m 30 cm
â
Comentário. No triângulo desse exer-
cício, simulado pelo poste, temos o cateto 15 cm
oposto e o cateto adjacente. Então usaremos
tg 40°, pois é a razão que envolve esses dois
elementos.

Em relação ao ângulo â:
Dados

{ {
sen 40° = 0,64 15 cateto oposto
h
cos 40° = 0,76 30 cateto adjacente
tg 40° = 0,84
40°

{
10 m
h cateto oposto
A relação entre cateto oposto e ca-
teto adjacente é a tangente.
10 cateto adjacente

Matemática 1 - Aula 11 116 Instituto Universal Brasileiro


Então:
cateto oposto Parte do corrimão
tg â =
cateto adjacente (x)

90 cm
15
tg â =
30
1
tg â = ou 24 cm + 24 cm + 24 cm + 24 cm + 24 cm
2
120 cm
tg â = 0,5
Observe que:
Consultando a tabela trigonométrica
vemos que o ângulo, cuja tangente é um • a medida do cateto maior é igual a
valor próximo de 0,5, é o ângulo de 27°, 5 x 24 cm, isto é, 120 cm.
pois tg 27° = 0,5095.
• a medida do cateto menor é 90 cm.

Ângulo Seno Cosseno Tangente


Assim, temos um triângulo retângulo
26° 0,4384 0,8988 0,4877 com as seguintes dimensões:
27° 0,4540 0,8910 0,5095
28° 0,4695 0,8829 0,5317 • medida da hipotenusa: x
29° 0,4848 0,8746 0,5543
30° 0,5000 0,8660 0,5774 • medida do cateto maior: 120 cm

• medida do cateto menor: 90 cm


31° 0,5150 0,8572 0,6009
32° 0,5299 0,8480 0,6249
33° 0,5446 0,8387 0,6494
Aplica-se então o Teorema de Pitágoras

. O ângulo â, de inclinação da esca- hipotenusa2 = cateto2 + cateto2


da, mede aproximadamente 27°.
x2 = (120)2 + (90)2

x2 = 14.400 + 8.100
6. d) ( x ) 2,1 m
x2 = 22.500
Comentário. Primeiramente vamos con-
siderar o triângulo retângulo em destaque, x= 22.500
onde a base é a soma da largura de cada de-
grau. 30 cm x = 150

Então a medida do corrimão é igual à soma


90 cm

Corrimão
das duas partes retas da figura (30 cm + 30 cm) e
30 cm
24 cm
a parte inclinada do corrimão (hipotenusa):
24 cm
24 cm 30 cm + 150 cm + 30 cm = 210 cm ou 2,1 m
90 cm

24 cm

24 cm
Portanto, a medida do corrimão é 2,1 m.

Matemática 1 - Aula 11 117 Instituto Universal Brasileiro


7. a) ( x ) O poste quebrou-se na al-
Portanto, o poste quebrou-se a
tura de 4 m.
4 m.
Comentário. Como a altura do poste é
de 9 m e ele quebrou a uma altura x, então, a
parte quebrada vale 9 - x, ficando descrito o 8. b) ( x ) 342 m
triângulo da seguinte forma:
Comentário.
A

C 30°
3m
600 m
B

Ângulo Seno Cosseno Tangente

9-x 26° 0,4384 0,8988 0,4877


x
27° 0,4540 0,8910 0,5095
28° 0,4695 0,8829 0,5317
29° 0,4848 0,8746 0,5543
30° 0,5000 0,8660 0,5774
Aplicando o Teorema de Pitágoras, fica-
rá da seguinte forma: 31° 0,5150 0,8572 0,6009
32° 0,5299 0,8480 0,6249
33° 0,5446 0,8387 0,6494
hipotenusa2 = cateto2 + cateto2

Produto Notável cateto oposto


(9 - x)2 = 92 - 2 . 9 . x + x2 = x2 + 32 tg 30° =
cateto adjacente
(9 - x)2 = x2 + 32
x
92 - 2 . 9 . x + x2 = x2 + 32 tg 30° =
600

x2 - x2 - 18x = 9 - 81
x
0,57 =
600
- 18x = -72

x = -72 x = 0,57 . 600


-18

x=4
x = 342 m
Lembre-se, divisão de números com
sinais iguais, tem resultado positivo! Portanto, a alternativa “b” é a correta.

Matemática 1 - Aula 11 118 Instituto Universal Brasileiro