Você está na página 1de 36

CRISTO

2ª capa
Página em branco
TESTEMUNHO PESSOAL
5a. Edição - 7000 Exemplares - Janeiro - 1990 ( Com o título de
Evahgelismo Pessoal)
óa. Edição - 5000 Exemplares - Agosto - 1991 ( Com o título de
Evangelismo Pessoal)
7a. Edição - 20000 Exemplares - Agosto - 1995

Todos os direitos reservados pela Junta de Missões Nacionais da


Convenção Batista Brasileira. É proibida a reprodução, parcial ou
total, sem a sua devida autorização.

Supervisão: Oliveira de Araújo


Coordenação: Juracy Carlos Bahia
Elaboração didático-pedagógica: Ana Gilda Macedo Mendes
Revisão Literária: Carla Valéria da Costa Feitosa
Ilustração: Billy Wesley Larrubia Rios
Capa: Hugo Castex

JUNTA DE MISSÕES NACIONAIS DA CBB


Rua Gonzaga Bastos, 300 - Vila Isabel
CEP 20541-000-RIO DE JANEIRO -RJ
Tel. :(021) 278-2570 570-2570

Impresso pela JUERP


SUMÁRIO

INTRODUÇÃO .................................................................................. 5
1 - O MINISTÉRIO DO TESTEMUNHO PESSOAL ............................7
2-O PODER INDISPENSÁVEL AO TESTEMUNHO
PESSOAL .............................................................................. 9
3 — 0 OBJETIVO DO TESTEMUNHO PESSOAL: CONDU­
ZIR PESSOAS A UM COMPROMISSO TOTAL COM JE­
SUS CRISTO .......................................................................... 13
1 — Como Agir em Encontros Casuais ................................. 14
2 — Como Agir numa Visita Evangelística Planejada 18
2 — Como Usar a Literatura para o Testemunho
Pessoa! ........................................... ........................... 19
CONCLUSÃO .................................................................................... 28
APRESENTAÇÃO

Testemunho Pessoal é um dos volumes que compõem o con­


junto de materiais do Mutirão Missionário ao Plano Nacional de
Evangelização. Foi elaborado pensando em atender a você, que
entende ser esse trabalho um ministério, que se dispõe a evangeli­
zar e que deseja ser melhor preparado. E um livro simples e peque­
no, mas didático, numa linguagem clara e que reúne as informa­
ções de que você precisa para conduzir pessoas a um compromisso
total com Jesus Cristo.
O conceito do Ministério de Discipulado difundido pelo PNE foi
usado como base para a elaboração deste livro, destacando as
partes que estão mais diretamente relacionadas ao Testemunho
Pessoal.
Reconhecemos as contribuições de diversas pessoas que inves­
tiram tempo e atenção na elaboração deste material. A essa valoro­
sa equipe de colaboradores, externamos nossos sinceros agradeci­
mentos. Destacamos entre nossa equipe de evangelismo o trabalho
de Maria Augusta da Silva e do irmão Mario Megumi Ikeda.
Queira Deus abençoar o que foi escrito, despertando e treinando
você que se dispõe a ser um pescador de almas.
Não desanime. Estude com disposição e realize um grande tra­
balho, descobrindo todos aqueles que o Senhor está para acrescen­
tar à igreja.

Secretaria Geral
INTRODUÇÃO

Há muitos crentes que, com certeza, poderiam ser excelentes


evangelistas. Verdadeiros "pescadores de homens". Porque não o
são?
A abordagem a uma pessoa, seja casualmente, numa condução,
ou planejada como num Mutirão Missionário, num Núcleo de
Estudos Bíblicos ou numa visita evangelística, é uma oportunidade
única para esclarecê-la quanto aos fatos básicos do evangelho e
perduadi-la a colocar toda a sua fé em Jesus Cristo.
Segundo as conclusões de um simpósio, realizado na cidade
fluminense de Mendes, RJ, em 1988, discipulado é o "ministério
de, no poder do Espírito Santo, conduzir pessoas a um compromis­
so total com Jesus Cristo, acompanhando-as no processo de ama­
durecimento em Cristo e capacitando-as para fazerem novos discí­
pulos. O testemunho pessoal faz parte do discipulado. Para que
possamos compreender bem o ministério de testemunho de Jesus
Cristo, tomaremos como base as partes da definição de discipulado
que estão mais diretamente relacionadas com o testemunho pes­
soal.
Assim, ao término do estudo deste fascículo, você terá entendido
o significado do testemunho pessoal e será capaz de:
1. Justificar o testemunho pessoal como um ministério.
2. Explicar como podemos ser cheios do Espírito Santo.
3. Buscar cumprir o objetivo principal do Testemunho Pessoal
na prática do discipulado.
4. Exemplificar o testemunho pessoal em encontros casuais.
5. Escrever, em poucas palavras, o seu testemunho pessoal.
6. Identificar atitudes positivas em relação a visita evangelísti-
cas e ao uso de literatura no testemunho pessoal.
Nossa expectativa e oração é que este fascículo venha motivá-lo
a ser um "pescador de homens" e instruí-lo nessa missão.

5
Página 6
Página em branco
CAPÍTULO 1

O Ministério
do Testemunho Pessoal

Há muita gente, como o jovem no exemplo do diálogo acima,


pensando que o testemunho é um dom. O que você acha?
Leia em sua Bíblia os textos indicados e responda às questões
dadas:
I Pedro 2.9 — Para que Deus nos adquiriu?

7
t

II Coríntios 5.18 — Que fez Deus ao nos reconciliar com ele por
meio de Cristo?

Mateus 28.19,20 — Que grande comissão deu Jesus aos seus


discípulos?

Deste modo, vemos que quando fomos convidados para a nova


vida em Cristo, Deus pretendia usar-nos como instrumentos de
boas novas de salvação. Todos fomos salvos para que anunciemos
a salvação.
Em I Pedro 2.9, o autor ressalta a importância do nosso
ministério: "...para que anuncieis as grandezas daquele que vos
chamou das trevas para a sua maravilhosa luz". Esse ministério não
é um dom, mas o dever de cada crente.
Responda: Que argumentos, usando a Bíblia, você usaria com
alguém que afirma não poder testemunhar de Jesus Cristo por não
ter o dom para isso afim de mostrar-lhe seu equívoco? (Pode usar
outros textos além dos citados.)

O importante em sua resposta é você mostrar que evangelizar é


um ministério para todo crente.
Para aqueles que ouvem claramente a vontade de Deus e colo­
cam-se à disposição do Senhor, há uma capacitação especial dada
por Deus para a realização desse ministério. Prossiga e veremos
qual é...

8
CAPÍTULO 2

O Poder Indispensável
ao Testemunho Pessoal

Ao dar uma ordem, Jesus oferece também as condições para


executá-la. Leia em sua Bíblia os textos indicados e responda às
perguntas dadas:
Mateus 28.19,20 — Que promessa faz Jesus nesta grande
comissão?

9
João 14.16,17— De que maneira Jesus está presente na vida dos
seus discípulos?

Atos 1.8 — Que efeito Jesus diz que o Espírito Santo produz na
vida dos seus discípulos?

O Senhor Jesus Cristo vive em nós através do seu Espírito Santo.


Ninguém consegue transmitir a vida de Jesus se não estiver cheio
dela.
Quem deseja ser instrumento de Deus para conduzir pessoas a
um compromisso total com Jesus Cristo precisa estar cheio do
Espírito Santo.
James D. Crane, em seu livro La Reproducíon Espiritual, aponta-
nos a obra do Espírito em nossa vida como crentes:
1. Convenceu-nos do pecado e da perdição; (Jo. 16.7, 8, At.
2.4,37);
2. Converteu-nos (I Co. 12.3);
3. Regenerou-nos (Jo. 3.5; Tito 3.5);
4. Selou-nos como propriedade de Deus (Ef. 1.13; 4.30);
5. Tem-nos dotado de algum dom espiritual para a edificação
da igreja (I Co. 12.7; I Ped. 4.10; I Co. 7.7);
6. Mora em nós (I Co. 3.16; 6.19; Rm. 8.9);
7. Guia-nos em toda a verdade (João 16.1 3; 14.26);
8. Lembra-nos as palavras de Jesus Cristo (Jo. 14.26);
9. Indica-nos a quem devemos testemunhar (At. 8.29; Rm.
8.14);
10. Dá-nos disposição para falarmos de Cristo (At. 4.31; II Tm.
1.7);
11. Dá-nos sabedoria para falar (At. 6.10);
12. Dá poderão nosso testemunho (I Co. 2.4; I Ts. 1.5, At. 1.8).
Se tudo isso o Espírito Santo faz por nós, quanto mais cheios dele
estivermos, mais ele fará em nós e através de nós. Agora, como
podemos ser cheios do Espírito Santo e de seu poder?
Eis alguns princípios:
1. Purifique-se dos seus pecados
2. Submeta-se ao controle do Espírito Santo
3. Seja fiel na oração
4. Seja fiel no estudo da Bíblia, praticando cada lição aprendida
5. Testemunhe de Cristo pelo menos a uma pessoa não salva
diariamente
6. Medite constantemente em Gálatas 5.16,26

10
Lembre-se: Deus não espera um crente perfeito para ser testemu­
nha. Ele espera alguém que queira ser usado.
Leia Efésios 5.18: "E não vos embriagueis com vinho, no qual há
devassidão, mas enchei-vos do Espírito/'
Roy Hesson chama-nos à atenção para alguns aspectos desse
versículo:
1. O verbo encher está no imperativo.
Trata-se, portanto, de um mandamento do Senhor para todos os
crentes. Tanto para quem serve ao Senhor no púlpito como na
cozinha.
2. O verbo encher, no original, além do imperativo, está na voz
passiva.
Isso significa que não é para eu meencher, mas para serenchido.
É Deus quem nos enche, e a única coisa que devemos fazer é
apresentar-lhe o nosso vazio.
3. O verbo encher, no grego, está num tempo verbal especial,
denominado presente contínuo. Além da idéia de imperativo, esse
tempo nos indica o seguinte:
"Sede continuamente cheios."
O enchimento do Espírito não é uma experiência que ocorre uma
só vez e pronto, ocorre todos os dias, a toda a hora, a todo instante.

11
Marque com um X, na lista abaixo, os hábitos que um crente
deve ter para estar continuamente cheio do Espírito Santo:
1. ( ) Cultivar uma vida de oração.
2. ( ) Carregar sempre a Bíblia na bolsa.
3. ( ) Estudar regularmente a Bíblia.
4. ( ) Purificar-se dos pecados.
5. ( ) Frequentar a igreja.
6. ( ) Testemunhar de Jesus a, pelo menos, uma pessoa
diariamente.
7. ( ) Ter a Bíblia aberta num móvel da sala.
8. ( ) Compreender e obedecer à Votade de Deus.
9. ( ) Participar de grupos sociais.
10. ( ) Submeter-se ao controle do Espírito Santo.
No livro Maturidade Cristã da JMN, você encontrará estes e
outros hábitos apresentados em detalhes. Assim, para equipá-lo na
missão de evangelizar, paralelo a este estudo faz-se necessário o
estudo do livro Maturidade Cristã.

RECORDANDO

Testemunho pessoal é um ministério, não um dom.


Testemunho pessoal se faz no poder do Espírito Santo.
O que real mente se faz no testemunho pessoal?
Vamos descobrir!

12
CAPÍTULO 3

O Objetivo do Testemunho
Pessool: Conduzir Pessoas a um
Compromisso Total com Jesus
Cristo

Leia João 1.40-42 e depois marque com um X, a frase abaixo que


identifica a idéia central (a mais importante) deste texto:
1. ( ) André falou de Jesus a seu irmão.
2. ( ) André ficou feliz em conhecer Jesus.
3. ( ) André conduziu seu irmão para que ele conhecesse
Jesus.
4. ( ) André incentivou seu irmão a procurar Jesus.

13
Certamente você marcou a frase 3, náo é mesmo? Esta é a nossa
responsabilidade como crentes, conduzir pessoas a um compro­
misso total com Jesus Cristo. Mas como fazer isso. Seguem algumas
orientações práticas dentro de três possibilidades distintas:
— Como agir em encontros casuais;
— Como agir numa visita evangelística planejada;
— Como usar a literatura para o testemunho pessoal.

1. Como Agir em Encontros Casuais


Os encontros casuais têm algumas particularidades:
a. São encontros breves. As vezes duram o tempo de uma via­
gem ou alguns minutos numa praça pública;

b. Geralmente são encontros com pessoas desconhecidas.


Pode ser um passageiro, um transeunte ou um conhecido com o
quem nos encontramos;

14
c. São encontros repentinos. Quando menos esperamos, surge
a oportunidade para o testemunho pessoal.

15
Levando-se em conta essas peculiaridades, podemos aproveitar
esses encontros depois de encontrar:
a. Usando qualquer oportunidade para introduzir uma conversa
sobre a necessidade espiritual da pessoa;
b. Dando um breve testemunho pessoal de nossa experiência
com Cristo;
c. Convidando a pessoa para um momento de oração, de entre­
ga pessoal da sua vida a Jesus Cristo.
Vamos fazer um teste?
Após pensar um momento sobre isso, relacione abaixo dois
exemplos de encontros casuais:

Agora, descreva como podemos usar esses dois encontros ca­


suais para evangelizar:

Falando sobre testemunho pessoal, é importante observar que o


propósito do testemunho é compartilhar o que já aconteceu com
você. Outra pessoa não pode argumentar sobre o que aconteceu
em sua própria vida.

16
Leia o testemunho de Paulo em Atos 22.1-16 e 26.9-23. Ele
simplesmente contou a história de sua vida antes de conhecer a
Cristo e como o encontrou e o aceitou como Salvador e Senhor.
Então, ao dar seu testemunho pessoal:
a. Seja breve;
b. Não pregue um sermão;
c. Não compartilhe o plano da salvação;
d. Não faça apelo;
e. Não use idéias vagas, assim: Eu assisti a uma campanha na
igreja e fui à frente;
f. Evite palavras ou frases desconhecidas pelos não crentes;
g. Diga sempre ''minha'' e "mim" em vez de "nosso" e "nós"
quando se referir a si;
h. Você pode usar vários versículos;
i. Compartilhe seu testemunho em 1 1/2 minutos;
j. Conclua seu testemunho usando frases como:
— Agora eu tenho certeza da vida eterna.
Posso explicar-lhe, pela Bíblia, como você também pode ter a
certeza da vida eterna?
Ajudará muito no preparo para dar o seu testemunho, se você
escrevê-lo em poucas palavras. Você deverá responder às seguin­
tes perguntas:
— Como era minha vida antes de receber Jesus Cristo em meu
coração?
— Como eu percebi que precisava aceitar a Jesus Cristo?
— Onde e como eu aceitei a Jesus Cristo em minha vida?
— Como é minha vida desde que eu aceitei a Jesus Cristo?
Para treinar, escreva, numa folha em branco, o seu testemunho
pessoal, respondendo às perguntas acima e usando no máximo 250

17
2. Como Agir numa Visita Evangelística Planejada
a. Prepare-se com antecedência.
Ore — Peça a Deus que dirija o pensamento da pessoa que será
visitada; que ela abra o seu coração para a mensagem.
Confirme a data da visita — A data já deverá estar marcada; ao
confirmá-la você estará evitando embaraço no primeiro momento
da visita.

Lembre-se do nome da pessoa — Antes do contato, verifique o


nome da pessoa, procure, de posse de suas anotações, lembrar-se
do contato anterior, e você poderá destacar um fato que fará com
que a pessoa se sinta valorizada, criando um clima favorável.

b. Chegue de maneira agradável indo logo ao assunto.


Demonstre alegria em ver a pessoa, seja amigável, claro e objetivo.
É importgante que ela goste de sua pessoa e adquira confiança em
você. Mas não esqueça, o assunto principal é Jesus Cristo.
Procure conversar com a pessoa, tirando suas dúvidas a respeito de
Jesus Cristo, salvação, vida eterna, etc. Mostre os textos na Bíblia e
peça que ela os leia em voz alta. Não fale todo o tempo, mas motive a
pessoa a participar da conversa.

18
c. Tenha em mente os objetivos da visita.
(1) Identificar a condição espiritual da pessoa e saber se ela tem
certeza da salvação.
(2) Explicar o plano cristão da salvação*
(3) Fazer apelo para a pessoa se decidir por Cristo. Depois de
apresentar-lhe Cristo, é muito importante apelar para que ela o aceite
em seu coração.
(4) Convidar a pessoa para visitar sua igreja. Aproveitar a primeira
oportunidade.
(5) Deixar a porta aberta para outra visita. Mesmo que não haja
decisão no primeiro contato, é importante que você desenvolva um
bom relacionamento com as pessoas que evangeliza.
Questione se Deve Entrar no Lar Quando:
1. A família está reunida; familiares de fora; festa.
2. A casa está cheia de outras visitas.
3. A família está se preparando para sair.
Vamos ver se aprendemos?
Escreva C para Certo e E para Errado nas afirmativas abaixo, justifi­
cando as erradas.
1. ( ) Logo ao chegar a casa para uma visita evangelística,
deve-se perguntar o nome do dono da casa.
2. ( ) Numa visita evangelística será muito oportuno ganhar a
confiança e a amizade da pessoa.
3. ( ) O assunto principal é Jesus Cristo, por isso não se pode
falar em igreja.
4. ( ) Durante uma visita evangelística, é importante verificar se
a pessoa tem certeza da salvação.
5. ( ) Um embaraço que se pode evitar ao confirmar a visita
previamente é o fato de a casa estar cheia de outras visitas.
Verifique suas respontas:
1. (E) Antes de chegar à casa, já se deve saber o nome da pessoa.
2. (C)
3. (E) Deve-se aproveitar a oportunidade para fazer um convite de
visita à igreja para ouvir mais sobre Jesus.
4. (C)
5. (C)
Muito bem, vamos prosseguir?

3. Como Usar a Literatura para o Testemunho Pessoal


a. Folhetos — A evangelização através de folhetos é um ministério
eficaz. Porém, não basta simplesmente distribuir os folhetos, é preciso
estar convencido de que essa tarefa é um ministério e deve ser fruto de
um profundo amor pelas pessoas sem Cristo. Dessa forma, antes,
durante e depois da entrega da literatura, faz-se necessário considerar
alguns fatores importantes:

19
ANTES
(1) Ore para que o Espírito Santo crie oportunidade para comparti­
lhar as boas novas de Cristo. Você será o instrumento, mas quem fará a
obra será o Espírito Santo de Deus.
(2) Leia o folheto com antecedência e domine seu conteúdo.
(3) A apresentação do folheto pode revelar a organização da igreja.
Portanto deve ser bem carimbado, limpo e bem dobrado.
(4) Escolha o folheto certo. Verifique se a mensagem condiz com o
seu objetivo de evangelizar. Cada modelo do folheto tem uma manei­
ra correta de utilizá-lo, verifique como.

DURANTE
(1) Mostre-se feliz e seja simpático para com a pessoa.
(2) Aproveite para falar um pouco mais e, tendo oportunidade,
testemunhe de Jesus Cristo!
(3) Quando possível, anote o endereço da pessoa para um futuro
contato.
(4) Procure incentivar a pessoa a matricular-se no Curso Bíblico
por Correspondência, Cx. Postal 2844, CEP 20001, RJ.

20
DEPOIS
(1) Não critique alguém que tenha recusado o folheto; ao contrá­
rio, ore por ele.

(2) Se ficou com o endereço da pessoa procure manter contato com


ela e integrá-la na igreja. (Verifique o Manual de Integração do Minis­
tério de Discipulado).
SUGESTÕES DE FOLHETOS
— Os Passos Para a Paz com Deus
— A Solução é Jesus Cristo
— Como Ter a Vida Eterna
Esses folhetos podem ser encontrados na sede da Junta de Mis­
sões Nacionais ou nos Pólos Estratégicos. A JUERP também publica
e distribui bons folhetos.

Vamos ver se aprendemos?


Marque com um X as afirmativas que completam a frase:
Na distribuição de folhetos é aconselhável:
1. ( ) Fazer uma leitura superficial do folheto, previamente.
. 2. ( ) Selecionar bem o folheto, para que a mensagem seja
coerente com seu objetivo.

21
3. ( ) Ler o folheto para a pessoa que o está recebendo.
4. ( ) Aproveitar a oportunidade para evangelizar.
5. ( ) Incentivar a pessoa a fazer o Curso Bíblico por Correspon­
dência.
6. ( ) Não criticar a pessoa que recusar o folheto.
Vire a página, para a última etapa de nosso estudo...
b. A Bíblia — A Bíblia é a nossa autoridade em assunto de fé.
Nela encontramos o plano de salvação para o homem. Quando
estiver usando a Bíblia para evangelizar alguém, você deve:
(1) Localizar o versículo.
(2) Pedirão evangelizando que leia o versículo ou você mesmo o
lerá.
(3) Identificar o propósito do versículo.
(4) Explicar o versículo com suas próprias palavras.
(5) Aplicar o versículo à vida da pessoa.
No preparo para esse trabalho, você poderá fazer o seguinte:
(1) Sublinhar o versículo em sua Bíblia, para destacá-lo.
(2) Fazer notas de explicação na margem de sua Bíblia, para que
possa lembrar-se dos detalhes ao explicar o versículo.
(3) Embaixo, na página da Bíblia, escreva o próximo versículo
que você usará e a página onde pode encontrá-lo.

Vamos ver se aprendemos?


Procure responder às questões apresentadas para ajudar alguém
que está se preparando para o testemunho pessoal, usando a
Bíblia:
1. Ah, eu sempre me confundo com esses números pequenos na
minha Bíblia! É uma luta para encontrar o versículo que quero.

22
O que devo fazer para achar logo o versículo?

'" ---------------------- - -------------------------------- ——— «I ■

2. Ih, na hora de explicar o versículo me dá um "branco"!


Esqueço tudo!

O que fazer?

3. Eu não tenho facilidade para decorar. Como lembrar qual o


próximo versículo a usar?

23
4. A partir das palavras abaixo , complete os claros explicando os 5
passos a dar quando se está usando a Bíblia no testemunho pessoal:
1º - Localizar — _________________________________________
2º - Ler — ______________________________________________
3º - Propósito — _________________________________________
4º - Explicar — __________________________________________
5º Aplicar —____ ________________________________________
A seguir, damos um modelo de apresentação do evangelho
usando a Bíblia, como exemplo para você:
1. O Propósito de Deus Para a Sua Vida
a. I João 5.13
"Estas coisas vós escrevo, a vós que credes no nome do Filho de
Deus, para que saibais que tendes a vida eterna."
O propósito do Versículo — O propósito desse versículo é
mostrar que Deus ama você e quer dar-lhe a vida eterna. A vida
eterno é
Explicação do Versículo — Uma vida de paz com Jesus em seu
coração agora mesmo. Viver com Jesus Cristo no céu por toda a
eternidade depois que você morrer.
Aplicação do Versículo — Hoje você pode ter certeza da vida
eterna de acordo com a Bíblia.

2. A Sua Necessidade
a. Romanos 3.23
"Porque todos percaram e destituídos estão da glória de Deus."
Propósito do Versículo — Mostrar-lhe que você é pecador.
Explicação do Versíulo — O pecado é desobediência contra
Deus. Por exemplo, todos nós já sentimos ira, inveja, egoísmo,
orgulho, etc.
Aplicação do Versículo — você reconhece que já cometeu peca­
dos em sua vida?
b. Romanos 6.23
"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de
Deus é a vida eterna por Cristo Jesus, nosso Senhor."
Propósito do Versículo — Mostrar-nos que todos nós merece­
mos a morte e o inferno por causa do pecado.
Explicação do Versículo — Morte significa a separação de Deus
nesta vida e por toda a eternidade, uma vida sem satisfação, paz e
certeza de salvação, um coração vazio.
Aplicação do Versículo — De acordo com a Bíblia, nós merece­
mos a morte, por causa do pecado em nossa vida, que nos separa
de Deus.

3. A Providência de Deus
Romanos 5.8
"Quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós."

24
Propósito do Versículo — Mostrar-nos que Jesus Cristo é o nosso
único Mediador, Salvador e Senhor, porque ele morreu na cruz
para pagar o preço do nosso pecado.
Explicação do Versículo — Depois de Jesus Cristo ter morrido na
cruz por nossos pecados, ele ressuscitou da morte. Muitos estão
tentando chegar a Deus através da religião, da prática de boas
obras, de sacrifícios, filosofias e etc. Porém, esses esforços, se­
gundo a Bíblia, não podem eliminar os nossos pecados.
Aplicação do Versículo — Você crê que Jesus Cristo é o único
Mediador, Salvador e Senhor?

4. A Sua Resposta
Romanos 10.9,10
Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e
em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos,
serás salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a
boca se faz confissão para a salvação/'

Propósito do Versículo — Mostrar que, para receber Jesus


Cristo, você precisa arrepender-ser dos seus pecados e colocar a
sua fé nele como seu único Mediador, Salvador e Senhor.

Explicação do Versículo — Esses versículos dizem que, para


receber Jesus Cristo, uma pessoa precisa confessá-lo como seu
Senhor. Isso quer dizer que a pessoa precisa abandonar os seus
pecados e dar meia volta na sua vida em direção a Jesus Cristo.
Esses versículos também dizem que, para receber Jesus Cristo,
você precisa colocar a sua fé nele como seu único Mediador,
Salvador e Senhor. Isso quer dizer que você precisa deixar de
confiar em outras coisas e pessoas, como suas boas obras, rei igião,
filosofias, etc, e confiar somente em Jesus Cristo como seu único
Salvador.
Aplicação do Versículo — Você está pronto para deixar de
confiar em outras coisas e pessoas e entregar sua vida a Jesus Cristo,
agora?

5. Orientação Para um Compromisso com Jesus Cristo


Romanos 10.1 3
"Porque: todo aquele que invocar o nome do Senhor será
salvo."
Propósito do Versículo — Mostrar-nos que aquele que invocar o
nome de Jesus Cristo será salvo.
A explicação do Versículo — Isto que dizer que você pode
aceitar a Jesus Cristo agora mesmo em seu coração, pela fé.
Aplicação do Versículo — Você está pronto a entregar-se a Jesus
Cristo e pedir-lhe que entre em sua vida agora mesmo?

25
Oração — Se o evangelizando responder estou pronto... fale:
Vamos orar. Faça esta oração comigo a Deus, de coração:
"Senhor Deus... (Pausa para a pessoa repetir as palavras...)
Eu sei que sou um pecador...
Sei que Jesus Cristo é meu único Mediador, Salvador e Senhor...
Eu convido Jesus Cristo para entrar em minha vida...
Entrego minha vida a Jesus Cristo como meu único Senhor...
Amém..."

26
h

Depois dessa oração, faça estas perguntas:


(1) Você crê que Jesus atendeu a esta oração?
(2) Então, onde está Jesus Cristo agora?
(3) Você está salvo?
Obs — No folheto Como Ter a Vida Eterna você encontrará esse
modelo de apresentação do evangelho que o ajudará na sua missão
de evangelizar.
Se em sua cidade está funcionando o ministério de evangeliza­
ção pelo telefone 1525, o TELEPAZ, você pode conseguir que a
pessoa use esse serviço.

27
CONCLUSÃO
Vimos que testemunho pessoal deve ser entendido como um
ministério, ou seja, faz parte do ministério de fazer novos discí­
pulos de Jesus Cristo e precisa ser realizado no poder do Espírito
Santo, buscando sempre conduzir pessoas a um compromisso total
com o Senhor Jesus Cristo.
Embora a principal idéia do testemunho pessoal seja "conduzir
pessoas a um compromisso total com Jesus Cristo", nâo se encerra
aqui a nossa tarefa como discipuladores. Formaremos um discí­
pulo quando este estiver apto a formar outro. Por isso a definição
completa de discipulado é a seguinte:
"Discipulado é o ministério de, no poder do Espírito Santo,
conduzir pessoas a um compromisso total com Jesus Cristo, acom­
panhando-as no processo de amadurecimento em Cristo, capaci­
tando-as para fazerem novos discípulos."
Essa definição é também estudada com maiores detalhes nos
seguintes livros:
1. Maturidade Cristã — Para todos os crentes. É básico para a
compreensão dos demais.
2. Treinamento Para Testemunho Pessoal — Orienta como dar
seu testemunho. Na verdade é um estudo mais aprofundado sobre
o mesmo assunto deste fascículo.
3. Pré-Evangelização — Orienta sobre como descobrir e apro­
veitar futuros crentes.
4. Integração — Orienta sobre como trabalhar como os novos
decididos.
5. Manual de Orientações Gerais — Somente para líderes. Ori­
enta como implantar o Ministério de Discipulado na igreja.
Este fascículo não pretendeu esgotar a matéria sobre testemunho
pessoal, mas acreditamos que pode ser uma grande ajuda para
aqueles que se dispõem a desenvolver esse ministério.
A Junta de Missões Nacionais da Convenção Batista Brasileira,
através dos Pólos Estratégicos, oferece material e treinamento nas
demais fases dos discipulado: pré-evangelização, integração dos
novos decididos e maturidade cristã.
Informe-se!

28
Página 29
Página em branco
Página 30
Página em branco
FICHA DE AVALIAÇÃO
Nossa meta é melhorar sempre! Para isso a JUNTA DE
MISSÕES NACIONAIS conta com a sua ajuda. Preencha esta
avaliação, devolvendo-nos hoje mesmo.
Marque com um “x” o espaço que indica a sua opinião sobre
o livro Testemunho Pessoal.

Muito Baixo/

Médio/Regu-

Muito Alto/
Baixo/Ruim

Alto/Bom

Excelente
Péssimo

lar
1 2 3 4. 5
1. Atende às minhas expectativas.
2. É abrangente e completo.
3. Oferece projetos concretos de vida
que podem ser colocados em prá­
tica.
4. Está desenvolvido numa sequência
lógica e clara, de fácil compre­
ensão.
5. Apresenta-se com uma leitura fácil
e agradável.
6. Após o estudo da lição, consigo
ensiná-la a outro crente.
Por favor, apresente sugestões, testemunhos e/ou observações
para aperfeiçoamento e validação deste material.
_________________________________________________
_____________________________________________________
_____________________________________________________
Seu nível de escolaridade:
( ) 3º grau completo ( ) 1º grau completo
( ) 3º grau incompleto ( ) 1º grau incompleto
( ) 2º grau completo ( ) Outro: _________________
( ) 2º grau incompleto

Nome: _______________________________________________
Endereço:_____________________________________________
Cep: Cidade: Estado:
Cx. Postal: Fone:
I

Ai

Página 32
Página em branco
Jesus deseja também que
você desenvolva a maturi­
dade cristã. Para ajudá-lo, a
JMN preparou este excelente
livro:
MINISTÉRIO DE DISCIPULADO

“Considero este livro básico e indispensável ao


ministério do pastor, do educador, do discipulador
e da liderança de nossas igrejas. Este livro tem sido
ainda de inestimável valor em minha vida
pessoal.”
Itamar Cerqueira Scarabelli
Pastor da IB Central de Ricardo de Albuquerque,
Rio, RJ
“Maturidade Cristã é o melhor texto doutrinário
que já editamos, pela riqueza de suas lições, todas
formadas na Bíblia.”
Irland Pereira de Azevedo
Pastor da PIB de São Paulo, SP
Adquira o seu exemplar nos Polos Estratégicos do PNE ou pelo
reembolso postal, na JMN, Cx. Postal 2844, CEP 2OOÒ1. Rio, RJ.
&

"Considero tudo como completa perda por causa daquilo que


tem muito mais valor: o conhecimento de Cristo Jesus, o meu
Senhor". Esta afirmação de um mestre religioso israelita filho de
família tradicional e cumpridofmrfnucioso dos seus deveres é séria.
Para Saulo de Tarso escrever isso à pessoas distantes, houve uma
mudança muito grande em sua vida.

É assim com todos os que conhecem a Jesus Cristo como Senhor. A


vida passa a ter novo significado, não mais ligado às coisas
pequenas, mas com o horizonte do que é eterno, E é por isso que
existe este livro. Se conhecer a Cristo mudou a nossa vida,
queremos que os outros experimentem a mesma vitória.
O testemunho pessoal sobre Jesus e a vida cristã são recursos
que todos nós podemos usar diariamente. A Junta de Missões
Nacionais da CBB passa às suas mãos este manual para que
muitas pessoas repitam a emoção do apóstolo Paulo. A propósito,
nó Testemunho Pessoal devemos sempre mostrar o$ textos bíblicos.
Este é de Filipenses 3.8

Pela Junta de Missões Nacionais da CBB


' '■ ;‘g

Pr. Ivo Augusto Seitz

v*^ I