Você está na página 1de 11

CULTURA DA TERRA (INTOTO)

E ingena, ingena.
Iakaló obiossun

Mado runkó otusue


Igbá ayê
Obaluayê shapanã
Ture atoto.

Mado runkó otusue


Igbá ayê
Obaluayê azauane
Ture atoto.

Mado runkó otusue


Igbá ayê
Obaluayê amoroní
Ture atoto.

Mado runkó otusue


Igbá ayê
Obaluayê afomã
Ture atoto.

Mado runkó otusue


Igbá ayê
Obaluayê ajunssun
Ture atoto.
ORÔ PRA DAR COMIDA A TERRA

É considerado um dos Orôs mais importantes do Candomblé. Para se


dar comida a Terra é necessário trabalhar com a morte,
trabalhando com a morte você estará automaticamente mexendo com
Intoto. É aconselhável que uma vez por ano os zeladores que tem
a morada de Intoto em seus axés dêem comida a Terra, pois se
dizem que a Terra mata e come gente é porque Intoto tem fome,
por isso existe esse Orô de dar comida a Terra. É também um dos
Orôs mais caros, pois existe um composto de Orisás que
participam desse Oro. O Oro para dar comida a Terra tem a
duração de sete dias.

1º dia – No primeiro dia o zelador limpará os ibás de Intoto,


Yemonjá e Anambukú. Quando as pessoas começarem a chegar ao Axé,
será entregue o balaio para Legbara que significa a Terra dos
encantos, e Legbara não deixará que pessoas más intencionadas
cheguem até o Axé no período do Orô.

Balaio para Legbara.

01 cesto grande;
Padê de dendê;
07 bombons;
07 pedaços de pêra;
07 pedaços de goiaba;
07 pedaços de maçã;
07 morangos;
07 ameixas;
07 pêssegos;
07 búzios;
07 moedas.
07 balas;

Modo de preparar:

A base será o padê. Arrumam-se todos os materiais por cima. Esse


balaio deverá ser entregue próximo de um local onde haja um
grande comércio.
2º dia - Será entregue o balaio de Oxosse que representa a
fartura. Sendo Oxosse o responsável de transformar os alimentos
oferecidos aos Orisás em fartura a nível alimentação para o Axé,
ele é o abastecedor de todos os Axés.

Balaio para Oxosse.

01 cesto grande;
Milho cozido;
Amendoim cozido;
Fatias de coco;
06 búzios;
06 moedas;
06 ofás;
06 pedaços de goiaba;
06 pedaços de pêra;
06 ameixas;
06 pêssegos;
06 morangos;

Modo de preparar:

Faz-se o Axoxô. Arrumam-se os outros materiais por cima.


Entrega-se na mata fazendo uma seqüência de rezas para Oxosse.
3º dia – Será entregue o balaio de Bessen que representa o
crescimento espiritual. Este balaio terá a função de tirar as
pessoas convidadas que não tem liturgia para participarem deste
Orô.

Balaio para Bessen.

01 cesto;
Palha da costa;
14 búzios;
04 bolas de gude;
02 chocalhos de cascavel;
Batata doce;
14 ovos de codorna;
02 ovos;
14 fitas coloridas;
14 folhas de jibóia;
Semente de girassol
21 búzios;

Modo de preparar:

Arrume a palha da costa no cesto como se fosse um ninho, faça 14


bolas de batata doce e ponha um búzio em cada bola. Faça duas
cobras grandes e doze pequenas todas elas deverão ser enfeitadas
com sementes de girassol. Nas cobras grandes colocarem o
chocalho e as bolas de gude (rabo e olhos da cobra), espalhe os
21 búzios, enfeite com fitas e com ovos de codorna. No fundo do
cesto ponha 12 folhas e por cima ponha duas folhas e em cima das
duas folhas colocam-se as gemas dos ovos. Por cima de todo o
balaio jogue bastante semente de girassol. Entregue esse balaio
nas águas da cachoeira.

4º dia – É chamado de “O dia do ebó”, pois nesse dia o zelador


deverá convidar uma pessoa de Oyá, para que Oyá faça a limpeza
na casa. As ewés utilizadas são: Pèrégún, Àjóbí e gúróbá. É
aconselhável que faça o

Orô da quartinha. Depois que limpar a casa, todos deverão passar


por um ebó.
5º dia – Esse é o dia em que a Cova de Intoto será arrumada.
Neste caso vai da liturgia de Intoto, a cova poderá ser
enfeitada com tudo que esteja ligado ao dono da mesma.
Fundamenta-se o ibá de Anambukú com a lama. Nesse dia também
será entregue o balaio para Ìyámín Oshorongá.

Balaio para Ìyámín Oshorongá.

01 cabaça;
01 kg de feijão fradinho;
16 carambolas;
16 fatias de coco;
16 fatias de abacaxi;
16 bonecas vestidas de bruxa;
16 acaçás;
16 ovos;
16 pedaços de melão;
16 pedaços de jenipapos;
01 kg de camarão;
16 folhas de amora;
16 folhas de jaqueira;
16 colheres de pau;

Modo de preparar:

Faz-se um Omolokun. Arrumam-se todos os outros materiais por


cima. Deverá ser entregue na cachoeira ou aos pés de uma grande
árvore dentro do Balê.
6º dia – Neste dia será entregue os balaios que estão faltando,
que são eles, balaios para: Intoto, Yemonjá e Anambukú, sendo
que esses balaios serão entregues dentro do axé.

Balaio para Yemonjá.

01 bacia de ágata;
11 bolas de algodão;
11 conchas do mar;
11 moedas prata;
11 idéis prata;
11 ovos de pata;
11 cristais;
01 kg de arroz branco;
500 g. de camarão;
11 cocadas;

Modo de preparar:

Faz-se o arroz para Yemonjá. A Arrumam-se todos os outros


materiais por cima. Deverá ser entregue no mar.

Balaio para Anambukú.

01 cabaça grande;
Ebô.
13 beterrabas descascadas;
13 obis;
13 búzios;
13 acaçás;
13 favas de Obaluayê;
13 favas de Bessen;
13 favas de Ossãe;
13 favas de Oshalá;
13 favas de Anambukú;
13 palmos de morim roxo;
Deburus;

Modo de preparar:

Arrume o balaio com a canjica como base, arrume os outros


materiais, por cima ponha os deburus. Enrole a cabaça no morim.
Deverá ser entregue em um igapó ou pântano.

Os balaios de Anambukú e de Yemonjá deverão ser entregues na


frente dos ibás próximo ao local do Orô. Deverão ser entregues
ao som da roda de cada uma delas. O balaio que será oferecido a
Intoto deverá ser ao som do Opanijé, mas não é posto dentro da
cova.

7º dia – Logo pela manhã, o zelador acompanhado de no máximo


quatro pessoas de confiança, vai até a Cova e lá dentro abre um
buraco e deixa. Durante o dia preparam-se as comidas para
finalizar o Orô. Monta-se no caminho da morada do grande rei,
uma passagem com vela dos dois lados. Próximo da Cova coloca-se
as comidas na zan.

Comidas que se dá a Terra.

Padê de dendê.
Inhame cozido.
Milho cozido.
Amendoim cozido.
Aipim frito.
Deburus.
Batata doce.
Banana da Terra frita.
Frutas.
Beterrabas cozidas.
Arroz de Yemonjá.
Sementes de girassol.
Grão de bico.
Feijão preto.
Feijão mulatinho.
Carne de porco.
Búzios.
Moedas.
Favas de Omolú.
Fava de aridã.
Bolas de tabatinga.
Obis.
Acaçás brancos.
01 frango branco. O frango deverá ser degolado e posto dentro do
buraco inteiro.

Todos deverão estar de branco e pés no chão. Faz-se então um


xirê.
XIRÊ PRA DAR COMIDA A TERRA

Esú.


Esú Barabô, ago omojubara.
Leba coxe
E Barabô omojubara
E mode ko e ko
E Barabô omojubara
Elegbara Esú Lona.


Bara o bebe Tiriri Lona
Esú Tiriri
Bara o bebe Tiriri Lona
Esú Tiriri.


Oxoro kê odara
Odara baba ebó
Bara Sorokê odara
Odara baba ebó.

Ogún.


Akaja loni Ogún Massa
Oke berujá
Akaja Loni Ogún Massa
Oke berujá.


Ogún pa, lele pá.
Ogún pa alajare
Ogún pa, lele pá.
Ogún pa ajare.


Aja pelejá, pelejá.
Ogún Onirê.
Oxosse


Olowo guiri guiri loode
O guiri guiri loode
Aua nibo oro Ode
Oke um ofá ara xaa loberin.


Oni are Ode a rere Okê
Aua ni code loue aua a pá erã
Aua ni code loque oco auá pá erã
Ode bi eue Ode loque auá pá erã.


Ofá re re eu Fibô Ode Fibô
Ofá re re eu ocoxé omorodé.

Ossãe.


Abeede ni boa abeede ni Ibó
E abeede, abeede niboa.
Abeede niboa e abeede.


Ofá é im ofá gogo
Ofá é im ofá gogo
Ofá é im ofá gogo lesse
Ofá é imo fá gogo.


Moburá ele é mofungê
Moburá imo fá gogo
Moburá é mofungê
Moburá imo fá gogo.

Obaluayê.


Goro, goro, goro, goro.
Sarrum rum decopa sarrundê.
Goro, goro, goro, goro.
Sarrum rum decopa sarrundê.
Opanijé, opanijé, opanijé loodô.
Rum decopa sarrundê
Opanijé, opanijé, Opanijé loodô.
Rum decopa sarrundê.

Bessen.


Dania maboia, dania niboa serren.
Dan Bessen danibó serren. Arruncetó Danibó serren.


Mo dã inã dã ibó
E e e e.


Tina, tina, tina.
Bessen nundê bauila.

Anambukú.


Obi Nana aió
Oluo bó
Obi Nana aió
Oluo bó
Nana aió.


Nana isure
Afulélé curajô
Curajô, curajô
Afulélé curajô.


Abi Nana Iewá
Iewá Iewá ê
Abi Nana Iewá
Iewá Iewá ê.
Um pouco antes de terminar o xirê, uma Ekedjí vai acender as
velas. Acabando o xirê, apagam-se as luzes e toca-se o Opanijé,
todos saem em fila até chegar ao local do Oro. Chegando lá todos
ficam de joelho e cantam-se a reza:

Ei ei Ingena,ago Ingena
Iakaló Ingena, Intoto arayê lo Ingena iakaló Ingena.
Sapatá arayê lo Ingena iakaló Ingena arayê.

Depois da reza no máximo cinco pessoas levantam-se cantando a


cantiga:
Ayê ayê apa ará apá
Ayê Ayê apa ará apá.

OBS.
Deve-se cantar essa cantiga para levantar a tampa da Cova de
Intoto.

Após a Cova aberta canta-se:


Arayê ajeumbó
Olubajé ajeumbó
Olubajé ajeumbó
Olubajé ajeumbó ayê.

Oferece um pouco de cada comida para os presentes, porém não se


deve aceitar e nem agradecer. As comidas serão postas no buraco
que foi aberto cedo dentro da cova.

Depois de terminar de colocar as comidas dentro do buraco, os


Ogans são os primeiros a se retirarem, pois deverão ir tocar o
Opanijé para que todos voltem ao barracão do mesmo jeito que
saíram.

Chegando ao barracão será cantado para Oshalá, apesar de oshalá


não fazer parte da família da Terra deve-se cantar para ele,
pois ele é o pai supremo.

Após terminar o xirê, pose ser servido um jantar para os amigos.

Após três dias levantam-se os balaios que foram entregues dentro


do axé, e cada balaio irá para o lugar direcionado ao orixá,
sendo de intoto pode ser posto dentro da cova dele, o de yemonjá
irá para o mar, o de anambukú irá para um pântano ou igapó.