Você está na página 1de 2

Relatório de Filme

Sentimentos que Curam


Por Carlos Mayke
O transtorno bipolar (chamado anteriormente de doença maníaco-depressiva), é marcado pela
alternância entre episódios de depressão e de euforia; as crises pode variar em intensidade,
frequência e duração.

Transtorno afetivo bipolar é um distúrbio psiquiátrico complexo. Sua característica mais marcante é
a alternância, às vezes súbita, de episódios de depressão com os de euforia (mania e hipomania) e
de períodos assintomáticos entre eles. As crises podem variar de intensidade (leve, moderada e
grave), frequência e duração.

As flutuações de humor têm reflexos negativos sobre o comportamento e atitudes dos pacientes, e a
reação que provocam é sempre desproporcional aos fatos que serviram de gatilho ou, até mesmo,
independem deles.

Em geral, essa perturbação do humor se manifesta tanto nos homens quanto nas mulheres, entre os
15 e os 25 anos, mas pode afetar também as crianças e pessoas mais velhas.

RELATOS DO FILME

Baseando-se no filme "Sentimentos que Curam", é possível perceber o o ator Mark Ruffalo
interpretando o pai com transtorno bipolar. A primeira cena já nos remete a um episódio maníaco.
Vestindo apenas uma cueca vermelha, ele se joga na frente do carro para impedir que a mulher e as
crianças o deixem. O olhar de sua esposa já demonstrou ali que este não foi o primeiro
acontecimento envolvendo a família.

A história conta que Cam ainda em tratamento assume as filhas para que sua esposa vá cursar
Mestrado em Nova York. No primeiro momento, parecia que não ia dar conta da missão, mas com o
passar do tempo, se mostra um pai cuidadoso e esforçado. No entanto, suas flutuações de humor são
desafios que todos precisam lidar.

A ausência de sua esposa Maggie foi muito dolorosa para todos, porém, contribuiu para que Cam
pudesse se aproximar de suas filhas e buscar significado na vida e sobretudo, no cuidar de si
próprio. O próprio médico disse que ele precisava de um propósito, de uma rotina. Logo, a tarefa de
cuidar das filhas e da casa, ainda que difícil, poderia ser positiva.

Meu entendimento no transtorno do Cam é que há poucos episódios depressivos, sendo na maior
parte episódios maníacos. Entretanto, conseguimos encontrar alguns momentos que correlacionam
com o conceito de Hipomania, ou seja, sintomas parecidos com os da mania bipolar, porém mais
leves que pode facilmente ser confundido com emoções comuns do nosso cotidiano.
Vejamos:

 Quando a esposa estava indo embora, ele corre atrás do carro para avisa-la da
melhor rota para seguir.

 Necessidade de se expor e se apresentar para os vizinhos do prédio e insistir


oferecendo ajuda desnecessária.

Episódio de Mania

 Quando ele se cansa de chamar atenção das filhas e acaba se alterando. Chuta as
coisas, põe dedo para as filhas, grita, chinga, etc. "Vale considerar que as filhas me parece
também apresentar indícios da síndrome bipolar, ou talvez, a própria falta de disciplina. É
possível percebendo a grosseria que tratam o pai, a falta de submissão, educação e respeito.

 Após esse momento, é quando eu percebo um momento depressivo, apesar de ser


um filme e não termos como medir pelo tempo, posso dizer que depois dessa crise ele acaba
se arrependendo e se isolando dentro do seu quarto, deitado, fumando, bebendo e muito
angustiado assistindo televisão.

 Outro episódio maníaco é no momento que ele tenta conseguir emprego para a
esposa e acaba se alterando com o diretor da empresa. Quebrou as coisas, chutou, gritou,
chingou, deu um soco no rosto do diretor e se jogou no rio.

O filme finaliza com Cam assumindo mais uma vez o cuidado das filhas para que sua esposa vá
trabalhar demonstrando, sobretudo, a possibilidade de se socializar e ter uma vida dita "normal"
apesar de toda dificuldade vivida por um portador do transtorno. O filme além de retratar a história
de uma família lidando com a bipolaridade do pai/marido também retrata questões de raça, gênero
e economia de maneira divertida, reflexiva e emocionante.