Você está na página 1de 41

Ribeiro, Laura Cançado.

Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada


(Texto-Atlas, 40 p.)

Análise simbólica do desenho da pessoa humana, texto 5

Atlas para identificar e codificar traços específicos


da figura humana desenhada
Para que você precisa de um Atlas?
O primeiro passo da prática de análise do desenho da pessoa humana desenhada é identificar
quais traços gráficos estão presentes no desenho feito por PSJ (Pessoa- sujeito: o seu cliente, a sua
cliente, o desenhista, a desenhista ). Você precisa de um parâmetro para isso! Por exemplo:
— O que é que faz uma parte do corpo ser considerada uma parte realçada ou enfatizada?
Modos de dar ênfase às partes do corpo no desenho: observe os pés

A categoria "enfatizada" sempre existe, para cada parte da pessoa desenhada. Exs: boca
enfatizada, olhos enfatizados. Uma parte da pessoa humana desenhada realça, imediatamente, à

1
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

vista. Se o analista (no caso, você) for observando o desenho parte por parte, mais zonas serão
consideradas "enfatizadas" — em geral, por comparação com zonas próximas à que está sendo
observada. Assim se introduz um viés na identificação dos traços, que sobrecarrega o protocolo da PSJ
que está fazendo a tarefa. Sugerimos, portanto, que, ao primeiro olhar, com base nos exemplos que
você viu, antes mesmo de usar o Atlas sistematicamente, você olhe o desenho, pergunte-se e anote,
sempre que a resposta for positiva:
― Alguma parte do corpo realça pelo traçado mais escuro, forte, repassado?
― Alguma parte do corpo realça pelo tamanho muito grande?
― Alguma parte do corpo realça pelo tamanho muito pequeno?
― Alguma parte do corpo realça por distorções na forma ou posição?
― Alguma parte do corpo realça por sombreamento, correções, retoques?
― Algum a parte do corpo realça porque foi feita com cuidado muito maior do que o resto?
Essas anotações, quando você chegar à seção referente àquela parte do corpo, receberão o
código pertinente. [Vá agora ao Anexo (p.40), para poder entender o material que você vai preparar.]
De onde vem a confiança neste Atlas?
O Atlas contém traços que pesquisamos na literatura, que afirma que representações
específicas das partes do corpo têm sido relacionadas a características de personalidade, ou têm sido
vistas como símbolos de determinados sentimentos ou valores. O Atlas também contém traços
registrados ao longo do trabalho com o desenho da pessoa humana na UFMG, no ensino, na clínica e
em pesquisas empíricas realizadas.
Número de traços por categoria referente aos traços específicos do corpo da Figura
Classe PF. Partes da Figura
Categorias referentes aos traços Nº de Categorias referentes aos traços Nº de
específicos do corpo da figura traços específicos do corpo da figura traços
Cabeça 25 Indicações anatômicas 07
Rosto e expressão facial 20 Ombros 09
Olhos e expressão do olhar 30 Braços 24
Nariz 20 Mãos 19
Boca e lábios 24 Dedos das mãos 16
Queixo e testa 07 Pernas 18
Cabelos 27 Pés 18
Orelhas 05 Articulações 02
Outros pelos do rosto 11 Roupa em geral 12
Pescoço 11 Vestidos e saias 11
Tronco 16 Calças 12
Região do peito 07 Blusas e/ou camisas 10
Cintura e umbigo 10 Detalhes: botões 10
Quadris e nádegas 06 Calçado 05
Genitais ou área genital 08 Peças adicionais de vestuário 16
Acessórios 20
Esses traços mostraram ter significado consistente. A confiança na consistência surgiu de três
tipos de evidências. A primeira foi o acordo entre psicólogo e PSJ, que reconhecia espontaneamente a
própria característica. A segunda foi a observação de situações em que PSJ havia evidenciado no seu
comportamento o mesmo tipo de conduta manifestada no desenho (Por exemplo, um PSJ tentou
sistematicamente, durante uma aula, modificar as regras de trabalho para adaptá-las a si, e, no
desenho, modificou a posição da folha de papel). A terceira evidência, de pesquisa, se relaciona à
2
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

diferença de frequência de um traço em grupos clínicos em relação aos grupos-controle, ou à


congruência entre traço gráfico e perfil clínico no MMPI. Embora a amostra não tenha sido muito
grande (n=208) ela envolveu grupos clínicos muito bem definidos e grupos-controle de supletivo de 1º
e 2º graus, e de universitários.
Como o Atlas é organizado? O Texto 5 apresenta somente as categorias referentes à
Classe “Partes da Figura = partes da pessoa desenhada”. [As outras classes estão no Texto 6.] Cada
categoria é um conjunto orientador para a identificação dos traços a ela referentes. Isso significa que,
ao fazer a codificação referente a uma categoria, é bom ler antes todas as descrições nela contidas.
Pergunto, sobre a categoria “Cabeça”: — Como você poderia definir que o desenho é de “uma cabeça
grande” ou "cabeça desproporcionalmente grande"? Ler todas as descrições referentes a uma
categoria, antes de iniciar a identificação dos traços que o desenho apresenta, permite que algumas
descrições se tornem mais precisas, quando comparadas a outras, similares a elas, mas levemente
distintas. Depois de conhecer os traços de cada categoria, você vai observar o desenho, tendo as
definições e ilustrações como orientação, para codificar os traços presentes naquele desenho em
particular. Cada traço tem um código, além do nome descritivo do traço gráfico. [O código, embora
pareça complicar, ajuda, com a prática, a sistematizar o conjunto. ]
Cada traço está descrito, para permitir a codificação por observação, ou por operações a serem
feitas sobre o desenho (Ex.: medir). Quando necessário, apresento também uma ilustração que
exemplifica o traço. As ilustrações foram retiradas das amostras de pesquisa, ou cedidas por sujeitos
clínicos ou universitários, ou, ainda, feitas pela equipe de pesquisa diante de original. Uma vez
identificado o traço, anota-se o código que apareceu. Os traços podem ser, ou não, mutuamente
exclusivos. Por exemplo, “cabeça grande” exclui “cabeça desproporcionalmente grande”, ou “cabeça
de tamanho normal”.
Sempre é aconselhável que os principiantes trabalhem em dupla, cada um fazendo uma
avaliação independente, comparando-se depois as cotações. Por esse sistema, conseguiu-se um acerto
de 70% para o terceiro desenho avaliado, chegando-se aos 85% e 95% após treinamento com 10
desenhos. Se o trabalho a dois não for possível, aconselha-se pelo menos que você consulte um colega
para desfazer dúvidas. E, nessa hora, solicite ao colega uma avaliação independente. Se ainda assim
não houver certeza, é melhor você desconsiderar a presença do traço, adotando atitude mais
conservadora.
Classe PF: Partes da Figura
Cada categoria (que nomeia uma parte do corpo, como cabeça, olhos, etc.) tem uma definição
que lembra a função corporal daquela parte e esclarece os seus limites no desenho propriamente dito,
para evitar dúvidas que aparecem na hora (por exemplo, o tamanho da cabeça engloba os cabelos?).
Imediatamente se segue uma descrição do que seria um desenho de elite quanto àquela parte da
pessoa desenhada, ou seja, como seria a “melhor” representação daquela parte da pessoa humana
desenhada; na prática, esses desenhos “elite” são raros. Aconselha-se que só se codifique um desenho
nessa categoria se ele visivelmente se encaixar na mesma e não apresentar uma descrição que lhe seja
mais adequada nas outras definições de traços.
Indica-se em seguida o que seria um desenho “normal”, que geralmente envolve certas
omissões e distorções, populares ou comuns em desenhos de adultos na nossa cultura; por exemplo,
omissão das orelhas ou ênfase no desenho da cabeça. As informações sobre essa normalidade foram
retiradas da literatura e de nosso trabalho com o desenho da pessoa humana desenhada, feito com
universitários e com sujeitos de supletivo de 1º e 2º graus, testados numa escola noturna de BH.

3
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

Embora essas amostras tenham sido obtidas com procedimentos que garantissem aleatoriedade, não
são representativas de uma determinada população. [Mesmo assim, informamos os percentuais
obtidos, pois falta padronização para análise, e é melhor contar com alguma aproximação da realidade,
do que com nenhuma. ]
A Classe Partes da Figura (Classe PF) está organizada apresentando as partes em sequência
céfalo-caudal e lógica. A cada parte do corpo corresponde uma categoria. As descrições aplicam-se às
pessoas desenhadas dos dois sexos, na maioria dos casos. Quando um traço só tiver determinado
significado se desenhado por uma pessoa de um determinado sexo, isso é indicado no nome do traço.
Tendo diante de si as duas pessoas desenhadas feitas pelo sujeito, você vai identificar os traços
na pessoa desenhada do mesmo sexo de PSJ. [ Você pode ir anotando diferenças referentes ao
desenho da pessoa do sexo oposto ao de PSJ, ou você pode depois comparar as duas pessoas
desenhadas, quanto aos traços diferenciais, pelo Quadro TD - Tratamento diferencial entre pessoas
desenhadas, que está no Texto 6. ]. No início, aconselhamos que você faça a codificação de um
desenho de cada vez.
Além disso, lembre-se de ter como referência a realidade do sujeito. Por exemplo, uma mulher
de um metro e noventa de altura, que desenhe a pessoa feminina com mais estatura que a masculina
está expressando uma situação de fato, vivida por ela. O significado simbólico seria diferente, se o
desenho da figura feminina fosse muito maior que a masculina e tivesse sido feito por uma moça de
um metro e cinquenta! Uma regra de bom senso é sempre pensar se determinado traço, como boca
grande, ou nariz comprido e fino (aos quais se atribuem significado dinâmico e funcional), se aplica a
PSJ como situação de fato. É boa regra, inclusive que, imediatamente após o registro de presença de
determinado traço, o analista já assinale quando se trata de uma situação de fato. Isso não significa
que a situação não seja conflituosa para o sujeito, mas introduz questões e parcimônia para o avaliador
de desenhos.

CLASSE PF DO ATLAS: DEFINIÇÕES E EXEMPLOS PARA IDENTIFICAR E CODIFICAR OS


TRAÇOS GRÁFICOS RELATIVOS ÀS PARTES DA PESSOA HUMANA DESENHADA
PF01.-Cabeça. Parte superior do corpo; área da curva fechada delimitada pelo topo do corpo, face na altura
da orelha direita, ponta do queixo, face na altura da orelha esquerda, fechando no alto. Quando a cabeça
está com o contorno aparecendo, mede-se sua área multiplicando o tamanho do eixo vertical (topo do corpo-
ponta do queixo) pelo tamanho do eixo horizontal (linha de face esquerda-direita, na altura das orelhas ou
nariz). Ver o exemplo (a). Quando há cabelo, uma boa aproximação do topo do corpo costuma ser a metade
da distância entre o contorno do rosto e o alto do cabelo (ex. b). Quando não há queixo desenhado, prolongar
mentalmente a linha da lateral do rosto, formando-o (ex. c)

PF01.00-Cabeça: representação de elite. O tamanho da cabeça é normal (PF01.02), a curva é ovalada, com o eixo
vertical maior que o eixo horizontal, e é tão bem desenhada quanto o resto do corpo, ou um pouco mais bem
desenhada. O contorno da cabeça deve sofrer avaliação rigorosa, não estando representado por formas
primitivas como elipse ou círculo, nem aparecer por transparência sob o cabelo. Se estiverem desenhadas
feições sem contorno do rosto, cotar PF01.09 e passar a PF02.

4
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF01.01-Cabeça somente, sem corpo. Desenho apenas da cabeça e não da pessoa humana desenhada toda.
Assinala-se o código PF01.01 e passa-se a analisar o segundo desenho solicitado na aplicação, o de corpo
inteiro (ver o texto sobre como se aplica). PF01.01 exclui PF01.00 (isto é, se a cotação PF01.01 tiver sido
aplicada, não se cota PF01.00 no segundo desenho, aquele que foi feito por solicitação).
PF01.02-Cabeça de tamanho normal. Se se desejar precisão, medir a área da cabeça multiplicando o tamanho
do eixo vertical pelo tamanho do eixo horizontal e dividir pela área do tórax (altura do ombro à cintura x
largura do tórax à altura do peito); a proporção normal é de 0,50 a 0,74. Isto é, a área da cabeça é de ± 50%
a 74% da área do tórax. Visualmente, na área do tórax "cabem" de uma e meia a duas cabeças.
A cabeça humana corresponde a aproximadamente 1/7 (14%) da altura total do corpo, e à metade da largura de
ombro a ombro. Na relação matemática de áreas cabeça-tórax que adotamos, corresponde de 0,25 a 0,35.
Portanto, a proporção observada nos sujeitos normais foge à proporção ideal dos livros de desenho artístico
— por razões teóricas e clínicas, usa-se o critério estatístico e não o artístico (ideal).
PF01.03-Cabeça de tamanho pequeno ( frequente em pessoa com treino artístico). Se a área da cabeça dividida
pela área do tórax = 0,01 a 0,24, a cabeça é “muito pequena”. Se for entre 0,25 a 0,49, é “pequena”.
Visualmente, podem-se imaginar mais de duas cabeças na área do tórax (área medida como em PF01.02). A
literatura (lit.) descreve: "cabeça diminuída e sem ênfase"; "cabeça com menos de 0,5 cm"; "cabeça na
proporção 1/10 ou 1/11 em relação ao corpo". Embora essa seja a proporção ideal artística do desenho da
cabeça, essa categoria mostrou-se frequente em problemas (inter)pessoais, e rara nos normais.
PF01.03.01-Cabeça de tamanho pequeno e de forma redonda. PF01.03 + forma de círculo. Traço raro.
PF01.03.02-Cabeça de tamanho pequeno e borrada. PF1.03 + sinais de apagado, de sujo. Traço muito raro.
PF01.04-Cabeça de tamanho grande. A área da cabeça, medida como acima, ocupa de 0,75 a 0,99 da área do
tórax (75% a 99%). Ou seja, a área do tórax é maior que a área da cabeça, mas não chega a ser uma vez e
meia o tamanho da cabeça. Essa proporção foi frequente em sujeitos normais de 1 0, 20 e 30 graus de
escolaridade.
PF01.02-Cabeça de tamanho PF01.03-Cabeça de PF01.04-Cabeça de PF01.05-Cabeça de tamanho
normal tamanho pequeno tamanho grande desproporcionalmente
grande

PF01.04.01- Cabeça de tamanho grande, com membros pequenos, desenhada por mulher. Desenho da cabeça
grande, com braços e pernas mais curtos, mãos e pés pequenos, feito por mulher. (Ver definição para braços
curtos e pernas curtas, se necessário.)
PF01.05-Cabeça de tamanho desproporcionalmente grande. A área da cabeça é igual a, ou maior do que, a área
do tórax; também descrita como: "cabeça maior que a metade do tronco"; "cabeça excessiva ou exagerada";
"cabeça medindo mais de 5 cm"; "cabeça de mesma largura ou mais larga que o tronco". A área da cabeça 2
vezes maior que a área do tórax já é traço pouco frequente.
PF01.05.01-Cabeça de tamanho muito grande, com forte conteúdo fantástico. PF1.05 + lábios grossos, ou chapéu
grande, ou cabelo grande e separado do corpo, ou fora do eixo, ou corpo com tratamento pobre, dando ao
conjunto aparência bizarra. (Traço raro).

5
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF01.06-Cabeça F01.07-Cabeça com PF01.08- Cabeça com PF0l.09- Cabeça


enfatizada traçado mais evidente do contorno reforçado menos bem
que o resto do corpo desenhada que o
resto do corpo

PF01.06-Cabeça enfatizada. Cabeça com elemento que chame a atenção imediata, incluindo transparências, ou
detalhismo, ou tratamento especial para couro cabeludo, ou forma de capacete, ou elementos estranhos tipo
chifres. Elementos estranhos são muito raros em amostras normais. Aparecer o contorno da cabeça sob o
cabelo, em transparência, é muito comum em menos escolarizados.
PF01.07-Cabeça com traçado mais evidente do que o resto do corpo. É modal a cabeça receber um pouco mais
de atenção que o corpo. Essa categoria é assinalada quando a cabeça apresenta traçado bem feito em
comparação com corpo esquematizado, isto é: cabeça desenhada com clareza, detalhada, bem-feita, em
contraste com corpo deficiente, ou vagamente esboçado, o que dá a impressão de que o desenho da cabeça
foi feito em detrimento do corpo. Ou cabeça com traços mais escuros ou mais fortes que o contorno do
corpo, i. e: cabeça com contorno reforçado, ou sombreado ou feito com maior pressão em comparação com
corpo menos delineado, ou de traçado mais tênue ou leve (Cf. com PF01.08).
PF01.08- Cabeça com contorno reforçado. Cabeça com contorno reforçado, ou sombreado, ou com pressão mais
forte, mesmo que o resto do corpo esteja bem delineado.
PF0l.09- Cabeça menos bem desenhada que o resto do corpo. Cabeça vagamente esboçada, mal desenhada em
comparação com corpo bem delineado e detalhado. (Muito raro)
PF01.10- Cabeça separada do corpo. Cabeça em descontinuidade em relação ao corpo, de modo a haver espaço
entre as partes.
PF01.11 - Cabeça de forma
PF01.10- Cabeça separada do corpo PF01.11 - Cabeça de
forma redonda redonda. Uma circunferência é a
cabeça — o eixo vertical não é
maior que o eixo horizontal.
Encaixam-se nesta categoria
também formas primitivas como a
elipse. (Ex.: ver a forma da cabeça
na ilustração de PF5.01 atrás.)
PF01.11.01- Cabeça redonda e
grande. V. definições de cabeça
redonda e cabeça grande.
PF01.12.- Cabeça redonda e orelhas de abano. Cabeça redonda, com orelhas em semicírculo, que resulta numa
semelhança a macaco (Lit.).
PF01.13- Cabeça com formas incomuns. Cabeça desenhada com formas que fujam ao normal e não especificadas
em outros itens.

6
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF01.14-Cabeça com forma geométrica. Cabeça em forma de quadrado, triângulo ou retângulo.


PF01.15- Cabeça com parte frontal ou occipital volumosa. Cabeça com testa grande de frente ou, no perfil, com
abaulamento convexo da fronte ou da região occipital.
PF01.12.- Cabeça PF01.13- Cabeça com formas incomuns PF01.15- Cabeça com parte frontal
redonda e orelhas ou occipital volumosa
de abano.

PF01.17- Cabeça cortada PF01.18- Cabeça PF01.16- Cabeça demarcada como num retrato. Desenho
e preenchida pelo cabelo cortada de moldura envolvendo a cabeça da pessoa desenhada.
Raro.
PF01.17- Cabeça cortada e preenchida pelo cabelo.
Desenho com a parte superior da cabeça aberta e
preenchida pelo cabelo, que resulta numa semelhança a
vaso de flores.
PF01.18- Cabeça cortada. Desenho da cabeça mutilada, ou
incompleta, ou truncada, ou aberta na parte superior, ou
em forma de bacia funda e com traços faciais desiguais (Lit.). Inclui cabeça cortada por não caber na folha.
PF01.19- Cabeça omitida. Desenho de pessoa sem cabeça. Muito raro.
PF01.20- Cabeça com muitos retoques. Muito uso de borracha, muito repasse ou retoques ao desenhar a cabeça.
PF02.- Rosto e expressão facial. Conjunto formado pelo rosto com sua linha de contorno, traços faciais
ou elementos (olhos, nariz, boca, etc.) e expressão.
PF02.00- Rosto e traços faciais: representação completa. Há desenho do contorno do rosto; os olhos, nariz, e
boca têm duas dimensões; são regulares e simétricos entre si, sem distorções evidentes de posição, tamanho,
forma ou traçado. O contorno e os traços faciais têm traçado similar. (As cotações de PF02.01 a PF02.07
referem-se a variações na similaridade entre contorno e traços faciais e excluem PF02.00). Olhos, nariz ou
boca em uma dimensão excluem a cotação PF02.00.
PF02.00.01- Rosto com PF02.02- Traços faciais poucoPF02.00.01- Rosto com proporção ideal. O rosto,
proporção ideal. claros, com contorno do rostona sua proporção ideal, é dividido em três terços:
bem feito o primeiro corresponde à testa, ou seja, da
inserção do cabelo à sobrancelha; o segundo, da
sobrancelha à ponta do nariz e o terceiro da
ponta inferior do nariz ao queixo. Entretanto, a
maciça maioria (76%) dos desenhos de
universitários e de indivíduos de supletivo não
obedeceu a essa proporção.
PF02.01- Traços faciais omitidos, com contorno
do rosto presente. Contorno do rosto delineado,
em geral havendo também detalhamento de outras partes do corpo, com omissão dos traços faciais.
PF02.02- Traços faciais pouco claros, com contorno do rosto bem feito. Contorno do rosto bem delineado ou até
reforçado, e traços faciais leves, ou esboçados, ou confusos, ou confusos e escurecidos. Exclui PF 02.05 e PF
02.06.
PF02.03- Rosto sombreado levemente. Sombreado leve na superfície do rosto (Lit.).
PF02.04- Rosto sombreado fortemente. Sombreado forte ou pesado no rosto (Lit.).
PF02.05- Traços faciais enfatizados. Traços faciais reforçados, mais fortes, em contraste com restante da pessoa
desenhada mais sutil. Quando em perfil, todo o perfil facial está reforçado.

7
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF02.03- Rosto PF02.04- Rosto PF02.05- Traços PF02.06- Traços


sombreado sombreado faciais enfatizados faciais somente,
levemente fortemente sem contorno do
rosto.

PF02.06- Traços faciais somente, sem contorno do rosto. Desenho dos traços do rosto com omissão do contorno.
Não cotar se os cabelos ocultam as laterais do rosto, mas aparece contorno do mesmo na região do queixo.
PF02.07- Traços faciais indefinidos e zonas abertas no corpo. Desenho em que os traços faciais estão desenhados
com extrema leveza ou imprecisão e que apresenta zonas com traçado interrompido, em que há comunicação
fácil da parte de dentro com a parte de fora da pessoa desenhada.
PF02.08- Expressão facial. Maneira pela qual o desenho dos traços do rosto revela o sentimento ou estado íntimo
da pessoa humana desenhada. As descrições que se seguem são referências encontradas na literatura—
portanto, incompletas. Deve-se usar a avaliação independente de outro analista de desenhos, para não
incorrer em erro de subjetividade. Se nenhuma descrição se aplicar, ou não houver consenso entre avaliadores
independentes, não avalie este tópico.
PF02.08.01- Rosto com expressão agressiva e ameaçadora. A expressão do rosto tem características de raiva, ou
persecutórias.
PF02.08.01- Rosto c/ expressão PF02.08.02- Rosto com expressão sedutora. A expressão do rosto é
agressiva e ameaçadora. sedutora, quase sempre com traços faciais bem desenhados.
PF02.08.03- Rosto com expressão de cortesia forçada. Expressão que
mostra subserviência ou intento de agradar, em geral pelo sorriso forçado.
PF02.08.04- Rosto com expressão de pânico. O desenho expressa medo e
assombro.
PF02.08.05- Rosto com expressão dura. Os traços faciais dão impressão de
seriedade, rigidez e introversão.
PF02.08.06- Rosto com expressão vaga. O rosto é inexpressivo, com pouco
ânimo facial.
PF02.08.02- Rosto PF02.08.03- Rosto com expressão de PF02.08.04- Rosto com expressão de
com expressão cortesia forçada pânico
sedutora

PF02.08.07- Rosto com expressão passiva e receptiva. O desenho mostra traços faciais de passividade, quase
sempre com olhos fechados, ou de traçado infantil, e sorriso forçado.
PF02.08.08- Rosto fazendo careta. O desenho tem expressão ridícula ou que provoca riso ou perplexidade. Não
se trata de pessoa desenhada mal desenhada, mas de pessoa desenhada que é desenhada para causar esse
tipo de impacto.
PF02.08.09- Rosto com rugas. O rosto apresenta linhas extras, como marcas de expressão, em geral na testa ou
ao lado do nariz, que dão impressão de “profundidade” à pessoa desenhada.
PF02.08.10- Rosto com expressão ... Categoria residual, destinada a ser preenchida pelo analista, quando houver
um consenso entre dois analistas, e a expressão facial não se encaixar nas categorias precedentes. Por
exemplo, "rosto com expressão de dúvida", "... meditativa", "... de desdém", etc.
8
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF02.08.05- Rosto PF02.08.06- Rosto PF02.08.07- Rosto com PF02.08.08- Rosto PF02.08.09-
com expressão com expressão expressão passiva e fazendo careta Rosto com rugas
dura vaga receptiva.

PF03.- Olhos e expressão do olhar. Órgãos da visão, usualmente considerados como passíveis de
expressar o que se passa no íntimo da pessoa, e, por extensão, suas qualidades ou defeitos de caráter (CA).
PF03.00-Olhos: representação de elite. (V. desenho PF02.00.01). Os critérios em itálico são necessários para se
atribuir esse código. Os olhos estão desenhados simétricos, em duas dimensões, a dimensão horizontal maior
que a vertical, e com os elementos globo ocular, íris e pupila indicando correta direção do olhar (sem ser vesgo,
zarolho; se perfil, a pupila está na metade dianteira do olho). Há os elementos de proteção pestanas e
sobrancelhas, num total de 5 elementos. Tamanho: na pessoa desenhada de frente, os olhos apresentam o
tamanho da largura do nariz, de aleta a aleta, com o ângulo proximal na direção destas aletas (metade dos
universitários os desenhou neste tamanho e 23% dos sujeitos de supletivo). A linha dos olhos divide ao meio
a distância do topo da cabeça ao queixo; mas menos de 20% dos sujeitos assim os posicionaram.
PF03.00.01-Olhos: representação modal. É comum o desenho com 3 a 4 elementos, constando o contorno do
olho e pelo menos um dos dois detalhes internos: íris ou a pupila, mas maiores do que simples ponto, e
apresentando olhar correto. Dos elementos de proteção, pelo menos um: a pestana ou a sobrancelha.
Representação de detalhes em um só dos olhos na pessoa desenhada de frente exclui PF03.00.01. A não ser
em casos de desproporção flagrante, cote PF03.00.01 se os olhos estiverem aproximadamente do mesmo
tamanho (só 20% dos menos escolarizados apresentaram diferença grande no tamanho dos dois olhos) Olhos
em círculo excluem PF03.00.01. Os códigos PF03.05 a PF03.15 e PF03.19 excluem PF03.00.
PF03.01- Olhos enfatizados. Olhos muito grandes, ou muito escuros, ou destacados com traços especiais, ou
realçados de alguma forma, de modo que chamam a atenção imediata do observador. Olhos grandes
mostraram-se frequentes em desenhos de moças universitárias (± 34%), em geral bem detalhados. Veja a
orientação sobre a qualificação "enfatizado/a" que inicia esse Texto e lembre-se de que essa é uma categoria
geral; verifique, antes de aplicá-la, se alguma outra se encaixa melhor.
PF03.02- Olhos com pupilas grandes e escuras. A pupila dos olhos ocupa o espaço da íris, ou mais, escurecendo
quase toda a órbita do olho. Se tiver características sedutoras, é frequente em universitárias.
PF03.03- Olhos em negrito. Olhos desenhados escuros, ou com traço e contorno reforçados, ou repassados, ou
retocados, ou "sujos", ou mais escuros que os outros traços faciais.
PF03.04- Olhos bem detalhados. Presença clara e facilmente perceptível dos cinco detalhes dos olhos (Lit.).
PF03.05-Olhos pouco detalhados. Presença de uma a duas das partes possíveis de compor o desenho dos olhos.
Raro em amostras normais de 2º grau ou nível superior.
PF03.06- Olhos omitidos. Olhos ausentes ou apagados com a borracha. Traço muito raro.
PF03.07- Olho(s) vazio(s), sem os elementos centrais. Desenho somente da órbita dos olhos, com omissão de íris
e pupila, mesmo que seja em um só dos olhos.
PF03.08- Olhos vazios e com círculos em toda a pessoa desenhada. Desenho de círculos para representar os olhos,
e também o nariz, boca, botões, etc. Traço muito raro.
PF03.09- Olhos representados por um ponto. Olhos em forma de ponta de alfinete, ou pupila sem a órbita do
olho, mesmo que seja em um só dos olhos.
PF03.10- Olhos pequenos. Considere as proporções mencionadas em PF03.00. Olhos pequenos apareceram em
30% dos sujeitos de supletivo e em 15% dos universitários.
PF03.11- Olhos formados por órbita e pupila. Desenho dos olhos como círculo ou oval, com ponto central.
PF03.12- Olhos fechados ou cerrados, ou representados por um traço. Olhos em semicírculo, de modo que não
se veem os elementos internos dos olhos. CF. com PF03.13.

9
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF03.13- Olhos com traçado em linha reta. Olhos são representados por traços horizontais. Cotam-se nesta
categoria, mesmo que haja pestanas representadas.
PF03.14- Olhos com formas geométricas. Olhos triangulares, ou quadrados, exceto 03.14.01.
PF03.14.01- Olhos redondos. Olhos em forma de círculo, ou bolinha.
PF03.15-Olhos esbugalhados. Olhos arregalados, muito abertos, de modo que o branco do olho passa a ocupar
grande espaço dentro das órbitas.
PF03.02- Olhos com PF03.03- Olhos em PF03.05-Olhos PF03.07- Olho(s) PF03.10- Olhos
pupilas grandes e negrito pouco detalhados vazio(s), sem os pequenos
escuras elementos centrais

PF03.11- Olhos PF03.13- Olhos com PF03.15-Olhos PF03.16- Olhos PF03.19- Olhos
formados p/ órbita e traçado em linha esbugalhados oblíquos p/ baixo vesgos
pupila reta

PF03.16- Olhos oblíquos para baixo. A porção proximal dos olhos em relação ao nariz é mais alta e a porção distal
é mais baixa.
PF03.17- Olhos com cílios muito longos.
PF03.18-Olhos com lágrimas. São desenhadas lágrimas escorrendo pelas faces ou na borda inferior dos olhos.
PF03.19- Olhos vesgos, para dentro ou para fora. Olhos com olhar incorreto, em que os elementos centrais
(pupila) convergem para o nariz, ou em que cada um está para um lado. Raro.
PF03.20- Expressão do olhar. Maneira pela qual o modo de desenhar os olhos revela o sentimento ou estado
íntimo suposto para a pessoa desenhada. A expressão é avaliada pela impressão causada no analista de
desenhos; para evitar erros de subjetividade, sugere-se que o analista confira sua atribuição com a de outro
avaliador tomado como juiz. Se não conseguir cotar, deixe em branco.
PF03.20.01 Olhos PF03.20.02 Olhos com expressão PF03.20.03 Olhos PF03.20.04 Olhos
com expressão ameaçadora com expressão de com expressão
irônica fixidez furtiva

PF03.20.01 Olhos com expressão irônica. Olhos que expressam hostilidade e sarcasmo.
PF03.20.02 Olhos com expressão ameaçadora. Expressão que cria imagem de hostilidade e suspeita, ou olhos
considerados penetrantes, ameaçadores, controladores.
PF03.20.03 Olhos com expressão de fixidez. Olhos grandes, que miram fixamente um só ponto.

10
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF03.20.04 Olhos com expressão furtiva. A pessoa desenhada expressa dissimulação, por olhar para os lados ou
obliquamente.
PF03.20.05 Olhos ... com PF03.20.06 Olhos com PF03.20.07 Olhos com PF03.20.08 Olhos com
expressão lamuriosa. expressão satânica. expressão suspeitosa + expressão sedutora.
ênfase nas orelhas.

PF03.20.05 Olhos bem trabalhados com expressão lamuriosa. Olhos em geral bem trabalhados, que expressam
lamento, inclusive com lágrimas.
PF03.20.06 Olhos com expressão satânica. Olhos em linha oblíqua com parte distal em relação ao nariz mais alta,
que dão impressão infernal ou atemorizadora.
PF03.20.07 Olhos com expressão suspeitosa, adicionada a ênfase nas orelhas. Olhos com expressão suspeitosa e
ênfase por tamanho ou sombreamento nas orelhas.
PF03.20.08 Olhos com expressão sedutora. Olhos bem trabalhados, em geral grandes, amendoados, com cílios
longos e revirados e onde há também desenho das sobrancelhas.
PF03.20.09 Olhos com expressão... Categoria residual, reservada a expressão de olhar não descrita
anteriormente, mas que foi atribuída por acordo entre dois juízes independentes.
PF04.- Nariz. Parte saliente entre a testa e a boca, que é o órgão do olfato e parte do sistema respiratório.
PF04.00- Nariz: representação modal (mais frequente). A representação modal supõe duas dimensões, mesmo
que com formas primitivas (elipse vertical central, triângulo com vértice para cima, em forma de U), sem
continuidade com linha de sobrancelhas, e com dimensão vertical maior que horizontal. Quanto à posição, sua
ponta dividiria a cabeça nos 2/3 superiores e 1/3 inferior (mas somente 40% dos universitários e 31% dos
sujeitos de supletivo assim o posicionaram). O tamanho ideal vai da linha dos olhos aos ditos 2/3, sendo
frequente nos universitários e nos sujeitos de supletivo um tamanho menor, em que o nariz não chega à linha
dos olhos (59% dos universitários e 71% dos do supletivo), sem formato especial e com traço similar ao dos
outros elementos do rosto. As cotações PF04.02, PF04.04, PF04.06, PF04.09 a 12, PF04.16 a 19 excluem
PF04.00.
PF04.01- Nariz enfatizado. Nariz de tamanho muito grande (ver PF04.02), longo ou muito pequeno, ou borrado,
ou feito com muita pressão, ou sombreado (de frente ou de perfil), ou muito mal posicionado, de modo que
chama a atenção imediata do observador. Obs.: esta é uma categoria geral; verifique se há melhor
especificação.
PF04.02- Nariz de tamanho muito grande PF04.04- Nariz curto e/ PF04.02- Nariz de tamanho muito
ou pequeno grande. Nariz comprido, ou longo e
fino, de modo tal que chama a
atenção. Somente em cerca de 13%
dos desenhos que estudamos.
PF04.03- Nariz volumoso. Desenho
do nariz largo, cheio, grosso. Se a
dimensão horizontal for maior que a
dimensão vertical, exclui PF04.00.

PF04.04- Nariz curto e/ou pequeno. É modal o tamanho um pouco pequeno (V. PF04.00.) Esse código deve ser
atribuído somente se o tamanho realmente for muito pequeno.
PF04.05- Nariz cortado. Corte de uma parte do nariz, por traço ou linha, na ponta ou na base do mesmo, sob
qualquer pretexto; no perfil, falta clara da ponta, o nariz tomando forma quadrada na ponta.
PF04.06- Nariz omitido. Desenho dos outros traços faciais, sem desenhar o nariz. Muito raro (menos de 2%).

11
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF04.07- Nariz sombreado. Sombreamento no nariz, de forma vigorosa ou não.


PF04.08- Nariz retocado. Desenho em que se vê que o nariz foi desenhado e posteriormente modificado, ou
desmanchado e redesenhado.
PF04.09- Nariz em forma de círculo. Nariz em forma de botão, bolinha ou ponto.
PF04.10- Nariz em um só traço. Nariz desenhado como um traço vertical.
PF04.11- Nariz com deformações. Nariz em que há indicação clara de bossas ou falhas, parecendo conter
verrugas, protuberâncias, ou com visível falta de proporção.
PF04.05- Nariz PF04.11- Nariz com PF04.12- Nariz PF04.15-Nariz com PF04.16- Narinas
cortado deformações substituído por boca narinas acentuadas em lugar do nariz

PF04.17- Nariz em PF04.18- Nariz em forma de pênis PF04.19- Nariz em


focinho de porco continuidade com
sobrancelhas ou olhos

PF04.12- Nariz substituído por boca. Desenho da boca na posição em que deveria estar o nariz, e omissão deste.
PF04.13- Nariz arrebitado na pessoa desenhada masculina feita por homem. Nariz revirado na ponta, para cima,
podendo ser também em forma de pequeno V invertido.
PF04.14-Nariz arrebitado na pessoa desenhada feminina feita por mulher. Ver a definição de PF04.13
PF04.15-Nariz com narinas acentuadas. Desenho do nariz com narinas enfatizadas, retocadas, com asas
acentuadas. É traço relativamente frequente (± 35 %).
PF04.16- Narinas em lugar do nariz. Desenho só das narinas, e não do nariz todo.
PF04.17- Nariz em formato de focinho de porco. O formato do nariz parece focinho de porco ou tomada.
PF04.18- Nariz em forma de pênis. Desenho do nariz em forma de pênis no perfil, semiperfil ou de frente, como
ponta com dois círculos na porção inferior.
PF04.19- Nariz em continuidade com olhos ou sobrancelhas. Desenho do nariz em forma de U, sem estreitamento
superior, que se prolonga lateralmente formando a órbita dos olhos ou as sobrancelhas, de modo que não se
tem impressão de projeção do nariz para frente.
PF05. Boca e lábios. A boca é definida como cavidade delimitada pelos segmentos carnudos denominados
lábios, e que serve à digestão e à fala (CA;E).
PF05.00- Boca: representação elite. Desenhada em duas dimensões, a horizontal maior que a vertical e com lábios
indicados. Apenas um traço de contorno não identifica a presença de lábios, sendo necessário pelo menos um
traço horizontal divisório entre os contornos superior e inferior. Idealmente, posicionada no 1/3 superior do

12
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

1/3 da face abaixo do nariz, com tamanho de 25 a 45% da largura da face à sua altura, sem forma ou traçado
que realcem. Mais frequente a boca fechada. Verifique as outras categorias: PF05.01 até PF05.11 excluem
PF05.00. A representação de elementos internos à boca, como dentes ou língua, muito rara, também exclui
PF05.00.
PF05.01- Boca enfatizada. Desenho da boca com elemento que chame a atenção: reforço, borrões por uso de
borracha, sombreamento, pressão forte, tamanho, forma ou posição especiais, deslocamento.
PF05.02- Boca muito grande. A boca se destaca pelo tamanho, terminando próxima às orelhas, ou na direção
vertical do ângulo distal da órbita dos olhos, ou terminando para fora da direção das pupilas. Apareceu em
cerca de 10% dos testes de amostras de controle e em 20% da amostra psicopatológica.
PF05.02- Boca muito grande PF05.03- Boca PF05.05- Boca em PF05.06- Boca em linha
pequena linha reta reta e interrompida

PF05.03- Boca pequena. A boca é visivelmente pequena, não ultrapassando o limite das aletas do nariz, por
exemplo. Apareceu em menos de 15 % dos protocolos.
PF05.04- Boca omitida. Omissão da boca, mas tendo sido desenhados outros traços faciais. Traço muito raro em
amostras normais.
PF05.07- Boca em PF05.08- Boca em linha, PF05.09- Boca côncava e/ou PF05.10- Boca de palhaço
linha grossa e breve apertada, no perfil oralmente receptiva

PF05.05- Boca em linha reta. Boca representada por uma única e forte linha reta, ou boca em um só traço. Traço
muito raro em amostras normais.
PF05.06- Boca em linha reta e interrompida. Boca representada por linha reta tracejada (formada de pequenos
traços). Traço muito raro.
PF05.07- Boca em linha grossa e breve Boca em uma linha horizontal, reta, com muita pressão, mas rapidamente
interrompida, retirando-se o lápis do papel de modo que aparenta faltar algo ao desenho da boca. Obs.:
chamada também de "boca cerrada e em corte seco". Traço muito raro em amostras normais
PF05.08- Boca em linha, apertada, no perfil. Boca em única linha, com expressão de tensão, como se a boca
estivesse apertada contra algo. Traço raro.
PF05.09- Boca côncava e/ou oralmente receptiva. Boca côncava que se assemelha a meia lua com pontas para
cima; ou boca levemente aberta, que sugere demanda. Traço frequente.
PF05.10- Boca de palhaço. Boca côncava em um só traço, voltada para cima, com aparência de um palhaço
sorrindo ou fazendo careta. Traço frequente. PF05.11- Boca aberta e interrompida. A boca é desenhada
claramente aberta e não chega a ser completada nas laterais, ou é desenhada aberta no perfil.
PF05.12- Boca em arco de cupido. Boca em formato de coração. Muito frequente em moças.
PF05.13- Boca com lábios grossos e sensuais. Os lábios chamam a atenção pela zona ampla de contato que
permitiriam.
PF05.14- Boca com lábios grossos na pessoa desenhada masculina desenhada por homens.
PF05.15- Boca projetada, fazendo bico. Lábios unidos em bico. Muito raro

13
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF05.11- Boca aberta PF05.12- Boca em arco de PF05.13- Boca c/ lábios grossos PF05.16- Boca para
interrompida cupido e sensuais baixo

PF05.16- Boca para baixo. A curvatura da boca está voltada para baixo, convexa, com expressão triste ou
emburrada. Traço muito raro.
PF05.17- Boca com lábios finos. Os lábios realçam pela pequena zona de contato que permitiriam. Representação
frequente nas amostras de universitários (± 21%), mas ausente nas de alunos de supletivo.
PF05.18- Boca com lábios pintados detalhadamente na pessoa desenhada masculina. Os lábios apresentam
sombreamento cuidadoso que imita uso de batom. Traço muito raro.
PF05.19- Boca com dentes à mostra. Os dentes aparecem ou são destacados. Muito raro.
PF05.20- Boca esquemática e com ênfase nos dentes. A boca é apenas esboçada e os dentes desenhados, de
modo que estes passam a constituir a representação principal.
PF05.21- Boca com língua de fora. A língua aparece ou está destacada.
PF05.22- Boca com língua de fora na pessoa desenhada masculina desenhada por homens.
PF05.23- Boca com palito ou cigarro. Linha fora de lugar colocada entre os lábios, sugerindo um palito, cigarro
ou algo similar.
PF06.- Queixo e testa. O queixo é a maxila inferior, que se move para mordedura e mastigação. A testa é
a parte superior da frente da cabeça da pessoa, região frontal que corresponde, internamente, à porção
anterior do crânio.
PF06.00- Queixo: PF06.00.01- Queixo: PF06.01- Queixo grande PF06.02- Queixo
representação modal representação de elite. e/ou proeminente. enfatizado no perfil

.
PF06.03- Ausência de queixo PF06.04- Queixo quadrado

PF06.00- Queixo: representação modal. O mais comum é o queixo estar representado apenas pela presença de
um espaço entre a boca e o contorno inferior do rosto (48% dos casos).

14
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

Contudo,Deve existir linha que demarque o queixo do pescoço, para dar o caráter de projeção.
PF06.00.01- Queixo: representação de elite. O queixo está representado como espaço entre a boca e o contorno
inferior do rosto, que se mostra ovalado, mas sem exageros. Deve existir linha que demarque o queixo do
pescoço.
Idealmente este espaço representa cerca de 2/3 da região entre nariz e contorno inferior do rosto. Presente
em 20% dos casos. Logo, queixo ou espaço aparecem em 68% dos casos.
PF06.00.02- Testa representada. A testa é representada pelo espaço entre a sobrancelha e a inserção dos
cabelos. Pode estar coberta por franja de cabelo. Se a testa não estiver representada, cotar PF01.18. Se a testa
for excessiva, deve ter-se cotado PF01.15.
PF06.01- Queixo grande e/ou proeminente. Desenho do queixo com área muito grande e/ou bem pronunciado,
ou projetado para frente. Cota-se PF06.01 quando, além do espaço, o contorno inferior tem forma claramente
ovalada ou oblonga, ou quando há indicação de linha curva sob o lábio inferior a indicar uma clara e firme
projeção do queixo.
PF06.02- Queixo enfatizado na pessoa desenhada de perfil. No perfil, queixo proeminente, borrado, reforçado,
com mudança de linha ou qualquer outra característica de destaque.
PF06.03- Ausência de queixo. Cabeça sem área do queixo demarcada, ou com pequena abertura onde seria a
linha de contorno do queixo, ou, ainda, rosto saindo direto no pescoço, só com o contorno lateral, sem linha
de contorno inferior (32% dos casos). Frequente em menos escolarizados.
PF06.04- Queixo quadrado. A linha inferior do contorno do rosto é quadrada, e não ovalada.
PF07.- Orelhas. Órgãos do ouvido, situados de cada lado da cabeça.
PF07.00- Orelhas: PF07.02- Orelhas omitidas PF07.03- Orelhas enfatizadas
representação elite. e substituídas por
sombreado.

PF07.00- Orelhas: representação elite. Posicionadas simetricamente na mesma altura, uma de cada lado, o
tamanho indo do nível das sobrancelhas à ponta do nariz, sem detalhes ou reforços, e sem aparecer por
transparência sob os cabelos. Em mulheres, é normal o desenho de brincos. No perfil, o pavilhão da orelha
deve estar voltado para fora.
PF07.01- Orelhas omitidas. Ausência de orelhas; é normal a omissão de orelhas (53% dos sujeitos universitários
e 61% dos de supletivo omitiram as orelhas). Se uma orelha não aparecer pela posição, não cotar PF07.01
PF07.02- Orelhas omitidas e substituídas por sombreado. A representação das orelhas está ausente, mas há um
sombreado no lugar em que deveria haver a representação delas.
PF07.03- Orelhas enfatizadas. Ênfase pelo tamanho grande, ou reforço, ou colocação, ou forma rara, ou
colocação muito assimétrica das duas, ou excesso ou estranheza dos detalhes, ou aparecendo sob o cabelo,
em transparência, de modo que chamem a atenção imediata do observador. A ênfase pelo tamanho grande
apareceu somente em 7% dos universitários e não ocorreu no supletivo. Orelhas assimétricas ocorreram em
menos de 3% dos testes.
PF07.04- Orelha de asno. Orelha cuja forma faz lembrar orelha de asno, jumento ou burro.
PF08.- Cabelo. Conjunto dos pelos da parte superior da cabeça (CA).
PF08.00 - Cabelos: representação completa. Uma representação primitiva de cabelos supõe qualquer indicação
de pelo na cabeça. Uma representação completa supõe abranger mais que pelos, mais que simples contorno
da cabeça, melhor que simples garatujas, e sem transparência, havendo um modelo de penteado. Se a

15
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

representação estiver completa, assinalar PF08.00 e procurar nas categorias adiante o tipo do cabelo.
PF08.09/10/11/12/17 certamente excluem PF08.00.
PF08.00.01- Cabelo: representação modal. Não se observa representação modal para a forma dos cabelos. É
importante a especificação do modo e forma com que são desenhados.
PF08.01-Cabelo enfatizado. O cabelo é desenhado de forma a chamar a atenção imediata, pelo sombreado, ou
traçado, ou tamanho, ou modelo, etc.. Antes de usar esta cotação, como nas outras situações, tentar
especificar o tipo de ênfase dada aos cabelos.
PF08.02- Cabelo PF08.03- Cabelo PF08.04- Cabelo PF08.05- Cabelos PF08.06- Cabelo
com ênfase por escuro.por pressão c/ ênfase pelo longos e muito desordenado.
sombreado do traço tamanho rabiscados

PF08.02- Cabelo enfatizado pelo sombreado. Cabelo com sombreamento forte, e/ou borrado; ou sombreado
forte com pouca forma.
PF08.03- Cabelo escuro, devido à pressão do traço. Cabelo apertado e compacto, que fica escuro devido à pressão
ou proximidade dos traços.
PF08.04- Cabelo enfatizado pelo tamanho. Cabelos alongados (naturais ou para ornamento) ou cabelo muito
comprido.
PF08.05- Cabelos longos e muito rabiscados. Cabelos longos e com riscos em várias direções, do que resulta
impressão de confusão e de excesso de pontas.
PF08.06- Cabelo desordenado. Cabelo revolto, com fios sem direção, ou diferenças de pressão e traçado, que dá
impressão de desorganizado ou despenteado.
PF08.07- Cabelos chamativos, para adornar. Cabelos exuberantes; ou espessos, em cachos e dando impressão
de atuar como ornamento; ou ondulados, em cascata; ou "abundantes e desenvoltos"; ou "chamativos e que
adornam".
PF08.08- Cabelo espetado. Cabelos formados por pequenos fios de cabelo em direção ao alto. Não são simples
pelos, há um modelo de penteado espetado.
PF08.09- Cabelo omitido. Ausência de cabelo; a pessoa desenhada é feita careca. Cf. PF08.10
PF08.10- Cabelo ralo. Cabelo escasso, havendo uma indicação rápida de pelo na cabeça.
PF08.11- Cabelos destacados da cabeça, por mal enraizamento. Cabelos não enraizados, ou mal enraizados na
cabeça, de modo a haver distância entre pelo e couro cabeludo. Cabelos que não estão implantados.
PF08.12- Cabelos superpostos à cabeça. Cabelos não enraizados, por estarem superpostos artificialmente à
cabeça, que aparece sob os mesmos por transparência.
PF08.13- Cabelo tipo capacete ou boné. O cabelo tem contorno por uma só linha, sua área formando um desenho
que lembra boné. Traço muito raro.
PF08.07- Cabelos chamativos, para PF08.08- Cabelo espetado PF08.10- Cabelo ralo.
adornar

16
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF08.11- Cabelos PF08.12- PF08.13- Cabelo PF08.14- Cabelos em PF08.15- Cabelo


destacados por mal Cabelos tipo capacete ou penteado vazio de piaçava.
enraizamento superpostos à boné

cabeça
PF08.14- Cabelos em penteado vazio. Cabelos em que a forma deles é dada pela área delimitada pelo seu
contorno.
PF08.15- Cabelos de piaçava. Cabelos feitos em traços retos, que terminam em ponta, como os de vassoura de
piaçava.
PF08.16- Cabelo com franja.
PF08.17- Cabelo grudado em caracol. Cabelo formado pela sucessão de movimentos circulares, espiralados, que
se superpõem no contorno da cabeça como mola.
PF08.18- Cabelo em ponta de pincel. Cabelo em touca holandesa; cabelo com as pontas unidas, em curva, como
um pincel.
PF08.17- Cabelo em caracol PF08.18- PF08.19- Cabelos PF08.20- Cabelos PF08.21.02-
Cabelo em desenhados com muito acertados Cabelo em rabo;
ponta de pincel cuidado. Maria Chiquinha

PF08.22- Cabelo repartido PF08.19- Cabelos bem desenhados, com cuidado. Cabelos bem delineados, com
ao meio, desenhado por linhas bem-feitas, que dão impressão de cuidado.
homens PF08.20- Cabelos muito acertados. Cabelos bem desenhados em excesso, muito
bem desenhados. Muito raro.
PF08.21.01- Cabelo preso em tranças.
PF08.21.02- Cabelo preso em rabo de cavalo ou Maria Chiquinha. Cabelos
presos em um rabo único atrás ou em dois rabos laterais.
PF08.22- Cabelo repartido ao meio, desenhado por homens. Cabelo repartido ao
meio, havendo espaço entre as duas metades.
PF08.23- Cabelo coberto pelo chapéu. O cabelo não aparece, achando-se oculto por chapéu.
PF08.24- Cabelo em transparência sob o chapéu. Existe desenho de chapéu, mas o cabelo aparece, como se o
chapéu fosse transparente. Traço muito raro.
PF09.- Outros pelos do rosto, exceto cabelos. Outros pelos desenhados no rosto, como pestanas e
sobrancelhas e/ou barba, bigode, ou similares, na pessoa desenhada do próprio sexo do desenhista. Barba,
bigode, etc. na pessoa desenhada do sexo oposto são tratados no Quadro TD.
PF09.00- Sobrancelhas e pestanas presentes. Desenho evidente dos pelos que formam o complexo de proteção
dos olhos.
PF09.01- Sobrancelhas bem penteadas. Sobrancelhas desenhadas com cuidado, em traços finos, o que resulta
numa aparência de refinamento.
PF09.02- Sobrancelhas destacadas. Sobrancelhas enfatizadas por sombreamento, ou tamanho, ou confusão, de
modo a chamar atenção imediata para a área.
PF09.03- Sobrancelhas levantadas ou em ângulo. Sobrancelhas oblíquas, subindo lateralmente, e/ou formando
ângulo na porção distal.
PF09.04- Sobrancelhas peludas e grossas. Com abundância de pelos, ou compactas, ou unidas sobre o nariz.

17
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF09.01- Sobrancelhas PF09.02- Sobrancelhas PF09.03- Sobrancelhas PF09.04- Sobrancelhas


bem penteadas destacadas. levantadas ou em peludas e grossas.
ângulo.

PF09.05- Barba e/ou bigode na pessoa desenhada masculina. Desenho de pelos nas faces, queixo, ou abaixo do
nariz, presentes, mas não apenas esboçados e nem excessivos. Um bom método consiste em verificar, antes
de assinalar essa categoria, se alguma das especificações seguintes se aplica.
PF09.06- Barba apenas
PF09.06- Barba PF09.07- Barba e/ou bigode PF09.10- Pelos do rosto
delineada. Existiu a
apenas delineada enfatizados e cabelos
intenção de desenhar a
desordenados
barba, mas fica somente
um indício pouco evidente
da presença de barba.
PF09.07- Barba ou bigode
enfatizados. Desenho de
barba e/ou bigode com
sombreamento, ou
repasse, ou tamanho
grande, de modo que os
pelos do rosto ganham
realce.
PF09.08- Cavanhaque. Barbicha desenhada, ou linha extra no queixo, em forma de V, que o prolonga.
PF09.09-Costeletas. Barba na lateral da face, que fica como prolongamento do cabelo.
PF09.10- Pelos do rosto e cabelos desordenados. O desenho dos pelos do rosto e dos cabelos é feito com fios em
várias direções, o que acarreta impressão de desalinho.
PF10- Pescoço. Parte do corpo que é zona de ligação entre a cabeça e o resto do corpo (tronco e membros).
Em geral recebe pouca atenção.
PF10.00- Pescoço: representação modal. Pescoço com comprimento de cerca de 1/4 da altura da cabeça - e não
reforçado por traçado, não contraído, não aberto. Pelas regras estéticas o pescoço é um pouco mais estreito
que o rosto; mas, nas amostras pesquisadas, a largura do pescoço foi de 30 a 40% da largura da cabeça, o que
indica necessidade de cautela ao cotar um pescoço como “pescoço fino”. A altura do pescoço foi de cerca de
1/4 da altura da cabeça, de acordo com o ideal.
PF10.01- Pescoço com separação. Separação no pescoço por espaço em branco ou por linha horizontal específica
2

e fora de lugar, que os sujeitos não sabem explicar, ou por colar ou gargantilha, ou por joias e atrativos
supérfluos ou extravagantes, que separam o pescoço do corpo, ou da cabeça.
PF10.02- Pescoço omitido. Desenho em que a cabeça está unida diretamente ao corpo, sem zona de ligação.
PF10.03- Pescoço comprido e/ou fino em excesso. Pescoço alongado e/ou fino em excesso, criando-se distância
ou pobreza de ligação entre cabeça e corpo. Obs: também denominado "pescoço de girafa ou avestruz",
"pescoço em linha ou em linha dupla", "pescoço excessivamente comprido".
PF10.01- Pescoço com PF10.02- Pesc. PF10.03- Pescoço PF10.04- Pescoço PF10.05-Pescoço
separação. omitido comprido e/ou fino curto e grosso reforçado por gola

18
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF10.04- Pescoço curto e grosso. Desenho em que, embora haja zona de pescoço, ela é muito pequena e sua
lateral é prolongamento, ou mais larga que a cabeça.
PF10.05- Pescoço reforçado pela gola, ou linha que a represente. O pescoço chama a atenção do observador pela
forma, repasse, sombreado ou traçado especial da gola ou do colarinho. É relativamente frequente (30%).
PF10.06- Pescoço com borrões frequentes. Pescoço com rasuras, ou sombreamento, ou uso de borracha
excessivo, que resulta em impressão de sujo ou borrado.
PF10.07- Pescoço com linha enfatizada ou em negrito. Desenho em que há mudança, escurecimento, reforço ou
borrões nas linhas laterais do pescoço, de modo que chame a atenção imediata do observador.
PF10.08- Pescoço fechado. Pescoço em que há linha de fechamento tanto na junção da cabeça com o pescoço,
quanto na união com o corpo, sem que seja desenho de decote ou roupa.
PF10.09- Pescoço apenas sugerido em contraste com pessoa desenhada bem delineada. O desenho do pescoço
está pouco definido (linhas mais fracas, ou desvanecidas) em comparação com o restante do desenho.
PF10.06- Pescoço com PF10.07- Pescoço PF10.08- Pescoço PF10.09- Pescoço sugerido em
borrões frequentes com linha enfatizada fechado contraste com pessoa
ou negrito desenhada bem delineada

PF10.10- Pescoço com pomo-de-adão enfatizado. Desenho da protuberância no centro da zona do pescoço,
popularmente chamada de gogó, que chama a atenção do avaliador.
PF11.- Região do tronco. Parte mais grossa do corpo que engloba frontalmente o peito, a cintura, e o
abdome; lateralmente, os quadris e posteriormente, as costas, cintura e nádegas. Diz-se região do tronco
porque, em geral, está coberta pelo desenho de roupa. A ordem de apresentação das informações nesta
seção é: representação modal, variações de tamanho e largura; variações de traçado; variações de forma;
detalhamento no tronco.
PF11.00- Tronco: representação modal. Desenho do tronco com comprimento maior do que largura, divisão clara
ou sugerida de tórax e abdome por cintura, e tamanho proporcional ao restante do desenho (idealmente, ±
36% da altura total). Ainda idealmente, as distâncias do queixo ao mamilo, do mamilo à cintura, e da cintura
ao púbis dividem o tronco em três terços. Nas amostras pesquisadas, o tamanho do tronco variou de 23 a
33% da altura total da pessoa desenhada. Obs.: as diferenças esperadas entre o desenho do tronco na pessoa
desenhada masculina e feminina estão no Quadro TD: tratamento diferencial entre as pessoas desenhadas.
PF11.01- Tronco omitido. Desenho de duas linhas paralelas que vão da cabeça aos pés, sem que o tronco seja
parte identificável da pessoa desenhada.
PF11.02- Tronco muito grande. Tronco com desproporção, em relação a braços e pernas e/ou cabeça.
PF11.03- Tronco fino, ou com contorno indefinido ou duplo. Tronco longo e estreito, que dá a impressão de
excessiva magreza. Deve-se distinguir se o desenho do tronco é fino, ou se a desproporção é do desenho da
cabeça. Para isso, avaliar o conjunto do desenho, comparando com braços e pernas. Nesta categoria entram
também desenhos em que há duas ou mais linhas de delineamento, de modo que não se identifica bem o
limite lateral do tronco, não se podendo definir o quanto a pessoa desenhada é magra.
PF11.04- Tronco com tórax pequeno. Tronco em que o peito é pequeno no comprimento.
PF11.05- Tronco não fechado na parte inferior. Tronco apresentando parte central inferior aberta, ou "com
lacunas" no tronco; ou "resistência em fechar a parte inferior do tronco"; ou "tronco mal fechado" ou tronco
com entrepernas aberta.
PF11.06- Tronco sombreado ou com rasuras. Tronco com sombreamento ou com correções, ou borrões por mau
uso de borracha.
PF11.07- Tronco com zona inferior em linhas mais suaves, tênues ou leves. Tronco em que a zona inferior, abaixo
da cintura, está com visível mudança de traçado, mostrando-se mais leve, mais esfumaçada, mais tênue ou
suave.

19
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF11.08- Tronco anguloso. Tronco não estritamente geométrico, mas cuja forma virtual lembra um quadrado,
ou retângulo, ou triângulo ou trapézio invertido, havendo sempre a presença de ângulos (comparar com duas
cotações seguintes), o que resulta em impressão de maior presença de linhas retas, mas sem dar impressão
de infantilidade de desenho.
PF11.01- Tronco PF11.02- Tronco muito PF11.03- Tronco fino, PF11.04- Tronco com tórax
omitido grande ou indefinido/duplo pequeno

PF11.05- Tronco não PF11.06- Tronco PF11.07- Tronco com PF11.08- Tronco
fechado na parte inferior sombreado/ rasurado zona inferior suave/ anguloso
tênue/leve

PF11.09- Tronco geométrico. Tronco cuja forma é uma caixa quadrada, retângulo, trapézio ou triângulo, havendo
presença de ângulos, e dando impressão de mais linhas retas e de infantilidade de desenho. (Ver ilustrações
na página seguinte).
PF11.10- Tronco arredondado. Tronco com linhas arredondadas e suaves, que lembra círculos superpostos ou
próximos, ou no qual as linhas de contorno não têm ângulos (comparar com PF11.14).
PF11.09- Tronco PF11.10- Tronco PF11.11-(A) Tronco PF11.11- (B) Tronco
geométrico arredondado enfatizado por músculos enfatizado por músculos

PF11.11- Tronco enfatizado ou destacado por músculos, ou com musculatura desenhada. A) Tórax com ênfase
através de musculosidade sugerida, ou de ombros largos; tórax destacado, de modo que chame a atenção
imediata do observador. O tórax é que recebe o destaque, não somente os músculos, o que resulta em
impressão de forte. B) Tronco com traços ou sombreado indicando presença de músculos. Os músculos estão
claramente desenhados, de modo que chamem a atenção imediata do observador, esteja ou não o tronco
destacado em relação ao resto. Dá impressão de ênfase no muscular.
20
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF11.15- Tronco malformado PF11.12- Tronco com pelos. Tronco recoberto de pelos, com
pelos claramente desenhados.
PF11.13- Tronco com abdome volumoso.
PF11.14- Tronco com círculos grandes na metade inferior.
Evidente. Os círculos transmitem a impressão de buracos.
PF11.15- Tronco malformado. Desenho em que o tronco se
apresenta muito malformado, com desproporções muito
grosseiras, forma muito longe da normal ou muito
indefinida.
PF12.- Região do peito. Parte do tronco onde ficam as mamas na mulher e músculos peitorais e mamilos,
no homem. Estas cotações referem-se à pessoa desenhada do próprio sexo. Para desenhos feitos por
mulheres, olham-se as categorias PF12.00.01, PF12.01/02/03 e para desenhos feitos por homens, as
categorias PF12.00.02, PF12.04 e PF12.05.
PF12.00.01- Região do peito: representação modal em desenhos feitos por mulheres. O mais comum (90%) é a
omissão do desenho de seios, a pessoa feminina sendo desenhada "reta", ou seios sugeridos por uma leve
linha curva.
PF12.00.02- Região do peito: representação modal em desenho feitos por homens. O mais comum (mais de 90%)
é não haver representação de musculatura peitoral e nem dos mamilos, estando a pessoa desenhada "reta",
vestida, sem transparências.
PF12.01- Seios grandes PF12.02- Seios enfatizados... PF 12.03- Seios caídos, como os de mulher idosa

PF12.04- Seios na pessoa desenhada PF12.05- Variantes dos seios: PF12.01- Seios grandes na pessoa
masculina bolsinhos/ou acentuação desenhada feminina, desenhados
muscular por mulheres. Desenho de seios
fartos ou proeminentes, feitos por
desenhista mulher.
PF12.02- Seios enfatizados,
desenhados por mulheres. Seios
enfatizados pelo sombreamento,
ou acentuação do mamilo, ou
confusão, de modo que chamem a
atenção imediata do observador.
PF 12.03- Seios caídos, como os de
mulher idosa.
PF12.04- Seios na pessoa desenhada masculina. Desenho de seios na pessoa desenhada masculina,
intencionalmente; ou sob qualquer pretexto, bastante identificáveis como tal. Use juiz.
PF12.05- Variantes dos seios: bolsinhos ou acentuação muscular. Desenho de dois bolsinhos, um de cada lado,
no local dos seios. Ou reforço do contorno externo dos seios, de modo que a impressão resultante é mais de
seios do que de musculatura. Use juiz.
PF13.- Cintura e umbigo. A cintura é a linha que divide o tronco em metade superior e inferior. Ver
orientações de aplicação para ter a linha de cintura corretamente indicada. O umbigo é a cicatriz umbilical,
situada pouco abaixo da linha de cintura.
PF13.00- Cintura: representação modal. Aparece um traço, ou cinto simples, ou faixa, ou, ainda, cintura indicada
por adelgaçamento.
PF13.01- Cintura muito apertada. Cintura excessivamente ajustada, parecendo espartilho; cintura de "vespa".
Traço raro.

21
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF13.00- Cintura: PF13.01- Cintura muito PF13.02- Cintura por traço PF13.03- Cintura com
representação modal apertada sombreado/ reforçado/ cinto ou faixa
interrompido

PF13.02- Cintura marcada por traço sombreado, reforçado ou interrompido. O traço ouelaborado(a)
cós que marca a presença
de cintura está repassado, com sombreamento, ou, ainda, feito por vários traços pequenos, que resulta em
ênfase, ou em impressão de suja ou borrada.
PF13.03- Cintura com cinto ou faixa muito bem elaborado (a). Cintura marcada por cinto com fivela, enfatizado,
ou muito bem elaborado, detalhado, ou faixa com feitio, que resulta em cintura trabalhada.
PF13.05- Cintura com cinto PF13.06- Indicação do PF13.07- Indicação de PF13.08- Umbigo enfatizado
fechado por botão redondo umbigo umbigo em pessoa em pessoa desenhada nua

desenhadaou
PF13.04- Cintura não representada. Não há traço, adelgaçamento vestida
qualquer sugestão gráfica de cintura.
PF13.05- Cintura com cinto fechado por botão redondo. Cintura em que há cinto desenhado, mas o fechamento
deste é feito por botão central, grande, no lugar da fivela.
PF13.06- Indicação do umbigo. Umbigo desenhado quando a zona do umbigo está desnuda, devendo então
receber tratamento gráfico como o do restante da pessoa desenhada.
PF13.07- Indicação de umbigo em pessoa desenhada vestida. O umbigo aparece, mesmo com a roupa.
PF13.08- Umbigo enfatizado em pessoa desenhada nua. Umbigo enfatizado pelo tamanho grande,
deslocamento, forma diferente, ou sombreamento.
PF13.09- Umbigo não desenhado em pessoa desenhada nua. A pessoa desenhada está nua, tem o desenho
normal de pessoa desenhada nua, mas não tem umbigo representado.
PF14.- Quadris (cadeiras) e nádegas. Na parte inferior do tronco, os quadris são a zona lateral e as
nádegas são a região posterior.
PF14.00- Quadris e nádegas: representação modal. Os quadris são mais estreitos que o peito e mais retos na
pessoa desenhada masculina (V. 1ª) e mais redondos e maiores que o peito na pessoa desenhada feminina
(V. 2ª). As nádegas em geral não aparecem (é raro o desenho da pessoa desenhada de costas).
PF14.02- Quadris e/ou PF14.01- Quadris destacados na pessoa desenhada feminina, desenhados por
nádegas enfatizados na figura mulheres. Quadris enfatizados pelo tamanho, sombreamento, exagero de
masculina, desenhados por alguma forma, ou traço especial, de modo que chamem a atenção imediata
homens do observador.
PF14.02- Quadris e/ou nádegas enfatizados na pessoa desenhada masculina,
desenhados por homens. Quadris, ou nádegas, desenhados com atenção
especial, ou reforçados pelo traço, ou sombreados, ou grandes, ou
arredondados, ou aumentados no perfil, ou com traços confusos ou
interrupções, ou desmanchados, ou com perspectiva torcida, ou aparecendo
por transparência sob a roupa.
PF14.03- Zona dos quadris ausente. A zona que seria a dos quadris é
inexistente. Pernas ou calças saem diretamente da linha de cintura. Essa
cotação acarreta ideia de área genital ausente, ou de não haver espaço para
a área genital.

22
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PFl4.04- Indicação de cóccix saliente no perfil, feito por homens. Desenho do cóccix no perfil, que dá impressão
de rabinho. Muito raro.
PF14.05- Indicação de ânus em pessoa desenhada de costas. Desenho do ânus por sombreamento. Muito raro.
PF14.00- Quadris e nádegas: PF14.01- Quadris PF14.03- Zona dos quadris ausente
representação modal destacados em pessoa
desenhada feminina, Cinto
desenhados por mulheres

Pernas
Pernas

1ª 2ª
PF15.03- Genitais enfatizados em figuras PF15.06- Área genital enfatizada PF15.05- Genitais
desnudas em figura vestida ausentes, ou com
Linhas do tronco tratamento muito
pobre em figuras
desnudas
genitais

PF15.- Área genital e genitais. São considerados genitais a representação explícita do pênis e testículos
na pessoa desenhada masculina nua, e área com pelos pubianos, ou sugestão de fenda vertical, na pessoa
desenhada desnuda feminina. A área genital é a área da entreperna da pessoa desenhada, inclusive na pessoa
desenhada vestida, onde se situam os genitais.
PF15.01- Desenho de pessoas desenhadas desnudas ou seminuas. Desenho de pessoas desenhadas desnudas,
sem roupas, mas desenhadas como tais (não somente pessoas desenhadas sem roupa por estarem vazias).
O desenho dos genitais aparece nos desenhos de nus, que são incomuns na situação social de desenho (3%).
Nos nus, o normal é que apresentem tratamento similar ao do restante da pessoa humana desenhada - nem
omissão, nem destaque. Em artistas, o desenho de nus é tido como frequente. Se as pessoas desenhadas
estiverem desnudas, cotar esta categoria e outras que se adaptem.
PF15.02- Desenho de pessoas desenhadas nuas com chapéu. Desenho em que a única roupa é o chapéu.
PF15.03- Genitais enfatizados em pessoas desenhadas desnudas. Ênfase dada por detalhamento dos órgãos
sexuais, isto é: há representação clara de pênis e/ou testículos; ou representação clara da vagina na pessoa
desenhada feminina por detalhamento, repasse, ou sombreamento; ou, ainda, a área de pelos pubianos está
repassada, de modo que a atenção se dirige a esta área imediatamente.
PF15.04- Genitais enfatizados, com grandes partes corrigidas. Desenho dos genitais enfatizado, mas por rasuras
múltiplas, ou forte uso de borracha.
PF15.05- Genitais ausentes, ou com tratamento muito pobre, em pessoas desenhadas desnudas. A pessoa
desenhada está claramente definida como desnuda, mas faltam os genitais, ou, ainda, estes estão
desmanchados completamente, ou cortados.

23
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF15.06- Área genital enfatizada em pessoa desenhada vestida. A área genital recebe tratamento que leva o
observador a atentar para a área, como: sombreamento leve; linhas que assemelham pregas ou amassado,
mas que resultam em realce para a área; detalhes de feitio, como desenhos, flores, estampados que se
restringem à área genital ou que a privilegiam.
PF15.04- Genitais PF15.07- Área genital PF15.08- Genitais PF15.07- Área genital
enfatizados com grandes diminuída aparecendo por diminuída. A distância
partes corrigidas transparência da cintura-púbis ocupa um
roupa espaço muito pequeno,
aparentando pessoa
desenhada que não tem
"espaço" para genitália.
Confronte com PF14.03

PF15.08- Genitais aparecendo por transparência da roupa. Na pessoa desenhada vestida, veem-se os genitais,
que aparecem sob a roupa, por transparência da mesma. Inclui representação de camisola transparente.
PF16.- Indicações anatômicas. Referem-se a linhas, sombreados, ou formas que indicam músculos,
órgãos e curvas do corpo. As indicações que são visíveis são pouco comuns (5%), mas normais. As indicações de
órgãos internos por transparência são indicadores de dificuldades graves. Indicações simbólicas de órgãos
internos são também raras.
PF16.01- Acentuação PF16.02- Acentuação PF16.03- Insinuação PF16.01- Acentuação anatômica
anatômica ligeira anatômica forte da presença de ligeira. Alguma indicação de
costelas anatomia, dada por poucos
traços, tal como uma leve
indicação de músculos.
PF16.02- Acentuação anatômica
forte. Detalhamento, através de
traços cuidados, dos altos e
baixos da anatomia externa do
corpo.
PF16.03- Insinuação da
presença de costelas. Desenhos
de linhas incompletas no peito que indicam a existência de costelas.
PF16.04- Costelas desenhadas em seus detalhes anatômicos. Desenho das costelas que aparecem no desenho
por transparência.
PF16.05- Marcada indicação de músculos. Ênfase na musculatura dos braços, pernas e tórax, dando impressão:
a) de corpo de ginasta bem trabalhado; b) de força muscular. Assinalar se se trata de (a) ou de (b).
PF16.06- Indicações de órgãos internos. Desenho de órgãos internos, que aparecem por transparência sob a pele.
Anotar o órgão interno desenhado; na literatura, encontrou-se registro de: a) coração desenhado; b) órgãos
feridos ou defeituosos desenhados; c) intestinos desenhados; d) estômago e vísceras; e) sangue desenhado;
f) tumor desenhado; g) ossos desenhados. Se a PSJ tiver feito outro órgão qualquer, perguntar, durante o
diálogo depois da tarefa, e inferir o significado. Pergunte o necessário para compreensão. Anotar se o sujeito
desenhou a coisa concreta, ou se teve intenção de simbolizar algo.
PF16.07- Indicação de saliência, não explicável, em qualquer ponto da anatomia. Desenho de protuberância não
esperada em qualquer ponto da anatomia, que não foi feita intencionalmente, e que o sujeito não sabe
“explicar” no diálogo pós-tarefa. Registrar a zona corporal onde ocorreu a representação da saliência.
PF17.- Ombros. Zona adjacente ao pescoço e de inserção dos braços no tronco. A ordem de apresentação
das informações nesta seção é: representação modal; variações de tamanho; de traçado e de forma.
PF17.00- Ombros: representação completa. Desenho dos ombros como prolongamento da linha de pescoço, sem
transições bruscas, com largura correspondendo à largura do tronco mais a largura do braço. Em relação aos
quadris: mais largos que os quadris na pessoa desenhada masculina e mais estreito ou do mesmo tamanho
que os quadris na feminina. Obs.: esta categoria mostrou-se modal somente nos sujeitos universitários.
PF17.01- Ombros pequenos ou delgados. Ombros arredondados, com largura menor que o tronco, e que
resultam em impressão de fragilidade ou delicadeza.

24
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF17.01- Ombros PF17.04- Ombros grandes e largos na PF17.06- Ombros enfatizados.


pequenos ou pessoa desenhada feminina, desenhados
delgados por mulher

PF17.07- Ombros geométricos

PF17.02- Ombros pequenos desmanchados e consertados como ombros grandes. Os ombros são primeiro feitos
como em PF17.01, e são depois refeitos como ombros grandes (V. execução ou marca deixada na folha.)
PF17.08- Ombros PF17.03- Ombros grandes e largos, feitos por homens, na pessoa desenhada
arredondados, desenhados masculina. Ombros desenhados exagerados, poderosos, bem marcados.
por homens na pessoa PF17.04- Ombros grandes e largos desenhados por mulher, na pessoa desenhada
desenhada masculina feminina. Ombros desenhados exagerados, muito marcados, "ombros poderosos".
Obs.: Frequentes em universitárias.
PF17.05- Ombros ausentes. Os braços saem diretamente dos lados do tronco ou
pescoço.
PF17.06–Ombros enfatizados. Ombros enfatizados através de sombreado,
borrões, reforços, indecisões, de modo que chamem a atenção imediata do
observador. Frequente.
PF17.07- Ombros geométricos. Ombros desenhados em linha reta, ou quadrados
PF17.08- Ombros arredondados, na pessoa desenhada masculina, desenhados por homens. Ombros cujas linhas
apresentam curvatura suave, ou que são descendentes e curvos, dando impressão de delicadeza.
PF18.- Braços. Os membros são apêndices constituídos por segmentos articulados que são usados para os
movimentos (CA; E). Os braços são os membros superiores ligados ao tronco pelos ombros, incluindo
antebraço, braço e mão com dedos, cuja função engloba movimentos de contato instrumental e/ou
expressivo com objetos e pessoas (CA; E). Para fins de identificação e codificação de traços, o desenho de
mãos e de dedos é tratado à parte.
PF18.00- Braços: representação completa e modal. Braços desenhados com largura menor do que o tronco,
proporcionais ao tronco, sem grandes desproporções de um braço para o outro braço, no tamanho ou na
largura, e desenhados como prolongamento natural dos ombros. A medida ideal ombros-ponta dos dedos
representa 42% da altura total do corpo e corresponde visualmente à altura da metade ou do terço inferior
da coxa. Nas amostras observadas, houve dificuldade de medir o tamanho dos braços por causa das
diferenças de inserção; mas, visualmente, é frequente que a ponta dos dedos fique ao nível dos quadris ou
entre a cintura e os quadris (Mais curtos do que o ideal.). É normal não haver representação da articulação
braço-antebraço.
PF18.01- Braços omitidos total ou parcialmente. Braços ausentes, a que falta parte representada, ou amputados.
Não inclui mãos para trás, ou escondidas nos bolsos. Traço muito raro.
PF18.02- Braços PF18.05- Braços fortes, ou PF18.02- Braços pequenos e/ou muito finos. Braços
pequenos e/ou muito largos curtos, que terminam acima da cintura, ou na altura da
finos cintura; e/ou em uma só linha; ou muito finos, apenas
com sua estrutura indicada, ou, ainda, que são
visivelmente frágeis.
PF18.03- Braços longos e fracos. Braços compridos
(PF18.06), mas finos, que dão impressão de fragilidade.
PF18.04- Braços em direção ao corpo. Braços voltados em
direção ao corpo, em direção centrípeta; “braços para
dentro”. O desenho seguinte, referente a PF18.05,
acumula também esta cotação.
PF18.05- Braços fortes, ou largos. Braços que dão
impressão de força, ou cuja largura é visivelmente desproporcional.

25
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF18.06- Braços compridos. Braços longos, muito grandes, que vão até à altura do joelho ou mais. Raro.
PF18.07- Braços em negrito ou sombreados. Braços com linhas escurecidas, repassadas, ou com borrões, o resto
do corpo mais tênue, leve.
PF18.08- Braços abertos. Braços afastados do corpo, dirigidos para fora, com os polegares para cima, estendidos
para o ambiente sem estarem muito elevados, dando impressão de pedir abraço. Não é raro.
18.07- Braços em negrito ou PF18.08- Braços abertos PF18.09- Braço mecânico na
sombreados horizontal

PF18.14- Braços PF18.15- Braços junto ao PF18.16- Braços cruzados PF18.17- Braços
pregados ao corpo corpo em movimento estendidos para a
frente do corpo

PF18.09- Braço mecânico, na horizontal. Braços duros estendidos na horizontal, em ângulo reto com a linha do
corpo. Muito raro.
PF18.10- Braços para trás. Braços voltados para trás, desde pouco abaixo dos ombros, de modo que apenas
aparece pequena porção da musculatura próxima do ombro, estando o resto oculto nas costas.
PF18.11- Um braço para cima e outro para baixo.
PF18.12- Um braço para a frente e outro para trás. Um braço visível e outro nas costas, ocultado pelo corpo.
Anotar letra A, se o braço visível for o direito; e letra B, se o visível for o esquerdo.
PF18.13- Braços para cima, rígidos. Braços duros e elevados acima da cabeça. Muito raro.
PF18.14- Braços pregados ao corpo. Braços pendentes e colados ao longo do corpo; braços "apertados" ou
"grudados ao corpo".
PF18.15- Braços junto ao corpo, mas em movimento. Braços junto ao corpo, cujos movimentos dão a impressão
de caminhar
PF18.16- Braços cruzados. Braços desenhados de modo a fazer um x à frente do peito, ou cruzados à frente do
corpo.
PF18.17- Braços estendidos para a frente do corpo. Braços estendidos para a frente do corpo dando a impressão
de pedir assistência (L.).
PF18.18- Braços em posição de defesa pélvica. Braços cruzados em x na pelve, protegendo-a de qualquer forma.
PF18.19- Braços duros. Braços rígidos, duros, que descem obliquamente dos ombros em linha reta; ou que vão
horizontais até certa distância do corpo e então se dobram, em ângulo reto ou quase reto, dando por isso a
impressão de estarem com os movimentos bloqueados, ou postura forçada, sem mobilidade. Aconselha-se
que o analista coloque os próprios braços na posição desenhada, para sentir se a posição está "dura".
PF18.20- Braços em forma de pênis, sem mãos. Braços cuja forma lembra o órgão masculino e em que não
existem mãos desenhadas.
PF18.21- Braços que se assemelham a asas. Braços muito largos, que terminam em algo semelhante a penas.
Traço muito raro. (Há um exemplo no Texto 9, sobre “Como as dificuldades psicológicas aparecem no
Desenho da Figura Humana”.)

26
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF18.18- Braços em posição de defesa PF18.19- Braços duros PF18.20- Braços em forma de pênis,
pélvica. sem mãos

PF 18.23- Braços em ponta de PF18.22- Braços com pelos.


lança PF 18.23- Braços em ponta de lança. Braços que afinam abruptamente,
sem indicação de mãos ou dedos.
PF19.- Mãos. Extremidade dos membros anteriores do corpo humano
que vai desde o pulso até a ponta dos dedos e que tem como funções a
preensão e o exercício do tato (CA).
PF19.00- Mãos: representação completa. Mãos como prolongamento
natural dos braços, com representação da região da palma e de cinco
dedos, mais longos que largos, e com o polegar representado, mas não
enfatizado. É modal que as mãos sejam representadas pequenas em
relação ao braço, ou com pequena região da palma. Dificuldades ao desenhar mãos e pés são normais. Leia
as outras categorias, para, depois, cotar PF19.00.
PF19.02- Mãos muito grandes PF19.01- Mãos omitidas. Mãos ausentes, amputadas, não representadas. Não
inclui mãos nas costas ou nos bolsos.
PF19.02- Mãos muito grandes. Mãos exageradas em relação ao desenho ou a
outras partes do corpo. A mão ao lado, que está em tamanho natural, seria
adequada a uma pessoa desenhada de 41 cm, muito maior que a folha padrão.
PF19.03- Mãos em palitos. As mãos são F19.03- Mãos em palitos
representadas com dedos em traços únicos,
como se fossem palitos.
PF19.04- Mãos muito diminuídas. Mãos
excessivamente pequenas em relação às
demais partes do corpo representadas.
PF19.05- Mãos imprecisas. Mãos mal desenhadas e com dedos desenhados
sem definição, parecendo espremidos.
PF19.06- Mãos sombreadas. Mãos borradas, ou sombreadas de forma
intencional, mas excessiva, ou, ainda, os dedos com linhas repassadas ou com jogo de luz e sombra.
PF19.07- Mãos em perfil. Na pessoa desenhada de frente, as mãos acompanham a posição do braço e se
apresentam com os dedos na correta perspectiva lateral.
PF19.08- Mãos para trás ou nas costas. Desenho em que só aparecem o braço e antebraço, as mãos estando
escondidas pelo tronco ou vestimenta. É frequente. Não cote se já tiver cotado "PF18.10 - braços para trás".
PF19.09- Mãos nos bolsos. Desenho em que as mãos não aparecem por estarem dentro de bolsos da saia ou
calça, estejam fazendo volume ou não.
PF19.10- Mãos realçando a região genital. Mãos cruzadas na região genital, ou braços que no movimento de
andar ficam sobre a região genital ou mãos sobre o colo que apontam para a área genital, ou mãos cujo
traçado se desvanece ou interrompe exatamente na área genital.
PF19.11- Mãos que se agitam para fora. Mãos que dão impressão de movimento na direção das margens da
folha.
PF19.12- Mãos fechadas. O desenho apresenta o punho com os dedos voltados para dentro, de modo que os
dedos não ficam visíveis. Assinale A se a mão estiver empunhada e der impressão de tensão (punhos

27
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

cerrados) e assinale B se a mão empunhada estiver voltada para a zona interior ao corpo da pessoa humana
desenhada.
PF19.04- Mãos muito diminuídas PF19.05- Mãos PF19.06- Mãos PF19.07- Mãos em perfil.
imprecisas. sombreadas.

PF19.10- Mãos realçando PF19.11- Mãos que se PF19.12- Mãos fechadas PF19.14- Mãos abertas
a região genital. agitam para fora.

PF19.13- Mãos e punhos enfatizados. Punho (mão fechada) que chama a atenção pelo tamanho, sombreamento,
ou traço especial.
PF19.14- Mãos abertas A pessoa desenhada está com as mãos abertas, a palma voltada para frente, o polegar
ficando, portanto, voltado para cima. Traço frequente.
PF19.15- Mãos zoomórficas. Mãos com aspecto de membro anterior de animal. Muito raro.
PF19.15- Mãos PF19.16- Mãos em PF19.17- Mãos em forma PF19.18- Mãos envolvidas por
zoomórficas. bolacha. de pênis. uma linha.

PF19.16- Mãos em bolacha. Mãos desenhadas como um círculo adicionado à extremidade do braço, sem dedos.
PF19.17- Mãos em forma de pênis. Mãos pontiagudas, sem dedos, embora distintas do braço. Traço raro.
PF19.18- Mãos envolvidas por uma linha. Mãos em luvas, com os dedos contornados por linha, que os encerra
como luva. Traço raro.
PF20.- Dedos das mãos. Prolongamentos distintos (polegar, indicador, médio, anular e mínimo) e
articulados, que terminam a mão humana, e que têm por função os movimentos delicados e tato fino,
instrumentais, de contato ou expressivos (CA; E).
PF20.00- Dedos: representação completa. Em número de cinco, distintos, pouco menores ou do tamanho da
palma das mãos, mais longos que largos e desenhados como parte da mão. É normal não indicar articulações
dos dedos (falanges) e unhas. Exclui cotações PF20. 02/03/04/07/08/09/11/12/15.
PF20.01- Dedos anormalmente compridos. Os dedos são muito longos, bem mais compridos que a medida da
palma da mão ao pulso.
PF20.02- Dedos grossos e curtos. Os dedos são muito menores que a palma da mão, ou sugeridos na extremidade
dos braços.
PF20.03- Amputação de um dedo ou mais. Omissão de um ou mais dedos ao desenhar (Lit.).
PF20.04- Mais de cinco dedos.

28
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF20.01- Dedos PF20.02- Dedos PF20.04- Mais de PF20.05- Dedos PF20.06- Dedos muito
compridos grossos e curtos cinco dedos retocados detalhados.

PF20.05- Dedos retocados ou apagados. Dedos com rasuras, ou com sinais de terem sido desmanchados. Não
exclui PF20.00.
PF20.06- Dedos muito detalhados. Não exclui PF20.13. Dedos apresentam articulações das falanges e desenho
das unhas, se visíveis.
PF20.07- Dedo polegar ou PF20.08- Dedos em PF20.09- Dedos PF20.07- Dedo polegar ou
indicador com traçado especial pétala de flor. deformados ou rígidos. indicador com traçado
especial. Dedo polegar ou
indicador maior que os
outros, ou retocado, ou
apagado, ou em negrito, ou
com traçado rígido, ou
muito menor que os
outros, parecendo ter
sofrido mutilação.
PF20.08- Dedos em pétala
de flor. Desenho em que a
mão toma aspecto de flor, os dedos sendo pequenos e arredondados.
PF20.09- Dedos deformados ou rígidos. Os dedos são desenhados duros ou disformes.
PF20.10- Dedos entrelaçados. Os dedos da mão esquerda se entrelaçam aos da direita.
PF20.11- Dedos em forma de lança, garra, ou ferramenta mecânica. Dedos finos e pontiagudos; ou grandes e
curvos como garras; ou feitos em linhas retas e articulados como ferramentas mecânicas ou dedos de robôs,
parecendo dedos não humanos.
PF20.12- Dedos em forma de lança, mas encerrados por linha. Dedos finos e pontiagudos que são contornados
por linha.
PF20.13- Dedos com unhas detalhadas. Dedos com desenho das unhas bem detalhado.
PF20.10- Dedos entrelaçados. PF20.11- Dedos em forma de lança, PF20.14- Dedos com unhas
garra, ou ferramenta mecânica. alongadas na pessoa
desenhada masculina,
desenhado p/ homens.
Unhas grandes, na pessoa
desenhada masculina, o
desenhista sendo homem.
PF20.15- Dedos mal
implantados. Dedos que
estão desligados da palma
das mãos, ou se afinam tanto na junção com a palma das mãos, que parecem estar separados.
PF20.12- Dedos em forma PF20.13- Dedos com PF20.14- Dedos com unhas PF20.15- Dedos mal
de lança, encerrados por unhas detalhada alongadas (...) homens implantados
linha.

29
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF21.- Pernas. Os membros são os apêndices constituídos por segmentos articulados e que servem para o
exercício dos movimentos (CA;E). As pernas são os membros inferiores, locomotores, do corpo humano (CA).
PF21.00- Pernas: representação completa e modal. Pernas desenhadas em tamanho proporcional ao resto do
corpo. (Na proporção ideal, o púbis, que é a região imediatamente acima da entreperna, corresponde à
metade da altura da pessoa desenhada; outra referência é que a distância do quadril ao tornozelo
corresponde à metade da altura da pessoa desenhada.) As pernas são desenhadas mais longas que largas, e
inseridas na parte inferior do tronco, sem desvios de sua linha lateral. É normal não haver distinção entre
coxa, joelho, pernas e tornozelo. É difícil estabelecer medida para o tamanho das pernas, por causa do
desenho de saias na pessoa desenhada feminina, e por causa da determinação da linha de quadris em ambas
as pessoas desenhadas. Aconselha-se a estudar as outras cotações possíveis, antes de usar esta.
PF21.01- Ausência de pernas. Pernas omitidas. Traço muito raro. Não inclui pernas ocultas em trajes longos, nem
ocultas atrás de móveis ou anteparos.
PF21.02- Pernas muito mal desenhadas, ou com problemas de desenho. Pernas tolhidas, ou difusas, ou
incompletas, ou cortadas na zona dos pés (Lit.). (Ver ilustrações adiante.)
PF21.03- Pernas em palitos, ou esquematizadas. Pernas em que somente uma linha é representada, ou que se
apresentam mutiladas. Raro em amostras normais.
PF21.02- Pernas muito mal desenhadas, ou com problemas de PF21.04- Pernas incompletas ou ausentes
desenho por não caberem no papel. O desenho da
pessoa desenhada é tão grande, que não há
espaço suficiente para o desenho da perna
na sua totalidade.
PF21.05- Pernas de tamanho diferente entre
si. Uma perna longa e outra curta, mas que
não chega a conferir aspecto de forte
desproporção ao conjunto. Caso esteja
muito desproporcional, é falha na estrutura
do desenho (seção ES).
PF21.06- Pernas longas e grossas. Pernas
com extensão desproporcional tanto no
tamanho como na largura em relação ao
corpo desenhado, que dá impressão de
desenho das pernas em detrimento do resto do corpo.
PF21.07- Pernas longas e finas. Pernas desproporcionais no comprimento e na espessura, tornando-se
semelhantes a pernas de pau. Traço raro.
PF21.08- Pernas curtas. Pernas de tamanho menor que o adequado. É difícil medir o comprimento das pernas;
além disso, o desenho de pernas “pequenas” é traço frequente. Portanto, só marque esta categoria se o
tamanho for, sem dúvida, muito pequeno.
PF21.09- Pernas e braços pequenos, finos e frágeis. Todos os membros aparentam serem insuficientes em relação
ao tronco desenhado.
PF21.10- Pernas e braços vazados e rígidos. Pernas e braços com aberturas nas extremidades e ausência de
movimento. Traço muito raro.
PF21.11- Entrepernas com sombreamento, reforço, ou rasura. Entrepernas com borrões ou pressão mais forte.
Traço raro.
PF21.12- Pernas sombreadas, ou aparecendo por transparência, em desenho feito por homens. Sombreamento
das pernas, ou pressão mais forte, ou borrões, mesmo que no esboço delas, e/ou calças transparentes na
pessoa desenhada masculina, feitas por desenhistas homens. Raro.
PF21.13- Pernas enfatizadas desenhadas por mulher.(Ver desenho 3 de PF21.02) Em desenhos feitos por
mulheres, borrão por uso de borracha, ou presença de reforço, ou rasuras, ou mudança de linha (Lit.), ou
dificuldades ao desenhar a perna, de modo que chamem a atenção imediata do observador. É relativamente
frequente.
PF21.14- Pernas como saias divididas ao meio. Saia comprida dividida ao meio, que dá ideia de calça ou perna.
Traço raro.

30
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF21.11- Entrepernas com sombreamento, reforço ou rasura. PF21.12- Pernas sombreadas, ou em


transparência, em desenho feito por
homens.

PF21.15- Pernas ocultas em traje longo. Pernas escondidas por saias longas, até o tornozelo.
PF21.16- Pernas juntas e apertadas. Pernas unidas, de modo a não haver
PF21.17- Pernas separadas em
espaço entre elas. Também chamadas pernas "coladas", "trancadas",
linhas paralelas
“fechadas” ou “cerradas”.
PF21.17- Pernas separadas em linhas paralelas. Pernas afastadas uma da
outra, não se unindo de forma harmoniosa ao tronco, de modo a formarem
paralelas verticais, assim se ocultando sob a saia. É traço frequente.
PF21.18- Pernas separadas em V invertido. Pernas que formam um V
invertido, com os pés separados, de modo que a pessoa desenhada transmite
impressão de força ou desafio.
PF22.- Pés. Parte do corpo que está articulada com a extremidade inferior da perna e que serve para apoio e
locomoção (CA). Esta cotação não exclui PF32-Calçados.
PF22.00- Pés: representação completa. Na pessoa desenhada de frente, os pés deveriam ser desenhados de
frente, ou levemente de lado, de modo que a posição de pé fosse viável. Devem ser proporcionais ao resto
da pessoa desenhada e apresentar traçado semelhante ao restante. Dificuldades na representação de pés
são normais.
PF22.05- Pés muito pequenos. PF22.01- Pés omitidos. Falta representação dos
pés, os pés estão ausentes.
PF22.02- Pés omitidos por não caberem no papel. A
pessoa desenhada é feita tão grande, que não
sobra espaço para desenhar os pés. Não cotar, se já
tiver cotado PF21.04.
PF22.03- Pés grandes na pessoa desenhada
masculina desenhados por homens. Pés da pessoa
desenhada masculina que chamam a atenção pelo
tamanho desproporcional, em desenho feitos por
homens.
PF22.04- Pé esquerdo menor desenhado por homem. O desenho do pé esquerdo é menor do que o desenho do
pé direito.
PF22.05- Pés muito pequenos. Os pés são desenhados menores que o adequado em relação ao tamanho da
pessoa desenhada; como é modal o desenho de pés que parecem pequenos, assinalar esta categoria somente
para pés desproporcionais e pequenos demais.
PF22.06- Pés enfatizados. Pés (ou calçados) em negrito ou com partes em negrito, ou marcados por excessivo
uso de borracha, ou com tamanho exagerado, ou com corte, ou mudança de linha, ou sombreado de qualquer
tipo, de modo que chamem a atenção imediata do observador.
31
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF22.06- Pés enfatizados. PF22.07- Pés muito distorcidos. Pés com forte
distorção na sua forma ou posição. Não somente
pés mal desenhados
PF22.08- Pés com dedos encerrados em uma
linha. Pés com dedos confinados por uma linha
que une seus extremos distais.
PF22.09- Pés malparados ou apoiados. Pés que
PF22.07- Pés muito distorcidos PF22.08- Pés com dedos
dão impressão de pouco equilíbrio à pessoa
encerrados em linha
desenhada; na literatura, "pés muito pequenos e
débeis", ou pés "que não darão sustentação à
pessoa desenhada".Não inclui salto alto, nem pés
em ponta por dificuldade de desenhar pés de
frente corretamente.
PF22.10- Pés em sentidos contrários. Na pessoa desenhada de frente, os pés são desenhados um para cada lado,
em perfil. É muito frequente, inclusive em universitários.
PF22.09- Pés mal PF22.10- Pés em PF22.11- Pés na PF22.12- Pés para PF22.13- Pés com
parados ou apoiados sentidos contrários. mesma direção. dentro. acentuação da zona do
calcanhar.

PF22.11- Pés na mesma direção. Na pessoa desenhada de frente, os dois pés são desenhados em perfil, voltados
os dois para a esquerda, ou voltados para a direita. É frequente em menos escolarizados.
PF22.12- Pés para dentro. Os pés são desenhados com as pontas se tocando, ou quase, e os calcanhares mais
afastados.
PF22.13- Pés com acentuação da zona do calcanhar. O desenho dos pés, no perfil ou na pessoa desenhada de
frente com pés em perfil, apresenta calcanhares em protuberância, ou salto de sapato protuberante, ou
calçado protuberante.
PF22.14- Pés zoomórficos ou em forma de garra PF22.14- Pés zoomórficos ou em forma de
garra. Pés desenhados como patas de animais
de qualquer tipo.
PF22.15-Pés em palitos. Pés esquematizados,
como linha somente.
PF22.16-Pés em forma de lança. Pés como
prolongamentos pontiagudos das pernas.
PF22.17- Pés como falos. Pés alongados, com forma semelhante à do pênis.
PF22.15-Pés em palitos. PF22.16-Pés em forma de lança PF22.17- Pés como falos.

PF23.- Articulações. Juntura natural de dois ou mais ossos, que em geral possibilita seus movimentos
(CA;E). A literatura relata desenho de cotovelos, punhos, ombros, joelhos, e falanges dos dedos.
PF23.00- Articulações: representação modal. É incomum haver indicação clara das articulações; ocorre apenas
desenho de protuberância muito leve no cotovelo, leve linha curva na frente, ou pequeno estreitamento na
lateral, marcando o lugar dos joelhos, sem que haja desenho da articulação propriamente dita. Cotar PF23.00
se o desenho apresenta desenho de articulações como descrito ou não as apresenta.
32
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF23.01- Articulações PF23.02- Articulações PF23.01- Articulações destacadas e enfatizadas.


claramente assinaladas Articulações indicadas por elipses, ou bolinhas, ou
destacadas e enfatizadas.
linhas de junção, ou marcadas por linhas circulares
que mostram que o corpo é formado de "partes"
que são unidas umas às outras (dão muitas vezes
a impressão de armadura). Assinalar, mesmo se
ocorrer no braço ou na perna.
PF23.02- Articulações claramente assinaladas.
Desenho de articulações dos ombros, ou
cotovelos, ou punhos, ou joelhos, por
sombreamento ou linhas que a(s) assinalem, que
dá impressão de detalhamento.
PF24.00- Roupa: PF24.00.01- Roupa: PF24.01- Poucas PF24. Roupa em geral.
representação modal representação modal indicações de roupa: Roupagem: peças do vestuário
em menos menos que o essencial básico e complementos que a
escolarizados. pessoa desenhada apresenta, em
seus aspectos mais gerais de
quantidade e/ou aparência global.
Obs.: As peças de roupa são
contempladas em seções à parte.
PF24.00- Roupa: representação
modal. O mais comum é que haja
indicação de roupa, que esta seja
discriminada do corpo; não se
apresenta como prolongamento
deste e que seja composta do
essencial (blusa e saia, ou calça) com poucos detalhes e sem excesso de elaboração, e a roupa de cada pessoa
desenhada adequada ao sexo da mesma (isto é: uma pessoa, vestida como a da pessoa desenhada, não chamaria
a atenção, por fugir ao padrão cultural para seu sexo).
PF24.00.01- Roupa: representação modal em menos escolarizados. Em amostras menos escolarizadas, é
relativamente frequente que o "sapato" não seja discriminado da perna, mostrando-se como prolongamento
desta. É também relativamente comum que a blusa não seja discriminada do corpo no decote ou na manga (ou
cava), não se definindo corretamente onde acaba a roupa e começa o que seria o corpo em um destes dois
lugares. Mas pelo menos em um destes dois lugares, há definição.
PF24.01- Poucas indicações de roupa: menos que o essencial. A presença de roupa é sugerida por um detalhe,
como presença de botões e cinto; ou há uma indicação rápida de saia triangular, ou duas pernas de calça; ou,
ainda, há blusa, mas apenas sugerida por um decote e linha de cintura, não sendo a roupa discriminada do
corpo, o que confere à roupa uma aparência de pobreza de detalhamento.
PF24.02- Roupa que cobre pouco o corpo. Pessoa desenhada com pouca roupa: só roupa de baixo, só calças
curtas, vestidos sem ombros.
PF24.03- Roupas muito elaboradas. Roupagem desenhada com cuidado, a vestimenta sendo detalhada,
mostrando feitio completo; roupa de baile.
PF24.04- Roupas muito elaboradas com meticulosidade. Idem, chegando a haver meticulosidade e muitos
detalhes. Ver terninho ao lado.
PF24.05- Roupa que cobre muito o corpo ou vestimenta completa formal. Pessoa desenhada(s) muito vestida(s),
o homem coberto do pé ao pescoço, a mulher com vestido que cobre até o tornozelo. Ou a pessoa desenhada
masculina feita com terno e gravata, e a pessoa desenhada feminina com roupas discretas, que não realçam
o corpo.
PF24.06- Roupa sombreada. A roupagem sofre sombreamento, ou vigoroso, ou geométrico, ou luz e sombra.
PF24.07- Roupas com contorno sombreado. Roupas com seus limites externos destacados por linhas de repasse,
ou por contorno duplo, ou por sombreamento.
PF24.08- Roupas com transparência generalizada. Roupa com transparência em quase toda a roupa, que deixa
ver o corpo, ou o contorno dele.

33
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF24.09- Roupas com transparência localizada. A roupa deixa ver o corpo somente em determinada porção
deste.
PF24.03 Roupas muito elaboradas (vestido) PF24.10- Roupa de etiqueta. Além do desenho da roupa, a
PF24.04- Roupas muito elaboradas com pessoa desenha uma etiqueta famosa.
meticulosidade (terno, q. tb expressa PF24.05 e PF25. - Peças de roupa: vestidos e saias. O
PF24.06) vestido ou a saia são uma vestimenta considerada
tradicionalmente própria para mulheres. O vestido consta
de uma saia pregada pela cintura ao corpo do vestido, ou
formando com este um corpo inteiro (CA) com aparência de
conjunto de mesmo tipo, enquanto saia e blusa podem
divergir no feitio, abotoamento, etc..
PF25.00- Vestido ou saias: representação completa.
Assinalar esta categoria somente para vestido, ou saia-e-
blusa, na pessoa desenhada feminina, desenhada por
mulheres. É raríssimo ver pessoa desenhada masculina com
vestido ou saias. É modal que as saias sejam desenhadas
discriminadas das pernas pela barra da saia, com lateral
acompanhando a forma dos quadris femininos e com algum
detalhe pequeno de feitio (bolsos, pregas, faixa). Nesta
categoria, atentar para a saia do vestido, avaliando o corpo
do mesmo em PF27.
PF25.00.01- Saias: representação em menos escolarizados. A
saia deverá estar discriminada das pernas pela barra;
contudo, a forma da saia não é arredondada como a dos
quadris femininos. Apresenta-se mais triangular ou
trapezoide, mas é mais bem desenhada, do que a saia descrita na categoria PF25.04 (saia ampla geométrica).
PF25.00.01- Saias: desenho PF25.04- Saia ampla PF25.05- Saia com PF25.01- Vestido (ou saia)
de PSJs menos geométrica. sombreamento. comprido(a) desenhado
escolarizados por mulher. Vestido que
cobre toda a pessoa
desenhada, chegando até
os pés, ou tornozelos.
PF25.02- Vestido com
coração e flores. Desenho
de flores e corações no
vestido, a qualquer
pretexto (Lit.).

PF25.03- Saia curta. Saia que deixa grande porção das coxas aparecendo; minissaia.
PF25.06- Saia com ênfase PF25.07- Saias com PF25.08- Saias com PF25.09- Saias com
na barra. transparência. transparência justificada. linhas mais tênues ..

PF25.04- Saia ampla geométrica. Saias em formato de triângulo ou trapézio simples, geométrica, mais largas que
a própria dimensão do corpo da pessoa humana desenhada, que parecem com os desenhos infantis.
PF25.05- Saia com sombreamento. Saia com traços fortes, ou irregulares, ou tipo luz e sombra, ou geométricos,
que fazem realçar a saia desenhada.

34
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF25.06- Saia com ênfase na barra. A barra da saia apresenta sombreamento, ou reforço por linha repassada ou
dupla.
PF25.07- Saias com transparência. Saias feitas de tal modo que as linhas do corpo aparecem através
delas.PF25.08- Saias com transparência justificada. Saias iguais ao item anterior, visivelmente desenhadas
como saias de bailarina, de filó, etc.
PF25.09- Saias com linhas mais tênues que o resto da pessoa desenhada. As saias apresentam linhas mais claras,
ou desvanecidas, ou mais sutis e tênues que o resto.
PF26.- Peças de roupa: calças. Peça do vestuário de homens ou mulheres que cobre a parte inferior do
tronco e divide-se em dois tubos para vestir as pernas (CA). A seção engloba também shorts, calças e
bermudas.
PF26.00- Calças: representação modal. Desenho de pessoa desenhada masculina de calças (shorts, bermudas,
calções) é o padrão e é comum na pessoa desenhada feminina. Nas calças da pessoa desenhada masculina,
o desenho da braguilha não deverá estar enfatizado e nem ausente. Nas calças da pessoa desenhada
feminina, a calça sem braguilha desenhada pode receber esta cotação, mas não a atribuir, se a braguilha
estiver enfatizada.
PF26.00.01- Calças: representação modal em menos escolarizados. É comum em pessoas menos escolarizadas
que as calças sejam desenhadas em continuidade com pés ou calçados, sem serem discriminadas, de modo
que não se sabe onde terminam as calças e se iniciam os pés.
PF26.01-Calças com ênfase na braguilha. Calças que chamam a atenção pela braguilha de tamanho grande, ou
escurecida, ou repassada, ou sombreada, ou de formato raro.
PF26.00.01- PF26.01-Calças c/ PF26.02- Calças PF26.03- Calças PF26.04- Calça enf. p/
Calças em ênf. na braguilha. sem braguilha enfatiz. por feitio sombreamento ou borr...
menos ....
escolarizados

PF26.02- Calças sem braguilha na pessoa desenhada masculina desenhada por homens. Espaço em branco no
lugar da braguilha, ou simples traço vertical que indica somente a linha de costura de uma metade da calça
na outra. Não se aplica esta cotação se o desenho apresenta sunga ou calção de banho que, na realidade
cotidiana, não teria braguilha. Este traço gráfico, se presente em desenhos feitos por mulheres, é
contemplado na seção TD - tratamento diferencial entre os sexos.
PF26.03- Calças enfatizadas por feitio (vincos, destaque nas pregas, barra). Calças com riscos verticais indicando
vincos, ou com presença de listras, pregas, detalhes de feitio, ou que chama a atenção pelo traçado especial
da barra da calça.
PF26.04- Calça enfatizadas por sombreamento, ou borrões. Calças com reforço, ou repasse, ou sombreamento
forte, de modo que as calças terminam por chamar a atenção imediata do observador e o desenho final dá
impressão de borrado e sujo.
PF26.05- Calças enfatizadas por realce ou estampado. Calças com sombreamento luz e sombra, ou estampado,
ou xadrez, de modo que chamam a atenção e o desenho final sugere calça elaborada, trabalhada.
PF26.06- Calças com transparência. Calças em que as linhas do corpo ou das pernas aparecem através delas por
transparência.
PF26.07- Calças quadriculadas com pernas em transparência e sombreamento. Categoria mista de três
categorias: mostra como interações de traços adicionam carga a significados atribuídos na literatura.
PF26.08- Calças como dois retângulos simples que se unem em cima. As calças estão presentes, mas como dois
retângulos simples que se unem em cima, na cintura ou no tronco, geométricos, o que dá a impressão de
rudeza e pobreza de desenho.
PF26.09- Calças curtas. Calças com forma de shorts, calção, bermuda curta, ou de calça curta como as de criança.

35
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF26.10- Calças que podem ser confundidas com saias. Diante do desenho ambíguo, o analista não consegue
identificar se são calças ou saias, ou o próprio sujeito manifesta dúvidas a respeito da mensagem que o
desenho transmite.
PF26.05- Calças PF26.06- Calças PF26.08- PF26.09- Calças PF26.10- Calças q. podem
enfatizadas por com Calças como 2 curtas. ser confundidas com saias.
estampa ou realce transparência retângulos

PF27.- Blusas e/ou camisas. (Engloba também paletós e jaquetas.) Parte do vestuário que veste a parte
superior do tronco de mulheres e/ou homens. Como a roupa tem a tríplice função de proteção, velar e revelar
e de aparentar status, posição, etc., faz-se também a análise de detalhes das blusas (ou camisas), como golas,
bolsos (que têm função de carregar coisas ou enfeitar), enfeite ou feitio.
PF27.00- Blusas e/ou camisas: representação completa. É modal que a blusa/camisa seja discriminada do corpo
no decote (ou região da gola), na linha da manga (ou cava), e na linha de cintura. É também comum o
detalhamento de algum feitio (exs: bolsos, botões, pregas, aplicações de tiras,etc..).
PF27.00.01- Blusas e PF27.01- Blusa c/ decote PF27.02- Decote profundo PF27.03- Paletó ou
.camisa: representação ou colarinho que fecha o ou enfatizado. jaqueta com gola
em menos escolarizados. pescoço destacada em desenho
de homem

PF27.00.01- Blusas e/ou camisas: representação em menos escolarizados. Quando há falha em um dos dois
pontos de distinção (cava, decote), só assinalar esta categoria se o desenho da camisa ou blusa estiver
acrescido de tentativa clara de detalhar feitio, como desenho de bolsos, modelo reconhecível, e se o sujeito
não tiver segundo grau completo. Menos que isso, a avaliação recairá na categoria PF24.01.
PF27.01- Blusa ou camisa com decote ou colarinho que fecha o pescoço. Blusa ou camisa com decote alto, ou
reforçado, ou colarinho muito fechado, ou que pareçam apertar o pescoço, de modo que a impressão é de
existência de barreira entre cabeça e corpo.
PF27.02- Decote profundo ou enfatizado. Decote em V profundo, ou decote fundo que deixa aparecer os seios,
ou decote com detalhes chamativos, que chamam a atenção imediata do observador para a zona do decote
PF27.06- Bolsinho com lenço enfatizado PF27.03- Paletó ou jaqueta com gola destacada em pessoa
PF27.07-Bolsos em lugar de seio. humana desenhada por homem. Desenho de casaco com gola que
chama a atenção pelo tamanho muito grande, forma diferente,
sombreado, ou detalhe especial.PF27.04- Paletó ou jaqueta
comprida desenhada por homem. Casaco comprido, que chega
até o joelho ou mais, desenhado por homem.
PF27.05- Bolsos enfatizados. Ênfase pelo tamanho, ou número, ou
sombreamento, ou impressão de estar cheio de coisas.

36
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF27.06- Bolsinho com lenço enfatizado. Bolso com lenço em linha reta ou em ponta, enfatizado pelo tamanho,
sombreado ou forma.
PF27.07- Bolsos em lugar de seios. Bolsos colados ao peito, um de cada lado, no lugar dos seios. Não cote, se
tiver cotado PF12.05.
PF27.08- Bolsos fora de lugar. Bolsos em locais inusitados.
PF28.- Detalhes das roupas: os botões. Peça em geral arredondada que, ao entrar na casa ou
botoeira, exerce a função de prender uma das partes da roupa à outra, podendo ter também função
decorativa.
PF28.01- Botões enfatizados. PF28.00- Botões: representação adequada. Os botões são considerados
adequados quando fazem parte integrada da veste, com visível função de
fechamento da peça de vestuário, não existem em excesso e não apresentam
traçado ou posição especial.
PF28.00 exclui a representação infantil de botões sem função, ou somente a
representação dos botões como indicador de roupa, embora essa
representação seja bastante frequente.
PF28.01- Botões enfatizados. Ênfase nos botões, por sombreamento, ou
pressão diferente, ou deslocamento, de modo que chamem a atenção imediata do observador.
PF28.02- Botões numerosos. Botões em grande número, às vezes desnecessários e às vezes como enfeite.
PF28.03- Botões de uniformes. Botões numerosos, em uma ou mais fileiras, sugerindo uniformes. (Exclui PF28.02)
PF28.04- Botões em linha média. Botões desenhados na linha central da roupa da pessoa desenhada, sem função
de abotoamento, como nos desenhos infantis. É frequente. Não exclui PF28.02. Cf. com PF28.08.
PF28.05- Botões baixos na linha média. Botões desenhados como em PF28.04 na linha central da pessoa
desenhada, mas da metade do tronco para baixo. Ver botões abaixo da braguilha, em PF28.06.
PF28.06- Botões da braguilha aparecendo. Botões, em geral sombreados, colocados na linha média, como parte
da braguilha.
PF28.04- Botões em linha PF28.06- Botões da PF28.07- Botão único no PF28.08- Fileira de botões
média. braguilha aparecendo lugar do umbigo que não vem ao caso.

PF28.07- Botão único no lugar do umbigo. Botão único, redondo, no lugar do umbigo.
PF28.08- Fileira de botões que não vem ao caso. Fileira de botões (na linha central ou não), em pessoa desenhada
que não apresenta roupa desenhada (por constar de contorno feito, ou geométricas)
PF28.09- Botões em áreas raras. Botões desenhados em locais em que não são usados.
PF29.- Calçado. Peça do vestuário usada como proteção para os pés. A designação envolve sapatos,
sandálias, botas, tênis, etc.
PF29.00- Calçados: representação modal. O mais comum é o calçado ser discriminado da perna por linha, ou ser
claramente desenhado como tal, com traçado semelhante ao resto da pessoa desenhada e sem
incongruências cognitivas (transparências, etc.). O calçado congruente com o tipo de roupa (formal, informal,
esportiva) apresentado pela pessoa desenhada, e feito com detalhes (modelo próprio, ou cadarço, etc.) já é
mais raro.
PF29.01- Calçados não discriminados das pernas. Desenho em que uma forma de calçado aparece em
continuidade com o desenho das pernas, de modo que não se sabe onde é perna, onde é calçado ou pé.
Observou-se com frequência em menos escolarizados.
PF29.02- Calçados enfeitados e/ou com saltos em homens. Na pessoa desenhada masculina feita por homens, os
calçados se mostram muito bem detalhados, bem desenhados, com laços, mostrando preocupação em

37
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

desenhar sapatos bonitos e perfeitos; ou os sapatos se apresentam com salto alto, ou ainda, com salto mais
alto e linhas repassadas, reforçados, ou sombreadas.
PF29.03- Sapatos em ponta. Sapatos de bico fino.
PF29.01- Calçados não PF29.02- Calçados PF29.04- Sapatos em PF29.04- Sapatos em forma
discriminados das pernas. enfeitados e/ou com forma de pênis e de pênis e enfatizados.
saltos em homens enfatizados. Sapatos cuja forma lembre o
órgão sexual masculino e que
esteja sombreado, ou com
mudança de linha, ou com
borrões, ou alterações de
forma.

PF30.- Peças adicionais do vestuário. Peças de vestuário que não fazem parte do essencial, como
avental, roupas de baixo, chapéu, etc.
PF30.01- Capa envolvendo a pessoa desenhada. A pessoa desenhada se apresenta envolvida por capa de
proteção como adicional.
PF30.02- Capuz. Gorro que envolve a cabeça e cabelos, protegendo do contato com o frio do mundo exterior.
PF30.03- Chapéu presente. Evidente. Não exclui outras cotações de chapéu.
PF30.04- Chapéu com ênfase pelo traçado ou tamanho. Chapéu cujas linhas são escurecidas por negrito, repasse
ou sombreado forte, ou que realça devido ao tamanho exagerado ou forma estranha.
PF30.05- Chapéu transparente. Chapéu através do qual se pode ver a cabeça ou o cabelo.
PF30.06- Chapéu cobrindo quase toda a testa. Chapéu que está afundado na cabeça, de tal modo que cobre a
testa e quase cobre os olhos.
PF30.07- Chapéu pontudo ou em forma de pênis. Chapéu pontudo demais, que chama a atenção imediata por
este fato, e/ou cuja forma lembra a de um pênis, na aba ou no topo.
PF30.08- Cuecas. Peça da roupa de baixo masculina. Cotar quando a pessoa desenhada estiver só de cuecas.
PF30.09- Gravata. Tira de tecido usada sobre o colarinho da camisa, no vestuário formal masculino.
PF30.10- Ênfase na gravata. Gravata muito grande, ou chamativa, ou feita com pressão forte.
PF30.11- Gravata flutuante. Gravata "voando", fora do corpo, comprida e levantada (Lit.).
PF30.12- Gravata curta e imprecisa. Gravata pequena, inacabada e pouco definida.
PF30.13- Gravata em laço. O desenho da gravata é o de um laço de fita.
PF30.14- Luvas em linha contínua. Luvas em linha contínua, que envolve todos os dedos, com separação para o
polegar (Lit.), de forma semelhante a luvas de boxe.
PF30.15- Meias curtas. Meias curtas tipo soquete, com vestido ou calça curta. Exclui meias soquetes com roupa
esportiva: jeans, ou shorts ou bermudas.
PF30.16- Sutiã. Peça de roupa íntima feminina que serve para sustentação dos seios; anotar se desenhado por:
a) mulher na pessoa desenhada feminina; b) homem, na pessoa desenhada masculina.
PF31.Acessórios. Complementos adicionados ao vestuário básico, de funções diferenciadas, que
individualizam a pessoa desenhada. No diálogo, perguntar à PSJ em que pensou, ao desenhar cada acessório
desenhado, e por que pensou em colocá-lo na pessoa humana desenhada.
PF31.00- Acessórios representados. (Obs.: não há representação modal para acessórios.)
PF31.01- Acentuação dos acessórios em detrimento da roupa. Dedicação ao desenho de bolsas, cintos, colares,
anéis, que terminam por chamar mais a atenção que a própria vestimenta da pessoa desenhada.
PF31.02- Alfinete de gravata.
PF31.03- Aliança enfatizada. Anel no dedo anular da mão esquerda realçado.
PF31.04- Anel enfatizado. Anéis vistosos, destacados ou numerosos.
PF31.05- Armas brancas. Instrumentos com lâminas, como espada, lança, sabre, faca, dardo.
PF31.06- Armas de fogo. Desenho de fuzil, revólver, espingarda, metralhadora, pistola.
PF31.07- Bastão enfatizado desenhado por idosos. Bengala ou cajado enfatizados.
PF31.08- Chicote. Evidente.
PF31.09- Cigarro ou objetos ligados ao fumo. Tabaco, cachimbo, fumaça sugerindo fumo.
PF31.10- Colar.
PF31.11- Condecorações. Medalhas, insígnias, bótons, distintivos.

38
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

PF31.12- Fita no cabelo da pessoa desenhada feminina.


PF31.13- Flores, ou jarros com flores. A pessoa desenhada porta o objeto, de alguma forma: nas mãos, nas costas,
em carrinho de mão.
PF31.14- Ioiô na mão.
PF31.15- Joias. Brincos, relógios e outros.
PF31.16- Livros.
PF31.17- Objetos na mão. Objetos como bolsas, ferramentas, jornais, pacotes, pastas, etc..
PF31.18- Óculos.
PF31.19- Símbolos fálicos. Objetos que lembram o pênis pela forma, como rolos, bengalas, paus, cajados,
diplomas, guarda-chuvas, caneta, lápis, brincos em forma de serpente, de dente de elefante, pingentes de
meia-lua, etc. Não exclui outras cotações; por ex., no caso de brincos ou cordões “fálicos”, assinalar "jóias" e
também PF31.19.

Bibliografia
Ver o Texto 12 dessa Coletânea de Textos sobre o desenho da pessoa humana.

Palavras de cautela. Esta Coletânea não é adequada para se tornar teste


de personalidade e nem para fazer psicodiagnóstico de uma pessoa. Mas
pretende: (a) despertar ou ampliar o interesse pela compreensão de si ou
de outros através de desenhos; (b) despertar interesse pela Simbologia e
para o trabalho com símbolos; (c) incentivar a busca de novas fontes de
estudo e diferentes áreas de conhecimento; (d) gerar pesquisas na área
de desenhos.

Anexo
Como anotar os traços característicos de um desenho
Para uma interpretação bem feita e um pouco mais ágil, você usará o computador — uma
tabela simples do Word será o suficiente. Mas, caso você não tenha ou não goste de computador,
explicarei como os mesmos procedimentos podem ser feitos artesanalmente.
Para fazer no computador
Passo 1. Fazer uma tabela no Word, com as colunas indicadas abaixo, e tantas linhas quantas
forem necessárias. Ver exemplo abaixo.
Passo 2. Registrar cada traço específico identificado no desenho, com seu respectivo Código,
na coluna 1, conforme o exemplo de PSJ 1.
Obs. 2.1 Os traços específicos são identificados no corpo da pessoa desenhada do próprio sexo
de PSJ, e serão identificados pelo Atlas deste Texto 5.
Passo 3. Registrar na mesma coluna 1 os aspectos gerais identificados no desenho, com seu
respectivo Código, conforme o exemplo de PSJ 1, em sombreado, nas últimas linhas da coluna 1, da
tabela de exemplo.
Obs. 3.1 Os aspectos gerais do desenho serão identificados pelo Atlas do Texto 6.
Exemplo de tabela para registro de características do desenho de um PSJ qualquer: PSJ 1
Códigos e traços identificados Significado simbólico atribuído ao traço
(Para isso, consultam-se os Atlas do Texto 5 e 6) (Isso só é feito depois de a coluna 1 estar completa.)
Comece registrando na coluna 1 os traços específicos identificados no corpo da pessoa humana desenhada
do próprio sexo de PSJ, pelo Atlas do Texto 5:

39
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

Ex. PSJ 1) PF01.04.01- Cabeça de tamanho grande,


com membros pequenos, desenhada por mulher.
Ex. PSJ 1) PF01.06-Cabeça enfatizada. (Lembre-se de
que essa categoria já havia sido identificada antes de
começar a cotar, conforme orientação.)
Ex. PSJ 1) PF04.14-Nariz arrebitado na pessoa
desenhada feminina feita por mulher.
Ex. PSJ 1) PF05.13- Boca com lábios grossos e
sensuais.
ETC, ETC, ETC. até o fim dos traços específicos.
Agora, registre as características gerais identificadas, no desenho do próprio sexo de PSJ, pelo Atlas do Texto
6:
Ex. PSJ 1) AP01.01- Figura humana do próprio sexo, de
idade mais jovem do que PSJ.
Ex. PSJ 1) AP03.07- Figura flutuando no ar.
Ex. PSJ 1) AP05.02- Figura muito grande.
ETC, ETC, ETC.
Ex. PSJ 1) ES01.00- Sucessão modal.
ETC, ETC, ETC. até o fim dos aspectos gerais.
A finalidade de usar uma tabela dessa natureza é que, mais adiante, depois de você a ter
completado, você poderá mover as linhas da Tabela, para agrupá-las de diferentes formas.
Naturalmente, o sombreado é só para efeito didático. Você não precisa separar o que é traço específico
do corpo do que é aspecto geral do desenho.
Passo 4. Nos textos sobre significado simbólico, Textos 7 e Texto 8, copiar e colar na coluna 2
os significados simbólicos correspondentes aos códigos identificados, conforme exemplo:
Códigos identificados Significado simbólico atribuído ao traço
(Continuação da mesma tabela anterior) (Copiados dos Textos 7 e 8, após pronta a coluna 1)
Ex. PSJ 1) PF01.04.01- Cabeça de tamanho grande, Símbolo de preocupação com o cérebro e/ou suas
com membros pequenos, desenhada por mulher. funções, simultânea à repressão das
necessidades de poder, ambição e autonomia.
Ex. PSJ 1) PF01.06-Cabeça enfatizada. (Lembre-se de Símbolo da importância do controle de tipo
que essa categoria já havia sido identificada antes de intelectual, com dificuldade de lidar com
começar a cotar, conforme orientação.) sentimentos e afetos. Indicador de presença de
mecanismos de isolamento do afeto (distância entre
amor e agressividade, ou distância entre atitudes e
afeto) ou de possível excesso de identificação
projetiva.
...
Ex. PSJ 1) ES01.00- Sucessão modal. Indicador de capacidade de pensamento lógico-
concreto. //Símbolo de capacidade de simbolizar e
ordenar a expressão dessa capacidade.
...
Quando você finalizar esse trabalho, você terá uma lista extensa, formada por muitas
características. É essa lista que você vai usar para fazer sua síntese interpretativa, conforme as
orientações do Texto 9, sobre Como elaborar uma síntese interpretativa.

Para fazer artesanalmente, à mão


Passo 1. Cortar fichas de papel de 16 cm por 5cm.

40
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014
Ribeiro, Laura Cançado. Atlas para identificar e codificar os traços específicos da pessoa humana desenhada
(Texto-Atlas, 40 p.)

Passo 2. Registrar cada traço específico identificado no desenho, com seu respectivo Código,
em cada ficha de papel. (Olhe os exemplos de PSJ 1: cada ficha será como cada linha da tabela.)
Obs. 2.1 Os traços específicos são identificados no corpo da pessoa desenhada do próprio sexo
de PSJ, e serão identificados pelo Atlas do Texto 5.
Passo 3. Registrar também em fichas os aspectos gerais identificados no desenho, com seu
respectivo Código (Olhe os exemplos de PSJ 1, em sombreado, nas últimas linhas da tabela de exemplo:
cada ficha será como cada linha sombreada da tabela.).
Obs. 3.1 Os aspectos gerais do desenho são buscados no desenho da pessoa do próprio sexo
de PSJ, e serão identificados pelo Atlas do Texto 6.
Passo 4. Nos textos sobre significado simbólico (Textos 7 e Texto 8) copiar em cada ficha os
significados simbólicos correspondentes aos códigos identificados. , conforme exemplo:
Ex. PSJ 1) PF01.04.01- Cabeça de tamanho grande, com membros pequenos, desenhada por mulher.
Símbolo de preocupação com o cérebro e/ou suas funções, simultânea à repressão das necessidades de
poder, ambição e autonomia.

Quando você finalizar esse trabalho, você terá uma lista extensa, formada por muitas
características. A finalidade de usar fichas é que, mais adiante, uma vez completado o trabalho, você
poderá empilhar as fichas de diferentes formas. São essas pilhas que você vai usar para fazer sua
síntese interpretativa, conforme as orientações do Texto 9, sobre Como elaborar uma síntese
interpretativa.

41
psicologiaclinicatextos.com.br, aba Análise Simbólica. Coletânea Análise simbólica do desenho da figura
humana, texto 5. Inserido em 10/2014