Você está na página 1de 30

BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial

e maquetes eletrônicas para loteamentos


Tiago Antonio Azevedo Garlipp – ProspeCAD Projetos e Treinamentos

Noções gerais de como coordenar um workflow sobre projetos relacionados à loteamentos no AutoCAD Civil 3D,
AutoCAD Infraworks, Autodesk Storm and Sanitary Analysis

Objetivo de aprendizado
Ao final desta palestra você terá condições de:
 Conhecer sobre os estudos de casos e os desafios
 Entender como o workflow BIM foi aplicado nos estudos de casos

 Quais foram os softwares e como integrá-los dentro do workflow envolvendo a disciplinas BIM e Engenharia
 Como praticar esse workflow dentro de um projeto básico
 Conhecer resultados gerados através dos softwares
 Entender as vantagens e retornos financeiros

Sobre o Palestrante
Tiago Antonio Azevedo Garlipp é Engenheiro Ambiental formado pela Pontifícia Universidade de
Campinas (PUCC) em 2010. Trabalhou com Geoprocessamento na Embrapa Monitoramento por
Satélite. Ministrou treinamentos na Tecgraf (ATC - Authorized Training Center) na parte de Infra-
estrutura e Geoprocessamento. Participou da implantação do Autodesk Civil 3D no escritório de
Arquitetura (ARM) com o treinamento dos profissionais, elaboração de memoriais descritivos de lotes e
matrículas, além de desenvolvimento de projetos urbanísticos e templates.
Após isso, foi projetista de terraplenagem para loteamentos planejados na ACERT Projetos de
Engenharia Ltda.
Atualmente mantém um site (www.garlipp.blogspot.com) que contempla diversos assuntos voltados ao
Autodesk Civil 3D com aplicação nos projetos de infra-estrutura, onde disponibiliza também cursos em
vídeo-aulas, online e presencial. Seu atual cargo: diretor técnico na PROSPECAD Projetos e
Treinamentos onde é proprietário e desenvolve projetos de terraplenagem e drenagem para
loteamentos e rodovias, conduz cursos e consultorias em soluções BIM e CAD com ênfase em
aplicações de projetos da área. Colaborador da comunidade de usuários Autodesk Brazil em AutoCAD
Civil 3D e Infraworks.
tiago.prospecad@gmail.com
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Estudos de casos
Os objetos de estudo desta palestra saã o os loteamentos residenciais horizontais TC 01 e Nova
Escalada.

Loteamento TC 01
O Loteamento Residencial seraá construíádo como uma importante soluçaã o para atender a demanda
populacional de um importante municíápio de Saã o Paulo por desejo das pessoas conquistarem a sua
casa proá pria atraveá s do financiamento subsidiado pela caixa econoô mica federal do projeto
denominado "minha casa, minha vida".

A aá rea que tem 55.975,00 m² eá localizada em Saã o Joseá dos Campos, Regiaã o Metropolitana do Vale do
Paraíába e Litoral Norte e tem cerca de 94 km de distaô ncia da capital, sendo em 2010 considerado o
seá timo mais populoso de Saã o Paulo e o 28º de todo o paíás.

Nova Escalada
Seraá construíádo como uma importante soluçaã o para atender a demanda populacional de um
determinado municíápio do Maranhaã o por consequeô ncia de sua expansaã o. Este loteamento tem a
vantagem de estar proá ximo aos belos lugares que este estado oferece e estaá aà aproximadamente 150
km da capital Saã o Luis.

O loteamento seraá dotado de 1.488 lotes residenciais de aá reas com 300 m² e diversos outros
tamanhos nos lotes localizados nas bordas das quadras com alinhamentos irregulares. No total
seraã o destinadas 45,10 hectares aà s aá reas residenciais.

Desafios de engenharia
Loteamento TC 01
A ProspeCAD foi responsaá vel por solucionar as exigeô ncias da caixa econoô mica federal que impoã e o
conceito de patamarizaçaã o com arrimos de 0,64 m entre cada lote e altura maá xima de 2 metros
entre os limites com os confrontantes.

Os perfis dos arrimos preá -definidos no Civil 3D foram exportados para o AutoCAD e quantificados
atraveá s de suas hachuras com o objetivo de obter de forma mais precisa possíável as aá reas dos
mesmos para naã o ocasionar discrepaô ncia nos valores de orçamento para a obra.

Dentro deste estudo procuramos o maá ximo possíável a compatibilizaçaã o com a arquitetura, sendo
refeito diversos estudos dentro do projeto.

Aleá m disso, um dos desafios tambeá m foi buscar a otimizaçaã o e o equilíábrio de terra levando em
consideraçaã o sempre o menor custo da obra e alterando a topografia o míánimo possíável atendendo
as inclinaçoã es míánimas e maá ximas do perfil proposto para a via.

Intervirmos para que a interfereô ncia da terraplenagem naã o atingisse aá reas vizinhas ou APP (aá rea de
preservaçaã o permanente).

Naã o foi ultrapassado o maá ximo de inclinaçaã o para as rampas de vagas para carros (>10 %).

2
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Nova Escalada
A ProspeCAD foi responsaá vel por solucionar situaçoã es adversas como a alta pluviosidade e a
topografia caracteríástica do municíápio.

Por este motivo, tomou-se precauçaã o no que diz respeito aos perfis de greides das ruas,
terraplenando-os no sentido longitudinal em uma uá nica e baixa declividade, levando todas as vias
transversais de encontro com as principais.

Sendo assim, todos os sistemas de galeria pluvial foram direcionados longitudinalmente. Isto
permitiu que fossem desenvolvidas bacias de detençaã o no final destas ruas impedindo que os
soá lidos em suspensaã o fossem levados ao coá rrego. Este tipo de concepçaã o evitou a degradaçaã o na
hidrografia intermitente e transformou o projeto em uma soluçaã o ambientalmente viaá vel.

Workflow BIM
Nos estudos de casos utilizamos o BIM para anaá lise, simulaçaã o e compreensaã o tridimensional do
conceito do empreendimento explanando-o para o cliente e trazendo a noçaã o de como o projeto
seria implantado in loco.

Quais foram os produtos e suas disciplinas da engenharia x BIM ?

AutoCAD Civil 3D
Projeto de terraplenagem e drenagem pluvial (Anaá lise, projeto e simulaçaã o)

Autodesk Storm and Sanitary Analysis


Dimensionamento da drenagem pluvial (Projeto e simulaçaã o)

Autodesk Infraworks
Modelo conceitual em 3D (compreensaã o)

3
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Esquema geral do workflow realizado na ProspeCAD

Praticando o workflow dentro de um projeto básico


Workflow do projeto de terraplenagem

Utilizamos o Data Shortcut pelo seu dinamismo. Todos os arquivos que conteá m a mesma refereô ncia
podem ser atualizados a partir de uma mudança no arquivo fonte.

O mesmo vale para a ferramenta XRef do AutoCAD. Caso o arquivo do desenho urbaníástico seja
atualizado todos os outros arquivos que conteá m sua refereô ncia seraã o atualizados.

4
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Iniciando um projeto de terraplenagem


Para iniciar um projeto de terraplenagem precisamos do arquivo .dwg da topografia contendo as
surfaces de topografia do terreno natural e do rebaixado em Datashortcuts conforme exibido na
imagem abaixo. O objetivo seraá disponibiliza-las na rede para serem compartilhadas com o arquivo
de projeto de terraplenagem.

Para isso clique com o botaã o direito em “Data Shortcut” e selecione a opçaã o “Set Working Folder”
como indicado na imagem a seguir.

Indicar a pasta que iraá conter os Data Shortcuts criados e clicar em OK.

5
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Logo apoá s, ainda com o botaã o direito em “Data Shortcut” clicar em “New Data Shortcuts Project
Folder”

Na caixa de diaá logo representada pela imagem abaixo, criar a pasta dentro do caminho indicado
para conter as nossas refereô ncias e clicar em OK.

Continuando em “Data Shortcut”, com o botaã o direito clicar na ferramenta “Associate Project to
Current Drawing” associando as superfíácies criadas para posteriormente criar o Data Shortcut
destas.

6
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Logo apoá s clicar na ferramenta, iraá abrir a seguinte caixa de diaá logo ilustrada na figura abaixo.
Apenas dar um OK para associar.

Agora iremos criar o Data Shortcut, poreá m antes o arquivo precisa ser salvo como ilustrado abaixo.

Depois de salvo, iremos na ferramenta “Data Shortcut” e com o botaã o direito clicar em “Create Data
Shortcut”

Quando aberta a caixa de diaá logo, selecionar as duas superfíácies para a criaçaã o do Data Shortcut e
clicar em OK.

7
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Depois de criado o Data Shortcut das superfíácies, vamos abrir uma template de trabalho para criar
a refereô ncia e trabalhar com o Data Shortcut das superfíácies no Civil Maã e. Abrir a template de
trabalho como “.dwt”.

Depois de aberta salvar a template como extensaã o “.dwg” e com o nome de “CIVIL MAÃ E”.

Agora jaá na no CIVIL MAÃ E e com a template configurada, iremos criar as refereô ncias das superfíácies
do Terreno Natural e do Terreno Rebaixado.

Na barra de ferramenta “Toolspace”, na aba “Porspector” ampliar a opçaã o “Data Shortcut” e ampliar
tambeá m as “Surfaces”, laá estaraã o localizadas as duas superfíácies. Selecionar a superfíácie e com o
botaã o direito, clicar em “Create Reference” como indicado abaixo.

Logo apoá s, escolher um estilo e clicar em OK.

Fazer isso para as duas superfíácies.

8
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Apoá s a criaçaã o das refereô ncias das superfíácies podemos começar o projeto de terraplenagem. No
projeto eá atachada a base urbaníástica pelo comando “XREF” como mostrado nas imagens a seguir:

Digitar o comando XREF que abriraá a seguinte caixa de diaá logo e clicar em “dwg”:

Buscar o arquivo onde se localiza a base Urbaníástica e clicar em “Open”:

9
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Clicar em ok na caixa de diaá logo ilustrada abaixo com a opçaã o “Specify On-Screen” naã o selecionada
que cairaá nas coordenadas georreferenciadas.

*Imagem com a Base Urbaníástica atachada.

Apoá s atachar a base haá a criaçaã o dos alinhamentos das vias, seus perfis e os greides de projeto. Em
seguida eá criada as seçoã es transversais (Assemblys) para a criaçaã o do corredor.

Depois de criado o corredor, eá feita a superfíácie de Terraplenagem e a partir dela tambeá m saã o
criadas as Superfíácies de Comparaçaã o para caá lculo de volume de terra e a de Curvas Mistas ou
Superfíácie Final.

10
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Com todas as superfíácies criadas, fazemos entaã o as Seçoã es de Corte do projeto e seus perfis.

Em seguida com todo o projeto jaá finalizado, utilizamos o meá todo de Data Shortcut que foi
mostrado anteriormente para gerar as pranchas de acabamento.

Workflow do projeto de terraplenagem para acabamento

Seguir os mesmos passos da criaçaã o do Data Shortcut das Superfíácies da topografia para o Civil Maã e
realizado anteriormente, indicando o caminho onde seraã o salvos os Data Shortcuts dos
alinhamentos e superfíácies, associando o projeto, criando o Data Shortcut e criando refereô ncia na
template para as pranchas de acabamento. Poreá m agora no acabamento, iremos criar aleá m das
refereô ncias das superfíácies, tambeá m para os alinhamentos e perfis como indicado nas imagens a
seguir:

Depois de criado o Data Shortcut, ele ficaraá armazenado na pasta indicada e seraá utilizado para
todas as pranchas de acabamento.

Na prancha de acabamento com a template configurada, buscar as refereô ncias do Data Shortcut
necessaá rias para determinada prancha como foi feito anteriormente para as superfíácies do Terreno
Natural e do Terreno rebaixado.

Na barra de ferramenta “Toolspace”, na aba “Porspector” ampliar a opçaã o “Data Shortcut” e a


ampliar tambeá m as “Surfaces”, laá estaraã o localizadas as superfíácies de Comparaçaã o e Curvas Mistas.

11
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Selecionar a superfíácie e com o botaã o direito, clicar em “Create Reference” como mostrado
anteriormente.

Logo apoá s, escolher um estilo e clicar em OK como mostrado anteriormente.

Criar tambeá m a refereô ncia dos alinhamentos das Vias:

Depois soá escolher estilos de apresentaçaã o e labels e clicar em OK:

EÉ necessaá rio tambeá m criar a refereô ncia dos perfis do Terreno natural e do Perfil vertical ampliando
o alinhamento e ampliando a opçaã o “profiles”:

12
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Escolher um estilo de apresentaçaã o e label e clicar em OK:

O mesmo procedimento para o outro perfil:

Para a criaçaã o da refereô ncia das Seçoã es de corte no projeto fazer o mesmo procedimento, apenas
trocando o estilo.

Depois de criada a refereô ncia de todos os alinhamentos e superfíácies necessaá rias, atachar a base
urbaníástica pelo comando XREF como foi realizado anteriormente, para cada prancha.

13
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Entaã o a arquivo de acabamento iraá conter todos os Data Shortcut dos elementos necessaá rios para
determinada prancha e o XREF da base urbaníástica.

O acabamento pode contar com diversas pranchas diferentes, como as que conteá m os alinhamentos
das vias, perfis longitudinais das vias, as seçoã es em plantas e em corte, mapa de comparaçaã o,
arrimos em planta e em corte.

Resultados gerados

Segue abaixo imagens de acabamento:

*Imagem da prancha em model das seçoã es em planta

*Imagem da prancha em model com os perfis longitudinais das vias

14
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

*Imagem da prancha em model que conteá m o Mapa de Comparaçaã o

Depois de fazer todas as pranchas de acabamento no Civil3D, exportar para AUTOCAD finalizando o
projeto de terraplenagem, que passaraá por algumas revisoã es ateá ser totalmente concluíádo.

15
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Workflow do projeto de terraplenagem para drenagem

Abrir “Template” de Drenagem e salvar como DWG  Buscar “DataShorCut” do terreno final de
terraplenagem (CURVAS MISTAS) e Base Geral  Este processo seraá uá til para se iniciar o projeto de
drenagem sobre um arquivo DWG, o menos sobrecarregado possíável, trabalhando apenas com a
base geral como um XREF e com a superfíácie de curvas mistas com um DataShortCut da superfíácie
trabalhada no arquivo Civil Mae  Dessa maneira iremos trabalhar a drenagem pluvial do projeto
sobre a superfíácie final de terraplenagem.

Inserindo o XREF da base.

Em seguida buscar o DSC da superfíácie Curvas Mistas  Passo 01,


indicar o local da pasta de trabalho onde foi criado o DSC das curvas mistas vinculada ao Civil Mae.

16
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Em seguida seraã o disponibilizados os DSC existentes na pasta indicada, sendo necessaá rio criar a
refereô ncia para as superfíácies de Curvas Mistas  Em seguida seraá disponibilizado na camada
“Surfaces” a “Data Reference Surface” Curvas Mistas.

Obs: caso o usuaá rio queira utilizar os alinhamentos e perfis em shortcuts ele tambeá m poderaá criar a
refereô ncia destes no CIVIL MAÃ E de drenagem.

Ao final do projeto a partir de onde seraá iniciado o dimensionamento, teremos geradas as seguintes
feiçoã es: Catchment (sub-bacias e talvegue), Network composta por Pipes e Structures (rede de
drenagem composta por tubos e estruturas), Alinhamentos (perfil da rede)

17
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Workflow do projeto de drenagem para dimensionamento da drenagem

*Exportar a rede com as suas sub-bacias jaá associadas aos seus respectivos poços de visita.

O primeiro passo eá verificar os criteá rios de importaçaã o, ou seja, compatibilizar as peças da rede
entre os softwares.

- TOOLSPACE -/SETTINGS - botaã o direito em PIPE NETWORK – EDIT FEATURE SETTINGS – STORM
SEWERS MIGRATION DEFAULTS – PART MATCHING DEFAULTS – Selecionar o PART LIST usado no
projeto e configurar as abas IMPORT e EXPORT.

Para realizar a exportaçaã o, optamos por gerar um arquivo STM que representa a rede naã o
dimensionada. A opçaã o 01 eá a que gera esse tipo de arquivo.

Existe tambeá m a opçaã o 02, onde com um uá nico clique, o SSA seraá aberto, com a apresentaçaã o da
rede e DWG como plano de fundo, sendo este um arquivo de projeto, SPF.

(Opçaã o 1 – naã o acompanha o DWG) -/OUTPUT - EXPORT TO STORM SEWERS

No caso da opçaã o 1, abra o Storm and Sanitary Analysis  /FILE – IMPORT – LAYER MANAGER
(DWG) – IMAGE CAD FILE

18
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

(Opçaã o 2 – acompanha o DWG) -/MODIFY – PIPE NETWORK – EDIT IN STORM AND SANITARY
ANALISYS

Importar a o desenho/planta do Civil 3D /FILE – IMPORT – HYDRA FLOW STORM SEWERS FILE (
buscar arquivo STM)

19
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Workflow do projeto de dimensionamento da drenagem para drenagem final

- No SSA  /FILE – EXPORT – LANDXML FILE (Desse modo vamos gerar um arquivo LandXml, que
iraá substituir a rede antiga no Civil Maã e);

De volta ao Civil Maã e do projeto de drenagem. - /INSERT LANDXML  Obs = desativar os Parcels
pois eles representam as sub-bacias, que nos jaá possuíámos no Civil 3D. Apoá s verificar se a rede foi
inserida corretamente, pode-se apagar a rede antiga naã o dimensionada.

20
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Workflow do projeto de drenagem para acabamento

Nesse processo iremos criar um XML da rede receá m-dimensionada, a fim de trabalhar a
apresentaçaã o da rede sobre uma “Template” proá pria de acabamento de projetos de drenagem
urbana. O alinhamento e o perfil referente aà rede tambeá m teraã o suas refereô ncias geradas apoá s
concluir o projeto da rede bastando salvar o arquivo Civil Maã e e setar a pasta DataShortCut contida
na pasta Drenagem. Com isso podemos seguir o proá ximos passos.

21
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Como vemos, temos que tirar o local de trabalho que estava indicado na pasta DATASHORTCUT
referente aà pasta TERRAPLENAGEM, onde foi referenciada a superfíácie de Curvas Mistas, e agora
temos que setar/indicar a pasta DATASHORTCUT contida na pasta DRENAGEM para gerar as novas
refereô ncias em um novo local, mantendo a organizaçaã o e a loá gica Em seguida temos que criar uma
nova pasta dentro da pasta receá m-indicada  Depois temos que associar o arquivo DWG de projeto
(Civil Maã e) na pasta receá m-indicada para enfim conseguir criar os DSC.

Por fim apoá s salvar o projeto, iremos criar os DSC referentes a rede de drenagem (Pipes e
Structures), alinhamento da rede e seus respectivos perfis da superfíácie de terraplenagem.

22
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Desse modo, podemos abrir uma template de acabamento e em seguida buscar o DSC relacionado aà
surface de Curvas Mistas da pasta de TERRAPLENAGEM compartilhando-o com o CIVIL MAÃ E de
drenagem. Apoá s isso podemos criar as refereô ncias desta entidade, dos alinhamentos, perfis e redes
do projeto. Se necessaá rio pode-se explodir as sub-bacias do Civil Maã e de drenagem para que elas se
tornem blocos e assim seja possíável usa-las na base ou colando diretamente sobre o acabamento do
projeto de drenagem.

Resultados gerados

*Imagem da prancha em model do implantaçaã o da rede com bacias de contribuiçaã o e perfil da rede.

23
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Workflow do projeto de terraplenagem para maquete eletrônica

Para importar os dados do Civil para o Infraworks, primeiramente iremos abrir o arquivo maã e do
nosso projeto no AutoCad Civil 3D.

Antes de começar a exportar temos que verificar a zona e o sistema de coordenadas que estamos
trabalhando no projeto.

24
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Apoá s termos todas as informaçoã es necessaá rias do projeto iremos exportar a surface Curvas Mistas.
(obs: eá possíável tambeá m exportar pipes e structures por Landxml ou IMX). Para isso na aba
“Output” e utilizaremos a opçaã o “Export to LandXML”.

Seraá aberta uma caixa com vaá rios objetos de projeto para serem exportados. Iremos desativar todos
e deixar apenas as “curvas mistas” marcado.

25
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Apoá s ter selecionado o que seraá exportado do projeto, iremos selecionar um destino para salvar o
nosso arquivo “xml”.

Vamos abrir o Autodesk Infraworks. Primeiramente iremos clicar em “novo” para abrir um novo
projeto e assim importarmos o arquivo “xml”.

Seraá aberta uma janela de configuraçaã o que iremos colocar um nome para o projeto, uma descriçaã o
se necessaá rio e tambeá m configurar com o sistema de coordenadas.

26
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

Como sabemos que a zona e o sistema de coordenadas que iremos trabalhar no projeto seraá SIRGAS
datum, UTM Zone 23S; Brasil 48d to 42 west (SA-SIR-23S), faremos esta configuraçaã o aà seguir.

Podemos observar que o menu de configuraçaã o “origem de dados” jaá eá aberto automaticamente.
Nesse menu iremos importar o arquivo “xml” que exportamos do “Autocad Civil 3D” utilizando a
opçaã o “Adicionar origem de dados do arquivo” e escolhendo a opçaã o “landXML”.

Apoá s buscarmos o arquivo na pasta ele ficaraá na barra de configuraçoã es da “origem de dados”.
Vamos clicar com o botaã o direito do mouse e selecionar a opçaã o: ”Configurar...”.

Seraá aberta uma janela de configuraçaã o com todas as informaçoã es de localizaçaã o geograá fica e
sistema de coordenadas que configuramos inicialmente.

27
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

A posiçaã o, deslocamento, escala e rotaçaã o naã o precisaraã o ser alteradas, apenas iremos selecionar o
botaã o: “Fechar & Atualizar”. O seguinte resultado seraá apresentado:

Apoá s termos nossa superfíácie pronta, podemos trabalhar em cima dela, editando da melhor forma
que nos for solicitado, respeitando sempre a triangulaçaã o da superfíácie. Apoá s a superfíácie criada
podemos:

•Selecionar um estilo ou cor para a superfíácie.

•Criar estradas (projetar e editar ruas para a superfíácie).

•Criar aá reas de cobertura para o projeto (divisaã o de lotes, cobertura para arrimos, quadra esportiva,
gramados e outras aá reas disponíáveis).

28
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

•Criar Mobiliaá rio Urbano (automoá veis, casas, pessoas, vegetaçaã o, placas, cercas, entre outros).

•Criar tubulaçoã es (redes de drenagem e esgoto).

•Criar aá reas de aá gua (rios/mar, piscinas e praias).

•Criar Ferrovias.

•Importar modelos prontos (o programa aceita arquivos com extensoã es: .3ds*.dae*.dxf*.fbx*.obj,
entre outras extensoã es).

•Renderizar uma imagem (uma parte especíáfica do projeto, ou o projeto todo).

•Snapshot (podendo ajustar os pixels de sua imagem).

•Roteiro de víádeo (podendo criar o roteiro por vaá rios aô ngulos, zoom, animaçaã o de via entre outros).

Resultados gerados

Algumas imagens de um projeto finalizado no Autodesk Infraworks:

29
BIM: Workflow para terraplenagem, drenagem pluvial e maquetes eletrônicas

O processo permitiu que os elementos ou entidades (surfaces, alignments, profiles, pipes,


structures) fossem interligadas dentro de uma parametrizaçaã o interna do workflow para
sincronizaçaã o da equipe de trabalho.

Isso permitiu com que projetistas e desenhistas estivessem condicionados para uma atualizaçaã o em
tempo real do projeto.

Vantagens

Ganho de tempo
Conseguimos desenvolver a maquete eletroô nica do empreendimento com elementos naturais
internos e externos e com rica humanizaçaã o causando boa impressaã o ao cliente. Isso permitiu com
que o cliente tivesse um entendimento mais claro da aá rea implantada.

Obtivemos tambeá m a satisfaçaã o do cliente pelo prazo e adiantamento de reunioã es.

Retorno financeiro

Com o ganho de tempo no workflow foi possíável ter uma revisaã o mais cautelosa do projeto e reduzir
drasticamente o tempo de elaboraçaã o dos trabalhos tornando assim o estudo menos
suscetíável ao erro e minimizando os gastos da obra.

Foi possíável tambeá m atrair e persuadir possíáveis compradores dos lotes, realizar a negociaçaã o e
venda do produto tridimensional realíástico da aá rea para o cliente e tratar de novas
propostas para outros estudos antes do esperado.

30

Você também pode gostar