Você está na página 1de 19

Perguntas sobre Radiobiologia

1. O que são efeitos somáticos?


São alterações provocadas pela interação da radiação ionizante com qualquer célula
do organismo, exceto pelas reprodutivas. Manifestam-se no próprio indivíduo
irradiado. (Exemplo: câncer, catarata).
2. O que são efeitos genéticos?
São alterações provocadas pela interação da radiação ionizante com as células
reprodutivas do organismo. Manifestam-se nos descendentes do indivíduo irradiado.
(Exemplo: mutações genéticas).
3. Quais são os efeitos relacionados a altas doses de radiação que se
manifestam em no máximo 2 meses?
Efeitos agudos.
4. Defina efeitos tardios e cite exemplos.
Caracteristicas de exposição à pequenas doses de radiação. Manifestam-se em anos ou
dezenas de anos em seres humanos. (Exemplo: câncer).
5. O que significa limiar?
É a dose a partir do qual o efeito da radiação será parceptível. Abaixo dessa dose, o
efeito pode não ser perceptível.
6. Defina efeitos estocásticos.
São efeitos que ocorrem com doses pequenas de radiação e não apresentam limiar de
dose para sua ocorrência. A probabilidade de ocorrência aumenta com o aumento da
dose e a gravidade do efeito independe da dose. Por menor que seja a dose, está
sempre associada uma probabilidade diferente de zero para ocorrência desse tipo de
efeito.
7. Quais são os efeitos que certamente vão aparecer depois de uma exposição a
altas doses de radiação e que possuem uma dose limiar? Cite exemplos.
Efeitos determinísticos. Exemplo: eritema de pele, depilação, infertilidade e catarata.
8. Quais os tecidos mais afetados pela radiação odontológica?
Cristalino, glandula tireoide, glandulas salivares, osso, pele...
9. Como os raios x produzem danos biológicos?
Pode ocorrer de 2 formas:
- Efeitos diretos: quando os raios x interagem diretamente no DNA em alvos
específicos, com a quebra de ligação entre os ácidos nucleicos. Após isso, pode
ocorrer: morte celular, reparação celular, falha na transmissão de informação celular
ou replicação celular anormal.
- Efeitos indiretos: quando os raios x interagem nas celulas como resultado da
ionização da água ou de outras moléculas. A ionização da água produz radicais livres
que causam danos as células. (RADIÓLISE).
10. Qual tecido é mais sensível a radiação? O que está em proliferação ou o que
está diferenciado?
O que está em proliferação. Pois os raios X tem a capacidade de alterar o ácido
nucleico do material genético do indivíduo.
11. Qual é a sensibilidade a efeitos da radiação dos músculos e nervos?
Baixa, uma vez que esses tecidos tem ALTA taxa de diferenciação celular.
12. A qual tipo de efeitos de radiação estão submetidos os pacientes
odontológicos e o dentista?
Os pacientes odontológicos e o dentista estão submetidas a doses pequenas em área
limitada do corpo.
13. O que é dose de radiação absorvida?
É a medida da quantidade de energia absorvida do feixe de radiação por unidade de
massa ou tecido. Medida em Gys.
14. O que é dose de radiação equivalente?
É a medida que permite diferenciar a efetividade radiobiológica dos diferentes tipos de
radiação analisados. Usada para determinar os riscos dos efeitos determinísticos.
(Exemplo: catarata).
DOSE EQUIVALENTE (Sv)= DOSE DE RADIAÇÃO ABSORVIDA (Gy) x QUALIDADE DA
RADIAÇÃO (WR)
15. O que é dose efetiva?
São doses de diferentes investigações, em diferentes partes do corpo, que são
comparadas pela conversão de todas as doses em uma dose equivalente de corpo
inteiro. É usada para estimar o risco de efeitos estocásticos (Exemplo: câncer).
DOSE EFETIVA (Sv) = DOSE ESQUIVALENTE X FATOR DE PESO DO TECIDO (WR).
16. Todos os tecidos do corpo tem a mesma radiossensibilidade?
Não. A sensibilidade dos tecidos é diretamente proporcional à sua taxa de proliferação
e inversamente proporcional à sua taxa de diferenciação.

Perguntas sobre Radioproteção

1. Qual é a finalidade da radioproteção?


Proteger a pessoa e seu ambiente dos efeitos nocivos das radiações ionizantes e ao
mesmo tempo possibilitar ao homem desfrutar dos benefícios da imaginologia.
2. Quais orgãos são responsáveis pela radioproteção?
AIEA, CNPR e Portaria 453(Brasil).
3. As imagens radiográficas são essenciais no diagnóstico ou são
complementares? Por que?
São complementares, uma vez que antes de se optar por elas, deve-se realizar exames
clínicos e averiguar a existência ou não de radiografias anteriores. Sendo assim, caso
seja estritamente necessário, fazemos uso de novas aquisições radiográficas para
complementação de diagnóstico.
4. Diga os recursos para a diminuição da dose de radiação.
Filmes mais sensíveis, filtro de alumínio, diafragma (colimador) de chumbo limitando o
tamanho do feixe, localizador (cilindrico ou retangular), processamento correto,
avental de borracha plumbífera e protetor para tireóide.
5. Quais filmes são mais sensíveis?
Os filmes mais sensíveis são o “E “e o “F”.
6. Como o posicionador do filme pode ajudar na diminuição da dose de
radiação?
Diminuindo as chances de erros e repetições, pois ele permite colocar o filme/sensor o
mais parelelo possivel ao longo eixo do dente, permitindo que o feixe de raios X incida
perpendicularmente ao filme. Reduz tambem a possibilidade de radiação no dedo do
paciente.
7. Qual deve ser a espessura do filtro de alumínio?
50 a 69 kVp: 1,5 mm
Acima de 70 kVp: 2,5 mm
8. Qual a finalidade e diametro do colimador de chumbo?
Eles limitam o tamanho do feixe de Rx. O diâmetro do campo não deve exceder 6 cm.
9. Qual a diferença de um localizador curto e um longo?
O localizador longo garante menor divergencia do feixe, resultando em diminuição da
área irradiada. Estima-se que o localizador longo irradie 27% menos tecido que o
curto.
10. Dentro da câmara escura, qual é a potência da lâmpada e qual a sua cor?
A potencia corresponde a 15w, à distancia de 1,20 metros da área de trabalho e sua
cor é vermelha.
11. No avental de borracha plumbifera, qual espessura de chumbo deve ter?
Deve ter 0,25mm de chumbo.
12. Qual a distancia ideal entre a área irradiada e o dentista?
180 centímetros.
13. Como é composto o dosímetro?
O dosímetro é composto por uma caixa em termoplástico, filtros metálicos de diversas
espessuras e um elemento sensível a radiação.
14. Qual espessura deve-se ter as paredes de chumbo uma clínica radiológica?
Deve-se ter 2mm de espessura.

Perguntas sobre Radiografia Panorâmica

1. O que é uma radiografia panorâmica?


Consiste em uma técnica que produz em uma única imagem ambos os arcos dentários
e suas estruturas de suporte, além de outras estruturas a elas associadas.
2. Cite 2 vantagens e 2 desvantagens da radiografia panorâmica.
Vantagens: Permite a interpretação das estruturas da maxila e da mandibula e possui
simplicidade de operação com tempo minimo de treinamento para o operador.
Desvantagens: A qualidade da imagem não é tão nítida quanto das radiografias
intrabucais, por conta da distancia entre o filme e objeto e foco e filme.Estruturas de
interesse situadas fora do plano de corte não são visualizadas.
3. Cite algumas indicações para a realização da radiografia panorâmica.
Avaliação de traumatismos, localização de terceiros molares, patologias extensas,
lesões grandes conhecidas ou suspeitadas, desenvolvimento dentário, retenção de
dentes e anomalias de desenvolvimento.
4. Como é produzida a imagem na radiografia panorâmica?
É baseada no principio do movimento recíproco da fonte de raios X e do receptor de
imagem ao redor de um plano de corte, no qual se localiza o objeto de interesse.
5. Por que tambem é utilizado o termo pantomografia?
Considerado a junção dos termos panoramica e tomografia, uma vez que é uma
variante curvilínea da tomografia convencional em que são unidos planos de corte
para a formação da imagem panorâmica.
6. O que é plano de corte e quais são suas características?
Chamado também de zona de nitidez ou camada focal, o plano de corte é a área onde
devem estar posicionado os arcos dentários em um aparelho radiográfico panorâmico.
Essa área é tridimensional e curva como os arcos dentários. Todas as estruturas
localizadas dentro dessa área são claramente visíveis na radiografia.
7. O que é centro de rotação?
É onde une-se o feixe de raios X e o sensor. Por conta dos arcos dentários não serem
arcos verdadeiros e sim elipses, faz-se necessários vários centros de rotação para a
manutenção dos arcos dentários dentro da camada focal enquanto o aparelho gira ao
redor da cabeça do paciente.

8. Quanto podem estar ampliadas as imagens da radiografia panorâmica?


Pode variar de 20 a 30%, por conta da forma dos arcos dentários.
9. Como é o colimador no aparelho panorâmico?
Para limitar a exposição do paciente os raios X são colimados. O colimador controla o
tamanho e a forma dos feixes de Raios X. O colimador para radiografia panoramica
produz um feixe retangular e estreito que expõe uma pequena porção do filme
enquanto o tubo e o filme giram em torno do paciente.
10. O que é imagem real?
É formada quando o objeto está localizado entre o centro de rotação e o filme/sensor.
O feixe de raios x passa por ele apenas uma vez. Representa a maioria das estruturas
vistas na panorâmica.
11. O que são imagens reais duplas?
São imagens produzidas por estruturas localizadas na região mediana (palato duro e
mole, osso hióide, coluna cervical, epiglote, tórus palatino). O feixe de raios x passa por
ela 2 vezes, durante o ciclo de exposição.
12. O que são imagens fantasmas?
É formada quando o objeto está localizado entre a fonte de raios x e o centro de
rotação. Ela apresenta o mesmo formato da original. Aparece do lado oposto da
radiografia e um pouco mais pra cima. É mais borrada que a original.
13. Qual é o posicionamento correto do paciente?
Pedir para o paciente remover objetos metalicos, explicar a tecnica para evitar
repeticões, colocar avental de chumbo.
Os incisivos superiores e inferiores devem estar posicionados no meio do bloco de
mordida, desse modo colocamos os dentes anteriores dentro da camada focal do
aparelho.
O plano de Frankfurt deve estar paralelo ao solo.
O plano sagital mediano é perpendicular ao solo e centralizado sobre o bloco de
mordida.
A coluna vertebral deve estar estendida.
14. A panoramica é indicada para avaliar fraturas maxilares?
Não. Existem outros métodos para localização de fraturas com mais precisão.

Perguntas sobre Física da Radiação


1. O que é radiação?
É uma forma de energia propagada através do espaço, matéria ou vácuo.
2. Qual a diferença entre a radiação corpuscular e a radiação eletromagnética?
A radiação do tipo corpuscular possui massa e carga (Exemplo: particulas alfa e beta).
Já a radiação eletromagnética não possui nem massa e nem carga e se propagam na
velocidade da luz (Exemplo: ultravioleta e raios X).

3. O que é ionização?
Processo no qual um atomo ou molecula eletricamente estável, perde um ou mais
eletrons orbitais, tornando-se um ion positivo. O eletron expulso, portanto, torna-se
um íon negativo.
4. O que são raios x?
São ondas eletromagnéticas que tem energia suficiente para ionizar a matéria.
5. Quais são as propriedades dos raios x?
São invisíveis, sem peso ou carga eletrica.
Propagam-se em linha reta, podem ser difratados.
Propagam-se à velocidade da luz.
Não podem ser focalizados e divergem a partir da fonte.
Podem penetrar materiais que absorvem ou refletem a luz.
São absorvidos de forma diferente pela matéria.
Podem provocar a fluorescencia em certas substancias.
Provocam ionização.
Provocam modificações biológicas benéficas ou maléficas, dependendo da intensidade
dos raios, de sua duração e da natureza do tecido irradiado.
6. Como tem que ser o comprimento de onda para dizer que os raios x é
penetrante?
Ele deve ser de pequeno comprimento, e consequentemente de alta frequencia.
7. O que é frequência?
É a distância entre uma onda e outra dentro de um determinado intervalo de tempo.
8. Quais são os componentes do aparelho de Raios x?
O aparelho de raios X é composto pelo cabeçote, painel de controle e braço articulado.
Dentro do cabeçote existe um tubo de vidro, o qual possui em seu interior um cátodo
(filamento de tungstenio aquecido responsável pela formação de eletrons), e um
ânodo composto de cobre, sendo que em sua parte central possui uma pastilha de
tungstênio. Ambos estão imersos no vácuo. Entre o tubo de vidro e o cabeçote há a
presença de óleo com a finalidade de dissipar o calor produzido pela produção dos
Raios X. Ligado ao cabeçote temos o cilindro focalizador e conectados a eles por um
braço articulado temos o painel de controle, o qual possui o botão seletor de
voltagem.
9. Qual a função do colimador e qual deve ser o seu diâmetro?
Um colimador é uma barreira metálica com uma abertura no meio usada para reduzir
o tamanho de feixe dos raios X e, desta forma, o volume de tecido irradiado no
paciente. Seu diametro é correspondente a 6 cm.
10. Qual deve ser a espessura do filtro de alumínio?
Para 70 kVp: 1,5mm de alumnínio.
Para voltagens mais altas: 2,5mm de alumínio.

11. Por que é utilizado o Tungstênio no anodo?


O Tungstênio é utilizado no anodo por ter um alto numero atomico, um alto ponto de
fusão, elevada condutividade termica e baixa pressão de vapor às temperaturas de
funcionamento da ampola de Raios X.
12. Qual é geralmente o kV nos aparelhos de Raios X odontológicos intrabucais e
extrabucais?
Geralmente nas tecnicas intrabucais é utilizado de 60 a 65 kVp e nas extrabucais de 70
a 90 kVp.
13. Como são produzidos os raios X?
Energia cinética = energia termica (99%) + Raios x (1%).
A energia eletrica que chega a clinica permite a geração dos raios.
Quando ligamos o aparelho de raios X, a corrente eletrica chega ao aparelho e
caminha do painel de controle até o tubo pelos fios que se encontram dentro do braço
do aparelho.
A corrente chega até o circuito do filamento e um transformador de baixa tensão
reduz a voltagem de 110 ou 220 volts para 3 a 5 volts.
O filamento do cátodo usa de 3 a 5 volts para aquecer o tungstênio e uma nuvem de
eletrons se forma ao seu redor.
O circuito de alta voltagem é ativado quando o disparador é apertado pelo operador.
Os eletrons produzidos no catodo são entao acelerados pela DDP de 60 ou 70 kV,
através do vácuo para o anodo.
O focalizador de molibdênio, localizado no cátodo, direciona os eletrons para o ponto
focal de tungstênio no ânodo.
Quando os eletrons se chocam com o anodo, ocorre a produção de calor e raios x.
O calor produzido é então dissipado pela estrutura de cobre do anodo, pelo radiador e
pelo óleo que se encontra na cabeça do aparelho.
Os raios X saem pelo tubo e, posteriormente, passam pelo filtro de aluminio, que filtra
a radiação de maior comprimento de onda, que chegaria ao paciente, mas não seria
capaz de atravessar suas estruturas e posteriormente pelo diafragma ou colimador
(que determina o tamanho do feixe), saindo pela abertura do localizador do aparelho
de raios X.
14. O que é radiação de frenagem?
Quando os eletrons do filamento colidem com o alvo de tungstênio, são criados fótons
de raios X se os eletrons colidirem diretamente com o nucleo de um atomo do alvo ou
se sua trajetória os levar perto de um núcleo. Se um eletron em alta velocidade colidir
diretamente com o nucleo de um atomo do alvo, toda sua energia cinetica é
transformada em um único foton de raios X.

15. O que é radiação característica?


Radiação característica ocorre quando um eletron do filamento desloca um eletron da
camada de um átomo do alvo de tungstênio e ioniza o átomo. Quando isto acontece,
um eletron de mais alta energia de uma camada mais externa do atomo de tungstenio
é rapidamente atraído para o espaço vazio deixado na camada interna deficiente.
Quando o eletron de camada externa substitui o eletron deslocado, um fóton é
emitido com uma energia equivalente à diferença de energia entre as duas orbitas. As
energias dos fotons caracteristicos variam em função dos niveis de energia dos
diversos niveis orbitais dos atomos do alvo. Radiação caracteristica é só uma fonte
secundária de radiação numa ampola de raios X.
16. Quais interações podem ter os raios X com a materia?
Espalhamento coerente (Foton completamente espalhado sem perda de energia):
quando um foton de raios X é espalhado sem que haja perda da sua energia, o
espalhamento é chamado de coerente. A trajetória do foton foi alterada pela materia .
o foton é de baixa energia e interage com um eletron da camada mais externa do
atomo. Corresponde a 8% das interações entre materia e raios X.
Absorção de energia e efeito fotoelétrico (foton totalmente absorvido): quando um
foton de RX colide com um eletron da camada mais interna, ocorre o efeito
fotoeletrico: o foton é absorvido e cessa de existir e é produzido um fotoelétron com
carga negativa. Corresponde a 30% das interações entre RX e materia.
Espalhamento Compton (foton espalhado depois de alguma perda de energia): quando
um foton de RX colide com um eletron da camada externa e o ejeta da sua orbita,
ocorre o efeito Compton: o foton incidente tem sua trajetoria modificada e tem sua
energia diminuida; o eletron ejetado é chamado de eletron Compton. Corresponde a
62% da radiação espalhada no diagnóstico radiográfico.
Ausência de interação (foton transposto sem alteração): quando um foton de RX passa
atraves do atomo sem sofrer modificações, nenhuma interação acontece. São
responsaveis por produzir a imagem radiográfica.
17. Qual é o componente responsavel pelo aquecimento do filamento de
Tungstênio?
Corrente de baixa tensão.
18. Quais são os elementos necessarios para a produção de raios X?
É necessario um gerador de eletrons, que no caso no aparelho de raios X seria o
filamento de tungstenio aquecido, um alvo, que no aparelho de raios x seria o anodo
com alvo, e uma diferença de potencial entre eles.
19. Qual é a função do kV?
Gerar uma DDP para atrair os eletrons e consequentemente quanto maior a energia,
maior o poder de penetração dos raios e melhor a qualidade da imagem.
20. Qual é a função do mA?
Gerar eletrons que posteriormente serão atraídos.
21. Quais as características dos raios X duros e moles?
Raios X duros: pequeno comprimento de onda, grande frequencia = grande energia.
(alto poder de penetração).
Raios X moles: grande comprimento de onda, pequena frequencia = baixa energia
(pequeno poder de penetração).

Perguntas sobre métodos de localização radiográfica


1. Para que são utilizados os metodos de localização radiográfica?
Os metodos de localização radiografica são utilizados para localizar a posição de
dentes, objetos ou lesões na maxila e mandíbula. (Exemplos: dentes retidos, raizes
residuais, posição de raizes, instrumentos fraturados...)
2. Descreva como é realizada a tecnica de Clark.
O paciente é posicionado com o plano sagital mediano, perpendicular ao solo,
enquanto o plano oclusal fica paralelo ao solo. O filme é então colocado na região a ser
examinada, o feixe de raios X central é direcionado para aquela região (ortoradial) e a
primeira imagem é obtida.
3. Em que se baseia a tecnica de Clark?
Se tivermos 2 objetos alinhados, o objeto mais distante estará oculto pelo mais
proximo. Assim o objeto mais distante do observador se move na mesma direção do
observador, enquanto o mais proximo se move na direção contraria à do
deslocamento do observador. Exemplo: se o observador se move para a direita, o
objeto mais distante se moverá aparentemente para a direita também.
4. Descreva a tecnica de Miller-winter.
Serve para localizar a posição vestibulo lingual de dentes retidos, corpos estranhos,
lesões ou raízes residuais. Utilizado em mandibula e melhor posicionada até o 2º
molar. O paciente é posicionado com o plano sagital mediano, perpendicular ao solo,
enquanto o plano oclusal fica paralelo ao solo. O filme é então colocado na região a ser
examinada, o feixe de raios X central é direcionado para aquela região (ortoradial) e a
primeira imagem é obtida.
O segundo filme é entao colocado na mesma região, na superficie oclusal com o lado
do filme a ser exposto para a superficie oclusal.
5. Descreva a tecnica de Donovan.
Serve para visualizar a região de terceiros molares inferiores, quando precisamos
localizar a posição da coroa e/ou raiz com a tecnica periapical.
Colocamos o filme sobre o ramo ascendente da mandibula, cobrindo a area
retromolar, e peça para o paciente segurar o filme com o dedo indicador e pressioná-
lo contra a superfície do segundo molar. Incline a cabeça do paciente para trás e para o
lado oposto ao examinado.
O feixe de raios X central deve incidir perpendicularmente ao filme, por trás do ângulo
da mandíbula em direção ao apice nasal.
6. Descreva a técnica de Parma.
Serve para localizar a posição mesio distal de terceiros molares.
É uma modificação no posicionamento do filme durante a tomada periapical,
inclinando-o de forma que seu longo eixo forme um ângulo com a linha de oclusão.
7. Qual é a tenica utilizada para evitar a sobreposição do osso zigomático e o
processo zigomático da maxila na radiografia periapical de molares
superiores?
Técnica de Le Master. Utiliza-se um rolete de algodão para manter o filme/sensor o
mais paralelo possivel do longo eixo do dente e assim evitar a sobreposição do
processo zigomatico da maxila.

Perguntas sobre radiografias extrabucais


1. Usualmente qual é a distancia focal nas radiografias extrabucais?
Variam entre 60cm e 152cm.
2. Qual é a distancia focal da telerradiografia lateral do cranio?
1m52cm.
3. Quais indicações da radiografia lateral do cranio e a posição correta do
paciente?
As indicações são: analise do crescimento e desenvolvimento, avaliação dos espaços
orofaringeos, avaliação da relação entre as superficies oclusais dos dentes, morfologia
dos ossos do cranio, da face e anomalias.
Plano sagital mediano perpendicular ao solo, plano de Frankfurt paralelo ao solo. A
cabeça é colocada cuidadosamente no cefalostato, inserindo gradualmente as olivas
no meato acustico externo. Os labios devem ficar em posição relaxada e dentes devem
permanecer em maxima intercuspidação habitual. Deve-se ter a menor distancia
possivel entre o lado esquerdo do paciente e o filme/sensor. A distancia focal deve ter
1,52m.
4. Quais as indicações da PA de mandibula e qual a posição do paciente?
Visualização da porção posterior da mandibula, corpo, angulo e ramo e pescoço do
condilo para diagnostico de fraturas e anomalias do desenvolvimento, assim como
avaliar o crescimento e o desenvolvimento craniofacial.
O paciente deve inclinar a cabeça para a frente com a linha canto-meatal na posição
horizontal, paralela ao solo e perpendicular ao conjunto chassi-filme (posição fronto-
naso-placa).
O feixe de raios X central deve incidir 2cm abaixo da protuberancia occipital externa.
5. Qual outro nome recebe a PA de mandibula?
Projeção de Towne.
6. Qual a radiografia extrabucal indicada para avaliar o seio frontal? Explique o
posicionamento do paciente.
PA de seio frontal (Caldwell). Plano sagital mediano perpendicular ao solo, mantendo a
região frontal e o apice nasal apoiado no chassi. Posição occipito-fronto-nasal. Ângulo
vertical +20 e ângulo horizontal zero. Distancia focal de 80cm.
O feixe de raios X incide 3cm acima da protuberancia occipital externa.
7. Quais as indicações e posicionamento da PA cefalometrica?
Plano sagital mediano perpendicular ao solo. Ponta do nariz mais proximo possivel do
sensor. A area de incidencia do feixe centralizada no apice nasal.
Indicações: avaliação da face e calcificações cranianas...
8. Diga as indicações da projeção de Hirtz e explique o posicionamento do
paciente.
Tambem chamada de radiografia axial, projeção submentoniana, axial de Hirtz e
submento-vertex.
Indicações: pesquisa e avaliação de fraturas no arco zigomatico, pesquisa da
integridade da parede posterior do seio maxilar, projeção inferosuperior da ATM,
exame de mandibula, processo coronoide, condilo...
Paciente deve estar sentado com a cabeça em hiperextensão e a cabeça apoiada no
sensor. Plano sagital mediano deve ficar paralelo ao solo. A area de incidencia do feixe
deve estar na altura do vertice do cranio, formando um ângulo de 65 graus com o
plano do sensor.
9. Diga as indicações da projeção de Waters e o posicionamento do paciente.
Tambem chamado de PA de seio maxilar, é indicada para avaliação dos seios
maxilares, seios frontal e esfenoidal, orbitas, cavidade nasal, processo coronoide e
condilo, evitando a sobreposição dos ossos densos da base do cranio.
Posição mento-naso-placa.
Plano sagital mediano perpendicular ao solo, mantendo a região de mento- apoiada no
chassi e região de apice nasal afastado cerca de 1,5 a 3cm do sensor.
A area de incidencia do feixe deve ser direcionado para o centro do chassi e
perpendicular a ele, com o ponto de incidencia em uma linha tangente a orbita.
10. Qual a radiografia utilizada para avaliar o pescoço e corpo do côndilo?
Towne reversa.

11. Diga o posicionamento na projeção de Towne reversa.


Realiza-se com a boca do paciente aberta o maximo possivel, para tirar-se a
sobreposição da fossa mandibular e eminencia articular. A incidencia do feixe deve ser
direcionado para o centro do chassi e perpendicular a ele, com o ponto de incidencia
na linha tangente à orbita, direcionado para o osso occipital para cima com ângulo
vertical de 30 graus em relação ao plano horizontal.

Perguntas sobre radiografias intrabucais


1. Em que se baseia o método da bissetriz?
É baseada na regra de Ciezynski de isometria, a qual afirma que a imagem projetada
tem o mesmo comprimento e as mesmas proporções do objeto se o feixe central de
raios X for dirigido perpendicular a bissetriz do ângulo formado entre o longo eixo do
filme e o longo eixo do dente.
2. Diga os fatores necessarios para realizar uma boa radiografia com a tecnica da
bissetriz.
Posicionamento correto do paciente, maior paralelismo possivel entre o longo eixo do
filme com o longo eixo do dente, correta angulação do feixe de raios X.
3. Qual a posição correta do paciente na tecnica da bissetriz?
Para radiografar o arco superior, a cabeça do paciente deverá estar posicionada reta,
com a plano sagital mediano na vertical e o plano oclusal na horizontal, tendo a linha
entre o tragus e a asa do nariz paralelo ao solo. Quando os dentes inferiores são
radiografados, a cabeça é inclinada ligeiramente para trás para compensar a mudança
no plano oclusal quando a boca é aberta, ou seja, a linha entre o tragus e a comissura
labial deve estar paralela ao solo.
4. Explique a tecnica do paralelismo.
A essencia da tecnica do paralelismo é que o filme de raios X é apoiado paralelamente
ao longo eixo dos dentes e o raio central do feixe de raios X é direcionado
perpendicularmente ao dente e ao filme. O uso de uma distancia longa da fonte par ao
objeto reduz o tamanho aparente do ponto focal.
5. Qual é o tipo de posicionador de filmes utilizado no HRAC?
Posicionadores do tipo Hanshin.
6. Diga as angulações dos dentes superiores na tecnica periapical da bissetriz.
Para incisivos, a angulação é de 40 graus.
Para caninos a angulação é de 45 graus.
Para pre molares a angulação é de 30 graus.
Para molares a angulação é de 20 graus.
7. Qual é a radiografia periapical que idealmente deve ter uma angulação
vertical de -5 graus?
Radiografia periapical para molares inferiores na tecnica da bissetriz.
8. Diga a angulação vertical dos caninos inferiores.
A angulação deve ser de -20 graus para tecnica da bissetriz.
9. Angulações de -15 e -10 graus correspondem respectivamente a quais dentes
na radiografia periapical?
Correspondem, respectivamente, aos dentes incisivos e pré molares.
10. Diga as indicações da radiografia interproximal.
Detecção de caries, adaptações de margens, lesões periodontais.
11. Qual é o posicionamento do paciente e do feixe de raios X central na
radiografia interproximal?
O paciente deve ter seu plano sagital mediano perpendicular ao solo e estar com o
plano oclusal paralelo ao solo. O feixe central de raios X é cuidadosamente alinhado
entre os dentes e paralelo ao plano oclusal e é disparado entre as faces proximais
(pontos de contato) dos dentes.
12. Qual é o posicionamento do paciente na radiografia oclusal de maxila?
Ajustar a cabeça do paciente de modo que o plano sagital esteja perpendicular ao solo
e o plano oclusal paralelo ao solo. Coloque o filme na boca do paciente com o lado de
exposição voltado para a maxila, a borda posterior tocando o ramo, e o longo eixo do
filme perpendicular ao plano sagital. O paciente deve estabilizar o filme ao fechar a
boca gentilmente ou usando uma pressão suave bilateral com os dedos polegares.
O raio central é orientado atraves da glabela, com um ângulo vertical de cerca de +45
graus.
13. Qual é o posicionamento do paciente na radiografia oclusal da mandibula?
Sente o paciente com a cabeça inclinada para trás de modo que o plano oclusal esteja
a 45 graus acima do horizontal. Coloque o filme na boca do paciente com o longo eixo
perpendicular ao plano sagital e empurre-o para posterior até ele tocar o ramo.
Centralize o filme com o lado de exposição voltado para a mandibula e peça ao
paciente para morder delicadamente o filme ou usando uma pressão suave bilateral
com os dedos indicadores.
O raio central é orientado -10 graus de angulação atraves da ponta do mento- em
direção ao meio do filme, isso dá ao raio -55 graus de angulação com o plano do filme.
14. O tempo de exposição precisa ser dobrado na radiografia oclusal?
Sim, uma vez que há muitas estruturas no campo de visão a serem radiografadas.
15. Quais indicações para radiografia oclusal?
Pacientes desdentados, localização de areas patologicas, pesquisa de corpos
estranhos, localização de fraturas, avaliação ortodontica de expansão, presença de
calculos salivares.
16. Qual a radiografia periapical que mostra a fosseta incisiva?
Periapical de incisivos superiores.
17. O processo coronóide pode ser visualizado em qual radiografia intrabucal?
Periapical de molares superiores.
18. Descreva o Y invertido de Ennis radiograficamente.
Radiograficamente o Y invertido de Ennis é o ponto de encontro entre o soalho da
fossa nasal com a parede anterior do seio maxilar.
19. A fossa mentoniana pode ser visualizada em qual radiografia intrabucal?
Periapical de incisivos inferiores?
20. Em quais radiografias pode ser possivel observar o(s) canal(is)
nasolacrimal(is)?
Na radiografia oclusal total de maxila.
21. A lingula é facilmente observada em uma radiografia de molares inferiores?
Não.

Perguntas sobre processamento filmes e sensores digitais


1. Qual é a diferença entre um filme de ação direta e um de ação indireta?
Os filmes de ação direta (não screen) são sensiveis principalmente ao raios X.
Os filmes de ação indireta (screen) são sensiveis principalmente aos fotons de luz
emitidos pelos ecrans intensificadores.
2. Diga as numerações e usos dos filmes analogicos (convencionais).
Nº 0 – infantil (decíduos)
Nº 2 – adulto (permanentes)
Nº 4 – oclusal
3. Explique a composição da embalagem de um filme convencional.
A embalagem é composta por uma embalagem plastica à prova de umidade e luz. Por
um papel preto à prova de luz. Por uma lamina de chumbo para proteger o filme de
radiação de espalhamento, reduz a exposição do paciente, e o filme.
4. Descreve a função e a composição da emulsão.
Os dois principais componentes da emulsão são os cristais halogenados de prata, que
são sensiveis à radiação X e a luz visível, e uma matriz onde os cristais estão suspensos.
Os cristais halogenados de prata são compostos principalmente de cristais de brometo
de prata.
A fotossensibilidade dos cristais halogenados de prata tambem depende da presença
de pequenas quantidades de compostos contendo enxofre. Alem disso, pequenas
quantidades de ouro são algumas vezes adicionadas aos cristais halogenados de prata
para aumentar sua sensibilidade.
5. Diga as funções da base, sua composição e espessura.
A função da base do filme é dar suporte à emulsão. A base deve ter um grau adequado
de flexibilidade que permita um facil manejo do filme. A base de um filme de raios X
odontologico possui 0.18mm de espessura e é feita de poliéster polietileno tereftalato.
6. O que é imagem latente?
São cristais de brometo de prata que são alterados quimicamente através da interação
com os raios X.
7. Como são formados os cristais de prata?
Um cristal de prata é formado por: ions de prata livre, ions brometo de prata e locais
sensiveis que são formados por iodeto de prata que cria irregularidades. Pode ter
enxofre e enxofre e ouro para aumentar a fotossensibilidade.
8. Como é formada a imagem latente?
Quando os cristais halogenados de prata são irradiados, os fotons de raios X interagem
primeiramente com os ions brometo pelas interações Compton e fotoeletrica. Essas
interações resultam na remoção de um eletron do íon brometo. Pela perda de um
eletron, o ion brometo é transformado em um atomo de bromo neutro. Os eletrons
livres movem-se pelo cristal até encontrar um local sensível, onde eles são capturados
e dao uma carga negativa ao local. O local sensível carregado negativamente atraí ions
intesticiais livres de prata carregados positivamente. Quando o ion prata encontra um
local sensível carregado negativamente, ele é reduzido e forma um atomo neutro de
prata metalica. Os locais contendo esse atomo de prata neutro agora são
denominados locais de imagem latente. Este processo ocorre numerosas vezes dentro
do cristal. A distribuição total dos locais de imagens latentes em um filme depois da
exposição constitui a imagem latente.

9. As estruturas que se mostram muito radiopacas nas radiografias tem muito


ou pouco cristais de brometo de prata expostos?
Pouco.
10. Qual a função do revelador?
A principal função do revelador amolecer a gelatina e converter os cristais
halogenados de prata expostos em grãos de prata metálica negra.
11. Qual a função do fixador?
A principal função da solução fixadora é endurecer a gelatina e dissolver e remover da
emulsão os cristais halogenados de prata não sensibilizados.
12. Qual a temperatura e o tempo adequados do revelador na tecnica de
processamento manual?
20 graus = 5 minutos
21 graus = 4 minutos e meio
22 graus = 4 minutos
24 graus = 3 minutos
26 graus = 2 minutos e meio
13. Qual o tempo adequado do fixador na tecnica de processamento manual?
Deve-se colocar na solução fixadora por 8 a 10 minutos à temperatura de 15 a 29
graus.
14. Qual o tempo adequado da lavagem intermediaria?
Deve-se colocar em banho por 30 segundos. Agitar o filme continuamente no enxague
para remover o excesso de revelador e, assim, reduzir a revelação e minimizar a
contaminação do fixador.

15. Qual o tempo adequado da lavagem final?


Deve-se colocar os filmes em agua corrente por 10 minutos para remover as soluções
processadoras residuais.
16. Quais os compostos da solução reveladora que permite revelar os cristais de
brometo de prata expostos?
Dois agentes reveladores são usados nas radiografias odontologicas: elon e
hidroquinona.
(O brometo de potassio e o benzotriazol são adicionados a solução reveladora para
impedir a revelação dos cristais halogenados de prata não expostos).
17. Qual é o composto alcalinizante do revelador que permite amolecer a
gelatina?
Carbonato de cálcio.
18. O hipossulfito de sódio presente no fixador permite o que?
Remove os cristais não expostos, fixando permanentemente a imagem.
19. Qual é o componente que se encontra tanto no revelador como no fixador e
qual é a sua função?
Sulfito de sódio, o qual protege as soluções de oxidação pelo oxigenio atmosferico e
tambem aumenta sua vida útil.
20. Qual é o componente do fixador que neutraliza a ação do revelador?
Acido acético.
21. Uma radiografia escura está relacionada com quais erros de processamento?
Super revelação, temperatura muito alta da solução reveladora, tempo muito longo,
concentração de revelador muito alta, fixação inadequada, exposição acidental a luz,
luz de segurança impropria, miliamperagem excessiva, kilovoltagem pico excessiva,
tempo excessivo, distancia fonte-filme muito curta.
22. Uma radiografia clara está relacionada com quais erros de processamento?
Subrevelação, temperatura muito baixa, tempo muito curto, termometro
descalibrado, solução reveladora saturada, revelador diluido ou contaminado, fixação
excessiva, subexposição, miliamperagem insuficiente, kilovoltagem pico insuficiente,
tempo insuficiente, distancia fonte-filme muito grande, filme invertido na boca.
23. Diga algumas diferenças entra os filmes “E”e “F”.
No filme F, os cristais de prata são em formato tubular com um tamanho de mais ou
menos 1,8 microns. São colocados paralelamente na superficie do filme, permitindo
que a area exposta seja maior, fazendo com que possa-se reduzir o tempo de
exposição em 60%.
24. Como é composta a camada protetora num filme radiográfico e qual a sua
finalidade?
É composta por um material muito similar a gelatina de sobremesa. É transparente e
porosa para permitir que as substancias quimicas possam fazer o seu efeito no
processo de revelação. Sua função é proteger a emulsão de danos, riscos...
25. Qual a finalidade do ecran intensificador?
Ele aumenta o efeito da radiação ao emitir luz, diminuindo assim o tempo de
exposição.
26. Quais ecrans intensificadores são mais rapidos e diga sua composição.
Ecrans de terras raras. Composição: gadolinio e lantanio.
27. Explique a camada anticruzamento.
Previne que a luz do ecran atue sobre as duas camadas da emulsão produzindo assim
uma imagem mais nítida.
28. Qual a função do chassi?
Dar suporte para os filmes e os ecrans e deixa-los em intimo contato.

Perguntas sobre sensores digitais e processamento digital


1. O que é uma imagem digital?
Consiste em um grande sistema de pixels individuais, organizados em uma matriz de
pares de linhas no sentido horizontal (filas), por pares de linhas no sentido vertical
(colunas).
2. Como é formada a imagem latente num dispositivo de carga acoplada?
Os raios X atingem a camada cintilante, e esta converte os raios X em luz. Essa luz
interage com o silício e forma o pacote de carga para cada pixel individual. Todos os
pacotes de carga em conjunto formam a imagem latente.
3. Qual o tamanho do pixel num CCD?
20 a 70 microns.
4. Como é transmitida a imagem latente desde um CCD até o computador?
A imagem é interpretada transferindo a carga de cada pixel da linha, de um pixel para
o proximo de forma sequencial. Quando chega no termino da fila, é transferida para
um amplificador de leitura e transmitida como voltagem ao conversor analogico digital
dentro do computador atraves de um cabo.
5. Qual é a função do material cintilador e quais são os mais utilizados num
CCD?
O material cintilador (oxibrometo gadolinio ou iodeto de cesio) cobre diretamente a
superficie do CCD para aumentar a eficiencia de absorção dos raios X no detector, uma
vez que o CCD é mais sensível a luz que aos raios X.
6. Qual a diferença entre CCD e CMOS?
A diferença entre eles consiste na forma como as cargas dos pixels são lidas.
Enquanto no CCD elas transferem de pixel para pixel, linha por linha, no CMOS cada
pixel está isolado do vizinho e é conectado diretamente a um transistor. A voltagem de
cada transistor pode ser transferida separadamente e lida por uma placa de captura de
imagem que está encaixada no computador e então pode ser armazenada e exibida
como um valor digital de cinza.
CMOS é uma tecnologia mais barata que CCD.
7. PSP: o que significa?
Placa de fosforo fotoestimulada.
8. Explique a produção da imagem na placa de fosforo fotoestimulada.
A camada de fosforo absorve e armazena a energia de raios X que não foi atenuada
pelo paciente. A placa da imagem é posicionada em um leitor, onde é escaneada por
um feixe de laser. A energia dos raios X armazenada na camada de fosforo é
transformada em luz que, por sua vez, é detectada por um tubo fotomultiplicador e
convertida em voltagem, que é transmitida para um computador e mostrada como
uma imagem digital.
9. Qual é o material de fosforo fotoestimulavel usado no PSP?
Fluor haleto de bário + európio.
10. Quantas horas pode ficar uma imagem armazenada na PSP mantendo uma
qualidade aceitavel?
12 a 24 horas.
11. Quantos são os Tons de cinza que pode ter uma imagem digital?
256.
12. Quais seriam as impressoras recomendadas para a impressão de imagens
digitais e por que?
Impressoras de sublimação, pois são as que podem reproduzir todas as tonalidades de
cinza, deixando a qualidade comparada a um filme convencional.
13. Defina efeito Blooming.
Fenomeno que ocorre quando há uso excessivo de um sensor de estado sólido, que
danifica um fotodetector causando uma degradação na imagem.
14. Como é chamada a capacidade de distinguir detalhes com precisão?
Resolução espacial, a qual depende do tamanho do pixel.
15. Diga alguns fatores que interferem na qualidade da imagem digital.
Resolução da imagem digital, resolução espacial, problemas com o sensor, hardware,
software, luz externa e reflexão da tela, limitações inerentes do sistema visual
humano, tamanho da tela, iluminação…

Perguntas sobre fatores que influenciam na imagem


radiografica

1.Diga quais são os fatores que influenciam na produção da imagem radiográfica.


Comprimento de onda de raios X, composição do objeto a ser radiografado, espessura
e densidade do objeto.
2. Diga como o comprimento de onda dos raios X influencia na produção da imagem
radiográfica.
Quanto menor o comprimento de onda, maior o poder de penetração e maior a
frequencia, consequentemente melhor a qualidade da imagem.
3. Quais tipos de imagens produzem os corpos que nao absorvem a radiação X?
Produzem imagens radiolucidas.
4. Quais tipos de imagens produzem os corpos que tem resistencia a radiação X?
Prozudem imagens radiopacas.
5. Como a espessura e a densidade do objeto influenciam na produção da imagem?
Quanto maior a espessura e densidade do objeto, maior o poder de absorção dos raios
X pelo objeto.
6. Se o paciente se movimentar durante a aquisição da imagem, ela será de boa
qualidade?
Não, com o movimento do paciente haverá possíveis borrões e distorções da imagem
real.
7. Quais são as interferências com o uso de filmes mais sensíveis na produção da
imagem?
Filmes mais sensíveis apresentam um maior tamanho dos cristais de prata, isso
acarreta perda de detalhe ou nitidez.
8. Quais fatores podem causar velamento (fog)?
Pode ser causado por: radiação secundária, luz de segurança incorreta,
sobrerrevelação, altas temperaturas da solução reveladora.
9. A nitidez da imagem é maior ou menor se o tamanho do pixel é pequeno?
Quanto menor o tamanho do pixel, maior é a nitidez da imagem.
10. Diga as características de uma radiografia de boa qualidade.
Ótimo detalhe, densidade média e contraste adequado.
11. O que é densidade e quais fatores a influenciam?
Densidade está relacionada com o grau de escurecimento do filme. Os fatores que
influenciam na densidade são: natureza e espessura do objeto radiografado,
miliamperagem, tempo de exposição, distância e quilovoltagem.
12. O aumento do mA e do tempo de exposição, aumentam ou diminuem a
densidade?
Aumentam.
13. O que é contraste?
Diferença entre os diversos tons de preto, branco e cinza.
14. Quando se vê uma imagem com poucos contraste quais são as tonalidades
presentes?
Brancas e pretas.
15. Qual é o fator que mais influencia no contraste?
O fator que mais influencia no contraste é o kV.
16. Quando se aumenta o kV, o contraste fica maior ou menor?
Quanto maior o kV, menor o contraste e consequentemente melhor a qualidade final
da imagem.
17. Na TCFC, explique o que ocorre quando existe:
a) Maior kV: diminui a dose, diminui contraste, diminui o ruído e diminui
artefatos.
b) Maior mA: diminui a dose e diminui o ruído.
c) Menor FOV: diminui dose, aumenta o contraste, diminui o ruído, aumenta
artefatos.
d) Menor voxel: aumenta a dose, aumenta a resolução espacial, aumentando
ruído.
e) Maior número de projeções: aumenta a dose, aumenta resolução espacial,
aumenta contraste, diminui o ruído e diminui artefatos.