Você está na página 1de 131

Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.

016998/2008-56

EDITAL

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010

Processo nº 10380.016998/2008-56
Regime de execução: Indireta
Tipo: Menor Preço por lote

A UNIÃO, por intermédio da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza -


DRF/FOR, neste ato representada pelo(a) Pregoeiro(a), designado(a) pela Portaria DRF/FOR nº 58, de
10/03/2010, da Delegada da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, torna público para conhecimento
dos interessados que, em conjunto com sua equipe de apoio, se reunirão no dia, hora e local designados
neste Edital, onde realizará certame licitatório, na modalidade de PREGÃO ELETRÔNICO, cujo objeto está
definido abaixo, que observará os preceitos de direito público e, em especial, as disposições da Lei nº
10.520, de 17/07/2002, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 18/07/2002, da Lei Complementar nº
123, de 14/12/2006, publicada no DOU. de 15/12/2006, do Decreto nº 6.204, de 05/09/2007, publicado no
DOU. de 05/09/2007, do Decreto nº 5.450, de 31/05/2005, publicado no DOU. de 01/06/2005, do Decreto nº
4.358, publicado no DOU. de 05/07/2002, do Decreto 3.722, de 09/01/2001, alterado pelo Decreto nº 4.485,
de 25/11/2002, do Decreto nº 2.271, de 07/07/1997, publicado no DOU. de 08/07/1997, da Instrução
Normativa MPOG/SLTI nº 02, de 30/04/2008, retificada no DOU de 23/05/2008, Instrução Normativa MARE
nº 05, de 21/07/1995, republicada no DOU de 19/04/1996, e da Portaria MPOG/SLTI nº 06, de 28/12/2007
e, subsidiariamente, da Lei nº 8.666, de 21/06/1993, e suas alterações, da Lei nº 10.406, de 10/01/2002, da
Lei nº 9.632, de 07/05/1998, da Lei nº 9.317, de 05/12/1996, da Lei nº 8.078, de 11/09/1990, da Lei nº
7.102, de 20/06/1983, alterada pelas Leis nº 8.863, de 28/03/1994, nº 9.017, de 30/03/1995, e nº 11.718, de
20/06/2006, regulamentada pelos Decretos nº 89.056, de 24/11/1983, e nº 1.592, de 10/08/1995, bem como
pelas Portarias DPF nº 891, de 12/08/1999, e nº 387/2006-DG/DPF, de 28/08/2006, e demais normas,
subordinado às demais legislações pertinentes e, ainda, às condições e exigências estabelecidas neste
Edital e seus Anexos, constantes do Processo MF nº 10380.016998/2008-56.

1. DO OBJETO

1.1. A presente licitação tem como objeto a ser contratado a prestação de serviços terceirizados, de
natureza contínua, de VIGILÂNCIA E SEGURANÇA, orgânica, armada, com fornecimento de
material e equipamento necessários, em três escalas de trabalho, conforme detalhamento
constante do Edital, a serem executados nas dependências das unidades administrativas
jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, e na Alfândega da
Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza, nos imóveis abaixo relacionados, em 2 (dois)
lotes:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 1/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Posto
Lot Ite de Qte
Unidade Endereços Escala
e m Trabalh Postos
o
Agência da Receita Federal do Brasil em Aracati Armada 12 x 36 1
ARF/ Diurna horas
1 Rua Cel Raimundo Porto, nº 171 - bairro Centro
ATI Armada 12 x 36
62.800-000 - Aracati, CE 1
Noturna horas
44
Agência da Receita Federal do Brasil em Baturité
ARF/ Armada horas
2 Rua 15 de Novembro, nº 918 - bairro Centro 1
BTE Diurna /semanai
62.760-000 - Baturité, CE
s
Armada 12 x 36
Agência da Receita Federal do Brasil em Caucaia 1
ARF/ Diurna horas
3 Rua Pedro Gomes da Rocha, 261 - bairro Centro
CCA Armada 12 x 36
61.600-120 - Caucaia, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
Agência da Rec. Federal do Brasil em Itapipoca 1
ARF/ Diurna horas
4 Rua Éubia Barroso, nº 2.800 - bairro Centro
IPC Armada 12 x 36
62.500-000 - Itapipoca, CE 1
Noturna horas
I Armada 12 x 36
Agência da Rec. Federal do Brasil em Maranguape 1
ARF/ Diurna horas
5 Rua Cel. Antônio Botelho de Sousa, nº 31 - Centro
MAR Armada 12 x 36
61.940-005 - Maranguape, CE 1
Noturna horas
44
Agência da Rec. Federal do Brasil em Quixadá
ARF/ Armada horas
6 Rua Basílio Pinto, nº 221 - bairro Centro 1
QUI Diurna /semanai
62.900-000 - Quixadá, CE
s
Armada 12 x 36
Agência da Rec. Fed. do Brasil em Quixeramobim 1
ARF/ Diurna horas
7 Rua Mons. Salviano Pinto, nº 165 - bairro Centro
QBM Armada 12 x 36
63.800-000 - Quixeramobim, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
Agência da Receita Federal do Brasil em Russas 1
ARF/ Diurna horas
8 Av. Dom Lino, nº 128 - bairro Centro
RUS Armada 12 x 36
62.900-000 - Russas, CE 1
Noturna horas
Alfândega da Receita Federal do Brasil do Armada 12 x 36
3
ALF/ Porto de Fortaleza Diurna horas
II 9
FOR Av. Vicente de Castro, nº 6971 - bairro Mucuripe Armada 12 x 36
3
62.180-410 - Fortaleza, CE Noturna horas
1.1.1. Para o encaminhamento da proposta de preços objeto desta licitação não será exigido o
preenchimento e envio de qualquer arquivo anexo, uma vez que o sistema eletrônico não permite
este procedimento antes da conclusão da etapa de lances.
1.1.2. O licitante arcará integralmente com todos os custos de preparação e apresentação de sua
proposta e a Administração não será, de nenhuma forma, responsável direta ou indiretamente por
seus custos, independente do resultado do procedimento licitatório.

2. DA ABERTURA

2.1. A abertura da presente licitação dar-se-á em sessão pública, por meio de sistema eletrônico
(comunicação pela Internet), dirigida pelo Pregoeiro, a ser realizada conforme abaixo, de acordo
com a legislação mencionada no preâmbulo deste Edital.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 2/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

DATA DA ABERTURA: 19 de maio de 2010


HORÁRIO DA ABERTURA: a partir das 09:00 horas, horário de Brasília, DF.
LOCAL: via Internet, através do sítio www.comprasnet.gov.br
UASG: 170041 - Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza
RECEBIMENTO DAS PROPOSTAS: a partir da divulgação do Edital no sítio
www.comprasnet.gov.br até o início da sessão de abertura da licitação.

3. DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO NA LICITAÇÃO

3.1. Poderão participar deste Pregão as interessadas, cadastradas ou não no Sistema de


Cadastramento Unificado de Fornecedores - SICAF, que atenderem a todas as exigências
constantes deste Edital e seus Anexos.
3.2. As microempresas e empresas de pequeno porte poderão se beneficiar do tratamento
diferenciado e favorecido em licitações, previsto na Lei Complementar nº 123/06, desde que não se
enquadrem em qualquer das exclusões relacionadas no parágrafo quarto do seu artigo terceiro.
3.3. Somente poderão participar da presente licitação as interessadas previamente credenciadas
perante o provedor do sistema eletrônico, na forma do disposto no artigo 3º do Decreto nº 5.450/05.
3.4. O Pregão será conduzido pela Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza (órgão
promotor da licitação), com apoio técnico e operacional da Secretaria de Logística e Tecnologia da
Informação - SLTI do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MPOG, que atuará como
provedor do sistema eletrônico para esta licitação.
3.5. Caberá à interessada em participar do Pregão, na forma eletrônica:
3.5.1. remeter, no prazo estabelecido, exclusivamente por meio eletrônico, via internet, a
proposta e, quando for exigido neste Edital, também os seus anexos;
3.5.2. responsabilizar-se formalmente pelas transações efetuadas em seu nome, assumindo
como firmes e verdadeiras suas propostas e lances, inclusive os atos praticados diretamente ou
por seu representante, não cabendo ao provedor do sistema ou ao órgão promotor da licitação
responsabilidade por eventuais danos decorrentes de uso indevido da senha, ainda que por
terceiros;
3.5.3. acompanhar as operações no sistema eletrônico durante o processo licitatório,
responsabilizando-se pelo ônus decorrente da perda de negócios diante da inobservância de
quaisquer mensagens emitidas pelo sistema ou de sua desconexão;
3.5.4. comunicar imediatamente ao provedor do sistema qualquer acontecimento que possa
comprometer o sigilo ou a inviabilidade do uso da senha, para imediato bloqueio de acesso;
3.5.5. utilizar-se da chave de identificação e da senha de acesso para participar do Pregão na
forma eletrônica, e
3.5.6. solicitar o cancelamento da chave de identificação ou da senha de acesso por interesse
próprio.
3.6. O fornecedor descredenciado no SICAF terá sua chave de identificação e senha suspensas
automaticamente.
3.7. Não poderão participar da presente licitação as interessadas que estejam cumprindo
suspensão temporária de participação em licitação e/ou contratação com a Delegacia da Receita
Federal do Brasil em Fortaleza; tenham sido declaradas inidôneas ou estejam impedidas de licitar
ou contratar com a Administração Pública; se encontrem sob falência, concordata, recuperação
judicial, concurso de credores, dissolução ou liquidação; bem como licitantes que se apresentem
constituídos na forma de empresas em consórcio, qualquer que seja sua forma de constituição.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 3/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

3.8. Também não poderão participar da presente licitação as sociedades cooperativas de mão-
de-obra, tendo em vista o Termo de Conciliação Judicial firmado entre a União e Ministério Público
do Trabalho em 05/06/03, homologado judicialmente através do processo nº 1082/02 da 20ª Vara
do Trabalho de Brasília/DF, bem como o Acórdão do Tribunal de Contas da União - TCU nº
1.815/03 - Plenário, publicado na Seção 1 do D.O.U. de 09/12/03, ratificado pelo Acórdão TCU nº
724/06 - Plenário.

4. DAS IMPUGNAÇÕES E DOS PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS

4.1.Qualquer pessoa poderá impugnar os termos do presente Edital, na forma eletrônica,


encaminhando-a através do endereço drffor.licitacao@receita.fazenda.gov.br, em até 2 (dois)
dias úteis antes da data de realização da sessão pública do Pregão, cabendo ao Pregoeiro,
auxiliado pelo setor responsável pela elaboração do Edital, decidir a respeito no prazo de até 24
(vinte e quatro) horas.
4.2. Não serão conhecidas as impugnações interpostas, vencidos os respectivos prazos legais.
4.3. Acolhida a impugnação contra o ato convocatório, será designada nova data para a realização
do certame, reabrindo-se o prazo inicialmente estabelecido, exceto quando, inquestionavelmente, a
alteração não afetar a formulação das propostas.
4.4. Os pedidos de esclarecimentos referentes ao processo licitatório deverão ser enviados ao
Pregoeiro até 3 (três) dias úteis anteriores à data fixada para abertura da sessão pública,
exclusivamente por meio eletrônico, via internet, para o endereço
drffor.licitacao@receita.fazenda.gov.br.
4.5. Os avisos, as impugnações, os pedidos de esclarecimentos e respectivos posicionamentos do
Pregoeiro serão disponibilizadas no endereço eletrônico www.comprasnet.gov.br, por meio do link
Acesso livre>Pregões>Agendados, para conhecimento da sociedade em geral e dos
fornecedores, cabendo aos interessados em participar do certame acessá-lo para a obtenção das
informações prestadas.

5. DO CREDENCIAMENTO

5.1. Os licitantes ou seus representantes legais deverão estar previamente credenciados junto ao
órgão provedor do sistema.
5.2. O credenciamento do licitante perante o provedor do sistema eletrônico dar-se-á pela atribuição
de chave de identificação e de senha, pessoal e intransferível, para acesso ao sistema eletrônico no
Portal de Compras do Governo Federal - ComprasNET, sítio www.comprasnet.gov.br.
5.3. O credenciamento junto ao provedor do sistema implica a responsabilidade legal do licitante e a
presunção de sua capacidade técnica para realização das transações inerentes ao Pregão.

6. DO ENVIO DAS PROPOSTAS

6.1.Após a divulgação do Edital no portal ComprasNET, endereço eletrônico


www.comprasnet.gov.br, os licitantes deverão encaminhar proposta com a descrição do objeto
ofertado e o preço até a data e hora marcadas para abertura da sessão, exclusivamente por meio
do sistema eletrônico, quando, então, encerrar-se-á, automaticamente, a fase de recebimento de
propostas.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 4/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

6.1.1. Para o encaminhamento da proposta de preços objeto desta licitação não será exigido o
envio de nenhum arquivo anexo em razão de que o sistema eletrônico não permite esse
procedimento antes da conclusão da etapa de lances, com vistas a impedir o conhecimento dos
licitantes participantes do certame.
6.1.2. O licitante detentor da proposta ou do lance de menor valor, após a etapa de lances, será
convocado pelo Pregoeiro para enviar sua proposta de preço, bem como Planilha de Custo e
Formação de Preços, exclusivamente por meio eletrônico, conforme modelos constante nos
Anexos III e IV deste Edital.
6.2. Para participação no Pregão, o licitante deverá manifestar, em campo próprio do sistema
eletrônico, que:
I. cumpre plenamente os requisitos de habilitação, que sua proposta está em
conformidade com as exigências do Edital e que inexiste fato superveniente impeditivo, de
sua habilitação
II.não emprega menores de 18 (dezoito) anos em trabalho noturno, perigoso ou insalubre, ou
menores de 16 (dezesseis) anos, em qualquer trabalho, salvo na condição de aprendiz, a partir de 14
(quatorze) anos, nos termos do Decreto n° 4.358/2002; e
III.enquadra-se como microempresa ou empresa de pequeno porte e deseja usufruir, nesta
licitação, do tratamento diferenciado e favorecido concedido pela Lei Complementar nº 123/06,
regulamentado pelo Decreto nº 6.204/07, e cumpre os requisitos legais para sua qualificação, estando apta
a usufruir do tratamento estabelecido nos arts. 42 a 49 daquela Lei Complementar.
6.2.1. Caso a microempresa ou empresa de pequeno porte assinale, equivocadamente, no sistema
eletrônico, a alternativa de que não cumpre os requisitos estabelecidos no art. 3º da Lei Complementar nº
123/06, ou ainda, deixe de assinalar, será considerado pelo sistema, para todos os fins, inclusive para
desempate, que o licitante, mesmo podendo, optou por não se beneficiar, nesta licitação, do regime
diferenciado e favorecido previsto na mencionada Lei, não cabendo, posteriormente, qualquer reclamação
e/ou recurso visando alterar essa situação.
6.2.2. A declaração falsa relativa ao cumprimento dos requisitos de habilitação e proposta
sujeitará o licitante às sanções previstas neste Edital.
6.3. Até a abertura da sessão, os licitantes poderão retirar ou substituir a proposta anteriormente
apresentada.
6.4. Para formular e encaminhar a proposta de preços, no idioma oficial do Brasil, exclusivamente
por meio do sistema eletrônico, o licitante deverá estar ciente e levar em consideração, além da
especificação e condições estabelecidas neste Edital, notadamente no item, a obrigatoriedade de
cotar materiais de consumo e reposição novos, de primeira qualidade, e o atendimento dos
seguintes requisitos:
6.4.1. Apresentar os preços de forma completa, computando todos os custos necessários para o
atendimento do objeto desta licitação, bem como todos os materiais, equipamentos, uniformes,
tributos, encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais, comerciais, taxas, fretes, seguros,
deslocamentos de pessoal, transporte, garantia e quaisquer outros que incidam ou venham a
incidir sobre o objeto licitado, constante da proposta.
6.4.2. A proposta comercial deverá ser apresentada para todos os itens (de cada lote) da
licitação, tendo em vista que o julgamento será pelo menor valor global do lote, e o preço
constante da Proposta de Preço será o preço global para a prestação dos serviços pelo
período de 12 (doze) meses, conforme modelos constante nos Anexos III e IV deste Edital,
que será obtido através da soma dos preços finais das planilhas apresentadas. Não serão
aceitos índices de produtividade diferentes.
6.5. Para a composição das planilhas o licitante deverá:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 5/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

6.5.1. apresentar uma Planilha de Custos e Formação de Preços, instituída pela IN SLTI/MPOG
nº 02/2008, distinta para cada local de prestação dos serviços e por tipo de posto de trabalho
(armada, de 44 horas semanais diurnas, 12 X 36 horas diurnas e 12 X 36 horas noturnas), com
a discriminação dos custos, dos preços unitários, o preço mensal e o preço global da proposta
(12 meses), conforme modelo do Anexos IV;
6.5.2. indicar na proposta de preço, sob sua inteira responsabilidade, o sindicato, o salário
normativo vigente e a data-base do acordo, convenção ou dissídio coletivo homologado ou
sentenças normativas que regem as categorias profissionais que executarão os serviços e as
respectivas datas bases e vigências, com base no Código Brasileiro de Ocupações - CBO;
6.5.3. indicar a quantidade de pessoal que será alocado na execução contratual para cada um
dos locais de prestação dos serviços;
6.5.4. provisionar custos (reserva técnica e/ou hora extra) para suprir as despesas do intervalo
intra-jornada (horário de almoço e jantar) dos vigilantes;
6.5.5. informar a relação dos materiais e equipamentos que serão utilizados na execução dos
serviços, indicando o quantitativo e sua especificação;
6.5.6. constituir memorial de cálculo de insumos;
6.5.7. proceder às adaptações necessárias ao regime de tributação que deverão correr por
conta do licitante, observando regime de tributação da empresa;
6.6. Os licitantes deverão registrar nas Planilhas de Custos os tributos de forma discriminada,
conforme o regime de tributação a que estão submetidas, com as exceções previstas abaixo:
I. inserir na Planilha de Custos e Formação de Preços os índices referentes aos tributos,
que serão obrigatoriamente, no mínimo, os estabelecidos pela IN SRF nº 480/04, com as
alterações introduzidas pela IN SRF nº 539/05, ou outra que vier a sucedê-las, bem como
os estabelecidos pela legislação municipal vigente, relativa ao município onde serão
prestados os serviços objeto do presente Edital, sob pena de desclassificação da Proposta
de Preço (Acórdão TCU nº 354/2004, DOU de 13/04/2004);
II.não inserir custos relativos ao IRPJ e CSLL na planilha de custo e formação de preço,
tendo em vista o item 9.1 do Acórdão TCU nº 950/07 - Plenário e na orientação do MPOG
aos Ministérios, Mensagem SIASG/COMUNICA nº 037226, de 12/06/07. Será
desclassificada a proposta que incluir tais tributos;
III. as microempresas e empresas de pequeno porte optantes pelo Simples Nacional,
instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, caso não haja vedação legal para opção em
razão do objeto da licitação, deverão subtrair da alíquota a que estiverem sujeitas os
percentuais correspondentes ao IRPJ e CSLL;
IV. havendo dúvida quanto à regularidade da opção pelo Simples Nacional feita pela
microempresa ou empresa de pequeno porte, o Pregoeiro representará junto ao órgão
competente solicitando manifestação quanto à ocorrência ou não de hipótese de vedação,
nos termos do caput do art. 17 da Lei Complementar nº 123/2006, para que, se for o caso,
seja feita a exclusão e adotadas as medidas dela decorrentes.
6.7.Os preços máximos admitidos para a contratação, atualmente, são os estabelecidos na Portaria
SLTI/MPOG nº 04/2009, com a exceção prevista no seu artigo 2º, e definidos em conformidade
com o inciso XII do artigo 15 da IN SLTI/MPOG nº 02/2008.
I. No caso de edição de norma regulamentar posterior à aprovação deste Edital e anterior
à data estipulada para recebimento dos envelopes, que altere os valores da Portaria
MPOG nº 04/2009, fica estabelecido que os valores máximos serão os definidos na nova
norma regulamentar.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 6/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

6.8. Apresentar prazo de validade das condições propostas não inferior a 60 (sessenta) dias
correntes, a contar da data marcada para abertura da sessão pública. Não havendo indicação
expressa será considerado como tal.
6.9. Conter prazo para início da prestação dos serviços, que será a partir da data de publicação do
contrato, ou a data estipulada na publicação do extrato do contrato no Diário Oficial da União, se
esta publicação ocorrer após aquela data. Não havendo indicação expressa será considerado como
tal.
6.10. Os preços propostos serão de exclusiva responsabilidade do licitante, não lhe assistindo o
direito de pleitear qualquer alteração, sob alegação de erro, omissão ou qualquer outro pretexto.
6.10.1. O licitante não poderá alegar erros ou omissões praticados na proposta, com o intuito de
acrescer o valor proposto ou desviar-se de obrigações previstas em legislação.
6.10.2. O contratado deverá arcar com o ônus decorrente de eventual equívoco no
dimensionamento dos quantitativos de sua proposta, devendo complementá-los, caso o previsto
inicialmente em sua proposta não seja satisfatório para o atendimento ao objeto da licitação,
exceto quando ocorrer algum dos eventos arrolados nos incisos do § 1º do artigo 57 da Lei nº
8.666/93.
6.11. Serão desclassificadas as propostas que não atendam às exigências do ato convocatório.
6.12. A proposta deverá limitar-se ao objeto desta licitação, sendo desconsideradas quaisquer
alternativas de preço ou qualquer outra condição não prevista no Edital.
6.13. Independentemente de declaração expressa, a simples apresentação da proposta implica
conhecimento e submissão a todas as condições estipuladas neste Edital e seus Anexos, sem
prejuízo da estrita observância das normas contidas na legislação mencionada no preâmbulo deste
Edital.
6.14. As propostas apresentadas somente poderão ser alteradas em seus valores durante a fase de
lance, em conseqüência da aplicação do regime diferenciado e favorecido em licitações concedido
às microempresas e empresas de pequeno porte pela Lei Complementar nº 123/06, e/ou por
negociação realizada pelo Pregoeiro.

7. DA ABERTURA DA SESSÃO E
DA DIVULGAÇÃO DAS PROPOSTAS

7.1. A partir do horário previsto no item2.1. deste Edital, a sessão pública na internet será aberta
por comando do Pregoeiro, com a divulgação das propostas de preços recebidas, sem identificação
dos licitantes por parte do sistema eletrônico.
7.2. Qualquer cidadão poderá acompanhar a sessão pública na internet, através do acesso livre.

8. DA DESCONEXÃO DO PREGOEIRO E DO LICITANTE

8.1. No caso de desconexão do pregoeiro, no decorrer da etapa de lances, se o sistema


eletrônico permanecer acessível aos licitantes, os lances continuarão sendo recebidos, sem
prejuízo dos atos realizados.
8.2. Quando a desconexão do pregoeiro persistir por tempo superior a 10 (dez) minutos, a sessão
do pregão na forma eletrônica será suspensa e reiniciada somente após comunicação aos
participantes, no endereço eletrônico utilizado para divulgação, conforme o art. 24, §11, do Decreto
nº 5.450/05.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 7/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

8.3. Quando houver desconexão ou falta de atenção do licitante no decorrer das operações no
sistema eletrônico durante o processo licitatório, o mesmo será responsável pelo ônus decorrente
da perda de negócios diante da inobservância de quaisquer mensagens emitidas pelo sistema ou
de sua desconexão, conforme art. 13, inciso IV, do Decreto nº 5.450/2005.

9. DA ANÁLISE, DA DESCLASSIFICAÇÃO E
DA CLASSIFICAÇÃO DAS PROPOSTAS.

9.1. O pregoeiro verificará as propostas apresentadas, desclassificando aquelas que não estejam
em conformidade com os requisitos estabelecidos no Edital.
9.2. A desclassificação de proposta será sempre fundamentada e registrada no sistema, com
acompanhamento em tempo real por todos os participantes.
9.3. As propostas, contendo a descrição do objeto e valor, estarão disponíveis na Internet no portal
ComprasNET.
9.4. O sistema disponibilizará campo próprio para mensagens do Pregoeiro, cabendo aos licitantes
acompanhá-las, não sendo possível neste momento nenhuma manifestação dos licitantes.
9.5. O sistema ordenará, automaticamente, as propostas classificadas pelo pregoeiro, sendo que
somente estas participarão da fase de lances, conforme disposto no art. 23, do Decreto nº 5.450/05.
9.6. Classificadas as propostas, o Pregoeiro dará início à fase competitiva, quando então os
licitantes poderão encaminhar lances, exclusivamente por meio do sistema eletrônico.
9.7. Na análise das propostas, o Pregoeiro poderá sanar erros ou falhas que não alterem a
substância das propostas, dos documentos e sua validade jurídica, mediante despacho
fundamentado, registrado em ata e acessível a todos, atribuindo-lhes validade e eficácia para fins
de classificação.

10. DA ETAPA DE LANCES

10.1. Os licitantes poderão encaminhar lances exclusivamente por meio do sistema eletrônico e
serão imediatamente informados de seu recebimento e do valor consignado no registro.
10.2. Os licitantes poderão oferecer lances sucessivos, observados o horário fixado para a abertura
da sessão e as regras estabelecidas neste Edital.
10.3. O licitante somente poderá oferecer lance inferior ao último por ele ofertado e registrado pelo
sistema.
10.4. Não serão aceitos dois ou mais lances iguais, prevalecendo aquele que for recebido e
registrado primeiro.
10.5. Durante a fase de lances, o Pregoeiro poderá excluir, justificadamente, lance cujo valor for
considerado inexeqüível.
10.6. A etapa de lances da sessão pública será encerrada por decisão do Pregoeiro.
10.7. O sistema eletrônico encaminhará aviso de fechamento iminente dos lances, após o que
transcorrerá período de tempo de até 30 (trinta) minutos, aleatoriamente determinado pelo sistema
eletrônico, findo o qual será automaticamente encerrada a recepção de lances.
10.8. Procedimento a ser adotado no caso de ocorrência de empate, na forma e condições da Lei
Complementar nº 123/06, quando a menor proposta ou o menor lance não for ofertado por

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 8/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

microempresa ou empresa de pequeno porte que possa se beneficiar do regime diferenciado e


favorecido em licitações previsto na mencionada lei.
10.8.1. Entende-se por empate, nos termos da Lei Complementar nº 123/06, aquelas situações
em que as propostas apresentadas pelas microempresas e empresas de pequeno porte sejam
iguais ou até 5% (cinco por cento) superiores à proposta mais bem classificada durante a etapa
de lances.
10.8.2. Após a etapa de lances, sendo verificada a ocorrência de empate, proceder-se-á da
seguinte forma:
I. a microempresa ou empresa de pequeno porte mais bem classificada no intervalo
percentual de até 5%, definido nos termos do item 10.8.1 do presente Edital, será
convocada automaticamente pelo sistema eletrônico para, querendo, apresentar nova
proposta de preço inferior àquela classificada com o menor preço ou lance, no prazo
máximo de 5 (cinco) minutos após o encerramento dos lances, sob pena de preclusão. É
de responsabilidade do licitante a sua conexão com o sistema eletrônico durante o prazo
acima referido para o exercício do direito previsto neste item; apresentada proposta nas
condições acima referidas, será analisada sua documentação de habilitação;
II. não sendo declarada vencedora a microempresa ou empresa de pequeno porte, na
forma do inciso anterior, serão convocadas automaticamente pelo sistema eletrônico as
remanescentes que porventura se enquadrem na hipótese do item do presente Edital, na
ordem classificatória, para o exercício do mesmo direito;
III. no caso de equivalência dos valores apresentados pelas microempresas e empresas
de pequeno porte que se encontrem no intervalo estabelecido no citado item 10.8.1, será
realizado, pelo sistema, sorteio eletrônico entre elas, definindo e convocando
automaticamente o vencedor do sorteio para, querendo, encaminhar melhor oferta;
IV. não havendo licitante vencedor enquadrado como microempresa ou empresa de
pequeno porte, nos termos previstos no item 6.2 do presente Edital, será analisada a
documentação de habilitação do licitante que originalmente apresentou a menor proposta
ou lance e, se regular, será declarado vencedor, sendo, na hipótese de não interposição
de recurso, adjudicado em seu favor o objeto licitado.
V. O disposto na alínea anterior somente se aplicará quando a menor proposta ou o
menor lance não tiver sido apresentado por microempresa ou empresa de pequeno porte.
10.9. Após o encerramento da etapa de lances da sessão pública, ou do procedimento em caso de
empate, o sistema eletrônico procederá à classificação final dos licitantes. Somente então o
Pregoeiro poderá encaminhar, pelo sistema eletrônico, contraproposta ao licitante que tenha
apresentado o lance mais vantajoso, para que seja obtida a melhor proposta, observado o critério
de julgamento, não se admitindo negociar condições diferentes daquelas previstas neste Edital.
10.10. A negociação será realizada por meio do sistema, podendo ser acompanhada pelos demais
licitantes.
10.11. O sistema disponibilizará campo próprio para mensagens do Pregoeiro, cabendo aos
licitantes acompanhá-las, sendo possível, a partir deste momento, manifestação do licitante
convocado pelo Pregoeiro.
10.12. Caso não sejam apresentados lances, será verificada a conformidade entre a proposta de
menor preço e valor estimado para a contratação.

11. DO JULGAMENTO E DA ACEITABILIDADE DAS PROPOSTAS

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 9/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

11.1. O julgamento das propostas obedecerá ao critério do menor preço por lote.
11.2. Para os efeitos do julgamento e aceitabilidade das propostas deste Edital, são adotadas as
seguintes definições:
11.2.1. MENOR PREÇO POR ITEM - valor total correspondente à multiplicação do valor unitário
mensal do item por 12 (doze) meses
11.2.2. MENOR PREÇO POR LOTE - somatório do menor preço total por item de cada um dos
itens agrupados; e
11.2.3. LOTE - agrupamento de 2 (dois) ou mais itens, de mesma natureza ou inter-
relacionados.
11.3. O julgamento das propostas obedecerá aos seguintes critérios:
11.3.1. O Pregoeiro examinará a proposta classificada em primeiro lugar quanto à
compatibilidade do preço em relação ao estimado para contratação e verificará a habilitação do
licitante conforme disposições deste Edital.
I. Para classificação de aceitabilidade da proposta, será adotado o critério do menor valor
total do lote, julgados item a item, observados os requisitos, as obrigações e os
parâmetros mínimos de desempenho definidos neste Edital.
II.O preço máximo aceitável pela Administração referente aos postos de vigilância e
segurança será o definido por Portaria da Secretaria de Logística e Tecnologia da
Informação - SLTI - do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MPOG.
11.3.2. O Pregoeiro anunciará o licitante detentor da proposta ou do lance de menor valor,
imediatamente após o encerramento da etapa de lances da sessão pública ou, quando for o
caso, após negociação e decisão pelo Pregoeiro acerca da aceitação do lance de menor valor.
11.4. Se a proposta ou o lance de menor valor não for aceitável, ou se o licitante não atender às
exigências habilitatórias, o Pregoeiro examinará a proposta ou o lance subsequente, verificando a
sua aceitabilidade e procedendo a sua habilitação, e assim sucessivamente, na ordem de
classificação, até a apuração de uma proposta ou lance que atenda ao Edital.
11.5. Ocorrendo a situação a que se refere o item anterior, o Pregoeiro poderá negociar com o
licitante para que seja obtido preço melhor.
11.6. Caso não haja lances e ocorra empate entre as propostas de menor preço, verificar-se-á a
conformidade das mesmas com as exigências do Edital e com o valor estimado pela Administração,
passando-se ao sorteio em caso de empate.
11.7.A proposta vencedora, a classificação dos lances apresentados e demais informações relativas
à sessão pública do Pregão constarão de ata divulgada no sistema eletrônico, sem prejuízo das
demais formas de publicidade, previstas na legislação pertinente.
11.8. Serão desclassificadas as propostas:
I. que não atendam às regras estabelecidas neste Edital e seus Anexos;
II. com valor global superior ao limite estabelecido no item 7, do Anexo I;
III. que apresentem preços global ou unitário simbólicos, irrisórios ou de valor zero,
incompatíveis com os preços dos insumos e salários de mercado, acrescidos dos
respectivos encargos;
IV. que contenham vícios ou ilegalidades.

12. DOS DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 10/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

12.1. É permitida a verificação da Habilitação Jurídica, Regularidade Fiscal e prova de regularidade


para com a Fazenda Estadual e Municipal do domicílio ou sede da licitante, ou outra equivalente, na
forma da lei. na forma e condições estabelecidas neste Edital, por meio de habilitação parcial no
SICAF (Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores), nos termos do Decreto nº 3.722/01
e da Instrução Normativa MARE nº 05/95, assegurado ao licitante cadastrado o direito de
apresentar a documentação atualizada e regularizada na própria sessão do Pregão.
12.2. Para a habilitação regulamentada neste item, o interessado deverá atender às condições
exigidas para a habilitação parcial no SICAF, apresentando a documentação discriminada na IN
MARE nº 05/95, até o terceiro dia útil anterior à data prevista para o recebimento da proposta de
preço e dos documentos de habilitação.
12.3. No caso de inscrição ou atualização do cadastro realizado no prazo definido acima, porém
ainda não constante no SICAF, o interessado deverá comprovar, na sessão do Pregão, o
cumprimento desta exigência.
12.4. O licitante classificado com o menor preço, aceito pelo Pregoeiro, que optar por não utilizar o
SICAF para fins de verificação de sua situação jurídica e fiscal, deverá apresentar os documentos
relacionados nos subitens 12.4.1, 12.4.2, 12.4.3 e itens 12.5 e 12.6, relacionados a seguir, via fac-
símile, na própria sessão do Pregão, bem comoos documentos pertinentes ao Edital solicitados
pelo Pregoeiro:
12.4.1. Habilitação Jurídica
I. Registro Comercial, no caso de empresário individual.
II.Ato constitutivo, estatuto social ou contrato social em vigor, devidamente registrado, em
se tratando de sociedade empresária, e, no caso de sociedades por ações, acompanhado
de documentos de eleição de seus administradores, devidamente registrados. Os
documentos deverão estar acompanhados de todas as alterações ou da consolidação
respectiva.
III. Inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades simples, acompanhada de prova de
diretoria em exercício.
IV. Decreto de autorização, em se tratando de empresa ou sociedade estrangeira em
funcionamento no País, e ato de registro ou autorização para funcionamento expedido
pelo órgão competente, quando a atividade assim o exigir.
12.4.2. Regularidade Fiscal
I. Prova de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ;
II.prova de inscrição no cadastro de contribuintes municipal, se houver, relativo ao
domicílio ou sede do licitante, pertinente ao seu ramo de atividade e compatível com o
objeto contratual;
III. prova de regularidade para com a Fazenda Nacional, conforme Decreto nº 6.106, de
30/04/07, com as alterações do Decreto nº 6.420, de 01/04/2008, que será efetuada
mediante a apresentação de:
a. certidão específica, emitida pela Secretaria da Receita Federal do Brasil, quanto às
contribuições sociais previstas nas alíneas “a”, “b” e “c” do parágrafo único do
artigo 11 da Lei nº 8.212, de 24/07/91, às contribuições instituídas a título de
substituição e às contribuições devidas, por lei, a terceiros, inclusive inscritas em
dívida ativa do Instituto Nacional do Seguro Social e da União, por ela
administradas;
b. certidão conjunta, emitida pela Secretaria da Receita Federal do Brasil e
Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, quanto aos demais tributos federais e à
Dívida Ativa da União, por elas administrados;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 11/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

IV. prova de regularidade relativa ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);
V. prova de regularidade para com a Fazenda Estadual e Municipal do domicílio ou sede
da licitante, ou outra equivalente, na forma da lei.
12.4.3. Qualificação Econômico-Financeira
I. Balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício social, já exigíveis e
apresentados na forma da lei, que comprovem a boa situação financeira da empresa,
vedada a sua substituição por balancetes ou balanços provisórios, podendo ser
atualizados por índices oficiais quando encerrados há mais de 3 (três) meses da data da
apresentação;
II.comprovação da boa situação financeira da empresa, por intermédio de documento que
demonstre o cálculo dos índices contábeis maiores que 1,0 (um) para Liquidez Geral (LG),
Solvência Geral (SG) e Liquidez Corrente (LC) a serem extraídos das demonstrações
contábeis citadas no inciso anterior, resultante da aplicação das seguintes fórmulas:

LG = Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo


Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo

SG = Ativo Total
Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo

LC = Ativo Circulante
Passivo Circulante

III. Os licitantes que apresentarem resultado igual ou menor do que 1,0 (um) em quaisquer
dos índices contábeis referidos no inciso acima deverão comprovar que possuem
Patrimônio Líquido igual ou superior ao correspondente a 10% (dez por cento) do valor
estimado total do contrato (12 meses), encaminhados em sua proposta de preços.
a. O balanço patrimonial deverá estar assinado por Contador ou por outro profissional
equivalente, devidamente registrado no Conselho Regional de Contabilidade.
b. As fórmulas dos índices contábeis deverão estar devidamente aplicadas em
memorial de cálculo juntado ao balanço. Caso o memorial não seja apresentado, o
pregoeiro ou sua equipe de apoio efetuará os cálculos.
c. As empresas constituídas no exercício em curso deverão apresentar
impressão/cópia do balanço de abertura ou impressão/cópia do livro diário
contendo o balanço de abertura, inclusive com os termos de abertura e
encerramento.
d. Quando na execução dos cálculos através dos índices informados, ou o sistema
não possuir dados suficientes para elaboração dos índices, estes deverão ser
extraídos da demonstração do Balanço Patrimonial devidamente registrado no
Órgão competente na forma da legislação vigente, cujos documentos, balanço e
demonstrativo, deverão ser apresentados conforme item “a” acima.
IV. Certidão negativa expedida pelo cartório distribuidor de falência ou de recuperação
judicial do local da sede do licitante, com data de expedição não superior a 60 (sessenta)
dias, quando não houver prazo de validade expresso no documento.
12.5. O licitante classificado com o menor preço, aceito pelo Pregoeiro, inclusive a que optou
em utilizar o SICAF para fins de verificação de sua habilitação, deverá apresentar, via fac-símile,
na própria sessão do Pregão, os seguintes documentos:
12.5.1. Qualificação técnica

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 12/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

I. Registro ou inscrição na entidade profissional competente da região a que estiver


vinculada o licitante, pertinente ao seu ramo de atividade, relacionado com o objeto do
presente Pregão;
II. Atestado(s) de Capacidade Técnico-Operacional fornecido(s) por pessoa jurídica de
direito público ou privado, comprovando que o licitante prestou ou está prestando serviços
pertinentes e compatíveis em características e quantidades com o objeto da presente
licitação, inclusive indicando o grau de satisfação, conforme Anexo VI do Edital. Será
admitido o somatório de atestados quando se referirem à execução de serviços similares e
compatíveis com as características e quantidades de postos de trabalho, desde que
prestados simultaneamente;
III. Autorização para Funcionamento no Estado do Ceará, onde serão prestados o serviço,
dentro do prazo de validade, expedida pelo Ministério da Justiça - Departamento de Polícia
Federal, conforme estabelece a Lei nº 7.102, de 20/6/83, Decreto nº 89.056, de 24/11/83 e
Portaria/DPF/MJ nº 992, de 25/10/95, acompanhada da respectiva Revisão da Autorização
de Funcionamento, exceto para as constituídas há menos de um ano;
IV. Certificado de Segurança, dentro do prazo de validade, expedido pelo Departamento de
Polícia Federal no Estado do Ceará, onde serão prestados o serviço, de acordo com a
Portaria n.º 1.129, de 15/12/95, do Ministério da Justiça;
12.5.2. Declarações
I. Declaração, fornecida pelo licitante, indicando pelo menos um responsável técnico para
acompanhar a execução dos serviços, no qual deverão constar os seus dados, mínimos
necessários, tais como: nome completo, CPF, nº do documento de identidade e do registro
na entidade profissional competente da região a que estiver vinculado, obrigatória por
ocasião da Licitação;
II. Declaração, fornecida pelo licitante, atestando a idoneidade moral dos empregados a
serem alocados à execução dos serviços e de não constar contra eles antecedentes
criminais junto às autoridades de segurança pública nem restrições funcionais nos últimos
2 (dois) empregos, conforme modelo do Anexo VII, obrigatória apenas por ocasião da
assinatura do Contrato.
12.5.3. Atestado de Vistoria
I. Comprovação, mediante Atestado de Vistoria, conforme Anexo V do Edital, com data
posterior à publicação do aviso da licitação, de que vistoriou e tomou conhecimento de
todas as informações e das condições dos imóveis onde serão prestados os serviços,
fornecidas pelos respectivos administradores locais.
a. A vistoria aos locais onde serão executados os serviços deverão ser procedidas
por pessoa indicada pela empresa interessada, munida de documento de
identificação, e poderá ser efetuada até o dia útil anterior à data marcada para a
abertura do certame, constante do Edital.
b. Após a vistoria, em nenhuma hipótese a Administração aceitará posteriores
alegações com base em desconhecimento das instalações, dúvidas ou
esquecimento de quaisquer detalhes da vistoria, devendo a pregoante vencedora
assumir os ônus dos serviços decorrentes.
c. A não-comprovação de que o licitante efetuou a vistoria obrigatória implicará sua
inabilitação.
12.6. As microempresas e empresas de pequeno porte que se beneficiarem do regime diferenciado
e favorecido, concedido pela Lei Complementar nº 123/2006, por ocasião da participação neste

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 13/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

certame licitatório, deverão apresentar toda a documentação exigida para habilitação, inclusive para
efeito de comprovação de regularidade fiscal, mesmo que esta apresente alguma restrição.

13. DA HABILITAÇÃO

13.1. Efetuados os procedimentos previstos no item 11 deste Edital, e sendo aceitável a proposta
classificada em primeiro lugar, o Pregoeiro procederá, de imediato, à verificação do atendimento
das condições de habilitação deste licitante, que em caso positivo será declarado habilitado.
13.1.1. Na verificação das condições de habilitação, o pregoeiro deverá confirmar, imprimir e
juntar aos autos as declarações de fato superveniente impeditivo de sua habilitação, de que não
emprega menores de dezoito anos em trabalho noturno, perigoso ou insalubre e de
enquadramento como ME ou EPP nos termos da Lei Complementar nº 123, de 14/12/2006,
assinaladas no sistema ComprasNET por ocasião do envio da proposta.
13.1.2. A habilitação ficará sujeita à condição resolutiva expressa, consistente no
encaminhamento, pelo licitante declarado vencedor, no prazo estabelecido neste edital, dos
documentos exigidos para habilitação.
13.1.3. Sob pena de inabilitação, os documentos encaminhados para habilitação deverão estar
em nome do licitante e, preferencialmente, com o número do CNPJ e o respectivo endereço. Se
o licitante for a matriz, todos os documentos deverão estar em nome da matriz, e se o licitante
for filial, todos os documentos deverão estar em nome da filial, exceto aqueles documentos que,
pela própria natureza, comprovadamente, forem emitidos somente em nome da matriz.
13.2. O licitante detentor da melhor proposta/lance deverá encaminhar, via fac-símile, no prazo de
24 (vinte e quatro) horas após o julgamento dos preços ofertados nas propostas e lances, os
documentos necessários para a comprovação da sua habilitação, com posterior apresentação de
originais ou cópias autenticadas, no prazo de até 3 (três) dias úteis, para o endereço deste órgão
em Fortaleza, capital do estado do Ceará, na Rua Barão de Aracati, 909 – 2º andar – CEP.:
60.115-901, ficando esclarecido que o descumprimento de tal obrigação implicará inabilitação do
licitante e o sujeitará às sanções previstas neste Edital.
13.3. A documentação exigida nos itens 12.4.1 e 12.4.2 e, referente à Habilitação Jurídica e
Regularidade Fiscal e Qualificação Econômico-Financeira, poderá ser verificada por meio do
SICAF, através de consulta “on line”, assegurado ao licitante o direito de apresentar, via fac-símile,
na própria sessão do Pregão, a documentação atualizada e regularizada, bem como a
documentação não exigida para cadastramento nesse Sistema, no prazo de 24 (vinte e quatro)
horas após o julgamento dos preços ofertados nas propostas e lances, com posterior apresentação
de originais ou cópias autenticadas, no prazo de até 3 (três) dias úteis.
13.3.1. Procedida à consulta ao SICAF, será impressa declaração demonstrativa da situação do
licitante (Anexo V da IN - MARE nº 05/95, e suas alterações), a qual será juntada ao processo
de licitação.
13.3.2. Havendo irregularidade no cadastramento no SICAF e não sendo apresentada
documentação satisfatoriamente atualizada e regularizada, o licitante será inabilitado.
13.4. Para fins de habilitação, constitui meio legal de prova a verificação pela Delegacia da
Receita Federal do Brasil em Fortaleza nos sítios oficiais de órgãos e entidades emissoras de
certidões.
13.5. Os licitantes que deixarem de apresentar quaisquer dos documentos exigidos para a
habilitação na presente licitação, ou os apresentarem em desacordo com o estabelecido neste
Edital, serão inabilitados.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 14/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

13.6. Se o licitante não atender as exigências habilitatórias, o Pregoeiro examinará a oferta


subseqüente, verificando a sua aceitabilidade e procedendo à habilitação do licitante, e assim
sucessivamente, na ordem de classificação, até a apuração de uma proposta que atenda ao Edital.
13.7. Constatado o atendimento das exigências previstas pelo Edital, o licitante será declarado
vencedor.
13.8. A indicação do lance vencedor, a classificação dos lances apresentados e demais informações
relativas à sessão pública do Pregão constarão de ata divulgada no sistema eletrônico, sem
prejuízo das demais formas de publicidade previstas no artigo 30, inciso XII, do Decreto nº 5.450/05,
e na legislação pertinente.
13.9. As microempresas e empresas de pequeno porte que se beneficiarem neste certame do
regime diferenciado e favorecido concedido pela Lei Complementar nº 123/06, após a etapa de
lances, deverão apresentar toda a documentação exigida para habilitação, inclusive para efeito
de comprovação de regularidade fiscal, mesmo que esta apresente alguma restrição.
13.9.1. Havendo alguma restrição na comprovação da regularidade fiscal, o licitante será
habilitado no sistema eletrônico e declarado vencedor do certame na sessão do pregão, nos
termos do art. 43, §1º, da Lei Complementar nº 123/06. Após, o pregoeiro dará ciência aos
licitantes dessa decisão e intimará o licitante declarado vencedor para que providencie a
regularização da documentação, no prazo de 2 (dois) dias úteis, cujo termo inicial
corresponderá ao momento dessa declaração, prorrogável por igual período.
I. A prorrogação do prazo prevista no caput deste inciso será concedida pela
Administração quando requerida pelo licitante, a não ser que exista urgência na
contratação, ou prazo insuficiente para o empenho, devidamente justificados.
II. Após a intimação referida no caput deste inciso, o pregoeiro informará que suspenderá a
sessão para aguardar o prazo concedido para regularização da documentação e informará
também a data e hora da reabertura da sessão.
III. No caso de o pregoeiro aceitar a solicitação de prorrogação do prazo requerida pela
microempresa ou empresa de pequeno porte, deverá reabrir a sessão na data e hora
marcadas, informar dessa prorrogação e marcar nova data e hora.
IV. Durante o prazo referido no caput deste inciso, não poderá ser exigida pela
Administração a assinatura do Contrato, ou aceitação ou retirada do instrumento
equivalente.
V. Reaberta a sessão sem que haja possibilidade de concessão de prorrogação de prazo
para regularização dos documentos, o pregoeiro informará sobre a regularidade ou não
dos documentos, confirmando a habilitação já realizada anteriormente ou inabilitando no
sistema eletrônico o licitante declarado vencedor, com as devidas justificativas.
VI.Confirmada a regularidade dos documentos do licitante declarado vencedor, será
imediatamente oportunizada a possibilidade de interposição de recurso, encerrada a
sessão e extraída a ata correspondente.
VII. A não-regularização da situação fiscal, no prazo e condições disciplinadas neste
subitem, implicará decadência do direito à contratação, sem prejuízo das sanções
previstas no art. 81 da Lei nº 8.666/93 e no art. 7º da Lei nº 10.520/02, sendo facultado à
Administração convocar os licitantes remanescentes, na ordem de classificação, nos
termos e condições previstos neste Edital, ou revogar a licitação.
13.10. Na hipótese da não-contratação nos termos previstos neste Edital, será analisada a
documentação de habilitação do licitante que originalmente apresentou a menor proposta ou lance
e, se regular, será declarado vencedor.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 15/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

14. DOS RECURSOS ADMINISTRATIVOS

14.1. Declarado o vencedor, qualquer licitante poderá, durante a sessão pública, de forma
imediata e motivada, em campo próprio do sistema, manifestar sua intenção de recorrer, quando
lhe será concedido o prazo de 3 (três) dias para apresentar as razões de recurso, ficando os
demais licitantes, desde logo, intimados para, querendo, também via sistema, apresentarem contra-
razões em igual prazo, que começará a contar do término do prazo do recorrente, sendo-lhes
assegurada vista imediata dos elementos indispensáveis à defesa dos seus interesses.
14.1.1. A fase recursal será aberta pelo Sistema, que disponibilizará aos licitantes a
possibilidade para manifestação motivada sobre a intenção de recorrer.
14.1.2. A falta de manifestação imediata e motivada em recorrer, nos termos do subitem
anterior, importará decadência deste direito, ficando o Pregoeiro autorizado a adjudicar o objeto
à licitante vencedor.
14.2. O Pregoeiro fará juízo de admissibilidade da intenção de recorrer manifestada, aceitando-a ou,
motivadamente, rejeitando-a, em campo próprio do sistema.
14.3. O acolhimento de recurso importará a invalidação apenas dos atos insuscetíveis de
aproveitamento.
14.4. Os autos do processo administrativo permanecerão com vista franqueada aos interessados
no endereço da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, na Rua Barão de Aracati,
909 – 2º Andar – CEP.: 60.115-901 em Fortaleza, capital do Estado do Ceará.
14.5. Não serão conhecidas as contra-razões a recursos intempestivamente apresentadas.

15. DA ADJUDICAÇÃO E DA HOMOLOGAÇÃO

15.1. Na hipótese de inexistência de recursos, será feita, pelo Pregoeiro, a adjudicação do objeto
da licitação ao licitante declarado vencedor, com posterior encaminhamento dos autos ao Delegado
da Receita Federal do Brasil em Fortaleza para homologação do certame, desde que constatada
a regularidade dos atos procedimentais, e decisão quanto à contratação.
15.2. Na hipótese de existência de recursos, os autos serão encaminhados à Delegada da Receita
Federal do Brasil em Fortaleza para julgamento e, em caso de improvimento, adjudicação do
objeto da licitação ao licitante vencedor, homologação do certame e decisão quanto à contratação.

16. DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

16.1. A despesa decorrente da contratação do objeto desta licitação correrá à conta da seguinte
Dotação Orçamentária:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 16/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Exercício: 2010
Órgão: 25000 Secretaria da Receita Federal do Brasil /
MF
Unidade Gestora: 170041Delegacia da Receita Federal do Brasil
de Fortaleza
ou 171108 Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza
Gestão: 00001 (Tesouro Nacional)
Fonte: 000000132
Natureza de Despesa: 3390.37 Locação de Mão-de-Obra (ND)
Plano Interno: GESPROGSRF (PI)
Programa de Trabalho Resumido: 003616 (PTRES)

17. DA CONTRATAÇÃO

17.1. As obrigações decorrentes da presente licitação serão formalizadas por instrumento de


contrato, celebrado entre a União, representada pela Delegacia da Receita Federal do Brasil em
Fortaleza - Lote I ou Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza - Lote II,
denominado Contratante, e o licitante vencedor, denominado Contratado, que observará os termos
da Lei n° 8.666/93 e suas alterações, da Lei nº 10.520/02, do Edital e demais normas pertinentes,
cuja minuta, que se constitui em anexo deste Edital, foi submetida a exame prévio da Procuradoria
da Fazenda Nacional no Ceará.
17.2. Se o licitante vencedor não comprovar as condições de habilitação no ato da contratação, não
apresentar a documentação exigida para celebração do contrato ou por instrumento equivalente, ou
recusar-se injustificadamente em firmar o instrumento de contrato em até 5 (cinco) dias úteis da
convocação, poderá ser convocado outro licitante, desde que respeitada a ordem de classificação
da licitação para, após comprovados os requisitos habilitatórios e feita a negociação, assinar o
contrato, sem prejuízo da aplicação das sanções previstas neste Edital e das demais cominações
legais.
17.3. O Contrato e seus eventuais aditamentos só terá(ão) validade e eficácia depois de, respectiva
e sucessivamente, aprovado(s) pelo Superintendente da Receita Federal do Brasil da 3ª Região
Fiscal e publicado(s), por extrato, no Diário Oficial da União, retroagindo os efeitos dos atos de
aprovação e publicação, uma vez praticados, à(s) data(s) da(s) assinatura(s) do(s) instrumento(s).
17.4. A publicação do extrato do Contrato, ou de seus eventuais aditamentos, no Diário Oficial da
União, será providenciada e custeada pela Administração, mediante remessa do texto do extrato a
ser publicado à Imprensa Nacional, até o 5º (quinto) dia útil do mês seguinte ao de sua assinatura,
para ocorrer no prazo de 20 (vinte) dias contados da aludida remessa.
17.5. O licitante vencedor se obriga a manter, durante toda a execução do contrato, as mesmas
condições da habilitação.
17.6. Antes da celebração do Contrato, a comprovação de regularidade do cadastramento no
SICAF será verificada pela DRF/FOR ou ALF/FOR, conforme o caso, por meio de consulta “on-line”
ao sistema, devendo seu resultado ser impresso e juntado ao processo.

18. DA GARANTIA DE EXECUÇÃO

18.1. A adjudicatária, antes da assinatura do contrato, deverá apresentar garantia de execução de


5% (cinco por cento) do valor total estimado do contrato, correspondente a 12 (doze) meses, em
uma das modalidades do artigo 56 da Lei nº 8.666/93.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 17/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

18.1.1. A garantia apresentada na modalidade seguro-garantia ou fiança bancária deverá ter


prazo de validade que abranja o prazo de execução do contrato e deverá ser acompanhada de
documentos que atestem o poder de representação do signatário da apólice ou carta-fiança.
18.1.2. Se a garantia ofertada for na modalidade de fiança bancária, deverá o banco fiador
renunciar expressamente ao benefício de ordem, nos termos do disposto nos artigos 827 e 828,
inciso I, da Lei nº 10.406/02 - Código Civil.
18.2. O comprovante da prestação de garantia deverá ser apresentado em até 5 (cinco) dias após a
convocação da Administração, podendo esta ser efetivada por meio de e-mail, fac-símile,
correspondência com Aviso de Recebimento, ou por qualquer outro meio que comprove que a
licitante vencedora foi cientificada da exigência.
18.3. O Contratado se obriga a apresentar nova garantia no prazo máximo de 48 (quarenta e oito)
horas, antes do seu vencimento, da redução do seu valor em razão de aplicação de qualquer
penalidades, ou da assinatura de termo aditivo que implique na elevação do valor do contrato,
mantendo-se o percentual estabelecido deste Edital.
18.4. A garantia, ou a parte remanescente, será devolvida à licitante contratada após o cumprimento
integral das obrigações decorrentes do contrato, inclusive a comprovação dos acertos resilitórios
dos contratos de trabalho dos empregados alocados nos postos de trabalhos.

19. DO PREÇO

19.1. Os serviços continuados de vigilância e segurança, objeto da presente licitação, serão


contratados pelo Preço Global para o período inicial de 12 (doze) meses de prestação do serviço,
apresentado na proposta do licitante vencedor.

20. DA REPACTUAÇÃO

20.1. Será admitida repactuação dos contratos com prazo de vigência igual ou superior a 12 (doze)
meses, conforme previsão contida no art. 5º do Decreto nº 2.271/97 e art. 37 da IN MPOG/SLTI nº
02/2008, desde que seja observado o interregno mínimo de um ano.
20.1.1. O interregno mínimo de 01 (um) ano para a primeira repactuação será contado a partir
da data do orçamento a que a proposta se referir, admitindo-se, como termo inicial, a data do
acordo, convenção ou dissídio coletivo de trabalho ou equivalente, vigente à época da
apresentação da proposta, quando a maior parcela do custo da contratação for decorrente de
mão-de-obra e estiver vinculado às datas-base destes instrumentos.
20.1.2. Quando a contratação envolver mais de uma categoria profissional, com datas-base
diferenciadas, a data inicial para a contagem da anualidade será a data-base da categoria
profissional que represente a maior parcela do custo de mão-de-obra da contratação
pretendida.
20.2. Nas repactuações subseqüentes à primeira, a anualidade será contada a partir da data da
última repactuação ocorrida, assim entendida a data do acordo ou convenção coletiva de trabalho
ou sentença normativa, observada a periodicidade anual.
20.3. As repactuações serão precedidas de solicitação do Contratado, acompanhada de
demonstração analítica da alteração dos custos, por meio de apresentação da planilha de custos e
formação de preços e do novo acordo ou convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa
que fundamenta a repactuação, bem como de documentos e comprovantes idôneos que
demonstrem a variação dos custos dos insumos diversos e dos insumos de mão-de-obra não
constantes destes instrumentos.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 18/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

20.3.1. O Contratado deverá exercer o direito a repactuação, pleiteando o reconhecimento deste


perante a Administração, a partir do terceiro dia da data do depósito, e desde que devidamente
registrado, no órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego, do acordo ou convenção
coletiva de trabalho que fixar o novo salário normativo da categoria profissional abrangida pelo
contrato, até a data da assinatura do instrumento de aditamento de prorrogação contratual
subseqüente, conforme determinado nos Acórdãos TCU nºs 1.827/2008 e 1.828/2008, do
Plenário, caso em que serão reconhecidos os efeitos financeiros desde a data estabelecida no
acordo ou convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa que alterou o salário da
categoria profissional, observada a periodicidade anual.
20.3.2. No caso previsto no subitem anterior, o pagamento retroativo deverá ser concedido
exclusivamente para os itens que motivaram a retroatividade, e apenas em relação à diferença
porventura existente.
20.3.3. Se o Contratado não exercer de forma tempestiva seu direito à repactuação, no prazo
estabelecido neste item, e, por via de conseqüência, firmar o instrumento de aditamento de
prorrogação do contrato sem pleitear a respectiva repactuação, ocorrerá a preclusão do seu
direito a repactuar em relação ao último acordo ou convenção coletiva de trabalho ou sentença
normativa.
20.3.4. Nas situações abaixo relacionadas, o contrato poderá ser prorrogado e o instrumento de
aditamento da prorrogação poderá conter cláusula - por solicitação do Contratado,
acompanhada das devidas justificativas, desde que não tenha dado causa para o
descumprimento do prazo estabelecido neste item para solicitação de repactuação, ou por
interesse da Administração, devidamente justificado - prevendo a possibilidade de repactuação
pretérita com efeitos financeiros desde a data estabelecida no acordo ou convenção coletiva de
trabalho ou sentença normativa que alterou o salário da categoria profissional.
I. O acordo ou convenção coletiva de trabalho não tiver sido depositada até a data da
prorrogação Contratual.
II.O acordo ou convenção coletiva de trabalho for depositada, ou procedida à solicitação
de repactuação, em data próxima à da prorrogação contratual, no caso em que o
processamento da repactuação poderá, justificadamente, prejudicar a prorrogação.
III. Qualquer outra situação em que o Contratado, comprovadamente, não tiver dado causa
para que a solicitação de repactuação não tenha sido feita no prazo estabelecido neste
item, ou que haja interesse da Administração.
20.3.5. Nas situações relacionadas no subitem anterior, por ocasião das prorrogações
contratuais, quando possível, a Administração deverá prever o impacto no preço efetivamente
praticado de eventual repactuação não concedida, para fins de comparação com os preços
obtidos na pesquisa de preços efetuada, a qual também deverá levar em consideração o
impacto do acordo ou convenção coletiva de trabalho já depositada. Caso não seja possível, o
preço efetivamente praticado deve ser comparado com os preços obtidos na pesquisa de
preços, sem qualquer previsão de impacto de eventuais novos custos.
20.4. É vedada a inclusão, por ocasião da repactuação, de benefícios não previstos na proposta
inicial, exceto quando se tornarem obrigatórios por força de instrumento legal, sentença normativa,
acordo coletivo ou convenção coletiva.
20.5. Quando da solicitação da repactuação, esta somente será concedida mediante negociação
entre as partes, considerando-se:
I. os preços praticados no mercado e em outros contratos da Administração;
II.as particularidades do contrato em vigência;
III. o novo acordo ou convenção coletiva das categorias profissionais;
IV. a nova planilha com a variação dos custos;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 19/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

V. indicadores setoriais, tabelas de fabricantes, valores oficiais de referência, tarifas


públicas ou outros equivalentes, e;
VI. a disponibilidade orçamentária da Administração.
20.6. A decisão sobre o pedido de repactuação deve ser feita no prazo máximo de 60 (sessenta)
dias, contados a partir da solicitação e da entrega dos comprovantes de variação dos custos.
20.7. O prazo referido no subitem anterior ficará suspenso enquanto o Contratado não cumprir os
atos ou apresentar a documentação solicitada pelo Contratante para a comprovação da variação
dos custos.
20.8. O órgão ou entidade contratante poderá realizar diligências para conferir a variação de custos
alegada pelo Contratado.
20.9. A Administração deverá assegurar-se de que os preços contratados são compatíveis com
aqueles praticados no mercado, de forma a garantir a continuidade da contratação mais vantajosa.
20.10. Concedida a repactuação, será lavrado termo aditivo ao contrato vigente.

21. DO REEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO

21.1. Com vistas à manutenção do equilíbrio econômico-financeiro do Contrato, poderá ser


promovida revisão do preço contratual, desde que eventuais solicitações nesse sentido estejam
acompanhadas de comprovação da superveniência de fatos imprevisíveis ou previsíveis, porém de
conseqüências incalculáveis, retardadores ou impeditivos da execução do ajustado, configurando
álea econômica extraordinária e extracontratual, bem como de demonstração analítica de seu
impacto nos custos do Contrato, nos termos do disposto no art. 65, inciso II, alínea “d”, da Lei nº
8.666/93.

22. DA EXECUÇÃO E FISCALIZAÇÃO DO CONTRATO

22.1. A execução do contrato será de acordo com a Seção IV do Capítulo III - Dos Contratos da Lei
nº 8.666/93 e IN MPOG/SLTI nº 02, de 34/04/08.
22.2. A execução do contrato deverá ser objeto de acompanhamento, controle, fiscalização e
avaliação por servidor especialmente designado, em exercício na DRF/FOR ou ALF/FOR, conforme
o caso, para verificação da conformidade da prestação dos serviços e da alocação dos recursos
necessários, de forma a assegurar o perfeito cumprimento do contrato.
22.3. A fiscalização será exercida no interesse da Administração e não exclui nem reduz a
responsabilidade do Contratado, inclusive perante terceiros, por quaisquer irregularidades, e, na sua
ocorrência, não implica co-responsabilidade do Poder Público ou de seus agentes e prepostos.
22.3.1. A fiscalização dos serviços seguirá o disposto no Anexo IV da IN MPOG/SLTI nº
02/2008.
22.3.2.Quaisquer exigências da fiscalização do contrato inerentes ao objeto do contrato deverão
ser prontamente atendidas pelo Contratado.
22.4. O Contratante se reserva o direito de rejeitar no todo ou em parte o objeto do contrato
entregue, se em desacordo com a especificação deste Edital e da proposta de preços do
Contratado.

23. DO PAGAMENTO

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 20/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

23.1. O pagamento pelos serviços efetivamente prestados será feito pela Delegacia da Receita
Federal do Brasil em Fortaleza ou pela Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de
Fortaleza, conforme o caso, em moeda corrente nacional, mediante Ordem Bancária em conta
corrente indicada pelo Contratado ou por meio de Ordem Bancária para pagamento de faturas com
código de barras, uma vez satisfeitas as condições estabelecidas neste Edital, e ocorrerá até o 5º
(quinto) dia útil após a data do devido ateste pela Fiscalização do Contrato.
23.1.1. O ateste pelos serviços efetivamente prestados deverá ser efetuado pela fiscalização do
contrato em até 2 (dois) dias úteis após a apresentação da totalidade dos documentos de
cobrança previstos.
23.2. Não poderá ser imposta qualquer espécie de encargos moratórios por demora de recebimento
do valor da fatura que ultrapassar a data de vencimento, após a data da referida Ordem Bancária,
se a mesma foi emitida tempestivamente.
23.3.A nota fiscal/fatura deverá ser emitida pelo próprio Contratado, obrigatoriamente com o número
de inscrição no CNPJ indicado na proposta de preços e nos documentos de habilitação, bem como
na Nota de Empenho.
23.4. A nota fiscal/fatura deverá ser obrigatoriamente acompanhada das seguintes comprovações,
sem as quais não será dado o ateste pelo fiscal do contrato:
23.4.1. O pagamento dos salários, vales-transportes e auxílio alimentação dos empregados,
observando que, no caso de reajustes salariais concedidos por Convenção Coletiva de
Trabalho, Acordo Coletivo de Trabalho ou Dissídio Coletivo devem ser rigorosamente
respeitados os prazos, percentuais e valores previstos em tais instrumentos;
23.4.2. O recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS - por meio dos
seguintes documentos:
I. cópia do Protocolo de Envio de Arquivos, emitido pela Conectividade Social (GFIP);
II.cópia da Guia de Recolhimento do FGTS (GRF) com a autenticação mecânica ou
acompanhada do comprovante de recolhimento bancário ou o comprovante emitido
quando recolhimento for efetuado pela internet;
III. cópia da Relação dos Trabalhadores constantes do arquivo SEFIP (RE);
IV. cópia da Relação de tomadores/obras (RET) se for o caso.
23.4.3. recolhimento das contribuições ao Instituto Nacional de Previdência Social - INSS - por
meio dos seguintes documentos:
I. cópia do Protocolo de Envio de Arquivos, emitido pela Conectividade Social (GFIP);
II.cópia do Comprovante de Declaração à Previdência;
III. cópia da Guia da Previdência Social (GPS) com a autenticação mecânica ou
acompanhada do comprovante de recolhimento bancário ou o comprovante emitido
quando recolhimento for efetuado pela internet;
IV. cópia da Relação dos Trabalhadores constantes do arquivo SEFIP (RE);
V. cópia da Relação de tomadores/obras (RET) se for o caso.
23.5. O Contratado deverá manter, durante a execução do contrato, situação regular perante o
FGTS, o INSS e as Fazendas Municipal, Estadual e Federal, apresentando certidões renovadas
quando do vencimento das anteriores.
23.6. Antes da liberação do pagamento, a regularidade fiscal da empresa será consultada junto ao
Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores - SICAF. Sempre que houver certidões com
validade expirada, a Administração fará a exigência da Certidão Negativa ou Certificado de
Regularidade cabível.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 21/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

23.7. O descumprimento das obrigações trabalhistas, previdenciárias e as relativas ao FGTS


ensejará o pagamento em juízo da totalidade dos valores em débito, sem prejuízo das sanções
cabíveis.
23.8. Os pagamentos, mediante a emissão de qualquer modalidade de Ordem Bancária, serão
realizados desde que o Contratado efetue a cobrança de forma a permitir o cumprimento das
exigências legais, principalmente no que se refere às retenções tributárias.
23.9. A critério do Contratante, poderá ser utilizado o valor contratualmente devido para cobrir
dívidas de responsabilidade do Contratado para com ela, relativas a multas que lhe tenham sido
aplicadas em decorrência da irregular execução contratual.
23.10. Serão retidos na fonte o Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), bem assim a
Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), a Contribuição para o Financiamento da
Seguridade Social (COFINS) e a Contribuição para o PIS/PASEP sobre os pagamentos efetuados,
utilizando-se as alíquotas previstas para o objeto deste Edital, conforme Instrução Normativa SRF
nº 480/2004, com as alterações introduzidas pela IN SRF nº 539/05, bem como Instrução Normativa
MPS/SRP nº 03, de 14/07/05, ou outras que as vierem substituir, e Legislação Municipal aplicável
quanto ao Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN).
23.10.1. Não haverá a retenção prevista no item anterior na hipótese de o Contratado ser
optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos
pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), instituído pela Lei
Complementar nº 123/06, ou se enquadre na previsão contida no § 4º do art. 16 da mesma Lei.
23.10.2. Havendo dúvida quanto à regularidade da opção pelo Simples feita pela microempresa
ou empresa de pequeno porte, o Pregoeiro representará junto ao órgão competente solicitando
manifestação quanto à ocorrência ou não de hipótese de vedação, nos termos do caput do art.
17 da Lei Complementar nº 123/06, para que, se for o caso, seja feita a exclusão e adotadas as
medidas dela decorrentes.
23.11. Nos casos da ocorrência de eventuais atrasos de pagamento provocados exclusivamente
pela Administração, o valor devido deverá ser acrescido de atualização financeira e sua apuração
se fará desde a data de seu vencimento até a data do efetivo pagamento, em que os juros de mora
serão calculados à taxa anual de 6% (seis por cento) ao ano, calculados de forma não composta,
“pro rata tempore-die”, mediante aplicação da seguinte formula:
EM = (0,06 ÷ 365) x VP x N, onde:
EM = encargos moratórios;
VP = valor da parcela em atraso;
N = número de dias entre a data prevista para o pagamento e
a do efetivo pagamento.

24. DAS OBRIGAÇÕES DO CONTRATANTE E DO CONTRATADO

24.1. As obrigações das partes, dentre outras relacionadas neste Edital, são aquelas estabelecidas
nas Cláusulas Sétima e Oitava do Anexo I da MINUTA DE CONTRATO.

25. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS

25.1. Sanções relativas à licitação:


25.1.1. Aquele que, convocado dentro do prazo de validade de sua proposta, não retirar a nota
de empenho, não assinar o contrato (ou ata de registro de preços), deixar de entregar
documentação exigida no edital, apresentar documentação falsa, não mantiver a proposta,

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 22/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

comportar-se de modo inidôneo, fizer declaração falsa ou cometer fraude fiscal, ficará impedido
de licitar e de contratar com a União e será descredenciado no SICAF, pelo prazo de até 5
(cinco) anos, garantido o direito à ampla defesa, sendo adotado o seguinte critério, como forma
de gradação das faltas:
I. por 1 (um) ano: aquele que se comportar de modo inidôneo ou deixar de entregar
documentação exigida no edital;
II.por 2 (dois) anos: aquele que não retirar a nota de empenho;
III. por 3 (três) anos: aquele que não mantiver a proposta;
IV. por 4 (quatro) anos: aquele que fizer declaração falsa, apresentar documentação falsa
ou cometer fraude fiscal; e
V. por 5 (cinco) anos: aquele que cometer mais de uma das faltas previstas nos subitens
anteriores.
25.1.2. Além das penalidades previstas acima, o licitante ficará sujeito a multas na fase de
licitação, sobre o valor estimado do contrato para o período de 2 (dois) anos, por infração, nos
seguintes termos:
I. multa compensatória de 5% (cinco por cento) por cada uma das infrações a seguir:
a) aquele que deixar de entregar documentação exigida no Edital durante a sessão do
Pregão, ou não mantiver a proposta, ou
b) o licitante adjudicatário que se recusar injustificadamente em firmar o Instrumento de
Contrato, ou em aceitar ou em retirar o instrumento equivalente, ou deixar de apresentar
os documentos exigidos para sua celebração, no prazo e condições estabelecidas no
Edital, independentemente das demais sanções cabíveis;
II. multa compensatória de 10% (dez por cento) por cada uma das infrações a seguir:
aquele que se comportar de modo inidôneo; fizer declaração falsa ou cometer fraude
fiscal; ou apresentar documentação falsa.
25.1.3. As sanções previstas no item 25.1.1 e no item 25.1.2 deste Edital poderão ser
aplicadas cumulativamente.
25.1.4. No processo de aplicação de sanções, é assegurado o direito ao contraditório e à
ampla defesa, facultada defesa prévia do interessado no prazo de 5 (cinco) dias úteis, contado
da respectiva intimação, para as sanções previstas no item 25.1.2 e de 10 (dez) dias para o
item 25.1.1 , contados da respectiva intimação.
25.1.5. As sanções previstas no item 25.1.2 serão aplicadas pelo Delegado da Receita
Federal do Brasil de Fortaleza e as sanções previstas no item 25.1.1 serão aplicadas pelo
Ministro de Estado da Fazenda.
25.2. Sanções relativas à execução do contrato:
25.2.1. Serão aquelas descritas na Cláusula Décima Quarta do da MINUTA DE CONTRATO.
25.3. As sanções serão obrigatoriamente registradas no SICAF, e no caso de impedimento de licitar
e contratar com a União, o licitante será descredenciado por igual período, sem prejuízo das multas
previstas neste Edital e das demais cominações legais.

26. DA RESCISÃO POR INEXECUÇÃO DO CONTRATO

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 23/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

26.1. A inexecução total ou parcial do contrato enseja a sua rescisão, se houver uma das
ocorrências prescritas no artigo 78 da Lei n° 8.666/93.
26.2. Os procedimentos de rescisão contratual, tanto os amigáveis como os determinados por ato
unilateral do Contratante, serão formalmente motivados, assegurado, ao Contratado, na segunda
hipótese, direito ao contraditório e à ampla defesa, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, contado do
recebimento da comunicação formal. Caso sua defesa não seja acolhida, faculta-se a interposição
de recurso hierárquico, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, contado da intimação da decisão rescisória.
26.3. Quanto à sua forma a rescisão poderá ser:
I. por ato unilateral e escrito da Administração, nos casos enumerados nos incisos I a XII e
XVII do artigo 78 da Lei n° 8.666/93.
II.amigável, por acordo entre as partes, reduzidas a termo no processo da licitação, desde
que haja conveniência para a Administração.
III. judicial, nos termos da legislação.

27. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

27.1. As normas que disciplinam este Pregão serão sempre interpretadas em favor da ampliação da
disputa entre os interessados, desde que não comprometam o interesse da Administração, o
princípio da isonomia, a finalidade e a segurança da contratação.
27.2. É facultado ao Pregoeiro ou à autoridade superior, em qualquer fase da licitação, a promoção
de diligência destinada a esclarecer ou complementar a instrução do processo.
27.3. Nenhuma indenização será devida aos licitantes pela elaboração ou pela apresentação de
documentação referente ao presente Edital.
27.4. O órgão promotor do certame não disponibilizará suas instalações, bem como equipamentos
ou conexões com o provedor do sistema eletrônico, aos licitantes interessados em participar deste
Pregão.
27.5. A adjudicação do objeto da licitação ao licitante vencedor e a homologação do certame não
implicarão direito à contratação.
27.6. Na contagem dos prazos estabelecidos neste Edital, exclui-se o dia do início e inclui-se o do
vencimento, observando-se que só se iniciam e vencem prazos em dia de expediente normal na
Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, exceto quando for explicitamente disposto
em contrário.
27.7. Todos os horários estabelecidos neste Edital, no aviso e durante a sessão pública observarão,
para todos os efeitos, o horário de Brasília, DF, inclusive para contagem de tempo e registro no
sistema eletrônico e na documentação relativa ao certame.
27.8. O Delegado da Receita Federal do Brasil em Fortaleza poderá revogar a presente licitação
por razões de interesse público decorrente de fato superveniente devidamente comprovado,
pertinente e suficiente para justificar tal conduta, devendo anulá-la por ilegalidade, de ofício ou
mediante provocação de terceiros, nos termos do art. 49 da Lei n° 8.666/93.
27.9. No caso de alteração deste Edital no curso do prazo estabelecido para a realização do Pregão,
este prazo será reaberto, exceto quando, inquestionavelmente, a alteração não afetar a formulação
das propostas.
27.10. Na hipótese de não haver expediente no dia da abertura da presente licitação, ficará esta
transferida para o primeiro dia útil subseqüente, no mesmo horário anteriormente estabelecido.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 24/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

27.11.Cópia do Edital e seus Anexos será gratuitamente fornecida, mediante recibo, no horário das
8 horas às 11h30min e das 14 horas às 17h30min, no Serviço de Programação e Logística da
Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, no endereço abaixo e disponibilizados nos
sítios da Internet www.comprasnet.gov.br e www.receita.fazenda.gov.br. Demais informações
poderão ser obtidas pelos telefones ou por meio do fac-símile abaixo:

Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza- DRF/FOR


Serviço de Programação e Logística - DRF/FOR/Sepol
Rua Barão de Aracati, nº 909 - 2º andar - bairro Aldeota
Fortaleza, CE - CEP: 60.115-901
Telefone: (85) 3878.3489 Fac-símile (fax): (85) 3878.3260
e-mail: drffor.licitacao@receita.fazenda.gov.br

27.12. Para dirimir, na esfera judicial, as questões oriundas do presente Edital, será competente o
Foro da Justiça Federal em Fortaleza, Seção Judiciária do Estado do Ceará.
27.13. Os casos omissos serão resolvidos pela Delegada da Receita Federal do Brasil de
Fortaleza.
27.14. Fazem parte integrante deste Edital:
Descrição dos Serviços, Metodologia e Materiais
Error: Minuta de Contrato
Reference
source not
found
Error: Estimativa de Custos da Administração
Reference
source not
found
Modelo de Proposta de Preços
Modelo de Planilha de Custos e Formação de Preços
Modelo de Atestado de Vistoria
Modelo de Atestado de Capacidade Técnica (ou
Declaração)
Modelo de Declaração de Idoneidade Moral dos
Funcionários

Fortaleza, 26 de abril de 2010.

Carlos Henrique Benevides Barros


Pregoeiro

ANEXO I

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 25/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, METODOLOGIA E MATERIAIS 1

1. OBJETO
O objeto a ser contratado é a prestação de serviços contínuos de VIGILÂNCIA E
SEGURANÇA, orgânica, armada, com fornecimento de material e equipamento necessários, nas escalas
de trabalho de 44 horas semanais diurnas, 12 horas diurnas e 12 horas noturnas, a serem executados nas
dependências das unidades administrativas jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil em
Fortaleza - DRF/FOR, situadas nas cidades de Aracati, Baturité, Caucaia, Itapipoca, Maranguape, Quixadá,
Quixeramobim e Russas, e na Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza -
ALF/FOR, situada em Fortaleza, em 2 (dois) lotes.

2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS


A prestação dos serviços será realizada nas dependências da Alfândega da Receita
Federal do Brasil do Porto de Fortaleza e das Agências da Receita Federal do Brasil situadas
atualmente nas cidades de Aracati, Baturité, Itapipoca, Maranguape, Quixadá, Quixeramobim, Russas e, em
fase de instalação, Caucaia, ficando por conta da empresa contratada a responsabilidade pelo fornecimento
de todo o material necessário e manutenção dos equipamentos.
Cabe diretamente à Administração, com o apoio técnico do Contratado, através da presença
constante do Preposto e as visitas técnicas necessárias, a constante adequação contínua da prestação dos
serviços.
A Lei nº 8.666/93, no seu art. 65, inciso I, alínea “a”, autoriza a alteração dos contratos,
unilateralmente pela Administração, “quando houver modificação do projeto ou das especificações, para
melhor adequação técnica aos seus objetivos”. Entretanto, segundo Decisão TCU nº 215/1999 - Plenário,
“tanto as alterações contratuais quantitativas - que modificam a dimensão do objeto - quanto as unilaterais
qualitativas - que mantêm intangível o objeto, em natureza e em dimensão, estão sujeitas aos limites
preestabelecidos nos §§ 1º e 2º do art. 65 da Lei nº 8.666/93, em face ao respeito dos direitos do contratado
(...), do princípio da proporcionalidade e da necessidade de seus limites serem obrigatoriamente fixados em
lei”.
2.1. METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS 2
A programação dos serviços será feita periodicamente pela Administração e deverão ser
cumpridos, pela Contratada, com atendimento cortês e de forma a garantir as condições de segurança das
instalações, dos servidores e das pessoas em geral.
As jornadas de trabalho, sempre que possível, deverão anteceder ou suceder às dos
servidores da unidade administrativa, de forma a evitar que a execução dos serviços interfira no
atendimento de contribuintes, de terceiros ou nas atividades internas da respectiva unidade. Não sendo
possível a adoção de tal critério, poderá haver coincidência, devendo, porém, ser evitada qualquer
interferência que possa prejudicar o bom andamento dos serviços da unidade.
Os serviços de vigilância e segurança, orgânica, armada, serão executados pelo Contratado
obedecendo ao disposto na IN MPOG/SLTI nº 02/2008 e demais normas legais e regulamentares
pertinentes, de acordo com as especificações solicitadas.
A prestação dos serviços de vigilância e segurança, nos Postos fixados pela Administração,
envolve a alocação, pela Contratada, de mão-de-obra capacitada para:

1
O integral teor do Termo de Referência está à disposição dos licitantes no endereço constante do item do Edital.
2
Metodologia de Referência disposta no Anexo V da IN MPOG/STLI nº 02/2008.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 26/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

I. comunicar imediatamente à Administração, bem como ao responsável pelo Posto, qualquer


anormalidade verificada, inclusive de ordem funcional, para que sejam adotadas as providências
de regularização necessárias;
II. manter afixado no Posto, em local visível, o número do telefone da Delegacia de Polícia da
Região, do Corpo de Bombeiros, dos responsáveis pela administração da instalação e outros de
interesse, indicados para o melhor desempenho das atividades;
III.observar a movimentação de indivíduos suspeitos nas imediações do Posto, adotando as medidas
de segurança conforme orientação recebida da Administração, bem como as que entender
oportunas;
IV. permitir o ingresso nas instalações somente de pessoas previamente autorizadas e identificadas;
V. fiscalizar a entrada e saída de veículos nas instalações, identificando o motorista e anotando a
placa do veículo, inclusive de pessoas autorizadas a estacionar seus carros particulares na área
interna da instalação, mantendo sempre os portões fechados;
VI. repassar para o(s) vigilante(s) que está(ão) assumindo o Posto, quando da rendição, todas as
orientações recebidas e em vigor, bem como eventual anomalia observada nas instalações e suas
imediações;
VII. comunicar à área de segurança da Administração, todo acontecimento entendido como irregular e
que possa vir a representar risco para o patrimônio da Administração;
VIII. colaborar com as Polícias Civil e Militar nas ocorrências de ordem policial dentro das instalações
da Administração, facilitando, o melhor possível, a atuação daquelas, inclusive na indicação de
testemunhas presenciais de eventual acontecimento;
IX. controlar rigorosamente a entrada e saída de veículos e pessoas após o término de cada
expediente de trabalho, feriados e finais de semana, anotando em documento próprio o nome,
registro ou matrícula, cargo, órgão de lotação e tarefa à executar;
X. proibir o ingresso de vendedores, ambulantes e assemelhados às instalações, sem que estes
estejam devida e previamente autorizados pela Administração ou responsável pela instalação;
XI. proibir a aglomeração de pessoas junto ao Posto, comunicando o fato ao responsável pela
instalação e à segurança da Administração, no caso de desobediência;
XII. proibir todo e qualquer tipo de atividade comercial junto ao Posto e imediações, que implique ou
ofereça risco à segurança dos serviços e das instalações;
XIII. proibir a utilização do Posto para guarda de objetos estranhos ao local, de bens de servidores, de
empregados ou de terceiros;
XIV. executar a(s) ronda(s) diária(s) conforme a orientação recebida da Administração verificando as
dependências das instalações, adotando os cuidados e providências necessários para o perfeito
desempenho das funções e manutenção da tranqüilidade;
XV. assumir diariamente o Posto, devidamente uniformizado, barbeado, cabelos aparados, limpos e
com aparência pessoal adequada;
XVI. manter o(s) vigilante(s) no Posto, não devendo se afastar(em) de seus afazeres, principalmente
para atender chamados ou cumprir tarefas solicitadas por terceiros não autorizados;
XVII. registrar e controlar, juntamente com a Administração, diariamente, a freqüência e a pontualidade
de seu pessoal, bem como as ocorrências do Posto em que estiver prestando seus serviços.
2.2. DISPONIBILIDADE ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA 3
As despesas decorrentes da execução do Contrato a ser firmado correrão, no Exercício
2009, à conta da seguinte Dotação Orçamentária:
• 25000 - Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal do Brasil;
• Unidades Gestoras (UG): 170041 - DRF/FOR e 171108 - ALF/FOR
• Gestão: 00001 - Tesouro;
• Fonte: 000000132;

3
Disponibilidade orçamentária e financeira do órgão ou entidade - IN MPOG/STLI nº 02/2008, art. 15., inciso IV.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 27/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

• Programa de Trabalho Resumido (PTRES): 003616;


• Natureza da despesa (ND): 3390.37 - Locação de Mão-de-Obra;
• Plano Interno (PI): GESPROGSRF.
Informo, ainda, que a previsão de créditos orçamentários da Delegacia da Receita Federal
do Brasil de Fortaleza e da Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza lastreiam as
devidas garantias de disponibilidade de recursos financeiros.
As despesas para os exercícios subseqüentes serão alocadas à dotação orçamentária
prevista para atendimento dessa finalidade, a ser consignada à DRF/FOR e à DRF/FOR, pela Lei
Orçamentária Anual.
2.3. DEFINIÇÃO DA ROTINA DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS
2.3.1. Freqüência (número de vezes) e periodicidade (intervalos regulares)
A execução dos serviços que são objeto do presente Termo de Referência é claramente de
natureza continuada, pois sua interrupção compromete diretamente a incessante atividade da
Administração, tendo sua periodicidade diária.
Entretanto, a preservação da continuidade de serviço, prevê a execução de atividades
diárias, semanais, mensais, anuais e até mesmo esporádicas, abaixo relacionadas, de acordo com seus
agentes:
I.Vigilantes diurnos
a. Escala 12 x 36 horas (doze horas trabalhadas e trinta e seis horas de folga entre os
turnos de serviço), ininterrupta, com início às 7 horas e término às 19 horas do mesmo dia.
b. Escala 5 x 2 dias (cinco dias trabalhados e folgas nos finais de semana e dias sem
expediente), em 2 (dois) turnos, normalmente entre 7 horas às 17h48min do mesmo dia
(com 2 horas de almoço), ou da maneira que melhor convier à Administração para atender
suas demandas, observado o limite diário de 8 horas e 48 minutos de trabalho efetivo.
II.Vigilantes noturnos
Escala 12 x 36 horas (doze horas trabalhadas e trinta e seis horas de folga entre os turnos
de serviço), ininterrupta, com início às 19 horas de um dia e término às 7 horas do dia
posterior.
III.Prepostos
A atividade do Preposto, que exerce a função de supervisão, prevista no item Deveres do
Contratado, será realizada diariamente ou por demanda. Cabe ao Preposto, mensalmente,
executar a inspeção nos locais de prestação de seviço para fins de faturamento e demais
procedimentos correlatos, inclusive de solução de problemas de ateste e documental do
Contratado.
2.3.2. Metodologia com Produtividade de Referência 4
Os serviços serão contratados com base na demanda do número e nas características dos
Postos de Serviço necessários, observadas as peculiaridades e a produtividade de cada tipo de serviço e
das condições do local objeto da contratação. No presente Termo de Referência serão adotadas as
seguintes escalas de trabalho, segundo o art. 50 da IN MPOG/SLTI nº 02/2008:
I. 44 (quarenta e quatro) horas semanais diurnas, de segunda a sexta-feira, envolvendo 1 (um)
vigilante, também conhecida como “escala 5 x 2”, observado o limite diário de 8 horas e 48
minutos de trabalho efetivo;

4
Definição dos métodos, nomeadamente a necessidade, a localidade e o horário de funcionamento - Decreto nº 5.450/2005, art. 9º
§ 2º.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 28/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

II. 12 (doze) horas diurnas, de segunda-feira a domingo, envolvendo 2 (dois) vigilantes em


turnos de 12 (doze) x 36 (trinta e seis) horas; e
III. 12 (doze) horas noturnas, de segunda-feira a domingo, envolvendo 2 vigilantes em turnos de
12 (doze) x 36 (trinta e seis) horas.
Para cada tipo de Posto de Vigilância deverá ser apresentado pelas proponentes o
respectivo Preço Mensal do Posto, calculado conforme a Planilha de Custos e Formação de Preços.
2.3.3. Ordem e prazo de execução 5
A Administração emitirá Ordem de Serviço para definição da data de início da execução dos
serviços e estabelecerá as datas, rotinas de execução de serviços e condições pré-estabelecidas em
contrato.
O prazo de execução será o da vigência do Contrato, contado da data de publicação do
contrato ou da data especificada na Ordem de Serviço e vigorará inicialmente por 12 (doze) meses,
podendo ser prorrogado por iguais e sucessivos períodos de 12 (doze) meses, mediante Termo Aditivo, até
o limite total de 60 (sessenta) meses, desde que haja condições e preços mais vantajosos para a
Administração, conforme previsto no art. 57, inciso II da Lei nº 8.666/93.
2.3.4. Procedimentos, metodologias e tecnologias a serem empregadas
Os procedimentos de execução dos serviços estão estritamente definidos nos limites deste
Termo de Referência e posteriormente dispostos e acordados num Termo de Contrato, a ser minutado de
acordo com as diretrizes aqui explicitamente manifestadas. O corpo de regras e diligências estabelecidas
enfeixam as metodologias para a realização de serviços especializados de forma contínua, de qualidade e
produtividade, com um mínimo ônus administrativo.
As metodologias e tecnologias empregadas na execução dos serviços serão definidas
pelo Contratado, mediante prévia aprovação da Administração.
2.3.5. Deveres e disciplina exigidos
Os deveres do Contratado e o regulamento sobre conduta que tem por finalidade o bom
andamento dos trabalhos (disciplina) está tratado especialmente no item DEVERES DO CONTRATADO.
2.3.6. Estratégia de suprimento 6 e demais especificações
Classicamente, estratégia é a arte de aplicar com eficácia os recursos de que se dispõe ou
de explorar as condições favoráveis de que porventura se desfrute, visando ao alcance de determinados
objetivos. A estratégia de suprimento prevista no presente Termo de Referência é a antecipação da
interrupção do serviço pelo acompanhamento contínuo realizado pelo Preposto através do gerenciamento
dos serviços prestados.

3. QUANTITATIVO DA CONTRATAÇÃO7
O dimensionamento do quantitativo foi obtido com base na quantidade prédios, as
especificidades da demanda de cada órgão e na área total ocupada de todas as unidades envolvidas na
contratação.

Assim, o presente Termo de Referência pretende implantar, na vigilância e segurança,


armada, a escala de trabalho de 24 horas, de segunda-feira a domingo, na ALF/FOR e em todas as
Unidades jurisdicionadas pela DRF/FOR, com exceção a Baturité e Quixadá (44 horas semanais, de
segunda a sexta-feira), cujos prédios, alugados, são pequenos e não comportam tais serviços no turno da
5
Decreto nº 5.450/2005, art. 9º § 2º.
6
Decreto nº 5.450/2005, art. 9º § 2º.
7
IN MPOG/STLI nº 02/2008, art. 15., inciso XI.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 29/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

noite, como pode se constatar com o quadro abaixo:

Área interna Área externa Qte


Lotes Itens Unidades
(m²) (m²) Postos
DRF Fortaleza (total das 1.279,91 5.297,80
I 14
Agências)
1. ARF/Aracati 213,20 613,89 2
2. ARF/Baturité 104,71 26,28 1*
3. ARF/Caucaia (estimativa) 199,85 660,46 2
4. ARF/Itapipoca 213,20 984,85 2
5. ARF/Maranguape 140,00 1.060,00 2
6. ARF/Quixadá 157,00 - 1*
7. ARF/Quixeramobim 142,20 1.014,40 2
8. ARF/Russas 109,75 937,92 2
II 9. ALF Porto de Fortaleza 2.936,87 9.119,76 6
* 44 horas semanais, de segunda a sexta-feira

Nas Agências jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza, o


dimensionamento do quantitativo foi obtido com base na quantidade de Agências, oito no total, sendo uma
em vias de instalação, e na área total ocupada por cada um dos prédios utilizados pelas unidades
administrativas que necessitam destes serviços. Assim, consolidou-se a necessidade de 14 (quatorze)
postos de trabalho, sendo 2 (dois) de 44 horas semanais, de segunda a sexta-feira, e 12 (doze) postos com
escala de 12 x 36 horas, divididos em 6 (seis) postos diurnos e 6 (seis) postos noturnos, de segunda-feira a
domingo, inclusive feriados, totalizando 26 (vinte e seis) profissionais.
Para a Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza, fica clara a
necessidade de 6 (seis) postos de trabalho, divididos em 3 (três) postos diurnos e 3 (três) postos noturnos,
de segunda-feira a domingo, inclusive feriados, totalizando 12 (doze) profissionais.

4. VISTORIA DO LOCAL8
A exigência de vistoria no local onde será executado o contrato pelo licitante tem por escopo
afastar eventuais alegações do futuro contratado de que não conhecia todas as peculiaridades da obrigação
que assumiu. Neste sentido, serve o magistério do Professor Jessé Torres Pereira Junior: “A prova de haver
o habilitante tomado conhecimento das condições locais para o cumprimento das obrigações objeto da
licitação servirá a segundo propósito, qual seja o de vincular o licitante a tais condições locais, por mais
adversas que possam revelar-se durante a execução, desde que corretamente indicadas na fase de
habilitação. Sendo esta hipótese, não se admitirá escusa para inexecução, fundada em alegadas
dificuldades imprevistas no local em que se deva realizar a obra ou o serviço”.
Em conformidade com o disposto no inciso VIII do artigo 15 da IN MPOG/SLTI nº 02/2008 e
considerando a complexidade, dimensões e peculiaridades dos locais de prestação dos serviços, conforme
descrito neste Termo de Referência, será exigida a vistoria prévia nos locais de execução dos serviços,
relacionados no item anterior como condição de habilitação na licitação
O serviço a ser licitado pressupõe o atendimento e prestação de serviços na no prédio da
Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza e nas atuais 8 (oito) Agências do
interior do Estado do Ceará, inclusive para fornecimento de consumíveis e manutenção dos
equipamentos, considera-se devidamente justificada a necessidade dos locais de execução dos serviços
serem vistoriados previamente pelos licitantes.
8
Necessidade, devidamente justificada, dos locais de execução dos serviços a serem vistoriados previamente pelos licitantes - IN
MPOG/STLI nº 02/2008, art. 15., inciso VIII.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 30/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

5. QUANTITATIVO DE PESSOAL E INSUMOS9


Condições que possam ajudar na identificação do quantitativo de pessoal e insumos
necessários à execução contratual.
5.1. Quantitativo de usuários
Atualmente a Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza e as
Agências jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza contam com o seguinte
contingente de servidores, funcionários e contribuintes que transitam pelo prédio em dias úteis, potenciais
usuários dos serviços ora pretendidos:
número médio diário de
servidores e
Lotes Itens Unidades contribuintes que transitam pelo
funcionários
prédio em dias úteis
I DRF Fortaleza (total das Agências) 365 a 430 51
1. ARF/Aracati 40 a 50 6
2. ARF/Baturité 25 a 30 5
3. ARF/Caucaia (estimativa) 60 a 70 5
4. ARF/Itapipoca 90 a 100 7
5. ARF/Maranguape 50 a 60 12
6. ARF/Quixadá 20 a 25 5
7. ARF/Quixeramobim 20 a 25 3
8. ARF/Russas 60 a 70 8
II 9. ALF Porto de Fortaleza 30 a 40 79

5.2. Horário de funcionamento do órgão e de prestação dos serviços


A Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza, suas Agências jurisdicionadas e a
Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza executam suas funções regimentais, em
geral, no horário normal de funcionamento do Edifício-Sede do Ministério da Fazenda em Fortaleza, CE, ou
seja, nos dias úteis de segunda a sexta-feira, de 7h30min às 11h30min e de 13h30min às 15h30min.
5.3. Uniformes
O Contratado fornecerá às suas expensas, sem ônus para os empregados ou para a
Contratante, antes de início da vigência do contrato, a cada empregado, 2 (dois) jogos de uniforme novos,
comprovadamente entregues. Posteriormente, serão fornecidos 2 (dois) jogos de uniforme a cada período
de 12 (doze) meses de vigência do contrato. O uniforme básico e seus complementos à mão-de-obra
envolvida, conforme descrito no Item Deveres do Contratado, de acordo com o disposto no respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho, será, no mínimo:
a. calça,
b. camisas de mangas compridas e curtas,
c. cinto de nylon,
d. sapatos,
e. meias,
f. quepe com emblema,
g. capa de chuva,
h. crachá, e

9
Condições que possam ajudar na identificação do quantitativo de pessoal e insumos necessários à execução contratual - IN
MPOG/STLI nº 02/2008, art. 15., inciso XV.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 31/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

i. distintivo tipo broche.


5.4. Fornecimento de Materiais e Equipamentos
O Contratado, além do serviço a ser prestado, deverá fornecer sem ônus para o
Contratante, os equipamentos, ferramentas e utensílios suficientes e necessários para a perfeita execução
dos serviços de vigilância e segurança, orgânica, armada e demais atividades correlatas, descrito no Item
Deveres do Contratado.
Os materiais e equipamentos que dependam de instalação nas dependências do
Contratante deverão ser instalados e testados, quando for o caso, pela empresa contratada até o dia útil
anterior ao início da prestação dos serviços.
5.4.1. Equipamentos de Individual e Proteção Coletiva
• colete a prova de balas;
• cones de sinalização e fita demarcatória;
• placas ilustrativas de advertência tipo “identifique-se”, p.ex.
5.4.2. Equipamentos e Utensílios
• revólver calibre 38, munição calibre 38, cinto com coldre e baleiro;
• cassetete, porta cassetete, apito e cordão de apito;
• lanterna de 3 pilhas e pilhas;
• equipamentos redundantes de comunicação, para contato do vigilante com a
supervisão do CONTRATADO;
• intercomunicadores portáteis, individuais, para uso interno, caso existam mais de um
vigilante no mesmo período e local;
• sistema de Ronda Eletrônica, composto por bastões e “botons”;
• relógio de marcação de freqüência; e
• livro de ocorrência.
5.5. Restrições de área
Os serviços pretendidos serão prestados em todas as áreas da ALF/FOR e nas Agências
jurisdicionadas a DRF/FOR, sob a fiscalização de um servidor da área de logística. Assim, o Contratado terá
acesso limitado aos locais da prestação dos serviços.
Todos os documentos, relatórios, impressões, cópias reprográficas, arquivos gravados
mediante meio magnético e qualquer material que o Contratado, seus empregados ou prepostos venham a
ter acesso ou conhecimento, são considerados sigilosos, não podendo ser divulgados no todo ou em parte,
sob pena de responsabilização civil e penal.
O descumprimento das obrigações relacionadas com confidencialidade e segurança de
dados, de informações e sistemas, mediante ações ou omissões, intencionais ou acidentais, que impliquem
em perda, destruição, inserção, cópia, acesso ou alterações indevidas, independentemente do meio no qual
estejam armazenados, em que trafeguem ou do ambiente em que estejam sendo processados, determinará
a responsabilização, na forma da lei, dos dirigentes da empresa contratada e dos funcionários envolvidos.
O Contratado, seus empregados ou prepostos deverão cumprir as normas de segurança,
higiene e medicina do trabalho no âmbito federal, estadual e municipal, além dos postulados vigentes da
DRF/FOR e ALF/FOR, fornecendo equipamentos de proteção individual ou coletiva para seus empregados,
se o serviço assim o exigir. Deverão respeitar, ainda, o Regulamento Interno vigente no Edifício-sede do
Ministério da Fazenda no Ceará.
5.6. Disposições normativas internas
O Contratado deve instruir seus empregados e prepostos quanto às normas de segurança e
à prevenção de incêndios nas áreas das unidades administrativas, segundo o Regulamento Interno do
Edifício-sede do Ministério da Fazenda no Ceará.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 32/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Todo o pessoal contratado para execução dos serviços deverá estar devidamente
identificado, portando crachá fornecido pela DRF/FOR e ALF/FOR, e utilizando uniforme e equipamento de
proteção aplicável, segundo a legislação. Qualquer alteração de pessoal deverá ser comunicada por escrito
ao Fiscal do Contrato, com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas.
É expressamente proibido o uso de cigarros ou assemelhados, bebidas, bem como a
preparação e/ou consumo de alimentos nas instalações das Unidades.
É vedado, ainda, a utilização de equipamentos de som/imagem, sendo proibida visitações
no local, bem como registro de imagens por qualquer meio.
5.7. Instalações
A Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza pretende contratar a prestação
dos serviços continuados de vigilância e segurança, orgânica, armada, a ser prestado nas Agências da
Receita Federal do Brasil situadas nas cidades de Aracati, Baturité, Caucaia, Itapipoca, Maranguape,
Quixadá, Quixeramobim e Russas. Por sua vez, a Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de
Fortaleza terá os serviços prestados na sua sede, em Fortaleza.
Como subsídio à formação dos custos e como roteiro à VISTORIA DO LOCAL, são
apresentados os dados abaixo:
5.7.1. Agência da Receita Federal do Brasil de Aracati - ARF/ATI
a. Localização: rua Coronel Raimundo Porto, nº 171, Centro, Aracati, CE.
b. Instalações Civis: prédio próprio, sendo sala, gabinete, 2 compartimentos onde
ficam os arquivos, cozinha e 3 banheiros e um apartamento, com sala, 2 quartos,
banheiro e cozinha.
c. Mobiliário: estações de trabalho, arquivos de aço, armários de aço com 2 e 3
portas, gaveteiros, prateleiras metálicas para caixa-arquivo, cadeiras giratórias,
cadeiras fixas, cofre de ferro, cama de solteiro, fogão, etc.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixas de som, impressoras, máquina
fotocopiadora, televisores, geladeira, aparelhos de telefone, bebedouro, maquinas de
escrever, relógio de parede, fac-simile.
5.7.2. Agência da Receita Federal do Brasil de Baturité - ARF/BTE
a. Localização: rua 15 de Novembro, nº 918, Centro, Baturité, CE.
b. Instalações Civis: 3 salas, banheiro e 6 luminárias; área externa: cozinha pequena
e almoxarifado.
c. Mobiliário: estações de trabalho, 4 armários com prateleiras metálico para arquivo
e 1 com gavetas, 1 armários de madeira 2 portas, 1 armário de madeira com
prateleiras e 1 com 2 portas e prateleiras que servem como divisória e arquivo, 3
armários de madeira com porta corrediça, 1 cofre grande, 6 cadeiras giratórias, 5
cadeiras fixas assento de palhinha, 4 cadeiras de madeira, poltronas fixas uma de 4 e
uma de 3 assentos, 1 balcão.
d. Equipamentos: 4 CPU, 4 monitores, rack, servidor, estabilizador, teclados, caixas
de som, 1 impressora multifuncional, 1 impressora matricial, 1 televisor de 14 pol.,
fogão 4 bocas, 1 mesa com 5 cadeiras, 1 refrigerador pequeno, 3 aparelhos de
telefone, 1 bebedouro, 1 aspirador de pó, 4 mesas de trabalho, 8 mesas pequenas
para colocar equipamentos.
5.7.3. Agência da Receita Federal do Brasil de Caucaia - ARF/CCA
a. Localização: rua Pedro Gomes da Rocha, nº 261, Centro, Caucaia, CE.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 33/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

b. Instalações Civis: salas, banheiros, cozinha pequena e almoxarifado; área externa


com banheiro, área de lazer e jardim.
c. Mobiliário: estações de trabalho (guichês de atendimento composta por balcão e
gaveteiro), prateleiras metálicas para caixa-arquivo, cadeiras giratórias, cadeiras fixas,
conjunto cozinha com mesa e cadeiras, armários de aço com 2 portas e armários de
madeira (tipo para escritório) com 2 portas.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixa de som, impressoras, televisores,
frigobar, cafeteira, aparelhos de telefone, bebedouro, fogão, liquidificador e cortador
de grama.
5.7.4. Agência da Receita Federal do Brasil de Itapipoca - ARF/IPC
a. Localização: rua Éubia Barroso, nº 2.800, Centro, Itapipoca, CE.
b. Instalações Civis: entrada da agência; sala de espera de atendimento; sala de
5atendentes; sala do agente; almoxarifado; 2 salas de arquivo; sala de equipamentos;
sala de serviço interno/atendimento/arquivo; cozinha; sala de refeições; quarto
(dormitório); garagem; logotipo do Ministério da Fazenda, jardim, quintal.
c. Mobiliário: móveis e utensílios de cozinha, armários embutidos, armários de aço,
prateleiras de aço, armários de madeira, arquivos de aço e de madeira.
d. Equipamentos: equipamentos de informática, copiadoras, servidor, aparelhos de
refrigeração e centrais de ar condicionado,geladeira e gelágua.
5.7.5. Agência da Receita Federal do Brasil de Maranguape - ARF/MAR
a. Localiz.: rua Cel. Antônio Botelho de Sousa, 31, Centro, Maranguape, CE.
b. Instalações Civis: um salão principal para atendimento, um gabinete, uma sala de
reunião, cozinha, dois depósitos de documentos, uma sala de máquinas, 5 (cinco)
banheiros; estacionamento/circulação de veículos; jardim;
c. Mobiliário: estações de trabalho, armários de madeira, gaveteiros, guichês,
prateleiras metálicas para caixa-arquivo, cadeiras giratórias, cadeiras fixas, etc.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixas de som, impressoras, máquina
fotocopiadora, televisores, fogão, geladeira, aparelhos de telefone, bebedouro,
frigobar, DVD player, 2 centrais de ar condicionado 38.000 BTU, 3 ar condicionado
tipo janeleiro de 18.000 BTU.
5.7.6. Agência da Receita Federal do Brasil de Quixadá - ARF/QUI
a. Localização: rua Basílio Pinto, nº 221, Centro, Quixadá, CE.
b. Instalações Civis: uma sala comercial na sobreloja, 1 (um) banheiro.
c. Mobiliário: estações de trabalho, arquivos para pasta suspensas, armários de
madeira com 10 portas, gaveteiros, prateleiras metálicas para caixa-arquivo, cadeiras
giratórias, cadeiras fixas, etc.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixas de som, impressoras, máquina
fotocopiadora, televisor, geladeira, cafeteira, aparelhos de telefone, bebedouro.
5.7.7. Agência da Receita Federal do Brasil de Quixeramobim - ARF/QBM
a. Localização: rua Mons. Salviano Pinto, 165, Centro, Quixeramobim, CE.
b. Instalações Civis: a Agência térrea com janelões de vidro, dividida em sala de
atendimento, gabinete, sala de arquivo, sala do servidor, corredor de circulação,
cozinha, sala do almoxarifado e banheiros. A área externa do prédio dispõe de jardim
com gramado.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 34/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

c. Mobiliário: estações de trabalho (guichês de atendimento composta por balcão e


gaveteiro, com divisória de vidro), arquivos para pasta suspensa, prateleiras metálicas
para caixa-arquivo, cadeiras giratórias, cadeiras fixas, conjunto cozinha com mesa e
cadeiras, armários de aço com 2 portas e armários de madeira (tipo para escritório)
com 2 portas.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixa de som, impressoras, máquina
fotocopiadora, televisores, frigobar, cafeteira, aparelhos de telefone, bebedouro,
fogão, liquidificador e cortador de grama.
5.7.8. Agência da Receita Federal do Brasil de Russas - ARF/RUS
a. Localização: av. Dom Lino, nº 128, bairro Centro, Russas, CE.
b. Instalações Civis: Agência térrea, com salão de atendimento, salas, garagem,
cozinha, banheiros, 2 depósitos e jardim.
c. Mobiliário: 8 estações de trabalho, divisórias, 7 armários de madeira, 9 arquivos de
aço, birôs e cadeiras diversas, armário de cozinha.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, caixas de som, 6 impressoras, 1
multifuncional, televisor, geladeira, 5 aparelhos telefônicos, gelágua, purificador,
fogão.
5.7.9. Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza
a. Localização: Av. Vicente de Castro, nº 6971, Mucuripe, Fortaleza, CE.
b. Instalações Civis: prédio próprio, sendo 1 bloco (1.871,69 m2) de 3 (três)
pavimentos e outro, de Depósito de Mercadorias Apreendidas (1.065,18 m2), gabinete,
salas, observatório, arquivos, cozinha, banheiros, elevador, casa de máquinas (central
de ar condicionado), substação, garagem, estacionamento (48 vagas) e jardim.
c. Mobiliário: estações de trabalho, arquivos e armários de aço, gaveteiros,
prateleiras metálicas para caixa-arquivo, cadeiras giratórias, cadeiras fixas,
mercadorias apreendidas, etc.
d. Equipamentos: CPUs, monitores, teclados, impressoras, máquinas fotocopiadoras,
central telefônica, telefones, televisores, geladeiras, bebedouros, fac-similes, etc.

6. QUANTIDADE ESTIMADA DE DESLOCAMENTOS / HORAS EXTRAS 10


A prestação de serviços continuados de vigilância e segurança, orgânica, armada, será
realizada diretamente nas sedes da Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza e das
unidades administrativas subordinadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza, situadas
atualmente nas cidades11 de Aracati (148 Km), Baturité (93 Km), Caucaia (16 Km), Itapipoca (147 Km),
Maranguape (27 Km), Quixadá (158 Km), Quixeramobim (206 Km) e Russas (160 Km).
Para efeitos de estimativa de deslocamentos ou horas extra e necessidade de hospedagem
dos empregados do Contratado, com as respectivas despesas, o presente Termo de Referência considera
excluídas do cálculo Fortaleza e as cidades de Maranguape (27 Km) e Caucaia (16 Km), que fazem parte
da Grande Fortaleza. Também é mister considerar que, além da maior distância entre Fortaleza e uma
Agência é pouco mais de 200Km, algumas cidades estão relativamente perto entre si, como Aracati /
Russas (59 Km) e Quixadá / Quixeramobim (52 Km), podendo fazer parte de roteiros de atendimento
conjunto, a serem elaborados pela empresa contratada.

10
Quantidade estimada de deslocamentos e a necessidade de hospedagem, com as respectivas estimativas de despesa - IN
MPOG/STLI nº 02/2008, art. 15., inciso XIII.
11
Distâncias entre a sede da DRF/FOR (Fortaleza) e cada cidade - fonte: http://www.aondefica.com/distancias_br.asp)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 35/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Tendo em vista a necessidade mensal de visita às Agências, notadamente do Preposto,


para reposição de estoque de consumíveis, manutenção de equipamentos, além de atender eventuais
chamados, estima-se que o número de deslocamentos será, no máximo, de 2 (duas) visitas a Agências em
5 (cinco) viagens diferentes, com eventual necessidade de hospedagem.
Assim, computando-se as distâncias relativamente curtas, a provável opção de não
pernoitar no interior do Estado, a localização próxima a Fortaleza das 2 (duas) maiores Agências, o custo de
transporte, de combustível e da remuneração do Preposto, resultou numa previsão de despesa de R$
500,00 (quinhentos reais) por mês, a ser consignada no custo estimativo da contratação dos serviços, na
Planilha de Custos e Formação de Preços - Anexo III-C da IN MPOG/SLTI nº 02/2008, módulo Demais
Componentes, em Despesas Operacionais/Administrativas.

7. VALOR DE REFERÊNCIA
O valor de referência estabelecido no Edital não poderá ultrapassar os limites máximos
definidos na Portaria MPOG/SLTI nº 04, de 18/05/2009, e definidos em conformidade com o inciso XII do
artigo 15 da IN MPOG/SLTI nº 02/2008. Tais valores estão consolidados conforme estabelecido no Anexo
III-F na tabela abaixo:

Posto 44h/semanais DIURNO Posto 12x36h DIURNO Posto 12x36h NOTURNO


1.880,00 3.600,00 3.950,00

No caso de edição de norma regulamentar posterior à aprovação deste Edital e anterior à


data estipulada para recebimento das propostas, que altere os valores estabelecidos na Portaria
MPOG/SLTI nº 06/2007, fica estabelecido que os preços máximos serão os definidos na nova norma
regulamentar.
O pagamento ocorrerá em parcelas mensais, até o 5º (quinto) dia útil após o recebimento da
fatura, incluindo neste prazo o ateste pela Fiscalização do Contrato.
Os valores limites estabelecidos na Portaria SLTI/MPOG Nº4/2009, consideram apenas as
condições ordinárias de contratação, não incluindo necessidades excepcionais na execução do serviço que
venham representar custos adicionais para a contratação. Existindo tais condições, estas poderão ser
incluídas nos preços das propostas de modo que o seu valor final poderá ficar superior ao valor limite
estabelecido. Entretanto, descontando-se o adicional, o valor proposto deve estar dentro do limite
estabelecido sob pena de desclassificação.

8. VIGÊNCIA DO CONTRATO
O Contrato terá vigência a partir de sua publicação no Diário Oficial da União, pelo período
de 12 (doze) meses, admitidas prorrogações, por iguais e sucessivos períodos de 12 (doze) meses, limitada
a vigência ao prazo máximo de 60 (sessenta) meses, com vistas à obtenção de preços e condições mais
vantajosos para a Administração, conforme disposto no inciso II do art. 57 da Lei nº 8.666/93 e §§ 2º e 3º do
art. 30 da IN MPOG/SLTI nº 02/2008.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 36/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Termo de Contrato (DRF ou ARF)/FOR nº ___/2010

Processo nº 10380.016998/2008-56

Instrumento de Contrato de prestação de serviços de


Vigilância e Segurança, orgânica, armada, que entre si
celebram a UNIÃO, representada pela _(Delegacia ou
Alfândega)_ da Receita Federal do Brasil _(do Porto)_ de
Fortaleza, e a empresa __________________.

Aos __ (_________) dias do mês de __________ do ano de ____, na sede da


__(Delegacia ou Alfândega)_ da Receita Federal do Brasil _(do Porto)_ de Fortaleza, situada na cidade
de _________, na ____(endereço completo)_____, de um lado, a UNIÃO FEDERAL, por intermédio da
_(Delegacia ou Alfândega)_ da Receita Federal do Brasil _(do Porto)_ de Fortaleza, inscrita no CNPJ no
__________________, neste ato representada por seu _(Delegado ou Inspetor)_, o(a) Sr(a).
__________________, de conformidade com a Portaria MF no 95, de 02/05/2007, publicada no DOU de
02/05/2007, em seqüência denominada simplesmente CONTRATANTE, e, de outro lado, a empresa
___________________________, inscrita no CNPJ no __________________, estabelecida na cidade de
___________, na ____(endereço completo)_____, que apresentou os documentos exigidos por lei, neste
ato representada pelo(a) seu(sua) ___(cargo)___, o(a) Sr(a) ____________________________, CPF nº
______________, __(nacionalidade)__, __(estado civil)__, portador da cédula de Identidade nº
_____________, expedida por ________, de acordo com os documentos juntados ao processo às fls. ___ a
___, daqui por diante denominada simplesmente CONTRATADO, têm, entre si, justo e avençado e
celebram, por força do presente instrumento, elaborado nos temos da minuta examinada e aprovada pela
Procuradoria da Fazenda Nacional no Estado do Ceará, “ex vi” do disposto no parágrafo único do art. 38, da
Lei nº 8.666 de 21 de junho de 1993, e autorizado por despacho da Sr Superintendente da Receita Federal

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 37/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

do Brasil da 3ª Região Fiscal, em conformidade com o disposto no art. 61 da mesma lei, exarado no
processo nº 10380.016998/2008-56, um CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA E
SEGURANÇA, ORGÂNICA, ARMADA, que se regerá pelas disposições da Lei no 8.666, de 21 de junho de
1993, demais normas pertinentes, condições e exigências estabelecidas no Edital de Pregão Eletrônico
DRF/FOR nº 02/2009 e seus Anexos, e mediante as seguintes cláusulas e condições, que passam a fazer
parte integrante deste Contrato e prevalecerão entre os contratantes em tudo quanto com ele se
conformarem e não conflitarem com as prescrições legais, regulamentares e administrativas que regem a
matéria.

CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO - O presente Contrato tem por objeto a prestação de serviços
terceirizados, de natureza contínua, de Vigilância e Segurança, orgânica, armada, com fornecimento de
material e equipamento necessários, em _(três ou uma)_ escala(s) de trabalho, a serem prestados nas
dependências da(s) __(unidades administrativas jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil
de Fortaleza - DRF/FOR ou Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza - ALF/FOR)__,
no(s) imóvel(is) abaixo (relacionados):
Ite Posto de Qte
Unidade Endereços Escala
m Trabalho Postos
Armada 12 x 36
Agência da Receita Federal do Brasil de Aracati 1
ARF/ Diurna horas
1 Rua Cel Raimundo Porto, nº 171 - bairro Centro
ATI Armada 12 x 36
62.800-000 - Aracati, CE 1
Noturna horas
44
Agência da Receita Federal do Brasil de Baturité
ARF/ Armada horas
2 Rua 15 de Novembro, nº 918 - bairro Centro 1
BTE Diurna /semanai
62.760-000 - Baturité, CE
s
Armada 12 x 36
Agência da Receita Federal do Brasil de Caucaia 1
ARF/ Diurna horas
3 Rua Pedro Gomes da Rocha, 261 - bairro Centro
CCA Armada 12 x 36
61.600-120 - Caucaia, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
Agência da Rec. Federal do Brasil de Itapipoca 1
ARF/ Diurna horas
4 Rua Éubia Barroso, nº 2.800 - bairro Centro
IPC Armada 12 x 36
62.500-000 - Itapipoca, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
Agência da Rec. Federal do Brasil de Maranguape 1
ARF/ Diurna horas
5 Rua Cel. Antônio Botelho de Sousa, nº 31 - Centro
MAR Armada 12 x 36
61.940-005 - Maranguape, CE 1
Noturna horas
44
Agência da Rec. Federal do Brasil de Quixadá
ARF/ Armada horas
6 Rua Basílio Pinto, nº 221 - bairro Centro 1
QUI Diurna /semanai
62.900-000 - Quixadá, CE
s
Armada 12 x 36
Agência da Rec. Fed. do Brasil de Quixeramobim 1
ARF/ Diurna horas
7 Rua Mons. Salviano Pinto, nº 165 - bairro Centro
QBM Armada 12 x 36
63.800-000 - Quixeramobim, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
Agência da Receita Federal do Brasil de Russas 1
ARF/ Diurna horas
8 Av. Dom Lino, nº 128 - bairro Centro
RUS Armada 12 x 36
62.900-000 - Russas, CE 1
Noturna horas
Armada 12 x 36
9 3
Diurna horas

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 38/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Alfândega da Receita Federal do Brasil do


ALF/ Porto de Fortaleza Armada 12 x 36
3
FOR Av. Vicente de Castro, nº 6971 - bairro Mucuripe Noturna horas
62.180-410 - Fortaleza, CE

PARÁGRAFO ÚNICO - Os serviços deverão ser prestados na forma definida no Edital de Pregão Eletrônico
DRF/FOR nº 02/2009 e seus Anexos, em especial, neste Contrato.

CLÁUSULA SEGUNDA - DA DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR - A presente contratação obedecerá


ao estipulado neste Contrato, bem como às disposições constantes dos documentos a seguir enumerados,
que integram o Processo já citado, e que, independentemente de transcrição, fazem parte integrante e
complementar deste Contrato, no que não o contrariarem:
I. Plano de Trabalho, fls. __ a __ do processo nº 10380.016998/2008-56;
II. Termo de Referência, fls. __ a __ do processo nº 10380.016998/2008-56;
III. Edital de Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 02/2009 e seus Anexos, de __/__/2009, da
Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza, CE;
IV. Proposta de preços e documentos de habilitação que a acompanha, apresentados pelo
CONTRATADO em __/__/2009, fls. __ a __ do processo nº 10380.016998/2008-56;
V. Planilhas de Custos e Formação de Preços, adaptadas ao valor do lance vencedor do item,
fls. __ a __ do processo nº 10380.016998/2008-56;
VI. Declaração de Idoneidade Moral dos Funcionários, Anexo VIII do Edital;
VII. (outros documentos relevantes, todos assinados ou rubricados).

CLÁUSULA TERCEIRA - DA LICITAÇÃO - O serviço ora contratado foi objeto de licitação, sob a
modalidade de Pregão Eletrônico, conforme Edital constante às fls. __ a __ do processo nº
10380.016998/2008-56 e afixado com antecedência não inferior a 8 (oito) dias úteis, no quadro de avisos do
edifício-sede do Ministério da Fazenda no Ceará, cujo extrato foi publicado com a antecedência mínima de 8
(oito) dias na página __, Seção ___, do “Diário Oficial da União” de __ de _____ de 2009 e no jornal
________________, de grande circulação de __________, __, em __ de _____ de 2009, e o Edital e seus
Anexos publicados, na íntegra, nos endereços eletrônicos www.receita.fazenda.gov.br e
http://www.comprasnet.gov.br, a partir de ___ de _______ de 2010.

CLÁUSULA QUARTA - DA VIGÊNCIA - O presente Contrato terá vigência a partir de sua publicação no
Diário Oficial da União pelo período de 12 (doze) meses, admitidas prorrogações, por iguais e sucessivos
períodos de 12 (doze) meses, limitada a vigência ao prazo máximo de 60 (sessenta) meses, com vistas à
obtenção de preços e condições mais vantajosos para a Administração, conforme disposto no inciso II do
art. 57 da Lei nº 8.666/93 e §§ 2º e 3º do art. 30 da IN MPOG/SLTI nº 02/2008.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - Todas as prorrogações deste Contrato será precedida da realização de
pesquisas de preços de mercado ou de preços contratados por outros órgãos e entidades da Administração
Pública, visando a assegurar a manutenção da contratação mais vantajosa para a Administração.
PARÁGRAFO SEGUNDO - A prorrogação, quando vantajosa para a Administração, deverá ser promovida
mediante celebração de Termo Aditivo, que deverá ser submetido à aprovação da Procuradoria da Fazenda
Nacional no Estado do Ceará.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 39/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

CLÁUSULA QUINTA - DA EXECUÇÃO DO CONTRATO - O acompanhamento e a fiscalização da


execução do Contrato consistem na verificação da conformidade da prestação dos serviços e da alocação
dos recursos necessários, de forma a assegurar o perfeito cumprimento do Contrato, devendo ser exercidos
por um representante da Administração, especialmente designado na forma dos artigos 67 e 73 da Lei nº
8.666/93 e do art. 6º do Decreto nº 2.271/97.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - A fiscalização dos serviços seguirá o disposto no Anexo VI da IN SLTI/MPOG
nº 02/08.
PARÁGRAFO SEGUNDO - A fiscalização será exercida no interesse da Administração e não exclui nem
reduz a responsabilidade do CONTRATADO, inclusive perante terceiros, por quaisquer irregularidades, e,
na sua ocorrência, não implica co-responsabilidade do Poder Público ou de seus agentes e prepostos.
PARÁGRAFO TERCEIRO - Quaisquer exigências da Fiscalização do Contrato inerentes ao objeto do
Contrato deverão ser prontamente atendidas pelo CONTRATADO.
PARÁGRAFO QUARTO - O CONTRATANTE se reserva o direito de rejeitar no todo ou em parte os
serviços executados, se em desacordo com as especificações do Edital ou com a proposta do
CONTRATADO.
PARÁGRAFO QUINTO - O CONTRATADO fica obrigada a aceitar, nas mesmas condições contratuais, os
acréscimos ou supressões que se fizerem necessárias ao objeto do presente Contrato, até 25% (vinte e
cinco por cento) do valor inicial atualizado deste Contrato.
PARÁGRAFO SEXTO - Mediante acordo das partes poderá haver supressões de quantitativos em
percentual superior a 25% do valor inicial atualizado do Contrato.
PARÁGRAFO SÉTIMO - A Fiscalização do Contrato verificará se os serviços foram prestados de acordo
com as exigências do Edital e seus anexos, em especial o padrão de qualidades convencionadas este
Contrato e seus Anexos.
PARÁGRAFO OITAVO - Estando os serviços em conformidade, os documentos de cobrança deverão ser
atestados pela Fiscalização do Contrato e enviados ao setor financeiro do CONTRATANTE, para o
pagamento devido.
PARÁGRAFO NONO - Em caso de não-conformidade, o CONTRATADO será notificado, por escrito, sobre
as irregularidades apontadas, para as providências do artigo 69, da Lei nº 8.666/93, no que couber.
PARÁGRAFO DÉCIMO - A fiscalização deverá monitorar constantemente o nível de qualidade dos
serviços, devendo intervir para corrigir ou aplicar sanções quando verificar um viés contínuo de
desconformidade da prestação do serviço à qualidade exigida.
PARÁGRAFO DÉCIMO-PRIMEIRO - Na fiscalização do cumprimento das obrigações trabalhistas e sociais
nas contratações continuadas com dedicação exclusiva dos trabalhadores do CONTRATADO, exigir-se-á,
dentre outras, as seguintes comprovações:
I. recolhimento da contribuição previdenciária estabelecida para o empregador e de seus
empregados, conforme dispõe o artigo 195, § 3º da Constituição Federal, sob pena de
rescisão contratual;
II. recolhimento do FGTS, referente ao mês anterior;
III. pagamento de salários no prazo previsto em lei, referente ao mês anterior;
IV. fornecimento de vale transporte e auxílio alimentação quando cabível;
V. pagamento do 13º salário;
VI. concessão de férias e correspondente pagamento do adicional de férias, na forma da
lei;
VII. realização de exames admissionais e demissionais e periódicos, quando for o caso;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 40/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

VIII. eventuais cursos de treinamento e reciclagem;


IX. encaminhamento das informações trabalhistas exigidas pela legislação, tais como a
RAIS e a CAGED;
X. cumprimento das obrigações contidas em convenção coletiva, acordo coletivo ou
sentença normativa em dissídio coletivo de trabalho, e;
XI. cumprimento das demais obrigações dispostas na CLT em relação aos empregados
vinculados ao Contrato.
PARÁGRAFO DÉCIMO-SEGUNDO - Quando da rescisão contratual nas contratações de que trata o artigo
anterior, o fiscal deve verificar o pagamento pelo CONTRATADO das verbas rescisórias ou a comprovação
de que os empregados serão realocados em outra atividade de prestação de serviços, sem que ocorra a
interrupção do contrato de trabalho.

CLÁUSULA SEXTA - DA GARANTIA - Para assegurar o integral cumprimento de todas as obrigações


contratuais assumidas, inclusive indenização a terceiros, obrigações trabalhistas e multas eventualmente
aplicadas, o CONTRATADO prestará garantia em favor do CONTRATANTE, na modalidade de __(seguro
garantia, caução em dinheiro, títulos da dívida pública ou fiança bancária)__, no valor de R$ ______
(________________), referentes a 5 % (cinco por cento) do valor do Contrato para o período
correspondente a 12 (doze) meses, pelo prazo contratual, __(emitida pela Caixa Econômica Federal12 ou
pela empresa13 __________, apólice n.º __________, de __/__/____)__. No caso de prorrogação do
contrato a garantia deverá ser renovada a cada período.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - RESPONSÁVEL PELA GARANTIA - A garantia ficará sob a responsabilidade e a
ordem do CONTRATANTE, cujo documento original encontra-se anexo às fls. ___ a ___ do processo nº
10380.016998/2008-56.
PARÁGRAFO SEGUNDO - REPOSIÇÃO DA GARANTIA - Se o valor da garantia for utilizado, total ou
parcialmente, em pagamento de qualquer obrigação, o CONTRATADO se obriga a fazer a respectiva
reposição no prazo de 5 (cinco) dias úteis, contados da data em que for notificada, pelo CONTRATANTE.
PARÁGRAFO TERCEIRO - A apropriação total ou parcial da garantia pelo CONTRATANTE, por
inadimplemento das obrigações contratuais, far-se-á de pleno direito, independentemente de qualquer
procedimento judicial ou extrajudicial e sem prejuízo das demais sanções previstas neste Contrato.
PARÁGRAFO QUARTO - RESTITUIÇÃO DA GARANTIA - A garantia somente será restituída ao
CONTRATANTE após o integral cumprimento de todas as obrigações contratuais e, quando em dinheiro,
atualizada monetariamente (§ 4º, art. 56, Lei nº 8.666/93).

CLÁUSULA SÉTIMA - OBRIGAÇÕES DO CONTRATANTE - Além das obrigações resultantes da


observância da Lei nº 8.666/93 e da legislação pertinente, são obrigações do CONTRATANTE:
I. exercer a fiscalização dos serviços por servidores especialmente designados, na forma
prevista na Lei nº 8.666/93, e documentar as ocorrências havidas;
II. prestar aos funcionários do CONTRATADO todas as informações e esclarecimentos
necessários ao cumprimento do objeto contratado;
III. proporcionar ao CONTRATADO as condições necessárias para o bom andamento dos
serviços contratados, dentro das normas estabelecidas;
a. disponibilizar instalações sanitárias;
b. disponibilizar vestiários com armários guarda-roupas;
12
Somente para o caso de Fiança Bancária, de acordo com o Decreto-Lei nº 1.737, de 20 de dezembro de 1979.
13
Somente para o caso de Seguro Garantia

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 41/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

IV. manifestar-se formalmente em todos os atos relativos à execução do Contrato, em


especial quanto à aplicação de sanções, alterações e repactuações;
V. comunicar formalmente ao CONTRATADO, através de correspondências ou aditivos
contratuais, sempre que houver alterações e informações que possam modificar itens do
contrato originalmente avençados;
VI. responder, perante o CONTRATADO, por dano ou prejuízo aos equipamentos em
decorrência de comprovada ação culposa do CONTRATANTE;
VII. analisar e atestar os documentos de cobrança apresentados pelo CONTRATADO,
referente ao serviço efetivamente prestado;
VIII. efetuar os pagamentos devidos;
IX. aplicar as sanções administrativas, quando se fizerem necessárias.
X. não direcionar a contratação de pessoas para trabalhar na empresa contratada.
CLÁUSULA OITAVA - OBRIGAÇÕES DO CONTRATADO - Além das obrigações
resultantes da observância da Lei nº 8.666/93 e da Lei nº 10.520/02 são obrigações do Contratado, além do
fornecimento da mão-de-obra, dos materiais, equipamentos, ferramentas e utensílios necessários para a
perfeita execução dos serviços de vigilância e segurança, orgânica, armada e demais atividades correlatas.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - OBRIGAÇÕES GERAIS - A Instrução Normativa MPOG/SLTI nº 02, de
30/04/2008, Anexo VI, item 3, elenca obrigações gerais e responsabilidades do CONTRATADO:
I. comprovar a formação técnica específica da mão-de-obra oferecida, através de
Certificado de Curso de Formação de Vigilantes, expedidos por Instituições devidamente
habilitadas e reconhecidas;
II.implantar, imediatamente após o recebimento da autorização de início dos serviços, a
mão-de-obra nos respectivos Postos relacionados nos locais e nos horários fixados na
escala de serviço elaborada pela CONTRATANTE, informando, em tempo hábil, qualquer
motivo impeditivo ou que a impossibilite de assumir o Posto conforme o estabelecido;
III. fornecer uniformes e seus complementos à mão-de-obra envolvida, conforme a seguir
descrito, de acordo com o clima da região e com o disposto no respectivo Acordo,
Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho, sendo que o CONTRATADO não poderá
repassar os custos de qualquer um destes itens de uniforme e equipamentos a seus
empregados:
a. calça,
b. camisas de mangas compridas e curtas,
c. cinto de nylon,
d. sapatos,
e. meias,
f. quepe com emblema,
g. capa de chuva,
h. crachá,
i. revólver calibre 38,
j. cinto com coldre e baleiro,
k. munição calibre 38,
l. distintivo tipo broche,
m. cassetete,
n. porta cassetete,
o. apito,
p. cordão de apito,

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 42/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

q. lanterna 3 pilhas,
r. pilha para lanterna;
s. colete a prova de balas;
t. equipamentos redundantes de comunicação, para contato do vigilante com a
supervisão do CONTRATADO;
u. intercomunicadores portáteis, individuais, para uso interno, caso existam mais de
um vigilante no mesmo período e local; e
v. livro de ocorrência;
IV. apresentar ao CONTRATANTE a relação de armas e cópias autenticadas dos
respectivos "Registro de Arma" e "Porte de Arma", que serão utilizadas pela mão-de-obra
nos Postos;
V. fornecer as armas, munição e respectivos acessórios ao vigilante no momento da
implantação dos Postos;
VI. oferecer munição de procedência de fabricante, não sendo permitido em hipótese
alguma, o uso de munições recarregadas;
VII. prever toda a mão-de-obra necessária para garantir a operação dos Postos, nos
regimes contratados, obedecidas às disposições da legislação trabalhista vigente;
VIII. apresentar atestado de antecedentes civil e criminal de toda mão-de-obra oferecida
para atuar nas instalações do CONTRATANTE;
IX. efetuar a reposição da mão-de-obra nos Postos, em caráter imediato, em eventual
ausência, não sendo permitida a prorrogação da jornada de trabalho (dobra);
X. manter disponibilidade de efetivo dentro dos padrões desejados, para atender eventuais
acréscimos solicitados pelo CONTRATANTE, bem como impedir que a mão-de-obra que
cometer falta disciplinar, qualificada como de natureza grave, seja mantida ou retorne às
instalações da mesma;
XI. atender de imediato às solicitações quanto a substituições da mão-de-obra, qualificada
ou entendida como inadequada para a prestação dos serviços;
XII. instruir ao seu Preposto quanto à necessidade de acatar as orientações do
CONTRATANTE, inclusive quanto ao cumprimento das Normas Internas e de Segurança e
Medicina do Trabalho;
XIII. relatar ao CONTRATANTE toda e qualquer irregularidade observada nos Postos das
instalações onde houver prestação dos serviços;
XIV. inspecionar os Postos (nas Agências) no mínimo 1 (uma) vez por semana (ou mês),
em dias e períodos (diurno (7h/15h) e noturno (15h/23h) alternados, sendo realizado,
obrigatoriamente, pelos supervisores do CONTRATADO, efetuando registro no Livro de
Ocorrência;
XV. utilizar arma somente em legítima defesa, própria ou de terceiros, e na salvaguarda do
patrimônio do CONTRATANTE, após esgotados todos os outros meios para a solução de
eventual problema.
XVI. responsabilizar-se integralmente pelos serviços contratados, nos termos da legislação
vigente;
XVII. implantar, de forma adequada, a planificação, execução e supervisão permanente
dos serviços, de forma a obter uma operação correta e eficaz, realizando os serviços de
forma meticulosa e constante, mantendo sempre em perfeita ordem, todas as
dependências objeto dos serviços;
XVIII. responsabilizar-se pelo cumprimento, por parte de seus empregados, das
normas disciplinares determinadas pela Administração;
XIX. assumir todas as responsabilidades e tomar as medidas necessárias ao atendimento
dos seus empregados, acidentados ou com mal súbito, por meio de seus encarregados;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 43/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

XX. cumprir, além dos postulados legais vigentes de âmbito federal, estadual ou municipal,
as normas de segurança da Administração;
XXI. instruir os seus empregados, quanto à prevenção de incêndios nas áreas da
Administração;
XXII. registrar e controlar, juntamente com o(s) servidor(es) indicado(s) pela Administração,
diariamente, a assiduidade e a pontualidade de seu pessoal, bem como as ocorrências
havidas;
XXIII. fazer seguro de seus empregados contra riscos de acidentes de trabalho,
responsabilizando-se, também, pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e
comerciais, resultantes da execução do contrato, conforme exigência legal;
XXIV. prestar os serviços dentro dos parâmetros e rotinas estabelecidos, fornecendo todos
os materiais, equipamentos, ferramentas e utensílios em quantidade, qualidade e tecnologia
adequadas, com a observância às recomendações aceitas pela boa técnica, normas e
legislação.
PARÁGRAFO SEGUNDO - OBRIGAÇÕES ESPECÍFICAS - Cada unidade administrativa, jurisdicionada à
Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza, demanda obrigações específicas e
responsabilidades do CONTRATADO:
I. apresentar, anteriormente à implantação dos serviços, plano de segurança para a
Unidade, detalhando os procedimentos operacionais e administrativos a serem adotados,
sistema de rondas e equipamentos a serem utilizados para facilitar o desenvolvimento dos
serviços contratados;
II.nomear empregado (Preposto), aceito pela Administração, para orientar a execução dos
serviços, bem como manter contato com o Fiscal do Contrato, solicitando as providências
que se fizerem necessárias ao bom cumprimento de suas obrigações, recebendo as
reclamações daquela e, por conseqüência, tomando todas as medidas cabíveis para a
solução das falhas detectadas, conforme art. 68 da Lei nº 8.666/93.
III. não contratar empregados, após a data da licitação e para executar os serviços
contratados, ligados por laços de parentesco até o 3º grau a servidores do
CONTRATANTE, ativos ou aposentados há menos de 5 (cinco) anos.
IV. responsabilizar-se, em relação a seus empregados, por todas as despesas decorrentes
da prestação dos serviços, tais como: salários, encargos sociais e trabalhistas, seguros de
acidentes, taxas, impostos e contribuições, indenizações, vales-refeição, vales-transporte,
inclusive Adicional de Periculosidade, uniformes, materiais e equipamentos necessários à
execução dos serviços, sem qualquer solidariedade por parte da CONTRATANTE;
V. apresentar ao CONTRATANTE, quando do início da vigência do Contrato, comprovante
de seguro de vida em grupo dos profissionais alocados, que acoberte o período do
Contrato;
VI. comprovar o cumprimento, dentre outras, das seguintes obrigações trabalhistas e
sociais:
a. recolhimento da contribuição previdenciária estabelecida para o empregador e
seus empregados, conforme dispõe o artigo 195, § 3º da Constituição Federal, sob
pena de rescisão contratual, por meio dos seguintes documentos:
i. cópia do protocolo de envio de arquivos, emitido pela Conectividade Social (GFIP);
ii. cópia do Comprovante de Declaração à Previdência;
iii. cópia da Guia da Previdência Social - GPS, com a autenticação mecânica ou
acompanhada do comprovamente de recolhimento bancário ou do comprovante
emitido quando o recolhimento for efetuado pela Internet;
iv. cópia da relação dos trabalhadores constantes do arquivo
SEFIP (RE);
b. recolhimento do FGTS, referente ao mês anterior, por meio dos seguintes
documentos:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 44/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

i. cópia do protocolo de envio de arquivos, emitido pela Conectividade Social (GFIP);


ii. cópia da Guia de Recolhimento do FGTS (GRF) com a autenticação mecânica ou
acompanhada do comprovamente de recolhimento bancário ou do comprovante
emitido quando o recolhimento for efetuado pela Internet;
iii. cópia da relação dos trabalhadores constantes do arquivo
SEFIP (RE);
c. pagamento de salários no prazo previsto em Lei, referente ao mês anterior;
d. fornecimento de vale transporte e auxílio alimentação quando cabível;
e. pagamento do 13º salário;
f. concessão de férias e correspondente pagamento do adicional de férias, na forma
da lei;
g. realização de exames admissionais e demissionais e periódicos, quando for o
caso;
h. eventuais cursos de treinamento e reciclagem;
i. encaminhamento das informações trabalhistas exigidas pela legislação, tais como:
a Relação Anual de Informações Sociais - RAIS, e a Cadastro Geral de
Empregados e Desempregados - CAGED;
j. cumprimento das obrigações contidas em convenção coletiva, acordo coletivo ou
sentença normativa em dissídio coletivo de trabalho;
k. cumprimento das demais obrigações dispostas na Consolidação das Leis do
Trabalho - CLT, em relação aos empregados vinculados ao Contrato;
l. realização de todas as devidas anotações nas Carteiras de Trabalho e Previdência
Social - CTPS, conforme a solicitação da fiscalização do Contrato;
m. utilização de folhas de ponto dos empregados, por ponto eletrônico ou por meio
que não seja padronizado, em consonância com a Súmula nº 338/TST;
n. respeito às estabilidades provisórias de seus empregados (cipeiro, gestante,
estabilidade acidentária).
VII. comprovar, quando da rescisão contratual, o pagamento das verbas rescisórias ou que
os empregados serão realocados em outra atividade de prestação de serviços, sem que
ocorra a interrupção do contrato de trabalho; até que ocorra tal comprovação, a
Administração reterá a Garantia prestada;
VIII. efetuar o pagamento de seus funcionários, através de rede bancária, nas respectivas
cidades de execução dos serviços, a fim de evitar interrupções na prestação dos serviços;
IX. manter atualizado o seu cadastro no SICAF;
X. executar os serviços nos novos endereços, em caso de mudança de sede das unidades
administrativas do CONTRATANTE, desde que localizadas nos mesmos municípios; no
caso de mudança de município, os serviços poderão ser prestados por meio de
negociação entre as partes;
XI. cumprir horários e periodicidade para a execução dos serviços fixados pela
Administração, segundo suas conveniências e em consonância com a Fiscalização do
Contrato.
XII. informar aos seus empregados da proibição de retirarem-se dos prédios ou instalações
do CONTRATANTE portando volumes ou objetos, sem a devida autorização da
Fiscalização do Contrato;
XIII. arcar com todos os custos necessários à completa execução dos serviços;
XIV. manter vínculo empregatício formal e expresso com os seus empregados, sendo
responsável pelo pagamento de salários e todas as demais vantagens, recolhimento de
todos os encargos sociais e trabalhistas, fiscais e parafiscais, emolumentos, além de
seguros e indenizações, taxas e tributos pertinentes, conforme a natureza jurídica do
CONTRATADO, incidentes sobre o objeto do Contrato, bem como por quaisquer acidentes
e mal súbito de que possam ser vítimas, quando em serviço, na forma como a expressão é

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 45/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

considerada na legislação trabalhista, ficando ressalvado que a inadimplência do


CONTRATADO para com estes encargos, não transfere ao CONTRATANTE a
responsabilidade por seu pagamento, nem poderá onerar o objeto do Contrato, e ensejará
a rescisão do Contrato, caso o CONTRATADO, uma vez notificada para regularizar as
pendências, permaneça inadimplente; fica esclarecido de que não se estabelece, por força
da prestação dos serviços objeto do Contrato, qualquer relação de emprego entre o
CONTRATANTE e os empregados que o CONTRATADO fornecer para execução dos
serviços;
XV. repor, no prazo máximo de 5 (cinco) dias, qualquer objeto do CONTRATANTE e/ou de
terceiros que tenha sido danificado ou extraviado por seus empregados;
XVI. relatar à Fiscalização do Contrato toda e qualquer irregularidade observada nas
instalações onde houver prestação dos serviços;
XVII. não transferir a outrem, no todo ou em parte, a execução do presente Contrato, sem
prévia e expressa anuência do CONTRATANTE;
XVIII. ressarcir o valor correspondente aos danos causados em bens de propriedade do
CONTRATANTE, o qual será calculado de acordo com o preço de mercado e recolhido
por depósito a favor do CONTRATANTE através de Guia de Recolhimento da União -
GRU no prazo máximo de cinco dias úteis a partir da notificação, garantida previamente
ampla defesa e contraditório. Se o valor dos danos não for pago, ou depositado, será
automaticamente descontado da garantia e, se necessário, do pagamento a que o
CONTRATADO fizer jus; em caso de saldo insuficiente, o valor complementar será
cobrado administrativa e/ou judicialmente; a reparação dos danos causados em bens de
propriedade de terceiros deverá ser efetuada aos mesmos, no prazo de cinco dias úteis
contados do recebimento da notificação;
XIX. atender prontamente as exigências da Administração inerentes ao objeto do Contrato;
XX. aceitar, nas mesmas condições contratuais, os acréscimos ou supressões que se
fizerem no objeto do presente Contrato, até 25% (vinte e cinco por cento) de seu valor
inicial atualizado.
XXI. substituir sempre que exigido pelo CONTRATANTE e independentemente de
justificação por parte deste, qualquer empregado cuja atuação, permanência e/ou
comportamento sejam julgados prejudiciais, inconvenientes ou insatisfatórios à disciplina
da repartição ou interesse do Serviço Público;
XXII. exercer as suas atribuições em perfeita consonância com os dispositivos
regulamentares da Administração do Edifício, sob pena de se constituir em inadimplência
contratual;
XXIII. manter inalterados os preços e condições propostas por seus serviços;
XXIV. submeter, previamente, o(s) substituto(s) à aprovação da Administração, mesmo em
se tratando de curtos períodos, como nos casos de gozo de férias, licenças, etc.;
apresentando atestado de antecedentes civil e criminal da mão-de-obra substituta para
atuar nas instalações do CONTRATANTE e cópia(s) autenticada(s) do(s) respectivo(s)
“Porte(s) de Arma(s)”, que serão utilizadas pela mão-de-obra nos Postos;
XXV. disponibilizar equipamentos redundantes de comunicação, para contato do vigilante
com a supervisão do CONTRATADO, e rádios portáteis, individuais, para uso interno, caso
existam mais de um vigilante no mesmo período e local;
XXVI. fornecer e instalar, em local a ser determinado pelo CONTRATANTE, relógios de
ponto para que os vigilantes possam assinalar os horários de entrada e saída do trabalho;
XXVII. fornecer os equipamentos necessários para implantar um sistema de Ronda
Eletrônica, composto por bastões e “botons”, no mínimo, adquiridos e mantidos a exclusivo
ônus do CONTRATADO, assim operado:
a. dias úteis, de segunda a sexta feira, a ronda deverá iniciar às 23 horas, indo até às
7 horas do dia seguinte, com intervalo de 30 minutos;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 46/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

b. sábados, domingos, feriados e recessos, das 7 horas às 19 horas e das 19 horas


às 7 horas do dia seguinte, com intervalo de 30 minutos;
XXVIII. monitorar remotamente a Ronda Eletrônica pela central de monitoramento
localizada na sede da empresa contratada, incluindo contato da supervisão do
CONTRATADO com a vigilância local, em casos de falhas na execução das rondas, que
registrará no Livro de Ocorrências quaisquer irregularidades:
a. ininterruptamente, 24 horas/dia, no caso da Alfândega da Receita Federal do
Brasil do Porto de Fortaleza;
b. diariamente, no caso das unidades administrativas jurisdicionadas à Delegacia da
Receita Federal do Brasil de Fortaleza;
XXIX. responder por todos os danos causados por seus empregados, voluntária ou
involuntariamente, à União ou a terceiros, na execução dos serviços contratados, inclusive
por acidentes, mortes, perdas ou destruições, isentando a União de todas e quaisquer
reclamações que possam surgir.
PARÁGRAFO TERCEIRO - OBRIGAÇÕES DOS EMPREGADOS - Os empregados do CONTRATADO
arcarão com as seguintes atribuições na execução dos serviços contratados, sempre com a supervisão e
controle do Preposto:
I. observar, cumprir e fazer cumprir as orientações operacionais e administrativas
emanadas do órgão competente visando a conveniência e o bom andamento do serviço.
II.respeitar os mesmos procedimentos de identificação e de autorização de entrada para
os empregados da CONTRATADA que não estejam de serviço ou que não estejam
alocados ao CONTRATANTE, mesmo em se tratando do(s) proprietário(s) da
CONTRATADA;
III. cumprir rigorosamente as escalas de serviço;
IV. não permitir que outras pessoas conheçam ou interfiram nos procedimentos de
segurança;
V. dar ciência ao Fiscal do Contrato de todas as ocorrências no serviço;
VI. preencher documentos relacionados com os serviços sob sua responsabilidade;
VII. zelar pela preservação do patrimônio do CONTRATANTE;
VIII. prestar primeiros socorros, quando possível, a quem precisar, informando o fato, de
imediato, ao seu respectivo encarregado para o acionamento da unidade competente.
IX. colaborar com a Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e demais órgãos
executores do sistema de segurança pública, especialmente quando houver distúrbios,
greves e acidentes, ou qualquer outro tipo de sinistro;
X. colaborar na prevenção e combate a incêndio;
XI. cumprir as normas e procedimentos vigentes no âmbito do CONTRATANTE;
XII. executar outras tarefas correlatas da mesma natureza e nível de complexidade,
relacionadas às atividades descritas no Termo de Referência;
XIII. permanecer em seu local de trabalho no período determinado, somente ausentando-
se quando autorizado pela autoridade competente ou em caso de emergência, comunicar
o fato assim que possível a quem tenha qualidade para o recebimento de tal comunicação;
XIV. exigir sempre a transmissão clara e precisa das ordens de serviço;
XV. portar sempre o equipamento de comunicação individual, fornecido pelo
CONTRATADO, mantendo as baterias em bom estado de carga, devendo utilizar de
maneira racional e compatível para a transmissão de mensagens exclusivas do serviço;
XVI. não realizar troca de posto ou serviço sem a autorização expressa do encarregado,
que consultará previamente a Assessoria de Segurança;
XVII. permanecer constantemente atento ao seu serviço, observando e fiscalizando todas
as movimentações suspeitas;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 47/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

XVIII. portar crachá de identificação de acordo com as normas estabelecidas pelo


CONTRATANTE;
XIX. realizar entradas e saídas das dependências do CONTRATANTE somente pelos
locais previamente indicados;
XX. conduzir-se com urbanidade e educação, tratando a todos com respeito, procurando
atender ao público e aos servidores do CONTRATANTE com atenção e presteza;
XXI. usar o telefone somente a serviço, não aceitando interurbanos e ligações a cobrar;
XXII. manter-se com boa apresentação e higiene no trabalho, mantendo postura
compatível com as atividades de segurança;
XXIII. manter limpas as guaritas e recepções, não utilizando quaisquer outros objetos que
não sejam permitidos aos empregados, quando no exercício de suas respectivas
atividades;
XXIV. manter a devida discrição e comportamento reservado a respeito das atividades de
seu posto de trabalho;
XXV. verificar, diariamente, portas e janelas das dependências do CONTRATANTE,
conferindo se estão devidamente fechadas ao final do expediente e, no caso dos finais de
semana, no início e no término de cada plantão de 12 (doze) horas;
XXVI. realizar rondas periódicas durante o turno de serviço conforme procedimentos e
rotinas de trabalhos estabelecidos pelo CONTRATANTE;
XXVII. colaborar nos casos de emergência ou necessidade de evacuação das instalações,
visando a manutenção das condições de segurança, conforme procedimentos e rotinas de
trabalho estabelecidos pelo CONTRATANTE;
XXVIII. permitir a entrada de servidores e empregados fora do horário de expediente
somente quando devidamente autorizados;
XXIX. não permitir o acesso de pessoa que se negue a ser identificada, salvo por decisão
e/ou autorização expressa do CONTRATANTE;
XXX. assumir o posto no horário regulamentar já uniformizado e de posse dos acessórios e
equipamentos necessários para o desempenho de suas atribuições;
XXXI. deixar iluminada, nos pontos pré-determinados, áreas físicas das edificações do
CONTRATANTE, verificando, diariamente, se as demais luzes estão apagadas, na forma
e condições estabelecidas;
XXXII. permitir que portadores de necessidades especiais, idosos, gestantes ou aqueles a
quem a lei destina tratamento especial tenham preferência de trânsito no acesso aos
elevadores e nas dependências do CONTRATANTE, procurando ajudá-los, quando
necessário, no desembarque de veículos;
XXXIII. adentrar as áreas restritas somente em caso de emergência ou quando
devidamente autorizado;
XXXIV. não abordar autoridades ou empregados de outras áreas, para tratar de assuntos
particulares ou de serviço, salvo quando devidamente autorizado pela sua chefia imediata;
XXXV. promover o recolhimento de quaisquer objetos e/ou valores encontrados nas
dependências do CONTRATANTE ou nas suas imediações, providenciando, de imediato,
a remessa desses bens à Administração;
XXXVI. impedir a colocação de cartazes ou faixas, na área externa dos edifícios do
CONTRATANTE, de qualquer natureza quando não autorizadas pela Administração;
XXXVII. conferir, na assunção dos serviços o bom estado da munição e do armamento,
comunicando o encarregado, de imediato, sobre qualquer anormalidade;
XXXVIII. devolver o armamento no ato da troca de serviço, em perfeito estado, relatando
qualquer anormalidade que tenha sido verificada;
XXXIX. manter a arma no coldre, salvo em caso de ocorrência no serviço que justifique o
saque, com fecho de segurança atado;

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 48/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

XL. reportar ao encarregado e relatar em livro próprio toda e qualquer situação em que a
arma tenha sido retirada do coldre;
XLI. não fazer nenhum tipo de reparo ou alteração na arma e nas munições sob sua
responsabilidade;
XLII. não substituir, em nenhuma hipótese, a munição recebida;
XLIII. nunca brincar com a arma, manuseando-a desnecessariamente,ou ainda, entregá-la
a outras pessoas, mesmo que qualificadas, salvo no caso de superior hierárquico para
inspeção, ficando ciente que a má utilização do equipamento é de sua inteira
responsabilidade, ficando sujeito às penas cominadas pela lei em qualquer hipótese;
XLIV. nunca repassar a arma carregada, desmuniciando-a antes de transmiti-la ao seu
sucessor;
XLV. acompanhar, sempre que solicitado, os servidores do CONTRATANTE, mediante
prévia autorização, de forma que, ao chegarem ou se retirarem do prédio tenham seus
riscos minimizados;
XLVI. utilizar arma somente em legítima defesa própria ou de terceiros, depois de
esgotados todos meios para solução de eventual problema, ficando sob sua exclusiva
responsabilidade a decisão de fazer ou não uso do armamento;
XLVII. não permitir a saída de bens ou qualquer outro tipo de material pertencentes ou não
ao CONTRATANTE sem a devida autorização;
XLVIII. não permitir a entrada de pessoas em traje incompatível com o ambiente de
trabalho, salvo em caso de emergência.
PARÁGRAFO QUARTO - Correrão por conta do CONTRATADO todas as despesas que incidirem ou
venham a incidir sobre o presente Contrato.
PARÁGRAFO QUINTO - O CONTRATADO se obriga a manter, durante toda a execução do Contrato, as
mesmas condições de Habilitação e qualificação exigidas na licitação, sob pena de considerar-se
descumprimento contratual.

CLÁUSULA NONA - DA DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA - As despesas decorrentes do


presente Contrato correrão à conta do Orçamento Geral da União, conforme abaixo:

Exercício: 2010
Órgão: 25000 Secretaria da Receita Federal
do Brasil / MF
Unidade Gestora: 170041 Delegacia da Receita Federal
do Brasil de Fortaleza
ou 171108 Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza
Gestão: 00001 - Tesouro Nacional
Fonte: 000000132
Natureza de Despesa: 3390.37 Locação de Mão-de-Obra (ND)
Plano Interno: GESPROGSRF (PI)
Programa de Trabalho Resumido: 003616 (PTRES)

PARÁGRAFO PRIMEIRO - DA NOTA DE EMPENHO - Foi emitida Nota de Empenho __(estimativa / global
/ ordinária)__ nº 200__NE900____, no valor de R$ _________ (_______________________), à conta da
dotação orçamentária especificada nesta Cláusula, para atender às despesas inerentes à execução deste
Contrato, durante o exercício de 2010.
PARÁGRAFO SEGUNDO - Para os demais exercícios, se for o caso, serão emitidas novas Notas de
Empenho para atender as despesas correspondentes, em conformidade com o disposto no § 4º do art 30 da

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 49/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

IN SLTI/MPOG nº 02/2008.

CLÁUSULA DÉCIMA - DO PREÇO - O CONTRATANTE pagará ao CONTRATADO, pela execução dos


serviços objeto deste Contrato, o Preço Global de R$ _______ (_____________________), relativamente
ao período de __ de _________ a __ de _______ de 2010.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - DO PREÇO MENSAL - O CONTRATANTE pagará ao CONTRATADO, pela
execução dos serviços objeto deste Contrato, o Preço Mensal de R$ _______ (_____________________).
PARÁGRAFO SEGUNDO - DOS PREÇOS UNITÁRIOS - O CONTRATANTE pagará ao CONTRATADO,
pela execução dos serviços objeto deste Contrato, o Preço Unitário por Tipo de Área abaixo descrito:
I. Agência da Receita Federal do Brasil de Aracati, CE

ESCALA DE TRABALHO Nº de postos Subtotal (R$)


12 x 36 horas diurnas
12 x 36 horas noturnas
44 horas semanais diurnas
Outros (especificar)
TOTAL

II.Agência da Receita Federal do Brasil de Baturité, CE

ESCALA DE TRABALHO Nº de postos Subtotal (R$)


12 x 36 horas diurnas
12 x 36 horas noturnas
44 horas semanais diurnas
Outros (especificar)
TOTAL
....................................................................................................................
....................................................................................................................

VIII. Alfândega da Receita Federal do Brasil do Porto de Fortaleza, CE

ESCALA DE TRABALHO Nº de postos Subtotal (R$)


12 x 36 horas diurnas
12 x 36 horas noturnas
Outros (especificar)
TOTAL

CLÁUSULA DÉCIMA-PRIMEIRA - DA REPACTUAÇÃO - Será admitida repactuação, conforme previsão


contida no art. 5º do Decreto nº 2.271/97 e art. 37da IN MPOG/SLTI nº 02/2008, desde que seja observa
observado o interregno mínimo de 1 (um) ano.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - O interregno mínimo de 1 (um) ano para a primeira repactuação que será
contado a partir da data do orçamento a que a proposta se referir, admitindo-se, como termo inicial, a data
do acordo, convenção ou dissídio coletivo de trabalho ou equivalente, vigente à época da apresentação da
proposta, quando a maior parcela do custo da contratação for decorrente de mão-de-obra e estiver

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 50/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

vinculado às datas-base destes instrumentos.


PARÁGRAFO SEGUNDO - Nas repactuações subseqüentes à primeira, a anualidade será contada a partir
da data da última repactuação ocorrida, assim entendida a data do acordo ou convenção coletiva de
trabalho ou sentença normativa, observada a periodicidade anual.
PARÁGRAFO TERCEIRO - As repactuações serão precedidas de solicitação do CONTRATADO,
acompanhada de demonstração analítica da alteração dos custos, por meio de apresentação da planilha de
custos e formação de preços e do novo acordo ou convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa
que fundamenta a repactuação, bem como de documentos e comprovantes idôneos que demonstrem a
variação dos custos dos insumos diversos e dos insumos de mão-de-obra não constantes destes
instrumentos.
I. O CONTRATADO deverá exercer o direito à repactuação, pleiteando o reconhecimento
deste perante a Administração, a partir do terceiro dia da data do depósito, e desde que
devidamente registrado, no órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego, do
acordo ou convenção coletiva de trabalho que fixar o novo salário normativo da categoria
profissional abrangida pelo contrato, até a data da assinatura do instrumento de
aditamento de prorrogação contratual subseqüente, conforme determinado nos Acórdãos
TCU nºs 1.827/2008 e 1.828/2008, do Plenário, caso em que serão reconhecidos os
efeitos financeiros desde a data estabelecida no acordo ou convenção coletiva de trabalho
ou sentença normativa que alterou o salário da categoria profissional, observada a
periodicidade anual.
II.No caso previsto no inciso anterior, o pagamento retroativo deverá ser concedido
exclusivamente para os itens que motivaram a retroatividade, e apenas em relação à
diferença porventura existente.
III. Se o CONTRATADO não exercer de forma tempestiva seu direito à repactuação, no
prazo estabelecido neste Parágrafo, e, por via de conseqüência, firmar o instrumento de
aditamento de prorrogação do Contrato sem pleitear a respectiva repactuação, ocorrerá a
preclusão do seu direito a repactuar em relação ao último acordo ou convenção coletiva de
trabalho ou sentença normativa.
IV. Nas situações abaixo relacionadas, o Contrato poderá ser prorrogado e o instrumento
de aditamento da prorrogação poderá conter cláusula - por solicitação do CONTRATADO,
acompanhada das devidas justificativas, desde que não tenha dado causa para o
descumprimento do prazo estabelecido neste Parágrafo para solicitação de repactuação,
ou por interesse da Administração, devidamente justificado - prevendo a possibilidade de
repactuação pretérita com efeitos financeiros desde a data estabelecida no acordo ou
convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa que alterou o salário da categoria
profissional:
a. o acordo ou convenção coletiva de trabalho não tiver sido depositada até a data da
prorrogação Contratual;
b. o acordo ou convenção coletiva de trabalho for depositada, ou procedida à
solicitação de repactuação, em data próxima à da prorrogação contratual, no caso
em que o processamento da repactuação poderá, justificadamente, prejudicar a
prorrogação;
c. qualquer outra situação em que o CONTRATADO, comprovadamente, não tiver
dado causa para que a solicitação de repactuação não tenha sido feita no prazo
estabelecido neste Parágrafo, ou que haja interesse da Administração.
V. Nas situações relacionadas no inciso anterior, por ocasião das prorrogações contratuais,
quando possível, a Administração deverá prever o impacto no preço efetivamente
praticado de eventual repactuação não concedida, para fins de comparação com os
preços obtidos na pesquisa de preços efetuada, a qual também deverá levar em

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 51/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

consideração o impacto do acordo ou convenção coletiva já depositada. Caso não seja


possível, o preço efetivamente praticado deve ser comparado com os preços obtidos na
pesquisa de preços, sem qualquer previsão de impacto de eventuais novos custos.
PARÁGRAFO QUARTO - É vedada a inclusão, por ocasião da repactuação, de benefícios não previstos na
proposta inicial, exceto quando se tornarem obrigatórios por força de instrumento legal, sentença normativa,
acordo coletivo ou convenção coletiva.
PARÁGRAFO QUINTO - Quando da solicitação da repactuação, esta somente será concedida mediante
negociação entre as partes, considerando-se:
I. os preços praticados no mercado e em outros contratos da Administração;
II.as particularidades do contrato em vigência;
III. o novo acordo ou convenção coletiva das categorias profissionais;
IV. a nova planilha com a variação dos custos;
V. indicadores setoriais, tabelas de fabricantes, valores oficiais de referência, tarifas
públicas ou outros equivalentes, e;
VI. a disponibilidade orçamentária da Administração.
PARÁGRAFO SEXTO - A decisão sobre o pedido de repactuação deve ser feita no prazo máximo de 60
(sessenta) dias, contados a partir da solicitação e da entrega dos comprovantes de variação dos custos.
PARÁGRAFO SÉTIMO - O prazo referido no Parágrafo anterior ficará suspenso enquanto o
CONTRATADO não cumprir os atos ou apresentar a documentação solicitada pelo CONTRATANTE para a
comprovação da variação dos custos.
PARÁGRAFO OITAVO - O órgão ou entidade contratante poderá realizar diligências para conferir a
variação de custos alegada pelo CONTRATADO.
PARÁGRAFO NONO - A Administração deverá assegurar-se de que os preços contratados são
compatíveis com aqueles praticados no mercado, de forma a garantir a continuidade da contratação mais
vantajosa.
PARÁGRAFO DÉCIMO - Reconhecido o direito do CONTRATADO à repactuação, será lavrado instrumento
de aditamento ao contrato vigente.
PARÁGRAFO DÉCIMO PRIMEIRO - Os novos valores repactuados deverão observar os limites máximos
estabelecidos pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

CLÁUSULA DÉCIMA-SEGUNDA - DO REEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO - Com vista à


manutenção do equilíbrio econômico-financeiro do Contrato, poderá ser promovida a revisão do preço
contratual, desde que eventuais solicitações nesse sentido estejam acompanhadas de comprovação da
superveniência de fatos imprevisíveis ou previsíveis, porém de conseqüências incalculáveis, retardadores
ou impeditivos da execução do ajustado, configurando álea econômica extraordinária e extracontratual, bem
como de demonstração analítica de seu impacto nos custos do Contrato, nos termos do disposto no art. 65,
inciso II, alínea “d”, da Lei nº 8.666/93.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - Os novos preços revisados não poderão ultrapassar o limite máximo fixado pelo
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.
PARÁGRAFO SEGUNDO - A demonstração analítica será apresentada em conformidade com as Planilhas
de Custos e Formação de Preços, anexas ao Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 02/2009.

CLÁUSULA DÉCIMA-TERCEIRA - DO PAGAMENTO - O pagamento pelos serviços efetivamente


prestados será feito pelo CONTRATANTE, em moeda corrente nacional, mediante Ordem Bancária em

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 52/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

conta corrente indicada pelo CONTRATADO ou por meio de Ordem Bancária para pagamento de faturas
com código de barras, uma vez satisfeitas as condições estabelecidas neste Contrato, e ocorrerá até o 5º
(quinto) dia útil subseqüente ao devido ateste, que deverá ser efetuado pela fiscalização do Contrato em até
2 (dois) dias úteis após a apresentação dos documentos de cobrança.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - Não poderá ser imposta qualquer espécie de encargos moratórios por demora
de recebimento do valor da fatura que ultrapassar a data de vencimento, após a data da referida Ordem
Bancária, se a mesma foi emitida tempestivamente.
PARÁGRAFO SEGUNDO - A nota fiscal/fatura deverá ser emitida pelo próprio CONTRATADO,
obrigatoriamente com o número de inscrição no CNPJ indicado na proposta de preços e nos documentos de
habilitação, bem como na Nota de Empenho, e deverá ser obrigatoriamente acompanhada das seguintes
comprovações:
I. pagamento da remuneração e das contribuições sociais - FGTS (Fundo de Garantia do
Tempo de Serviço e Previdência Social), correspondentes ao mês da última nota fiscal ou
fatura vencida, compatível com os empregados vinculados à execução contratual,
nominalmente identificados;
II.cumprimento das obrigações trabalhistas, correspondentes à última nota fiscal ou fatura
que tenha sido paga pela Administração; e
III. regularidade fiscal, constatada através de consulta "on-line" ao Sistema de
Cadastramento Unificado de Fornecedores - SICAF, ou na impossibilidade de acesso ao
referido Sistema, mediante consulta aos sítios eletrônicos oficiais ou à documentação
mencionada no art. 29 da Lei nº 8.666/93.
PARÁGRAFO TERCEIRO - O descumprimento das obrigações trabalhistas, previdenciárias e as relativas
ao FGTS ensejará o pagamento em juízo da totalidade dos valores em débito, sem prejuízo das sanções
cabíveis.
PARÁGRAFO QUARTO - Os prazos previstos no caput desta Cláusula somente começam a correr após a
apresentação da totalidade dos documentos previstos no Parágrafo Segundo desta Cláusula.
PARÁGRAFO QUINTO - Os pagamentos, mediante a emissão de qualquer modalidade de Ordem
Bancária, serão realizados desde que o CONTRATADO efetue a cobrança de forma a permitir o
cumprimento das exigências legais, principalmente no que se refere às retenções tributárias.
PARÁGRAFO SEXTO - A critério do CONTRATANTE, poderá ser utilizado o valor contratualmente devido
para cobrir dívidas de responsabilidade do CONTRATADO para com ele, relativas a multas que lhe tenham
sido aplicadas em decorrência da irregular execução contratual.
PARÁGRAFO SÉTIMO - Serão retidos na fonte o Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), bem
assim a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), a Contribuição para o Financiamento da
Seguridade Social (COFINS) e a Contribuição para o PIS/PASEP sobre os pagamentos efetuados,
utilizando-se as alíquotas previstas para o objeto deste Contrato, conforme Instrução Normativa SRF nº
480/04, publicada no DOU de 29/12/04, e suas alterações, ou outra que a vier substituir.
PARÁGRAFO OITAVO - Não haverá a retenção prevista no item anterior na hipótese de o CONTRATADO
ser optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas
Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), instituído pela Lei Complementar nº
123/06, ou se enquadre na previsão contida no § 4º do art. 16 da mesma Lei.
PARÁGRAFO NONO - DOS ENCARGOS MORATÓRIOS - Nos casos da ocorrência de eventuais atrasos
de pagamento provocados exclusivamente pela Administração, o valor devido deverá ser acrescido de
atualização financeira e sua apuração se fará desde a data de seu vencimento até a data do efetivo
pagamento, em que os juros de mora serão calculados à taxa anual de 6% (seis por cento) ao ano,
calculados de forma não composta, “pro rata tempore-die”, mediante aplicação da seguinte formula:
EM = (0,06 ÷ 365) x VP x N, onde:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 53/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

EM = encargos moratórios;
VP = valor da parcela em atraso;
N= número de dias entre a data prevista para o
pagamento e a do efetivo pagamento.
PARÁGRAFO DÉCIMO - Fica vedada a realização de horas extras ou pagamento de adicionais não
previstos nem estimados originariamente no instrumento convocatório.

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS - As sanções administrativas foram


didaticamente divididas de acordo com sua aplicabilidade.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - Em caso de inexecução do Contrato, erro de execução, execução imperfeita,
mora de execução, inadimplemento contratual ou não veracidade das informações prestadas, o
CONTRATADO estará sujeito às seguintes sanções administrativas, garantida prévia defesa:
I. Advertência;
II. Multas sobre o valor do Contrato para o período de 12 (doze) meses:
a) multa de moratória 14 de 0,1% (um décimo por cento), por dia de atraso no
início da execução do serviço, por ocorrência, a contar do recebimento da Ordem de
Serviço, por razões não aceitas pelo Contratante como suficientes para justificar o
retardamento da execução de seu objeto, limitada a 30 (trinta) dias;
b) multa compensatória de 10% (dez por cento), no caso de rescisão por ato unilateral
da Administração, motivada por culpa do CONTRATADO, inclusive pelo
descumprimento das obrigações e encargos sociais e trabalhistas, independentemente
das demais sanções cabíveis.
III. Multas sobre o valor mensal do Contrato:

Multa compensatória de 4,0% (quatro por cento)


a. permitir situação que crie a possibilidade de causar dano físico, lesão corporal por ocorrência
ou conseqüências letais;

Multa compensatória de 3,2% (três por cento e dois décimos)


b.suspender ou interromper, salvo por motivo de força maior ou caso fortuito, os por ocorrência e
serviços contratuais; por dia
c. deixar de efetuar o pagamento, nas datas avençadas, de salários, seguros, por ocorrência e
encargos fiscais e sociais, bem assim quaisquer despesas diretas e/ou indiretas por dia
relacionadas à execução deste contrato;

Multa compensatória de 1,6% (um por cento e seis décimos)


d. retirar funcionários ou supervisores do serviço durante o expediente, sem a por empregado e
anuência prévia do Contratante; por dia
por empregado e
e. deixar de efetuar a reposição de empregados faltosos;
por dia
f. deixar de substituir empregado que se conduza de modo inconveniente ou não por empregado e
atenda às necessidades; por dia
g. deixar de cumprir quaisquer dos itens do Edital e seus Anexos não previstos por ocorrência
nesta tabela de multas, após reincidência formalmente notificada pelo fiscal do
Contrato;
14
Observar limite de 10% para multas de mora

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 54/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Multa compensatória de 0,8% (oito décimos por cento)


por empregado e
h. manter empregado sem qualificação para executar os serviços contratados;
por dia
i. deixar de entregar os vales-transporte e/ou ticket-refeição nas datas por empregado e
avençadas; por dia
por serviço e por
j. deixar de zelar pelas instalações das unidades do CONTRATADO;
dia
k. deixar de entregar os insumos e materiais previstos para execução dos por ocorrência
serviços;

Multa compensatória de 0,4% (quatro décimos por cento)


l. deixar de cumprir determinação formal ou instrução complementar do fiscal do por ocorrência
Contrato;
m. deixar de fornecer uniformes, EPI15 e outros equipamentos, quando exigido por empregado e
em lei, convenção ou contrato, aos seus empregados e de impor penalidades por ocorrência
àqueles que se negarem a usá-los;

Multa compensatória de 0,2% (dois décimos por cento)


n. permitir a presença de empregado sem uniforme, com uniforme mal por empregado e
apresentado e/ou sem crachá; por dia

o. deixar de registrar e controlar, diariamente, a assiduidade e a pontualidade de por empregado e


seu pessoal; por dia
p. deixar de cumprir quaisquer dos itens do Edital e seus Anexos não previsto por item e por
nesta tabela de multas; ocorrência

PARÁGRAFO SEGUNDO - Além das penalidades acima, aquele que, convocado dentro do prazo de
vigência do Contrato, deixar de entregar ou apresentar documentação falsa exigida, ensejar o retardamento
da execução de seu objeto, falhar ou fraudar na execução do Contrato, comportar-se de modo inidôneo ou
cometer fraude fiscal, ficará impedido de licitar e contratar com a União e será descredenciado no SICAF,
pelo prazo de até 5 (cinco) anos, garantido o direito à ampla defesa, sendo adotado o seguinte critério,
como forma de gradação das faltas por:
I. 1 (um) ano: aquele que se comportar de modo inidôneo ou deixar de entregar
documentação exigida;
II.2 (dois) anos: aquele que ensejar o retardamento da execução do Contrato;
III. 3 (três) anos: falhar ou fraudar na execução do Contrato;
IV. 4 (quatro) anos: aquele que fizer declaração falsa, apresentar documentação falsa ou
cometer fraude fiscal; e
V. 5 (cinco) anos: aquele que cometer mais de uma das faltas previstas nas alíneas “I” a
“IV”.
PARÁGRAFO TERCEIRO - As sanções previstas no Parágrafo Primeiro e no Segundo poderão ser
aplicadas cumulativamente.
PARÁGRAFO QUARTO - No processo de aplicação de sanções, é assegurado o direito ao contraditório e à
ampla defesa, facultada defesa prévia do interessado no prazo de 5 (cinco) dias úteis contados da
15
Equipamentos de Proteção Individual

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 55/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

respectiva intimação para as sanções previstas no Parágrafo Primeiro, e de 10 (dez) dias para as sanções
previstas nos Parágrafo Segundo, contados da abertura de vistas.
PARÁGRAFO QUINTO - As sanções previstas no Parágrafo Primeiro serão aplicadas pelo Delegado da
DRF/FOR (ou pelo Inspetor da ALF/FOR) e, as sanções previstas no Parágrafo Segundo serão aplicadas
pelo Ministro de Estado da Fazenda.
PARÁGRAFO SEXTO - As sanções serão obrigatoriamente registradas no SICAF, e no caso de
impedimento de licitar e contratar com a União, o licitante será descadastrado por igual período, sem
prejuízo das multas previstas neste Edital e das demais cominações legais.

CLÁUSULA DÉCIMA-QUINTA - DOS RECURSOS - Dos atos da Administração decorrentes da aplicação


de penalidades deste Contrato caberá recurso, interposto no prazo de 5 (cinco) dias úteis a contar da
intimação do ato, dirigido à Delegada da DRF/FOR (ou pelo Inspetor da ALF/FOR) por intermédio do
Fiscal de Contrato, nos casos de:
I. rescisão do Contrato, a que se refere o inciso I do artigo 79 da Lei nº 8.666/93;
II.aplicação das penas de multa ou suspensão temporária.
III. representação, no prazo de 5 (cinco) dias úteis da intimação da decisão relacionada
com o Contrato, de que não caiba recurso hierárquico;
IV. pedido de reconsideração de decisão do Ministro da Fazenda, no caso de declaração
de inidoneidade para licitar ou contratar com a Administração Pública, no prazo de 10
(dez) dias úteis da intimação do ato.
PARÁGRAFO PRIMEIRO - O recurso será dirigido à autoridade superior, por intermédio da que praticou o
ato recorrido, a qual poderá reconsiderar sua decisão, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, ou, nesse mesmo
prazo, fazê-lo subir, devidamente informado, devendo, neste caso, a decisão ser proferida dentro do prazo
de 5 (cinco) dias úteis, contado do recebimento do recurso, sob pena de responsabilidade (art. 109, § 4º, da
Lei nº 8.666/93).
PARÁGRAFO SEGUNDO - Os recursos interpostos fora dos prazos não serão conhecidos.

CLÁUSULA DÉCIMA-SEXTA - DA RESCISÃO - O presente Contrato poderá ser rescindido pelos motivos
elencados nos artigos 77 e 78 da Lei no 8.666, de 21/06/93 e pelas formas previstas no artigo 79 da mesma
Lei.

CLÁUSULA DÉCIMA-SÉTIMA - DA VALIDADE E EFICÁCIA - O presente Contrato só terá validade depois


de aprovado pelo Superintendente da Receita Federal do Brasil da 3ª Região Fiscal e eficácia depois de
publicado seu extrato no Diário Oficial da União.
PARÁGRAFO ÚNICO - DA PUBLICAÇÃO - Incumbirá ao CONTRATANTE providenciar, à suas expensas,
a publicação do extrato do Contrato, ou de seus eventuais aditamentos, no Diário Oficial da União, será
providenciada e custeada pela Administração, mediante remessa do texto do extrato a ser publicado à
Imprensa Nacional, até o 5º (quinto) dia útil do mês seguinte ao de sua assinatura, para ocorrer no prazo de
20 (vinte) dias contados da aludida remessa.

CLÁUSULA DÉCIMA-OITAVA - DO FORO - Para dirimir todas as questões oriundas do presente Contrato,
será competente o Juízo Federal, Seção Judiciária de Fortaleza, CE.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 56/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

E, para firmeza e como prova de assim haverem, entre si, ajustado e contratado, foi lavrado o presente
Contrato, que depois de lido e achado conforme, é assinado, em três vias de igual teor e forma, pelas partes
contratantes e pelas testemunhas abaixo nomeadas, tendo sido arquivado na Delegacia da Receita
Federal do Brasil de Fortaleza, e dele extraídas as cópias necessárias.

______________________________________
(nome do Gestor)
União
CONTRATANTE

_______________________________________
(nome do representante / responsável)
(nome da Empresa)
CONTRATADO

TESTEMUNHAS:

_______________________________ _______________________________
Assinatura Assinatura
Nome: ________________________ Nome: _______________________
CPF n ______________
o
CPF no ______________
CI no ________________ CI no ________________

ANEXO II
ESTIMATIVA DE CUSTOS DA ADMINISTRAÇÃO

Apresenta-se abaixo, tabelas consolidadas das estimativas dos valores mensais a serem
dispendiados por Posto de Trabalho e Total, nas unidades da Delegacia da Receita Federal do
Brasil em Fortaleza e na Alfândega da Receita Federal do Brasil em Fortaleza:

TABELA I - Discriminativo de itens:

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 57/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Qte Valor
Lote Item Unidade Descrição do Serviço Valor Anual
Postos Mensal
Vigilância armada 12 x 36 hs
1 ARF/ARACATI 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
2 ARF/ARACATI 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 44
3 ARF/BATURITÉ 1 1872,16 22465,92
hs/semana de 2ª feira a 6ª feira
Vigilância armada 12 x 36 hs
4 ARF/CAUCAIA 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
5 ARF/CAUCAIA 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
6 ARF/ITAPIPOCA 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
7 ARF/ITAPIPOCA 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
I Vigilância armada 12 x 36 hs
8 ARF/MARANGUAPE 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
9 ARF/MARANGUAPE 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 44
10 ARF/QUIXADÁ 1 1872,16 22465,92
hs/semana de 2ª feira a 6ª feira
Vigilância armada 12 x 36 hs
11 ARF/QUIXERAMOBIM 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
12 ARF/QUIXERAMOBIM 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
13 ARF/RUSSAS 1 3592,49 43109,88
diurnas de 2ª feira a Domingo
Vigilância armada 12 x 36 hs
14 ARF/RUSSAS 1 3865,67 46388,04
noturnas de 2ª feira a Domingo
TOTAL 48493,28 581919,36
Vigilância armada 12 x 36 hs
15 ALF/FOR 3 13549,83 162597,96
diurnas de 2ª feira a Domingo
II Vigilância armada 12 x 36 hs
16 ALF/FOR 3 14558,58 174702,96
noturnas de 2ª feira a Domingo
TOTAL 28108,41 337300,92

TABELA II – Discriminativo por lote:

Qte Valor
Lote Unidade Descrição do Serviço Valor Anual
Postos Mensal
Serviços de vigilância armada
Delegacia da Receita Federal
I e segurança nas unidades 14 48493,28 581919,36
do Brasil em Fortaleza
jurisdicionadas

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 58/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Serviços de vigilância armada


Alfândega da Receita Federal
II e segurança no edifício sede 6 28108,41 337300,92
do Brasil em Fortaleza
da ALF/FOR
TOTAL 76601,69 919220,28

PLANILHAS DE CUSTOS PARA FORMAÇÃO DOS PREÇOS


Planilhas de Custos dos Serviços de Vigilância que originaram o preço de referência da
Administração:

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 01 – NOTURNO - AGÊNCIAS
CAUCAIA, ITAPIPOCA E QUIXERAMOBIM
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 59/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

B Município/UF CAUCAIA/ITAPIPOCA/QUIXER
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
B Adicional Noturno R$ 5,12 DIA 153,60
C Adicional Periculosidade 3,00% 42,74
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 1.620,98
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50
C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 60/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

G Auxílio funeral 8,00


H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 305,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 324,20
02 SESI ou SESC 1,50% 24,31
03 SENAI ou SENAC 1,00% 16,21
04 INCRA 0,20% 3,24
05 Salário educação 2,50% 40,52
06 FGTS 8,00% 129,68
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 48,63
08 SEBRAE 0,60% 9,73
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 596,52
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 180,10
10 Auxílio doença 1,39% 22,53
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,30
12 Faltas legais 0,40% 6,48
13 Acidente de trabalho 0,28% 4,54
14 Aviso prévio 1,91% 30,96
15 13º salário 8,33% 135,03
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 380,94
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado 2,27% 36,80
17 Indenização adicional 0,25% 4,05
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 51,87

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 61/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.


18.1 0,80% 12,97
1º)
Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 105,69
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 140,38
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 2,92

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 143,30

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.226,45

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 3.152,93
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 220,71
02 Lucro 5,00% 157,65
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 378,36
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
115,97
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
25,13
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 193,28
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 334,38

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração 1.620,98
B Encargos sociais 1.226,45

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 62/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Insumos de mão-de-Obra 305,50


D Sub-total R$ 3.152,93
E Reserva técnica 2,00% 63,06
Total da Mão-de-obra R$ 3.215,99
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 3.152,93
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 378,36
D Tributos 334,38
E Valor mensal do serviço R$ 3.865,67

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 02 – NOTURNO – AGÊNCIAS
ARACATI, MARANGUAPE E RUSSAS
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF ARACATI/MARANGUAPE/RUSSAS

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 63/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio


C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
R$
B Adicional Noturno 153,60
5,12 DIA
C Adicional Periculosidade 3,00% 42,74
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 1.620,98
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50
C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00
G Auxílio funeral 8,00

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 64/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 305,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 324,20
02 SESI ou SESC 1,50% 24,31
03 SENAI ou SENAC 1,00% 16,21
04 INCRA 0,20% 3,24
05 Salário educação 2,50% 40,52
06 FGTS 8,00% 129,68
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 48,63
08 SEBRAE 0,60% 9,73
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 596,52
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 180,10
10 Auxílio doença 1,39% 22,53
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,30
12 Faltas legais 0,40% 6,48
13 Acidente de trabalho 0,28% 4,54
14 Aviso prévio 1,91% 30,96
15 13º salário 8,33% 135,03
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 380,94
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado 2,27% 36,80
17 Indenização adicional 0,25% 4,05
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 51,87
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 12,97
1º)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 65/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 105,69


GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 140,38
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 2,92

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 143,30

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.226,45

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 3.152,93
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 220,71
02 Lucro 5,00% 157,65
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 378,36
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
115,97
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
25,13
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 193,28
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 334,38

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração 1.620,98
B Encargos sociais 1.226,45
C Insumos de mão-de-Obra 305,50
D Sub-total R$ 3.152,93

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 66/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

E Reserva técnica 2,00% 63,06


Total da Mão-de-obra R$ 3.215,99
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 3.152,93
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 378,36
D Tributos 334,38
E Valor mensal do serviço R$ 3.865,67

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIOS DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 03 – DIURNO - AGÊNCIAS
CAUCAIA, ITAPIPOCA E QUIXERAMOBIM
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF CAUCAIA/ITAPIPOCA/QUIXERA

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 67/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio


C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - diurno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
B Adicional Noturno 0,00
C Adicional Periculosidade 3,00% 42,74
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 1.467,38
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50
C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00
G Auxílio funeral 8,00

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 68/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 305,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 293,48
02 SESI ou SESC 1,50% 22,01
03 SENAI ou SENAC 1,00% 14,67
04 INCRA 0,20% 2,93
05 Salário educação 2,50% 36,68
06 FGTS 8,00% 117,39
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 44,02
08 SEBRAE 0,60% 8,80
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 539,98
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 163,03
10 Auxílio doença 1,39% 20,40
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,17
12 Faltas legais 0,40% 5,87
13 Acidente de trabalho 0,28% 4,11
14 Aviso prévio 1,91% 28,03
15 13º salário 8,33% 122,23
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 344,84
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado 2,27% 33,31
17 Indenização adicional 0,25% 3,67
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 46,96
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 11,74
1º)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 69/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 95,68


GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 127,08
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 2,64

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 129,72

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.110,22

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 2.883,10
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 201,82
02 Lucro 5,00% 144,15
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 345,97
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
106,04
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
22,98
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 176,74
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 305,76

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração 1.467,38
B Encargos sociais 1.110,22
C Insumos de mão-de-Obra 305,50
D Sub-total R$ 2.883,10

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 70/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

E Reserva técnica 2,00% 57,66


Total da Mão-de-obra R$ 2.940,76
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 2.940,76
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 345,97
D Tributos 305,76
E Valor mensal do serviço R$ 3.592,49

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 04 – DIURNO – AGÊNCIAS
ARACATI, MARANGUAPE E RUSSAS
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF ARACATI/MARANGUAPE/RUSSAS

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 71/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio


C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - diurno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
B Adicional Noturno 0,00
C Adicional Periculosidade 3,00% 42,74
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 1.467,38
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50
C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00
G Auxílio funeral 8,00

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 72/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 305,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 293,48
02 SESI ou SESC 1,50% 22,01
03 SENAI ou SENAC 1,00% 14,67
04 INCRA 0,20% 2,93
05 Salário educação 2,50% 36,68
06 FGTS 8,00% 117,39
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 44,02
08 SEBRAE 0,60% 8,80
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 539,98
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 163,03
10 Auxílio doença 1,39% 20,40
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,17
12 Faltas legais 0,40% 5,87
13 Acidente de trabalho 0,28% 4,11
14 Aviso prévio 1,91% 28,03
15 13º salário 8,33% 122,23
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 344,84
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado 2,27% 33,31
17 Indenização adicional 0,25% 3,67
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 46,96
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 11,74
1º)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 73/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 95,68


GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 127,08
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 2,64

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 129,72

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.110,22

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 2.883,10
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 201,82
02 Lucro 5,00% 144,15
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 345,97
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
106,04
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
22,98
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 176,74
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 305,76

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração 1.467,38
B Encargos sociais 1.110,22
C Insumos de mão-de-Obra 305,50
D Sub-total R$ 2.883,10

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 74/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

E Reserva técnica 2,00% 57,66


Total da Mão-de-obra R$ 2.940,76
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 2.940,76
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 345,97
D Tributos 305,76
E Valor mensal do serviço R$ 3.592,49

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 05 – 44 HORAS –
AGÊNCIA QUIXADÁ
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF QUIXADÁ

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 75/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio


C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 44 hs - diurno (segunda-feira a sexta-feira) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 712,32
B Adicional Noturno 0,00
C Adicional Periculosidade 3,00% 21,37
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 733,69
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 139,70
C Uniformes/equipamentos 40,00
D Assistência médica 5,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 6,00
G Auxílio funeral 4,00

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 76/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

H Outros (especificar) 15,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 214,70


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 146,74
02 SESI ou SESC 1,50% 11,00
03 SENAI ou SENAC 1,00% 7,34
04 INCRA 0,20% 1,47
05 Salário educação 2,50% 18,34
06 FGTS 8,00% 58,69
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 21,01
08 SEBRAE 0,60% 4,40
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 268,99
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 81,51
10 Auxílio doença 1,39% 10,20
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 0,59
12 Faltas legais 0,40% 2,93
13 Acidente de trabalho 0,28% 2,05
14 Aviso prévio 1,91% 14,01
15 13º salário 8,33% 61,12
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 172,41
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado 2,27% 16,65
17 Indenização adicional 0,25% 1,83
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 23,48
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 5,87
1º)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 77/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 47,83


GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 63,54
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 1,32

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 64,86

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 554,09

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 1.502,48
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 105,17
02 Lucro 5,00% 75,12
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 180,29
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
55,26
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
11,97
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 92,11
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 159,34

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração 733,69
B Encargos sociais 554,09
C Insumos de mão-de-Obra 214,70
D Sub-total R$ 1.502,48

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 78/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

E Reserva técnica 2,00% 30,05


Total da Mão-de-obra R$ 1.532,53
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 1.532,53
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 180,29
D Tributos 159,34
E Valor mensal do serviço R$ 1.872,16

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 79/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

planilha estimativa de custos e formação de preços e formulário de apresentação de proposta -


PLANILHA Nº 06 – 44 HORAS –
AGÊNCIA BATURITÉ
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF BATURITÉ
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 44 hs - diurno (segunda-feira a sexta-feira) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 712,32
B Adicional Noturno 0,00
C Adicional Periculosidade 3,00% 21,37
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 733,69
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 0,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 139,70

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 80/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos 40,00
D Assistência médica 5,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 6,00
G Auxílio funeral 4,00
H Outros (especificar) 15,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 214,70


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 146,74
02 SESI ou SESC 1,50% 11,00
03 SENAI ou SENAC 1,00% 7,34
04 INCRA 0,20% 1,47
05 Salário educação 2,50% 18,34
06 FGTS 8,00% 58,69
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 21,01
08 SEBRAE 0,60% 4,40
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 268,99
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 81,51
10 Auxílio doença 1,39% 10,20
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 0,59
12 Faltas legais 0,40% 2,93
13 Acidente de trabalho 0,28% 2,05
14 Aviso prévio 1,91% 14,01
15 13º salário 8,33% 61,12
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 172,41
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 81/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado 2,27% 16,65


17 Indenização adicional 0,25% 1,83
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 23,48
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 5,87
1º)
Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 47,83
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 63,54
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 1,32

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 64,86

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 554,09

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 1.502,48
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 105,17
02 Lucro 5,00% 75,12
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 180,29
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
55,26
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
11,97
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 92,11
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 159,34

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 82/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Item Descrição % Valor Unitário


A Remuneração 733,69
B Encargos sociais 554,09
C Insumos de mão-de-Obra 214,70
D Sub-total R$ 1.502,48
E Reserva técnica 2,00% 30,05
Total da Mão-de-obra R$ 1.532,53
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 1.532,53
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 180,29
D Tributos 159,34
E Valor mensal do serviço R$ 1.872,16

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 83/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 07 – NOTURNO –
ALFÂNDEGA PORTO DE FORTALEZA
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF FORTALEZA/CE
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
B Adicional Noturno R$ 5,12 DIA 153,60
C Adicional Periculosidade 30,00% 427,39
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 2.005,63
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 66,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 84/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00
G Auxílio funeral 8,00
H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 371,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 401,13
02 SESI ou SESC 1,50% 30,08
03 SENAI ou SENAC 1,00% 20,06
04 INCRA 0,20% 4,01
05 Salário educação 2,50% 50,14
06 FGTS 8,00% 160,45
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 60,17
08 SEBRAE 0,60% 12,03
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 738,07
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 222,82
10 Auxílio doença 1,39% 27,88
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,60
12 Faltas legais 0,40% 8,02
13 Acidente de trabalho 0,28% 5,62
14 Aviso prévio 1,91% 38,31
15 13º salário 8,33% 167,07
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 471,32
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 85/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado 2,27% 45,53


17 Indenização adicional 0,25% 5,01
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 64,18
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 16,04
1º)
Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 130,76
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 173,69
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 3,61

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 177,30

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.517,45

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 3.894,58
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 272,62
02 Lucro 5,00% 194,73
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 467,35
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
143,25
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
31,04
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 238,75
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 413,04

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 86/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Item Descrição % Valor Unitário


A Remuneração 2.005,63
B Encargos sociais 1.517,45
C Insumos de mão-de-Obra 371,50
D Sub-total R$ 3.894,58
E Reserva técnica 2,00% 77,89
Total da Mão-de-obra R$ 3.972,47
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 3.972,47
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 467,35
D Tributos 413,04
E Valor mensal do serviço R$ 4.852,86

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 87/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA ESTIMATIVA DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS E FORMULÁRIO DE


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA - PLANILHA Nº 08 – DIURNO –
ALFÂNDEGA PORTO DE FORTALEZA
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF FORTALEZA/CE
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - diurno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria) 712,32
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano) 01.01.2010

I – Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário 1.424,64
B Adicional Noturno 0,00
C Adicional Periculosidade 30,00% 427,39
D Outros 0,00
Total da Remuneração R$ 1.852,03
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte 66,00
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.) 190,50

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 88/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos 50,00
D Assistência médica 10,00
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal 5,00
F Seguro de vida 12,00
G Auxílio funeral 8,00
H Outros (especificar) 30,00

Total dos Insumos de Mão-de-obra R$ 371,50


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00% 370,41
02 SESI ou SESC 1,50% 27,78
03 SENAI ou SENAC 1,00% 18,52
04 INCRA 0,20% 3,70
05 Salário educação 2,50% 46,30
06 FGTS 8,00% 148,16
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00% 55,56
08 SEBRAE 0,60% 11,11
Valor Total do Grupo "A" 36,80% R$ 681,54
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias 11,11% 205,76
10 Auxílio doença 1,39% 25,74
11 Licença paternidade/maternidade 0,08% 1,48
12 Faltas legais 0,40% 7,40
13 Acidente de trabalho 0,28% 5,19
14 Aviso prévio 1,91% 35,37
15 13º salário 8,33% 154,27
Valor Total do Grupo "B" 23,50% R$ 435,21
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 89/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado 2,27% 42,04


17 Indenização adicional 0,25% 4,63
18 Indenização (rescisões sem justa causa) 3,20% 59,26
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1 0,80% 14,82
1º)
Valor Total do Grupo "C" 6,52% R$ 120,75
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19 8,66% 160,38
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado 0,18% 3,33

Valor Total do Grupo "D" 8,84% R$ 163,71

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS R$ 1.401,21

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


R$ 3.624,74
Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais 7,00% 253,73
02 Lucro 5,00% 181,23
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES R$ 434,96
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
133,32
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 3% 3,00%
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
28,89
(Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 0,65% 0,65%
B Tributos Municipais
ISS (Valor Total + Demais Componentes)/0,9135 X 5% 5,00% 222,21
VALOR DOS TRIBUTOS R$ 384,42

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 90/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Item Descrição % Valor Unitário


A Remuneração 1.852,03
B Encargos sociais 1.401,21
C Insumos de mão-de-Obra 371,50
D Sub-total R$ 3.624,74
E Reserva técnica 2,00% 72,49
Total da Mão-de-obra R$ 3.697,23
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra 3.697,23
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos) 0,00
C Demais componentes 434,96
D Tributos 384,42
E Valor mensal do serviço R$ 4.516,61

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 91/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

ANEXO III
MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS

_____(nome empresarial do licitante)_____, inscrita no CNPJ nº __________________,


com sede na _____(endereço completo)_____, por intermédio de seu representante legal, o(a) Sr.(a)
_______(nome completo)_______, infra-assinado, portador(a) da Cédula de Identidade nº ______________
- SSP-__ e do CPF/MF nº _____________, vem apresentar a seguinte proposta de preço para prestação de
serviços terceirizados, de natureza contínua, de VIGILÂNCIA E SEGURANÇA, LOTE _(I ou II)_, com
fornecimento de material, a serem executados nas dependências _(das unidades administrativas
jurisdicionadas à Delegacia da Receita Federal do Brasil de Fortaleza e/ou da Alfândega da Receita
Federal do Brasil do Porto de Fortaleza)_, conforme detalhamento constante do Pregão Eletrônico
DRF/FOR nº 01/2010 e seus Anexos:

1. PREÇOS GLOBAIS MENSAIS


LOTE I - total: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Aracati: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Baturité: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Caucaia: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Itapipoca: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Maranguape: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Quixadá: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Quixeramobim: R$ ______________ (_______________________________)
ARF/ Russas: R$ ______________ (_______________________________)
LOTE II - total: R$ ______________ (_______________________________)

2. PREÇOS GLOBAL ANUAL *

Preço para 12 meses - LOTE I - R$ __________ (_____________________________)

Preço para 12 meses - LOTE II - R$ __________ (_____________________________)


(*) Incluir obrigatoriamente o preço global (12 meses) da proposta para cada lote no ComprasNET, pois
será considerado para efeito de classificação e lances.

4. DADOS GERAIS E BANCÁRIOS:

Validade da proposta (mínimo de 60 dias): ________________


Banco: _________________ Agência: ________ Conta Corrente: _______________
(Os dados referentes à conta bancária poderão ser informados na fase de contratação).

5. DECLARAÇÕES
Declaramos que todas e quaisquer despesas com mão-de-obra, material de consumo, equipamentos,

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 92/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

inclusive as despesas com aquisição, fornecimento e manutenção de armas e munição,


intercomunicadores, veículos, uniformes, treinamento, exceto aqueles de responsabilidade da Secretaria da
Receita Federal do Brasil, prêmios de seguro, taxas, inclusive de administração, emolumentos e quaisquer
despesas operacionais, bem como todos os encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais, comerciais,
despesas e obrigações financeiras de qualquer natureza e outras despesas diretas e indiretas, enfim, todos
os componentes de custo dos serviços, inclusive lucro, necessários à perfeita execução do objeto da
licitação, além de auxílio-alimentação ou refeição, vales-transporte e quaisquer outras vantagens pagas aos
empregados.
Declaramos, ainda, que os pisos salariais das categorias envolvidas na prestação dos serviços e demais
itens previstos no Edital e em seus anexos, além de outros itens necessários à plena execução do objeto,
estão de Acordo com o Sindicato ________ e com a Convenção Coletiva de Trabalho, assinada em
___/___/____.

____(Localidade)______, ___ de _____________ de 2010.

________________________________
(assinatura do emissor)
Telefone/e-mail para eventual contato:

Observações:
1. Para o encaminhamento da proposta de preços objeto desta licitação não será exigido o
preenchimento e envio de arquivo anexo, em razão de que o sistema eletrônico não permite esse
procedimento antes da conclusão da etapa de lances, com vistas a impedir o conhecimento das
licitantes participantes do certame. A licitante detentora da proposta ou do lance de menor valor, após a
etapa de lances, será convocada pelo Pregoeiro para enviar arquivo anexo, conforme disciplinado neste
Edital.
2. Não deverão ser incluídos na Planilha de Custos e Formação de Preços os tributos IRPJ e CSLL,
em face da proibição contida no item 9.1 do Acórdão do TCU nº 950/2007 – Plenário e na IN
SLTI/MPOG nº 02/2008. Serão desclassificadas as propostas que consignarem os tributos IRPJ e
CSLL em suas Planilhas de Custos.
3. Os licitantes deverão registrar na Planilha de Custos os tributos de forma discriminada, conforme o
regime de tributação a que estão submetidas.
4. Serão desclassificadas as propostas que não apresentarem proposta/lance para 12 (doze) meses do
prazo de vigência inicial do contrato, em razão de o sistema eletrônico não permitir alterar as propostas
ou lances registrados, no caso de, por exemplo, o licitante registrar equivocadamente preço mensal e
não para 12 (doze) meses, como exigido.
5. Os valores numéricos dos campos em reais (R$) da planilha foram calculados com arredondamento
estatístico para 2 casas decimais. Da mesma forma foi feito para os valores em porcentagem. Os
valores totais de campos agrupados foram obtidos somando-se os respectivos valores parciais em reais
(R$) ou em porcentagem (%). Isso pode ocasionar pequenas diferenças no cálculo dos totais de dados
agrupados quando se utiliza ao mesmo tempo os valores totais em reais e em porcentagem devido a
aproximação dos resultados parciais com o arredondamento.
6. Havendo dúvida quanto à regularidade da opção pelo Simples Nacional feita pela microempresa ou
empresa de pequeno porte, o Pregoeiro representará junto ao órgão competente solicitando
manifestação quanto à ocorrência ou não de hipótese de vedação, nos termos do caput do artigo 17 da
Lei Complementar nº 123/2006, para que, se for o caso, seja feita a exclusão e adotadas as medidas
dela decorrentes.
7. A Planilha deverá ser instruída com as necessárias Notas Explicativas que permitam o perfeito

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 93/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

entendimento de cada um dos valores que a compõe.


8. Esta Planilha de Custos é exemplificativa, e não exaustiva, podendo cada licitante elaborar sua própria
Planilha, desde que dela conste todos os custos considerados na composição do preço.
9.
ANEXO IV

MODELO DE PLANILHAS DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE


PREÇOS
PLANILHA Nº 01 – NOTURNO - AGÊNCIAS
CAUCAIA, ITAPIPOCA E QUIXERAMOBIM
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF CAUCAIA/ITAPIPOCA/QUIXER
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1 POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual Vigilante
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 94/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo


Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)
C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 95/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)
16 Aviso prévio indenizado
17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art.
18.1
1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação) – lucro
presumido
B Tributos Municipais

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 96/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário
A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 97/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 02 – NOTURNO – AGÊNCIAS


ARACATI, MARANGUAPE E RUSSAS
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _________/2010
ARACATI, MARANGUAPE E
B Município/UF
RUSSAS
C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
01 POSTO /
F Quantidade a contratar
AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 98/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 99/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre Aviso Prévio Indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS(a alíquota depende do regime de tributação)– lucro
presumido
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 100/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 101/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 03 – DIURNO - AGÊNCIAS


CAUCAIA, ITAPIPOCA E QUIXERAMOBIM
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _______/2010
B Município/UF CAUCAIA/ITAPIPOCA/QUIXER
Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio
C 2010
Coletivo
D Tipo de serviço VIGILÂNCIA
E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
1
F Quantidade a contratar
POSTO/AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 102/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO B
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO C
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 103/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS s/aviso prévio indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação) – lucro
presumido
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 104/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 105/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 04 – DIURNO – AGÊNCIAS


ARACATI, MARANGUAPE E RUSSAS
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta _________/2010
ARACATI, MARANGUAPE E
B Município/UF
RUSSAS
C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
01 POSTO /
F Quantidade a contratar
AGÊNCIA
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h – diurno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


2 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
3 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 106/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 107/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre Aviso Prévio Indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS(a alíquota depende do regime de tributação)– lucro
presumido
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 108/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 109/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 05 – 44 HORAS – AGÊNCIA


QUIXADÁ
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta __________/2010
B Município/UF QUIXADÁ

C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂNCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 01 POSTO
G Nº de meses de execução contratual 12

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 44h semanais (segunda a sexta-feira) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional de Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 110/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 111/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre aviso prévio indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 112/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 113/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 06 – 44 HORAS – AGÊNCIA


BATURITÉ
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta ________/2010
B Município/UF BATURITÉ

C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂNCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 01 POSTO
G Nº de meses de execução contratual 12

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 44h semanais (segunda a sexta-feira) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional de Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 114/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 115/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre aviso prévio indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 116/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 117/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 07 – NOTURNO –
ALFÂNDEGA
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta __________/2010
B Município/UF FORTALEZA

C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂNCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h - noturno (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional de Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 118/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 119/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre Aviso Prévio Indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 120/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 121/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

PLANILHA Nº 08 – DIURNO –
ALFÂNDEGA
DADOS GERAIS
A Data de apresentação da proposta __________/2010
B Município/UF FORTALEZA

C Ano do Acordo, Convenção ou Sentença Normativa em Dissídio Coletivo 2010

D Tipo de serviço VIGILÂNCIA


E Unidade de medida POSTO DE SERVIÇO
F Quantidade a contratar 1
G Nº de meses de execução contratual 12 MESES

MÃO-DE-OBRA VINCULADA
Unidade de medida - tipos e quantidades
1 Tipo de serviço Quantidade
Posto de 12h x 36h – DIURNO (segunda-feira a domingo) 01

Dados complementares para composição dos custos referentes à mão-de-obra


1 Salário-mínimo oficial vigente (piso da categoria)
2 Categoria profissional vinculada à execução contratual
3 Data base da categoria (dia/mês/ano)

I - Remuneração
Item Descrição % Valor (R$)
A Salário
B Adicional Noturno
C Adicional de Periculosidade
D Outros
Total da Remuneração
* A inclusão destes itens na composição da Remuneração dependerá das peculiaridades do respectivo
Acordo, Convenção ou Dissídio Coletivo de Trabalho.
II - INSUMOS DE MÃO-DE-OBRA (*)
Item Descrição Valor (R$)
A Transporte
B Alimentação (vale, cesta básica, etc.)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 122/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

C Uniformes/equipamentos
D Assistência médica
E Treinamento/Capacitação/Reciclagem de pessoal
F Seguro de vida
G Auxílio funeral
H Outros (especificar)

Total dos Insumos de Mão-de-obra


* O valor informado deverá ser o custo real do insumo (descontado o valor eventualmente pago pelo
empregado).

ENCARGOS SOCIAIS E TRABALHISTAS

GRUPO “A”
Item Descrição % Valor (R$)
01 INSS 20,00%
02 SESI ou SESC 1,50%
03 SENAI ou SENAC 1,00%
04 INCRA 0,20%
05 Salário educação 2,50%
06 FGTS 8,00%
07 Riscos ambientais do trabalho (RAT) 3,00%
08 SEBRAE 0,60%
Valor Total do Grupo "A" 36,80%
GRUPO “B”
Item Descrição % Valor (R$)
09 Férias
10 Auxílio doença
11 Licença paternidade/maternidade
12 Faltas legais
13 Acidente de trabalho
14 Aviso prévio
15 13º salário
Valor Total do Grupo "B"
GRUPO “C”
Item Descrição % Valor (R$)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 123/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

16 Aviso prévio indenizado


17 Indenização adicional
18 Indenização (rescisões sem justa causa)
18.1 Multa Rescisória de 10% s/ o FGTS (LC 110/2001 - art. 1º)
Valor Total do Grupo "C"
GRUPO “D”
Item Descrição % Valor (R$)
Incidência dos encargos do grupo “A” sobre os itens do
19
grupo “B”.

20 Incidência do FGTS sobre Aviso Prévio Indenizado

Valor Total do Grupo "D"

VALOR DOS ENCARGOS SOCIAIS

Valor Total da Mão-de-Obra (Remuneração + Insumos de Mão-de-obra +


Encargos Sociais)

DEMAIS CUSTOS
I - DEMAIS COMPONENTES
Item Descrição % Valor (R$)
01 Despesas administrativas/ operacionais
02 Lucro
VALOR DOS DEMAIS COMPONENTES
II – TRIBUTOS
Item Descrição % Valor (R$)
A Tributos Federais (exceto IRPJ e CSLL)
COFINS (a alíquota depende do regime de tributação)
PIS (a alíquota depende do regime de tributação)
B Tributos Municipais
ISS
VALOR DOS TRIBUTOS

QUADROS-RESUMO
I - QUADRO-RESUMO DA MÃO-DE-OBRA
Item Descrição % Valor Unitário

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 124/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

A Remuneração
B Encargos sociais
C Insumos de mão-de-Obra
D Sub-total
E Reserva técnica
Total da Mão-de-obra
II - QUADRO-RESUMO DO VALOR MENSAL DO SERVIÇO
Item Descrição Valor Unitário
A Mão-de-obra
B Insumos diversos (materiais/máquinas/equipamentos)
C Demais componentes
D Tributos
E Valor mensal do serviço

Notas:
(1) As Planilhas de Custo deverão ser adaptadas às características do serviço contratado.
(2) O licitante deverá preencher a planilha, sob pena de desclassificação, de acordo com o modelo apresentado
e considerando a respectiva Convenção Coletiva, no que couber, cujos percentuais e valores informados
deverão retratar a exeqüibilidade da proposta, de acordo com a legislação vigente.
(3) As alíquotas dos tributos deverão ser cotados em conformidade com a natureza de cada licitante,
observando a legislação vigente, em especial as Instruções Normativas editadas pela Receita Federal do
Brasil, a Lei Complementar nº 123/2006, quando for o caso, e a legislação pertinente.
(4) Os tributos e encargos não poderão ser cotados em percentuais diversos do previsto na legislação
pertinente. Os demais valores deverão ser cotados pelo que efetivamente será pago pela empresa, o que será
objeto de fiscalização por parte da CONTRATANTE.
(5) Deverão ser preenchidas PLANILHAS DE CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS para cada
uma das unidades administrativas jurisdicionadas à DRF/FOR (Lote I) e uma para a ALF/FOR
(Lote II).

[Moldura2]

QUADRO RESUMO DE PREÇOS

TOTAL TOTAL
ARF/ATI ARF/BTE ARF/CCA ARF/IPC ARF/MAR ARF/QUI ARF/QBM ARF/RUS
DRF/FOR ALF/FOR
12 x 36 horas diurnas LOTE I LOTE II

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 125/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Preço Estimado
Mensal
Global
(12 meses)

TOTAL TOTAL
ARF/ATI ARF/BTE ARF/CCA ARF/IPC ARF/MAR ARF/QUI ARF/QBM ARF/RUS
DRF/FOR ALF/FOR
12 x 36 horas noturnas LOTE I LOTE II
Preço Estimado
Mensal
Global
(12 meses)

TOTAL TOTAL
ARF/ATI ARF/BTE ARF/CCA ARF/IPC ARF/MAR ARF/QUI ARF/QBM ARF/RUS
DRF/FOR ALF/FOR
44 horas semanais diurnas LOTE I LOTE II
Preço Estimado
Mensal
Global
(12 meses)

TOTAL TOTAL
ARF/ATI ARF/BTE ARF/CCA ARF/IPC ARF/MAR ARF/QUI ARF/QBM ARF/RUS
DRF/FOR ALF/FOR
RESUMO GERAL LOTE I LOTE II
Preço Estimado
Mensal
Global
(12 meses)

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 126/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

ANEXO V
MODELO DE ATESTADO DE VISTORIA

Atestamos, para o fim de atender ao previsto no Edital de Pregão


Eletrônico DRF/FOR nº 03/2009, que o(a) Sr.(a) ____________________________,
CPF nº ______________, na qualidade de representante da empresa
_____________________, CNPJ nº __________________, compareceu na __(Alfândega
ou Agência)__ da Receita Federal do Brasil ______________, situada à rua
_______________________________, no município de ______________, CE, para
acompanhado do representante da Administração, efetuar a visita a que se refere o item
____ do Edital.
____(Localidade)______, ___ de _____________ de 2009.

________________________________
(assinatura e carimbo do servidor da Unidade)

Declaro que me foi dado acesso às instalações da __(Alfândega ou


Agência)__ da Receita Federal do Brasil acima, bem como foram esclarecidas todas as
questões por mim suscitadas, e também que tenho pleno conhecimento de todas as
dificuldades relacionadas à execução dos serviços objeto do Pregão Eletrônico DRF/FOR

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 127/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

nº 03/2009.
____(Localidade)______, ___ de _____________ de 2009.

________________________________

(assinatura do responsável pela Empresa que realizou a vistoria)

Nome do declarante__________________________
Número da Cédula de Identidade________________

Observações:
1) Cópia deste documento deverá permanecer em poder da Unidade.
2) Esta Declaração deverá ser enviada imediatamente, via fax, após a etapa de lances, somente pela
licitante classificada em primeiro lugar, para fins de sua habilitação, com posterior encaminhamento do
original ou cópia autenticada no prazo de até três dias úteis.

3) Será dispensada a vistoria para a Agência da Receita Federal do Brasil em Caucaia.

4) A vistoria realizada por ocasião do Pregão Eletrônico DRF/FOR nº3/2008 será considerada para fins de
comprovação no Pregão Eletrônico DRF/FOR nº03/2009.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 128/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

ANEXO VI
MODELO DE ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICO-OPERACIONAL (OU
DECLARAÇÃO)

_____(nome empresarial ou nome do órgão/entidade pública emitente do


atestado)_____, inscrita no CNPJ nº __________________, com sede na _____(endereço completo)_____,
por intermédio de seu representante legal, o(a) Sr.(a) _____(nome completo)_____, infra-assinado,
portador(a) da Cédula de Identidade nº _____________ - SSP-___ e do CPF/MF nº ______________,
ATESTA (ou DECLARA), para os devidos fins, que a _____(nome empresarial da favorecida)_____, inscrita
no CNPJ nº __________________, com sede na _____(endereço completo)_____, executa (ou executou)
para esta empresa, os serviços abaixo especificados:
1 OBJETO: Serviços de Vigilância e Segurança
2 PERÍODO: de __/__/20__ a __/__/20__
3 Quantidade e tipos em que os serviços foram prestados:
Quantidade de
Tipo de Área
vigilantes
Armada ou desarmada
44 horas semanais
12 x 36 horas, diurnas
12 x 36 horas, noturnas

Atestamos (ou declaramos), ainda, que tais serviços estão sendo (ou foram) executados
satisfatoriamente, não constando, em nossos registros, até a presente data, fatos que desabonem sua
conduta e responsabilidade com as obrigações assumidas.
____(Localidade)______, ___ de _____________ de 2009.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 129/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

________________________________
(assinatura do emissor)
Telefone/e-mail para eventual contato:

Observações:
1) Este Atestado deverá ser enviado imediatamente, via fax, após a etapa de lances, somente pela licitante
classificada em primeiro lugar, para fins de sua habilitação, com posterior encaminhamento do original ou
cópia autenticada no prazo de até três dias úteis.
2) Este Atestado é um modelo meramente exemplificativo, podendo, cada licitante, elaborar seu próprio
Atestado, desde que dele conste os dados considerados essenciais para sua validade, especialmente o
OBJETO (de que os serviços prestados são de Vigilância e Segurança) e a QUANTIDADE DE
VIGILANTES CONTRATADOS NO PERÍODO. A ausência, no Atestado, de registro de qualquer um
desses dois dados citados implicará não-aceitação do atestado e, se for o caso, a inabilitação do
licitante.

ANEXO VII
MODELO DE DECLARAÇÃO DE IDONEIDADE MORAL DOS
FUNCIONÁRIOS

_____(nome empresarial do licitante)_____, inscrita no CNPJ nº __________________,


com sede na _____(endereço completo)_____, por intermédio de seu representante legal, o(a) Sr.(a)
_____(nome completo)_____, infra-assinado, portador(a) da Cédula de Identidade nº _____________ -
SSP-___ e do CPF/MF nº ______________, vem assumir responsabilidade, perante a Secretaria da
Receita Federal do Brasil, pela idoneidade e bom comportamento dos nossos empregados abaixo
relacionados, a serem alocados à execução dos serviços de VIGILÂNCIA E SEGURANÇA, LOTE __(I ou
II)__, previstos no Edital de Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 03/2009 e seus Anexos, tendo sido verificado
não constar contra eles:
§ antecedentes criminais junto às autoridades de segurança pública;
§ restrições funcionais nos últimos 2 (dois) empregos.

Empregados
Nome completo Cargo

Responsável Técnico
Endereço residencial CPF

Nº do registro na entidade profissional competente da região Documento de identidade

Nome completo Cargo

Endereço residencial CPF

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 130/129


Delegacia da Receita Federal do Brasil em Fortaleza Processo nº 10380.016998/2008-56

Empregados
Nome completo Cargo

Endereço residencial CPF

... ...
Nome completo Cargo

Endereço residencial CPF

____(Localidade)______, ___ de _____________ de 2010.

________________________________
(assinatura do emissor)
Telefone/e-mail para eventual contato:

Observação: Emitir em papel que identifique a empresa.

Pregão Eletrônico DRF/FOR nº 01/2010 – Vigilância e Segurança Orgânica Folha 131/129

Você também pode gostar