Você está na página 1de 8

ATIVIDADES FÍSICAS ESCOLARES

INCLUSIVAS
AULA 2: HISTÓRIA, INCLUSÃO E
DIVERSIDADE HUMANA

Equipe Pedagógica - GIME


•Compreender o contexto da política pública de integração até a
chegada da política de inclusão;
•Identificar os mecanismos internos da escola regular e especial
que contribuem para o processo de exclusão dos alunos.
•Entender as definições a aplicação de Normalização e Integração;
• Compreender a importância do multiculturalismo e da
diversidade humana para os trabalhos de inclusão.
ORIENTAÇÕES:
Para dar continuidade aos seus estudos, esta aula requer a leitura do
capítulo “História, Inclusão e Diversidade Humana”, do livro texto “Atividades
Físicas Inclusivas para Pessoas com Deficiência”, Vol 8, escrito pelo Prof. Dr.
Apolônio Abadio do Carmo.

Após a leitura do texto siga refletindo a respeito dos diversos


pontos levantados nesta segunda aula e finalize com a
atividade abaixo:

Fórum I: “ Sobre os modelos de escola”


PARA PENSAR:
Durante grande parte do texto discute-se as questões que
envolvem a política pública de integração num contexto de conflitos
entre Educação comum e a Especial tendo como ponto de chegada a
política de inclusão.
Para tanto, você deverá pense sobre as questões abaixo:

Ao comparar de forma sintética a escola comum e a especial, como podemos


destacar de cada uma delas:

•Os objetivos educacionais;


•O horizonte educativo;
•A metodologia utilizada no processo ensino aprendizagem;
•Os conteúdos utilizados;
•As avaliações.
MULTICULTURALISMO, DIVERSIDADE, INTEGRAÇÃO,
INCLUSÃO...

Dando prosseguimento às discussões, o autor adentra pelas


questões do multiculturalismo e da diversidade humana, destacando
a heterogeneidade dos diferentes grupos humanos e estabelecendo
uma relação entre incluídos e excluídos.

De acordo com esta temática reflita sobre a colocação a seguir...


REFLETINDO:

“A deficiência surpreende, mobiliza. Corporifica o que foge ao


usual, ao esperado, ao simétrico, ao perfeito. O outro, diferente,
representa feridas narcísicas. Representa a própria imperfeição
daquele que espelha suas limitações, sua castração. Representa
conflito não camuflável nas dinâmicas interrelacionais. Na condição
de pessoas, nenhum de nós está imune às emoções, sejam elas
quais forem, sejam elas desencadeadas por este ou aquele
fenômeno. Nenhum de nós está “imune” à expectativa da perfeição,
à necessidade de harmonia, à desorganização provocada pelo
estranhamento, representada pela condição da diferença”.
(Lígia Assumpção Amaral,1982).
Caro aluno,
Caso você tenha dificuldades em realizar e enviar
suas tarefas consulte os tutoriais presentes no
Módulo de Acolhimento.

Lembra-se deles?

Se suas dificuldades persistirem consulte seu tutor.


Bom trabalho!
Vamos agora para a Aula 3!

Você também pode gostar