Você está na página 1de 9
A ter sempre no carro: O mapa de São Miguel , uma toalha de praia

A ter sempre no carro:

O mapa de São Miguel, uma toalha de praia, fato de banho (um, pelo menos, mais velho

para algumas águas que mancham e alargam os elásticos pelas temperaturas altas, como no Parque Terra Nostra, na Poça Dona Beija e na Caldeira Velha), um impermeável, ténis, chinelos, um casaco, lanterna, uma mochila pequena com água e marmitas para trilhos.

App’s

Três aplicações indispensáveis para descarregar e usar nos Açores são a SpotAzores (onde

é possível ver, em tempo real, em câmaras, como está o tempo em todas as partes da

ilha, o que é óptimo porque isso permite definir a zona para onde vamos diariamente), a

Walk Me (com trilhos) e a Navmii (GPS que não gasta dados móveis, por vezes não há rede e a Navmii funciona na mesma por satélite).

Previsão meteorológica

É melhor levar chapelinho de chuva e casaquinho!

e a Navmii funciona na mesma por satélite). Previsão meteorológica É melhor levar chapelinho de chuva

Alojamento O check-in às 9h00!

ALMEIDA GARRETT Rua dos Mercadores 52A 1º Esquerdo 9500-052 Ponta Delgada Portugal

Reserva em nome de Helena Costa

Ponta Delgada – Portugal Reserva em nome de Helena Costa Condições: - Internet com fios disponível

Condições:

- Internet com fios disponível por todo o hotel

- Toalhas, papel higiénico, sabonete, detergente da loiça

- Lençóis

Aluguer do Carro: Micauto Reserva nº: 281147 Nome Completo: Hilário Manuel Barbeiro da Costa Email: beambcosta@gmail.com Telefone: 918618228

Viatura: Citroen C3 (Grupo D - City) Ilha: São Miguel Recolha: 2019-06-07 08:30 (Aeroporto de Ponta Delgada) Entrega: 2019-06-11 17:00 (Aeroporto de Ponta Delgada) Nº de Dias Aluguer: 5 Extra - CDW - Cobertura de Danos Próprios Extra - Condutor adicional

Preço Total: 198.75€ (Ainda só fizemos o depósito de 20%, falta pagar o resto!)

Onde comer?

A Tasca este restaurante é uma antiga cadeia eclesiástica feminina do século XVIII, situado bem no centro histórico de Ponta Delgada. É um lugar simples e acolhedor onde a comida supera sempre as expectativas. Comemos um bife de atum com sementes de sésamo, acompanhado por inhame, batata doce e vegetais. Para sobremesa pedimos um bolo de ananás dos Açores e ficamos sem palavras… Está aberto todos os dias.

Taberna Açor vinhos e petiscos ao som de fado, num espaço com pinta no centro de Ponta Delgada. As nossas tapas de eleição foram a salada de polvo, o pão com queijo de várias ilhas e mel, a batata doce no forno e, como sobremesa, o ananás dos Açores caramelizado com gelado. Encerra à segunda-feira.

O Galego em São Roque comemos o MELHOR bife das nossas vidas! O bife regional é provavelmente o prato mais conhecido da ilha, composto por carne bovina criada na região, do lombo ou da vazia, com pimenta da terra e alho, acompanhada por batatas fritas e ovo “a cavalo”. Comemos também, como entrada, umas lapas grelhadas em manteiga com alho e regadas com sumo de limão, fantásticas! Encerra ao domingo.

Aconselhamos reserva antecipada para os restaurantes referidos!

Tonys - Ir às Furnas e não experimentar o famoso cozido, preparado nas caldeiras vulcânicas, mesmo ao lado da imensa lagoa das Furnas, seria como ir a Roma e não ver o Papa. Na povoação, há vários restaurantes com esta opção na ementa, mas recomendo o Tonys. O cozido é lentamente preparado, durante cerca de seis horas, em panelas que são enterradas no solo, aproveitando o calor resultante da intensa atividade vulcânica. É servido com repolho branco, batata, batata doce, inhame, cenoura, couve, carnes de vaca, porco e frango e enchidos de morcela preta e chouriço picante. Com este método de cozedura, as carnes ficam muito tenras e saborosas e os sabores dos alimentos ganham protagonismo. Encontra-se aberto todos os dias.

Cozido das Furnas

É provavelmente o mais típico, reconhecido e típico prato da ilha de São Miguel, nos

Açores. Se for a esta ilha, uma das paragens obrigatórias é nas Furnas para comer o famoso cozido. O Turismo dos Açores, recomenda reservar mesa com antecedência, devido à forte procura desta iguaria. Duas opções são o restaurante “O Mirona” ou o “Tony’s”. Mas a oferta é muito mais abrangente.

Lapas e Cracas Além do peixe, sempre fresco, o sabor a mar é captado pelas lapas e cracas. As lapas estão disponíveis na maioria dos restaurantes da região. Comem-se grelhadas e regadas com sumo de limão. Para degustar cracas, terá de se deslocar a uma cervejaria ou marisqueira. Estas devem ser comidas ao natural para melhor tirar partido do seu forte sabor a mar. Para experimentar as cracas, poderá, por exemplo, deslocar-se ao “Cais 20”, um magnífico espaço, junto ao mar, em São Roque, Ponta Delgada. Este é, segundo muitos viajantes, um dos melhores locais na ilha para comer marisco, incluindo naturalmente, as cracas, as lapas ou as cavacas. A sala tem um ambiente acolhedor e fresco e o serviço é diligente. A comida: saborosa.

Bife dos Açores As vacas vivem felizes nos Açores, logo a carne é apetitosa e de gabarito internacional. Vaca, muro, verde, vaca, vaca, muro, verde, é a paisagem que vai observar enquanto viaja pelas ilhas. É que, dizem, que ir aos Açores e não comer um bife é como “ir a Roma e não ver o Papa”.

Em Ponta Delgada, na Ribeira Grande deve visitar a Associação Agrcola de São Miguel. Aqui servem-se nove variedades e três cortes diferentes de vaca. Outra opção é o Alcides, um lugar antigo carregado de fama. O Bife a Alcides é um naco de carne de vaca com alho

e pimenta da terra. Uma delícia. Finalmente, poderá optar pelo Bar Aliança ou pela Casa do Bife O Galego que têm nas suas ementas as respectivas versões desta iguaria micaelense.

Morcela com ananás Primeiro é importante saber que a morcela açoriana não se compara à morcela do continente. Uma mistura de carnes com sabor meio adocicada e bem picante. E por isso, acompanhada de ananás equilibra o paladar.

Fofas As fofas são muito semelhantes aos famosos éclairs de chocolate, este doce conventual tem no seu interior um creme de baunilha. Onde comer: Encontram-se em restaurantes e cafés da Povoação, a caminho do Nordeste.

Pudim de feijão, de ananás, de maracujá Desconhecia a tradição dos pudins em são Miguel. Há pudins para todos os gostos. Onde comer: Em casa da mãe da Maria. A cozinha das mães açorianas de certeza que é uma delicia e pode-se sempre repetir a dose.

Bolo levedo Açúcar, farinha, ovos, leite, sal, manteiga, fermento e segredo”. Parece não haver nenhuma especialidade em São Miguel que não esteja envolta em mistério. Assistimos confecção dos famosos bolos lvedos de Glria Moniz, nas Furnas, e não vimos nada suspeito: sas pequenas bolas de massa a ser achatadas, a levedar e a passar uma temporada numa chapa quente até ganharem cor de ambos os lados. Nos meses mais movimentados Glria faz mais de 10.000 destes bolos que são servidos no pequeno- almoço do hotel Terra Nostra e estão venda em várias superfcies comerciais. A fábrica tem uma pequena loja com um vasto repertrio de biscoitos, queijadas, caramelos e uns intrigantes crotons de bolo lêvedo. Um bolo acabado de fazer custa 1€ mas pode também pedir com recheio de fiambre, misto ou o originalssimo bolo lvedo com molho de panquecaque nos preparou a prpria Glria Moniz: um bolo lvedo quente com maple syrup (xarope de ácer). Estranho? Talvez. Delicioso? De certeza.

Roteiro 1 Dia 1 Sete cidades e mosteiros

Começámos por este lado pois neste dia a webcam do SpotAzores indicava que esta zona estava sem nuvens. Fizemos todo o percurso pela costa em direção a Relva e parámos em todos os miradouros (cada paisagem é única). Seguimos em direção à Lagoa das Sete Cidades e como levámos marmita conseguimos descer até

à Lagoa e almoçar com vista privilegiada (na zona da povoação das Sete Cidades) . Aconselho

parar na Lagoa de Santiago (é linda) e na Lagoa verde, que fica logo ao lado da Lagoa das Sete Cidades. Se tiverem o mapa é muito mais fácil pois está tudo bem indicado.

Nesta zona não podem deixar de ir até ao Hotel Abandonado (Monte Palace) que tem uma vista linda sobre a Lagoa das Sete Cidades, vale muito a pena e é quase obrigatório. Outro miradouro que aconselho muito é o miradouro da Lagoa do Canário, que infelizmente só conseguimos vista em outro dia e estava nublado. Para este miradouro é necessário deixar o carro estacionado e fazer um pequeno percurso a pé de 5 minutos. Depois fomos em direção aos Mosteiros, parámos na praia (de areia preta) e seguimos em direção

a Capelas, Rabo de Peixe e Ribeira Grande.

Dia 2 Lagoa do Fogo e arredores

No dia 2 tivemos a sorte de apanhar a Lagoa do Fogo totalmente sem nuvens (que segundo os locais) é raro. Mais uma vez consultámos o SpotAzores e aproveitámos logo. É uma das lagoas mais bonitas de São Miguel, aconselho a fazerem uma paragem em todos os miradouros. É de cortar a respiração. Uma paz incrível. Nesta zona visitámos a Caldeira velha. É um parque natural, que tem algumas piscinas de água

quente. Podem tomar lá banho, o local tem vestiários, mas os duches são de água fria (brrrrr) e

a entrada são 8€ por pessoa.

Depois fizemos um pequeno desvio e seguimos até à Lagoa do Congro (fica na região da povoação, próximo das furnas). Esta era uma das lagoas que queria mesmo visitar e não me arrependi. Nesta zona têm de estacionar o carro e fazer o percurso até à Lagoa, são uns 15 a 20 minutos a pé. O percurso é fácil, lindo e vale muito a pena. Depois descemos em direcção à zona de Vila Franca do Campo. Obrigatório parar na Ermida de Nossa Senhora da paz (a vista é incrível) e se possível a famosa visita ao Ilhéu da Vila. Depois seguimos toda essa zona com varias paragens até Ponta Delgada.

Dia 3 Nordeste e trilho do Faial da terra

No 3º dia decidimos percorrer toda a zona desde Ribeira Grande até ao Nordeste e depois fazer o trilho do faial da terra, perto da região de Povoação. Passámos pela fábrica e plantações do famoso chá verde Gorreana e fomos pela estrada nacional até ao Nordeste. Sinceramente recomendo muito verem esta zona, tem miradouros lindos e vistas de cortar a respiração. Façam uma paragem no Miradouro do Sossego, a vista é linda. Nesse dia decidimos fazer o trilho do Faial da terra Sanguinho, com o intuito de ver a cascata do Salto do Prego. Se tiverem tempo recomendo muito. São 2 horas (4,5km), dificuldade média. O trilho está muito bem sinalizado. O culminar deste trilho é a cascata do salto do prego.

Dia 4 Furnas

O dia 4 foi dedicado às furnas. Começamos por visitar as fumarolas do cozido (as famosas fumarolas). Para ver essa zona pagámos 2€ por pessoa. Logo a seguir fomos à Poça da Dona Beija uma zona de piscinas naturais com águas termais. O preço de entrada são 4€ por pessoa. A água é literalmente uma sauna, quente e muito agradável. Aconselho a levarem um fato de banho velho. O espaço está muito bem cuidado, há balneários e podem tomar banho de água quente, custa 1€ por 5 minutos. Nesse dia e já que estávamos nas furnas, aproveitámos para almoçar cozido vegetariano, que reservamos uns dias antes. Abaixo dou a minha opinião sobre o cozido. Depois do almoço fomos visitar o Parque Terra Nostra. O parque é enorme e tem uma piscina natural de origem vulcânica onde podem tomar banho. O preço de entrada é de 8€ por pessoa. Recomendo muito a visita.

Roteiro 2 Maezinha do fogo imprimiu!