Você está na página 1de 34

GEOMETRIA DESCRITIVA

 Uma ciência que estuda métodos de


representações de figuras espaciais sobre um
plano.

 A Geometria Descritiva foi criada no final do


século XVIII, pelo matemático francês Gaspard
Monge.

 O principal objetivo da Geometria Descritiva é


o de representar, no plano bidimensional, com
o máximo de rigor métrico, objetos com duas
ou três dimensões.
GASPARD MONGE (1746 – 1818)
 Foi um sábio desenhista francês, figura política
do final do séc. XVIII e início do séc. XIX, um
dos fundadores da escola Politécnica Francesa,
criador da Geometria Descritiva, teórico da
Geometria Analítica, considerado, também, o
pai da Geometria Diferencial de curvas e
superfícies do espaço.

 Gaspard Monge aprimorou uma técnica de


representação gráfica já iniciada pelos egípcios
que representavam apenas: a planta a
elevação e o perfil
 Esse interesse em estudar essa técnica
resultou de impulsos patrióticos que visavam
tirar a França da dependência da indústria
estrangeira.

 Monge foi incentivado a ingressar na escola


militar, onde desenvolveu sua técnica para
representar no papel as manobras militares,
de modo que nada ficasse na mira do inimigo.
 Ao perceberem a genialidade e a importância
bélica do novo método, os militares o
mantiveram em segredo por 15 anos. Só era
permitido ensinar para os futuros engenheiros
militares.

 Somente em 1794, em plena Revolução


Francesa, Monge pôde divulgar sua invenção
em escolas civis de Paris.
 O Sistema desenvolvido por Gaspard Monge
consiste em representar objetos, através de
projeções ortogonais em dois planos
ortogonais. Esse sistema de representação é
apelidado de Método de Monge, ou da dupla
projeção ortogonal.

 A palavra projeção vem do latim - "projectione".


Projeção é o processo pelo qual se incidem
raios sobre um objeto em um plano chamado
plano de projeção.
Projeção
 Como os objetos têm três dimensões, sua
representação num plano bidimensional se dá
em conformidade com artifícios técnicos, para
tanto, são considerados os elementos básicos
da projeção:
➢ Centro de Projeção
➢ Projetantes ou raios projetantes
➢ Objeto
➢ Plano de projeção
➢ Projeção
 CENTRO DE PROJEÇÃO: ponto fixo de onde
partem ou por onde passam as projetantes.
 PROJETANTE : é a reta que passa pelos
pontos do objeto e intercepta o plano de
projeção. Pode ser oblíqua ou ortogonal ao
plano de projeção, dependendo da direção
adotada.
 OBJETO: Figura ou objeto a ser projetado.
 PLANO DE PROJEÇÃO: plano sobre o qual o
se projeta a figura ou objeto.
 PROJEÇÃO: representação gráfica do objeto
no plano (imagem).
Classificação das projeções
 Os sistemas de projeções são classificadas de
acordo com a posição ocupada pelo centro de
projeção. Esse centro pode está a uma
distância finita ou infinita, determinando:

➢ Projeção Cônica

➢ Projeção Cilíndrica
 Projeção Cônica: cujo os raios que incidem no
objeto e no plano de projeção são todos
concorrentes no ponto V (vértice do cone).
TIPOS DE PROJEÇÕES CÔNICAS
 Sistema Cilíndrico: cujo os raios que incidem
no objeto e no plano de projeção são todos
paralelos entre si, como as geratrizes do
cilindro.

 A projeção cilíndrica pode ser ortogonal ou


oblíqua.
Projeção Cilíndrica - Ortogonal
Na projeção cilíndrica ortogonal as projetantes
partem do infinito e têm direção ortogonal em
relação ao plano de projeção, isto é, formam
com o plano um ângulo de 90º.
Projeção Cilíndrica - Oblíqua
 Na projeção cilíndrica oblíqua as projetantes
partem do infinito e têm direção oblíqua em
relação ao plano de projeção, isto é, formam
ângulos diferentes de 90º.
Sistema Mongeano ou
Dupla Projeção
 O sistema de Monge, ou método da dupla
projeção ortogonal, utiliza dois planos
perpendiculares entre si.
 O espaço é dividido em quatro partes, cada
uma designada de Diedro. Os Planos
Horizontal e Vertical são divididos em semi-
planos:
➢ PHA: Semi-plano Horizontal Anterior;
➢ PHP: Semi-plano Horizontal Posterior;
➢ PVS: Semi-plano Vertical Superior;
➢ PVI: Semi-plano Vertical Inferior.

A interseção dos planos Horizontal


e Vertical denomina-se
Linha de Terra
Épura
Rebatimento do Plano
 Épura - é a representação de uma figura do
espaço pelas suas projeções estando o plano
vertical rebatido (sentido anti-horário) sobre o
plano horizontal, ou ainda, o plano horizontal
rebatido sobre o vertical (sentido horário)
 Convenções - sendo os planos opacos, só as
figuras situadas no 1º diedro são visíveis pelo
observador ( o observador é sempre
considerado como estando no primeiro diedro).

_________ linhas visíveis (contínua)


.................... linhas invisíveis (pontilhada)
- - - - - - - - - linhas de projeção (tracejada)
_._._._._._ linhas auxiliares (traço e ponto)
Estudo do ponto
 Coordenadas:
➢ Abscissa: Posição das projeções na LT
➢ Cota - distância do ponto ao Plano Horizontal (Aa).
➢ Afastamento - distância do ponto ao Plano Vertical
(Aa`).
Posições do Ponto
1. Ponto no 1º Diedro
2. Ponto no 2º Diedro
3. Ponto no 3º Diedro
4. Ponto no 4º Diedro
5. Ponto situado no Plano Vertical Superior PVS
6. Ponto Situado no Plano Vertical Inferior PVI
7. Ponto situado no Plano Horizontal Anterior PHA
8. Ponto situado no Plano Horizontal Posterior PHP
9. Ponto situado na Linha de Terra (LT)
Plano Bissetor
 É o plano que divide o diedro em duas
partes iguais.
❖ 1º bissetor - corta o 1º e o 3º diedros.
❖ 2º bissetor - corta o 2º e o 4º diedros
Coordenadas do Ponto
No estudo do ponto, de acordo com a posição dele
no espaço, devemos considerar os sinais dos diedros
conforme tabela abaixo:
Posições no 1º D 2º D 3º D 4º D PVS PVI PHA PHP LT
Sistema

Afastamento + - - + 0 0 + - 0

Cota + + - - + - 0 0 0

Após o rebatimento, um ponto P do espaço terá a


seguinte representação:
P(P0, P1, P2) = P(abscissa, afastamento, cota)