Você está na página 1de 8

Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST AVALIAÇÃO IG PÓS-NATAL:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar-se.
Pedir peso e IG do RN.
Classificar RN quanto a IG: pré termo (<37s), a termo (37-41s), pós termo (>41s).
Classificar quanto ao Peso: extremo (<1.000g ou <28s), muito baixo peso (<1500g),
baixo peso (<2.500g).
Classificar quanto ao crescimento uterino e IG (curva): AIG, PIG (abaixo do p10), GIG.
Se PIG, procurar possíveis causas (maternas/fetais): tabagismo, desnutrição, HAS,
drogas, gemelaridade, mal formação.
Se PIG, oritentar possíveis complicações: hipoglicemia, hipotermia,
plaquetopenia + leucopenia (vista se HAS materna).
Se GIG, procurar possíveis causas: DM gestacional ou previa, AP de filhos
macrossomicos.
Se GIG orientar possíveis complicações: hipoglicemia,policitemia, traumas de
parto – cefalohematoma, lesão do plexo braquial.
Se pré termo, orientar possíveis complicações: imaturidade pulmonar, hipotermia,
hipoglicemia, icterícia, infecções.
Se pós termo, orientar possíveis complicações: aspiração de mecônio,
hipoglicemia, hipertensão pulmonar persistente, asfixia.
FAZER DX com os dados coletados: AIG, AT,
CAPURRO
Se RN saudável, com + de 12h de vida = somático (excluir forma do mamilo) +
neurológico:
Resultado + 200 ÷ 7 = IG em semanas
(erro de 8,4 dias para mais ou menos).
Se RN com sinal de lesão ou disfunção cerebral:
somático + 204 ÷ 7 = IG em semanas
(erro de 9,2 dias para mais ou menos).
SOMÁTICO  forma do mamilo, textura da pele, sulco plantar, forma da orelha,
tamanho da mama.
NEUROLOGICO  sinal do xalé, posição da cabeça.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

TRIAGENS NEONATAIS:

TESTE DA LINGUINHA:
Diagnostico e tratamento de limitações da língua (língua presa, dificuldade de amamentação).
OBJETIVO
Realizar nas primeiras 48h.
Posicionar o RN e pedir para o responsável apoiar a nuca do mesmo entre o braço e o antebraço,
Técnica solicitar que ele segure as mãos do RN. Introduzir o dedo indicador com luva embaixo da língua
pela margem lateral.
Resultado Somatória de todos os escores da avaliação anatomofuncional, >7 cirurgia.

TESTE DA ORELINHA:
OBJETIVO Identificar anormalidades auditivas. Realizar antes dos 3m.
1) Emissão otoacustica evocadas (EOA): a presença de venix ou secreções no canal auditivo
logo após o nascimento pode gerar falso positivo.
Técnica
2) Potencial auditivo do tronco Encefalico (BERA): avalia integridade neural das vias
auditivas.
Fatores de Risco Asfixia, HF de surdez congênita, hiperBD, septicemia.
1) RN com triagem normal e s/ FR: realizar 1x e dar alta.
AVALIAÇÃO/CONDUTA 2) RN com FR: avaliação periódica nos primeiros anos.
3) RN com alta é obrigatório EOAT e pesquisa cocleo palpebral.

TESTE DO CORAÇÃOZINHO:
OBJETIVO Visa encontrar cardiopatia congênita critica. Fazer entre 24/48h de vida em RN >34s.
Técnica Aferir oximetria de pulso em MS direito e em qualquer membro inferior.
1) Normal: saturação > 95% em ambas as medidas e diferença menor que 3% entre MS e MI.
Resultado 2) Anormal: saturação <95% em ambas medidas e diferença maior ou igual a 3% entre MS e
MI,  realizar nova aferição em 1hora, se mantiver anormal : ECO em 24hs.

TESTE DO OLINHO:
OBJETIVO Visa identificar obstrução e patologias oftalmológicas (catarata congênita, etc)
Sala escurecida, posicionar oftalmoscópio a 30cm dos dois olhos da criança simultaneamente,
Técnica
incidindo feixe de luz sob a superfície da retina.
1) Normal: reflexo vermelho bilateral.
Resultado 2) Anormal: reflexo branco, ausência do reflexo vermelho, pontos pretos, reflexo diferente
entre os olhos  encaminhar para oftalmologista.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST DNPM:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar-se.
Questionar dados gestacionais (intercorrências, uso de drogas...)
Questionar dados do nascimento  tipo de parto, IG, apgar,
intercorrências, peso, comprimento, icterícia.
Questionar intercorrências ate o momento  infecção, trauma...
Questionar idade, alimentação, vacinas.
(1m) Fixou o olhar?
(2m) Sorriso social e lalação?
(3m) Sustentou a cabeça?
(4m) Segurou objetos?
(5m) Girou sob abdômen?
(6m) Sentou com apoio?
(7m) Preensão palmar?
(8m) Pinça digital?
(9m) Sentou sem apoio?
(10m) Levantou com apoio?
(11m) Andou com apoio?
(12m) Andou sem apoio?
Ver se há presença de atraso no DNPM conforme pcte falar, e fazer dx.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST ANAMNESE RN:


PERGUNTAS ✓ x
ID: RN de ----, idade (hrs), gênero, raça.
DADOS PAIS: nome, idade, escolaridade, trabalho, doenças, hábitos,
estabilidade do casal, tipo sanguíneo e consanguiniedade.
Mãe: questionar cirurgias e transfusões.
QUESTIONAR SOBRE ANTECEDENTES OBSTÉTRICOS MATERNOS: GPA, se
gestações anteriores (tipo de parto, tipo de aleitamento, internações,
diagnósticos, intercorrências, idade das cças).
DADOS GESTAÇAO ATUAL: inicio do prenatal (IG), numero de consultas,
local, DUM, TA, IG pelo US, informações do US, resultados de sorologias e
exames com datas, presença de intercorrências (HAS, DM, sífilis).
QUESTIONAR DADOS DO PARTO: apresentação, tipo, indicação, tempo de
rotura da membrana amniótica, se houve indução, uso de anestesia,
duração do trabalho de parto, duração do período de expulsão,
características do liquido amniótico e da placenta, condições do cordão
umbilical.
QUESTIONAR DADOS DO NASCIMENTO: horário, sexo, gemelaridade,
peso, comprimento, perímetro cefálico e torácico, tempo de 1ª respiração
e 1º choro, Apgar 1º e 5º min, tempo da ligadura do cordão, manobras
utilizadas (aspiração, O2, IOT, drogas), se fez contato pele-pele com a mãe,
amamentação na sala de parto, tempo que ocorreu primeira mamada.
QUESTIONAR EVOLUÇÃO ATE O MOMENTO: idade em horas, peso atual
(calcular se houve perda ponderal), peso do nascimento, tipo sanguíneo,
coombs direto;
Número de evacuações (1ª pode demorar ate 72h), micções (1ª diurese
pode demorar ate 48hs);
Presença de vomito, evolução da temperatura e sinais vitais (FC e FR),
alimentação (seio, complemento, agua), intercorrências, icterícia.
CUIDADOS:
Rotina  1mg vit K, vacina hep B, profilaxia ocular para conjuntivite
(nitrato de prata), álcool tópico para limpar coto umbilical.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST EXAME FÍSICO do RN:


PERGUNTAS ✓ x
ESTADO GERAL  fascies, choro, postura (simétrica ou fletida), movimentação, estado de
hidratação, FR, FC e sinais de angustia respiratória (tiragem, batimento de asa nasal, músculo
acesórios).
AVALIAÇÃO DA PELE  cor, cianose, umidade, descamação, equimose, iquiterícia (se presente, ver
zonas de Kramer), textura (lisa, fina, brilhante).
Avaliar presença  hemangioma (nódulo vermelho na nuca), petequias, maculas vasculares
(pálpebra e nuca), milium sebáceo, lanugo (pelos), mancha mongólica (bumbum), vernix
caseoso (substancia branca gelatinosa), eritema tóxico, empetigo.
SUBCUTÂNEO  quantidade, turgor (se frouxo = desnutrição | se pastoso = desidratação).
PALPAÇÃO GANGLIONAR  palpar todas as cadeias e ver presença de sinais inflamatórios.
AVALIAÇÃO MUCOSAS  ver hidratação, dor, lesões.
MUSCULATURA  normal é haver hipertonia em flexão (tônus) – avaliar o trofismo (palpar o
músculo peitoral = normal é 1cm).
SISTEMA OSTEOARTICULAR  procurar por deformidades (pés tortos, sindactilia, agenesia), dor a
palpação, fraturas, integralidade das clavículas, ver sulcos das mãos e dos pés – realizar manobra de
Ortolani
AVALIAÇÃO DO CRÂNIO  forma, simetria, suturas (acavaladas, justapostas, separadas), fontanelas
bregmática e lambdóide (tamanho, tensão, se está abaulado, depressão e pulsação) + medir
perímetro cefálico.
Ver presença de: (1) bossa serrosanguinolenta (ultrapassa as linhas da sutura); (2) cefalo-
hematoma (não ultrapassa as suturas); (3) craniotabes (amolecimento e diminuição da
espessura do osso do crânio (ocorre durante o parto).
AVALIAÇÃO OLHOS  pálpebra (edema, mobilidade, fenda), sombrancelha, cílios + reflexo
vermelho.
AVALIAÇÃO OUVIDO E NARIZ.
AVALIAÇÃO CAVIDADE ORAL  mucosas, saliva, perolas de Epstein, língua.
AVALIAÇÃO PESCOÇO  prega cutânea, papar tireóide.
AVALIAÇÃO TORAX  inspeção, mamilos (palpar glândula mamária), medir o perímetro torácico
(forma cilíndrico) + auscuta/percussão/palpação (FR = 40-60ipm)
AVALIAÇÃO CARDÍACA  ictus cordis, auscuta, pulsos periféricos.
AVALIAÇÃO ABDOME  inspeção (semigloboso), percussão de fígado e baço, palpação e observar
presença de onfalite (infecção do coto umbilical) ou onfalocele (se existe saída do conteúdo
abdominal pela cicatriz).
AVALIAR CORDÃO UMBILICAL  consistência, grau de mumificação, se existem duas artérias e uma
veia.
AVALIAÇÃO GENITO-URINÁRIO  palpar canal inguinal – nas mulheres observar grandes lábios,
himem, clitóris, secreções – nos homens avaliar bolsa escrotal, palpar testículos, implantação da
uretras, glande e prepúcio – avaliar anus (implantação e perfuração).
AVALIAÇÃO SISTEMA NERVOSO  estado de alerta, movimentação, reflexos (presentes e
simétricos?) = sucção, preensão palmoplantar, fuga/asfixia, esgrima (decúbito dorsal, vira a cabeça
para o lado), Babkin (pressão simultânea das palmas das mãos e a criança abre a boca e leva cabeça
na linha média), voracidade, marcha reflexa, cutâneo-plantar, moro, olhos de boneca, reflexos
tendinosos.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST ATENDIMENTO PUERICULTURA:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Cumprimentar o pcte e acompanhante + perguntar motivo da consulta.
Perguntar sobre alimentação da criança  quantidade e qualidade da
alimentação diária da criança, se vem apresentando sintomas de
diminuição do apetite, se tem dificuldade com novos alimentos, do ritual
das refeições (senta na mesa com a família), se houve alguma alteração de
peso ou se há algum alimento primordial que a criança não ingere.
Perguntar se no período entre as consultas houve algum processo
patológico  doenças/infecções, época e tratamento utilizado.
Perguntar sobre a vacinação e checar o calendário vacinal da criança.
Perguntar se a criança esta indo na escola, o relacionamento com outros
membros da família e social.
Perguntar sobre as condições de moradia e se a mesma apresenta algum
risco para segurança da criança, levando em consideração sua idade
(fazer orientações gerais conforme é descrito os perigos).
Perguntar se a criança anda de carro no assento adequado e se faz
uso do cinto de segurança.
Perguntar se a criança faz algum tipo de suplementação, caso não, realizar
o seguinte parâmetro:
SUPLEMENTAÇÃO DE FERRO PROFILÁTICO:
 RN a termo, AIG com uso de 500mL de formula infantil  não recomendado.
 RN a termo, AIG em aleitamento materno  1mg/kg/dia de sulfato ferroso a partir do
6º mês (ou da introdução de outros alimentos) até os 2 anos de vida.
 RN pré-termo e/ou de baixo peso (até 1.500g)  2mg/kg/dia de sulfato ferroso durante um
ano (a partir do 30º dia) – depois disso 1mg por mais um ano.
 RN pré-termo com peso entre 1.500 e 1000g  3mg/kg/dia de sulfato ferroso durante um
ano (a partir do 30º dia) – depois disso 1mg por mais um ano.
 RN pré-termo com peso menor que 1000g  4mg/kg/dia de sulfato ferroso durante um ano
(a partir do 30º dia) – depois disso 1mg por mais um ano.

Realizar o exame físico da criança, incluindo o antropométrico.


Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST ANTROPOMETRIA PEDIÁTRICA:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Pedir a idade do paciente.
Pesar ou coletar as medidas de peso.
Medir a altura.
Calcular o IMC  peso(kg)/altura(m2).
Pedir a curva da OMS quanto a idade e sexo e avaliar segundo resultado
do IMC.
Realizar o canal familiar do pct (hPAI + hMÃE ± 13/2).
Utilizar os dados para a realização do diagnóstico e as possíveis chances
de catchup ou cathdown.
Agradecer e despedir.

ESTATURA PARA A IDADE


VALORES CRÍTICOS DIAGNÓSTICO NUTRICIONAL
Percentil Escore Z -
Menor que 0,1 Menor que -3 Muito baixo
Entre 0,1 e 3 Entre -3 e -2 Baixo
Maior que 3 Maior que -2 adequado

IMC PARA A IDADE


VALORES CRÍTICOS DIAGNÓSTICO NUTRICIONAL
Percentil Escore Z 0-5 anos 5-19 anos
Menor que 0,1 Menor que -3 Magreza acentuada Magreza acentuada
Entre 0,1 e 3 Entre -3 e -2 Magreza Magreza
Entre 3 e 85 Entre -2 e +1 Entrofia* Eutrofia
Entre 85 e 97 Entre +1 e +2 Risco de sobrepeso Sobrepeso
Entre 97 e 99,9 Entre +2 e +3 Sobrepeso Obesidade
Acima de 99,9 Acima de +3 obesidade Obesidade grave
*entre 0 e +1 pela SBP = vigilância nutricional
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST ICTERÍCIA NEONATAL:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Cumprimentar o paciente e perguntar o motivo da consulta.
Perguntar fatores de risco  IG entre 35-36 semanas (diminuição da capacidade
de conjugar BR), incompatibilidade Rh ou ABO, dificuldade de amamentação ou
perda ponderal elevada (maior que 10%) em relação ao nascimento (icterícia do
aleitamento materno = aumento da circulação entero-hepática da BR por redução
do peristaltismo devido déficit de ingestão de leite), encéfalo-hematoma ou
equimoses, deficiência de G6PD, hipotireoidismo congênito.
Questionar sobre sintomas associados  procressão da icterícia é crânio caudal
(até a zona 2-3 a icterícia pode ser fisiológica, que equivale até 12mg/dL).
Questionar sobre policitemia  RN PIG, RN de mãe diabética, transfusões.
Questionar sobre doenças genéticas (Gilber, Crigler Najjar tipo 1 e 2).
EXAME FÍSICO  quantificar a hiper-BR pela zona de Kramer, analisar presença de
céfalo-hematoma, equimoses ou outros sangramentos.
ZONAS DE KRAMER  (1) Somente face  4-8mg/dL; (2) Até o umbigo  5-
12mg/Dl; (3) Até o joelho e cotovelo  6-16mg/dL; (4) Até o tornozelo e punho 
11-17mg/dL; (5) Alcança mãos e pés  acima de 15 mg/dL.
Pedir os EXAMES COMPLEMENTARES  BT (BI + BD), hemograma (Hb,
hematócrito, morfologia das hemácias, reiculócitos, tipagem sanguínea da mãe e
do bebe), Coombs direto (no bebe) e Coombs indireto (na mãe Rh negativa), T4
livre e TSH (teste do pezinho).
CONDUTAS:
FOTOTERAPIA  expor o RN a uma fonte de luz específica (azul) que
promoverá a transformação da BI em uma forma excretavel pelos rins – o
deve-se proteger os olhos da criança, aumentar oferta hídrica e aumentar
superfície corporal de exposição para aumento da eficácia (sem
roupa/fraldas).
Indicações  BI: se ≥ 6mg/dL em menos de 24 horas ou se ≥ 12mg/dL
entre 24-48 horas ou se ≥ 15mg/dL entre 48-72 horas ou se ≥ 17mg/dL
em acima de 72 horas.
EXSANGUINAÇÃO (EST)  substituição do sangue do RN pelo sangue de um
doador
Indicações  falha terapêutica com fototerapia ou BI acima de
18mg/dL ou se houver aumento maior do que 1mg/dL por hora.
SINAIS DE COMPLICAÇÕES  encefalopacia bilirrubínica ou kernicterus (paralisia
cerebral, deficiência mental, surdez e paresia vertical do olhar).
Agradecer e despedir.