Você está na página 1de 15

Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST DM GESTACIONAL:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Perguntar nome, idade e profissão.
Perguntar idade gestacional, DUM e GPA.
Perguntar sobre comorbidades  DM prévia, HAS, DL, SPO.
Perguntar principais sintomas  aumento de peso, ITU de repetição,
poliúria, polidipsia, polifagia.
Questionar sobre fatores de risco  idade avançada,
sobrepeso/obesidade, ganho de peso excessivo durante gestação,
macrossomia em gestações anteriores, aborto de repetição e HF de DMG
em parentes de primeiro grau.
Questionar sobre uso de medicamentos (corticóide = hiperglicemiante),
alimentação e sobre candidíase (paciente tem mais chance de ter).
Questionar IMC (atual e prévio) e ganho de peso durante a gestação.
Questionar sobre movimentação fetal e altura uterina.
EXAME FÍSICO  estado geral, IMC, PA, auscuta fetal, altura uterina e
glicemia capilar.
EXAMES PARA RASTREIO E DIAGNÓSTICO:
DM PRÉVIO  GJ ≥ 126 ou HbA1c ≥ 6,5 ou glicemia ocasional ≥ 200.
DMG  GJ entre 92-125
Se GJ abaixo de 92  pede-se o GTT (24-28s) = valores de referência
 jejum ≥ 92, primeira hora ≥ 180, segunda hora ≥ 150.
OBS: se paciente possui fator de risco = pedir GTT no primeiro trim
EXAMES PARA ACOMPANHAMENTO APÓS DIAGNÓSTICO  fundo de
olho, funç renal, lipidograma, urina rotina/urocultura, Hb glicada, ECG, US.
TRATAMENTO:
MEV  dieta fracionada, comer antes de dormir, exercício físico
apropriado, manter ganho de peso adequado (300-400g/dia),
monitoramento glicêmico (7x/dia para DM prévio e 4x/dia para
DMG).
INSULINOTERAPIA
US mensalmente
Encaminhar para pré-natal especializado para gestação de alto risco.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST HAS GESTACIONAL:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Perguntar nome, idade e profissão.
Perguntar idade gestacional, DUM e GPA – se realizou pré-natal.
Perguntar sobre comorbidades  DM prévia, HAS, DL, nefropatia, colagenoses,
trombofilias.
Questionar AP de HAS, pré-eclâmpsia em gestação anterior.
Questionar ganho de peso súbito, estresse/ansiedade ou sintomas associados (cefaléia,
distúrbio visual, epigastralgia).
Questionar movimentação fetal, altura uterina, se houve algum tipo de sangramento.
Questionar sobre fatores de risco  negra, neoplasia trofoblastica, DM, nuliparidade,
HF e HAS gestacional ou DHEG, AP de HAS, gemelaridade, trombofilia.
EXAME FÍSICO  estado geral, IMC, PA, auscuta fetal, altura uterina e avaliar presença
de edemas em MI, MS e face.
EXAMES LABORATORIAIS DE ROTINA  os normais de pré-natal (conforme IG), relação
proteinúria/creatinina, função hepática, ácido úrico, hemograma, perfio biofísico fetal
(se > 28s).
DIAGNÓSTICOS:
HIPERTENSÃO GESTACIONAL  ↑ PA após 20 semanas (> 140/90) sem
proteinúria.
HAS CRÔNICA  ↑ PA antes 20 semanas gestação.
PRÉ-ECLÂMPSIA:
Leve  PA ≥140/90 após 20s + proteinúria ≥ 300mg/dL 24hrs + edema
generalizado.
Grave  PA ≥160/110 (2 medidas em um intervalo de 2hrs) + proteinúria ≥
5g/dL 24hrs + edema generalizado + oliguria + cianose e/ou edema
pulmonar.
IMINÊNCIA DE ECLÂMPSIA  cefaléia, dor epigástrica, alteração visual (visão
dupla e escotoma).
ECLÂMPSIA  convulsões.
CONDUTAS:
PRÉ-ECLÂMPSIA  repouso (DLE), dieta hiposódica, hipotensores (metildopa),
AAS (profilaxia).
IMINÊNCIA DE ECLÂMPSIA  sulfato de magnésio.
ECLÂMPSIA  DLE, MOV e sulfato de magnésio = uma vez estabilizada a mãe,
indica-se a interrupção da gestação.
HAS GESTACIONAL  orientar MEV, avaliar LOA (ECG, eco, urina, fundo de olho),
avaliar vitalidade fetal, remover IECA e DIU, uso de metildopa e profilaxia (AAS).
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST CANDIDÍASE:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Questionar tempo de corrimento (além de quantas vezes ocorre no ano).
Questionar cor, odor, se piora com a menstruação ou sexo.
Questionar dispareunia (dor durante relação sexual).
Questionar PRURIDO e DISURIA.
Questionar dor pélvia, polaciúria.
Questionar número de parceiros e uso de preservativos.
Questionar fatores predisponentes (gravidez, DM, obesidade, ACO,
corticóide, imunodeficiência, duchas, vestimentas).
Questionar hábitos de higiene nas partes intimas.
EXAME FÍSICO:
CORRIMENTO  branco, grumoso, inodoro, aspecto caseoso (leite
coalhado).
ESPECULAR  edema e hiperemia vulvar.
EXAMES COMPLEMENTARES:
pH menor que 4,5 (mais acido).
Bacterioscopia com leveduras-hifas.
Teste das aminas negativo.
Pode haver leucócitos na secreção.
TRATAMENTO:
Orientar higiene, evitar roupa justa, depilação excessiva.
Grávidas  miconazol tópico.
Não grávidas  miconazol VO.
Tratar fatores predisponentes.
 De repetição = 3 ou mais episódios por ano = uso profilático por 6m.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST TRICOMONÍASE:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Questionar tempo de corrimento (além de quantas vezes ocorre no ano).
Questionar cor, ODOR, se piora com a menstruação ou sexo.
Questionar dispareunia (dor durante relação sexual).
Questionar prurido e DISURIA.
Questionar dor pélvia, POLACIÚRIA.
Questionar número de parceiros e uso de preservativos.
Questionar gravidez e DST prévia.
EXAME FÍSICO:
CORRIMENTO  amarelo-esverdeado, bolhoso.
ESPECULAR  mucosa hiperemiada, colo em framboesa/tigróide.
EXAMES COMPLEMENTARES:
pH maior que 4,5 (mais básico).
Bacterioscopia com protozoários flagelados.
Teste das aminas negativo.
Pode haver leucócitos na secreção.
TRATAMENTO:
TRATAR TANTO A PACIENTE QUANTO PARCEIRO (DST)
Grávidas (1º tri)  metronidazol tópico (intravaginal)
Não grávidas  metronidazol VO.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST VAGINOSE BACTERIANA:


PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Questionar tempo de corrimento (além de quantas vezes ocorre no ano).
Questionar cor, ODOR (piora com menstruação e com pós-coito), se piora
com a menstruação ou sexo.
Questionar dispareunia (dor durante relação sexual).
Questionar prurido e DISURIA.
Questionar dor pélvia, POLACIÚRIA.
Questionar número de parceiros e uso de preservativos.
Questionar gravidez e DST prévia.
EXAME FÍSICO:
CORRIMENTO  branco-acinzentado, homogênio, cremoso, fétido.
ESPECULAR  sem hiperemia.
EXAMES COMPLEMENTARES:
pH maior que 4,5 (mais básico).
Bacterioscopia com clue cells.
Teste das aminas positivo.
CRITÉRIO DE AMSTEL (dx confirmado se 3 +)  pH, clue cells,
aminas+ e corrimento característico.
TRATAMENTO:
Grávidas (1º tri)  metronidazol tópico (intravaginal)
Não grávidas  metronidazol VO.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST CA de MAMA:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Perguntar nome, idade, profissão.
Identificar sobre FR (>50a, menarca precoce/menopause tardia, 1ª
gestação após 30a, nuliparidade, uso ACO, reposição hormonal, tabagismo,
alcoolismo, obesidade, radiação).
Questionar AP de CA de mama e HF de: CA de mama em parente de
primeiro grau, CA bilateral de mama ou CA de ovário, dx prévio de lesão
com proliferação atípica = grupo de risco.
Questionar tabagismo e etilismo, uso de ACO e outros medicamentos.
Questionar se a paciente sabe se tem mutação dos genes BRCA1 e 2.
Questionar realização do autoexame das mamas.
EXAME FÍSICO  realizar o exame da mama e procurar pelas alterações
sugestivas = nódulos (duro, fixo e de crescimento rápido), descarga papilar
sanguinolenta unilateral, linfoadenopatia (axilar, supra e inflaclavicular),
retração da mama, pele em casca de laranja, mudança do formato areolo-
papilar.
RASTREAMENTO:
40-49a  exame físico da mama (EFM) + mamografia para dx, se
necessário.
50-69a  EFM + mamografia de rastreamento bienal.
Mulheres no grupo de risco com 35a ou mais  EFM + mamografia
ou US de mama para rastreamento anual.
CONDUTA CONFORME BIRADS:
0  inconclusivo = fazer exame de imagens adicionais.
1  sem achado radiográfico = fazer rotina de rastreamento.
2  achados benignos = fazer rotina de rastreamento.
3  provavelmente benigno = repetir mamografia em 6 meses.
4  achados suspeitos de malignidade (A = menor grau | B = grau
moderado | C = maior grau) = fazer biopsia.
5  achado altamente suspeito de malignidade = fazer biopsia.
6  diagnóstico prévio de CA de mama = fazer controle.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST CA de COLO:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Perguntar nome, idade, profissão.
Questionar sobre inicio da atividade sexual.
Questionar número de parceiros, uso de preservativos.
Questionar sobre gravidez/amamentação? Questionar menopausa?
Questionar uso de ACO e tabagismo.
Questionar sintomas (dispareunia, sinuisorragia).
Questionar comorbidades e uso de medicamentos (imunossupressão).
Questionar cirurgia de hiterectomia e o motivo.
Questionar se paciente fez exame colpocitológico prévio e data – evitar pacientes que
estão no período menstrual, realizou sexo nas ultimas 24hrs, fez uso de lubrificantes ou fez
quimio/radio.
EXAME FÍSICO:
GINECOLÓGICO  avaliar genitália externa e buscar lesões.
ESPECULAR  avaliar trofismo, umidade, coloração, presença de lesão visível + coletar
material para exame.
COLPOSCOPIA:
Ácido acético  cora de branco o colo com alteração.
Lugol  não cora colo com alteração.
TRIAGEM  colpocitologia oncótica = realizar em todas as mulheres de 25-64 anos
anualmente – se os resultador vierem 2x negativos em 2 anos consecutivos = muda para
realização a cada 3 anos.
RESULTADO DA COLPOCITOLOGIA ONCÓTICA + CONDUTA:
NORMAL  metaplasia escamosa, inflamação, reparação, atrofia com inflamação,
alteração quimio/radiológicas = manter esquema normal.
CÉLULAS ATÍPICAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO (ESCAMOSAS):
Possivelmente não neoplásicas (ASC-US)  repete em 3 anos se for menor que
25 anos | repete em 1 ano se entre 25-29a | repete em 6m se ≥30a.
Não se pode afastar lesão de alto grau (ASC-H)  encaminhar para
colposcopia.
CÉLULAS ATÍPICAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO (GLANDULARES)  todas
encaminham para colposcopia.
CÉLULAS ATÍPICAS DE SIGNIFICADO INDETERMINADO (origem indefinida)  todas
encaminham para colposcopia.
TIPOS DE LESÕES E CLASSIFICAÇÃO:
LESÃO DE BAIXO GRAU (NIC I) – se menor que 25 anos repete após 3 anos e se maior,
repete em 6m.
LESÃO DE ALGO GRAU (NIC II).
LESÃO DE ALTO GRAU SEM EXCLUIR MICROINVASÃO
COLPOSCOPIA
CARCINOMA IN SITU (NIC III)
CARCINOMA INVASOR
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST SÍFILIS:
PERGUNTAS ✓ x
Apresentar.
Perguntar nome, idade e profissão da paciente.
Questionar sobre múltiplos parceiros e uso de preservativos.
Questionar sobre gravidez e sobre DST previas.
Questionar sobre sintomas e seu tempo de inicio:
SÍFILIS PRIMÁRIA  geralmente assintomático, nódulo único, indolor,
com secreção serosa e sem reação inflamatória (3 semanas após
infecção).
SÍFILIS SECUNDÁRIA  mal estar, febre, cefaleia, mialgia, hepatomegalia
– nódulos podem estar presentes em qualquer lugar da pele.
SÍFILIS TERCIÁRIA  manifestações cardiovasculares, neurológicas,
osteosífilis, lesão mais localizadas (gmonas).
Questionar presença de secreções saindo dos nódulos (se presente, paciente
está na fase transmissível).
EXAME FÍSICO  estado geral, temperatura + pesquisar lesões:
Sífilis primária  nódulo único, indolor, borda delimitada, desaparece
sem cicatriz (pequeno lábio, pele vaginal, colo uterino, perianal.
Sífilis secundária  cutâneo mucosa macular, pode ulcerar em mãos e
pé, alopecia (perda dos pelos) e linfoadenopatia inguinal.
EXAMES LABORATORIAIS:
Prova direta  amostra colhida da lesão (pesquisa direta com material
corado ) = ideal para inicio da infecção.
Para confirmar diagnóstico  testes treponêmicos (THPA e teste
rápido).
Para triagem  teste não treponêmico = VDRL (indica se há ou não
presença de anticorpos – se já houve contato).
TRATAMENTO (paciente + parceiro):
Primária e secundária  penicilina benzatina.
Terciária  penicilina cristalina.
 Se alergia = doxiclina | se gestante = tto até 30d antes do parto.
Orientar métodos de barreira e oferecer testes para outras DSTs.
Agradecer e despedir.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIST DISMENORREIA:
PERGUNTAS ✓ x
Questionar dor  localização, relação com menstruação, irradiação, fator
de melhora/piora, intensidade, se é cíclica ou constante.
Perguntar se dor relaciona com menarca  pode aparecer 6/12m após
menarca.
Questionar sobre uso de medicação para dor e se melhora.
Questionar uso de DIU e ACO.
Perguntar presença de sangramento ou corrimento fora do período
menstrual.
Perguntar presença de disúria, polaciúria, disparenuria (dx diferencial para
DIP e ITU).
Perguntar se esta grávida ou em menopausa.
Questionar AP  mioma, endometriose, DIP, má formação uterina.
(dismenorreia 2ª).
Questionar sintomas associados  nervosismo, cefaleia, aumento da
evacuação, sonolência, fadiga, tontura, lipotimia.
Perguntar sobre perda da capacidade do trabalho ou pessoal nessa fase.
EXAME FÍSICO
Atentar para  fascie de dor, posição anti-algica, sudorese, alt. respiratór.
Fazer exame ginecológico, palpação abdominal para discartar outras
causas.
EXAMES COMPLEMENTARES
Solicitar US para descartar endometriose, mioma, etc.
TRATAMENTO
Calor local, repouso em decúbito ventral.
Fase aguda: diclofenaco ou ibuprofeno.
Analgésico: paracetamol.
Oferecer ACO/DIU para diminuir a dor.
OBS: se pcte já em uso de medicamentos para dor = dar mais fortes –
tramadol, meperidina, morfina.
Cirurgia  apenas como última escolha.
Luis Felipe Telles – 822969 Stefhanie Zorzin – 823148

CHECKLIS TPM:
PERGUNTAS ✓ x
Questionar idade, profissão.
Questionar relação dos sintomas com o ciclo menstrual e melhora com
menstruação.
Perguntar sintomas  astenia, distensão abdominal, mastalgia, polaciúria, insônia,
diminuição da libido, apetite por carboidratos/chocolate.
Perguntar fatores de melhora/piora
Perguntar se há fator desencadeante
Questionar uso de ACO
Perguntar comorbidades e acompanhamento, PQU?
Perguntar se sintomas afetam o trabalho e/ou relações pessoais.
Perguntar se há presença de cólica? (dx diferencial para dismenorreia).
Questionar sintomas de humor  ansiedade, depressão, irritabilidade, diminuição
da concentração.
EXAMES
Solicitar recordatório dos sintomas (data de inicio, relação com menstruação,
sintomas mais frequentes) e pedir para trazer na próxima consulta.
DX
Clinico + Critérios de transtorno disforico pré menstrual (pelo menos 5 sintomas) +
queda do rendimento pessoal/profissional.
SINTOMAS: humor deprimido, ansiedade, choro fácil, nervosismo, diminuição do
interesse das atividades usuais, sensação de dificuldade de concentração, letargia,
alteração do apetite, insônia, sintomas físicos diversos.
CLASSIFICAÇÃO
Tipo A: ansiedade – predomina sintomas de ansiedade, irritabilidade.
Tipo C: compulsão – predomina cefaleia, tremor, fadiga, aumento apetite.
Tipo D: depressão – predomina depressão, astenia, letargia, insônia.
Tipo H: hídrica – predomina sintomas físicos: mastalgia, retenção de liquido,
edema, ganho de peso.
TRATAMENTO
Psicoterapia: casos com alteração de humor.
Atividade física, alimentação saudável.
Sintomas leves á severos: MEV
Sintomas severos: MEV + ACO c/ drospirenona.
OBS: Fluoxetina em casos de TPM grave + Sd disforica (predomina sintomas
humorais).