Você está na página 1de 7

um grupo fosfato para outras moléculas (o que

Metabolismo chamamos de fosforilar).


• As células estão constantemente realizando
• ATP – Estrutura: uma base nitrogenada (adenina)
milhares de reações químicas necessárias para
ligada a uma ribose e três grupos fosfato.
manter as células, e seu corpo como um todo,
vivos e saudáveis. Essas reações químicas estão
geralmente conectadas em cadeias ou vias, sendo
integradas e reguladas por enzimas. Todas as
reações químicas que ocorrem dentro de uma
célula são coletivamente chamadas
de metabolismo da célula.
E qual a principal função do metabolismo?
• Obter energia através da oxidação de compostos
orgânicos (carboidratos, lipídios e proteínas).
• Na rede metabólica da célula, algumas das
reações químicas liberam energia e podem
acontecem espontaneamente (sem inserção de
energia). No entanto, outras precisam de energia
adicional para serem realizadas. • Para que ocorra a contração muscular, é
necessária a hidrólise (quebra da molécula) de
ATP.
• Síntese de moléculas orgânicas mais complexas
a partir de moléculas mais simples ou quebra de - Reações de hidrólise:
moléculas orgânicas complexas e formação de ATP > ADP > AMP > ADENOSINA
moléculas simples.
Como ocorre a síntese de ATP?
ATP • A síntese de ATP trata-se de uma reação de
fosforilação, que consiste na ligação de um grupo
• A degradação (oxidação) de compostos fosfato à uma molécula de ADP, produzindo
orgânicos como glicose, ácidos graxos, assim ATP.
aminoácidos) é armazenada em moléculas de ATP
– ou adenosina trifosfato. ADP + Pi ATP

• Essa molécula constitui a principal forma de • Essa fosforilação é uma reação com consumo
energia química, uma vez que sua hidrólise é de energia, proveniente da oxidação de
altamente exergônica, ou seja, isso quer dizer substratos energéticos.
que, ao sofrer o processo de hidrólise (quebra da
molécula por ação da água), o ATP libera grande Sistemas e vias para síntese de
quantidade de energia livre. ATP
• A molécula de ATP é fundamental para a célula,
pois fornece a energia livre de que essas células 1. Sistema ATP – PC (Creatina-Fosfato)
necessitam para realizar suas atividades. Sendo 2. Metabolismo anaeróbico ou
assim, essa molécula é responsável por garantir a glicogênio/ácido láctico
manutenção da homeostase celular, permitindo a 3. Metabolismo aeróbico ou oxidativo
realização dos diversos processos fundamentais
para o seu funcionamento. Vale salientar que o
papel do ATP não apenas funciona como uma
moeda de energia, pois também é capaz de doar 1. Sistema ATP-CP
- O transporte sanguíneo de oxigênio torna o
metabolismo aeróbico mais lento em relação ao
A quantidade de ATP no músculo é suficiente
metabolismo anaeróbico.
para manter a atividade de contração
muscular por menos de 1 segundo. A creatina
fosfato nos músculos atua como um
CATABOLISMO E ANABOLISMO
reservatório de grupos fosfato que podem ser
prontamente transferidas ao ADP. A creatina
fosfato do músculo é usada para regenerar
ATP a partir de ADP, quando realizamos
exercícios de maior intensidade.

- Creatina: O início da sua síntese se dá nos rins e


termina no fígado; trata-se de um composto
nitrogenado formado a partir de 3 aminoácidos:
arginina, glicina e metionina. Carne vermelha e
peixes são boas fontes de creatina e 95% dela está
presente no músculo esquelético, na forma de
creatina-fosfato. - O metabolismo é o conjunto de todas as reações
bioquímicas que ocorrem no organismo, dividido
- Fisiologia do exercício: Quantidade total de ATP em duas formas: o anabolismo e o catabolismo.
no organismo atinge 250g, porém a sua taxa de
renovação (que chamamos de turnover) é muito - CATABOLISMO: O catabolismo abrange todas
alta  cada molécula de ATP é reciclada cerca de as reações em que compostos orgânicos
300 vezes. Então, um homem de 70 kg necessita complexos são convertidos em moléculas mais
de 2.000 kcal/dia e para fornecer esta grande simples, ou seja, converte energia para formas
quantidade de energia, necessita de 83 kg de ATP. biologicamente utilizáveis. Assim, o catabolismo
resume-se em reações de degradação ou quebra
Para uma corrida de 2h  gasto de 60 kg de macromoléculas.
de ATP;
Em exercício vigoroso  0,5 kg/minuto. - Produz energia em forma de ATP;

2. Metabolismo Anaeróbico. - Reações de oxidação de compostos


orgânicos (oxidação – perda de elétrons).
- O ATP é formado a partir do glicogênio muscular
e além do ATP, é produzido ácido lático. O sistema - Alimentos energéticos são catabolizados
consiste na degradação de glicogênio, num em energia utilizável, água e gás carbônico.
processo de fosforilação que forma novas
moléculas de ATP. • Exemplos de rotas metabólicas que fazem parte
do catabolismo:
- O sistema ácido lático proporciona uma fonte
rápida de energia, a glicose. Ele é a primeira fonte - Glicólise – Quebra da molécula de glicose.
para sustentar exercícios de alta intensidade.
- Glicogenólise – Quebra da molécula de
- É realizado na ausência de oxigênio. glicogênio e degradação das suas reservas.

- Lipólise – Quebra e degradação de


3. Metabolismo Aeróbico
lipídeos.
- No metabolismo aeróbico, a produção de ATP é feita
na presença de oxigênio. Os nutrientes (carboidratos, • Diminuiçao da glicemia e atividades físicas
gorduras e proteínas) são convertidos em ATP e contribuem para que o organismo entre em fases
fornecem energia para atividades de baixa intensidade catabólicas.
e alta duração, como maratonas e provas de ciclismo.
- A geração de energia a partir de oxidação de • Ao longo do caminho, alguns ATPs são
compostos orgânicos se dá em três estágios: produzidos diretamente nas reações que
transformam a glicose.
I – Produção de Acetil-CoA através de
aminoácidos, ácidos graxos e glicose.  Rendimento: 30 ATPS por molécula de
glicose oxidada.
II – Oxidação do Acetil-CoA através do • Ao ouvir palavra respiração, imediatamente a
Ciclo de Krebs associamos com a troca de gases que ocorre no
interior dos alvéolos pulmonares, em muitos
II – Transferência de elétrons e fosforilação animais terrestres, onde o gás oxigênio passa do ar
oxidativa – Cadeia respiratória e síntese de ATP. atmosférico ou da água para o sangue, enquanto
o gás carbônico realiza o movimento contrário.
- ANABOLISMO: O anabolismo compreende as Essa troca de gases é, no entanto, apenas o início
reações que formam moléculas complexas a partir (e também o fim) de um processo por meio do
de outras mais simples, com gasto de energia. Em qual se obtém energia e que ocorre no interior das
resumo, o anabolismo é o conjunto de reações de células da maioria dos seres vivos: a respiração
síntese ou construção. celular.
- Aqui, moléculas simples dão origens a moléculas • O gás oxigênio é transportado até o interior das
orgânicas mais complexas. células, onde reage com a glicose, molécula
proveniente da digestão dos alimentos
- Ocorre gasto de energia em forma de ATP. consumidos pelos animais ou, no caso dos
vegetais, produzida durante a fotossíntese. Essa
- Usam energia gerada no catabolismo para
reação química leva à formação de moléculas de
realizar as reações.
água e gás carbônico.
- Caracterizado pelas reações de redução (ao • A energia liberada durante a respiração celular
contrário da oxidação, ganha elétrons). fica, portanto, armazenada nas moléculas de ATP
e, a partir daí, pode ser usada para todas as
• Exemplos de rotas metabólicas que fazem parte
atividades celulares que requerem gasto
do anabolismo:
energético.
- Glicogênese: síntese de glicogênio • A respiração celular pode ser dividida em quatro
fases:
- Proteogênese: síntese de proteínas.
 Glicólise anaeróbica – que ocorre no
• O aumento da glicemia no organismo incentiva citoplasma.
para que ele entre em atividade anabólica.  Oxidação do piruvato – formação de
Acetil-CoA, na matriz mitocondrial.
Respiração Celular e Liberação  Ciclo de Krebs – ocorre na matriz
de Energia mitocondrial
 Cadeia respiratória ou Cadeia
• Processos Aeróbios: ocorrem na presença de Transportadora de Elétrons – ocorre na
oxigênio, como a respiração celular. membrana mitocondrial interna.

• Processos Anaeróbicos: ocorrem sem a


utilização de oxigênio na reação, como ocorre nas
fermentações.

A respiração celular trata-se de uma via


metabólica, onde uma molécula de glicose é
gradualmente decomposta em CO2 e água, na
presença de oxigênio.
• Na respiração celular, duas moléculas são muito significa quebra da glicose ocorre no citoplasma
importantes, por serem COENZIMAS das células.
TRANSPORTADORAS DE ELÉTRONS.
- É composta por 10 reações químicas que
 NADH – NAD + H ocorrem em sequência;
NAD – Forma oxidada – Disponível para
receber elétrons - É dividida em duas etapas:
NADH – Forma reduzida,
> 1ª etapa (investidora de energia)
transportando a molécula de
Hidrogênio. > 2ª etapa (produtora de energia)
 FADH2 – FAD + 2H
- Ocorre liberação de hidrogênios que são
• NADH e FADH2 transportam elétrons para as transferidos ao NADH (coenzima transportadora
mitocôndrias e a energia destas partículas é usada de elétrons);
na produção de energia para a célula (ATP). Essas
moléculas são utilizadas na última fase da - Para que A glicólise ocorra, há um gasto inicial de
respiração celular, pegando elétrons de H energia (duas moléculas de ATP são consumidas),
derivados da glicólise e transportando-os até a mas que será reposto, já que, ao final dessa
Cadeia Transportadora de Elétrons (que ocorre na primeira etapa, o resultado é a formação de duas
membrana mitocondrial interna). moléculas de ácido pirúvico e 4 moléculas de ATP,
• Como NAD e FAD ganham elétrons provenientes havendo, portanto, um saldo energético de 2 ATP.
da glicólise (molécula de glicose foi oxidada, ou
- Além disso, também ocorre a liberação de
seja, perdeu elétrons), podemos dizer que NAD e
elétrons energizados e íons H+, que são
FAD foram reduzidos (ganharam elétrons).
capturados por moléculas de uma coenzima
Metabolismo Energético aceptora de elétrons chamada NAD+, formando
duas moléculas de NADH.
• Os processos de liberação de energia podem ser - O ácido pirúvico passa, então, ao interior das
AERÓBICOS, que ocorrem na presença de mitocôndrias, organelas celulares onde ocorrem
oxigênio, como o caso da RESPIRAÇÃO CELULAR; as etapas seguintes.
ou podem ser ANAERÓBICOS, quando ocorre na
ausência de oxigênio, como o caso da - Substratos: Glicose, ATP, ADP, Pi, NAD+;
FERMENTAÇÃO.
- Produtos: 2 moléculas de ATP, 2
• Vimos que o processo pelo qual a glicose é moléculas de piruvato, 2NADH + H+.
degrada em água e gás carbônico na presença de
oxigênio, chama-se respiração celular, com
rendimento de 30 ou 32 ATPS por molécula de
glicose oxidada.

• Vimos que a respiração celular é divida em


quatro partes, e a primeira delas é a Glicólise.

GLICÓLISE: rota metabólica onde a OXIDAÇÃO DO


glicose é transformada em duas moléculas de
piruvato (3C). Esta primeira etapa, cujo nome
PIRUVATO: Em geral, a oxidação de
piruvato converte piruvato em Acetil-CoA, uma
molécula de dois átomos de carbono ligada a
coenzima A — produzindo NADH e liberando uma
molécula de dióxido de carbono no processo. A
Acetil-CoA atua como combustível para o ciclo do
ácido cítrico na próxima etapa da respiração
celular.
CADEIA RESPIRATÓRIA
• É a terceira e última etapa da respiração celular,
processo ocorrido no interior das mitocôndrias e
que tem como papel a geração de energia em
forma de ATP. É na cadeia respiratória que ocorre
a maior parte do ATP produzido pelo processo de
respiração celular.

- A oxidação do piruvato ocorre na matriz • Na cadeia respiratória, quatro grandes


mitocondrial; complexos proteicos (Chamados I, II, III e IV)
inseridos na membrana interna da mitocôndria
- Ocorre liberação de hidrogênios na forma de realizam o transporte do s elétrons de NADH e de
NADH + H+; FADH2 (formados na glicólise e no ciclo de Krebs)
ao gás oxigênio, reduzindo-os a NAD+ e FAD,
- Ocorre liberação de CO2;
respectivamente.
> Substratos: NAD+, piruvato, CoA
(Coenzima A); • Estes elétrons possuem grande afinidade com o
gás oxigênio e, ao combinarem-se a ele, o reduz a
> Produtos: 2 CO2, 2 NADH + H+, 2 Acetil- moléculas de água ao final da reação. O gás
CoA. oxigênio participa efetivamente da respiração
celular nesta etapa, assim, sua ausência implicaria
na interrupção do processo.
CICLO DE KREBS OU
• Há transferência dos hidrogênios transportados
CICLO DO ÁCIDO pelo
CÍTRICO NADH e FADH2 para o oxigênio, formando assim
- A acetil CoA produzida na última etapa oxidação H2O;
do piruvato se une com uma molécula de quatro
• O oxigênio (O2) é o aceptor final de elétrons da
carbonos e passa por um ciclo de reações,
cadeia respiratória; ele recebe os elétrons que são
produzindo ATP.
transportados pelos complexos enzimáticos. Em
- Rota metabólica composta de 8 reações químicas seguida, o O2 se junta a 2 átomos de hidrogênio,
que ocorrem em sequência. formando H2O.
- Ocorre na matriz mitocondrial; • Os 4 complexos enzimáticos (Complexo I, II, III e
- Acetil-CoA se une ao oxaloacetato, dando início IV) estão inseridos na membrana mitocondrial
ao ciclo; interna.
- Ocorre liberação de hidrogênios na forma de
NADH + H+, FADH2; liberação de CO2 e produção
PRODUÇÃO DE ATP
de ATP. • Nos seres vivos aeróbicos, a energia gerada pela
• Substratos: ADP, Pi, NAD+, FAD+, Acetil- oxidação dos compostos orgânicos (glicose, ácidos
CoA; graxos e aminoácidos) é usada para impulsionar a
síntese de ATP. Este processo é conhecido como
• Produtos: 2 ATP, 4 CO2, 6 NADH e FOSFORILAÇÃO OXIDATIVA.
2 FADH2.
• A fosforilação oxidativa ocorre através do - Rende 2 ATPs por molécula de glicose.
transporte de elétrons da cadeia respiratória que
é acoplado a formação de um gradiente de íons - A fermentação lática também ocorre nas células
H+, no espaço intermembranar; A energia deste musculares quando há um esforço excessivo.
gradiente é usada para impulsionar a síntese de Nesse caso, as fibras trabalham intensamente e a
quantidade de oxigênio torna-se insuficiente,
ATP (fosforilação), pela enzima ATP sintase,
tornando necessária a respiração anaeróbica. O
enzima localizada na membrana mitocondrial
ácido lático se acumula produzindo a dor
interna. característica dessa situação, ou seja, a produção
de lactato gera a fadiga muscular.
FERMENTAÇÃO
 Metabolismo anaeróbico dos músculos
• Processo anaeróbico de produção de
esqueléticos – CICLO DE CORI:
ATP/energia que ocorre na ausência de oxigênio; a
glicose é oxidada parcialmente em substâncias
orgânicas mais simples, como ácido láctico
(lactato), álcool etílico (etanol).

 Fermentação Alcoólica: É
realizada principalmente por leveduras
(fungos) e por bactérias. Após a
glicólise o piruvato perde carboxilas
(CO2) e em seguida recebe átomos de
hidrogênio. Desse modo é formado
ácido etílico ou etanol.
- É o processo de fermentação alcoólica que se usa
para a produção de bebidas alcoólicas. O lêvedo
de cerveja é uma levedura cujo nome científico
é Saccharomices cerevisae; Tanto na produção do
vinho como na cerveja a fermentação ocorre • O ciclo de Cori é uma
devido à presença das leveduras, formando o cooperação metabólica entre músculos e fígado.
etanol. Com um trabalho muscular intenso, o músculo usa
o glicogénio de reserva como fonte de energia,
- O fermento de pão ou fermento via glicólise.
biológico também é constituído de leveduras. • Para obtenção de energia sob a forma de (ATP),
Durante a preparação do pão, elas realizam o a glicose é convertida a piruvato através da
processo e o gás carbônico (CO2), que é liberado glicólise. Durante o metabolismo aeróbio normal,
pela descarboxilação, é que faz a massa aumentar o piruvato é então oxidado pelo oxigénio
de volume. molecular a CO2 e H2O.
 Fermentação Láctica: Realizada
por bactérias do leite e é empregada na • Durante um curto período de intenso esforço
preparação de iogurtes e queijos; Se físico, a distribuição de oxigénio aos tecidos
durante a respiração aeróbica é musculares pode não ser suficiente
produzido ácido lático, o processo é para oxidar totalmente o piruvato. Nestes casos, a
chamado de fermentação lática. A glicose é convertida a piruvato e depois a lactato,
enzima lactato desidrogenase reduz o através da via da fermentação láctica, obtendo
piruvato, que origina o lactato. ATP para os músculos, sem recorrer ao oxigénio.
• Este lactato acumula-se no tecido muscular e
- Também ocorre nas hemácias humanas e nos difunde-se posteriormente para a corrente
músculos esqueléticos em situações de grande sanguínea. Quando o esforço físico termina, o
esforço físico; além de estarem presentes na lactato é convertido a glicose através
microbiota intestinal através de Lactobacillus. da gliconeogênese, no fígado.
• O indivíduo continua a ter uma respiração
acelerada por algum tempo: o O2 extra consumido
neste período promove a fosforilação oxidativa no
fígado e, consequentemente, uma produção
elevada de ATP. O ATP é necessário para a
gliconeogênese, formando-se então a glicose a
partir do lactato; esta glicose é transportada de
volta aos músculos para armazenamento sob a
forma de glicogênio.