Você está na página 1de 3

UM IMPACTO DE DUPLO COMPORTAMENTO, UM LINDO

CABELO, ENTRETANTO UMA SAIA EXTREMAMENTE


SENSUAL.

UMA REALIDADE EM NOSSAS IGREJAS. ALGO QUE SE


TORNOU COMUM E ACEITÁVEL E O ARGUMENTO
INTRODUZIDO PELO RELATIVISMO PÓS-MODERNO É:
ISSO NÃO TEM PROBLEMA!!! SERÁ?

"Da mesma sorte, que as mulheres, em traje decente,


se ataviem com modéstia e bom senso(...), porém com
boas obras (como é próprio às mulheres que professam
ser piedosas)" (1 Timóteo 2:9-10).

A beleza de vocês não deve estar nos enfeites


exteriores, como cabelos trançados e jóias de ouro ou
roupas finas.
Pelo contrário, esteja no ser interior, que não perece,
beleza demonstrada num espírito dócil e tranqüilo, o
que é de grande valor para Deus.
1 Pedro 3:3,4......

1 Timóteo 2.9-10: "Quero também que as mulheres


sejam sensatas e usem roupas decentes e simples.
Que elas se enfeitem, mas não com penteados
complicados, nem com jóias de ouro ou de pérolas,
nem com roupas caras! 10 Que se enfeitem com boas
ações, como devem fazer as mulheres que dizem que
são dedicadas a Deus!"

Estes versos falam em trajes decorosos e sem luxúria


como a vestimenta ideal para o servo de Deus.

Mais uma vez a sua mente, principalmente a dos


homens, pode estar tentando se justificar dizendo que
o ensinamento paulino não se aplica a você. Isso não é
verdade. A exigência de decoro e de moralidade na
vestimenta é para mulheres e homens ao mesmo
tempo. O que comprova isso é o contexto geral do
capítulo, em especial o verso 8, que exige dos homens
um alto padrão de santidade para a oração.

Decoro é recato no comportamento e decência no


vestir. Está relacionado com a postura que adotamos
para a vida. Luxúria é comportamento desregrado em
relação a sexualidade. É licenciosidade moral que
denota a lascívia, que é pecado, e a concupiscência,
que é o desejo de pecar, do indivíduo. A luxúria se
contrapõe acirradamente ao decoro.

Em contrapartida, Deus exige dos seus filhos uma


vestimenta decorosa e isenta de qualquer sintoma de
luxúria. Ou seja, Deus exige de nós um comportamento
recatado através do qual as pessoas percebam que
estamos libertos do desejo de pecar e que fomos
restaurados em nossa moralidade, em nosso caráter,
que é agora santificado pela ação do Espírito Santo
que em nós habita.

O termo traduzido por "traje decoroso", utilizado por


Paulo, no original, ultrapassa a idéia de vestuário
simplesmente. Paulo usa o termo para fazer referência
também a moralidade sexual que nos é exigida por
Deus e que deve se refletir em nossas roupas.

Nossas roupas indicam se temos maus ou bons


costumes morais. A maneira como nos vestimos
ressaltam o valor moral que atribuímos ao nosso corpo
diante de Deus. O jeito como nos vestimos reflete a
nossa consciência moral em termos de sexualidade,
bem como o nosso senso de preservação da nossa
integridade moral. A nossa roupa pode refletir o nosso
caráter.

O que vestimos mostra o que esperamos que as


pessoas pensem de nós em relação a maneira como
tratamos a nossa sexualidade. Se nos vestimos com
luxúria as pessoas poderão imaginar que somos
licenciosos, ou seja, imorais. Se nos vestimos com
decoro, por certo as pessoas perceberão que nós nos
honramos e que lutamos para nos preservar em
santidade diante de Deus. Isso é verdade desde que
não haja falsidade em nossos corações

A escolha não é muito difícil. Roupas sobrecarregadas


de luxúria e de sensualidade, que refletem lascívia e
libertinagem imoral, ou roupa decorosa, que reflete a
sua compostura moral e espiritual. Lembre-se; suas
roupas, por certo, falarão mais alto do que as suas
palavras em meio ao burburinho esganiçado da
promiscuidade na qual chafurda a nossa sociedade.

Você também pode gostar