Você está na página 1de 4

ESTAVA PAULO ENDEMONIADO QUANDO DISSE PRA

TRAS DE MIM SATANÁS

Apesar de isoladamente, esse texto é usado por


muitos para dar a entender que Pedro estava com o
“diabo no corpo”. Porem, uma avaliação mais acurada
de todo o contexto se faz necessária antes de tirarmos
conclusões.

Antes dessa declaração de Jesus a Pedro, temos um


acontecimento bem interessante marcado por uma
pergunta de Jesus aos seus discípulos: “Indo Jesus
para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus
discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem?”
(Mt 16.13). Observamos que o apóstolo Pedro, sem
pestanejar, responde a Jesus: “Respondendo Simão
Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” (Mt
16.16). A citação de Pedro foi creditada por Jesus a
revelação do próprio Deus a Pedro (Mt 16.17). Além
disso, Jesus creditou a Pedro a liderança de Sua igreja
triunfante (Mt 16.18) e a autoridade de seu ministério
futuro (Mt 16.19).

A partir dai o texto mostra que Jesus começa a falar a


respeito da necessidade de seu martírio, da sua morte
trágica e ressurreição (Mt 16.21). Mas os fatos que se
seguem mostram que os discípulos ainda não tinham
compreendido bem essa questão a respeito do Messias
sofredor.

Nesse contexto Pedro chama Jesus para uma


conversa a sós e começa a reprovar Suas palavras: “E
Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo,
dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo
algum te acontecerá.” (Mt 16.22). Então, Jesus,
imediatamente repreende a fala de Pedro dizendo
“Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço,
porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos
homens.”. A intenção de Pedro era, de alguma forma,
convencer Jesus a não sofrer conforme estava
dizendo.

PORQUE AFIRMO QUE PEDRO NÃO ESTAVA POSSESSO


POR SATANÁS:

Não há no texto evidências de possessão demoníaca.


Se compararmos essa ocasião dada com Pedro, com
algumas das libertações que Jesus fez de pessoas
endemoninhadas, veremos muitas diferenças. Todas
as possessões demoníacas tratadas por Jesus foram
indicadas e identificadas claramente pelos
evangelistas como possessões. Veja esses exemplos
do próprio evangelista Mateus: Mt 12. 22-32, Mt 9.32-
34, Mt 8.28-33. Na ocasião vivida por Pedro e Jesus
não há essa indicação no texto de que aquilo foi uma
possessão.

O texto parece indicar a astúcia de Satanás em


influenciar Pedro a sugerir a Jesus que pudesse haver
um caminho mais fácil para Sua missão. Satanás
escolheu uma pessoa de confiança de Jesus para
tentá-lo de forma astuta. Daí Pedro sugerir a Jesus que
poupasse a Si mesmo de tamanho sofrimento. Talvez,
aos olhos humanos, parecesse uma boa sugestão a de
Pedro, já que ele sabia que Jesus era o Messias e,
quem sabe, pudesse haver um caminho mais fácil e
menos doloroso para Sua missão. Satanás agiu da
mesma forma usando pessoas para sugerir a Jesus
que descesse da cruz quando da Sua crucificação (Mt
27.42)
Pedro, porém, erra ao não considerar o que foi
profetizado sobre o Messias nas Escrituras Sagradas,
principalmente em Isaías 53. Assim, ele foi tentado
pelo maligno e não possuído por Ele. Coisa semelhante
acontece quando a carnalidade toma conta de nosso
coração, mesmo sendo nós cristãos verdadeiros.
Podemos errar feio. Os discípulos erraram muitas
vezes por falta de discernimento espiritual e atuação
da fraqueza da carne. Isso pode acontecer em nosso
processo de santificação e não indica possessão
demoníaca.

Quando Jesus diz “arreda, Satanás” parece estar


entendendo claramente a continuidade da tentação
iniciada pelo diabo no deserto em Mt 4.10. A expressão
grega usada nas duas ocasiões é a mesma. A
continuidade das tentações do diabo era esperada,
conforme está em Lucas 4.13: “Passadas que foram as
tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até
momento oportuno.” O diabo acha esse momento
oportuno e investe contra o Cristo através da sugestão
absurda de Pedro. Quando Jesus repreende o diabo,
repreende quem está por detrás disso tudo. Satanás
em grego significa adversário.

E por fim, a Bíblia apresenta em diversos textos


evidências de que não pode haver possessão de
crentes verdadeiros. Já falei disso aqui nesse link.
Considerar que Pedro ficou possesso parece ir contra
esses textos.

Considerando ainda a revelação dada por Deus a Pedro


e todas as ocasiões narradas a seu respeito antes
desse fato, entendemos que Pedro já era um servo de
Deus verdadeiro na época desse acontecimento,
assim, não poderia ser possuído pelo diabo, mas podia
ser tentado e sugestionado, o que, de fato, foi o que
aconteceu.

Não sei se você é uma dessas pessoas que tem


dificuldades de entender a Bíblia. Eu já fui e sofri
muito! Mas não me dei por vencido, não me deixei ser
derrotado pelos inimigos. E você, como anda sua
leitura da Bíblia? Seu entendimento? Que tal melhorar
nessa área da sua vida espiritual, aprendendo a
entender assuntos da Bíblia de forma simples e rápida,
ajudado por quem já superou as mesmas dificuldades
que você enfrenta?

Você também pode gostar