Você está na página 1de 8

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO – TRIBUTOS

SEÇÃO 1.2 TRIBUTOS: CONCEITOS, TIPOS E ESPÉCIES.

Empresa Tudo Certo Ltda.


Para iniciarmos o tema dessa seção retomaremos algumas situações passadas pela Empresa
Tudo Certo Ltda., com seu foco voltado na atuação de produção e comercialização de
brinquedos de última geração no mercado. Foram investidos R$ 40.000.000,00 em estrutura e
equipamentos, complementados com um quadro de 80 funcionários entre os setores de
produção e administração. O Diretor Financeiro, Francisco Junqueira, vem cuidando da
elaboração do planejamento tributário da empresa. Continuamos com a proposta em
desenvolver em você a competência geral de conhecer os conceitos, os fundamentos, a
legislação e as técnicas de planejamento tributário e a competência técnica de conhecer e
compreender os aspectos legais e a aplicabilidade de técnicas para continuar o planejamento e
execução do plano tributário. Para tanto, preparamos para você, nesta seção, a seguinte
atividade: a Diretoria Financeira, por meio do setor contábil, é a responsável a dar
continuidade nos estudos necessários para construção do planejamento tributário da
organização. No local de instalação da empresa Tudo Certo foram realizadas obras para
conexão com a principal rodovia do Estado, o local de instalação é em área urbana, e gerou a
valorização do imóvel. A obra poderá reduzir os custos para transporte da empresa em
aproximadamente 12%. A organização comercializa brinquedos de última geração e gera um
faturamento mensal de R$ 15.200.000,00. Toda a documentação referente à autorização para
funcionamento está regularizada. No último período apurado, a empresa obteve lucro
equivalente a 40% do seu faturamento. Dos investimentos realizados, R$ 320.000,00 foram
referentes à aquisição de veículos, que são utilizados para carregamento em pequenas
quantidades. Por fim, o imóvel da empresa é de propriedade dela. Desta forma, o Sr. Junqueira
precisa: identificar o tributo incidente sobre as operações da organização, para entender em
que momento haverá o impacto da cobrança dos tributos em razão de atividade empresarial;
identificar a espécie do tributo, além de observar se os referidos tributos são de característica
de vinculado ou não vinculado. Para o desenvolvimento dessa atividade será necessário
compreender

Os conceitos relacionados a tributos, conhecer os tipos de tributos previstos, além de


compreender as espécies de vinculação e não vinculação dos tributos. Logo, será necessário
conhecer o embasamento legal utilizando para isso as definições previstas na constituição
federal, no Código Tributário Nacional.

 Vamos compreender o conceito de tributos? De acordo com o Código Tributário


Nacional (CTN) vigente, assim o define:

“Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa
exprimir, que não se constitua em sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante
atividade administrativa plenamente vinculada.” (CTN, artigo 3º).

 Vamos falar agora dos tipos e espécies?


 Você sabia que na legislação vigente há diferenças existentes entre os tributos?

1.2.1 ESPÉCIES DE TRIBUTOS

TRIBUTOS NÃO VINCULADOS - Impostos

TRIBUTOS VINCULADOS - Contribuições de Melhoria e Taxas

TRIBUTOS MISTOS - Contribuições Especiais

TRIBUTOS ESPECIAIS - Empréstimos Compulsórios

1.2.2 TRIBUTOS DIRETOS E INDIRETOS

Tributos Diretos: Recaem sobre a pessoa (física e jurídica). Incidem sobre o patrimônio e a
renda. São de responsabilidade pessoal.

Ex.: IRPJ, IRPF, IPTU, ITR, IPVA etc.

Tributos Indiretos: Recaem sobre a produção e circulação de bens e serviços.


 São repassados para os preços dos produtos e serviços
 O consumidor é o contribuinte de fato
 O produto, vendedor ou prestador do serviço é o contribuinte de direito responsável
pelo recolhimento do tributo.

Ex.: IPI, ICMS, ISS, COFINS etc.

1.2.3 TIPOS DE TRIBUTOS:


IMPOSTO

“Imposto é o tributo cuja obrigação tem por fato gerador uma situação independentemente
de qualquer atividade estatal específica, relativa ao contribuinte” (CTN – Art. 16).

 Tributos não vinculados à atividade estatal, ou seja, são devidos independentemente


de qualquer atividade estatal em relação ao contribuinte.

• É de competência privativa, atribuída pela CF, isto é, exclusivamente da União ou dos


Estados ou dos Municípios ou do Distrito Federal.

• Destina-se ao custeio de despesas gerais (correntes e de capital)

• Ex.: IPI, ICMS, IR etc.

TAXAS

Tributos vinculados à atividade estatal, devidos pelo exercício regular do poder de polícia ou
pela utilização efetiva ou potencial de serviço público, específico e divisível, prestado ou
colocado à disposição do contribuinte (CTN – arts. 77 e 78).
• Poder de polícia = atividade pública que limita e disciplina direito, interesse ou liberdade a
favor do interesse público, no que se refere a segurança, higiene, ordem, costumes etc.

• Ex.: TLIF – Taxa de Licença de Instalação e Funcionamento

CONTRIBUIÇÕES DE MELHORIAS

Tributos vinculados à atividade estatal, devidos pela realização de obra pública da qual decorra
valorização imobiliária, normalmente com base no rateio do custo total da obra entre os
contribuintes beneficiados (CTN – arts. 81 e 82).

• Na prática, raramente é cobrada ou o é de forma ilegal, devido às exigências do art. 82 do


CTN (publicação prévia de memorial descritivo, orçamento da obra, delimitação da área etc.)

• Exemplo: pavimentação de ruas.

CONTRIBUIÇÕES ESPECIAIS

As contribuições especiais têm sido caracterizadas como uma nova espécie de tributos que
engloba:

• Contribuições Sociais
• INSS, COFINS e CLS (CF–art. 195)
• CIDE – Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CF – art.149)
Criada para ajustar a economia aos objetivos da política econômica.

Ex.: CIDE sobre combustíveis de derivados de petróleo (Lei 10.336/01)

• Contribuições de interesse de categorias profissionais ou econômicas


• CRC, OAB, Crea etc.
• CPMF (EC nº 37 de 12.06.02 e Leis 10.892/04) Antiga!
• Contribuição Provisória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e
Direitos de Natureza Financeira

EMPRÉSTIMOS COMPULSÓRIOS

Tributos que podem ser instituídos pela União (CF – art. 148) exclusivamente para atender
despesas extraordinárias (não previstas no orçamento) decorrentes de calamidade pública,
guerra ou sua iminência e para investimento público de caráter urgente e de relevante
interesse nacional.

• Sua receita é vinculada à causa que fundamentou a sua instituição.

• Devem ser restituídos ao contribuinte, conforme as condições estipuladas na lei


complementar que os instituíram.

1.2.4 OS PRINCIPAIS IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES QUE SÃO MAIS


HABITUALMENTE RECOLHIDOS PELAS EMPRESAS SÃO:
Quadro: Âmbito e atividade

Âmbito Tributos Ramo / Atividade


Federal Imposto de Renda da Pessoa Jurídica – Comércio, indústria,
IRPJ prestação de serviços.
Federal Contribuição Social sobre Lucro – Comércio, indústria,
CSLL prestação de serviços.
Federal Programa de Integração Social e Comércio, indústria,
Contribuição para Financiamento da prestação de serviços.
Seguridade Social – PIS/COFINS
Federal Imposto sobre Produtos Comércio, indústria
Industrializados – IPI
Estadual Impostos sobre a Circulação de Comércio, indústria
Mercadorias e Serviços – ICMS
Municipal Impostos sobre Serviços de Qualquer Prestação de serviços
Natureza – ISSQN

1.2.5 CARACTERÍSTICA DE VINCULADO OU NÃO VINCULADO DOS TRIBUTOS:

Quadro – Espécie, vinculação e a contraprestação

ESPÉCIE VINCULAÇÃO CONTRAPRESTAÇÃO


Imposto NÃO São arrecadados para manter o funcionamento e garantir
despesas dos órgãos públicos, outra destinação são para serviços
básicos para população como: saúde, segurança e educação.
Taxa SIM São arrecadados quando o contribuinte (quem paga a taxa) vai a
um órgão público em busca de um serviço específico, como por
exemplo, a emissão de um simples RG, portanto, a vinculação se
dá ao fato de as pessoas irem atrás da emissão do documento.
Contribuição SIM A arrecadação se dá através de um serviço ou melhoria estrutural
de Melhoria subsidiada por um órgão público e que sua consequência e
vinculação está ligada à valorização imobiliária, como por exemplo
a construção de uma praça de esportes.
Fonte: Brasil (1988).

Sabemos quais são os tipos e espécies dos tributos, que se dividem em: impostos, taxas e
contribuições de melhorias, que são determinados quando buscamos ou não um serviço
colocado à disposição pelos órgãos públicos.
Uma vez discutidos os aspectos sobre os tipos e espécies dos tributos, vêm as seguintes
perguntas: imposto é a mesma coisa que tributo? Existe diferença entre impostos, taxas e
contribuições? Os órgãos arrecadadores são obrigados a dar algo em troca para cobrar os
tributos? Hoje em dia há muita confusão quando falamos tributo é imposto? Quando falamos
eu pago um mundo de impostos? Mas dentro desses “impostos” não estou incluindo também
as taxas e contribuições que são espécies de tributos que são vinculados a uma
contraprestação, ou serviço colocado à disposição?

CASO - INDÚSTRIA DE CALÇADOS

Há um estudo para planejamento tributário em andamento de uma indústria de calçados há


mais de 15 anos em uma Região do Sudeste, afastada do centro da cidade, carente de
infraestrutura e acesso, faz com que a produção demore a ser escoada gerando um custo de
operação. Para que essa fábrica venha a obter viabilidade serão necessários para o projeto: a.
Melhorias nas condições de infraestrutura aos arredores da fábrica, como asfalto, iluminação
pública. b. Negociar prazos para cobrança das contribuições de melhorias que irão impactar no
resultado final. c. Prever a taxa de retorno nos investimentos, planejando e mensurando que
essas melhorias irão fazer com que seus custos de produção e transporte irão reduzir.

Diante deste cenário, os representantes da empresa precisam negociar estes benefícios, mas
não estão a par com qual ente tributário e quais impostos, taxas e contribuições irão ser
cobrados. Por isso, precisam identificar quem são os entes tributantes, quais tributos nas suas
referidas competências, para poder negociar com a empresa.

Resolução:

1º) Precisamos extrair o que está sendo demandado pela empresa: I. Definir qual é a
infraestrutura necessária para implantação e redução dos custos. II. Prever aumento da
produção, já prevendo melhorias e o pagamento do tributo extra sobre essa nova carga de
vendas.

2º) Descobrir quem são os entes tributantes que possuem a respectiva competência sobre
estes aspectos, entender e prever qual prestação que está vinculada à cobrança do tributo em
conformidade com a legislação:

Passo 1: Identificar o que são: impostos, taxas e contribuições

Passo 2: Saber o que está vinculado aos serviços a serem buscados e quanto irão impactar no
processo.
A partir do exemplo da fábrica de calçados, você pôde perceber os caminhos percorridos para
chegar aos entes que legislam e agora conhecemos as espécies, tipos e sua vinculação ou não
retorno do ente. E somente assim cada qual no âmbito de suas competências possa ou não
instituir tais possibilidades para que uma empresa (no caso do exemplo) possa buscar
benefícios e planejamento para cada atividade e em que momento ocorrerá sua cobrança.
Agora, resolva o caso da Tudo Certo.

CASO - COBRANÇA DA TAXA DO LIXO

Descrição da Situação-Problema

A General Links é uma organização de grande porte atuante no setor de telecomunicações. A


empresa é especialista no segmento de transmissão de dados corporativos relacionados à
telefonia. A empresa pretende implantar uma base de operação no país e empregar de forma
direta e indireta cerca de 2.500 funcionários. Seus representantes pretendem negociar junto
às autoridades competentes a redução ou até mesmo a isenção de impostos incidentes sobre
a venda e sobre a renda para um determinado período. Os representantes têm dúvidas com
quem devem ser negociados os tributos. Com base na legislação vigente no país, identificar:
o(s) tributo(s) a ser(em) pago(s); a(s) autoridade(s) competente(s) com quem deverão ser
negociadas tais reduções ou isenções, fundamentados com base na legislação, bem como na
natureza dos tributos e a sua justificativa.

EXERCÍCIOS:

1. CASO Willen Ltda

A Willen Ltda. é uma empresa que atua no ramo de produção e comercialização de hardware,
além da Consultoria em TI. Nos últimos anos, cresceu muito o trabalho em prestação de
serviço de consultoria nas empresas, fazendo com que a organização vendesse a sua divisão de
produção e comercialização de hardware e ficasse apenas com o segmento de serviços. Os
proprietários pretendem elaborar um planejamento tributário para esta nova situação.

Com base na legislação vigente no país, identificar: o(s) tributo(s) que passarão a incidir sobre
a operação; a(s) autoridade(s) competente(s) que deverão negociar tal redução ou isenção.

2. Os tributos se dividem em gêneros, conforme previstos na Constituição Federal e no Código


Tributário Nacional no seu Art. 5º, portanto, são caracterizados como:

a) Imposto de Renda, ICMS e ISS.


b) Imposto de Importação, IPTU e INSS.
c) Tributos Nacionais, Tributos Estaduais e Tributos Municipais.
d) Impostos, Taxas e Contribuições.
e) Contribuições para Seguridade Social, Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e ICMS.

3. Dentro dos gêneros qual é a principal diferença entre taxas e contribuições de melhorias?

a) Cobrados por serviços públicos disponibilizados aos contribuintes que vão solicitá-los e as
contribuições de melhoria remuneram serviços públicos executados que podem gerar
valorização imobiliária.
b) Não dizem respeito a nenhuma atividade estatal específica e as contribuições de melhoria
apresentam o atributo desvalorização imobiliária.
c) São cobrados pela prestação de serviços públicos somente postos fiscais para seus usuários,
ao passo que o pagamento das contribuições de melhoria nos postos da prefeitura.
d) São impostos que têm como contrapartida apenas a valorização imobiliária.
e) São contribuições que têm como contrapartida obtenção de documentos e a realização de
obras públicas.

4. Considere as seguintes afirmações:

I – Contribuição de melhoria se paga quando é feita a instalação de uma rede elétrica em uma
rua.
II – Taxa não é um tributo e só é aplicado quando o contribuinte é pego praticando ato ilícito.
III – Imposto é um tributo, em que o contribuinte paga compulsoriamente sem que o Estado
tenha que dar nada em troca.
É correto afirmar que:

a) Apenas I está correta.


b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas II e III estão corretas.
d) Apenas I e III estão corretas.
e) I, II e III estão corretas

5. Dentro dos conceitos legais sobre os tributos diretos e indiretos, são tributos que impactam
sobre:

a) Renda, patrimônio e consumo.


b) Somente sobre a renda.
c) Somente sobre o consumo.
d) Somente sobre o patrimônio.
e) Somente para pessoas físicas

6. A Bila Logística Ltda. arrematou em um leilão quatro veículos, fruto de uma operação de
apreensão dos bens, por terem sido importados, sem obedecer a trâmites legais exigidos pela
legislação do país. A partir das afirmativas abaixo:

I. Incidirá o ICMS, de espécie é indireta.


II. Incidirá o IPI de espécie indireta.
III. Incidirá o ISS de espécie direta.
É correto afirmar que:

a) I e II estão corretas.
b) Somente II está correta.
c) Somente III está correta.
d) Somente I está correta.
e) I, II e II estão corretas.

7. Você como pessoa física também está sujeito a tal recolhimento indireto, e talvez até com
maior carga de pagamento, pois como consumidor final, não há possibilidade de você repassar
esse “custo” adiante, como ocorre com as empresas. Diante destes fatos, podemos entender
que na tributação indireta, via de regra, paga quem consome o produto ou serviço?

8. Se na tributação indireta o contribuinte responsável não é o que paga efetivamente o


tributo, pois este ficaria a cargo do consumidor final. Entretanto, nos casos em que o
contribuinte responsável repassa um valor maior pelo tributo ao ente federado, em caso de
restituição, quem teria direito? O contribuinte responsável ou o contribuinte que efetivamente
pagou pelo tributo?

Você também pode gostar