Você está na página 1de 4

Meio: Imprensa Pág: 38

País: Portugal Cores: Cor

Period.: Quinzenal Área: 19,00 x 26,00 cm²

ID: 83850184 05-12-2019 Âmbito: Desporto e Veículos Corte: 1 de 4

Renault
Captur
1.3 TCE 130 CV MANUAL
PARA A SEGUNDA GERAÇÃO DO CAPTUR A RENAULT REVIU
A MATÉRIA E PREOCUPOU-SE EM DEBELAR ALGUMAS DAS
FRAGILIDADES DO MODELO INICIAL. MAIS CHARMOSO, COM
UMA CONDUÇÃO MAIS ENVOLVENTE, TECNOLOGICAMENTE
APRIMORADO E AINDA MAIS VERSÁTIL, O SUV DO SEGMENTO B
MAIS VENDIDO DA EUROPA SEGUE A RECEITA APLICADA AO
CLIO V PARA SE MANTER NO TOPO. PROVA SUPERADA?
/ rir, José Branco

A Renault já vendeu 1,5 milhões de unidades do Cap- mesma receita do Clio V, optando por uma evolução
tur, desde o seu lançamento em 2013. E rapidamente na continuidade. Apesar disso, foi mais ousada no
nos fez esquecer que foi o sucessor do Modus. Estes SUV do que no utilitário, tornando-o esteticamente
números valeram-lhe a liderança do mercado eu- mais robusto. No novo Captur há luzes dianteiras e
ropeu de SUV do segmento B. Agora que conta com traseiras em forma de C, uma grelha mais larga, en-
mais de 20 concorrentes, o novo Captur surge com tradas de ar maiores, tiras em LED na frente, deco-
ambições redobradas e com um posicionamento rações no pilar C e atrás um filamento cromado que
global - será lançado em 70 países e além de produ- separa o painel inferior do tejadilho, que pode ser
zido em Valladolid (Espanha), passará a ser também pintado numa cor contrastante. Na versão Initiale
feito em Wuhan (na China). A margem de melhoria Paris ganha detalhes cromados adicionais e jantes
do Captur não era muito grande, mas ao optar pela específicas de 18 polegadas. Na nova gama existem
nova plataforma CMF-B do Clio V a Renault resolveu 90 possíveis combinações de cores.
um dos principais problemas do modelo original: o Com um capot visivelmente mais alto, o novo mo-
escasso espaço interior e o comportamento pou- delo cresceu 11 cm para um total de 4,23 metros de
co entusiasmante. Desta forma, o modelo que está comprimento, 17 mm em altura e 19 mm em largu-
disponível para encomenda desde o final de novem- ra. Este crescimento geral reflete-se num reforço da
bro e cujas primeiras entregas estão previstas para habitabilidade, com mais 15 mm em espaço para
o arranque de 2020, reúne argumentos suficientes ombros nos lugares dianteiros. O novo formato dos
enfrentar a forte oposição de propostas como o Peu- bancos dianteiros, mais cavados, contribuiu para 15
geot 2008, o "irmão" Nissan Juke, o VW T-Cross, o mm para as pernas nos lugares da frente e 17 mm
divertido Citroën C3 Aircross, o Ford Puma e o hí- nos posteriores, onde agora é possível transportar
brido Toyota C-HR. dois adultos em conforto. A modularidade continua
a ser um dos atributos do modelo francês. As ver-
sões mais equipadas continuam a beneficiar do por-
REFORÇO DA QUALIDADE INTERIOR ta-luvas gaveta (solução pouco consensual), bancos
traseiros que deslizam 16 cm longitudinalmente e
Visualmente, a Renault aplicou no novo Captur a rebatem na proporção 2/3 ou 1/3. Dependendo da
Meio: Imprensa Pág: 39

País: Portugal Cores: Cor

Period.: Quinzenal Área: 19,00 x 22,42 cm²

ID: 83850184 05-12-2019 Âmbito: Desporto e Veículos Corte: 2 de 4

• ›,

O SUV URBANO FRANCÊS CRESCEU LIGEIRIMENTE,


••

MIS /CIMA PE TINO TEM UM ISPETO MAIS


ENCORPADO. POR DENTRO, DESTAQUE PIRI I
NOVA INSTRUMENTAÇÃO DIGITAI E PIB! 0 ECRÃ
DE INFOIIINMENT PE GRANDES DIMENSÓES

'

"z*Ciái&

61. X

,•°
Meio: Imprensa Pág: 40

País: Portugal Cores: Cor

Period.: Quinzenal Área: 19,00 x 24,32 cm²

ID: 83850184 05-12-2019 Âmbito: Desporto e Veículos Corte: 3 de 4

inelu•
in,1 !LM
40 E

4 -561 - HX

posição destes, a mala pode ter 422 ou 536 litros de locidades e um sistema de carregamento do smar-
capacidade. A bagageira tem um piso duplo, mas o tphone por indução. No habitáculo há 27 litros de
acesso continua a ser alto. espaço para arrumação.
A novidade mais apreciada é, por ventura, a signifi-
cativa melhoria da qualidade do interior - tal como
sucedeu no novo Clio. O painel de instrumentos tem TRANSFIGURAÇÃO NO ASFALTO
um aspeto mais moderno e a qualidade apercebida
evoluiu a olhos vistos. A parte superior do tablier é Deparando-se com um ambiente acolhedor e tecno-
coberta por material suave ao toque, com a mon- lógico, o condutor tem ainda a vantagem de bene-
tagem e a decoração a resultarem particularmente ficiar de uma posição de condução bem calibrada e
aprimorados. Na versão Initiale Paris, há revesti- com todos os comandos à mão de semear. O novo
mentos em couro pespontado que conferem um ar Captur carateriza-se por um comportamento em
premium. Os bancos extremamente confortáveis estrada bastante neutro, com movimentos de car-
(já sem forros amovíveis com fecho) parecem os de roçaria bem controlados, por via de uma suspensão
um Volvo. O painel de instrumentos digital de 10'2 orientada para o conforto; com uma frente previsí-
polegadas (o de série tem 7") muda de cor de acordo vel e uma traseira "plantada" no solo. Nos arredores
com o modo de condução selecionado (Eco, Sport e de Atenas (na Grécia), testámos as versões de quatro
MySense) e"o sistema çle infotainment Easy Con- cilindros turbo: TCe de 130 cv com caixa manual e a
nect é inspirado nos tablets, com ecrã central de 9'3 TCe de 155 cv EDC7 Initiale Paris. Apesar do seu ta-
polegadas (o de série tem 7") - orientado para o con- manho compacto e da direção leve, que facilitam a
dutor e sensível em demasia a reflexos, o novo ecrã sua utilização em cidade, os dois motores que testá-
tem boa resolução. O novo sistema revela maior flui- mos cumpriram perfeitamente em autoestrada e em
dez face ao antecessor R-Link, contudo tem menus curvas sinuosas de montanha. A melhor notícia de
ainda algo confusos e uma navegação com um fun- todas é que o Captur se tornou um modelo mais ver-
cionamento longe de ser brilhante. Ppena que os sátil, revelando capacidades estradistas surpreen-
dois ecrãs maiores estejam apenas disponíveis em dentes. Dado que não foi possível experimentar
conjunto de série na versão Initiale Paris. A consola o tricilíndrico turbo 1.0 TCe de 100 cv, que deverá
central flutuante acomoda o punho da caixa de ve- ser muito popular no mercado nacional, concen-
Meio: Imprensa Pág: 41

País: Portugal Cores: Cor

Period.: Quinzenal Área: 19,00 x 23,90 cm²

ID: 83850184 05-12-2019 Âmbito: Desporto e Veículos Corte: 4 de 4

4
FICHA TÉCNICA

MOTOR
Tipo 4 cilindros em linha, injeção direta,
MAIS BONITO, REFINADO, dianteiro, transversal, turbo e intercooler
Cilindrada 1333 cc
CONFORTÁVEL, MAIS ENVOLVENTE Potência 130 cv às 5000 rpm
Binário 240 Nm às 1600 rpm
DE CONDUZIR E MAIS MADURO O TRANSMISSÃO

NOVO CAPTOR POUCO OU NADA Caixa manual de seis velocidades


Tração dianteira

TEM A VER COM A DERACÃO CARROÇARIAICNASSIS


Monobloco em aço
ANTERIOR. A CONCORRÊNCIA JÁ DIREÇÃO

FICA AVISADA! Cremalheira com assistência elétrica


Travagem
Discos ventilados à frente 280 mm
Tambores traseiros
trámos a experiência de condução no 1.3 de 130 cv.
Este motor a gasolina desenvolvido em conjunto DIMENSÕES
com a Daimler mostrou-se muito bem insonorizado, Comprimento 4227 mm
suficientemente ágil, sem nunca proporcionar uma Largura 1797 mm
condução desportiva - perdendo apenas a compos- Altura 1576 mm
Distãncia entre eixos 2639 mm
tura apenas acima das 4000 rpm. A caixa manual de Via dianteira 1560 mm
seis velocidades é leve e tem um tato agradável. Os Via traseira 1544 mm
pontos contra são o ruído aerodinâmico excessivo Peso 1309 kg
em autoestrada e a perda de conforto em piso degra- Mala 377/455 litros
Depósito de combustível 48 litros
dado, sobretudo a baixas velocidades, com as jantes gasolina
de 18 polegadas. Entre a tecnologia, destaque para Pneus 215/65 R16
o sistema de auxílio ao estacionamento, câmara de
360 graus e çondução semi-autónoma de nível 2, por PRESTAÇÕES
via de um çruise control 4daptagvo. Relação peso/potência 10,1 kg/cv
O a 100 km/h em 10,6 segundos
No lançamento, a gama contará ainda com o Diesel Velocidade máxima 195 km/h
1.5 dCi de 95 e 116 cv. Em meados de 2020, estará
disponível o primeiro híbrido plug-in E-Tech da Re- CONSUMOS
nault, com um motor 1.6 de quatro cilindros atmos- Combinado n.d.
férico (de origem Nissan) a funcionar em conjunto Emissões n.d.

com dois motores elétricos (um de tração e outro de PREÇO


sincronização das relações) com 160 cv, bateria de n.d.
9,8 kWh de capacidade de origem LG Chem que ga-
rantem 45 km de autonomia em modo elétrico e uma
caixa de velocidades inspirada na F1, no percurso AVALIAÇÃO AUTO DRIVE pi 1:1
misto, realizámos uma média de 6,71/100 km. //