Você está na página 1de 5

EXERCÍCIOS

 DE  APLICAÇÃO  
CONTABILIDADE  DE  SEGUROS  
I

Em 02 de Fevereiro de 2006 a Seguradora Moçambicana emitiu um recibo de prémio de


uma apólice de seguro contra fogo, a cobrar directamente por via de débito directo da
conta bancário do segurado no Banco do Sul. O capital seguro é de 500.000 Meticais. Os
elementos de cálculo do recibo do prémio foram os seguintes:
− Taxa de risco 2%
− Encargos 10%
− Custo da apólice 100,00MT
− Selo da apólice 2%
− Comissão mediação 2% (sobre o prémio simples)
O recibo de prémio foi cobrado pelo mediador a 20 de Fevereiro e no dia 25 do mesmo mês
fez a entrega do valor via transigência bancária. A comissão de cobrança é de 4% sobre o
prémio simples
Pretende-se:
O cálculo do valor do recibo, contabilização do recibo e das comissões
II

Em 4 de Janeiro de 2007 a Seguradora Moçambicana, emitiu um recibo de prémio relativo a


uma apólice do ramo vida da proposto pela da Corretora Moçambicana, com indicação dos
seguintes elementos (valores em meticais):
Elementos do recibo
Prémio simples 25,000
Encargos 5,000
Prémio comercial 30,000
custo da apólice 250
Prémio bruto 30,250
Selo da apólice (2%) 605
Taxa da supervisão (0,5%) 151
Valor do recibo 31,006

A seguradora prática as seguintes taxas de comissões: mediação – 10% e cobrança – 5%.


No dia 10 de Janeiro a Correctora efectuou a cobrança do recibo e remeteu um cheque do
valor cobrado, líquido de comissões.
Em 15 de Janeiro, a seguradora emitiu um recibo de estorno a favor do tomador do seguro
por 20% do valor do recibo, excluindo o custo da apólice. O recibo estornado foi pago ao
tomador no dia 20 de Janeiro por cheque sobre o Banco Moçambicano.
Pretende-se:
a) Contabilização da emissão e cobrança do recibo;
b) Cálculo do valor do recibo de estorno e
c) Contabilização da emissão e pagamento do recibo de estorno.

III

Em 03 de Fevereiro do ano N a seguradora Emose, SA. com sede em Maputo, emitiu o


recibo n.º 300770 relativo à apólice n.º 300665 do ramo incêndio e outros da angariação do
mediador A. Manjate (agente, pessoal singular), em que o prémio total, para um capital
seguro de MZM 12.500.000, foi calculado com base nos seguintes elementos:
− taxa de risco 2‰
− Encargos 20%
− Selo de apólice 9%
− Taxa de supervisão 13%

O recibo foi cobrado pela seguradora no dia 21 do mesmo mês.

Pretende-se:

1. Calculo do valor do recibo, das comissões e dos impostos; e

2. Contabilização da emissão e cobrança do recibo, sabendo que a comissão de


mediação devida ao mediador é de 15%, paga através do cheque n.º 123456/BCI,
líquida dos impostos retidos na fonte calculado à taxa de IRPS-20% e do imposto se
selo de 2%.

IV

Em 28 de Janeiro do ano N a seguradora Afla, SA, com sede em Maputo, emitiu o recibo n.º
2050505 relativo à apólice n.º n.º 2045800 do ramo acidentes e Doenças, da angariação dos
correctores ABC, Lda, em que o prémio total, para um montante de salários seguros de
3.000.000,00MT, foi calculado em base nos seguintes elementos:
− Taxa de Risco 5‰
− Encargos 20%
− Custo da apólice 250,00MT
− Selo de apólice 5%
− Taxa de supervisão 3%

O recibo foi cobrado pelos correctores de seguros em 15 de Fevereiro seguinte, data em que
os mesmos prestaram contas à seguradora do valor cobrado, deduzido das comissões e
acrescido do imposto de selo de recibo calculado à taxa de 2%. Nesse sentido, foi junto ao
processo de prestação de contas o cheque n.º 654345 sobre o BCI.
Pedidos:

1. Cálculo do valor do recibo n.º 2050505, das comissões e do imposto;


2. Contabilização da emissão e cobrança do recibo, sabendo que as comissões
praticadas pela seguradora em Acidentes de Trabalho são as seguintes: mediação –
12,5% e cobrança 9%.

Em 3 de Fevereiro do ano N a seguradora Alfa, SA, com sede em Maputo, emitiu o recibo
n.º 4003456 relativo à apólice n.º 4002222 do ramo Automóvel, da mediação do J. Matos,
trabalhador de seguros, do qual constavam os seguintes elementos:
− Prémio simples (6%) 90.000,00MT
− Encargos 18.000,00MT
− Custo da apólice 200,00MT
− Selo de apólice 9%
− Taxa de supervisão 1%.

O recibo foi cobrado pela seguradora no dia 18 do mesmo mês, cheque 453289 sobre o BCI
e o mediador foi pago através do cheque n.º 123456 sobre o BIM – comissões calculadas
10%, após a retenção na fonte do imposto sobre o rendimento calculado à taxa de 20% e do
imposto de selo do recibo calculado à taxa de 2%.
Em Junho do mesmo ano, o tomador participou à seguradora um sinistro, no qual resultou
na perda total da viatura, tendo a segurador ficado com os salvados avaliados em 40% do
valor seguro.
O processo de sinistro viria a ser encerrado em 20 de Julho seguinte, mediante o
pagamento pela seguradora ao tomador de seguro, por cheque n.º 1000965 sobre BIM, o
valor da indemnização inicialmente prevista.
Em Outubro do mesmo ano, a seguradora vendeu os salvados com uma margem de 10%,
sujeitos a IVA à taxa normal, tendo o comprador, para o seu pagamento, entregue o cheque
n.º 567849 sobre o Barclays.
Pedido:
Contabilização dos factos.

VI
Em 4 de Janeiro do ano N a seguradora Afla, SA, com sede em Maputo, emitiu o recibo n.º
3003333 relativo à apólice n.º 3002222 do ramo de Incêndio e Outros Danos, da angariação
de B. Lopes (agente pessoa singular) com a indicação dos seguintes elementos
− Prémio simples 50.000MT
− Encargos 20%
− Custo da apólice 50,00MT
− Selo de apólice 9%
− Taxa de supervisão 13%
Sabe-se que a seguradora pratica no ramo em questão as seguintes taxas de
comissionamento: mediação – 15% e cobrança – 5%.
Posteriormente àquela data verificou-se o seguinte:
20/1 - Cobrança do recibo pelo mediador do contrato que de imediato prestou contas à
seguradora do valor recebido, liquido das comissões respectivas e acrescido da
retenção na fonte do imposto sobre rendimento à taxa de 20% e do imposto de selo
de recibo à taxa de 2%, através do cheque n.º 232321 sobre Banco Único;
10/02 – Emissão do recibo de estorno n.º 300124 a favor do tomador de seguros, por 40%
do valor do recibo 3003333 (com exclusão do custo da apólice); e
20/02 – Pagamento do recibo de estorno ao tomador do seguro pelo mediador do contrato.

Pedido:
Contabilização dos factos.

VII
Entre as seguradoras Alfa, SA, Beta, SA e Gama, SA, todas com sede em Maputo, foi
estabelecido na apólice n.º 70066 do ramo de Mercadorias Transportadas, da angariaçãoo
do mediador A. Francisco (agente, pessoa singular), um contrato em regime de co-seguro
com a seguinte repartição, em percentagem, do capital seguro:
− Alfa, SA (líder) 50%
− Beta, SA 25%
− Gama, SA 25%
Relativamente à apólice acima referida, cujo recibo vai ser cobrado pelo mediador do
contrato, verificaram-se no ano N, nas datas que se indicam, os seguintes factos:
04/01 – processamento pela líder do recibo n.º 700888 com base nos seguintes elementos
− Prémio simples 2.000.000,00
− Encargos 20%
− Custo da apólice 200,00
− Selo de apólice 9%
− Comissão de mediação 280.000,00 sendo 10% mediação e 4% cobrança
28/01 – cobrança do recibo n.º 700888 pelo mediador do contrato que de imediato prestou
contas à líder do valor recebido, líquido das comissões respectivas e acrescido do
IRPS calculado à taxa de 20% e do Imposto de Selo calculado à taxa de 2%. O
mediador juntou ao boletim de prestação de contas o cheque n.º 453278 sobre BIM;
16/02 – liquidação pela líder ás co-seguradoras dos saldos em dívida, líquidos da comissão
de co-gestão de 5% sobre o montante dos prémios processados. Neste sentido,
foram emitidos os cheques n.ºs 123456 e 123457 s/ BCI para as seguradores Beta,
SA e Gama, SA, respectivamente;
04/03 – processamento pela líder do recibo de estorno n.º 70055 por 20% do valor do recibo
n.º 700888, a pagar ao tomador de seguro C. Macamo. Foi igualmente processado
o estorno das comissões respectivas;
16/03 – pagamento ao tomador d seguro pela líder do recibo de estorno n.º 70055,
mediante a emissãoo do cheque n.º 123458 s/ BCI;
25/03 – recebimento pela líder dos saldos em dívida pelas restantes co-seguradoras e pelo
mediador de seguros tomando em consideração que nos pagamentos efectuados
pelas co-seguradoras foi corrigida a comissão de co-gestão relativa aos prémios
estornados e que no pagamento efectuado pelo mediador foi considerada a
correcção do IRPC e do Imposto de Selo.

Pedido:
Considerando que os factos ocorridos na líder foram d imediato comunicados às restantes
co-seguradoras e que entre as seguradoras e o mediador não existe qualquer ligaçãoo em
termos de participação no capital social, contabilizar os factos acima nas escritas de:
a) Alfa, SA;
b) Beta, SA; e
c) Gama,SA.