Você está na página 1de 5

Letras do Crocodilo

1- Antigamente
(luís capucho)

Antigamente,
Quando não tinha mais nada
Na noite fria e quente
Eu saía pra pedir cigarros
Andava no meio da rua sozinho e sem rumo
Você tem um cigarro pra me arrumar
Tem gente que gosta de ver símbolo nisso
O fogo realmente tem muito significado
E a fumaça que completa a gente
Com seu corpo meio transcendente
Assim fluido, aquece meu espírito fio
A nicotina o prazer
O tempo ocupado com isso passa mais lubrificado
Agarra menos, é mais solto, mais livre, mais gostoso, mais completo
O fogo realmente tem muito significado,
Dizem que a vida não é só sexo
Acho a brasa na ponta do cigarro, tudo
Vou fumando noite adentro o cigarro que você me deu.

2- Cérebro Independente
(luís capucho)

Sorte a minha que nasci


E que um dia vou morrer – bis
E olha fiz um samba pra você, samba
Um samba pra você sambar com a gente, samba
Um samba pra você, samba contente
Um samba pra você, sinceramente, sinceramente
Que não gosta de samba
Porque samba deixa o corpo livre
Samba é música de libertação
Samba junta o corpo no cérebro demais
E seu cérebro é independente
E seu cérebro é independente
E seu cérebro é independente
cérebro independente independente independente

3- Crocodilo
(luís capucho)

Sou um crocodilo na beira do Nilo


e nem respiro para te pegar,
nem abro meus olhos pra te engolir inteirinho, não sinto calor,
minha casca é grossa, mas minha alma é macia cthururu.
Aerodinâmica elaborada por milhões de anos,
estou na margem, sou sofisticado como um olho digital, faço a varredura,
voam palavras, linguas de palavras se insinuam, insetos de palavras,
serpentes de palavras rastejam,
balançam no vento as flores do campo,
caem das árvores as folhas secas,
num caos tão lindo como se estivesse mih’alma a cantar cthururu.
Estou na margem, voam palavras, linguas de fogo lambem a melodia,
arde o frio acorde do rio, porque eu
sou um crocodilo na beira do Nilo la ra ra ra ra
Um crocodilo na beira do Nilo la ra ra ra ra ra.
Um crocodilo na beira do Nilo la ra ra ra ra ra
Um crocodilo na beira do Nilo la ra ra ra ra ra.

4- Edson do Rock
(luís capucho)

Edson do rock é um morcego levado pelo vento, não tem onde se agarrar.
Ele não tem medo, inflado de prazer, não tem onde segurar.
Quando vem a noite está seguro nas correntes do vento, no céu da terra.
Na minha janela ele vem sem saber,
Onde vai me levar, o que vem me trazer,
será meu escravo, será meu dominador, será meu namorado?
Ele pode ser um cavalo,
pode se transformar num objeto, viajar no tempo.
Pode atravessar as paredes e ser um cara tão bonito, ele é tão bonito.
Será meu escravo, será meu dominador, será meu namorado?

5- Girafa
(luis capucho)

Eu não entendo as coisas extamente como elas são


Mas o meu pequeno entendimento delas
Não me impede de alguma compreensão
Eu sinto meu pensamento a se movimentar
E a me fazer sentir entre as costelas
A presença da girafa se acaso estou no zoológico
Paralizado diante dela
Mas daí a entender a girafa em toda sua plenitude de girafa vai uma distância
Bem mais do que a existente entre o meu pequeno tamanho que segura minha cabeça
em seu alto
E a altura gigantesca do pescoço da girafa com a cabeça dela lá em cima
Igual desentendimento acontece todos os dias comigo e mamãe
Sentadinhos na nossa sala
Vendo novelas, filmes, jornais
Que não entendemos tudo.
1- 6- Acalanto do amor
(luis capucho/ Douglas Oliveira)

Deixe-me jogar teu jogo


Deixe-me amar tua alma
Andarilhos pelas ruas imundas e com cheiro de vômito
Seu corpo boca nuca ventre alma
Eu preciso, necessidade vital de um espírito vulgar
Espírito vulgar
Espírito vulgar
Gosto do goso, do pelo no pelo, no malabarismo erótico
Fim de noite é o fim, eu vejo a
noite em seus olhos cansados
Rezo vinte paraísos me vem aos olhos, inferno pessoal é saudade
Tristeza nos versos tristes do Pessoa lembram-me a ti
Sensualismo na pela negra cor do cacau
Do gosto do caju, tua boca
Ode aos seus olhos castanhos e a seu cabelo encaracolado
Da mistura regionalista com o pop
Da grandeza do coco de roda às nauseas do noise
Da primeira grandeza, estranho divertido amor
Deixa eu abraçar seu corpo num fim de tarde
Olharemos a chuva o cachorro late ciumes
Momentos felizes o ceu ta laranja agradável nostalgico.

7- Quando é noite

(luís capucho)
Quando é noite e tenho de compor os meus pedaços
Como se eu fosse depois da explosão da vida, do mundo, da existência louca
É quando vem sua guitarra alheia, mas muito dentro dos mínimos requebros
Dentro do meu coração, esse meu quarto de destroços que tenho pra compor
Abarrotado pra os lados, truncado pra dentro, assoberbado pra trás
Ai, a alegria do voo dos pássaros lá fora e o brilho frio das estrelas
Quando é noite na vida da gente
E a gente vê que vai perdendo tudo
E a gente vê que não entende mais nada
A gente vai se enervando, se envergando, se envergonhando, a gente vai ficando muito
triste
É quando vem sua guitarra alheia, mas muito dentro dos mínimos requebros
Dentro do meu coração, esse meu quarto de destroços que tenho pra compor
Abarrotado pra os lados, truncado pra dentro, assoberbado pra trás
Ai, a alegria do voo dos pássaros lá fora e o brilho frio das estrelas
Quando é noite na vida da gente.

8- Triste
(luís capucho)
Você disse que eu sou triste
Tem gente que é triste mesmo, tem a natureza triste
Triste como a natureza desse dia nublado
Céu pesado sobre a cidade
O mar cinza
Dia nublado é triste
Do jeito como você disse triste pode ser que eu seja triste mesmo
Do jeito como você disse triste pode ser que eu seja foda
Foda como a natureza dese dia nublado
Céu pesado sobre a cidade o mar cinza
Dia nublado é triste.

9- Vale
(luís capucho)

Cada pessoa tem seu próprio mundo O meu no vale onde moro
Sem isso nada faz sentido, nada vale, não fosse nele que vivo
Todos os dias de manhã no meu quarto O ceu de gritos de pardais
Como o poeta disse antes algo como as estrelas gritam
O vento acenas nas folhas das árvores nos lados do morro

E eu olhando pela janela as luzes acesas do bairro


Outra pessoa em outra janela atende o celular
E eu ouço ela dizer oi meu amor
O que você está fazendo vem pra cá, pega o ônibus
Estou terminado de fazer o jantar Vem comer comigo
Aí, eu saio da janela, você sabe, sumo dentro de casa
Cada pessoa tem seu próprio mundo, o meu nesse corpo onde moro
Sem isso nada faz sentido, nada vale, não fosse nele onde vivo
Todos os dias de manhã no meu quarto O ceu de gritos de pardais
Como o poeta disse antes algo como as estrelas gritam
No céu as estrelas as estrelas
No céu as estrelas as estrelas
Tralalalala tralalalala As estrelas.

10- Virgínia e eu
(luís capucho)

Nuvem de fumaça, nuvem de fumaça saiu do meu cigarro


saiu de meu cigarro
nuvem de fumaça saiu de meu cigarro pela janela do apartamento
pela janela do apartamento tremeu no vento como num sonho
nuvem de fumaça saiu de meu cigarro pela janela do apartamento
saiu pela janela do apartamento, tremeu no vento como num sonho
O que aconteceu entre Virginia e eu?
O que aconteceu nuvem de fumaça
O que aconteceu entre Virginia e eu
Nuvem de fumaça saiu pela janela, saiu do meu cigarro pela janela do apartamento
tremeu no vento, sumiu lá fora como num sonho
nuvem de fumaça, nuvem de fumaça
O que aconteceu entre Virgínia e eu?

Você também pode gostar