Você está na página 1de 13

O PENTATEUCO

José Alves da Silva


Pastor Presidente do Campo Ministerial da Igreja Assembléia de Deus em Paranaguá há
vinte anos. Presidente da AEADEPAR – Associação Educacional das Igrejas Evangélicas
Assembléia de Deus no Estado do Paraná Membro do Conselho de Educação da
convenção Geral do Brasil – CGADB – no triênio de 2009-2012. Educador, formado em
Pedagogia e Teologia, pós-graduado em Didática do Ensino Superior e Metodologia
Cientifica.
INTRODUÇÃO

Dentro da minha participação nessa EBO estaremos estudando sobre o tema em


epígrafe “O Pentateuco”.

Esse é um assunto que envolve o estudo sistemático dos cinco primeiros livros da
Bíblia Sagrada que compreende do livro de Gênesis a Deuteronômio, portanto, os cinco
livros da Lei de Moisés.

Dentro de um curto período de tempo de ministração não seremos capazes de


estudar toda essa grandiosidade dos ensinos expostos nestes cinco livros que são de
grande importância na teologia sistemática. Porém, vamos dar alguns relampejos dentro
desse vasto conteúdo bíblico que nos ensina o início da criação de todas as coisas, como
também a trajetória do povo de Israel pelo deserto do Sinai até a entrada na terra
prometida.

O QUE É PENTATEUCO?

O vocábulo “Pentateuco” vem do grego pente, “cinco”, e teúchos, “livros, “rolo” ou


“volumes”.

Essa designação é aplicada aos cinco primeiros livros da Bíblia Sagrada. Mais
tarde os judeus designaram estes livros como “os cinco quintos da Lei”.

QUAL O PROPÓSITO DO PENTATEUCO?

O principal propósito do Pentateuco é recontar a graça de Deus ao transformar


Israel em uma nação, e ao dar a ela sua lei. Assim a obra começa com a criação do
mundo, e traça a historia da humanidade enfatizando a formação da nação teocrática, e
relatando sua entrada na Terra Prometida, “Canaa”.

O Pentateuco é a base sobre a qual as Escrituras foram construídas. Ele contém a


lei básica da teocracia, na qual os profetas baseiam suas mensagens.

O Pentateuco fala de Moisés, o grande legislador, a maior figura literária do Antigo


Testamento que foi testemunha do futuro, até mesmo do Cristo o Filho de Deus.
I - PENTATEUCO – OS CINCO LIVROS DA LEI DE MOISÉS

O Pentateuco compõe-se dos seguintes livros:

a- Gênesis.
b- Êxodo.
c- Levítico.
d- Números.
e- Deuteronômio.

Esses cinco livros narram a historia da criação de todas as coisas, como também a
criação e a trajetória da nação de Israel pelo deserto até a terra da promessa.

Esses livros são chamados de –

a- Os cinco livros da lei de Moisés – Ed 7.6.


b- A lei do Senhor – Ed 7.10.
c- Simplesmente, O livro da Lei da Moisés – Ne 8.1.
d- O livro da lei – Ne 8.3.
e- O livro da lei de Deus – Ne 8.18.
f- O livro de Moisés – Ne 13.1; Ed 6.18.
g- O livro da Lei do Senhor - II CRO 34.14.
h- O livro da lei de Moisés, servo de Deus – Dn 9.11.

AUTORIA DO PENTATEUCO

Dentro da visão literária das Escrituras Sagradas, entendemos que Moisés foi o
autor, humanamente falando, do Pentateuco; e isto, evidentemente, é sustentado pelas
ocorrências que encontramos ao longo da trajetória histórica do povo de Israel.

Entre muitas, há pelo menos seis passagens bíblicas que declaram autenticamente
que o Pentateuco foi escrito por Moisés.

1. Então disse o Senhor a Moisés: Escreve isto para memória num livro, e relata-o
aos ouvidos de Josué; que eu totalmente hei de riscar a memória da Amaleque de
debaixo dos céus. E Moisés edificou um altar, ao qual chamou: O Senhor é Minha
Bandeira. Ex 17.14,15.
2. Moisés escreveu todas as palavras do Senhor, e levantou-se pela manhã de
madrugada, e edificou um altar ao pé do monte, e doze monumentos, segundo as doze
tribos de Israel. E tomou o livro da aliança e leu aos ouvidos do povo, e eles disseram:
Tudo o que o que o Senhor tem falado faremos, e obedeceremos... Ex 24.4-8.

3. Disse mais o Senhor a Moises: Escreve estas palavras; porque conforme ao teor
destas palavras tenho feito aliança contigo e com Israel. E esteve ali com o Senhor
quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras da
aliança, os dez mandamentos. Ex 34.27,28.

4. Estas são as jornadas dos filhos de Israel, que saíram da terra do Egito,
segundo os seus exércitos, sob a direção de Moisés e Arão. E escreveu Moisés as sua
saídas, segundo as suas jornadas, conforme ao mandado do Senhor; e estas são as suas
jornadas, segundo as suas saídas. Nm 33.2,3.

5. E Moisés escreveu esta lei, e a deu aos sacerdotes, filhos de Levi, que levavam
a arca da aliança do Senhor, e a todos os anciãos da Israel. Dt 31.9,24-26.

6- O cântico de Moisés. Dt 31.9,19,22,30. 32.1-47.

Não há duvida de que o Pentateuco foi escrito por Moisés. Em Êxodo, Levítico,
Números e Deuteronômio Moisés aparece como a figura central de toda a história descrita
nesses volumes.

Há também muitas seções em que as palavras registradas nesses livros são


atribuídas diretamente a Moisés, começando com a sua primeira conversa com Deus
registrada em Ex. 2.13,14, até a sua benção final dada ao povo de Israel – Dt 33.1-29.

AFIRMAÇÕES DAS AUTORIDADES ANTIGAS QUE O PENTATEUCO FOI ESCRITO


POR MOISÉS.

As autoridades antigas tanto judias como cristãs, sempre afirmaram que o


Pentateuco foi escrito por Moisés.

- Ben-Siraque: Tudo isso é o livro da Aliança do Deus Altíssimo, a Lei que Moisés
nos deu como herança para as comunidades de Jacó. A Lei transborda de Sabedoria
como o rio Filon e como o rio Tigre no tempo dos primeiros frutos. Ec. 24.22,23.

- Flávio Josefo: Assim falou Moisés a todos os israelitas e deu-lhes um livro, no


qual estas leis estavam escritas e a maneira de viver que deveriam obedecer.
Antiguidades Judaicas Livro IV. 8.172.

- Os Pais da Igreja, tais como: Irineu, Tertuliano e outros. Todos esses são
unânimes em sua aceitação da autoria mosaica.
- Nos demais livros e passagens do Antigo Testamento, o Pentateuco é
apresentado exaustivamente como sendo uma obra escrita por Moisés.

No Novo Testamento encontramos muitas citações feitas do Pentateuco, atribuindo


sua autoria a Moisés(Mt 19.8; Mc 10.3-5; Lc 24.27.44; JO 5.46,47; 7.19; At 3.22; Ap 15.3).

SINTESE DO CONTEUDO DO PENTATEUCO

O Pentateuco precisa ser definido como um documento que empresta a Israel a


sua compreensão, e sua etiologia da vida. Ali, através de narrativas, poemas, profecia e
lei; é revelada a vontade de Deus acerca da tarefa do povo de Israel no mundo.

O Pentateuco é o começo e o alicerce de todas as revelações judaico-cristãs


subseqüentes. Procura descobrir o começo de todas as coisas, apresentando Deus como
fonte de toda vida. A partir daí, procura conferir-nos noções sobre o começo do homem, e
como o mesmo relaciona-se com Deus, ou deve relacionar-se com Ele.

O Pentateuco é um segmento importante da Palavra de Deus, fornecendo uma


base sólida em que se firma grande parte do que se segue:

A- O LIVRO DE GÊNESIS

Esse por sua vez fornece-nos o relato inspirado da criação e também acompanha a
historia do homem desde o Éden, como também grande parte da era patriarcal, até a
morte de José no Egito. Gn 50.22-26.

I - PRIMEIRA PARTE DE GÊNESIS – OS PRIMÓRDIOS – Cap 1 ao 11.

Essa primeira parte descreve quatro grandes acontecimentos na história da criação


e da humanidade:

a- A criação do Universo. Gn 1.1 – 2.25.


b- A queda da humanidade. Gn 3 ao 5.
c- O dilúvio Universal, e a condenação de todas as coisas. Gn 6 ao 10.
d- A construção da Torre de Babel e a confusão de todas as línguas. Gn 11.1-32.

II - SEGUNDA PARTE – O PATRIARCA ABRAÃO – Cap 12 ao 25.


a- O chamado de Abraão para ser abençoado e abençoador. Gn 12.1-5.
b- Abraão seguindo para Canaã passa por Siquém e Betel onde Deus lhe faz
grandiosa promessa – “Dara a terra a sua descendência”. Gn 12.6-9.
c- Abraão vai de Canaã para o Egito para fugir da fome. Gn 12.10-20.
d- Abraão volta a Betel onde outrora havia construído um altar ao Senhor. Gn
13.1-6.
e- A contenda dos pastores de Abraão com os de Ló causa separação entre os
dois amigos. Gn 13.7-18
f- Abraão enfrenta uma guerra e livra o seu sobrinho Ló que estava aprisionado
com tudo o lhe pertencia. Gn 14.1-17.
g- Abraão, o primeiro homem a participar (num ato simbólico) da Ceia do Senhor.
Gn 14.18-24.
h- Deus faz aliança com Abraão e promete dar-lhe um filho. Gn 15.1-21.
i- Abraão quer antecipar a promessa de Deus, unindo-se com Agar. Gn 16.1-16.
j- Deus faz novas promessas a Abrão e muda o seu nome para “Abraão”, muda
igualmente o nome de Sarai para “Sara” e, ordena Abraão a circuncidar-se,
juntamente com todos os do sexo masculino que estavam na sua casa. Gn
17.1-27.
k- A intercessão de Abraão pelo povo de Sodoma e Gomorra. Gn Cap. 18 a 19.
l- Abraão, perante Abimeleque, nega que Sara é sua mulher. Gn 20.1-18.
m- O nascimento de Isaque e a despedida de Agar com Ismael e, a ratificação da
aliança entre Abraão e Abimeleque. Gn 21.1-34.
n- Um pedido de Deus a Abraão e a submissão de Isaque. Gn 22.1-24.
o- A morte de Sara com 127 anos, e as lagrimas de Abraão. Gn 23.1-20.
p- Abraão cuida do amparo conjugal de seu filho Isaque. Gn 24.1-67.
q- Os anos finais da vida do patriarca Abraão, e os descendentes de Isaque. Gn
25.1-34. Abraão morre com 175 anos de idade.

III – TERCEIRA PARTE – A VIDA DE ISAQUE – Gn 25 a 28.1-22; 35.27-29.

a- Isaque, sua esposa Rebeca e os seus descendentes. Gn 25.19-34; 26.1-35.


b- Rebeca e seu filho Jacó enganam o velho patriarca Isaque. Gn 27.1-40.
c- Esaú se revolta contra Jacó e, quer matá-lo por vingança. Gn 27.41-46.
d- Jacó foge da presença do seu irmão Esaú; dorme no deserto e tem uma visão
do céu e erigiu um marco de testemunha. Gn 28.1- 22.
e- A morte de Isaque. Gn 35.27-29.

IV – QUARTA PARTE – A VIDA DE JACÓ – Gn 28.10-35; Cap 37 e 38.

a- Jacó, o viajante, e sua visão. 28.10-22.


b- O encontro de Jacó com Raquel e seu casamento. 29.1-35.
c- Jacó, um pai de família. Gn 29.32-35; 30.1-24.
d- Jacó engana seu sogro Labão. 30.25-43.
e- Jacó, por ordem divina, volta a terra dos seus pais. Gn 31.1-21.
f- Labão persegue a Jacó. Gn 31.22-55.
g- Jacó, o lutador vitorioso. Gn 32.1-32.
h- A reconciliação de Jacó com Esaú. Gn 33.1-20
i- Varias conseqüências na família de Jacó. Gn 34.1-31.
j- Jacó ergue um altar ao Senhor, nasce Benjamim e morre Raquel. Gn 35.
k- Os descendentes de Esaú. Gn.36.
l- Os pecados dos filhos de Jacó. Gn.34; 35; 37; 38.

V – QUINTA PARTE – A VIDA DE JOSÉ – Gn 37; 39-50.

a- José, filho favorito de seu pai e detestado pelos seus irmãos, por causa dos
seus sonhos. Gn 37.
b- O autocontrole de José na casa de Potifar. Gn 39.
c- José, o prisioneiro interprete. Gn 40.
d- José, o prisioneiro, do calabouço ao trono palaciano de Faraó. Gn.41.
e- José, o desprezado perdoador dos seus irmãos. Gn 42 – 48.
f- José, governador, e o encontro com o seu pai Jacó. Gn46 -47.
g- José vendo os seus filhos recebendo as bênçãos de seu pai Jacó. Gn 48.
h- A bênção de Jacó sobre José. Gn 49.
i- O pedido de Jacó, concernente ao seu sepultamento. Gn 49.28-33.
j- A lamentação dos filhos de Jacó pela sua morte e sepultamento. Gn 50.1-14.
k- A confirmação de perdão de José aos seus irmãos. Gn 50.15-21.
l- O pedido de José e a sua morte. Gn 50.22-26.

CONCLUSÃO

O livro de Gênesis tem 50 capítulos, 1533 versículos, incluindo profecias


condicionais, tipos proféticos e predições específicas; inclusive, no sacrifício que Deus
pediu a Abraão para fazer do seu filho Isaque, era uma predição do sacrifício vicário de
Cristo no Calvário.

Muitas são as maravilhosas histórias do livro de Gênesis, até porque, ele esboça o
principio de todas as coisas existentes no mundo de então.

B- O LIVRO DO ÊXODO

I – PRIMEIRA PARTE – PREÂMBULO DE ÊXODO – Cap 1.

Esta primeira parte do livro de Êxodo prepara a cena para o livramento que Deus
dá a seu povo escolhido, Israel, da escravidão do Egito.
a- Os descendentes de Jacó no Egito. Ex 1.1-7.
b- Um rei que não conheceu José afligiu o povo de Israel no Egito. Ex 1.8-14.
c- Perseguição aos recém-nascidos dos filhos dos hebreus. Ex 1.15-22.

II – SEGUNDA PARTE - O NASCIMENTO DE MOISÈS, VIDA DE MOISÉS E SUA


FUGFA PARA O DESERTO.

a- O nascimento de Moisés. Ex 2.1-10.


b- Moisés mata um egípcio e foge da presença de Faraó. Ex 2.11-22.
c- A morte do rei do Egito. Ex 2.23-25.

III – DEUS COMISSIONA MOISÉS PARA LIVRAR O POVO DE ISRAEL

DAS MÃOS DOS EGÍPCIOS. Ex 3 – 4.

a- O mistério da sarça ardente. Ex 3.1-22.


b- Deus encoraja a Moisés voltar ao Egito. 4.1-17.
c- Moisés volta ao Egito, porém, leva Arão como o seu porta-voz. Ex 4.18-31.

IV – MOISÉS COMO LIBERTADOR E LISGISLADOR DE ISRAEL – Ex 5 – 17.

a- Com a presença de Moisés e Arão no Egito, Faraó aflige ainda mais o povo de
Israel. Ex 5.
b- Deus faz promessa de livramento ao povo de Israel. Ex 6.
c- Arão como profeta de Moisés, fala Faraó., porém o seu coração é endurecido.
Ex 7.1-18.
d- Deus envia dez pragas sobre o Egito. Ex 7.19 – 12.36.
e- Deus manda Moisés instituir a primeira Páscoa. Ex 12.1-1-28.
f- O povo de Israel sai do Egito. Ex 12.37-51.
g- Os primogênitos de Israel são santificados a Deus. Ex 13.
h- Moisés lidera o povo de Deus do Egito ao Sinai. Ex 14 – 17.
i- A ruína dos Egípcios e a passagem pelo meio do mar Vermelho. Ex 14.
j- O Cântico de Moisés. Êx 15.
k- As murmurações dos israelitas; Deus manda mana, carne e água. Ex 16 – 17.
l- O conselho sábio de Jetro. ÊX 18.

V – O POVO DE ISRAEL VIAJA PARA O MONTE SINAI – Êx 18 – 31.

a- Deus fala com Moisés dando-lhe os mandamentos no Monte Sinai. Ex 19 -24.

b- Deus manda Moisés construir um Tabernáculo. Ex 25 -31.


c- O povo adora um bezerro de ouro e Moisés se ira contra o povo. Ex 32.

d- Deus recusa ir com o povo de Israel pelo caminho. Ex 33.

e- Moisés escreve novas tabuas da lei e Deus faz uma aliança com Israel. Ex 34.

f- As ofertas e a construção do tabernáculo. Ex 35 – 40.

CONCLUSÃO

O livro de Êxodo recebe o nome da palavra grega que significa “saída” ou “partida”;
no caso, a saída do povo escolhido de Deus da escravidão do Egito.

Esse livro tem 40 capítulos, 1213 versículos, narra os sofrimentos dos filhos de
Israel durante a sua esta no Egito, como também as pragas envidas por Deus sobre o
famigerado Faraó e seu povo. Mostra o grande livramento que Deus ao seu povo,
afundando nas águas do mar Velho, Faraó e o seu exército.

Vejam como os filhos de Israel chegaram ao Egito e como saíram de lá. Setenta e
seis pessoas (Gn 46.26) foram recebidas de braços abertos no Egito no tempo de José e
se havia multiplicado em mais de um milhão. Agora, escravizado por faraós que não
conheceram José (Ex 1.8), os outrora privilegiados hebreus viam-se agora sob a severa
opressão dos trabalhos forçados no Egito. Porém, Deus os tirou de lá com mão forte e
poderosa.

C- O LIVRO DE LEVÍTICO

O livro de Levítico contém 27 capítulos, 939 versículos, tem um caráter tipológico,


isto é, são exemplos ou padrões morais de pessoas ou eventos que estão inseridos no
seu conteúdo geral.

I – INSTITUIÇÕES DOS HOLOCAUSTOS, SACRIFÍCIOS E OFERTAS. Lv 1-6.

Esta parte descreve sobre os sacrifícios, holocaustos, oferta pacífica, sacrifícios


voluntários, ofertas alçadas e outros tipos de oferendas ao Senhor.

a- Holocausto, ofertas de alimentos, sacrifícios de paz, sacrifício pelos pecados


dos príncipes, sacrifícios pelos pecados ocultos e sacrifícios voluntários. Lv 1-6.
b- Lei pelo holocausto, lei da oferta de alimento, expiação, etc. Lv 6.8 – 7.38.
c- Arão e seus filhos são consagrados ao Senhor e oferecem sacrifícios por si e
pelo povo. Lv 8 – 9.
d- Sacerdotes morrem por oferecer fogo estranho no altar do Senhor. Lv 10.1-7.
e- A lei sobre a alimentação. Lv 10.8 – 11.47.
f- A purificação da mulher após o parto e, a lei acerca da lepra. Lv.12 – 14.
g- As imundícias do homem e da mulher. Lv 15.
h- A lei das ordens sacerdotais e a festa da expiação. Lv 16 -17.
i- A questão dos casamentos ilícitos e as uniões abomináveis. Lv 18.
j- Repetição de diversas leis. Lv 19 – 22.
k- As festividades do povo de Israel: A Páscoa; as Primícias, Pentecostes;
Tabernáculo e o dia da expiação. Lv 23.
l- Leis acerca das lâmpadas, pão para a mesa do Senhor, pena pelo pecado de
blasfêmia. Lv 24.
m- A lei sobre o ano sabático, o ano do jubileu. Lv 25.
n- Mandamentos, promessas para os obedientes e votos especiais. Lv 26 – 27.

CONCLUSÃO

Levítico é o terceiro livro da lei ou “Tora”. Recebe este nome pela primeira vez na
Vulgata latina do século V. Também conhecido como o livro da “Expiação”, era um manual
de sacrifícios e um livro de instruções sobre pratica de culto para os sacerdotes hebreus.
Além disso, ensinava a nação de Israel, que acabara de sair do cativeiro egípcio,
princípios de santidade espiritual, pureza física e saúde por meio da dieta.

Todos os sacrifícios e ofertas prenunciam vários aspectos do ministério de Cristo


(Hb 7 – 10). Especialmente significativas são as sete festas do Senhor vistas no capitulo
23 com se seguem:

1- Cristo nossa Páscoa.


2- Pães Ázimos – O Pão da Vida.
3- Primícias – Ressurreição de Cristo.
4- Festa das Semanas – Cinqüenta dias depois das Primícias – Pentecostes.
5- Trombetas – a reunião futura de Israel.
6- Dia da Expiação - Cristo e Israel nos últimos dias.
7- Tabernáculos – Uma celebração das celebrações de Israel. A passada e a
futura.

D- O LIVRO DE NÚMEROS

O livro de Números contém 36 capítulos, 1288 versículos, é um livro com muitas


tipologias e predições condicionadas à obediência do povo de Israel.

Este é o quarto livro da “Torá”, ou seja, da Lei, conforme o seu nome da a entender,
fala sobre os censos feitos, perto do começo e o fim da peregrinação pelo deserto.
Fornece-nos também muitos pormenores sobre a peregrinação de 40 anos pelo deserto e
inclui muitas leis englobadas na estrutura do pacto nacional de Israel.
ASPÉCTO PANORÂMICO DO LIVRO DE NÚMEROS

a- O censo das tribos. Nm 1 - 4.


b- Com relação a infidelidade e a impureza. Nm 5.
c- O nazireado. Nm 6.
d- A dedicação ao tabernáculo. 7 - 9.
e- Os Israelitas partem do Sinai. Nm 10.
f- As murmurações do povo de Israel. Nm 11.
g- Miriã e Arão murmuram contra Moisés. Nm.12.
h- Os espias que vão a Canaã. Nm 13 – 14.
i- Varias leis são repetidas. Nm 15.
j- A rebelião de Core, Data e Abirão e a vara de Arão que floresce. Nm 16 -17.
k- Os deveres e direitos dos sacerdotes. Nm 18 -19.
l- A morte de Miriã e Arão. Nm 20.
m- A destruição dos cananeus. Nm 21.
n- O profeta Balaão e Baraque. Nm 22-26.
o- A repetição de algumas leis. Nm 27 – 30.
p- Outras vitórias do povo de Israel. Nm 31.
q- As tribos de Ruben e de Gade. Nm 32.
r- As jornadas desde o Egito até Moabe; os limites territoriais. Nm 33 – 35.
s- Os casamentos das herdeiras. Nm 36.

CONCLUSÃO

O livro de Números descreve os dois recenseamentos dos Israelitas no deserto


durante a caminhada de quarenta anos. O primeiro censo contou a multidão que saíra do
Egito; o segundo, a nova geração que sepreparava para entrar na terra Prometida. De
todos os maiores de 20 anos que haviam saído do Egito, apenas dois homens, Josué e
Calebe, entraram em Canaã.

Sete exemplos distintos de murmurações aparecem nos textos desse livro, a saber:

1- Reclamações quanto ao trajeto. Nm 11.1-3.


2- Murmurações quanto a comida. Nm 11.4-6.
3- Medo dos gigantes. Nm 13.31-14.2.
4- Murmurações contra os líderes. Nm 16.3.
5- Quanto aos juízos divinos. Nm 16.41.
6- Quanto ao deserto. Nm 20.2-5.
7- Murmuração quanto ao maná. Nm 21.5.
No entanto, Deus também estava treinando a nova geração para obedecer às Suas
Leis, adorar no Tabernáculo e se preparar para a sua condição futura da nação.

E- O LIVRO DE DEUTERONÔMIO
O livro de Deuteronômio não é apenas uma segunda lei, mas uma expansão da
verdade, reexaminando o passado com um olho voltado para o futuro. O livro contém
quatro grandes sermões de Moisés, nos quais se revisa e se resume a história de Israel.
Moises prega esses sermões à medida que o povo se aproxima da entrada na Terra
Prometida.

Os últimos capítulos falam da designação de Josué como líder e da morte de


Moisés.

Deuteronômio contém 34 capítulos, 959 versículos onde ensina que as leis de


Deus são uma expressão externa do amor.

O vocábulo “Deuteronômio” vem da Vulgata Latina “deuteronomion” e quer dizer


“repetição da lei”

ASPECTO PANORÂMICO DE DEUTERONOMIO

a- Israel no Monte Sinai – Moisés prega o seu primeiro sermão. Dt 1 – 4.


b- O segundo sermão de Moisés – ele recapitula e esclarece as leis que o Senhor
havia dado aos israelitas com relação à moral. Dt 5 - 26.
c- O terceiro sermão de Moisés refere-se a ordem edificar – Israel deve construir
uma altar no monte Ebal e escrever nele as leis de Deus. Dt 27 – 28.
d- Moises prega o seu ultimo sermão aos israelitas quando eles estão prestes a
entrar na Terra Prometida. Este é um lembrete da aliança q eu o Senhor
Deus havia feito com eles. Dt 29 -30.
e- Moisés dá instruções de despedidas e se prepara para passar as
responsabilidades de liderança a Josué. Dt 31.
f- Moisés sobe no monte Nebo, vê a Terra Prometida com as sua maravilhas, e
depois morre com a idade de “cento e vinte anos”. Dt 34.

CONCLUSÃO

Este quinto e ultimo livro do Pentateuco contém muitas predições importantes. Uma
profecia muito repetida é a promessa divina de que Israel herdaria a Terra de Canaã.

Afirmações preditas sobre Cristo incluem a descrição da futura vinda de um grande


profeta semelhante a Moises – Dt 18.15-18; cf. At 3.22; 7.37 e um vislumbre da
crucificação – Dt 22.22,23; cf Gl 3.13.

O livro de Deuteronômio explica partes do pacto da lei e fornece muitos


regulamentos necessários para a nova geração de israelitas em posição nas planícies de
Moabe, pronta para invadir e ocupara a Terra Prometida.
Fonte de Pesquisa.

Bíblia Pentecostal – De. CPAD.


CHAMPLIN. Russell Norman, e J. M. Betes – Enciclopédia de Bíblia e Filosofia – v.
5 – Editora e Distribuidora Candeia – SP – 1991.
DOUGLAS. J. D. Ph.D. - Novo Dicionário da Bíblia – Edição Vida Nova – SP.
WILLMINGTON. Harold, - A Bíblia em Esboço – Editora Hagonos – SP – 2002.
WYCLIFFE. Charles F, Dicionário Bíblico – CPAD – Ed 2007 – RJ.