Você está na página 1de 12

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA – RJ

DEPARTAMENTO DE ENSINO MÉDIO E TÉCNICO


COORDENAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

Disciplina: Computação aplicada

Prof.: Emilson Damasceno de Andrade

Aluna: Renata H.

____________________________________________________________

Atividade 4 - contando para a P2


____________________________________________________________

Rio de Janeiro, 24/11/2010


Sumário

1-O que é o Linux?

2- O que são as distribuições do Linux?

3-Qual é a melhor distribuição do Linux para mim?

4- Sobre o símbolo?
1- O que é o Linux?

Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer ou sistema

operacional que utilize o núcleo Linux. Foi desenvolvido pelo finlandês Linus

Torvalds, inspirado no sistema Minix. O seu código fonte está disponível sob

licença GPL (Licença Pública Geral) para qualquer pessoa que utilizar, estudar,

modificar e distribuir de acordo com os termos da licença.

Inicialmente desenvolvido e utilizado por grupos de entusiastas

em computadores pessoais, o sistema Linux passou a ter a colaboração de

grandes empresas, como a IBM, a Sun Microsystems, a Hewlett-

Packard (HP), Red Hat, Novell, Oracle, Google e a Canonical.

Apoiado por pacotes igualmente estáveis e cada vez mais versáteis de

aplicativos para escritório ou de uso geral, por programas para micro e

pequenas empresas gratuitos mas que em nada ficam a dever aos seus

concorrentes comercializados, e interfaces gráficas cada vez mais amigáveis, o

núcleo linux, conhecido por sua estabilidade e robustez, tem gradualmente

caido no domínio popular, encontrando-se cada vez mais presente nos

computadores de uso pessoal atuais. Há muito entretanto destaca-se como o

sistema operacional preferido em servidores de grandes porte, encontrando-se

quase sempre presente nos "mainframes" de grandes empresas comerciais e

até mesmo no computador mais rápido do mundo, o Tianhe-I, chinês.


2- O que são as distribuições do Linux?

Bom, geralmente consideramos sistema operacional o conjunto

de núcleo do sistema (kernel),programas de sistema e aplicativos

em geral. O núcleo do sistema é a parte responsável pela

integração dos dispositivos de hardware do computador com os

programas. O núcleo do sistema fornece ferramentas para que

os programas de sistema possam funcionar. Programas de

sistema são todos os programas vitais para o funcionamento de

seu sistema operacional. No Linux, um interpretador de comandos

(shell) é um bom exemplo para tal.Aplicativos em geral são todos

aqueles programas que tem alguma utilidade. O Netscape Navigator

serve para visualizar páginas da Internet, por exemplo.

Uma distribuição do Linux nada mais é que o conjunto de kernel,

programas de sistema e aplicativos reunidos num único CD-ROM.

Hoje em dia temos milhares de aplicativos para a plataforma Linux,

onde cada empresa responsável por sua distribuição escolhe os

aplicativos que deverão estar incluídos em seu CD-ROM.

As únicas partes comuns entre as inúmeras distribuições de

Linux do mercado são o kernel e os programas de sistema, que são

as partes mais complexas do Linux e da engenharia de softwares.

Atualmente Linux Towards,criador do Linux, lidera uma equipe que


desenvolve o kernel do Linux e o disponibiliza para download em

seu site na Internet (http://www.linux.org)

Usualmente uma distribuição de Linux específica não satisfaz as

necessidades de usuários experts no sistema,que acabam

recorrendo à Internet para completar sua distribuição atual com

programas adicionais. A facilidade de se obter programas gratuitos

para Linux na Internet é um dos fatores que mais cativam a legião

de fãs deste sistema ao redor do mundo.

Atualmente temos duas empresas distribuidoras de Linux

despontando no mercado. Dentre os linuxers norte-americanos, a

empresa Red Hat surgiu como a dona da distribuição mais atraente

do mercado. Na Europa, a SUSE (Alemanha) tem sido a dona do

pedaço. No Brasil o Linux ainda se encontra em fase de

popularização e a empresa responsável pelo Linux Tupiniquim é

a Conectiva (Curitiba). Outras distribuições muito populares

são: Slackware, Debian, Mandrake e Caldera. Recentemente a Corel

lançou sua própria distribuição e a batizou de Corel Linux.

Vale lembrar que o Linux e seus aplicativos são em sua grande

maioria gratuitos e as empresas distribuidoras do sistema não

podem cobrar pelos softwares contidos em seu CD-ROM. Sendo

assim, as empresas incluem livros, guias de instalação e CDs

adicionais em seus pacotes para poderem aumentar sua


lucratividade. Hoje em dia paga-se uma distribuição de Linux, 100

Reais por uma caixa com 3 CDs, 1 livro, 1 guia de desinstalação e

30 dias de suporte técnico gratuito via Internet. Se fossemos

comprar o Windows 98, por exemplo, pagaríamos cerca de 300

Reais por 1 CD e a garantia de muitos momentos de tristeza em

frente ao microcomputador.

3-Qual é a melhor distribuição do Linux

para mim?

O grande problema de existir uma enorme variedade de distribuições Linux é

que um usuário iniciante pode ter dificuldades para decidir qual distribuição

usar. Usuários nessa situação procuram auxílio em listas de discussão, fóruns

e sites especializados em Linux pedindo uma indicação. Após analisar as

sugestões feitas, não é raro escolherem uma determinada distribuição e

ficarem desapontados com ela por alguma razão.

A melhor resposta para o título deste tópico é "a distribuição pela qual você

tiver maior afinidade". Esse tipo de resposta sugere ao usuário experimentar

várias distribuições para escolher a que mais lhe agrada. O problema é que tal

procedimento é, na maioria dos casos, inviável, pois o usuário pode ter muito

trabalho testando as distribuições e pode ter dificuldades técnicas

no computador com a instalação e desinstalação de distribuições Linux.


A questão-chave disso tudo é que a escolha de uma distribuição Linux é um

aspecto de cunho pessoal. Em outras palavras, "o que é melhor para mim,

pode não ser melhor para você e vice-versa". Sendo assim, a melhor maneira

de tratar deste assunto é com sugestões.

Se você é um usuário que nunca trabalhou com Linux, a primeira coisa que

deve fazer é se informar sobre o assunto e conhecer um pouco dos conceitos

do Linux. Do contrário, você até poderá fazer uma instalação bem-sucedida,

mas pode ficar "perdido" quando o sistema carregar em seu computador e uma

tela de login aparecer. Um dos melhores documentos em português sobre

Linux é o Guia Foca GNU/Linux, disponível em http://focalinux.cipsga.org.br.

Após ter algum conhecimento teórico sobre Linux, a dica é usar uma

distribuição popular e reconhecidamente tida como "de fácil manipulação"

(considere o fato de que facilidade é um aspecto relativo, isto é, um aspecto

que varia de pessoa para pessoa). As mais freqüentemente indicadas para isso

são as distribuições Fedora, Mandriva, SUSE e Ubuntu. Existem muitas outras,

mas estas são as mais utlizadas, segundo um levantamento feito com um

grupo de usuários do InfoWester.

Como você provavelmente não vai querer instalar cada uma para saber qual a

melhor para suas necessidades, a etapa seguinte é pesquisar sobre as

características de cada distribuição. Para isso, você pode visitar os sites oficiais

das distribuições e procurar por análises destas. Neste ponto, você também

pode pesquisar em listas de discussão e fóruns sobre Linux, mas é

recomendável pedir relatos de usuários que já tenham usado a distribuição em


questão. Perguntas assim têm mais chances de melhores respostas do que

você simplesmente perguntar "qual a melhor distribuição para mim?".

Experimente, mas não instale

Já existe há algum tempo a possibilidade de usar determinadas

distribuições Linux sem ter de instalá-las no computador. Trata-se de um

tipo de distribuição que roda diretamente de um CD (também conhecido

como Live CD, ou quando disponível em DVD, conhecido como Live DVD),

sem necessidade de instalação. Para isso, basta que o computador do

usuário esteja configurado para aceitar boot pelo drive de CD e inserir o

disco assim que ligar a máquina. O sistema será carregado como se

estivesse instalado no computador. Todos os dados gravados no HD do

computador ficam preservados. Esse tipo de distribuição é ideal para

iniciantes experimentarem as variadas versões de Linux disponíveis por

esse meio ou para quem deseja utilizar alguma funcionalidade em um

computador que não tem Linux instalado.

Muitas pessoas iniciaram sua "vida com o Linux" desta forma, pois ao

experimentar o Linux diretamente de um CD, o fizeram contando com a

segurança de que se algo não agradar, pelo menos não haverá riscos de

danos ou mudanças severas no computador. Algumas pessoas inclusive

carregam CDs desse tipo em bolsas e pastas para mostrar as

funcionalidades do Linux para amigos e colegas.

As distribuições que rodam diretamente do CD possuem pacotes de

software básicos ou específicos para determinadas aplicações. As que são

voltadas ao usuário doméstico, por exemplo, têm alguns aplicativos para o


uso cotidiano. As que são voltadas para rede de computadores, possuem

ferramentas de testes e de análises de conexões, além de programas

usados para manter tais redes funcionando, e assim por diante.

Uma das distribuições que rodam diretamente do CD mais conhecidas no

mundo é oUbuntu, da empresa sul-africana Canonical. A proposta dessa

distribuição é muito simples: o usuário pode testar o CD do Ubuntu em sua

máquina e, se gostar, basta clicar em um ícone geralmente localizado na

área de trabalho que inicia o processo de instalação do sistema operacional

no computador, tudo de maneira descomplicada. O Ubuntu conta com um

time de desenvolvedores tão dedicado que, em pouco tempo, se tornou

uma das distribuições mais usadas no mundo, agradando tanto usuários

iniciantes, como usuários mais experientes. Para quem está começando

com o Linux, é uma opção a se considerar.

Mas há várias outras distribuições Live CD disponíveis, entre

elas: Slax (baseada no Slackware), uma versão baseada no Fedora e a

brasileira GoblinX (também baseada no Slackware).


4- Sobre o símbolo?

O símbolo do software foi escolhido pelo seu criador, que uma dia estava no

zoológico e foi surpreendido pela mordida de um pinguim.Fato curioso e

discutido até hoje.

Em 1996, muitos integrantes da lista de discussão "Linux-Kernel" estavam

discutindo sobre a criação de um logotipo ou de um mascote que

representasse o Linux. Muitas das sugestões eram paródias ao logotipo de um

sistema operacional concorrente e muito conhecido. Outros eram monstros ou

animais agressivos. Linus Torvalds acabou entrando nesse debate ao afirmar

em uma mensagem que gostava muito de pingüins. Isso foi o suficiente para

dar fim à discussão.

Depois disso, várias tentativas foram feitas numa espécie de concurso para

que a imagem de um pingüim servisse aos propósitos do Linux, até que alguém

sugeriu a figura de um "pingüim sustentando o mundo". Em resposta, Linus

Torvalds declarou que achava interessante que esse pingüim tivesse uma
imagem simples: um pingüim "gordinho" e

com expressão de satisfeito, como se

tivesse acabado de comer uma porção de

peixes. Torvalds também não achava

atraente a idéia de algo agressivo, mas

sim a idéia de um pingüim simpático, do

tipo em que as crianças perguntam

"mamãe, posso ter um desses também?". Ainda, Torvalds também frisou que

trabalhando dessa forma, as pessoas poderiam criar várias modificações desse

pingüim. Isso realmente acontece. Quando questionado sobre o porquê de

pingüins, Linus Torvalds respondeu que não havia uma razão em especial, mas

os achava engraçados e até citou que foi bicado por um "pingüim assassino"

na Austrália e ficou impressionado como a bicada de um animal aparentemente

tão inofensivo podia ser tão dolorosa.


Bibliografia:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/O-que-sao-distribuicoes/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux

http://www.infowester.com/linuxpramim.php