Você está na página 1de 4

ESTUDO DE CASO

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Caso preparado pelos alunos do PPGCC-FEA-USP: Adriano Candido, Gabriel


Bomfim, Mariana F.S. A Fregonesi

Histórico
A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa
pública brasileira fundada em 1861. A missão, na época, era conceder empréstimos e
incentivar a poupança popular. Atualmente a empresa atua como auxiliar da execução
da política de crédito do Governo Federal, assumindo atribuições como a gestão do
FGTS, das loterias federais, do Programa de Integração Social (PIS), do Crédito
Educativo, que levaram-na a atuar como banco tri-funcional, sendo banco comercial,
banco de transferência de benefícios e banco de desenvolvimento e governo, que visa ao
fortalecimento institucional do município.
Sua missão institucional, hoje é declarada como :
“promover a melhoria contínua da qualidade de vida da sociedade, intermediando
recursos e negócios financeiros de qualquer natureza, atuando, prioritariamente, no
fomento ao desenvolvimento urbano e nos segmentos de habitação, saneamento e infra-
estrutura, e na administração de fundos, programas e serviços de caráter social, tendo
como valores fundamentais:
• Direcionamento de ações para o atendimento das expectativas da sociedade e dos
clientes;
• Busca permanente de excelência na qualidade de serviços;
• Equilíbrio financeiro em todos os negócios;
• Conduta ética pautada exclusivamente nos valores da sociedade;
• Respeito e valorização do ser humano”.
A missão inicial se diferencia da atual pela preocupação, agora existente, com
uma maior transparência através da prática da governança corporativa. Isto se deve a
uma maior interação da empresa com o ambiente externo, representado pela sociedade
como um todo (concorrentes, governo, clientes etc), e sua responsabilidade social
perante os mesmos.
São 1.950 agências, mais casas lotéricas e correspondentes bancários. Só em seu
quadro próprio, a CEF conta com cerca de 55.000 empregados, além de estagiários e
prestadores de serviços.

Estrutura Organizacional
A estrutura organizacional da CAIXA divide-se em três instâncias: o Conselho
de Administração, o Conselho Diretor e a Diretoria Executiva.
A administração da instituição compete à Diretoria Executiva. Ela pode ter entre
dez e trinta membros, sendo o presidente e os vice-presidentes nomeados e demissíveis
pelo Presidente da República. Uma das vice-presidências, atualmente, supervisiona
exclusivamente as funções de controle - a Vice-Presidência de Controladoria (VICOT) e
está organizada de modo a suportar da melhor forma os processos e estratégias da
instituição, incluindo presteza na resposta às necessidades de informações para a tomada
de decisão, eliminação de trabalho e redução de custos e clareza nos relacionamentos
internos.
2

A Controladoria
Em 1997, durante um processo de reestruturação organizacional, a Controladoria
foi criada como área de responsabilidade da empresa, objetivando contribuir para o
cumprimento da missão e para a continuidade da instituição, formalizando a
preocupação de gerar informações relevantes para subsidiar a tomada de decisão.
A implantação da Controladoria foi orientada pela filosofia da gestão econômica
(GECON), inclusive no que se refere à missão e ao papel desta função. O quadro abaixo
(fornecido pela própria empresa) mostra a evolução da preocupação com o controle da
empresa.

Controle de Gestão
Controles Internos
FUNÇÃO
Orçamento Legal

Retaguarda de
Contabilidade

Contabilidade

Contabilidade
Societária

MARCO
Tributária

Gerencial

Agências
CONTROLE

1º Nível
Estatu
Segre
gada

tária
Até 1987 X X

Até 1996 X X X X

Até 2002 X X X X X X X X X

De 1997 até os dias atuais, algumas mudanças ocorreram no que se refere,


principalmente, à missão e às funções da Controladoria na CAIXA. A filosofia de
atuação da empresa teve uma expansão no âmbito da sua missão e, por isso, seus
objetivos, ou seja, a forma de buscar o cumprimento da missão da área, apresentou
aspectos adicionais. O quadro abaixo compara os objetivos da Controladoria na época
da implementação da área com os objetivos atuais da mesma.
3

Na implantação Atualmente
1. Propiciar aos gestores condições para o 1. Propiciar condições para o
acompanhamento e controle dos acompanhamento e controle da gestão;
resultados dos negócios;
2. Subsidiar o processo de planejamento;
2. Subsidiar o processo de planejamento;
3. Induzir os gestores das unidades ao
3. Induzir os gestores das unidades à atingimento dos resultados planejados;
otimização dos resultados;
4. Assegurar que os sistemas de apoio à
4. Assegurar que os sistemas de apoio à decisão gerem informações adequadas
decisão gerem informações adequadas aos usuários;
aos usuários; e 5. Assegurar a padronização e a
homogeneização de conceitos,
5. Assegurar a padronização e a instrumentos, controles e informações
homogeneização de instrumentos e na organização;
informações em todos os âmbitos e
níveis de avaliação da organização 6. Assegurar o cumprimento de políticas,
Caixa Econômica Federal. exigências legais e regulamentares;

7. Assegurar transparência da gestão


perante a sociedade;

8. Assegurar ambiente de controle interno

Esses objetivos adicionais buscam justamente assegurar o cumprimento da sua


missão que visa uma maior transparência através das técnicas de governança
corporativa. Para isto, os objetivos da Caixa, como observado nos itens 6, 7 e 8 almejam
um maior controle interno, cumprindo as exigências legais e propiciando uma maior
transparência aos órgãos da sociedade que com ela interagem de alguma forma.
Da mesma forma, quanto às funções da Caixa, pode-se traçar um paralelo,
conforme o quadro abaixo:

Na implantação Atualmente
1. Elaboração e controle orçamentário; 1. Programação e controle orçamentário

2. Mensuração / avaliação de custos; 2. Fornecimento de informações


executivas e gerenciais
3. Avaliação de resultados econômicos de
serviços e produtos; 3. Apuração e avaliação de custos,
receitas e resultados
4. Avaliação de desempenhos das áreas e
segmentos de negócios; 4. Mensuração e avaliação de resultados
econômicos
5. Padronização / racionalização de
4

informações gerenciais; e 5. Avaliação de desempenhos

6. Contabilidade da CEF, de Fundos e 6. Padronização e racionalização de


Programas. informações e controles

7. Elaboração da contabilidade fiscal e


societária

8. Monitoração da conformidade

9. Gestão do Sistema de Controle Interno

10. Execução dos serviços de retaguarda


de agências

Além das novas funções, que visam alcançar os objetivos de maior controle
interno e atendimento às normas, visando maior transparência, percebe-se que algumas
funções tiveram seus conceitos modificados, como o foco em avaliação de custos que
agora se transformou em resultado.

QUESTÃO PARA DISCUSSÃO:

Efetue uma comparação entre os objetivos e as funções da área de Controladoria no seu


início e mais recentemente.