Você está na página 1de 16

Os.

O LIVRO DA MAGIA DE SALOMÃO

Carroll “Poke” Runyon

Tradução: Eyes of Eagle (tornando livre o conhecimento)

Sobre o autor: Carroll Poke Runyon descreve a si mesmo como um Cavalheiro da Velha
Escola o que ele define como “alguém que recita poesia para beldades desalmadas
enquanto luta com crocodilos”. Ele tem dado vida a sua filosofia Neo-Romântica como
Capitão dos Boinas Verdes, um estudante de Ninjutsu, um marinheiro de alto-mar,
mergulhador, um novelista internacionalmente publicado e autor de histórias de
aventura da legendária revista ARGOSY. Por mais de trinta anos ele tem sido uma figura
de destaque no reflorescimento da magia cerimonial como a contraparte da civilização
ocidental ao misticismo oriental e ao xamanismo americano.

Sua experiência no estudo e prática do oculto é vasta: em 1970 ele se tornou fundador-
magister da Ordo Templi Astartes, que é a mais antiga loja norte-americana de magia
ritual a operar continuamente. Em 1980 Runyon recebeu o grau de Mestre em
Antropologia Cultural pela Universidade do Estado da Califórnia em Northridge,
especializando-se em magia. Após graduar-se ele recebeu todos os graus da Maçonaria
Livre dos Ritos Escocês e de York.

Ele dedicou-se a uma intensa série de iniciações tântricas e sessões de treinamento sob a
direção de Sua Eminência Luding Khen Rinpoche da Ordem Sakya, dominando o
sistema Vajra Yogini. Posteriormente, Runyon recebeu a iniciação Kalachakra de Sua
Santidade o Dalai Lama.

Seus artigos sobre magia e a tradição ocidental apareceram na revista Gnostica e no


jornal de sua Igreja, o The Seventh Ray. A contribuição mais notável de Runyon para o
reflorescimento do oculto após a Segunda Guerra Mundial foi o descobrimento e
subseqüente desenvolvimento do método de vidência no espelho negro com
reflexão/distorção facial para evocação mágica. Em 1974, ele apareceu como um
convidado no show de televisão de Tom Snyder, narrando uma filmagem de operações
mágicas da OTA. Através de sua Igreja (The Church of the Hermetic Sciences, Inc.),
Runyon escreveu, produziu e narrou um vídeo intitulado The Magick of Solomon que
demonstra dramaticamente o sistema único e poderoso de desenvolvimento espiritual
descrito em O Livro da Magia de Salomão. Mais recentemente ele produziu um
documentário em vídeo de uma operação goética real, Dark Mirror of Magick, com
notáveis resultados proféticos em nossa época problemática.
O Livro
da
Magia de Salomão
Como Invocar Anjos dentro do Cristal e Evocar
Espíritos em Aparência Visível no Espelho Negro

Carroll “Poke” Runyon, MA


Tradução de Eyes of Eagle
Declaração Oficial

No ano de 1969 eu passei por uma experiência próxima da morte que me levou a um
estado alterado de consciência durante o qual eu redescobri um segredo guardado da
Magia Ritual Ocidental. Eu aprendi como convocar os setenta e dois espíritos do lendário
Vaso de Cobre do Rei Salomão à aparência visível no Espelho Negro dentro do Triângulo
da Arte. Este livro, e nosso vídeo associado, THE MAGICK OF SOLOMON, demonstra e
ensina adequadamente este método secreto pela primeira vez.

Inspirado por esse método GOÉTICO de prática, eu fui capaz de restabelecer a técnica de
Invocação Angélica no Cristal do antigo livro ALMADEL. Eu então fui conduzido a
retificar esse subsistema essencial do LEMEGETON com seus setenta e dois Anjos do
SHEMHAMEPHORASH e ligá-los às suas setenta e duas contrapartes demoníacas na
GOETIA. Isto produziu um esquema de prática espiritualmente equilibrado,
teoricamente elegante e astrologicamente coordenado que é compatível com as
modernas teorias da psicologia junguiana.

Estudantes que se esforçaram por anos para visualizar estas entidades e encontrar
sentido nas instruções confusas e até mesmo contraditórias do LEMEGETON deleitar-se-
ão em descobrir os métodos operativos que realmente funcionam dentro de uma
estrutura que rivaliza com os impecáveis modelos celestiais do mago da Renascença.
Recém-chegados, iniciando a partir do nosso sistema, podem muito bem querer saber: o
que é que havia de tão complicado com isso em primeiro lugar?

Se tal acontecer, então eu terei tido sucesso em minha tarefa...

Que assim seja!

Magister Thabion
Não foi Salomão chamado de sábio e mesmo Rei Mago?
Que confinou setenta e dois espíritos rebeldes
No Vaso de Bronze, metal da Esfera Mercurial
Com o domínio do Escudo Brônzeo e da Espada de Ferro —
Não foi ele quem os chamou a aparecer no Triângulo da Arte?
Guiado pelo primeiro deles, Senhor que Cavalga as Nuvens,
Onde depois Salomão construiu um Templo para A Consorte de Baal,
A Formosa Astarte...

do Culto do Sangreal por Thabion

Introdução:

Este é um manual teórico e prático de Magia Ritual diferente de qualquer outro que você
já leu. A magia que este livro ensina foi reconstruída e retificada a partir de fontes antigas
e autênticas, reinterpretada em termos psicológicos modernos e trazida à vida por
poderosas técnicas hipnóticas. Este sistema foi desenvolvido por e para pessoas
imaginativas que não são psíquicos naturais. Eu escrevi O Livro da Magia de Salomão
para aqueles indivíduos especiais na ampla Comunidade Neo-Romântica que buscam a
suprema aventura espiritual-intelectual. Se você já aspirou a ser um mago ou uma
feiticeira na antiqüíssima tradição da Renascença/medieval, mas foi dissuadido pelo
bricabraque do “Ocultismo Vitoriano” enquanto se sentia desiludido pelas alternativas
Neo-Pagã e New Age, então este livro é para você1.

Este livro — e nosso vídeo associado, The Magick of Solomon — lhe mostrará como
invocar os Sagrados Anjos e então convocar em aparência visível antigas Deusas, Deuses
e Anjos Caídos e até mesmo demônios infernais. Você estará em comunicação direta com
esses poderosos seres. Os métodos que eu lhe ensinarei são absolutamente autênticos e
notavelmente efetivos.

Antes de nos aprofundarmos mais eu gostaria de deixar duas coisas bem claro:
primeiramente, eu não vou insultar sua inteligência fornecendo um livro super
simplificado de “receitas” repleto com nada a não ser exercícios de treinamento, técnicas
de vidência e rituais requentados copiados de fontes do século XIX. Certamente que os
exercícios de treinamento para nossos métodos especiais de invocação e evocação, os
rituais, a informação prática e as referências que precisar estão todos aqui — mas eu
também estou lhe oferecendo a história, a filosofia e a teoria por trás deste poderoso
sistema.

Há algumas formas de xamanismo onde é permitido ao praticante ser, ou até mesmo


espera-se que seja, iliterato. Nossa tradição é exatamente o oposto. Espera-se que um
mago ocidental ou, se o termo parece muito masculino para as leitoras, feiticeira seja

1
Eu estou bastante consciente do tremendo débito devido ao Dr. W. Wynn Westcot, MacGregor
Mathers e seus compatriotas. Eles nos deram a mais completa e útil síntese da tradição esotérica
ocidental desde Heinrich Cornelius Agrippa em 1531 c. e. É seguro dizer que não haveria um
renascimento da Magia Ocidental sem seus esforços e virtualmente todos os magos atuais,
incluindo este autor, usam suas correspondências. Eles são, entretanto, restritos pelo pensamento
de sua época e a ausência de técnicas práticas que não poderiam emergir do Oriente, e que
ressurgiriam a partir de nossa própria tradição no século 20. Praticantes modernos da Golden
Dawn estão revitalizando sua tradição com métodos muito similares aos descritos neste livro. Eu
gostaria de lembrar que nossas descobertas na OTA tiveram alguma contribuição a esse respeito.
uma pessoa de conhecimento (para parafrasear Carlos Castañeda), ao menos em seu
próprio campo. Lembre-se que nosso avatar mitológico, Rei Salomão, era famoso por sua
sabedoria.

Com isso em mente eu sinceramente espero que considere o material que eu apresento
sobre as teorias de Carl Jung, filosofia hermética, Kabbalah, hipnose e ioga muito
condensado e obviamente introdutório. Espera-se que você consulte os trabalhos que eu
recomendo no guia de estudo. Não deixe ninguém dizer-lhe que não precisa desse
conhecimento para ser um mago ocidental. Você precisa!

Você também pode me contatar diretamente. De fato, se vai seguir seriamente neste
sistema, eu decididamente gostaria de ouvi-lo.

Agora que estamos esclarecidos a este respeito, há mais uma coisa que eu gostaria de
avisar antes que você comece. Se completar esse programa com êxito você não será a
mesma pessoa que era quando começou. Uma vez que tenha experimentado estas
maravilhas você até pode voltar para a mediocridade da vida diária, mas sua mente e sua
alma caminharão em domínios distantes. Você será transformado eternamente numa das
Pessoas que Enxergam Longe2. Você jamais será capaz de compartilhar o que sabe com
aqueles que ama e até mesmo não desejará fazê-lo. Magia de Salomão abre uma porta
para os golfos estrelados da eternidade. Uma vez que tenha passado através desta porta,
e ela se feche atrás de você, não há volta. Nós podemos dizer que a pessoa comum
conhece somente o pequeno tempo que vai do nascimento até a morte, enquanto o
Magus compreende que sua vida acrescenta mais um crânio ao colar que no final deverá
ser mais estimado do que um joalheiro estimaria um fio de pérolas.

Há pouquíssimas pessoas que estariam dispostas a pagar o preço que eu paguei para
aprender estes métodos antigos, secretos. Em 1969 eu quase perdi minha vida e minha
sanidade descobrindo e aperfeiçoando essas técnicas. Eu sou um dos raros magos
praticantes e educadores no mundo ocidental. Certamente que em nossa seleta
fraternidade há aqueles que são mais eruditos do que eu, mais qualificados em estudos
cabalísticos, astrológicos e alquímicos — mas o poder para convocar os espíritos em
aparência visível é a marca do Taumaturgo. Esta é a porção da Arte Sagrada que a Divina
Providência me designou expor e nenhum outro pode lhe ensinar mais sobre esse
aspecto da Magia de Salomão do que eu posso.

Em anos recentes esta missão adquiriu uma urgência especial porque o antigo segredo da
conjuração em aparência visível da Goetia que eu redescobri em 1969 (o fenômeno da
distorção do reflexo facial no Espelho Negro) foi desde então pirateado, demasiadamente
simplificado, produzido em massa e finalmente popularizado ao nível de uma sessão de
tabuleiro OuiJa®. Tal como com o tabuleiro OuiJa (que também foi baseado na
redescoberta de um antigo segredo mágico), a comercialização pode induzir mal uso
frívolo. Sem o treino apropriado e um conhecimento do que você está fazendo, o uso da
poderosa técnica de distorção do reflexo facial no Espelho Negro para convocar espíritos
pode parecer tão extravagante quanto os tabuleiros falantes do Senhor Fuld. Ouija foi
chamado de “O Jogo Mais Perigoso”, mas isto deve ser corrigido; confrontar os perigos

2
No Capítulo IX de seu recente livro Angel Magic (Llewellyn, 1995) meu amigo e colega Geofrey
James, apresenta um relato um tanto ficcional de uma operação mágica da OTA em nosso Templo
Montsalvat. Ele descreve seu anfitrião (nosso autor) como “Angel Magus” que era “... amigável
mas reservado, com um certo distanciamento em seus olhos que pareciam dizer, eu vi coisas
estranhas...”
do Tabuleiro Falante com aqueles do Espelho Negro é como comparar uma viagem ao
zoológico a um safári na África — ou bombinhas com dinamite.

Além dos óbvios perigos psicológicos da popularização da Goetia, há um perigo


espiritual mais profundo que os marqueteiros negligenciaram. É certo que nem todos os
espíritos são maus — alguns são até bons em sua natureza — mas há certo número deles
que se qualificam como demônios inclinados ao inferno e um deles é considerado o Diabo
em Pessoa.

Na Idade Média e na Renascença os magos nunca usavam a Goetia sem poderosíssimas


defesas. Eles dependiam de sua fé em Deus e Seus Santos Nomes para protegê-los
quando comerciavam com os espíritos rebeldes. Hoje nós não temos aquela reserva vital
de fé igual à deles, então precisamos restabelecer nossa ligação com o divino e
recapacitar nossos Guardiões Espirituais a fim de nos provermos de um sistema mágico
equilibrado. É por isso que o Almadel Angélico deve ser trabalhado em associação direta
com a Goetia. Por essa razão eu fui tão consideravelmente longe para retificar e unificar
esses dois sistemas complementares do Lemegeton.

Quando você combina o segredo do Espelho Negro com A Arte Perdida da Invocação
Angélica dentro do Cristal de Vidência, você fortaleceu a Magia de Salomão para cumprir
na totalidade sua antiga promessa.

Mesmo que já esteja imerso no folclore do ocultismo ocidental e ainda assim não atingiu
seu objetivo de tornar-se um mago ou feiticeira (porque você não nasceu clarividente),
este é o livro que fará tais sonhos serem realidade. Certamente que terá que trabalhar e
estudar, mas se esse é o caminho certo para você, o trabalho será recompensador e o
estudo será alimento para sua mente e sua alma.

Eu lhe asseguro que não há drogas, regimes de jejum drástico ou práticas de ioga
perigosas envolvidas neste sistema. Com tanto que tenha boa saúde física e mental, no
mínimo dezoito anos de idade, e seja capaz de entender os conceitos e instruções, não
tem nada a temer a respeito deste programa a não ser a profunda transformação sobre a
qual já foi alertado.

Você precisará dominar a auto-hipnose e desenvolver a habilidade da concentração fixa


(o ioga do tratakam). Uma vez que tenha treinado a si mesmo adequadamente, será
capaz de efetuar uma dessas Grandes Operações da Magia de Salomão em menos de uma
hora sozinho ou com amigos que se submeteram ao mesmo treinamento. Você será
capaz de instruir outros e começar sua própria Loja de Magos — ou permanecer um
solitário mestre ou mestra desta antiga arte. Pode até mesmo querer se afiliar aos nossos
irmãos e irmãs da Ordo Templi Astartes — a mais antiga loja norte-americana de magia
ritual a operar continuamente — e aprender o que está além da Arte dos Reis de
Salomão. A escolha é inteiramente sua porque eu forneci neste livro e em nosso vídeo-
documentário tudo que você precisa para iniciar.

Mas antes de começarmos, deixemos claro que concordamos sobre o que Alta Magia (ou
Arte Mágica, para usar o termo de Theon) realmente é e que tipo de pessoa magos e
feiticeiras são — ou deveriam ser. Isto é muito importante. Primeiro determinemos o que
Magia não é (ou não deveria ser):

Alta Magia não garante (ou não deveria garantir) o poder de dominar e/ou explorar os
outros. Apesar de seu glamour de Mil e Uma Noites não podemos afirmar que ajudará
você a vencer loterias, jogos de azar ou fazer dinheiro no mercado de commodities.
Magia não deveria ser considera como uma tecnologia de botão de apertar que direciona
energias impessoais, nem deveria ser usada como um sistema de aumento de poder para
ajudar alguém a subir a escada da corporação ou fascinar o sexo oposto. Buscada
conscientemente, a Arte poderá na realidade ter o efeito oposto ao conduzi-lo para o que
realmente necessita ao invés do que você imagina que quer.

Então o que é Magia de Salomão?

A maga Dion Fortune nos deu uma definição de magia como “A arte de causar mudanças
na consciência de acordo com a vontade.” Isto pressupõe que você saiba o significado do
termo “arte” — porque Alta Magia foi, é e sempre será uma Arte!

Magia é uma forma de arte. Se precisarmos ser mais técnicos a respeito disto nós
poderíamos chamá-la de uma arte composta similar à grande ópera. Considere os
elementos artísticos em uma operação mágica: temos o cenário; nosso templo (ou nosso
círculo de pedras ao ar livre). Temos os trajes: nossos mantos, lámens etc. Há os
adereços: o círculo, altar, bola de cristal, triângulo, espelho negro, espadas, varas e
pentáculos. Criamos uma atmosfera teatral; luz de velas tremula através de anéis de
incenso exótico, um gongo repercute, sinos tocam, tambores batem enquanto a lenta
dança de sonho ao redor do círculo é acompanhada por um canto sussurrante... seguida
por conjurações em estilo shakespeariano pronunciadas em tons hipnóticos.

Claro que Magia de Salomão é mais do que bom teatro — mas bom teatro é seu ponto de
partida. Ela usa aquele desinteresse deslumbrado que você experimenta numa produção
teatral bem encenada ou num serviço religioso impressivo como uma passagem para
dentro de um estado alterado de consciência no qual sua mente vígil e sua mente
profunda estão em comunicação. Esta é nossa singular experiência xamânica ocidental.
Caso pense nisto desta forma, tais aspectos teatrais das operações mágicas parecerão
bem apropriados. Lembre-se que os assim chamados xamãs primitivos usam todos os
elementos musicais, dramáticos e artísticos de suas próprias culturas nativas, então
porque nós não deveríamos?

Caso não esteja confortável com este aspecto romântico/xamânico da Magia de Salomão,
então, obviamente, este não é Seu Caminho. Quando digo “romântico”, eu o faço no
sentido filosófico-artístico do termo. Magos são os românticos derradeiros. Para nós o
espírito humano é divino e ilimitado em seu potencial. Aleister Crowley — um mago
moderno e um romântico a sua própria maneira — manteve que o maior de todos os
pecados era a restrição, mas para minha mente um pecado ainda maior é a
mediocridade. Minha máxima romântica favorita é o credo de Nero em Quo Vadis: “Que
seja maravilhoso ou que seja terrível, desde que seja incomum!”

O que nos leva a outro ponto importante: Magia de Salomão não é um esquema fique-
rico-rapidamente, mas vai dar um salto em e superalimentar seus processos criativos. Se
estiver disposto a estudar seriamente os livros que eu recomendo, em poucos anos terá
adquirido uma educação comparável à graduação em Artes Liberais de uma
universidade. Você poderá ser inspirado a empreender estudos formais em psicologia,
antropologia, física, genética ou bioquímica. Pode distinguir-se em qualquer das artes
criativas... ou tornar-se um líder espiritual. Magia abrirá as portas para você e lhe
mostrará o caminho. Este é o poder real e a promessa da Arte do Rei Salomão — visto
que Salomão, como você deve se lembrar, era célebre principalmente por sua sabedoria.
Ainda que esse tipo de Magia seja uma Arte Real não está restrito à elite; Magia de
Salomão cria a elite.
A visão mágica é primordialmente uma experiência extática e transformativa que pode
ser intensificada por uma atuação em grupo, mas é essencialmente subjetiva em seu
efeito. Em outras palavras, este método de magia produz um estado de sonho controlável
no qual o praticante convoca os espíritos à aparência visível e se comunica com eles.
Nenhum outro sistema de magia, nem mesmo a Golden Dawn, o Tantra Tibetano, o
Vodu ou a Wicca oferece uma experiência tão espontânea e autêntica. Somente a Magia
de Salomão cumpre a promessa sussurrada dos antigos grimórios. O Mestre ou Mestra
dessa Arte compartilha do poder dos Arcanjos, comanda os demônios e caminha com os
Deuses.

Se for seu desejo continue lendo e entre na Caverna do Tesouro das Mil e Uma Noites
onde o poderoso Jinn do Velho Rei Salomão está no comando. O primeiro desafio em sua
busca será retirar uma pedra enorme da entrada para sua própria Caverna Mágica. Esta
pedra foi construída ao longo de uma vida a partir de milhares de verbalizações
incrustadas, tais como “É apenas sua imaginação!”
Memória através dos Tempos
Até antigos Reis de mãos ensangüentadas
E além do nascimento a visão escapa...
Para além do véu — mas nunca morre.
O Portal racha uma fissura nos sonhos
O sibilante Vento de Zurvan grita:
— Quão longe você ousaria ir...
Se a Porta Secreta se abrisse totalmente?
de Os Ensinamentos de Kah Khiabo por Tabhion

Capítulo 1: Hipnose e Ioga


Após familiarizar-me com a operação do Pêndulo de Chevreul comecei a
perguntar à minha mente inconsciente questões de uma natureza muito
pessoal. Ele não me dava as respostas que eu queria ou esperava, dando um ar
de credibilidade ao processo. Quando eu já estava totalmente convencido da
validade da técnica, perguntei a derradeira questão: “Você lembra vidas
passadas?”
A resposta foi sólida e inequívoca. “Sim”, ele me disse.
Do Registro Mágico de 1969 do autor

U
ma das grandes descobertas que fiz no decurso de minha doença foi a
compreensão da impressionante profundidade e extensão do conhecimento
disponível à mente inconsciente. Ainda que eu me considere um escritor
imaginativo, articulado, meras palavras não podem descrever a experiência de
tal revelação. Quando digo que você vai se tornar uma das “Pessoas que
Enxergam Longe” eu quero dizer mais do que você possivelmente pode
compreender antes de começar seu treino.

Por causa da importância crucial de uma perspectiva de “Maratona”, várias-


vidas-ao-mesmo-tempo em sua dedicação à Magia, você deve começar seu
programa com estes exercícios de expansão da consciência e ampliação do
conhecimento. Ainda que sua herança folclórica e religiosa seja importante,
Magia lhe ensinará que suas crenças são na verdade ferramentas e armas. Você
está no centro de seu reflexo do Universo. Você pode acreditar em qualquer coisa
que escolher e o Universo lhe dará. Deixe-me lhe dar um exemplo:

Um ritual secreto, transmitido oralmente a mim por meu guru tibetano, me


permitiu entrar num sensual paraíso astral povoado por dakinis voluptuosas,
insaciáveis. Após uma orgia que pareceu durar por dias, durante a qual eu
realizei cada fantasia sexual que já cogitara, finalmente caí, como os antigos
romanos, dentro da decadência e finalmente dentro do voyeurismo farto. As
dakinis eram bastante afáveis, fazendo qualquer coisa que eu concebesse para
me entreter... Finalmente eu tive o suficiente. Tentei escapar delas, mas elas
estavam em toda parte, sorrindo, dando risinhos, flertando, posando e
ronronando como gatinhas.

No final eu abri meu caminho dentre a agitada assembléia de perfumadas huris


nuas de pele aveludada até um lago no centro da Cidade das Donzelas. No
meio desse açude flutuava um pequeno barco. No barco sentava-se um homem
de barba longa segurando uma vara de pesca. Eu mergulhei na água e nadei até
ele. Felizmente as dakinis não podiam (ou não queriam) nadar, então eu estava
livre delas finalmente. Eu subi no bote e me apresentei.

— Por quanto tempo você tem estado aqui — eu lhe perguntei.

— Eu perdi a conta após a primeira centena de anos — ele disse.

— Há algum peixe neste lago?

— Eu nunca peguei um — ele disse com um ligeiro sorriso.

— Então porque você pesca?

— Faz o tempo passar — ele murmurou.

Felizmente para mim, eu estava somente visitando A Cidade. Eu não a


escolhera como meu Céu ou possivelmente meus votos de Bodhisavatta teriam
vindo ao meu resgate — ao menos nesta aventura astral. Além do mais
Vajrayogini não é colocada de lado tão facilmente. Então Ela se manifestou
fisicamente numa maravilhosa forma humana (espíritos desencarnados tem
uma propensão em fazer isto). Eu a levei comigo a uma expedição até as ruínas
da Lemúria perdida (Nan Madol) — e isso liga-se a outra história...

Ibn Saba, O Velho da Montanha, que prometeu a seus seguidores um paraíso


sensual similar, uma vez disse: “Nada é verdadeiro. Tudo é permitido.” Isso é
essencialmente correto, mas o que Saba, Grande Mestre dos Assassinos, não
mencionou foi o preço. 3

Outro sábio árabe medieval estabeleceu a idade de nossa raça humana em


quarenta e quatro mil anos. Somente no século passado a ciência confirmou
isso. Considerando a idade de todos nós e o esforço especial que você
despendeu eu aposto que já andou por esse caminho antes. Nesse caso, você
entenderá a essência dos ensinamentos revelados no próximo parágrafo.

Durante operações mágicas uma câmera não gravará anjos voando e descendo
através de nuvens tremeluzentes ou demônios rastejando através de rachaduras
fumegantes na terra — mas esses Potentes Seres, entretanto, são reais e muito
poderosos. Eles existem além do limite de sua imaginação pessoal e ainda assim
3
Para entender o mistério do falso paraíso, os estudantes da Magia de Salomão deveriam ler a
versão original de A Cidade de Bronze de Burton em Alf Layah wa Layah, As Mil e Uma Noites.
eles são vistos através do seu prisma nas lentes multifacetadas d’A Grande
Mente Universal. Eles podem ser sobre-humanos, subumanos ou não-humanos.
Eles surgem das profundezas vastas e escuras do Inconsciente Coletivo e
mergulham nas rasas lagoas de nossas mentes subconscientes individuais. De
acordo com nossa Filosofia Neo-Romântica este Oceano Universal da Mente
Profundas se estende para muito além dos limites do Espaço Interestelar, penetra
a menor das partículas subatômicas e está conectado com a Marca Primordial do
DNA. Está refletido no Universo de Antimatéria que existe lado a lado com nossa
dimensão mundana. Pensamos, logo somos — e não somos! A “Idéia” de algo e uma
energia que flui por dentro de sua criação são realidades maiores do que seu resultado
físico fixo. Não podemos imaginar nada tão grande quanto ou maior do que as
concepções de Deus, por essa razão nossas idéias de transmigração da alma,
reencarnação e magia tem de existir para aqueles de nós que crêem em tais conceitos
porque se tal não fosse verdade isso significaria que a humanidade já tem pronto um
plano-mestre de evolução espiritual além do que Deus conferiu. Dada a assustadora
idade, tamanho e coesão do Universo isto parece ser a única e verdadeira
impossibilidade. Esses preceitos são os fundamentos de nossa moderna Teoria do
Campo Mágico. Para além destas concepções encontra-se a inevitável verdade de que
TODOS os seres sencientes são meros reflexos de você mesmo. Se entender e aceitar
esses princípios você prontamente irá compreender a importância da auto-hipnose e Raja
Yoga como técnicas básicas de acesso e habilidades pré-requeridas para dominar A Arte
Mágica.

Em 1969, como mencionado na introdução, eu descobri, ou mais corretamente,


redescobri o segredo da evocação mágica salomônica. Eu encontrei como
convocar os espíritos em aparência visível e conversar com eles sem depender
de qualquer talento psíquico especial — mas primeiro eu tive que aprender
auto-hipnose, e assim será com você. Admito que você pode fazer o método de
distorção do reflexo facial funcionar sem aprender hipnose e ioga. Crianças têm
assustado a elas mesmas com o fenômeno há tanto tempo quanto tem havido
espelhos — mas, por outro lado, você não pode controlá-lo mais do que elas.
Diferente de crianças, você não vai gritar e correr — ainda que fosse melhor se o
fizesse. Sem a percepção de alguém que entende e controla seu próprio transe
você opera num estado mental desconhecido e se intromete em algo além de
sua compreensão consciente.

Já que auto-hipnose foi tão importante em meu desenvolvimento, deixe-me


contar-lhe brevemente como eu fui introduzido a ela e como ela me levou à
descoberta do segredo do espelho-no-triângulo e sua completa importância.

Você já leu meu esboço biográfico então sabe minhas qualificações, mas isso
não conta a verdadeira história. Na verdade, eu aprendi os métodos e a filosofia
que estou agora compartilhando antes mesmo de alcançar as credenciais citadas
em meu currículo. A extraordinária descoberta dos segredos hipnóticos
salomônicos verdadeiramente me impulsionou em direção a sete anos de
antropologia, trinta e três graus da Maçonaria livre e um ano de treinamento
tântrico tibetano intensivo sob a tutela dos mais excelentes magos que vieram
daquela terra misteriosa. Agora quero compartilhar esses conceitos e técnicas
originais de modo que eles possam abrir passagens similares para outros que
escolheram este caminho.

Em 1969 eu fora um Boina Verde e um ávido mergulhador ganhando a vida


com dificuldade como um escritor de pulp-fiction. Eu tinha em meu crédito duas
novelas em brochura e uma série de aventuras subaquáticas na revista
ARGOSY. Qualquer impressão que eu possa ter tido sobre feitiçaria antiga
naquele tempo viera das fantasias de H. P. Lovecraft ou Robert E. Howard. Eu
gostava de ficção científica e tinha uma boa imaginação – mas, antes de minha
doença começar, nunca sonhara que reviver a arte perdida da Magia de
Salomão viria a ser o maior esforço criativo da minha vida.

Como muitos escritores daqueles dias eu era um fumante inveterado e um


incessante bebedor de café. Eu supunha que estes maus hábitos eram
responsáveis por minha constante luta com a indigestão. Esta condição tornou-
se crônica e finalmente intolerável. Fui a um médico que diagnosticou como
sendo uma úlcera. Naquele tempo, acreditava-se que úlceras estomacais eram
inteiramente psicossomáticas. Uma doença de “frescos” para um tipo machão.
Não era sobre abandonar a cerveja, café, cigarros e banquetes de carne por uma
dieta de leite e torradas. Eu concluí que se úlceras era causadas por ansiedade,
conquistaria meus medos internos através da auto-hipnose e curaria a mim
mesmo no processo.

Desesperado, eu rapidamente aprendi a teoria e dominei as técnicas. Meu texto


era Self Hypnotism, The Technique and Use in Daily Living, de Leslie M. LeCron.
(Desde então, este livro teve várias edições e agora é considerado um clássico.)
Em breve fui capaz eliminar a dor... mas ela sempre retornava, freqüentemente
pior do que antes. Devo ter ido mais fundo no transe através de auto-indução
do que qualquer um jamais planejara, mas eu não pude curar a úlcera porque –
como os médicos finalmente descobriram quando eu estive quase morto – eu
estava carregando dentro de mim uma vesícula biliar que se transformara em
uma massa de rocha sólida!

No estágio mais avançado de minha doença eu estava num estado alterado da


mente que hoje eu percebo que era uma psicose tóxica. Subconscientemente eu
devia saber que estava morrendo. Esta condição mórbida me conduziu a
experimentos mais estranhos e esotéricos com auto-hipnose. Comecei meus
estudos com Ioga Tântrica – mas, quando descobri a contraparte mágica de
nossa própria cultura, houve um estalo. Eu sabia com absoluta certeza que a Magia
Cerimonial Ocidental era meu caminho e descobriria seu segredo perdido.
A partir de meus estudos e primeiros experimentos aprendi que o efeito
hipnótico poderia ser obtido olhando-se fixamente para uma superfície reflexiva tal
como uma bola de cristal ou um espelho negro – e eu sabia que estes artifícios
foram usados pelos antigos magos – mas seriam eles os atuais spiritus locii, o
lugar onde os anjos e espíritos poderiam ser conjurados em aparência visível?
Eu podia colocar-me num estado hipnótico olhando fixamente para eles, mas
não via uma face aparecer nem sentia uma presença genuína – e ainda assim
estava convencido de que hipnose era necessária e que algum tipo de janela
para outra dimensão, como um cristal ou espelho negro, teria que ser
empregado.

Mas, se isso era verdade, então porque o mago da Golden Dawn Aleister
Crowley e seu mentor, Alan Bennett, perderam tanto tempo e esforço em vão
tentando evocar um espírito da Goetia na fumaça de um incensário? Porque a
Golden Dawn obrigava em juramento que seus membros não se submetessem à
hipnose – e porque eles virtualmente abstinham-se dos aparatos tradicionais de
evocação dos magos medievais e da Renascença?

Num primeiro momento nós podemos responder tais questões ao lembrarmos


que naquele tempo o transe hipnótico era igualado com espiritualismo e
charlatanismo magnético. Nos salões de sessões espíritas, bolas de cristal eram
tão comuns quanto tábuas OuiJa e até mesmo espelhos negros eram usados
algumas vezes. Vidência nestes dispositivos era considerada tapeação devido a
sua imensa popularidade. A imagem burlesca da adivinha cigana com sua bola
de cristal é um ícone cultural legado por aquela época.

Mas, em nível mais profundo uma atitude mental mais sutil e insidiosa
infectara os intelectuais ao final do Renascimento e essa herança enganaria
gerações posteriores de magos ocidentais.

O filósofo René Descartes (1595-1650) – o pai da Filosofia Racional – tem sido


inadvertidamente responsabilizado pelo que os militares chamam de “dano
colateral” ao desenvolvimento espiritual no Mundo Ocidental. A serviço da
recém-nascida ciência ele declarou que havia uma total separação entre a mente e
matéria; entre a concepção mental e sua manifestação física.

Ainda que esta seja uma explicação extremamente reduzida de sua teoria, é
fatalmente exata em seu efeito. Apesar de sua criação ter permitido avanços na
engenharia, a imaginação humana divinamente inspirada – a maior força
criativa no universo – foi relegada à importância de devaneios infantis!

Uma vez que você compreenda o significado deste ultraje contra a divindade
pessoal, estará começando a mover aquela Pedra gigante para longe da entrada
de sua Caverna do Tesouro. Quando você volta-se para Platão e percebe que a
idéia original de alguma coisa é mais dinâmica e real do que sua conseqüente
manifestação física, estática, você pode ouvir e sentir aquele grande bloco de
pedra se mover. Ela faz um som rangente de protesto porque você descobriu um
dos maiores segredos omitidos da magia: o poder criativo da mente humana. Mas
simplesmente reconhecer seu poder não irá liberar seu potencial.

Junto com A Pedra nós temos outro inimigo dentro de nós mesmos: O Macaco
Tagarela de nossa mente consciente. Ao nos levantarmos contra a rocha, o
Macaco dança à nossa volta distraindo e desencorajando nossa atenção e
fazendo pouco de nossos esforços. Finalmente nos tornamos tão frustrados e
desencorajados que desistimos e retornamos para a “realidade” – e
imediatamente aquele pequeno Macaco sórdido desaparece.

Infelizmente ele retornará assim que tentarmos aquietar nossas mentes e


recomeçar nosso trabalho espiritual – por isso temos que nos livrar do Macaco.
Então temos que treinar nós mesmos para usar o poder mental da mesma
maneira que um atleta treina para aperfeiçoar suas habilidades esportivas. Se
você não acha isso necessário, se você não acredita que precisa dominar a auto-
hipnose e a técnica da ioga tratakam para praticar a Magia de Salomão, eu o
desafio a testar você mesmo.

Respire profundamente algumas vezes e então olhe para seu relógio de pulso
com um olhar fixo e imóvel por três minutos. Durante este tempo você pode
respirar normalmente, mas não pode piscar, você não deve pensar em qualquer coisa e
não deve mudar seu foco visual. Se você fizer este teste corretamente se encontrará
num estado Alfa (hipnótico) quando o exercício estiver concluído.

Porque eu digo que você não deve piscar?

Porque o olhar sem piscar (tratakam) é totalmente comprometido com o objeto – e esta é
a marca do verdadeiro mago.

De qualquer modo, se você passar neste teste ainda vai querer estudar este
capítulo cuidadosamente para entender as características hipnóticas únicas do
estado de transe mágico. Você também precisará pôr em prática os exercícios
para que possa ensiná-los a outros.

Não suponha que porque seguiu um programa ao estilo da Golden Dawn você
pode pular esta parte de seu treinamento. Lembre-se, a Golden Dawn evitava
qualquer forma de hipnose e não preparava seus membros para usar o
equipamento mágico Salomônico. Confiar nos procedimentos mentais indiretos
da Golden Dawn como preparação para o trabalho Salomônico seria análogo a
substituir o rigoroso preparo necessário para competir numa competição de
Caratê de contato por um treinamento básico (suave) de Tai Chi. Claro que um
mestre de Tai Chi (ou, em nosso caso, um adepto da Golden Dawn) poderia
certamente agüentar, mas somente após anos de treinamento.
A magia de Salomão é a Arte de evocar espíritos em aparência visível e invocar
conhecimento dos, e conversar com os, Anjos Sagrados – enquanto que muito
da magia da Golden Dawn é da variedade “Faça o ritual para influenciar o astral e
então veja o que acontece depois”4. Tenha certeza de perceber a diferença.

Há também uma leve diferença entre muitos transes de ioga e o estado


hipnótico como nós o conhecimento no Ocidente. Isso é mais bem ilustrado por
outra anedota de meu treinamento tibetano: no início do programa eu estava
tentando dominar um ritual no qual eu deveria assumir a forma de Vajrayogini
e realizar várias ações simbólicas na persona Dela. Sabendo que mudras
(posições da mãos e dedos) são algumas vezes feitas enquanto se visualiza,
perguntei ao Lama Luding Khen Rimpoche se era para eu emular algum dos
gestos da deidade conforme retratado na tanka (ícone) Dela. Depois de uma
risada espontânea às minhas custas, ele pacientemente explicou que isso era
feito na mente enquanto sentado inerte e fisicamente anestesiado no asana do
lótus — algo como a Visualização dos Caminhos ocidental.

Muito da magia tibetana é feita de uma posição inerte, sentada, enquanto que
muito da magia de Salomão é feita em pé e até mesmo em movimento. Nosso
transe hipnótico nos permite uma mobilidade única e uma notável capacidade
para operar na mente subconsciente e consciente simultaneamente. Isso permite o
operador perguntar ao receptor “Você percebe uma presença?” ou “Você
gostaria disso mais forte?” sem perturbar o estado de transe. Num trabalho
sozinho, o operador pode questionar sua própria manifestação do espírito
diretamente, indo e voltando entre sua mente racional e a manifestação de seu
subconsciente como ele faria numa conversa com outra pessoa. A razão para
isso está implícita na natureza conversacional da indução hipnótica — e
especialmente o diálogo direcionado a si mesmo desenvolvido no treinamento da auto-
hipnose5.

Embora a técnica do tratakam (olhar fixo) da ioga seja de origem oriental, é a


mais diretamente hipnótica das técnicas da ioga e integra-se perfeitamente com
outros aspectos do estilo ocidental de indução hipnótica. Como um pré-
requisito para o tratakam e hipnose em geral, o treinamento do pranayama

4
Essa declaração pode perturbar alguns dos meus colegas mais velhos da Golden Dawn que se
tornaram genuínos feiticeiros xamânicos apesar dos métodos não hipnóticos da Golden Dawn.
Isso não significa que as visualizações dos rituais do Pentagrama e do Pilar do meio não sejam de
valor e mesmo essenciais por si mesmas — mas elas são projetadas dentro do astral, não
recebidas a partir dele. Os exercícios de vidência com Tattwa da Golden Dawn foram retirados
diretamente de uma fonte oriental.
5
Aqueles que popularizaram nossa técnica de evocação declararam que operações solitárias são
bastante difíceis, possivelmente perigosas e deveriam ser evitadas. Isso demonstra a falta de
entendimento deles sobre a importância do treinamento auto-hipnótico na magia de Salomão.
Uma operação solitária (para uma entidade do mesmo sexo do operador) é usualmente menos
difícil devido a redução das variáveis pessoais envolvidas.
Edited by Foxit Reader
Copyright(C) by Foxit Corporation,2005-2009
For Evaluation Only.

(respiração controlada) também é necessário. O estudante de magia não precisa


ir além de uma contagem 8-8-8, mas ele ou ela deveria sentir-se confortável ao
menos com um ciclo 6-6-6 (nenhum trocadilho intencional).

Não é minha intenção escrever tratados completos de auto-hipnose e Raja Ioga


neste livro. Espera-se que você consulte os manuais práticos que nós
recomendamos sobre esses assuntos e siga suas instruções. Eu fui afortunado o
suficiente para descobrir dois dos melhores guias de treinamento em cada um
desses campos ainda quando eu iniciava minha prática de magia vinte anos
atrás. Estes dois livros permanecerem constantemente publicados desde então.
Para auto-hipnose, veja Self-Hypnotism, The Technique and Use in Daily Living de
Leslie M. LeCron; e, para Raja Ioga, Fundamentals of Yoga do Dr. Rammutri
Mishra.

Muitas pessoas já experimentaram hipnose induzida por outra pessoa, mas o


mago deve dominar a técnica de auto-indução. (página 25)