Você está na página 1de 2

Núcleo de Ciências Humanas

Departamento de Filosofia
Professor: Dr. Paulo Roberto
DISCENTE: Elisandro Desmarest de Souza1
Disciplina: Ética II Aula: 5 Data: 29/03/2018

Resumo de Rawls - princípios da justiça como equidade e John Rawls: a justiça como
imparcialidade

Baseado nos texto do pensador estadunidense John Rawls em sua obra Uma
Teoria da Justiça, o filosofo parte de um pressuposto de uma sociedade formada por
pessoas racionais e numa “posição inicial” onde ele quer demonstrar uma base para
construção de uma ideia de justiça com equidade, para isso ele usa como
argumento que essas pessoas deveriam está trajando o “véu da ignorância” na qual
elas não poderiam ter conhecimentos de quais circunstancias ou de quais situações
trariam para eles vantagens ou desvantagem nas mesmas, assim essas pessoas
estariam completamente alheias as suas situações, logo elas partiriam da “posição
inicial”. Rawls afirma que o caminho a ser desenvolvido por essa sociedade partiria
de dois princípios que seriam: o primeiro princípio é que todos os indivíduos que
fazem parte dessa sociedade teriam direito a liberdade mais ampla possível, esse
princípio chama-se de princípio de liberdades iguais; outro princípio é o princípio da
igualdade, Rawls vai afirmar que existem desigualdades inevitáveis numa
sociedade, entretanto ela pode ser amenizada de uma forma que promova a
equidade de oportunidade que aqui ele chamará de princípio de justiça igualdade e
oportunidade e também para estreitar essas diferenças ele conduz que os membros
menos privilegiados dessa sociedade têm que ter o máximo de benefícios que
outros membros mais privilegiados, assim podendo ter uma sociedade mais
equitativa, além disso, Rawls afirma que o princípio da igualdade jamais deve se
sobre por sobre o princípio da liberdade. Seguindo assim esses princípios Rawls
acredita que pode se haver uma sociedade mais justa onde as pessoas não serão
julgadas por suas raças, condições sociais, por suas capacidades ou outras formas
que prejudiquem os menos favorecidos e que os bens primários como o direito, a
liberdade, as oportunidades, as rendas e as riquezas sejam disputados de formas
mais justas entre as pessoas, assim podendo ajudar essas pessoas dessa

1
Graduando em filosofia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia, membro do Grupo de Pesquisa em Teoria Política
Contemporânea. UNIR. http://lattes.cnpq.br/0684841892216928
sociedade ter uma melhor auto-estima para o desenvolvimento mais igualitário de
todos.

CORTINA, Adela; MARTÍNEZ, Emilio. Ética. Tradução do espanhol por Silvana Cobucci
Leite. Resumo de Prof. Dr. Roque Junges. São Paulo: Ed. Loyola, 2005.

DALL’AGNOL, Darlei. Ética II. Florianópolis: Filosofia/EAD/UFSC, 2009. 188 p.