Você está na página 1de 8

.•xs»HM4.V?

W/5?
Texto na
nstrução 239: Lenha Seca na Fogueira da Inflação*' ..... ¦ .. _. , . •- .
página
,v

• .•. •¦'•¦. •¦ '; y-±>

Forças Nacionalistas Mobilizam Todo ./

o Povo Para a Luta Contra a Política


do FMI e Pelas Reformas de Base k k Reportagem na 8* página

Assembléia CADERNOS úi
DO POVO
contra a
carestia
N» próxima texti-felri.
dia *>. a partir das IR bo-
ras, na Feira do Livro da
Guanabara, haverá
mento festivo de novas pu-
lança-
Unir I%ra Vencer
Convócadu por uma oòmls- blicaçoes da Cotação Çader-
são dp combate'ã carestla e nus do Povo, editada pela Estamos assistindo nesses dias a um passes de hiágien de homens do Govêmo
aos sonegadores, constituída Civilização Brasileira. Meiga particular aguçamento da luta política no como o ministro San Tlaeo Dantas, que
pelas socledudes cie amigos ¦ Holfman. Jorge Mlglioli. Sil- Pais. A cada dia — pode-se até dlxer, a fala cm Independência, mas a condiciona
rins bairros, será realizada vlo Monteiro, Maria Augus cada hora — torna-se mais aceso o chique ao Departamento de E.Uadu nortc-amerl-
domingo, dia 28, às 13 lio- wãw mm 1 I mm -^^p— ta Tibiriçá Miranda. PauloRimo entre os interesses vitais dn esmagndoni cano, e jura acabar com a Inflação, mas
ias, na sede da ACRIAPf. —U mm 11 IV JB*n*--aaa> . Séliilllng
Srliilling o o padre
padre Aluislo maioria da Nação e os monstruoso* privi- cria o dcseniDtégo na indústria e aumenta
:^sw ^^
no conjunto residencial do IK
pk ^B m m.
aa aV
tnv ^^^ JtnV '
^t^tTÉn» aW GtieiTa estarão
presente*
autografando seú*
presente*
traba-
léglos que resultam da t-spollaçã.0 impe- a miséria das massas,
1AI'I em Del Castilho, uma ^^. A\ -mmmm autografando ¦ rlslista e da sobrevivência de uma estrutu- . A obstinação da minoria entreguista e
assembléia paia debate dc lhos. ra econômieo-soclal cujos frutas sfio a reacionária na defesa dc seus desumanos
medidas a serem tomadas ^^^*n^an^aa^anur*atsiaas***i^»-»"»»»---»---»^»-»----*--™ Iiuldos Os autógrafos serão tilstrl- miséria, o atraso e a Incultlira. A minoria
Iiuldos nas barracas da O- privilégios c, por outro lado. a determina-
na campanha contra <> ts.it- antinaelonal e reacionária não admite que ção do nosso povo de por fini-à espoliação
mento do custo d»; vida. A vili/.acãu Brnjllélra; Llvrá- essea privilegias sejam .suprimidos, qiit ns imperiallsta e conquistar mna fida melhor
ordem do dia da reunião é ri» Prlinlipàl e Casa do Ks- massas ao povo elevem os seus padroc* dc constituem o fundo .sobre o qual se desen-.
a seguinte: l — balanço da tudante. vida. Quando sente que é necessário con- . rolam os agudos choques políticos de nos»
campanha rie recolhimohtò ter a inflação não o Uir. retirando recursos sos dias Trata-se, para o povo, de - nlò
de assinaturas ao momo- dos que os nossuem em demasia, mas con- permitir que aquela minoria antinaelonal
rial dirigido ao presidente fiscando impledosamente uma parte sutis- impeça ou castre as reformas de estrutura,
ria República; 2 — elabora- tancia! dos vencimentos de loine do (un- especialmente a reforma agrária, e con-

CGT e PUA Jyntam-se


ção de novo plano rir» ai.'ão cionalismo. Todos os integrantes dessa mi- iiuiie a levai á prática a atual política
contra a carestia e o dosem- norla se diziam partidários da reforma econòmico-liuanccira. que amarra o Bra-
prego. agrária, mas quando o assunto é posto na sil ás imposições colonialistas do FMI —
Espôra-se grande compa- ordem-do-dia tiram a máscara, mosliam agenda do imperialismo ianque -- e agra-
reçiménto por parte dos re- sua hedionda face de senhores hicdlèvals e va as já insuportáveis condições de vida
alardeiam a chantagem de uma Imagina- das massas,
preséntantcs das sociedades ria abolição da propriedade privada. Fa-
coligadas. Iam em patriotismo, mas nao vacilam em As forças patrióticas e democráticas
alienar a soberania nacional em troca de têm todas ás condições para a vitória nes-
migalhas só concedidas sob compromissos sa luta O que se faz necessário é dlnami-

los larna|áoV|íií -
que humilham o Pais. Exaltam a demoeni- zar essas condições, utilizando-as com jus-
40% é confisco cia representativa, mas não deixam de teza e audácia. K para Isso é Indispensá-
conspirar contra ás liberdades demnçráü- vrl. antes dc tudo. unir. Nos últimos dias.
ca*, inclusive tentando implantar o "gòrl- as correntes nacionalistas deram inicio a
imposto a llnuoí'. . • . ., novos e significativos passos no sentido
Há. contudo, uma realidade nova, no dessa unidade, que todos os verdadeiros
mundo e no Brasil.'Hoje. essa minoria de patriotas só podem saudar com entusiás-
quem «Ócio* dos trastes norte-americanos e de. mo. Quanto mais ampla e mala solide for
defensores do'latifúndio nâo consegue, co- essa unidade tanto mais seguro e mais
mo pretende, mlstlflcar nem submeter a próximo será o êxito da luta pelas reter-
passa fome •^r<- • ,*?•¦"* l--.fr" -'il-&tú -.¦, 'X' ', '
. • ' '-<:-- r ¦¦'¦
'&V;;;"' '¦" '.:'¦¦: ¦ •. Lv'i*aeao aos seu» • Interesses, como. vinha mas, pelas liberdades democrática*, por
-umft.i>oUilca
Porta-vozes do Go- .•íawV-há . alguns -anos. «;Uiri». 'i.Ua, inferna e ,e|híetn*"ique re>
*"no\ parte da povo brasileiro,. Já adqui- ,t«, ne as; asplràçó*r(A? Irnltf.wntíéacla
vêrno Càmfrgi-ji. á.oonscUncla dos.seus direitos naclo- e progresjjp do 'povo brafíDeln». Data nè
reconhecem de público nals e sociais, bem como a consciência de cessidade de fe unirem as forças do pro-
qUM-iraúmento de 40% que tanto a razão como a força real estão gresso por toda parte, desde as fabricas
do. seu lado E é cada dia maior o número e os campos, ns csflo.làs e os quartéis, as
ao funcionalismo civil repartições e os sindicatos até as bancadas
e militar da União é desses homens e mulheres que. nor todo o
Pais, ganham plena consciência do que parlamentares, nacionalistas e a* persona-
um confisco. E é disso devem e do que podem ser. Politicos reaclo- lidades de convicções patriótíeas; .
realmente que se tra- nários como Lacerda e Falcão, jornais ven- Fazer avançar essa unidade," sobre a
ta: um confisco puro e dldos como "O Olobo" e "O Estado de São base da mobilização e da ação das mais
simples de pelo menos Paulo" ou organizações de especuladores amplas camadas da sociedade brasileira
30% nos vencimentos S favtt na I* página como oCONCLAPe a Sociedade Rural en-
I contram por uma política dc conteúdo nacionalista
hoje pela frente uma opinião pú- e democrático patfc o nosso Pais. executada
do funcionalismo, já hbllca qUe nào sé deixa facilmente enga- por.homens que inspirem confiança n"
que do aumento ante- Tiélar. Também nio enganam ao povo os povo, é abrir o caminho pára a vitória.
rior para ca o custo da
vida se elevou no mi-
nimo em 70%, con for-
me as estatísticas ido
próprio Governo. Quer
dizer: conscienlemen-
te, pretende-se confie-
car um terço dos sala-
¦ ^C -EHt^^-àSC! ' ffaan W . -1*aa

As "Esquerdas"
rios do funcionalismo,
isto é, aumentar em JB ÍÉjki i . fU HÉav-pB L-«ol le

do Professor
um terço as dificulda-
des e, em muitos ca-
sos, a fome dos servi-
dores da União e suus '
""7 ';¦•'•£!' .
familias. Jp^P^aST"' '•'.¦'¦' w,l''''?'*;T.:'.':'.'H'-;^:' do hoje a publicação de

'ív^-;
< •'/'¦': ^ VHf ¦. umaedicaomineira.com
Por quê? Diz o mi- ^^^<w^y--W ¦ •. ¦'¦jmW '.VW- '• '•"^'•íir''-:'.*•:-..
-\-'.*\'.7*l%¦ ..i''...,,.'• x'^ê a dar

San Tiago
nistro San Tiago Dan-, y '...'" y tua' pretendemos
.:v;:'; -.: •"¦•'^.- .i^sW *..,.-.'i'Vi a.-mais ampla cobertura
tas: para conter a in- 'WW. '•<•••::'-^s^m** .'-^.;-¦¦,','^»v-:-''ÍÍ
•¦¦'•' -;v :.-;:
fiação é necessário ês- ''^V- yyifêZyi'-'^^ *!' ^oti acontecimentos e das
se confisco, pois de ou- ''-^tiyy^^r .^v*\ '-'X' lutas-dos trabalhadores
*;\ví' • • '¦•'¦• '"¦ 'w '«tii^'
tro modo o Governo '- ,i:i '••' " '^S'v- -^ ^v^V'' *j' i de Minas dierars. sem que
¦; •¦•'v-.* ''*'*&•(
terá de fazer grandes % . , wS .' /;• x.*i;v» ¦•% • privemos nossos leitores
emissões. y*t\ ::-iX.. iM>. .:¦ :'¦ .-^íJ.i: :-y?.t y^PM^-^W^^ V'^1 ' daquele hstado.do esaen» Artigo de GIQCONDO DIAS,
Admitida que seja u na 3* página
necessidade do confis-
co, impõe-se a pergun-
ta: —¦ Não é uma de-
sumanidade confiscar
de quem já vive na
miséria, por culpa da
inflação? Que «esquer-
da positiva» é esta que
submete õs servidores *¦
70 Mil Ferroviários
^ *rta^K SAmWmsP^' \ muM Lrssnna V' «* .'>'-• I^B %ej VI I ^** I VFI 111 V-s
públicos a tão cruel 'i ^>s. ^¦'¦'P<'êmw
^ssifei. ÀwW • m\ am >..
^B kaa_ ''V.
Paulistas Lutam Por
\ ^^%^R» •• •<*ls;*-íJBBi •¦•».••
confisco e ao mesmo
tempo doa bilhões de
cruzeiros à IT&T e, '
' OâW. v^ajà ^Ul ^ ¦// .1 Pureza (foto) comanda
por uma portaria da ^aaVJ BbWa. fl IéT* ^Oannw a lula dos camponeses do
SUMOC, aumenta os imhé pela conquista da ter-
lucros escandalosos
dos exportadores? Por
nue não «confiscam
ra. Velho batalhador. cam-
pónès como os 300 acampa-
dos nas terras açucarei ias
fluminenses. Pureza oiien-
Aumento de Salários
alguns bilhões do ca- ta-os, ensina-os como se lu- Texto na 2* página
pitai estrangeiro espo- ta pela reforma agiáúa^
liador, da indústria Èlip Parmigiani, repórter
de NR. esteve no Imbí* com
farmacêutica, da in- os -lavradores c seu líder.
dústria uutomobUisii-
ca, dos sonegadores de
impostos, dos nababos
da Associação Comer?
Conta em. reportagem que
eàtá na 7n.' página, como
vivem aqueles camponeses,
como flsiíio organizados e
NR de Ia de Maio
ciai, que diziam, em
qual é o caminho que esco-
llieram para. pacificamente, Circulará na próxima .«gunda-feira. dia 29, apresentando
junho do ano passado, obterem aquilo que e de di- entre outras material de atualidade;
estar em condições de reito: um pedaço de terra
emprestar 500 bilhões para lavrai. A sua iiarratl-
de cruzeiros ao Govêr-
va fi também um apelo a so- ~- OS COMUNISTAS E AS REFORMAS OE BASE
lidaricriarir de todos — ope-
no? rários, estudantes e pátrio- -~ AS LUTAS OPERÁRIAS NO BRASIL
São admitir o dem- tas — para que a lula dos PRESTES FALA SOBRE OS CAMINHOS DA REVOLUÇÃO
mano confisco dos ser- acampados de Imbé seja
vidores públicos é um
mais uma vitória no cami-
nho que os camponeses bra-
PRONUNCIAMENTO DOS COMUNISTAS SOBRE A SITUA-
¦¦crer di honra c unia silciro. 11 meenvam
' ''ir a n illi -¦• ¦ • ÇAO POLÍTICA DO PAIS
¦ ¦• 'v \yy-i <>¦.;< ;i xòrdudci-
i .:,-.- ... v^-sàs*í'- ¦¦ • -¦.'1.. yy..yi lu iciuiam agrária.
-1 NOVOS RUMOS lie dt Jonoiro, 26 o 30 do abril do 1963 —

CGT e PUA Juntam-se 70 MIL FERROVIÁRIOS PAULISTsAS MOBILIZADOS

Aos Barnabés Pára NA LUTA POR AUMENTO DE SALÁRIOS

Derrotar 40% do FMI


S. PAULO (Da sucurssU dldo, uma Isbels decrescen- o custa da ferrovia.
— Trtt grandes assembléiss te dt KJi s 283 por cento Os ferroviários de todas
em qua st reuniram repre- sòoro oi salários dt dezembro ss estrados estão flrmemin
stntantos dt 70 mil ferre* s s partir dt Jantiro (o qut It dispostos s Ir à luta por
viários deixaram claro a vale diser, também sôbre o suu reivindicações t tornnrr
Toda a força do movimen. to seria dt 40%, do oue es "Ot ministros da Ousrra. Responde umsargento fido da dedicada classe ml* flrmt dtttrmlaaçio dessa abono concedido tm* outu- medldss a fim dt assegurar
¦o sindical brasileiro vai ser aproveitaram os mllltoree Marinha t Aeronáutica as* ainda Jovem; diretor de litar — á qual se soma a categoria dt conquistar res- bro) • sslário-ísmllls. Os a vitoria t para Impedir n
isnçsda em socorro dos bar* da direita para tentar em* tiveram rtunldos com o uma entidade de âmbito nio menos sacrificada elas* Justsmento Imediato dt ss* trsbslhadores deixaram cis- ação dlvislonuta e repressl-
nsbés federal», aos quais o polgsr o movimento, agora deputado Oliveira Brito, li* naclonsl: se dos servidores civis t tm lários. Ao mesmo tampo, ro qut cabia spsnas à dire* Va do governo estadual.
Governo procura negar um com a exclusão dos barna- der do governo na Câmara — Estamos em boa com- nome dt um plsno pejado, foram feitos os msli vivos torta à responsabilidade po-
aumento de vencimentos em "teonomlsmo" e multas protestos contra o er. San los ds/ktíi apreeentados, tm
dos Deputados e relstor do panhla, com gentt que p**n* de TELEGRAMA
hsses Justas e dignas. O projeto dt aumento de ven- sa come r<>°, vive como nói vêaes divorciado do real Tiago Dsntss que, tm nome algumas dessss empreses,
Comando Geral dos Traba- GUERRA AO FMI cimentes, para lht fastrtm t deseja somente aquilo que sentido social, se deseje, dl- «Io seu plsno tritnsi. so vem não podendo êtas passar fo*
lhadores há multo que está A luta doe barnabés, oue entrega das sugestões sô* nós desejamos: ter uma vida riamos, lançar sôbrs seus opondo so aumento do ven* me por «tesa nato. O Sindicato dos Trabalh.r
vinculado ao movimento e Inicialmente tinha carátr- bre as emendas a serem in- digna, ter meios paru dar ombros quase que axclusl- cimentes «los ferroviários; dores em Emprêsss Feno-
teus dirigentes encontram- trodusldss naquele do* aos mus o mínimo sm dig- vãmente o ônus da neres* contra o sr. Ademar do Bar* CONTRA A viárias do Estado de Sf.o
se atualmente om Brasília puramente relrlndlcatôrlo. eumento, ora om tramita- nldsde. Náo estamos dl vi- sária política antllnflaclo- ros, qut maltratou oa repro- Paulo (Santos a Jundlaii
evoluiu com ns Tjrotria*""s sementes dos fmoviários o DEVOLUÇÃO
participando da campanha governamentais e eom a má* ção nas Casu do Congres* dldos em elvis e militares:' náns. enviou o seguinte telegra-
contra os 40 por cento, que fé de que deu provus o oo- so. O sr. presidente da Rs- estamos unidos pelss nos* Agora mesmo a nossa em* msndou militares tanques ma ao presidente da Rcpú*
es servidores rejeitam como pública concordou com as sas necessidades e pelo de- baixada em Washington, treinarem s Força Pública No mesmo dis e à mesma blica, dando ao mesmo tem-
vérno, procurando engodar hora reuniram-se nálhsrss
ridículo. Na Guanabara reu- oa barnabés. sut**-s'õ(N on» seriam nnre- sejo rnmum de viver decen- pela palavra autorizada do psra operações «ntlgreve: po conhecimento do mos-
nlu-se ontem, quarta-feira, o sentadas pelos três mlnls- ttmsnta nosso embaixador, econo- e contra o fusllsmento de de ferroviários da Paulista mo aos ministros da Ju.tl- a
comando do poderoso Pai- Hoje a campanha pe* tros mhltares, as quais te- mista Roberto de Oliveira Jullsn Grimsu pelo tirano em Itto Claro, spcovsndo t do Trabalho:
tos 70% nio é mala de In- TRABALHADORES uma aliança dt htta com oo
to de Unidade e Ação, quan*
teréset apenas dos fundo*
riam em vista elimlnsr in* Campos, mostrou cm do* Frsnco. "Presidente. João Goulart
do foram acertadas provi. correções Introduzidas na A POSTOS rnmerto d» a*r>Tjln rtlvu'<*n-
déncias finais para a parti* nários públicos, t a própria A prlmelrs assembléia trás «tõsjsjrosae «stditodo — Psládo do Plsnslto —
tipação dos portuários, es. sorte do Pais que está em . redação final do projeto Dezenas de barnabés do çio, da deterioração que resllzou-se sábado, nesta ssUsfaçio para suas relvln* Brasília. Em nome dos íer-
submetido á apreciação do Brasil .i.ieliu Ja tatao con- vem sofrendo os preços ds capital e nels os ferrovia, dicsçôes dentro dt 30 dlss. roviàrios da Stmtos a Jun-
tivadores o ferroviário* nu- Jogo e como tal é que o pro- Congresso.'' centrados em Brasília nara nossos produtos de exporta* rios ds Ssntos a Jundlsl
ma campanha do âmbito na- blema será tratado. A rixa- Os fsrrovlãrlof da Paulista dial, tomando conhecimento
"ão do •um*n,'i er\ 4f)' foi pressionar os parlamenta- ção, c o n c o mltantemente (Rede Ferroviária FedereiI exigem a demissão do Ins- de que na cidade dc Cam-
cional, CEDE O GOVERNO! res e conseguir um aumen- com a valorização das mer- rejeitaram ¦ proposta de norte-
Diise um dirigente do Imposição dt Fundo Mone- to em bases Justas, cadorlas importadas — o petor-gersl Humberto Soa- pinas funcionários
PI'A: tárlo internacional, au qual Atuando em diferentes "A paia vra está certa, que repercute vigorosa e 6.000o deatendimento aumento pars exi- res dt Camargo, a relnte- americanos ministram Ins-
"A
participação do Pacto se curvou o ministro San frentes, pressionando por glr de seu gração dos demitidos, o trações a oficiais da Força
de Unidade e Ação nào se- Tiago Dantas para conseguir companheiro, disse numa n e g ativamente no nosso pedido de 8.000. Uma com's- imediato funcionamento da Pública sôbre como massa-
todos os meios os círculos reunião nm d'rígentF r"a surto inflaetonárta. sát vai tntendsf-jf com oe crar trabalhadores, aten-
rá apenas de apoio ou so- alguns dólares emprestados governamentais, os barna- CsrrUjMo «lo Pioasjaeles,
na sua última viagem aos UNSP, dirigindo-se a bar- b Multa elucidativo é, tam* diretores da.lUda e eom o tando dessa forma contra
lldarledade moral. Vamos bés receberam a nota acl* -mu
partir para medidas concre- Estados Unidos. Isto quer dl-
zer que os gringos Já estão ma como .o sintoma mais
liuoi-.-. « iiucrvs . Mm. o discurso pronuncia- ministro ds VlÜrlo. SÍUWis-
"Não -ame- - r • -i d» pelo economista Hum- feira, *s 18 horas, rsunlr-se- pSWVJrSl^ as liberdades sindicais, vio-
lando a soberania nacional
tas. disposto a. derrubar a evidente de que o Governo horto Bastos, na rtcepclo ão o| trabalhadoreg pova- Yoluçáq ás estrada aos MUI e ferindo o regime demo-
intransigência governamen- interferindo em setores mais vê a terra fugir aos seus fazer outra coisa senão antigos proprietários, oe h
tai, que é ditada pelo Fun- Íntimos da vida nacional, es- pois Inclusive no Par- prcjsivii-i o .'anai.r.ii.o. .-. M embaixador djg Estados mente tm assembléia, podem aue vem sendo anuncisds crátlco, vimos a presença
do Monetário Internacional." tipulando até o salário dos pés, ciam ru« serí uma oressio Unido», ao Conselho Na. do dsertlsr imediatamente pelo sr. Ademar de Barros. d« V. Exa. protestar enèrgl-
funcionários do Governo olamento diminui a cada dia
pacifica, legitima, será o alonai de Economia, no a trave, caso pif Mjam Ao mesmo tempo, expressa» camente contra essa Inter-
FRENTE ÚNICA brasileiro. apoio com qut contava. exacicio ue um ulrc-io |U« íual tossiu* "aliums- tri* •tendidos ati então, ram nu repúdio ao empre. vençãó estrangeira nas
Pois bem — acentuou Com efeito, quer por consl* ninguém noáo "o< 'leirar. flrtsrnas dt tftflBf MM
No domlngt. heuvf diiss « prtteetsram eo». questões Internas de nossa
Caíram por terra no dia o dirigente da UNSP que fa- derarem o aumento de 40% Náo vamos agir sub-reptl- Sns isllelra.'' assembléias. A pri- j s compra de Iocomm(,
Klimo Pátria e solicitamos ao mes-
19 passado as tentativas lava por uma comissão de realmente ridículo, quer
nio desejarem se en* nainci;.i nâa vamos suuo*- tleaA DOS» desastrosa poli. grandes mo'»s em Sorocaba, tpde Vis Diesel, pqv »CJ-em in.|> mo tempo providências ime-
que há multo vinham sen- funcionários e lideres sln* por .nar ninguém, como fazem mento e estocagem de st* eafeeira, do financia* dlatat e enérgicas a fim de
mais de ,1.000 ferroviários SStnômieas. man<f?sta>|s>
do feitas para dividir o mo- dlcsis — isto não vai acon- volver em assuntoaltamen* ds re- as classes chamadss produ- das empresas dq governo IS pela gqulslção de mâflul pôr termo a mais êsse abu-
vimento, com a separação tecer. Nós vsmos esmagar percussão eleitoral . toras. Nossa pressão será frts invendáveis, cujo total nas elétricas (0,40 cruzeiros so dos gerentes do Ponto
dos servidores federais em essa nova tentativa do FMI te negativa, deputados e se- ás claras, de peito sberto, orça em cerca dt M ml- do Estado .(Sorocapana, Ãra- IV no Brasil. Pela direto-
ire- qullêmftrt eontra. 1,40
civis e militares. Essa ma- nsdores evitam-pronunciar-
de intervir no Brasil. Nio se se a respeito. Isto, porque de viva voz. E a melhor pro* emissões mu, provoca rsqusrense, Moglsns,
8 flts.de Srs I álet» t eontra ai ria do Sindicato dos Tra-
nobra, que vinha sendo
abertamente estimulada pe-
trata mais de uma luta rei-
vlndlcatória, de uma eam* nio desejam entrar em cho-
va de que estamos certos, vadas
' estamos
fàiulossi t
cada ano. além de
rtno*
iilaai lirifM do "ame- balhadores nas Empresas
Ferroviárias do Estado dc
que com o Palácio da Alvo* agindo lealmente, maram, presente o próprio trenr, através dss qus's em-
Io Governo e que recebeu panha puramente salarial. é o apoio que nos.estão oíe- onerar nossa economia com
diretor da Sorocabana. uma prêiss particulares de trans- São Paulo, Antônio Pe-
generosa cobertura de ór- Nào nos Interessa se eom rada, lhesao mesmo tempo em recendo os trabalhadores de péndlos transportes e outros dis*
resposta positiva ao seu pe- porte se vêm locuplentando transan."
gàos da imprensa vincula- o aumento superior a 40% que poderia ser fatal todo o Brasil, pelss suas sos absolutamente ócio-
dos às correntes políticas o Plano Trlenal será levado qualquer palavra que viesse mais rcnrcen^tlvas e po-
mais retrógradas, foi repeli- ao fracasso; náo nos inte-, aclonérios.
desgostar centenas de fun. derosas entidades.'* Por outro lado. é sabido
da durante a manifestação ressa se eom o aumento de da União. civis e militares ati"1 o no*".o -/«•("¦"'ho a»"^-
Os encontros entre tra- cadador é obsoleto e, em
realizada por centenas de
barnabés na Associação Bra-
70% s política de conten-
ção do ar. San Tiago Dan- FALAMOS
balhadores e lideres tor- conseqüência, permite tre-
na bés prosseguem t se menda evasão de rendas.
Mulheres Trabalhadoras Marcaram Encontro
sileira de Imprensa, e à tas será prejudicada. Sln- amludam h medida aue o Como uma decorrência — e
ceramente, estamos eonven- SARGENTOS
qual compareceram repre-
smtantes das entidades dos ridos de que tanto o Plano Parcela importante dt
problema ganha envergadu- isso foi abertamente con-
ra. Tanto assim que um dos fessado por um diretor de em S. Paulo: I Conferência Nacional
militares, oficiais e sargen- Trlenal como a "austerida- qualquer agrupamento ml- lideres do Pacto de Unida- Revista que se fu de in-
tos. de" do ministro da Fazen- litar, os sargentos dss fôr- de e Ação nào fas segredo te-medlário — "brasileiros" S. PAULO (Da sueur- Infc-ma-se a vinda de ex- vados, sabendo-se que prós-
Durante o vigoroso ato di são «'mpKs determina- Ças armadas do Brasil par- dos objetivos qut os anima: detêm denórtto* d- r<*oed-* sal) — Uma sala do Sindi- pressivas delegações da ceguem as atividades dc me-
realizado na ABI foi seis- ções do FMI, e eomo tal se* tlclpam com grande entu- "Não se trata de apoio
estrangeiras no exterior, e cato dos Bancários, em S. Guanabara, do Estado do talúrgicos,' gráficos, laticí-
da a unldsde entre civis t ráo combatidas. siasmo e objetividade da moral. Nossa colaboração é segunao o proinsoJo uro- Paulo é palco de intensa Rio e de Pernambuco. Pes- nios e outros, no mesmo sen*
militares, com a derrota das campanha por aumento em para conseguir o aumento oosto. çst»ri"m dispostos ao movimentação nos ultimes soas chegadas de Minas, tido.
manobras divisionistas. MAIS MANOBRAS bases dignas. Através ds de 70% para os barnab.-s, dias. Mulheres que entram, Rio Grande do Sul e de ou-
Quem procurava dividir os Vendo suas áreas de ação suas entidades representa- é para dar-lhes m;"> •»*«»• e timo, desde que o Governo mulheres que saem. Só se tros Estados, exclarecem COMPARECERÃO
servidores ds União, jogan- at encurtarem cada. ves tlvas. por intermédio dos quebrar as garras do FMI." dê garantias há multo ba- ouve falar em teses, delega- como transcorreram os atos EM MASSA
do os militares contra os mais, os homens do Govêr- parlamentarei* que elege- nldas doe paises autôno- das, reuniões, etc. * qut ali preparatórios sm seus Esta-
funcionários civis? no procuram faaer eoness* ram n«s últimas eleições, os INFLAÇÃO? se encontra instalada a Co* dos.
Sm primeiro lugar, o pró* mos. Constitui preocupação da
sôet aqui t ali, manobran- sargentos da Exército, FAB Altas patentes militares Seria altamente proveito- mlssáo Organlaadora da As informações de São Comissão Organizadora,
prio Governo, que so ser- do no selo de grupos espe- e Marinha levaram por dl- tare bém estão empenhadas so para conter a inflação, Primeira Conferência Nado- Paulo, como o Istado-sede, além da presença de cento-
viu do seu ministro da cifleos a fim de confun* vsrças vêze- o que pensam na campanha e em manl- que as nossas autoridades nal da Mulher Trabalhado- sio mais detalhadas. A to- nas de delegadas de todo o
Ouerra para hostllisar e dlr a liderança do movi- a respeito do assunto e en- festo firmado por cinco ge- financeiras aplicassem com ra. Poucas são as horas que do vapor trabalham as ope- Pais, o compareclmento dè
dastruir a união que as for- mento, Ot preferência, ape- vtaram memorial ao Con- nerais e um coronel-avla- rigor, e Já, os dispositivos nos separam da Instalação rárias têxteis, Mais de 300
mava. Trabalhando em sto- grande número de trabalha-
tomátlia Iam os gc*ernaatae para ns gresso defendendo suas rei- dor contestaram as afirma- da nova "Lei de Remessa do conclave e ainda há mui- delegadas do setor, em todo dores de ambos os sexos,
warmoala fiupus militares, aos quais vlndlcaçôcs.. .Nas reuniões tiváí «né-sr.-San Tlag« H-.U- de Lucros" * tamW-n,.,co- to que. faaer. o Estado, Já estão creden- para assistirem às sessões
com êsse grupo oflclsl, en-
eontravam-se oa diretores
acena tom melhorias e au- dt).* barhtuW á£'f*>:tmJ"ii- tas sôbre "a- repercussão in- brassem daquelas: btasnel- teada*. Só da capital, atln- da Conferência. Com êste
mento dt vantagens na ta- presentar cora delegações flacionárla de um aunv-nto ros riquíssimos que man- DETIDO O PAIS # WaW.à 10Í, ssptrando*se nú- .objetivo, procuram utilizar
do Clube Militar, perten- bela original. Antas, foi numerosas, ás quais os ser- superior a 40%. têm depósitos em bancos moro mais elevado até a ds- os mais variados .meios de
contas á Crussda Democrá- tentada a transformação do vldores civis dispensam o Mulheres trabalhadoras dt ta da instalação. Km 8. Cae- propaganda. Através de NO-
tica, gente ligada ao IBAD, aumento de 40% em "soo- mala carinhoso tratamento. Se o assunto é Inflação, estrangeiros, no exterior,
os generais Tácito Livio com o mesmo rigor e ur- todo o Pais, pela primeira tarso, mais de 300 tecelãs VOS RUMOS à arte. Eunlce
Lacerda, Cordeiro de Farias, no de emergência'', mano- Falhou, portanto, a tátl- Reis de Freitas, Gilberto gência, os Impostos sôbre vez, reunir-se-ão nesta ca* reúnem-se e elegem 30 re- Longo avisa: ''Estaremos
Pena Botto e outras flgu- bra Imediatamente repeti- ra oficial de amedrontar os suas rendas, que eles sone- pitai para debater seus pro- presontantes. Outras reu- reunidas a partir de 9 horas
ras físicas e Juridicss do gol- da, pois os lideres da cam- militares inferiores e de ca- Saturnino Alvim, Carlos
Hess de Melo, Newton Le- gam ao patrimônio do Bra- blemas, suas reivindicações nlões efetuam-se em Sto. An- do dia 37 até a tarde do dia
plsmo. Os clementes mais panha náo mala levam em lar os superiores com pro- mos, Anderson Mascare- sil. e o caminho para alcança- dré, Jundial, Campinas, etc. 28, no Sindicato dos Meta-
reacionárias da Marinha consideração qualquer pro- postas tentadoras. AI estão, de passagem, ai- Ias. A sede da Comissão che- As outras categorias pro- lúrglcos. gentilmente cedido.
.também tiveram participa- nhas é cel. av. Jacy Coelho
posta em torno de 40%. Fassando para a área po- prestam esto esclareclmen- nosso gumas das fontes em que o gam, a todo momento, no- fisslonals, porém, não que- Nà noite do dia 28, com.
çao destacada na tática dl- A mais recente tentativa litica, o problema dos ser- governo pode apoiar- ticlas dos mais variados re- rem ficar ausentes: no se- inicio às 20 horas realiza-
vislonlsta. Realizaram vá- oficial foi dirigida aoa ml* vldores operou o fenômero to "tao Governo:
. de ressaltar ainda que se para enfrentar a bata- cantos do Brasil e dos Es- tor químico, elegeram-se 14 remos a sessão de encerra-
rias reuniões no Clube Na- lltares. A lntensão. mais de lançar desunas de ml* tados sôbre a eleição de de- delegadas; 12 dos bancários; mento no Cine Paramount.
vai para elaboração de ta- uma vez. era «.tender os lhares ds sargentos na mi- os militares, apesar de vol- lha antiinflaclonárla.
tados para o* seus labores Parece justo que aos se- legadas e o debate de teses. 7 do setor de cames e derl- Contamos cem todos".
belas que eram verdadeiros militares, satisfasê-los e htàncla política a desço- tores historicamente res-
atentados sos direitos do afastá-los da campanha, berto, arrancando da semi- profissionais, têm plena
pessoal civil, inclusive com consciência cia üraviçm- ponsáveis pela inflação, e
eliminando, assim, um In- clandestinidade uma ativi- de que an'-e.' <i n «i r- r ri o seus o únicos benrficlárljs,
a supressão de outras sen- dlgesto setor de atrito com dade que há muitos anos se cabe ônus decorrente d*
tidas reivindicações destes.
Porsm os representantes
o Governo. Para isso o 11- operava nos quartéis..
der Oliveira Brito reuniu- Oe pronunciamentos dos
Pais a terrível onda infla-
cionárla. Indispensável política antl- CAMPONESES IRÃO A GREVE EM
inf laclonárla. Não será
dessas três facções, aparen- st eom os três ministros sargentos são francos, dl* Entretanto estão também através da redução do po-
temente antagônicas, que conscientes de que os seto- der aquisitivo dos militares
pressionaram a diretoria
militares depois que o pre- tetos e claros. Não aceitam
sidente Joio Goulart em- os 40% oferecidos polo Ga- res de nossa economia ver- -e civis o Brasil poderá SAO PAULO PELO SALÁRIO MÍNIMO
do Clube Militar e consegui- bareou onra o Chile, dos vêrno porque consideram .dadeiramente responsáveis ter um que desenvolvimento in-
ram com esta a proibição quais recebeu "sugestões sõ* insuficiente para as suai, pela inflação permanecem dustrlal adequado -base 8. PAULO (Da sucursal) IRÃO A GREVE Paulo (FATABBP). Decidiu-
de ato da campanha pelo bre a.s emendas a serem necessidades vitais o venci- intocados. E não é Justo que de sua tão almejada emr.n- — Os moradores da A noticia dessas êxitos, se a convocação dos patrões
aumento, que estava mar- introduzidas." mento que de tal aumento se deseje através do sacri- cipação econômica. peque-
cado para o auditório da- na cidade de Tapiratlba atingiu rapidamente todas para mesas-redondas peran-
Dis a nota oficial a ras* resultaria. as fasendss do município e te o promotor público de ca-
quela entidade. Poucos dias ptlto, distribuída pelo ga- Como se sentem na com- suspreenderam-se, dia 24,
após essa proibição o Govêr- binete do ministro da Atro- panhla de milhares de bar- ISTO I CONFISCO SALARIAL I com uma concentração de
dss adjacências. A assem- da localidade. Caso os fazen-
no anunciava que o aumen- btéla marcada para debater delros nào se disponham a
náutica: nabésT mais de 800 camponeses êsse assunto e a transforma-
%B/ %8/ ção da Associação em sindi- cumprir a lei, os trabalha-
.Anos Despesa Anos Despesa numa du ruas da localida-
esto velo para a praça pú- dores cruzarão os braços. Os
Camponesas do Piauí total
c/funclo
nalismo
total
c/funcio*
nslismo
de. t que naquela tarde se
realizaria a assembléia con-
blica. Encontravam-se pre-
sentes assalariados agrícolas
lideres camponeses pediram
que os participantes da as*
Vao Ter Encontro: Maio 1W0
1940
36,1
35.0
1981 39,2
1952 34,7
vocada pela Associação dos
Trabalhadoras Agrícolas ds
Tapiratlba, 8. José do Rio
de 20 fazendas de 4 muni-
cipios. Eram os trabalhado-
res dás fazendas Areias,
Santa Isabel, 8. Joio, S.
sembléia não se dispersas-
sem, que os trabalhadores
1941 3<0 de cada fazenda se reunls-
TERESINA iDo corres- cento projeto de Reforme LIDERES 1993 31,1 Pardo e Mococa qut nio Paulo t de multas outras,
1942 30.8 1954 36,1 sem à parte. Naquela mes*
ppndente) - As organiza- Agrária enviado ao Con- PRESENTE» 1943 32.7 pôde se efetuar no recinto que continuam a remunerar ma tarde os colonos elege-
ções de trabalhadores agri- 1955 31,8 do Sindicato dos Trabalha- seus empregados na base de
gresso pelo presidente, ds 1944 35,8 1956 14,8 160.00. ram, democraticamente, a
colas e pequenos proprletà- República, dando oportuni- * WD •••••-••« 33,3 dores em Alimentação, dado
rios rurais deste Estado es- Cs promotores do EN- 1957 28,5 A discussão dá ordem do comissão que vai liderar a
dade a que os camponeses 1946 37,5 1988 28,1 o grande compareclmento.
tão desenvolvendo intensos manifestem a sua opinião CONTRO estão entrando 1947 41.0 1989 22,8
.dia foi animada, contando luta pelo pagamento do sa-
esforços visando aos prepa- livremente sôbre o mesmo. em entendimentos com en- 1948 35.7 Mesmo depois de terminada com a colaboração de dire-
ratlvos do PRIMEIRO EN- idades representativas de 1960 21,9 lárlo mínimo nas fazendas
Acham os lideres campo- 1949 32.3 a reunião, às 20 horas, con* tores da Federação das As-
CONTRO DE CAMPOME- neses piauienses que pro- camponeses de outros Esta- 1961 18,6 ém que trabalham, e que
1950 34,0 1962 18,6 .tlnuavam chegando cerni- socisções de Trabalhadores
SES DO PIAUÍ, que se res- Jetos de tais natureza não dos do pais. bem assim com dirigirá também a greve, st
llzará no próximo mês de devem ficar mais restritos lídties do movimento agra- Em 1939 o funclúiiallsm- 43%III A generosidade na nhões transportando cam- Agrícolas do Estado de S. ela se tornar necessária.
maio em Tereslna. às cúpulas governamentais rio nacional, no sentido de absorvia 36,1% da» despe- entrega dessas subvenções poneses de 8. José do Rio
Essa concentração das e dss chamadas classes que se .façam representai sas da União; atualmente, e a espoliação do pais pe- Pardo e de outros munici*
massas camponesas do Es- conservadoras, pois se a ou compareçam, numa co- apenas 18,6%. Enquanto is- los norte-americanos, sio a pios.
tado visa a um necessária destlnação dos seus efeitos Iaboração da experiência so, apenas entre 1958 e 1962 causa da inflação, afirmam
posta em prática nouttas os gastos com subvenções os barnabés e altas paten- SALÁRIO
contato para o debate de
problemas e o encaminha-
é para o camponês êste é
que deve amplamente dis- regiões do país e como uma cresceram de 22% para .. tes militares. MÍNIMO NOVOS RUMOS
mento dos meios que pos- cuti-ios, rejeitando ou aceU forma de prestigiar as lu- Diretor
sam assegurar soluções às tando aS proposições con- tas dos camponeses piaui- Os trabalhadores rursls
enses, os quais somente atendem prontamente às Orlando Bomflm Júnior
mais sentidas reivindica-
ções da numerosa classe.
tidas.
agora começam a despertar Trabalhadores Gaúchos convocações da Associação Diretor Executivo
l-NIAO DOS para essa ação. de Tapiratlba, graças ao Fragmon Carlos Borges
prestigio e à autoridade
BALANÇO CAMPONESES Vários dos convidados Já
responderam já Programaram grangeados por ela em vir*
Redator Chefe
Luiz Oazzaneo
üm doa atos marcantes demonstrando àsdesejo solicitações,
de
tude de sua atuação diária
Em primeiro lugar, as As- Gerente
soclações de Lavradores e
do ENCONTRO será a fun- compareclmento e lncenti-
daçào da UNIÃO DOS vando aos camponeses
Comemorações do 1* de Maio em defesa dos interesses dos
camponeses. Passados ape- Outtemberg Cavalcanti
Trabalhadores Agrícolas já CAMPONESES DO PIAUÍ, piauienses a integrem- Perto Alegre (Do corres- qu. roc falarão quatro diri- nas 8 mesea de sua funda- Redação: Av. Rio Branco S57, 17» andar, sala 1712
existentes neste Estado que será o órgão de cias- se cada vez que mais e forte- pendentej — Uma série de re?ite! sindical* r> um líder ção jà conta com mais de Telefone 43-7344
pretendem efetuar, durante st destinado a centralizar -merrtenrra causa que empol- Importantes atos~publlcos~ camponês," seguindo-se um 1.500 associados. Gerência: Av. Rio Branco, 287, 9» anrtur, «ain
9M
p ENCONTRO, um Datançir Io®. 9 movimento dc mo7 ga ai ífrçtu progressistas e está programada para co- hiow, com u partic.pavao Uma das grandes bata* EndertCo^telesráflco-.—NOVOSRUMOS"
dás atividades Já dsssnvoi- olsfões do lavradores t Ira- u camadas memorar o 1.° de Maio na de «rilstas r«* Rádio n dá lhas travadas pela entlda- EDIÇÃO DE MINAS GERAIS
fidas até o momen^) na balhadores agrícolas do Es* esclarecidas do nais. populares mais
Implantação capital gaúcha. Uma Co- TV, que se lnleisrá ás 16 .de é a do pagamento do sa*
-*- -sovimsntoe continuidade
Redação e Administração: Rua dos Carljd» 121. a» andar
tado, fnnslonando tomo missão Organizadora, inte- libras, lárlo mínimo, que os fazen- S,'2C-i
camponês no Telefone 4-8666 — Belo Horlionte
PACTO grada por lideres sindicais, As C.30 da manhã, rep*- delros da região nio respei-
foi criada para elaborar o M-ntontes de iodos os Sln- tam. Apenas uma fazenda Sucursal de São Paulo
farão apreciadas as pmi- suirá estatutos tlabprados Rua 15 de Novembio 228. 8» andar, mia 827 -
«sita (ornadas.o sistema de ds acordo assa a realidade plano de realizações: Ivo cí'csto6 prestarão uma ho- pagava-o integralmente. ' '. Telefone 35-0453
O ENCONTRO, aue está Santos Amaral, do Sindica- menagem pcVuma ao lider Duas outras o faziam com Sucursal do Paraná
•Ffsalgado e fundo- ••jW ¦"WOTs"*^~r^W osj^esp v*,B?4BSsj**-^ marcado par» os dias 10, li to de Car ris, presidente; aerovlário Auzler Capbeii- os descontos. Enquanto um Rua.José Loureiro 1SS. 3» andar, aala 311 - Curitiba
namsnto <'" rJPIvdilCli'; e
HJtJtta nesssnooujratpsltaaograu e II de maio, culminará José Viana e Silva, da As- b». Irdo «>m -^m -ri *n Ce quilo d» carne ultrapassa Assinaturas
M dificuldades an* dt entendimento e 4o par- com * assinatura do Pac- sociação dos Ferroviários, mltério Sio Miguel. E às 16 de 300 cruzeiros, os latifun* AnUa*.
I t ai perseguições tidpaeio, procurando sim- U» Camponês-Opsr4rlo-Es- v i c e-presldente; Pabriclo nulas, haverá a ínaug-na- diários nio pagavam a seus. Crj io«V>!'

SrJ d» parle dos lati- pliflosr o proesssa rtnrt* tudantil, há multo deseja-
sentativo t dt nolltissçào do pelas principais órgãos
entra os mesmos, visando, das WJtttlvaj sIsmsi, a
f/cais, do Sindicato dos çá) srlene da nova sede do empregados mais do que a
BarcArios, secretário, Glè- Eu «'cato dos «tan-àrios de ridícula Importância de ..
nio Reis, do Sindicato dos rr-ito Alegre.
Semeatral
Trlmeatral
..,.,„,,,,,

Assinatura Aérea
• 500,1,1,
230.(r
180,00 por dia. A Associação
«EFQBMA AGRARIA sobretudo, k democratiza- fim de ofieliljfar um eom- l'ad'Ellstas, foi encarrega- A Omissão Organizadora partiu para a luta, moblll- Anual
Ci'S 2 3C, (.,
ção ds convivência t que ss promisso de luta conjunta, do io setor de propaganda. tambrm está c-r-vldando zou suas forças e obteve vi- Someelral
1 SUO.Ui
Pretendem os organizado- tornem aptos para compre- que, desde certo tsm-xj. O ponto alto das come- todos os Slndiiatos para tórlas: as fazendas Rosei- Trimestral 600,1*,
res do IWCJONITRO qus ender os seus problemas, mesmo sth êsse ato. Já se ir tirões será uma ;çr*.ide uma visita \s >ni-'Flr"'i.ss rlnha e Santo Antônio pai- .Número avulso ...
20.U.
o mesmo #»rva, tauii-wr.v nas causas i de como sa- vem efetuando de maneira core,rtração no Pa*, nue da Fitrobrás, no uia 30 de *"r?m a cumprir o disposto Kúmero atusado .,
30.11.
para uma discussão do rs* tirpá-las. eficiente * proveitosa. farroupilha, às 15 h o r a s, abril, às 9,30 huitó. na lei.

V •
U v
¦¦v '-,
4'• i\>,L Li J
t*

-*Ȑstonsk*o, Mm 90do abril * 1963


NOVOS RUMOS i —

Títere Car dona Confirma: As "Esq c


uerdas" co Professor Wüll lõgO ^« ¦> ,< *j.

Invasão Estava Preparada Gltcsndo Dias Como «o Milie, o professor Sun Tiago Dmn«».
quu «s Inclui por si mesmo na "esquenta positiva",
u» para confundir caio* seioics du opinião inV
Ullca e, para que és>c ohj-.tlvii m»jn alcuiiçadu, i*o
A renuncia do Miro Car- Nfto e apenas um arilllilu verbal .i distinção v um» ilgura de primeiro plano do atual Governo lar na tronto única nacionalista e democrática as
no em várias oportunidades, > o» agressores norte-america- no oual reponde petioalmente pela política eco- suas forcas mais oiclarccldiia c conseqüentes.
dona à Presidência do cha. inclusive mediante uma in- nos serão castigados exem- das esquerda* brasileira*, feita pelo profemor San iiómlea c flnaneelru. Pergunta-*-?: onde pode o «r. Como é natural, m- nio entro ns força» mais
mado Conselho Revolucto- vasfto armada, fracassaram em seu Tiago Dantas, em "esquerda poilãva" r "esquerda San Tiago Dantas, ou quem quer qu» .eja. en-
nário de Cuba nfto teria vtrgonhosamente, apesar •rrltórlo. O governo próprio
Rlarmente sovlé- negativa". ».»»•• aparento Jó-jo de palavras encobre, contrar nessa política elemento* de mquerdu —
combativa, dá freiua u.i.e.i .;, ,im divergências,
O» comnnlslas, por e.vir.p.i, :ini ci! lendo, inclu*
matar significação se nfto dos milhões de dólares, dos tico. numa brilhante com- em verdade, um objetivo o uma tática política para «•ja ela "positiva", "nekatívn" ou neutra? N» rei- si\e píililleain» nie, ou niilu.,0. dúbiiu, nvn (temos
fossem as circunstancias em tanques, aviões, soldados e provação de sua política de o. qual. precisam estar advertida» hh corrente» de nlclo de rclaçiW com n FMI, a agência através da
que se deu. ftsse Conselho» lançados nessa in- esquerda e, em geral, a. forcas nacloimllHtas e de- precipitados e voluntarlstui ,u< personalidade» q *j
eomo se sabe, reúne um pu- paz, propôs uma solução de qual os imperialista. norte-americanos intervém participam da luta comuni du nosso povo p*?|«
ame aventura pelo presi-
Íeneral» entendimento para por fim mociállca. do Pai», brutalmente, na economia do» palne. que batem libertação nacional o ppln <„ nweiacia. ain» o r.lv<j
nhado de antigos latlfun- dente Kennedy. Em menos ao extremo perigo que uma Em que consiste a distinção estabelecida polo ás .us» porta.? Na defesa que íéz o embaixador
<Uários, banqueiros, grandes de 73 horas a extraordlná- agressão a Cuba represen- ministro da Kuzomla? Em que atuam hoje no Bra- que temos cm vista é semp e o dc encontrar o en*
comerciantes e proxenetas Lincoln Uordon no momento em que esse agente minho mais Justo, o de íliellilor a coordenação <|,-rs
ria resistência do povo cuba- tava para a pas mundial. kll dois agrupamentos de e.querdu, preconizando dos tru.ies ianque, te Imiscuía da maneira mais força, progressista», fortalecendo a sua unidade sem
que antes oprimiam o povo no, contando eom a solida- Kennedy teve de curvar-se orientações política» não só divergentes, mu. até insuieiiie em assuntos político. Internos do Brasil?
cubano e nfto suportaram rledade dos povo. de todo o à evidência dos fatos: em mesmo contrupo.tas. "Esquerda poslilvir" «criu, »«•¦ que cada uma das diferentes correntes perca por it*
viver à lui do dia. traba- Nu Intui iliantc'capitulação á IT A Tque, segundo »o a sua própria Independi una. K Asse é um dever
mundo, obrigou-os a voltar, troca da retirada dos fogue- guiidu o critério do prufrosor San Tiago, aquela se siilie agora pelas revelações da "Hanson". Let- que diz respeito principalmente ás forças de esquer
lhando e produzindo em seu batidos e desmascarados di- tes soviéticos, comprometeu- que se acha hmyi ilmcnte identificada com o atual
próprio pais, uma ves vito- ante de todo o mundo.
ter", não se limito- á doação de 1 bilhão e 300 d» — a esquerda verdadeira, sem qualificativos
se solenemente a não Inva- (inverno e, mal» do que Uso, orienta o» seu» pa»* itillluW de cruzeiro., ma. envolve a entrega de 30 imaginário. — que integram n frente única. '
riosa a revolução. Fugiram dlr Cuba e a nfto permitir sos. traça t> executa a sua política. Contrariamente, milhões dc dotai.'* dos Si milhões conseguidos pelo
para Miami onde vivem, na Nova tentativa, dessa ves que partissem Invasões do a "esquenta negativa" estaria empenhada cm for* Qualquer tentativa de dividir nrtlfclnlmcnte
maioria, como limpa-botas em maior escala, foi feita ministro cm sua última viagem aos Estados Uni* o movimento nacionalista e democrático, apreseri*
território ianque. çar soluções radicais (que o ministro considera lua* dos? Nu» 21 compromissos assumidos públlcamen-
de seus antigos sócios ou em outubro do ano passado. Houve, na ocasião, pes- dequadas), em desfechar atuque. contra a orienta* te-se com a roupagem que fór. serve apenas ao.
Divisões Inteiras de soldados te pelo titular da Fazenda para fazer jus o Brasil
patrões, ou como assalaria- soas Inclusive bem intendo- ção do Governo e. dêsic modo, desacredita Io, até i» uma "ajuda" que, além de Insignificante, é mal. interesse» do» inimigos da emancipação de nosso
dos da CIA. mercenários norte-americanos estavam nadas que puseram em dú- conseguir alcançar ns seus propósito» "nr-gativo.". Pai» e do» cruéis espolladurcs no nosso povo, que
prontas para entrar em do que duvidosa? Na orientação antloperária e an*
prontos para apunhalar a ação. Esquadrilha, de aviões vida o acerto da posição as- Naturalmente, o dlvlior de águas que o ministro tlpoputar dada ao plano de combate à inflação, pretendem eternizar a subordinação do Brasil tios
terra onde nasceram. Car- sumida pela União Soviética, da Fazenda tem em vista ao formular essa lmagl- monopólios norte-americanos e impedir — ou, em
dona era o lider desse ban- aguardavam ordens nas pis- alegando que a Invasão nfto que corta na carne da. massa, assalariadas e dei* último caso, castrar — as reformas de estmtura
tas, enquanto numerosas nárla distinção é, principalmente, a política econó* xa Intacto, o. privilégio, da minoria espoliadora,
do de traidores.
unidades navais entraram passava de um "bluff", e mlco-financelra, por êle próprio defendida e levu* especialmente os monopólios imperialista. norte* JA agora absolutamente inadiáveis.
Acontece, entretanto, que em manobras, sob o pre- que o certo seria responder da à prática. americano.? Na intransigência em conceder ao Repelir e levar ao fracasso (ais tentativas é,
as coisas não estão corren- texto de um criminoso b!o- a essa chantagem com atos Mas nem mesmo a leitcjada eloqüência do pro- funcionalismo público civil e militar um aumento assim, uma obrigação imperiosa, pois está antes de
do como eles, a CIA e o go- de força. de apenas 40 por cento, quando o próprio Governo tudo na unidade a garantia do triunfo dc nossa
vérno dos EUA imaginavam. quelo. Encontraram porém Agora, a carta através da
fessor San Tiago Danta. consegue ocultar o artl*
um novo fracasso. Pela pa- ficiali.mo de.se esquema. Ante» de mal. nada, é reconhece que, desde o aumento anterior, o custo luta. Os acontecimentos políticos mais importantes
Tinham a ilusão de restau- lavra de seu lider, ride! Cas- qual Miro Cardona se des- falso dividlr-ie o processo político brasileiro de nos- da vida se elevou em cerca de TO por cento? Na dos últimos tempos demonstram, com a maior
rar a antiga orde mde coisas tro, os cubanos advertiram: pediu de seu vergonhoso so. dias em esquerda e direita, para em seguida emenda favorável aos banco» estrangeiros feita clareza, que sempre que surgem ameaças no nosso
em Cuba, isto é, transformar responderemos á altura a emprego lança uma nova luz subdividir a esquerda por .Inala matemáticos. Na* pelo ministro da Fazenda no anteprojeto de re* povo, e ás forças nacionalistas e democráticas se
a ilha, mais uma vez, na agressão. E a União Sovlé- sobre a realidade: o chefe turalmcnte, existem no Brasil correntes de esquer* forma bancária, acentuando desse modo ss suss contrapõem a essas ameaças apresentando uni-
semala e prostibulo de luxo tica deixou parfeltamente mercenário se dis desampa- da e correntes dc direita. Entretanto, o que carne* característica, reacionárias? No fantasioso lema das as suas fileiras, a vitória pertence ao povo.
que era até 1959. Tentaram- rado em Miami e afirma, "não compre hoje, Apesar de certos equívocos manifestados em ai-
claro; se Cuba fór agredida, tcrlza fundamentalmente o quadro político de nos* para comprar mais barato ama*
cem todas as letras, que .o Pais, hoje, é a existência, de um lado, das am* nha", quando os fatos mostram, cruamente, que o guns setores, essa experiência se comprovou mais
Kennedy havia garantido que se compra cada dia «Vmals caro? uma vez no» primeiros dias dc abril: a manobre
pia. força, nacionalista» e democráticas e, de ou*
oue a segunda Invasão a;- Não há, evidentemente, nenhuma lógica em golpista dos "gorilas" não se consumou porque
Lacerda, a República e as Eleições ria feita, cm grandes pro- tro lado, dc uma minoria entreguista e reacloná*
ria. Não é uma condição necessária que alguém rotular-se de positiva — e mais ainda, de esquerda diante dela se ergueu a unidade dás forças pa*
porções, com o propósito de seja esquerdista para Incorporar-se á luta pela II* — uma política econõmlcc-f inancelra que se carac* triótlcR. e populares.
esmagar a revolução cuba- bertação nacional e a democracia, Esse movlmen* teriza predsámente por manter • subordinação ao
Dois discursos foram pro- consciência de seus direitos na. 'Tomos traídos por Ken- to não se esgota na. corrente, de esquerda, que são, imperlall.mo norte-americano o por lançar sóbre
Unir e coordenar para a ação ás nossas fór*
nuiicittdos este mes pelo ti-. e de sua força e em que um nedy". chora Cardona em ças, e não dividi-las nem permitir quaisquer ma*
entretanto, suo força motriz e sua vanguarda. Mais as massas do povo os resultados desastrosos da In* nobras visando A sua divisão, é nosso dever pri-
luhete Carlos Lacetda, já poderoso movimento naclo- sua carta. falso ainda será, portanto, diferenciar as forças fiação ou das medida, tomadas em nome do com*
nu que éle Imagina ser a nallsta se ergue contra os Duas conclusões principais mordlal. Êsse é o caminho que pode levar, pela
trastes estrangeiro»'e Inclu- de uma pretensa subdivisão
políticas nos termos "bem bate a Inflação. pressão da» massas, á substituição da aluai po*
aua campanha eleitoral podem ser tiradas desses fa- das esquerdas: uma comportada" e a outra
p&ra a Presidência da Re- slve lhes Inflige derrotas. tos. A primeira, refere-se a "subversiva". Ne..e caso, por que o professor San Tiago Ótica económico-financcira por uma outra orlen*
No mais, o títere da em- insiste naquele rotulo e, além disso, aponta li exe* tação — independente, democrática e progressis*
publica, em 1963. Em Itu, na baixada Ianque não fés se- que houve realmente uma A verdade é que o professor San Tiago Danta. cração, a chamada "esquerda negativa"? Não se ta —-, á conquista das verdadeiras reformas de
convenção do PR paulista, gravíssima ameaça de inva- estrutura, à contenção da carestia de vida, á con*
e na ouanabara, na conven- náo replsar mentiras e ca- são armada de Cuba por está tentando impor um conceito pessoal, nbsolu- pode acreditar, como dissemos de Inicio, que exis*
çao da UDN, o raivoso ceia- lúnlas, insultar os trabalha- ff-rçag dos Estados Unidos. tamente seu. de esquerda, que foge por completo te aqui um simples jogo de palavra. A termlnolo* solldação o ampliação das liberdades democráticas,
tor repetiu os seus velhos e dores, defender a carcomida Ninguém ped: ter a ilusão, á lógica mais elementar. Senão, vejamos: em "es- que gla e os concdtos arbitrariamente criados pelo ml* à conquista de um Governo nacionalista e demo*
batidos chavões reaciom.- estrutura econômica que ai hoje. de acreditar que tais suposta
consistiria a política realizada pela "negativa" nlstro da Fazenda revelam objetivos determinados: critico. Sempre ao lado e à frente do povo, o.s
esta. responsável pelo atraso ameaças tenham desaparc- qúcrda positiva"? E por que seria- a dar prosseguimento á atual política econômico-fl* comunistas não poupam nem pouparão esforço»
tiÔL. •e a miséria do Pai.* agredir. "esquerda"? nesse sentido.
cldo para sempre er que o política reivindicada pela outra nanecira pespegando-lhe uma etiqueta esquerdis*
Quanto á República, tema os estudantes brasileiros e, governo imperialista dos
do 'governador
relambórlo de Itu, acha por fim, repetir as provoca- EUA tenha renunciado dc-
o mata-inendi- ções urdidas por seu patrão finltivamente a seus planos
Oordon sobre a 'infiltração Desmentido Iugoslavo: Tito
gos que o sonho dos brasl-
leiros é a volta á época an-
terior a 1930, Isto é, quan-
comunista no Governo".
Imagine-se que é nessa
agressivos. A segunda con-
clusf.o é a que leva à com-
provação de justeza da atl-
Acordo Com a URSS: Terceiro
do os privilegiados explora- base que o tlrenete nreten- tude assumida pelo campo Não Será Presidente Perpétuo
vam e oprimiam impune-
mente os trabalhadores con-
de apresentar-se ao eleitora-
do ü'ásiici'fò em i-'6ó c mo
socialista, particularmente a
União Soviética, que apli-
Mercado Brasileiro no Mundo Desmentindo noticiário impossibilidade de perma*
siderando que a "ques*ão candidato à Presidência da cando rigorosamente a poli- veiculado por agências no- nêncin em posto importan*
social é um caso de policia". República. Que o faça, pie- tica de coexistência pacifica Foi, finalmente, assina- rio, o que se constata é a valor equivalente. Em con- tlciosa» ocidentais, segundo te da administração por
Policial Irrecuperável, que cisomente assim, se conse- não permitiu fosse ateado o do sábado último, no Ml- estagnação ou a retração seqüência, somente ai, ter- as quais o marechal Tito te- mais de quatro anos. E' foi-
se baba de furioso prazer ao guir alguma legenda que lhe incêndio da agressão a Cuba. das nossas receitas cam- se-á um movimento nos ria sido proclamado prcsl- Ia uma única õxoéssào: és*
nlstérlo das Relações Ex- blals de exportação. Acres- dois sentidos de 110 a 140 dente vitalício da Iugoslá ses dispositivos não incidi*
censurar Jornais e invadir dè abrigo. O povo brasilei- que inevitavelmente se es- teriores, o acordo comer- milhões de dólares, em .. rã o sóbre a pessoa do pri*
sindicatos, Lacerda nfto po- ro terá então uma excelen- tenderia a todo o -preserveu
mundo, e cente-se que as cifras es- ria, a embaixada daquele
de conclUar-se eom uma ¦te oportunidade para esma- ao mesmo tempo ciai entre o Brasil e a União tlpuradas no acordo nlo 1063, algo que se aproxima pais amigo distribuiu uma meiro presidente da. Repú*
realidade social em què os gar definitivamente êsse as conquistas revoluciona- Soviética. Prolongaram-se constituem um teto ao in- do total mencionado para nota á imprensa. O escla- blica. "Isto significa — aflr.
trabalhadores adquiriram a triste e repulsivo corvo. rias do povo cubano. os negociações por mais de tercámblo, mesmo porque, o primeiro ano de vigência recimento frisa que a noti- ma a nota — que o presi*
três meses, delas resultan- como afirmou com toda do Instrumento. cia é Inveridica e contraria dente Tlto poderá cândida*
do, afinal, o acordo por um procedência o ministro San frontalmente os dispositivos tar-se à reeleição, ao têrmi-

Assassina do
Entretanto, de acordo
prazo de cinco anos, em Tiago Dantas, "o Brasil en- com as listas de mercado- da nova constituição iugos- no do seu período, ma« de
três doe quais está progra- contra na União. Soviética rias a serem lntercambta- lava, promulgada a 7 de maneira alguma?' significa
matfa; uma troca'«e merca- um- mercado de posenciall- 'das q«e tenha/rftfflTfíHMárrfàdo
dorias, nós don' sentidos, dade' Imprevisível.'' ••• a'URSS poderá vender- •'o impedimento do exercício „ presidente vitalício.", j'..
nos multas outras coisas,
no valor de 160 milhões de de mandato eletivo por dois '
dependendo, pois, em últl- VOZ DO POVO ; •
ulian dólares, no primeiro ano,
200 milhões no segundo e
225 milhões, no terceiro, to-
O cumprimento do acordo
ora firmado fará da URSS
o terceiro grande parceiro
comercial do Brasil em to-
ma análise, das provldên-
das a serem adotadas pe-
Io Governo e pelos empre-
períodos consecutivos" e a
Sinval A nova carta magna lu
goslava- foi elaborada por
talizando 585 milhões no sários brasileiros no senti- uma comissão especial - do-
Gririmau triénio.
Os volumes comerciais
estabelecidos no acordo,
do o mundo, somente su-
perado, em 1963, pelos Es-
tados Unidos e a Alemanha
Ocidental.
do de que haja mercadorias
para a URSS comprar-nos.
O novo acordo comercial
Palmeira Congresso Federal, quele-
vou dois anos redigindo um
anteprojeto. Êste foi publi*
Na madrugada de sábado, 20 do cor-
rente, foi fuzilado em Madri, pelo governo
que não são llmltatlvos, Marcando um novo pro- contém, pelo menos, duas no Méier eado e submetido a um pro-
cesso de dlscussAo pública
mas podem ser ampliados, gresso nas relações entre Inovações importantes. A
fascista de Franco, Julian Orimau Garcia, representam um avanço os dois paises, o acordo ore O escritório eleitoral do ria qual participou quase tô-
membro do Comitê Central do Partido Co- primeira é a que estabele- deputado Sinval Palmeira, da a população, em comi*
considerável nas relações assinado estabelece explicl- ce uma espécie de área
munlsta Espanhol. Grimau, após ser cruel- econômicas entre os dois tamente diversas transa- no Méler, receberá, sábado, cios, assembléias, nos sindi-
multllateral constituída pe- dia 27, a visite de seu p'a- catos, associações, organiza*
mente torturado, meses a fio, nos cárceres paises. Desde 1058, e con- ções que constituem, por Ia URSS e outros paises
franqülstas, foi submetido a um proces- siderando as trocas globais assim dizer, o núcleo das trono, que proferirá uma ções juvenis, na Liga dos
socialistas. De acordo com
so-farsa e condenado por "crimes cometidos entre o Brasil e a URSS, trocas comerciais até 1965. isso, se o Brasil dispuser palestra sóbre o 1" de Maio Comunistas da Iugoslávia e
durante a civil de 1930" e por ser e dará audiências aos seus na Aliança Socialista rio Po-
"artlcuiadorguerra
de uma rebelião militar con-
foi a seguinte a evolução
do comércio brasllelro-so-
Assim, são especificadas de saldos no seu lntercám- amigos e eleitores. vo Trabalhador. Essa discus-
quantidades fixas de pe- bio com os soviéticos, pode- Para o ato estão sendo sâo resultou na apresenta-
tlnua" contra a tirania que há mais de viétlco: 1 milhão de dóla- tróleo cru e derivados, as- rá utilizá-los comprando
duas dezenas de anos oprime o povo espa- res. em 1958; 5 milhões, em sim come de trigo, a ser- mercadorias que lhe conve- convidados os moradores çao de centenas de milhares
nhol. , 1959; 25 milhões, em 1960; rem compradas pelo Bra- do bairro. O escritório está de emendas, muitas' das
nham a outros paises so- localizado . à rua Tenente quais foram aproveitadas
Somente um governo completamente a 42 milhões, em 1961 e nv„ls sll á URSS, no trlênlo. Em clallstas que delas dispo-
margem das normas do direito Internado- de 70 milhões, em 1962. Des- 1963, o Brasil deverá lm- nham. A outra é a que es- Cerquelra Leite, 15, sala pela comissão quando da
nal, déspota e medieval, poderia Invocar de que' cumpridas as me- 201. A conferência terá ini- redação definitiva da lei pro-
portar da URSS 21 milhões tabelece maior diversidade cio às 17 horas.'- mulgada no Inicio deste mês.
pretexto de tão ostensiva Inconsistência. tas mínimas previstas no de dólares de petróleo cru de contes bancárias, o que
Não existe qualquer "rebelião, militar con- bro. Grimcu parece atualmente um homem presente acordo, atingire- e derivados e 500 a 700 mil virá facilitar em multo o
tlnua" (antes houvesse...) contra a íamige- que perdeu a memória. Suas mãos estão mos em 1963 a 160 milhões, toneladas de trigo, no va- Intercâmbio, de vez que.
rada ditadura espanhola, e quanto aos Ima- paralisados, em conseqüência da ruptura o que Indica que no perio- lor aproximado de 35 a 50 uma série de despesas até
ginários crimes cometidos por Grimau em dos ossos". do considerado o nosso co- milhões de dólares. De tal aqui feitas em moedas for-
1936, estariam, de acordo com as leis inter- O assassinio do lider comunista vem mércio com o pais lider da modo, somente em petróleo tes, como o dólar america-
nacionais, todos prescritos há alguns anos. provocando os mais vigorosos protestos de área socialista se desenvol- e trigo os fornecimentos so- no, a libra, o franco, etc, Fora de Rumo
Na verdade, Julian Grimau foi assassi- todos os povos. Condenando mais esta ino- veu quase que em progres- vlétlcos ascenderão a 55 ou poderão agora ser feitas
nado pelo tirano falanglsta por ser um minável atrocidade do verdugo madrilheno são geométrica, t total o 70 milhões de dólares. E nas moedas nacionais dos
lider do povo oprimido de Espanha na luta têm lugar na maioria das grandes clda- contraste que esse quadro como o acordo é feito pre- dois paises — o cruzeiro e Puttt MtHt Uni
por sua libertação. E é doloroso saber-se des manifestações de rua e pronunciamen- apresenta em relação ás vendo equilíbrio no valor o rublo, sem que se torne
que não foi a última vitima do slcário. To- to de personalidades e entidades impor- demais áreas em que se das transações, a URSS de- preciso, mesmo nesses cn-
davla, terá sido uma das últimas, já que o tentes. realiza o nosso comércio verá comprar ao Brasil sos, despender dividas de
regime de terror do ridículo "generalisslmo" Em Paris a imprensa foi quase unánl- exterior. Nestas, ao contra-- mercadorias pelo menos de difícil obtenção.
Os mesmos senhores que em 1961 gostosamente acei-
tem os dias contados. Por tentar remar taram a pressão dos aprendizes de gorila do general Cor-
me, numa severa reprovação. Em Londres deiro e partejaram, no curto espaço de tempo de uma sim-
contra a historia e por constituir uma operários, estudantes e Intelectuais realiza-
afronta aos povos. pies madrugada, a emenda parlamentarista, são hoje os
ram gigantesca passeata de protesto, si- animadores da grita contra o "movimento de pressão" em
O fuherer espanhol recebeu, em favor
da vida do lider revolucionário, apelos de
lenclosa. Em frente da embaixada espa- Chuva di oura sobra ts trutlM Ianques das reformas de base.
favor"Movimento
nhola foi depositada uma coroa de flores. de pressão"? O que vem a -ser isso? Dá-se
personalidades mundiais das mais variadas Participaram da manifestação antigos com- êsse nome ã articulação das forças populares, a começar
tendências políticas e doutrinárias — des-
de o primeiro-ministro da URSS, Nlktta
Kruschiov, ao prefeito da cidade Italiana de
ponentes das brigadas internacionais que
lutaram contra 0 nazismo na guerra civil
espanhola.
SUMOC Agravará a Inflação pela classe operária, no sentido de que se leve o Congresso,
extremamente heterogêneo, a votar a reforma agrária cm
Florença, o democreta-cristao Glorgio La termos de eficiência, além de outros projetos necessários à
Na Itália foram realizadas concentra- Com a Instrução 230 da ços firmes. O mesmo se po- ferência de renda dé toda alteração da atual estrutura econômica e social.
Pira; do cardeal Feltlh, de Paris, a Daniel ções públicas de protesto contra a exe- SUMOC. baixada segunda» de dizer do algodão. Em rea-
Mayer, presidente da Liga dos Direitos do cução de Grimau nas cidades de Roma, a Nação para grupos expor-
Homem. Também o governo brasileiro, por feira Ultima, o governo Ian» lidade, "Sanbra"
os exportadores tadores, inclusive america- Em pronunciamento no Núcleo Bandeirante ri" Brasi-
intermédio da nossa representação diplo-
Milão e Gênova. Marisa Togllattl, filha do
secretário-geral do Partido Comunista Ita-
çou toneladas de lenha seca (leia-se e "Ander- nos, a continuação da mes- lia, o sr. João Goulart, pouco antes de embarcar para o
na fornalha da Inflação. O son Clayton") não precisa- misslma política que o Pia- Chile, manifestou o pensamento dc que a pressão popular
mátlca em Madri, solicitou clemência para llano, foi a oradora principal da manifes- dólar, no mercado oficial de vam de um tostão a mais no Trienal submeto k cri- sobre o Congresso é legitima.
Grimau,- A todos, Franco permaneceu ta- tação havida em Roma. O lider socialista câmbio, passou a ser cota- O Presidente, que. nas últimas semanas andou tomando'
sensível. Respondendo ao premier soviético Pietro Nennl disse que o fuzilamento de para exportarem o algodão tica...
do a 600 cruzeiros para a de que já dispõem, eles que Diante disso, é simples- posições bastante impopulares, dessa vez produziu unia
afirmou cinicamente que a sentença seria Grimau foi um crime repugnante. compra e 025 cruzeiros para afirmação positiva. Por que não seriam legítimas as pre.-,-
cumprida, "a despeito das campanhas de Em Genebra uma multidão reuniu-se a venda, ao invés dos 460 o
compraram a safra aos
baixos preços anteriores.
mente criminoso insistir em
soes populares sobre o Congresso? Será o Congresso mua
propaganda organizada, que tem por ftaall- em frente à sede européia da Organização 475 cruzeiros, respectiva- querer conceder ao fundo-
dade embalr a opinião pública." Um órgão Apesar disso, pela Instrução nalismo apenas 40% de au- assembléia agasalhada em torre de marfim e completamen-
"Arriba", che- das Nações Unidas para condenar com vigor mente, que estavam em vi- 239, vão receber mala 100 mento, quando o custo de te Isolada do mundo?
de sua Imprensa, o diário o assassinio perpetrado por Franco. A ma- gor. cruzeiros por dólar de ai- vida terá aumentado de Ora, sabemos que o Congresso brasileiro, bem como
gou á Inigualável desumanidade de escre- nifestação foi dissolvida, com violência, Por que o governo decre- godão exportado. mais de 60%. Dois pesos e todos os Parlamentos, em todos os p.;i:es e sob iodos us
ver em editorial comentando"osa execução a pela policia suiça. ta esta nova e violenta des- Vinha sustentando o go- duas medidas, então? Para regimes, agem à mercê de influência.; c pressies variáveis,
tenebrosa zombaria de que heróis cria- Em boletim especial a Rádio de Mos-
dos pelos comunistas nao resistem à pro- cou, suspendendo sua programação normal,
valorização externa do cru» vêmo — vide Plano Trie- os tubarões da exportação ora positivas, ora negativas.
zelro, da ordem de 3U%t nal, vide carta do sr. San mais do que a alta do custo E o nosso? Não sofre pressões? Preücúe.s è'.e stíre.iiü
va do tempo../'. noticiou a execução do dirigente comunis- O pretexto alegado é que se Tiago Dantas ao sr. Davld de vida e para os funciona- toda sorte, principalmente pressões reacionárias, o pro-
Julian Garcia Grimau, que segundo os ta, quallflcando-a de "mais um crime re- fazia necessário estimular a Bell — que não alteraria as rios rebaixamento violento prio Interesse de classes e setores anüprógresslstas esta re-
despachos telègráficos morreu oom Inexce- pugnante do regime fascista espanhol". Na exportação de uma série de
diveis dignidade e tranqüilidade, era mem- República. Democrática Jüejnã_a_exeçução taxas de câmbio senão na do nível devida? presentado na maioria dos coiiponentes cio Congresso, lio-
produtos, a qual, suposta- proporção do encarecimento
~clõ Por outro lado, a decanta- mens ligados á econmia latifundiária p. i\ indústria çumo
bro do Comitê Central do Partido Comunis- foi anunciada pela agencia oficial, a ADN, mente, seria Inviável a texa~ custo-deTrlda-no-B»sí litica-antiinflaclonárla- _por exemplo a de automóveis, que se distingue por .sua ii-
ta de Espanha desde 1954. Teve uma vida que disse em seu comunicado: "foi um as- de 460/475. Examinaremos Ora, desde Janeiro, apesar está reduzida a pó. Só a di- nha de esperteza e ganftnüfirde a.ia ¦cHtmh-a-i^h-ir
por inteiro dedicada à libertação de seu sassimo que provocou surpresa e indigna- mais detalhadamente no de todos os pesares, nao se ferença de cambio corres-
povo e ao socialismo. Residia, por último, ção em todo o mundo". próximo número outras lm- registrou uma elevação de pondente aos atrasados co- Pressões, boas e más, não sofre apenas o Legislativo.
em Paris, oní,-* amargam mais que todos a Em Budapeste, o governo húngaro eml- plicações da Instrução 239, 31,5% no custo de vida. Se mercials obrigará o govêr- Sóbre os ombros do presidente da República desabam pres-
dor de sua perda a. companheira e duas fi- tiu uma nota oficial na qual se diz que a mas, desde Já, desejamos tomarmos um período mais no a emitir ou tirar de ai- soes de toda sorte. O Ministério da Fazencia, pontó-chave
ihas ainda meninas. Em fins de 1961 Gri- *. morte de Grimau foi um ato de terrorismo deixar claro que considera- longo, de 1.° de Janeiro de da política interna e externa, é uma caldeira sempre aniea-
mau entrara clandestinamente na Espanha. revestido de falsas formalidades jurídicas. guma parte cerca de 10 a
mos a explicação oficial co- 62 a 23 de abril de 1963, ve- 15 bilhões de cruzeiros para cada de explodir ao efeito de altas pressões. O ministro da
Velo a ser preso em novembro de 1962. Do Na Tchecoslováquia, a Rádio de Praga co- mo uma tentativa de enga- remos que a desvalorização comprar a 600 o dólar que Fazenda pontifica pressionado.
eve sofreu na prisão dão bem uma medida mentou a consumação da sentença Ignóbil nar a opinião pública. Com externa do cruzeiro terá sido êle Já vendeu a 475 cruzei- Hoje o gabinete do sr. San Tiano Dantas é um iormi-
estas palavras do médico britânico Aaron como sendo mais "um nefando crime da efeito, por que o cacau e o de cerca de 30% mais alta ros. E os aumentos do trl-
R ppaport, que o viu no dia 26 de março Interminável lista de delitos cometidos pelo Bueiro de agentes que exercem pressões. Dentre é.ste.s di »•'-
açúcar, por exemplo, pred- do que a elevação do custo go e do petróleo, implícitos taca-se o Impressionante embaixador Lincoln Oordon, eu; s
intimo, quando a policia da ditadura, depois regime fascista da Espanha". savam de melhor taxa cam- de vida. Isto significa, por- na filosofia trienal de que históricas declarações na Câmara dos Estados Unidos so-
r i espancá-lo barbaramente, atirou-o á rua, Em Brasília, discursando na Câmara bial. quando seus preços-ou- tanto, que o governo aca- o combate a inflação se de- bre a "Infiltração comunista" no guvõrno Gouíart vale ir m
c ••• uma janela da Direção Geral de Segu- Federal, o deputado Adão Pereira Nunes ro são agora mais altos? O ba de conceder a amplos ve fazer começando pela eli- como forte pressão durante as demnrciies que o ministro cia
nça, julgando-o nos últimos estertores:
r."Grimau afirmou: "O mundo está enlutado com açúcar, particularmente, es-
está parecendo um fantasma. Tô- mais um crime hediondo do ditador espa- grupos de exportadores minação dos subsídios ao Fazenda realizou na Casa Branca, na Wall Street e em ruas
tá, no momento, com os muito mais cruzeiros do que consumo? transversais.
da a parte esquerda de seu rosto está des- nhol, general Franco. Mas não será com seus preços em dólar três o que eles poderiam dese- Em suma: a nova Instru- Por que todos haveriam de f.v/er pressões contrárias ao
fr-urada. Na fronte exibe uma profunda medidas terroristas como essa que o govêr- vezes mais altos do que há jar para compensar o en- cê o pode agradar ao FMI, interesse np"ion?l e so o.s grupos ligados ao povo não po--
cicatrlz, conseqüência de uma ferida que no de Franco permanecerá muito tempo em um ano e qús,nt<i.'».*» c-tiu cíirp<-i»"«mto do custo de mas va' Hçggraçar ainda derlam furüitr c;.i s,;a .-'licole os vendilhões do ter.iylo
evidentemente lhe afetou também o cera*», sua pátria". ** perspectivas são de pre- vida. E uma absurda trans- mais o Pais, arretfimeniudus cm ürasüiaV

V \\ \
*' <

— 4
NOVOS RUMOS Rio de Janeiro» 26 a 30 de abril de 1963 —

•*.*¦* iv ,-s'

RACIONAMENTO É CRIME
ENCAMPAÇÃO É LEI
WP^M^mm sgEfcá Tf<"$&
mH
'MM PluVfl 1'
Wm,T ^f^MM_\__Wmi M' __\
S^a amM^^-vMiH ILal LPwJBJofi
BBBBBBBBBBbVv ^"'' utêHr mm' ^Mm-W] tr '•fw tá
KIS».:- BMSSS- -w !<J gfl .'Í17ÍI
bssét,*,?-;-. assai *. ,sg.
aãl ¦I^Bm ^g^P t^aaV gsn n j'i
s| HWr ¦•flBaV

Dfienove horas do dia 17 industriais importantes, tais Light, longe de ser um pre-
dc abril. A luz for».c dos re- como Santo André, Santos, ra de operária daempre- '* 'ifüf* tr" • di" •w Em primeira página, edi-
11c. rs incide s',ore a me- 8ko Bernardo, Ouarulhos.
Juízo, o racionamento é lu-
cro, a raultada para a
gados, queda acentuada na o público não tomava in* co- torial, vém a Marinhos, em
Jacarei, Sao José da Cam- industria sao a mais terri- produção nacional, Ilumina- nhecimento de um escánda- su edição de 18 de abril,
sa operatória .Io hospital elo publica reduzida ou cor- Io. de malt um vereador no dizer qu o racionamento
X. em Botafogo once uma pa Cacapava, Taubate, vels, como a pode aferlr tada, devedores psrsda, bolso da Light, de suborna
Plndamonhangaba, Guará- através ds um relatório da bairros ás escuras. Apeur era necessário, que a pobre-
«cniiorf e submetida a de- tlnguetá. Lorena e Crusei- ao Prefeito, etc. A empré- alnha da Light só o utilizou
Comissão Mista Brull-Etta- dluo, a lucros da Light au- sa mantinha <e mantém)
litros cesariana. De repen- ro). e mais de 10 munlci- da Unida, absolutamente montando, e o governo as- como último recurso, que a
pios do Estado do Rio. insuspeita no caso: uma polpuda verba especial- estiagem veio agravar a
te. confusão, 'mprccauçõcs "A atual escassa
slstlndo a tudo de braços mente para evitar a Cá- déflclts da empresa, etc.
i» pedidos para i i.gacúo Para Justificar o raciona-
mento. a Light apela para de ener- cruuda, ou propondo so- mara controlasse oquecumpri- E termina dizendo, como
U'Mi-tc do geradir próprio gta atá tendo toda a sorte lueõts favoráveis ao traste mento das cláusulas contra-
absurdu desculpa, cornou de conseqüência, onerosas e altamente ledvu aa In- tuais. para evitar que fôt- o diriam a própria dona
da sp.a, agon Imersa era de que u populações estão todas para a Indústria, em teraas nacionais. sem cobradas as elevadas da Light, afirmando: "Eco-
pe.xaria escurdno A inter- gastando lu em excesso, termos dt quantidade e multas prevlttas em contra- nomlxar energia, sob todas
'-enf&o cirúrgica ou de que tem chovido pou- qualidade da produção, bem LUCROS to contra o mau serviço u forma, é, portanto, a pa-
pôde ar ío Mas Isso são cotias que como de dinheiro.» Por oa- lavra de ordem para toda a
completada com c*'to. deveriam ar previstas - alio de séria sobrecarga na prestado. Guanabara. Será um «cri-
Or médica, ir almente tanto o aumento de con>u- Instalada no Brasil logo Hoje, evidentemente, a ficlo de cada um em bene-
rede, a Light nao tem alter- no Inicio do século, a histó- coita continua a mesma, de I • _- _____________\\W gB I ** " - Balai oB
abrrrtos na op:rtçào. sò n.o fruto do desenvitvi- nativa senão desligar artos ria do movimento flnancel- fido de toda". O daejo evt-
mento. como u fas?s de es- circuita, conforme necessá- vez que não se tabe de ne- dente do comendador era
depois compreenderam a tibgem.
ro da Light em au primei- nhum» sanção imposta pelo dtaer "em beneficio de toda ^M y_\\__________\_^______Üí__i*^' 'mm\ M^M.9*JÍmÍ-m\ mm
•a'ti dc luz. a Light, sem rio, sem aviso prévio. Tala roa anos entre nós é total-
O que realmente acontece artes causam prejuisa u mente desconhecida. sêmen- atadual contra a os acionistas da Light". Mu
ntnlium aviso po-iii. a ha- Ight. nenhuma exigência de
£pvérno ai também já em uma con-
via cortado, «m sei- criml- é que a Light, em ves de indústrias, uma ves a te a partir de 1018 é que fo. M--'M W9l B
noso sistema dc raciona- adotar uma politlca de re- operária permanecemqueIna- ram publicada alguns da- pagamento de multat de
cumprimento dot contratos.
fissão exagerada de amor
mento. que náo respeita nem novar sua aparelhagem para tiva nu fábrleu durante a da a respeito. ao traste, amor qu a Ma-
colocá-la ao nível das atuais Interrupção... No fabrico de E malt. Está ai, fato Inédi- rinhos não conseguem a-
mesmo os hospitais, cujos Dada daa época indl- to, oficializado na Guanaba» conder.
quartos, alguns com enfer- necessidades, prefere reme- pneumàticos. perde-a a cam que foi de cerca de 13 ra, am a complacência do
mos graves, passaram a ser ter para o exterior seus gl- produção do dia quando milhões de dólares o apitai
iluminados a vela. (Diga-se, gantesca lucros e aplicar ocorre Interrupção data na- Inicialmente Invertido no "black-out" noLacerda, o
governador COMPRA NAO;
indevidamente bilhões de cure», e consome-a o dia Estado com
entre parênteses, para que ais. Dai para cá, com a hora marcada para faltar ENCAMPAÇÃO xas^S.*'-*'^' bb»«í''3» i?' ¦ ' :t?9 El
se alcance o absurdo da me- cruzeiros em flnanclamenta seguinte na limpem da ma- acumulação incessante da luz, para prejudicar a Indús- BBaBW'lMwliM •? H;^ ¦ >'"—w<!Haaam MJW+
dlda, que a luz é retirada aa ou avais fornecida pelo go- quinaria. Na foma para lucra, o capital foi crescen- tria e particulares. O atual racionamento nio
hospitais, mas não aos ei- vèrno. vidro, fia cortada a clrcu- do em térma gigantescos. E a mesma atitude num momento em que está •aBáJ^" '°'-''ÀtM \\\.'<«?i9 Bx
nemas, para não prejudicar O racionamento, na ra- (ação do ar de refrigeração De 1918 até 1M7, foi de cionista, absurda sob prote- na ordem-do-dla a solução
as companhias exibldoras . Udade, favorece a Light, ao das paredes do forno, afe- 550 milhões de dólares o to- todot do pro'u'ema de energia elé-
invés de prejudicá-la. O tando-lha a resistência e os aspectos, vem sendo ado- :____M^i^___^^__^sW____________f,' ^fcj ¦''
Como este caso, inúmeros tal da lucra da Light, que tada pelas autoridades fe- trlca no pais, com os Inte- __\ __fyç__
outros se verificaram ante, consumo de eletricidade náo duração. Tais Interrupções foram ' empregada da se- rêsses nacionais reclaman-
é uniforme durante o dia podem a tornar multo dis- derais em relação á Light.
que a Light comunicasse os gulnte forma: 385 milhões que, apesar dos Imensos lu- do a encampação du em-
horários do racionamento, todo, havendo horas em que pendlosas para u indústriu' para o financiamento de cros já conseguidos, pleiteou presas t estas exigindo do
deixando centenas de pes- é maior e outras menor, fa- químicas. No fabrico de po- ampliações, e o restante dl- e alcançou Oovèrtu.' uma compra que,
soas presas em elevadores, zendo com que a carga das llestlrénio, por exemplo, o vldldo entre a acionistas. empréstimos
material que se encontra em tubstanclosos para o desser- por todos os aspectos, lnes
arriscando a vida de mu!- usinas em algumas horas Isso significa que o patrlmó- viço que presta ás popula- será benéfica.
tas outras, prejudicando a aumente e em outras dlml- processo m solidifica deter- nio da Light foi formado ás
nua. Racionando, a Light minando uma parada de du catas de seus própria lu- ções da Estados em que O próprio presidente da
produção industrial da dlu. no mínimo, até três funciona. Dentre eles pode- República náo se pejou de
Guanabara, deixando ases- procura uniformizar a car- semanas, no máximo, en-
cros, auferida no pais, e não mos lembrar os 200 milhOes declarar no Congresso nor-
curas as abandonados bair- ga durante o dia todo, dl- como resultado de afluxo de de cruzeiros concedidos pe- te-americaho que tinha In-
ros cariocas. minulndo o fornecimento quanto se retira manai- capitais estrangeiros. Io Banco do Brasil e mais terêsse na solução da com- ^_^k -^^B ___W_____V_______ ^t.*~
'^______M \\_\_}
nas horas em que a carga mente o poliestirénlo endu-
é máxima e forçando o con- recido. Uma dificuldade re- E de 1P47 em diante, os 90 milhões de dólares com ?ra du companhias conces-
RACIONAMENTO sumo quando é mínima. iulta du baixa de potén- lucros começaram a subir, o aval do governo brasilei- sionárias de serviços públl-
Deste modo, a Light for- da e de freqüência durante como mostra o quadro atai- ro. :os, para que atas aplica-
DÁ LUCRO xo: sem a capitais em outros
nece o máximo de energia ot períodos de sobrecarga. setores mais rentáveis e me-
que pode durante o dia In- Queimam-se motora e gran. Ano Milhões PROTESTOS
Já de muitos anos que a de parte do equipamento Mi- na expostos ao público.
teiro, utilizando, racional- Ihões Capitulando vergonhou-
Light vem racionando a mente para ela, da mesma funciona de maneira Irregu- de Cr$ Tds são os prejuízos cau-
lar... Os tara trabalham VBÈ mente ás Imposições do "Po- Kfl *• »> ga*•#¦"*? ^m mmmmtUMÉ^ÊT^'*^mmmm h MW - •
energia elétrica dos princi- maneira, o emprego mâxl- 1948 543 .. .. 39 sados com o racionamento,
relgn Aid Act" (Lei de Aju- ^Ê^^lw^M^MmmMgKM :*l m y^-m . ?
ais antros Industriais do mo de suas Instalações, e ineficientemente nessu aa- 1949 , «31 .. .. 33 que inúmeras têm tido as
paia, de va que, contrj- ganha também o máximo slões porque u lançadelras 1950 «53 .. .. 35 manifestações de protesto da ao Exterior), lei tanque
lando 60$ da produção de possivel. Isso pode ar com- reduzem a marcha, o que 1951
• o o • • • o

. «95 .. .. 37 des mais diversa setores da que prevê o corte de qui-


energia elétrica nacional, provado pelo fato da lucros trat como resultado' tecidos 1052 7» ... .. a população.,; f. quer ajuda a pais que nacio-
oetém o monopólio da oro- da empresa serem sempre de qualidade Inferior..." 1953 845 .. .. 45 Os industriais cariocas, fl- nallse empresa Ianques, o
Ou ção e distribuição na crescentes, apesar do rado- A projeção disso é butan- liados á Federação das In- governo brasileiro ofereceu
Ouanabara. São Paulo (ca- namento. Vale lembrar que te tra- dúttrias da Guanabara, lan- este verdadeiro maná que é - «B| MmMmm^t^^^^^^fÊM ^LU ¦ ¦'¦ '¦'¦':¦ ¦ ¦ -•;¦ ZtâêX]m^mVM^^L^MemWÍ
te conhecida — dezena de te de números confessados a compra do material obso- MM ____mCm<^y^^m mMmimtMidm^Li.' ¦. 'inMm\ "¦ ¦'¦¦'¦¦' '¦--**** '¦'- -"•-¦ vi aV'^. ¦ * 3ât :»:-'-?íííi:?:;-. ?.
pitai e mais 30 municípios Enquanto que para a fábrleu paralisada, milha- pela empresa, que se conse- çaram nota pública pela Im- teto da Light e da Bond and ':-:
mm^MW}<M^m\^y^i W^^^VT^MÈt ¦¦-;'¦¦¦ ¦¦•m'¦' ¦¦¦ 'üí-^Sut'
gue se manter auferindo tais prensa protestando contra o Share, por quantia que vai a imBM ggSafwti gC'í: ;«4a)>í^aBvâF ¦'¦ m KiaMtaM»«çw»«JI
corte de luz sem aviso pré- M "_____[ <-&i
MmmWy-'- ¦¦¦¦¦'¦ ->S¦'¦¦''¦ SW ' ¦¦-'^ /$¦
____\\\\___\_\ •' sar
FüM MmMmMiiffl&íMmR--^'-::
lucros, fora do normal no vlo e sem justificativa, en- mala de 1 bilhão e melo de < M&¦*¦'<'
W- WÊT m
pais, enquanto presta um carregando dois de seus dl- cruzeiros, para que a ian- ' ' ¦i_^_mJ&M*k
serviço público em condi- quês apliquem esse dinheiro Wr'^ÈÉmmmW Bk f$< JBi' xXt,z^j
ções tão precárias, é apenas retores para levar ás auto- em outras atividades indus-
rldadea suas queixas contra trials a salvo das manifes- wfW Ba«B»*'-^^I^'«^WaBBal: #tÊSÊ9^^-mKmm^£-im'y^$5^
por culpa de uma politlca o trutte. '''•!
nefasta seguida por gover- tações populares. ____________t____________Z sHasaral
nanta que, em vez de agir Também a Federação da Não é lstc que atende aos
dentro dos meios legais que Indúatria do Estado do Rio interesses nacionais, como
possuem contra o trutte, se ergueu contra a medida, bem alertaram 170 deputa-
ainda os financia e protege, declara ndo-se em sessão per- dos na Câmara Federal que _m_r -jm fBíiKÍ:<¦'---'___ uW
esquecendo-se de fazer a em- manente e decidindo enviar assinaram pedido de Comis-
presa cumprir suas obriga- um protesto ao presidente são Parlamentar de Inquéri- _Wy-^____rjB__ .¦ • ___ _M
PPS — Problemas da Pai e do Sectarismo ções contratuais. da República. to pan examinar o assun- g^Bp^'':/] I
Acompanhado em suas de- to e denunciar o Oovérno por
A LIGHT E claracões por vários outros crime de responsabilidade Saasi LaaT^^" '1 La^^i -^Eat

¦ eWMt) PVffOfW • OQOfvTM 08 POLÍTICOS industriais, o srmador Luiz caso a transação seja feita
^ Carretelro afirmou estar, na
^^ envolvendo verbas da Elé-
3/63 vigorarão noves praça pora a aaliwturas (s iminência de ser obrigado a trobrás.
O governo do tr. Leonel despedir centenas de opera-
Cr$ 1000,00 e semestral Cr$ 600,00) e nemere Brlzola no Rio Grande do Os deputados, com sua Lar M osaam - ^jMt m
Sul mostrou, ao encampar rios de seus estaleiros por ação, esperam que o Oovêr-
(Cr$ 100,00), permanecendo as mesmas a condições ejw não poder mantê-los de bra- no envie á câmara um pe-
a serviços da 1T4T (Com-
rapuium a reki(ôes cem agentes e diUribuWerat. panhla Telefônica Nadonal), cos cruzados grande parte dido de abertura de crédito I Hi sW At B
o caminho arreto a seguir do dia. especial para a compra. Se
contra as empresas conces- Também de , vários bair- isso acontecer, os deputados
sumárias de serviços públl- ros cariocas surgiram pro- deverão recusar o crédito e M* J l M\ MM WWBI
A GERÊNCIA ca que não cumprem seus testos dos habitantes, co- elaborar um substitutivo wF L
contrata. mo o caso de Ipanema, cujos para a encampação das em- gr-
¦easjR; -4 I ^»otJ IWJI MamE
Em atros Estada, po- moradores formaram comis- presas, com o tombamento j. (, { ,.<N j »eBw:SBK«aa[
rem, a historia tem sido bem sâo e foram aos jornais pro- físico e contábil das mes-
outra. Todos ainda estão testar. mas.
lembrados de quando a Gua- Esta sim — a encampação ^S™^v»fí^^^^^ew^e™'-^^'¦^fSSm%mlm^^''^:'JÍ^^Àm\9-' ••¦:^.' '"^'^-'^fi^vflJIJBHB• ¦
abara era Distrito Federal «O GLOBO» "•>m o levantamento físico V:*s«w
e contábil — é a solução WiwmM IIkIbW. immmm-iííÈwSmJr ¦ > " >^l
e, esn vez de Assembléia Le- CONCORDA ^v^-:-^KflJfljgaflal MmmKàWiWtM/ Myí;_____\mks:' ^.pMs&^.^&.
gislatlva, postula a Câmara A única voz favorável à que interessa ao pais. Pagar,
de Vereadores, mais conhe- a titulo de indenização, ape- i iflWafi Tii r^ -:mm\ mÊm-.YJí
*jám BbkIÈÊÉÍÈ
cida como "Gaiola de Ou-
marotagem da Light foi a do nas o que o tombamento in- __(>_*>____ tkfW9 • __\
comendador Marinho. "Et dlcar. E se o tombamento
ro". pour cause", para usar uma
Devido á alta desmorall- expressão do agrado for bem feito, é capaz da
zação a que chegou a "Galo- do mes- Light ser encamoada e ain-
mo comendador. da ficar devendo... •5»-.,..»^ÈS^v:,3sgsaaaaBaBaa^

20 Dias de Greve:
O QG DO MOVIMENTO
"Jft d08 tr*balnadores enviaram á sede dos eráficos
?». valiosas
suas contribuições, estimulando tençlimeotos, mire os dirigentes sindicais dos
^omoJn*° P0** tetatr de ar, a sede do Sindicato do*
*,Trabalhadoraii les homens que não faziam greve há mais deste modo^ouê?Q tiveram a fr^nfe o IBn intrépido previstas oue
nu Indústriu Gráflcu to Recife vdho c£
arao localizado na ru* Direita, transfomou-se
de 30 anos.. cll<?Sou. E ela veio parapraiilâenta; evaldo Rá-
desespero .dos patrões'"
y.,^01;.8
que tudo fizeram para dar, ao invés do aumento
General do movimento. Desde o primeiro minutonodeQuartel DA GUANABARA E OUTROS ESTADOS aneiias
Gráficos Conquistam a pequena ala de sessões ficou superlotada de opeíários
ae
dT^Snm^SSS^
greve, organizaram-se e \T**
M d,ve™>
neve
"mffiões
deslocaram-s* nor* n. rn«aNn.
setores de trabalho piqueta e1nataT5ustes?com
.' O Sindicato dos Trabalhadores Gráficos da Quanaim
raBWV toporttaclaee «0 mil cruze ros; de PetrÓDolfs
locaLdos gráílcos remete" a torwrtância
um irrisório abono... Mas. o tiro saiu
e^mpregÜâdÓs'nir'd0'
11ü Pa!aCi° C° °°™n°>
pela culatraTuni
S^»trS
ojllí,,f firmado 0S gráficos receberão um aumento
de Impedir os s"tante mi?^S8.*0
mil cruzeiros; o Sindicato de 5 ri» 7^1? °°m
fura-greves. os quais, no entanto remeteu a importância de dos Gráfica de M«e ó Alaaoas íxc?ca,°'tde ealguns trabalhadores es-

a Sua Vitória Sfiante.


*rmíSnJ&Êt
^* possíveis
***"'tonm m númer° qu&8«"SJ
mtíf atutnt*« « iue tiveram um maior
trabalho foram a colocada em frente
suas contribuições financeiras
10 mil cruzeiros; no Recife eno^
municípios vizinhos quase todos os sindicatos
Sindicato
remeteram
para os grevistas adendo
dos Trabalhador!vS
Decializarínf *&
S?f*T
adultSf ficando
S'
como os "notlplstas intertlplstas; os meno-
"f^^13-0^1;!0 a mctade d0 Sí,-!ári° majòrado Sa
çxp.icito que nenhum operário atualmente
em Pernambuco pSl
ás oficina* lin «íí» ttZr*Serfos»s,egulntes:
Industria de Moagens, Sindicato dos TtateilSres dS Per5abhe^sd^rf^^innfdPí.n^iaS f!"CaS
r a vmte, e um mil e oltocentos cru-
Reportagem de RJIfJo MoUla, Marla- Slndlcat° dos TmbtóSSrea nl In- atrosr Piont tSmw^ assegurado no acordo
trabalhadores escalados pelo sindicato S,me„Sania afl/tl ^
todos quantos participaram. a anistia total
dustrla do Fumo em Pernambuco. do movimento. *
SS SírSSs*!mMaMt a ¦flm *• *:«Se4
passavam ás vê- Sindica o dc. inunici-
correspondente de NR no Recife Pio de Caruaru, trabalhadores da Orla Marítima trnh*
Belt°ria da ül^S^tííea; HOMOLOGADO O ACORDO
«J»1*»*»*» déaa prédia Instalaram-se verdadeiras feouff06 $
<.n«iJ^tf.
coztahu de campanha, com penelu de barro, f ogarolrade
Depois de 2o dias de greve geral (20 de março a 9 de IfiSí* ? Pe^os de lenha, rade oa grevistas firmes' na CAMPONESES AJUDARAM Em memorável asembléiaL_gejsL_realizad^--nq-ní.u»-rf«_
abril) terminou vitoriosamente a parede dos trabalha- vigilância, su
preparavam - própria - StaeTS^áriT
dores gráficos pern^e*^^ "^teí"1*0*1 Patent« de trlas da Construção Civil, gentilmente cedida
1u* * uma realidade a aliança dente. sr. Sevcrino Araújo*os nor"seu nrSS
trões um novo reajustamento salarial.
SKl0;Camp0n?sa' Princ?P<»l™nte ™ momentos mais logaram, por unanimidade, o traba'hadoreà^gráfica^nomoí
acordo, encerrando" os
Durante todos estes dias, não circulou, no Recife, ne- mo£r Sarafna ^ SP6*1"* «o luta pelo direito de não lhos entoando o Hino Nacional. traba-
u :waM
nhum jornal, nem funcionou nenhuma gráfica, o que deaa- *2«4»peTlftf« <c*«a de 3 500 traulha- morrer de fome, também os camponeses de Pernambuco *
ótwài^M^SSíS* Estavam presentes, entre outros, o
perou ainda mais os setores reacionários das chamada cias- •T-S^LÍ01, gIfn*' S* J0™^»*». Por exemplo, entraram ajudaram moral e materialmente os trabalhadores eráfl-
deração Nacional dos Trabalhadores pre^ident? di Fp-
ses produtoras, que, através do rádio e da televisão, "exi- duíante, 20 ""• Enviaram TSBre?ístes na5 Indústrias Gr!
giam", a todo instante, do governo do sr. João Ooulart, uma S-»!? TefderBm os jornais vindos do Sul do País. os Jor- r.w0emide Ve\
5ÍS? £,m" ^o*6* alimentos, notadamente farinha. H«asAbaluartes
dos Vdcr.sintílcal N^vton Eduardo ónveirftamb^i um
intervenção federal em Pernambuco, que, segundo eles. atá ^RtaínlSf?1 »"^»»«<>*oe?mÒral e financeira, tendo ' qUe> ÍOram <Ustribuld« «*£ oa da vitória conquistada: o presidente dôs"n-
"transformado num território vermelho". Ao lado o Sindicato da ?» Jornalistas Profissionais do Recife a decla- írabayjadores*8 no Comércl° d0 Recife, s João Bar-
dessas até ° M™'no da parede. bofatodd°WnPnrc|,adOS que representou
fôrçu estão os desmoralizados grupos de agitadores do a!di^í."8embléh.penntnent« valiosa a»Jud,a dos camponesa de Palmares. 2°Sa™,deuVS5C2nccl0S- o Conselho Sindical
IBAD, multo bem pagos pelo consulado norte-americano TártM TêM8' entrar ^Mu em grevToi Timf^.inif
Lunao, Oallléia e Bom Jardim.
ÍSuSf,d°'«P0r
radialistas fizeram o mesmo.
aqui no Estado. No entanto nada abalou a consciência de A solidariedade maior partiu do Conselho SinHinai An.
luta da bravos trabalhadores gráficos que só voltaram ao Trabalhadores XCONSíNTRA^ui^fereceu0aos AS CONQUISTAS
trabalho depois de terem visto atendidas as reivindicações mais de cem mil cruzeiros de auxílio *»«»«ia. greílsia,
por que tanto lutavam. Por outro lado, individiuümentè, Inúmeru entidades Finalm-nte; fracas á unidade dos trabalhadores
xicos, depois de marchas e contramarchas, de inúmeros grá-
en-

I£4sr;
f i
r.

— Wo dt Jontiro, 26 a 30
dt abril dt 1963
NOVOS RUMOS
-i
:> V
.oifôr.

' MULATAS
Canto de Pagino

Emida
_j amigo
FelUmrntr pnra mim, os leitores goMam de convennr
comigo, infcliimcme para mim nem ccnrpro tenho tempo

E PARIS
para rc-ponder suas cartas, jamais podendo fazé-lo como
devia: trocar correspondência privndn. canvcr•<.n• eom os
leitores dc NOV08 RUMOS um a ur.i em cartas intima*,
citdó tempo.' Untucnndo mrtqulna i> -.r-murc com trabalho
e nuturnl que mr falte tempo pnra tanto, o que lamento
mais do que ninguém. Mas, .-.oubc ' :i os que me . ••revem
o quanto me fas bem receber esFu? cartas c, nauirrilmentc
iSuwJuuum- ninguém se queixaria dc mim.

II
WÊr -A^m
¦RrT^aaaaaaaas Um moço dc assinatura Ilegível, nua coiriTianeo e
companheiro pcdlu-me com urgência tmiA conversa Mas
nem tem üúvida amiuo Alberto. Voc< que trabalha desde
o.% doze anos dc idade e que já aprkiuli : a olhar a • .(..i sem
lentes falsas deve ser um ótimo papo, Juls cumprimentá-lo
pelou seus vinte e um unos mas o dia pa^üu i-ti de teve-
rclroí e esqueci. Lamento, mas sempre e tempo de dizer
felicidade.:-. Coragem, continue como é e, querendo, telefone
para este nosso jornal pedindo meu endereço. Conversa-
remos enluo como companheiros e conterrâneo.,. A sua
crença no socialismo não é como você pensa, um problema
^íf^ffiP-^Jw.^ ™E?*Jfr''llk3
•OSoH a^afe-li^. ' " íl*'i£*.~2íáWl--$**^ ' afloi
' H' - ' * ¦**'¦ 'V-ÍT'!^*!* '*í\Ci- V Lw*li dv> personalidade, mas antes dc aquisição d<» consciência
,^*jBofl sa^L^LHa^afI
^V'
Ukíi.'ÍI''
'
^SaíSfiSM'¦" i\<?<"'
'¦ Aí- ",ts?TV-<'i

iv-iVt%i**i'-i '* v "-f


t*É.
'.'^(u^^lâlTsSarJ
.' r.*; f'-*Talssafl
-Jfl L^K
^L
" __ L^Lmasaa
..oBSBBTâvflfl
aTarâtlararJ ararC
¦¦• da sua personalidade, já que no mundo dc boje, os' países
^T* Tf™' v„- .^«uSSaÜ \w9m U\" socialistas demonstrar; m ao mundo .que é essa a única
forma dc governo que dá ao homem o direito de viver como
ser humano. Telefone Alberto, conversaremos.
Outra carta, muiuis outras. A moça Zulcika, quer sa*
uer como deve lazer para compreender os problemas poli-
ticos. Eu lho aconselharia, Zulelkg que tomasse parte em
todos os movimentos políticos e culturais desta cidade. Veja,
"', ouça. procure ler tvocè diz que é leitora assídua de NOV08
':u\\wé:''&K~$\m\ íjmaaajaSH lfi^^?-'v ¦/'?¦*¦'--• - < Mi« fl RUMOS) peça llVros socialistas emprestados se não puder
comprá-los e vá. asoim, lentamente conquistando o direito
a comprecn.sâo, á análise dc iates, até a aquisição comple-
ta de julgamento. Apenas o livro não basta, se bem que
cie ieja ultrancccssailo. Uilnlr a ação ao livro, essa é a
questão.
Hoje falarei apenas dessas duas cartas (nen mal3 es-
paço tenhoi pedindo aos meus queridos nml[. que des*
culpem não responder logo como devia. Mas aqui estou
nâo pnra aconselhar ninguém (não .seu dc dr.- conselhos)
mas sempre pronta a ajudar aqueles que pedem ajuda.

EDIÇÃO Frifz
Um-'-t
^B
¦ ftisr^i^áa
aTJaTaW^í;: ^*«S5EÉbTJ
Lwi"--^i^i^Lm L^ffi^^i^»^''--'^
aTa»*i (^^•'flH BTaTJalJt«KfeN»!lW
>-'**¦¦'
. EXCEPCIONAL
DE PPS lança
Já nas bancas e livrarias
fl A^V -i fl uj^aW "^^^* '"¦ I de todo o pais a edição de livro
fevereiro de PP8 - PRO-
BLEMAS DA PAZ E DO SO-
CIALISMO. PPS é revista
¦¦•¦¦''- '^V
que sé esgota facilmente Sob o patrocínio da Rol*
tâV^ÍÉaflaH ' ¦"¦;;í\;.." ' á^afl a^Ba^aA ¦** '-^^B aB/* nas bancas. Assim, procure
'¦.'.'¦¦
ftW ¦ f : osamL^ai '* * : - ¦
" '~ÃUm
UUWMJ m ' ^afl assa* '
adquirir logo seu exemplar torta da Universidade ds
e se inteire da verdadeira, Minas Gerais, foi lançado
atitude do povo norte-ame-
rlcano, o povo de operários c sexta-feira última o livro
WÊJÈÊJamkfr" ¦ *»..i *í" ^-•¦•V1-' • 'i"Í-'>i^^**a^B^3^B^B^B^B^Br 'V £*''»'•¦ - JarR
* grangclros brancos e ne- d i ¦ itor Fritz Teixeira de
gros oprimidas pelos trustes
e lutando.também contra o S. ; "Associações Rellglo-
''•¦¦'K"jt
ma::ortismo. Ainda nesse nu- sas nn Ciclo de Ouro", pri-
Vl: ^ífjrifflisa^B .' •,. -Aj .-.aiÉ**- -aPr^V' -- ^ O-r^'a^Lfl
^Bfl L^Hmar&á*'¦"'¦¦
-''''-íí-^f^Y-^-^^Vv^^B^H
Bfcia»Vi*'
B^B^La'j^3La^n^-
L^Lfl !
mero um bem lançado estu- meira publicação do Centro
sBBBBa ^Hlu£uVv' / j^'-'.' ^^'^ÍJKÀV^sBBBBBBai BBBBBBr * do do sociclógo brasileiro.
Jacob Oorender sobre "Con- de Estudos Mineiros. Na
tradições do desenvolvimen- ocasião, teve lugar também
to econômico no Brasil", a Instalação da exposição
além de outros trabalhos de "Pintores Brasileiros eiri Oo*
Rua. dó Catete. Lã em Êle parou, ficou nho como há 40 anos representativa do Brasil, mática no contexto de Tudo isso era Di Ca- interesse. Agência e assina-
baixo vinha o barulho olhando para mim e atrás. t u r a s : rua da Assem- leções Mineiras", com tra-
o europeu gosta. Sobre- uma cultura que se fixa valcanti. Pintor, poeta, bléia. 34 sala 304. Rio (OB).
dos bondes. Businas de riu: i tudo, se existe perfeição na permanência do hu- sorvendo a vida em Valores em nome de H. Cor- balhos de artistas surgidos
lotação. O riso do ho- E' gozado... todo Caminho t atalhos técnica e conteúdo hu- mano. delro. desde 1922.
mem veio até nós: mundo pensa que é por- grandes tragos, amando
Não me acostumei Queria ver o que èle mano. Não se esqueça Dq a b s t r.acionismo e acreditando ,nos ho- ¦ij». i i~->t •*-
que tenho muitas ama»- tinha visto- de bom na t que na Europa ha uma passamos para a pintura - merus. -Integrado ao seu . Mi ¦¦¦-..' . Ir .-,-, 31-n» -4..

em Copacabana. Aqui tes mulatas. Mas não é Europa. Um homem co- grande seleção de va- soviética. Referi-me aos
nfto, sente-se o Rio. De isso..: Quando era garoto mo êle vê sempre mui- povo e por isso sentindo
lores. debates que se verifica- os seus problemas e não Tópicos Típicos
noite, os malandros bri- tive uma ama-de-leite. tas coisas interessantes. E o que se pinta ram na URSS em relação se omitindo diante dê-
gani, mulheres lutam pe- Uma mulata grande. Foi Fêz-se uns minutos de agora na Europa? inda- à pintura. les. De tudo isso nasceu
Ia vida. Escuta-se a vi- praticamente quem me silêncio. Seu pensamen- guei. Quais os novos ca- Houve e está haven- sua pintura, marcante- Pidro Sivtrino
oração do mundo chegar criou. to voltou para lá. Sorriu. minhos da pintura euro- do discussão entre Krus- .mente brasileira.
até nós. Do Flamengo . Vieram rem iniscên- O que eu vi de péia? chiov e os intelectuais Perguntei-lhe se pre-
para cá o Rio se torna cias de infância. A bon- bom... Encontrei . ve- Os novos caminhos sóbre pontos de vista re- tendia voltar brevemen-
verdadeiramente o Rio. dade da ama-de-leite, os lhos amigos pensando e No Jornal do Brasil de 17-4-83, Pedro Muller anunciou
da pintura na Europa ferentes à pintura atual te à Europa. casamento do prof. Eugênio Gudln, oitentão, com uma
Profundamente iden- moleques de rua com vivendo com dignidade, são apenas atalhos num da União Soviética. Voltarei em breve à viúva chamada d, Violeta. Após a cerimônia, o casal seguiu
tificado com a vida, pro* quem brincava, pessoas sem abdicar do passado caminho de identifica- Kruschiov não é um es- em lua-de-mel para Paris. Consta que, na partida, os «ml-
fundamente identificado do povo... Fomos co- e unidos pelas grandes Europa para exibir um gos do professor Gudln, em lugar de lhe jogarem grãos de
ção constante da arte teta. E' um chefe de Es- quadro meu no salJ.o de arroz, Jogaram-lhe pílulas de vitaminas.
com a nossa gente, Di nhecendo seus persona- causas da humanidade. com a vida. tado que naturalmente Maio. — E — acrescen- »'»:'..-a
Cavalcanti tinha agu- gens. Como era bom ouvir não tem opinião muito tou — Minhas viagens à Calcula a Associated Press que o número de desempre-
çado todos os seus sen- Veio um vinho gosto- gente falando assim! Abstracionísmo a favor de uma pintura Europa são sempre im- gados e semt-empregados na Argentina já chegou à casa
tidos na procura do tipi- so. Toquei em sua via- Di me mostrou um livro metafísica para seu do meto milhão de pessoas, isto é, cerca de dez por cento
e Kruschlov portantes no sentido de da força de trabalho do país. A Argentina, como vocês
camente brasileiro. gem a Europa. Tinha que contava a vida de povo. prefere o objetivis- me aperfeiçoar. sabem, é aquele pais Irmão onde os gorilas tomaram o poder
Veja-se êste qua- tido algum objetivo de- Montmartre. Encontra- Do homem foi surgin- mo realista. Fêz valer e estão pondo cm prática a política preconizada pelo Fundo
dro, comentou, êste ho- terminado? mo-nos com pessoas que do e tomando conta sua autoridade possível- Olhei em volta. O ate- Monetário Internacional.
mem, por acaso, fala-nos Ora, respondeu-me, tinham feito muita coisa. a faceta do artista. A lier era calmo e espaço- ¦
* *¦ *

mente no sentido de so. Havia quadros no Segundo o New York Times, os Estados Unidos estio
alguma coisa do nosso se houvesse um motivo Tinham pintado, escrito, princípio pouco a pouco, proteger os pintores po- diante de um dilema em face do pedido de empréstimo que
de interesse geral a via- lutado, sofrido. Começa- depois mais e mais, êle chão, encostados contra
povo? Poderia ser de pulares. a parede. Tintas colori- lhes teria-'sido feito em 1061 por Cheddi Jagan, primeiro-
qualquer outro lugar. gem teria perdido o en- mos a falar de pintura começou a falar de pin- ministro da Guiana (ainda) Inglesa: ou concedem o em*
canto. Fui a Paris co- na Europa. tura. Andamos por qua- Gente que não das e um grande quadro préstimo e correm o risco de ver Jagan aproveitar-se disso
Era a fotografia de Qual é a vinculação por acabar. Eram figu- para comunizar o pais, ou não o concedem e correm o risco
um quadro de pintor memorar os 40 anos de dros e livros, e chega- se omite de ver Jagan aproveitar-se disso para comunizar o pais.
minha vida de artista do público na Europn mos, finalmente, ao abs- ras de mulheres. Mu- O problema é delicado. • •
brasileiro. latas.
independente, iniciada com a pintura? tracionismo. Sua crise. Fazia um calor sufo-
naquela ddade, em 1923. O público europeu Vem se notando cante. Aproximamo-nos Veja, mostrou-nos, Um cientista soviético conseguiu restitulr à «ida um
Al mulatas de Di E como você a co- sempre se interessa pela uma diminuição crês- aquela mulher ali. Não tritào que encontrara congelado e que se calcula que tenha
da janela. estado congelado por várias centenas de anos. Estudos fel-
Na parede da sala, um memorou? pintura. Os museus' es- cente do interesse dos Como gosto disso consegui ainda dar-lhe tos sóbre a Idade do tritão levam à suposição de que o seu
Comemorei a meu tão sempre cheios. pintores è do público um toque bem brasi- congelamento data do tempo em que viveu S. Tomas de
quadro com as caracte- aqui! exclamou. Veja,
leiro. Aqüino, em plena Idade Média.
rísticas mulatas de Di modo um acontecimento Tive curiosidade de por esta forma de ex- até as caras não são di- Sugiro que lhe dêem o nome de Tritão da Cunha.
Cavalcanti. A r r i squei que só a mim mesmo in- saber como era recebida pressão, e explicou-me, a ferentes? Há aqui uma Sorri. • •
uma pergunta: teressava. Era em de- nossa pintura na Eu- crise do abstracionísmo mocidade ativa, que so- Da rua vinha o ba- Gozação dr André Breton em Frcud, lendo O livro que
Di, por que você zembro, durante o Na- ropa. decorre de ser esta es- fre a influência da UNE, nilho dos bondes. O bur- este último escrevera sóbre interpretação de sonhos: "As
tal, e eu o passei sòzi- Se a pintura é bem cola uma metafísica ne- burinho dos que saíam preocupações'sexuais não desempenham, aparentemente,
sempre pinta mulatas? que participa da vida po- piijjcl algum nos sonhos pessoais do autor, ao passo que
bulosa indiscutivelmente litica do país. Que faz do trabalho. Buzinas. contribuem dc maneira nitidamente preponderante na ela-
de significação proble- alguma coisa. Vozes humanas. boração dos sonhos dos- outros que èle tenta nos explicar"
iLcs Vases Communicants, p. 36).
* • •
iWÊÊÊÊÊmÊm- '" WÊ u\ O Srrvlco de Censura do D.P.S.P., Impediu a exibição
de um lilme documentário sóbre 6 vôo espacial dos cosmo-
wM ¦ WmmÊmmWi - vfHM ¦Ifl muitas Nicolaiev e Popovitch, no Sindicato dos Jornalistas
WÊÜ WmMÊÊmm<> '& ,4JjM M«Mr ele Brasília, sob a alegação de que a documentação do filme

RE VISTAS PÚIONMS
nào eslava cm ordem. Quando soube da proibição, a em-
aTaTaTal Ifl BÜ&SI *•' ¦¦¦•:•:«* ' ''Hsl baixada americana ofereceu um
• ciais dos Estados Unidos, para que filme- sobre os vôos espa-
a^al M Hrwft' '- '" ^ÈiÊ m^&m a sessão programada uão
ío.i.se suspensa. Os jornalistas agradeceram, mas não acei-

IctM' ''
'"1É11 taram o oferecimento. A platéia podia estranhar a substi-
Uiição do épico pelo cômico — eu reação des espectadores
POLÔNIA Mensal. Formo'0 26 cm. t 28 cm., 48 paginas ilustrcdas.
11 nM h 11 I podia assumir íeição trágica. • •
POLSKA Aparece em alemão, espanhol, francas, inglês, polonês • sueco No O Cruzeiro, de 4-5-63, o colunista Aastregésilo de .
POLAND Revista de al'o padrão grafuo, dá ampla cobertura ao .Ataide escreve que Nicolaiev e Pop; viu-. í.ão passaram de
simples 'cobaias humanas" que "não merecem admiração".
movimento, cul urol, cientifico, artístico e ao desenvolvimento Queria só ver se, no exercido eventual da profissão de
PÒLEN industrial da República Popular da Polônia.
aiONHSKHRIft astronauta,-ao ser mandado para a estratosfera dentro de
POLEN ' uni foguete, o paspalhào do Austregé.silo não profanava
uPOLOGNE ASSINATURA ANUAL CR.$ SOOfOO Am\ Kl HjHB;I I l^li^^^^WUm WN^' ^* * solenemente as calças que estivesse usando...
No mesmo artigo, aliás, o Austregésllo af::nn que o
povo brasileiro sente vergonha de ser composto, em grande
"olu^HrTttrde. quantidade, de negros c mulatost_Sfl mesmo da cabeça do
-AusUcüusüü
Bimestral. Ilustrado. Destinada Apo^exe-:— é que pudiirsair umã~besteira dessas. Nós, bra-
em polonês, inglês, alemão e sueco. Esporte e ciências. sileiros. temos orgulho de sermos um povo de mestiços. Já o
Mantêm uma seção de endereços com publicação proclamava o critico literário Silvio Romero: "Todo brasl-
de fotos poro intercâmbio epistolar Formcto 34 x 24 cm leiro é mestiço: se não no sangue, nas ic!c':as". E o cantor
Dorival Caymmi, sem constranginient ligum, respondendo
ASSINATURA ANUAL CR $ 300|00 A LUTA 00S TRABALHADORES E 0 PARTIDO COMUNISTA a Fernando Lobo (que lhe pedira v ;ente emprestado),
esclareceu que não usava pente, acrescentando com um
CARUARU, Pernambuco (Do eorrespon- contravam-se os tenentes Severino Ferraz largo sorriso:
fofa ftaja numa ms auiaalara, éaviaaaVaaa a vaiar aar dente) — Uma palestra do dirigente Gre- c Ademar, os universitárias Arsénio Martins — Já vim penteado ú.\ Bahia.-
ESCREVA-NOS chtqva bancário ou Valt foifcl. e Tércio, presidente do diretório acadêmico • •
Tomamos também i u.natufai da outru ravlataa d» caréttr clan-
gório Bezerra marcou nesta cidade o ponta da Faculdade de Direito, diversos dirigentes Como faz todos os anos. esta coluna prepara-se cons-
SOLICITANDO Mico a técnico noa Idiomas p-lonéi, Inglês, t'ancés, alanião a alto das comemorações do 41.° aniversário sindicais e representantes da imprensa. deliciosamente para escolher "a Mãe do Ano". Nestes últl-
russo, da República Pop ilar da Polônia. de fundação do partido dos comunistas bra-
CATÁLOGOS Após a conferência /oi servido um sara- mos dias, contudo, a nossa tarefa para 1063 se simplificou.
slleiros. Ao ato, realizado na dia -5 dc ¦ pãiel, prato tipico da cozinha nordestina, e Com o assassinato do bravo dirigente or imi.;t.i espanhol
E MAIORES
INFORMAÇÕES
EDITORIAL VITORIO LTOB. março, compareceu grande assistência, Gre-
gório /c/ou sobre "A luta dos trubalhedures
houve apresentação dc músicas folclóricas
com acompanhamento de zabumba.
Grimau. a senhora cenitora do gem.raj '.;•., ic. Franco
ficou automaticamente designada "?'."-._• í'0'Ant.". a-fim de
«. Juon osla Dir.rta, 50 • Sobrada - Til.: 22-1413 • 1 dt loT.rrt - 68 e o Partido Comunistu". No /cio. o líder comunista Grcijório Be- que ao seu Ilustre fiüio caiba plenr.r.ieny: o.titulo de "Filho
Entre as personalidades presentes en- zeriu quando projeria sua palestra. da Mãe do Ano".

1 .•
- 6 Rio da Janeiro, 26 a 30 de abril oo 1963 —
NOVOS RUMOS

Operários Navais Fazem Reportagem Para NR li HKifliBfl

REFORMAS DE IASE
Uma caravana de operários do» esta- explorando, de maneira vil, todo um exêr* "Abro os Jornais e vejo que os setores
lelros navais da ilha de Mocanguê, esteve, slleiro vem se polltiundo extraordinária*
cito de lavradores. mais retrógrados e reacionários ousam falar mente nestes últimos anos, agura já sabtm
sábado, 13 do corrente, na cidade fluml- em nome do povo nas jà célebres reformas que seus verdadeiras representantes estàu
^mr^rA

fl f*
. mmt-Qi
"imWL
¦¦¦JmmiAmmT- ¦¦¦¦

'ÀmWmTmmmmÚ
nense de Cachoeiro de Macacu. Retribuíam
uma visita qu« fizera aos estaleiros o pre-
feito daquele município, sr. Ubirajara Mu-
Leitores constantes e ajudlstas de NO-
VOS RUMOS, os operários do Mocanguê
aproveitaram também a excursão para ex*
de base. Como se atrevem esses vende-pà-
trlas, com o velho e falso mandato de re-
prcientantes do homem do campo — eles
Integrados na Frente Parlamentar Naciona-
lista, e assim nio ae Iludirão mais eom suas
sórdidas mentiras" Quem dis Isto é o leitor
Don. do Klo de Janeiro,
Carlos Felipe F."Creio
Vfr '' *mY ¦ que sáo os maiores latifundiários e expio-
j i ^ i$;iií : — Bf I I nlz. Os operários navais estenderam sua perimentar um novo tipo de colaboração com radores destes sacrificados patrícios — lnti- que conclui: — que só eom a extln-
excursão à fazenda São José da Boa Morte, o Jornal dos trabalhadores: entrevistaram tularcm-ae seus amigos e salvadores? Vejo çào desses elementos, empregadlnho» mal
onde os camponeses, a exemplo do que ocor- o prefeito de Cachoeiro de Macacu e flze- que até o presente momento ainda nio se pagos dos trustes estrangeiros, é que pode*
conformaram ou não querem se convencer remos dar inicio à grande construção de
¦ 3Êmmmm -''mmPBMi^ar^-mm reu na semana passada em Imbé, ocuparam. ram uma reportagem sobre a ocupação, que os trabalhadores sabem multo bem a um Brasil novo, de progresso, paz e Justiça".
vastas áreas de terras que não vinham pelos camponeses, da fazenda São José. En- súcia a que pertencem. O trabalhador bra-
sendo devidamente aproveitadas pela gri-
i^'>''<mmW^m\\ ' -
trevista e reportagem vão publicadas
yi^í-í1
*J^B ••i^wmW-mm lageni que delas se apoderara, e que vinha abaixo ENCAMPAÇÃO PARA SALTO
mmm
BB Aw^f^a PÜW Bl De Salto, Estado de 8ào Paulo, envia- dores uma energia, com UO Kwh, mas a
nos o leitor Antônio Moreira de Alencar um certa hora do dia esta atinge apenas
" '^fajj? fe''i^jaaJnn recorte de sua autoria, tirado do jornal da 80 Kwh, sendo assim os seus consumidores
»-~^C£(i£b»^ / cidade, no qual éle denuncia o procedimento fraudados por ela". E prossegue: — "Acon-
da Companhia de Eletricidade Sào Paulo e tece com Isso que um aparelho elétrico, por
NA FAZENDA SÃO JOSÉ 0A BOA MORTE Rio, fornecedora de energia elétrica para
esta localidade.
exemplo um ferro que consumiria 10 mlnu*
tos para esquentar, leva mela boca, o que
FâU DE ACORDO COM 0 POVO CAMPONESES CONQUISTARAM A TERRA Afirma estarem as autoridades neces-
sltando tomar providências sobre a mesma,
"a
chega o trabalhador a pagar a Companhia
uma vultosa quantia por uma energia que
qual propõe dispensar a seus consumi- nio o satlsías''.
Fazendo
Ilha de
as vezes de repórteres de NR, operários navalt da
Macangui ouvem, na Prefeitura de Cachoeira de E TRABALHAM COMO UMA SÓ FAMÍLIA
Macacu.
chefe do
o prefeito Vbirafara Muniz (na foto, ao centro). O
Sábado, 13 de abril, foi
NOSSOS IRMA0ZINN0S
Executivo fiz veemente pronunciamento antilati- por uma série de adminis- te. Estava vitoriosa a pri*
funditla e em favor das franquias democráticat. dia de festa na fazenda São trações corruptas que por meira parte de sua luta. Jorge Fischer e Menalton Braff, do Rio A toda parte
José da Boa Morte, muni- êle passaram. Como vivesse Orande do Sul, escreveram uma berceuse. enviaram tanques.
ciplo de Cachoeiro de Ma- • cm estado de semi-abando- Dentro de tanques
cacu, Estado do Rio. Os no, dela se apoderaram os NOVA ETAPA Us a integra:
vinham Ianques.
Prefeito de Cachoeiro de Macacu camponeses, legítimos donos
daquelas terras, recebiam
grileiros, passando a expio-
rar os camponeses que lá Garantida a posse da ter* Hoje, a matilha
seus irmãos operários dos ra os lavradores marcham "Rostos corados,
jà viviam. Insatisfeita
• Pela Reforma Agrária, Elogia estaleiros da ilha do Mocan-
Os pretensos donos da
agora para novas conquis-
tas. Trabalham de sol a sol,
eles virão
— os bem-amados espreita, espreita:
"Quando
guê, que lhes haviam dado terra não permitiam que ali é que vesooe
integral e efetiva solldarie- ordeiramente, em comunl- de mestre Corção. tomar a Ilha ?"
Osvino e Critica o Plano Trienal dade quando da luta que se cultivasse sequer uma
pequena agricultura de sub-
dade. Plantam principal- Sào nossos.Irmãos.
travaram contra grileiros, mente mandioca. Querem Nossos Irmãos. E, mesmo à Ilha
sistêncla: a produção teria diversificar a sua produção Que vem do Norte
Durante sua estada em no fluminense permitindo a jagunços e policiais para fa- enviaram tanques.
Cachoeiro do Macacu os realização em nosso Estado zer valer o direito de posse de ser apenas carvão, com e necessitam, muito, de re- nos "ajudar" Dentro dos tanques
da área que hoje cultivam. o qual ganharam rios de cursos. Pensam sobretudo nào saojde morte:
operários navais de Mocan- do Congresso Continental de dinheiro enquanto os tra- iam Ianques.
guè visitaram o prefeito Solidariedade a Cuba? Houve assembléia na sede em evitar que surjam expio- sio de ínatar (ha, ha, ha)
da Associação dos Lavrado- balhadores amargavam a radores de novo tipo. Por Duvidam ? Vejam:
municipal, sr. Ubirajara Mu- Sou favorável à auto- maior miséria. O regime vi- isso reivindicam — no que Ontem, Coréia
nlz, que vem realizando fe- determinação dos povos e res, para debate em conjun- Ontem, Coréia. e Vietnã
cunda administração na- to dos problemas e reivin- gente era à medieval prá- contam com o apoio do pre- Enviaram tanques. Hoje, a pequen*
quanto à posição do gover- dicaçôes de operários e cam- tica da mela: os lavradores feito Ubirajara Muniz, que Dentro de tanques
quela cidade. Solicitaram nador Badger Silveira de derrubavam a madeira, cor- ilha cubana.
de 8ua Excelência uma en- conceder autorização para a poneses. Houve depois uma está sempre a seu lado — vinham ianques. Mas amanha ?
recepção na escolinha cons- tavam, queimavam e trans- créditos do governo para "Quiçás
trevista para ser publicada realização em Niterói do portavam o carvão vegetal mafiana
em NOVOS RUMOS, pron- Congresso de Solidariedade truída pelos próprios lavra--
e entregavam a metade da que possam montar eles sea ei BrasU".
tamente autorizada. a Cuba só posso afirmar.que dores, dentro da fazenda, renda aos patrões sangues- próprios seus engenhos de Ianques na China Rostos corados,
Assim respondeu o pre- êle agiu bem, demonstran- para que seus filhos não farinha. Assim não se ve- foram espeque è!es virão
cresçam analfabetos como sugas, que jamais arreda- riam mais na contingência — os bem-amados
feito Ubirajara Muniz às . do ter gabarito politico e ram pé de sua doloe viu na de entregar parte da sua co- de Chlang Kal-shek.
perguntas dos nossos even- respeitar a Constituição, ga- eles. E, mais tarde, um ai- cidade. Carnificina. de mestn* Corção.
tuais repórteres: rantindo as franquias de- moço de confraternização, lheita aos fazendeiros que Ianques no Laos.
mocrá ticas. ao ar livre, com música de No ano passado os cam- monopolizam oa engenhos, Na Asla, na Europa. E, após os Ianques,
Que pensa V. Exia. dos rádio de pilha e boa con- poneses resolveram dizer como paga pelo beneficia»
movimentos vigorosos que E da posição tomada Enviaram tropa, virão os tanques.
versa de companheiros da um basta a tal situação: mento da mandioca. . Que- semearam caos. São nossos irmãos ?"
as organizações camponesas pelo governador Carlos La- mesma luta. ocuparam a terra e expul- rem também que lhes sejam
de nosso Estado vêm empre- cerda, proibindo a realiza-, saram os grileiros. A policia fornecidas sementes de no-
endendo ultimamente na ção do Congresso na Oua-
nabara? A CONQUISTA interveio. Como sempre, a vas colheitas, pelas reparti- LIVRE ESCOLHA
sua luta pela reforma agra- serviço dos exploradores e ções governamentais compe-
ria? A proibição do Congres- DA TERRA usando da maior violência. tentes. Pleiteiam ainda crê- "Li, reli e treli, atentamente, o artigo: fissão liberal tem seus dias contados, e desa-
Acho que todas as 11- so na Ouanabara somente Os camponeses não se lnti- dito que lhes permita com- " O Médico e o Trabalhador Diante da Livre parecerá, tanto mais rapidamente, quanto
gas e agrupamentos de foi útil ao êxito marcante A fazenda São José da midaram: aprisionaram vá- prar ferramentas de traba- Escolha", lnserto no vosso jornal n.° 212 — mator a inflação, e a medida forem
camponeses devem promo- que o conclave obteve. Boa Morte pertencia, antes, rios grileiros e os utilizaram lho e fugir ao extorsivo pa- Ano V — da semana de 15 a 21 de março melhorando os serviços gratuitos.que
Quanto ao governador ca- de 1963", diz o médico Augusto Maria Slsson, A "Uvre escolha", regulamentada e fls-
ver movimentos no sentido ao Instituto Nacional de como reféns até que a po- gamento do transporte de
rloca é uma figura que há Imigração e Colonização, o licla deixasse em paz a fa- sua produção, quando a vão do Rio Orande do Sul. E, continua: calizada, desempenhará o papel de acicate
' de aguçar as lutas pela re- muito já deveria ter ido pa- famoso INIC. celebrizado zenda São José da Boa Mor- vender no mercado.
"Artigo sem assinatura, redaclonal, por- para o aprimoramento doe serviços médicos
forma agrária, porque se fi-
caímos na dependência da ra o "paredão". tanto, provavelmente escrito por profisslo- assistências. .
lei que o Congresso promete Que diz do Plano Trie- nal, certamente médico do instituto que,
nal? O que não resta a menor dúvida é aue,
votar não teremos reforma também atende. clientes particulares que se os médicos dos Institutos, das caixas de
agrária alguma, pois como Estamos sentindo na por ventura o procurem, além de. que, terá previdência • os dos serviços médicos gra*
se sabe o Congresso é tor- própria carne os seus efeitos ou se pudesse teria, um ou dois "bicos" tuítos atendessem, com humanidade 'lugar,
mado na sua maioria por maléficos: em virtude da remunerados, como sói acontecer com a qua- eom
contenção de despesas pelo se totalidade .dos médicos desta capital. probidade e eficiência, não haveria
" latifundiários e grandes ca- Se falho no pré-ajuizar, antecipada- para médicos particulares nem a "llvrasa-
governo do Estado, obede-
pltallstas.
: — Qual a sua opinião sô- cendo à política daquele •'¦¦¦ °#^flPg^ mente, apresento as minhas escusas: errar
é humano, preservar nele é que não se
colha" teria razão de ter. =.-:*?'
Infelizmente, aqui em nossa cidade u
plano, vimos prejudicado o
Wa\mk A" 'yWKÊÊfémm .'',*my - ¦
bre o discurso proferido pelo pessoas que procuram tala serviços gratul-
general Osvino Ferreira Al-
nosso plano de trabalho, Hvli-niMS IBsA ¦ admite, principalmente quando se tem tos. via de regra, são mal atendidas, è asam
ves por ocasião do anlver- porquanto as cotas que eram quase 70 anos. logicamente, vão à custa de sacrifícios de
Devo, antes de mais nada, confessar que
sário do Batalhão de Ouar- destinadas ao município fo-
ram suspensas. OmmwiÊÊiL. ¦ sÚf> vjJHbÉfl Ma ''¦¦i^Êmm
mm^^ç&kr&í^mwfflkWÊim 1*1» sou fervoroso adepto da socialização Inte-
toda ordem, a procura de profissional que,
das? também, à custa de sacrifícios, tornou-se
Foi o melhor discurso E da situação educado- mmWWmàSmmWUH^WfmmW -^
^m^mW^SF'^ÍSMmT^^^-líS^
W JPU #_¦ jh'! :'$r W gral da medicina, e nem ser-me-ia lícito pelo seu saber, sua honestidade e sobretudo
nal do município? pensar de outra forma.
até hoje proferido por um
militar. O general Osvino é É precária. O munlci-
WF'mW:mwL ~
^mmmmmimLmmmWmmmWT'
J/SÉ
*%awmw-'---' :¦¦'¦ ¦ ¦ ' m]
' ¦ -làaâi Não compreenderia mesmo esta profis- pela humanidade com que socorre seu pa*
ciente, tanto no corpo como na alma. uma
um autêntico nacionalista e pio é muito grande e lutan-
do com grandes dlflculda- m ' 'WlmWmmmím mãSÊ K* l w - 1K>^ 4Émm são; sacerdócio, ciência e ganha-pão, fora
desta Ideologia.
esperança para os doentes. ¦ "
amigo dos assalariados de des financeiras não temos Tr . ->'m < ínÊÈm B<!ÍSM IT^^»¦,; Wjmm mt' ^^^^^^sfli Assistência médica gratultaé direito Que os serviços médicos assistsncials
' nossa pátria.
condições de manter esco- inerente ao próprio ser humano. deixam muito a desejar, cendo sem dúvida
5 — Que diz da legalização Ias suficientes para a alfa- Quem não tiver amor ao próximo, não de má qualidade, não carece demonstrar.—
| do Comando Geral dos Tra- betização que se faz neces- se empolgar com o caso clinico e não fôr e isto porque, os profissionais burocrattsa-
' balhadores, defendida pelo sária. O latifúndio é o prin- |'_J1 .yy-tmWuii. smoM"-'.- ¦¦; m^:W^mmfll*mmm»amm^mmWltÊ dado ao estudo diuturno, não encontrará dos as mais das vezes têm os cargos como
atual ministro do Trabalho? cipal responsável pelo bal- felicidade na medicina, não terá coragem "bicos", e com bico aqui, outro ali, perfazem
t de grande necesslda- xo índice educacional de para ir pára uma vila, galgar uma cidade e uma boa féria no fim de cada mês.
de para os trabalhadores, H^ f ~mmt"''%w^y'sÊÊmamimm terminar numa capital; o que é tarefa muito Ê claro, claríssimo mesmo, que.assim,
nosso povo. Aqui no nosso
pois através desse órgão o município isso e notado com K.mm\ mWm.'- «V V W»B8^BÍI^^^^ WM árdua, requer muita dedicação, desprendi- lutarão com unhas e dentes, tal como qual-
operariado alcançará níveis uma clareza meridiana. No mento, estudo, vocação e vida modelar. quer oficial das forças armadas, ou como
ainda mais altos de organi- governo do sr. Roberto Sil- Tudo isto é o preço da conquista de um os membros dos instituições religiosas, para
.: zação e unidade. O atual ml- veira foram criadas 35 esco- ¦^B ammemmmma MOma mmW «:%lHjfli!^BÍkl^fli^":""^^^Pi* ^Stà^jfêmWfêmmm nome na medicina, o qual permite eníren- . que não "colher"
se mude este estado-de-colsas, que
; nlstro do Trabalho é . um linhas, das quais 25 foram mm m%iSêWÊÊÍÊm~ 3mW> Wm\mkm^k^KMJLm%}WmT.i. H tar o regime da "livre escolha" e viver com está de para eles.
grande brasileiro, democrata ' fechadas no governo do sr. relativa folga o reverso é a burocratlzação Desta forma, para os médicos burocra-
e nacionalista. Sua conduta Celso Pcçanha. No nosso DE IRMÃO PARA IRMA0 da medicina. tizados a Uvre escolha é: "isca dourada",
ton sido a de um defensor município falta tudo: ma- Egresso da escola, ingresso num instl- reacionarismo próprio das classes.domlnan-
dos interesses do povo, par- Boa Marte e operários navais dos estaleiros tuto, e multas vezes em chefias, dependendo tes e outras quejandas.
terlal escolar, merenda e até Nos bancos da escolinha construída pelos do Mocanguê realizaram uma assembléia
Ucularmente das camadas professoras, pois as nomea- do plstolão, e, no entanto, há Inúmeras vilas Assim pensando, li cem surpresa, e
menos favorecidas. camponeses para a alfabetização de seus para o exame e discussão dos problemas reli, e treli com tristeza o artigo contra a
das pelo Estado nào podem filhos, lavradores da fazenda São José da comuns. Falaram de irmão para irmão. e cidades sem médico...
Que pensa do direito de forma alguma sujeitar- Não nos iludamos, a medicina como pro- livre escolha".
de autodeterminação dos se aos baixíssimos venci-
povos e da atitude do govér- mentos e precarísslmas con-
dições de vida a que têm
CONVÊNIO EM INGLÊS
de se submeter. Em virtude "Está agitando os corpos docente e Porto Alegre, confirmando denúncia publi-
de tal situação temos que discente da Escola de Agronomia e Vete- cada em vespertino de Porto Alegre.
PROFESSORES recorrer, como alfabetizado-
res, a pessoas que fizeram
C0MERCIÁR10S REINICIAM LUTA: íinària o convênio assinado pela direção e
aprovado pêlo conselho técnico do educan-
Além de redigido em inglês, o convênio
contém "auma cláusula destinada a conceder
OBTÊM
QUEREM CUMPRIMENTO DO ACORDO
apenas o terceiro ano pri- dario — sem que fossem tornados públicos bolsas fim de enviar professores da Es-
márlo, e que, evidentemen- seus termos — com o governo norte-ame- cola aos EUA, onde serão "reeducados" em
REIVINDICAÇÕES te, só podem ministrar um ricano, no qual, em uma das cláusulas está novas técnicas agrícolas, organização de
ensino deficiente RECIFE (Do correspon- greve dos comerciados. O classe ante a exploração de prevista a substituição dos professores que cursos de pós-graduação e mestre em clên-
RECIFE íDo correspon. dente) — Os empregados no problema dos salários dos que continua vitima. Pios- se aposer. arem ou forem demitidos por cia para suprir as deficiências e falta de
dente) — Durou precisamen- comércio, tendo à frente o empregados no comércio segue, portanto, a luta dos técnicos dos EUA." Escreve-nos um leitor de conhecimentos dos agrônomos brasileiros.
te 11 dias a greve geral dos seu órgão de classe, o Sin- nâo foi considerado por es- comerciárlos pela justa re-
professores do ciclo médio,
paralisando todos os cole-
CAPIXABAS dieato dos Empregados no
Comércio do Recife, come-
sas cúpulas, que se negaram
a entendimentos com os di-
muneração do seu trabalho,
dentro das normas legais.
ENTRE 0 SUPÉRFLUO E 0 NECESSÁRIO
glos secundários do Recife. CONTRA çaram a movimentar-se em rigentes dêste sindicato. O Alertamos a brava classe Osasco, em São Paulo, tem um prefeito município não era ainda emancipado, não
A greve dirigida pelo Sindi- luta pela aplicação, por par- problema econômico foi co- comerciaria do Recife e aos como tantos outros pelo Brasil afora: gasta me esqueci das promessas feitas. Agora veio
cato dos Professores Secun- CARESTIA te dos patrões, do acordo locado em termos políticos demais trabalhadores, para verbas para fazer fontes luminosas (já man- o largo de Osasco alagado de tal maneira,
dários de Pernambuco con- firmado quando do término por estas cúpulas que, de- que se prevacenham contra dou construir 3 desde sua eleição), enquanto entrando água nas casas comerciais e resl-
tou, logo no primeiro mi- VITÓRIA, ES (Do cones- do último movimento gre- sesperadas diante da unifi- ás manobras dlvisionistas de nãò presta a menor atenção aos problemas denclals atrás do mercado, que já se está
nuto, com a solidariedade pondentel — Com um vista. cação e bravura da classe patrões mal intencionados, fundamentais do povo de seu município. tornando demasiado e até parece estarmos
dos alunos, qüe, através de grande comício popular no Nesse sentido, o presiden- comerciaria, tentaram, por que, aliados a políticos rea- O leitor A. Dorival Ferreira, de Osasco, sofrendo as marés do litoral... Senhor pre-
suas entidades, resolveram dia 1» de maio. nar praça te da entidade, sr. João Bar- meios antidemocráticos, per- cionários, visam dividir o enviou-nos uma carta na qual se dirige ao feito, olhe para as necessidades de maior
nào ir às' aulas até que os Oito, encerràr-sé-á .a "qulri- turbar a ordem pública, com Sindicato para derrotar os Importância do povo osasuuense, e deixe de
donos de colégios acendes- zena de luta contra a ca- bosa de Vasconcelos, convo- prefeito
"Eu abordando justamente este aspecto:
cará para breves dias uma premeditada Intransigência comerciárlos. que acompanho sua política de^de a lado as,bc'e',:?s das fontes luminosas, porque
sem as reivindicações dos réstia e por aumento fie sa- no atendimento das reivin- Cumpre ressaltar o com- época em qu« V. Ex.a era candidato à ve- na lama e a nado ninguém irá ver suas
seus mestres. Foi o primei- lário", promovida pelo Con- assembléia geral extraordl» dicaçôes da classe.
ro movimento de professo- selho Sindical dos Trabalha- nária da classe, na qual se- portamento democrático do reança da capital paulista, quando nosso obras".
rão escolhidos os represen- Tais cúpulas, além de ex- Oovêrno do Estado, que, exl-
res eclodldo em Pernambu- dores do Espirito Santo. tantes da categoria que to-, piorar o consumidor com a gindo de ambas as partes o *»
co. Durante a "quinzena" vêm marão parte na Comissão remarcação diária dos prê- cumprimento da lei, nâo co- CORRESPONDÊNCIA
VITÓRIA NO FINAL se . realizando assembléias Paritária (de patrões e em- cos, com a qual obtêm lu- meteu as violências policiais
No dia 5 do corrente més nos sindicatos e associações cros usurárlos, se enrique- desejadas pelos que preten- — Recebemos o convite para as solt-ni- — Solicitamos ao leitor Francisco Ml*
pregados), cuja criação está
<teve Inicio no dia 26 de profissionais, comidos re- prevista na cláusula décima cem dá manutenção da fo- deram subverter a ordem dades comemorativas do aniversário de "A gray escrever-nos novamente dando-nos
março) a greve dos profes- làmpagos nos mercados e do já referido acordo sala- me de seus empregados, com pública em nosso Estado, Voz Operária", órgão Informativo do Sin- noüci?s mais especificas de seu endereço.
sores terminou, mediante a feiras e concentrações de rlal. os quais não aceitam discu- além de tentarem, também, dlcato dos Empregados Vendedores e Via- —i Recebemos igualmente mais um nú-
assinatura de um acordo maior envergadura, como tir as Inadiáveis reivindica- Inutilmente, envolver o glo- lantes do Comércio do Estado da Guena- mero do Areai, de Salvador, assim como um
feito à base de uma propôs- as verificadas nos bairros ções. rioso Exército Nacional. bara. Nossos agradecimentos e votos de con- exòmp'ar da publlcrção feita na "Gazeta do
ta do vice-presidente do Tri- de Gurigica de Dentro, S5o NOTA OFICIAL Dentro das circunstâncias Assim, deve a classe co- tlnuados sucessos em sua luta. Sul de Minas", edição de 11-4-1963, da au-
bunal Regional do Traba- Torquato, Morro dos Ala- gravíssimas para o Estado, merclária manter-se unida teria do dr. Edmundo Cardillo.
lho, desembargador Armãri- goanos e Mõrrõ~~dã~Penha m*s _atras, alertando as causada pela Intransigência em torno das suas relvindi-
Om manifesto conclamando autorldadès~To-povo em ge-
do Rabelo. os trabalhadores, donasde- ral sobre as manobras que patronal, o Sindicato obte-
ve. com a-mediação do-Ro-
cações, porque a luta con- CUBA, A PIONEIRA
O acordo especificou o casa, estudantes e todo o po- os patrões pretendem fazer tinuará. sob novas formas,
seguinte: aumento de 70 por vernador. o máximo possi- até que se tornem realida- "O Congresso de Solidariedade a Cub;i é creve-aos o leitor Francisco Máximo de OH-
oento sobre os salários vi- vo a participar das manifes- contra a classe, o presiden- vel, representado por um de as aspirações dos empre- veira e prossegue abordando a situação de
tações programas foi am- te daquele sindicato fêz dis- aumento de 45TÍ e um mi- uma manifestação eloqüente de aprov.ção
gentes no ano letivo de 1962, divulgado. tribuir à imprensa a seguin- gados no comércio, de sala- aos atos de Fidel Castro, à dinamização que
miséria e opressão em que ainda vive grande
com um minlmo de salário- piamente Nota Oficial: nimo salarial de CrS .... rios justos e condições hu- parte da humanidade, para concluir:
aula de 270 cruzeiros (para Como resoluções da "quin- te "O 22.654,00, além da obrigação manas de trabalho. adota para endereçar o Pais à prática de
os colégios pequenos) e o zena" já foram decididos o Sindicato dos Empre- de reajustar estes salários Agradecemos a solldarie- um socialismo humano, construtivo. Pio- E contra o superegoísmo, n ganância
máximo de 350 cruzeiros, envio de um memorial ao gados no Comércio do Re- dentro de 180 dias. dade irrestrita que darám nelra de insurreição contra a usurpf-ro sur^c f mo um fsrol sceso ao b rco que con-
acrescentandose ao mesmo Congresso Nacional, exigin- clfe vem de público denun- Registrou-se uma vitória os comerciárlos c ao seu Sin- alienígena, Cuba, vem dando exemplo edi- diiz a Humanidade, psra aue esta tão cedo
40 por cento da receita teó- do a Imediata realização das ciar às autoridades e ao po- inequívoca dos trabalhado- dieato, os demais trabalha- ficante aos povos do mundo, em particular nr.o venha a nr.ufragar. Tai posição, tcm».da
rica dos colégios; anuída- reformas de estrutura, e o vo em geral, a posição as- res em geral com a realiza- dores de Pernambuco, por aos dêste Continente. Sua tomada de posi- no repelr a exploração dn home"m pelo :io-
de gratuita para o filho do lançamento de uma procla- sumida pelas cúpulas mais ção da primeira greve de seus órgão? de classe e pelo ção sincroniza-se, em potencial, com a de mem. atua com a expoéncia de qualquer fei*
professor, na base de 1/3 do mação repelindo as ma- reacionárias de certos seto- comerciados dn BrasU. En- CONSTNTRA, certos de que quantos pasmam ante uma humanidade to notável que mereça ovação eo aplauso da
corpo docente de cada co- nobras golpistas engendra- res de representação da cias- tretanto, w-Vem ^c in- nossa luta é comum e será injustiçada, dirigida cm sua maioria por gente sofredora que passa fome às fraldas
légfo; vigência a partir de das por Lacerda e outros se patronal do comércio de justiças snchi' grayisslmns de vitória em vitória, co- grupos ve hf>cos e prepotentes, protótipos
"bluíf", das colinas da opulèncla e da prodigaU-
1* de março. robots do imperialismo. Pernambuco por ocasião da e a revolta mal contida da berta de pleno êxito". do da ganância e do egoísmo", es- dade".

•!'.¦.'•¦
\.s
,,,t

r
<-u%Ós)amsMots6ay)ésobr\\ós]96i
NOVOS RUMOS ¦—-¦•a /-, m»)|

mmmm,'', \1wl
^B
^K^l mm * *
^K^"-**nS
ELES
SBBBBMBffffffSt'--
PT-
BBh-,>.'HU7-.3B H***r-:''
't^W^r-^Wy ^ *-!''-- 7X,

^^^taMB^i-fc^^f^;.'¦•^MamMa^gKVi.'-.'.^.-* :.,£"¦'. 5t^_


* **¦¦'' í

&
«•
SÂO OS DONOS
¦taprlagim
DA TERRA
tffttt
és
Êlio
Parmigiani
"' '^"•' «'^'Z
L PW*^*' * «fclíí***
;•¦ J». -»»iJr*>^-^ stFsW
km B*^^*
mW^r*'.. vwtjt t^
U BBBBBBBbI Hfl
Ul
Vam I
¦
ELSU '^Ê
ftiiíf'';!! 1^ '¦ ,.i..LSÍ^Kr'; •llIBBTrf.BBBBBBBBFãBBl HfinSS B
mmÊ m^fnL mmmm ¦•"¦WÊ mmml-^mmim a$SÊ ¦
K«imX ^r .^ram »bV sTmbbb ia^-.#rsni UP^H-r C*lrq
I ^a ÉÉkiv] N f'^•llm ^WLw I
Lf BvPflKVJ Kl ¦.-:¦ PhBIk;.*s» sPf-1 m**t'*smm ¦
amaV u»sbb\ "o ^flrl P '"¦ l^i**iiríí ¦flV BÉ£
^V BbbbbbK ' 1*'' ^mSSSmbT ^^^^KaBbbbbbT' ;'<^l ^ft." - ' -*H BsnTív^l^cfclsrTáBBl EHfÍ9 HEfc/1
lar*l llw ¦& ?Tsbb! bP'¦""¦ ¦ •' I OhH I

lü w>\\&u m II H Ii
' '\bBkJ^'-K''BbVsBBBb!
^HMs^^^I ^B V^H W^L mUm ¦*íSsbBBBb! BKÜ^^KJvH LbBbWbWJ

IIIm
¦Ki I, ' '¦ 'mmim
wêw' hi*ii
- PI 1
in II
hhh11
¦m m m\ mU'AI D»V V ¦•'H mSMtum m
I !kl Pb ' * IjBn II ¦' II K^IBI
^L-V ^k^^Kl. ¦' ^BiSBBBBSBBS.i^l BB»Uta SBBBW •».¦ UB»_.'í^Efl^l B
M v*Ol ILI BrB El I
CÍ.BBÜ^.
fS" BB Bt)l' -'- ^1 utB B-Bnfl Hi ^é9 B
BBBBBW- ^ ¦¦r^lSBl P;l
•*"• I LV' BJM bus>»»J K^-iS m*Bi Mm mmkamm ¦
J^l iLll Hi»b1 L^I L si RRW hh I
¦BSVBn HS Bxl ^K-JM B^K^-^Bxl BBBBfc^i'A.y!ilB>i^'f^JtR!ttSBM BsK*?Nfc' -^™Jl BJsS
VbF ¦ ¦¦ 1^'*^ '^^B
•¦". «.W«tf.i
^^W^V IIÉN^^»>>rwl Vsxi aVVtli BT^^b™3PP\ -^5bbbbT*

IIH r?l-í%l P*SW IKli^l fc'^1 IPí


-,-" * >•$ / *
•BtpOM ÚÊ MfWRtT receber seu lotas pare pian- A GREVE ria haver um fresco de ms- ra, nosso eompanhelro de Durante nuas sstadis ne tas. Ns hora meresde ato
60 quilômetros sofrendo o tar cana, êle» sabem que DA LEOPOLDINA dícamento contra vermlno- sentlnela. respondeu quan- acampamento, o presidente havia mal» qu 90 Jagunço»
castigo da estrada, chegava- aquela terra é para a lavou- se. anemls s até para febre» do perguntamos qual» eram do Sindicato de Extração do ns praça, e a emissora locsl
mu ao sopé da Serra du ra branca (feijão, milho, Não satisfeito, continuou palúdica». uu planos: Sal de Cabo Frio, vereador comunicou s Buspensão do
. laranja). Quase' todo8 se o delegado s procurar João Com sim direção total- — t seu moço, eu fico Aldlr José du Santos, e re- ato "por motivo da Jorsa
¦\ A du metros da picada contentam com 2 ou 3 ai- Guarda nu lugares menu trabalho mente centralizada e com o- aqui pra ver o fim disso, presentante» do Sindicato mMor',
es. u u>tpoj»esu,i,Wram psra cultivar arras,, indicado». Invadiu o-Sindica-* entre todoe. a^yjdMoIgualmente-, uma rajada de jagunço ou de Produto» Químico» de Ca- ;" •'-^'"-
f" a mata, começa, a terra èljâo,' mandioca, criarem
?iueires to do» Ferroviário», e ence- ejtá'u solldlfl- me/ lote de terra e a mes- ho Frio, da Asiodaçlo de PUREZA
algumas cabeças de gado e iindo o espirito de compa- ma coisa, porque lá fora é Camponeses de São Pedro,
, virgem. Nunca ninguém der- ainda restaria uma peque-
nou novamente a buacs... nhelrismo dos acsmpsntes, e que não trabalho mais. lavaram cobertore» e allmen- Nascido no município de mÊmMi
subou urna árvore. Pouco» No dia seguinte a Leopol- Deus quando féz o mundo tos para uma semana. Pilar em Alagoas, veio Je-
"to lá passaram. Entretan-
.jbor na mata para a exploração dina parou. E os ferrovia- pouco a pouco o tratamento
"senhor"
da madeira. formal de uudo não deu terra pra ninguém. Todo» o» dias chegam co- vem lavrar a terra fluml-
èlá tam dono, e podero- rios sò voltaram ao traba- nense em Caxias, e ai foi
,so..., s Usina Cupim, contra- tsse desejo de cultivar o lho depois qu o governo por todos o» camponeie», vai . Dona Maria e Seu Scra- missões de solidariedade tra-
que é seu significa a llber- cedendo lugar ao ''compa- pião são os responsáveis zendo a ajuda do» operários,' fundador da Associação de
, Isda pelo grupo francês Su- tação do camponês de cer- do Estado garantiu s remo- nheiro". E é ai, neua uni- pela dispensa e pela cosinha, tanto material como moral. Lavradores Fluminenses. Em
ereries Bresillénes. Eram Cão do delegado dentro de dlr-se-la que eles trabalha- 1959 era fundador da Fede-
terras devolutas, agora são tas relações feudais como o um mês, assim como o res- uade entre o» camponeie»,
canhão, a mela e medidas <iue o» inimigos de sua» rei- vam em algum barracão de NAVAIS E ração de lavradores e em
ferras griladas. Não impor- espollativas como os vales peito aos camponeses do \ Indicações encontrarão uma fazenda. Mas a verdade é 1962 foi eleito tesoureiro da
ta que seja mata virgem, é
necessário que haja um dc pagamento que só podem Imbé.
Há dia» o delegado enviou muralha intransponível. outiu, êle era vendedor de
cestas de vime e ela pari
SARGENTOS ULTAB e procurador-geral
da Federação.
mk
"dono": e êsse mecanismo é ser descontados no barraco ao secretário de Segurança Domingo, chegou um ca-
da fazenda. OS BARRACOS; ajuda Io pedia esmolas nas Pureza já participou de
difícil de explicar ao cam- do Estado um pedido de ruas de Campos, pois já ti- minhão com cinqüenta re- quase todo» o» movimentos
transferencie em termo» ir- COLETIVOS E nhsm passado por Inúmeras, presentante» do Sindicato de camponeses do Estado do
A PROVOCAÇÃO revogávei» (psra o* ferro- PARTICULARES fazendas e sempre eram lu- Operários Naval» com ajuda Rio, e nunca entrou num que
A OCUPAÇÃO viários), mas sô fêz lno de- dibrlados pelo administra- em alimentos e dinheiro. não terminasse dando terra
Logo que os usinelros sou- pois de queimar até o últi- , O problema da moradia dor. Êste casal Já teve 18 fi- Depot» do almoço, o chefe aos camponeses. Isso já lhe
beram do objetivo daquela mo cartucho. Inclusive pro- foi resolvido com algumas lhu dos quais só restam da caravana, vereador gon- valeu muitos atropelos, mas
Depois de uma troca de concentração, foram ao de- pondo aos operários uma folhas de sapê e vara» de çalcnse Horst José Bezerra,
Metas eom oe camponeses cinco, e uma menina e es- dirigiu-se aos camponeses para êle não passam de epl-
legado de Campos, Ivo Ora- retratação. bambu. tava bastante doente no sôdlos. Sua luta é em def.?sa
da região, uma Comissão de ça — um dos policiais mais Há no acampamento dois lembrando-lhes que a »o]|.
dirigentes da Federação du acampamento. Foram o» dn rledade vai continuar, pois da massa camponesa, pois
arbitrários que passaram VOLTA A CALMA barracões coletivo», cinco primeiros a chegar e dizem como seus companheiros, êle
Trabalhadores Agricolas do por aquela cidade — que particulares, uma eus de não será por falta de ajuda
Ratado do Rio, coordenado» AO IMBÉ que só sairão de lá quando Já perdeu doi» filhos com
prontamente rumou ao dispensa com a cozinha ao fôr para ir tomar posse da que o Imbé vai »er ameaça- meno» de um ano de Idade,
pelo Tesoureiro da ULTAB, acampamento, acompanha- lado. Apenu um barraco terra, do pelos uslneiros. E que se e vivendo com o» lavradores
o camponês José Pureza vi-
sttou u terras gritadas e
do por 70 soldados da Po-
licia, fortemente armados.
Depoic de todo» êste» at-on- coletivo, que é chamado ds
tecimento», o» camponeses Estado Maior, por ur a se-
alguma arbitrariedade fôr
praticada contra os lavrado-
sente diariamente a de- m •:
oonssguiu sutorlnção do descansaram um pouco e de do Registro de Pedidos e CHEGA A SUPRA res, os sindicatos flumlnen-
«Igualdade impingida ao ho-
proprietário du terras vlzl- Chegando ao Imbé, cerca- voltaram novamente a> seu» mem do campo,
ram o acampamento em da Comissão de Remédio», ses imediatamente concla-
nhu para que ficassem esforço» para melhorar as está coberto com um ence- Durante a semana passa- marão seus operário» à gre- Foi a calma de Pureza
aeámpados até entrarem nu operação de guerra. Sob o condições do núcleo, que da estiveram no acampa- ve. pois o latifúndio e o que Impediu o choque entre
olhar espantado dos cam- rado, os demais usam folhas mento dois técnicos da os camponeses e o delegado,
matai da usina. construíram. de bananeira e palhas de grande inimigo.
Mo dia S de abril pela ma- poneses destruíram os bar- Nesta altura já encontra- sapé tanto para teto como SUPRA, enviados em nome quando este derrubou os ca-
recos de sapê e levaram mos acampado» quase 100 do presidente da República, Foi anunciado que, neste sebres do acampamento. E é
atai chegaram u pioneiro», tudo que havia nu palho- pára colchão. domingo, o deputado-sar- Pureza quem orienta a vida
eram cerca de 50 homen» lavradores, divididos em 7 com determinações no sen-
ças. comissões de trabalho, sob a não chegamAs barracas particulares tido de anunciar aos cam- gento Garcia irá levar a so- local. Todos os pretendentes
dtapostos a esperar e sguen- Interpelado pelo lider dos a ser moradlu, lidariedwlc dc seus compa- ãs terras (que já vão a
tar o que fosse necessário direção de José Pureza. Nln- Mais baixas que um homem poneses a desapropriação
camponeses, o delegado dis- guém fica sem fazer nada das terras griladas e Iniciar nheiros de farda aos campo- 2 000), vém a êle expor seu
pare obterem um lugar ao u que levaria as armas en- e bastante estreitas. A pes- a medição para que seja le- neses do Imbé, o deputado caso. Até agora nenhum te-
sol onde trabalhar. no Imbé, há serviço para to- soa tem de se agachar para
contradas por não estarem dos e todos trabalham, pois vada a cabo a divisão com será acompanhado por 50 ve seu pedido negado.
registradas. De nada adian- não vieram para outra coi- conseguir entrar, e lá den- as 350 famílias que já se ins- sargentos. A comissão de co-
QUIM SAO tou que lhe fosse exibida tro a única posição possível creveram. sinlia está alvoroçada, para Pureza foi o responsável
sa. é ficar deitado. Explicou- pelos entendimentos cem os
uma cobra surucucu com Os técnicos anunciaram preparar o churrasco que representantes da SUPRA,

1 Hü
A noticia da ocupação du dois metros que fora morta nos o camponês que quan- será oferecido às visitas.
terras alutrou-u. Correu naquele dia. O delegado aflr-
AS COMISSÕES to menor é a choça, menos que o problema jã estava re- Entretanto até nossa salda a com os deputados, é éle
na boca du mascates, du mou que levaria consigo to- frio sente-se. Nesse ponto solvldo. A terra seria dada carne para o churrasco aln- quem administra os gêneros,
tropeiros, e chegou a tôdu du os que "desejassem se- Cada comissão é respon- convém lembrar que o aos camponeses dentro de da estava no projeto. Ma», que dá as instruções por
u fazendas do norte fluml- sável por uma frente de tra- acampamento passou 14 dias dois meses, os acampantev temos certeza, será conae* onde passar a estrada. E
nsnse. No dia seguinte che- gurança". Perdeu seu tem- balho visando melhorar as com dois cobertores e o frio podiam se retirar para suas tudo Isso tendo apenas um
po, pois dois que o acomps- condições do acampamento. casas e aguardar a chama- guida.
gavsm u primeiros voluntá- nhsram, voltaram no meio na serra durante a noite é grande conhecimento da
riu para a batalha que eo-
mecaria em seguida, a luta
pela terra.
do caminho.
Segundo u camponeses,
toda aquela encenação não
A comissão de estradas já
abriu dois quilômetros de
passagem em plena mata,
dos mais rigorosos.
Um detalhe interessante é
a bandeira nacional hastes-
da do Qovêrno.
Os lavradores gostaram
muito da noticu mas só to-
OS DEPUTADOS
DO POVO
vida e o 1.° ano primário,
pois êle mesmo nas disse:
"Eu sou quase analfabeto".
^i! p
São homens que traba- construiu cinco pontes sobre da na frente do Estado marlam a decisão que José Desde que os camponeses
passou do grosseira arbitra- os córregos, e vai levando Maior, subindo às 8 é bal- Pureza indicasse. Êste expli-
lham nas UBlais recebendo rledade visando provocar sc instalaram na mata os APELO

mm
300 cruzeiros por dia, sem um conflito no qual os la- a estrada em direção ao xando às 18 horas. cou aos representantes do deputados federais Demis-
direito a nenhum descanso. vradores certamente não le- acampamento numa razão Governo a necessidade da- tóclides Baptista e Adão Pe- Enquanto os camponeses
Tem mulher e muitos íllhu variam a melhor. de 200 metros por dia. Os O CANCIONEIRO quele acampamento, e que rcira Nunes levaram todo estiverem no Imbé, os usi-
s não querem terminar suu membros da Frente de Tra- i
era Impossível a sua disso- auxilio, juntamente com re- nelros continuarão a plane-
vidu como a cana que cul- O DELEGADO balho são os responsáveis Apesar de todas as aper- lução. Mas, se a SUPRA de- presentantes da Assembléia
pela construção do barracão turás, os camponeses depois sejasse ajudar poderia pro- jar a repressão. Ontem foi o
ti vam: bagaços. Vieram pa- VALENTE Legislativa, particularmente delegado, amanhã poderão 1 ?:•/;*
n o Imbé em buca do lote de estuque, de novas palho- do jantar juntam-se em vldenciar uma pequena ver- o deputado Afonso Celso que ser os Jagunços que o de- M
No dia seguinte, acompa- cas, fogões de barro e até volta da fogueira, e de co- ba para a alimentação de passou varias noites no putado Simão Mansur —
de terra a ur repartido.
O mecanismo repete-se
diariamente. Chega o lavra-
dor, conversa com o encar-
nhado de três jagunços, o
delegado Ivo tentou invadir
a casa do camponês João
Guarda, amigo dos seus
mesmo de apanhar a lenha
para a cozinha.
A Comissão mais perigo-
coras cantarolam, ajudados
por um violão e um pandM-
ro. Entretanto o assunto das
todos, pois os Sindicatos,
apesar de estarem prestan-
do toda a ajuda necessária,
acampamento, dos acampa-
dos de Imbé. A ajuda dos
deputados foi fundamenta!
representante dos usinelros
— está prometendo aos seus
amigos.
I-} \ -Sé I
sa é a de vigilância. Isto o canções mudou, e mesmo não são feito» para isso. paia a remoção do delega-
regado du registros do companheiros do Imbé. Só repórter constatou, dando durante a brincadeira, u Os funcionários promete- Os latifundiários podem
acampamento, deixa o nome do e desmontou junto ao :-*\v
quem estava em casa era o guarda no acampamento du- camponeses desafiam o ia- ram voltar no~tnicio desta_ Governo Estadual
~"trítrr>3JÍ£jabotagem toda a fazer o que quiserem, sem- «m&.
e o número de familiares, filho do camponês, rapazola iante toda a noite. Os qua- tifúndlo. semana para iniciar defini- pre encontrarão no Imbé
dis quantos alqulres guta- ainda, que ao ouvir barulho tro "rondas" slo as sentine- urdida toda a resistência que os la-
tivamente a marcação e contra os íwananeses.
ria ds cultivar e vai embora levantou-se e foi ver o que Ias para prevenir contra um Sai de casa, também para trazer uma vradores possam opor. O
triste pois no acampamen- O vereador campista Jacyr-
havia. Encontrou um ja- ataque de jagunços ou o pe- arrumei a mala. resposta do Governo sóbre Barbeto — o mais votado do prazo estipulado pela SU-
to há pouca alimentação e gunço forçando a porta. Não rigo dos animais da mata, E pro Imbe a ajuda de custo pleiteada. PRA até que sejam repar- '1
não podem ficar todu. Mu Estado do Rio — teve lnclu- Ê necessário que essa so-
pensou duas vezes, passou cobra e até onças. Ai dos grileiros sive seu mandato ameaçado tidas as terras, é de trè- me-
o camponês volta sempre uma carga de chumbo na A cozinha, dispensa e iá do Cupim A SOLIDARIEDADE ses. Os lavradores não po- lidariedude seja mantida
que tem uma folga para sa- pela Câmara local, que já
ber como está a situação,
visita inoportuna. Com o ho-
mem caldo, o delegado e
solidariedade estão direta-
mente ligadas. A solidarie-
Que não quer dar terra,
Pra não libertar
aprovara um voto de louvor dem plantar nada nesse pe-
ríodo. E ai está c trunfo dos
durante o tempo necessário
Que todos os sindicatos e
m
sempre pedindo psra vir Os camponeses deverão ao delegado. Mas sua deci-
seus acompanhantes fugi- dade recebe os donativos que Adeus galego, aguardar no acampamento a uslneiros, ile. esperam ven» associações profissionais en-
morar no acampamento até ram deixando as armas e diariamente chegam das Que este terra divisão das terras, e isso vai
dida intervenção em defesa
dos lavradores impediu cer o acampamento pe!» vlem alguma coisa em rou- i
a partição das terras. a carteira com todo o dinhei- mãos do» trabalhadores de pra ti não vai ficar. demorar cerca de dois me- maiores manobras dos usi- fome. Farão todo o possível pps, mantlmentos ou dl-
ro do delegado. todo o Estado, entrega á Se tu quer me matar ses. Todos chegaram com a nelros. Junto ao prefeito de para sustar a verba proms- nheiro aos lavradores, A
O QUE QUEREM Não sabendo de nada, o dispensa que é encarregada O caminho vai errar. roupa do corpo carregando o Campos, que tomou uma po tida pela SUPRA, e Impedir ajuda pode ser remetida %
rapaz foi levar o ferido e de controlar os gastos na Eu vim a serviço saco de estopa com os uten- sição bastante sensata e Jus- toda e qualquer ajuda aos tòda.s as Associações de La-
As terras do Imbé são m todos os pertences para a cozinha. Não vim exaltar. silios. Nâo têm de que vi- ta, não colocando-se em ne- lavradores. vradores, aos Sindicatos da
mais férteis de Csrapos, tem delegacia julgando que fôs- A menos favorecida é a ver até que lhu seja dado nhum momento contra o. Mas enganam-se os usi- Leopoldlna e ás Federações
u baixadas para plantação sem dos ladrões. O policial Comissão de Remédios. Os CONVERSA o lote de mata. povo que o elegeu. nelros se pensam que os de Camponeses filiadas ü
de arroz a terra preta para quando o viu deu-lhe voz de poucos frascos de amostras DE CAMPONÊS Os sindicatos fluminenses Os mineiros organizaram cemponeses de Imbé estão ULTAB.
a m:pd'o,-a e tudo o que se prisão, que não sp. consumou que têm não resolvem o pro- mobilizaram-se pm ajuda aos um comício dc repúdio aos sozinhos. Isso ja pudcipos É rTssn ojuda nue vai r"n-
puder plantar. om virtude da intervenção' hlemn que aflige a todos, MrnrgJ, um r.pirro de seus companheiro* do cam- camponeses, Mas, comido copsthtar por tuf'o que Já n?n.':9r. n completo triunfo
Os lavradores não querem do vereador Jacyr Barbeto. poib para cada pessoa deve- quase dois metros de altu-. po. dc usineüo é castelo de car* receberam como ajuda. du acampamento dc junte.

.\ . •'i
:.
i'¦'

Forças Nacionalistas Mobilizam Todo


o Povo Para a Luta Contra a Política
do FMI e Pelas Reformas Imediat fí\

«Soou a hora da organização para a luta pelas indispensável contra o estrangulamento a que está de todo o povo, numa frente única da qual não po* Tamperanl Pireira na Câmara ;
reformas, a defesa das liberdades democráticas, a sendo submetida a sociedade brasileira. uciá deixai- de participar i.*..iium patriota, cons*
c<iM|..!stn dc melhores condições de vida e o combate. Também o governador Mauro Uoiges. de (ióiás, ciente de seus deveres para com a comunidade brasi*
sem li\,,'.';i au processo espolia tivo.., A convocação acentuou a inadiabilidade das reformas estruturais, leira. A ascensão fulminante do custo cie vida está PRESSÃO POPULAR É LEGÍTÍMA
é geral; convocamos os deputados e vereadores na* além de transmitir uma série de experiências realiza* condenando a níveis de ini ra*existência humana gran*
cionalisliis, os trabalhadores, os estudantes, os cam* das em seu Estadc des camadas da população. Os salários estão sendo E REFORMAS SÃO INADIÁVEIS
poneses... pata :jue organizem em cada Estado, em impiedosanit-nte conliscados. Os empresários, por sua
cada município, In., to. rua, .fábrica e em cada es* Brasília vez, eslão sentindo a ameaça direta da estagnação
cuia. comitês de ni(ibili..;r,;io popular, de modo a for* O grande expediente da Câmara Federal, tôrea*fejra
de suas iniciativas. O capital estrangeiro cada vez 23. foi ocupado em grande pane poi' importante discurso
mar o mais poderoso movimento de opinião pública Diretamente da Capital Federal, a cadeia de mais deita seus tentáculos,-absorvendo as empresas do deputado Temperani Pereira, du 1'Tli gaúcho, defendeu*
da história Pátria, único meio de conduzir o Brasil emissoras transmitiu a palavra de deputados da 1'Í'N. nacionais. O parque industrial se désnacionaliza, en* do a legitimidade das pressões populares sob todos os as-
ao encontro du seu grande destino de país indepen* Benedito Cerqueira leu a carta do CGT enlie* quanto milhares de trabalhadores sáo atirados ao p.-ctos, mesmo quando assume"ação a turma de greves políticas,
dento — assinado por parlamentares nacionalistas, classificando as pressões de din ia que as democra*
gue ao Senado e á Câmara, mostrando aos parla* desemprego. Militares e civis, ao reclamarem ajustes cias sempre admitiram".
representantes da FI'N, do ('ornando Geral dos Tra* mentai es que aos trabalhadores se vai tornando cada salariais ao nível da carestia ascendente, vêem bar*
Depois de lembrar qu.; e.ssii açõo popular .sempre e\is-
balhadores, dá UNE e da IIJES foi lançado a todo vez mais difícil suportar o peso da política governa* radas as suas mais justas reivindicações. O processo tlu como um postulado básico da democracia, o parlameii*
o país o manifesto convocando o povo brasileiro a se mental, que não procura apressar a solução dos pro* espoliativo expande-se como se representasse uma lar ressaltou o exemplo da imprensa, livre de externar suas
organizar e mobilizar para a luta pela conquista das blemas populares com a aprovação imediata das re- política de terra arrazada. criticas e preferências, direito legitimo que só foi mutila-
reformas de base e contra o processo espoliativo. du por ocasião do Eslario Novo.
formas de base, a começar pela mudança da eslru* "Se é verdade
tura agrária. O Pais está paralisado em seu desenvolvimento. que há uma mobilização' nacional em lór-
no das reformas — afirmou — se é verdade que ,i pressão
Convocsrão geral Há crise de aumentos, crise de escolas, de hospitais,
ameaça os fundamentos das nossa-; instituições, sp é legi-
O deputado Adão Pereira Nunes, eleito pelo Es* de energia e de transportes e comunicações, enfim lima a conclusão dita e proclamada rle bòa té. a Câmara
O manifesto foi levado ao poVo através de uma tado do Kio, deteve*se particularmente na reforma de todos os bens e serviços essenciais à vida do povo. deve fazer as reformas já, sob pena de m- auti.destruir, de
grande cadeia de emissoras, em programa de Ian* agrária, citando os recentes acontecimentos de Imbé, As classes privilegiadas ura procuram atrasar a efe- se automutilar".
camento da Vrente de Mobilização Popular, durante o no município de Campos, como um exemplo nesse livaçáo das reformas de base, das quais dependem o Afirmando que surgiram no Brasil "lideranças dispas-
qual falaram parlamentares, lideres operários e es- sentido. . progresso e o desenvolvimenlo autônomo do Pais, ora tas u tirar da tocaia os reacionário*,, que serão os respon*
sáveis e os autores du violência, se cia houver no Brasil";
tudanti.". O sargento Garcia Filho abordou principalmente procuram frustrá-los através de projetos mistificado* u deputado gaúcho salientou que extremistas são aqueles
a questão do aumento do funcionalismo civil e mi* res, como está ocorrendo, precisamente agora, com a que se manifestam contra as reformas,, dizendo ainda que
O deputado Sérgio Magalhães, presidente da litar, mostrando o absurdo de pretender-se conceder reforma agrária. a acusação dc que são comunistas os que defendem us ie-
Frente Parlamentar Nacionalista, criticou a política uma elevação salarial de apenas 40%, quando o custo < íamos populares pelas reformas de base não passa ''•'
"liemenda contradição no selti das classes conservadoras
éconúmico-financeiia filiada à orientação dn Fundo de vida no período aumentou em 70%. Anunciou que Frente a essa realidade, não é mais possível a
Monetário Internacional e encareceu a necessidade da ação isolada dus que desejam o progresso econômico e das classes diligentes do país", de vez que os interesses
apresentará emendas ao anteprojeto de aumento vi- das classes produtoras, da indústria brasileira, se beneficie
imediata aprovação das reformas de base, medida sando corrigir injustiças e assegurar direitos, par- e social do Brasil. Esta é a hora da organização do rao das reformas. Ainda mostrando essa incoerência,' o rlepu
ticularmente no setor militar. povo para a luta pelas reformas autênticas e ime* lado disso que "reforma agrária é o hrojrãu mais capila-
diatas, que eCeinunienle permitam a desapropriação lisia, mais burguês que existe"; rei "-bondo o apoio das
Falaram ainda os deputados Neiva Moreira e Fer* forças de vanguarda por significar um estágio de evolução.
por interesse social. Êste é o momento da mobiliza-

0 Último Apelo nando Santana. Enquanto o primeiro prendeu-se mais O parlamentar gaúcho terminou seu discurso, dizendo
ção popular para a conquista da verdade salarial, "u Brasil não
à legitimidade das pressões populares para alcançar para exigir a correta aplicação da lei que limita a que pode continuar como e.siá, em nome do
nenhum principio, de nenhuma moral. Não- há natla que
suas reivindicações, o segundo desmascarou a cam- remessa de lucros, e o exercício de uma eficaz re* possa justificar c'sto crime que cometemos, não realizando
panha que vem sendo feita pelo «O Globo» e quei- pressão aos abusos do poder econômico. Êste é, so* a reforma agrária e ficando no neutralismo tom subteríú-
jandos contra a reforma agrária como uma ameaça In-etudo, o instante para o combate à política econô- gios de ordem jurídica".
O memorial endereçado aos deputados e senadores, pelo ao direito de propriedade, mostrando que o que se mico-financeira inspirada nas diretrizes do Fundo
CGT. reunido em Brasília, tem o seguinte teor:
"Exmos. srs.
presidentes do Senado Federal e da Câ- passa é justamente o contrário; a reforma agrária Monetário Internacional e paia consolidação da po-
mara dos Deputados. virá assegurar o direito de propriedade à maioria do lítica externa independente, com base no principio
Exmos, srs. Senadores e Deputados. povo brasileiro. da autodeterminação dos povos.
Exas. CGT REUNIDO EM BRASÍLIA
Reunidos em Brasília em 22 e 23 do corrente, repre- Para o desempenho de tarefa tão fundamental,
sentando á granetc maioria dos trabalhadores brasileiros e Unidadi convocamos todas as forças populares do Brasil. Soou
de seu movimento sindical, o COMANDO GERAL DOS TRA-
BALHADORES dirige-se a VV. Exas,, para solicitar, mais a hora da organização para a luta pelas reformas, a ANUNCIA A MOBILIZAÇÃO
O presidente em exercício da UNE, Geraldo Mo- defesa das liberdades democráticas, a conquista de
uma vez, a aprovação de leis das quais depende a salva- ruis, e o presidente da União Brasileira dos Estii-
Ção dc nosso pais, o desenvolvimento independente e a ma-
nutcnçâo e ampliação das conquistas e dos direitos da mas- dantes Secundários, Políbio Braga, que falaram em
melhores condições de vida e n combate sem trégua NACIONAL PELAS R=FORM£$
ao processo espoliativo. De cada patriota esperamos
sá laboriosa dc nossa pátria-. seguida, enfatizaram a questão da unidade entre os a combativa solidariedade para á resistência que a
Eslá em vossas mãos a realização da Reforma Agrária, operários, camponeses e estudantes, fundamental Pátria está reclamando de cada um de nós. A convo-, Reportagem dc Roberto Morena
som a qual o povo definhará á mingua, ficando comprome-
tido o desenvolvimento econômico do pais pela falta de mer. para a conquista das reformas necessárias. eação é geral: convocamos os deputados e vereadores
cudo consumidor. A transmissão foi encerrada com o discurso do nacionalistas, os trabalhadores, os estudantes, os cam*
VV. Exas. ja devem sentir quo em várias regiões a mas- deputado Leonel Brizolá, que também falou sobre a
sa camponesa vai tomando em suas mãos a terra abando- unidade na mobilização popular para a organização poneses. os intelectuais, os militares, a mulher bra- Durante ns dias 22 e 23 rij-ic mes o Coftianxlo Geral
nada- ou aquela que sc tornou produtiva por seu exclusivo sileira, Iodos os patriotas, enfim* para que.organizem dos Trabalhadores realizou em Urasilia uma reunião histó-
esforço, A Reforma Agrária é um imperativo que não acl- e a ação em defesa das reformas básicas e contra o em cada Estado, em cada município, bairro, rua, fá- rica, de acerto de medidas paia a urgente mobilização na-
mito mais delongas. Luta-se, cm todo o Brasil, pela distri- processo espoliativo a que o imperialismo noite-ame* brica e em cada escola, comitês de mobilização po*
cional para a aprovação, já, das reformas de base. Do êxito
buição da terra, pela ajuda financeira e técnica aos que rica.no submete a nação. O ex-governador do Kio cia arregimentação uma excelente amostragem foi dada logo
nela- trabalham o pela venda do seus produtos sem inter- Grande do Sul anunciou o prosseguimento da cam- pular, de modo a formar o mais poderoso movimento na noite do dia 23, quando mais dc tres mil trabalhadores
media rios. Reclamamos a modificação do parágrafo 16 do de opinião pública da história Pátria, único meio de reuniram-se em praça pública na orna capital improvisando
art, -111 da Constituição Federal, relativamente ao sistema panha até sua vitória definitiva. conduzir o Brasil ao encontro de seu grande destino um comício para saudar as decisões do encontro do CGT.
dè desapropriação da terra, sem o que não se fará uma de país independente e progressista. Nos dois dias do reunião os líderes dos trabalhadores
jusla alteração na arcaica estrutura agrária de nosso país.
O Congresso Nacional tem. neste instante, uma enorme
0 manifesto discutiram os problemas nacionais que estão na ordem do
dia, principalmente as conseqüências da aplicação da po-
responsabilidade perante os trabalhadores e o povo brasi- (aa) Dep. Sérgio Magalhães, dep. Leonel Brizolá, litiea econômica e financeira do Governo, orientada o diri*
leiro, A demora em aprovar a Reforma Agrária dará motivo É o seguinte o texto do manifesto de convoca- dep. Neiva Moreira, dep. Max da Costa Santos, dep. gicia pelo fundo Monetário Internacional e expressa no
a um movimento popular que, pelo seu impeto e amplitude, ção da,Frente de Mobilização Popular: sargento Antônio Garcia Filho, comandante Mello Plano Trienal: em todos os listados principia a onda de
tornará uma realidade esta reivindicação de todo o povo. «A difícil e decisiva situ:: .t> a que chegou o Pais, Bastos, dep. Hércules Corrêa. Dante Petacani, Osval- desempregos, intensifica-se o aumento clesmosurado do eus*
Unira reivindicação que fazemos é a aprovação imedia- do Pacheco. Geraldo Morais. Theodoio Botinelly, Po- Io rie vida c recrudescem a exploração e a especulação.
ia da? wformas Bancária, Tributária-, Urbana e Universitá- engolfado numa crise éconiV.n.co-financcira de conse*
Os dirigentes sindicais constataram o crescimento das
ria. Em nome dos trabalhadores também "já oferecemos as qüèncias imprevisíveis, exige a imediata mobilização libio Braga, Olímpio Mendes.
lutas roivindieatórias em tudo o Pais. tanto na cidade quan-
nus-.' sugestões a fim de contribuir para a mais rápida tu no campo, o que demonstra que as massas trabalhadoras
tramitação dos projetos já existentes nessa Casa Legislativa. nfto aceitam essa política do nsfomeanienln que lhes querem
PRECONIZAMOS REFORMAS PROGRESSISTAS QUE impor os autores e executores do Plano Trienal do Governo,

Á (ondamacão
REALMENTE CORRESPONDAM AOS INTERESSES Dü
POVO. DEIXAMOS BEM CLARO QUE JAMAIS CONCOR- Participaram da reunião do CGT representantes do
DAREMOS COM FALSAS REFORMAS. Amazonas. Pará, Rio Grande cio Noite. Pernambuco, Ala*
Por outro lado. insistimos em que se aprove o projeto goas, Bahia, Minas Gerais', Espirito Santo, Estado do Rio,
que concedo o salário-familia a Iodos os trabalhadores, sem Guanabara, Sáo Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Gran*
as mutilações u restriçõe;; que já se pretende introduzir de do Sul, Goiás e Brasília.
c unida quo sr estabeleça que a aposentadoria e o auxilio- Foram aprovados dois documentos: ttm dirigido aos
doença jamais sejam inferiores ao salário-mtnimo regional. É esta a Integra do manifesto dirigido ao povo, aos pelo FMI. pára anular o nosso desenvolvimento econômico. deputados o senadores, outro aos trabalhadores c ao movi-
Estas reivindicações sc constituem em reclamo unitário de trabalhadores e às organizações sindicais, pelo Comando Unidos e organizados exijamos do Governo a execução
Geral dos Trabalhadores, após a reunião de 22 e 23 do mes real cia lei ue ..emeaMi iiC muros ao exterior e ua anil- mento sindical. (Ambos vãe. reproduzidos na integra nesta
milhões de brasileiros. pagina). A reunião resolveu também emprestar a total so-
Ao mesmo tempo .eonliamos em que VV. Exas. aten- em curso em Brasília: trustes. '"•.¦..
Unidos e mobilizados, exijamos que o Parlamento Na- lidariedade dos trabalhadores brasileiros ao governador Ml*
dam aos justos reclamos do funcionalismo civil e militar, "AOS TRABALHADORES E AO POVO DO BRASIL guel Arraes. alvo de uma conspiração reacionária em an-
concedendo-lhe o reajuslamento na base mínima de 70 por cional aprove o salário-íamilia, para que melhor possamos
AS ORGANIZAÇÕES SINDICAIS educar nossos filhos. (lamento. Foram aprovadas ainda moção fie apoio a. uma
.cento, do vez quo o irrisório aumento previsto no Plano Unidos e mobilizados reclamemos as leis progressistas greve reivindicatória dos trabalhadores de Manaus e uma
Trienal não corresponde, absolutamente, á queda do poder saudação ao proletariado da União Soviética, ria China Po-
aquisitivo decorrente da inflação. Companheiros: de reformas bancária, tributária, universitária e urb'ana.
Unidos e mobilizados, reivindiquemos que o Congresso pular e da Tchecoslováquia. ria qual será portador o pre-
Senhores parlamentares, Nacional aprove, com á maior rapidez, o aumento mínimo sldente. do CGT. Dante Pclacanl,-que viajará pròxiniamen-
No momento em que aumenta sem cessar o custo de Como advertimos cm nossas declarações anteriores, a
de 70'.;, para Iodos os funcionários civis e militares, náo te para aqueles paises.
vlda...'çm que o recrudeseimento do desemprego é uma roa- política econômica e financeira ditada pelos trüstés e mu-
lidade. de um lado por manobras reacionárias dos em- nopólios internacionais que dirigem o FMI, que orientou consentindo que os parlamentares deixem de atender essa
o Plano Trienal do Governo, já começou a dar suas fu- justa porcentagem, FRENTE PARLAMENTAR NACIONALISTA
pregarores o do outro.devido ás restrições cie crédito, con- nestas conseqüências: inicio do desemprego em massa, Unidos c mobilizados, reclamemos do Governo a rea-
seqüência Inevitável-da política preconizada pelo FMI, pos- lização das obras públicas c u consolidação de Brasília como Todo o Comando incorporado manteve uma longa con-
Ia em'prática em nosso pais através do. Plano Trienal do atraso dc pagamentos, manobras reacionárias contra os
salários e vencimentos, sob o pretexto de falta tíe cre- Capital da Republica. ferèneia com a Frente Parlamentar Nacionalista, represen-
Governo, surge como necessidade inadiável a realização das Unidos e mobilizados, defendamos as liberdades demo- tada por II deputados.. Na oportunidade falaram em nome
reformai: do base. ditos.
Aplica-se, claramente, a política dc congelamento dc crálicas, pois cias são as garantias da defesa de nossas rio Comando os lideres Osvaldo Pacheco e Dante Pelacani;
Salientamos a VV. Exas.. que não podemos assistir im- e pela Frente os deputados Temperani Pereira. Mário Lima,
salários e vencimentos e obstina-se o Governo em manter reivindicações e direitos.
passíveis á condução cio país á catástrofe econômica, sob sua proposta de aumento máximo de um pouco mais cie Companheiros. Benedito Cerqueira. Paulo de Tarso e Peruando Santana.
a orientação de poderosas forças dos monopólios imperia- Nossa conclamáção é dirigida a todos os trabalhado- Ficou estabelecido que CGT <• I-TX agirão unidos na lula
listas. 40% nos vencimentos dos funcionários civis e militares.
Enquanto isso ocorre, o custo de vida aumenta sem freios, res. sem nenhuma distinçãp. A no.ssa força tem que se pela aprovação das reformas de base.
' Ao reclamai do VV. Exas. a aprovação das reformas bá- apoiar em nossa unidade. Mas é necessário mais ação, mais
sieas, asseguramos que estamos prontos a emprestar-vos to- sem que nenhuma medida por parte, do Governo seja to-
mada para coibir a exploração. mobilização. CÂMARA ESENADO
do o calor de nossa luta para vê-las realizadas. Devemos continuar preparando nossas forças com ra-
.Estas' foram as decisões da reunião realizada nesta ca- Já se manifestam as medidas repressivas contra o povo Logo após os participantes da reunião fizeram entrega an
que não deseja subm.ete.v-se a essa situação de angústia e pidez e firmeza. As nossas resoluções tém que *ser discuti-
pitai, em cumprimento ã vontade dos trabalhadores brasi-
-jeiros, das nos locais de trabalho e nas entidades sindicais. presidente ria Câmara dos Deputados o ao secretário rio
Ernicada local de trabalho, em cada organização de inquietações, com o objetivo de atemorizar o povo. Os Senado Federai rins documentos aprovados no encontro rio
trabalhadores, porém, não se submeterão a essas ameaças Devemos intensificar nossa organização, exigindo, tam-
sindicai, manteTeTnxjsTióiSsa-niòbüizafião, nossa permanente bém, o direito à sindicalizacão de todos os funcionários pú- CGT. Representantes'da Câmara o do Senado afirmar am
unidade o vigilância, para qne juntos com VV. Exas.—pos- e responderão à política de fome com novas c renovadas na ocasião que o memorial será objeto i'e estudo ime.dij•ltf;
lutas pela majoração constante dos salários. blicos.
samos ver concretizadas as modificações estruturais recla- Estas são as decisões do Comando Geral dos Traba- ficando desde logo acertado que <> projeto .que ihstitu i f.
macias por toda a Nação. Reunido em Brasília o Comando Geral dos Trabalha- salário-familia paiu todos os trabalhadores será aprov ido
dores, constatamos o aumento sem cessar do espirito de lhadores, tomados em Brasília. Elas pertencem aos traba-
Brasília, em 23 de abril de 1963. lhadores. Unamos nossas forças com ás dos camponeses, em regime de urgiincia ainda õsía semana.
O COMANDO GERAL DOS TRABALHADORES." luta e do ânimo dos trabalhadores, dos camponeses, dos
dos-estudantes, dos parlamentares, dos patriotas civis e Outro problema que mereceu séria atenção foi o rio
estudantes e de todos os patriotas civis e militares, contra militares formando uma frente poderosa e invencível, que
todos esses atentados ao nosso desenvolvimento econômico e aumento dos servidores públicos civis o militares. O Co-
derrotará a. reação e o "gorilismd", garantindo a consti- mando, acompanhado de numerosa delegação rio ftinciuna*
às liberdades democráticas. E reforçamos nossa convicção de tuição tíe um governo democrático e nacionalista, que le- ¦Iismo, reiterou a necessidade do .aumento sèr aprovado ime-
que somente com nossa luta e vigilância podemos desba- vara o Brasil pelo caminho do progresso, de .sua indepen-
ratar os golpes e conspirações dos "gorilas". Firmados ne.ssa diatamente, c na base de 70 por cento,
força, em nossa unidade e ação, lançamos uma conela- dència econômica.
mação a todos os trabalhadores e ao povo: Com estas palavras de ordem, comemoremos entusiàs- 1° DE MAIO
Ocamente o PRIMEIRO DE MAIO e caminhemos para a
Unidos e mobilizados, reclamemos a aprovação imedia1 realização do nosso IV CONGRESSO SINDICAL NACIO- Sóbre as comemorações da da*a do operariado os rii-
ta da reforma agrária, com a expropriacão de terras dos NAL. i.mde ciaremos a estrutura definitiva da organização vigentes rio CGT votaram uma eoiielaniaçãó aos trabalha-
latifundiários, Rara o que deverá ser modificado o para- central dos trabalhadores brasileiros. rinros e ao movimento sindical no sentido de quo n I rie
grafo 16 do artigo 141 da Constituição Federal. Maio se.ia celebrado em unidack' com todas as fôi ¦;*-• na-rio-
Unidos e mobilizados, reclamemos medidas contra o Brasília. 23 de abri! de 1963. niilistas c ('ei¦¦< râlicii;-'. dentro do.c :p'.ri
desemprego .por uma justa politieu de crcdlt-ss seleciona- nr c..\ 1 vani-id-'s nó \r. - sto aos ope rios e no memorial
dos, contra a política financeira do Plano Trienal dirigida : O COMANDO GERAL DOS TRABALHADORES". aos deputados e senadores.