Você está na página 1de 8
- ” TRIBUNAL DE JUSTICA DA PARAIBA GABINETE DO DES. OSWALDO TRIGUEIRO DO VALLE FILHO DESPACHO PEDIDO DE RECONSIDERAGAO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO PROCESSO N°0000838-85.2019,815.0000. Relator: Onaldo Rocha de Queiroga ~ Juiz de Direito Convocado. Agravante: Bruno Farias de Paiva Advogado: Rogério Dunda Marques. Agravado 01: Presidente da Camara de Vereadores do Municipio de Jodo Pessoa. Agravado 02: Camara Municipal dos Vereadores de Jodo Pessoa. Vistos. Trata-se de Pedido de Reconsideragao interposto por Bruno Farias de Paiva em face de de nos autos do presente agravo de io que indeferiu 0 pedido de efeito suspensivo strumento (fls. 428/431). Em suas razées (fls. 433/438), o agravante sustenta a necessidade de concessio do efeito suspensivo ao presente agravo, considerando as supostas violagdes ao regimento interno da Camara Municipal, em especial os seus artigos 160, caput, e artigo 176, §1°. Em sintese, sustenta que 0 Projeto de Emenda a Lei Organica (PELO) n°08/2019 foi aprovado com emendas extemporaneamente apresentadas, vulnerando © Regimento Interno da Casa Legislativa. Ao final, requereu a reconsideragdo da decisdio de fls. 421/423, com © 0 deferimento do pedido liminar, a fim de que seja suspensa a votagio da PELO 1n°08/2019, com data marcada para o dia 12.12.2019, ou, em caso de ja ocorrida a votacao, a nulidade de todos os atos subsequentes ate decisao final, E 0 relatério. DECIDO. ‘Antes de adentrar na anélise do pedido liminar, cumpre-me fazer uma breve digressao histérica sobre a questo em andlise. © agravo de instrumento distribuido a essa Relatoria encontra seu nascedouro no mandado de seguranga n°0876742-89.2019.815.2001, ora em tramite na 3* Vara da Fazenda Publica da Comarca da Capital. No bojo do writ de origem, o impetrante, parlamentar municipal, sustenta que 0 Projeto de Emenda a Lei Organica n°08/2019 esta inquinado de vicios em sua tramitagdo, dentre 9s quais Pedido de Reconsideracto em Ags 10 de Instrumento n°0000838-85 2019.815,0000 4 by se sobressai a apresentagdo de emendas extempordneas contempladas no parecer relator do projeto na Comissao de Constituigao, Justiga, Redagao ¢ Legislagao Participativa. Liminarmente, 0 impetrante requereu a suspensdo da tramitagzio da PELO n°08/2019, bem como a anulagdio das votagées eventualmente realizadas. No mérito, pugnou pela invalidade e anulagdio da reunido da Comissio de Constituigao, Justiga, Redagdo e Legislacao Participativa, bem como dos posteriores atos. A decisao liminar fora negada em 11.12.2019 pelo magistrado de primeiro grau (fls. 23/25), nos seguintes termos: “EM FACE DO EXPOSTO E DIANTE DA PROVA MATERIAL APRESENTADA NEGO A LIMINAR POSTULADA PELO IMPETRANTE BRUNO FARIAS DE PAIVA, POIS REAFIRMO ~ NAO VEJO NO MOMENTO ATUAL A ‘FUMUS BONI JURIS' NA POSTULAGAO EM SEDE DE MANDADO DE SEGURANGA CONTRA O PRESIDENTE DA CAMARA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA" FE desta decisio que o impetrante interp6s a presente irresignagao instrumental. Em suas razées recursais (fls. 02/19), 0 parlamentar impetrante, ora recorrente, reafirmou os fundamentos jé suscitados na exordial do mandamus, © pugnou pela concessao de tutela antecipada recursal, a fim de que seja concedida liminarmente a suspensdo do tramite do PELO n°08/2019. Analisando a questo no plantao judiciario, o Nobre Desembargador Arnébio Alves Teodésio indeferiu a liminar recursal (fls. 428/431), por entender que a controvérsia instaurada no mandado de seguranga se circunscreveria matéria interna corporis, sobre a qual na caberia a intervengao do judiciario. Apés regular distribuigao a esta Relatoria, o agravante atravessou a petigdo (fls. 433/438) que contém o presente pedido de reconsideragao. Pois bem. Passo a analis4-lo, pontuando, de antemao, que a decisao sob reconsideragao merece reforma a partir das ponderagSes que passo a efetuar. Como € sabido, a posi¢éo majoritiria do Supremo Tribunal Federal & de ser excepcional a possibilidade de interferéncia judicial em matéria interna corporis do Poder Legislativo, sobretudo quando a tematica envolvida se exaure na intimidade do plano regimental, como bem observou o Nobre Desembargador em decisao liminar de fls. 428/431. F preciso asseverar, no entanto, que a meu sentir, a problematica ora sob analise no se insere na definigaéo de “matéria interna corporis”, pois o argumento do impetrante é de afronta as disposigdes literais do regimento interno (Resolugéo Municipal n°05/2003) e, portanto, de quebra do devido processo legislativo, superando, portanto, o cardter de mera interpretagfo de dispositivos regimentais. Pedido de Reconsideragio em Agravo de Instrumento n*0000838-85 2019 815.0000 | f ca Cumpre mencionar, ab initio, que © processo de tramitagao dos Projetos de Emenda Lei Organica Municipal obedece ao rito estabelecido no; artigos 158 a 161 do Regimento Interno, que assim rezam, in litteris: rt. 158 A proposta de emenda & Lei Organica do Municipio & a proposigéo que objetiva _alterd-la, modificando, incluindo ou suprimindo os seus dispositivos, competindo & Mesa da Camara sua promulgagao. Art. 159 A iniciativa de proposta de emenda & Lei Organica do Municipio deve ser. I~ do Vereador; IL ~ do Prefeito Municipal, II ~ de iniciativa popular, na forma deste Regimento. Art. 160 A proposta de emenda & Lei Organica permanecerd_em pauta durante 5 (cinco) sessdes ordindrias consecutivas para recebimento de emendas. §1° Apds esse prazo, a proposta de que trata o “caput” deste artigo serd encaminhada & Comissao de Constituicao, Justica e Redagdo Final e @ Comisséo de Politicas Publicas, para, dentro de 15 (quinze) dias titeis, examinar e emitir 0 parecer sobre a constitucionalidade e 0 mérito da propositura e as emendas a ela apresentadas. §2° As Emendas poderdo ser: substitutivas, modificativas, aditivas e supressivas. I — Emenda substitutiva: € a proposi¢do apresentada como sucedanea de outra. HU — Emenda modificativa: é a que altera a proposigao principal. I ~ Emenda aditiva: é a que acrescenta dispositive & proposigao principal. IV ~ Emenda supressiva: é a que propée a retirada de qualquer parte de nova proposigao. Art. 161 A proposta de emenda a Lei Organica Municipal sera discutida e votada em dois turnos de discussdo e votagdo, no espaco de 10 (dez) dias considerando-se aprovada quando obtiver, em ambos, dois tergos dos votos dos membros da Camara”. (Gri No meu entender, 0 ponto nodal da presente controvérsia, ao menos & primeira vista, reside na etapa procedimental estampada no caput e no §1°, do artigo 160, do Regimento Interno do Parlamento Mirim. A partir da leitura do preceptivo regimental, resta muito claro que ha um momento temporal adequado para a interposig&io de emendas ao Projeto de Emenda a Lei Organica (PELO). De acordo com a cabega do artigo 160, supra, 0 PELO permanece em pauta durante 05 (cinco) sessdes ordinarias consecutivas, durante as quais fica apto ao recebimento de emendas por parte dos integrantes da Casa de Leis. Pedido de Reconsideracto em Agravo de Instrumento n°0000838-85.2019.815,0000 " a — E imperioso reconhecer, nesse sentido, que a quinta e iltima leitura do projeto representa, nos termos do regimento, a barreira final e intranspon| para a propositura de emendas a um PELO. O artigo 160, §1° do regimento in determina que o papel da Comissao, apés as leituras, é 0 de, in verbis, “exanffnar e emitir 0 parecer sobre a constitucionalidade e 0 mérito da propositufa e as emendas a ela apresentadas”. Em outros dizeres, 0 regimento da Casa Legislativa nao autoriza a propositura de novas retificagées a um Projeto de Emenda a Lei Organica em momento posterior 4 quinta leitura, cabendo-lhe téo somente deliberar sobre a constitucionalidade e 0 mérito das emendas apresentadas no intersticio do artigo 160, caput, do Regimento. Na presente hipétese, verifico, ao menos a principio, que as cinco Ieituras do PELO n°08/2019 foram realizadas durante 0 pequeno expediente das sessées ordinarias de n°83, 84, 86, 87 ¢ 89 da Casa Legislativa Municipal, conforme se depreende de suas respectivas atas. Ou seja, existem indicativos de que 0 PELO n°08/2019 esteve a disposigao do parlamento para o recebimento das @ _cmendas no periodo estabelecido pelo regimento interno, senao veja: (a) primeira leitura: realizada na 83° sessao ordindria, em 05.11.2019 (f1. 183): (b) segunda leitura: realizada na 84* sesso ordinaria em 06.11.2019 (fl. 219); (c) terceira leitura: realizada na 86" sesso ordinaria em 12.11.2019 (1. 260); (a) quarta leitura: realizada na 87* sesso ordindria em 13.11.2019 (f1. 289); (©) quinta leitura: realizada na 89 sessio ordinaria em 19.11.2019 (f1. 333). E oportuno destacar que, em 19.11.2019, apés a quinta leitura do projeto, e em consonancia com 0 disposto no artigo 160, da Resolugao n°05/2003, 0 PELO n°08/2019 foi enviado 4 Comissio de Constituigéo, Justiga, Redagio ¢ Legislacao Participativa, tendo sido encaminhado, em 20.11.2019, ao Vereador Milanez Neto, relator parecerista do projeto na comissao (fl. 45) ‘Analisando o parecer exarado na Comissao de Constituigao, Justiga, Redagdo e Legislagio Participativa (fls. 46/50), observo que o relator literalmente propés, com base no artigo 177, §§2° ¢ 3°, do regimento, 03 ({rés) emendas ao @ PEL 0°08/2019, dentre substitutivas e aditivas, em aparente afronta ao que dispde 0 artigo 160, capur e §1°, do mesmo documento. Frise-se que 0 artigo 177, §1°, do mencionado regimento apenas conceitua as modalidades de emendas que podem ser efetuadas a projetos de lei No entanto, deve-se considerar que 0 rito estabelecido para os Projetos de Emenda & Lei Organica est detalhado entre os seus artigos 158 € 161. Nesse espago, 0 regimento inclusive conceitua especificamente as espécies de emenda aos Projetos de Lei Organica Municipal no §2° do artigo 160. Saliente-se, ademais, que a propositura de emendas a Projetos de Emenda a Lei Organica desborda da competéncia fixada regimentalmente para a Constituigaio, Justiga, Redagao e Legislacao Participativa, conforme se depreende do seu artigo 42, sendo veja: Pedido de Reconsidergio em Agravo de Insrumento n*0000838-85 2019 815.0000 gE. “Art. 42 Compete @ Comissdo de Constituigao, Justi¢ Redagdo e Legislagdo Participativa (Alterado pala” Resolugao n° 14/2014) 1 — opinar sobre o aspecto constitucional, juridico, legal, regimental e de técnica legislativa de projetos, anteprojetos. e vetos. do Prefeito, emendas ou substitutivos, sujeitos a apreciagdo da Camara ou de suas Comissoes; Il ~ opinar sobre 0 mérito das proposi¢des, nos casos de Reforma e Emenda @ Lei Orgénica do Municipio, Vetos do Prefeito a proposigdes, Pedidos de licenga do Prefeito e dos Vereadores; I] ~ responder a consultas da Mesa, Comissao ou de Vereador na Grea de sua competéncia; IV ~elaborar a redagao final de todos os projetos, exceto quanto ao plano plurianual & lei de diretrizes orcamentarias e & lei orgamentaria anual: V— receber e dar encaminhamento as sugestoes de proposigses encaminhadas por entidades civis, como Sindicatos, érgdos de classe, associagdes e organizagdes nao-governamentais, V1 — promover estudos ¢ debates sobre temas juridicos, éticos, sociais, de interesse da comunidade §I°. E. obrigatério 0 parecer da Comissdo de Constituigdo, Justiga, Redagdo e Legislagao Participativa sobre todos os processos que envolvam elaboragdo legislativa e sobre os demais expressamente indicados neste Regimento ou para os quais o Plendrio decida requisitar seu pronunciamento. (Alterado pela Resolugao n? 114/2014) $28 As sugest0es de iniciativa legislativa que receberem parecer favordvel da Comissdo de Constituigdo, Justiga, Redacdo ¢ Legislagao Participativa serdo transformadas em proposigdo legislativa de sua iniciativa, que sera encaminhada & Mesa para a devida tramitagao; (Alterado pela Resolugao n” 14/2014) 3° As sugesioes que receberem parecer contrario da Comissdio de Constituigdo, Justia, Redagao e Legislagao Participativa serdo arquivadas pelo setor_ competente. (Acrescentado pela Resolugdo n° 114/201 4) §°. Aplicam-se & apreciagdo das sugestdes pela Comissdo de Constituigdo, Justiga, Redagao e Legislagao Participativa, no que couberem, as disposigdes regimentais relativas ao tramite dos projetos de lei nas Comissdes Permanentes. (Acrescentado pela Resolugdo n° 14/2014)". Uma simples leitura do aludido preceptivo € suficiente para indicar que a competéncia da referida Comissio ostenta cardter opinativo e/ou apreciativo das proposigées que The sao ofertadas, e nfo carafer propositivo, como parece indicar ter sido 0 caso dos autos. Neste, o rofftor Pedido de Reconsideracio em Agravo de Instrumento n°0000838-85.2019.815 0000 i propés efetivamente a substituica0 de um artigo e duas adigdes a0 PELO n°08/2019, indicando vulneragio a higidez do processo legislativo tanto“na atuagio da comissao, como nas etapas que a ela se seguiram Cumpre fazer, por fim, duas observagdes. Em primeiro lugar. que no teor do parecer em questo, o relator do PELO n°08/2019 atestou, de antemao, a viabilidade ¢ constitucionalidade do projeto e, logo apés, contemplou as emendas substitutivas ¢ aditivas de forma sugestiva, € dizer, como proposigio acesséria, mostrando-se incompativel com a prépria conclusao da primeira parte do parecer. Em segundo lugar, que 0 artigo 66, paragrafo unico, inciso II, do Regimento Interno nao parece obnubilar as conclusdes ora mencionadas, tendo em vista o rito especifico e diferenciado que é aplicado aos Projetos de Emenda a Lei Organica Municipal (artigos 158 a 161), onde ¢ detalhada, de forma detida, a atribuigio da Comisséo de Constituigao, Justiga, Redagio ¢ Legislagao Participativa Pelo exposto, tenho que o que se est a constatar, em suma, é a pura simples inobservancia do regimento interno da Camara de Vereadores do Municipio de Jodo Pessoa, e ndo uma celeuma em toro de questdo interna corporis. Nesses casos, é pacifica a remansosa a posi¢do jurisprudencial que admite a possibilidade de apreciagao judicial, sendo veja: “APELAGAO —CIVEL. ACAO POPULAR, LET MUNICIPAL QUE AUTORIZA OQ MUNICIPIO. A REALIZAR OPERAGOES DE CREDITO JUNTO AO BDMG. EXIGENCIA DE QUORUM DE 2/3 NA LEI ORGANICA E NO REGIMENTO INTERNO DA CAMARA MUNICIPAL. INOBSERVANCIA. VICIO_ FORMAL. MANUTENGAO DA SENTENCGA QUE OBSTOU A PRODUGAO DE EFEITOS DO ATO NORMATIVO. RECURSO DESPROVIDO. 1. O proceso legislativo, em geral, estabelece regras procedimentais que devem ser criteriosamente observadas pelos envolvidos_ no respectivo processo, sendo que o vicio formal diz respeito ao processo de formagao da Lei que, cuja macula pode estar tanto na fase de iniciativa, como nas demais fases de formacdo da Lei, dentre elas, o desrespeito ao quérum de votagdo. 2. A inobservancia do quérum qualificado para aprovagdo de projeto de Lei, que trata das operagdes de crédito que envolvem 0 Municipio de Santana do Paraiso, estabelecido na Lei Organica e no Regimento interno da Camara Municipal de Santana do Paraiso, resta configurada a existéncia de vicio no processo legislativo da referida Lei, 0 que obsta a produgao de efeitos dessa Lei, mdxime a considerar o relevante interesse ptiblico envolvido nas questes por ela regulamentadas. 3. Recurso desprovido”. (TJMG. APCV —0164603- 65.2015.8.13.0313; Ipatinga; Sexta Camara Civ Pedido de Reconsideracdo em Agravo de Instrumento n°0000838-85.2019.815.0000 % Relator: Des. Sandra Fonseca; Julg. 26/11/2019; DJEMG f 06/12/2019) APELACAO EM = MANDADO DE SEGURANGA ALEGACAO DE INEXISTENCIA DE IRREGULARIDADE E. SO LEGISLATIVO AFASTADA. _ PROVAS DEMONSTRADAS PELA INOBSERVANCIA DAS REGRAS CONTIDAS NO REGIMENTO INTERNO PARA APROVACAO DO NOVO REGIMENTO INTERNO DA CAMARA MUNICIPAL VIOLAGAO A NORMA INTERNA. INDICAGAO DE NULIDADE DE ATOS EM CONTRADITORIO | AS DISPOSIGOES LEGAIS. SENTENGA QUE DECLAROU NULA A SESSAO LEGISLATIVA QUE APROVOU PROJETO DE RESOLUGAO SOBRE REFORMULAGAO DO REGIMENTO INTERNO DA © ‘AMARA MUNICIPAL. SENTENGA MANTIDA. RECURSOS VOLUNTARIOS 'DESPROVIDOS 1. Demonstradas pelas provas cabais nos autos a ocorréncia de vicios na sessao legislativa que aprovou 0 Projeto de Resolugdo que dispde sobre a reformulagao do regimento interno da Camara Municipal. ‘0 que levam a anulagao de todo 0 processo para manter em vigor o regimento interno atual. 2. ndo observadas as regras procedimentais em que 0 proprio regimento exige para sua aprovacdo e nem obedecido 0 principio da publicidade para dar ampla publicidade aos atos praticados, 0 que levou o julgador reconhecer a ilegalidade dos atos que conduziram a sessdo que deliberou sobre 0 projeto aprovado. 3. Em remessa necessdria. e com a anuéncia da Procuradoria-Geral de Justiga. pela ratificagaio da sentenga. (TJMS; Ap-RN 8000365-74.2016.8.12.0800; Terceira Camara Civel; Rel. Juiz Fernando Mauro Moreira Marinho; —DJMS 09/10/2018; Pag. 107) ‘Assim, vislumbra-se a presenga da fumaga do bom direito a amparar © pedido liminar formulado. Reputo presente, também, 0 requisite do periculum in mora, j4 que 0 PELO n°8/2019, conforme informagdes apresentadas pelo agravante, j4 foi votado e aprovado em segundo turno de votagao, nos termos do artigo 161, do Regimento Interno, estando em vistas de promulgagao ¢ publicacao. Ante 0 exposto, RECONSIDERO a decisao liminar acostada as fis 428/431 do caderno processual, e, com supedéneo nas razdes acima esposadas, DEFIRO O PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA RECURSAL, determinando a imediata suspensdo do tramite legislative do PELO n°08/2019. Comunique-se, imediatamente, ao Juiz prolator da decisdo agravada 0 inteiro teor desta. Pedido de Reconsideragfo em Agravo de Instrumento n°0000838-85.2019.815.0000 . D Em seguida, intime-se a parte agravada para, querendo, apresentar resposta a0s termos do presente agravo de instrumento, no prazo de 15 (quince) dias, na forma do artigo 1.019, inciso II, do Cédigo de Processo Civil. Decorridos 0 aludido lapso temporal, sem incidentes que dependam de nova apreciagao, conceda-se vistas a Procuradoria de Justiga. + Jo&o Pessoa, 13 de Dezembro de 2019. Onaldé Rocha de Quei, Juiz Convocady— Pedido de Reconsideragio em Agravo de Instrumento n°0000838-85.2019.815.0000