Você está na página 1de 3

Plano de conservação e manutenção de infra-estruturas públicas

arranca em Maio
20 Abril de 2018 | 19h24 - Sociedade
Huambo - O plano de conservação e manutenção de infra-estruturas públicas da província do
Huambo, apresentado hoje, sexta-feira, aos membros do governo local, começa a ser aplicado já
no próximo mês.

Cidade do Huambo

De acordo com o director local das Obras Públicas, Henrique Capeça, a primeira fase de execução
do plano vai consistir no cadastramento dos edifícios com mais de cinco andares de estrutura e a
concertação, com a administração, do programa de medidas preventivas, entre elas a retirada de
água das caves, remoção de lixo, verificação da situação de drenagem dos prédios, isto no casco
urbano.

Nas infra-estruturas sociais, como escolas e hospitais, também a partir de Maio se dará início a
Nas infra-estruturas sociais, como escolas e hospitais, também a partir de Maio se dará início a
avaliação do estado de conservação e manutenção destas, com equipas que contarão com a
presença de estudantes do Instituto Superior Politécnico do Huambo, das áreas de arquitetura e
engenharia civil.
Estes estudantes, segundo Henrique Capeça, irão auxiliar as administrações municipais e a direcção
das Obras Públicas na caracterização do grau de degradação de cada infra-estrutura social, para a
devida intervenção.

Informou que o nível de intervenção, simples ou completa, será definido depois destes trabalhos,
com o propósito de garantir melhor prestação de serviço, conservação e durabilidade, para que os
fundos investidos pelo Governo sirvam para gerações futuras, sem necessidade de se efectuar
sempre as mesmas obras.

“É fundamental que se tenha a certificação técnica das empresas que vão executar estes trabalhos,
assim como a certificação dos materiais a serem utilizados e a necessidade de se ter um cadastro
destas intervenções, seja pelas administrações municipais e Obras Públicas, para permitir que estes
elementos sirvam de base para outras intervenções”, enfatizou.

Quanto as estradas, o director provincial das Obras Públicas fez saber que o projecto dará início em
Junho, sendo que o programa prevê um reforço da actividade do Instituto Nacional de Estradas de
Angola para a manutenção e conservação das estradas nacionais e do casco urbano, que servirá,
igualmente, como base para a preparação das brigadas municipais.

Disse que, com as actividades de asfaltagem de alguns troços, haverá a possibilidade de ter material
betuminoso para fazer uma recelagem das principais artérias da cidade do Huambo, que apresentam
elevada degradação.
Também a partir de Junho, segundo o responsável, inicia, de forma célere, a terraplanagem das
!
estradas secundárias e terciárias, com os fundos das administrações municipais, sendo que cada
uma das 11 administrações de municípios definiu 40 quilómetros como prioridade, com excepção da
Chicala-Cholohanga que tem cerca de 200 por terraplanar.

A execução destas tarefas, que envolve também a criação de linhas de drenagem, melhoramento dos
solos e arborização, para se evitar a erosão dos solos, está inserida nos programas de combate à
pobreza das e aguardam, igualmente, o plano do Governo e do Ministério das Obras Públicas.

Para aquilo que é a perspectiva de desenvolvimento do Governo desta província, onde a população é
maioritariamente agrícola, Henrique Capeça considera fundamental a reabilitação das vias
secundárias e terciárias, com a componente de pontes e passagens hidráulicas, permitindo, assim, o
escoamento dos produtos.
Por isso, acrescentou, a direcção das Obras Públicas está muito empenhada, quer junto do Governo
Provincial, Gabinete de Estudos e Projectos, do Ministério da Construção, por via do Instituto
Nacional de Estradas de Angola, para que haja um pacote que seja próximo dos 2 mil e 123
quilómetros que é a necessidade da província, programa que se pretende executar até 2022.
" Versão PC - Completo

www.angop.ao
COPYRIGHT 2013 - ANGOP