Você está na página 1de 2

PRINCÍPIO DA LEGALIDADE TRIBUTÁRIA

Exigência de lei para se criar ou majorar tributos, sendo que a lei deve
trazer o tipo tributário (legalidade estrita).

Art. 150, I CF:


“Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado
à União, aos Estados e aos Municípios:
I - Exigir ou aumentar tributo sem lei que o estabeleça.''

EXCEÇÕES:
1) Importação e exportação, IPI e IOF – o poder executivo pode
alterar – o ato normativo é o decreto presidencial ou portaria do
Ministro da Fazenda;
2) CIDE combustível – o poder executivo pode reduzir ou
reestabelecer alíquota – o ato normativo é o decreto presidencial;
3) ICMS combustível – estados e DF podem definir as alíquotas – ato
normativo é o convênio do CONFAZ;
4) IPTU – em caso de atualização monetária – o ato normativo é o
decreto do prefeito;

TRIBUTOS INSTITUÍDOS POR LEI COMPLEMENTAR:

1) Empréstimos compulsórios;
2) Imposto sobre grandes fortunas – IGF;
3) Contribuição social residual;
4) Imposto residual;

PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE DO EXERCÍCIO


FINANCEIRO (ANUAL)

Os entes só podem cobrar os tributos a partir do 1º dia do ano seguinte


em que a lei que os instituiu ou os majorou.

EXCEÇÕES:
1) Empréstimo compulsório – guerra externa ou sua iminência ou
calamidade pública;
2) Importação e Exportação;
3) IOF;
4) Imposto Extraordinário de Guerra;
5) Contribuição para a Seguridade Social;
6) IPI;
7) CIDE combustível – redução ou restabelecimento;
8) ICMS combustível – redução ou restabelecimento;

PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE NONAGESIMAL

Os entes só podem cobrar tributos depois de 90 dias da publicação da


lei que os instituiu ou os majorou.

EXCEÇÕES:
1) Empréstimo compulsório – guerra externa ou sua iminência ou
calamidade pública;
2) Importação e Exportação;
3) Imposto Extraordinário de Guerra;
4) Imposto de Renda;
5) Alteração da base de cálculo do IPTU e IPVA;

MEDIDA PROVISÓRIA
Pode-se criar e majorar tributos por Medida Provisória, com exceção
daqueles que só são instituídos por lei complementar.
Só produzirá efeitos no exercício financeiro seguinte, ou seja, não são
exceções da anterioridade anual, se houver sido convertida em lei até o
último dia do ano em que foi editada.

PRINCÍPIO DA IRRETROATIVIDADE

A lei não pode retroagir.

EXCEÇÕES:
1) Lei expressamente interpretativa, desde que não comine
penalidade;
2) Ato não transitado em julgado, quando nova lei exclua infrações
ou reduza penalidade (multa);
3) Nova lei que crie novos critérios de fiscalização ou apuração;