Você está na página 1de 38

BIOLOGIA

fichamentos

Fernando Menezes
Graduando em Medicina | FCM ∙ UERJ
Professor de Química e Biologia | VP ∙ VPmed
BIOLOGIA
bioquímica
a) água é uma substância inorgânica e polar: solvente universal q dissolve outros compostos polares.

b) vitaminas são solúveis em lipídios (A, D, E, K) ou em água (B, C).

c) enzimas diminuem a energia de ativação das reações do corpo: são biocatalisadores.

d) triglicerídeos (lipídeos) armazenam energia.

e) o cérebro usa, preferencialmente, a energia vinda da glicose.


BIOLOGIA
citologia
a) lisossomos realizam digestão autofágica e heterofágica.
a.1) heterofágica: digestão de partículas do exterior.
a.2) autofágica: para renovação de partes da própria célula.

b) síntese proteica para fora da célula:


REg → CG → vesículas secretoras.

c) centríolos auxiliam no processo de divisão celular, além de formarem cílios e flagelos

d) transporte ativo depende do ATP formado pelas mitocôndrias no processo de respiração celular

e) apoptose é morte celular programada: uma célula defeituosa ou "velha" precisa ser eliminada ou substituída.
BIOLOGIA
histologia
a) tecidos:
a.1) epitelial (revestimento e glandular)
a.2) muscular (estriado esquelético, estriado cardíaco, liso)
a.3) nervoso
a.4) conjuntivo (TCPD, adiposo, cartilaginoso, osseo, hematopoietico)

b) células epiteliais são justapostas: bem unidas; isso forma uma barreira física contra agentes externos.

c) células do sangue são formadas na medula óssea.

d) hemácias - transporte de gases


leucócitos - defesa imune
plaquetas - coagulação

e) impulso elétrico (nó sinoatrial) no coração permite atividade involuntária do tecido cardíaco.
BIOLOGIA
fisiologia | digestório
a) digestão: processo - mecânico e químico - que visa à quebra do alimento em partes menores.

b) principais enzimas:
b.1) ptialina; boca; pH ~ 7
b.2) pepsina; estomago; pH ~ 2
b.3) suco pancreático; duodeno; pH ~ 8

c) bile não é enzima; atua na emulsão de gorduras

d) ao longo do jejuno-íleo máxima captação dos nutrientes pelas vilosidades intestinais e microvilosidades celulares
(aumento da superfície de contato em 600x)

e) no intestino grosso, reabsorção de água.


BIOLOGIA
fisiologia | excretor
a) desaminação de aminoácidos (ptn) forma ureia; ureia é formada no fígado (principalmente) e rins.

b) nos rins, os néfrons filtram a urina.

c) néfron: túbulo proximal, alça de henle, túbulo distal.

d) ADH (vasopressina) determina reabsorção de água nos túbulos renais: ADH estimula aquaporinas nos túbulos renais, as
quais captam H2O.

e) na mulher, a uretra atende apenas ao sistema excretor.


BIOLOGIA
fisiologia | cardiovascular
a) coração = tecido muscular estriado cardíaco, involuntário de contrações rápidas e ritmadas.

b) nó sinoatrial determina impulso de ordem elétrica que promove batimentos cardíacos

c) corpo → veia cava → AD → VD → artéria pulmonar → pulmão (hematose) → veias pulmonares → AE → VE → artéria
aorta → corpo

d) VE é mais espesso: maior força para bombear o sangue para o corpo

e) vasos sanguíneos
e.1) nas veias, válvulas venosas impedem o refluxo de sangue.
e.2) coronárias irrigam o tecido cardíaco.
e.3) artérias contam com fibras elásticas e musculatura lisa: resistência para receber sangue em alta pressão.
e.4) bombas arteriovenosa, bomba musculovenosa e diafragma auxiliam no retorno do sangue ao coração.
BIOLOGIA
fisiologia | respiratório
a)
a.1) nas narinas, plexo venoso aquece o ar a caminho dos pulmões.
a.2) epitélio respiratório: epitélio pseudoestratificado cilíndrico ciliado com células caliciformes.

b) muco retém partículas, impedindo que cheguem aos pulmões; cílios com movimento para cima promovem retirada dessas
partículas do sistema respiratório.

c) nos alvéolos, hematose.

d) enfisema: alteração do formato do alvéolo prejudicando trocas gasosas.

e) tabagismo é fator de risco para doenças do aparelho respiratório.


BIOLOGIA
fisiologia | reprodutor
a) masculino:
a.1) células de Leydig produzem testosterona;
a.2) celulas de Sertoli atuam no processo de formação do espermatozóide.
a.3) armazenamento de sptz no epidídimo.
a.4) vasectomia não interfere na produção e secreção de testosterona
a.5) maior parte do líquido seminal é produzido na próstata.

b) feminino:
b.1) ovário p/ ovôgenese e formação do estrogênio e progesterona.
b.2) ciclo menstrual:
i. FSH promove amadurecimento do folículo, que libera estrogênio. Estrogênio determinará pico de LH.
ii. LH leva a ovulação. Corpo lúteo secreta estrôgenio e progesterona.
iii. estrogênio e progesterona inibem FSH e LH, respectivamente.
b.3) fecundação ocorre nas tubas uterinas.
b.4) manutenção da zona pelúcida impede gravidez ectópica.
b.5) nidação: implantação do embrião no útero.

c) pílula conta com miméticos de estrogênio e/ou progesterona: inibe FSH e LH.

d) camisinha previne DST em geral, exceto HPV.

e) GnRH é hormônio do hipotálamo que regula FSH e LH.


BIOLOGIA
fisiologia | endócrino (parte 1)
a) Hipófise:
a.1) secreção hipofisária é controlada pelo hipotálamo.
a.2) adenohipófise / hipófise anterior:
i. GH atua no crescimento e promove síntese e conservação das proteínas.
ii. LH e FSH atuam estimulando os hormônios gonadotróficos.
iii. ACTH estimula formação e secreção dos hormônios adrenocorticais (aldosterona e cortisol)
iv. TSH estimula a formação e secreção dos hormônios tireoidianos (T-3 e T-4)
v. prolactina para formação do leite pelas glândulas mamárias.
a.3) neurohipófise / hipófise posterior:
i. secreta hormônios sintetizados por hormônios no hipotálamo.
ii. ocitocina vem sendo estudada como a "molécula da moral e da fidelidade"; promove a contração uterina e ejeção do leite
iii. ADH promove reabsorção de H2O ao aumentar aquaporinas nos túbulos renais.

b) Tireóide (tir) e Paratireóide (paratir)


b.1) T-3 e T-4 regulam o metabolismo do corpo; irisina é um hormônio com efeito semelhante.
b.2) Calcitonina (tir) e Paratormônio (paratir) regulam o metabolismo do cálcio, “enviando-o” para o osso (via osteoblastos) ou
“retirando-o” do osso (via osteoclastos), respectivamente.

CONTINUA NO SLIDE SEGUINTE


BIOLOGIA
fisiologia | endócrino (parte 2)
c) Pâncreas
c.1) insulina, secretada em excesso de glicose, promove glicogenogênese e inibe gliconeogênese.
c.2) glucagon, secretado em baixa de glicose, promove glicogenólise, gliconeogênese e síntese de ATP a partir de ácidos
graxos; inibe glicólise e glicogenogênese.
c.3) somatostatina inibe GH.

d) Adrenais
d.1) córtex
i. mineralocorticóides (aldosterona) atuam no metabolismo de minerais, promovendo reabsorção de sódio e excreção de
potássio e hidrogênio.
ii. glicocorticóides (cortisol) atuam no metabolismo da glicose.
d.2) medula
i. adrenalina tem efeitos simpáticos, nas reações de luta ou fuga.
ii. noradrenalina com efeitos semelhantes à adrenalina.

e) Gônadas
e.1) hormônios estimulados pelo FSH e LH hipofisários.
e.2) testosterona é produzida no testículo, no interior dos túbulos seminíferos, pelas células de Leydig.
e.3) estrogênio e progesterona são sintetizados no ovário com picos ao longo do ciclo menstrual.
e.4) colesterol é precursor dos hormônios sexuais.
BIOLOGIA
fisiologia | nervoso
a) células
a.1) neurônio: especializado na condução do impulso nervoso.
a.2) astrócito: responsável por levar o sangue dos vasos sanguíneos para os neurônios.
a.3) oligodendrócitos e células de Schwann: formam bainha de mielina no SNC e SNP, respectivamente.
a.4) micróglia: atuam como células de defesa.

b) o neurônio:
b.1) dendritos recebem impulso nervoso.
b.2) axônio conduz e transmite impulso nervoso.
b.3) bainha de mielina aumenta velocidade de condução do impulso nervoso.
b.4) nó de ranvier é espaço na bainha de mielina.

c) sinapses: neuroneural, neuromuscular e neuroglandular.

d) sistema nervoso:
d.1) SNC: cérebro + cerebelo e medula; cerebelo tem função no equilíbrio.
d.2) SNP: gânglios e nervos.
i. SNP é divido em voluntário (somático) e involuntário (autônomo).
ii. SNP involuntário é dividido em simpático (luta ou fuga) e parassimpático (descansar e digerir)

e) neurotrasmissores promovem a comunição interneuronal na fenda sináptica.


BIOLOGIA
ecologia | o início da vida
a) Panspermia Cósmica é a hipótese para q a primeira forma de vida tenha vindo do espaço: ETS?! não, microorganismos.

b) Evolução Biológica é a hipótese de q pouco a pouco, houve uma evolução: aminoacidos, ptn, organismos simples,
organismos complexos.

c) A atmosfera primitiva continha as moléculas para o aparecimento da vida: CH4, NH3, H2 e H20.

d) Na atmosfera primitiva, sucessivas tempestades e erupções vulcânicas.

e) Microsfera e Coacervados são possíveis precursores das células.


BIOLOGIA
ecologia | meio ambiente
a) eutrofização: acúmulo de matéria orgânica em rios/lagos.
a.1) bactérias aeróbias proliferam e diminuem O2 do meio
a.2) camada de matéria orgânica diminui passagem de luz: menor taxa fotossintética.
a.3) morte de peixes

b) bioacumulação / magnificação trófica é o acúmulo de substâncias - metais pesados - ao longo dos níveis tróficos.

c) mulheres q usam anticoncepcionais eliminam maior taxa de compostos estrogênicos na urina, no esgoto, em lagos. peixes
tem vida sexual alterada.

d) bisfenol A (BPA) é um composto presente em plásticos (mamadeiras, por exemplo) e altera secreção de hormônios
sexuais: meninas com menstruação precoce.

e) uso de CFC's contribui para "buracos na camada de ozônio". (adelgaçamento da camada de ozônio)
BIOLOGIA
ecologia | relações ecológicas (parte 1)
a) reações intraespecificas
a.1) colônia qdo indivíduos vivem juntos e sem divisão de funções.
a.2) sociedade qdo indivíduos vivem juntos e com divisão de funções
a.3) competição qdo indivíduos competem por alimento/espaço.

b) interespecíficas
b.1) +/+
i. mutualismo: relação de vida ou morte
ii. protocooperação: não há relação de vida ou morte.
b.2) +/0
i. epifitismo qdo epifitas em grandes árvores.
ii. inquilinismo/comensalismo: um acompanha o outro sem prejudica-lo, alguem é favorecido (tubarão e remora)
b.3) -/0
i. antibiose/amensalismo: na disputa por espaço, alguém domina o lugar, impondo barreiras à chegada do outro
(pinheiro/outros vegetais; penicillium/streptococus aureus)
b.4) +/-
i. herbivorismo: consumidor primário se alimenta de produtores
ii. carnivorismo/predatismo: relação de alimentação entre consumidores nos níveis troficos.
iii. parasitismo: alguém retira recursos do outro sem necessariamente mata-lo (você em casa)
b.5) -/-
competição: por espaco, por recursos.
CONTINUA NO PRÓXIMO SLIDE
BIOLOGIA
ecologia | relações ecológicas (parte 2)
c) atavismo: alguma característica da espécie ressurge ao longo das gerações após pressão ambiental: formigas super-
soldado caso a colônia seja atacada.

d) partenogênese qdo óvulos não fecundados dao origem a um indivíduo (haploide)

e) espécies exóticas tendem a substituir as espécies pioneiras: não há predadores naturais.


e.1) resistência do meio - disponibilidade de alimentos/recursos, predadores, disponibilidade se espaço - impede
supercrescimento de populações.
BIOLOGIA
evolução
a) fixismo é a hipotese onde os seres foram criados de um modo e assim permanecem.

b) Lamarck
b.1) uso e desuso: o contínuo uso de um órgão leva à hipetrofia; seu desuso, à atrofia.
b.2) caracteres adquiridos: uma característica é passada adiante na geração.
Lamarck NÃO fala de genes!

c) neodarwinismo
c.1) mutação: ocorre ao acaso, alterando genótipo e fenotipo. mecanismos de seleção natural posteriormente.
c.2) permutacao genica (paquiteno da meiose I) permite variabilidade genética.
c.3) seleção natural permite a sobrevivência dos mais bem adaptados.
i. direcional, estabilizadora ou disruptiva.

d)
d.1) orgaos homólogos tem msm origem embrionaria, mas funções distintas; divergência adaptativa.
》 braço humano, asa do morcego.
d.2) orgaos analogos tem diferente origem embrionária, mas msm função; convergência adaptativa.
》 asa do morcego e asa da mosca.

e) fósseis, semelhança anatomo-embrionária, camuflagem, coloração de advertência e mimetismo são "provas da evolução"
BIOLOGIA
microrganismos | bactérias (parte 1)
a) Clostridium depende de ambiente sem oxigênio para sobreviver.
a.1) Cl botulinum justifica uma doença chamada botulismo. Botox bloqueia sinapse neuromuscular.
a.2) Cl tetani se feridas profundas, sem acesso ao O2, após contato com objetos enferrujados e^ou fezes de animais.

b) para evitar Mycobacterium, BCG.


b.1) Mycobacterium tuberculosis afeta pulmão, fígado, rins.
b.2) Mycobacterium leprae é transmitida por contato com doente n tratado.

c)
c.1) Bacillus anthracis é potencialmente letal.
c.2) Bordetella pertusis: o q dizer da coqueluche, q em seu nome entrega a forma de transmissão?
c.3) Vibrio cholerae, geralmente disseminada no inverno, tem diarreia como sintoma.
c.4) Rickettsia ricketssi (febre maculosa) é transmitida pela picada do carrapato estrela ( Amblyoma cajennense ).
c.5) duas bactérias na pneumonia: Streptococcus ou Diplococcus pneumoniae
c.6) nome sugestivo, o da sífilis: Treponema pallidum
c.7) Após enchentes, podem aparecer surtos de Leptospira.
c.8) DTP na prevenção de Corynebacterium difteriae, a qual causa problemas na garganta e febre.

d) Neisseria
d.1) Neisseria gonorrhoeae é exemplo de DST.
d.2) Neisseria meningitidis afeta meninges e justifica rigidez na nuca.
CONTINUA NO PRÓXIMO SLIDE
BIOLOGIA
microrganismos | bactérias (parte 2)
e) reprodução de bactérias:
e.1) divisão binária determina crescimento exponencial da população de bactérias.
e.2) conjugação é mecanismo q permite variabilidade genética; 'pili' é ponte citoplasmatica entre bactérias.
e.3) transdução e transformação, além da conjugação, permite recombinação somática.
BIOLOGIA
genética | fundamentos (parte 1)
a) gene é a porção do DNA que contém alguma informação.
a.1) introns são regiões não codificantes.
a.2) exons são regiões codificantes
a.3) splicing: remoção introns do pre-mRNA / junção dos exons
a.4) splicing alternativo: junção aleatória dos exons.

b) sobre a dominância
b.1) gene dominante é aquele que possui expressão de alguma característica
b.2) gene recessivo: não há expressão de característica
b.3) codominancia: genes expressam juntos alguma característica.
b.4) epistasia: um gene inibe o outro de expressar.

c) expressão gênica:
c.1) pleiotropia: um gene determina várias características
c.2) herança multifatorial: vários genes expressam uma msm característica

CONTINUA NO PRÓXIMO SLIDE


BIOLOGIA
genética | fundamentos (parte 2)
d) heranças
d.1) autossomica: relacionado a algum dos 44 cromossomos não sexuais.
d.2) sexual: relacionada ao X ou Y.
d.3) dominante: expressa em todas as gerações.
d.4) recessiva: há salto de gerações.
d.5) mitocondrial: da mãe para todos os filhos(as).
d.6) holandrica: do pai para todos os filhos (homens apenas).
》》 autossomica dominante, autossomica recessiva, sexual dominante, sexual recessiva.

e) locus genico é o local q o gene ocupa.


e.1) alelos multiplos qdo num msm locus, o gene se expressa de formas diferentes.
》 tipos sanguíneos são um exemplo: Ia,Ib são diferentes formas de expressão do gene I.
BIOLOGIA
genética | molecular
a) dogma central da genetica: DNA -> DNA <-> RNA -> ptn
a.1) a informação contida nos genes (no DNA) é transcrita em RNA no nucleo dos eucariotos e traduzida em proteína no
citoplasma.
a.2) em procariotos, transcrição e tradução no citoplasma.

b) DNA: -ose, radical fosfato, bases nitrogenadas.


b.1) C faz tripla ligação com G; A faz dupla ligação com T.
b.2) é preciso mais energia para quebra das ligações CG do q para quebrar AT, ja q CG conta com uma ligação a mais.
b.3) bases nitrogenadas fazem ligações de hidrogênio
b.4) arcabouço açúcar-fosfato com ligações fosfodiester.

c) no RNA, U pareia com A.

d) a tradução depende dos ribossomos, que lêem os codons - trinca de bases nitrogenadas - e graças aos tRNA com seus
anti-codons, identificam o aminoácido.

e) alongamento da cadeia ocorre com ligações peptidicas entre aminoácidos, formando proteínas.
e.1) estrutura primária: fio de cabelo liso
e.2) estrutura secundária: fio de cabelo foi encaracolado
e.3) estrutura terciária: ficou tudo embolado
e.4) a quaternaria: dois filamentos proteicos se embolam juntos
BIOLOGIA
texto biotecnologia
o q somos é expressão do q esta contido em nosso dna, nos nossos genes, em nosso genótipo, mas será q podemos alterar
o q as coisas são?!

a resposta é sim! o avançar da tecnologia nos permitiu pegar fragmentos do DNA (genes específicos) e inserir em outros
indivíduos. o processo é a transgenia. para isso, usamos enzimas de restrição para cortar no dna do doador o fragmento
desejado e dna ligase para inserir no receptor a característica q desejamos.

a partir disso ele se torna um transgênico, ou seja, um organismo geneticamente modificado.

ainda sobre isso genes, é legal q numa pessoa, há células q tem o dna, mas estão indiferenciadas, ou silenciadas. são as
células tronco, q ativam o genes específicos para se tornar a célula necessária em locais q demandam isso. elas q justificam
a pele regenerar em locais lesionados. diz-se que as células tronco são indiferenciadas e totipotentes, porque podem virar
qualquer célula q seja necessária.

outra coisa bem legal q a evolução tecnológica nos permite é identificação de paternidade: o teste de DNA para verificar a
hereditariedade. a técnica mais usada é a eletroforese: coloca-se o DNA do individuo numa placa, junto com os de pessoas q
se deseja investigar e aplica-se uma corrente elétrica. qdo a corrente for desligada, espera-se q os indivíduos parentes
tenham um padrão parecido de movimento do dna. isso ocorre pq o dna tem radicais fosfato de carga negativa, e qdo se
aplica a corrente, a tendência do dna é migrar para o polo positivo.
BIOLOGIA
gametogênese, fecundação e embriologia (parte 1)
a) sptz
a.1) espermatogonia (2n) ... espermatócito I (2n) ... espermatócito II (n) ... espermatide (n) ... sptz
a.2) não ha divisão celular entre espermatide e sptz, o q ocorre é um processo de especialização.
a.3) no sptz: i. acrossomo rico em enzimas para degradação da coroa radiata do ovocito II
ii. peça média rica em mitocondrias gera energia para movimento do flagelo
a.4) celulas de Sertoli secretam ABP uma proteína q se liga à testosterona (produzida pelas cels Leydig) e auxiliam na
espermatogenese

b) óvulo
b.1) ovogonia (2n) ... ovocito I (2n) ... ovocito II (n)
b.2) ovocito II esta parado na profase II
b.3) ovocitos II estão armazenados em foliculos, q amadurecem sob estimulo de FSH e liberam o ovocito após pico de LH.

c) fecundação
c.1) para fecundação, sptz deve ultrapassar coroa radiata e zona pelucida
c.2) após fecundação, manutenção da zona pelucida para impedir gravidez ectópica
c.3) peça media e flagelo do sptz não entram no ovocito II: DNAmit exclusivamente materno.
c.4) após fecundação por um sptz, mecanismos impedem a fecundação desse ovocito II por outro sptz: a polispermia é
evitada.
c.5) após fecundação, o ovocito II termina seu processo de divisão e se torna óvulo.
c.6) cariogamia ou anfimixia é a junção dos pronucleos masculino e feminino.
CONTINUA NO PRÓXIMO SLIDE
BIOLOGIA
gametogênese, fecundação e embriologia (parte 2)
d) embriologia (ver embriologia nos slides 26, 27, 28)
d.1) clivagem é o processo das sucessivas divisões celulares, mitoticas, no zigoto.
d.2) até 8 celulas, blastomeros
d.3) morula é período com aumento do número de celulas, sem aumento do volume do embriao
d.4) na blastula, há formação de uma cavidade, a blastocele. embrioblasto é região com cels tronco.
d.5) na gastrula...
i. arquentero, o intestino primitivo
ii. diferenciação dos folhetos embrionários
ii.1) ectoderma: sistema nervoso, pele
ii.2) mesoderma: musculos, ossos
ii.3) endoderma: epitelio respiratório, epitelio digestório, epitelio da bexiga, endotelio
d.6) na neurulacao, formacao do tubo neural.

CONTINUA NO PRÓXIMO SLIDE


BIOLOGIA
gametogênese, fecundação e embriologia (parte 3)
e) curiosidades
e.1) gêmeos univitelinos ou clones naturais são originados de um zigoto q se dividiu em dois: individuos com msm DNA.
e.2) gemeos bivitelinos: qdo a mulher libera dois ovocitos II e cada um é fecundado por um sptz: DNA's diferentes.

e.3) protostomados: formação primeiro da boca


e.4) deuterostomados: formação primeiro do anus

e.5) diblasticos: ectoderme + endoderme


e.6) triblasticos: ectoderme + mesoderme + endoderme

e.7) acelomados: seres sem cavidade


e.8) pseudocelomado: a mesoderme não reveste completamente a cavidade
e.9) celomados: cavidade completamente revestida por mesoderme.
BIOLOGIA
embriologia (parte 1)
a) Espermatogenese:
espermatogonia (2n) > espermatocito I (2n) > espermatocito II (n) > espermatide (n) > espermatozoide (n)

b) Oogenese: ovogonia (2n) > ovocito I (2n) > ovocito II (n)

c) para ocorrer fecundação, espermatozoide deve encontrar o ovocito II e ultrapassar a corona radiata e zona pelucida. no
interior do ovocito, apenas o DNA do espermatozóide será lançado, sendo o restante do espermatozóide destruido.

d) qdo o material genetico do espermatozoide e ovulo se juntam, ocorre a cariogamia/anfimixia.

e) a fecundacao ocorreu nas tubas uterinas; o zigoto formado começa a sofrer divisões mitóticas enquanto esse embrião é
dirigido ao utero.
BIOLOGIA
embriologia (parte 2)
f) as fases da clivagem e desenvolvimento embrionário: blastomeros, morula, blastula, gastrula, neurula.

g) blastomeros sao as fases iniciais de divisoes celulares até 8/16 células

h) mórula: aumenta o numero de celulas, mas o embrião nao cresce tanto de tamanho.

i) blastula: embriao cresce em numero de celulas e tamanho. forma-se uma cavidade (blastocele) no interior; a implantacao
do embriao no utero (nidacao) ocorre nessa fase.

j) gastrula: os órgaos comecam a se formar.

k) neurula: formacao do tubo neural, q originará o sistema nervoso.

l) há tres folhetos embrionarios: ectoderma, endoderma e mesoderma.

m) diblasticos não tem mesoderma.


BIOLOGIA
embriologia (parte 3)
n) triblasticos tem as tres, podendo ter ou nao cavidades.
n.1) acelomados: não tem cavidade entre ectoderma e endoderma
n.2) pseudocelomados: tem cavidade entre ectoderma e endoderma, mas a mesoderma nao reveste inteiramente essa
cavidade.
n.3) celomados: tem cavidade totalmente revestida pela mesoderma.

o) Quanto aos folhetos e anexos embrionários


o.1) folhetos embrionários
i. a ectoderme forma a pele e o sistema nervoso.
ii. a mesoderme forma o esqueleto e musculos.
iii. a endoderme forma a parte interna dos sistemas digestório e excretor.

o.2) anexos embrionarios:


i. corio: reveste todos os anexos
ii. amnio: liquido ao redor do embriao para absorver impactos mecanicos e promover protecao.
iii. vitelinico: promove alimentacao.
iv. alantoide: acumula excretas.
v. placenta nao é anexo embrionario, é uma estrutura entre a mãe e o feto
BIOLOGIA
botânica
a) células meristematicas - indiferenciadas e totipontes - na extremidade do caule e raízes.

b) crescimento vegetal
b.1) primario: crescimento longitudinal
b.2) secundário: crescimento transversal

c) vasos condutores
c.1) xilema carreia seiva bruta, com agua e sais mineriais
c.2) floema distribui seiva elaborada, a qual contem glicose, pelo vegetal.

d) tecidos
d.1) esclerenquima e colenquima sao tecidos de sustentação.
i. esclerenquima: células mortas; colenquima: celulas vivas.
d.2) parenquima é tecido de armazenamento
d.3) cambio é tecido de troca (pensem q cambio é a marcha do carro, q vc troca) e origina xilema e floema.

e) hormonios
e.1) auxinas: crescimento, dominância apical, fototropismo, geotropismo
i. AIA é um tipo de auxina q, qdo borrifado em flores gera fruto sem semente.
e.2) giberelina atua na floração
e.3) etileno (gas eteno, C2H4) para amadurecimento do fruto.
e.4) citocininas a divisão celular e diferenciação dos tecidos.
BIOLOGIA
botânica II (parte 1)
a) algas não são vegetais - sao protistas -, mas um possível ancestral.

b) na célula vegetal encontramos cloroplastos, parede de celulose com plasmodesmos e vacuolo.não há lisossomos.(alguns
livros dizem q tem lisossomos, mas a maioria ainda nega)

c) em termos evolutivos, temos:


c.1) briof.: dependem de água para reprodução (de splash), tamanho mto pequeno e presença em ambientes úmidos
c.2) pteridofitas tem vasos condutores
c.3) gimnospermas contam com sementes
c.4) angiospermas c/ flores e frutos.
c.5) por terem vasos condutores, pteridofitas, gimnospermas e angiospermas são traqueofitas.
c.6) por NAO terem sementes, briófitas e pteridofitas são criptogamas
c.7) por terem sementes, gimnospermas e angiospermas são fanerógamas

d) vasos condutores:
d.1) xilema transporta água e sais minerais do solo para as folhas, para fins de fotossíntese.
d.2) floema distribui glicose das folhas para o resto do vegetal
d.3) o xilema se encontra mais central no caule, o floema, mais periférico.
BIOLOGIA
botânica II (parte 2)
e) sobre cotilédones
e.1) monocotiledonea:1 cotiledone, flores com 3,6,9 pétalas, folha com estrias paralelas (tipo a do milho)
e.2) dicotiledonea:2cotiledones, flores com 4 ou 5 pétalas, folha com venacao ramificada (aquelas marquinhas q a gente vê
nas folhas normais)

f) Fitormonios
f.1) auxina para crescimento do vegetal; na extremidade do caule e na raiz; impede o desenvolvimento dos ramos, qdo alta
concentração no ápice do caule.--- explica fototropismo e geotropismo/gravitotropismo--- AIA (ácido indolacetico) é uma
auxina usada para desenvolver fruto sem semente
f.2) giberelina para floração
f.3) citocinina para divisão celular (cito de célula, rs!)
f.4) ácido abscisico inibe o crescimento e leva ao fechamento dos estomatosf.5) etileno para amadurecimento do fruto.

g) tropismos sao coisas q orientam o a direcao do crescimento.sao eles: fototropismo/heliotropismo,


geotropismo/gravitotropismo, tigmotropismo, hidrotropismo.
g.1) tigmotropismo é o crescimento em busca de apoio.

h) a fotossíntese e influenciada por: exposição à luz, concentração de O2 e temperatura.


BIOLOGIA
botânica II (parte 3)
i)
i.1) nitratos são importantes para formação dos aminoácidos do vegetal (lembre do ciclo do N2 e q nitrato é a principal forma
captada)
i.2) sem magnésio não há clorofila, a folha comeca a perder a coloração verde, ficando amarelada.

j) nos estomatos, q abrem e fecham, pode ocorrer perda de água.


j.1) abre estomato: alta [K], mta luz, baixa [CO2], alto suprimento de água.
j.2) fecha estomato: o inverso do q abre ele.

p.s.:sobre plastos
.1) se há luz, tornam-se cromoplastos:
cloroplastos | verde
xantoplasto | amarelo
eritroplasto | vermelho
feoplasto | pardo

.2) sem luz, especializam-se para armazenamento:


oleoplasto | gordura
proteoplasto | ptn
amiloplasto | amido
BIOLOGIA
botânica II (parte 4)
p.s.2:
.1) células meristematicas são totipotentes e indiferenciadas
.2) suber é camada de células mortas
.3) lenticelas são regiões do caule onde ocorre troca gasosa
.4) colenquima (celulas vivas) e esclerenquima (celulas mortas) são sustentação ao vegetal
.5) parenquima para armazenar
- parenquima amilifero armazena amido
- parenquima aerifero armazena ar
BIOLOGIA
sistema ABO (I)
a) Sao um caso de alelos múltiplos ou polialelia: qdo um gene tem três ou mais alelos.
a.1) nesse caso, Ia, Ib e i

b)
b.1) Um indivíduo tipo A pode doar para A ou AB; recebe de A e O.
b.2) Um indivíduo tipo B pode doar B e AB; recebe de B e O
b.3) Um indivíduo AB doa apenas para AB; e recebe de A, B, AB e O.
b.4) Um indivíduo O doa para A, B, AB e O; recebe de O, apenas.

c) o fator Rh é outro gene, e pode estar presente (Rh+) - qdo gene dominante - ou ausente (Rh-), qdo há homozigose
recessiva (rr).
c.1) Rh+ doa para Rh+; recebe de Rh+ e RH-.
c.2) Rh- doa para Rh+ e Rh-; recebe de Rh-.

d) de acordo com os dados acima, O- é doador universal; AB+ é receptor universal.

e) eritoblastose fetal:
Se uma mãe Rh- tiver um filho Rh+, formará anticorpos anti-Rh.
Se, numa segunda gestação, tiver outro filho Rh+, os anticorpos anti-Rh da primeira gestação irão reagir levando ao óbito da
criança.
BIOLOGIA
sistema ABO (II) | reações de aglutinação
a) aglutinogênios são substâncias na membrana
a.1) sangue A tem aglutinogenio A
a.2) sangue B tem aglutinogenio B
a.3) sangue AB tem aglutinogenio A e B
a.4) sangue 0 não tem aglutinogenio

b) aglutininas são anticorpos no plasma, que combatem a aglutinina


b.1) sangue A tem aglutinina anti-B
b.2) sangue B tem aglutinina anti-A
b.3) sangue AB não tem aglutininas
b.4) sangue O tem aglutininas anti-A e anti-B

c) qdo a aglutinina anti-A reage com o aglutinogenio A, sofrem aglutinação; o mesmo vale para aglutinina anti-B e
aglutinigenios B.
BIOLOGIA
metabolismo no jejum
a) após alimentação, uso da glicose exógena (da alimentação) para obter energia.

b) com alta tx de glicose no sangue, apos refeição, formação de glicogênio no figado e músculo.

c) apos cerca de 4h de jejum, o corpo utiliza a glicose armazenada na forma de glicogênio; glucagon atua na glicogenolise.

d) apos 8 - 12h de jejum, glicose é proveniente, de forma majoritaria, da gliconeogenese hepática; o hormônio atuante ainda
é glucagon.

e) ressalta-se q o glucagon não atua na reserva de glicose muscular.


Fernando Menezes
Graduando em Medicina | FCM ∙ UERJ
Professor de Química e Biologia | VP ∙ VPmed

(21) 9 7902-5981
www.menezesfernando.wordpress.com