Você está na página 1de 1

18

JOÃO CARLOS
E
Trânsito no Brasil (Carelli, C
1975).
Em abril de 1951, 0 ISOP
começou a
tos para obtenção da Carteira
Nacional de Habilitação
entrevistas, provas de aptidão e atravésde
personalidade e, em
selho Nacional de Trânsito 1962,o Con-
(CONTRAN)estendeuo
psicotécnico a todos os candidatos a exame
Carteira Nacionalde Habili-
tação (CNH).
Como se pode observar,o desenvolvimento
da avaliação
psicológica no Brasil esteve estreitamente vinculado
ao desen-
volvimento de pesquisas, do ensino de técnicas e
procedimentos
ligados aos instrumentos psicológicos em sua aplicaçãonopaís,
sendo que o número de instrumentosautóctones,aindahoje
comercializados, é superior aos testes adaptados(Noronha,
Alchieri & Primi, 2001).
Nos anos de 1960 a psicologia se caracterizapela regula-
mentação dos cursos de formação (graduação)e a conseqüente
expansão do ensino de psicologia no Brasil. A regulamentação
da psicologia como disciplina e também como profissãofoirea-
lizada pela lei no 4119 de 1962, culminando com a criaçãodo
Conselho Federal de Psicologia e dos ConselhosRegionais de
Psicologia em 1974, pela lei 5.766. Com a FundaçãoGetúlio
Vargas fundou-se o Instituto de Seleção e OrientaçãoProfissi()-
Esta se
instituição
nal (ISOP) sob a direção Emilio Mira y López.
brasi-
converteria no principal agente dinamizador da Psicologia
leira e modelo de avaliação na América Latina.
crescimento do núme-
Mas, ao final da década de 60, com o
necessidade de profes-
ro de cursos de psicologia e a conseqüente na quali-
sores para o ensino, houve um certo comprometimento naárea
especialmente
dade da profissionalização dos psicólogos,