Você está na página 1de 68

1

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



2

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



3

GUIA
Um programa de avaliação de linguagem e habilidades sociais

VB-MAPP
Marcos do Comportamento Verbal
Programa de Avaliação e Colocação

Esse capítulo contém instruções específicas para a administração do Nível 1 do VB-MAPP


Avaliação de Marcos. Essas instruções contém objetivos, sugestões, materiais, exemplos e o critério de
pontuação para cada marco. A tarefa para a pessoa que está conduzindo a avaliação é identificar o “nível
operante” de cada habilidade (i.e., o nível atual de desempenho ou a “linha de base”), a fim de determinar
em qual ponto deve-se se iniciar o programa de intervenção. Se o item de um teste é claramente inferior ao
nível de habilidade da criança (o que significa que é muito fácil), a pontuação para o marco deve ser 1 e, a
seguir, deve-se encaminhar para o próximo marco. Se a criança está alcançando seu nível operacional em
uma habilidade, é recomendado que os testes sejam aplicados com mais cuidado e completude. Se a criança
perder 3 marcos seguidos, é razoável que o teste seja interrompido (no entanto, algumas crianças podem
demonstrar fragmentos de habilidades, tal como na leitura e matemática, e deve ser dado crédito para o que
eles sabem.
O mando do nível 1 inclui três tipos de formatos de resposta: fala, linguagem de sinais ou simbólica e
PECS (Frost & Bondy, 2002). Esses três tipos de resposta para funcionar de uma maneira semelhante nos
níveis iníciais do mando. Entretanto, como a linguagem vai se tornando mais complexa, especialmente
comportamentos intraverbais, os PECS requerem algumas considerações especiais que serão descritas no
nível 1 Objetivos de Localização e IEP (capítulo 8). A fim de apresentar o conteúdo a seguir de uma maneira
mais fácil, apenas respostas vocais são usadas nos marcos e nos exemplos, com exceção desta primeira
seção do mando. No entanto, a linguagem de sinais está indicada em todos os casos, e, em alguns casos, o
sistema de troca de figura pode também ser similarmente utilizado (e.g., mando, matching-to-sample, LD,
LRFFC).
É importante que o examinador seja familiar com os elementos básicos da Análise de Skinner sobre o
comportamento verbal como apresentado no capítulo 1 e com as instruções gerais apresentadas no capítulo
2. Para relembrar, os quatro métodos de avaliar uma habilidade específica são: (1) testagem formal (T), (2)
observação (O), (3) tanto observação quanto testagem (E) e (4) observação cronometrada (TO). Para mais
detalhes de cada tipo de medida, veja o capítulo 2.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



4

MANDO – NIVEL 1

MANDO 1-M: Emite 2 palavras (ou pecs), sinais ou seleções de ícone, mas podem exigir ajuda ecóicas,
imitativas, ou outros, mas não há ajuda físicas (por exemplo, biscoito, livro). (E) SOLICITAR 2
ITENS COM AJUDA ECOICA.
OBJETIVO: Para determinar se uma criança utiliza mandos com prompts ecóicos. Para uma criança usando
a linguagem de sinais ou uma criança selecionando figuras, a criança pode utilizar o mando com prompts
imitativos ou apontando. Se o início do mando é fraco, limitado, ou tipicamente requer prompts físicos, uma
avaliação mais cuidadosa exata do nível da criança será necessário.
MATERIAIS: Coletar itens ou ações que funcionem como reforço para a criança.
EXEMPLOS: A criança diz "biscoito" quando ele quer um biscoito, mas ele precisa de um prompt ecóico a
fim de responder. Para uma criança que usa sinais, ele sinaliza "biscoito" quando ele quer e vê um biscoito,
mas ele precisa de um prompt de imitação e talvez precisa ouvir a palavra para responder. Para uma criança
usando figuras, ele seleciona um ícone de "biscoito" quando ele quer e vê um biscoito, mas ele precisa de
prompt de apontar apontando para responder. Um mando para um impulso em um balanço seria um exemplo
de um mando para a ação.
PONTO 1: Dar à criança um ponto se ela responde quando um adulto fornece um prompts ecóico, como
dizer “biscoito" quando este estiver presente, para 2 itens ou atividades desejadas. Para uma criança usando
a linguagem de sinais, dar-lhe um ponto, quando ele responde o adulto fornece um prompt de imitação ou
fala a palavra (ajuda de intraverbal). Para uma criança usando um sistema de figuras, o adulto pode apontar
para a imagem e verbalmente solicitará a criança para buscá-lo. Não dar à criança quaisquer prompts de
ajuda físicas são necessárias para sinalizar ou selecionar uma imagem ou figura.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se ele emitir apenas um mando.
MANDO 2-M: Emite 4 mandos diferentes, sem ajuda (exceto, O que você quer?) O item desejado
pode estar presente (por exemplo, música, roupa, bola). (E)
OBJETIVO: Para determinar se a criança utiliza prompts ecóicos, e para uma criança usando sinais ou
selecionando figuras, mandos sem prompts imitativos ou de apontar.
MATERIAIS: Coletar itens ou ações que funcionem como reforço para a criança.
EXEMPLO: Uma criança diz ou sinaliza "balanço" quando ele está em um balanço e quer ser empurrado, e
ele faz isso sem um prompt ecóico ou imitativo.
1 PONTO: Dê o ponto 1 criança se ele usa mandos para 4 reforçadores diferentes sem o adulto dizendo a
palavra-alvo (ecóica prompt), dando um prompt de imitação ou apontando, ou de uma criança usando sinais,
falando a palavra (intraverbal prompt). O item ou atividade desejada pode estar presente, bem como o
prompt verbal, "o que você quer?" (ou algo similar).
MEIO PONTO: Dê o meio ponto se ele emite três desses tipos de mandos.
MANDO 3-M: Generalizada 6 mandos pra 2 pessoas (diferentes contexto ou ambiente), 2
configurações e 2 exemplos diferentes de um reforçador (por exemplo, pede bolhas para mãe e pai,
dentro e fora, uma garrafa vermelha e uma garrafa azul). (E)
OBJETIVO: Para determinar se o repertório de mando é generalizado para pessoas, configurações e
materiais diferentes. O objetivo é ter certeza de que nos primeiros aspectos da formação linguística a criança
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

5

está aprendendo a emitir a mesma resposta em condições ligeiramente diferentes. Um problema comum para
muitas crianças com atrasos de linguagem é que as respostas verbais se tornar repetitivas e deixar de ocorrer
sob condições novas ou variadas, e treinamento de generalização pode ajudar a evitar essa barreira de
aprendizagem.
MATERIAIS: Use vários exemplos diferentes de itens ou atividades que funcionam como reforço, tais como
vários tipos diferentes de biscoitos, bolachas, carros, bolas, ou livros; ou playgrounds que têm balanços.
Além disso, avaliar a configuração do mando e com pessoas diferentes.
EXEMPLOS: Quando uma criança emite um mando para um tipo de carro, por exemplo, um carro de
brinquedo, ele emite mandos para os carros que são de uma cor, tamanho ou tipo diferente? A criança emite
o mando "girar" em uma cadeira de escritório, ele emite mandos "girar" em outras cadeiras que rodam? Os
mandos da criança pedindo "bolhas" de um membro da equipe, ele usa o mando para outro membro da
equipe? Os mandos da criança de "saltar" na sala de OT, ele vai usar esse mando na sala de aula?
1 PONTO: Dê 1 ponto se ele generalizar 6 mandos por meio de 2 pessoas, 2 contextos e 2 exemplos do
reforçador.
MEIO PONTO: Dê o meio ponto se a criança generalizar 3 mandos para 2 pessoas, 2 contextos e 2
exemplos do reforçador.
MANDO 4-M: Emite espontaneamente (sem prompts verbais) 5 mandos - o item desejado podem
estar presentes. (TO: 60 min.)
OBJETIVO: Para determinar se o mando está ocorrendo sem adultos que iniciam a resposta do mando (i.e.,
prompt de mando). A fonte primária de controle para o mando deve ser uma operação motivadora (OM),
não um prompt de um adulto.
MATERIAIS: Reforços que ocorrem no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: A criança vê outra criança brincando de escorregar e solicita "escorregar". A criança quer ir
para fora e solicita “fora”.
1 PONTO: Dê o ponto 1 para a criança se ela emitir mandos espontaneamente 5 vezes (usando pelo menos 2
mandos diferentes) durante uma observação de 1 hora (sem, "o que você quer?" ou prompts semelhantes).
MEIO PONTO: Dê o meio ponto a criança se ela emitir mandos espontaneamente 5 vezes durante uma
observação de 1 hora, mas é sempre a mesma palavra.
MANDO 5-M: Emite 10 mandos diferentes sem prompts (exceto O que você quer?) - O item desejado
pode estar presente (por exemplo, maçã, balanço, carro, suco). (E).
OBJETIVO: Para determinar se uma criança emite mandos por 10 diferentes reforçadores sem prompts
ecoicos, e para uma criança que usa sinais ou seleciona imagens, mandos sem prompts imitativos ou de
apontar.
MATERIAIS: Coletar itens ou planejar ações que podem funcionar como reforço para a criança.
EXEMPLOS: Mandos de uma criança para "livro", "bolhas", "carro", "doces", "para cima", "iPad",
"música" e "rodar", sem prompts.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele mandos por 10 reforçadores diferentes sem o adulto dizendo a
palavra-alvo, dando uma imitação ou apontando, ou para uma criança usando sinais, falando a palavra,
dando uma imitação ou apontando rápido ou para uma criança usando sinais, falando a palavra (prompt

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



6

intraverbal). O item desejado pode estar presente, bem como o prompt verbal, "o que você quer?" (ou algo
similar). Mandos para remover aversivos, como dizer "não" ou "meu" pode também ser contado.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se ele emitir 8 mandos diferentes.

TATO – NIVEL 1

TATO 1-M: Nomear 2 itens com ajuda ecoicas ou imitativas (por exemplo, pessoas, animais de
estimação, figuras ou objetos favorito). (T)
OBJETIVO: Para determinar se um estímulo não-verbal particular (por exemplo, a mãe da criança) evoca a
palavra "mama" (ou uma aproximação). Os primeiros tatos da criança também podem ser parte mando em
que as crianças tendem a tatear coisas que são reforçadoras a eles, como seus pais, irmãos, animais de
estimação, personagens favoritos, brinquedos, etc. Pode ser difícil dizer se a resposta "mama "é um mando
ou um tato, mas que tudo bem, porque nesta fase inicial o objetivo é determinar se a criança discrimina entre
o estímulo não-verbal de sua mãe contra, por exemplo, seu pai. Se ele chama todo mundo "mama" não lhe
dê crédito por esta habilidade.
MATERIAIS: Use reforçadores naturais e itens que ocorrem no ambiente cotidiano da criança.
EXEMPLOS: "cachorrinho", "mama", "dada", "elmo", "Bob Esponja", "Dora", etc.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele nomeia 2 itens sem prompt ecoico quando testados, (e.g., “O que é
aquilo?” ou “Quem é?”).
MEIO PONTO: Dê o meio ponto se ele nomear 1 item sem prompt ecoico quando testados, mas não dão-lhe
meio ponto se ele chama tudo pelo mesmo nome.
TATO 2-M: Nomear quaisquer 4 itens sem ajuda ecoica ou imitativas (por exemplo, pessoas, animais
de estimação, caráteres, ou outros objetos). (T)
OBJETIVO: Para determinar se o repertório de tato está crescendo, e se um adulto pode evocar tatos durante
os testes. Estes tatos ainda podem ser parte mando neste momento.
MATERIAIS: Use itens e reforçadores comuns no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: "Homem Aranha", "Nemo", "carro", "boneca", "boneca", "suco", "livro", etc.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele nomeia 4 itens sem prompts ecoicos, quando testado.
MEIO PONTO: Dê meio ponto para criança se ela nomear 3 itens sem solicitar ajuda ecoica, quando
testado.
TATO 3-M: Nomear 6 itens não reforçadores (por exemplo, sapato, chapéu, colher, carro, copo,
cama). (T)
OBJETIVO: Para determinar se os fatos estão se vendo livre de motivação como uma fonte de controle, e se
o repertório de tato está crescendo.
MATERIAIS: Use itens comuns no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: "Tabela", "cadeira", "livro", camisa, porta, gato, cão, tigela, etc.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



7

1 PONTO: Dê o ponto 1 criança se ele emite 6 tatos de itens sem prompts ecoicos quando testado. Não dê o
crédito criança para as respostas que também fazem parte mando (por exemplo, ele diz "livro", porque ele vê
e quer que o livro).
MEIO PONTO: Dê meio ponto se ele nomear 5 itens.
TATO 4-M: Nomear espontaneamente (sem avisos verbais) 2 itens diferentes (2 vacas diferentes – 2
amostra do mesmo item). (TO: 60 min.)
OBJETIVO: Para determinar se o tato está ocorrendo prompts de tato de adultos. Normalmente, as crianças
começam a tatear itens sem avisos ou reforçadores, porque a emissão do tato do item corretamente torna-se
automaticamente reforço para a criança (por exemplo, "Dora"!)
MATERIAIS: Use itens comuns no ambiente natural da criança.
EXEMPLO: A criança vê uma foto de Homem-Aranha e diz: "Homem-Aranha", e não como um mando,
mas porque ele gosta de ver e dizer "Homem-Aranha" (reforço automático).
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ele emite espontaneamente um tato (sem prompts verbais) verbal de 2
itens diferentes durante uma observação de 60 minutos.
MEIO PONTO: Dar a criança meio ponto se ela nomear espontaneamente um item durante um observação
de 60 minutos.
TATO 5-M: Nomear 10 itens (por exemplo, objetos comuns, pessoas, partes do corpo, ou imagens).
(T)
OBJETIVO: Para determinar se o repertório tato está a crescer.
MATERIAIS: Use itens comuns (incluindo fotos) no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: nariz, olhos, caminhão, árvore, meia, colher, bola, lápis, tesouras, etc.
PONTO 1: Dar à criança 1 ponto se ele imitar 10 tatos de 10 itens sem prompts ecóicas quando testado.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele nomear 8 itens.

OUVINTE – NIVEL 1

OUVINTE 1-M: Atender a voz do falante, fazendo contato visual com o falante 5 vezes. (TO: 30
minutos)
OBJETIVO: Determinar se os sons da fala são estímulos discriminativos para o atendimento e com o
contato visual com pessoas. Além disso, para determinar se a criança discrimina entre sons da fala e outros
sons em seu ambiente.
MATERIAIS: Nenhum.
EXEMPLO: Quando um adulto está brincando com a criança e o adulto canta uma canção ou fala com a
criança, a criança olha para os olhos adultos, e de alguma forma parece interessado nos sons da fala (por
exemplo, sorrisos)? Não há nenhuma implicação de que a criança entende o que a pessoa está dizendo, só
que a criança reage a estímulos auditivos linguística.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele faz contato com os olhos quando os outros falam 5 vezes em 30
minutos.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

8

MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele faz contato com os olhos quando os outros falam 2 vezes em
30 minutos.
OUVINTE 2-M: Responde a ouvir seu próprio nome 5 vezes. (por exemplo, olha para o falante). (T)
(Chama o nome e vira para olhar)
OBJETIVO: Para determinar se uma criança discrimina entre o seu próprio nome e de outros estímulos
verbais que ele ouve ao longo do dia. Esta é uma das formas mais comuns de entendimento inicial ouvinte
para uma criança, e ocorre devido ao emparelhamento freqüente do nome de um criança com a atenção,
contato físico, e prestação de outros reforços pelo adulto.
MATERIAIS: Nenhum.
EXEMPLO: Quando a criança está olhando para longe e um adulto diz seu nome, ele vira a cabeça e olha
para o adulto.
PONTO 1: Dar à criança 1 ponto se ele atende aos adultos, fazendo contato com os olhos quando seu nome
é chamado em 5 ensaios separados dentro de 1 dia, sem limite de tempo especificado.
MEIO PONTO: Não há pontuação 1 ponto para esta habilidade.
OUVINTE 3-M: Olha, toca, ou aponta para o membro correto família, animal de estimação, ou outro
item reforçador quando apresentado em um arranjo de 2 (2 figuras na tela e apontar) a 5 (acertar 5
vezes) reforçadores diferentes (por exemplo “Onde está Elmo?”, “Onde está a mamãe?”). (E)
OBJETIVO: Para determinar se a criança discrimina como ouvinte entre estímulos verbais e associa esses
estímulos verbais com os estímulos não-verbais correspondentes. As crianças aprendem a distinguir entre
seus pais e estranhos no início do desenvolvimento, e os estímulos verbais relacionadas (isto é, "mama" e
"dada") são muitas vezes o primeiro grupo de palavras que adquirem controle de estímulos sobre o
comportamento diferencial ouvinte. Outros itens reforçadores, como um animal de estimação favorito, bicho
de pelúcia, um personagem de desenho animado, ou brinquedo pode também ajudar a estabelecer
habilidades iniciais de escuta.
MATERIAIS: Use reforços do ambiente natural da criança.
EXEMPLO: Uma boneca Dora pode estar em uma cadeira, e o adulto diz: "Olha a Dora!" e que a criança
olha diretamente para Dora.
PONTO 1: Dê o ponto 1 criança se identifica corretamente 5 diferentes membros da família, animais de
estimação, ou outros reforços quando nomeado individualmente por um adulto. Certifique-se de que existe
pelo menos um outro item na matriz.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela identifica corretamente 2 estímulos reforçadores diferentes.
OUVINTE 4-M: (Seguimento de instrução) Executa o comando de 4 ações motoras diferentes sem
prompt visual (por exemplo, “Você pode pular?” “Bata palmas!”). (T)
OBJETIVO: Para determinar se um comportamento motor da criança está sob controle de estímulo verbal de
um adulto (sem avisos de imitação).
MATERIAIS: Uma lista de ações.
EXEMPLOS: Quando um adulto diz "pule", a criança vai saltar. Quando um adulto diz "bater palmas", a
criança vai bater palmas. Quando um adulto diz "braços", a criança vai levantar os braços.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



9

1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite o comportamento motor correto a qualquer estímulo verbal
que requer uma ação motora específica 2 vezes durante os testes para 4 diferentes ações. É importante
apenas marcar esta resposta como correta se o estímulo verbal por si só evoca a resposta correta. Por
exemplo, a palavra "beijo" pode evocar o comportamento de beijar, mas se o adulto destaca o queixo, mostra
os lábios, aponte para os lábios, ou solicita de alguma forma visual, estes estímulos são mais propensos a
fonte do controle de estímulos ao invés de a palavra falada.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela emitir o comportamento motor correto 2 vezes durante os
testes para 2 ações diferentes.
OUVINTE 5-M: Seleciona o item correto de um conjunto de 4, para 20 diferentes objetos ou imagens
(por exemplo, mostra-me gato. Toque em equipamento), (T)
OBJETIVO: Para determinar se as palavras faladas evocam: 1) análise de um leque de opções e; 2) a seleção
da resposta para o item correto. A matriz para esses primeiros discriminações pode estar no ambiente
natural, mas também deve estar em uma situação mais formal de ensino (ou seja, no chão ou em uma mesa).
MATERIAIS: Use itens comuns no ambiente natural da criança, tais como uma matriz com um chapéu,
livro, colher, e bola, ou um sapato, meia, boneca, e copo.
EXEMPLOS: Quando existem vários brinquedos em cima da mesa e o adulto diz: "Me dê o chapéu", a
criança pode selecionar com sucesso o chapéu na matriz. Ou, quando várias pessoas estão em uma sala e um
adulto diz: "Onde está o tio Joe?" a criança olha diretamente para, ou vai, tio Joe.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança seela identifica corretamente 20 itens diferentes em uma matriz de 4 nos
dois primeiros testes durante o ensaio. Ao dar crédito um olhar mais geral para os itens de modo a
demonstrar habilidades de escuta, certifique-se que existe uma variação do discriminar, e da qual a resposta
é claramente dirigida ao estímulo alvo.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela identificar corretamente 15 itens diferentes em uma matriz
de 4 nos dois primeiros testes durante o ensaio.

HABILIDADES DE PERCEPÇÃO VISUAL - NIVEL 1



VP-MTS 1-M: acompanhar visualmente o estimulo estímulo reforçador por 2 segundos, 5 vezes. (TO:
30 min.)
OBJETIVO: Para determinar se a criança observa e visualmente segue estímulos em movimento.
MATERIAIS: Comumente estímulos do ambiente natural da criança.
Exemplo: Se um animal de estimação favorito entra na sala, a criança vai olhar para o animal de estimação e
vê-lo passar por todo o quarto.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ele visualmente observa estímulos se movendo por 2 segundos, 5 vezes
durante a observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto à criança ele visualmente observa estímulos se movendo por 2 segundos, 2
vezes durante a observação de 30 minutos.
VP-MTS 2-M: Agarra pequenos objetos com o polegar e o dedo indicador (pinça aperto) 5 vezes.
(PEGA O OBJETO 5X COM O MOVIMENTO DE PINÇA E LEVA DE UM LUGAR PARA O
OUTRO)
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

10

OBJETIVO: Para determinar se a criança tem uma coordenação eficaz “olho-mão”, e é bem sucedido em
alcançar para e pegar pequenos objetos com o polegar e o dedo indicador.
MATERIAIS: Brinquedos e objetos comuns para a idade apropriada encontrados no ambiente natural.
EXEMPLO: A criança vê um pastel e o pega com o polegar e o dedo indicador.
1 ponto: Dar à criança 1 ponto se ela for bem sucedida com as atividades de coordenação motora “olho-
mão” fino, como chegar e pegar pequenos brinquedos e outros objetos, 5 vezes durante a observação.
MEIO PONTO: Dê 1 ponto à criança se ela geralmente requer 2 ou mais tentativas para obter sucesso em
pegar pequenos itens na frente dele.
VP-MTS 3-M: Manter o contato visual a um brinquedo ou um livro por 30 segundos (não é um item
de auto-estimulação).
OBJETIVO: Para determinar se a criança mantém atenção visual aos brinquedos, objetos ou atividades por
períodos sustentados de tempo sem prompts.
MATERIAIS: Brinquedos e livros para a idade apropriada.
Exemplo: Quando apresentado a um brinquedo, a criança vai observar o brinquedo por 30 segundos sem
prompts.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele demonstra atenção sustentada a um estímulo específico, e,
possivelmente, reforçador, visualmente durante 30 segundos. Não dar à criança um ponto se é sempre o
mesmo item, ou outros itens que possam ser classificados como auto-estimulação para a criança (por
exemplo, um pedaço de pau que a criança se esfrega).
MEIO PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele atende a estímulos visuais durante 15 segundos.
VP-MTS 4-M: Colocar 3 itens em um recipiente, empilhar 3 blocos, ou colocar 3 anéis em um pino
para 2 vezes destas atividades ou atividades similares. (Habilidade visuo motora)
OBJETIVO: Para determinar se a criança tem a coordenação olho-mão, controle motor fino, discriminação
visual, bem como a motivação para concluir de forma independente essas atividades.
MATERIAIS: Blocos, formato e aparência de bolas, pinos e anéis, e recipientes.
EXEMPLOS: Colocação de blocos ou formas em um recipiente aberto ou em buracos formados,
empilhando blocos, colocando anéis em estacas, ou colocar itens em um recipiente.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ela com sucesso e de forma independente coloca 3 itens em um
recipiente, empilha 3 blocos, coloca 3 anéis em uma estaca, etc., por quaisquer 2 atividades durante a
observação ou ensaios.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele coloca 2 itens em um recipiente, empilha 2 blocos, coloca 2
anéis em um peg, etc, para uma única atividade durante a observação ou testes.
VP-MTS 5-M: Corresponde a qualquer 10 itens idênticos (APONTA OS IGUAIS) (por exemplo,
quebra-cabeças, brinquedos, objetos ou imagens).
OBJETIVO: Para determinar se a criança corresponde visualmente itens que são iguais, e se a criança tem as
habilidades motoras finas para concluir de forma independente a tarefa. Este comportamento pode exigir
alguns prompts verbais ou reforçadores artificiais.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



11

MATERIAIS: quebra-cabeças; formatos de bolas; brinquedos correspondentes, como carros, figuras,
personagens, animais, blocos, imagens, etc.
EXEMPLOS: É mostrado para uma criança estatueta do Bob Esponja e ele seleciona em um grupo de
figuras, uma imagem correspondente com o Bob Esponja. Uma criança coloca uma peça de quebra-cabeça
de uma bola azul no quebra-cabeça que tem uma imagem de fundo no quadro que corresponde a bola azul
sobre a peça de quebra-cabeça.
1 PONTO: Dê 1 ponto criança à se ele combina com sucesso 10 itens em uma matriz de 3.
MEIO PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele corresponde a 5 itens em uma matriz de 3.

IMITAÇÃO MOTORA- NIVEL 1



IMITAÇÃO 1-M: Imita 2 movimentos de motor grosso quando solicitado a fazer isso. (por exemplo,
bater palmas, levantar os braços).
MATERIAIS: Uma lista de possíveis comportamentos imitativos idade apropriada.
EXEMPLOS: aplauso, pular, levantando os braços para cima, tocando uma mesa, e saltar.
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ela imitar 2 movimentos motores grossos apresentados por um adulto.
Mesmo que as respostas sejam parecidas, pontue-as como correta.
MEIO PONTO: Dê a criança meio ponto se ele imitar apenas uma ação motora. Não dê nenhum ponto se a
criança sempre emite o mesmo comportamento, tal como bater as mãos (isso parece ser obvio quando a
criança bate palma antes do adulto bater).
IMITAÇÃO 2-M: Imita 4 movimentos de motor grosso quando solicitado com “Faça isso” (bater
palmas, levantar os braços).
MATERIAIS: Uma lista de possíveis comportamentos imitativos para a idade apropriada.
EXEMPLOS: aplauso, pular, levantar os braços para cima, tocar uma mesa, e saltar.
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ele imitar 4 movimetos motores grossos apresentados por um adulto.
Mesmo que as respostas sejam parecidas, pontue-as como correta.
MEIO PONTO: Dê a criança meio ponto se ele imitar 3 ações motoras.
IMITAÇÃO 3-M: Imita 8 movimentos motores, 2 dos quais envolvem objetos (por exemplo, agitando
uma maraca, batendo paus juntos).
OBJETIVO: Para determinar se o repertório de imitação da criança está crescendo, e se ele é capaz de imitar
o comportamento dos outros, quando um objeto específico está envolvido.
MATERIAIS: uma lista de possíveis comportamentos de imitação, e uma coleção de objetos
correspondentes que podem ser usados para ações específicas de imitar.
EXEMPLO: Um adulto pega uma maraca e sacode, e que a criança imita o comportamento de agitação com
a maraca sem prompt físicos.
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ele imitar 6 movimetos motores grossos apresentados por um adulto e se
ele conseguir imitar 2 comportamentos motores de um adulto envolvendo objetos (um total de 8 imitações).
Mesmo que as respostas sejam parecidas, pontue-as como correta.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

12

MEIO PONTO: Dê a criança meio ponto se ele imitar 6 comportamentos de qualquer tipo. (Anote nos
“comentários/ notas” na seção do VB-MAPP se a criança falhar em imitar quaisquer ações com objetos ou
se todas as imitações envolverem objetos.
IMITAÇÃO 4-M: Espontaneamente imita os comportamentos motores de outras pessoas em 5
ocasiões.
OBJETIVO: Para determinar se o repertório de imitação da criança é romper com instruções verbais. Um
dos principais objetivos no treinamento imitação é o desenvolvimento de imitação espontânea, porque pode
ser de grande valor para uma criança em uma variedade de situações (por exemplo, comportamento social,
artes e ofícios, rotinas de sala de aula).
MATERIAIS: Nenhum material específico é necessário.
EXEMPLO: Um adulto puxa um carro wind-up para trás e atira para a frente rápido, e que a criança tenta
espontaneamente para imitar esse comportamento com o seu carro .
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ele imitar espontaneamente pelo menos 2 comportamentos motores
diferentes uns dos outros em 5 ocasiões.
MEIO PONTO: Dê a criança meio ponto se ele imitar espontaneamente pelo menos 2 comportamentos
motores diferentes uns dos outros em 2 ocasiões.
IMITAÇÃO 5-M: Imita 20 movimentos motores de qualquer tipo (por exemplo, motora fina, motora
grossa, imitação com objetos).
OBJETIVO: Para determinar se o comportamento imitativo criança é cada vez mais forte e generalizada.
MATERIAIS: uma lista de possíveis comportamentos de imitação, e uma coleção de objetos
correspondentes que podem ser usados para ações específicas de imitar.
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ela imitar 20 comportamentos motores de qualquer tipo.
MEIO PONTO: Dê a criança 1 ponto se ela imitar 15 comportamentos motores de qualquer tipo.

BRINCAR INDEPEDENTE- NIVEL 1



BRINCAR 1-M: Manipula e explora objetos por 1 minuto (e.g.g., olha para um brinquedo, vira-o,
pressiona botões).
OBJETIVO: Para determinar se a criança está interessada em objetos (isto é, reforçados por eles) e
manipula-los de forma independente como uma forma de entretenimento. Em suma, o comportamento de
“brincar” ou explorar é "diversão" para a criança, e ocorre sem consequências mediadas por adultos (assim,
os reforços são "automáticos", não artificiais).
MATERIAIS: Itens que funcionam como reforço para a criança, e itens comuns encontrados no ambiente
natural da criança.
EXEMPLOS: segurando e olhando brinquedos, objetos, roupas, etc, e entregá-los, movê-los de mão em
mão, apertando-os, explorando-los visualmente, batendo-os contra as coisas, colocando-os em posições
específicas, etc.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança manipula de forma independente e explora objetos para um total de pelo
menos 1 minuto, durante uma observação de 30 minutos.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

13

MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança manipula de forma independente e explora objetos para um total
de, pelo menos, 30 segundos durante uma observação de 30 minutos.
BRINCAR 2-M: Mostra a variação em jogo, interagindo de forma independente com 5 itens
diferentes (por exemplo, joga com anéis, em seguida, uma bola, em seguida, um bloco). (TO: 30 MIN)
OBJETIVO: Para determinar se a criança brinca com uma variedade de itens e brinquedos.
MATERIAIS: brinquedos comuns e objetos encontrados em um ambiente de casa ou na escola da criança.
EXEMPLOS: A criança brinca com um ônibus escolar brinquedo para cerca de 1 minuto, então se move
para um jogo de pesca para cerca de 30 segundos, em seguida, senta-se e brinca com ferramentas de plástico
por 2 minutos, e depois pega uma bola.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança joga de forma independente com 5 itens diferentes para um total de pelo
menos 5 minutos durante uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança joga de forma independente com 3 itens diferentes para um total
de pelo menos 5 minutos durante uma observação de 30 minutos.
BRINCAR 3-M: Demonstra generalização envolvendo-se em movimento exploratório e brincar com
os brinquedos em um novo ambiente durante 2 minutos (por exemplo, em uma nova sala de jogos).
(TO: 30 min.)
OBJETIVO: Para determinar se uma criança vai olhar em volta, confira os brinquedos e brinque com eles
em um novo ambiente. Esta é uma forma de generalização.
Materiais: Os itens disponíveis em ambientes novos (não necessariamente apenas os brinquedos das
crianças).
Exemplo: Quando uma criança entra uma área infantil em uma loja pela primeira vez, ele vai olhar em volta
para o que está lá e escolher algo para brincar, muitas vezes brevemente, mas, em seguida, irá selecionar
outras coisas para brincar.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele de forma independente engaja em movimento exploratório e tocar em
uma área nova ou um novo jogo por 2 minutos durante uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele de forma independente engaja em movimentos exploratório
e vai em uma área nova ou toca em um novo jogo para 1 minutos durante uma observação de 30 minutos
BRINCAR 4-M: Independentemente se envolve em brincadeiras de movimento por 2 minutos (por
exemplo, balançando, dançando, saltando, escalando). (TO: 30 min.)
OBJETIVO: Para determinar se a criança espontaneamente e de forma independente se envolve em
comportamentos motores que são mantidos por consequências automáticas. A criança gosta de dançar,
correr, escalar, etc. e fazer estes comportamentos sem prompts ou reforçadores de adultos? Em suma, o
reforço para esses comportamentos é fornecida automaticamente pela própria atividade física.
MATERIAIS: Parques, playgrounds, playhouses, trampolins, etc.
EXEMPLOS: A criança vai para baixo e desliza, gosta de se balançar, dirige um cavalinho no carrossel,
gosta de ser perseguido, etc.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele se envolve em brincadeiras de movimento por 2 minutos durante
uma observação de 30 minutos.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



14

MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele se envolve em brincadeiras de movimento por 1 minutos
durante uma observação de 30 minutos.
BRINCAR 5-M: Independentemente se envolve em brincadeiras de causa e efeito por 2 minutos (por
exemplo, despejando recipientes, brincando com brinquedos de pop-up, puxando brinquedos, etc.).
(A: 30 min)
OBJETIVO: Para determinar se a criança é reforçada pelas atividades de causa e efeito e se irá se envolver
nessas atividades sem prompts ou reforçadores de adultos.
MATERIAIS: brinquedos comuns e itens encontrados em um ambiente de casa ou na escola da criança.
EXEMPLOS: Colocar itens dentro e fora dos recipientes, deixando cair as coisas, puxando as coisas fora de
armários, apertar botões para fazer sons de brinquedos, brincando com brinquedos de pop-up, emplhando e
derrubando blocos, empurrando as coisas para vê-los cair, puxando brinquedos, jogando coisas, etc.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele se envolve de forma independente em jogo de causa e efeito por 2
minutos durante uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele se envolve de forma independente em jogo de causa e efeito
por 1 minutos durante uma observação de 30 minutos.

COMPORTAMENTO SOCIAL E BRINCAR SOCIAL – NIVEL 1



SOCIAL-1M: Faz contato visual como mando 5 vezes. (TO: 30 min.)
OBJETIVO: Para determinar se a criança usa o contato visual como um mando para a interação social.
MATERIAIS: Nenhum.
EXEMPLOS: Um pai entra em uma sala e que a criança faz contato visual com o pai e sorri com a sua
aproximação.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança faz contato visual como um mando pelo menos 5 vezes durante uma
observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança faz contato visual como um mando pelo menos 2 vezes durante
uma observação de 30 minutos.
SOCIAL 2-M: Indica que ele quer brincar ou ser segurado fisicamente 2 vezes (por exemplo, sobe no
colo de sua mãe). (TO: 60 min)
OBJETIVO: Para determinar se o contato físico com adultos familiares é uma forma de reforço para a
criança, e se ele vai buscar esse reforço.
MATERIAIS: Nenhum.
EXEMPLOS: A criança vai abordar um adulto e levantar os braços para cócegas, ou para ser levantado.
Quando no chão, a criança vai subir no colo de um adulto, nas costas ou ombros e parece apreciar a
interação física. O número de pessoas reforçadoras pode ser limitado, mas com pessoas familiarizadas ele
claramente gosta de atenção física, demonstrado por sorrisos, risadas, e continuando a procurar este tipo de
interação.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele indica que ele quer brincar ou ser segurado fisicamente 2 vezes
durante uma observação de 1 hora.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

15

MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele indica que ele quer brincar ou ser segurado fisicamente 1
vez durante uma observação de 1 hora.
SOCIAL 3-M: Espontaneamente faz contato visual com outras crianças 5 vezes. (TO: 30 min).
OBJETIVO: Para determinar se uma criança faz contato visual com os pares. Os pares são estímulos
discriminativos para chamar a atenção dele?
MATERIAIS: Pares.
Exemplo: Quando outra criança entra na sala a criança alvo olha para ele e faz contato visual.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente faz contato visual com outras crianças de 5 vezes
durante uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente faz contato visual com outras crianças de 2
vezes durante uma observação de 30 minutos.
SOCIAL 4-M: Espontaneamente se envolve em jogo paralelo perto de outras crianças para um total
de 2 minutos (por exemplo, senta-se na caixa de areia perto de outras crianças). (TO: 30 min)
OBJETIVO: Para determinar se a criança vai ficar de pé ou sentar-se por outras crianças sem que um adulto
peça para fazê-lo.
MATERIAIS: Pares e grupos de itens comuns encontrados em casa ou na escola de uma criança (por
exemplo, caixa de areia, mesa de água, caixas de arroz, mesas de jogos, etc.)
EXEMPLOS: A criança-alvo vai sentar-se na área de jogo com outras crianças, mas não interage elas. A
criança-alvo vai estar ao lado de outras crianças com uma caixa contendo feijão, brincando com os grãos,
mas não pode interagir com as outras crianças.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente se envolve em jogo paralelo (sem um adulto pedir)
por outras crianças para um total de 2 minutos dentro de um total de 30 minutos de observação.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente se envolve em jogo paralelo (sem adulto
pedir) por outras crianças para um total de 1 minuto dentro de um total de 30 minutos de observação.
SOCIAL 5-M: Espontaneamente segue pares ou imita o comportamento do motor 2 vezes (e., Segue
um ponto em um teatro). (TO: 30 min)
OBJETIVO: Para determinar se uma criança vai imitar o comportamento de seus pares sem prompts de
adultos.
MATERIAIS: Pares.
EXEMPLOS: Um par se levanta e caminha até um brinquedo e a criança alvo olha para o par e também se
levanta e segue para o outro local sem ser dito para fazê-lo. Ao jogar com um trem, uma criança puxa o trem
em círculos, e a criança alvo imita o comportamento com o seu trem.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança espontaneamente segue pares ou imita o comportamento motor duas 2
vezes durante uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança espontaneamente segue pares ou imita o comportamento motor
1 vez durante uma observação de 30 minutos.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



16

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



17

SUBTESTE DE AVALIAÇÃO DE HABILIDADES ECÓICAS INICIAIS (EESA)
Por Barbara E. Esch, Ph.D., BCBA, CCC-SLP

Objetivo
Habilidades iniciais da fala podem variar amplamente. Quando perguntado para imitar vocalmente
sons ou palavras (e.g., diga “mama”), algumas crianças podem ter dificuldade ecoando esses modelos de
maneira precisa, se for tudo possível. A habilidade de repetir o que uma pessoa ouve é essencial na
aprendizagem de como falar e como adquirir formas mais complexas de linguagem. Além disso, mesmo se a
criança está começando a fazer alguns sons por si próprio ou para produzir palavras iniciais, pode ser
importate avaliar sua habilidade em fazer sons em resposta a ter ouvido esses modelos de alguma outra
pessoa.
A avaliação de habilidades ecóicas iniciais (EESA) avalia a habilidade da criança de repetir modelos
de fala. As amostras do repertório ecóico do EESA é a partir de fonemas da fala, combinações de silabadas
(palavras e frases), e padrões de entonação que são tipicamente adquiridos entre nascimento e os 30 meses
de idade (o protocolo do EESA está contido no protocolo do VB-MAPP). Como subteste ecóico do VB-
MAPP, EESA avalia as habilidades ecóicas do nível 1 do VB-MAPP (0-18 meses) e nível 2 (18-30 meses).
Não tem nenhum subteste de nível 3 para o VB-MAPP.

Habilidades da fala, nascimento aos 30 meses


A fala inicial contém muitos erros de articulação. Alguns desses erros não interferem enormemente
com a intelegibilidade (“goggy” para “doggy”), enquanto que outros erros podem render em palavras quase
irreconhecíveis (“pah kaw” para “hot dog”). Entretanto, mesmo para aprendizes iniciantes da fala muitas
vogais são usadas de maneira precisa enquato que as consoantes podem ser esquecidas por meses antes da
precisão ser alcançada.
Como guia geral, as crianças entre o nascimento e 30 meses de idade podem seguir essa progressão
da aquisição da fala:
• Vogais e ditongos são adquiridos primeiro
• Habilidades ecoicas emergem pelos 11 meses
• Características prosódicas de entonação, duração e volume são evidentes pelos 6 meses e são mais
notados peloes 23 meses (mas a precisão pode ser inconsistente)
• As consoantes aparecem primeiro no início da aprendizagem das sílabas (a maioria lá pelos 18
meses)
• Consoantes iniciais e típicas são p, b, m, n, h, e w seguidas por k, g, t, d, f, ng e y.
• Palavras de 1 ou 2 sílabas e frases começam a aparecer entre os 6 e os 18 meses; as que são de 2
sílabas são, normalmente, duplicadas (“ma-ma”, “da-da”).
• Muitas palavras de 2 a 3 sílabas e frases são adquiridas la pelos 18-30 meses.

Componentes do EESA
Existem 100 pontos no total em 5 grupos de teste dos itens do EESA. Os objetivos nos primeiros três
grupos são organizados em uma progressão de acordo com o desenvolvimento. O grupo 1 (25 pontos)
consiste em exemplos de vogais e ditongos e algumas consoantes iniciais, todas das quais representam
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

18

habilidades de fala que são tipicamente adquiridas até os 18 meses de idade. Os grupos 2 e 3 (30 pontos)
apresentam todas as consoantes iniciais e combinações de 2 e 3 sílabas. Os grupos de 4 e 5 tem um total de
15 itens. Eles avaliam a habilidade da criança de imitar características prosódicas da fala, tal como timbre, o
volume e a duração da vogal. Juntos, os itens desses grupos representam habilidades de fala que são comuns
em crianças das idade de 18-30 meses.

Quem pode aplicar o EESA?


Qualquer um pode administrar o EESA, no entanto resultados efetivos podem ser obtidos por
patologistas com especialidade na fala por conta de seu treinamento específico em ouvir a produção da fala e
identificar as diferenças articulatórios e prosódicas.

Quais componentes da fala são pontuados?


Desde que o EESA é um teste da habilidade ecóica do falante. Examindores devem ouvir os
componentes da fala que se diferenciam do modelo. Os componentes testados no EESA incluem vogais,
consoantes, número de sons ou sílabas e características prosódicas de entonação, duração e volume (veja
abaixo para os critérios de pontuação do EESA).

Como o EESA é administrado?


Instruções gerais
• Garanta a cooperação tendo reforçadores importantes disponíveis
• Administre o item do teste seguido por um reforçador apropriado para a criança
• Se desejar, EESA pode ser aplicado por meio de várias sessões, tal como alguns items por vez
Direções específicas
• Peça a criança para repetir cada item do teste (diga “hop”). Omita o “diga” se a criança repeti-la
• Coloque o ponto apropriado de acordo com a tabela (veja abaixo) na caixa próxima a cada item
• Pare na terceira tentativa, pontuando a melhor resposta, se a resposta inicial é ausente ou imprecisa
Pontuando o EESA
Os critérios para a pontuação de todos os grupos estão listados abaixo no protolo do Milestones
Assessmente EESA Protocol. Além disso, exemplos para pontuação nos itens dos grupos 1-3 são listados
abaixo.

1 ponto para cada resposta na qual todos os sons ão corretos


½ ponto se a resposta ecóica é reconhecível, mas identificável:
• Consoantes incorretas (“poo-ey” para “foo-ey”)
• Consoantes perdidas (“-itty” para “kitty”)
• Silabas extras (“moo moo moo” para “moo”)
0 ponto para
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

19

• Sem resposta OU se a resposta ecoica identificada:
o Vogais incorretas (“oo” para “ah”)
o Silabas deletadas (“ma” para “mama”)

Subteste Ecoico (EESA) – NIVEL 1

ECOICO 1-M: Pontuações de pelo menos 2 no subteste EESA.

OBJETIVO: Para determinar se a criança emite algum comportamento ecóico.

MATERIAIS: O subteste EESA.

EXEMPLOS: A criança emite "moo" e "ah" quando testado.

1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele marca dois ou mais no subteste EESA.

MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele marca 1 no subteste EESA

ECOICO 2-M: Pontuações de pelo menos 5 no subteste EESA.

OBJETIVO: Para determinar se o repertório ecóico criança está se desenvolvendo.

EXEMPLOS: A criança emite "boi", "cano", ou "wow", quando testado.

1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele marca 5 ou mais no subteste EESA.

MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele marca 3 no subteste EESA

ECOICO 3-M: Pontuações de pelo menos 10 no subteste EESA.

OBJETIVO: Para determinar se o repertório ecóico criança está crescendo.

EXEMPLOS: A criança emite "boi", "cano", ou "wow", quando testado.

1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele marca 10 ou mais no subteste EESA.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



20

MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele marca 7 no subteste EESA

ECOICO 4-M: Pontuações de pelo menos 15 no subteste EESA.

OBJETIVO: Para determinar se o repertório ecóico criança está crescendo.

EXEMPLOS: A criança emite "boi", "cano", ou "wow", quando testado.

1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele marca 15 ou mais no subteste EESA.

MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele marca 12 no subteste EESA

ECOICO 5-M: Pontuações de pelo menos 25 no subteste EESA (pelo menos 20 do grupo 1).

OBJETIVO: Para determinar se o repertório ecóico criança está crescendo.

EXEMPLOS: A criança emite "boi", "cano", ou "wow", quando testado.


1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele marca 25 ou mais no subteste EESA, com pelo menos 20 do grupo
1.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele marca 20 no subteste EESA, com pelo menos 15 do grupo
1.

COMPORTAMENTO VOCAL ESPONTANEO – NIVEL 1


VOCAL 1-M: Espontaneamente emite uma média de 5 sons a cada hora. (TO: 60 MIN)
OBJETIVO: Para determinar se uma criança irá emitir sons da fala sem avisos.
MATIALS: Nenhum.
EXEMPLO: A criança emite "ah" algumas vezes por hora.
1 PONTO: Dê o ponto criança 1 se ele espontaneamente emite uma média de 5 sons da fala de hora em hora.
Um tipo de amostra temporal de gravação de dados pode ser usado para medir este comportamento (não dar
crédito ao filho, se os sons são um tipo de auto-estimulação).
MEIO PONTO: Dê meio ponto à criança se ele espontaneamente emite uma média de 2 sons da fala de hora
em hora.

VOCAL 2-M: Espontaneamente emite 5 sons diferentes, com média de 10 Total de sons de hora em
hora (TO: 60 min)

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



21

OBJETIVO: Para determinar se a criança está começando a emitir discurso sons diferentes, bem como a
frequência está a aumentar.
MATERIAIS: Nenhum.
Exemplos: A criança emite "ah", "ba", "ma", "oh" e "ga", algumas vezes por hora.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança a se ele espontaneamente emite 5 sons diferentes, com média de 10 Total de
sons a cada hora (não incluindo sons auto-STIM).
MEIO PONTO: Dê meio ponto criança se ele espontaneamente emite 3 sons diferentes, com média de 10
Total de sons a cada hora (não incluindo sons auto-STIM).
VOCAL 3-M: Espontaneamente emite 10 sons diferentes, com média de 25 Total de sons de hora em
hora (TO: 60 min)
OBJETIVO: Para determinar se a criança está começando a emitir discurso sons diferentes, bem como a
frequência está a aumentar.
MATERIAIS: Nenhum.
Exemplos: A criança emite "ah", "ba", "ma", "oh" e "ga", algumas vezes por hora.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ele espontaneamente emite 10 sons diferentes, com média de 25 Total de
sons a cada hora (não incluindo sons auto-estimulação).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite 5 sons diferentes, com média de 25
Total de sons a cada hora (não incluindo sons auto-estimulação).
VOCAL 4-M: Espontaneamente emite aproximadamente 5 diferentes palavras. (TO: 60 MIN)
OBJETIVO: Para determinar se o ritmo vocal na brincadeira está aumentando, e se palavras inteiras estão
começando a aparecer.
MATERIAIS: Nenhum.
EXEMPLOS: A criança emite "mama", "papa", "cholo", (para cães) "comer", "uh oh", mas não
necessariamente no contexto apropriado.
1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ele espontaneamente emite 5 aproximações de palavras durante a
observação de 60 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite 2 aproximações de palavras durante
a observação de 60 minutos.
VOCAL 5-M: Espontaneamente vocaliza 15 palavras ou frases inteiras com entonação e ritmo
adequado. (TO: 60 min)
OBJETIVO: Para determinar se a criança está começando a emitir mais palavras inteiras em brincadeiras
vocais, e com a entonação e ritmo adequado.
MATERIAIS: Nenhum.
Exemplos: A criança emite "sapato", "pegar", "não" e "bye-bye". Ela também aparece como a criança está a
"falar", mas pode ser difícil ou impossível de compreender todas as palavras.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



22

1 PONTO: Dê 1 ponto à criança se ele espontaneamente emite 15 diferentes approxinations palavra
identificável durante uma observação de 1 hora.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite 18 diferentes aproximações
identificáveis da palavra durante uma observação de 1 hora.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



23

GUIA
Um programa de avaliação de linguagem e habilidades sociais
(para crianças com autismo ou outras deficiências intelectuais)

VB-MAPP – NÍVEL 2
Marcos do Comportamento Verbal
Programa de Avaliação e Colocação
Esse capítulo contém instruções epecíficas para administração do VB-MAPP de nível 2. Exitem 4
novas áreas de habilidades no nível 2: O ouvinte respondendo com função, Carcaterísticas e Classes
(LRFFC), Intraverbal, Rotinas de sala de aula e habilidades em grupo e Estrutura linguística. Essas áreas não
estão incluidas no nível 1 porque na maioria das vezes crianças de 18 meses de desenvolvimeto ainda não a
adquiriram. Além disso, eles devem ser evitados como parte de um currículo para uma criança com atraso de
linguagem aos quais as pontuações caem primariamente no nivel 1. É esperado que pela apresentação dessas
habilidades no nível2 se torne mais claro quais habilidades focar de acordo com a pontuação de uma criança
em cada um dos níveis. Uma area de habilidades, o comportamento verbal espontâneo, não está incluido no
nível 2 porque é menos uma área alvo para uma criança que já adquiriu comportamento ecóico. Para
relembrar, os quatro métodos de avaliar uma habilidade específica são: (1) testagem formal (T), (2)
observação (O), (3) tanto observação quanto testagem (E) e (4) observação cronometrada (TO). Para mais
detalhes de cada tipo de medida, veja o capítulo 2.

MANDO – NIVEL 2
MANDO 6-M: Solicita 20 diferentes itens em falta sem prompt (exceto, por exemplo, O que você
precisa?) (Por exemplo, mandos de papel quando ele tem um giz de cera).
OBJETIVO: Determinar se os mandos da crianças para itens quando uma parte do item desejado está
faltando de um brinquedo ou atividade.
MATERIAIS: Junte itens que são reforçadores pra a criança e que contenham múltiplas partes. A remoção
de uma parte do brinquedo vai criar motivação (OM) para a criança procurar essa parte quando o brinquedo
inteiro for mostrado.
EXEMPLOS: Uma criança está brincando com o Play Doh e quer fazer formats de estrelas, mas o formato
de estrela foi removido. Quando perguntado “O que está faltando?” a criança pergunta pelo formato
desaparecido? Se a criança gosta de suco e toma ele com canudo, dê a criança um suco sem um canudo e
teste se ela emitira um mando solicitando o canudo.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite mandos para 20 diferentes itens em falta prompts de adultos
(exceto avisos verbais, tais como, "o que falta?" Ou "o que você precisa?"). É importante que a falta ser
valiosa para a criança, naquele momento, (isto é, deve haver uma OM para esse item).
MEIO PONTO: 1 PONTO: Dar à criança meio ponto se ele emitir mandos por 10 diferentes itens em falta
sem avisos.
MANDO 7-M: Mandos para os outros de 5 diferentes ações necessárias para desfrutar de uma
atividade desejada (por exemplo, abrir a porta para sair, empurrar quando em um balanço).
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

24

OBJETIVO: Determinar se a criança emite mandos para ações que são necessárias para aproveitar uma
atividade ou ação desejada.
MATERIAIS: Desenvolva uma lista de ações que são de valor para a criança, seja atividades ou ações
específicas.
EXEMPLOS: Uma criança que está sentada em um balando e quer se empurrada emite o mando “Me
empurre!”. Uma criança que quer sair está parada na porta e emite o mando “Abra.”. Uma criança que gosta
de um pião e emite o mando “Gire!”. Uma criança que quer ser perseguida pelo adulto ou por pares e emite
o mando “Me pegue.”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite mandos para 5 diferentes ações ou ausentes ações necessárias
para desfrutar de uma atividade desejada durante a observação ou testes sem prompt (exceto prompts
verbais, tais como, "o que você quer que eu faça?") É importante que a atividade ausente seja valiosa para a
criança, (isto é, deve haver uma OM para a atividade).
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele emite mandos para 2 diferentes ações ausentes ou ações
necessárias para desfrutar de uma atividade desejada durante a observação ou testes sem prompt (exceto
prompts verbais, tais como, "o que você quer que eu faça?")
MANDO 8-M: Emite 5 mandos diferentes que contêm 2 ou mais palavras (não incluindo o que eu
quero) (por exemplo, vá rápido, Minha vez, Despeje o suco...) (TO: 60 min)
OBJETIVO: Determinar se o repertório de mandos está mostrando variação e se a duração do significado do
enunciado está aumentando.
MATERIAIS: Uma folha com dados que permite o rastreio de diferentes mandos emitidos pela criança ao
longo do tempo.
EXEMPLOS: A criança diz “Abra a porta”, “Não quero sapato” ou “Vamos dormir”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite 5 mandos diferentes que contêm 2 ou mais palavras (não
incluindo "eu quero") durante uma observação de 1 hora. A lista dos diferentes mandos emitidos pela
criança deve ser mantido e usado como a base de dados para responder a este marco.
MEIO PONTO: : Dar à criança meio ponto se ele emite 2 mandos diferentes que contêm 2 ou mais palavras
(não incluindo "eu quero") durante uma observação de 1 hora.
MANDO 9-M: Espontaneamente emite 15 mandos diferentes (por exemplo, Deixa o jogo. Abrir.
Quero livro.). (TO: 30 min).
OBJETIVO: Determina se os mandos estão ocorrendo a uma taxa frequente, se são relacionados com uma
variedade de OM e se são iniciados pela criança (livre de prompts de adultos).
MATERIAIS: Reforçar itens e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Uma criança inicia esses mandos sem qualquer prompt de adultos: “Onde está o Homem-
Aranha?”, “Eu quero subir”, “É minha vez” ou “Mais suco”.
1 PONTO: Dê 1 ponto A criança se ele espontaneamente emite 15 mandos diferentes (nenhum prompts
apresentados por adultos) durante uma observação de 30 minutos. Os mandos devem ser controlados por
diferentes OMs.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite mandos (nenhum prompts
apresentados por adultos) 8 vezes durante uma observação de 30 minutos. Além disso, dar o meio ponto a
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

25

criança se seus mandos conter diferentes topografias de resposta, mas são para a mesma OM (isto é, ele pede
a mesma coisa com palavras diferentes).
MANDO 10-M: Emite 10 novos mandos sem formação específica do mando (por exemplo, diz
espontaneamente “Onde vai a vaquinha?” Sem treinamento formal do mando).
OBJETIVO: Determinar se novos mandos estão sendo adquiridos por meio da tranferência natural do
controle de habilidades verbais já existentes tal como o tato e o ecóico.
MATERIAIS: Reforçar itens e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Quando outra criança pega um cata-vento e o assopra, a criança alvo diz “Eu quero rodá-lo”
sem nunca ter tido um treinamento de mando relacionado a rodar um cata-ventos. A criança provavelmente
pode tatear um LD (?) de rodar, mas antes dessa situação, ele nunca deve ter emitido o mando de girar um
cata-ventos.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele aprende 10 novos comandos sem formação mando formal sobre essas
palavras. Grave cada novo mando em uma folha de dados diariamente.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança aprende 10 novos mandos sem formação mando formal sobre
essas palavras. Grave cada novo mando em uma folha de dados diariamente.

TATO – NIVEL 2

TATO 6M: Tateia (nomeia) 25 itens. (Objetos)
OBJETIVO: Determinar se a criança está aprendendo a tatear mais coisas em seu ambiente físico.
MATERIAIS: Use itens comuns (incluindo fotos) no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Segurar um carro de brinquedo e perguntar a criança “O que é isso?” e ela diz “Um carro” na
primeira tentativa. Quando apontando a um sapato e perguntando para a criança “O que é aquilo”, ella
responde “Sapato” na primeira tentativa.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tateia 25 itens quando testado.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele tateia 20 itens quando testado.
TATO 7M: Nomeia 3 diferentes exemplos de 5 itens. (ex: 3 diferentes carros)
OBJETIVO: Determinar se a criança aprendeu a generalizar através de estímulos estáticos (nomes/
substantivos).
MATERIAIS: Junte uma coleção de 3 variações de itens conhecidos pela criança.
EXEMPLOS: Após a criança aprender a tatear pequenos ônibus de plastico amarelos, teste para observar se
a resposta generalizou para outros itens que podem ser chamados de onibus, mas que sejam diferentes de
alguma forma (i.e., tamanhos diferentes, formatos, cores, figuras etc.).
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se os tatos que ele generaliza por 3 exemplos de 50 itens quando testado.
Uma lista de generalizações dominadas (conhecidas) pode ser usado se ele estiver disponível e o placar foi
de confiança (por exemplo, a lista de 300 nomes comuns de www.avbpress.com/downloads contém colunas
de generalização).

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



26

MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se seus tatos são generalizados por 3 exemplos de 25 itens quando
testado.
TATO 8M: Tateia 10 ações.
OBJETIVO: Determinar se a criança é capaz de tatear movimentos físicos quando pedido para fazer.
MATERIAIS: Use estímulos comuns que se movam no ambiente natural da criança ou invente-os em uma
situação de teste.
EXEMPLOS: Quando pulando para cima e para baixo e pergunte “O que eu estou fazendo?” e a criança diz
“Você está pulando”. Enquanto rola uma bola pergunte “O que eu estou fazendo?” e a criança deve dizer
“Rolando a bola”. Outros prompts verbais podem ser usados tal como “O que ele está fazendo?” ou “O que
está acontecendo?”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tateia 10 ações quando testado.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele tateia 5 ações quando testado.
TATO 9M: 50 combinações substantivo/verbo. (ex: lavando rosto; mulher correndo)
OBJETIVO: Determinar se a criança atende a nomes corretos de estímulos estáticos e estímulos em
movimento em uma tarefa (um estímulo de dois componentes e uma resposta de dois componentes).
MATERIAIS: Use verbos e nomes conhecidos.
EXEMPLOS: Quando apresentar um macaco de pelúcia que pula e um estímulo verbal tal como “O que
você vê?” a criança deve dizer “Um macaco pulando” ou “O macado está pulando”. Quando outra criança
está empurrando um caminhão de brinquedo e o avaliador apresenta um estímulo verbal “O que o Joey está
fazendo?” e a criança alvo diz “Empurrando o caminhão”. Quando a criança vê seu pai rindo e é perguntada
“O que ele está fazendo” a criança deve sabe responder “Meu pai está rindo”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele nomeia 50 relações de dois componentes substantivo-verbo (ou
verbo-substantivo), quando testado. Uma lista de (conhecidas) substantivo-verbo ou verbo-substantivo
combinações que ele dominam podem ser usadas se estiver disponível e for confiável.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele nomeia 25 relações substantivo-verbo (ou verbo-
substantivo) de dois componentes.
TATO 10M: 200 tatos (Nomeia 200 figuras).
OBJETIVO: Determinar se a criança continua a aprender e retém novos tatos.
MATERIAIS: Use livros, cenas, cartas com figuras e objetos e ações do ambiente natural.
EXEMPLOS: Quando segurar um sanduíche e perguntar a criança “O que é isso?” ela deve dizer “Um
sanduíche” na primeira tentativa. Quando o bebê está engatinhando pelo chão e a criança alvo é questionada
“O que ele está fazendo” a criança deve responder “Ele está engatinhando”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele nomear 200 itens e/ou ações quando testado. Uma lista com os nomes
e verbos que a criança conhece pode ser usado para essa medida (e.g., a lista de 240 palavras de Sundber &
Partington, 1998). Ademais, muitos livros de criança, tal como o Pictionary book, são ótimos recursos
porque eles contém figuras de centenas de itens e podem ser facilmente utilizadas para avaliar o repertório
de tato sem necessitar que a pessoa procure fotos individuais.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele nomear 150 itens e / ou ações quando testado.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

27

OUVINTE – NIVEL 2
OUVINTE 6M:
Em uma matriz a criança de 6 seleciona 40 figuras.
OBJETIVO: Determinar se a criança pode encontrar uma variedade incrivelmente maior de itens diferentes
em um conjunto maior quando comandada.
MATERIAL: Use figuras e/ ou itens comuns do ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Quando apresentado a uma coleção randomicamente posicionada de 6 figuras, dentre elas
uma cadeira, e é dado o estímulo verbal “Você pode achar a cadeira?” e a criança é capaz de selecionar uma
cadeira.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele identifica 40 itens em uma matriz confusa de 6 (isto é, não
alinhados), quando testado.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele identifica 25 itens em uma matriz confusa de 6 (isto é, não
alinhados), quando testado.
OUVINTE 7M: Arranjo de 8 seleciona 50 figuras.
OBJETIVO: Determinar se a criança aprendeu a generalizar tarefas de LD através de uma série de variações
do mesmo item.
MATERIAL: Junte uma coleção de 3 variações de itens conhecidos (livros de figuras podem ser utilizadas
contanto que o item alvo esteja em um conjunto de até pelo menos 8 itens).
EXEMPLOS: A criança é capaz de selecionar 3 carros diferentes (i.e., diferentes tamanhos, formas, cor,
material etc.) quando cada um deles é independentemente apresentados em um conjunto contendo 7 outros
itens.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele generaliza LDs por 3 exemplos de 50 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele generaliza LDs por 3 exemplos de 30 itens.
OUVINTE 8M: Executa 10 ações motoras. (Ex: Pula; Roda; Grita; Dança; Senta; Levanta; Deita;
Bate; Beija; Fala)
OBJETIVO: Determinar se a criança é capaz de desempenhar uma série de ações motoras diferentes quando
comandada, sem prompts imitativos.
MATERIAL: Uma lista de ações comuns.
EXEMPLOS: Quando um adulto diz “corra” a criança irá correr. Quando um adulto disser “Me mostre
como uma pessoa chora” a criança vai esfregar seus olhos como se estivesse para chorar. Quando um adulto
diz “Você pode bater seu pé?” e a criança bate seu pé.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele demonstra 10 ações no comando. Aproximações devem ser marcados
como corretos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele demonstra 5 ações no comando. Aproximações deve ser
marcado como correta.
OUVINTE 9M: Executa 50 ações motoras com 2 componentes. (ex: Bate os pés; Bate na mesa;
Levanta os braços)
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

28

OBJETIVO: Determinar se a criança segue corretamente instruções que contenham tanto um nome quanto
um verbo. É importante que a instrução seja dada como uma tarefa e que a resposta contenha duas partes
mas ocorra em apenas uma unidade de resposta (i.e., um estímulo de dois componentes e uma resposta de
dois componentes).
MATERIAL: Use verbos e nomes comuns.
EXEMPLOS: Quando apresentado com um conjunto de objetos em uma mesa (e.g., carro, canudo, giz de
cera, etc.) e um estímulo verbal “Me mostre o giz de cera rodando” e a criança é capaz de girar o giz sem
prompts adicionais.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele segue (LDS) 50 de dois componentes substantivo-verbo e / ou
instruções verbo-substantivo.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele segue (LDS) 30 de dois componentes substantivo-verbo e /
ou instruções verbo-substantivo.
OUVINTE 10M: Seleciona 250 itens. (Dis.Aut.Visual)
OBJETIVO: Determinar se a o vocabulário auditivo da criança está aumentando e se tornando mais
complexo. Adicionalmente, um objetivo é determinar se a criança está aprendendo a escanear conjuntos
visuais maiores e mais complexos (e.g., cenas e livros que contém estímulos similares).
MATERIAL: Use cenas, livros e configurações ambientais comuns.
EXEMPLOS: Quando ao olhar o livro Goodnight Moon o adulto diz “Boa noite luz. Você consegue achar a
luz?” e a criança consegue apontar para a luz no livro.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele seleciona 250 itens diferentes em um livro, cena imagem, ou do
ambiente natural quando chamado.
MEIO PONTO: Dê meio a ponto criança se ele seleciona 150 itens diferentes em um livro, cena imagem, ou
do ambiente natural quando chamado.

HABILIDADES VISUAIS PERCEPTIVAS E PAREAMENTO (VP-MTS) – NIVEL 2



VP-MTS 6-M: Parear objetos ou figuras idênticas em um conjunto bagunçado de 6, para 25 itens. (T)
OBJETIVO: Determinar se a habilidade da criança de parear itens idênticos está melhorando e se ele
consegue achar os itens pares está aumentando em relação a um conjunto de imagens mais complexas.
MATERIAL: Itens comuns encontrados no ambiente natural da criança e figuras de itens relevantes e
interessantes para a criança.
EXEMPLOS: Quando um adulto mostra a criança uma figura de um tigre a criança acha o tigre em uma
conjunto de 6 itens randomicamente alocados em uma mesa.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela consegue parear 25 objetos ou figuras idênticas em um conjunto
bagunçado de 6 (os itens não estão alinhados na mesa).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele consegue parear 15 objetos ou figuras idênticas em um
conjunto bagunçado de 4.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



29

VP-MTS 7-M: Ordene formatos e cores similares para 10 diferentes modelos dados de cores ou
formatos (e.g., foi dado bacias vermelhas, azuis e verdes e uma pila de ursos vermelhos, azuis e verdes
e a criança organiza conforme a cor) (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue ordenar cores e formatos que são idênticos e relacioná-los
com outros itens de cores e formatos idênticos sem nenhum prompt.
MATERIAL: Objetos de diferentes cores e formatos.
EXEMPLOS: Quando dado a criança uma amostra das quatro cores básicas e uma coleção diferente de aneis
coloridos, a criança organiza e relaciona cada anel colorido com a amostra da mesma cor. Quando dado uma
tábua com formatos e uma coleção de formatos diferentes, a criança consegue relacionar os tamanhos.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela organiza cores e formatos similares para 10 diferentes modelos de
objetos coloridos e objetos com formatos diferentes, mas sem outros prompts (outros que não sejam
“organize as cores” ou “organize os formatos”.)
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela organiza cores e formatos similares para 5 diferentes
modelos de objetos coloridos e objetos com formatos diferentes, mas sem outros prompts (outros que não
sejam “organize as cores” ou “organize os formatos”.)
VP-MTS 8-M: Parear objetos ou figuras idênticas em um conjunto desorganizado de 8 contendo 3
estímulos similares para 25 itens (e.g., relaciona cachorro com cachorro em um conjunto que também
contém um gato, porco e um pônei.).
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue achar itens pares e um conjunto visual que contém a
comparação de itens que parecem semelhantes ao item exemplo.
MATERIAL: Itens ou figuras comuns encontrados no ambiente natural da criança e itens comparativos que
parecem ser similares com o item de exemplo.
EXEMPLOS: Quando apresentado com um exemplo de uma colher, o adulto coloca uma faca, garfo, colher
e um canudo em um arranjo desorganizado para comparar com pelo menos dois itens a mais.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele consegue relacionar objetos ou figuras idênticas e um conjunto
desorganizados de 6 contendo 3 estímulos similares, com 25 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele consegue relacionar objetos ou figuras idênticas e um
conjunto desorganizados de 6 contendo 3 estímulos similares, com 15 itens.
VP-MTS 9-M: Parear objetos ou figuras diferentes em um conjunto bagunçado de 10, para 25 itens
(e.g., pareia um caminhão da ford e um caminhão da toyota). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pareia itens diferentes em um conjunto grande que contém até 3 itens
para comparação, sendo estes similares ao item de exemplo. Essa tarefa requere um repertório maior de
análise e discriminação do que as tarefas anteriores.
MATERIAL: Uma coleção de itens e figuras encontrados no ambiente natural da criança e itens para
comparação que são similares ao item de exemplo.
EXEMPLOS: Após colocar até 10 figuras na mesa que incluem um caminhão de cimento, um ônibus
vermelho, um caminhão de bombeiros e um carro Honda branco, dando a figura de um Chevy 1957 e um
prompt verbal tal como “Você pode relacionar a partir desse?” e a criança seleciona o carro da honda branco
do conjunto comparativo.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



30

1 PONTO: Dê meio ponto se a criança relaciona figuras ou objetos diferentes em um conjunto de 10
contendo 3 estímulos similares, por 25 itens.
MEIO PONTO: Dê 1 ponto se a criança relaciona figuras ou objetos diferentes em um conjunto de 10
contendo 3 estímulos similares, por 15 itens.
VP-MTS 10-M: Parear objetos (3D) com figuras (2D) diferentes e/ou vice-versa e um conjunto
desorganizados de 10, contendo 3 estímulos similares para 25 itens.
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue parear itens através das dimensões.
MATERIAL: Uma coleção de itens e figuras encontrados no ambiente natural da criança e itens para
comparação que são similares ao item de exemplo.
EXEMPLOS: Após colocar até 10 figuras na mesa, 3 dos quais são redondos e vermelhos (e.g., uma bola
vermelha, um tomate vermelho e uma maça vermelha), dar a criança uma maça vermelha de plástico e dizer
“Você consegue dizer qual é igual?” e a criança seleciona a figura da maça do conjunto comparativo.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela consegue parear objetos (3D) com figuras (2D) diferentes e/ou vice-
versa e um conjunto desorganizados de 10, contendo 3 estímulos similares para 25 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela consegue parear objetos (3D) com figuras (2D) diferentes
e/ou vice-versa e um conjunto desorganizados de 10, contendo 3 estímulos similares para 15 itens.

BRINCAR INDENPENDENTE – NIVEL 2

BRINCAR 6-M: Procurar por um brinquedo, pela parte de um brinquedo ou de um conjunto que
esteja faltando para 5 itens ou conjuntos (e.g., peça de quebra-cabeça, uma bola de um brinquedo
drop-in ou uma mamadeira para uma boneca). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança demonstra motivação (tem uma OM) para itens perdidos e age com
motivação enquanto brinca com o objeto.
MATERIAL: Itens ou brinquedos que tenham uma variedade de pares e que a criança tenha demonstrado
interesse no passado.
EXEMPLOS: Quando dado um brinquedo que a criança gosta, tal como o Sr Cabeça de Batata, sem uma das
partes, a criança olha em volta procurando a parte? Ou quando dado um frasco para fazer bolhas de sabão
sem a varinha, a criança procura em volta pela varinha?
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela ativamente e independentemente procura pelo brinquedo ou parte
perdido para 5 itens ou conjuntos quando os itens foram movidos ou naturalmente estão sumidos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela ativamente e independentemente procura pelo brinquedo ou
parte perdido para 2 itens ou conjuntos quando os itens foram movidos ou naturalmente estão sumidos.
BRINCAR 7-M: Independentemente demonstra o uso de brinquedo ou objetos de acordo com a sua
função para 5 itens (e.g., colocando o trem nos trilhos, empurrando um vagão, segurando um telefone
na orelha). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança aprendeu que brinquedos ou objetos particulares tem funções ou usos
particulares.
MATERIAL: Brinquedos ou itens familiares na casa da criança ou no ambiente escolar.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

31

EXEMPLOS: Quando dado uma escova de cabelo a criança tenta começar a pentear o cabelo? Quando dado
um carro a criança começa a empurra-lo? Quando dado um chapéu a criança tenta colocá-lo?
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela independentemente demonstra o uso de brinquedo ou objetos de
acordo com a sua função para 5 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela independentemente demonstra o uso de brinquedo ou
objetos de acordo com a sua função para 2 itens.

BRINCAR 8-M: Brinca com itens do dia-a-dia de maneiras criativas 2 vezes (e.g., usar uma bacia
como um tambor ou uma caixa como um carro imaginário). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança está generalizando suas habilidades de brincar demonstrando
atividades de brincar de uma maneira criativa ou imaginativa com objetos diferentes.
MATERIAL: Brinquedos ou itens encontrados na casa da criança ou no ambiente escolar.
EXEMPLOS: A criança coloca folhas ou gravetos em um carrinho de compras. A criança coloca animais de
fazenda em um copo.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela brinca com itens do dia-a-dia de maneiras criativas 2 vezes (com
exceção de se estimular com um brinquedo).
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela brinca com 1 item de maneira criativa.
BRINCAR 9-M: Independentemente engaja em brincadeiras em estruturas ou equipamentos de
playground por um total de 5 minutos (e.g., descendo em um escorregador, se balançando). (TO: 30
min.)
OBJETIVO: Determinar se a criança gosta de se envolver em atividades físicas envolvendo estruturas ou
playgrounds apropriados para sua idade.
MATERIAL: Playgrounds e equipamentos relacionados.
EXEMPLOS: A criança desce de um escorregador, sobe por túneis, se balança em barras, pula em pontes de
cordas, etc.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela engaja em brincadeiras em estruturas ou equipamentos de playground
por um total de 5 minutos em uma observação de 30 minutos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela engaja em brincadeiras em estruturas ou equipamentos de
playground por um total de 2 minutos em uma observação de 30 minutos.
BRINCAR 10-M: Junte brinquedos que possuem partes múltiplas para 5 diferentes conjuntos de
materiai (e.g., Sr. Cabeça de Batata, conjuntos de pessoas pequenas, Kid K’Nex). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança brinca com itens que tem múltiplas partes e pode apropriadamente
juntar essas partes.
MATERIAL: Brinquedos ou itens comuns encontrados na casa da criança ou no ambiente escolar.
EXEMPLOS: Conjuntos de trens, veículos e garagens de carros, conjunto de pequenas pessoas, bonecas e
casas de bonecas, conjuntos de chá, animais de fazenda, etc.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



32

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele independentemente constroi ou junta brinquedos ou outros itens de
brincar e faz isso por 5 diferentes conjuntos de materiais.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele independentemente constroi ou junta brinquedos ou outros
itens de brincar e faz isso por 2 diferentes conjuntos de materiais.

COMPORTAMENTO SOCIAL E O BRINCAR SOCIAL- NIVEL 2

SOCIAL 6-M: Inicia uma interação física com um par 2 vezes (e.g., o empurra em um vagão, segura
as mãos). (TO: 30 min)
OBJETIVO: Determinar se uma criança inicia uma interação com outras criança sem prompts de adultos.
Esse interação pode ser não verbal ou verbal.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade.
EXEMPLOS: No playground a criança alvo espontaneamente marca um par após terem iniciado um jogo de
marcar os organizadores ou pares.
1 PONTO: Dê a crianç 1 ponto se ela inicia interação com um par duas vezes durante uma observação de 30
minutos. Note que iniciações sem prompts podem ocorrer primeiramente com eventos negativos, tal como a
criança empurra a outra criança da bicicleta em função dela mesma andar na bicicleta. Entretanto, não
pontue iniciações do tipo negativo.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela inicia uma interação com 1 par durante uma observação de
30 minutos.
SOCIAL 7-M: Espontaneamente emite mandos a pares 5 vezes (e.g., minha vez, me empurre, olhe!,
vamos lá!). (TO: 60 min.)
OBJETIVO: Determinar se uma criança vai emitir mandos para um par sem prompt de um adulto. O mando
pode ser de qualquer tipo.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade na casa da criança ou na escola.
EXEMPLOS: Quando a criança alvo está sentada em um vagão e ele emite um mando a um par “me
empurre” sem prompt de adultos. Quando sentado em uma mesa de artes, a criança alvo emite um mando
para um par “Olhe” e o mostra seu projeto. Emitir mandos a crianças inclui também mandos para remover
itens ou atividades indesejáveis, tal como emitir um mando para que um par pare uma determinada atividade
ou comportamento.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela espontaneamente emite 2 tipos diferentes mandos a pares 5 vezes
durante uma observação de 1 hora.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela espontaneamente emite mandos a pares 2 vezes durante
uma observação de 1 hora.
SOCIAL 8-M: Engaja em uma brincadeira social com pares por 3 minutos sem prompts adultos ou
reforçamento. (e.g., cooperativamente ele se organiza para brincar) (TO: 30 min)
OBJETIVO: Determinar se a criança vai brincar independentemente com pares por um período prolongado
de tempo em qualquer tipo de atividade que envolva interação específica verbal ou não verbal entre as
crianças.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



33

MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade na casa da criança ou na escola.
EXEMPLOS: A criança alvo e um par estão atacando balões de água um no outro e enchendo novos balões
em uma fonte. A criança alvo e um par estão brincando em uma playhouse e fingindo que estão em uma
janta. A criança alvo e o par estão trabalhando em um edifício de Lego juntas.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela engaja em brincadeiras sociais com pares por 5 minutos sem prompts
durante uma observação de 30 minutos. Deve existir uma interação verbal ou não verbal para que seja dado
uma pontuação. Não dê pontos nesse nível apenas pela simples participação na atividade (e.g., assistir um
vídeo) quando os pares estão perto; isso pode parecer mais uma brincadeira paralela.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela engaja em brincadeiras sociais com pares por 2 minutos sem
prompts durante uma observação de 30 minutos
SOCIAL 9-M: Responde espontaneamente a mandos de pares 5 vezes (e.g., me puxe em um vagão.
Eu quero o trem). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança está aprendendo a atender ao conteúdo do comportamento verbal de
pares. Uma demonstração inicial dessa habilidadeé a habilidade da criança de corretamente responder a
mandos de pares sem prompts de adultos.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade na casa da criança ou na escola.
EXEMPLOS: Um par pede a criança alvo a tesoura durante um projeto de arte e a criança alvo entrega a
tesoura sem prompt de adultos. Um par diz “me de o caminhão de bombeiros” e a criança alvo da o
caminhão. Um par diz a criança alvo para empurra-lo em um vagão e a criança alvo empurra.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela espontaneamente responde a, pelo menos, 2 mandos diferentes de
pares 5 vezes durante uma observação ou testagem. Não pontue caso um adulto tenha que fornecer qualquer
tipo de prompt.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela espontaneamente responde mandos de pares 2 vezes durante
uma observação ou testagem
SOCIAL 10-M: Espontaneamente emite mandos a pares para participar de jogos, brincadeiras
sociais, etc., duas vezes (e.g., Vamos lá galera. Vamos cavar um buraco.). (TO: 60 min.)
OBJETIVO: Determinar se uma criança pergunta a outra criança para se junta a ela em uma atividade.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade na casa da criança ou na escola.
EXEMPLOS: A criança alvo diz a um par “Venha jogar comigo.”, “Você quer ir à playhouse?”, “Vamos ser
monstros!”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente emite mandos a pares para participar de jogos,
brincadeiras sociais ou outras atividades sociais 2 vezes durante a observação de 1 hora.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite mandos a pares para participar de
jogos, brincadeiras sociais ou outras atividades sociais 1 vez durante a observação de 1 hora.

IMITAÇÃO MOTORA- NIVEL 2

IMITAÇÃO 6-M: 10 ações (Imitações) que requer a utilização e seleção com objeto. (Vários objetos
na mesa, treinador pega um e pede a imitação).
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

34

OBJETIVO: Determinar se a criança imita um comportamento motor particular com um objeto particular.
Além disso, existem duas tarefas envolvendo ambos dos quais requerem atender, discriminar e imitar. O
objetivo é construir os repertórios básicos necessários para imitar outras pessoas (especialmente outras
crianças) durante a brincadeira, interações sociais e atividades acadêmicas. Esse tipo de imitação começa
também a construir habilidades motoras necessárias para comportamentos que envolve nome/ verbo de
ouvinte (e.i., ações motoras executadas com objetos a partir de comandos verbais , por exemplo “gire a
roda”.)
MATERIAL: Uma lista de possíveis ações e uma coleção de objetos do ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Bebendo, beijando, abraçando, rolando, espirrando, comendo, voando, se escondendo,
girando, empurrando, se vestindo, subindo, voando e acenando.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele imita 10 ações diferentes com um objeto que coincide com os adultos
objeto selecionado a partir de uma matriz de 3 quando solicitado, "Faça isso".
MEIO PONTO: Dê o meio ponto a criança se ele imita 5 ações diferentes com um objeto que coincide com
os objtvos selecionados pelo adulto a partir de uma matriz de 3 quando solicitado, tal como "Faça isso".
IMITAÇÃO 7-M: 20 ações (Imitações) fina. (por exemplo, mexendo os dedos das mãos, mexer o dedo
dos pés, beliscar, fazendo uma borboleta com as mãos, língua para fora, dedo no nariz, encaixar
blocos, segurar lápis, segurar chave, segurar tesoura, piscar os olhos, puxar os olhos (japones),
mandar beijo, pegar moeda na carteira.
OBJETIVO: Determinar se o comportamento motor imitativo e fino da criança está se tornando mais forte e
generalizado.
MATERIAL: Uma lista de possíveis comportamentos motores finos e imitativos.
EXEMPLOS: Dedos em garras, apontar para itens, mostrar com o dedo indicador, fechar as mãos, tocar a
ponta dos dedos, segurar o número 2, imaginar que estivesse andando sob dois dedos, fazer orelhas de
coelho com as mãos, fazer letras com os dedos, fazer sinais a partir de linguagem de sinais.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele imita 20 ações motoras finas diferentes quando solicitado, "faça
isso".
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele imita 10 ações motoras finas diferentes quando solicitado,
"faça isso".
IMITAÇÃO 8-M: 10 sequência de 3 movimentos. (Bate as mãos, Bate os pés e Roda a cabeça, depois
dos 3 movimento, faz a imitação)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode imitar múltiplos comportamentos em um contexto criado ou
natural.
MATERIAL: Sem materiais em especial
EXEMPLOS: Um adulto bate em seu joelho, ombros e na barrigam e a criança copia os três
comportamentos como uma sequência. Um adulto pega o controle remoto e aponto para a TV, apertando os
botões e a criança copia esse comportamento com outro controle que está em cima de uma mesa.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele imita 10 ações de três componentes em ambientes artificiais ou
naturais modelados por um colega ou um adulto.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



35

MEIO PONTO: Dê meio ponto criança se ele imita 5 ações de três componentes em ambientes artificiais ou
naturais modelados por um colega ou um adulto. (10 AÇÕES DE 2 SEQUENCIA)
IMITAÇÃO 9-M: Imita espontaneamente 5 ações funcionais do ambiente. (Ex: comer com uma
colher, colocar um casaco, tirar os sapatos, pentear o cabelo, enxugar as mãos).
OBJETIVO: Determinar se a criança imita comportamentos funcionais e um contexto natural sem prompts
de outras pessoas.
MATERIAL: Nenhum material específico é necessário
EXEMPLOS: Após observar uma criança pegar uma tigela para colocar um lanche, a criança alvo copia o
comportamento pegando uma tigela para si mesma. Quando um adulto empurra um cobertor por cima de si
mesmo, a criança também puxa seu cobertor.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente imita 5 habilidades funcionais no ambiente natural.
MEIO PONTO: Dê meio ponto criança se ele espontaneamente imita 2 habilidades funcionais no ambiente
natural.
IMITAÇÃO 10-M: Imita qualquer coisa.
OBJETIVO: Determinar se a criança adquiriu a habilidade de imitar com sucesso (ou aproximadamente)
novos movimentos ou atividades sem um treino específico em cada um deles. Essa habilidade é valiosa e é
identificada como um “repertório imitativo generaizado” na literatura comportamental.
MATERIAL: Nenhum material especial
EXEMPLOS: Um adulto e uma criança ambos com tacos de beisebol e o adulto modela como acertar a bola
e a criança tenta imitar o adulto acertando a bola na primeira tentativa. Um par coloca seu pé para cima de
uma mesa e a criança alvo copia o comportamento.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança imita (ou aproxima) muitas ações motoras novas com e/ou sem objetos
modelados por um adulto quando solicitado com "Faça isso".
MEIO PONTO: Nenhum.

SUBTESTE ECÓICO (EESA) - NIVEL 2


pelo menos 50 no subteste do EESA (pelo menos 20 do grupo 2). (T)
ECÓICO 6-M: Pontuar
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue ecoar mais palavras completas, algumas das quais contendo
2 sílabas.
MATERIAL: O subteste EESA.
EXEMPLOS: A criança ecoa “macaco”, “janela” e “aberto” quando testada.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela pontuar 50 no subteste EESA (20 do grupo 2).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela pontuar 40 no subteste EESA (15 do grupo 2).
ECÓICO 7-M: Pontuar pelo menos 60 no subteste do EESA.
OBJETIVO: Determinar se a criança continua a demonstrar um repertório ecóico mais complexo.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



36

MATERIAL: O subteste EESA.
EXEMPLOS: A criança ecoa “banana”, “eca” e “vai, tchau, tchau” quando testada.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela pontuar 60 no subteste EESA.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela pontuar 55 no subteste EESA.
ECÓICO 8-M: Pontuar pelo menos 70 no subteste do EESA.
OBJETIVO: Determinar se a criança continua a demonstrar um repertório ecóico mais complexo.
MATERIAL: O subteste EESA.
EXEMPLOS: A criança ecoa “Ei, eu também!”, “Ursinho Teddy” e “Bate aqui!” quando testada.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela pontuar 70 no subteste EESA.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela pontuar 65 no subteste EESA.
ECÓICO 9-M: Pontuar pelo menos 80 no subteste do EESA.
OBJETIVO: Determinar se a criança está começando a demonstrar a habilidade de ecoar palavras com 3
sílabas. Além disso, determinar se a criança é capaz de ecoar propriedades dinâmicas da fala tal como o
volume ou prosodia.
MATERIAL: O subteste EESA.
EXEMPLOS: A criança ecoa “Ganhei um brinquedo”, “Um biscoito” e “Bate aqui!” quando testada.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela pontuar 80 no subteste EESA.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela pontuar 75 no subteste EESA.
ECÓICO 10-M: Pontuar pelo menos 90 no subteste do EESA (pelo menos 10 do grupo 4 e 5).
OBJETIVO: Determnar se a criança está alcançando a aquisição de um repertório ecóico generalizado no
qual ele pode ecoar ou aproximar a maioria das palavras novas ou frases curtas. Também determinar se a
criança está se tornando competente em ecoar a partir de propriedades dinâmicas da fala, tal como volume
ou prosódia.
MATERIAL: O subteste EESA.
EXEMPLOS: A criança ecoa sussurros e ecoa um berro contínuo quando testada
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela pontuar 90 no subteste EESA (10 do grupo 4 e 5).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela pontuar 85 no subteste EESA (10 do grupo 4 e 5).

RESPOSTA DO OUVINTE DE ACORDO COM FUNÇÃO, CARACTERÍSTICA E CLASSE


(LRFFC) – NIVEL 2

LRFFC 6-M: Selecionar 5 diferentes comidas ou bebidas quando ambos são apresentados em um
conjunto de 5 (junto com 4 itens que não sejam de comer ou beber) e é perguntada verbalmente “Você
come...” e “Você bebe...” (T)

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



37

OBJETIVO: Determinar se a criança identifica comida ou bebida sem dizer o nome desses alimentos, mas
em vez disso por comunicar verbalmente a classe da qual o item pertence. “Comer” e “beber” são usados
nesse nível inicial do LRFFC apenas porque existe uma motivação forte ligadas a essas atividades. De outro
modo, as classes tendem a ser mais difíceis e não estão incluídas no programa até o desenvolvimento mais
tardio de certos aspectos do LRFFC.
MATERIAL: Utilize comidas e bebidas que a criança gosta. Figuras desses itens podem funcionar para
muitas crianças. Além disso, itens distratores que não são comidas ou bebidas devem ser coletados e
apresentados no conjunto.
EXEMPLOS: Dado o conjunto dos 5 itens, um dos quais é uma comida e os outros são itens comuns de
casa, o adulto diz “Você come...”e a criança seleciona o biscoito (ou sanduíche, crackers, banana, etc.).
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ele corretamente selecionar 5 comidas ou bebidas diferentes quando cada
uma é apresentada em um conjunto de 5 itens e um adulto dá o prompt verbal “você come...” e “você
bebe...”.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele corretamente selecionar 2 comidas ou bebidas diferentes
quando cada uma é apresentada em um conjunto de 5 itens e um adulto dá o prompt verbal “você come...” e
“você bebe...”.
LRFFC 7-M: Seleciona o item correto em um conjunto de 8, para 25 diferentes colocações de
qualquer tipo “e.g., Você senta no...”. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode identificar itens sem que o adulto diga o nome do item, mas o
descrevendo de alguma forma. A tarefa atual foca na habilidade da criança de identificar um item específico
por verbalmente afirmar a ação (verbo) associado com o item em um formato “preencha as lacunas”.
Frequentemente, a ação constitui um exemplo da função de um item (e.g., uma cadeira é para sentar).
MATERIAL: Use objetos conhecidos ou figuras (e.g., itens que a criança já pode tatear e LD) que
correspondam com as afirmações do alvo no LRFFC e a coleção de itens distratores no conjunto. Figures
tendem a ser muito mais fácil de manejar nas tarefas do LRFFC e mais fáceis de se procurar mais exemplos
dos itens.
EXEMPLOS: “Você dorme em” ...cama; “você sobe em uma”... escada; “você bate a”... bola; “você nada
em uma”... piscina; “você viaja em um”... carro; “você gira um”... peão; “você estoura um”... balão; “você
pula em um”... trampolim.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela corretamente seleciona o item de um conjunto de 8, para 25 itens
diferentes em afirmações de preencha as lacunas do LRFFC.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela corretamente seleciona 12 desse tipo na tarefa do LRFFC.
LRFFC 8-M: Seleciona corretamente o item de um conjunto de 10 (ou de um livro), para 25
diferentes perguntas que envolvem “o que”, “qual” e “quem” (e.g., O que você dirige? Qual deles
late? Quem pode pular?”. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode identificar um item específico sem o adulto nomear o item, mas
por verbalmente afirmar a função, característica ou classe do item em um formato de pergunta “o que”,
“qual” e “quem”.
MATERIAL: Uma coleção de figuras ou objetos conhecidos e que correspondem com afirmações do
LRFFC e uma lista de verbos conhecidos e correspondentes.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



38

EXEMPLOS: “O que você veste?”... camiseta; “Quem o leva para a escola?”... mamãe; “Qual pode voar?”...
pássaro; “Quem é o amigo do Patrick?”... Bob Esponja; “Qual deles você empurra?”... carrinho.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele corretamente seleciona o item de um conjunto de 10 de um livro para
25 diferentes questões do LRFFC.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela corretamente seleciona 12 desse tipo na tarefa do LRFFC.
LRFFC 9-M: Seleciona um item dado em 3 diferentes formas de afirmações sobre cada item quando
ele é apresentado independentemente (e.g., Procure um animal. Qual late? Qual tem patas?) para 25
itens. (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode demonstrar generalização de estímulos selecionando o mesmo
item alvo quando dado diferentes afirmações sobre o mesmo item. Isso também remete para o
estabelecimento de classes de estímulos verbais. É importante que essa habilidade seja testada através de
uma variedade de itens (e.g., animais, roupas, comida, veículos, etc.) para garantir que a generalização do
estímulo esteja ocorrendo.
MATERIAL: Uma coleção de objetos e figuras conhecidas que correspondam com pelo menos 3 diferentes
afirmações.
EXEMPLOS: “O que pode voar?”... avião; “O que tem asas?”... avião; “Como você chegou aos seus
avós?”... de avião.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela corretamente seleciona o item de um conjunto de 10 ou de um livro,
por 3 diferentes afirmações de 25 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela corretamente seleciona o item de um conjunto de 10 ou de
um livro, por 3 diferentes afirmações de 12 itens.

LRFFC 10-M: Espontaneamente tateia o item em 50% dos testes do LRFFC (e.g., diz cachorro dado
a instrução verbal procure o animal, e um conjunto visual contendo a figura de um cachorro.) (O)
OBJETIVO: Determinar se a questão verbal junto com o objeto no conjunto irá evocar uma resposta sem
que o adulto apresente o prompt para a criança tatear o item. Este é um passo importante no progresso do
comportamento intraverbal. Se a criança espontaneamente começa a tatear o item no conjunto em um
formato do LRFFC, é uma boa indicação de que ele está pronto para um treinamento intraverbal mais
intenso.
MATERIAL: Nenhum material novo é preciso para avaliar essa habilidade.
EXEMPLOS: Diga “lancheira” quando perguntado, “Onde está seu sanduíche” na presença de uma
lancheira em um conjunto de 10 itens.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela espontaneamente emite tatos para o itens alvo em 50% dos testes do
LRFFC. Algumas crianças podem rapidamente começar a tatear o item dado a alguns prompts verbais. Dê
crédito a criança se ela continuar a emitir tatos dos itens após os prompts tenham sido interrompidos e faz
isso pelo menos em 50% do tempo nos testes futuros.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela espontaneamente emite tatos para o itens alvo em 25% dos
testes do LRFFC, ou se ele emitir tatos em 50% dos testes, mas sempre precisando de um prompt no início
de cada sessão do LRFFC.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



39

INTRAVERBAL – NIVEL 2
6-M: Completar 10 diferentes espaços em branco de musicas.
INTRAVERBAL
OBJETIVO: Determinar se palavras específicas evocam palavras relacionadas sem a presença de objetos ou
prompts ecóicos. Em resumo, comportamentos intraverbais consistem em palavras controladas por outras
palavras, não palavras controladas por objetos ou ações (tatos), ou palavras controladas por motivação
(mando). Entretanto, na avaliação precoce do desenvolvimento intraverbal é comum ver a motivação
compartilhar controle com estímulos verbais. Por exemplo, a resposta “vai” para, “pronto, preparar...”
podem ser também parte de mando (e.g., a criança quer ser pega), mas isso está okay nesse ponto no
desenvolvimento intraverbal e a criança deve ser recompensada para o seu tipo de resposta intraverbal.
MATERIAL: Uma lista de sons em potencial comuns ou frases divertidas, sons de animais, sons de objetos
comuns e outras associaçõe verbais relevantes para as crianças.
EXEMPLOS: “Cabeça, ombro joelho e...”, “O velho McDonald tinha um...”, “A ovelha diz...”, “Um
caminhão de bombeiros faz...”, “Preparar, apontar...”, “Sobe e...”, “Mamãe e...”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele preenche as palavras que faltam para 10 músicas diferentes,
atividades divertidas, sons de animais, brinquedos ou objeto de sons, ou quaisquer outras associações
verbais.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele preenche as palavras que faltam para 5 músicas diferentes.
INTRAVERBAL 7-M: Responde: Qual é o seu nome?
OBJETIVO: Determinar se a criança pode fornecer seu próprio nome quando perguntado para o fazer
MATERIAL: Nenhum
EXEMPLOS: Nenhum
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele pode dizer o nome dele quando perguntado sem prompts ecóicos.
Não dê nenhum ponto se identifica todos pelo seu nome.
MEIO PONTO: Nenhum.
INTRAVERBAL 8-M: Completa 25 frases (não vale musicas).
OBJETIVO: Determinar se palavras específicas evocam palavras relacionadas sem a presença de qualquer
objeto, prompts ecóicos ou variáveis motivacionais (outros além da atenção geral).
MATERIAL: Uma lista de potenciais frases com espaços em branco e comuns a criança.
EXEMPLOS: “Você dorme na... Toma banho no... A mamãe chama... O papai chama... Você assiste...Você
estuda na... Você mora na... Você come... Você veste... Você calça... O nome da vovó é... Você gosta de...
Você se enxuga com... Você bebe no... O nome da tia é... Você senta na... Você faz xixi no... Você escreve
no... Você apaga com a... O fogão faz... Você anda com as...”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele preenche as palavras que faltam a partir de 25 diferentes frases,
associações, provérbios comuns, ou atividades diárias fora de contexto.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança e ele preenche as palavras que faltam a partir de 12 diferentes
frases.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



40

INTRAVERBAL 9-M: Responde 25 perguntas com “O que”.
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue responder questões comuns de “O que” quando elas são
apresentadas fora de um contexto visual e sem uma variáveis motivacional específica relacionada com a
resposta.
MATERIAL: Uma lista com questões possíveis de “O que”.
EXEMPLOS: “O que você bebe? O que você assiste? O que você come? O que você faz na escola? O que
você gosta de comer? O que você gosta de beber? O que você gosta de fazer? O que você veste? O que você
calça? O que você faz na cama? O que você faz no banheiro? O que tem na geladeira? O que você faz com o
tablet?”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele responde 25 perguntas diferentes "O que?" sem prompt ecóico e sem
a presença do objeto relevante.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele responde 12 perguntas diferentes.
INTRAVERBAL 10-M: Responde 25 perguntas (Quem e Onde).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode responder questões perguntando pelo nome de uma pessoa ou
personagem ou para o local de item se prompts ecóicos.
MATERIAL: Uma lista com questões potenciais de “Quem” e “Onde”.
EXEMPLOS: “Quem é o seu amigo? Onde está o tablete? Onde está o sabonete? Quem dorme na casa?
Quem vai para escola? Onde esta o cachorro? Onde está o carro? Quem é sua mãe? Quem é o seu pai?
Quem gosta de bolo de chocolate? Onde está o chuveiro? Onde tem pão? Onde está o refrigerante? Quem
vai na praia? Quem gosta da vovó? Onde está a cama? Onde está a roupa? Quem come bala?”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele responde 25 diferente "quem" e "onde" perguntas sem prompts
ecóicos, para a presença do objeto (deve ter pelo menos 8 de cada).
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele responde 12 perguntas diferentes de "quem" ou "onde"
perguntas (note-se todos são ou "o que" ou "onde").

ROTINAS DE SALA DE AULA E HABILIDADES DE GRUPO – NIVEL 2



GRUPO 6-M: Senta para comer ou almoçar com um grupo sem comportamentos negativos por 3
minutos. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança vai cumprir com as instruções de sentar na mesa com um grupo de
outras crianças e ficará na mesa por um período de tempo definido.
MATERIAL: Cadeiras e mesas de sala de aula e itens do lanche ou do almoço.
EXEMPLOS: Quando pedido para sentar à mesa, enquanto o adulto aponta para a mesa, a criança irá sentar
e ficar lá por 3 minutos sem qualquer outros prompts do adulto pedindo que ela permaneça sentada.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela senta para comer ou almoçar com um grupo com prompts verbais e
gestuais sem apresentar comportamentos negativos por 3 minutos. Ele pode obedecer ao prompt de se
sentar, mas deve se manter sentado por 3 minutos sem que o adulto tenha que emitir outro prompt para que
ela sente.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



41

MEIO PONTO: De 1 ponto a criança se ela senta para comer ou almoçar com um grupo com prompts
verbais e gestuais sem apresentar comportamentos negativos por 1 minuto.
GRUPO 7-M: Deixa de lado itens pessoais, arruma os brinquedos e vem para a mesa com apenas 1
prompt verbal. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue cumprir com instruções gerais de sala de aula sem prompts
excessivos.
MATERIAL: Materiais padrões de sala de aula tais como cadeiras, mesas, raques, etc.
EXEMPLOS: Quando pedido para entrar na fila a criança entrará na fila com as outras crianças. Quando
pedido “coloque seu lanche no seu cubículo” e ela o fará.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela coloca de lado a mochila, casaco ou almoço, entra na fila e vem para
a mesa quando obedece a um prompt de um adulto apenas uma vez.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela coloca de lado a mochila, casaco ou almoço, entra na fila e
vem para a mesa, mas isso necessitando de 2 prompts ou mais.
GRUPO 8-M: Transições entre atividades de sala de aula com não mais do que 1 gesto ou prompt
verbal. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança vai mover de uma atividade para outra sem prompts excessivos ou sem
emitir comportamentos negativos.
MATERIAL: Material padrão de sala de aula.
EXEMPLOS: Quando pedido para ir ao círculo com o grupo, a criança irá.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela transita até pelo menos 80% do tempo entre atividades de sala de aula
com apenas 1 gesto e/ ou 1 prompt verbal e sem comportamentos negativos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela transita até pelo menos 80% do tempo entre atividades de
sala de aula, mas isso necessitando de 2 prompts ou mais de qualquer tipo (exceto físico).
GRUPO 9-M: Senta em um grupo pequeno por 5 minutos sem emitir um comportamento disruptivo
ou com uma tentativa de sair do grupo. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança irá, pelo menos passivamente, participar de um círculo com o grupo
por um curto período de tempo.
MATERIAL: Material padrão de sala de aula.
EXEMPLOS: Quando em um grupo circular a criança senta sem ficar se levantando, empurrando sua
cadeira para fora do grupo, caindo no chão ou correndo.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela senta com o grupo em círculo com 3 ou mais crianças por 5 minutos
sem apresentar comportamento disruptivo ou com uma tentativa de sair do grupo.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela senta com o grupo em círculo com 3 ou mais crianças por 2
minutos sem apresentar comportamento disruptivo ou com uma tentativa de sair do grupo.
GRUPO 10-M: Senta em conjunto com um grupo pequeno por 10 minutos, atende ao professor ou
usa o material por 50% do período e responde a 5 SD’s do professor. (O)

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



42

OBJETIVO: Determinar se a criança irá atender as atividades que estão ocorrendo em um grupo e responde
aos SD’s apresentados pelo professor para uma criança ou para o grupo todo.
MATERIAL: Material padrão de sala de aula.
EXEMPLOS: Quando em um círculo grupal e a criança faz contato visual com o professor ou com o
material que ela está apresentando. Quando o professor diz “Sarah escolha uma música”, Sarah irá na frente
do grupo e selecionar uma música de um conjunto de cartões, sem prompts adicionais.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele senta em uma atividade de grupo (e.g., círculo, artes e criações) com
3 ou mais crianças por 10 minutos e atenda ao professor ou aos materiais apresentados 50% do período
(usando um sistema de gravação simples) e responde a 5 questões ou instruções do professor.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele senta em uma atividade de grupo (e.g., círculo, artes e
criações) com 3 ou mais crianças por 10 minutos e atenda ao professor ou aos materiais apresentados 33%
do período (usando um sistema de gravação simples) e responde a 2 questões ou instruções do professor.

ESTRUTURA LINGUÍSTICA – NIVEL 2


LINGUÍSTICA 6-M: A articulação de 10 tatos podem ser entendidos por adultos familiares que não
podem ver o item tateado. (T)
OBJETIVO: Determinar se os adultos podem entender as palavras faladas quando o adulto não pode ver os
itens que a criança está tateando.
MATERIAL: Itens que a criança pode tatear.
EXEMPLOS: Quando 1 adulto segura um cartão com uma figura e pergunta a criança para tatear aquele
item e um segundo adulto, sem ver a figura, pode entender a palavra emitida pela criança.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se um adulto familiar que não pode ver o item tateado pode entender a sua
articulação por 10 tatos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se um adulto familiar que não pode ver o item tateado pode
entender a sua articulação por 5 tatos.
LINGUÍSTICA 7-M: Tem um vocabulário de escuta de 100 palavras (e.g., toque no nariz, pule, ache
as chaves.) (T).
OBJETIVO: Determinar se o vocabulário de ouvinte da criança está crescendo.
MATERIAL: Itens e atividades comuns e apropriadas para a idade.
EXEMPLOS: Quando o adulto pede para a criança “Você pode achar o caminhão de bombeiros?” e a
criança toca no caminhão em uma figura contendo vários outros veículos.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tem um vocabulário total de 100 palavras demonstrado por
selecionar um item de um conjunto de 5 ou desempenhando uma ação específica.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele tem um vocabulário total de 50 palavras demonstrado por
selecionar um item de um conjunto de 5 ou desempenhando uma ação específica.
LINGUÍSTICA 8-M: Emite 10 enunciados de 2 palavras por dia de qualquer tipo (e.g., mando, tato)
exceto ecóico. (O)

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



43

OBJETIVO: Determinar se a criança está colocando 2 ou mais palavras juntas em uma única frase ou
sentença.
MATERIAL: Sem materiais particulares.
EXEMPLOS: A criança emite o tato “tchau mamãe” ou o mando “grande biscoito!”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele emite 10 enunciados de 2 palavras por dia de qualquer tipo (tato,
mando) exceto ecoico. Essas respostas podem incluir prompts verbais para responder, por exemplo, a “O
que é aquilo?” ou “O que você quer?”.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele emite 5 enunciados de 2 palavras por dia de qualquer tipo
(tato, mando) exceto ecoico.
LINGUÍSTICA 9-M: Emite prosódias funcionais (i.e., ritmo, ênfase, entonação) em 5 ocasiões em um
dia (e.g., coloca ênfase em certas palavras tal como ISSO É MEU!). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança está demonstrando variação em sua produção vocal e se essa variação
tem uma função verbal. Especificamente, a adição de uma certa variação pode afetar o ouvinte de uma
maneira especial, tal como mostrar ao ouvinte o estado emocional atual da criança.
MATERIAL: Sem materiais particulares.
EXEMPLOS: A criança diz “Eu não quero ir” com uma voz chorona.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele emite prosódias funcionais (i.e., ritmo, ênfase, entonação) em 5
ocasiões em um dia.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ele emite prosódias funcionais (i.e., ritmo, ênfase, entonação)
em 2 ocasiões em um dia.
LINGUÍSTICA 10-M: Tem um total de 300 palavras em seu vocabulário (todos os operants verbais,
exceto ecóico). (E)
OBJETIVO: Determinar se o vocabulário da criança está crescendo.
MATERIAL: Itens e atividades comuns a idade da criança.
EXEMPLOS: Quando um adulto pergunta a criança para nomear uma variedade de figuras em um livro de
figuras da criança e ela consegue fazer isso.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele tem um vocabulário total do tamanho de 300 palavras.
MEIO PONTO: De 1 ponto a criança se ele tem um vocabulário total do tamanho de 200 palavras.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



44

VB-MAPP – NÍVEL 3
Marcos do Comportamento Verbal
Esse capítulo contém instruções epecíficas para administração do VB-MAPP de nível 3. Exitem 3
novas áreas de habilidades no nível 3: leitura, escrita e matemática. Essas áreas não estão incluidas nos
níveis anteriores porque na maioria das vezes as crianças com desenvolvimento típico ainda não a
adquiriram competências acadêmicas básicas para aprende-las (embora algumas crianças possam ter algum
contato). Além disso, eles devem ser evitados como parte de um currículo para uma criança com atraso de
linguagem aos quais as pontuações caem primariamente no nivel 1 ou 2. É esperado que pela apresentação
dessas habilidades no nível 3 se torne mais claro quais habilidades focar de acordo com a pontuação de uma
criança em cada um dos níveis. Normalmente é o caso de que habilidades do nível 1 e 2 necessitem estar
firmemente estabilizadas antes de mover ara areas mais complexas, tal como o início das atividades
academicas. Duas areas, ecóico e imitação, não estão incluídas no nível 3 em função de que elas são não
objetivos tão relevantes para uma criança que chegou a esse nível. Para relembrar, os quatro métodos de
avaliar uma habilidade específica são: (1) testagem formal (T), (2) observação (O), (3) tanto observação
quanto testagem (E) e (4) observação cronometrada (TO). Para mais detalhes de cada tipo de medida, veja o
capítulo 2.

MANDO – NIVEL 3

Espontaneamente emite mandos para diferentes informações verbais


MANDO
utilizando perguntas com “O que?” ou outros tipos de perguntas 5 vezes
11-M
(e.g., Qual seu nome? Onde eu devo ir?). (TO: 60min).

OBJETIVO: Determinar se a criança espontaneamente faz perguntas e por qual razão. Especificamente,
existe uma operação motivadora (MO) para a resposta da questão (informação), e a resposta tem função de
reforçamento para a criança? Ele realmente quer saber a resposta ou a pergunta ocorre por outras razões, tal
como atenção?
MATERIAIS: Itens reforçadores e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: “O que é aquilo?”, “O que você está fazendo?”, “Onde você está indo?”, “Posso ir?”, “Você
tem isso?”, “Quem está vindo?”, “Quando podemos ir?”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite mandos para diferentes informações verbais usando pelo
menos 2 questões de “O que?” ou outros tipos de perguntas 5 vezes durante uma observação de 1 hora.
MEIO PONTO: 1 PONTO: Dar à criança meio ponto se ele emite mandos para diferentes informações
verbais usando pelo menos 2 questões de “O que?” ou outros tipos de perguntas 2 vezes durante uma
observação de 1 hora.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



45

Polidamente emite mandos para uma atividade não desejada ou para


MANDO remover qualquer OM aversiva sobre 5 diferentes circunstancias (ex.: Por
12-M favor pare de me empurrar. Não, obrigado. Com licença, Você pode se
a mover?). (E).

OBJETIVO: Determinar se a criança pode polidamente e apropriadamente emitar mandos para remover
itens e eventos aversivos com palavras e não com comportamentos negativos.
MATERIAIS: Itens reforçadores e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: “Por favor não faça isso”, “Posso descansar?”, “Você pode me deixar em paz?”, “Não,
obrigado. Eu não quero brincar”, “Talvez depois”, “Posso ir agora?”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele apropriadamente (i.e., sem comportamento negativo) emite mandos,
sem prompts verbais, para interromper uma atividade não desejável, não participar de uma atividade ou para
remover qualquer outro estímulo aversivo sobre 5 circunstâncias diferentes.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele apropriadamente (i.e., sem comportamento negativo) emite
mandos, sem prompts verbais, para interromper uma atividade não desejável, não participar de uma
atividade ou para remover qualquer outro estímulo aversivo sobre 2 circunstâncias diferentes.
MANDO 13-M: Emite mandos com 10 adjetivos, preposições ou advérbios (e.g., Meu giz de cera está
quebrado. Não tire ele fora. Vá rápido.) (TO: 60 min).
OBJETIVO: Determinar se o repertório de mando da criança contém múltiplos componentes e está se
movendo para além de apenas nomes e verbos para incluir partes diferentes da fala.
MATERIAIS: Itens reforçadores e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: “Eu quero o coração vermelho.”, “Coloque na casa”, “Você, se esconda em baixo da mesa.”,
“Vá em silêncio.”, “Aquele é o meu pedaço de papel.”, “Eu quero uma batata chips grande”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele emite 10 adjetivos, preposições ou advérbios durante uma
observação ou testagem de 1 hora. Deve haver pelo menos 2 de cada grupo (i.e., adjetivos, preposições ou
advérbios) para que ela consiga os pontos totais.
MEIO PONTO: : Dar à criança meio ponto se ele emite 5 adjetivos, preposições ou advérbios durante uma
observação ou testagem de 1 hora.
MANDO 14-M: Dar direções, instruções ou explicações sobre como fazer algo ou como participar de
uma atividade por 5 vezes (e.g., Você coloca a cola primeiro, depois junta as partes. Você senta aqui
enquanto eu vou pegar o livro). (O).
OBJETIVO: Determinar se o repertório de mando da criança é funciona em atividades diárias com outras
pessoas, especialmente outras crianças.
MATERIAIS: Reforçar itens e atividades encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: Uma criança inicia esses mandos sem qualquer prompt de adultos: “Onde está o Homem-
Aranha?”, “Eu quero subir”, “É minha vez” ou “Mais suco”.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



46

1 PONTO: Dê 1 ponto A criança se ele espontaneamente emite 15 mandos diferentes (nenhum prompts
apresentados por adultos) durante uma observação de 30 minutos. Os mandos devem ser controlados por
diferentes OMs.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente emite mandos (nenhum prompts
apresentados por adultos) 8 vezes durante uma observação de 30 minutos. Além disso, dar o meio ponto a
criança se seus mandos conter diferentes topografias de resposta, mas são para a mesma MO (isto é, ele pede
a mesma coisa com palavras diferentes).
MANDO 15-M: Emite mandos para que outros atendam seu próprio comportamento intraverbal 5
vezes (e.g., Me escute... Eu vou te contar... É isso que aconteceu... Estou contando uma história...). (O).
OBJETIVO: Determinar se a criança emite mandos para que uma audiência atenda a seu próprio
comportamento verbal com continuação.
MATERIAIS: Itens e atividades reforçadoras encontrados no ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: “Estou indo caminhar”, “Isso é o que ela disse”, “Eu estou falando”, “É a minha vez”, “Eu
estava contando para ela.”, “Você sabe o que ela disse?”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele emite mandos para que outros atendam seu próprio comportamento
intraverbal 5 vezes durante qualquer número de observações. Geralmente isso pode ser medido por um mado
que precede ou que é embebedado em alguma sequencia intraverbal (e.g., a descrição de uma criança sobre
como fazer panquecas).
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança se ele emite mandos para que outros atendam seu próprio
comportamento intraverbal 2 vezes durante qualquer número de observações.

TATO – NIVEL 3
TATO 11M: Tateia a cor, formato e a função de 5 objetos (por 15 tentativas) quando cada objeto e
questão está apresentado em uma ordem aleatória (e.g, Qual é a cor da geladeira? Qual é o formato
do coração? O que você faz com a bola?) (Isso é parte tato e parte intraverbal). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode tatear qualquer uma de três diferentes características ou funções
de um objeto único quando pedido que o faça. É importante misturar as questões e os objetos, já que muitas
crianças podem ser bem sucedidas em toda as questões sobre cores, depois de todas as questões de forma,
etc. Este é um prompt de misturas. Misturar as três questões e os diferentes obejtos é uma tarefa mais difícil
e releva se a criança tem essa habilidade ou não.
MATERIAIS: Use itens comuns no ambiente natural da criança que podem ser facilmente tateadas e uma
lista de características ou funções possíveis desses itens.
EXEMPLOS: Usando figuras de uma maça redonda verde, um balde quadrado marrom e uma geladeira
retangular branca. É mostrado para a criança uma figura por vez e perguntado “O que você faz com isso?”,
depois apresenta outra figura e pergunte “De qual cor é isso?”, depois mostre outra figura e pergunte “Qual é
o formato disso?”, e assim por diante.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tateia 2 cores, formatos e funções de 5 objetos (15 tentativas)
diferentes quando é perguntado, durante testagem misturando os estímulos.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele tateia a cor, formato e função de 5 objetos (10 tentativas)
diferentes quando é perguntado, durante testagem misturando os estímulos.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

47

TATO 12M: Tateia 4 diferentes preposições (e.g., dentro, fora, sobre, abaixo) e 4 pronomes (e.g., Eu,
você, meu, minha). (E).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode tatear relações espaciais entre objetos do ambiente e se a criança
pode tatear utilizando pronomes.
MATERIAIS: Itens comuns achados no ambiente natural da criança que ele pode facildade tatear e
selecionar , e uma lista com possíveis preposições e pronomes.
EXEMPLOS: Quando perguntado, “Onde está o cachorro?” e a criança responde corretamente “em baixo da
cadeira”, e depois quando o cachorro está em cima da cadeira e uma pergunta parecida é feita obtendo como
resposta “Em cima da cadeira”. Quando perguntado “De quem é o turno?” e a criança responde
corretamente “É o turno dele” e depois perguntado a mesma questão ela responda “É o meu turno.”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela Tateia 4 diferentes preposições e 4 pronomes quando testada.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela Tateia 4 diferentes preposições ou pronomes, mas apenas
alguns das categorias. Dê meio ponto para a criança se ela tatear 4 preposições, mas não conseguiu tatear 4
pronomes e vice e versa. Identifique o que ele foi capaz de fazer ou não na sessão “Cometários/ anotaçoes”
do VB-MAPP Formulário dos marcos.

TATO 13M: Tateia 4 diferentes adjetivos, excluindo cores e formatos (e.g., grande, pequeno, longo,
curto) e 4 advérbios (e.g., rápido, devagar, silencioso, gentil) .(E)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode tatear propriedades dos objetos (e.g., tamanho, largura, peso,
textura) e propriedades de ações (e.g., velocidade, consistência, intensidade) e se ode tatear a comparação
dessas propriedades de um objeto ou ação para as propriedades de outro objeto (e.g.,, longo e curto, leve e
pesado, velho e novo) ou de outra ação (e.g, mais rápido, mais devagar).
MATERIAIS: Use estímulos comuns do ambiente natural da criança que podem facilmente ser tateadas e
uma lista de possíveis adjetivos e advérbios.
EXEMPLOS: Quando apresentado com 2 cordas de diferentes tamanhos e perguntando “Você pode me
dizer o tamanho desse?” e a criança diz “É maior que aquele.”. Mais tarde, quando mostrado a mesma corda,
mas comparando com uma corda maior e fazendo a mesma pergunta ela responde “É menor que aquela”.
Quando testar os advérbios, mostre um vídeo de dois carros competindo e faça a pergunta “Você pode me
dizer a velocidade desse aqui?” e a criança responde “Ele está mais devagar que o outro”. Depois mostrar o
mesmo carro, mas nessa comparação existem carros mais lentos e a criança responde “Está indo mais rápido
que aquele outro”. (Note que a resposta correta em ambos os exemplos é parte intraverbal e parte tato e a
parte intraverbal afeta o que é tato, como um tipo de discriminação condicional).
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tateia 4 diferentes adjetivos e 4 diferentes advérbios quando testada.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele tateia um total de 4 adjetivos ou advérbios. Dê meio ponto
para a criança se ela tatear 4 adjetivos, mas não conseguiu tatear 4 advérbios e vice e versa. Identifique o que
ele foi capaz de fazer ou não na sessão “Cometários/ anotaçoes” do VB-MAPP Formulário dos marcos.
TATO 14M: Tatos com sentenças completas contendo 4 ou mais palavras 20 vezes. (E).
OBJETIVO: Determinar se a criança está emitindo sentenças completas e se esas sentenças contém pelo
menos 4 palavras.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

48

MATERIAIS: Use estímulos comuns do ambiente natural da criança.
EXEMPLOS: “Aquilo é um cone de sorvete bem grande!”, “Ali está minha mãe”, “Essa é a lancheira
dele?”, “Ele colocou uma estrela nisso”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele completa sentenças contendo 4 ou mais palavras 20 vezes.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele completa sentenças contendo 3 ou mais palavras 20 vezes.
TATO 15M: Tem um vocabulário de 1000 palavras (pronomes, verbos, adjetivos, etc.), testados ou de
uma lista acumulada de tatos conhecidos. (T)
OBJETIVO: Determinar o tamanho do repertório de tato da criança.
MATERIAIS: Use livros, cenas, cartas com figuras e objetos e ações do ambiente natural.
EXEMPLOS: Facilmente apresenta tatos de muitos itens em cada pagina de um livro de figuras de criança.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele nomear 1000 estímulos não verbais (pronomes, advérbios, verbos,
adjetivos). Uma lista com os nomes e verbos que a criança conhece pode ser usado para essa medida. Note
que isso pode parecer uma grande quantidade de palavras, mas uma criança de desenvolvimento típico de 4
anos tem um vocabulário de fala de 1500 a 2000 palavras ou até mais. Existem muitos livros infantis que
contém mais de 1000 figuras. Essa medida pode ocorrer por longos períodos de tempo se necessário (i.e.,
uma lista acumulada) ou por exemplos do repertório. Se a criança pode facilmente tatear centenas de itens,
ações, propriedades, etc., não vale a pena que ele precise tatear os objetivos do IEP.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele nomear 750 estímulos não verbais (pronomes, advérbios,
verbos, adjetivos). Uma lista com os nomes e verbos que a criança conhece pode ser usado para essa
medida.

OUVINTE – NIVEL 3
OUVINTE 11M: Seleciona itens pela cor e pelo formato de um conjunto de 6 estímulos similares, para
4 cores e 4 formas (Ache o carro vermelho. Ache a bolacha quadrada.) (T).
OBJETIVO: Determnar se a criança responde a instruções complexas que requere que ele se atente a um
item especíico e uma propriedade desse item (tanto a cor quanto o tamanho).
MATERIAL: Uma lista de cores e formatos, e uma coleção de diferentes cores e tamanhos.
EXEMPLOS: Quando um adulto diz “Onde está o copo azul?” e a criança seleciona o copo azul do conjunto
que já tem um chapéu azul, um copo vermelho, um prato azul, etc.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele seleciona itens pela cor e tamanhoa de um conjunto de 6 estímulos
semelhantes por 4 cores e 4 formatos quando testada.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele seleciona itens pela cor e tamanhoa de um conjunto de 6
estímulos semelhantes por 2 cores e 2 formatos quando testada.
OUVINTE 12M: Seguir 2 instruções envolvendo 6 diferentes preposições (e.g., Pare atrás da cadeira.)
e 4 diferentes pronomes (e.g, Toque minha orelha). (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode discriminar como ouvinte acerca das relações espaciais entre
objetos no ambiente e se a criança pode seguir instruções contendo pronomes.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



49

MATERIAL: Itens comuns achados no ambiente natural da criança que podem ser facilmente tateados e
uma lista de possíveis preposições e pronomes.
EXEMPLOS: Quando instruído a colocar um brinquedo “dentro” da caixa ao invés de “em baixo” da caixa e
a criança consegue fazer isso para vários itens (e.g., copo, pote, Lego). Alternativamente, quando
perguntado para “Dê o brinquedo a ele” (sem olhar ou apontar), a criança consegue discriminar entre um
menino e uma menina por apenas ouvir o pronome “ela” ou “ele.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se segue 2 instruções para cada 6 diferentes preposições e 4 diferentes
pronomes quando testada.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança segue 2 instruções para cada 3 diferentes preposições e 2
diferentes pronomes. Dê meio ponto para a criança se ela seguir 2 instruções para cada uma de 6 diferentes
preposições, mas não conseguiu por 4 pronomes e vice e versa. Identifique o que ele foi capaz de fazer ou
não na sessão “Cometários/ anotaçoes” do VB-MAPP Formulário dos marcos.

OUVINTE 13M: Seleciona itens de um conjunto de estímulos similares baseados em 4 pares de


adjetivos relativos (e.g., grande-pequeno, longo-curto) e demonstra ações baseados em 4 advérbios
relativos (e.g., rápido-devagar, silencioso-gentil).(E)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode discriminar como ouvinte acerca das propriedades relativas de
objetos (e.g., tamanho, largura, peso, textura) e se segue instruções envolvendo as propriedades relativos de
ações (e.g., velocidade, consistência, intensidade).
MATERIAIS: Use estímulos comuns do ambiente natural da criança que podem facilmente ser tateadas e
uma lista de possíveis adjetivos e advérbios.
EXEMPLOS: Dado um conjunto de 3 diferentes tamanhos de itens e a pergunta “Qual é maior?” a criança
seleciona o item maior. Dado uma demonstração de duas palavras diferentes em diferentes volumes e a
pergunta “Qual palavra foi mais alta?” e a criança escolhe a palavra certa.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele seleciona itens de um conjunto de estímulos similares baseados em 4
pares de adjetivos e demonstra ações baseados em 4 advérbios relativos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela seleciona itens de um conjunto de estímulos similares
baseados em 2 pares de adjetivos e demonstra ações envolvendo 2 advérbios relativos, mas alguns de cada
categoria. Dê meio ponto para a criança se ela discrimina 4 adjetivos, mas não conseguiu discriminar 4
advérbios e vice e versa. Identifique o que ele foi capaz de fazer ou não na sessão “Cometários/ anotaçoes”
do VB-MAPP Formulário dos marcos.
OUVINTE 14M: Segue direções de 3 passos em 10 direções diferentes (e.g., pegue seu casaco, segure-o
e sente.). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode seguir instruções que possuam múltiplos componentes.
MATERIAL: Use estímulos comuns do ambiente natural da criança que podem facilmente ser discriminadas
e uma lista de possíveis instruções de 3 passos.
EXEMPLOS: “Toque o cachorro, vaca e o porco.”, “pegue a pena, coloque cola e cole no chapéu”, “leve
seu copo para a pia, lave-o e lave suas mãos”, “toque no grande caminhão vermelho”, “leve esse livro para a
mamãe e volte”, “pegue um lenço, assua seu nariz e jogue o papel no lixo”.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

50

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele segue 10 ordens de 3 passos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele segue 5 ordens de 3 passos.
OUVINTE 15M: Ter um total de 1200 palavras no repertório de ouvinte (nomes, verbos, adjetivos,
etc), testado ou de uma lista acumulada de palavras conhecidas.
OBJETIVO: Determinar o tamanho o repertório de ouvinte da criança.
MATERIAL: Use cenas, livros, figuras, objetos comuns do ambiente, ações e propriedades.
EXEMPLOS: Identifica como ouvinte muitos itens em cada página de um livro de figuras quando
perguntado, por exemplo, “Você vê uma melancia?”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele identifica 1200 estímulos não verbais (nomes, verbos, adjetivos,
pronomes, advérbios, etc). Uma lista acumulada de palavras conhecidas pode ser utilizado para essa medida
se for confiável. (Nota: veja s comentarios acerca dessa medida no Tato de 3-15).
MEIO PONTO: Dê meio a criança se ele identifica 800 estímulos não verbais (nomes, verbos, adjetivos,
pronomes, advérbios, etc). Uma lista acumulada de palavras conhecidas pode ser utilizado para essa medida
se for confiável.

HABILIDADES VISUAIS PERCEPTIVAS E PAREAMENTO COM BASE EM EXEMPLO (VP-


MTS) (Matching-to-sample).
VP-MTS 11-M: Espontaneamente parea qualquer parte de atividades de arte e criação com a criação
ou arte de outra pessoa 2 vezes (O)
OBJETIVO: Determinar se acriança consegue parea de uma maneira funcional no ambiente natural e sobre
controle de uma amostra de outro par.
MATERIAL: Itens padrões de artes e criações.
EXEMPLOS: Um par corta um círculo e usa como um chepéu para seu projeto de artes e a criança testada
cortaum circulo similar e também o utiliza como chapéu.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente parea qualquer parte de atividades de arte e criação
com a criação ou arte de um adulto ou par 2 vezes.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele espontaneamente parea qualquer parte de atividades de arte
e criação com a criação ou arte de um adulto ou par uma vez.
VP-MTS 12-M: Demonstra pareamento não identico generalizado em um conjunto bagunçado de 10
itens com 3 estímulos similares, para 25 itens (i.e., parear novos itens na primeira tentativa). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança aprendeu a habilidade de achar o par mais parecido com qualquer item.
Isso é normalmente referenciado como “repertório generalizado de pareamento”.
MATERIAL: Uma coleção de itens comuns e de figuras para parear (e.g., uma banana de plástico e uma
figura de uma banana) e uma comparação dos itens (várias outras frutas).
EXEMPLOS: Quando mostrar um abacaxi de plástico pela primeira vez e depois mostrar um conjunto
comparativo contendo um abacaxi junto com outras frutas e vegetais, a criança é capaz de achar o abacaxi
na primeira tentativa sem nenhum treinamento usando o abacaxi.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



51

1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela Demonstra pareamento não identico generalizado com um item novo
em um conjunto bagunçado de 10 itens com 3 estímulos similares, para 25 itens.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela Demonstra pareamento não identico generalizado com um
item novo em um conjunto bagunçado de 10 itens com 3 estímulos similares, para 15 itens.
VP-MTS 13-M: Completar 20 diferentes designs de blocos, formatos de quebra cabeça ou tarefas
similares com pelo menos 8 peças diferentes. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode completar tarefas que envolver juntar 3 itens dimensionais em um
padrão específico demonstrado em cartas em 2D.
MATERIAL: Kits de montar blocos tal como o DLM Block Design Set e outros quebra cabeças similares
que acompanhem cartas com os padrões completos. Esses itens imilares estão disponíveis em muitos
websites ou lojas educacionais.
EXEMPLOS: Quando mostrar um padrão de 8 blocos com diferentes cores, a criança consegue parear o
design exato com os blocos reais.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele consegue completar 20 diferentes designs de blocos, formatos de
quebra cabeça ou tarefas similares com pelo menos 8 peças diferentes.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele consegue completar 20 diferentes designs de blocos,
formatos de quebra cabeça ou tarefas similares com pelo menos 4 peças diferentes.
VP-MTS 14-M: Classifica 5 tipos de itens de 5 categorias diferentes sem modelos (e.g., animais,
roupas, decoração). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue classificar itens por categorias sem que seja dito o noma da
categoria ou do primeiro item da categoria.
MATERIAL: Figuras de vários diferentes e conhecidos itens de uma variedade de categorias.
EXEMPLOS: Quando dado uma mistura de 15 figuras de comida, roupa, veículos, a criança consegue
separá-los em 3 grupos relacionados.
1 PONTO: Dê meio ponto se a criança classifica pelo menos 5 tipos de itens de 5 categorias diferentes sem
que seja dito o noma da categoria ou do primeiro item da categoria (mas o adulto pode começar com um
prompt como “Você pode classificar estes itens?”).
MEIO PONTO: Dê 1 ponto se a criança classifica pelo menos 3 tipos de itens de 3 categorias diferentes sem
modelo (outros que não sejam prompts verbais) ou do primeiro item do grupo.
VP-MTS 15-M: Continuar com 20 padrões, sequencias ou séries de tarefas de 3 passos (e.g., estrela,
triangulo, coração, estrela, triangulo...). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue identificar um padrão ou sequencia de estímulos
demonstrados por pareamento dos padrões sem prompts (outros que não sejam um prompt de iniciar como
“Você pode continuar isso?”).
MATERIAL: Muitos materiais comuns podem ser usados para criar um padrão (e.g., abóboras, bruxas e
fantasmas). Conjuntos de séries, conjuntos de partes para todos (part-to-whole) e materiais similares podem
ser encontrados em muitos websites e lojas educacionais.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



52

EXEMPLOS: Quando dado uma sequencia de cubos coloridos como vermelho, branco, azul, vermelho,
branco, azul a criança é capaz de repetir a sequencia sem prompts selecionando as cores corretas do
conjunto.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela continua com 20 padrões, sequencias ou séries de tarefas de 3 passos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela continua com 20 padrões, sequencias ou séries de tarefas.

BRINCAR INDENPENDENTE – NÍVEL 3


BRINCAR 11-M: Espontaneamente engaja em brincadeiras de imaginação em 5 ocasiões (e.g., se
vestindo, fingindo fazer parte de um grupo de animais de pelúcia, fingindo cozinhar). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode ir além de brincadeiras concretas com objetos fazendo
brincadeiras que envolvem componentes novos e criativos, role-playing e brincadeiras simbolicas.
MATERIAL: Itens ou brinquedos encontrados na casa ou escola que podem ser utilizados para brincar
usando a imaginação (e.g., roupas, comidas de mentira, conjunto de chá).
EXEMPLOS: A criança age como um personagem como uma princesa ou bombeiro. A criança finge
cozinhas e servir o almoço.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela espontaneamente engaja em brincadeiras de imaginação em 5
ocasiões.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela espontaneamente engaja em brincadeiras de imaginação em
2 ocasiões.
BRINCAR 12-M: Repete brincadeiras motoras grossas para obter um melhor efeito (e.g., jogar a
bola em uma cesta, chutar uma bola no gol, correr atrás de crianças em pega pega). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança é persistente e motivada em a alcançar resultados melhores em
atividades de brincadeiras físicas como esportes.
MATERIAL: Equipamento comum de jogos ou esportes.
EXEMPLOS: A criança continua tentando jogar a bola na cesta até que consiga acertar.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele repete brincadeiras motoras grossas para obter o resultado esperado
em duas atividades diferentes.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele repete brincadeiras motoras grossas para obter o resultado
esperado em uma atividade.

BRINCAR 13-M: Independentemente engaja em atividades de artes e criação por 5 minutos (e.g.,
desenhar, colorir, pintar, cortar, colar). (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode ficar em uma tarefa e usar itens de arte e criação como tesouras,
cola, papel, botões, etc., para criar projetos, parecendo gostar dessas atividades.
MATERIAL: Suprimentos de artes e criações.
EXEMPLOS: A criança desenha um rosto e depois corta um nariz e cola nele.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



53

1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela independentemente (sem prompts de adultos ou reforçadores) engaja
em atividades de artes e criação por 5 minutos.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela independentemente (sem prompts de adultos ou
reforçadores) engaja em atividades de artes e criação por 2 minutos.
BRINCAR 14-M: Independentemente engaja em brincadeiras por um período de 10 minutos sem
prompts e reforçamento de adultos. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança engaja em atividades de brincar por um período longo de tempo sem o
envolvimento de um adulto.
MATERIAL: Brinquedos e itens encontrados na casa ou na escola da criança.
EXEMPLOS: A criança brinca com carros e garagens por um período de 10 min. A criança brinca com lego
por alguns minutos, depois com um caminhão, depois com um conjunto de cozinha, por um total de 10
minutos sem interação com adultos.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele independentemente engaja em brincadeiras por um período de 10
minutos sem prompts e reforçamento de adultos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele independentemente engaja em brincadeiras por um período
de 5 minutos sem prompts e reforçamento de adultos.
BRINCAR 15-M: Independentemente desenha ou escreve em livros de atividades pré-acadêmicas por
5 minutos (e.g., ligar pontos, labirintos, ligar letras e números). (O)
OBJETIVO: Determinar se a irá trabalhar independentemente em livros de trabalho apropriados para sua
idade e se sente reforçada por esse tipo de atividade.
MATERIAL: Livros pré-acadêmicos para crianças.
EXEMPLOS: A criança irá completar jogos de ligar pontos sem o reforçamento do adulto.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança independentemente desenha ou escreve em livros de atividades por 5
minutos
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança independentemente desenha ou escreve em livros de atividades por
2 minutos

COMPORTAMENTO SOCIAL E O BRINCAR SOCIAL- NIVEL 3


SOCIAL 11-M: Espontaneamente coopera com um par para alcançar um resultado especíico 5 vezes
(e.g., a criança segura um balde enquanto a outra coloca água). (E)
OBJETIVO: Determinar se uma criança tem habilidades para engajar em comportamentos cooperativos com
um par de modo a alcançar um objetivo especíico sem um reforçamento ou prompt de adulto.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens encontrados na casa ou escola da criança.
EXEMPLOS: A criança alvo e o par cooperam para usar uma gangorra. A criança e o par cooperativamente
constroem uma torre com blocos. A criança e o par jogam uma bola para frente e para trás.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



54

1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ela espontaneamente coopera com um par para alcançar um resultado
especíico 5 vezes durante uma observação ou testagem ( o par pode receber um prompt para engajar em
atividade cooperativa com a criança alvo, tal como ajudá-la a carregar uma caixa).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela espontaneamente coopera com um par para alcançar um
resultado especíico 2 vezes durante uma observação ou testagem
SOCIAL 12-M: Espontaneamente emite mandos a pares com questões de “O que” 5 vezes (e.g., Onde
você está indo? O que é aquilo? Quem você está sendo?) (TO: 60 min.)
OBJETIVO: Determinar se uma criança vai emitir mandos para um par pedindo informações verbais sem
prompts ou reforçamento de adultos.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens encontrados na casa ou escola da criança.
EXEMPLOS: A criança alvo emite mandos para o par “Onde está o giz vermelho?” (quando trabalhando em
um projeto de artes), ou “O que você está construindo?” (Quando um par está brincando com legos).
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela emite 5 diferentes e espontaneos mandos em um período de 1 hora
que envolve fazer perguntas a pares ou usando outros mandos procurando informações.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela emite 2 diferentes e espontaneos mandos em um período de
1 hora que envolve fazer perguntas a pares ou usando outros mandos procurando informações.
SOCIAL 13-M: De maneira intraverbal, responde a 5 questões ou constatações diferentes de pares
(e.g., verbalmente responde a O que você quer jogar?) (TO: 60 min)
OBJETIVO: Determinar se a criança vai responder de maneira intraverbal a um comportamento verbal de
um par sem reforço e prompt de um adulto.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens apropriados para idade na casa da criança ou na escola.
EXEMPLOS: Um par emite um mando para a criança alvo “O que você está construindo?” e a criança alvo
responde a sua questão com “Uma nave espacial”. O par emite mandos para a criança alvo “O que você tem
para lanchar?” e a criança alvo responde “Um sanduíche de pasta de amendoim”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela de maneira intraverbal, responde a 5 questões ou constatações
diferentes de pares sem prompts e reforços de adultos durante 1 hora de observação ou pelo período da
testagem.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela de maneira intraverbal, responde a 2 questões ou
constatações diferentes de pares sem prompts e reforços de adultos durante 1 hora de observação ou pelo
período da testagem.
SOCIAL 14-M: Engaja em brincadeiras sociais com pares por 5 minutos sem prompts de adultos. (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança irá engajar em brincadeiras sociais com pares sem prompts por
períodos longos de tempo.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens do ambiente natural.
EXEMPLOS: Quando está em um playground, várias crianças estão indo e saindo de uma casa de
brinquedo. A criança alvo está participando da atividade, seguindo outra crianças, sentando em cadeiras na
cabine com os outros, fingindo estar bebendo, fingindo estar dormindo, rindo quando outros riem, emitindo
mandos para as crianças, imitando os pares e respondendo de maneira intraverbal ao comportamento verbal
de outro par.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

55

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela engaja em brincadeiras sociais com pares por 5 minutos sem prompts
de adultos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela engaja em brincadeiras sociais com pares por 2 minutos sem
prompts de adultos.
SOCIAL 15-M: Engaja em 4 trocas verbais em 1 tópico com pares em 5 tópicos. (O)
OBJETIVO: Determinar se uma criança terá uma conversação com pares na qual consiste em trocar
informações de um único tópico.
MATERIAL: Pares e atividades ou itens do ambiente natural.
EXEMPLOS: Durante uma atividade um par diz “Eu preciso de cola” e a criança alvo diz “Aqui está” e da a
cola para o par. Após o par usar a cola, a criança alvo diz para o par “Eu quero a cola” e o par entrega a cola.
Depois, o par diz “Olhe, você espirrou um pouco de cola”, e a criança alvo diz “Eu preciso de um papel
toalha”. O par pega o papel toalha e diz “Aqui está”. A criança algo finaliza dizendo “Obrigado”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele inicia interação verbal ou espontaneamente responde a
comportamentos verbais de um par com comportamento verbal relevante e se essa interação verbal recíproca
dura pelo menos 4 trocas durante a observação por um período (Note que qualquer tipo de comportamento
verbal conta, mando, tato ou intraverbal).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele inicia interação verbal ou espontaneamente responde a
comportamentos verbais de um par com comportamento verbal relevante e se essa interação verbal recíproca
dura pelo menos 2 trocas durante a observação por um período.

LEITURA - NIVEL 3
LEITURA 11-M: Presta atenção a um livro quando uma história está sendo lida para ele por 75% do
tempo total (TO: 3min.)
OBJETIVO: Determinar se a criança mostra interesse em livros e em ter adultos lendo para ele.
MATERIAL: Livros de crianças.
EXEMPLOS: A criança irá sentar com o adulto enquanto ela lê um livro e para para as páginas enquanto a
história está sendo contada, sem que o adulto dê prompts para que a criança preste atenção.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela presta atenção a um livro quando uma história está sendo lida para
ele por 75% do tempo em um período de 3 minuts, sem nenhum prompt para que preste atenção no livro.
MEIO PONTO: Dê o meio ponto a criança se ela presta atenção a um livro quando uma história está sendo
lida para ele por 50% do tempo em um período de 3 minuts, sem nenhum prompt para que preste atenção no
livro.
LEITURA 12-M: Seleciona (LDs) a letra maiúscula correta de um conjunto de 5 letras, para 10
diferentes letras.
OBJETIVO: Determinar se a criança discrimina, como um ouvinte, as letras em maiúsculo.
MATERIAL: Um conjunto de letras em maiúsculo.
EXEMPLOS: Quando apresentado a um conjunto de, pelo menos, 5 letras diferentes e perguntada para
“Toque na letra R” a criança toca na letra R.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

56

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele seleciona a letra maiúscula correta de um conjunto de 5 letras, para
10 diferentes letras.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele seleciona a letra maiúscula correta de um conjunto de 5
letras, para 10 diferentes letras.
LEITURA 13-M: Tateia 10 letras maiúsculas por comando. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança tateia algumas letras maiúsculas.
MATERIAL: Um conjunto de letras em maiúsculo.
EXEMPLOS: Quando apresentar um “R” e um prompt verbal “Qual letra é essa?” a criança diz “R”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tateia 10 letras maiúsculas.
MEIO PONTO: Dê meio ponto criança se ele tateia 10 letras maiúsculas.
LEITURA 14-M: Lê o seu próprio nome. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança lê seu próprio nome.
MATERIAL: O nome da criança escrito em um cartão ou pedaço de papel, assim como algumas palavras
para distração.
EXEMPLOS: Quando apresentar a palavra “RYAN” a criança diz “Ryan”, mas não diz “Ryan” quando
mostrado algumas palavras distratoras.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele lê seu próprio nome quando mostrado e dado o prompt verbal “O que
está escrito aqui?”. Toma cuidado para não dizer algo como “De quem é esse nome?”, pois esse estímulo
verbal sozinho pode evocar intraverbalmente o nome da criança (a menos que vários nomes sejam
utilizados). Além disso, certifique-se que outras palavras não evoquem seu próprio nome que não seja o
próprio cartão que contenha seu nome (algumas cores, padrões, etc., podem serem a fonte de controle).
MEIO PONTO: Nenhum

LEITURA 15-M: Liga 5 palavras com a figura ou itens correspondentes em um conjunto de 5, e vice e
versa (e.g., pareia a palavra pássaro com a figura de um pássaro). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança liga palavras escritas com as figuras ou itens correspondentes e vice e
versa (esse é um exemplo de compreensão da leitura).
MATERIAL: Uma coleção de palavras simples escritas e objetos ou figuras relacionadas (e.g., cahorro,
gato, bebe, bola).
EXEMPLOS: Quando apresentar a palavra “carro”, a criança consegue parear a palavra com a figura de um
carro dentro de um conjunto de, pelo menos, 4 outros itens.
1 PONTO: Dê 1 ponto se a criança liga 5 palavras com a figura ou itens correspondentes em um conjunto de
5, e vice e versa.
MEIO PONTO: Dê meio ponto se a criança liga 3 palavras com a figura ou itens correspondentes em um
conjunto de 3, e vice e versa.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



57

ESCREVENDO - NIVEL 3
ESCREVENDO 11-M: Imita 5 ações escritas modeladas por um adulto usando uma superfície para a
escrta e um instrumento de escrita. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode segurar um instrumento de escrita e copiar movimentos simples
de escrita de um adulto.
MATERIAL: Qualquer tipo de instrumento de escrita (e.g., giz de cera, canetinha, giz, caneta) e superfícies
relacionadas (e.g., papel, cartão branco, ou magna doodle).
EXEMPLOS: A criança irá imitar a escrita indo e voltando, subindo e descendo, em círculos e linhas curvas.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela imita 5 ações escritas modeladas por um adulto.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela imita 3 ações escritas modeladas por um adulto.

ESCREVENDO 12-M: Independentemente traça entre linhas de ¼ polegadas 5 diferentes formatos


geométricos (e.g., circulo, quadrado, triangulo, retangulo, estrela). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode controlar o instrumento de escrita o bastante para traçar formas
geométricas específicas respeitando as margens.
MATERIAL: Qualquer tipo de instrumento de escrita (e.g., giz de cera, canetinha, giz, caneta) e superfícies
relacionadas (e.g., papel, cartão branco, ou magna doodle).
EXEMPLOS: A criança irá traçar um círculo que caiba dentro do limite entre as linhas.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela independentemente traça entre linhas de ¼ polegadas 5 diferentes
formatos geométricos. Formas com vários angulos (e.g., uma estrela) podem ser difíceis, mas dê crédito toal
caso ele consiga desenhar algo próximo do modelo.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela independentemente traça entre linhas de ½ polegadas 5
diferentes formatos geométricos.
ESCREVENDO 13-M: Copia 10 letras ou números de maneira legível (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode copiar letras e números específicos.
MATERIAL: Qualquer tipo de instrumento de escrita (e.g., giz de cera, canetinha, giz, caneta) e superfícies
relacionadas (e.g., papel, cartão branco, ou magna doodle).
EXEMPLOS: A criança vai copiar as letras A, B e C e os números 1 e 2.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela copiar 10 letras ou números de qualquer tamanho, mas de maneira
legível (i.e., o observador pode identificar a letra ou número sem ver o modelo).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela copiar 5 letras ou números de qualquer tamanho, mas de
maneira legível.
ESCREVENDO 14-M: Fala e escreve de maneira legível seu próprio nome sem precisar copiar. (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode escrever seu próprio nome e isso é legível para uma outra pessoa.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



58

MATERIAL: Qualquer tipo de instrumento de escrita (e.g., giz de cera, canetinha, giz, caneta) e superfícies
relacionadas (e.g., papel, cartão branco, ou magna doodle).
EXEMPLOS: A criança vai escrever seu nome em um pedaço de papel com linhas.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela independentemente escreve de maneira legível e fala corretamente
seu próprio nome (“legível” não precisa ser limpo ou perfeito, isso vem com a prática).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela consegue aproximar as letras de seu nome, mas elas não são
claras os bastante para ler e/ ou ela pula por letras quando fala seu nome.
ESCREVENDO 15-M: Copia todos as 26 letras maiúsculas e minúsculas de maneira legível. (T).
OBJETIVO: Determnar a habilidade da criança de copiar letras específicas.
MATERIAL: Qualquer tipo de instrumento de escrita (e.g., giz de cera, canetinha, giz, caneta) e superfícies
relacionadas (e.g., papel, cartão branco, ou magna doodle).
EXEMPLOS: A criança vai copiar qualquer letra quando dado o exemplo.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela independentemente copia todos as 26 letras maiúsculas e minúsculas
de maneira legível.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela consegue aproximar as letras, mas elas não são claras o
bastante para leitura.

RESPOSTA DO OUVINTE DE ACORDO COM FUNÇÃO, CARACTERÍSTICA E CLASSE


(LRFFC) – NIVEL 3
LRFFC 11-M: Seleciona o item correto de um conjunto de 10 itens que contém 3 estímulos
semelhantes (e.g., cores, formas ou classes similares, mas que sejam as escolhas erradas), para 25
questões de “O que?” das tarefas do LRFFC. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança discrimina entre os itens que pareçam muito similares em um dado
conjunto de tarefas do LRFFC.
MATERIAL: Um conjunto de objetos e figuras (a criança é capaz de tatear e discriminar) que correspondam
com as declarações do LRFC, e 3 estímulos adicionais que pareçam similares de alguma forma ao estímulo
alvo (e.g., Se o estímulo alvo for um canudo e a pergunta “Qual deles você usa para beber suco?” deve haver
três itns adicionais no conjunto que pareçam com o canudo, como uma caneta, graveto e uma faca.
EXEMPLOS: Se o estímulo verbal do LRFFC for “Com qual deles você lava?” e o item for sabão, o
conjunto 10 figuras deve conter três figuras que sejam muito parecidas, tal como uma caixa pequena, um
livro de bolso ou um pequeno bloco de argila.
1 PONTO: Dê a criança 1 ponto se ele seleciona o item correto de um conjunto de 10 itens que contém 3
estímulos semelhantes, para 25 tarefas do LRFFC.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se corretamente seleciona 15 itens de acordo om o seu tipo nas
tarefas do LRFFC.
LRFFC 12-M: Seleciona itens de um livro baseado em dois componentes verbais: seja uma
característica (e.g., cor), função (e.g., escrever com) ou classe (e.g., roupas) para 25 tarefas do LRFFC
(T)
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

59

OBJETIVO: Determinar se a criança pode responder a estímulos verbais mais complexos de acordo com o
formato do LRFFC. O estímulo verbal se torna mais complexo por envolver 2 ou mais palavras que contém
função, característica ou classe.
MATERIAL: Use objetos conhecidos ou figuras (e.g., itens que a criança já pode tatear e LD) que
correspondam com as afirmações do alvo no LRFFC, e uma lista correspondente com funções características
e classes que a criança pode corretamente responder quando é apresentado individualmente.
EXEMPLOS: Quando a criança está na sala de estar, pergunte a ela “Ache um móvel que seja marrom”.
Quando olhando um livro, como “Boa noite lua”, pergunte a criança “Achou algo redondo no céu?”.
Quando olhando figuras dos simpsons, pergunte a criança “Quem tem cabelo azul?”.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela seleciona corretamente 25 itens dado o seu tipo na tarefa do LRFFC.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela seleciona corretamente 15 itens dado o seu tipo na tarefa do
LRFFC.

LRFFC 13-M: Seleciona itens de uma página em um livro ou em um ambiente natural baseado em 3
componentes verbais (e.g., verbos, adjetivos, preposições, pronomes), para 25 questões de “O que” do
LRFFC. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode responder a estímulos verbais ainda mais complexos (um mix de
verbos, nomes, preposições, adjetivos, pronomes) de maneira similar a perguntas do formato “O que”, e se
pode responder a conjuntos não verbais que contenham múltiplos estímulos (e.g., um cenário) e um estímulo
que pareçam similares ao estímulo alvo.
MATERIAL: Use objetos ou figuras conhecidas (e.g., itens que a criança já pode tatear e LD) que
correspondam com as afirmações do alvo no LRFFC. Além disso, compile uma lista de adjetivos (e.g.,
cores, formatos, tamanhos, testuras), verbos (rodar, girar, empurrar, correr), preposições (e.g., dentro, sobre,
abaixo, acima) e advérbios (e.g., devagar, rápido, quieto, barulhento) que a criança conhece pelo menos
como ouvinte. Crie também uma lista com várias combinações de diferentes partes de uma fala. Note, é
comumente mais fácil achar os materiais primeiro e depois organizar as questões sobre os materiais.
EXEMPLOS: Quando a criança está na sala de estar, pergunte a ela “O que é bonito e está em cima da
mesa?” (e.g., flores). Quando ohar em uma figura de uma festa de aniversário, pergunte a criança “Onde está
algo marrom e gelado que você come?” (e.g., sorvete de chocolate).
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela seleciona corretamente 25 itens dado o seu tipo na tarefa do LRFFC.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ela seleciona corretamente 15 itens dado o seu tipo na tarefa do
LRFFC.
LRFFC 14-M: Seleciona os itens corretos de um livro ou do ambiente natural dado diferentes
pesguntas rotativas do LRFFC sobre um único tópico (Onde a vaca vive? O que a vaca come? Quem
tira leite da vaca?) para 25 tópicos diferentes (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança pode responder a diferentes perguntas rotativas de “O que” sobre um
único tópico quando apresentado em sucessão. Cada questão vai mudar qual será a resposta correta. Essa
tarefa vai requerer que a criança escute com cuidado para as mudanças múltiplas dos estímulos verbais.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



60

MATERIAL: Um conjunto de cenários ou livros (a criança é capaz de tatear e discriminar) que
correspondam com as declarações do LRFFC. Além disso, faça um compilado de uma lista de potenciais
questões de “O que” sobre cada item do cenário ou do livro.
EXEMPLOS: Quando a criança está brincando com um conjunto de trens, pergunte-a “Onde o trem está
indo?”, e a criança aponta para a ponte. “O que puxa o trem?”, a criança aponta para o motor. “Quem dirige
o trem?”, a criança aponta para o maquinista. “O que tem no seu trem?” e a criança aponta para os vagões.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela corretamente seleciona 4 itens para 25 diferentes tópicos
apresentados nesse tipo de tarefa do LRFFC. Note que a criança pode também verbalizar a resposta correta
invés de apontar para ela, o qual irá fazer a parte intraverbal e a parte tato (se ele olhasse para um item não
verbal), se isso ocorrer, dê crédito a ele para essa atividade porque a habilidade de tato-intraverbal é mais
avançada do que a habilidade exigida nessa tarefa.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela corretamente seleciona 4 itens para 15 diferentes tópicos
apresentados nesse tipo de tarefa do LRFFC.

LRFFC 15-M: Demonstra 1000 diferentes respostas de LRFFC, testado ou obtido de uma lista
acumulada de respostas conhecidas. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança responde a uma grande variação de tarefas LRFFC. Comumente, a
criança deverá ser capaz de responder a dezenas de diferentes combinações de palavras apresentadas no
formato do LRFFC.
MATERIAL: Use materiais de livros, cenários e do ambiente natural.
EXEMPLOS: Quando olhando a um livro “Picionary”, pergunte a criança várias questões de LRFFC para
cada página, tal como “Onde tem um lugar para dirigir?”, “Com o que ela está limpando o carro?”, “O que
ele está construindo?”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela demonstra 1000 diferentes respostas de LRFFC, testado ou obtido de
uma lista acumulada de respostas conhecidas. (Nota: veja os comentários sobre o tamanho do vocabulário do
Tato, nível 3-15.)
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela demonstra 750 diferentes respostas de LRFFC, testado ou
obtido de uma lista acumulada de respostas conhecidas.
INTRAVERBAL – NIVEL 2
INTRAVERBAL 11-M: Espontaneamente emite 20 respostas intraverbais (podem ser parte mando)
(e.g., O pai diz “Estou indo para o carro e a criança espontaneamente diz “eu quero far um passeio”).
(O)
OBJETIVO: Determinar se a criança escuta para, e verbalmente responde para, o conteúdo de um estímulo
verbal que ela encontra no seu cotidiano no contato com outras pessoas sem que seja dado prompts. O
componente espontâneo desse item é crítico, o estímulo verbal deve ocorrer naturalmente e não conter
elemtnos que podem sinalizar um prompt para a resposta da criança, tal como falar o nome dela. Essa
resposta verbal pode ser também parte mando no qual o estímulo verbal pode criar uma OM, e a OM e o
estímulo verbal combinem para evicar uma resposta. Esse efeito é muito comum a crianças pequenas.
MATERIAL: Uma folha para coletar dados. Nenhum outro material específico são necessários.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



61

EXEMPLOS: A criança escuta “Nós estamos indo para a casa da vovó hoje” e isso espontaneamente evoca
da criança “Vovó tem um monte de brinquedo”. A criança escuta, “O Homem Aranha está preso em uma
teia gigante” e isso espontaneamente evoca da criança “Alguém precisa ajudar o Homem Aranha. A criança
ouve um par dizendo “Estou construindo um castel” e isso espontaneamente evoca da criança “Vou
construir um barco”. A criança, sentada em um grupo grande de crianças, ouve “Quem pode me dizer o
nome de uma fruta?” e a criança diz “banana”. O estímulo verbal “Quem quer sorvete?” pode imediatamente
aumentar o valor reforçador de um sorvete e ao mesmo tempo o intraverbal se intensifica “Eu quero
chocolate”. A resposta “Eu quero chocolate” está sendo controlada em parte por uma IM para chocolate,
mas também pelo estímulo verbal “sorvete”, e nesse quesito ela é parte mando e parte intraverbal.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele espontaneamente emite 20 respostas intraverbais no ambiente natural
no curso de um único dia.
MEIO PONTO: Dê meio meio ponto a criança se ele espontaneamente emite 10 respostas intraverbais no
ambiente natural no curso de um único dia.

INTRAVERBAL 12-M: Demonstra 300 respostas intraverbais diferentes, por meio de teste ou obtidas
de uma lista acumulada de intraverbais conhecidos. (T)
OBJETIVO: Determinar se o tamanho do repertório intraverbal está crescendo. Essa medida é apenas um
exemplo do repertório, já que pode ser quase impossível medir todas as relações intraverbais que a criança
pode ser capaz de emitir. O número de relações intraverbais pode aumentar para dezenas conforme a criança
avança para a próxima dupla de metas intraverbais.
MATERIAL: Uma folha para coletar dados. Uma lista de potenciais questões e tarefas intraverbais.
EXEMPLOS: “Qual é o seu animal favorito?”, “Você sabe algumas cores?”, “Onde o peixe mora?”, “Quem
te leva para a escola?”, “O que você quer beber?”.
1 PONTO: Dar à criança 1 ponto se ele demonstrar pelo menos 300 respostas intraverbais quando
perguntada para fazer. Muitos programas mantém base de dados contendo respostas intraverbais conhecidas.
Essa lista pode ser utilizada se for confiável.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele demonstrar pelo menos 200 respostas intraverbais quando
perguntada para fazer.
INTRAVERBAL 13-M: Responde a 2 questões após ler pequenas passagens (+ de 15 palavras) de
livros, por 25 passagens (e.g., Quem levou a casa abaixo?). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança escuta a uma história que está sendo contada a ele e se essa história
pode reforçar um comportamento intraverbal relevante que a criança pode emitir após ouvir a história. Essa
habilidade é uma meta importante pois envolve várias atividades linguísticas tal como compreensão,
relembrar e a expansão de novos conteúdos verbais. Isso também constitui um formato de ensino que a
maioria das salas de aula utilizam, na qual ler histórias e discuti-las podem estabelecer comportamentos
verbas mais complexos para as crianças. Além disso, é importante ensinar esse repertório para crianças. A
parte mais significativa dos componentes da medida dessa meta é que a criança está apta para resposnder
intraverbalmente a questões após ouvir a história. Evite questões que podem estar liderando, contendo
prompts ou que requerem respostas de sim ou não.
MATERIAL: Uma variedade de livros infantis.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

62

EXEMPLOS: Após ler a seguinte passagem do Ursinho Pooh “Piglt vira sua cabeça bem devagar - e ele vê
Pooh roncando! ‘Oh, Ursinho Pooh!’, Piglet diz.” O adulto pergunta “O que Pooh estava fazendo?” e a
criança responde “Ele estava roncando”. Após ler os três porquinhos, o adulto faz perguntas do tipo “O que
o grande lobo mal fez?”, “Onde todos os porquinhos foram?”, “Do que as casas dos porquinhos são feitas?”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele responde a 2 questões para cada uma das 25 passagens curtas (+ de
15 palavras) de livrosou outros materiais escritos.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele responde a 1 questão para cada uma das 25 passagens curtas
de pelo menos 10 palavras.
INTRAVERBAL 14-M: Descreve 25 diferentes eventos, vídeos, histórias, etc. com 8 ou mais palavras
(e.g., Me diga o que aconteceu... O monstrção assustou todo mundo e eles correram para dentro de
casa). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue falar sobre coisas que não estão fisicamente presentes e
descreve-as em uma maneira coerente o bastante a ponto de que um ouvinte consiga entender o que ocorreu.
Essa atividade exemplifica um dos valores mais importantes das habilidades intraverbais, na qual o falante é
capaz de falar sobre coisas e eventos, mesmo que essas coisas possam ter acontecido no passado ou não
estão fisicamente presentes. Note que os eventos devem ser pelo menos recentes e relevantes ou
interessantes a criança.
MATERIAL: Nenhum material específico é necessário.
EXEMPLOS: Após a criança ser perguntada sobre um evento do tipo “O que você fez na casa da sua
Vovó?” a criança diz “Vovó e eu fizemos biscoitos e nós os comemos.” Ou após assistir uma parte do filme
Rei Leão e o adulto perguntar “O que você estava assistindo?” a criança diz “Scar é um leão mau e fez o
Mufasa cair da montanha”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele descreve 25 diferentes eventos, vídeos, histórias, etc. com no mínimo
8 palavras. As respostas devem apenas serem pontuada tão corretas elas forem sem qualquer prompt ecóico.
Além disso, as descrições verbais devem ser evocadas por outras palavras, não em relação aos eventos
visuais por si mesmos (isso faria a resposta ser parte tato).
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele descreve 12 diferentes eventos, vídeos, histórias, etc. com no
mínimo 5 palavras.
INTRAVERBAL 10-M: Responde a 4 diferentes questões rotativas de “O que” sobre um tópico
simples, por 10 tópicos (e.g., Quem te leva para a escola? Onde você vai para a escola? O que te leva
para a escola?). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode pode responder com sucesso a perguntas rotativas de “O que” no
qual o conteúdo que segue essas questões são similares ou sobre o mesmo tópico. Esses tipos de questões
são difíceis para muitas crianças porque elas envolvem discriminações verbais condicionais complexas na
qual uma palavra altera o efeito (significado) de outras palavras na sentença, sendo que elas começam com
sons similares, mas tem significados diferentes. A criança deve ouvir com cuidado cada palavras da sentença
para dar a resposta correta. Normalmente, crianças que estão perto dos 4 anos de idade, podem ter
dificuldade antes que elas consigam responder com sucesso esse tipo de questão e os erros continuam
comuns por um ano ou dois dependendo do tópico e dos componentes da questão. Note que questões de
“Quando” envolvem conceitos de tempo e crianças de desenvolvimento típico de 4 anos pode ser que não
consigam entender.
MATERIAL: Uma lista com possibilidades de questões e tópicos.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

63

EXEMPLOS: “Onde você foi para a sua festa de aniversário?”, “Quais presentes você recebeu na sua
festa?”, “Quem veio a sua festa?”, “Qual bolo você comeu na sua festa?”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele responde a 4 diferentes questões rotativas de “O que” sobre um
tópico simples, por 10 tópicos. As questões devem ser feitas uma atrás da outra de uma maneira natural
(uma testagem não discreta), com variação e expressão.
MEIO PONTO: Dar à criança meio ponto se ele responde a 3 diferentes questões rotativas de “O que” sobre
um tópico simples, por 5 tópicos.

ROTINAS DE SALA DE AULA E HABILIDADES DE GRUPO – NIVEL 3


GRUPO 11-M: Usa o banheiro e lava as mãos com apenas um prompt verbal. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança vai conseguir usar o banheiro e lavar as mãos quando for solicitado
sem que necessite de prompts físicos.
MATERIAL: Um banheiro, pia, sabão e toalha.
EXEMPLOS: Quando pedido para usar o banheiro, a criança vai sentar ou ficar de pé para usar o vaso sem
prompts físicos.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ela usa o banheiro e lava as mãos com apenas um prompt verbal.
MEIO PONTO: De 1 ponto a criança se ela usa o banheiro e lava as mãos, mas necessitando ajuda física.
GRUPO 12-M: Responde a 5 instruções ou questões de grupo sem prompts direcionados diretamente
em um grupo de 3 ou mais crianças (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue responder a instruções verbais que não incluam seu nome ou
qualquer tipo de prompt. Esse tipo de instruções verbais gerais são normalmente chamadas de “instruções de
grupo” e são comuns em atividades para grupos pequenos ou grandes dentro da sala de aula.
MATERIAL: Sem materiais específicos.
EXEMPLOS: Quando o professor diz “Todos os meninos façam uma fila com os outros meninos” e a
criança segue a instrução. Ou quando o professor diz “Quem sabe o que é azedo?” e a criança responde
“limão”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela responde a 5 instruções ou questões de grupo sem prompts
direcionados diretamente em um grupo de 3 ou mais crianças
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela responde a 2 instruções ou questões de grupo sem prompts
direcionados diretamente em um grupo de 3 ou mais crianças
GRUPO 13-M: Trabalha independentemente por 5 minutos em um grupo e fica na tarefa por 50%
do período. (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode trabalhar em uma tarefa solicitada em um grupo por período de
tempo prolongado sem prompts de adultos e mantendo o foco na tarefa.
MATERIAL: Uma folha e materiais normais de sala de aula.
EXEMPLOS: A criança completa duas páginas de um conjunto programado de materiais de matemática
com apenas um prompt inicial de um adulto.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

64

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela trabalha independentemente por 5 minutos em um grupo envolvendo
3 ou mais crianças, e fica na tarefa por 50% do período.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela trabalha independentemente por 2 minutos em um grupo
envolvendo 3 ou mais crianças, e fica na tarefa por 50% do período.
GRUPO 14-M: Adquire 2 novos comportamentos durante um formato de ensino em grupo de 15
minutos envolvendo 5 ou mais crianças. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode aprender novas habilidades em um formato de ensino em grupo.
MATERIAL: Uma folha e materiais normais de sala de aula.
EXEMPLOS: Seguindo uma sessão em grupo contendo uma discussão sobre segurança contra o fogo, a
criança é capaz de responder uma questão sobre o que fazer se existe fogo.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ela adquire 2 novos comportamentos durante um formato de ensino em
grupo de 15 minutos envolvendo 5 ou mais crianças, medindo por um teste posterior individual.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ela adquire 1 novo comportamento durante um formato de
ensino em grupo de 15 minutos envolvendo 5 ou mais crianças, medindo por um teste posterior individual.
GRUPO 15-M: Senta em uma sessão de grupo de 20 minutos envolvendo 5 crianças, sem apresentar
comportamentos disruptivos e responde 5 questões intraverbais. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode emitir habilidades de grupo consistindo em comportamentos
apropriados, a ouvir e participar em atividades durante uma atividade de ensino em grupo.
MATERIAL: Uma folha e materiais normais de sala de aula.
EXEMPLOS: Durante uma discussão sobre plantas o professor pergunta “Quem sabe o que uma planta
precisa para crescer?” e a criança, a qual está sentada apropriadamente, levanta a sua mão e após ser dada a
sua vez ela diz “Luz do sol e água”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele senta em uma sessão de grupo de 20 minutos envolvendo 5 crianças,
sem apresentar comportamentos disruptivos e responde 5 questões intraverbais.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele senta em uma sessão de grupo de 20 minutos envolvendo 5
crianças, sem apresentar comportamentos disruptivos e responde 2 questões intraverbais.

ESTRUTURA LINGUÍSTICA – NIVEL 3


LINGUÍSTICA 11-M: Emite inflexões nominais combinando 10 sufixos de raiz para valores (e.g.,
cachorro vs. cachorros) e 10 substantivos de raiz com possessões de sufixos (e.g., colar do cachorro vs.
colar do gato). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue emitir apropriadamente substantivos no singular e no plural e
marcar substantivos com “s” em relação a “possuir”. (Essa é uma regra específica da lingua inglesa, o que
em inglês é “Cat’s collar” em português é “Colar do gato”. Assim, essa regra não se aplica à nossa
lingua, esse item precisa adaptar.)
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: Para substantivos no plural “Onde estão meus livros?”. Para substantivos de possessão
“Aquela é a bicicleta do Joey”.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

65

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele emite inflexões em qualquer operante verbal, menos ecoico (i.e.,
mando, tato ou intraverbal), combinando 10 substantivos de raiz com sufixos no plural e 10 substantivos de
raiz com sufixos para possessão.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele emite inflexões substantivas para 10 combinações de
substantivos no plural, mas não conseguiu 10 combinações de substantivos possessivos ou vice e versa.
LINGUÍSTICA 12-M: Emite inflexões verbais combinando 10 verbos de raiz com adição para o
passado regular (e.g., jogou) e 10 verbos de raiz com adição para o futuro (e.g., Irá jogar). (E).
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue emitir apropriadamente os tempos verbais do passado e
futuro.
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: Para verbos no passado “Eu empurrei a bola pela ladeira”. Para verbos no futuro “Nós
estamos indo pegar sorvete.”
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele emite inflexões verbais de operantes, menos ecóico (i.e., mando, tato
ou intraverbal) combinando 10 verbos de raiz com adição para o passado regular e 10 verbos de raiz com
adição para o futuro.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a se ele emite inflexões verbais de operantes, menos ecóico (i.e., mando, tato
ou intraverbal) para 10 verbos no passado, mas não conseguiu 10 para 10 verbos no futuro e vice e versa.
LINGUÍSTICA 13-M: Emite 10 frases com substantivos diferentes com pelo menos 2 palavras com 2
modificadores (e.g., adjetivos, preposições, pronomes) (e.g., Este é o meu boneco. Eu quero sorvete de
chocolate) (O)
OBJETIVO: Determinar se a criança modifica substantivos comuns com adjetivos (e.g., cor, tamanho,
formato, sabores), preposições (e.g., localização no espaço ou em relação a outros itens) ou pronomes (e.g.,
possessão, recolocação em uma frase substantiva).
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: “Eu quero o chapéu do Cubs”, “Coloque o trem no tunel”, “O cachorro cherou meu sapato”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele emite 10 diferentes frases substantivas de 3 palavras em qualquer tipo
de operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) com 2 modificadores.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele emite 5 diferentes frases substantivas de 3 palavras em
qualquer tipo de operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) com 2 modificadores.
LINGUÍSTICA 14-M: Emite 10 frases com verbos contendo pelo menos 3 palavras com 2
modificadores (e.g., adverbios, preposições, pronomes) (e.g., Me empurre forte. Suba as escadas). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança modifica verbos comuns com advérbios (e.g., onde, quando e como as
ações foram executadas), preposições (e.g., localização no espaço ou em relação a outros itens ou ações) ou
pronomes (e.g., possessão ou recolocação de um verbo em uma frase).
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: “Faça ir devagar”, “Eu chutei forte bola”, “Você esta sendo realmente bobo”.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele emite 10 frases com verbos contendo pelo menos 3 palavras em
qualquer tipo de operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) com 2 modificadores.
Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry

66

MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ele emite 5 frases com verbos contendo pelo menos 3 palavras
em qualquer tipo de operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) com 2 modificadores.
LINGUÍSTICA 15-M: Combina frases com verbos e substantivos de modo a produzir 10 diferentes
sentenças sintaticamente corretas contendo pelo menos 5 palavras (e.g., O cachorro lambeu meu
rosto). (E)
OBJETIVO: Determinar se a criança conecta frases com verbos e substantivos de modo a formas sentenças
mais completas com uma expressão mais longa e significativa.
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: Engajar a criança em uma discussão sobre um tópico de seu interesse, tal como um filme ou
um evento específico. Depois, faça perguntas do tipo “O que acontece com a bruxa do Mágico de Oz?”, “Ela
derreteu quando a Dorothy jogou água nela”. Ou, “Por que você parou jogar lá fora?”, “Minha bola
vermelha saiu rolando para a rua”.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele combina frases com verbos e substantivos em qualquer tipo de
operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) de modo a produzir 10 diferentes sentenças
sintaticamente corretas.
MEIO PONTO: De 1 ponto a criança se ele combina frases com verbos e substantivos em qualquer tipo de
operante verbal exceto ecóico (mando, tato ou intraverbal) de modo a produzir 10 diferentes sentenças
sintaticamente corretas.

MATEMÁTICA – NIVEL 3
MATEMÁTICA 11-M: Identifica como ouvinte os número de 1 a 5 em um conjunto de 5 diferentes
números. (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança discrimina como ouvinte entre os números de 1 a 5 quando eles são
apresentdos em um conjunto misturado de 5 números.
MATERIAL: Os números de 1 a 5 escritos em cartas ou de qualquer outra forma.
EXEMPLOS: A riança selecionad o número 3 de um conjunto de 5 números quando perguntado “Você pode
achar o número 3?”.
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele identifica como ouvinte os número de 1 a 5 em um conjunto de 5
diferentes números.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele identifica como ouvinte os número de 1 a 3 em um conjunto
de 3 diferentes números.
MATEMÁTICA 12-M: Tateia os números de 1 a 5 (T).
OBJETIVO: Determinar se a criança consegue tatear os números de 1 a 5 quando eles estão presentes
misturados ou um de cada vez.
MATERIAL: Os números de 1 a 5 escritos em cartas ou de qualquer outra forma.
EXEMPLOS: A criança tateia o número 4 quando apresentado esse número e perguntado “Qual número é
esse?”.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



67

1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele tatear os números de 1 a 5 quando eles estão misturados ou um de
cada vez.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a se ele tateia qualquer 3 números.
MATEMÁTICA 13-M: Conta de 1 a 5 itens de um conjunto maior de itens com correspondencia de 1
para 1 (e.g., Me dê 4 carros. Agora me dê 2 carros). (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança demonstra correspondendia 1:1 entre sua contagem vocal e o apontar
para (ou de alguma forma indicar) itens individuais para a té 5 itens quando dado um grupo maior de items e
pedido para que conte uma quantidade específica.
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: A criança é capaz de contar 3 colheres em uma caixa de utensílios quando perguntada “Você
pode me dar 3 colheres?”. A criança pega cada colher enquanto conta corretamente e para no número 3 sem
nenhum prompt de adultos e, talvez, demonstrando os a enumeração (ênfase no último número).
1 PONTO: Dê 1 ponto a criança se ele conta de 1 a 5 itens de um conjunto maior de itens com
correspondencia de 1 para 1.
MEIO PONTO: Dê meio ponto a criança se ele conta de 1 a 3 itens de um conjunto maior de itens com
correspondencia de 1 para 1.
MATEMÁTICA 14-M: Identifica como ouvinte 8 diferentes comparações envolvendo medidas (e.g.,
me mostre mais ou menos, grande ou pequeno, longo ou curto, cheio ou vazio, barulhento ou quieto).
(T)
OBJETIVO: Determinar se a criança discrmina como ouvinte entre conceitos matemáticos envolvendo
comparações de tamanho, comprimento, peso, largura, colume ou intesidade auditiva.
MATERIAL: Itens comuns de casa e da sala de aula.
EXEMPLOS: Quando apresentado duas pilhas de blocos, dos quais uma pilha é dierente da outra (e.g., 5 vs.
10) e pergunta a criança qual pilha tem mais blocos e qual pilha tem menos blocos e a criança
consistentemente seleciona a pilha correta. Isso irá constituir duas comparações.
1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele identifica como ouvinte 8 diferentes comparações envolvendo
medidas.
MEIO PONTO: De meio ponto a criança se ele identifica como ouvinte 6 diferentes comparações
envolvendo medidas.
MATEMÁTICA 15-M: Corretamente pareia um número escrito a uma quantidade e vice e versa
com os números de 1 a 5 (e.g., pareia o número 3 com uma figura contendo 3 caminhões.) (T)
OBJETIVO: Determinar se a criança pode parear um número visual (não número vocal) a quantidade
correta e pareia com uma quantidade específica ao número visual correto.
MATERIAL: Números e itens comuns de casa e da sala de aula ou figuras de 1 a 5 itens de conjuntos de
cartas ou livros de matemática.
EXEMPLOS: Quando apresentado ao número visual 3 a criança pareia o 3 com a figura de 3 itens ou conta
3 itens (sem prompts). Além disso, quando apresentado com 3 itens ou com 3 figuras, a criança pareia esses
estímulos com o número 3 (selecionando o 3 de um conjunto de diferentes números.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry



68

1 PONTO: De 1 ponto a criança se ele corretamente pareia um número escrito a uma quantidade e vice e
versa com os números de 1 a 5 apresentados em uma ordem aleatória.
MEIO PONTO: De 1 ponto a criança se ele corretamente pareia um número escrito a uma quantidade e vice
e versa com os números de 1 a 3 apresentados em uma ordem aleatória.

Organizado e traduzido por Ana Carla Giardini Benetti e Lucas Thierry