Você está na página 1de 5

ANTIGO TESTAMENTO

ÁRVORE DO BEM E DO MAL


Hoje nós vamos conversar sobre as duas armas. O texto base que
vamos usar é o texto de Gênesis 3. Nós estamos falando da árvore do
conhecimento do bem e do mal e a árvore da vida, as árvores que Deus
deu instrução para Adão e Eva para não comerem. Conversar sobre
estas árvores significa ter um entendimento mais profundo e bíblico
sobre o que a bíblia tem a nos ensinar sobre o pecado.
A primeira coisa que precisamos conversar é que existem níveis de
compreensão sobre este assunto, níveis de entendimento.
1º - NÃO FAZER (PROIBITIVA)
2º - CONSCIÊNCIA MORAL
3º - A VISÃO DAS ÁRVORES
Vou trazer algumas citações para você:
“No cerne deste episódio estava a busca humana equivocada por
liberdade, autonomia, auto legislação e independência. Os resultados
desta busca foram ignorância e o mau desejo. Os efeitos noéticos e
afetivos do pecado desestruturaram nossas vidas de modo horrível. O
mundo é, agora, um cemitério cósmico, gemendo em desespero,
passando por libertação” Francis Schaeffer
Ele fala de uma maneira diferente, mas brilhante sobre o pecado,
mostrando a gravidade desta realidade que não podemos subestimar
quão sério é esta gravidade.
“O homem é o lobo do homem”. Thomas Hobbes
“Cães não comem cães, mas os homens se devoram como canibais
e ainda se gabam disso.” Charles Spurgeon
Eu espero que essas frases servem para atiçar sua curiosidade e o
seu entendimento para que você comece a enxergar o pecado, como
sendo uma realidade um pouco mais profunda do que estamos
acostumados a lidar. O próprio fariseu é alguém que sistematizou uma
forma equivocada de trabalhar com o pecado. A palavra pecado no
grego traz a ideia de errar o alvo. Só que esta palavra tem uma noção
mais profunda, mais radical, o errar o alvo, não é errar por pouco.
Quando pensamos em pecado, podemos tentar explicar na
narrativa de Gênesis nós vemos esta estrutura aparecendo no coração
de Adão e Eva. O pecado é como uma forma de desconfiar, eu peco
quando eu desconfio de quem é Deus, quando eu desconfio da forma
que Deus conduz a vida e todas as coisas. Nós podemos ser crentes
sinceros, nós podemos ser crentes fiéis, mas porque existe uma
realidade de pecado dentro de nós, sempre existirá uma tendência a
desconfiar e a resistir a vontade de Deus que mora dentro do nosso
coração. Esta desconfiança está no cerne desta relação.
O pecado é uma forma de rebeldia, é uma forma de desejar ser
livre do seu jeito, é uma forma de se rebelar contra Deus, é uma forma
de resistir quem Deus é e o que Ele tem preparado para nós. No coração
do ser humano que é pecador, existe esta resistência, este ato de se
opor a vontade de Deus, de querer se afastar, de querer virar as costas.
Pecado é um movimento que existe no coração do ser humano que
quer ir para longe de Deus. A natureza do pecado tem a ver com esta
rebeldia que quer estar livre em outro lugar, onde Deus não esteja.
O pecado tem uma natureza epistemológica. Quando falamos de
natureza epistemológica, estamos falando que pecado tem a ver com a
forma que você conhece as coisas, todo mundo que conhece peca.
Precisamos entender os elementos que são colocados nesta
história. O jardim, o ser humano, a serpente, a proposta da serpente e a
árvore e seus frutos. Cada um destes elementos vão nos ajudar a nos
situar nesta história, nesta narrativa que nos explica sobre a queda do
homem, sobre o que aconteceu. Existe uma expectativa de toda criação
para que sejamos alvos da redenção da parte de Deus, está redenção
final.
E justamente pela obra redentora de Jesus Cristo é que nós temos
acesso e a promessa, a redenção de tudo que existe do nosso
relacionamento com Deus. Quando falo de redenção, estou falando do
céu, estou falando da salvação.
O JARDIM
O jardim conta para nós sobre uma realidade incrivelmente boa,
onde um homem é livre, equilibrado, mas mesmo neste lugar o ser
humano não é capaz de entender a sua liberdade. Porque no jardim ele
é limitado. O homem que pretende ser livre, precisa ter coragem de ser
limitado pelo Deus todo poderoso. Todo homem que quer ser livre
precisa ser corajoso para deixar se limitar.
O SER HUMANO
Quanto mais você perceber o abismo que o pecado provocou em
sua alma, mais você vai glorificar o nome do Senhor. Spurgeon diz o
seguinte: “Aí de nós! Nosso coração é nosso maior inimigo” e ele ainda
diz: “As lesmas deixam seu muco atrás de si e os pensamentos vãos
também.”
A ideia de Spurgeon é de que o nosso coração é realmente
enganoso quando a bíblia nos chama e que os nossos pensamentos
ruins deixam marcas, deixam um rastro dentro de nós que muitas vezes
não conseguimos perceber.
A SERPENTE
Chamo sua atenção sobre o movimento que a serpente faz, duas
palavras saltam meu coração quando leio o texto de Gênesis, a primeira
palavra é distorcer e a segunda palavra é prometer. A serpente é alguém
que entra em nosso processo de luta contra o pecado e em nossa
caminhada cristã sempre distorcendo as palavras de Deus, sempre
trazendo promessas. Todo ser humano tem dúvida, agora precisamos
saber que boa parte destas dúvidas quem coloca em nosso coração é a
própria serpente. Não precisamos ter medo de promessas, mas nós
precisamos entender com profundidade o que estas promessas fazem
com a nossa fé, o que estas promessas fazem com o nosso
relacionamento com Deus. Desconfie de qualquer promessa que afetar
a sua obediência a Deus, a sua submissão a Deus. Desconfie de qualquer
promessa que levanta no seu coração um sentimento de ressentimento
contra a pessoa de um Deus que é bom, Santo e Gracioso.
Nosso próximo passo é conversar sobre a proposta da serpente e
nesta proposta existem dois eixos principais. Quando a serpente se
dirige a Eva, a proposta é – “Se você comer deste fruto, você será como
Deus e seus olhos serão abertos.” Toda vez que alguém promete que
vamos entender alguma coisa que não entendemos, que a nossa mente
vai se abrir, vai se expandir, vamos começar a compreender e isso é algo
que captura nossa atenção. A própria bíblia diz que o nosso inimigo é
astuto, ele está trabalhando justamente em algo que você precisa.
Dentro destes dois eixos de ter os olhos abertos e ser como Deus,
o coração de Eva fica encantado.
“Cuidado com você mesmo, mais do que com qualquer outro
homem; carregamos dentro de nós nossos piores inimigos.” Spurgeon
“É um efeito da queda o fato do homem amar o pecado mais que
a justiça, e os caminhos do mundo mais que os caminhos de Deus.”
Spurgeon
A promessa dos olhos abertos foi cumprida e agora porque você
enxerga, o pecado mora dentro de você, somos pecadores porque
nossos olhos são abertos.
Que Deus te abençoe!

Você também pode gostar