Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

EQUAÇÕES DE SAINT-VENANT

GABRIEL FELTZ
LUCAS ARAÚJO
LEANDRO ALVES
CARINA GRICUC
THAILA ASSUMPÇÃO

PONTAL DO PARANÁ
2019
As equações de Saint-Venant são equações diferenciais às derivadas parciais,
que tem como objetivo descrever um fluxo unidimensional instável em um canal,
permitindo o cálculo do caudal e da altura da lâmina de água como funções do tempo
e do espaço, pois no escoamento da água, a velocidade e a altura da lâmina variam no
tempo e no espaço. Elas foram desenvolvidas pelo francês Barre de SaintVenant em
1871.

Assim sendo, para dar continuidade nas equações, algumas hipóteses devem
ser atendidas, como:

 Fluxo deve ser unidimensional; profundidade e velocidade variam


somente na direção longitudinal do canal;
 Fluxo varia gradualmente ao longo do canal, acelerações verticais
podem ser desprezadas;
 Eixo longitudinal é uma linha reta aproximadamente;
 Inclinação do fundo do canal é pequena;
 Os coeficientes de resistência para o fluxo uniforme permanente
turbulento são aplicáveis com as equações de Manning;
 O fluxo possui densidade constante e é incompressível.
Equação Da Continuidade

Considera-se um volume de controlo elementar, com um comprimento fixo dx,


conforme esquematizado nas figuras a seguir:
Equação expressa pelo volume de controle:

O fluxo afluente ao volume de controle (sinal positivo) é representado pela equação:

O fluxo defluente (sinal negativo) pode ser expresso pela equação:

A variação da massa dentro do volume de controle é expressa pela seguinte


equação:

Realizando as devidas substituições, encontramos a seguinte equação:

Assumindo que a densidade do fluido é constante, a equação pode ser dividida por
dx, de onde se obtém a equação da conservação da massa, conforme a equação:

onde Q é a vazão em m³/s, A é a área de seção molhada em m², x a distância no


sentido longitudinal em m, t é o tempo em s, e q é a vazão por unidade de largura de
contribuição lateral em m³/s/m.

Equação da Continuidade de Movimento

Existem cinco forças que atuam em um volume de controle:


 Fg - Força da gravidade na direção do fluxo;
 Ff - Forças de resistência no fundo e laterais do volume de controle;
 Fe - Força de contração ou expansão por mudança abrupta na seção do
canal;
 Fw - Força de atrito do vento sobre a superfície da água;
 Fp - Forças de pressão.
Assim sendo, temos a seguinte equação:

Que pode ser reescrita da seguinte forma:

A quantidade de movimento que entra no volume de controle é dada pela expressão:

A quantidade de movimento que sai no volume de controle é dada pela expressão:

Relacionando as equações de movimentos, obtemos a seguinte equação:

Dividindo essa equação por ρdx e substituindo v por Q/A, vamos obter a equação da
quantidade de movimento:

Desprezando-se as perdas, os efeitos de cisalhamento por vento e o fluxo lateral, e


considerando uma largura unitária, vamos obter o fluxo dado pela seguinte equação:

REFERÊNCIAS

<<https://www.eec.ufg.br/up/140/o/MODELAGEM_HIDRODIN%C3%82MICA_UNIDI
MENSIONAL_PARA_OBTEN%C3%87%C3%83O_DE_CURVAS-CHAVE.pdf >>

<< http://w3.ualg.pt/~rlanca/tese-mestrado/tm-04-eq-s-venant.pdf >>