Você está na página 1de 2

1

CERTEZAS!
A PESCA MARAVILHOSA – (Lc 5.1-11).
INTRODUÇÃO
Você tem certeza disso? Quantas certezas você possui em sua vida? 1, 5, 10... Você tem certeza
que tem todas essas certezas?

Certeza: Convicção – Segurança – Conhecimento total.


Ex. Eu tenho certeza que meu time será campeão?
Por mais que eu deseje, isso não é uma certeza (primeiro porque não tenho uma bola de cristal,
e no futebol tudo pode acontecer).

O Texto nos apresenta três certezas:

1º CERTEZA: FRUSTRAÇÃO!
(v.2): “... estavam lavando as suas redes”.
(v.3): “Simão respondeu: Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada...”.

Definição: Quando o que era esperado não ocorreu, após se esgotarem todas as
possibilidades. Depois de passarem a noite inteira, pescadores experientes, e não pegarem
nada, obviamente o sentimento é de derrota, frustração. Isso é uma certeza? Não! Porque no
caso deles não se esgotaram todas as possibilidades.

2º CERTEZA: CRISTO PODE TODAS AS COISAS!

(v.3-6): “3 Entrou num dos barcos, o que pertencia a Simão, e pediu-lhe que o afastasse um
pouco da praia. Então sentou-se, e do barco ensinava o povo. 4 Tendo acabado de falar, disse
a Simão: "Vá para onde as águas são mais fundas", e a todos: "Lancem as redes para a
pesca". 5 Simão respondeu: "Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada. Mas,
porque és tu quem está dizendo isto, vou lançar as redes". 6 Quando o fizeram, pegaram tal
quantidade de peixe que as redes começaram a rasgar-se”.

Jesus escolheu logo agente, poxa logo os derrotados, logo agente que não tem nada para
oferecer, só falta ele pedir alguma coisa pra comer.
O mais interessante, que mesmo frustrados eles obedecem!

Será que Jesus sabia o que estava dizendo? Jesus tinha certeza de que eles conseguiriam pegar
algum peixe?
Claro que sim! Somente ele tem plena convicção, segurança e conhecimento das coisas.
E mais, somente Ele pode todas as coisas!
2

Ex. Ele diz a você hoje: O homem louco de (Lc 12):

 Cuidado! A vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens;


 Parábola: A terra de um homem, produziu com abundância. Aí ele pensou: o que vou
fazer? Não tenho onde guardar isso tudo? Então teve a ideia: vou derrubar e construir
celeiros maiores.
 Então direi a mim mesmo: você tem tudo o que precisa, agora descanse, coma, beba e
alegre-se!
 Deus disse a ele: Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado,
para quem será?
Jesus quem disse essas palavras, mas mesmo assim tem gente que vive a vida como se não
houvesse amanhã!

3º CERTEZA: NÃO TEMOS CERTEZA!


(v.6-8): “6 Quando o fizeram, pegaram tal quantidade de peixe que as redes começaram a
rasgar-se. 7 Então fizeram sinais a seus companheiros no outro barco, para que viessem ajudá-
lo; e eles vieram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase começarem a afundar. 8
Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: "Afasta-te de mim,
Senhor, porque sou um homem pecador!”.

A nossa saída é arrependimento! (v.8) “Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de
Jesus e disse: "Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador!”.
O que parecia certeza agora não parece mais: Veja:

 Somos pescadores experientes; - Um leigo nos ensinou a pescar;


 Tentamos do nosso jeito - Ainda faltava tentar do Jeito Dele;
 Precisamos de muitos peixes para sobreviver; - Não precisamos mais de peixes.
O Arrependimento faz você desistir do jeito de como você tem levado a sua vida.
Você está frustrado, porque está depositando sua confiança na pessoa errada.
Nossa saída é: arrependimento: “Deixar Tudo, para ganhar Tudo”.
(v.10,11): “... Então Jesus disse a Simão: "Não tenha medo; de agora em diante você será
pescador de homens". 11 Eles então arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o
seguiram”.
CONCLUSÃO: Certezas - Stênio Marcius:

Filho de pescador eu nasci e aqui me criei


Conheço o mar há tanto tempo que já nem me lembro mais. [Trabalhei noite inteira e nada foi
tudo que ganhei. [E agora vens, queres me ensinar aquilo que na vida eu mais sei. [Nem sei por
quê te ouço e lanço as minhas redes onde mandas. [E para estremecer a minha alma, voltam
cheias, se rasgando. [O que fizeste das minhas certezas, do que eu pensava ser? [Percebo agora
que não passo de um pequeno barco à deriva. Retira-te de mim, porque sou pecador. [Mas deixa
vir no vento teu perfume, tua vozTeu ser que é santo.