Você está na página 1de 48

Products Solutions Services

Treinamento pH e Condutividade

Endress + Hauser - Análise de Líquidos

Slide 1 05/09/2016 Eloisa Doro


Products Solutions Services

Analises de Líquidos

Endress Hauser Controle e Automação Ltda

Slide 2 05/09/2016 Eloisa Doro


Analises de Líquidos no Mundo

Headquarter: Gerlingen (perto de


Stuttgart)  Fundada em 1970
320 Funcionários  Parte da E+H em 1977
Production: Electronics, metal-
 >600 funionários
cutting, measuring systems,
 490 patentes
assemblies
R+D
Management

Waldheim / Saxony Groß-Umstadt / Hesse


153 employees 30 employees
R+D Analysis support
Production Engineering

Suzhou / China Anaheim / California


 7 employees 83 employees
 Produktion Production
R+D

Slide 3
O que podemos oferecer…

Sensores

Analisadores

Amostradores

Slide 4
O que podemos oferecer…

Parceiro com laboratório


Memobase Plus e Liquiline to
Go

Ferramenta de simulação para


instalação e verificação

Slide 5 05/09/2016 Eloisa Doro


Qual parâmetros podemos medir?
Analisadores
Sensores
 Carbono Orgânico Total (TOC)
 pH/ORP
 DQO
 Condutividade
 Aluminio, Cromo, Cobre, Ferro,
 Oxigênio dissolvido
Manganes, Fosfato, Nitritos
 Cloro (livre e total)
 Amônia
 Turbidez/Sólidos em suspensão
 Cloro
 Nivel de Lodo
 Dureza
 Nitratos
 Sílica
 Amônia
 SAC Amostradores
 DBOeq/DQOeq/TOC
 Óticos para aplicações especiais  Pode conectar todos os sensores
Memosens (máximo quatro)

Slide 6
Tecnologia Memosens
Transmissão de dados por conexão indutiva

Transmissão de energia de forma indutiva

Slide 7 05/09/2016 Eloisa Doro


Products Solutions Services

Eletrodos de pH

Slide 8 05/09/2016 Eloisa Doro


Definição de pH - (“potentia Hydrogenii”)

• A água pura se dissocia em íons (partículas carregadas)

• Dissossiação de mólecula de H2O em íon H+ e OH-

• 1 mol/l

• pH is defined as the negative decadal logarithm of the hydrogen ion activity (but
mostly used instead is concentration):

Slide 9 05/09/2016 Eloisa Doro


Escala logarítmica de pH

pH Range Concentração H+
[mol/l]
100
0 1 10-1
1 0,1 10-2
2 0,01 .
3 acid 0,001 .
4 0,0001 .
5 0,00001
6 0,000001
7 neutral 0,0000001
8 0,00000001
9 0,000000001
10 0,0000000001
11 alkaline 0,00000000001
12 0,000000000001
13 0,0000000000001 10-14
14 0,00000000000001

Slide 10 05/09/2016 Eloisa Doro


Exemplos típicos de valores de pH
0
1
Ácido Gástrico 1,7
2
Vinagre, Refrigerante de Coca 2,5
3 Refrigerante de Laranja 3,0
Suco de Uva 3,5
4 Cervejas 4,1 - 4,6
Manteiga 4,8 - 4,9 5
Pele Humana 4,8 - 5,8
6
Leite Fresco 6,7 - 7,1
7
Sangue Humano 7,4
Albumina 7,6 - 8,0 8
9
Sabão 9 - 10
10
11
Diabo verde 11-12
12
13
14 Hidróxido de Sódio 14
(1 mol/l)

Slide 11 05/09/2016 Eloisa Doro


Medição de pH

pH transmitter

Measuring Reference
half cell half cell

3 mol KCl 3 mol


+
Internal buffer KCl

Glass membrane Diaphragm

Slide 12 05/09/2016 Eloisa Doro


Principio – Membrana de vidro

Slide 13 05/09/2016 Eloisa Doro


Tipos de Diafragma

Slide 14 05/09/2016 Eloisa Doro


Eletrodos de pH

• Que os eletrodos de pH funcionam de forma análoga à uma pilha, ou seja, elas


transformam energia química em energia elétrica.

Slide 15 05/09/2016 Eloisa Doro


Eletrodos de pH

• Essa característica permite que o eletrodo forneça uma tensão elétrica proporcional ao
valor de pH do meio onde está inserido.
• Com base nesse valor de tensão, o transmissor consegue calcular o valor de pH
utilizando a equação de Nernst.

- 177 mV

Slide 16 05/09/2016 Eloisa Doro


Eletrodos de pH

Assim como as pilhas, os eletrodos de pH alteram as suas características com o tempo de


operação, tendo como principais fatores os seguintes pontos:
• Contaminação por fluídos de processo,
• Desidratação da membrana
• Stress gerado por temperaturas elevadas
• Ataques químicos, entre outros.

Calibração deve ser realizada com o objetivo de compensar os desvios causados pela
degradação do eletrodo.

Slide 17 05/09/2016 Eloisa Doro


Ponto Zero

• O valor de ponto zero refere-se à tensão elétrica estabelecida na superfície do bulbo de


vidro quando exposto à uma solução neutra
(pH 7).
• Em eletrodos novos, o valor de tensão deve ser zero 0 mV

Exemplo 1 – Eletrodos novos

Slide 18 05/09/2016 Eloisa Doro


Ponto Zero

• Em eletrodos que encontram-se em operação há um determinado período de tempo,


pode-se observar alterações no valor de ponto zero, conforme exemplo abaixo:

Exemplo 2 – Eletrodos usados

No caso acima, observamos que o ponto zero do eletrodo foi deslocado para +
15 mV.

Slide 19 05/09/2016 Eloisa Doro


Slope

• O parâmetro de Slope caracteriza a tensão gerada pelo eletrodo a cada unidade de pH


que aumenta ou diminui.
• O valor teórico é retirado da equação de Nernst e tem como valor numérico 59,16
mV/pH à 25°C.
• Ou seja, um eletrodo novo, cujo valor de Slope esteja de acordo com o valor teórico irá
se comportar da seguinte maneira:

Slide 20 05/09/2016 Eloisa Doro


Slope

• Para uma solução com um valor de pH 4, teremos:

Slide 21 05/09/2016 Eloisa Doro


Slope

• Sabendo que o valor de pH alterou três unidades em relação ao ponto zero (pH 7)

Teremos o valor de Slope calculado


por:
𝑇𝑒𝑛𝑠ã𝑜 𝑀𝑒𝑑𝑖𝑑𝑎
𝑆𝑙𝑜𝑝𝑒 =
𝑉𝑎𝑟𝑖𝑎çã𝑜 𝑑𝑒 𝑝𝐻
−177,48
= = 𝟓𝟗, 𝟏𝟔 𝐦𝐕/𝐩𝐇
3

Gráfico 1 – Relação entre tensão elétrica x pH

Slide 22 05/09/2016 Eloisa Doro


Calibração

As condições do eletrodo estão sempre mudando o que exige


calibrações constantes

Slide 23 05/09/2016 Eloisa Doro


Instalação

Ângulo mínimo de inclinação: 15o da horizontal


A: Permitido
B: Não permitido

Slide 24 05/09/2016 Eloisa Doro


Quando trocar um eletrodo de pH?

• Além das informações de Slope e ponto zero, exisitem outros parâmetros que permitem
avaliar a integridade de um eletrodo de pH

Item Ação Critério Trocar eletrodo se…

Ponto Zero¹ Desvio > 40 mV Desvio> 40…60 mV


►Determinar tensão na solução (eletrodos de vidro)
de pH 7

Slope² ► Determinar tensão na solução Determinar slope, Slope < 52 mV


de pH 4 slope < 52 mV/pH

Inspeção visual ►Verificar o fio da célula de Deve ser marrom O fio interno estiver com
referência coloração branca

Impedância do vidro ►Verificar o valor de impedância 100 kΩ < Z < 4 GΩ Resistência está fora da
do vidro faixa permitida¹

Slide 25 05/09/2016 Eloisa Doro


Products Solutions Services

Sensores de ORP

Slide 26 05/09/2016 Eloisa Doro


Formação do Potencial de Redução (ORP)

REDOX= REDuction+ OXdiation

 • Para que exista uma reação redox, no


  
 sistema deve haver uma espécie que

     ceda elétrons e outra espécie que as
     
 
   
 aceite

  
   
  
  

   

 
   
   
   
    

Slide 27 05/09/2016 Eloisa Doro


Tipos de Eletrodos de Redox (ORP)

Slide 28 05/09/2016 Eloisa Doro


Medição de pH e ORP – Sensores Combinados

• Maior controle do processo – Medição simultânea de pH e ORP


• Medição de rH.
• Menor custo de manutenção
• Manutenção preventiva
• Maior segurança do processo

Slide 29
Calibração sensores de ORP

• Possuem dois tipos de solução para calibração de sensores de ORP: +220 mV (CPY3-
4) e +468 mV (CPY3-5).

• Importante: O valor de ORP não é compensado pela temperatura. Se você calibrar a


uma temperatura diferente de 25 ° C o valor real precisa ser calculado através das
tabelas disponível na solução tampão.

Slide 30 05/09/2016 Eloisa Doro


Calibração sensores de ORP

+468 mV +220 mV
°C mV
°C mV
10 452
10 245
15 457
15 236
20 463
20 228
25 468
25 220
30 485
30 212
35 479
35 204
40 485
40 195

Nunca coloque um sensor de ORP de +220 mV em +468 mV e vice-versa. Caso contrário, formará um
sedimento azul que bloqueia o diafragma. Se necessário verificar os valores em outro tampão, limpe o
sensor com água limpa ou KCl 3 M por alguns minutos para evitar o sedimento.

Slide 31 05/09/2016 Eloisa Doro


Products Solutions Services

Condutividade

Sensores e Aplicações

Slide 32 05/09/2016 Eloisa Doro


Aplicações com Condutividade

Principais Aplicações
• Controle CIP
• Separação de Fases
• Limpeza de Garrafas
• Monitoramento de
Produtos
• Utilidades

Slide 33 05/09/2016 Eloisa Doro


Medição de Condutividdae

• Dissociação das substâncias dissolvidas em água.


• Velocidade da Migração dos íons
• Temperatura
• Concentração

100°C
HNO3

50°C H2SO4

25°C H3PO4
0°C
NaOH

Slide 34 Denise Amboage


Medicão de Condutividade

Medição Conductiva Medição Indutiva

Sensores de condutividade condutivo Sensores de condutividade inductiva


sensores de condutividade por contato sensores de conductividad toroidal.
sensores de condutividade por 2 polos.

Slide 35
Medicão de Condutividade– Método Condutivo
Constante de célula pequena: Constante de célula alta:
 Maior superficie de electrodos,  Menor superficie de electrodos,
 Menor distância entre eletrodos.  Maior distância entre eletrodos.
 Baixa condutividade  Condutividade media

Disenho de eletrodos concêntricos Disenho de eletrodos paralelos

k = 1 cm-1
k = 0.01 cm-1 k = 0.1 cm-1

Slide 36
Compensação de Temperatura

Nos instrumentos Endress+Hauser, as seguintes funções estão disponíveis

• Medição de temperatura (Pt 100 ou Pt 1000)


• Compensação com um  ajustável
• Programação de uma tabela para o  (algumas versões)
• Algoritmo padrão para NaCl (IEC 746-3)
• Algoritmo padrão para água ultrapura

Slide 37 05/09/2016 Eloisa Doro


Determinação da condutividade pela concentração

• Dependendo do instrumento em consideração, os seguintes recursos são


implementados:
• Algoritmos pré-definidos, especialmente para alguns agentes CIP:

NaOH 0 ... 15 %
HNO3 0 ... 25 %
H2SO4 0 ... 30 %
H3PO4 0 ... 15 %
HCl 0 ... 20 %

Slide 38 05/09/2016 Eloisa Doro


Calibração

Start-up de um novo sensor:

• Analógico: Insira a constante de célula no transmissor (o valor desta constante vem no


certificado de fábrica)

• Digital: Sensores Memosens já incluem a constante que é transferida


para o transmissor automaticamente

Calibração durante manutenção:

• Ajustes feitos utilizando solução padrão

• Como resultado, a constante de célula é corrigida e a medição de condutividade é


atualizada

Slide 39 05/09/2016 Eloisa Doro


Solução de calibração de condutividade

• São soluções Compostas de água


pura e adição de um sal até o ponto
de concentração desejada e que vai
representar um valor de
condutividade.

• Não tem nenhum mecanismo


químico de compensação de
contaminação.
• Valores baixos são facilmente contaminados, portanto não são
fabricados em valores abaixo de 74S/cm.

• O valor da solução deve ser próximo do usado na medição.

Slide 40 05/09/2016 Eloisa Doro


Calibração: Sensores indutivos

• Nos sensores indutivos, a distância da parede e o material do tanque/tubulação


influência no valor medido
• Com o fator de instalação a influência será compensada
• Fator de instalação está entre 0,1…5,00.

Slide 41 05/09/2016 Eloisa Doro


Instalação

• O sensor deve estar totalmente imerso no líquido.


• Instalar o sensor no mínimo 1m após a curva a fim de evitar turbulencia e bolhas na
linha

Slide 42 05/09/2016 Eloisa Doro


Recomendações de instalação

• O sensor deve ser completamente imerso no meio


• Furo sensor tem de ser orientado na direcção do fluxo

• Após curvas turbulências podem ocorrer.


• Distância miníma de 1m após a curva
• Instalação em tubos verticais é o melhor tipo
• de montagem

• Tubos parcialmente cheios ,sensor


• deve ser montagem de cabeça para baixo
• Evitar bolhas na área do sensor

Slide 43 05/09/2016 Eloisa Doro


Recomendações de instalação

• Instalar o sensor entre 1,2 m e 1,5 m antes e despois de trecho reto tais como curvas e bombas.

Slide 44 05/09/2016 Eloisa Doro


Recomendações de instalação CLS54(D)/CLD134

• Rodar o sensor entre 30° e 45° respeitando a direção do fluído.

Posição sugerida
Instalação típica do sensor com uma de sua Sensor rodado 30° a 45° diminuindo o
face direcionada para o fluído, gerando um stress físico do mesmo gerado pelo fluxo.
maior estress físico no sensor. Sensor de temperatura para trás para
garantir sua proteção.

Slide 45 05/09/2016 Eloisa Doro


Modelos de Condutivimetros – Condutivos

• Utilizados em: água pura, água ultra pura, água de injeção

Slide 47 05/09/2016 Eloisa Doro


Modelos de Condutivimetros – Indutivos

Utilizados em indústias de alimentos e bebidas, controle de CIP, monitoramento de águas

Slide 48 05/09/2016 Eloisa Doro


Products Solutions Services

Obrigada!
Gerente de analítica – Eloisa Doro
Email: eloisa.doro@br.endress.com

Slide 49 05/09/2016 Eloisa Doro