Você está na página 1de 5

http://pessoa.fct.unl.pt/cio14250/pagina/vulcao.

htm

Simulação erupções vulcânicas: efusiva e explosiva

Objectivo

Pretende-se que os alunos observem as principais características de uma erupção


de natureza explosiva e de uma erupção de natureza efusiva, comparando-as
quanto ao índice de explosividade e quanto à viscosidade das lavas. Para tal os
alunos irão construir uma simulação simples deste tipos de erupções vulcânicas.

Enquadramento

A temática abordada nesta actividade laboratorial é trabalhada tanto no ensino básico


(7º ano), como no ensino secundário (10ºano).

No ensino básico, esta actividade laboratorial enquadra-se no tema "A Terra em


transformação" e na unidade "Dinâmica externa da Terra". Pode dizer-se que, na
maioria dos casos, esta actividade é realizada neste ano lectivo.

No ensino secundário, esta actividade enquadra-se no tema III "Compreender a estrutura


e dinâmica da Geosfera" e na unidade "Vulcanologia".

Erupção vulcânica efusiva

Material necessário

- Cone vulcânico

- 2 Colheres de sobremesa de bicarbonato de sódio

- 3 Colheres de sobremesa detergente de roupa;

- 1 Colher de corante amarelo;

- 1 Colher de corante vermelho

- Copo

- Vinagre
- Colheres

Procedimento

- Prepara a lava juntando num copo:

- 2 colheres de bicarbonato de sódio,

- 3 colheres de detergente de roupa,

- 1 colher de corante amarelo,

- 1 colher de corante vermelho.

- Enche o cone vulcânico com vinagre até à risca preta marcada no copo.

- Junta a mistura do copo ao vinagre que se encontra no cone vulcânico.

- Observa atentamente o resultado.

Actividade

Diferentes tipos de erupções

O tipo de erupção torna muitas vezes os vulcões notórios, contudo são poucas as
erupções que devastam grandes áreas e vitimam milhares de pessoas, Existem cerca de
800 vulcões classificados como activos, dos quais 500 se situam na zona do Pacífico.

A natureza dos vulcões pode ser determinada pelo seu estilo eruptivo predominante, o
qual é função do grau de viscosidade, fluidez e teor em água do magma e ao tipo de
materiais libertados.

As combinações possíveis de estilos eruptivos e os tipos de paisagens resultantes podem


ser quase infinitas, todavia é possível distinguir dois grandes tipos de erupções, apesar
de existirem gradações entre elas: efusivas e explosivas.

À emissão de lavas fluidas, que permitem que os gases se escapem suavemente,


associam-se erupções calmas - efusivas. À emissão de lavas viscosas, que retêm os
gases, associam-se as erupções violentas do tipo explosivo, que podem causar a
destruição, parcial ou total, do aparelho vulcânico.

Tempo de execução: 40 minutos

Nível de dificuldade:
Erupção vulcânica explosiva

Material necessário

- Cone vulcânico

- Dicromato de amónio

- Cabeças de fósforo com cerca de 1cm de pé

- Açúcar

- Enxofre

- Colheres

Procedimento

- Com o auxílio de uma colher, coloca no topo do cone vulcânico alternadamente:

- 1 camada de dicromato de amónio (1 colher e meia),

- 7 cabeças de fósforo,

- uma pitada de enxofre,

- uma pitada de açúcar.

- Coloca uma última camada de dicromato de amónio (2 colheres), e espeta 8 fósforos


de modo que só as cabeças fiquem de fora.

- Acende os fósforos.

- Observa atentamente o resultado.

Propostas

Trata-se de uma actividade bastante motivadora para os alunos mais pequenos. Os


alunos ficam muito interessados e o apelo visual é evidente.

É importante que, antes de se iniciar a actividade laboratorial, sejam discutidas as


seguintes regras de segurança:
- A partir do momento em que o teu professor deitar os reagentes nos modelos dos
vulcões, os alunos não podem mexer mais no barro, nem no contraplacado .

- Quando o professor estiver a “acender o vulcão” não devem olhar directamente para a
chama inicial, antes da erupção começar.

- Quando a simulação começar devem afastar-se da mesa onde está o vulcão .

- Não devem respirar directamente os gases libertados durante a simulação.

- Quando a simulação acabar, não devem tocar no contraplacado. Deixar que o teu
professor arrume o material.

Alguns tópicos de discussão possíveis são:

- Compara as duas experiências e indica qual delas apresentou:

1. Maior grau de explosividade ___________


2. Lavas mais fluidas ___________________

- Classifica o tipo de erupção simulada em cada uma das experiências. Justifica a tua
resposta.

- Imagina que se tratavam de uma erupções reais, que danos na paisagem e nas
populações poderiam ocorrer?

Recomendações

Uma vez que na simulação da erupção explosiva há a libertação de algum fumo e de


odores desagradáveis (enxofre), é importante que a actividade se efectue perto de uma
janela. No entanto, mostrou-se proveitoso abri-la apenas após o término da simulação,
para que o fumo não vá ao encontro dos alunos que se encontrei por perto.

Outro procedimento de segurança, e realizando esta actividade com alunos do 7º ano de


escolaridade, os fósforos devem já estar cortados e o professor deve ser o responsável
por acendê-los.

Os copos onde se irão colocar os reagentes não devem ser muito altos. Podem por isso
utilizar-se copos de iogurte, cortando-os até terem cerca de 3 cm. Caso possuam
recipentes mais altos, pode sempre acrescentar os reagentes na proporção indicada.

Bibliografia

DIAS, Guerner, A; GUIMARÃES, Paula; ROCHA, Paulo; "Geologia 10 - parte 2",


Areal Editores, 2003

PIRES, Rosa, PEDROSA, Carmen, OLIVEIRA, Elsa, "Do Big-Bang à célula - Ciências
da Terra e da Vida - 10º ano", Texto editora, 1996.