Você está na página 1de 73

Tratamento restaurador

Profª: Renata Maria de Oliveira Silva


DCAF
Tratamento restaurador
Introdução

Gerenciamento Anamnese, exame clínico


comportamental e diagnóstico

Planejamento do
procedimento, Escolha da Sucesso do procedimento
técnica, material utilizado
Tratamento restaurador
Introdução
Para se realizar o procedimento restaurador :
Considerar o grau de rizólise do dentes
Identificação de risco de um indivíduo para a progressão da cárie,
Compreender o processo da doença para o indivíduo, avaliar a
progressão da doença e gerenciar com serviços de prevenção
adequadas, complementadas por terapia reparadora, quando
indicado.

AAPD, 1998-2014
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Estética

Biocompatibilidade

Conhecimento de propriedades físicas químicas e biológicas

Suportar os desafios da cavidade bucal

Segurança

Aspectos ambientais
MCDONALD E AVERY; 2011
Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Cimento de Ionômero de Vidro

Google imagens
Líquido: Ácido poliacrílico ou outros
ácidos itacônicos ou maleico, acrescido de
ácido tartárico

Pó: Vidro Fluoraluminossilicato ( Similar


ao pó do cimento de silicato) – Liberação
de flúor.

Características:
Biocompatibilidade
Liberação de flúor
Potencial para adesão ao cálcio da estrutura dental
Expansão térmica semelhante ao do dente
Diminuição da sensibilidade a humidade
MCDONALD E AVERY; 2011
Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Químico Modificado por resina

Utilizado em classe I e II cavidades


Não recomendado para classe II
pequenas e médias- sucesso

Não propicia boa forma anatômica e


Utilizado em pacientes não cooperativos
resistência ao desgaste

Desenvolvimento Lento das propriedades


Praticidade da técnica
finais

Baixos valores de força coesiva Menor sensibilidade da técnica

Baixo custo Melhor estética

Importante utilização em pacientes com alto risco à cárie


ART – Controle de múltiplas lesões de cáries em crianças
AAPD, 1998-2014
Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores
Manipulação
Aglutinar
Ponto de fio
Seguir as instruções
do fabricante

FORP- USP
ART

ASSED, SADA; 2005


Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Resina composta
Composição: Bis-GMA ou UDMA
Diluente: trietileno dimetracrilato
de glicol

Carga: Aumenta dureza do material


e reduz a contração de
polimerização

Características:
Estética
Preserva a estrutura dental
Resistência
Durabilidade
MCDONALD E AVERY; 2011
Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Desgaste fisiológico por atrição

Menor mineralização e dureza Vickers,


portanto a utilização de materiais
restauradores com dureza e resistência
ao desgaste superiores às do esmalte
poderia interferir nas mudanças
fisiológicas da dentição
Gilson Sales

São menores as exigências em termos de resistência ao desgaste


das restaurações em elementos decíduos posteriores.
Iwamoto et al., 2000
Grande aposta da odontopediatria....

Resina Bulk fill


Tratamento restaurador
Características dos Materiais Restauradores

Amálgama
Singular sucesso clínico em 150 anos
Contém uma mistura de metais tais como prata, cobre e estanho e
aproximadamente 50% de mercúrio
Características:
Inibem microinfiltrações
Técnica de menor sensibilidade
Custo baixo
Preparo criterioso
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Isolamento

Importância de um campo operatório limpo para o sucesso do


tratamento restaurador
Isolamento absoluto
Vantagens:
 Economia de tempo
 Acesso direto ao dente a ser preparado
 Ambiente mais asséptico
 Aumento da abertura bucal pelo afastamento mecânico dos lábios e língua
 Auxilia o trabalho
 Controle salivar
 Promove proteção paciente
 Reduz os movimentos de língua e bochecha
 Auxilia o cirurgião dentista a educar os pais
MCDONALD E AVERY; 2011 ASSED, SADA; 2005
Tratamento restaurador
Isolamento
Isolamento absoluto
Desvantagens:
 Objeção do paciente
 Dentes recém-irrompidos ou coroa clínica curta
 Dentes mal posicionados
 Pacientes alérgico ao látex, asmáticos e respiradores bucais

FORP -USP
ASSED, SADA; 2005
Tratamento restaurador
Isolamento
Isolamento absoluto
Grampos – Colocado mais distal possível
no isolamento que é normalmente o dente
adjacente ao que esta sendo preparado
quando envolve face distal FORP -USP
Nos dentes anteriores isola-se os dentes
homólogos para ter como base.
Molares:
Anestesia sempre! 201 a 205; 8ª; W8A;
14 A; 1 A; 00, 26; 28
Considera-se insensato isolar mais Pré-molares:
dentes para área de trabalho. Se o 206-209
preparo é tipo classe I isola-se apenas Anteriores:
um dente! 210, 211, 212
MCDONALD E AVERY; 2011 ASSED, SADA; 2005
Tratamento restaurador
Isolamento

Cuidado!!!

ASSED, SADA; 2005

FORP -USP
Tratamento restaurador
Isolamento

Isolamento Relativo
Quando não for possível realizar o isolamento absoluto, ou a técnica não
indica (ART ou Selantes) realiza-se um bom isolamento relativo

Bom senso sempre!

ASSED, SADA; 2005


Tratamento restaurador
Isolamento

Jon.com

Jon.com

ISOLITE
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Preparo cavitário

Mínima Intervençao (MI): uso de materiais restauradores


adesivos e monitoramento de lesões incipientes visando a
preservaçao máxima de estrutura dental sadia
Frencken et al., 2012

Remoção preferencialmente com broca esférica compatível com o


tamanho da lesão, ou ainda pode ser realizada com broca cone
invertido restringindo-se à remoção do tecido amolecido e com
coloração mais intensa. Deve-se regularizar as margens da cavidade.
ASSED, SADA; 2005
Tratamento restaurador
Preparo cavitário

Classe I
Restaurações adesivas: Remoção apenas do tecido cariado com brocas
compatíveis

UFBP FORP

Classe II
Acesso pela crista marginal ou superfícies vestibulares que se estendam
suficientemente para que se remova todo o tecido cariado
Utilização de curetas e brocas esféricas de alta e baixa rotação
Usado em conjunto com ou como um substituto para métodos
tradicionais, espera-se que o laser específico tecnologias vão
tornar-se um componente essencial da prática odontológica
contemporânea ao longo da próxima década
Tratamento restaurador
Matriz

FORP- USP
FORP- USP

FORP- USP Ronaldo Hirata


Tratamento restaurador

Cunha

TDV

TDV
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Técnica de Ionômero de Vidro

 Análise prévia do padrão oclusão


 Profilaxia
 Seleção de cor*
 Anestesia
 Isolamento do campo
 Preparo cavitário
 Seleção e estabilização de matriz e cunha*
 Tratamento superfície ( Segundo fabricante)
 Manipulação e inserção do cimento
 Proteção superficial ( Do próprio material)
 Acabamento

ASSED, SADA; 2005


ASSED, SADA; 2005
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de Matriz de celulóide

Coroa de aço
Tratamento restaurador
Técnica de resina composta

 Análise prévia do padrão oclusão


 Profilaxia
 Seleção de cor
 Anestesia
 Isolamento do campo
 Preparo cavitário
 Seleção e estabilização de matriz e cunha
 Proteção pulpar
 Condicionamento ácido fosfórico 35% (15 seg- decíduos)
 Aplicação de adesivo (20 seg)
 Inserção da resina (2 mm – 20 a 40 seg)
 Acabamento e polimento
ASSED, SADA; 2005
ASSED, SADA; 2005
Caso Clínico
Foto inicial- Sorriso
DCAF

Seleção de cor
Caso Clínico
Foto inicial- Aproximado
Caso Clínico
Teste
Caso Clínico
Isolamento absoluto
Caso Clínico
Condicionamento ácido
Caso Clínico
Lavagem
Caso Clínico
Controle de umidade
Caso Clínico
Sistema Adesivo
Caso Clínico
Fotopolimerização
Caso Clínico Inserção de Resina composta
Caso Clínico Aspecto final – Antes do polimento
Caso Clínico Aspecto final
DCAF
Google imagens
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Coroa de aço
Coroas pré-fabricadas de aço cromado com flexibilidade ao nível da margem gengival
Alternativa em restaurações de dentes com múltiplas faces destruídas
Disponíveis no mercado* de vários tamanhos, espessuras, forma anatômica, individuais ou em
caixas

Baixo custo
Adaptação cervical
Reduzido tempo de
trabalho
Simplicidade da Relação proximal e
técnica interproximal
Retenção satisfatória
Estabilidade e Estética
durabilidade elevada
ASSED, SADA; 2005
Tratamento restaurador
Coroa de aço

INDICAÇÕES Lesões e fraturas extensas envolvendo múltiplas


superfícies

Severa anomalia do desenvolvimento do esmalte ou


da dentina

Extensas perdas por atrição, abrasão ou erosão

Apoio para determinados tipos de mantenedores de


espaço

Restauração provisória em molar permanente

Infra-oclusão devido a anquilose

ASSED, SADA; 2005


Tratamento restaurador
Coroa de aço
Seleção da coroa
 Medida mesiodistal do dente
 Espaço presente
 Medida mesiodistal do dente homólogo
 Tentativa e erro
Preparo do dente
 Desgaste M e D
 Redução da altura da coroa ( 1 a 1,5 de superfície oclusal)
 Desgaste das faces V e l
 Arredondamento dos ângulos
Recorte e adaptação da coroa
 Recorte tesoura o pedra trimer ( 1mm subgengival)
 Alicate 114 contornar a coroa
 Teste com sonda para verificar adaptação
 RX
 Confecção de bisel borda cervical
 Polimento
Cimentação ( Ionômero de Vidro) ASSED, SADA; 2005
ASSED, SADA; 2005
Agenda
Características dos Materiais Restauradores

Isolamento

Preparo cavitário

Técnica de Ionômero de Vidro

Técnica de resina composta

Coroa de aço

Coroa de Matriz de celulóide


Tratamento restaurador
Coroa de Matriz de celulóide

Coroa em resina composta em que o dente é restaurado com resina


composta utilizando-se de uma coroa de celuloide como matriz.
Webber et al.1979

Bom desempenho em restaurações de incisivos decíduos com lesões cariosas


amplas e multifacetadas além de molares decíduos para o reestabelecimento
da integridade do arco dental e da oclusão de um molar decíduo
anquilosado.
MCDONALD E AVERY; 2011
Tratamento restaurador

Restauração com coroa em Dente 62


Tratamento restaurador

Escolha da coroa
Tratamento restaurador

Recorte da coroa
Tratamento restaurador

Preenchimento da coroa com resina composta


Tratamento restaurador

Coroa preparada
Tratamento restaurador

Condicionamento ácido
Tratamento restaurador

Lavagem
Tratamento restaurador

Fotopolimerização do Adesivo
Tratamento restaurador

Colocação da coroa em posição


Tratamento restaurador

Coroa Pronta
Tratamento restaurador

Acabamento e polimento
Tratamento restaurador

Dentes 62 e 63 restaurados
Tratamento restaurador
Cimentação de coroas pré-
fabricadas sem o preparo
do dente, sem anestesia e
sem remoção de tecido
cariado.

Google imagens