Você está na página 1de 14

Classificação dos Seres Vivos

AULA 1 Assim como organizamos nossos objetos usando certos critérios como utili-
dade, cor, tamanho e outros, os milhões de seres da natureza também estão
classificados de acordo com vários critérios, que têm mudado ao longo do
tempo, à medida que novos conhecimentos são adquiridos com o avanço da
ciência.

Há um método científico para o arranjo de grupos e subgrupos

Como é dado o nome científico a uma espécie animal?

Cada nova espécie descoberta tem que ser batizada de acordo com as regras da ta-
xonomia, ciência que as classifica. Essas regras foram criadas pelo biólogo sueco Carlos de
Lineu no século 18. Ele sugeriu que cada ser vivo tivesse um nome específico e um longo
pré-nome, que indicasse características comuns dos grupos a que os animais pertencem.
Quanto menos atributos comuns entre a bicharada, maior o grupo: o mais abrangente
é o reino, e o menor, com os indivíduos mais parecidos, a espécie. Daí surgiu a famosa sigla
ReFiCOFaGE que corresponde às iniciais de cada subdivisão: reino (animal, vegetal...), filo
(vertebrados ou invertebrados), classe, ordem, família, gênero e por fim espécie. Antes de
Lineu “botar ordem na casa”, cada um batizava a espécie do jeito que bem entendesse. Ani-
mais idênticos tinham diversos nomes pelo mundo, o que dificultava o estudo.
Em zoologia, ramo da ciência que estuda os animais, foram estabelecidas algumas re-
gras para a nomenclatura: o nome tem de ser latinizado (por exemplo, em latim, não existem
adjetivos ligados a nomes próprios terminados em “a” ou “o”, que são trocados geralmente
por “ii” ou “is”), escrito em itálico (ou sublinhado, se for à mão) e o animal tem de ser bem
descrito, para não correr o risco de ser reclassificado depois. Com tantas espécies e carac-
terísticas, falta nome sério para todos os animais.
Disponível em: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-e-dado-o-nome-cientifico-a-uma-especie-animal.
Acesso em: 20.08.2013. Texto adaptado.

Biologia 2 - Aula 1 5 Instituto Universal Brasileiro


Os reinos dos seres vivos
que a primeira grande diferença entre eles é
Critérios de classificação (taxonomia)
em relação ao núcleo de suas células. Assim,
Classificar os seres vivos significa sepa- eles são divididos em seres procariontes e
rá-los em grupos, de acordo com semelhan- seres eucariontes.
ças apresentadas por eles. Estas semelhan-
ças não se referem apenas às semelhanças
externas do corpo ou aparência, mas também
às semelhanças internas, fisiológicas (de fun-
ção), genéticas etc., e principalmente repro-
dutivas. Procariontes são os seres cujas cé-
lulas não possuem uma membrana (ca-
Taxonomia (do grego antigo táxis, rioteca) envolvendo o núcleo da célula. O
“arranjo” e nomia, “método”). Disciplina material genético fica disperso no citoplas-
acadêmica que define os grupos de or- ma. Nos eucariontes o núcleo é separado
ganismos biológicos, com base em ca- do citoplasma pela carioteca.
racterísticas comuns e dá nomes a es-
ses grupos. Para cada grupo é dado uma
nota e os grupos podem ser agregados Divisão dos reinos
para formar um super grupo de maior
pontuação, criando uma classificação 1. Reino monera – compreende todos
hierárquica. os procariontes: bactérias e algas azuis (ou
cianofíceas), unicelulares. Algumas bacté-
O filósofo grego Aristóteles, no século IV rias, como as cianobactérias, são autótrofas,
a.C., fez a primeira classificação dos seres vi- isto é, produzem o próprio alimento por qui-
vos, dividindo-os em dois grandes grupos: o miossíntese ou fotossíntese.
reino dos vegetais e o reino dos animais. Essa
classificação manteve-se por muito tempo.

Somente por volta de 1735, o botâ-


nico sueco Carl von Linné criou o sis-
tema de nomenclatura binomial (gênero
e espécie), usado até hoje. Primeiro, fo-
ram classificadas as plantas e depois, os 2. Reino protoctista (protistas) – reúne
animais, usando critérios científicos de todas as outras algas, que são eucariontes,
comparação, por exemplo, a disposição unicelulares ou pluricelulares, sem tecidos,
e a estrutura dos órgãos reprodutores. autótrofos fotossintetizantes. Ainda reúne to-
Sua principal obra chama-se Systema dos os seres unicelulares heterótrofos: pro-
naturae. tozoários (ex.: ameba, paramécio).

Os cinco reinos de seres vivos


Atualmente, a classificação bastante em-
pregada (apesar de algumas modificações),
foi criada por R. H. Whittaker em 1959. Sepa- ameba paramécio alga
rando os seres vivos em grupos, observa-se
Biologia 2 - Aula 1 6 Instituto Universal Brasileiro
3. Reino fungi (dos fungos) - compreen-
de seres uni ou pluricelulares, sem tecidos, he-
terótrofos (ex.: cogumelos, bolores, fermento).

Pelo mundo afora, novas espécies


de seres vivos continuam a ser descober-
tas! Veja as oito novidades de 2012:
• Um verme marinho a 2.500 metros
de profundidade, entre a Islândia e as ilhas
4. Reino vegetal (metafita) - abrange
Açores.
todas as plantas: são seres eucariontes, pluri-
• Um rato banguela na Indonésia.
celulares, com tecidos e de nutrição autótrofa
• Um microcamaleão em Madagascar.
(produzem alimento através da fotossíntese).
• Um macaco lesula na região cen-
tral do Congo.
• Uma serpente marinha áspera
(venenosa) na Austrália.
• Um pássaro, pedreiro-do-espinha-
ço, na Serra do Cipó, Minas Gerais.
• Uma lagartixa listrada na Ilha Ma-
nus, Papua Nova Guiné.
5. Reino animal (metazoa) - abrange to-
• Um microssapo, o menor dos
dos os animais: são seres eucariontes, plurice-
vertebrados, nas florestas tropicais de
lulares, com tecidos e de nutrição heterótrofa
Papua Nova Guiné.
(não podem sintetizar seu próprio alimento).

Uma nova classificação surgiu


com o avanço da genética
Visualize a síntese dos cinco O norte-americano Carl Woese propôs
reinos dos seres vivos uma organização baseada no DNA. Achou que
deveria existir uma nova categoria, acima dos
reinos, a qual chamou de “domínio”. Criou, en-
tão, três domínios para agrupar os seres vivos:
1. Domínio Bactéria – (ou eubactérias).
Corresponde aos procariontes do reino monera.
ANIMAIS 2. Domínio Archaea – (arquea, do latim:
antigo, velho). Abrange bactérias especiais, in-
Seres termediárias entre procariontes e eucariontes.
vivos São aquelas que conseguem produzir energia
a partir da luz (fotossintetizantes) e outras,
primitivas, que vivem no fundo dos oceanos
PLANTAS FUNGOS
e são quimiossintetizantes (utilizam a energia
de reações químicas).
3. Domínio Eukarya – Corresponde aos
ALGAS BACTÉRIAS eucariontes. Abrange então: fungos, protistas,
vegetais e animais.

Biologia 2 - Aula 1 7 Instituto Universal Brasileiro


Classificação e nomenclatura Veja, por exemplo, a classificação do ho-
mem e do orangotango:
A área da Biologia que trata da classifi-
cação dos seres vivos é chamada taxonomia, Ser humano
criada no século 18 por Carl von Linné (Lineu).
A unidade básica de classificação bioló- Reino Animal
gica é a espécie. Como regra geral, indivíduos Filo dos Cordados (ou vertebrados)
de espécies diferentes não se cruzam, embora Classe dos Mamíferos
ocasionalmente, se produzam híbridos entre es- Família dos Hominídeos
pécies. Indivíduos de uma mesma espécie são Gênero Homo
subdivididos em grupos menores - as subespé- Espécie Homo sapiens
cies ou raças ou variedades - que diferem em Subespécie Homo sapiens sapiens
relação à forma específica primitiva.
As espécies mais parecidas entre si estão
reunidas num grupo maior, chamado gênero. Orangatango
Dois ou mais gêneros que possuam caracte-
rísticas comuns constituem uma família; duas Reino Animal
ou mais famílias que apresentam característi- Filo dos Cordados (ou vertebrados)
cas em comum constituem uma ordem; duas Classe dos Mamíferos
ou mais ordens que tenham certo número de Família dos Pongídeos
caracteres em comum constituem uma classe; Gênero Pongo
duas ou mais classes que possuam caracteres Espécie Pongo satyrus
em comum constituem um filo. O conjunto de
filos constitui o reino. Verifica-se que o ser humano e o orango-
O reino é o maior, mais abrangente e di- tango pertencem à mesma classe mas, a partir
versificado grupo de seres vivos, no qual pode daí, passam “a pertencer’ a gêneros diferen-
até ser difícil perceber quais as semelhanças tes e portanto, a espécies diferentes. Somos o
que uniram seres tão diferentes. único gênero e a única espécie da família dos
hominídeos. Os demais estão extintos há mais
Resumindo, temos: de um milhão de anos. Assim, por exemplo,
já existiu uma outra espécie; a Homo erectus.
Reino → Filo → Classe → Or- Também já existiu a subespécie Homo sapiens
dem → Família → Gênero → Espécie neanderthalensis, e outras. A prova disto são
os fósseis encontrados pelos paleontólogos.
Ou o inverso:
A estrutura dos reinos permanece in-
tacta, mas ainda há controvérsias em relação
Espécie → Gênero → Família → Or-
aos protistas. Por exemplo, entre os protozo-
dem → Classe → Filo → Reino
ários, são as amebas que se assemelham
mais aos animais. A fim de que a classifica-
Um reino é formado por vários filos.
ção seja a mesma em todo o mundo, os cien-
Cada filo é formado por várias classes.
tistas adotam regras de nomenclatura.
Cada classe é formada por várias
ordens.
Cada ordem é formada por várias
Regras de Nomenclatura:
famílias.
sistema binominal de Lineu
Cada família é formada por vários
gêneros. Conheça algumas das regras mais im-
Cada gênero é formado por várias portantes:
espécies. 1. O nome dos seres deve ser escrito
em latim.
Biologia 2 - Aula 1 8 Instituto Universal Brasileiro
2. Todo ser tem, obrigatoriamente, dois
nomes no mínimo. O primeiro é do gênero e b) ou escrevendo em negrito;
o segundo, da espécie.
Canis
3. O nome do gênero deve ser escrito
sempre com inicial maiúscula. Ex.: Canis lupus
4. O nome da espécie deve ser escrito
sempre com inicial minúscula. Canis familiaris
5. Devemos escrever o nome do gênero e
da espécie, de maneira diferenciada:
c) ou ainda, escrevendo grifado.
a) Escrevendo em itálico;
Canis
Canis (gênero a que pertence o cão e o lobo).
Ex.: Canis lupus
Ex.: Canis lupus (espécie do lobo)
Canis familiaris
Canis familiaris (espécie do cão)

Classificação dos seres vivos

REINO Animalia
Estrela-do-mar

Cobra Tigre Urso


Peixe Minhoca
Raposa
Cavalo Lobo
Anfioxo Cão Homem Ascídia
FILO Chordata

SUBFILO Vertebrata

CLASSE Mammalia

ORDEM Carnívora

FAMÍLIA Canidae

GÊNERO Canis

ESPÉCIE Canis familiaris

Biologia 2 - Aula 1 9 Instituto Universal Brasileiro


O Reino Monera ou das bactérias Mas o estafilococos pode se tornar
bem desagradável quando se instala em
outros ambientes. Na pele, por exemplo,
ele é capaz de provocar de uma espinha
ocasional a infecções graves.
À medida que aprendemos mais
sobre a relação entre nós e nossos mi-
cróbios - e também sobre o complexo
relacionamento que há entre eles -, os
cientistas passam a ver o microbioma
tal como os ecologistas consideram um
ecossistema, ou seja, não como uma
coleção de espécies, mas como um am-
biente dinâmico, definido pela multidão
de interações entre os micróbios. O uso
Elas são invisíveis. Estão por toda indiscriminado de antibióticos pode rom-
parte. E nos dominam. per o equilíbrio entre uma comunidade,
interferindo na nossa saúde.
O mundo invisível é vastíssimo e os
seres que nele habitam podem ser cada Revista National Geographic Brasil, Janeiro de 2013.
Texto adaptado.
vez mais conhecidos graças aos avanços
das pesquisas científicas.
As bactérias constituem os mais sim-
Estrutura da célula bacteriana
ples dos seres, vivendo em toda parte: na
água, no solo, no ar e no interior de ou-
tros seres vivos, podendo ser benéficas ou Mesossomo
causadoras de doenças. Desempenham Reforço da membrana
papel importante no meio ambiente e nas
novas descobertas da biotecnologia. São
formadas por uma única célula, por isso
somente são visíveis ao microscópio. São
procariontes (sem núcleo organizado).
Para estudá-las em laboratório, são feitas
culturas em placas com nutrientes, onde
as bactérias se multiplicam, originando co-
lônias visíveis constituídas por milhões de Ribossomo Cromossomo
indivíduos.
Leia o texto abaixo, escrito pelo mi- Membrana plasmática
crobiologista Nathan Wolfe:

Nosso corpo também abriga perso- Espalhado no citoplasma encontra-se


nagens traiçoeiros. Cerca de um terço dos o material genético e hereditário, na forma
seres humanos carrega nas narinas o es- de um único cromossomo circular. Apre-
tafilococos (Staphylococcus aureus), uma sentam ainda ribossomos (grânulos de RNA)
bactéria benigna em condições normais, dispersos no citoplasma, mas nenhum outro
mas que pode se tornar virulenta. Em ge- organoide celular. Recobrindo a membrana
ral, a competição entre os membros dessa plasmática, há um revestimento resistente
comunidade no nariz parece manter sob que lhes proporciona certa rigidez e funciona
controle essa bactéria. como proteção. Alguns autores chamam este
reforço de parede celular. Numa região da
Biologia 2 - Aula 1 10 Instituto Universal Brasileiro
membrana plasmática forma-se uma prega Bactérias patogênicas
ou dobra, chamada mesossomo, que atua (causadoras de doenças)
no processo da respiração e contém enzimas
respiratórias. Veja abaixo os nomes de algumas das
O cromossomo bacteriano prende-se principais doenças causadas por bactérias:
ao mesossomo.
pneumonia
Formas variadas

Cocos. Forma esfé-


tracoma
rica. Ex.: estreptococos; es-
tafilococos, causadoras de
graves infecções; pneumo- TUBERCULOSE
cocos (pneumonia).

disenterias bacterianas
Bacilo. Forma cilín-
drica, como um bastão. Ex.:
bacilo da tuberculose (baci-
lepra difteria
lo de Koch).
GONORREIA
Vibrião. Forma de
bastão curvo. Pode apresen-
cólera
COQUELUCHE
tar um flagelo para locomo-
ção. Ex.: vibrião da cólera.
meningite meningocócica

Espirilo. Forma re- SÍFILIS


torcida, espiralada. Ex.: a
que causa amigdalite. tétano
Bactérias úteis
• Decompositoras fazem a decompo-
sição dos seres vivos, transformando matéria
orgânica em inorgânica. Vivem em todos os A tuberculose é causada por bac-
meios. térias que afetam principalmente os pul-
• Fixadoras e nitrificantes vivem no mões, mas outros órgãos podem ser
solo, transformam o nitrogênio do ar em sais atingidos, como ossos, rins e meninges
minerais que são absorvidos pelas plantas. (membranas que envolvem o cérebro). A
• As que fazem fermentação, transfor- tuberculose é contagiosa, mas o doente
mando: vinho em vinagre, açúcar em álcool, leite deixa de transmiti-la após cerca de 15
em iogurte. O lactobacilo (Lactobacillus casei) é dias de tratamenato, que dura no mínimo
uma bactéria importante, presente, não só nos seis meses. Em 2010, cerca de 6,2 mi-
iogurtes, queijos e laticínios, mas também na lhões de casos da doença foram notifica-
nossa boca e no intestino. Ela é importante, pois dos no Brasil.
impede a presença de bactérias perigosas.
Biologia 2 - Aula 1 11 Instituto Universal Brasileiro
Balneabilidade das praias

Uma pesquisa feita na Inglaterra re-


velou que nos teclados mais sujos dos
computadores havia cinco vezes mais co-
liformes fecais que na tampa do vaso sa-
Vemos frequentemente anúncios nos nitário! Isso é válido também para caixas
jornais, informando-nos sobre a qualida- eletrônicos e celulares.
de das praias, principalmente no verão.
Leia abaixo, o que foi publicado no jornal
O Estado de S. Paulo em 22 de dezem-
bro de 2012:
O litoral paulista tem 43 praias com
condições de balneabilidade consideradas Luta alimentar. Nossos intestinos
impróprias para o banho, segundo as úl- não são só nossos! Dentro deles, células
timas medições da Companhia Ambiental humanas estão em guerra com trilhões de
do Estado de São Paulo (Cetesb), feitas bactérias; uma batalha para decidir o que
entre os dias 16 e 18 de dezembro. O acontece aos alimentos conforme eles se
destaque negativo fica com a Praia Gran- movem pelo corpo. Alguns microrganis-
de, que tem 11 das 12 praias analisadas, mos são benéficos, ajudando-nos a extrair
em condições ruins para o contato com a a energia da comida; outros espreitam e
água. Na cidade, apenas a praia da Flóri- esperam a chance de invadir nossas vís-
da foi considerada adequada. ceras à custa da saúde.
A qualidade da água do mar está rela- Adaptado da revista Scientific American. Janeiro de 2013.
cionada à quantidade de coliformes fecais
detectados na análise feita pela Cetesb.
Coliformes fecais são as bactérias Esche- Respiração (bactérias respiram?)
richia coli, inofensivas, que habitam o nos-
so intestino. Todos nós eliminamos trilhões A respiração é um processo bioquímico
delas nas fezes, diariamente. Portanto, a de produção de energia para a manutenção
presença dessas bactérias indicam sujeira da vida, permitindo a realização de reações
na água ou em qualquer lugar, evidencian- químicas no interior da célula. Bactérias são
do a contaminação por fezes. A ingestão seres vivos, portanto, respiram!
de alimentos contaminados causa sérias Há bactérias aeróbias, que necessitam
diarreias, com quadros de febre e desidra- de oxigênio e há bactérias anaeróbias, que
tação. A higiene das mãos é o principal não necessitam de oxigênio para sua sobrevi-
cuidado que se deve observar ao manuse- vência. Como exemplos de bactérias anaeró-
ar alimentos, e também a esterilização de bias, citamos os lactobacilos, que são as
frutas e legumes, lembrando por quantas bactérias que fazem a fermentação do leite;
mãos eles passaram. também são anaeróbias as bactérias que cau-
sam as doenças do tétano e do botulismo.
Biologia 2 - Aula 1 12 Instituto Universal Brasileiro
Algumas são autótrofas
luz
CO2 + 2 H2 (CH2O) + H2O
As bactérias autótrofas são as que
fazem fotossíntese e outras que fazem luz
quimiossíntese. CO2 + 2 H2S (CH2O) + H2O + S
carboidrato enxofre
Quimiossíntese é a produção de com-
postos orgânicos a partir de água e gás car-
bônico, sem necessitar de energia luminosa,
mas utilizando a energia obtida pela oxida- Reprodução
ção de moléculas inorgânicas. As sulfobac-
térias e as ferrobactérias são exemplos de Reprodução assexuada
quimiossintetizantes. As que vivem no fundo
dos oceanos oxidam o ácido sulfídrico (H2S) É comum a ocorrência de reprodu-
produzido por emanações vulcânicas. Para ção assexuada, através de simples divisão
haver oxidação é necessária a presença de da célula bacteriana, processo conhecido
oxigênio (O2). Assim, as sulfobactérias oxidam como cissiparidade ou bipartição. Ocor-
o gás sulfídrico, obtendo energia para a sínte- re duplicação do material genético, distri-
se dos carboidratos que necessitam. buição do citoplasma e produção de duas
células iguais. Podem acontecer inúmeras
Veja a equação que representa divisões num curto espaço de tempo. As-
esse processo sim, as bactérias aumentam rapidamente
em quantidade e se espalham no ambiente
onde se encontram.
2 H2S + O2 2 H2O + 2 S + Energia Quando as condições do ambiente em
que se encontram são desfavoráveis à sua
As bactérias nitrificantes também fa- sobrevivência, muitas bactérias formam es-
zem quimiossíntese, reciclando o nitrogênio. poros, que são formas muito resistentes e
Elas pertencem aos gêneros Nitrosomonas e resultantes da contração do conteúdo celu-
Nitrobacter. lar. Quando o meio se torna favorável, retor-
As Nitrosomonas obtêm energia através nam à atividade. Dessa forma, muitas po-
da oxidação de íon amônio presente no solo, dem se espalhar levadas pelo vento, poeira,
transformando-o em íon nitrito: água etc.

NH4+ NO2- Reprodução sexuada


(amônio) (nitrito)
Entre as bactérias pode ainda ocorrer
As Nitrobacter utilizam o íon nitrito, trans- um tipo de reprodução sexuada chamada de
formando-o em íon nitrato: conjugação.
Duas bactérias se aproximam e num
NO2- NO3- ponto de contato entre elas forma-se uma
(nitrito) (nitrato) comunicação. Uma das bactérias, que fun-
ciona como doadora, duplica parte de seu
Essas bactérias são muito importantes, material genético e passa para a outra. Na
pois os nitratos formados são essenciais ao bactéria receptora há uma recombinação
metabolismo das plantas. entre o material dela própria com o mate-
As bactérias fotossintetizantes usam o rial recebido. Desta forma, há uma mudan-
gás carbônico e hidrogênio ou ácido sulfúrico, ça genética que pode favorecer a bactéria
no lugar da água, para produzirem carboidrato, receptora, na medida em que esta adquire
sempre na presença de luz. Não produzem caraterísticas diferentes determinadas pela
oxigênio como na fotossíntese das plantas. variabilidade genética.
Biologia 2 - Aula 1 13 Instituto Universal Brasileiro
Esquema da conjugação na superfície dentária. Essa bactéria li-
bera ácido lático, que destrói o esmalte,
Bactéria formando as cáries.
reprodutora
Apenas na língua, foram encontra-
das 92 espécies de microrganismos, al-
guns responsáveis pelo mau hálito.
VARELLA, Dráuzio. Os micróbios da boca.

Bactéria
doadora

Superbactérias: compreenda o que são

Você deve ter ouvido falar da KPC,


bactéria que andou provocando surtos nos
Estados Unidos em 2001 e no Brasil em
2005. Essa bactéria, chamada Klebsiella
pneumoniae carbapenemase, é restrita a
ambientes hospitalares e atinge pacientes
mais graves, que têm o sistema imunoló-
gico debilitado. Pessoas saudáveis correm
risco mínimo de contaminação.
A Agência Nacional de Vigilância Sa-
nitária (ANVISA) notificou que outras super-
bactérias são tão ou mais prevalentes que
a KPC. Isso significa que bactérias antes
comuns podem tornar-se resistentes a anti-
Os micróbios da boca
bióticos e, ao atingirem todos os órgãos de
A boca é um ecossistema comple- um doente, causam infecção generalizada,
xo. Na década de 1960, pesquisadores que pode levar o indivíduo à morte.
americanos verificaram que nas placas O que ocorre? Toda bactéria possui
dentárias havia populações distintas de uma estrutura genética móvel, chamada
bactérias, e que a mucosa da boca e a plasmídio, capaz de se transferir de uma
superfície dos dentes eram revestidas por bactéria para outra. Depois de receber
microrganismos dispostos em camadas fi- este código genético de outra bactéria, a
nas, denominadas biofilmes. Klebsiella (KPC), antes inofensiva, passou
No início dos anos de 1990, técnicas a resistir aos remédios, por mais podero-
mais avançadas identificaram mais de 700 sos que fossem. O gene capaz de dar re-
espécies diferentes de germes vivendo em sistência é passado para outras bactérias,
estilo comunitário na cavidade oral humana. que se tornam oportunistas e contaminam
Os microrganismos vivem em re- pessoas debilitadas. Assim, bactérias ino-
giões diferentes da nossa boca: uns na fensivas como a Pseudomonas e a Es-
superfície da língua, outros nas gengi- cherichia coli podem se tornar perigosas.
vas, outros nos dentes. Por exemplo, a Essas bactérias, ao se reproduzirem, ori-
bactéria Streptococcus mutans, que se ginam” filhotes” também resistentes.
alimenta de açúcar, vive exclusivamente

Biologia 2 - Aula 1 14 Instituto Universal Brasileiro


Importância das bactérias
O mau uso de antibióticos, como
doses incorretas ou períodos que não No meio ambiente
são rigorosamente observados, leva as
bactérias a adquirirem resistência, crian- Substâncias biodegradáveis são as
do enzimas que desativam a ação do que se decompõem pela ação bacteriana.
remédio. As bactérias, presentes no solo e na água,
Por esse motivo a ANVISA estabe- produzem enzimas que quebram as molécu-
leceu normas para o controle da venda las de cadeias lineares (mais simples que as
de antibióticos nas farmácias. Além dis- cadeias ramificadas) daquelas substâncias.
so, obrigou a distribuição de álcool em gel Por exemplo, os detergentes biodegradáveis
nas entradas e nos quartos hospitalares, já são produzidos com substâncias de molé-
para que todas as pessoas higienizem culas mais simples.
suas mãos antes das visitas, a fim de pre-
venirem a contaminação dos pacientes. Na tecnologia - biotecnologia

Futura fonte de eletricidade. Algumas


espécies de bactérias usam proteínas para
mover elétrons do interior para o exterior de
uma célula. A identificação da estrutura mo-
lecular dessas proteínas será de importância
crucial para se ter nas bactérias uma futura
Bactérias e o efeito estufa:
fonte de energia.
qual a relação?

A digestão de animais ruminantes, As outras moneras


como vacas, cabras, ovelhas e outros, é
Cianobactérias ou cianofíceas
feita principalmente no estômago e não
(algas azuis)
nos intestinos, como nos seres huma-
nos. O gado bovino emite grande quan-
São seres do reino monera, unicelula-
tidade de gás metano (CH4) proveniente
res e procariontes. Na classificação antiga
da digestão feita por bactérias presentes
foram chamadas de algas azuis, pois mui-
no estômago das vacas e bois. Essas
tas apresentam cor azulada devido à pre-
bactérias são por um lado, benéficas ao
sença de um pigmento de cor azul chamado
gado e, por outro, prejudiciais ao meio
ficocianina (kyanos = azul). Podem apre-
ambiente.
sentar outras cores, e os pigmentos se as-
14% dos gases estufa do mundo são
sociam à clorofila, ficando espalhados pelo
provenientes da agricultura e 2/3 de toda a
citoplasma, pois não há cloroplastos. Acre-
amônia vêm das vacas. O volume do gás
dita-se que os cloroplastos, presentes nas
metano emitido pode chegar de 200 a 500
células de todas as plantas, originaram-se,
litros por dia.
por evolução, de formas primitivas dessas
bactérias.

estômago de ruminante

Biologia 2 - Aula 1 15 Instituto Universal Brasileiro


Apresentam uma parede celular de ce-
lulose e uma capa gelatinosa. São respon-
sáveis pela produção e manutenção do gás
oxigênio do planeta. Fazem parte do fito-
plâncton (flutuantes) e podem aparecer no
fundo dos oceanos e dos rios, dando colo- Reinos dos Seres Vivos
ração azulada ao ambiente.
Classificação dos seres vivos em 5 reinos
Monera, Protoctistas (protistas), Fun-
gos, Vegetais e Animais.

Classificação atual (domínios), com


base no DNA: acima dos reinos
O perigo das algas azuis
Domínio Bactéria - todas as bactérias
Sozinhas são microscópicas, mas em do reino monera, as verdadeiras bactérias.
grande número modificam a qualidade da Domínio Archaea (arquea) - bactérias es-
água por produzirem toxinas, odores ou peciais, fotossintetizantes e quimiossintetizantes.
uma espuma densa, como uma nata, de
Domínio Eukarya - todos os eucarion-
cor verde azulada na superfície da água, tes: protistas, fungos, vegetais e animais.
chamada de floração. Beber água com
cianobactérias tóxicas pode provocar náu- Abaixo dos domínios, a estrutura dos
seas, vômitos, dores abdominais, diarreias, reinos continua igual.
complicações no fígado e fraqueza muscu-
Bactérias. Unicelulares, procariontes
lar. Essa água não é indicada para uso na
(sem núcleo). Possuem um só cromossomo
cozinha, lavagem de verduras e frutas, nem circular. Membrana plasmática com reforço,
na alimentação de animais. Deve-se evitar presença de mesossomo para respiração.
comer peixes, mariscos e camarões pesca- Tipos quanto à forma da célula. Co-
dos em águas com cianobactérias. cos (esférica), bacilo (bastonete), vibrião
Disponível em: http: // www.copasa.com.br/media2. (curva) e espirilo (espiralada).
Umas são benéficas, outras, prejudi-
ciais, causadoras de graves doenças.
Bactérias comuns, inofensivas, podem
se tornar superbactérias quando se tornam
geneticamente resistentes aos antibióticos.
As bactérias têm papel importante no
meio ambiente, decompondo moléculas de pro-
As cianobactérias foram um dos pri- dutos biodegradáveis. Também poderão consti-
meiros seres vivos a aparecerem na Ter- tuir fonte de energia sustentável no futuro.
ra e acredita-se que tenham tido papel Cianobactérias. Chamadas de algas
preponderante na formação do oxigênio azuis, constituem uns dos seres mais primiti-
da atmosfera, através da fotossíntese. E vos da Terra. São responsáveis pela produção
continuam sendo até hoje nos oceanos, e manutenção do oxigênio no planeta, desde o
os maiores produtores de oxigênio e pro- início da vida. As formas primitivas transforma-
vedores de nitrogênio para as cadeias ram-se em cloroplastos, dentro das células ve-
alimentares dos mares, sendo ainda de getais. Unicelulares, podem viver na superfície
das águas ou até no fundo dos mares, confe-
utilidade na produção de biocombustíveis
rindo coloração azul ao ambiente. Em grande
como o biodiesel.
quantidade em locais de águas paradas e com
Wikipedia, a enciclopédia livre - Cianobactérias. despejo de esgotos, essas bactérias são tóxi-
Texto adaptado. cas, tornando a água imprópria para uso.

Biologia 2 - Aula 1 16 Instituto Universal Brasileiro


d) ( ) Uma família é formada por vários
gêneros, assim como cada gênero é formado
por várias espécies.

5. O mau cheiro proveniente de pânta-


1. São seres procariontes: nos e depósitos de lixo, deve-se, muitas ve-
zes, à formação do gás metano, produzido
a) ( ) fungos e plantas. por certas bactérias que utilizam a energia da
b) ( ) fungos e bactérias. reação entre o gás carbônico e o hidrogênio,
c) ( ) bactérias e cianofíceas. na ausência de luz e de oxigênio:
d) ( ) plantas e animais.
CO2 + H2 CH4 + H2O + energia
2. A unidade básica de classificação dos
seres vivos é: O processo realizado por essas bacté-
rias chama-se:
a) ( ) o reino.
b) ( ) a classe. a) ( ) fotossíntese.
c) ( ) o gênero. b) ( ) fermentação.
d) ( ) a espécie. c) ( ) quimiossíntese.
d) ( ) respiração.
3. (Uneb-BA) Sobre a nomenclatura
zoológica científica, criada como sistema bi- 6. As cianobactérias são importantes
nomial por Lineu e em uso até os dias de hoje, para o meio ambiente, porque:
fizeram-se as seguintes afirmações:
a) ( ) são unicelulares e flutuam, fazen-
I - Seu uso facilita a comunicação entre do parte do fitoplâncton.
pessoas que falam diferentes idiomas. b) ( ) servem de alimento aos peixes.
II - O latim foi adotado para designar os c) ( ) podem possuir um pigmento azul,
nomes científicos. que lhes justifica o nome de algas azuis.
III - Como os organismos recebem nomes d) ( ) produzem e mantêm a maior quan-
populares que variam de região para região, o uso tidade de oxigênio para a atmosfera terrestre.
de nomes científicos garante uma uniformidade.
7. Pertencem ao mesmo reino:
É correto o que se afirmou em:

a) ( ) I, apenas.
b) ( ) I e II, apenas.
c) ( ) I e III, apenas. ANIMAIS
d) ( ) I, II e III.
Seres
4. Assinale a única alternativa incorreta. vivos
PLANTAS FUNGOS
a) ( ) Um reino é formado por vários filos,
assim como cada filo é formado por várias classes.
b) ( ) Um filo é formado por várias clas- ALGAS BACTÉRIAS

ses, assim como cada classe é formada por


várias ordens. a) ( ) borboleta, milho, goiaba.
c) ( ) Um filo é formado por várias clas- b) ( ) estreptococo, cogumelo, gato.
ses, assim como cada classe é formada por c) ( ) polvo, lagarto, elefante.
vários gêneros. d) ( ) alga, capim, ameba.
Biologia 2 - Aula 1 17 Instituto Universal Brasileiro
várias ordens. As ordens são formadas por
várias famílias e estas, por gêneros. Cada gê-
nero reúne várias espécies. Por exemplo, o
gênero Tabebuia (ipê) possui várias espécies
cujas flores apresentam cores diferentes.
1. c) ( x ) bactérias e cianofíceas.
5. c) ( x ) quimiossíntese.
Comentário. Seres procariontes são os
que não têm um núcleo separado do citoplas- Comentário. As bactérias responsáveis
ma por uma membrana (carioteca). Somente pelo mau cheiro de lixões e águas paradas,
as bactérias e as cianofíceas ou cianobacté- vivem sem oxigênio, aproveitando-se da ener-
rias são procariontes. Fungos, plantas e ani- gia liberada da reação entre o gás carbônico
mais e também os protistas são eucariontes. e o hidrogênio. Nessa reação, há formação
do gás metano, que escapa para o ambiente.
2. d) ( x ) a espécie. Também é chamado gás dos pântanos.

Comentário. Na classificação biológi- 6. d) ( x ) produzem e mantêm a


ca, a espécie caracteriza indivíduos muito se- maior quantidade de oxigênio para a at-
melhantes entre si, que se cruzam, originando mosfera terrestre.
descendentes férteis. Exemplo: o cão e o lobo
pertencem ao mesmo gênero: Canis. O cão Comentário. As alternativas a, b e c
doméstico pertence à espécie Canis familia- contêm afirmações corretas, mas referem-se a
ris, enquanto o lobo é da espécie Canis lupus. características das cianobactérias. A importân-
São de espécies diferentes. cia para o meio ambiente está na produção de
oxigênio, através da fotossíntese que realizam.
3. d) ( x ) I, II e III. Não só as cianobactérias, mas todas as algas
unicelulares flutuam, contituindo o fitoplâncton
Comentário. As três afirmações estão e são fonte de oxigênio para a atmosfera.
corretas. Em reuniões e publicações científicas
o uso de nomenclatura internacional é impor- 7. c) ( x ) polvo, lagarto, elefante.
tante, pois garante o entendimento dos parti-
cipantes, que falam diferentes idiomas. Além
disso, nos diferentes países muitos nomes
populares são usados para uma determinada
espécie, dependendo da região. Por exemplo, ANIMAIS

só no Brasil, um inseto é conhecido por muitos Seres


nomes: mosquito, pernilongo, muriçoca, cara- vivos
panã, mosquito-prego. Se forem mencionados
os nomes científicos das espécies Anopheles PLANTAS FUNGOS

e Aedes aegypti, os cientistas do mundo todo


já os reconhecem como os transmissores da ALGAS BACTÉRIAS
malária e da dengue, respectivamente.
Comentário. A alternativa c é a única
4. c) ( x ) Um filo é formado por vá- que encerra seres do mesmo reino: animal
rias classes, assim como cada classe é for- (polvo, lagarto e elefante). Estão incorretas:
mada por vários gêneros. a, que contém os reinos animal (borboleta) e
vegetal (milho e goiaba); b contém os reinos
Comentário. A sequência correta na monera (bactéria estreptococo), fungo (cogu-
classificação seria: um filo é formado por melo) e animal (gato); d contém os reinos pro-
várias classes e cada classe é formada por tista (alga e ameba) e vegetal (capim).
Biologia 2 - Aula 1 18 Instituto Universal Brasileiro