Você está na página 1de 18

AULA 10

Vertebrados II – Aves e Mamíferos


As aves são aparentadas com os dinossauros (répteis); o desenvolvimento
das penas foi um fator evolutivo de isolamento térmico. Já os mamíferos são
considerados os vertebrados mais importantes na escala evolutiva, classe
que inclui a espécie humana.

Aves e mamíferos têm em comum a capacidade de manter constante a


temperatura do corpo, a partir do metabolismo

Entenda a fisiologia da temperatura corporal

A homeotermia define a capacidade de manter a temperatura interna constante ou com va-


riações mínimas em relação à externa. Por mais que a temperatura do meio varie, a temperatura
corporal dos homeotermos se mantém constante. Popularmente, são identificados como animais
com “sangue quente”, ao contrário dos animais de “sangue frio” (poiquilotermos, pecilotermos ou
heterotermos) como os anfíbios, peixes e répteis.
Em geral, os animais homeotérmicos mantêm altas temperaturas corporais; no caso dos seres
humanos 36,5 graus. No entanto, aves e mamíferos hibernantes podem ficar longos períodos com tem-
peraturas muito baixas, próximas a zero grau. Além do que, lagartos expostos ao sol podem manter tem-
peratura bem alta, até maior do que a do ambiente. A partir dessas constatações foi proposta uma nova
nomenclatura, com base na origem do calor corporal: ectotérmicos para animais que dependem de uma
fonte externa de calor; e endotérmicos para aqueles que dependem da produção interna de calor.
O fato é que a capacidade de manter a temperatura estável (homeotermia), a partir do próprio meta-
bolismo interno (endotermia), é considerada a principal característica que permitiu às aves e aos mamíferos
a conquista de todos os ambientes terrestres. E o sistema nervoso é o responsável pela integração dos
diferentes sistemas e aparelhos orgânicos que regulam o contato que é mantido tanto com o meio externo
quanto com o interno. O centro nervoso que regula a temperatura corpórea é o hipotálamo.

Biologia 2 - Aula 10 151 Instituto Universal Brasileiro


Vertebrados II – Aves e Mamíferos
Aves
São vertebrados que conquistaram o
meio terrestre de modo muito mais eficiente
que os répteis. Além da homeotermia, outra
característica marcante é a estrutura do es-
queleto como adaptação ao voo. Para voar, o
corpo precisa ser leve e o esqueleto das aves Fóssil da Arqueoptérix Desenho representativo
é formado por ossos ocos, chamados ossos
pneumáticos, que permitem a circulação in- Atualidade
terna do ar.
Um grupo de pesquisadores brasileiros
anunciou em 14/08/2014, uma descoberta de
impacto mundial: eles identificaram um con-
junto de fósseis de 47 pterossauros (répteis
voadores pré-históricos) de uma espécie até
agora desconhecida, que viveu há 80 milhões
de anos na Região Sul do País (noroeste do
Paraná). O tamanho deles variava de 0,65 a
2,35 metros de envergadura.

Folha de S. Paulo, 15.08.2014.

Além disso, possuem o osso do peito (cha-


mado esterno) em forma de quilha, aerodinâmi- Diversidade de tamanhos,
ca, que facilita o deslocamento no ar. Existem formas e cores das aves
aproximadamente 9 mil espécies de aves habi-
tando todos os ambientes terrestres e aéreos.

As aves evoluíram dos As aves variam muito em seu tamanho,


dinossauros terópodes dos minúsculos beija-flores a espécies de
grande porte como o avestruz e a ema. Note
De acordo com estudos paleontológicos re- que todos os pássaros são aves, mas nem to-
centes, utilizando fósseis, as aves tiveram origem no das as aves são pássaros.
Período Jurássico, por volta de 150 milhões de anos
atrás. A primeira ave tinha bico, dentes e garras e
recebeu o nome de Archaeopteryx (do grego ar-
chaios =a ntigo e pteryx = asa ou pena). Muitos des-
ses fósseis possuem impressões de penas, o que
constitui uma evidênciadireta dessas estruturas. Os
cientistas basearam-se no fóssil encontrado para
representar o corpo do animal através de desenhos.

Biologia 2 - Aula 10 152 Instituto Universal Brasileiro


A ema é a maior e mais
pesada ave do Brasil

Por exemplo, as que têm bico achatado Habita as planícies sul americanas, es-
e pés palmados, como os patos, gansos e cis- pecialmente os cerrados e os Pampas do Bra-
nes, pertencem ao grupo das anseriformes. sil, Paraguai, Argentina e Uruguai. De pluma-
Aves com garras desenvolvidas e bicos fortes gem castanha e acinzentada, a ema chega a
encurvados, formam o grupo das falconifor- 2 metros de comprimento, com 1,5 metros de
mes: falcões, gaviões e águias. envergadura. Alcança 1,70 m de altura, com
peso que varia de 25 a 35 kg. Suas penas
são utilizadas como adorno, para decoração,
enquanto sua carne é comestível, apesar de
fibrosa e mole. Embora não voe, a ema é a se-
gunda ave mais veloz do mundo em corridas,
alcançando cerca de 60 km/h, perdendo ape-
nas para o avestruz, que alcança os 80 km/h.
Suas grandes asas permitem um maior equilí-
brio, o que lhe permite a mudança de direção
na corrida. O mais curioso é que o macho é
quem choca os ovos após a postura, enquanto
as fêmeas procuram outro harém em forma-
ção, no qual irá passar pelo mesmo processo
de acasalamento e postura dos ovos. Cada
fêmea acasala com três machos, podendo
Dois grandes grupos das aves: ter, portanto, 12 crias. Quando o macho choca
os ovos, torna-se extremamente agressivo a
ratitas e carinatas qualquer aproximação, atacando com violên-
cia ao sentir alguma ameaça.
Ratitas
Disponível em: Infoescola.com/aves/ema.
Adaptado. Acesso em: 04.07.2014.
As ratitas têm o esterno achatado e não
voam. Exemplos: a ema (no Brasil), o avestruz
(na África) e o kiwi (na Nova Zelândia), única Carinatas
ave sem asas.
As carinatas são as aves voadoras, exce-
to os pinguins, cujas asas são transformadas em
nadadeiras a fim de se locomoverem na água.

Ema

Osso esterno

kiwi Avestruz

Biologia 2 - Aula 10 153 Instituto Universal Brasileiro


Todas possuem o osso esterno grande, resistente, que serve para proteger a delicada
com forma de quilha. É o maior grupo, com pele contra o desgaste; funcionam como iso-
muitas ordens e a dos passeriformes (pássa- lante térmico para a manutenção da elevada
ros) é a que abrange maior número de espé- temperatura corpórea; nas asas e na cauda
cies, com corpo pequeno e grande capacida- formam superfícies que não deixam ressecar
de de voo. Exemplos: sabiá, bem-te-vi, pardal, o corpo da ave durante o voo. As penas são
canário, periquito, andorinha, beija-flor. estruturas mortas, formadas de queratina. Há
três tipos de penas: as grandes (rêmiges), das
asas, propulsionam o voo; as da cauda (rectri-
zes), direcionam o voo, facilitando decolagens
e descidas; as penas menores (tectrizes) são
plumas que recobrem todo o corpo.
Coruja é a ave soberana da noite

Para muitos povos a coruja significa


mistério, inteligência, sabedoria e conheci-
mento. Ela tem a capacidade de enxergar
através da escuridão, conseguindo ver o
que os outros não veem. A coruja simboliza
a reflexão, o conhecimento racional e intui-
tivo. Na mitologia grega, Athena, a deusa
da sabedoria, tinha a coruja como símbolo.
Os gregos consideravam a noite o momen-
to propício para o pensamento filosófico.
Pela sua característica de animal notívago
(noturno), era vista pelos gregos como sím-
bolo da busca pelo conhecimento.
• Pele. As aves têm a pele seca, sem
Disponível em: www.significa- glândulas. Mas há uma exceção: a glândula
do. com.br/coruja. Acesso em: 06.07.2014. uropigiana, localizada na base da cauda, que
Fragmento adaptado.
secreta uma substância oleosa impermeabili-
zante das penas. As aves aquáticas não se
molham porque, com o bico, espalham essa
Fatores que contribuem para a substância pelas penas.
diminuição do peso das aves
Glândula
Além da estrutura do esqueleto, outras Uropigiana
importantes adaptações contribuem para a
diminuição do peso corporal das aves:
• Ausência de dentes. Elimina a ne-
cessidade de ossos pesados como maxilares
e de músculos para mastigação. O bico é uma
estrutura leve, formada por um fino osso re-
vestido de queratina. • Sacos aéreos. São evaginações que
• Asas. As aves são tetrápodas, porém, saem dos pulmões e penetram entre os ór-
têm os membros anteriores transformados em gãos, até o interior dos ossos, constituindo
asas, uma adaptação ao voo. São bípedes uma notável adaptação ao voo. Os sacos aé-
quando se deslocam no solo. reos possuem as seguintes funções:
• Penas. Recobrem o corpo das aves 1. Refrigeram o corpo do animal du-
e constituem um revestimento leve, flexível e rante o voo, mantendo constante a tempera-
Biologia 2 - Aula 10 154 Instituto Universal Brasileiro
tura corpórea, numa ocasião em que a taxa Nas aves granívoras ele se apresen-
metabólica é extremamente elevada; ta dividido em duas partes: o proventrículo
2. Contribuem para a diminuição do (estômago químico, secreta enzimas) e a
peso da ave, pelo fato de conterem ar quente; moela, com paredes espessas e musculo-
3. Desempenham importante papel na sas, funciona como estômago mecânico ou
respiração durante o voo, porque, ao serem triturador. Dentro dela há pequenas pedras
comprimidos, insuflam ar nos pulmões, propi- e grãos de areia que o animal engole e aí
ciando contínuo arejamento. são submetidos à trituração, auxiliando a re-
Na figura, podemos observar a existên- dução das partículas de alimento.
cia de 8 sacos aéreos. O papo de algumas aves, como o das
pombas, por exemplo, secreta uma subs-
Sacos Aéreos tância leitosa que é lançada para fora e co-
locada dentro da boca dos filhotes para nu-
tri-los. Essa substância é conhecida como
Cervical
Traqueia “leite de pomba”.
As aves possuem a língua estreita,
Interclavicular pouco móvel e com a superfície corneifica-
Torácico da. No papagaio, ela é bem mais desenvol-
posterior
Torácico vida e recurvada, servindo para manipular e
anterior abrir os frutos. O bico das aves tem tama-
nho e forma variáveis, conforme a espécie,
Abdominal
adaptado ao tipo de alimentação.

• Ausência de bexiga urinária. Con- Sistema respiratório


tribui para a diminuição do peso corporal,
pois não há armazenamento de urina. À me- Formado inicialmente por duas narinas,
dida que a urina sai dos rins, vai sendo elimi- abertas no bico. A traqueia é longa e termina na
nada várias vezes ao dia, junto com as fezes, bifurcação com os dois brônquios. Os pulmões
em forma pastosa e esbranquiçada. são relativamente pequenos, mas possuem uma
rede de canalículos que se comunicam com os
sacos aéreos. Além de armazenarem ar para a
Anatomia interna das aves
respiração, os sacos aéreos comunicam-se por
canais às cavidades dos ossos pneumáticos,
tornando o corpo mais leve para o voo.

O órgão do canto

As aves não possuem cordas vocais


Sistema digestório na laringe, mas existe uma estrutura es-
pecializada chamada siringe, responsável
Boca com bico córneo, faringe, esôfago pela produção e emissão de sons. Locali-
e estômago. O esôfago forma uma dilatação, za-se na extremidade terminal da traqueia
o papo, que armazena e amolece o alimento, e porções iniciais dos dois brônquios primá-
sendo muito desenvolvido nas aves granívo- rios. As aves que emitem sons provocados
ras (comedoras de grãos). Nas aves carnívo- pela siringe (canto) são denominadas aves
ras, o estômago é simples, como nos répteis.
Biologia 2 - Aula 10 155 Instituto Universal Brasileiro
canoras. As paredes lateral e medial
dos brônquios são membranosas e pro-
duzem sons quando sujeitas a vibra-
ções. O pato e o cisne machos possuem
uma ampola óssea (supostamente uma A menor ave
caixa de ressonância) na face esquerda
da siringe, produzindo sons caracterís-
ticos dessas aves.

Os beija-flores ou colibris são as me-


nores e mais leves aves do mundo, repre-
sentadas por 350 espécies. Seu enorme co-
ração, que representa de 19 a 22% do peso
Sistema circulatório total do corpo, facilita a rápida circulação do
sangue. Alguns beija-flores desenvolvem ve-
O coração das aves é formado por locidades médias que vão de 30 a 70 km por
quatro cavidades: dois átrios e dois ven- hora e a vibração das asas pode atingir 50 a
trículos, com separações completas. A cir- 70 batidas por segundo. São as únicas aves
culação é dupla e completa, não havendo que conseguem ficar literalmente paradas no
mistura de sangue. O átrio direito recebe ar, decolar e aterrissar verticalmente, e até dar
marcha à ré em pleno vôo; O espetacular colo-
duas veias cavas anteriores, uma cava pos-
rido dos beija-flores origina-se do fenômeno da
terior e as veias coronárias. O átrio esquer- refração da luz, através da microestrutura das
do recebe as veias pulmonares, com sangue penas. As mudanças de cores, observadas
oxigenado. Do ventrículo direito sai um tron- numa mesma ave, variam de acordo com o ân-
co pulmonar que se bifurca em duas artérias gulo de incidência da luz solar ou com a movi-
pulmonares, que levam sangue venoso para mentação do corpo. Dizem que Igor Sirkorski,
receberem oxigênio nos pulmões. Do ven- que inventou o helicóptero, baseou suas ideias
trículo esquerdo parte uma aorta, levando na observação contínua do voo dos beija-flo-
sangue arterial para todo o corpo. res. No entanto, o helicóptero não pode voar
de cabeça para baixo. Os beija-flores podem.
Órgãos dos sentidos Disponível em: www.portalsaofrancisco/beija-flor.
Fragmento adaptado. Acesso em: 04.07.2014.
As aves têm grande acuidade visual
(veem a distância), enxergam as cores e
são capazes de enxergar em quase toda a Reprodução
volta da cabeça. Possuem, sob as pálpe-
bras, uma membrana chamada nictitante, Geralmente entre as aves, há dimorfis-
que protege os olhos durante o voo, evitan- mo sexual: os machos são maiores e apre-
do o ressecamento. sentam penas coloridas, ou grandes papos e
O olfato e a audição também são bas- cristas. Essas características e o canto, princi-
tante desenvolvidos. As aves não possuem palmente, são atrativos para o acasalamento.
orelha externa. No aparelho genital masculino encontra-
Biologia 2 - Aula 10 156 Instituto Universal Brasileiro
mos dois testículos ovoides situados adiante dos
Membrana da casca
rins. Os canais deferentes partem de dois epidí- Embrião
dimos e deságuam na cloaca. Em algumas aves Clara
(pato, cisne, avestruz), há um pênis idêntico ao Câmara
de ar
dos répteis. Nas fêmeas só existe o ovário es-
querdo, sendo que o direito se atrofia. O mesmo
ocorre com o oviduto direito. A fecundação ocorre
na porção alargada do oviduto, próximo ao ovário.
No oviduto esquerdo distinguimos as Líquido
amniótico
glândulas da albumina, responsáveis pela se- Gema
creção da clara, e as glândulas que secretam as Alantoide
membranas da casca. No ovo formado distingui-
mos a gema e os envoltórios, representados
por: albúmen, membranas da casca e casca.

Ovo
A formação do ovo, passo a passo

O único ovário libera vários óvulos ricos


em vitelo (gema). Ao migrar para o oviduto, o
óvulo (fecundado ou não), recebe camadas de
albumina (clara) e ao chegar à porção mais dila-
tada, permanece algumas horas até completar a
formação de membranas que envolvem a clara.
Continuando a descer pelo oviduto, recebe uma
camada de carbonato de cálcio, último envoltó-
Casca rio, secretado pela glândula da casca. Já pronto,
Chalaza o ovo é expelido pela cloaca e a casca endurece
imediatamente ao entrar em contato com o ar,
Clara permanecendo porosa para permitir a entrada
Gema
do oxigênio e saída do gás carbônico. Se o óvulo
foi fecundado (ovo galado), contém um embrião
Câmara Membrana em desenvolvimento e se não houve fecundação
de ar da Casca (ovo não galado), a aparência externa do ovo é
igual, apenas não contém o embrião.

A clara ou albúmen apresenta uma cama- A cloaca é encontrada em todos os em-


da mais viscosa que, com o ovo, gira durante a briões de vertebrados e persiste nas fases
sua passagem pelo oviduto; encontra-se enrola- adultas de peixes cartilaginosos, anfíbios, rép-
da constituindo um cordão chamado chalaza. A teis e aves. Nela desembocam o intestino, o
membrana da casca é dupla (dois folhetos) e na oviduto e o canal urinário. Veja na figura a re-
extremidade mais alargada do ovo os dois folhe- presentação desse sistema.
tos separam-se, ficando entre ambos a câmara
de ar. A coloração dos ovos é determinada por Ducto Urinário
pigmentos sanguíneos e biliares. Oviduto
Todas as aves são ovíparas, com desen-
volvimento direto. No desenvolvimento, apresen-
tam âmnio, córion, alantoide e saco vitelínico.
É pelo alantoide que ocorrem as tro- Intestino
Cloaca
cas gasosas da respiração e são armaze-
nadas as excreções.
Biologia 2 - Aula 10 157 Instituto Universal Brasileiro
Observe o desenho que representa a
cria de outra fêmea. No melhor estilo Senho-
anatomia interna de uma galinha.
ra do Destino, elas se estapeiam para decidir
quem ficará com o rebento. Fêmeas também
Traqueia Rim se atracam para escolher quem fica com os
Pulmões machos, cuja população é menor. Detalhe: pin-
Ovário Oviduto
guins são monogâmicos (têm apenas um par-
ceiro) e os casais se mantêm durante todo o ci-
clo de acasalamento – um ano inteiro. Imagine
você que os pinguins da Antártica se viram como
Esôfago Cloaca podem para construir ninhos usando pedrinhas.
É importante que as pedras tenham diferen-
Intestino tes tamanhos, sejam sobrepostas em grande
Papo grosso
quantidade, para que os ovos não saiam rolan-
Intestino do quando placas de icebergs degelam. Aos
Coração delgado machos cabe cuidar dos ovos nos 3 meses de
Fígado
Moela inverno polar, período em que enfrentam a escu-
ridão permanente e não comem para manter os
ovos aquecidos sob o corpo. Durante o período
de frio mais intenso, machos se amontoam para
se manter aquecidos. Para se proteger do ven-
Após a postura, todas as aves cho- to, o grupo anda em círculos, se posicionando
cam os ovos durante o período de incu- contra a ventania. Além do frio, da fome e das
bação e, após o nascimento, cuidam da longas marchas entre o mar e os locais de pro-
prole. Esta é uma característica evolutiva criação (podem chegar a 20 dias de caminha-
que as distingue dos répteis. da), ainda é preciso enfrentar uma série de pre-
dadores como os leões-marinhos e os condores.
Revista Superinteressante. Dezembro
de 2005. Fragmento adaptado.

Mamíferos
Aves da Antártida
Os mamíferos (do latim Mammalia =
que mamam) constituem a classe mais evo-
luída dos vertebrados e a mais importante
por incluir o homem.

O caminhar engraçado em imensas filas


e os cômicos tombos parecem lhes roubar o
direito à realeza. Mas os pinguins imperado-
res reinam sobre a Antártida, território maior
que a Europa. Quando os filhotes morrem,
o desespero leva algumas mães a roubar a As 5.558 espécies distribuem-se por todas
as regiões do Planeta, sendo a maioria, terrestre.
Biologia 2 - Aula 10 158 Instituto Universal Brasileiro
Os mamíferos apresentam algumas característi- Grupos de mamíferos
cas semelhantes às dos animais de outras clas-
ses (são tetrápodos, homeotermos e respiram A classe dos mamíferos está dividida em
por pulmões). No aspecto comportamental, os três subclasses, de acordo com o desenvolvi-
mamíferos destacam-se no cuidado à prole, o mento e existência ou não de uma placenta.
que faz aumentar a chance de sobrevivência dos
filhotes, garantindo a perpetuação da espécie Prototérios
(proto = primitivo; tério = animal)
Características exclusivas que
diferenciam os mamíferos São os monotremados: mamíferos
que põem ovos. Apresentam caracterís-
• Glândulas mamárias: produzem ticas mistas de répteis, aves e mamíferos,
leite para nutrir os filhotes recém-nascidos. como: desenvolvimento externo (são ovípa-
• Glândulas na pele: sudoríparas e ros), bico semelhante ao de um pato, pelos
sebáceas. recobrindo o corpo, glândulas mamárias pro-
• Útero: órgão que abriga o em- dutoras de leite, patas adaptadas à natação,
brião durante o seu desenvolvimento (são e cloaca. Exemplos: o ornitorrinco (ornito
vivíparos). = ave; rinco = bico), ameaçado de extinção;
• Pelos: recobrem o corpo, auxi- e a équidina, com bico alongado e o corpo
liando na manutenção da temperatura. coberto por pelos grossos e espinhos; am-
Os pelos são formados por uma proteína, bos encontrados na Austrália e Tasmânia.
a queratina, presente também nas unhas,
cascos e chifres.

Origem e expansão dos mamíferos Ornitorrinco Équidna



Os mamíferos surgiram no Mesozoi-
co, há cerca de 200 milhões de anos, mais
ou menos na época em que apareceram
os dinossauros. Originaram-se de répteis
chamados terapsídeos, pequenos carnívo-
ros de hábitos noturnos, que provavelmen- O ornitorrinco habita águas doces
te viviam escondidos dos grandes répteis. e pode ser visto à margem de rios e
Esses animais apresentaram uma evolução lagos, mas é difícil avistá-lo devido a
no crânio e desenvolveram um esqueleto sua timidez. Outra razão que dificulta
mais leve e flexível, com membros locomo- sua observação é o fato de concentrar
tores localizados mais embaixo do corpo, o sua atividade ao amanhecer e ao cair
que lhes aumentou a agilidade e rapidez. da noite. Tem o corpo coberto por um
Acredita-se que a capacidade de controlar
pelo denso e suave, que apresenta al-
a temperatura interna (endotermia) seja o
fator que talvez explique a sobrevivência gumas regiões com pelo mais duro. Foi
dos mamíferos após o fim da Era Mesozoi- caçado durante muito tempo devido à
ca com a extinção dos dinossauros, há 65 sua pele e também foi alvo dos cole-
milhões de anos. Daí em diante, os mamí- cionadores, que o capturavam como
feros se expandiram, passando a dominar a curiosidade biológica. Atualmente, es-
Terra na era Cenozoica. tão estritamente protegidos.

Biologia 2 - Aula 10 159 Instituto Universal Brasileiro


Metatérios ou marsupiais
envolvida na produção de diversos hormônios:
progesterona, gonadotrofina coriônica (hCG),
São mamíferos com placenta incom-
hormônio lactogênio placentário, estrogênio
pleta. O desenvolvimento embrionário não se (principalmente o estriol) etc.
completa dentro do útero materno, os filhotes
nascem ainda como fetos. Ao nascerem, os
seus membros anteriores estão bem desenvol-
vidos, permitindo que eles escalem até a bolsa Principais ordens de
(marsúpio), onde ficam firmemente aderidos mamíferos placentários
aos mamilos, sugando o leite até completar
seu desenvolvimento. Exemplos: canguru e Sirênios
coala na Austrália, gambá no Brasil.
São aquáticos, as fêmeas amamentam
os filhotes segurando-os junto às mamas, da
maneira como faz a mulher.
O representante é o peixe-boi ou ma-
nati, herbívoro manso, que pode atingir 3
metros de comprimento.

Gambá Canguru Coala

Eutérios ou placentários

Constituem o maior grupo de mamíferos,


com placenta durante todo o desenvolvimento
embrionário. A placenta é um anexo embrioná-
rio através da qual ocorrem as trocas entre a
mãe e seu filho. É uma região do córion, muito
ramificada de vasos sanguíneos, que se forma Cetáceos
no endométrio (parede interna do útero) e faz a
comunicação entre o feto e a mãe, através do Abrange os maiores animais, todos
sangue, pelo cordão umbilical. aquáticos, têm as patas anteriores transfor-
madas em nadadeiras e a nadadeira cau-
dal, forte, é usada para propulsão. Os re-
presentantes são as baleias, os golfinhos
e os cachalotes.

Importância da placenta

Através da placenta o feto alimenta-se,


recebendo do sangue materno água, oxi-
gênio, vitaminas, anticorpos, enzimas, áci-
dos graxos e glicose. O gás carbônico e os
produtos nitrogenados do seu metabolismo Golfinho Baleia orca
(ureia e ácido úrico) são removidos através
da placenta e passam para o sangue da mãe As baleias orcas, cachalotes e golfinhos
a fim de serem eliminados. A placenta é tam- são carnívoros, possuem dentes de forma cô-
bém órgão endócrino importante na gravidez, nica e formam o grupo dos odontocetos. As
demais baleias não possuem dentes; apresen-
Biologia 2 - Aula 10 160 Instituto Universal Brasileiro
tam barbatanas que filtram o plâncton, do qual
se alimentam e são do grupo mistacocetos. Japão e Noruega, continuaram a exercer
a prática assassina. A Comissão Baleeira
Internacional (CBI), que reúne países do
mundo inteiro, havia decidido que não se
mataria mais baleia em parte alguma do
O cachalote é a maior das
mundo. Porém, em nome do desenvolvi-
baleias com dentes mento da ciência, a caça somente seria
permitida para pesquisas. Naquele mesmo
ano, o Japão, tradicional consumidor de
carne de baleia, criou o Jarpa, sigla inglesa
para Programa Japonês de Pesquisa Ba-
leeira sob Permissão Especial na Antárti-
da. Em linhas gerais, o Jarpa funcionava
assim: todo ano, no verão antártico, navios
japoneses matavam 440 baleias minke
para estudar o interior de seus ouvidos,
estômagos e intestinos. Como as baleias
já estavam mortas mesmo, os japoneses
É facilmente reconhecida pela sua enor- picotavam seus corpos, enlatavam, conge-
me cabeça quadrada e maxilar inferior estrei- lavam e vendiam a carne para restauran-
to. Pode ser azul escura, cinza ou marrom, tes e supermercados. Seria uma comer-
com manchas brancas na barriga. É robusta cialização disfarçada de “pesquisa”. A luta
e tem pequenas barbatanas e uma série de continua, principalmente com ativistas do
corcundas arredondadas em sua parte trasei- Greenpeace, uma das maiores organiza-
ra, chegando a 18 metros de comprimento. ções ambientalistas do mundo.
A cabeça apresenta um nariz desenvolvido e Em 800 anos de caça às baleias,
internamente, à frente e acima do crânio está
o homem quase riscou do mapa várias
localizado o órgão do espermacete, que pode
se estender até 40 por cento do comprimento
espécies. Veja alguns exemplos:
da baleia. O espermacete é uma substância • Baleia-franca - 2 mil (eram 100 mil
que tem a textura de uma cera branca e por no passado). Por viajar perto da costa e
muitos anos foi extraída para iluminação e lubri- não afundar quando morre, era a mais ca-
ficação. O cachalote chega a ter até 2.000 litros çada desde a Idade Média. A caça ficou
dessa substância, composta por ésteres e trigli- cada vez mais difícil até ser proibida em
cérides. A conhecida baleia branca Moby Dick, 1946.
do romance de Herman Melville, corresponde • Cachalote - 700 mil (eram 1,5 mi-
à descrição de uma baleia cachalote albina. lhão). Seu cabeção está cheio de um óleo
Disponível em: <http://escola.britannica.com.br/ excelente. Com a industrialização e a neces-
article/574445/cachalote>. sidade de lubrificar máquinas, a cachalote
Acesso em: 14.07.2014. Adaptado. virou a bola da vez.
• Baleia-azul - 12 mil (eram 200
mil). O maior ser vivo que já existiu não
era caçado porque seu corpo de 190 tone-
ladas afunda ao morrer. Em 1860, inven-
taram um arpão que injeta ar. Foi quase o
SOS baleias fim dessa espécie.
• Jubarte - 30 mil (eram 100 mil). Fa-
Apesar da proibição à caça das baleias mosa pelo belo e complexo canto, que indica
existir desde 1987, os grandes matadores, grande inteligência, a jubarte também afunda

Biologia 2 - Aula 10 161 Instituto Universal Brasileiro


A capivara é o maior roedor do mundo, en-
ao morrer e só começou a ser caçada no sé- contrada no pantanal matogrossense e às margens
culo 19. de rios e represas.
• Baleia minke - 1 milhão (quanti-
dade desconhecida). Os caçadores nun- Lagomorfos
ca deram bola para ela, pelo tamanho pe-
queno. Por isso, é a mais abundante. Os São coelhos e lebres. Não confundi-
japoneses dizem que é possível caçá-la -los com roedores, pois seus dentes inci-
de modo sustentável. sivos não crescem. Eles possuem grandes
orelhas, desproporcionais ao tamanho do
Revista Superinteressante. Fevereiro de 2006.
Fragmento adaptado. corpo, olhos grandes e o lábio superior re-
partido em dois. Em geral, as lebres são
maiores e mais pesadas que os coelhos.
Quirópteros (quiro = mão; ptero = asa) Elas medem de 20 a 50 centímetros de
comprimento, têm orelhas mais compridas
São os morcegos que têm os membros e patas traseiras maiores do que as dos
anteriores transformados em asas, grande ca- coelhos, o que faz com que corram mais
pacidade auditiva e hábitos noturnos. Os morce- para escapar dos predadores (aves de ra-
gos herbívoros alimentam-se de frutos e néctar pina, mamíferos e répteis).
de flores que se abrem à noite, tornando-se por
isso, importantes polinizadores dessas flores.

Carnívoros

Formam um grande grupo. São ma-


míferos que se alimentam de carne, e para
isso têm os dentes adaptados: caninos for-
Roedores tes e pontiagudos para rasgar e os pré-mo-
lares e molares com arestas cortantes. Os
São os ratos, camundongos, capiva- aquáticos, como os leões marinhos e fo-
ras, cutias, pacas, esquilos. Seus dentes in- cas, têm membranas entre os dedos como
cisivos estão sempre crescendo para compen- uma adaptação à natação.
sar o desgaste do uso. Os carnívoros terrestres possuem os
dedos separados. Estão representados em
várias ordens:
• Canídeos: cão, lobo, raposa.

Rato

Capivara Esquilo

Biologia 2 - Aula 10 162 Instituto Universal Brasileiro


• Felídeos: tigre, leão, onça, puma, gato, Esses mamíferos são conhecidos como
jaguatirica e outros. paquidermes.

Xenartros ou desdentados

Grupo que inclui o tamanduá, o tatu e a


preguiça (esta, com dentes molares).

• Ursídeos: ursos.

• Hienídeos: hienas.
Ungulados

São todos os que têm casco nas patas. O


casco é uma estrutura grossa de queratina, que
recobre e protege os dedos do animal. Os ungu-
lados dividem-se em dois grupos, dependendo do
número ímpar (1) ou par (2) de dedos de apoio.
Perissodáctilos: que se apoiam sobre
um dedo (ou um número ímpar de dedos), pro-
tegidos pelo casco. O dedo mediano é o mais
desenvolvido. Exemplos: cavalo, burro, ze-
bra, rinoceronte e anta.
Proboscídeos

São os elefantes, animais de grande porte,


pele espessa, possuem uma tromba ou probósci-
de, formada pela fusão do nariz e do lábio superior.

Artiodáctilos

Apoiam-se sobre dois dedos (ou um nú-


mero par de dedos), recobertos pelo casco.
Exemplos:
• Ruminantes: vaca, búfalo, cabra,
carneiro, veado, girafa, lhama, dromedário
(uma corcova), camelo (duas corcovas).
Biologia 2 - Aula 10 163 Instituto Universal Brasileiro
Primatas

Grupo de grande importância, ao qual


pertence o ser humano. Esses mamíferos
apresentam encéfalo (cérebro e cerebelo)
muito desenvolvido, pernas longas, unhas nos
dedos, dentes adaptados à alimentação oní-
vora, isto é, tanto vegetal quanto animal. Os
molares têm a superfície com reentrâncias,
• Não ruminantes: hipopótamo, porco usados para a mastigação. Uma grande novi-
e todos os outros. dade neste grupo é o dedo polegar oponen-
te, com a função de agarrar, pois ele se dobra
abaixo dos outros dedos.
Pertencem a essa ordem: saguis, chim-
panzés, orangotangos, gorilas, lêmures, várias
espécies de macacos e os seres humanos.

Corno ou chifre, qual a diferença?

Cornos ou chifres são apêndices da ca-


beça de alguns mamíferos, com aparências
semelhantes e origens diferentes. Podem ser
de origem óssea (corno e galhada) ou dérmi-
ca (chifre). Entenda melhor essa diferença:
1. Cornos verdadeiros. Característi-
cos em todos os ruminantes (ex.: bois,vacas
e carneiros). São ocos, com epiderme que-
ratinizada que reveste uma projeção óssea
Anatomia e fisiologia dos mamíferos
do crânio. São permanentes, não ramifica-
dos, podem ser curvados, crescem conti- A variedade de tamanhos, formas e hábi-
nuamente e ocorrem em ambos os sexos. tos entre os mamíferos é enorme e não é ne-
2. Galhadas. Comuns em veados e cessário fazermos um estudo pormenorizado de
cervos machos. São ramificadas e quan- cada grupo. Vamos apresentar de forma simples
do maduras são compostas de ossos sóli- algumas características internas que todos os
dos. As galhadas crescem e caem todos mamíferos possuem, deixando para a aula se-
os anos, após a estação reprodutiva. guinte o estudo do corpo humano, dando ênfa-
3. Chifres. Conjuntos de papilas se à sua anatomia e fisiologia.
dérmicas cimentadas que formam um fila-
mento queratinizado em forma de pelo e Sistema digestório
não têm ligação com o crânio. É o caso do
rinoceronte, cujo chifre forma-se sobre o Completo, com boca, faringe, esôfago, es-
osso nasal, em posição média. tômago, intestinos e ânus. Possuem como glân-
dulas anexas, fígado e pâncreas, órgãos vitais,
Biologia 2 - Aula 10 164 Instituto Universal Brasileiro
importantes no metabolismo. não permanece muito tempo nesse trecho
• Mamíferos ruminantes (bois, ca- do tubo digestório.
bras, carneiros, veados, camelos, girafas e
outros), todos herbívoros, possuem o estô- Sistema respiratório
mago dividido em quatro compartimentos,
por onde o alimento segue. Todos respiram através de pulmões,
mesmo os aquáticos. Os pulmões são
Entenda o que ocorre nesse formados por milhares de alvéolos, onde
diferente processo de digestão ocorrem as trocas gasosas. Os movimen-
dos ruminantes
tos respiratórios (inspiração e expiração)
são realizados pelos músculos intercostais
1. Após abocanhar uma grande porção
de folhas, o bolo alimentar vai para o primei- e pelo diafragma, que separa a cavidade
ro compartimento, chamado rúmen ou pan- torácica da abdominal.
ça, onde é armazenado e amolecido pela
saliva produzida na boca. No rúmen existem Sistema circulatório
bactérias que produzem a enzima celulase,
responsável pela digestão da celulose do O coração tem quatro cavidades comple-
vegetal. tamente separadas, não havendo mistura de
2. Depois de semidigerido na pança, o sangue arterial com sangue venoso. As hemá-
alimento passa pelo segundo compartimen- cias são discoidais, pequenas e anucleadas.
to, o retículo ou barrete, formando peque-
nos bolos que são devolvidos à boca para
Sistema excretor
serem mastigados.
3. Em seguida ocorre a deglutição, e o
bolo alimentar vai para o ômaso ou folhoso, Os rins são do tipo metanefro e o pro-
onde se dá a reabsorção da água. duto nitrogenado excretado é a ureia. Todos
4. O quarto compartimento é o abô- possuem bexiga urinária, cuja função é arma-
maso ou coagulador, estômago químico, zenar a urina.
que possui glândulas secretoras de enzi-
mas digestivas. Daí, o alimento passa ao Sistema reprodutor
intestino, seguindo o trajeto e sendo absor-
vido, até que os resíduos sejam eliminados As glândulas sexuais dos machos são
pelo ânus.
os testículos e das fêmeas, os ovários. A fe-
1 - Rúmen cundação é interna e todos são vivíparos, com
3 - Ômaso
desenvolvimento dentro do útero materno, ex-
ceto nos monotremados, que põem ovos. Nos
marsupiais, como já vimos, o embrião passa
pouco tempo dentro do útero e termina o de-
senvolvimento na bolsa (marsúpio da mãe).

2 - Retículo
4 - Abômaso

Vertebrados II – Aves e Mamíferos


• Mamíferos não ruminantes (huma-
nos e todos os outros animais) também di- Aves
gerem a celulose, porém, de maneira menos
eficiente. Eles possuem bactérias produto- Originaram-se dos répteis (dinossauros).
ras de celulase, mas elas povoam a porção Conquistaram totalmente a Terra, habitando
terminal do intestino delgado e o alimento
Biologia 2 - Aula 10 165 Instituto Universal Brasileiro
todos os ambientes. Há aproximadamente, Planeta. São os mais desenvolvidos.
nove mil espécies.
Características gerais: homeotermia, Características principais: glându-
ossos pneumáticos, sacos aéreos, osso las mamárias, corpo recoberto de pelos,
esterno em forma de quilha nas aves voa- glândulas sudoríparas e sebáceas na pele,
doras, asas, corpo recoberto de penas, útero nas fêmeas (exceto nos monotrema-
pele sem glândulas (apenas a uropigea- dos).
na), ausência de dentes e de bexiga uriná-
ria. São todas ovíparas. Classificação dos mamíferos

Classificação das aves Prototérios ou monotremados. Pos-


suem características de répteis (põem
Ratitas. Sem asas, não voam: kiwi, ovos), de aves (bico) e de mamíferos (pe-
ema e avestruz. los e glândulas mamárias) Exemplos: orni-
torrinco e éqdina.
Carinatas. Possuem asas e voam: to-
dos os pássaros, gaivotas, papagaios, ga- Metatérios. Desenvolvimento parcial
viões e outros. dentro do útero e após o nascimento com-
pleta-se na bolsa ou marsúpio. Exemplos:
A formação do ovo, passo a passo cangurus, coalas e gambás.

Eutérios ou placentários. Consti-


tuem a maioria. São todos aqueles em que
o desenvolvimento embrionário é com-
pleto dentro do útero, até o nascimento.
São muitas as ordens de mamíferos pla-
centários, dentre as quais mencionamos as
principais: sirênios (peixe-boi); cetáceos
(golfinhos e baleias); quirópteros (mor-
O único ovário libera vários óvulos ri- cegos); lagomorfos (coelhos); roedores
cos em vitelo (gema). Ao migrar para o ovi- (ratos); carnívoros (cão, lobo,onça, leão,
duto, o óvulo (fecundado ou não), recebe gato, urso); desdentados (tamanduá,
camadas de albumina (clara) e ao chegar à tatu); proboscídeos (elefante); ungula-
porção mais dilatada, permanece algumas dos (cavalo, vaca, rinoceronte, porco);
horas até completar a formação de mem- primatas (macacos, homem).
branas que envolvem a clara. Continuando
a descer pelo oviduto, recebe uma camada
Características exclusivas que
de carbonato de cálcio, último envoltório,
diferenciam os mamíferos
secretado pela glândula da casca. Já pron-
to, o ovo é expelido pela cloaca e a casca
• Glândulas mamárias: produ-
endurece imediatamente ao entrar em con-
zem leite para nutrir os filhotes recém-
tato com o ar, permanecendo porosa para
nascidos.
permitir a entrada do oxigênio e saída do
• Glândulas na pele: sudoríparas e
gás carbônico. Se o óvulo foi fecundado
sebáceas.
(ovo galado), contém um embrião em de-
• Útero: órgão que abriga o embrião
senvolvimento e se não houve fecundação
durante o seu desenvolvimento (são viví-
(ovo não galado), a aparência externa do
paros).
ovo é igual, apenas não contém o embrião.
• Pelos: recobrem o corpo, auxi-
liando na manutenção da temperatura. Os
Mamíferos pelos são formados por uma proteína, a
queratina, presente também nas unhas,
Animais que mamam. Existem mais de cascos e chifres.
cinco mil espécies, em todas as regiões do

Biologia 2 - Aula 10 166 Instituto Universal Brasileiro


5. (UFMA) A maioria dos mamíferos é
vivípara, sendo por isso designados eutérios.
Entretanto, existem mamíferos cujo desenvol-
vimento embrionário é diferenciado. Dessa
forma, não se classificam como eutérios, mas
1. (UNESP) Adaptada. Ovo com casca e como metatérios e prototérios.
placenta foram duas características importan- São exemplos de animais metatérios:
tes que surgiram durante a evolução dos ani-
mais vertebrados. Responda, pela ordem res- a) ( ) cavalo e boi.
pectiva, em qual grupo surgiu cada estrutura e b) ( ) canguru e équidina.
qual a importância do seu aparecimento. c) ( ) canguru e gambá.
d) ( ) gambá e ornitorrinco.
a) ( ) Nos anfíbios, para conquista
do ambiente terrestre e nas aves, para o 6. Assinale duas características exclu-
desenvolvimento externo. sivas das aves:
b) ( ) Nos répteis, para a conquista
do ambiente terrestre e nos mamíferos, para
a comunicação do embrião com o organis-
mo materno.
c) ( ) Nas aves, para a conquista do
meio terrestre e nos mamíferos para o alei-
tamento materno.
d) ( ) Nas aves, para a conquista do
meio terrestre e nos mamíferos para a for-
mação do embrião.

2. (FAEEGO-GO).Todas as característi-
cas abaixo estão presentes em aves, exceto: a) ( ) homeotermia e coração com
quatro câmaras.
a) ( ) fecundação interna. b) ( ) pecilotermia e desenvolvimento
b) ( ) respiração pulmonar. externo.
c) ( ) coração com três cavidades. c) ( ) sacos aéreos e formação de
d) ( ) temperatura corporal constante. ovos com casca.
d) ( ) ossos pneumáticos e penas.
3. O principal produto nitrogenado ex-
cretado pelos mamíferos é: 7. (FUVEST) No Egito, muitos artefa-
tos de pedra vendidos como provenientes dos
a) ( ) a amônia. tempos dos faraós são falsificados. O proces-
b) ( ) o ácido úrico. so de falsificação consiste em esculpir peque-
c) ( ) a albumina. nas pedras e misturá-las com a comida ofere-
d) ( ) a ureia. cida às galinhas. As pedras atravessam todo
o tubo digestório da galinha, tendo depois o
4. Os animais homeotérmicos têm em aspecto de objetos antigos e desgastados
seu tegumento, estruturas que funcionam pelo uso. Este processo de “envelhecimento
como isolantes térmicos. Essas estruturas são: mecânico” deve-se à ação:

a) ( ) as escamas e os pelos. a) ( ) do bico.


b) ( ) as penas e os pelos. b) ( ) do papo.
c) ( ) as placas córneas e as escamas. c) ( ) da moela.
d) ( ) as penas e as escamas. d) ( ) do estômago químico.
Biologia 2 - Aula 10 167 Instituto Universal Brasileiro
vertebrados, as aves e os mamíferos são os
únicos homeotermos. Esses animais possuem
estruturas na pele que funcionam como isolan-
tes térmicos recobrindo o corpo: nas aves as
penas e nos mamíferos, os pelos.
1. b) ( x ) Nos répteis, para a
conquista do ambiente terrestre e nos 5. c) ( x ) canguru e gambá.
mamíferos, para a comunicação do em-
brião com o organismo materno. Comentário. Animais vivíparos são
aqueles que se desenvolvem dentro do útero
Comentário. O ovo com casca foi a pri- da fêmea. Mas há exceção: os prototérios ou
meira estrutura de adaptação ao ambiente ter- monotremados (ornitorrinco) põem ovos e o de-
restre e surgiu com os répteis, sendo também senvolvimento é externo. Os metatérios não se
uma característica das aves. A placenta é um desenvolvem completamente dentro do útero,
órgão exclusivo dos mamíferos, que aparece ficando nele durante um período e terminando
no desenvolvimento embrionário, comunican- o desenvolvimento na bolsa marsupial. É o caso
do o embrião ao organismo materno. Através do canguru e do gambá. Todos os outros mamí-
da placenta, cheia de vasos sanguíneos, a feros são eutérios ou placentários.
mãe passa os nutrientes e o oxigênio ao feto,
e recebe dele os resíduos metabólicos e o gás 6. d) ( x ) ossos pneumáticos e pe-
carbônico da respiração. nas.

2. c) ( x ) coração com três cavi-


dades.

Comentário. Esta afirmação é incorreta,


pois são os anfíbios que possuem coração com
três cavidades: dois átrios e um só ventrículo,
onde ocorre mistura do sangue venoso com ar-
terial. As aves têm o coração dividido em quatro
cavidades, dois átrios e dois ventrículos e não há Comentário. Essas características são
mistura sanguínea. Pelo lado direito passa san- exclusivas das aves. Ossos leves, ocos, cons-
gue venoso e pelo esquerdo, sangue arterial. tituem uma adaptação ao voo e as penas au-
xiliam no aquecimento do corpo, como isolante
3. d) ( x ) a ureia. térmico. Homeotermia e coração com quatro
câmaras também são características de mamí-
Comentário. A urina elimina as substân- feros a, portanto, não são exclusivas. Ovos com
cias nitrogenadas que proveem da digestão casca também pertencem aos répteis c.
das proteínas no organismo. Os peixes elimi-
nam amônia, as aves, ácido úrico e os ma- 7. c) ( x ) da moela.
míferos eliminam ureia. A albumina não é um
produto nitrogenado, mas sim, uma proteína Comentário. A moela é o estômago me-
(por exemplo, a clara do ovo). cânico das aves, isto é, o órgão de trituração,
já que esses animais são desprovidos de den-
4. b) ( x ) as penas e os pelos. tes. Os falsificadores utilizam-se desse conhe-
cimento para “fabricar” pequenos objetos com
Comentário. Animais homeotérmicos (ou aparência de antigos. Nas aves, o papo serve
homeotermos) são todos aqueles que man- para armazenar e amolecer o alimento, enquan-
têm constante a temperatura do corpo, inde- to o estômago químico fabrica enzimas para a
pendente da temperatura ambiental. Entre os quebra das moléculas (digestão química).
Biologia 2 - Aula 10 168 Instituto Universal Brasileiro